Page 5

SEEB Curitiba

Em 2010, a greve nacional dos bancários durou 15 dias. Mais de 8.200 agências ficaram fechadas em todo o país (65% de bancos privados). Em Curitiba e região, cerca de 18 mil bancários se mantiveram firmes na luta por avanços.

Quem luta conquista Ao final da Campanha Nacional 2010 e de mais esta década, nós, bancários e dirigentes sindicais, conquistamos muito mais que as assinaturas da Convenção Coletiva de Trabalho 2010/2011 ou dos Acordos Específicos dos bancos estaduais e federais. Enquanto categoria, conquistamos o despertar da consciência de bancários e bancárias em todo o país, em especial daqueles de bancos privados, que definitivamente aderiram ao movimento grevista, quebrando o tabu de que somente trabalhadores de bancos públicos fazem greve. Chegamos ao final da campanha salarial com mais de 8.200 agências paralisadas em todo o Brasil. Destas, mais de 65% eram de bancos privados. Bancários que, independente da intransigência dos banqueiros, mostraram sua força e união. É importante registrar que o Paraná, em especial a base do Sindicato dos Bancários de Curitiba e região, foi exemplo de organização e mobilização. Mais uma vez, demonstramos a força da categoria bancária

paranaense, fazendo a diferença inclusive nas negociações nacional e específicas. Conquistamos, ao longo destes anos, a mudança na curva salarial dos bancários, ao assinar uma CCT de vigência nacional desde 2004. Somente neste ano, arrancamos da Fenaban o maior aumento real dos últimos 10 anos e a valorização do piso da categoria, tanto na rede privada quanto na Caixa Econômica e no Banco do Brasil. Obtivemos melhorias nas regras da Participação nos Lucros e Resultados (PLR), excluindo as travas da distribuição da parcela adicional, e também conseguimos a inclusão de duas cláusulas muito importantes para os trabalhadores na CCT: uma que estabelece uma política com mecanismos de prevenção e combate ao assédio moral e outra que melhora a segurança bancária. Nos bancos públicos, as melhorias também são significativas. Após um longo debate e muita mobilização, conquistamos na Caixa um novo plano de carreiras unificadas, bem como uma PLR Social para os

trabalhadores que sempre levaram a diante os projetos sociais do Governo Federal. Já os trabalhadores do Banco do Brasil garantiram o Plano de Carreira e Remuneração (PCR), que implanta a carreira por mérito e incorpora gradualmente as comissões às verbas salariais fixas. Por fim, é importante registrar que passamos anos convivendo com políticas de governos em que a Contec assinava acordos com os famigerados abonos, congelando a massa salarial dos bancários em todo o país. Hoje, vivemos um outro momento, totalmente diferente, com a unidade da categoria. Isso se reverte, cada vez mais, em conquistas e vitórias. Por isso, parabenizo a todos os bancários e bancárias que, de alguma forma, contribuíram para que possamos comemorar diversas conquistas no final desta década. Quem luta conquista! Otávio Dias, presidente do Sindicato dos Bancários de Curitiba e região. novembro 2010

05

Novembro 2010  

Revista Bancári@s

Novembro 2010  

Revista Bancári@s

Advertisement