Page 1

SINDICATO DOS BANCÁRIOS E FINANCIÁRIOS DE CURITIBA E REGIÃO

ANO XV - 08 de abril de 2009

Junte-se a nós

Lançada campanha de sindicalização Em meio às comemorações dos 67 anos do Sindicato, a direção da entidade lançou a nova Campanha de Sindicalização 2009. “Juntos nós somos mais fortes e temos maior representatividade no cenário social e político do país”, destacou Otávio Dias, presidente do Sindicato. O objetivo é alcançar 8 mil bancários associados até 2011. Atualmente, a entidade conta com aproximadamente 6,6 mil sindicalizados. Como forma de incentivo, a Campanha irá presentear os bancários que indicarem colegas para filiação e sorteará três prêmios especiais. Confira abaixo mais detalhes. O regulamento completo você encontra em www.bancariosdecuritiba.org.br. Participe!

Comemorações Indicações valem prêmios: Aniversário de 67 anos é marcado pelo resgate histórico

· 2 ou 3 indicações: feijoadas no Espaço Cultural; · 4 indicações: pen drive de 4 Gb; · 5 indicações: camiseta do Sindicato; · 6 indicações: camisa oficial de time de futebol brasileiro (de sua preferência) oficiais; · 8 indicações: DVD player; · 10 indicações: bicicleta de 18 marchas.

Serão sorteados entre todos os sindicalizados: · 1 Notebook. · 1 TV LCD de 32”. · 1 Moto Titan 150.

Evento inicia produção de livro e DVD com memórias da entidade O Sindicato dos Bancários completou, no dia 30 de março, 67 anos de lutas e conquistas. Fundada em 1942, a entidade representa atualmente 17,1 mil bancários, defendendo a manutenção dos direitos da categoria que possui a mais completa Convenção Coletiva Nacional. Neste ano, o aniversário foi comemorado com uma programação especial que relembrou o passado, mas com o olhar voltado para o futuro. Exposições “67 anos de lutas” - A mostra de botons, camisetas e adesivos com as principais bandeiras do movimento sindical bancário nas últimas décadas foi uma das principais atrações dos festejos de aniversário. “Estes materiais conseguem

por si só reconstruir a história do Sindicato, contar o que foi cada momento político ou cada luta travada,” explicou Marisa Stedile, dirigente sindical. Solenidade política - Um segundo momento destinado a relembrar o passado contou com depoimentos de antigos diretores. Fizeram parte da mesa da solenidade os exdirigentes Roberto Von Der Osten, Wilson Previdi e Marisa Stedile, além do deputado federal Ângelo Vanhoni e do advogado Cláudio Ribeiro. “As entidades sindicais têm um papel transformador de promover um projeto de nação que represente os trabalhadores. Por isso, ela são tão necessárias à sociedade”, defendeu Vanhoni.


Encontro Regional

Bancos públicos são tema de debate

BB estende licença-maternidade O Banco do Brasil é a primeira instituição financeira a atender à reivindicação do movimento sindical bancário e ampliar a licença-maternidade. A conquista foi assegurada em negociação com o banco no dia 27 de março, que contou com a presença do exdirigente sindical e atual vice-presidente da empresa, Luiz Oswaldo. A ampliação da licença-maternidade foi uma das principais reivindicações na Campanha Salarial de 2008. Embora prevista em lei, a extensão do prazo de quatro para seis

meses é facultativa às empresas. “A conquista do BB é um forte argumento para que o benefício seja estendido para as demais mães bancárias”, afirma Sonia Boz, dirigente sindical. “Sendo a presidente da Caixa uma mulher, acho que não teremos maiores dificuldades de exigir a imediata ampliação da licença na Caixa”, enfatiza. As trabalhadoras do BB que entraram em licença-maternidade a partir de 25 de novembro passado podem pedir a extensão do prazo do benefício para seis meses.

Itaú Unibanco

Sindicato cobra garantia de emprego Os representantes dos trabalhadores estiveram reunidos com o Itaú Unibanco no dia 3 de abril. O assunto principal foi a garantia dos empregos e direitos trabalhistas no processo de fusão. O banco se posicionou novamente contra a estabilidade e se negou a firmar um compromisso de não realizar demissões, porém os trabalhadores obtiveram a confirmação de que não haverá fechamento de agências. Também foi apresentado o Centro de Realocação, uma reivindicação do movimento sindical para conter as demissões. Foram mantidas ainda a suspensão de novas contratações e o tratamento isonômico para todos os funcionários. Auxílio-educação – “O banco se comprometeu a reabrir as inscrições para as 1,4 mil bolsas de estudos”, explica a dirigente Maeve Luciane Vicari. O Itaú estava demons-trando resistência em manter o auxílio, mas os representantes bancários foram firmes na negociação e conseguiram

a manutenção da conquista. Previdência Complementar - De 13 a 17 de abril serão realizadas as eleições da Fundação Itaubanco, que administra uma série de planos de benefícios dos funcionários. Nos pleitos serão eleitos representantes de ativos e assistidos e o movimento sindical pede votos para a CHAPA 1 em ambos. A forma de votação é por internet e telefone. Apesar de um grande número de trabalhadores no Itaú Unibanco participarem de algum plano de benefícios nas diversas fundações ligadas ao banco - afinal, são muitos planos e fundações ou fundos multipatrocinados - mais de um terço dos cerca de 100 mil trabalhadores ainda não pode contar com os benefícios de participar de um plano da previdência complementar fechada. O movimento sindical luta para que todos tenham planos de benefícios previdenciários, nos moldes da previdência complementar fechada e tenham um futuro com tranqüilidade.

No dia 16 de março, o Sindicato dos Bancários de Curitiba e região promoveu o Encontro Regional dos trabalhadores do Banco do Brasil e da Caixa Econômica Federal. O evento, que reuniu cerca de 140 participantes entre bancários, representantes das duas instituições financeiras e de seus trabalhadores, sindicalistas e demais interessados, foi uma oportunidade para por em discussão o papel dos bancos públicos federais diante da crise econômica mundial que afeta diretamente o Brasil e refletir sobre possíveis maneiras de superá-la. A revista Bancári@s apresentará, em sua próxima edição prevista para maio, uma ampla cobertura do evento, com os principais debates. Confira!

Fome de Justiça

Campanha chega a Curitiba Durante o Encontro Regional, o coordenador da CEE/Caixa, Jair Pedro Ferreira lançou, em Curitiba, a campanha “Fome de Justiça”. Jair Ferreira, explicou a importância da campanha para os trabalhadores da empresa, encorajando que os bancários do BB realizem reivindicações semelhantes. No dia seguinte ao encontro, 17 de março, em reunião com a presidente da Caixa, Maria Fernanda, o presidente da FENAE, Pedro Eugênio Beneduzzi Leite, recebeu a informação de que a empresa quer viabilizar o pagamento do auxílio-alimentação na aposentadoria, para quem já estava na Caixa antes da data da extinção do benefício (8 de fevereiro de 1995), por meio de Comissão de Conciliação Prévia (CCP). A justificativa da direção da Caixa é de que a mera decisão administrativa se depara com impedimentos legais face à inexistência de provisionamento de recursos. Desta forma, o acordo para pagamento negociado via CCP resolveria o assunto sem margem para questionamentos de ordem legal.


Coopcrefi

Nova direção assumiu dia 27

Encontro Regional reuniu 140 bancários em debate sobre o papel dos bancos públicos na crise. Na foto, mesa de abertura na manhã.

Delegada sindical foi eleita A agência do banco Banrisul, no centro de Curitiba, definiu no dia 24 de março, por meio de eleição, sua representante como delegado sindical. A bancária Luciana Testi Caetano recebeu 20 votos. O delegado sindical representa os trabalhadores de

sua dependência junto ao Sindicato. É um interlocutor, fundamental na comunicação entre a entidade e sua base. Ao delegado compete debater individual e coletivamente assuntos pertinentes ao trabalho na instituição financeira.

Carreiras profissionais

Proposta da Caixa apresenta problemas A Caixa fez uma proposta preliminar para a revisão da atual estrutura salarial da carreira profissional que apresentou absurdos. A proposta da empresa prevê estrutura com 36 referências salariais e amplitude de 61%, oito horas de jornada para os trabalhadores da carreira profissional e parametrização de salários, com base em pesquisa de mercado em bancos públicos e privados, além de órgãos estatais. As condições impostas pela Caixa para a implantação da nova tabela são a desistência das ações colidentes e o não pertencer ao plano REG/Replan da Funcef. Na proposta apresentada, a Caixa não buscou uma solução adequada para as situações diferenciadas. Há profissionais nos PCSs de 1989 e de 1998, outros no REG/ Replan e a maioria permanece distribuída

na estrutura salarial de seis e oito horas. Ou seja, profissionais com as mesmas atribuições estão submetidos a planos de cargos e salários com distintas jornadas de trabalho (seis e oito horas) e tabelas salariais com condições desiguais. Além disso, a proposta não está alinhada com o incentivo para a ascensão na carreira. A proposta não agradou os representantes dos trabalhadores, pois os salários não contemplam as expectativas dos profissionais, a empresa não prevê o retorno para seis horas de todo o quadro e também não há concordância em relação à exigência de o empregado desistir de ações judiciais. Protesto – Os engenheiros que atuam na sede 2 realizaram um protesto no dia 30 de março. Os profissionais pararam durante uma hora em retaliação a proposta apresentada.

No dia 27 de março foi realizada assembleia da Cooperativa de Crédito Mútuo dos Trabalhadores do Sistema Financeiro de Curitiba e região (Coopcrefi). No evento, foram escolhidos os membros da Diretoria e do Conselho Fiscal. A bancária Marisa Stedile foi eleita como presidente. “É importante que os bancários estejam cientes de que o valor do imposto sindical pode ser revertido em cotas da Cooperativa”, lembra Marisa Stedile. “A cooperativa é um banco, em que os donos são os próprios trabalhadores. Com o fortalecimento da Coopcrefi podemos conceder empréstimos aos cooperados que necessitam, contribuindo para facilitar a vida destas pessoas, assim como garantir uma aplicação rentável para os demais”, complementa. A assembleia também realizou modificações no estatuto e aprovou as contas da cooperativa.

Santander

Bancários podem solicitar “pijama” Com a assinatura dos acordos aditivos dos trabalhadores do Santander e Real à Convenção Coletiva, em 30 de março, o Sindicato já está atendendo os bancários dos dois bancos que desejam aderir à licença remunerada, o “pijama”. O atendimento será feito no período da manhã e deve ser agendado junto à Assessoria Jurídica por telefone (41) 3015-0523. A partir da assinatura, começa a valer o prazo de trinta dias para que os trabalhadores que já reúnem os requisitos necessários possam fazer a adesão. Para os que não preencheram os requisitos até a assinatura do acordo, o prazo é de 15 dias a contar da data em que eles forem preenchidos. Os bancários que já se aposentaram pelo INSS, mas continuam trabalhando, ou quem, até o dia 9 de abril, reunir as condições para se aposentar poderá aderir ao plano de incentivo à aposentadoria até 9 de abril.


Imposto Sindical

Confira os prazos de devolução O Sindicato dos Bancários de Curitiba e região segue a orientação da Central Única dos Trabalhadores (CUT) e tem por prática restituir aos trabalhadores sindicalizados o valor que lhes cabe do imposto sindical (60%). Diante da obrigatoriedade do imposto, que é descontado no mês de março, o Sindicato estabeleceu o período de 13 a 17 de abril para que os bancários sindicalizados façam o pedido de devolução. Em seguida, a partir do dia 25 de maio, a entidade realiza o depósito em conta corrente indicada pelo bancário ou investimento na Cooperativa de Crédito (Coopcrefi). O pedido de devolução e a indicação da conta corrente para depósito deve ser realizado através do site do Sindicato (www. bancariosdecuritiba.org.br) no período acima citado. Os bancários que realizarem a sua filiação até o dia 30 de abril de 2009 também podem ter o valor do imposto revertido.

Imposto Sindical – O imposto é descontado diretamente da folha de pagamento dos trabalhadores e representa 3,33% do salário ou um dia de trabalho. Os recursos do imposto são encaminhados para o Ministério do Trabalho e depois são divididos da seguinte forma: 60% para o Sindicato da categoria, 15% para a Federação, 5% para a Confederação, 10% para a Central Sindical e 10% para o próprio ministério. A distribuição do imposto foi alterada após o reconhecimento das Centrais Sindicais. Sindicato é contra imposto - O movimento sindical cutista é contrário à cobrança compulsória. “Qualquer entidade sindical pode sobreviver sem o imposto sindical. É necessário, porém, que a entidade realize um forte trabalho de base, esteja ao lado dos trabalhadores e tenha uma intensa atuação em defesa das bandeiras de luta da categoria”, afirma Otávio Dias,

presidente do Sindicato dos Bancários de Curitiba. “Por isso, anualmente, promovemos campanhas de sindicalização e buscamos estreitar o relacionamento com os trabalhadores já filiados”, diz.

Vergonha

HSBC descumpre decisão judicial Banco inglês não reverte demissões irregulares realizadas em Curitiba. O movimento sindical conquistou, com muita luta e pressão, a reversão de 16 demissões de trabalhadores do HSBC de todo o país. Em Curitiba, o Sindicato continua adotando uma postura combativa e denunciou, no dia 20 de março, 17 demissões irregulares realizadas pelo banco. Tais demissões descumprem liminar que proíbe o HSBC de demitir bancários caso haja suspeita de doença do trabalho sem emissão de CAT (Comunicação de Acidente de Trabalho). Em dezembro do ano passado, o Sindicato dos Bancários de Curitiba e região, reativou a liminar de abrangência nacional que obriga o banco a emitir o CAT. Entretanto, o HSBC continua a descumprir a “lei” e nega a emissão de CAT, não só no caso dos demitidos, mas inclusive dos empregados.

A liminar obriga o HSBC a dar encaminhamento aos pedidos de abertura de CAT solicitados por seus empregados, sem fazer nenhum tipo de questionamento ao trabalhador. Além disso, o banco é obrigado a custear integralmente os exames médicos e o que for necessário para o tratamento da doença diagnosticada, enquanto esta não for devidamente caracterizada pela perícia do INSS como doença causada pelo trabalho, bem como suspender a rescisão de contrato do funcionário, caso haja dúvida relativa à saúde do trabalhador, até que seja realizada perícia no INSS. PPR/PSV – Em relação ao pagamento da Participação dos Lucros e Resultados e do programa próprio do HSBC, o Sindicato aguarda uma resposta efetiva do banco para solucionar a questão. Será necessária mais uma intervenção judicial?

Orgão de divulgação do Sindicato dos Bancários e Financiários de Curitiba e Região Av. Vicente Machado, 18 - 8º andar Fone: (41) 3015-0523 Fax: (41) 3322-9867 Presidente: Otávio Dias Sec. de Imprensa: Sônia Boz Jornalista: Patrícia Meyer (5291/PR) Colaboração: Renata Ortega Diagramação e Arte final: Fabio Souza Impressão e Fotolitos: Worldlaser Tiragem: 15.000 exemplares sindicato@bancariosdecuritiba.org.br www.bancariosdecuritiba.org.br

Folha Bancária - 08.04.09  
Folha Bancária - 08.04.09  

Folha Bancária do Sindicato dos Bancários de Curitiba e região.

Advertisement