Page 1


Este manual é uma compilação elaborada por Sebastian Olyver (Serjão). Reúne todas as informações necessárias para instrução, e implementação das seguintes Especialidades: Ordem Unida * AR 047 nível 1 de 1976 Ordem Unida – Avançado * AR 048 nível 2 de 1976 Ordem Unida – Instrutor * AR 100 nível 3 de 2012

Índice Conceito de Ordem Unida .................................................................................................. 01 Ordem Unida, parte teórica ................................................................................................. 02 Falando sobre os Comandos ............................................................................................... 04 Comandos e Movimentos ................................................................................................... 05 Passos Importantes ............................................................................................................... 07 Marchas ................................................................................................................................. 07 Voltas em Marchas ............................................................................................................... 09 Voltas a Pé Firme ................................................................................................................. 09 Comandos por Gestos .......................................................................................................... 10 Comandos por Apito ............................................................................................................ 10 Evoluções ............................................................................................................................... 11 Instruções com Bandeirim ..................................................................................................... 11 Marchas e Deslocamentos com Bandeirins .......................................................................... 13 Movimentos com Bandeiras ................................................................................................. 14 Outras questões sobre Ordem Unida ................................................................................... 15 Considerações Finais ............................................................................................................. 15 Cantigas de Ordem Unida ..................................................................................................... 16


Apostila de Ordem Unida Tudo que se deve saber sobre Ordem Unida – Uma Edição de Sebastian Olyver (Serjão)

A Ordem Unida se caracteriza por uma disposição individual e consciente altamente motivada, para a obtenção de determinados padrões coletivos de uniformidade e sincronização. Deve ser considerada, por todos os participantes – instrutores e instruídos – como um significativo esforço para demonstrar a própria disciplina do Clube de Desbravadores Everest, isto é, a situação de ordem e obediência que se estabelece voluntariamente entre os Desbravadores, em vista da necessidade de eficiência na guerra contra o mau no qual lutamos.

Ordem Regra ou lei estabelecida, boa disposição maneira, modo, serie, seqüência.

Unida/União Ato ou efeito associação.

de

unir, ligação, concórdia, harmonia,

O Clube é o espelho de quem está instruindo. Você Instrutor(a) é a pessoa de maior influência do seu grupo. O modo como você comanda, será inquestionavelmente o modo como seus comandados executarão as suas ordens. Por isso lembre-se: “Instrutor(a) displicente, Clube displicente”. O Instrutor deve sempre comandar o Clube na posição de sentido, salvo quando o Clube estiver executando comandos em movimento. Neste caso o Instrutor deve executar os comandos dados por ele mesmo. E caso não seja necessário o acompanhamento do movimento o Instrutor deve ficar executando os movimentos parado e ou andando em posição marcial. Nunca deixe a tropa na posição de SENTIDO ou COBRIR por muito tempo para não cansar os comandados. Seja consciente. Isso se aplica também naqueles momentos em que o Clube está em formação, daí alguém vai à frente para passar informações, esclarecimento, etc. Neste caso coloque o Clube no comando “A Vontade em forma” ou “Descansar”. O Clube deve ter um Instrutor para os Desbravadores mais experientes, e outro Instrutor para os que estão no período de aprendizagem. Isso evita que quem não sabe os comandos, não passe por constrangimentos. Ao ensinar a Ordem Unida o instrutor deve ter consciência de que estará ajudando na formação do caráter dos juvenis, por isso deve estar ciente de sua missão como educador e não só como um chefe. Deve-se tomar cuidado, pois todo o desenvolvimento posterior vai depender de tal iniciação. O instrutor deve fazer com que o grupo se sinta à vontade, ao mesmo tempo que atentos aos seus comandos. A melhor coisa a se fazer é uma apresentação que os deixe à vontade, mas que entendam que a instrução é séria e precisará de todos para acontecer. Coloque-se como um membro do grupo disposto a colaborar. Desafie o grupo a conseguir sempre melhores resultados, vá com calma, eles não são robôs, mas se você for por etapas, todos terão maior probabilidade de melhor desempenho. Pode-se usar dinâmicas e brincadeiras casuais para distraí-los e melhorar o rendimento. Por exemplo: Ao apresentar a posição de descansar, diga: posição descansar é a posição do lobo, sempre alerta e pronto para o serviço. Nesta posição se entra em forma, e é uma posição funcional, pois ao levantar os calcanhares e baixá-los algumas vezes se consegue bombear sangue para o corpo fazendo com que o desbravador esteja cômodo em forma. A posição de sentido é a posição da águia, sempre altiva e disposta, peito estufado, olhando o mundo de cima, cabeça erguida... Há desbravador que faz essa posição parecendo um poste, reto (os braços juntos contra o corpo), e outros parecem um bule em forma (os braços separados do corpo parecendo às alças de um bule), mas na realidade a posição se executa permitindo que os braços permaneçam com sua curvatura normal (cotovelos). Muitas outras situações podem ser utilizadas para deixar a instrução mais interessante, vai depender do instrutor.


Os termos usados em “Ordem Unida” têm um sentido preciso, em que são exclusivamente empregados, quer na linguagem corrente, quer nas ordens e partes escritas. É fundamental, ao normalizar e regulamentar uma atividade como esta, estabelecer o exato significado dos termos utilizados.

Porque eu tenho que aprender Ordem Unida?

O clube de desbravadores utiliza a ordem unida para alcançar os seguintes objetivos: Disciplina, união, organização, respeito, submissão, atenção, agilidade, proporciona aos desbravadores e às unidades os meios de se apresentarem e se deslocarem em perfeita ordem, em todas as circunstâncias. Desenvolver o sentimento de coesão e os reflexos de obediência que são fatores preponderantes. Constrói uma verdadeira escola de disciplina. Como funciona?

Formação - Grupo de Desbravadores que se colocam dispostos em colunas e fileiras de acordo com o número indicado. Exemplo: Formação por 04 (em que são formadas 4 colunas), Formação por unidades (em que os capitães assumem as suas unidades na testa e o restante se posiciona um atrás do outro, do maior para o menor. Linha - Disposição dos Desbravadores um ao lado do outro, mesmo que não estejam voltados para a mesma frente. Fileira - Formação de um grupo em que todos estão colocados sobre a mesma linha, um ao lado do outro, todos voltados para o mesmo ponto. Intervalo – É o espaço entre dois Desbravadores colocados na mesma fileira e voltado para a mesma frente (o intervalo entre as fileiras pode ser normal ou reduzido). Para que um grupo tome o intervalo normal, os Desbravadores da testa distenderão o braço esquerdo horizontal e lateralmente, no prolongamento da linha dos ombros, tocando levemente o ombro direito do companheiro à sua esquerda.

Os demais Desbravadores procurarão o alinhamento, sem erguer o braço lateralmente. O Desbravador da extrema esquerda mantém a posição de sentido. Testa - É o primeiro Desbravador de cada coluna. Coluna - Disposição de Desbravadores um atrás do outro, independente da distância e formação.

Coluna por n° – É a formação em que os Desbravadores são colocados seguidamente um atrás do outro, tendo entre si a distância regulamentar e distribuídos na quantidade de colunas especificada. Distância – Espaço compreendido entre dois Desbravadores um atrás do outro e voltados para a frente. Essa é medida pelos Desbravadores na posição de sentido, com o braço esquerdo estendido e as pontas dos dedos tocando levemente o ombro do companheiro à frente. Alinhamento - É a disposição de vários Desbravadores sobre uma linha reta, exatamente um ao lado do outro. Cobrir - Cobertura é a disposição de vários Desbravadores, formados em colunas, exatamente um atrás do outro.


Cadência - Todos batendo o pé ao mesmo tempo, com som uniforme em ambos os pés. É uma sucessão harmoniosa de sons e movimentos, determinada pelo homem-base. A cadência não é mais que um andar cadenciado. A marcha não deve se tornar um incômodo para as crianças, nem tampouco mais um gasto médico para os pais. O diferencial será o que chamamos de “garbo”. Devese romper com o pé esquerdo.

Base – É o ponto de referência pelo qual deverá ser feito a cobertura e o alinhamento. A COLUNA DA DIREITA, será a coluna-base. Homem-base - é o desbravador (ou instrutor) pelo qual um grupo regula sua marcha, cobertura e alinhamento. Em coluna, o homem-base é o da testa da coluna-base, que

é designada segundo as necessidades. Quando não houver especificações, a coluna-base será a da direita. Em linha, o homem-base é o primeiro desbravador da fila-base, no centro, à esquerda ou à direita, conforme seja determinado. Retaguarda ou cauda - último desbravador ou última fileira de desbravadores de uma formação.

Unidade-base - é aquela pela qual as demais unidades regulam a marchar ou o alinhamento, por intermédio de seus instrutores ou de seus homens-base. Centro - é o lugar representado pelo desbravador ou pela coluna situados na parte média de frente de uma das formações de Ordem Unida. Profundidade - é o espaço compreendido entre a testa do primeiro e a cauda do último elemento de qualquer formação. Sol – é o comandante do pelotão. O Instrutor fica de frente para o sol, todos se voltarão para a direção onde está o instrutor.


– é a maneira padronizada, pela qual o instrutor de um grupo ou clube exprime verbalmente a sua vontade. A voz constitui o meio de comando mais empregado na Ordem Unida. Deverá ser usada, sempre que possível, pois permite execução simultânea e imediata. COMANDO POR VOZ

As vozes de comando geralmente são compostas por: Advertência, comando e execução. Advertência – é um alerta que se dá ao grupo, prevenindo-o para o comando que será anunciado. Exemplo: “ATENÇÃO CLUBE!” ... Não há, portanto a necessidade de repetir a voz de advertência antes. Comando – tem por finalidade de indicar o movimento a ser realizado pelos executantes. Exemplo: “DIREITA!”, “ORDINÁRIO!”, “ESQUERDA!” ... Torna-se, então necessário que o instrutor pronuncie estes comandos de maneira enérgica definindo com exatidão o momento do movimento preparatório e dando aos desbravadores o tempo suficiente para realizarem este movimento, ficando em condições de receberem a voz de execução. O comando propriamente dito, em princípio, deve ser longo. O comando deve esforça-se por anunciar correta e integralmente a todas as palavras que compõem o comando. Tal esforço, porém, não deve ser levado ao extremo de prejudicar a energia com que o mesmo deve ser enunciado, porque isto comprometerá a uniformidade de execução pelo grupo. Este cuidado é particularmente importante em comandos propriamente ditos que correspondem à execução de movimentos preparatórios, como foi mostrado acima. Voz de Execução – tem por finalidade determinar o momento exato em que o movimento deve começar ou cessar. A voz de execução é constituída por uma palavra oxítona (que tem a tônica na última sílaba), é aconselhável um certo alongamento na enunciação da(s) sílaba(s), seguido de uma enérgica emissão da sílaba final. Exemplos: “PER-FI-LAR!”, “CO-BRIR!”, “VOLVER!”, DES-CAN-SAR!”. Quando porém a tônica da voz de execução na penúltima sílaba é imprescindível, deve-se destacar esta tonicidade com precisão. Neste caso, a(s) sílaba(s) final(ais) praticamente não se pronuncia(m). Exemplos: “MAR-CHE!”, “AL-TO!”, “ EM FRENTE!”, “OR-DI-NÁ-RIO!”, “ PAS-SO!”. As vozes de comando devem ser claras, enérgicas e de intensidade proporcional ao afetivo dos executantes. Uma voz de comando emitida com indiferença só poderá ter como resultado uma execução displicente. O instrutor deverá emitir as vozes de comando na posição de “sentido”, com a frente voltada para o grupo de um local em que possa ser ouvido e visto por todos os desbravadores. Nos desfiles, o instrutor dará as vozes de comando com a face voltada para o lado oposto àquele em que estiver a autoridade (ou símbolo) a quem será prestada a continência. Quando o comando tiver de ser executado simultaneamente por todo clube, os instrutores subordinados não o repetirão para suas unidades. Caso contrário, repetirão o comando ou, se necessário, emitirão comandos complementares para as mesmas. A voz de comando deve ser rigorosamente padronizada para que a execução seja sempre uniforme. Para isto, é necessário que os instrutores de Ordem Unida às pratiquem individualmente, antes de comandarem um grupo.

“Na condição de Instrutor, devo de forma natural conquistar o respeito dos meus instruídos, gerando uma amizade de confiança...” ...diz Serjão


Sentido - nesta posição, o Desbravador ficará imóvel e com a frente voltada para o ponto indicado. Os calcanhares unidos, pontas dos pés voltadas para fora, de modo que formem um ângulo de aproximadamente 60 graus. Os ombros na mesma altura e um pouco para trás, sem esforço. Os braços caídos e ligeiramente curvos, com os cotovelos um pouco projetados para frente e na mesma altura. As mãos espalmadas, coladas nas coxas, mão espalmada, sendo que o dedo médio deverá coincidir com a costura lateral da calça/saia. Cabeça erguida e o olhar fixo à frente.

Vontade”, o instrutor dará uma voz ou sinal de advertência: “ATEÇÃO CLUBE”. “ÚLTIMA FORMA”. Todos então, individualmente, tomarão a posição de “DESCANSAR”. O instrutor poderá de acordo com a situação, introduzir restrições que julgue necessárias ou convenientes, como manter um dos pés sem retirar do solo ou pedir que ninguém sente ou converse, isso antes de comandar “À VONTADE!”. Tais restrições, porém, não devem fazer parte da voz de comando.

Para tomar a posição de “Sentido”, o Desbravador deve unir os calcanhares com energia e ao mesmo tempo, trará as mãos diretamente para os lados do corpo, batendo-as com energia ao colá-las às coxas. Vindo de “DESCANSAR”, o calcanhar direito deverá ser ligeiramente levantado para que o pé esquerdo não arraste no solo durante o movimento. A posição de “Sentido” será executada ao comando de “SENTIDO!”.

Descansar - estando na posição de “Sentido”, ao comando de “DESCANSAR!”, o Desbravador deslocará o pé esquerdo, a uma distância aproximadamente igual a largura de seus ombros, para a esquerda, elevando ligeiramente o corpo sobre a ponta do pé direito, para não arrastar o pé esquerdo. Simultaneamente, a mão esquerda segurará o braço direito pelo pulso, a mão direita fechada colocada às costas, pouco abaixo da cintura. Nesta posição, as pernas ficarão naturalmente distendidas e o peso do corpo igualmente distribuído sobre os pés, que permanecerão num mesmo alinhamento. Esta é a posição ao entrar em forma, onde permanecerá em silêncio e imóvel. À Vontade - o comando de “À VONTANDE”, deverá ser dado quando o pelotão estiver na posição de “DESCANSAR”. Estando todos na posição de “Sentido”, deverá ser dado primeiro o comando de “DESCANSAR!”, e em seguida, o de “À VONTADE!”. A este comando, o Desbravador manterá o seu lugar em forma, de modo a conservar o alinhamento e a cobertura, porém, poderá mover-se e falar, porem, mantendo a posição do pé direito como base. Para cessar a situação de “À

Cobrir e Alinhar - para que o clube corrija a cobertura, é dado o comando de “COBRIR!”. O comando é dado com o pelotão na posição de “Sentido”, o Desbravador estenderá o braço esquerdo para frente, com a palma da mão espalmada para baixo e os dedos unidos, até quase tocar levemente com a ponta do dedo médio, a retaguarda do ombro do companheiro da frente; colocar-se-á, então, atrás deste, na mesma linha em que se encontrem os companheiros da coluna-base, alinhando-se por eles e com a mão direita colada à coxa. Os membros da testa, com exceção do último da esquerda (que permanecerá na posição de “Sentido”), estenderão os braços esquerdos para o lado, palmas das mãos para baixo, dedos unidos, tocando levemente o lado do ombro direito do companheiro à sua esquerda com a mão direita colada à coxa. Durante a execução do comando de Cobrir, a unidade-base não se move para a esquerda nem para direita.


Sem Intervalo, Cobrir - Neste caso, todos procederão como descrito em “COBRIR”, porém, os membros da testa, colocarão as mãos esquerdas fechadas na cintura, costas das mãos para frente, cotovelos para a esquerda, quase tocando o braço direito do companheiro à sua esquerda, os demais membros do pelotão cobrirão para frente com o braço esquerdo dobrado, colocando as costas da mão para cima, e o punho acima do ombro.

A cobertura estará correta quando olhando para frente, cada um, vê apenas a cabeça do companheiro que o precede. O alinhamento estará correto quando, conservando o corpo imóvel, olhar para a direita e verificar que se encontra no mesmo alinhamento que os demais companheiros de sua fileira. O intervalo será de um braço (braço dobrado, no caso de “Sem intervalo”). Verificada a cobertura e o alinhamento, o Instrutor comandará “FIRME!”. A este comando, todos descerão energicamente o braço esquerdo, colando a mão à coxa com uma batida e permanecendo na posição de “Sentido”. Posição de Maranata Desbravadores no mundo.

saudação

oficial

partindo da posição de “SENTIDO”, ao comando, todos devem em movimento enérgico, levar o cotovelo a apontar para o lado direito e para baixo, a mão direita espalmada com a palma voltada para frente e os dedos unidos. A posição é usada para apresentar pelotões e comandos, saudar autoridades e/ou companheiros, recitar ideais (voto e voto a Bíblia, os demais ideais devem ser recitados em posição de “Sentido”), após terminar de recitar ou apresentar o pelotão, o Desbravador deve voltar automaticamente a posição Deve-se de “Sentido”, porém, esperar que o deve esperar que seu Líder baixeInstrutor, a posição primeiro. após o comando de Advertência “ATENÇÃO”, Não usamos o comando “APRESENTAR ARMAS”, o execute o comando “FIRME” comando é “POSIÇÃO PARA O VOTO”. para retornar à posição de “SENTIDO”.deve baixar a Como na continência militar, o Desbravador mão de forma enérgica, contudo, não é preciso bater com a mão na coxa Posição Para Oração – partindo da posição de “DESCANSAR, os pés ficam fixos enquanto as mãos vêm para frente, onde a mão esquerda a exemplo da posição de “Descansar” segura o braço direito pelo pulso, enquanto inclina-se a face para baixo. Fora de Forma - Ao comando de “FORA DE FORMA, MARCHE!”, os homens romperão a marcha com o pé esquerdo e sairão de forma com rapidez.

dos

Esta é a posição de Maranata, os quatro dedos são os quatro “A’s” da palavra Maranata: amar, anunciar, apressar e aguardar a volta de Cristo. O polegar cruzado significa o cristão curvado, em reverência a Deus. O comando “MARANATA”, “POSIÇÃO PARA O VOTO” deve ser dado partindo da posição de “SENTIDO”, ao comando, todos devem em movimento enérgico, levar o cotovelo a apontar para o lado direito e para baixo, a mão direita espalmada com a palma voltada para frente e os dedos unidos. A posição é usada para apresentar pelotões e comandos, saudar autoridades e/ou companheiros, recitar ideais (voto e

Sentado (ao solo) - Partindo da posição de descansar,, ao comando de “Sentado Um Dois” o Desbravador dará um salto, em seguida sentará com as pernas cruzadas (perna Fora Forma ao comando de “FORA DE FORMA, direitade à frente da –esquerda), envolvendo os joelhos com os braços, e com a mão esquerda deverá segurar braço MARCHE!”, os Desbravadores responderão a marchao com o direito pelo pulso mantendo a mão direita fechada. pé esquerdo batendo firme no chão, e sairão de forma com rapidez. Pode-se combinar um grito característico. Para retornar à posição de descansar, partindo da posição sentado, deve-se dar o comando “De Pé Um Dois”.

voto a Bíblia, os demais ideais devem ser recitados em posição de “Sentido”),

após terminar de recitar ou apresentar o pelotão, o Desbravador deve voltar automaticamente a posição de “Sentido”, porém, deve esperar que seu Líder baixe a posição primeiro. Não usamos o comando “APRESENTAR ARMAS”, o comando é “POSIÇÃO PARA O VOTO”. Como na continência militar, o Desbravador deve baixar a mão de forma enérgica, contudo, não é preciso bater com a mão na coxa.

Sentado (ao solo) - Partindo da posição de descansar,, ao comando de “Sentado Um Dois” o Desbravador dará um salto, em seguida sentará com as pernas cruzadas (perna direita à frente da esquerda), envolvendo os joelhos com os braços, e com a mão esquerda deverá segurar o braço direito pelo pulso mantendo a mão direita fechada. Para retornar à posição de descansar, partindo da posição sentado, deve-se dar o comando “De Pé Um Dois”.


Em Forma - ao comando “ATENÇÃO, PELOTÃO”, “EM FORMA!” cada um deslocar-se-á rapidamente para o seu lugar na unidade e com o braço esquerdo distendido para frente, tomará a distância regulamentar e depois de verificar se está corretamente coberto e alinhado, tomará a posição de “Descansar”. Última Forma - voz de comando dada quando o instrutor se engana no comando a ser dado. (ex.: o instrutor comanda “frente para retaguarda” com o pelotão em cobrir), o instrutor não deve dar outro comando antes de dar o “ÚLTIMA FORMA”. Caso o Instrutor não comande o “ÚLTIMA FORMA”, o pelotão não deverá continuar a seguir seus próximos comandos de ordem unida, permanecendo na posição em que está, pois se seguisse os próximos comandos seria uma sucessão de comandos iniciados com uma voz errada, e como é de conhecimento geral: “Comando Errado, Não Se Executa”.

Cadência - é o número de passos executados por minuto, bem como, uniformidade no levantar e cair de pernas nas marchas em passo ordinário e/ou acelerado. As voltas em marcha só serão executadas nos deslocamentos em passo Ordinário. Alto - este comando é dado no pé esquerdo e em marcar passo, durante a marcha ou acelerado. Na marcha e “marcar passo” conta-se três passos começando a contar no 1º pé direito após o comando, e parando ao bater na posição de sentido com o mesmo pé. No acelerado ou correndo é dado também no pé esquerdo e contam-se cinco passos a partir do pé direito e parando na posição de sentido com o mesmo pé. Caso o comando seja dado no pé direito conta-se então mais um passo. Ao parar, unem-se os pés, levando o direito energicamente junto ao esquerdo, e as palmas das mãos batidas contra as coxas, retornando assim à posição de sentido. Marche - usado como VOZ DE EXECUÇÃO para os comandos em marcha. Pode ser precedido pelo tipo de passo ACELERADO, SEM CADÊNCIA) ou ainda pela direção a seguir (DIREÇÃO À DIREITA, DIREÇÃO À ESQUERDA). Os deslocamentos acelerado.

(Marchas)

serão executadas sempre em passo ordinário, passo sem cadência, passo de estrada e passo

Passo Ordinário - é um passo ritmado, e numa cadência de cerca de 100 passos por minuto. Neste passo, o Desbravador deverá conservar a postura e atitude marcial. Passo Ordinário correto:

(ORDINÁRIO,

Passo Sem Cadência - após o comando “MARCHE”, os desbravadores romperão com o pé esquerdo só que não precisam marchar, devendo apenas manter-se alinhados e em formação. É o passo executado com liberdade, de acordo com o conforto e capacidade física do Desbravador, bem como a disposição do terreno. No passo sem cadência, o Desbravador tem de conservar a atitude marcial, à distância e o alinhamento. Passo de Estrada - é um passo também sem cadência, só que não há a obrigação de conservar a mesma atitude marcial do passo “Sem Cadência”, embora o Desbravador tenha que manter seu lugar em forma e a regularidade do passo.

Erros mais comuns no Passo Ordinário:

Ao s er dado o comando, o Desbravador marchará no passo sem cadência podendo, no deslocamento, falar, cantar, ingerir alimentos e líquidos. Para fazer com que a tropa retome o passo ordinário, ser-lhe-á dado, primeiro, o comando de “SEM CADÊNCIA, MARCHE!” e, somente então, se comandará “ORDINÁRIO, MARCHE!”. Para fazer com que a tropa execute o comando “ALTO” estando a tropa em “Passo de estrada”, comandar-se-á “SEM CADÊNCIA, MARCHE!”, antes de se comandar “ALTO!”.


Passo Acelerado - é o passo executado de forma ordinária ou não, conforme o terreno e numa cadência de 180 passos por minuto. No rompimento da marcha, partindo da posição de “sentido” ao comando de “ACELERADO!”, o Desbravador levantará os antebraços, encostando os cotovelos com energia ao corpo e formando com os braços ângulos aproximadamente retos; as mãos fechadas, sem esforço e naturalmente voltadas para dentro, com polegar para cima, apoiado sobre o indicador. À voz de “MARCHE”, levará o pé esquerdo com a perna ligeiramente curva para frente, o corpo no prolongamento da perna direita e correrá cadenciadamente, movendo os braços naturalmente para frente e para trás sem afastá-los do corpo. Em “ACELERADO”, as pernas se dobram, como na corrida curta. Passagem do “passo ordinário” para o “passo acelerado”estando a tropa marchando no passo ordinário, ao comando de “ACELERADO!” ,levantará os antebraços, conforme descrito no item acima, no momento em que o próximo pé esquerdo tocar ao solo; a voz de “MARCHE!” deverá ser dada ao assentar o pé esquerdo ao solo; o homem dará mais três passos, iniciando, então, o acelerado com o pé esquerdo de acordo com o que está escrito para o início do “acelerado“, partindo da posição de “sentido“, Passagem do “passo sem cadência” para o “passo acelerado” - se a tropa estiver marchando no passo sem cadência, antes do comando de “ACELERADO, MARCHE!”, comandar-se-á “ORDINÁRIO, MARCHE!”. Ao parar (com comando de ALTO), unem-se os pés, levando o direito energicamente junto ao esquerdo, e as palmas das mãos batidas contra as coxas, retornando assim à posição de sentido. No passo ACELERADO, contam-se quatro passos, ao invés de dois, parando no quarto. Marcar Passo - está voz é dada geralmente antes de começar a marcha propriamente dita para que o clube acerte a cadência, podendo ser dado enquanto está “marchando” ou ainda no comando de “acelerado”. Após o comando, o pelotão continuará marchando no mesmo lugar, elevando os joelhos até pouco menos que a altura da cintura, mantendo a cadência do passo ordinário e os braços estáticos ao lado do corpo (não colados), com as mãos espalmadas.

Quando em marcha o pelotão deve bater alto, mas seguir marchando no mesmo lugar (bate-se as mãos na coxa quando se faz o alto). No caso do acelerado o Desbravador também faz como se fosse o comando de “alto” ficando correndo no mesmo lugar. Então fica claro que “Marcar Passo”, é uma marcha sem deslocamento. Deslocamentos curtos - poderão ser executados ao comando de “TANTOS PASSOS EM FRENTE! MARCHE!”. O número de passos será sempre ímpar. À voz de “MARCHE!”, o homem romperá a marcha no passo ordinário, dando tantos passos quantos tenham sido determinados e fará alto, sem que para isso seja necessário novo comando. Olhar a Direita ou Esquerda (em Marcha) - este comando é dado pelo Instrutor cerca de 10 passos antes da autoridade; “OLHAR-A-DIREI-TA!” ou “OLHAR-A-ESQUERDA!”, o pelotão contará mentalmente três passos e executará uma batida semelhante ao alto, olhará para o lado designado, e continuará a marcha. Neste movimento a testa e a coluna da do lado designado não olham para o lado, apenas seguem marchando, olhando em frente. Olhar em Frente – após o comando “OLHAR-EM-FRENTE” que deve ser dado depois do “OLHAR-A-DIREI-TA!” ou “OLHAR-A-ESQUER-DA!”, cada elemento contará novamente três passos e executará o alto, rompendo a marcha em seguida, voltando a posição de marcha olhando para frente. Sem Cadência (a Partir da Coluna/Unidade), Marche - o comando é dado quando o clube vai sair do local em que está para outro, para uma caminhada, etc. Neste comando o Desbravador da coluna da direita rompe a marcha, saindo os Desbravadores desta coluna até chegar o último que gritará “ÚLTIMO”, a próxima coluna segue atrás; se todos estiverem em sentido, por exemplo, depois da apresentação, comanda-se “Descansar”. Neste caso o “último” equivale a “sentido e o rompimento da marcha” para a coluna seguinte. Importante, neste comando os Desbravadores devem se locomover silenciosamente (ex.: em direção a sala de reunião pela coluna da direita sem cadência marche). Em Direção a Direita (ou Esquerda), Marche – comando dado em marcha, sempre no pé esquerdo, o grupo vai girando até alinhar-se então é dado o comando “EM FRENTE”. O Desbravador da testa que está do lado pra onde o grupo ira, ficará quase que marcando passo e girando muito pouco “como um eixo” para que o restante do clube possa acompanhar o movimento. Trocar Passo - ao comando de “TROCAR PASSO!”, o homem levará o pé, que está atrás, para a retaguarda do que acabar de tocar o solo e, dando logo em seguida um pequeno passo com o que estava à frente, prosseguirá naturalmente a marcha. Este movimento deverá ser feito com vivacidade e executado independentemente de ordem e sempre que for necessário acertar o passo com os demais


Desbravadores. Este comando será dado somente a título de aprendizagem.

lugar com o pé esquerdo e romperá a marcha com o pé direito.

Direita Volver (em Marcha) – à voz de execução “VOLVER!” deverá ser dada no momento em que o pé direito assentar no solo; com o pé esquerdo, o Desbravador dará um passo mais curto e volverá à direita, marcará um passo no mesmo lugar com o pé direito e romperá a marcha com o pé esquerdo.

Meia Volta (em Marcha) – este comando é dado sempre no pé esquerdo, devendo o Desbravador virar em direção contrária a que está indo 180º, pela esquerda, ele deverá dar mais um passo com o pé direito e ai então virar (este comando pode ser dado também em marcar passo). Necessita da voz de execução “VOLVER”.

Esquerda Volver (em Marcha) - a voz de execução “VOLVER” deverá ser dada no momento em que o pé esquerdo assentar no solo; com o pé direito, ele dará um passo mais curto e volverá à esquerda, marcará um passo no mesmo

Oitavo à Direita ou Esquerda, Volver - será executado do mesmo modo que ”DIREITA/ESQUERDA VOLVER”, mas, a volta é de apenas 45 graus.

As voltas em marchas só serão executadas nos deslocamentos em passos ordinários, Mediante os comandos de: Esquerda - a voz de execução “VOLVER!”, deverá ser dada no momento em que o pé esquerdo assentar no solo; com o pé direito ele dará um passo mais curto e volverá à esquerda, marcará um passo no mesmo lugar com o pé esquerdo e romperá a marcha com o pé direito. Oitavo à direita/esquerda - será executado do mesmo modo que “DIREITA (ESQUERDA), VOLVER!”, porém a rotação será apenas de 45 graus.

Meia volta - a voz de execução “VOLVER!”, deverá ser dada no momento em que o pé esquerdo assentar no solo; o pé direito irá um pouco à frente do esquerdo, girando-se vivamente pela esquerda sobre as plantas dos pés, até mudar a frente para a retaguarda, rompendo a marcha com o pé direito e prosseguindo na nova direção.

´ Esquerda - após o comando VOLVER, o desbravador voltar-se-á para o lado esquerdo, a um ângulo de 90º, sobre o calcanhar do pé esquerdo e a planta do pé direito. Terminando o movimento, assentará a planta do pé esquerdo no solo, unirá depois o pé direito, batendo energicamente os calcanhares.

Oitava à esquerda - após o comando VOLVER, o desbravador voltar-se-á para o lado esquerdo, a um ângulo de 45º, sobre o calcanhar do pé esquerdo e a planta do pé direito. Terminando o movimento, assentará a planta do pé esquerdo no solo, unirá depois o pé direito, batendo energicamente os calcanhares.

Direita - após o comando VOLVER, o desbravador voltarse-á para o lado direito, a um ângulo de 90º, sobre o calcanhar do pé direto e a planta do pé esquerdo. Terminando o movimento, assentará a planta do pé direito no solo, unirá depois o pé esquerdo, batendo energicamente os calcanhares.

Oitava à direita - após o comando VOLVER, o desbravador voltar-se-á para o lado direito, a um ângulo de 45º, sobre o calcanhar do pé direto e a planta do pé esquerdo. Terminando o movimento, assentará a planta do pé direito no solo, unirá depois o pé esquerdo, batendo energicamente os calcanhares.

Meia volta - após o comando VOLVER, o desbravador voltar-se-á para o lado esquerdo, a um ângulo de 180º, sobre o calcanhar do pé esquerdo e a planta do pé direito. Terminando o movimento, assentará a planta do pé esquerdo no solo, unirá depois o pé direito, batendo energicamente os calcanhares.

Olhar à direita - a partir da posição de sentido, após a voz de execução, os desbravadores girarão a cabeça energicamente para o lado direito, sem desviar a linha dos ombros e sem modificar a posição. O contra-comando é OLHAR FRENTE. Observação: a testa e a coluna da direita não executam o comando.

Meia Volta por Tempo – segue o mesmo critério do comando “Meia Volta”, entretanto, quando se ouvir a voz de execução “TEMPO 1”, girar-se-á vivamente pela esquerda sobre as plantas dos pés. Aguarda imóvel a segunda voz de comando “TEMPO 2” para só então concluir a posição de SENTIDO batendo com o pé direito no chão unindo os calcanhares.

Frente para a direita/esquerda/retaguarda - para que seja mudada a frente e uma fração. A este comando, o Desbravador volverá por meio de um salto, para o lado indicado com energia e vivacidade e dará o grito: - Rá! ou outro definido pelo Clube. Tal comando deverá ser dado com a tropa na posição de “Descansar”. Após executá-lo, permanecerá nesta posição.


Os comandos por gestos substituirão as vozes de comando quando a distância, o ruído ou qualquer circunstância não permitir que o Instrutor se faça ouvir. Os comandos por gestos são os seguintes: Atenção, descansar, sentido, direita ou esquerda volver, passos em frente, cobrir, ordinário marche, marcar passo, alto, diminuir passo, acelerar passo, direção a esquerda ou direita, em forma, coluna por um (por dois, etc). Atenção - Utiliza-se quando se deseja obter a atenção ou o silencio do grupo. Normalmente também é dito o comando “ALERTA”, para reforçar a atenção. Portanto, sempre que este sinal for feito, procure ficar em silêncio e se necessário, peça aos seus companheiros para também atenderem ao sinal. Levantar o braço direito na vertical, mão espalmada, palma da mão voltada para a frente. Todos os gestos de comando devem ser precedidos por este. Após o elemento a quem se destina a ordem acusar estar atendo, levantando também o braço direito até a vertical, o instrutor iniciará a transmissão das ordens. Descansar – bater contra a coxa a mão direita cruzá-la no peito e estender vivamente o braço á altura do ombro, com a mão espalmada, voltada para o solo. Este movimento também define o comando de última forma. Sentido – levantar o braço à posição de atenção, e, em seguida, fazer com que desça energicamente, batendo contra a coxa. Direita/esquerda Volver – palma voltada para a frente, braço formando ângulo de 45°, fazer círculos com o braço do lado contrário ao que se quer a execução, e estendê-lo vivamente á altura do ombro quando se quiser marcar a execução. Passos em Frente – definir com os dedos quantos passos se quer, em números ímpares, e, em seguida flexionar o braço para trás, e depois trazê-lo energicamente á frente, com a mão espalmada, e fazendo como se fosse uma catapulta, com o cotovelo sendo o eixo, marcando o início da execução. Cobrir – o pelotão na posição de sentido, proceder da mesma forma que no comando alto! Ordinário Marche – da posição de atenção, flexionar o braço para trás, e depois trazê-lo energicamente á frente, com a mão espalmada, e fazendo como se fosse uma

catapulta, com o cotovelo sendo o eixo, marcando o início da execução. Marcar Passo – da posição de atenção, descer o braço à altura do ombro, fechando a mão espalmada e fazendo punho cerrado; em seguida, para marcar o momento da execução, baixar vivamente o braço e levantá-lo, num movimento rápido e mecânico. É importante lembrar que o marcar passo é um comando de alinhamento, utilizado quando se estiver em ordinário marche. Alto – descer a mão direita, dedos unidos, à altura do ombro, como na posição maranata, com a palma para a frente, e em seguida, estender o braço vivamente na horizontal. Diminuir Passo - da posição de atenção, baixar lateralmente o braço direito estendido (palma da mão voltada para o solo) até o prolongamento da linha dos ombros e aí oscilá-lo para cima e para baixo. Apressar o passo (acelerado) - com o punho cerrado, à altura do ombro, erguer e baixar o braço direito várias vezes, verticalmente. Direção à esquerda/direita - em seguida ao gesto de atenção, baixar o braço direito à frente do corpo até à altura do ombro e fazê-lo girar lentamente para esquerda (direita), acompanhando o próprio movimento do corpo na conversão. Quando já estiver na direção desejada, elevar então vivamente o braço estendê-lo na direção definitiva. Em forma - da posição de “Atenção”, com o braço direito, descrever círculos horizontais acima da cabeça; em seguida, baixar este braço na direção da marchar ou do ponto para qual deverá ficar voltada a frente do grupo. Coluna por um, por dois,... - na posição de atenção, fechar a mão, conservando o indicador estendido para o alto, ou mais dedos, se fizer necessário.

Os comandos por meio de apito serão dados mediante o emprego de silvos longos e curtos. Os silvos longos serão dados como advertência e os curtos, como execução. Precedendo os comandos, os desbravadores deverão ser alertados sobre quais os movimentos e posições que serão executados; para cada movimento ou posição, deverá ser dado um silvo longo, como advertência, e um ou mais silvos breves, conforme seja a execução a comando ou por tempos.


Atenção – estando o grupo fora de forma, a um silvo longo, todos voltarse-ão para o Instrutor à espero de seu gesto, voz de comando, ordem ou outro sinal. Estando em forma, à vontade, a um silvo longo, os desbravadores retornarão a posição de descansar.

Sentido – um silvo curto. Ordinário Marche – Um silvo longo e outro curto. Marcar Passo – Dois longos. Alto – Um curto e um longo.

Descansar – um silvo curto.

Meia - Volta – dois curtos. Chamada Geral – dois longos e dois curtos. Chamada Feminina – dois longos. Chamada Masculina – dois curtos.

~

,

De acordo com “Manual de Ordem Unida do Exército Brasileiro C22-5”, EVOLUÇÕES de Ordem Unida abrangem apenas o seguinte: Uso de movimentos básicos e combinados de ordem unida, com ou sem comando, em linha ou em coluna; Passagem de coluna à linha e vice-versa, incluindo mudanças de direção; Passagem de coluna por dois, ou outras formações à coluna por um e vice-versa; Execução, em conjunto, de MOVIMENTOS DE ORDEM UNIDA, realizados com simultaneidade, energia e precisão, com ou sem voz de comando; Formação de figuras em conjunto, utilizando movimentos de Ordem Unida. Outros movimentos

Fora dos movimentos acima citados, existem outras “Evoluções” que chamaremos aqui de “movimentos coreográficos”. Esses movimentos são combinações de gestos, brados e movimentos, que tornam nossa ordem unida, uma atividade além de tudo recreativa, dinâmica e motivadora. Cabe então aos líderes avaliar esses “movimentos coreográficos”, executados pelos Desbravadores de seu Clube, para ver se estão de acordo com os princípios da Igreja Adventista do Sétimo Dia, repreendendo os comportamentos que desviem desses valores, e mostrando aos Desbravadores que até mesmo durante os exercícios de ordem unida, todos devem ter em mente os ideais do Clube de Desbravadores. Esses “movimentos coreográficos”, no entanto, NÃO FAZEM PARTE, da grade de movimentos de ordem unida padrão, usada por seguimentos Militares e civis. Vantagens do uso de evoluções:

Dar ao Pelotão um meio de apresentarem-se de forma dinâmica, demonstrando beleza, coesão e desenvoltura nos campeonatos, paradas, desfiles etc. Desenvolver o sentimento de disciplina e de coesão pela execução em conjunto, de movimentos realizados com simultaneidade, energia e precisão.

,

~

Posições com Bandeirim

Sentido - Nesta posição, o bandeirim ficará na vertical, ao lado do corpo e encostado à perna direita, junto ao pé direito, na altura dos dedos do pé. A mão direita segurará o bandeirim, na altura do cotovelo esquerdo. O braço direito deverá estar dobrado, fazendo junto ao mastro do bandeirim um ângulo de 90º, o antebraço ficará colado ao tronco.

A mão esquerda e os pés ficarão como na posição de “Sentido” sem Bandeirim. Para tomar a posição de “Sentido” partindo da posição de “Descansar”, o Desbravador unirá os calcanhares com energia, ao mesmo tempo em que afastando a mão esquerda do corpo no máximo 20 centímetros, e então, colando-a a coxa com uma batida. Movimento executado em um só tempo.


Descansar - Ao comando de “ATENÇÃO” (quando fora de forma) ou “DESCANSAR!” (Partindo da posição de “Sentido”), afasta-se o pé esquerdo lateralmente elevando-se o corpo sobre o pé direito, até quase a largura dos ombros. O braço esquerdo fica distendido lateralmente

com as costas da mão fechada voltada para frente e colada à coxa. O bandeirim, bem como a mão direita permanecem como na posição de “Sentido”, salvo o antebraço que descolará do corpo.

Movimentos com Bandeirim

Apresentar bandeirim (partindo da posição de “Sentido”) 1º Tempo – partindo da posição de “Sentido”, logo após o comando “APRESENTAR, BANDEIRIM” ou “APRESENTAR ARMA”, o Desbravador erguerá o bandeirim na vertical com a mão direita, cotovelo junto ao corpo e para baixo; ao mesmo tempo, a mão esquerda, segurará o bandeirim cerca de 10 cm abaixo da direita. O antebraço esquerdo deverá ficar na horizontal e colado ao corpo. O bandeirim ficará suspenso e colado ao corpo. Descansar bandeirim (partindo da posição Apresentar bandeirim) 1º Tempo – ao comando de “DESCANSAR BANDEIRIM”, a mão esquerda leva o bandeirim para o lado direito do corpo, a mão direita sairá de sua posição e irá segurar o bandeirim, colocando-se cerca de 10 cm acima da mão esquerda. Movimento idêntico ao 1º Tempo do “Apresentar bandeirim”. 2º Tempo - a mão esquerda solta o bandeirim e desce rente ao corpo, até se juntar à coxa com

2º Tempo - o Desbravador trará o bandeirim, energicamente, com a mão esquerda para posição vertical à frente do corpo, cobrindo a linha de botões da camisa. A mão esquerda ficará à altura do pescoço; Ao mesmo tempo, a mão direita colocar-se-á na altura da fivela do cinto, com as costas da mão para frente, polegar por trás e os demais dedos unidos e distendidos. Nesta posição, o antebraço esquerdo ficará na horizontal e o bandeirim suspenso. uma batida, a mão direita então, levará o bandeirim para baixo e inclinado para frente/direita, com o braço direito junto ao corpo e o antebraço quase estirado até que o bandeirim forme um ângulo de aproximadamente de 45º com a linha dos ombros; O bandeirim ainda não toca o solo. 3º Tempo - a mão direita trará o bandeirim para junto do corpo e o repousará no solo sem bater, retomando, assim, à posição de “Sentido”.

Levantar banderim - Partindo sempre da posição de “Sentido”, ao comando de “x PASSOS EM FRENTE”, “ESQUERDA”, “DIREITA”, “MEIA-VOLTA”, “ORDINÁRIO” ou “SEM CADÊNCIA”, o Desbravador deve levantar o mastro do bandeirim cerca de 10 cm do chão, e aguardar a voz de execução. Esse movimento, no entanto, só deve ser

utilizado para voltas a pé firme e deslocamentos curtos. Após completar o Nº de Passos, completar a Volta ou ao som de Alto, o Desbravador automaticamente (sem voz de comando) deve descansar o bandeirim, seguindo o procedimento descrito na segunda parte do 2º Tempo e o 3º Tempo de “Descansar bandeirim”.

Saudação MARANATA/Voto com banderim - Movimento idêntico ao “Levantar banderim”, como descrito no Manual

“BANDEIRAS E BANDEIRINS - Regulamento Para Atividades Cívicas -

Cobrir - Partindo da posição de “Sentido”, será executado o “Levantar bandeirim”, enquanto que, com o

braço esquerdo é efetuado o movimento de “Cobrir” normalmente.

Firme – Verificada a cobertura e o alinhamento, então, o Instrutor comandará “FIRME!”. A este comando, todos descerão energicamente o braço esquerdo, colando a mão à coxa com uma batida. Após a batida, o Desbravador

automaticamente (sem voz de comando) deve “Descansar o bandeirim”, seguindo o procedimento descrito na segunda parte do 2º Tempo e o 3º Tempo de “Descansar bandeirim”, permanecendo então na posição de “Sentido”.

Direita/Esquerda e Meia volta volver - Partindo sempre da posição de “Sentido”, ao comando de “ESQUERDA”, “DIREITA” ou “MEIA-VOLTA”, o Desbravador deve executar o “levantar bandeirim”, levantando o mastro do bandeirim cerca de 10 cm do chão, e aguardar a voz de

execução “VOLVER”. Após completar a Volta, o Desbravador automaticamente (sem voz de comando) deve descansar o bandeirim, seguindo o procedimento descrito na segunda parte do 2º Tempo e o 3º Tempo de “Descansar bandeirim”.

Ombro bandeirim (partindo da posição de “Sentido”) 1º Tempo – após o comando “OMBRO BANDEIRIM” seguir o mesmo procedimento do 1º Tempo de “Apresentar bandeirim”.

DSA", Edição 1999 - pag. 5

2º Tempo - ao mesmo tempo em que a mão esquerda traz o bandeirim inclinado à frente do corpo, a mão direita abandonará a posição inicial, segurando o bandeirim pela porção que


estará na altura de sua cintura. Nesta posição, a mão esquerda deverá estar na altura do ombro esquerdo, o bandeirim a poucos centímetros do corpo formando um ângulo de 45 graus com a linha dos ombros. O cotovelo direito “aponta” para direita, enquanto o esquerdo fica colado ao corpo.

soltará o mesmo e o apoiará por baixo, de modo que este fique apoiado, os dedos permanecem então, e voltados para frente. O braço esquerdo ficará colado ao corpo, com o antebraço na horizontal de modo que o lado inferior do mastro do bandeirim fique afastado do corpo.

3º Tempo - a mão direita ergue o bandeirim, girando-o até que fique apoiado no ombro esquerdo. Simultaneamente, a mão esquerda

4º Tempo - a mão direita desce ao corpo, até se juntar à coxa direita com uma batida.

Descansar bandeirim (partindo da posição de “Ombro bandeirim”) 1º Tempo – após o comando, a mão direita subirá até empunhar o bandeirim cerca de 20 cm acima da mão esquerda, voltando assim, ao 3º Tempo de “Ombro bandeirim” (partindo da posição de “Sentido”). 2º Tempo - a mão direita trará o bandeirim para frente do corpo descendo até a altura da cintura, enquanto que ao mesmo tempo, a mão esquerda soltará o lado inferior do bandeirim, segurando-o então, pela porção que estará à frente do ombro esquerdo, voltando assim, ao 2º Tempo de “Ombro bandeirim” (partindo da posição de “Sentido”).

3º Tempo - a mão esquerda trará o bandeirim para a vertical, enquanto a direita soltará o bandeirim e irá, empunhá-lo então, cerca de 10 cm acima da mão esquerda, voltando assim, ao 1º Tempo de “Ombro bandeirim” (partindo da posição de “Sentido”). 4º Tempo - enquanto a mão esquerda solta o bandeirim e desce até se juntar à coxa com uma batida, o Desbravador automaticamente (sem voz de comando) deve descansar o bandeirim, seguindo o procedimento descrito na segunda parte do 2º Tempo e o 3º Tempo de “Descansar bandeirim”, voltando assim à posição de “Sentido”.

Apresentar bandeirim (partindo da posição de “Ombro bandeirim”) 1º Tempo - idêntico ao 1º Tempo de “Descansar bandeirim”, partindo da posição de “Ombro bandeirim”.

3º Tempo - idêntico ao 3º Tempo de “Descansar bandeirim”, partindo da posição de “Ombro bandeirim”.

2º Tempo - idêntico ao 2º Tempo de “Descansar bandeirim”, partindo da posição de “Ombro bandeirim”.

4º Tempo - idêntico ao 2º Tempo de “Apresentar bandeirim”, partindo da posição de “Sentido”.

Ombro bandeirim (partindo da posição de “Apresentar bandeirim”) 1º Tempo - idêntico ao 1º Tempo do “Descansar bandeirim”, partindo da posição de “Apresentar bandeirim”.

3º Tempo - idêntico ao 3º Tempo de “Ombro bandeirim”, partindo da posição de “Sentido”.

2º Tempo - idêntico ao 2º Tempo de “Ombro bandeirim”, partindo da posição de “Sentido”.

4º Tempo - idêntico ao 4º Tempo de “Ombro bandeirim”, partindo da posição de “Sentido”.

Cruzar bandeirim (partindo da posição de “Sentido”) 1º Tempo - idêntico ao 1º Tempo de “Apresentar bandeirim”, partindo da posição de “Sentido”. 2º Tempo - idêntico ao 2º Tempo de “Ombro bandeirim”, partindo da posição de “Sentido”. Descansar bandeirim (partindo da posição de “Cruzar bandeirim”) 1º Tempo - idêntico ao 3º Tempo de “Descansar bandeirim”, partindo da posição de “Ombro bandeirim”. 2º Tempo - idêntico ao 4º Tempo de “Descansar bandeirim”, partindo da posição de “Ombro bandeirim”.

Cruzar bandeirim (partindo da posição de “Ombro bandeirim”) 1º Tempo - idêntico ao 1º Tempo de “Descansar bandeirim”, partindo da posição de “Ombro bandeirim”. 2º Tempo - idêntico ao 2º Tempo de “Descansar bandeirim”, partindo da posição de “Ombro bandeirim”. Ombro bandeirim (partindo da posição de “Cruzar bandeirim”) 1º Tempo - idêntico ao 3º Tempo de “Ombro bandeirim”, partindo da posição de “Sentido”. 2º Tempo - idêntico ao 4º Tempo de “Ombro bandeirim”, partindo da posição de “Sentido”.

Marchas - Deslocamentos curtos - Partindo sempre da posição de “Sentido”, ao comando de “Ordinário”, “Sem Cadência” ou “x Passos em Frente”, o Desbravador deve executar o “Levantar bandeirim”, e aguardar a voz de execução. Durante a marcha o


mastro do bandeirim deve permanecer na vertical e o braço esquerdo movimenta-se normalmente. Ao comando “Alto”, o Desbravador deve automaticamente (sem haver voz de comando) descansar o bandeirim, seguindo o procedimento descrito na segunda parte do 2º Tempo e o 3º Tempo de “Descansar bandeirim”. Marchas - Deslocamentos longos e desfiles – Para maior conforto dos Desbravadores, estes deslocamentos devem acontecer em “Cruzar Bandeirim ” ou “Ombro Bandeirim”, contudo após o alto, os Desbravadores aguardaram o comando de “Descansar bandeirim”, para então descê-lo ao chão, conforme as descrições anteriormente citadas.

Não há muito que explicar sobre as posições e o manejo de bandeiras, pois como elas são usadas em Ordem Unida, apenas em desfiles e passeatas, reduz a variedade de movimentos, contudo é importante salientar que no caso do pelotão de bandeira ele nunca deve alterar sua frente com movimentos semelhantes a “voltas”, para que as bandeiras não saiam de sua posição de destaque e hierarquia. Marchas com Bandeiras

Marchas - Deslocamentos curtos - Ao comando de “Ordinário”, “Sem Cadência” ou “x Passos em Frente”, o Desbravador deve executar movimento idêntico ao “Levantar bandeirim”, e aguardar a voz de execução. Durante a marcha o mastro da bandeira deve permanecer na vertical e

o braço esquerdo movimenta-se normalmente. Ao comando “Alto”, o Desbravador deve automaticamente (sem haver voz de comando) regressar a posição de Sentido com bandeira, sem nenhum outro movimento adicional.

Marchas – Deslocamentos longos e desfiles com a Bandeira Nacional - Deve sempre que possível, ser conduzida em um mastro verde e amarelo de 2,12m, acomodado em um talabarte de cor verde. Deverá ser conduzida sempre na vertical, com a mão direita apoiando firmemente o mastro, posicionada logo acima e a direita do ombro,

enquanto a esquerda permanece movimentando-se em marcha normalmente, a Bandeira Nacional não pode apresentar inclinação para nenhum dos lados. Para evitar a confusão visual o Portabandeira deve evitar o uso da faixa de especialidades enquanto usa o talabarte.

Marchas – Deslocamentos longos e desfiles com as Demais Bandeiras - Deve sempre que possível, estar acomodada em um talabarte, sendo conduzida inclinada para frente, com a mão direita apoiando firmemente o mastro, posicionada logo acima do copo niquelado do

talabarte, enquanto a esquerda segura o mastro na altura do peito com o braço levemente flexionado e à frente do corpo. Para evitar a confusão visual o Porta-bandeira deve evitar o uso da faixa de especialidades enquanto usa o talabarte.

Talabartes - Cinta de tecido usada em volta do corpo, que pode ser fabricada em 01 ou 02 cores, nos tamanhos adulto ou infantil. Em geral tem 10 (dez) centímetros de largura, são feitas normalmente em nylon. Talabartes são usados em desfiles e ajudam no sustento do mastro, melhorando a apresentação da bandeira. Copo (Boldriê ou Conteira Niquelada) para Talabarte - Os copos ou Boldriês acompanham o talabarte e são fabricados em Latão niquelado (cromado) ou ABS cor branca, usados em desfiles, ajuda no apoio do mastro, deixando-o mais fácil de ser carregado.

O talabarte para Bandeira Nacional deve ser todo verde como na ilustração do “Manual Bandeiras e Bandeirins – DSA, ed. 1999, pag. 5”.

Posição de MARANATA/Voto com Bandeiras Movimento idêntico ao “Levantar banderim”, como ilustrado

no Manual “BANDEIRAS E BANDEIRINS - Regulamento Para Atividades Cívicas - DSA", Edição 1999 - pag. 5

Como regra geral as demais Bandeiras devem ter um talabarte em até duas, das cores predominantes da determinada Bandeira.


~ Ordem Unida na Igreja - A igreja é a casa de oração, e como recitamos em nossa lei é importante “andar com reverência na casa de Deus”, em qualquer programação que o Clube realize, deverá sempre respeitar este princípio. Voz de comando, marcha com cadência ou vivacidade dentro da igreja, tira a reverência na casa de Deus. Os comandos devem ser dados preferencialmente por gestos, somente para se ter idéia de quando executar: entradas, saídas, sentido, ideais e outros; deve-se apenas executar um “passo sincronizado”, ordenadamente, evitando marchas, batidas e voltas exageradas. Quanto ao uso das bandeiras: Nacional, Estadual, Municipal e outras oficiais; e a execução do Hino Nacional, é entendimento da Organização Mundial da Igreja Adventista, que não há nada que desabone essas condutas de civismo, desde que se faça com ordem, reverência e moderação cristã. É importante destacar ainda que, existe um órgão hierárquico maior dentro da igreja local – a Comissão da Igreja, e que a decisão tomada pela maioria de seus votos deve ser respeitada por todos os Departamentos, Diretorias e seus membros. No caso do voto da Comissão ser desfavorável a essas demonstrações de civismo, a Diretoria do Clube deve acatar, restando-lhe o direito de oportunamente apresentar ampla pesquisa bíblica e doutrinária sobre o assunto, na tentativa de formar novas opiniões sobre o tema, ou realizar tais cerimônias em outros locais especiais que não seja o Templo de Deus. Voto à Bíblia - A Bíblia deve estar aberta e na mão esquerda da pessoa que comanda, enquanto a mão direita executa a posição de “Maranata”, os demais estarão em posição de “Maranata”, por ser a saudação e posição para voto, oficial do Clube de Desbravadores para todo o mundo. Apresentar Armas – O Clube de Desbravadores, sob nenhum aspecto ou hipótese manuseia, incentiva ou aceita o uso de armas. Porém como consta na especialidade de ordem unida, existe o comando “APRESENTAR ARMA”. A esse comando os Desbravadores devem então proceder da seguinte maneira: Ao comando “Apresentar Arma”, o Desbravador deve colocar-se na posição de MARANATA; Para descansar da posição, o Instrutor deve comandar “Descansar Arma”, voltando o Desbravador então, a posição de Sentido. Quando portando Bandeirim, o Desbravador deve então, executar os movimentos correspondentes ao comando “Apresentar Bandeirim”; Para descansar da posição, o Instrutor deve comandar “Descansar Arma” ou “Descansar Bandeirim”, voltando então o Desbravador à posição de Sentido.

,

~

As instruções deverão ter um desenvolvimento gradual, isto é, começar pelas partes mais simples, atingindo progressivamente as mais difíceis. Os treinos deverão ser freqüentes, mas de no máximo 30 minutos, para que não canse e nem desgaste os desbravadores, pois isto pode fazer com que eles criem repulsa pelo exercício e, progressivamente, pelo clube. A Ordem Unida sempre deverá ser dirigida por um instrutor que siga os princípios cristãos defendidos pelos Adventistas do Sétimo Dia, de forma a não ridicularizar e nem menosprezar ninguém, tratando a todos de forma igualitária e respeitando as limitações individuais, mas mesmo assim mantendo uma postura firme de forma a obter o respeito do grupo. Alguns atributos para um bom Instrutor

Conhecer a fundo o assunto a ser ministrado; Ser capaz de organizar e dirigir eficazmente a instrução; Ser capaz de demonstrar, o assunto que vai ensinar; Conhecer os processos de instrução mais adequados e, para isso, considerar sempre a mentalidade e as condições físicas dos Desbravadores; Empregar linguagem que o Desbravador compreenda com facilidade; Ser um exemplo quanto à apresentação pessoal (vestuário, vocabulário, etc.); Ser criativo e demonstrar iniciativa quanto à Ordem Unida; Ter paciência, habilidade e respeito no trato com os Desbravadores, evitando termos E para finalizar, lembrar que: “Comando errado não deve ser executado”.


Criei algumas para abrilhantar nosso Clube Everest

Faço parte de um Clube I

Quando eu vim pra esse clube I

Faço parte de um clube! (repete) Que tem fibra e moral! (repete) Disciplina elevada! (repete) Clube operacional (repete) Somos homens da lanterna! (repete) Bona sapato e cantil! (repete) Nossa força combatente! (repete) Está com Cristo no Brasil! (repete)

Quando eu vim pra esse clube! (repete) Só pensava em mordomia! (repete) Mas aqui não tem moleza! (repete) Porque tem diretoria! (repete)

Faço parte de um Clube II Faço parte de um clube que tem muita vibração!!! (repete) Nos unimos cada dia pra cumprir nossa missão!!! (repete) Faço parte do Everest e tenho muito compromisso!! (repete) Cristo salva do pecado e agente guia no serviço!!! (repete)

Tenho a Bíblia como guia Faço parte de um clube! (repete) De muita garra e vibração! (repete) Tenho a bíblia como guia! (repete) E Jesus como capitão! (repete)

Você pensa que é esperto I Você pensa q é esperto? (repete) A largatixa é muito mais! (repete) ela sobe na parede! (repete) coisa que você ñ faz! (repete)

Você pensa que é esperto II Você pensa que é esperto! (repete) Desbravador é muito mais! (repete) Ele acampa noite e dia! (repete) Coisa que você não faz! (repete)

Treme Terra Treme terra abre o mar! (repete) Nosso Everest vai passar! (repete) Pla-ne-ta-ter-ra treme terra I-re-cê !!! (repete)

Quer aprender ordem unida? I Quer aprender ordem unida? (repete) Nós vamos te ensinar! (repete) É o clube Everest! (repete) Botando pra quebrar! (repete)

Quer aprender ordem unida? II Quer aprender ordem unida? (repete) Aqui nós vamos te ensinar! (repete) Entre no Clube Everest! (repete) Que ele bota pra quebrar! (repete)

Quando eu vim pra esse clube II Quando eu vim pra esse clube! (repete) Só pensava em mordomia! (repete) Mas aqui tem Instrutor! (repete) O melhor da nossa Bahia! (repete)

Que marchinha mixuruca I Que marchinha mixuruca! (repete) Que não dá nem pra cansar! (repete) Eu marchando desse jeito! (repete) Marcho até o Ceará! (repete)

Que marchinha mixuruca II Que marchinha mixuruca! (repete) Essa é pra Aventureiro! (repete) Eu marchando desse jeito! (repete) Marcho até o Juazeiro! (repete)

Clube Everest! Este é o nosso Clube (repete) Everest de Irecê! (repete) Nós temos o nosso LEMA!: (repete) “Jesus quer salvar você”! (repete)

Sai da Frente Sai da frente, sai da frente! (repete) Que o Everest quer passar! (repete) Nosso clube quando passa! (repete) Ninguém pode nos parar! (repete)

Firma a cadência I Firma a cadência levanta a cabeça não olha pro chão! (repete) O Instrutor do nosso Clube É pura motivação (repete)

Firma a cadência II Firma a cadência espalma essa mão; Estufa esse peito e não olha pro chão. (repete)

1,2,3,4 1,2,3,4 tá gastando meu sapato (repete) 4,3,2,1 tô ficando sem nenhum (repete) hap hap ô ô hap hap ô ô (repete)


Gatito (repete cada parte)

Você que está me olhando III

Eu tenho um gatito (repete) eticopelético, (repete) pelimplipético, (repete) pelado,peludo, (repete) pelimpimpudo... (repete) Faço parte do Everest (repete) eticapelética, (repete) pelimplimplética, (repete) pelada,peluda, (repete) pelimpimpuda... (repete)

Ei você que está me olhando (repete) Aqui tem muita vibração (repete) O nosso Clube é o Everest (repete) O melhor da região!! (repete)

Você que está me olhando I Ei você q esta me olhando, (repete) Com esse corpo arrepiado, (repete) Entre no Clube Everest, (repete) Para não ficar parado. (repete)

Você que está me olhando II Ei você que está me olhando... (repete) Eu não olho pra você (repete) Eu sou carne de pescoço (repete) Osso duro de roer... (repete)

Quem é que está passando Quem é que está passando (marchando); (repete) Com moral e vibração; (repete) É o Clube Everest; (repete) O melhor da região. (repete)

Eu não sou escoteiro. . . Eu não sou escoteiro (repete) Nem tão pouco sou naval (repete) Eu sou um Desbravador (repete) E tenho muito mais moral (repete)

Menina Bonita Menina bonitinha (repete) Que é filha de doutor (repete) Não namora Escoteiro (repete) Só namora Desbravador (repete)

31 de março de 2013

Manual Completo e Ilustrado de Ordem Unida  

Este manual atende aos requisitos das Especialidades de: Ordem Unida - Ordem Unida Avançada - Ordem Unida Instrutor.

Read more
Read more
Similar to
Popular now
Just for you