Issuu on Google+

PORTFOLIO Sérgio da Costa Oliveira


Sérgio da Costa Oliveira

EXPERIÊNCIA NO RAMO 2016

CONHECIMENTO LINGUÍSTICO

TERRASTONE LTD MALAWI: (Septembro 2016 - Dezembro 2016) 3 meses numa obra em construção (obra Publica).

WRITTEN

SPOKEN

READING

ENGLISH

Fluente

Fluente

Fluente

MOD Chatered Architects: ( junho 2013 - julho 2013) 6 semanas num gabinete

PORTUGUESE

Fluente

Fluente

Fluente

Funções: • criar uma proposta para uma casa no lago para apresentar ao clinete

FRENCH

Bascio

Intermédio

Intermédio

Funções: • Marcações de fundações para escavar. • Assitência na gerencia do site, controlar qualidade de trabalho executado

2013

conforme conversas ja relaizadas pelo Arquitecto suprevisor.

EDUCAÇÃO 2016

2013

OUTRAS EXPERIÊNCIAS

Escola de Arquitectura Universidade do Minho Mestrado Integrado de Arquitectura

Representante dos alunos no Conselho da Escola de Arquitectura da Universidade do Minho.

TAMPERE UNIVERSITY OF TECHNOLOGY

Representante no concelho pedagógico da Escola de Arquitectura da universidade do Minho

Programa Erasmus (1 year)

2009

Comissões de eventos, no secundário e na Escola de Arquitectura.

SAINT ANDREWS INTERNATIONAL HIGH SCHOOL

Inventário de stock numa grande loja electrónica ( Games Store)

completado IGCSE e A-Levels ( sistema Ingles de ensino. )

CONHECIMENTO INFORMÁTICO

PUBLICAÇÕES 2016

PERSONAL INFORMATION Age:

25

Gendre:

Male

10

Place of birth: Blantyre, Malawi Mobile:

(00351) 917289129

E-mail:

costa.oliveira.sergio@gmail.com

Interests:

Swimming, reading, traveling, dinning with friends, movies, Current affairs, Orchestral music

0

Activar a Memória da Fábrica Rio Vizela: O processo têxtile como estratégia de intervenção. (Tese Mestrado Universidade do Minho)

2014

Public Space in Blantyre ( Trabalho académico)

2013

A Vision of Africa. (Trabalho Academico)


CARTA DE APRESENTAÇÃO Chamo-me Sérgio da Costa Oliveira, como se verifica no currículo. Nascido e criado em África, mais concretamente no Malawi. Um pais pequeno do tamanho de Portugal com uma beleza infinita. Foi lá no Malawi onde ganhei as minhas primeira ferramentas de ensino, onde aprendi uma das lições mais importantes que ainda hoje carrego comigo, o respeito. Respeito pela diferentes religiões e pelas diferentes culturas, onde tive oportunidade da fazer amigos de diversas nacionalidades e culturas. Após ter completo o ensino primário e secundário inglês vim para Portugal para continuar meus estudos onde completei o mestrado integrado na Escola de Arquitectura da universidade do Minho. Durante este percurso académico tive a oportunidade de fazer o programa de Erasmus durante o período de um ano. Escolhi Fazer esse ano académico na Finlândia na cidade de Tampere. Esta escolha não foi tomada a sorte optei por procurar uma nova cultura um modo de pensar diferente do nosso para enriquecer um pouco mais o meu modo de pensar e trabalhar. Foi neste ano que aprendei cada a dar muito importância a “homem”. Muitas vezes falamos e apresentamos projectos onde falamos nas sensações que as pessoas vão sentir ao percorrer os espaços mas na realidade estamos mesmo tentar camuflar o tempo que perdemos na estética dos edifícios esquecendo realmente do essencial o conforto da quem utiliza o espaço. Como diria o Arquiteto Loureiro “ Arquitecto e feito para pessoas e para ser vivida por pessoas.” Procuro agora uma oportunidade de poder continuar a minha aprendizagem, porque não é um curso que nos da as verdadeiras ferramentas para enfrentar o mundo real. É daqui que nasce a minha determinação e o querer aprender mais. O amor por viajar também serve como ferramenta para continuar a aprender. Tendo também outros hobbies para me manter entretido nos meus tempos livres: nadar para descontrair, passear, jantar fora, ir ao cinemas, ler, ouvir um bom concerto de música. Sou um pessoa de carácter forte cujo a ambição e paixão de viver a vida me conduz no dia a dia.

CASA

OBRA


objectivo era desenhar um pequeno pavilhão para representar a cidade de Kangasala numa expo de Verde e de sustentabilidade. Foi pedido para desenhar um pavilhão pequeno com 25m2 para representar não só a cidade de Kangasala mas o pais e cultura finlandesa. A minha proposta então partiu de um dos marco que achei mais marcante durante o ano que estive na Finlândia, a paisagem. Uma passagem que se transforma conforme as diferentes estações do ano. Assim, surgiu a ideia de recriar uma caminhada pelas florestas finlandesas, onde a escolha do ma-

A WALK THROUGH THE FOREST

Este trabalho foi realizado na Finlândia para um concurso. O

terial para construir o pavilhão vem destas florestas e é o material que tem em abundancia, a madeira. O pavilhão foi desenhado e pensado para representar as diferentes estações mais especificamente o inverno e o pequeno verão. Onde os espaços fechados representam o verão que por mais irónico que possa parecer as folhas criam mais sombras, ao contrario do inverno que apesar de haver pouca luz do dia as paisagens refletem muita luz devido a camada de neve. Estes espaços são representados e identificados pela estrutura que limita o espaço mas permite entrar muita luz e uma relação com a envolvente. Para tornar o pavilhão flexível no seu uso os pavilhão pode mais tarde ser utilizado como um espaço de café onde a pequena praça convida ao convívio e bem estar das pessoas. CASA

OBRA


O objective deste projecto era encontrar um espaço dentro das muralhas da cidade de Guimarães para fazer uma

Uma vez analisado o encontrei um espaço que me pareceu adequado intervir, por varias questões: o espaço era “morto”, pouco ou nada utilizado pelas pessoas que por lá passavam. Este espaço esta ligado a praça da Misericórdia, que impunha uma desproporção deste lugar em relação a outros dentro da muralha do mesmo carácter.

STARTER MOTOR

intervenção.

Assim sendo peguei neste pequeno “apêndice” e transformei num edifício aberto e transparente ao publico. Transparente não no sentido da escolha do material mas na permeabilidade visual que permite. A escala do edifício na foi pensado de forma a ser controlada e ir ao encontro do existente. Pegando nas diferentes escalas que lá existiam e adequando as aos espaço diferentes e as sua funções. Mas para uniformizar e transmitir um só edifício e não um conjunto de pequenos espaços desenhei uma cobertura continua de uma cor vermelha que representa as coberturas de telha das casas do centro histórico. O edifício e construído com uma estrutura prefabricada e simples para contrastar com os materiais intemporais existentes. O programa como o nome sugere “Starter Motor” é um programa que permite apoiar pessoas com ideias inovadoras, pensarem começar a desenvolver e divulgar a sua ideia criado espaço de apoio as diferentes fases onde as ideias em diferentes fases possas ajudar uns aos outros.

CASA

OBRA


pouco utilizado. Mesmo com as mudanças o seu uso não teve grandes afluência. Neste espaço foi então proposto desenhar um novo centro de artes com diversos usos: residência para artistas, salas para workshops, auditório para espetáculos ou conferencias e espaços para exibições. A estratégia principal foi encerar o quarteirão que foi interrompido por este vazio, que quebra a leitura do quarteirão que existiu. Mas ter em conta a escala da evolvente e não introduzir um bloco maciço um vazio. Um espaço verde para o edifício

CENTRO DE ARTES DE GUIMARÃES

A Praça dos laranjais no centro histórico de Guimarães era

respirar e permitir a entrada de mais luz natural. O edifício esta divido em diversos piso com duas entradas principais em duas cotas diferentes. O primeiro piso permite a ligação com o jardim da Biblioteca municipal que permite um ligação com uma das principais praças do centro histórico a praça de São Tiago. Os material escolhido foi o granito para o exterior para interpretar as construções em pedra da sua envolvente. A escala e os piso do edifício foi pensado conforme a sua envolvente para enfrentar escalas iguais para não perder presença mas ao mesmo tempo ter a delicadeza de ele não se impor em excesso e parecer estar fora de lugar. O edifício e muito simples linhas retas um conceito minimalista de forma que o seu conteúdo interior, as exposições ganhem destaque e o pátio interior verde.

CASA


encarregue a tarefa de pegar num desenho existente de uma habitação que foi fornecida pelo cliente que esta a viver atualmente na Suíça mas que já tinha vivido no Malawi. Ele pretendia Construir um casa de Férias o termo mais adequado seria “cottage.” O desenho que tinha fornecido permitia compreender o numero de quartos e os tipos de espaço que o cliente desejava. Fi a partir deste base que desenvolvi o desenho fornecido dando um toque de qualidade espacial. A casa seria construída com materiais locais: pedra, madeira

KHASANKAN LAKE COTTAGE

No Período em que estive a estagiar no gabinete M.O.D foi me

e tijolo e coberturas de palha. O desenho da casa permitiu criar um espaço comum com uma grande área. Todo este espaço encontra-se focado e direcionado para o lago e para a praia. Este espaço é fechado por portadas de madeira que permitem fechar em dias mais frio ou abrir tudo em dias de sol e calor. A ala por onde se distribuem os quartos esta virado para o lago e para a piscina também. Esta orientação permite um boa relação com a paisagem. Toda esta casa esta voltada para a água, tirando melhor partido da natureza envolvente.

CASA


da na década dos anos 90. Demonstrava sinais de precisar de algumas obras exteriores. Fui então que me foi pedido uma proposta para fazer uma lavagem a estética da casa. Esta mudanças foram principalmente na materialidade da fachada, nas cores da fachada e dos murros. Foram escolhidas duas cores para dar nova cara. Uma cor clara para dar realce a área de habitação e uma cor escura para pintar a parte de baixo da habitação de forma a fazer um jogo de ilusão, disfarçando a altura da casa. O jogo das cores da a entender que

REABILITAÇÃO EXTERIOR

Esta Habitação no Concelho de Santa Maria da Feira, construí-

a casa encontra-se pousada em cima de uma estrutura. Foi feita um alteração ao jardim da frente que foi prolongado para acompanhar as escadas de acesso a casa e ao gradeamento da mesma e das varandas. O novo desenho do gradeamento foi de encontro ao existente no murros para tornar tudo mais uniforme. Nestas obras foi aproveitado para reabilitar o piso das varandas e do pátio corrigindo algumas quedas de águas e trabalhando nos pormenores de acabamentos. Aproveitando para isolar a habitação para melhorar o comportamento térmico tanto no verão como no inverno.

CASA

OBRA


JOGO DE CORES NA CASA TOPO

JOGO DE CORES NA CASA

TOPO

LAGE LAGE

ALÇADO DE FRENTE (POENTE) TOPO

ALÇADO DE FRENTE (POENTE) TOPO

ALÇADO LATERAL (SUL) ALÇADO LATERAL (SUL)


DESENHO DA VARANDA

RODAPE DE PEDRA

LAGE

GRADEAMENTO NOVO

RODAPE DE PEDRA

CORRIMAO

PE DA COLUNA ACTUAL

GRADEAMENTO NOVO

PE DA COLUNA ACTUAL

CORRIMAO

DESENHO DA VARANDA CORRIMAO

LAGE

0.03M

O.13M

0.03M

0.03M

0.03M

PE DA COLUNA ACTUAL GRADEAMENTO NOVO RODAPE DE PEDRA

LAGE

MURO

O.13M

DESENHO DA VARANDA


Malawi. Optei por procurar um estagio diferente, optei por procurar uma vertente pratica estar em directo contacto com a construção. Uma forma de observar ver compreender melhor o mundo realista que vai para além dos desenhos mas sim de todo um conjunto de especialidades. Deu para estar presente e acompanhar as diferentes etapas desde escavações para as fundações, a marcações destas mesmas escavações. Levantar a estrutura metálica, a montagem das cofragens de pilares e paredes estruturais. Foi uma experiencia que deu para aprender e ver na reali-

MALAWI BUREAU OF STANDARDS

Durante a Minha ultima estadia de três meses em Blantyre,

dade o que desenhamos em papel muitas das vezes. Esta obra que será uma das obras mais emblemáticas construídas no pais no últimos anos. Permitiu ver o tipo de construção que é efectuada num pais de clima tropical, tendo tido a possibilidade de participar em reuniões da obra com os arquitectos e engenheiros. Aprendendo e vendo como lidam com os problemas que vão surgindo conforme a construção da obra.

CASA

OBRA


ESCAVAÇÕES PARA A FUNDAÇÕES.

PREPARAÇÃO PARA BETONAR: LAGE REZ-CHÃO E PAREDES

CONSTRUÇÃO DE PAREDES E COFRAGEM PARA A LAGE 1 PISO


Space, space: architects always talk about space! But creating a space is not automatically doing architecture. With the same space, you can make a masterpiece or cause a disaster.� Jean Nouvel


Portfólio 2017