Page 1

A revista da pequena empresa no Paraná

EDIÇÃO ESPECIAL

Dezembro de 2014

Balanço de Gestão

João Paulo Koslovski Sistema S está mais forte e unido no PR

Redesim e Lei Geral, vitória das empresas

Educação valoriza empreendedorismo

Sebrae/PR já opera com nova estratégia


Editorial EDIÇÃO ESPECIAL

Expediente Na gestão de João Paulo Koslovski, o Sebrae/PR passou por muitas transformações, desde a modernização e ampliação de suas estruturas, melhorias em seus processos, consolidação de parcerias, aproximação entre entidades, até a formatação e início da operação da nova estratégia de atendimento do Sebrae/PR. O Sebrae/PR passou a focar ainda mais na sua missão, que é promover a competitividade e o desenvolvimento sustentável dos pequenos negócios e fomentar o empreendedorismo para fortalecer a economia nacional. Para marcar esse ciclo, o Sebrae/PR traz nesta publicação um resumo das principais ações na gestão 2013-2014, que teve João Paulo Koslovski como presidente do Conselho Deliberativo Estadual.

João Paulo Koslovski Presidente do Conselho Deliberativo

Edição/Jornalista Responsável Leandro Donatti Registro Profissional – 2874/11/57-PR

Juraci Barbosa Sobrinho – titular Alexandre Teixeira – suplente

Textos: Mirian Gasparin e Leandro Donatti.

Caixa Econômica Federal

Fotos: Aron Mello, Cristiane Shinde, Eduardo Frezarin, Luiz Costa, Maurício Lehmkuhl, Marcos Zanella e Rodolfo Buhrer.

Fabio Carnelós – titular Enilson Araújo – suplente

2013

é eleito presidente do Conselho Deliberativo do Sebrae/PR, assumindo função que era de Jefferson Nogaroli

Mar - Sebrae/PR realiza

2014

Feira do Empreendedor 2013 Paraná, em Curitiba, com cerca de 10 mil visitantes

Fev - Representantes do Conselho Deliberativo participam em Curitiba de agenda com o ministro Guilherme Afif Domingos

Fev - Realização de cafés da manhã Sebrae Papo Estratégico nas seis regionais da entidade no Paraná, para discutir estratégia

Abr - Lançamento do

Varejo Mais, em parceria com o Sistema Fecomércio Sesc Senac PR

Abr - Realização de

rodadas de negócios para pequenas empresas do setor da construção civil na sede do Sebrae/PR

Mar - Sebrae/PR participa de mais uma edição do Salão Paranaense de Turismo, de mobilização do setor

Abr - Oficina para empresários em Curitiba estimula uso do Facebook nos negócios

Mai - Começa Hortifruti Brasil Show, apoiada pelo Sebrae/PR em parceria com entidades do setor do agronegócio

Mai - Sebrae/PR participa

da Agenda Nacional de Desenvolvimento de Micro e Pequenas Empresas, do governo federal

Mai - Sistema S no

Paraná, representado por suas nove entidades, participa de programação da Expocoop

Mai - Seminário Desafios do Crescimento, do Programa Sebrae Mais, reúne empresários em Toledo e faz um ‘giro’ pelo Estado

Jun - Eleição da nova

Diretoria Executiva do Sebrae/PR, durante reunião do Conselho

Jun - Assinatura de termo de cooperação do Programa Varejo Top Loja, parceria com Fecomércio, Sebrae Nacional e demais parceiros

Jun - Sebrae/PR marca presença no Festival Cataratas em Foz do Iguaçu, no oeste paranaense

Jun - Evento em Foz discute sistema de garantia de crédito no Brasil, com especialistas de renome mundial

Ercílio Santinoni – titular Jonas Bertão – suplente Federação das Indústrias do Estado do Paraná (FIEP) Edson Campagnolo – titular Evaldo Kosters – suplente

Jul - Sebrae/PR marca

presença na Feira de Sabores, realização do governo do Paraná para estimular a agroindústria

Jul - Semana de orientação e formalização mobiliza microempreendedores individuais em todo o Paraná

Jul - Superintendentes

do Sistema S reúnem-se no Sebrae/PR para discutir alinhamento e ações coordenadas

Jul - Equipes do Sebrae/PR discutem plano plurianual, com foco nas seis linhas de ação da nova estratégia da entidade

Diretoria Executiva

Sebrae Nacional

Vitor Roberto Tioqueta Diretor Superintendente Julio Cezar Agostini Diretor de Operações

Secretaria de Estado da Indústria, do Comércio e Assuntos do Mercosul (SEIM)

Sindicato e Organização das Cooperativas do Estado do Paraná (OCEPAR)

Ágide Meneguette – titular Carlos Augusto Cavalcanti Albuquerque – suplente

João Paulo Koslovski – titular Nelson Costa – suplente

Ago - Koslovski faz

pronunciamento na Assembleia Legislativa em defesa da Lei Geral da Micro e Pequena Empresa Estadual

Ago - Minimercado modelo movimenta feira da ABAD, na Grande Curitiba, e serve de inspiração para empresários do segmento

Ago - Escola de Líderes, do Programa Sebrae de Lideranças, forma mais uma turma em Cascavel

Ago - Compra Paraná, de estímulo à participação de pequenas empresas em licitações públicas, movimenta empresários de Ponta Grossa

José Gava Neto Diretor de Administração e Finanças

Horácio Monteschio – titular Mario José Doria da Fonseca – suplente

Federação da Agricultura do Estado do Paraná (FAEP)

reúne empreendedores e ajuda ‘acelerar’ ideias de negócios

João Luiz Rodrigues Biscaia – FAEP (presidente do Conselho Fiscal) Dalton Celeste Rasêra – FAEP – suplente José Georgevan Gomes de Araújo – FIEP – titular Norbert Adolf Heinze – FIEP – suplente Umberto Marineu Basso Filho – Fecomércio – titular Alberto Franco Samways – Fecomércio – suplente

Darci Piana – titular Ari Faria Bittencourt – suplente

Elizabeth Soares de Holanda – titular Joana Bona Pereira – suplente

Centro de Integração de Tecnologia do Paraná (Citpar)

Jul - Startup Pirates

Conselho Fiscal

Federação do Comércio do Paraná (Fecomércio)

Luiz Carlos Baeta Vieira – titular Rubens Maluf Dabul – suplente

Artes Gráficas Renascer Ltda. (Mult-graphic)

Zaki Akel Sobrinho – titular Joel Souza e Silva – suplente

Federação das Associações de Micro e Pequenas Empresas do Paraná (Fampepar)

Banco do Brasil José Roberto Sardelari – titular Joares Angelo Scisleski – suplente

Universidade Federal do Paraná (UFPR)

Rainer Zielasko – titular Jefferson Nogaroli – suplente

Agência de Fomento do Paraná S/A (Fomento Paraná)

Fabíola Negrão Especialista em Marketing

Design Gráfico e Diagramação Ingrupo//chp Propaganda

Mar - João Paulo Koslovski

Modelo de gestão compartilhada, o Conselho Deliberativo do Sebrae/PR é formado por representantes de segmentos do setor produtivo, de instituições de crédito e poder público. Funciona como uma assembleia geral, soberana, que representa a tomada de decisões de forma democrática. Ao todo, são 13 entidades que têm assento no Conselho Deliberativo do Sebrae/PR.

Coordenação Renata Todescato Gerente de Marketing e Comunicação

Impressão

Boa leitura! O editor.

Federação das Associações Comerciais e Empresariais do Estado do Paraná (Faciap)

Gestão 2013 - 2014

Conselho Deliberativo

Set - Simpósio em Foz do Iguaçu discute conceitos de região de fronteira de classe mundial

Set - Comitiva japonesa

do Iwata Bank e Diretoria do Sebrae/PR renovam intenções e avançam na cooperação

Out - Paraná TIC, realização do Sebrae/PR e Assespro, discute em Curitiba temas de relevância para setor de tecnologia da informação

Out - Começa em

Jacarezinho nova edição da Ficafé, feira internacional com foco na valorização de cafés especiais do Norte Pioneiro

Set - Lideranças do Paraná

Out - Energias renováveis

Out - Entidades do

Nov - Assinatura, na

participam em Washington, Estados Unidos, de missão organizada pelo Sebrae/PR

Paraná cumprem agenda durante a Expo Paraguai em Assunção

foi tema da programação da Semana Nacional de Ciência e Tecnologia organizada pelo Sebrae/PR

sede do Sebrae/PR, em Curitiba, de termo de cooperação para impulsionar o segmento audiovisual do Paraná

Dez - Colaboradores do Sebrae/PR reúnem-se para balanço, durante convenção anual de trabalho

Nov - Sebrae/PR

divulga vencedores do Prêmio Sebrae Prefeito Empreendedor, durante convenção anual da Faciap

Nov - Encontro estadual de encerramento da edição 2013 do Programa Empreendedor Rural reúne mais de 4 mil pessoas em Pinhas

Nov - Sebrae/PR realiza

mais uma edição da Semana da Pequena Empresa, com o tema Um Olhar para o Futuro

Nov - Evento Think Big Lab, em Curitiba, discute temas do momento com empresários de olho no crescimento

Nov - MPE Brasil divulga

vencedores da etapa paranaense do prêmio de competitividade para micro e pequenas empresas

Nov - Sebrae/PR, Faep/Senar e Fecomércio anunciam vencedoras do Prêmio Sebrae Mulher de Negócios, durante convenção da Faciap

Nov - Conselho elege

por unanimidade Edson Campagnolo para suceder João Paulo Koslovski no comando do Sebrae/PR


EDIÇÃO ESPECIAL

preendedor. Inserimos em nossas reuniões

seu mandato, como presidente do Conselho

as apresentações do trabalho que o Sebrae/PR

Deliberativo do Sebrae/PR, Koslovski desta-

faz em suas diferentes áreas, para apro-

ca a aprovação, pela Assembleia Legislativa

fundar o conhecimento dos conselheiros

e pelo Governo do Estado, da Lei Geral da

sobre a amplitude de atividades executa-

Micro e Pequena Empresa do Paraná (Lei Es-

das pela entidade. Nesse período, também

tadual nº 163/2013), trabalho que teve uma

foi concluído o planejamento estratégico

participação muito forte do Fórum Estadual

2015-2018, trabalho este iniciado na ges-

atenção especial ao empreendedorismo junto

Permanente da Microempresa e Empresa de

tão de Jefferson Nogaroli, da Faciap. Repu-

às universidades, faculdades, escolas, dentre

Pequeno Porte, Secretaria da Indústria, Co-

to ainda, como uma das mais importantes

outras. Só conseguiremos avançar de forma

mércio e Assuntos do Mercosul e apoio fun-

conquistas, a aprovação da Lei Estadual nº

significativa, com uma visão mais profissional

damental da equipe do Sebrae/PR. Aos 65

163/2013 para as micro e pequenas empre-

sobre o empreendedorismo, se dermos con-

anos, Koslovski afirma que toda lei e incen-

sas do Paraná. Trabalho que teve uma parti-

dições para que os jovens estudantes possam

tivo às pequenas empresas são bem-vindos,

cipação muito forte do Fórum Estadual Per-

conhecer com mais profundidade quais são as

sobretudo porque “os pequenos negócios

manente da Microempresa e da Empresa

políticas públicas que temos, os instrumentos

são instrumento de fortalecimento da eco-

de Pequeno Porte, Secretaria da Indústria,

que dispomos para que os empreendedores

nomia brasileira”. Na sua avaliação, quando

Comércio e Assuntos do Mercosul e apoio

possam conhecer e decidir por montarem

se tem a economia pulverizada em micro e

fundamental da equipe do Sebrae. Enfim,

suas empresas. O Sebrae já vem contribuin-

pequenas empresas, é possível diluir o risco

tudo isso mostra o quão forte é a interação

do com programas específicos junto às uni-

de uma crise maior e isso pode ser verificado

hoje no Sebrae/PR. Há uma sinergia muito

versidades e faculdades. Contudo, acho que

pelo que hoje assistimos no Brasil.

positiva de todas as entidades para que os

devemos avançar mais nesta direção, com

Em entrevista à Revista Soluções – A Revista

trabalhos do Sebrae beneficiem cada vez

programas mais audaciosos e que realmente

mais milhares de micro e pequenos empre-

instrumentalizem os jovens nesse sentido. As

Koslovski conta um pouco mais como foi sua

endedores paranaenses.

universidades e faculdades poderiam inves-

experiência no comando da entidade. Acom-

A integração do Sistema S, formado pelo Sesc, Senac, Senai, Senai, Senar, Sescoop, Sest, Senat e Sebrae, foi uma das marcas registradas da sua gestão...

da Pequena Empresa no Paraná, João Paulo

panhe os principais trechos do bate-papo.

João Paulo Koslovski comandou o Sebrae/PR na gestão 2013-2014

resultados vista por natureza. Por onde passa, deixa o que já se tornou sua marca registrada: a capacidade de administrar conflitos e aglu-

4

Sebrae/PR, integrado por representantes do setor produtivo, instituições de crédito e poder público, Koslovski assumiu a função no mesmo dia, sem cerimônia de pos-

Como foi ser presidente do Conselho Deliberativo do Sebrae/PR? Que balanço o senhor faz da sua gestão nesses dois anos?

Tivemos a felicidade de iniciar uma inte-

tir mais nessa área, pois é fundamental para o desenvolvimento dos negócios no Brasil e para a melhoria de vida das pessoas que optam por serem empresários.

Na sua gestão, muitas Salas do Empreendedor (espaços montados pelas prefeituras para empresários e candidatos a empresários) foram instaladas no Paraná. Como o senhor avalia isso?

Foi uma experiência realmente positiva.

gração proativa das entidades do Sistema

Presidi um Conselho que conta com a par-

S. Isso só foi possível graças ao apoio dos

ticipação de representantes dos diferentes

presidentes das entidades, que entende-

setores produtivos, entes governamentais

ram que seria muito bom fazer um traba-

e agentes financeiros que, no conjunto,

lho integrado, objetivando unir forças para

Criar um ambiente favorável ao empreen-

desejam fortalecer os micro e pequenos

viabilizar atividades de interesse comum,

dedorismo é condição fundamental para

empreendimentos produtivos do Paraná.

que são desenvolvidas pelas entidades do

ampliar as iniciativas positivas que, muitas

Foi muito gratificante. Pela primeira vez no

Sistema S. As inúmeras reuniões realizadas

vezes, estão latentes na cabeça das pessoas.

Brasil, um presidente de uma organização

com os superintendentes do Sistema S, sob a

As Salas do Empreendedor são realmente

de cooperativas estadual presidiu o Con-

coordenação do diretor-superintendente do

espaços importantes para que, além da bus-

no Sebrae/PR. Os representantes do Con-

selho Deliberativo do Sebrae em um esta-

Sebrae/PR, Vitor Roberto Tioqueta, possibi-

ca por informações, os micro e os pequenos

selho são unânimes em destacar o papel de

do. Além de passar a conhecer com muito

litou formatar uma série de ações conjuntas

empresários possam tirar dúvidas e resol-

aglutinador desempenhado pelo dirigente

mais detalhes o importante trabalho que o

contendo as várias propostas. O assunto foi

ver os seus problemas. Neste particular, o

Sebrae desenvolve, possibilitou que levás-

avaliado em reunião do Conselho Delibera-

Sebrae tem feito um trabalho altamente

semos às cooperativas a necessidade de

tivo e aprovado pelos conselheiros. O mais

louvável mas é preciso que as entidades e,

uma participação mais ativa nas ações pro-

importante é que as ações conjuntas já estão

principalmente, as prefeituras, apoiem essa

dutivas do Sebrae. Uma decisão importante

acontecendo e com bons resultados. Propos-

iniciativa, pois ela é o caminho para o forta-

nesse período foi a inserção, pelo Conselho

tas efetivas para integrar ações e atuar em

lecimento das ações empreendedoras que o

Deliberativo Nacional (CDN), das coopera-

áreas de interesse comuns, o que está possi-

município pode contar. Estimular o empre-

tivas como público-alvo do Sebrae, benefi-

bilitando otimizar recursos e reduzir custos.

endedorismo é uma forma inteligente de

Integração com foco em

João Paulo Koslovski é um líder cooperati-

Balanço de Gestão

João Paulo Koslovski

Entre as mais importantes conquistas do

e a sua forma democrática de condução das

tinar esforços em torno de um bem maior.

se e afirmando que seu mandato teria dois

discussões, estimulando uma maior partici-

Tudo isso, sem perder a simplicidade, a

anos de duração. E assim foi. Sucessor de

pação dos conselheiros na formulação de

seriedade e a determinação, que lhe são

Jefferson Nogaroli, que à época presidia o

propostas proativas, tendo como foco o

próprias. Como presidente do Conselho De-

Sebrae/PR pela Federação das Associações

empreendedorismo e as micro e pequenas

liberativo do Sebrae/PR, não foi diferente.

Comerciais e Empresariais do Paraná (Fa-

empresas, razão de o Sebrae/PR existir. En-

Koslovski aproximou como nunca o Sebrae/

ciap), Koslovski informou que, seguindo o

genheiro agrônomo por formação, Koslo-

PR das 13 entidades que formam o seu Con-

sistema de alternância de comando entre

selho Deliberativo. O dirigente ajudou o

as entidades do Conselho, seu sucessor em

vski é, há mais de 40 anos, figura de expres-

Sebrae/PR a refletir sobre seu futuro e seu

2015 viria da Federação das Indústrias do

papel no apoio aos pequenos negócios. E a

Estado do Paraná (FIEP), o que também se

seguir um novo rumo, com foco em 2022,

concretizou em novembro de 2014, com a

quando a entidade completa 50 anos.

eleição de Edson Campagnolo.

Eleito por unanimidade no dia 14 de março de 2013, para comandar o órgão máximo do

ciando inúmeras delas, especialmente às de

fortalecer a economia no âmbito municipal,

Organização das Cooperativas do Paraná

Quais os principais avanços que o senhor poderia destacar?

Como o senhor enxerga a estratégia do Sebrae/PR em levar educação empreendedora para as escolas e universidades paranaenses?

(Ocepar), Serviço Nacional de Aprendiza-

Nessa gestão, buscamos estimular uma

Talvez, este seja o programa que mais deve-

gem do Cooperativismo (Sescoop/PR) e Fe-

maior participação dos conselheiros na for-

ríamos investir. Na minha primeira reunião

Prova de transparência como esta deram

deração e Organização das Cooperativas do

mulação de propostas proativas, sempre

como presidente do Conselho Deliberativo,

O estímulo e a educação empreendedora

densidade e respeito à gestão de Koslovski

Estado do Paraná (Fecoopar).

tendo como foco o micro e o pequeno em-

falei da necessidade do Sebrae/PR dar uma

são fatores importantes para despertar,

são no cooperativismo paranaense. Muito disso se deve pela firme atuação frente à

pequeno porte, no Paraná e no Brasil.

estadual e nacional.

Na sua avaliação, uma pessoa já nasce empreendedora ou é a necessidade/ oportunidade de negócios que a tornarão um empresário?

5


aguçar e fazer brotar o empreendedorismo.

dito, com linhas específicas aos micro e pe-

Faciap, Fetranspar, ACP e Ocepar), que tem

Por isso, o importante papel que tem o Se-

quenos, hoje praticadas pelo BRDE (Banco

como escopo a discussão de temas de in-

brae, quando oferece inúmeras oportunida-

Regional de Desenvolvimento do Extremo

teresse comum a esses setores e que tem

des às pessoas no campo do treinamento,

Sul), Agência Fomento Paraná, Banco do

sido extremamente importante na defesa

consultoria, cursos, feiras, viagens, dentre

Brasil e Caixa Econômica, tem se constitu-

do setor empresarial paranaense. Trata-se

outros, possibilitando um maior despertar

ído em importante suporte ao setor. Da

para a visão empreendedora. Mesmo que

mesma forma, as cooperativas de crédito

de uma entidade informal e que tem uma

o empreendedorismo faça parte da iniciati-

também são instrumentos valiosos no aces-

va das pessoas, uma boa orientação, como

so aos financiamentos às micro e pequenas

a proporcionada pelo Sebrae àqueles que

empresas. As Sociedades Garantidoras de

querem abrir o seu negócio, contribui de

Crédito (SGC) têm sido instrumentos impor-

forma decisiva para não incorrer em erros

tantes na garantia dos financiamentos para

que podem prejudicar a estrutura de uma

muitas empresas. Em todas essas ações, o

empresa sólida e de resultados. Sem medo

Sebrae está presente, apoiando, organi-

de errar, buscando o apoio fornecido pelo

zando, divulgando e, sobretudo, fazendo

e entrega das propostas do setor produtivo

Sebrae, podem encurtar caminhos na cons-

as coisas acontecerem. E, para coroar de

para os candidatos ao governo do Estado e

tituição de uma micro ou pequena empre-

êxito todo esse trabalho, as entidades do

à Presidência da República, vários foram os

sa de sucesso. O empreendedorismo pode

setor produtivo, como FIEP, Fecomércio,

pontos destacados em pleitos para os mi-

estar no DNA de muitas pessoas, mas o Se-

Faciap, FAEP e Ocepar, em conjunto com

cro e pequenos empresários no documento

brae tem desempenhado um papel relevan-

a Fampepar, executam programas especí-

elaborado pelo G7. É importante destacar

te em apoio à constituição e funcionamento

ficos ao seu público-alvo, com resultados

que, em todas as entidades que compõem

de empresas bem-sucedidas.

muito positivos. Não resta a menor dúvida

o G7, temos como público milhares de mi-

de que o sucesso do trabalho executado no

cro e pequenos empreendedores. Vários

Paraná para as micro e pequenas empresas

foram os avanços alcançados nos últimos

está alicerçado numa ação integrada e mui-

anos para tal público. Por exemplo, legisla-

to positiva do governos estadual e federal,

ções com tratamento mais adequado, crédi-

O que o senhor julga mais gratificante e recompensador na atividade empreendedora? Tem mais riscos que recompensas? Tomar a iniciativa de ter o seu próprio ne-

agentes financeiros e entidades do setor

gócio hoje no Brasil é enfrentar uma série

produtivo.

obstáculos, que vão do processo de cons-

tação de políticas públicas para apoiar as ações produtivas dos diferentes setores de nossa economia. O empreendedorismo sempre foi tema de debate e defesa de propostas junto aos governos federal e estadual. Apenas para exemplificar, na elaboração

empresas não conseguem superar tais di-

O cooperativismo, por sua natureza histó-

processo de constituição e fechamento de

ficuldades e sobrevivem poucos anos. No

rica, foi criado para superar dificuldades

empresas e, sobretudo, a viabilização de

Paraná, as micro e pequenas empresas vêm

econômicas e sociais das pessoas que, indi-

uma legislação moderna, desburocratizan-

superando todos esses entraves e a mortali-

vidualmente, não conseguem se viabilizar.

te e com políticas específicas para atender

dade, que há cerca de dez anos era de 50%,

Normalmente, as cooperativas são constituí-

adequadamente o setor.

hoje é de 25%, nos dois primeiros anos de

das por pequenos agricultores ou, nos outros

vida de uma pequena empresa, evidencian-

ramos, por pessoas que individualmente não

do que as iniciativas de governo, em conjun-

conseguem concretizar o seu negócio. O es-

to com o Sebrae, têm possibilitado ampliar

tímulo e o apoio ao desenvolvimento do em-

a vida das empresas. É preciso continuar

preendedorismo feito pelo Sebrae se asse-

investindo nas pessoas para que, com mais

melha em muito às ações das cooperativas.

Realmente os pequenos negócios no Brasil

formação e profissionalismo, tenhamos ini-

O desenvolvimento dos Arranjos Produtivos

têm sido um grande instrumento de forta-

ciativas duradouras e empresas sólidas, be-

Locais (APL) pode ser entendido como uma

neficiando todos aqueles que transformam

ação coletiva que sempre teve no Sebrae

lecimento da economia brasileira. Por isso,

sonhos em ações concretas.

um grande parceiro. Aliás, o cooperativismo

ções de trabalho, Custo Brasil, prejudicando nossa competitividade. Muitas das nossas

O senhor concorda que o Paraná é um dos estados brasileiros que mais oferece oportunidades para quem quer empreender? Por quê?

pode e deve ser um ótimo instrumento para viabilizar ações empreendedoras, hoje foco de atuação do Sebrae.

O legado de

João Paulo Koslovski A gestão de João Paulo Koslovski será lembrada por muitos motivos. À frente do Conselho Deliberativo do Sebrae/PR, aglutinou forças e uniu entidades do setor produtivo em prol do empreendedorismo e das micro e pequenas empresas do Paraná, geradores de empregos e renda. Articulador e com excelente trânsito nos meios políticos e empresariais, Koslovski promoveu o diálogo e abriu a palavra, sempre buscando o consenso e as decisões mais coerentes, o que garantiu resultados para a entidade e para os pequenos negócios, razão de o Sebrae/PR existir.

conquistas. Contudo, vários são os desafios, com destaque para uma maior desoneração

burocracia no campo da tributação, rela-

EDIÇÃO ESPECIAL

to com custos diferenciados, entre outras

A sua história sempre foi ligada ao cooperativismo. Como o cooperativismo e o empreendedorismo podem caminhar juntos?

tituição propriamente dito, até a elevada

A nova estratégia do Sebrae/PR que se inaugura, marcada por uma forte visão territorial e foco em seis linhas de ação - empreendedorismo e gestão; ambiente de negócios; liderança; educação empreendedora; empresas de alto potencial; e startups – foi desde sempre a sua prioridade.

e simplificação tributária, instrumentos de política pública que possibilitem acessar mais facilmente o crédito, agilização no

Koslovski não mediu esforços nesta nova era do Sebrae/PR e não poderia ser diferente. O cooperativismo que corre em suas veias tem em comum com o empreendedorismo a vontade de mudar sempre, para melhor. E Koslovski deu o seu melhor para o Sebrae/PR, nos dois últimos anos.

Os pequenos negócios, muitas vezes, são amortecedores de crises. Como valorizar cada vez mais o empreendedorismo?

são responsáveis por 60% dos empregos com carteira assinada e 99% das empresas formalizadas. Quando você tem a economia pulverizada em micro e pequenas empresas, é possível diluir o risco de uma crise

Da esq. para a dir.: Julio Agostini, Edson Campagnolo, Vitor Tioqueta e José Gava

A gestão que se inicia sente-se honrada em continuar seu trabalho e avançar cada vez mais, apostando nos pequenos negócios e contribuindo para o desenvolvimento econômico e social do nosso Estado.

Edson Luiz Campagnolo

O senhor é coordenador do G7 (grupo de entidades do setor produtivo). Como enxerga o futuro dos pequenos negócios no Estado? Que desafios ainda precisam ser superados?

maior e isso pode ser verificado pelo que

Presidente do Conselho Deliberativo – Gestão 2015-2018

hoje assistimos no Brasil. É óbvio e evidente

Vitor Roberto Tioqueta

que temos e precisamos de grandes e bons

Diretor Superintendente

instrumento importante que vai estimular

O G7 é uma ação das entidades que atuam

quenas empresas é uma forma inteligente

o empreendedorismo. A concessão de cré-

no setor produtivo (FIEP, Fecomércio, FAEP,

de gerar empregos e distribuir renda.

O Paraná está dando exemplo de que é possível apoiar as micro e pequenas empresas. A Lei 163/2013, recentemente aprovada e que ainda carece de regulamentação, é um

6

preocupação muito grande com a forma-

Balanço de Gestão

empresários nos diferentes setores da nossa economia, mas estimular as micro e pe-

Julio Cezar Agostini Diretor de Operações

José Gava Neto Diretor de Administração e Finanças

7


Balanço de Gestão EDIÇÃO ESPECIAL

União e diálogo, como

marca registrada Agência de Fomento do Paraná A gestão do presidente João Paulo Koslovski à frente do Conselho Deliberativo do Sebrae/PR teve um papel importante na medida em que aumentou a participação dos conselheiros nas decisões da instituição, influindo, por exemplo, na formulação do plano plurianual da entidade. Juraci Barbosa, presidente da Fomento Paraná

Caixa Econômica Federal O mandato de João Paulo Koslovski foi marcado pelo discernimento e pela abertura que deu para os representantes de cada segmento no Conselho Deliberativo do Sebrae/ PR. Neste período de dois anos, a participação do Conselho foi muito boa e todos os membros se sentiram parte do processo. Foram incentivados a participar de forma efetiva e contribuir com a sua área de atuação visando o sucesso dos pequenos negócios.

Federação do Comércio do Paraná (Fecomércio) João Paulo Koslovski é uma pessoa obstinada, equilibrada e de bom senso. À frente do Conselho Deliberativo, buscou a união e o diálogo de todos os membros, o que fez com que a atuação do Sebrae/PR crescesse ainda mais. Darci Piana, presidente do Sistema Fecomércio Sesc Senac PR

Banco do Brasil “João Paulo Koslovski, em seu mandato à frente do Sebrae/PR, desempenhou suas funções com empreendedorismo e determinação profissional, buscando sempre os melhores resultados para as micro e pequenas empresas do Paraná. Além disso, em parceria com o Governo do Estado, Junta Comercial, AMP e demais entidades do Conselho, instituiu um marco na história do Sebrae dando início à implantação da Redesim, que visa desburocratizar a abertura e o encerramento de empresas no Paraná. Parabenizamos o dirigente por ter conduzido suas atividades com equilíbrio e dedicação, integrando todas as entidades do Conselho, e agradecemos o fortalecimento da parceria entre o Sebrae/PR e o Banco do Brasil.

Federação das Indústrias do Estado do Paraná (FIEP) “A alternância no comando do Conselho Deliberativo do Sebrae/PR é, além de um ato de grandeza das entidades que o compõem, uma oportunidade para crescimento da instituição. Na gestão do colega João Paulo Koslovski, isso ficou ainda mais claro, em especial pela forte integração e pelo diálogo que proporcionou com o G7, grupo que reúne as principais entidades empresariais paranaenses. Certamente essa articulação tem sido fundamental para melhorar o ambiente de empreendedorismo no Paraná, fator importante para que tenhamos um Estado plenamente desenvolvido.”

Secretaria da Indústria, Comércio e Assuntos do Mercosul (SEIM) do Paraná Os dois anos da gestão de João Paulo Koslovski no Conselho do Sebrae/PR foram marcados por uma grande revolução em relação ao atendimento aos micro e pequenos empresários paranaenses. Durante o seu mandato, foi aprovada a Lei Geral da Micro e Pequena Empresa estadual, que agora está em fase de regulamentação, e a Redesim, que permitirá a abertura de uma empresa em até três dias. João Paulo teve uma postura democrática à frente do Conselho do Sebrae e, como um homem de visão, primou pela participação de todos os conselheiros. Horácio Monteschio, secretário de Estado

Edson Campagnolo, presidente do Sistema FIEP

José Roberto Sardelari, superintendente estadual do Banco do Brasil

Fabio Carnelós, superintendente regional da Caixa Econômica Federal

Federação das Associações Comerciais e Empresariais do Paraná (Faciap) Serviço Brasileiro de Apoio às Micro e Pequenas Empresas (Sebrae) O Presidente João Paulo Koslovski promoveu em sua gestão a integração e o intercâmbio das entidades do Conselho, otimizando ações, agregando valor e fortalecendo a atuação do Sebrae e das entidades. Todos ganharam com essa cooperação. Elizabeth Soares de Holanda, chefe de Gabinete da Diretoria do Sebrae em Brasília

8

Universidade Federal do Paraná (UFPR)

João Paulo Koslovski administrou o Conselho do Sebrae/PR com muita competência. O fato de ser grande conciliador e uma pessoa cordata lhe permitiu realizar um trabalho de destaque.

A forma democrática com que João Paulo Koslovski conduziu as reuniões do Conselho do Sebrae/ PR permitiram o diálogo entre os membros e transparência sobre as ações. Nas reuniões, cada conselheiro podia apresentar e discutir assuntos relacionados à sua área de atuação. Outro grande mérito de João Paulo foi a valorização do planejamento plurianual.

Luiz Carlos Baêta Vieira, do Citpar

Joel Souza e Silva, da UFPR

Centro de Integração de Tecnologia do Paraná (Citpar)

Federação das Associações de Micro e Pequenas Empresas do Paraná (Fampepar) João Paulo Koslovski mudou a forma de administrar o Conselho Deliberativo do Sebrae/PR e foi muito positivo o choque de gestão que impôs para o Sebrae/PR. Ele teve um cuidado todo especial com a parte financeira, conseguindo inclusive reduzir as despesas. Ercílio Santinoni, presidente da Fampepar

O grande mérito do João Paulo Koslovski no comando do Sebrae/PR foi ter dado um profissionalismo maior às reuniões do Conselho. Com as pautas distribuídas com antecedência, as reuniões ficavam mais produtivas já que os conselheiros já vinham preparados para discutir os assuntos e todos os membros podiam fazer suas colocações. Todo presidente de Conselho coloca um tempero a mais no seu mandato, mas João Paulo, com toda a sua competência, conseguiu se destacar ainda mais. Rainer Zielaski, presidente da Faciap

Federação da Agricultura do Estado do Paraná (FAEP) A presidência de João Paulo Koslovski, no Conselho Deliberativo do Sebrae/PR, foi de grande produtividade, quer pelos programas que desenvolveu, quer pela forma com que aproximou as instituições que fazem parte do Conselho e todas aquelas com a tarefa de atender e expandir as pequenas e micro empresas do Estado. João Paulo, assim como atua na presidência da Ocepar, deixa uma marca forte de sua passagem, que certamente sempre será lembrada com orgulho e admiração por parte dos que participaram do Conselho do Sebrae/PR na sua gestão. Ágide Meneguette, presidente do Sistema FAEP

9


Investiu-se na formação dos conselheiros, por meio de palestras e cursos, com destaque para o Programa de Formação de Conselheiros, conduzido pela Fundação Dom Cabral, uma das mais importantes escolas de negócios do Brasil. A ação provocou debate e reflexão, reforçou conceitos sobre a importância de ser conselheiro, suas competências, responsabilidades, limites de atuação e o impacto de suas decisões.

Balanço de Gestão EDIÇÃO ESPECIAL

Os Ciclos de Reflexão Estratégica, oferecidos por meio da Universidade Corporativa do Sebrae, também serviram de plataforma para a aquisição de conhecimento. Foram três palestras com especialistas nos temas: Economia Paranaense – Cenários e Perspectivas; Inovação: o imperativo para o desenvolvimento sustentável do Paraná; e Liderando a Gestão da Mudança.

com a equipe de colaboradores da entidade. A sinergia entre Conselho Deliberativo, Conselho Fiscal, Diretoria Executiva e Equipe Sebrae/PR, na gestão de Koslovski, tornou as votações e encaminhamentos do Sebrae/PR mais transparentes e democráticos. Outra inovação nas reuniões mensais do Conselho foi abrir espaço para a palavra dos representantes das entidades participantes. Simples, mas bastante eficiente, a ação garantiu, entre outras vantagens, a integração de agendas entre as entidades, alinhamento de medidas e a formação de grupos de discussão, sempre com foco nos pequenos negócios.

O Plano Plurianual, que prevê as ações futuras planejadas para a entidade, também foi construído coletivamente pelos conselheiros Conselho do Sebrae/PR – Gestão 2013-2014

Palestra sobre Inovação, durante reunião do Conselho

sinergia Conselho alinhado e em

A participação do Conselho Deliberativo e Fiscal do Sebrae/PR foi bastante intensa na gestão de João Paulo Koslovski, que compartilhou as decisões e os rumos envolvendo a entidade. Aos conselheiros, foi aberto espaço para a formação, discussão, elaboração e encaminhamento das diretrizes do Sebrae/PR.

A economia paranaense, cenários e tendências, foi tema de palestra proferida por especialista do Ipardes

10

11


As ações integradas do Sistema S são trabalhadas por grupos formados por técnicos e envolveram, nessa primeira etapa, seis temas de forte impacto no dia a dia das entidades: Educação, Setores Estratégicos, Pesquisas de Conjuntura, Licitações, Compartilhamento de Ambientes e Comunicação Integrada. A ideia é buscar soluções para problemas comuns e compartilhar conhecimentos e boas práticas. O Comitê de Superintendentes, que passou a reunir-se mensalmente na gestão de Koslovski, avalia a viabilidade das sugestões e auxilia nos seus encaminhamentos. Todas as ações, nascidas de ideias discutidas durante oficinas de trabalho, são registradas e monitoradas, seguindo o modelo do sistema de informação da gestão estratégica orientada para resultados.

Balanço de Gestão EDIÇÃO ESPECIAL

representantes de outros 16 países. O Sistema S compartilhou um estande de 72m² e aproveitou o espaço para divulgar seu portfólio de programas, produtos e serviços voltados ao apoio da prática cooperativista. Sem esquecer sua missão, que é preparar as pessoas para o mercado de trabalho, cuidar da saúde e da qualidade de vida do trabalhador, apoiar as empresas com soluções tecnológicas inovadoras e estimular o empreendedorismo.

A estreia do Sistema S no Paraná, mais integrado e mais estratégico, foi na Expocoop 2014. O grupo, formado pelas nove instituições, foi um dos 170 expositores da feira internacional, que reuniu, além de cooperativas brasileiras, também Dirigentes do Sistema S unem esforços no Paraná Logomarca do Sistema S no Paraná

Sistema S União mostra a força do

no Paraná

O Sistema S no Paraná ganhou visibilidade e força. Representantes do Serviço Social do Comércio (Sesc), do Serviço Nacional de Aprendizagem Comercial (Senac), do Serviço Social da Indústria (Sesi), do Serviço Nacional de Aprendizagem Industrial (Senai), do Serviço Nacional de Aprendizagem Rural (Senar), do Serviço Nacional de Aprendizagem do Cooperativismo (Sescoop), do Serviço Social do Transporte (Sest), do Serviço Nacional de Aprendizagem do Transporte (Senat) e  do Serviço Brasileiro de Apoio às Micro e Pequenas Empresas (Sebrae) passaram a pensar e agir em conjunto. A troca entre as entidades tem sido intensa. Reunião mensal dos superintendentes das entidades do Sistema S

12

13


Balanço de Gestão EDIÇÃO ESPECIAL

estratégia Nova

Case Volvo, apresentado pelo vice-presidente de RH da Volvo, durante a Semana da Pequena Empresa

Publicação do Sebrae/PR, fruto de três missões internacionais, inspirou nova estratégia

entra em operação

João Paulo Koslovski assumiu a tarefa de tornar palpável a nova estratégia do Sebrae/PR. Com o olhar para o futuro, a entidade teve como desafio, na sua gestão, colocar em prática um novo modelo de atuação, fruto de profunda reflexão sobre o papel do Sebrae/PR no apoio ao empreendedorismo. Tarefa que executou com sucesso, concluindo mais esta etapa.

Vitor Tioqueta, durante a Semana da Pequena Empresa

“Uma Semana para Olhar para o Futuro” foi mote do evento, que mobilizou empreendedores de todo o Estado A partir de ideias construídas com empreendedores, empresários, lideranças, conselheiros, colaboradores, parceiros, clientes e não clientes, a entidade adotou nova estratégia, com forte visão territorial em seis linhas de ação: empreendedorismo e gestão; educação empreendedora; liderança; ambiente de negócios; empresas de alto potencial e potencialização; e startups. Novas ideias, apoiadas e construídas com a ajuda de Koslovski e do Conselho Deliberativo, que foram absorvidas no planejamento dos próximos anos e que servirão de norte para a entidade chegar em 2022, quando completa 50 anos, como a mais eficiente provedora de soluções para pequenos negócios. O Sebrae/PR consolidou ainda, com o seu apoio, uma das bases do novo modo de operar da entidade, qual seja, a equação do desenvolvimento passa por empresas mais fortes e preparadas, pela construção de um

14

ambiente favorável aos negócios e, sobretudo, pelo apoio e formação dos empreendedores, verdadeiros agentes de transformação. A Semana da Pequena Empresa, que mobilizou mais de 5,5 mil empresários, candidatos a empresários, lideranças, parceiros, agentes públicos e universitários, dentre outros, tornou concreto o novo olhar da entidade, por meio de palestras-magna com especialistas, realizadas presencialmente e com transmissão online, oficinas, talk-shows e discussões. Assim como a publicação do livro Estratégia para crescer, fruto de três missões internacionais realizadas por diretores e gerentes da entidade, para países que incluem o empreendedorismo e as micro e pequenas empresas na agenda do desenvolvimento, inspiração e conhecimento fundamentais para construir e colocar em prática a nova estratégia.

Julio Agostini, diretor de Operações do Sebrae/PR, com o professor canadense Louis Jacques Filion, um dos papas do empreendedorismo hoje no mundo 15


Houve ainda a instalação do Escritório do Sebrae/PR de Paranaguá, para atendimento aos empreendedores com atuação nos municípios do Litoral. Os escritórios de Apucarana, no norte do Estado, e Ponta Grossa, nos Campos Gerais, passaram a contar com novas instalações, mais modernas e preparadas para o atendimento de pessoas interessadas em empreender. A sede em Curitiba ampliou sua capacidade para estacionamento de veículos. E os escritórios regionais, localizados nas cidades-polo (Cascavel, Curitiba, Londrina, Maringá, Pato Branco e Ponta Grossa), ganharam em 2014 uma nova sinalização, graças a um parceria firmada com o Sebrae Nacional.

Balanço de Gestão EDIÇÃO ESPECIAL

As mudanças não foram apenas na estrutura do Sebrae/PR, mas também na sua gestão, que passou por aperfeiçoamentos. Destaque para o Programa Sebrae de Excelência na Gestão (PSEG) que, nos últimos dois anos, trabalhou, com sucesso, na entidade, o Modelo de Excelência da Gestão (MEG), da Fundação Nacional da Qualidade (FNQ). O

Sebrae/PR passou por uma autoavaliação profunda e vem implementando melhorias, de acordo com os oito critérios de excelência: liderança; estratégias e planos; clientes; sociedade; informação e conhecimento; pessoas; processos; e resultados. A cada ano que passa, a pontuação da entidade vem apresentando avanços. O Sebrae/PR aderiu ao Comitê de Benchmarking para Excelência da Gestão (CBEG), formado por entidades, como a Fundação Getulio Vargas (FGV), Copel, Caixa Econômica Federal, Universidade Federal do Paraná (UFPR), GVT, Instituto Brasileiro de Qualidade e Produtividade (IBQP), Sanepar, Volvo, Correios, Agrária e Bosch, e que promove encontros regulares

para troca de experiências sobre o tema. E também implementou mudanças no relacionamento com seus fornecedores, com o Programa de Desenvolvimento de Fornecedores (PDF). Com fornecedores qualificados, certificados e integrados às exigências do mercado, o Sebrae/PR ganhou em eficiência, produtividade e pontualidade, com menos desperdícios e mais qualidade. A qualidade da gestão, estimulada por Koslovski no período em que foi presidente do Conselho, também refletiu na definição de processos e na elaboração de projetos, que passaram a ser melhor trabalhados por seus gestores, com mais transparência e respeito à legislação.

Programa de qualificação aproxima Sebrae/PR de seus fornecedores

excelência Reforço na estrutura e

Excelência na gestão foi tema constante de discussões

na gestão

O Sebrae/PR sofreu uma reconfiguração na sua estrutura, no mandato de João Paulo Koslovski. Para alcançar objetivos estratégicos e prioridades locais, a entidade passou a ter seis regionais, além da sede administrativa em Curitiba, e 12 escritórios. Regionais são polos do Sebrae/PR, no Estado, constituídos de infraestrutura física e de equipe técnica própria e preparada para a execução de projetos e ações para o atendimento de clientes sob a sua jurisdição. Do desmembramento da antiga Regional Centro-Sul, nasceram a Regional Leste, que manteve base na Capital, e a Regional Centro, sediada em Ponta Grossa. Inauguração da Regional Centro, com sede em Ponta Grossa

16

17


Balanço de Gestão EDIÇÃO ESPECIAL

Ponto de Atendimento ao Empreendedor em Maringá entra em operação

multicanal

apoio de agentes locais de desenvolvimento, designados pelas prefeituras para articular ações em favor da implementação da Lei Geral nos municípios.

Atendimento

atinge mais empresas

A adoção de uma plataforma de atendimento multicanal ampliou o alcance junto aos municípios e a rede do Sebrae/PR, que passou a levar suas soluções para mais empreendedores no Paraná. A implantação de novas Salas do Empreendedor e a inauguração de novos Pontos de Atendimento ao Empreendedor, por exemplo, foram medidas estimuladas por Koslovski numa estratégia maior, de ampliação do atendimento oferecido pela entidade.

18

Curitiba inaugura Sala do Empreendedor em Rua em Cidadania O Sebrae/PR fechará 2014 com aproximadamente 100 Salas do Empreendedor, espaços previstos pela Lei Geral e implantados pelas prefeituras nos municípios, para atender empresários e candidatos a empresários, sobretudo os microempreendedores individuais. No início da gestão de Koslovski, como presidente do Conselho, eram 62 Salas do Empreendedor. Muitas dessas Salas contam com o

O número de Pontos do Atendimento ao Empreendedor, parceria do Sebrae/PR sobretudo com associações comerciais e empresariais, também cresceu. Ao final da gestão de Koslovski, são aproximadamente 35 Pontos de Atendimento em funcionamento, para disseminar orientações e informações técnicas para o desenvolvimento de pequenos negócios. Na sua gestão, os Pontos de Atendimento, frequentemente instalados em cidades onde não há uma estrutura física do Sebrae/PR, passaram também a se instalar em cidades de maior porte, já detentoras de escritórios do Sebrae/PR, como Cascavel, Curitiba e Maringá, em locais estratégicos das cidades, com grande fluxo de empreendedores, para atender melhor as necessidades. 19


Balanço de Gestão EDIÇÃO ESPECIAL

As microempresas e empresas de pequeno porte passaram a ter, por lei, garantia tratamento diferenciado no Paraná. A legislação, que está em processo de regulamentação, contém benefícios que incentivam o empreendedorismo, a inovação, a formalização, o acesso a compras públicas e a adoção de procedimentos simplificados para a abertura de pequenos negócios em todo o Estado. Em nome do Sebrae/PR, Koslovski, em parceria com o Fórum Permanente das Microempresas e Empresas de Pequeno Porte do Estado do Paraná, instituído para coordenar políticas de desenvolvimento, elaborar estudos para a promoção e acompanhamento das micro e pequenas empresas, mobilizou as entidades do setor produtivo, o G7, para a aprovação da lei, na Assembleia Legislativa, e sanção, no governo do Estado. O Paraná foi o sétimo estado brasileiro a instituir uma Lei Geral Estadual, o primeiro da Região Sul.

A Lei Geral paranaense tem como base os princípios do Estatuto Nacional da Microempresa e Empresa de Pequeno Porte, também conhecido como Lei Geral da Micro e Pequena Empresa, em vigor no País desde 2006 e que instituiu menos impostos, menos burocracia, novos mercados, acesso ao crédito, entre outros. Além da Lei Geral Estadual, o Paraná deu passo importante para agilizar, tornar mais seguro e simplificar o processo de abertura, alteração e o fechamento de empresas. Sebrae/PR, Junta Comercial do Paraná (Jucepar), Secretaria de Estado da Indústria, Comércio e Assuntos do Mercosul (SEIM) e Secretaria de Estado da Fazenda (SEFA), com apoio da Associação dos Municípios do Paraná (AMP), assinaram acordo de cooperação para a implantação, no Estado, da Redesim.

ceita Estadual, Corpo de Bombeiros, Vigilância Sanitária, Instituto Ambiental do Paraná (IAP) e Polícia Civil, numa base de dados única, deverá estar concluído até 2016. O Empresa Fácil Paraná, como é chamado o sistema integrador, já está sendo rodado e, nos próximos meses, os empresários paranaenses sentirão as vantagens. A ideia é que o processo de abertura, alteração e baixa de empresas funcione como um balcão único, o que facilitará a vida dos empreendedores, empresários e candidatos a empresários.

O processo, para integrar informações do governo federal, dos 399 municípios paranaenses, assim como de órgãos como Jucepar, Re-

Lei Geral Estadual ganhou visibilidade

Lei Geral e Redesim beneficiam empresas

A criação da Lei Geral da Micro e Pequena Empresa Estadual e a implantação da Rede Nacional para a Simplificação do Registro e da Legalização de Empresas e Negócios (Redesim) no Paraná foram dois grandes avanços para os pequenos negócios, conquista que teve o apoio do Sebrae/PR, na gestão de João Paulo Koslovski, como presidente do Conselho. Pronunciamento na Assembleia Legislativa

20

21


Balanço de Gestão EDIÇÃO ESPECIAL

Educação

empreendedora

como alternativa

Na gestão de Koslovski, o Sebrae/PR inseriu o empreendedorismo no ensino formal em todos os níveis, do fundamental ao superior. Na visão do dirigente, educação empreendedora é a educação que transforma, que abre ao indivíduo um leque de possibilidades, diferentes enfoques de uma mesma realidade e oferece instrumentos que o capacitem para o poder de escolha, para que reflita e tenha criticidade e capacidade de optar por qual rumo seguir frente as diversas situações de sua vida.

Presidente do Conselho defende educação empreendedora como prioridade

Representantes do Sebrae/PR e de instituições de ensino superior, após assinatura de termo de cooperação A educação empreendedora ajuda a construir, em última análise, uma sociedade mais consciente, formada por pessoas, sobretudo jovens, mais protagonistas de suas vidas que vislumbrem um novo sentido para sua atuação no mundo. O estímulo ao comportamento empreendedor, seja ele com foco na geração de renda por meio de uma empregabilidade diferenciada ou por meio da criação de um empreendimento, mostra-se um modelo promissor no atendimento às novas exigências de mercado. O Sebrae/PR enxergou a educação empreendedora, na gestão de Koslovski, como forma de estímulo a uma nova opção de vida e carreira, propondo ações para a dinamização do empreendedorismo inovador e como alternativa para solução de dificuldades. Um convite a repensar o paradigma do ensino formal como formador de empregados, para uma educação formadora de empreendedores, o que pode ser um dos fatores de ge-

22

Encontro no Sebrae/PR selou parceria com universidades, no Programa Educação Empreendedora ração da sustentabilidade econômica. O papel do professor, como detentor das perguntas e respostas, e o do aluno como membro passivo do aprendizado, também passou por uma rediscussão, chegando-se à conclusão que o estímulo à prática de comportamentos empreendedores pode trazer à tona uma forma diferenciada de formação dos jovens. Destaque neste quesito, na gestão de Koslovski, foi a assinatura de um protocolo de intenções para a execução, no Paraná, do Programa Nacional Educação Empreendedora. A solenidade, para firmar os primeiros convênios, contou com a presença de reitores, professores e técnicos de instituições de ensino

superior contempladas, conselheiros e consultores do Sebrae/PR. O Paraná foi o segundo estado do Brasil com o maior número de faculdades e universidades contempladas pelo Educação Empreendedora para Instituições de Ensino Superior, iniciativa do Sebrae Nacional. Foram selecionadas 17 instituições paranaenses, de 12 municípios, para executar projetos que vão desde a publicação de pesquisas e teses relacionadas ao tema novos negócios; a inclusão da disciplina de empreendedorismo na grade curricular; a realização do Desafio Universitário Empreendedor; além de cursos, palestras, até outras linhas que tratem da educação empreendedora. 23


A SGC Centro-Sul, que funciona na Associação Comercial e Empresarial de Guarapuava (ACIG), começou a operar com um fundo de aval estimado em R$ 2 milhões, recurso financeiro que passará por aportes nos próximos anos e servirá de garantia aos empresários junto às instituições de crédito.

Balanço de Gestão EDIÇÃO ESPECIAL

As SGC ganharam projeção há sete anos, por meio de uma articulação do Sebrae com a Itália, especificamente com a Região da Emilia-Romagna, quando o confide italiano foi identificado como modelo inspirador para se instituir no Brasil um sistema de garantia de crédito para pequenos negócios.

R$ 22 milhões em garantias, o que permitiu algo em torno de R$ 32 milhões em financiamentos. A expectativa é de que até 2015 mais uma SGC entre em operação no Paraná, para atender pequenos negócios na região de Curitiba e leste do Estado. Na gestão de João Paulo Koslovski, o Paraná foi sede do 4º Fórum Brasileiro de Garantias de Crédito para MPE, em Foz do Iguaçu. Organizado pelo Sebrae Nacional, o evento contou com aproximadamente 230 participantes, entre autoridades públicas, agentes do sistema financeiro, lideranças empresariais, dirigentes de sociedades garantidoras e especialistas em serviços financeiros do Brasil, Europa e América Latina.

Em 2008, o lançamento, pelo Sebrae Nacional, de chamada para identificar regiões com interesse em SGC, abriu espaço para as SGC paranaenses. Nasciam a Garantioeste, em Toledo; a Noroeste Garantias, em Maringá; a Garantisudoeste, em Francisco Beltrão; e Garantinorte, em Londrina.

Augusto José Sperotto, entusiasta das SGC

As SGC paranaenses já reúnem mais de 1.100 empresas, emitiram, de acordo com balanço do primeiro semestre deste, aproximadamente

Vitor Tioqueta, diretor-superintendente do Sebrae/PR

crédito Garantidoras de

IV Fórum Brasileiro de SGC para MPE aconteceu em Foz

se fortalecem

As Sociedades de Garantia de Crédito (SGC) continuaram sendo prioridade nos anos de 2013 e 2014. Entrou em operação a quinta Sociedade de Garantia de Crédito (SGC) do Paraná, na gestão de Koslovski. A SGC Centro-Sul, com sede em Guarapuava, passou a garantir, por meio de avais, crédito facilitado e a juros mais baixos para micro e pequenas empresas. Lideranças e especialistas unem esforços em prol das garantidoras de crédito

24

25


A articulação em torno do tema começou em 2013, quando o Sebrae Nacional analisou 35 produtos paranaenses com potencial para obtenção de registro de Identificação Geográfica (IG). Do total, dez produtos foram escolhidos para ser trabalhados pela entidade, produtores e parceiros, com a meta de obter novos registros para o Paraná. O evento estadual, na gestão de João Paulo Koslovski, reforçou estratégia do Sebrae/PR, que é, até outubro de 2015, dar entrada a dez pedidos de registro.

Balanço de Gestão EDIÇÃO ESPECIAL

dutos contra fraudes; fortalecer segmentos; até posicionar marcas diante do mercado. As IG registradas entre 2011 e 2013 cresceram 270%, ao atingir o total de 38 no Brasil. A maioria delas são IG relacionadas ao meio rural. Neste ano, 16 IG estão em processo de registro. A meta para 2015 é atingir o total de 54 IG registradas no Instituto Nacional de Propriedade Industrial (INPI).

Dentre os produtos paranaenses que buscam a IG, processo que pode levar até três anos, estão a uva de Marialva; o mel do Lago de Itaipu; o melado de Capanema; os queijos de Witmarsun; a goiaba de Carlópolis; a erva-mate de São Mateus do Sul; e a farinha de mandioca, a cachaça, os derivados de banana e o barreado, estes do litoral paranaense. A identificação geográfica tem várias funções, que vão desde dar proteção aos proFazenda de café no norte pioneiro do Paraná Cafés especiais

Estímulo à

identificação geográfica

De olho nos registros que conferem identificação geográfica a produtos, o que significa, para muitos empreendedores rurais, melhores condições para competir num mercado global, o Sebrae/PR realizou o 1º Encontro Paranaense de Indicação Geográfica. O evento reuniu representantes de produtores, especialistas no tema e serviu para tirar dúvidas sobre o processo de registro.

Produto paranaense foi o primeiro a obter identificação geográfica junto ao INPI

26

27


Balanço de Gestão EDIÇÃO ESPECIAL

Programa com foco na Copa estimula negócios entre empreendedores

Cidades-polo na produção de vestuário, como Maringá, Cianorte e Terra Roxa, por sua vez, trabalharam para atender com qualidade a onda de brasilidade que tomou conta no setor de confecções e do comércio. Apucarana produziu brindes oficiais da Copa. E os produtores de pequenas propriedades rurais e da agroindústria, na Grande Curitiba, também procuraram os melhores canais de venda para atingir seu público.

entre outros. Foi utilizada a metodologia das redes empresariais e desenvolveu-se o Projeto Sou Curitiba, de souvenirs para visitantes brasileiros e estrangeiros.

A construção civil foi o primeiro setor econômico impactado, com a exigência de adequações urbanas e obras, muitas feitas com o PAC Copa. As ações de destaque no Paraná, neste setor, foram seminários de oportunidades; workshops de tecnologia digital, internet, gestão financeira, dentre outras.

No setor do Vestuário, o Programa atuou nas zonas de produção, como Maringá, Cianorte e Terra Roxa, prestando assessoria de moda baseado em análises de tendências.

Para o setor de Tecnologia da Informação (TI), a estratégia do Sebrae/PR foi o apoio ao planejamento empresarial, pré e pós-Copa, com ações para mercado e negócios, workshops e oficinas para apoio à inovação, novas tecnologias e desenvolvimento de produtos.

A Copa e o Programa Sebrae 2014 também impactaram o comércio varejista, com uma proposta para melhorar o atendimento, segurança alimentar na área de gastronomia, além de qualificar para adequação das lojas.

Já para o Agronegócio, foi priorizado o atendimento a produtores, fruticultores, agroindústrias e distribuidores da Ceasa, Mercado Municipal, Feiras Livres e empresas da Grande Curitiba. Foram realizadas rodadas de negócios, capacitação, boas práticas e projetos de inovação.

Empreendedores do turismo buscam qualificação para atender melhor os visitantes durante o evento

O terceiro setor a ser impactado com a Copa no Paraná foi o Turismo, envolvendo os segmentos de hospedagem, alimentação, agenciamento de receptivo, transporte,

Copa do Mundo

prepara empresas para mercado

Mais de 1.200 empresários de micro e pequenas empresas do Paraná capacitaram-se com o Sebrae/PR, para aproveitar as oportunidades da Copa. Na gestão de Koslovski, o Programa Sebrae/PR 2014, iniciado pelo seu antecessor, caminhou para sua reta final, com excelentes resultados. Empresários de Curitiba, Litoral, Campos Gerais e de Foz do Iguaçu, destinos turísticos, se organizaram, com a ajuda do Sebrae/PR e buscaram consultorias para melhorar a qualidade de seus empreendimentos.

Souvenirs Sou Curitiba foi um dos projetos estimulados pelo Sebrae/PR

Equipe do Sebrae/PR passando orientações para empresários, durante o Salão de Turismo

28


Balanço de Gestão EDIÇÃO ESPECIAL

O Programa Agentes Locais de Inovação encerrou sua terceira edição na gestão de Koslovski. Aproximadamente 3,2 mil empresas paranaenses dos setores do vestuário, software, saúde, varejo, turismo, madeira e móveis, metalmecânica, construção civil e agroindústria foram atendidas. Durante dois anos, com orientações e acompanhamento dos agentes locais de inovação, as empresas tiveram a oportunidade de se preparem melhor para o mercado, com produtos, serviços e processos aprimorados pela inovação. Para comemorar o saldo positivo da terceira edição do Programa, e a sua continuidade, o Sebrae/PR realizou uma cerimônia de agradecimento aos 57 agentes locais de inovação, que receberam certificado do Sebrae/PR. Com o apoio de Koslovski, a entidade intensificou ainda uma de suas mais poderosas ferramentas de incentivo à inovação, o Sebraetec –

Serviços em Inovação e Tecnologia, uma iniciativa do Sebrae em todo o Brasil que, no Paraná, ganhou uma nova modalidade: diferenciação. A ideia do Sebraetec Diferenciação, que financia projetos de até R$ 120 mil, com subsídios de até 80%, é implementar serviços de pesquisa e desenvolvimento que deem destaque ao empreendimento no seu mercado de atuação. Seja por meio de um novo modelo de negócio, processo, equipamento ou produto, ou serviço, que provoque alteração significativa na empresa, agregando valor aos clientes.

Ao todo, no Paraná, foram realizadas 100 atividades em 49 municípios com quase 15 mil participantes. Destaque para os 14 mutirões tecnológicos, realizados durante o evento em todas as regiões paranaenses, com visitas a 2,3 mil empresas. Comparativamente a 2013, quando foram registrados 6,3 mil participantes, o percentual de crescimento da SNCT no Paraná foi de 130%.

Além do Programa Agentes Locais de Inovação e do Sebraetec, a Semana Nacional de Ciência e Tecnologia (SNCT), realizada anualmente, pelo Ministério da Ciência, Tecnologia e Inovação, com apoio do Sebrae, também tornou-se um importante canal para a difusão da inovação e da tecnologia nos pequenos negócios. A edição de 2014 foi sucesso de público e crítica.

Semana Nacional de Ciência e Tecnologia discutiu temas de interesse dos pequenos negócios

Luis Nassif, jornalista convidado para evento de inovação e tecnologia do Sebrae/PR

Inovação mais próxima dos micro e pequenos O acesso à inovação ainda é um desafio para muitas micro e pequenas empresas. A falta de informação, de conhecimento e de dinheiro para investir são, na opinião de especialistas, os maiores entraves para que os empresários apostem em uma cultura de inovação e tecnologia.

Empreendedores demonstram interesse em inovar nos negócios

30

31


Em pauta, conceitos, valores, princípios, história, regras e a legislação que rege o cooperativismo, além da sua importância como “o maior movimento social da terra”. Os funcionários conheceram de perto o trabalho desenvolvido pelo sistema cooperativo, desde a formação até a gestão e o monitoramento, e ampliaram seu olhar sobre o cooperativismo, seu funcionamento e benefícios.

Balanço de Gestão EDIÇÃO ESPECIAL

Cooperativismo e empreendedorismo

O cooperativismo e o empreendedorismo caminharam juntos na gestão de João Paulo Koslovski, sobretudo porque ambos têm potencial para transformar realidades, quando alinhados em prol do desenvolvimento econômico e social. Funcionários do Sebrae/PR participaram de uma série de capacitações sobre cooperativismo, ministrada pelo Sistema Ocepar/Sescoop-PR.

32

As cooperativas são polos de desenvolvimento. E sua vocação é organizar economicamente os cooperados, de tal forma que o processo se reverta em mais renda, melhor qualidade de vida e bem-estar social. A parte mais visível de uma cooperativa é a sua dimensão econômica. E quanto mais se investe no social, melhores serão os resultados econômicos.

Dentre os aprendizados, constantemente reforçados por Koslovski à frente do Sebrae/PR, um bastante importante: o cooperativismo pressupõe ‘fazer juntos o que não podemos fazer sozinhos’. É a forma mais democrática de garantir a inclusão daqueles que não têm escala de produção para se manter numa atividade econômica, um preceito que também vale para as micro e pequenas empresas, que, muitas vezes, por não ter força sozinhas, buscam na cooperação aliados para se tornar mais competitivas e enfrentar o mercado. O cooperativismo também foi foco de projetos. A ideia, de fortalecer o cooperativismo de crédito junto aos pequenos negócios, ganhou eco com a parceria firmada com os Sistemas Sicoob, Cresol e Sicredi. As orientações de crédito para cooperados micro e pequenas empresas foram destaque, assim como um intenso trabalho de capacitação de colaboradores, para a concessão de crédito para pequenos negócios. As cooperativas também participaram dos seminários de crédito, eventos para informar e aproximar as micro e pequenas empresas do sistema financeiro.

33


Balanço de Gestão EDIÇÃO ESPECIAL

Parcerias

sólidas garantem sucesso

João Paulo Koslovski construiu sólidas parcerias, que, no seu mandato, garantiram ao Sebrae/PR excelentes resultados. Além das entidades que formam o Conselho Deliberativo e Fiscal, consolidaram-se como parceiros da entidade as cooperativas, as associações comerciais e empresariais, os sindicatos, as cooperativas de crédito, as entidades empresariais, o poder público, e o Sistema S no Paraná (Sesc, Senac, Senar, Sesi, Senai, Sescoop/PR, Sest e Senat), do qual o Sebrae/PR também faz parte.

Empresários participaram do Paraná Business Collection

Premiação do Varejo Mais, programa com foco no comércio varejista Parcerias traduzidas por meio de programas de fôlego, como o Varejo Mais – Mais Vendas, Mais Competitividade, Varejo Top Lojas e Revitalização de Espaços Comerciais, os três em parceria com o Sistema Fecomércio Sesc Senac PR, para melhorar a competitividade dos pequenos negócios do comércio. O Empreender – Unir para Crescer, uma parceria do Sebrae/PR com a Federação das Associações Comerciais e Empresariais do Paraná (Faciap), também teve atenção especial na sua gestão. Destaque ainda para a parceria de sucesso do Programa Empreendedor Rural, apoiado por Koslovski e planejado e executado com a Federação da Agricultura do Estado do Paraná/ Serviço Nacional de Aprendizagem Rural (Faep/Senar), para formar empreendedores rurais, estimular boas práticas e torná-los líderes. Iniciativas como o Paraná Business Collection, evento de moda e negócios, desenvolvido com a Fede-

34

Parceria com a Faep/Senar-PR mobiliza empreendedores rurais

ração das Indústrias do Estado do Paraná (FIEP), por meio do Conselho Setorial da Indústria do Vestuário, mostraram igualmente o poder de mobilização das entidades. Assim como a união de esforços do Sebrae/PR, Sescoop, governo federal e Universidade de Bologna, na Itália, em torno do Programa Internacional de Formação de Executivos e Líderes Cooperativistas do Paraná, na formação de líderes cooperativistas, em sintonia com o que há de mais moderno em cooperativismo no mundo.

Darci Piana, do Sistema Fecomércio, parceiro do Sebrae/PR em inúmeros projetos

35


Os atendimentos com soluções específicas em inovação também aumentaram, ultrapassando 16 mil o número de pequenos negócios que incorporaram conceitos e projetos marcados pela inovação.

Balanço de Gestão EDIÇÃO ESPECIAL

Destaque também para o auxílio dispensado aos microempreendedores individuais, que saíram da informalidade. O Sebrae/PR atendeu mais de 48 mil microempreendedores só em 2014. O atendimento às micro e pequenas empresas também foi dinâmico e expressivo: mais de 63 mil microempresas e 14 mil pequenas empresas paranaenses passaram pela entidade.

Orientação que faz a diferença nos negócios

Semana auxilia microempreendedores individuais

Resultados

Relacionamento com clientes é sempre prioridade

Empreendedores buscam cada vez mais informações

que fazem a diferença

Na gestão de João Paulo Koslovski, os resultados obtidos pelo Sebrae/PR foram positivos. A entidade ampliou o número de pequenos negócios atendidos, passando a marca dos 126 mil, até novembro de 2014.

Sebrae/PR ajuda empreendedores na abertura de empresas

36

37


O Sebrae/PR onde você está Mensagem de

agradecimento Encerro meu mandato como presidente do Conselho Deliberativo do Sebrae/PR bastante otimista, pelo avanço que experimentamos nesses últimos anos e também pelos projetos construídos coletivamente e que temos pela frente, com o planejamento estratégico 2015–2018. Agradeço ao Sebrae/PR pela oportunidade ímpar que tive de conviver com profissionais extremamente preparados, com visão de futuro e focados na busca incessante por um trabalho melhor, mais digno e de resultados para os empresários, futuros empresários e sociedade. Não posso deixar de evidenciar o alto nível de profissionalismo da Diretoria Executiva, composta pelo Diretor Superintendente Vitor Roberto Tioqueta; pelo Diretor de Operações, Julio Cezar Agostini; e pelo Diretor de Administração e Finanças, José Gava Neto, que são cientes em dar o melhor de si em prol das micro e pequenas empresas do Estado. O corpo funcional, em todos os seus níveis, é muito dinâmico e atuante, o que credencia o Sebrae/PR e o torna referência para outros estados brasileiros. Este trabalho, realizado pelo time do Sebrae/PR, tem ajudado a construir uma economia mais sólida em nosso Estado. Por fim, quero ainda agradecer o apoio, o estímulo e o trabalho realizado por todos os conselheiros da entidade, tanto os titulares quanto os suplentes. Cada um, a sua maneira e de forma gratuita, deu o seu melhor para que nosso trabalho fosse realizado de forma organizada, disciplinada e voltada a atender nosso público-alvo, que é o empreendedor.

Obrigado!

REGIONAL CENTRO Ponta Grossa Rua Dr. Lauro Cunha Fortes, nº 450 Bairro Uvaranas CEP: 84.025-002 Fone: (42) 3225-1229 Fax: (42) 3225-1229 Escritório Guarapuava Rua Arlindo Ribeiro, nº 892 Bairro Centro CEP: 85.010-070 Fone: (42) 3623-6720 Fax: (42) 3623-6720 REGIONAL LESTE Curitiba Rua Caeté, nº 150 Bairro Prado Velho CEP: 80.220-300 Fone: (41) 3330-5800 Fax: (41) 3330-5768 Fax: (41) 3332-1143 Escritório Paranaguá Avenida Gabriel de Lara, nº 1.404 Bairro Leblon CEP: 83.203-742 Fone: (41) 3425-1010 Fax: (41) 3425-1010 REGIONAL OESTE Cascavel Av. Presidente Tancredo Neves, nº 1.262 Bairro Alto Alegre CEP: 85.805-003 Fone: (45) 3321-7050 Fax: (45) 3226-1212 Escritório Foz do Iguaçu Rua das Guianas, nº 151 Bairro Jardim América CEP: 85.864-470 Fone: (45) 3522-3312 Fax: (45) 3573-6510 Escritório Toledo Avenida Parigot de Souza, nº 2.339 Bairro Centro CEP: 85.905-380 Fone: (45) 3252-0631 Fax: (45) 3252-6175 REGIONAL NOROESTE

João Paulo Koslovski Presidente do Conselho Deliberativo do Sebrae/PR – Gestão 2013-2014

38

Maringá Av. Bento Munhoz da Rocha Neto, nº 1.116 Bairro Zona 7 CEP: 87.030-010 Fone: (44) 3220-3474 Fax: (44) 3220-3402

Escritório Campo Mourão Rua Santa Cruz, nº 1.085 Bairro Centro CEP: 87.300-440 Fone: (44) 3523-2500 Fax: (44) 3523-2500 Escritório Paranavaí Rua Souza Naves, nº 935 Jardim São Cristóvão CEP: 87.702-220 Fone: (44) 3423-2865 Fax: (44) 3423-2865 Escritório Umuarama Rua Floraí, nº 4.295 Zona I CEP: 87.501-290 Fone: (44) 3622-7028 / (44) 3622-7065 (44) 3622-5467 Fax: Ramal 4140 REGIONAL NORTE Londrina Avenida Santos Dumont, nº 1.335 Bairro Aeroporto CEP: 86.039-090 Fone: (43) 3373-8000 Fax: (43) 3373-8005 Escritório Apucarana Avenida Irati, nº 602 Bairro Centro CEP: 86.800-220 Fone: (43) 3422-4439 Fax: (43) 3422-4439 Escritório Arapongas Rua Garças, nº 850 CEP: 86.700-285 Fone: (43) 3252-7392 Fax: (43) 3252-7392 Escritório Ivaiporã Rua Professora Diva Proença, nº 1.190 Bairro Centro CEP: 86.870-000 Fone: (43) 3472-1307 Fax: (43) 3472-1307 Escritório Jacarezinho Rua Coronel Figueiredo, nº 749 Bairro Centro CEP: 86.400-000 Fone: (43) 3527-1221 Fax: (43) 3527-1221 REGIONAL SUDOESTE Pato Branco Avenida Tupi, nº 333 Bairro Bortot CEP: 85.504-000 Fone: (46) 3220-1250 Fax: (46) 3220-1251 Escritório Francisco Beltrão Rua São Paulo, nº 1.212 - Sala 1 Bairro Centro CEP: 85.601-010 Fone: (46) 3524-6222 Fax: (46) 3524-5779

39


0800 570 0800 www.sebraepr.com.br

Revista Soluções - Edição 22  
Read more
Read more
Similar to
Popular now
Just for you