Issuu on Google+

04/12/2011 13h14 - Atualizado em 05/12/2011 08h01

Empresários de Uberaba encaram o mercado e abrem o primeiro negócio Mais de 1.000 empresas foram criadas de janeiro a novembro na cidade. ‘É preciso aprender a ser um empreendedor’, diz conferencista Leila Navarro Graziela Oliveira Do G1 Triângulo Mineiro

Daniela Gomes e Marina buscaram informações fora da cidade (Foto: Graziela Oliveira/G1) Ter a casa própria é o sonho de muitos brasileiros, mas abrir um negócio também é um desejo de muitos deles. Em Uberaba, de janeiro a novembro deste ano, 1.148 empresas foram abertas. A última pesquisa divulgada pelo Ministério do Desenvolvimento, Indústria e Comércio (MDIC) revelou que em 2009 o número aumentou mais de 5%. Segundo a analista técnica do Sebrae em Uberaba, Sabina Maria de Oliveira, alguns passos são importantes para quem está pensando em abrir o próprio negócio. “O primeiro é identificar o tipo de negócio. Depois, fazer uma pesquisa de mercado, se o local é viável. O terceiro passo é montar um plano de negócio para ver o investimento, rentabilidade e o retorno”, explicou. O primeiro negócio A psicóloga Daniela Gomes tinha o sonho de abrir o próprio negócio. Ela e a sócia, Marina Coelho, queriam inovar e trazer para Uberaba algo que a cidade não oferecia. A ideia foi montar uma brigaderia. O primeiro passo foi pesquisar e visitar lojas em São Paulo para amadurecer o projeto e ter inspiração. “Nós perguntamos para outras pessoas, pesquisamos, procuramos ajuda com profissionais e um contador que nos orientou bastante. Fomos atrás de tudo”, disse.


O empresário Felipe de Oliveira também abriu o próprio negócio este ano, junto com três amigos. Eles desenvolvem sites, cuidam das redes sociais e da imagem de outras empresas. “A gente percebeu a necessidade do mercado, que precisava de algo diferenciado e mais moderno para atender os clientes”, disse. E assim como Daniela, eles também foram atrás das informações de como ter o primeiro negócio, sozinhos. “Nós mesmos buscamos, corremos atrás, cada um sabia fazer algo e resolvemos unir os conhecimentos”, acrescentou. saiba mais • Franquias apostam no mercado verde como tendência de negócios • Empresário monta balada em ônibus e inova no mercado de festas •

Currículos online ganham mais visibilidade nas empresas

Segundo a conferencista especialista em palestras motivacionais, Leila Navarro, esse trabalho de busca voluntária é essencial para o empresário dar início ao próprio negócio. “Existe a automotivação que é o gás, a luz, a semente, a força de um empresário. Ninguém vai dar isso a ele. A motivação é algo de dentro para fora. Ele tem que ter essa consciência e ter essa energia dentro dele”, destacou. E o sonho da brigaderia em Uberaba, por exemplo, começou a ser pensado no fim do ano passado e só em março deste ano Daniela Gomes e a sócia conseguiram colocar em prática. “Abrimos sem conhecer, não tínhamos experiência, não sabíamos que retorno teríamos. Não tínhamos a menor ideia. Foi difícil”, lembrou. A loja foi inaugurada perto da Páscoa e as vendas superaram. As empresárias montaram uma cozinha para atender melhor os clientes com produtos sempre frescos e em seis meses a empresa já consegue se manter. “Superou muito as expectativas. A aceitação foi rápida numa cidade que não estava acostumada com este tipo de negócio”, argumentou. Sobrevivência no mercado Com a empresa funcionando é hora de pensar em outros pontos para manter o negócio. De acordo com um estudo feito pelo Sebrae, as empresas estão conseguindo sobreviver aos dois primeiros anos, que são considerados os mais difíceis. Setenta e três de cada 100 micro e pequenas empresas conseguem se manter após esse período. “Com a abertura do negócio é preciso estabelecer um plano estratégico com contrato financeiro, capital de giro, fazer o monitoramento todos os dias, ter uma gerência mesmo”, disse analista técnica do Sebrae em Uberaba.


Breno Pinheiro, Felipe Esper e Fernando Abdalla encararam o mercado (Foto: Divulgação) A empresa de Felipe de Oliveira está no mercado desde julho, mas a ideia surgiu no início do ano. Em quase seis meses, disse que eles já conseguiram alcançar os objetivos propostos para este ano. E com a chegada de 2012 já fazem planos. “A expectativa é boa, continuar com o que planejamos e conseguir mais clientes”, desafiou. E as empresárias da brigaderia agora investem para atrair mais clientes. Além dos tradicionais brigadeiros, a loja tem outros produtos, embalagens para presentes e até encomendas. “A gente testa tudo antes para ver se vai dar certo, fazemos com calma, testamos novos sabores e sempre lançamos novidades dentro dos produtos”, contou Daniela. De acordo com Leila Navarro, esse é outro ponto importante para quem pensa em abrir o próprio negócio. “Tem que buscar apoio porque não adianta você ter talento, ter vontade, ter garra se você não tiver educação para isso. Você precisa se capacitar, buscar apoio, aprender a ser um empreendedor”, concluiu.

Nota publicada na coluna do Marco Túlio Reis no Jornal de Uberaba - Dia 05 de dezembro de 2011


Nota publicada no newsletter da Universidade de Uberaba - Dia 16 de dezembro de 2011

Nota publicada na coluna Bastidores do Jornal de Uberaba - Dia 16 de dezembro de 2011



Clipping Dezembro