Issuu on Google+

www.bancariosdf.com.br

Brasília,13 de agosto de 2010

Ano 16 - Número 1.269

s o d n u m i a r

r a l a b m e para a

a t s Fecários dos

Ban

ara outros p a t s e F a n bre espaço am a programação a m é b m t ta Sindicato rick e Ruan comple , – o ã x e fl n e oração e r dupla sertaneja He m e m ne. A o c e d a e o t nda Ciclo iura e a n n b e a lo m d ic o e C m ersidad tife e M ta – que é ma de Montanha e a e da div 21h, os DJ’s Pa ão Atlétid a r o a ã ç c r iaç as ura partir d ostos na Assoc ra abrir a Para ma idade. Bandas Cli da inaug érias o d n a u p q a ) pa 60, or s ac estarão sil (AABB co confere rcada p ociais cada de a a r é B d m o i d talentos d fo dicato, . , o públi entos s a Banco rios de

c cá do Sin movim e quência as pelo VJ Sasha dos ban ões aos e com a entidad a. Na se t iç s u história confunde com rad ia fe g e rs pe es prepa vida a categor ilitar, s 80, e õ s o m ç l n je a ia ra ra íl s u u s ro o d lt p ra n a u n s B it c o a te d c n e m e la o e a e t p a m odiSom olític O Sindic r da festa de co mpre iferente. ime, o Sin d g a vida p federal. O Sini re fo o o d ã n al r ticipa ário se cimento mos. Na da capit e rumo aos 50 para pa do Banc e a camim o arrefe ganhar novos ru omeça ia o c D u g lo e e s tas ec ça a dicato ração p conquis “ Vamos nos uma traje to come , o rock da cidad as que a s m c a o c o o d ã n e aç es. nd oca lembra sua fund uistas. O dia 28 d alhador e temos de esma ép cionalmente ba de, Leb a m r t s o anos de q d qu r na be Ru nhada tas e con a vitória squecer ão”, obser va e e a projeta osas, como Ple o m s e s s e tória de lu 1951 marcou um com a , c aç Su m diver tir e a mobiliz de Cultura oje são fa Os Paralamas do n goria h s te o a c id agosto d a n , io ana estar u tiva para dias e terminou secretár gião Urb significa Rocha, iras de l. 69 e ia d u ia n ic c n a r ro a tr In a u b l in d G a a e as zado, Capit greve qu tante êxito sobre desse nia com tras das músisindicali dicato. to é in in o S s ã o n d m r r a E o ti s le ind leça a com imp s patrões. A par o Dia cários, a também abore você a indicato e forta din s a E b s o o o d d o luta da com ores con e já ao S sigência o períod is e políticas, é lembra associe-s goria por melh der partio rock d ia ta c d a o s d s a a c s a , e d fato cate culiares s questõ m de po tornará omluta da ário. davam a as situações pe xto, insrias de c alho. Alé b tó a is do Banc tr h você s e a d ia o nte as nc ções e festa, d n pelos ra bem com entro desse co São muit bate e resistê g in com ra brigar aindessa d a e r m p l a É e a . ip c s te e c r o lo d ri fo e cá cida ancário de mais realidad , que nasce a dos ban il e, claa entida s. Associado, o b ica e desis da pela s a a ra n ir B p io n o c u a o o ríd it tod tern Raim seus dire ito à assessoria ju s, cursos, rasília. A ências in os brasilienses om o B u fl m e e , ir ola ro e amig siva c da tem d faculdades, esc s. banda d ntrevista exclu s 2 e 3), m cio e fí s e a e n to e in b con dos (leia igão nas pág e outros categoria 90. tr s n e o , n s a D a s ic a o a clín vocalist a festa, áeiro CD n iDepois d ra novas mobil a o prim Festa dos Banc v ra g e u , q a a o p t d a s h s o ra n e a õ ag se prep torno da Campa inAs atraç mora o 28 de r a d a e r é m com a e ag zações e 10. Nesta fase, rios, que animar a galer asília. r l 20 rios B e d m l e t a Naciona l que os bancá usic m prome a e d d n a e a v b id isia, a ivers dispensá idos para conqu toda a d o rock de Brasíl show na n u sd estejam ços no incipal Os filho Ingresso para sindicalizados: an faz o pr êm com Clima , s o d n tarem av tivo. os v , Raimu é m x it r a s e ole ro c 1kg de alimento não perecível out mba acordo festa. Os ha tocando sa k e Ruan ric tan O Sindicato vai entregar os de Mon jo da dupla Hen e n a t r convites nos locais de trabalho do se

A

28 de agosto

B B A ASetor de Clubes Sul A partir das

21h


2

Sindicato dos Bancários de Brasília

o t u a i o f e r p m e s a i l í s a r B “ ENTREVISTA: DIGÃO

m e d a i r é t a m m e

mais adeira Campos, odrigo Aguiar M iadores do igão, é um s cr D o m co o id ec conh asiliense da banda punk br e atual vocalista do pe recebeu a equi Raimundos. Ele sa para ncário em sua ca Informativo Ba cultural. ic lít música e po a a, íli as Br e br so uma conversa l, Digão fala das na Capital Federa do o ia cr e do ci as N da cidade ao long na cena musical s õe aç as m su or s sf da an tr dos, etória dos Raimun sta do tempo, da traj ncários para a fe ba os a id nv co e s ai ic al a influências mus , na AABB, da qu dia 28 de agosto no ria go te l. ca da principa anda é a atração banda que com va uma cena 1988, que já rola almente io ár es nc , ’ roll aqui peci ’n ck ro Informativo Ba dos bares. io da banda? nos showzinhos Como foi o iníc Pigalle, o ai Bom Dem s, o o nome o s, a do Er un im Ra O lão da Arte, a guatinga Digão Cabeças, o Pane no Pub, rolava em Ta rd do Lo ira sp ou in i oc fo ov a, Tinha show pra m. E pr isso se da band nosso Feira de Música. realmente valia bém. Aí depois n, m lto ta ni Ze , 90 no e e 19 no qu s anos Isso permitia Ramones ou. No início do um inchaço urba nilton molecada tocar. ab Ze ac O ó. e rr fo ad e id o do al ej a qu vestissem sertan padrinho degradou muito que as bandas in tourou o axé e o o sacanas, es ei ou m rn as r to tr ra se le a ho as íli el que elas as am fazia um músicas autorais, de vida no DF. Br isa só começou ós N co em l. a ta é e E o a. id os nt am rig ar se pe meç galera ia de duplo hoje uma cidade 1992, quando co iassem de fato. A sso cr em ni ” e de qu ra , de pg sa “u io as sid nd saber que as ba demos um uma violência in show sem nem não a estourar algum ra no as tr Pa le a. as ad ss eg w no gr Lo as se o ando lá avda, por que fica escondida, nhuma, nda ia tocar. Cheg Brasília. Era o Pr ne ba ou e o as ad rn nd id to ba gu En s bi sa no il. Es surpresa boa, tinham am quem não vive Dream, Little Qua ha sempre uma Foi do tin o s. nã da a ce ha m re ac nu cr pa a do es lgan ho legal. Era são bem na periferia, el estavam se divu ulo ou a nhecia um trabal Pa tir co o e nt Sã m ge va em a ta e es ou e qu o iga casa s qu Zenilton existir. No Ri série de festivai da na Z, o Porão [ant isa Zo ui co o aq , i sa fo ita es e íc , a, pl ic de ex át é da ci e existiu nossa tem a violência acontecendo na ows de rock, qu ram sh Fo s. Mas o o. de do im un ta ss im ris pé te Ra o ba iss do xping Deck safadeza não. Acho quando o Fred (e hoje fica o Shop bação, ita aos de am lim lh on se ar cu o lh es nã pi a de a nd os ou muitos an som da ba uma falta de da banda) começ Norte]... Hoje, é dessa ser nossa dos. Nessa , Paulo Octávio, un riz im Ro Ra m s co do Ramones, apesar ande que as lta a vo incentivo tão gr . Outras bandas e livrado No Raimundos, m ..) .(. ha da tin ru teresse. já Ar eu maior influência a am époc s perder o in al [a guns , oa al id ic ss ria em te Su pe o ba m iss a ra fo m os s co im lo cover assum importante dos problemas mo Andar foi dominada pe a co idal íli e ic as as a, ic Su rr Br ús re ita M . co gu s rd o ho ha uma trabal banda de já estava tocand era. a cover se tornou nky trazem nt nd Fu Pa e ba x, ile qu A ra Ba ão th e a aç An dr ], rm cena. na Pe Tendencies foi com essa fo ui, dominando a as posições, misa aq ss Ca a no ag os a s pr m da 94 va o 19 tá uc cu Em po um Também es as pessoas nós voltamos. al. Sem o incentivo, e a Rigor, mas uma crítica soci primeiro CD m o ze ou fa av gr e de Vênus, Ultraj nt ge e passam a deixam de criar ck pauleira é o resto é história. stimento o e ve s] in o do da un m an com certeza o ro ai o [R é garantido, IB - Com fazer aquilo que s gosta. ltura, cu na o ic a, bl oc pú que a gente mai ép r a próprios dono do pode IB - Nessa mesm que dá certo. Os ica, ús r m i ze na fo fa , te e r 88 en ve 19 m erem mais especial IB - Como era vi precisamente em miu pela dos bares não qu s no a íli as F? su D Br as ndas autorais aqui no rock’n’ roll em quando o Roriz saber hoje de ba F. GD canegra, no ente, anos 1980? primeira vez o É no Gates, no Bo Digão - Antigam , 80 ente você va s anos 19 m participou UK Brazil, dificilm especialmente no Roriz acabou co o , Digão - A gente ra to Ca ui autoral, que apoio m e fez de Brasília, escutar um som a gente tinha um Tudo bem que el a. íli da cena musical as Br Brasília. os, em dois cobrando um forte à cultura em enquanto músic ras e tal, mas foi ob go lo as o Projeto i el o fo e m ra qu imei Eram coisas co uito maior do m o momentos. A pr eç pr começou, em quando a gente

R


e t n e i c i f ssu

” a c i s mú

asília só com Aniversário de Br ntana? Eu Nx Zero, Luan Sa mas acho que é s, gosto dos cara as bandas aqui preciso valorizar s que o Arruda de Brasília. Depoi te, a gente caiu, especialmen Brasilia o da pulou no pescoç paço para os es ir Tour pra exig . Brasília é artistas da cidade musicalmente. autossuficiente, e lutar contra o A gente teve qu DF. Eles ficaram descrédito do G o, acharam que com muito med rio da cidade fazer o aniversá r daqui não ia da com as bandas am ar rç e eles fo certo. Tanto é qu car a Daniela lo co a barra para Reis. Mas Mercury, o Nando ecisava. o pr eu te digo que nã icial, Natiruts, In l ta pi Coloca lá Ca e Rude, já é dade. Eu Raimundos, Pleb ga alguma novi pra um milhão r, até gosto um megashow, mbém toco cove s deram o que é uma pessoas. Não no de e tocar, mas acho o, mas já foi a cena cultural espaço merecid uta pobreza ter ertura para os o. digno, foi uma ab ominada por iss á pra fazer ainda a artistas daqui. D ist ev tr en a um i lá um milhão e Outro dia, de de melhor. Estavam da ci da ui aq o di ssoas. para uma rá trezentas mil pe fo. Brasília não e fiz um desaba ssa do Rock. Ela IB - Digão, e a no é mais a Capital , ia ân ? oi a até G festa do dia 28 já foi. Hoje em di do iro le ce o r se z di imeiro eu que a galera Digão - Bom, pr ck’n’ ro na ce a um m entar toda a sertanejo, te quero cumprim a que ad ur ut tr es m ato, que nos roll mais be galera do Sindic ece o an festa. rm pe só ui para essa grande Brasília. Aq ou am ch . da e mais na e vai, mando Porão do Rock, Para a galera qu oda. m ir gu se a undos vai ou Brasília pass dizer que o Raim oda m s ai o sempre, m os m o ia lá moend com Nós não cr r ta es a a or músicas 1980. Ag todas as nossas como nos anos m co o Sã de uladas. e vem sicas, todas as pa gente segue o qu ás cl to lu triste. Eu r o verdadeiro Paulo, do Rio. É Vocês vão ouvi dos, confia contra isso. show do Raimun mo jeito o dessa em mim. Do mes pl em ex m U IB eu dinheiro que eu confio m o Aniversário i fo ia nc dê ca de ários, quero na mão dos banc nfiem no .. a. íli as Br de s co que os bancário aniversário o , dando ver lá im an m m ra s Pa do Digão Raimun u to en de Brasília repres no palco. Valeu. ada. m to re de e ci pé uma es

Entrevista exclusiva à TV Bancários no site www.bancariosdf.com.br

3

13 de agosto de 2010

Dynamo é o grande campeão

da Copa dos Bancários 2010 Depois de 54 jogos e 340 gols marcados, foi a equipe Dynamo quem levantou, no último dia 31 de julho, o troféu de campeão da Copa dos Bancários 2010. O time, que enfrentou o BB Ditec, venceu a partida por 4x1. Em terceiro lugar ficou o Juvenil S.A., que venceu o Poupex B. por 3x1. O vice-campeão, BB Ditec, se classificou como o melhor ataque, com 38 gols marcados em oito partidas, média de 4,7 gols por jogo. O posto de melhor defesa é ocupado pelo campeão Dynamo, que sofreu apenas 15 gols em oito partidas, média de 1,8 gol por jogo. Já o título de artilheiro foi dividido pelos jogadores Thiago Tavares, da Costa do Marfim, e Luciano Oliveira, do BB Ditec. Ambos marcaram 14 gols durante a competição.

Uma grande confraternização marcou a final da Copa. Para comemorar o fim da competição e celebrar a vitória dos times, o Sindicato preparou para os participantes e convidados uma tarde de lazer com muita música e feijoada.

Baianidade Candanga

chega à nona edição. Festa será dia 21, na AABB Uma celebração à cultura baiana está sendo preparada em Brasília para o próximo dia 21. É a nona edição da festa Baianidade Candanga - Do berço para o coração do Brasil, que acontecerá na Associação Atlética Banco do Brasil (AABB) e trará um pedaço da Bahia para a capital federal. O evento, que teve início em 2002 após uma assembleia dos bancários, é uma confraternização entre baianos e amigos de baianos que trabalham em bancos estatais. A festa começará às 13h e promete aos bancários e convidados uma tarde inteira com comidas típicas, muito rock, forró, axé, afoxé, samba e muito mais. Entre as atrações estão as bandas Chikita Bakana, tocando novos e antigos sucessos dos carnavais; Os Corruptos, com tributo a Raul Seixas e Ca-

misa de Vênus; Selva Branca, cover do grupo Chiclete com Banana e DJ Bob Cachal. Para completar o dia de Baianidade Candanga, também acontecerão apresentações de capoeira com o grupo Berimbazul, puxada de rede e percussão. Graças ao apoio do Sindicato dos Bancários, da Cooperforte, AABB, do Restaurante Coisas da Terra e Cycling, não será cobrado ingresso. Para manter a tradição da baianidade candanga de realizar o evento sem fins lucrativos, para esta edição basta a doação de 1 kg de alimento não perecível para receber o bilhete. Os alimentos serão entregues a instituições de caridade. Haverá camisetas do evento, que serão vendidas no local. A renda será revertida em prol de projetos sociais, esportivos e assistenciais.


4

13 de agosto de 2010

ENTREVISTA: SANDRO OLIVEIRA

A gente não quer só comida Cultura é uma das prioridades do Sindicato

E

mpenhado em oferecer uma alternativa cultural aos bancários e brasilienses, o Sindicato vem intensificando investimentos em artes desde 1996, quando foi inaugurado o Teatro dos Bancários, único espaço da cidade em estilo elisabetano – quando as cadeiras contornam o palco. Além da construção do local, com 474 lugares, hoje referência na capital do país (trata-se do único sindicato a abrigar um teatro em suas dependências), a entidade abre espaço para a categoria divulgar criações em artes plásticas, música, dança e espetáculos teatrais. Diretor do Sindicato e integrante da Secretaria de Cultura, Sandro Oliveira, funcionário do Itaú Unibanco, fez um balanço das atividades realizadas pela entidade e anuncia novidades para a área artística. Próximo de atingir a marca de 13 mil espectadores, o Cineclube Bancário, criado em 20 de agosto de 2007, é uma prova de que a estratégia do Sindicato vem dando certo. “O Cineclube já se consolidou em Brasília. É uma excelente alternativa para os amantes da sétima arte”, afirma Sandro. Paralelo ao Cineclube, o Sindicato realiza, todos os anos, o campeonato de futebol soçaite para integrar os bancários de todos os bancos. Confira, abaixo, um batepapo com Sandro sobre os projetos culturais da entidade.

as segundas-feiras tem exibição no Cineclube, sempre a partir das 20h. IB - O que o Sindicato está preparando para o próximo ano na área cultural?

Sandro Oliveira - Apesar de Brasília possuir a maior renda per capita do país e alto índice de escolaridade, ainda são poucos os espaços que exibem filmes fora do circuito comercial. E é aí que entra o Cineclube. Com uma programação nacional variada e excelentes títulos, a exibição de filmes no Teatro dos Bancários preenche esta lacuna. A entrada gratuita também incentiva a presença das pessoas que moram nas redondezas do Sindicato. Por tudo isso os brasilienses já sabem que todas

Sandro - Ainda não podemos divulgar detalhes, mas voltaremos a investir no trabalho artístico dos bancários em 2011. Assim como fizemos no projeto Terça Arte, quando dedicávamos uma noite para mostrar o talento do bancário, no próximo ano pretendemos reeditar a iniciativa de uma forma diferente. Até o final de 2010 vamos receber material dos trabalhadores para uma seleção de projetos. IB - Além de investir no talento do bancário, o Sindicato oferece uma programação variada, com preços acessíveis, e às vezes gratuita. Quais os critérios adotados pela entidade para selecionar os projetos? Sandro - Em primeiro lugar, levamos em conta a qualidade. Na sequência, analisamos a

16 de agosto

RITA CADILLAC A LADY DO POentVO ário/Brasil De Toni Venturi/Docum 2010/75 min – 18 anos

23 de agosto

O CONTADOR IAS DE HISTÓR /Ficção/Drama /Brasil De Luiz Villaça 2009/110 min – 14 anos

viabilidade e o interesse que o trabalho possa despertar não só entre os bancários, mas também entre a população geral. É muito difícil fazer isso, porque Brasília é uma cidade cosmopolita e cheia de artistas com grande qualidade. Os Melhores do Mundo, por exemplo, começam a se projetar nacionalmente depois de se apresentarem por diversos meses no Teatro dos Bancários. Concomitantemente aos espetáculos teatrais com preços populares, o Sindicato também patrocinou dezenas de sessões de peças de teatro gratuitas e exclusivas aos bancários. IB- Que papel o campeonato de futebol soçaite cumpre na integração da categoria? Sandro - Está comprovado que o futebol, esporte mais popular do país, une as pessoas. E não é diferente com os bancários. É muito gratificante para nós testemunhar uma interação não só entre os trabalhadores. As esposas e filhos dos bancários também participam torcendo e incentivando.

30 de agosto

GARAPA /Documentário/Brasil De José Padilha 2009/110 min – 14 anos

Informativo Bancário Por que o Cineclube Bancário deu certo?

Sindicato dos Bancários de Brasília

Presidente Rodrigo Lopes Britto (presidencia@bancariosdf.com.br) Secretária de Imprensa Rosane Alaby Conselho Editorial Alexandre Severo (Caixa), Antonio Eustáquio (BRB), Rafael Zanon (BB) e Rosane Alaby (Bancos Privados) Jornalista responsável e edição Renato Alves Editor assistente Rodrigo Couto Redação Thaís Rohrer, André Shalders e Pricilla Beine (estagiária) Editor de Arte Valdo Virgo Diagramação Marcos Alves Webmaster Elton Valadas Cinegrafista Ricardo Oliveira Fotografia Agnaldo Azevedo Sede SHCS EQ 314/315 - Bloco A - Asa Sul - Brasília (DF) - CEP 70383-400 Telefones (61) 3262-9090 (61) 3346-2210 (imprensa) Fax (61) 3346-8822 Endereço eletrônico www.bancariosdf.com.br e-mail imprensa@bancariosdf.com.br Tiragem 18.000 exemplares Distribuição gratuita Todas as opiniões emitidas neste informativo são de responsabilidade da diretoria do SEEB-DF


Informativo 1269