Issuu on Google+

www.bancariosdf.com.br

Brasília, 30 de setembro de 2010

Ano 16 - Número 1.276

Greve nacional

segue forte no segundo dia A greve nacional dos bancários segue crescente nesta quinta-feira (30), segundo dia de paralisação da categoria. A exemplo dos 26 Estados, a greve no Distrito Federal começou forte e a tendência é que a adesão cresça ainda mais neste segundo dia. A maioria das agências de Brasília e de todas as regiões administrativas amanheceu fechada. A expressiva mobilização foi vista também nos prédios administrativos. Em todo o Brasil, segundo dados da Contraf-CUT, os trabalhadores fecharam mais de 4

mil agências, de bancos públicos e privados, em todas as capitais e em diversos municípios do interior do país onde há presença de instituições financeiras, além de centros administrativos - número maior que no ano passado. Ao final da tarde de ontem, sem nova proposta por parte dos bancos, os bancários do DF aprovaram, em assembleia realizada na Praça do Cebolão, no Setor Bancário Sul, a continuidade da greve por tempo indeterminado. “Enquanto a Fenaban não apresentar uma

contraproposta decente, que englobe aumento real e melhorias das condições de trabalho (saúde, segurança e emprego, por exemplo), seguiremos com nosso movimento nacional. E quem ainda não aderiu à greve deve se juntar aos colegas que já estão de braços cruzados. Vamos mostrar toda a nossa capacidade de luta e de organização aos banqueiros”, destaca Rodrigo Britto, presidente do Sindicato. Confira no verso e no site www.bancariosdf.com.br mais informações e imagens da greve em Brasília.

Nova assembleia organizativa hoje, às 17h, no SBS.


30 de setembro de 2010

2

Orientações para a greve n A Constituição e a Lei de Greve garantem o direito à greve. n A greve é de todos, mas é importante que cada bancário faça a sua parte para a categoria alcançar seus objetivos. n Denuncie ao Sindicato o assédio moral e a coação dos bancos para furar a greve ou trabalhar em outro site ou por acesso remoto. n Se você for convidado para trabalhar durante a paralisação, não aceite. É contra a lei de greve. Grave o registro da mensagem de celular, com hora e data e encaminhe ao Sindicato.

Imagens da greve

n Trabalhar em casa durante a greve, além de desrespeitar e enfraquecer a luta dos seus colegas, pode trazer problemas jurídicos, uma vez que isso não está previsto no contrato de trabalho. n Os bancos vão tentar confundir a categoria. Acredite apenas nas informações divulgadas pelo Sindicato. n Caso a polícia ou oficial de Justiça apareça, permaneça na agência sem fazer o confronto. Exija a identificação do oficial de Justiça, leia o ofício na íntegra, anote dados e comunique o coordenador e o Sindicato imediatamente. n Convença os colegas bancários sobre a importância da greve e da unidade da categoria. Convença-os a participar das manifestações em agências de outros bancos. n Informe os clientes dos motivos da greve, da exploração e desrespeito dos bancos com clientes e população. Procure ajudar a clientela. n Permaneça no comitê de esclarecimento pelo menos até as 16 horas. n Vá às atividades, reuniões e assembleias convocadas pelo Sindicato. Elas são importantes para debater e fortalecer a estratégia de mobilização para pressionar os banqueiros. n Tenha sempre em mãos os telefones do Sindicato: 3262-9090 (geral) ou 3262-9004, 3262-9018, 3262-9030 e 3262-9008 (Secretaria-geral).

Sindicato dos Bancários de Brasília

O que os bancários reivindicam n Piso salarial de R$ 1.510 para portaria, R$ 2.157 para escriturário (salário mínimo do Dieese) e R$ 2.913 para caixas.

n Proteção à saúde do trabalhador, que inclua o combate às metas abusivas, ao assédio moral e à falta de segurança.

n Aumento para um salário mínimo (R$ 510) dos valores do auxílio-refeição, cesta-alimentação, 13ª cesta-alimentação e auxílio-creche/babá.

n Medidas para proteger o emprego, como garantias contra demissões imotivadas, reversão das terceirizações e fim da precarização via correspondentes bancários.

n PLR de três salários mais R$ 4 mil fixos. n 11% de reajuste salarial.

n Mais contratações para amenizar a sobrecarga de trabalho e acabar com as filas.

Presidente Rodrigo Lopes Britto (presidencia@bancariosdf.com.br) Secretária de Imprensa Rosane Alaby Conselho Editorial Alexandre Severo (Caixa), Antonio Eustáquio (BRB), Rafael Zanon (BB) e Rosane Alaby (Bancos Privados) Jornalista responsável e edição Renato Alves Editor assistente Rodrigo Couto Redação Thaís Rohrer, André Shalders e Pricilla Beine (estagiária) Editor de Arte Valdo Virgo Diagramação Marcos Alves Webmaster Elton Valadas Cinegrafista Ricardo Oliveira Fotografia Agnaldo Azevedo e Augusto Coelho Sede SHCS EQ 314/315 - Bloco A - Asa Sul - Brasília (DF) - CEP 70383-400 Telefones (61) 3262-9090 (61) 3346-2210 (imprensa) Fax (61) 3346-8822 Endereço eletrônico www.bancariosdf.com.br e-mail imprensa@bancariosdf.com.br Tiragem 10.000 exemplares Distribuição gratuita Todas as opiniões emitidas neste informativo são de responsabilidade da diretoria do SEEB-DF


Informativo 1276