Page 6

uma vez, percebe-se que não existe uma percepção da ocorrência destes actos de violência por parte das pessoas próximas das vítimas de bullying, situação que tem sido alvo de diversas críticas por parte de ditos “peritos”, na medida em que acusam os pais/amigos/conhecidos de se alhearem da vida dos seus entes mais próximos quando, na realidade, apenas se verifica um isolamento por parte das vítimas, como foi previamente referido. A internet tem sido o instrumento mais utilizado para tentar combater este flagelo, como se pode facilmente verificar através de uma pequena pesquisa sobre o tema, onde nos deparamos com intensos debates (sobre as causas, modos, consequências desse acto), um sem número de vídeos a demonstrar tentativas de bullying que não se concretizaram devido à resposta por parte das vítimas, ou até sites que facilitam o acompanhamento das vítimas por parte de pessoal qualificado. Se formos a ter em conta a instrumentalização desse avanço tecnológico para combater essa atitude,

em que esses actos se inserem no tipo de comportamento descrito pela definição de bullying (abusos físicos/psicológicos repetidos, com o intuito de intimidar e/ou perseguir alguém), assim como é o caso da violência que, por vezes, ocorre no local de trabalho, sendo que neste caso é fácil denotar um enfoque na violência psicológica. Tendo isso em conta, dá para denotar uma abrangência do bullying a grande parte da sociedade, mesmo que por vezes não sejamos capazes de assimilar a ocorrência desse acto. É importante realçar que este tipo de comportamento não é característico de sectores em particular da sociedade, podendo nós próprios vir a ser alvo dele, independentemente da nossa situação social, da nossa raça, do nosso credo ou até mesmo das nossas escolhas. Como tal, o presente artigo serve para chamar a atenção de uma realidade que é tão intrínseca à sociedade, que leva a que vítimas (como é o caso de Casey Heynes) venham a ser vistas como heróis, devido ao sentimento de coragem e esperança que conseguem transpor para a vida de outros que sofram dos mesmos abusos.

DÁ PARA ENTENDER QUE NOS DEPARAMOS COM UMA SITUAÇÃO INTEMPORAL QUE AFECTA TODOS OS ESCALÕES DA NOSSA SOCIEDADE E QUE, INFELIZMENTE, MUITO DIFICILMENTE SERÁ INTEIRAMENTE ERRADICADO.

João Sigalho

De ter em conta que este tipo de abusos pode vir a englobar actos de violência doméstica, na medida 6

Newsletter SDDH Abril 2011  

Newsletter SDDH Abril 2011

Newsletter SDDH Abril 2011  

Newsletter SDDH Abril 2011

Advertisement