Page 1

Distribuição Gratuita | Publicação Trimestral | Nº36

Outubro Novembro Dezembro 2011 www.scmsines.org

RENASCER b o l e t i m

i n f o r m a t i v o

Santa Casa da Misericórdia de Sines

“PRATS SÉNIOR” - FINANCIAMENTO APROVADO

(Página 3)

FESTIVIDADES DE NATAL NA MISERICÓRDIA Como habitualmente, a época

As comemorações iniciaram-se no tuição actuou em todos os lares da

natalícia foi assinalada na Santa

dia 11 de Dezembro com um con-

Misericórdia e no Centro de Dia.

Casa da Misericórdia de Sines com

certo da Banda Filarmónica da

Seguiu-se o Jantar de Natal dos

diversas actividades que envolve-

Sociedade Musical União Recreio e Funcionários e Voluntários, no Sport Sineense, e no dia 15 de Salão Social da Santa Casa, e a Dezembro o Grupo Coral da insti- entrega de Bolo-Rei a todos eles,

ram utentes, familiares, colaboradores, voluntários, órgãos sociais e amigos da Instituição.

(Continua na página 4)

DESTAQUES

A Nossa História…

Lar Prats, antiga casa dos Pescadores Página 15

À Conversa com… Idalina Rosa

Página 10

Projecto Worten/SIC, apoia Misericórdia de Sines Página 17


RENASCER boletim informativo

Caros Amigos/as

suas fragilidades e depen-

Com o início de mais um ano, é da praxe desejarmos, de uma forma que já se torna um pouco banal, um Próspero e Feliz Ano Novo. Muito sinceramente também é

do sempre presente a for-

dências vão aumentando, ça e em vez de se renderem recorrem a tácticas e recursos de adaptação e de sobrevivência encontrando as soluções possíveis.

da

solidariedade

humana. Continuemos a apostar na nossa estratégia de melhorias contínuas para o sucesso, e que os efei-

EDITORIAL

MENSAGEM DE ANO NOVO - 2012

Luís Maria Venturinha de Vilhena Provedor da Misericórdia de Sines

tos da formação, corrente

o que desejo a todos vós,

Pois bem, proponho que

e futura, comecem a ser

generosidade

apesar

turbulência

também sejamos fortes e

visíveis e reconhecidos

apoios.

que nos envolve, exausti-

estrategicamente hábeis

vamente

em

para lutar e acreditar na

pelos nossos utentes e Que as nossas fraquezas familiares. se transformem em força,

noticiários e conversas

concretização dos projec-

correntes, sobre as medi-

tos e objectivos estabele-

das de austeridade a que

cidos para este ano.

da

repetida

todos nós iremos estar

e

nos

Esforcemo-nos com con- impelindo-nos para o vicção para nos tornar- sucesso das nossas mismos melhores, mais for- sões.

Vamos ajudar a levantar tes, humanos e unidos;

Que Deus nos ajude a

quem cai, animar quem

acreditar

sermos melhores e a

Seriamos insensíveis, ou

desanima, vamos ser exi- que todos juntos teremos

levarmos a bom porto a

revelar alguma ignorân-

gentes, ambiciosos e fir-

mais hipóteses de vencer-

nossa missão.

cia, se não nos preocu-

mes. Vamos ter esperan-

mos o futuro que nos

pássemos com toda esta

ça que a construção do

espera.

instabilidade. Mas apren-

novo Lar de Idosos decor-

sujeitos.

damos e inspiremo-nos ra sem sobressaltos de na sabedoria e coragem

maior, pois é enorme a

dos nossos utentes, que

sua necessidade para o

por cada dia que passa se

bem-estar e segurança

vão apercebendo que as

dos nossos utentes, ten-

vamos

ainda

Vamos contar também com o entendimento e

Conto convosco! Votos de um Feliz Ano Novo.

ajuda das entidades e dos

Um

grande

amigos da Misericórdia

para todos.

Bem-haja

sobre as nossas necessidades, com o reforço na

Ficha Técnica

RENASCER boletim informativo

SANTA CASA DA MISERICÓRDIA DE SINES

Director Luís Maria Venturinha de Vilhena

Grafismo | Montagem | Paginação Ricardo Batista, Rita Camacho

Periodicidade Trimestral

Redacção Rita Camacho

Tiragem 300 exemplares

Número 36

Revisão de Texto José Mouro, Rita Camacho

Depósito legal 325965/11

Edição Outubro | Novembro | Dezembro 2011

Fotografia Ricardo Batista, Rita Camacho

Distribuição Gratuita

Propriedade, Edição e Impressão

2


RENASCER boletim informativo

“PRATS SÉNIOR” - FINANCIAMENTO APROVADO Foi recentemente aprovada uma candidatura apresentada pela Santa Casa da Misericórdia de Sines ao Inalentejo, para construção e equipamento de um lar para idosos e pessoas incapacitadas temporária ou permanentemente. Este novo Lar, denominado “Prats Sénior”, irá localizar-se junto às actuais instalações da Misericórdia e terá capacidade para 60 utentes. Com uma área coberta de cerca de 3300 m2, o projecto “Prats Sénior” prevê a construção de um edifício com vários quartos individuais e duplos distribuídos por três pisos, onde não faltarão espaços de lazer e convívio, uma sala de fisioterapia, salas de visitas, farmácia, salas de formação e até mesmo um pequeno espaço museológico para exposição de espólio, com valor histórico, dos utentes.

Localização do futuro Lar

A construção deste novo lar, além de reforçar a rede de equipamentos sociais para a Terceira Idade existente no Litoral Alentejano, tem como objectivo suprimir um dos lares da Misericórdia, que devido às suas características de construção tem de ser substituído. Além disso, o Alentejo sendo uma

das regiões que apresenta maiores índices de envelhecimento em toda a União Europeia, tem uma grande necessidade de equipamentos deste género, que estejam adequados às exigências da legislação actual e que prestem um serviço social digno e humano. O “Prats Sénior” representa um investimento total de cerca de 3 milhões de euros e será financiado em 70% pelo Programa Comunitário Inalentejo do QREN 2007/2013, e em 30% por verbas da própria Instituição, com o apoio da Câmara Municipal de Sines e de empresas da região. A Misericórdia de Sines está a trabalhar neste novo projecto desde 2010, prevendo-se que a construção do Lar se inicie nos próximos meses e possa estar concluída em 2013, com a criação de 30 novos postos de trabalho. 

Projecto do novo edifício 3


RENASCER boletim informativo

FESTIVIDADES DE NATAL NA MISERICÓRDIA como presente de Natal.

órgãos sociais da Misericórdia de A empresa Repsol YPF, manifestan-

O ponto alto das comemorações

Sines. Nesse mesmo dia, o Pai do o seu espírito solidário, ofere-

natalícias foi a Festa de Natal da

Natal veio à Instituição e distribuiu ceu um lanche de Bolo-Rei aos

Instituição, realizada na tarde do

presentes a todos os utentes.

dia 20 de Dezembro. Esta festa

Um grupo de crianças do concelho No dia 6 de Janeiro, Dia de Reis, foi

utentes da Misericórdia.

contou com diferentes momentos também visitou a Misericórdia de dia de cantar as Janeiras. Alguns de música, poesia, dança e teatro, Sines nesta época natalícia, no utentes da Misericórdia cantaram que resultaram de um trabalho fei-

âmbito de uma iniciativa desenvol- em

alguns

estabelecimentos

to diariamente com os utentes da

vida pelo Serviço Educativo do comerciais de Sines e o Grupo

Santa Casa.

Centro de Artes de Sines. As crian-

Coral da Instituição levou mais

No dia 22 de Dezembro os idosos ças presentearam os idosos com uma vez música a todos os lares, anteciparam a Ceia de Natal, jan- um pequeno teatro sobre o Natal e cantando músicas tradicionais.  tando na companhia de alguns funcionários

4

e

membros

entregaram presentes no Lar de

dos Rapazes “A Âncora”.


RENASCER boletim informativo

DIVULGAÇÃO

AJUDE A MISERICÓRDIA DE SINES, SEM GASTAR NADA Ao fazer a sua declaração de IRS, preencha o Quadro 9 do Anexo H (Benefícios Fiscais e Deduções), seleccionando a opção Instituições Particulares de Solidariedade Social ou Pessoas Colectivas de Utilidade Pública e colocando o número de contribuinte (NIF) 501408886. Posteriormente o Estado transfere 0,5% do seu IRS liquidado para a Santa Casa da Misericórdia de Sines. 

Exemplo da tabela a preencher 5


RENASCER boletim informativo

SESSÃO DE ESCLARECIMENTO “IDOSOS EM SEGURANÇA” «Uma vez, bebi uns copos a mais, e depois adormeci na rua. Quando acordei, percebi que me tinham roubado a carteira, mas graças a Deus estava tudo bem comigo. Aprendi bem a lição, e daí em diante nunca mais bebi além da conta. É muito perigoso andar na rua e nunca sabemos quando alguém nos pode roubar ou maltratar.» Agostinho Caiadas (utente do Lar Anexo I) Os idosos ouviram atentamente os conselhos da GNR

No dia 4 de Novembro realizou-se no Salão Social da Misericórdia uma sessão de esclarecimento subordinada ao tema “Idosos em Segurança”. Esta sessão foi dinamizada por dois elementos do destacamento de Setúbal da Guarda Nacional Republicana (GNR) e destinou-se, não só aos idosos da Instituição, mas também a colaboradores e voluntários.

podem atingir os idosos e foram informadas sobre que medidas de segurança seguir. Entre outros aspectos, Luís Pereira, Sargento da GNR, aconselhou os idosos a não confiarem em estranhos, a não andarem na rua com muito dinheiro ou com objectos de valor, a duvidar de funcionários da EDP, dos CTT e da Segurança Social que os abordem em casa ou na Durante sensivelmente rua e a nunca demonstrauma hora, as cerca de 60 rem que estão sozinhos pessoas presentes na ses- em casa. são foram alertadas No decorrer da sessão os sobre as diferentes situa- idosos da Misericórdia ções inseguras que também contaram algu6

mas histórias de insegurança vividas na primeira pessoa, que funcionaram igualmente como alerta. «Numa ocasião, fui abordada na rua por uma desconhecida que tentou convencer-me que era amiga da minha irmã e pediu-me dinheiro emprestado. Felizmente não me deixei ir na conversa e ela foi embora sem me fazer mal. Aprendi que é muito importantes não confiar em estranhos.» Custódia Catarino (utente do Lar Prats)

«A mim enganaram-me por telefone. Eram umas senhoras muito simpáticas que me diziam que tinha ganho um prémio e me pediam para ligar para outros números de telefone. E eu ainda liguei algumas vezes até que achei que era demais. Não cheguei a ganhar prémio nenhum a não ser uma grande conta de telefone para pagar. Daí em diante nunca mais acreditei em prémios anunciados por telefone.» Delmira Ferreira (utente do Centro de Dia)


RENASCER boletim informativo

FEIRA PARA ANGARIAÇÃO DE FUNDOS

Feira muito concorrida

No início do mês de Outubro e no início de Dezembro, a Misericórdia realizou uma iniciativa inédita que levou os idosos a recordar os tempos em que frequentavam feiras tradicionais assiduamente. As Feiras Outlet foram organizadas para escoar o grande volume de artigos doados generosamente pelas empresas e comerciantes de Sines, sobretudo roupas e calça-

do. Além disso, esta foi também uma forma da Instituição angariar fundos para a aquisição de material ortopédico. É de salientar a grande satisfação demonstrada pelos idosos da Misericórdia, que na primeira edição da Feira puderam escolher artigos para uso próprio. 

PALESTRA SOBRE HIPNOTERAPIA NO SALÃO SOCIAL No dia 15 de Outubro realizou-se uma palestra sobre “Hipnose e Regressão”, no Salão Social da Santa Casa da Misericórdia. Alberto Lopes, psicólogo e hipnoterapeuta, responsável pelo programa televisivo “O Sono da Verdade”, foi o orador principal numa sessão que reuniu cerca de 130 pessoas. Além dos esclarecimentos sobre hipnose e vidas passadas, o público presente pode assistir e participar num exercício colectivo de hipnose. Esta sessão foi organizada por Dolores Luz e Maria de Jesus

Gama de artigos muito variada

MENSAGEM DE NATAL E ANO NOVO DO PRESIDENTE DO CONSELHO FISCAL

Cordeiro, duas pessoas residentes em Sines com interesse por esta temática, e contou com a colaboração da Misericórdia de Sines. 

Para os Irmãos, utentes, trabalhadores da nossa Santa Casa da Misericórdia de Sines direi que dar o meu modesto contributo para esta causa que é minha, vossa e de todos nós, é uma alegria e uma satisfação pessoal. É com um profundo sentimento de fé e esperança que me dirijo a vós para desejar que a saúde, a paz, a harmonia e o amor permaneçam nas nossas vidas e nos vossos corações, não somente nesta quadra, mas em todos os dias do ano. Enquanto houver um sorriso, um carinho, um gesto de amor, é Natal. Que Deus abençoe sempre as nossas vidas e que juntos possamos passar muitos Natais! Um Santo e Feliz Natal e um Próspero Ano Novo! Vamos todos com esperança receber o Novo Ano, que ele nos traga novas esperanças e a concretização de novos projectos. Feliz Ano Novo! José Luis Batalha

Uma experiência de hipnose colectiva 7


RENASCER boletim informativo

MISERICÓRDIA DE SINES - UMA INSTITUIÇÃO “DE PESSOAS PARA PESSOAS” A Santa Casa da Miseri-

“Renascer”

córdia de Sines, de forma

com ela sobre esta com-

a garantir todos os servi-

ponente fundamental em

ços

qualquer Instituição ou

que

presta,

tem

actualmente 213 colabo- empresa.

conversou

Recursos Humanos?

forma mais demorada.

Paula Pereira – Não, R – Em que é que consisquando vim para a Santa

te o seu trabalho, especi-

Casa foi para trabalhar

ficamente?

com idosos, como ajudante de Lar, no Lar Anexo I. Cerca de oito meses depois é que comecei a desempenhar funções na parte administrativa e de recursos humanos.

PP – O meu trabalho consiste no processamento de salários, na selecção, recrutamento e integração de trabalhadores, na elaboração de projectos, mapas e relatórios, tendo

R – Os recursos humanos

em conta as medidas pro-

que existiam na altura

tocoladas com o Instituto

em que ingressou na de Emprego e Formação SCMS eram muito dife- Profissional (IEFP) e tamrentes dos que existem bém envio dados para o hoje? PP – Há 26 anos atrás o número de funcionários Dados referentes a Novembro de 2011

radores, dos quais 198

era muito menor, o conceito de Lar também era

Renascer – Desde que diferente e consequentesão mulheres e 15 são começou a trabalhar na mente a forma de trabahomens. Quanto à diviMisericórdia de Sines, lhar era outra. As tarefas são por actividades, 25 sempre desempenhou não eram tão diferenciadestes colaboradores funções na área dos das como hoje. Por exemexercem funções técniplo, uma Ajudante de Lar cas, enquanto os restanefectuava todos os servites desempenham funços relacionados com a ções operacionais. higiene pessoal dos utenPaula Pereira trabalha na

tes, enfermagem, higiene

Misericórdia de Sines há

das instalações, prepara-

26 anos e é actualmente

ção de refeições, entre

a

responsável

outras coisas. A nível

pelos Recursos Humanos

administrativo tudo era

na

feito manualmente e de

pessoa

Instituição. 8

O

Paula Pereira

Instituto

Nacional

de

Estatística. Além disso, elaboro processos e relatórios relacionados com acidentes de trabalho e com higiene e segurança. Para me auxiliar nestas tarefas tenho duas administrativas

a

trabalhar

directamente comigo. R – Como é feito o processo de recrutamento de funcionários na Misericórdia de Sines? PP – Estão permanentemente abertas inscrições para candidatos a futuro emprego na Instituição, e em função disso é criado um arquivo. Sempre que


RENASCER boletim informativo

surge uma vaga, recorre- complicado. Mas depara-

ou seja, inscrever-se pes-

namentos. Ao longo des-

mos a esse arquivo e, de

mo-nos com algumas difi-

soalmente na Instituição

te percurso tenho tenta-

acordo com o perfil pre-

culdades no recrutamen-

ou enviar o Curriculum

do reger-me pela máxima

tendido, é feita uma tria-

to de pessoal para traba-

Vitae por correio ou por e

“não faças aos outros

gem. Quando não existe

lhar directamente com

-mail.

aquilo que não gostarias

nenhum candidato em

idosos, talvez por ser um

bolsa, é colocado um

trabalho

anúncio no IEFP de Sines

por turnos.

ou nos órgãos de comunicação social da zona. São marcadas entrevistas, nas quais o candidato é avaliado e escolhido segundo os vários critérios a considerar para o desempenho das suas funções.

desenvolvido

R – Como é para si gerir recursos

humanos,

que isso implica lidar

R – Uma vez que a Mise-

diariamente

ricórdia recruta trabalha-

grupo heterogéneo de

dores com frequência,

pessoas?

quem estiver interessado em desempenhar funções na Instituição o que deve fazer?

com

um

que te fizessem a ti” e assim vou gerindo os conflitos

que

ocorrem

com sucesso. Considero que o balanço é muito positivo e que na Misericórdia existe um grupo

PP – Grande parte das

de recursos humanos for-

nossas vidas é passada

te e coeso. 

no local de trabalho, onde diariamente estabe-

Não se trata de um pro- PP – Basta utilizar os lecemos elos, partilhacesso muito difícil ou meios à sua disposição, mos experiências e ensi-

PUB:

Informações Úteis SANTA CASA DA MISERICÓRDIA DE SINES

Acção Social (Lares, Centro de Dia, Apoio Domiciliário)

Avenida 25 de Abril, n.º 2 Apartado 333 7520-107 SINES Site: www.scmsines.org E-mail: scmsines@mail.telepac.pt

Tel. 269630460 | Fax. 269630469 E-mail: social.scmsines@mail.telepac.pt Horário de Atendimento: 9h00-13h00 | 14h00-17h00

Secretaria Tel. 269630460 | Fax. 269630469 E-mail: secretaria.scmsines@mail.telepac.pt Horário de Atendimento: 09h00-13h00 | 14h00-16h00

Infantário “Capuchinho Vermelho” Tel. 269630466 | Telm. 967825287 E-mail: infantario.scmsines@mail.telepac.pt Horário de Funcionamento: 07h45-19h45

9


RENASCER boletim informativo

À CONVERSA COM… Idalina Rosa

Idalina Maria Rosa, de 78 anos, vive no Lar Anexo I da Misericórdia de Sines desde 2005. Natural da Costa de Santo André, esta mulher que se afirma de características simples, nasceu no dia 5 de Maio de 1933, quando ninguém aguardava a sua chegada. A sua mãe, tal como a própria contou, não sabia que estava grávida de gémeos, e Idalina foi a última a nascer, no momento em que toda a família já estava muito preocupada, ao pensar que a mãe de Idalina Rosa estava a passar mal, depois de ter dado à luz um rapaz. «Nasci muito pequenina, de olhos fechados e nem sequer chorei. Ninguém me 10

esperava, mas fui muito bem recebida.» Idalina teve ao todo 8 irmãos e as recordações que tem dos primeiros anos de vida misturam lembranças dos pais, dos irmãos, mas sobretudo dos avós maternos. «Os meus pais trabalhavam no campo a guardar gado e a cultivar a terra, por isso, eu passava muito tempo com os meus avós. Brincava sozinha ou então com umas meninas que eram vizinhas da minha avó. Fazíamos casinhas em areia, brincávamos com cacos de panelas e de tijolos, usávamos o que calhava.» Tal como quase todas as pessoas da sua idade, Idalina Rosa praticamente não teve

brinquedos, e os que teve, ficaramlhe na memória. «Tinha uma boneca de trapo – parece que a estou a ver agora mesmo, aqui à minha frente – feita pelas minhas tias. Tinha cabelo castanho, feito com lã de ovelha. Eu adorava aquela boneca! Outro brinquedo que tive, e do qual me lembro bem, foi um carrinho de cana que me fez o meu avô. Lembro-me de andar tão encantada a brincar com esse carro, que uma vez “apanhei”, porque o meu avô me mandou fazer um recado e eu não o queria fazer, para poder ficar a brincar com o carro. Mas naquela época o respeito era muito e depois de levar o


RENASCER boletim informativo

açoite fui logo fazer o mandado. Foi a única vez que o meu avô me bateu.» No inicio da década de 40, tal como era habitual, Idalina começou a trabalhar sem ter tido oportunidade de frequentar a escola. Primeiro começou por fazer pequenos trabalhos no campo e depois, à medida que foi crescendo, começou a guardar porcos e a fazer trabalhos mais pesados, principalmente no cultivo de arroz. Desse tempo ficaram-lhe algumas memórias: «Logo no inicio, quando comecei a trabalhar, lembro-me de cair num buraco e o meu avô ter tido dificuldade em tirar-me de lá. Apanhámos cá um susto! Trabalhei quase quarenta anos no campo. Era um trabalho muito duro, mas tínhamos de fazer pela vida.» Quando tinha cerca de 14 anos, o seu avô adoeceu e Idalina Rosa foi viver permanentemente com os pais. Nessa altura tinha como ofício guardar porcos: «andava ao frio e à chuva, e as sacas de adubo vazias eram a minha protecção.» Apesar de trabalhar sozinha, um pouco afastada de casa, Idalina Rosa não tinha medo. «Passava muita gente por mim durante o dia e os tempos eram outros.» Nas palavras de Idalina Rosa, os seus tempos de adolescente ficaram marcados principalmente por muito trabalho. «Trabalhávamos no campo, fazíamos a lida da casa… tudo era fruto do nosso esforço. Só para ter uma ideia, até varríamos a rua. Hoje em dia quem é que varre a própria rua? Ninguém. Vivíamos numa casinha muito simples, mas lembro

Idalina Rosa faz rendas nos tempos livres

-me de uma senhora uma vez irnos visitar e dizer “Só a limpeza os cria!...”. Éramos uma família com poucas posses, mas em nossa casa estava sempre tudo num brinquinho.», afirma Idalina Rosa orgulhosa. Na mesma altura, um outro episódio ficou-lhe na memória, relacionado com o seu primeiro par de sapatos. «No dia em que estreei os meus primeiros sapatos, fui com o

Idalina Rosa há 46 anos atrás

meu pai e com os meus irmãos apanhar mato, mas como fazia muito frio, eu fui para debaixo de uma árvore abrigar-me, e como não estava habituada a usar sapatos, descalcei-os. Entretanto esqueci-me dos sapatos, o meu pai pegou fogo ao mato e lá se foram os meus sapatinhos novos. Quando me lembrei deles só restava meio sapato, o resto estava tudo queimado.» Os tempos de menina e moça de Idalina Rosa eram tempos em que se trabalhava muito, comia-se o que houvesse para comer e poucos tinham tempo para passear e para se divertir. Nos tempos livres, Idalina recorda-se de passar o serão a fazer renda ou bordados. «Era quando tínhamos tempo, mas o meu pai lembrava-nos logo que não podíamos gastar muito petróleo e aí íamo-nos deitar. Apesar disso, o meu pai não era um homem severo e era muito organizado. 11


RENASCER boletim informativo

Todas as noites, dizia a todos o que tínhamos para fazer no dia seguinte. Ninguém ficava sem nada para fazer.»

família, a oportunidade que teve de aprender a ler e a escrever, já depois dos 40 anos, e algumas das viagens que fez. «Fiz uma viagem uma vez aos Açores e gostei tanto! Foi muito bom andar de avião e conhecer a ilha Terceira. Também já visitei a minha filha em Inglaterra, mas ai não gostei tanto. Aquela terra é esquisita, muito diferente da nossa».

Idalina Rosa viveu em casa dos pais até aos 26 anos, altura que decidiu constituir família e ter a sua própria casa. «Infelizmente fiquei viúva 5 anos depois, quando tinha um filho ainda bebé. Foi uma altura muito difícil e triste da minha vida, mas felizmente tive pessoas que Actualmente os dias são passados me ajudaram a seguir em frente.» na Instituição, sendo Idalina Rosa Mais tarde, Idalina voltou a casar, uma das utentes que mais se teve outros dois filhos e viveu cerca de 30 anos nos arredores de Lisboa, em Paio Pires. «Durante esse tempo trabalhei como doméstica, trabalhei em duas quintas e trabalhei numa fábrica de peças para automóveis, enquanto o meu marido trabalhava na siderurgia nacional.» Os anos foram passando, e há cerca de 6 anos atrás, depois de ter ficado viúva novamente, de ter perdido a mãe e, quando a filha mais nova foi viver para Inglaterra, Idalina Rosa decidiu dar um rumo diferente à sua vida. «Ficar sozinha foi muito complicado para mim, por isso decidi, primeiro regressar à minha terra e depois vir aqui para o Lar da Misericórdia de Sines. A saúde também já me ia faltando e aqui, além da companhia, tenho tudo aquilo de que necessito.» Ao fazer uma retrospectiva de toda a sua vida, Idalina Rosa recua inevitavelmente até alguns episódios de muita tristeza, no entanto, também há um cantinho especial para as boas recordações, entre as quais, estão os momentos passados em 12

Idalina Rosa vive no Anexo 1 desde 1995

envolve nas actividades da Misericórdia. Nos tempos livres, aproveita também para fazer renda, conviver com outros utentes e dar pequenos passeios pela cidade. No futuro, Idalina deseja simplesmente ter saúde e afirma sorridente que gostava também de visitar a ilha da Madeira e de voltar à escola para aprofundar os conhecimentos que tem. «Apesar de não saber ler e escrever correctamente, gosto muito de ler pequenos textos e can-

tigas simples. Também gosto muito de poesia e até tenho algumas coisas pensadas e escritas por mim.» O poema que a seguir se apresenta, é da autoria de Idalina Rosa e além de reflectir este seu gosto particular é também uma homenagem a um homem que teve um papel muito importante na sua vida. 

Eu sou assim como sou Cada um é como é Chamo-me Idalina Rosa E nasci em Santo André Nasci em Santo André Mesmo à beira da Lagoa Para pescar à enguia Mas oh, que coisa tão boa Descalcinha ia para a pesca Ia com o meu avô Ia, ia Mas agora já não vou Coitadinho adoeceu E não houve que lhe valha Foi para Lisboa e morreu Foi para a vala da canalha Nesse tempo era uma maralha Que não havia dinheiro Nem para fazer a mortalha Quando isso aconteceu Ficámos todos impunes Coitadinho lá ficou O meu avô Miguel Nunes Idalina Rosa


RENASCER boletim informativo PUB

13


RENASCER boletim informativo

DOMINGOS CASA BRANCA, UM POETA POPULAR

Passarinho tão bem tu cantas No lindo campo floreado Saudades me deixas tantas © C.M.S.

Desse teu lindo chilreado

Não sei como não tens medo

Domingos Casa Branca é utente da Misericórdia há 7 anos

No lugar em que tu te “prantas”

Domingos Casa Branca, utente do

no papel a poesia que lhe preen-

Lar Anexo I da Misericórdia de

chia o pensamento.

À noite num arvoredo

No dia 3 de Dezembro, Domingos

Passarinho tão bem tu cantas

Sines, nasceu há 74 anos em Cercal do Alentejo. Desde tenra idade, este homem do campo, revelou um gosto particular pela poesia popular, que o levou a editar dois livros autobiográficos. Em 2001, Domingos Casa Branca publicou o livro “Minha Vida Meu Desgosto” e em 2008 editou o seu segundo livro, intitulado “Tempos Passados na Minha Vida”. Em ambos, o poeta popular retrata os momentos

Casa

Branca

participou

no

“Encontro de Poetas Populares” organizado pela Câmara Municipal

Pus-me um dia à espera

de Sines, no Auditório do Centro

De te ver entre um silvado

de Artes. Perante uma plateia

Ouvia-te cantares na Primavera

repleta, Domingos Casa Branca e mais quatro poetas populares, em

Num lindo campo floreado

conjunto com a cantora Maria Alice, deram voz à tradição da poesia popular do Alentejo Litoral. 

bons e menos bons da sua vida, nomeadamente, as dificuldades com que se deparou por ter perdido os pais bastante cedo, e a dura vida de trabalhador rural. Domingos Casa Branca não frequentou a escola e só aos 34 anos aprendeu a ler e a escrever, podendo a partir daí concretizar o sonho de colocar O segundo Livro de Domingos Casa Branca, “Tempos Passados na Minha Vida 14


RENASCER boletim informativo

A NOSSA HISTÓRIA... Lar Prats, antiga Casa dos Pescadores Nota de Redacção: a partir desta edição, iniciamos uma nova rubrica no “Renascer”, intitulada “A nossa História”. O objectivo é dar a conhecer aos leitores alguns factos relacionados com esta Instituição, que tem quase 500 anos de vida.

Edifício onde funciona actualmente do Lar Prats da SCMS (anos 60)

O edifício onde hoje fun-

Sines. Este tipo de estru-

vam um importante ser-

médicos, creches, esco-

ciona o Lar Prats da Santa

turas surgiu em Portugal

viço a nível social. Nestas

las,

Casa da Misericórdia de

a partir de 1926 e desti-

casas existiam maternida-

repouso e refeitórios. Em

Sines, foi em tempos a

nava-se a dar assistência

des, hospitais e serviços

Sines, além da materni-

Casa dos Pescadores de

à gente do mar. Para

asilos,

casas

de

orientar e coordenar a acção dessas Casas, fundou-se, no Ministério das Corporações e Previdência Social, a Junta Central da Casa dos Pescadores. Em 1966 existiam em Portugal 28 Casas dos pescadores, na zona litoSímbolo da extinta Junta Central das Casas dos Pescadores

ral do país, que presta-

Jardim da Casa de Repouso dos Pescadores em Sines 15


RENASCER boletim informativo

dade, do posto médico, casa de repouso do país.

grande sorvedouro

da

veis da rudeza do traba-

das zonas de trabalhos

A Junta Central da Casa

mão-de-obra, esteio e

lho. Não poderiam faltar,

formação dos Pescadores justifica-

principal sustentáculo da

para completar a Obra

manuais

e

doméstica, da escola, da

va assim a existência de

Economia Nacional, dei-

Assistencial das Pescas,

creche e do jardim-de-

um espaço com estas xa, por vezes, nos seus

as Casas de Repouso para

infância, existia a única

características. “A pesca,

pescadores.” 

obreiros marcas indelé-

Varanda com vista para o mar

Jardim da Casa de Repouso

MISERICÓRDIA COLABORA NO APOIO ALIMENTAR A CARENCIADOS No âmbito do seu traba-

Fome

lho

tuitamente produtos ali-

mês nas instalações da

Comunitário de Ajuda Ali-

mentares

essenciais,

Santa Casa e chegam a

social, a Misericórdia de

mentar

Carenciados

nomeadamente massas,

cerca de 50 famílias resi-

Sines é entidade media-

(PCAAC). O objectivo de

cereais e produtos lác-

dentes no concelho de

dora em dois programas

ambos os programas é

teos.

Sines. A Misericórdia é

de ajuda alimentar: o

ajudar os mais carencia-

Banco Alimentar Contra a

dos, fornecendo-lhes gra-

de

solidariedade

e

o a

Programa

O Banco Alimentar Contra a Fome resulta de uma recolha, e posterior distribuição,

de

várias

toneladas de produtos alimentares a nível nacio-

responsável pela recolha e transporte dos bens alimentares (de Setúbal até Sines), pela separação dos mesmos e pela sua distribuição às famílias.

nal, ao longo do ano, e O PCACC baseia-se na

Produtos armazenados para distribuição 16

funciona como uma res-

distribuição de exceden-

posta necessária a situa-

tes alimentares produzi-

ções de carência alimen-

dos na União Europeia, e

tar. No contexto deste

acontece 4 vezes por ano,

programa, as entregas

igualmente nas instala-

acontecem uma vez por

ções da Santa Casa. No


RENASCER boletim informativo

caso deste programa 221 grande diferença é que

ambos os programas de

mento de um formulário

pessoas foram apoiadas

no PCAAC, além de ser

ajuda

e a

em 2011, sendo o papel

entidade mediadora, a

seleccionadas pela Segu-

Bilhete de Identidade,

da

muito

Misericórdia é também

rança Social e podem

número de identificação

semelhante ao que tem

entidade beneficiária, já

fazer a sua inscrição no da Segurança Social e do

na distribuição de bens

que recebe alguns produ-

Serviço de Acção Social comprovativo dos rendi-

alimentares do Banco Ali-

tos para os seus utentes.

da Misericórdia de Sines,

mentos e das despesas

mediante

do agregado familiar. 

Misericórdia

mentar Contra a Fome. A

As famílias a apoiar por

alimentar

o

são

preenchi-

apresentação

do

PROJECTO WORTEN/SIC APOIA MISERICÓRDIA DE SINES No dia 5 de Dezembro,

e electrónicos por equi-

uma equipa da Worten e

pamentos novos, e distri-

da SIC deslocou-se às ins-

buí-los por Instituições de

talações da Santa Casa da

Solidariedade Social.

Misericórdia

de

Sines

para oferecer à Instituição alguns electrodomésticos angariados ao abrigo do projecto “Equipa Worten Equipa”. Este projecto, de cariz social e ambiental, foi lançado em 2009 e tem como objectivo trocar velhos equipamentos eléctricos

A apresentadora da SIC Ana Marques foi a figura pública que, sendo uma das caras deste projecto, se deslocou à Misericórdia e gravou as imagens para serem

posteriormente emitidas

neste

canal de televisão. Além da entrega dos equipamentos, as imagens gra-

Gravação do programa no pátio da Misericórdia

vadas ilustraram também

tituições

o vasto trabalho que a

crianças,

Misericórdia

Sines

apoio domiciliário e lares

desenvolve em prol da

de terceira idade. Desta

população do concelho.

forma, além de contribuí-

de

Por cada tonelada de velhos

equipamentos

entregues em Novembro e Dezembro, a Worten ofereceu 100 euros em equipamentos novos a

de

apoio

centros

de

rem para um ambiente mais limpo, a Worten e a SIC contribuiram também para minorar as muitas carências das Instituições de Solidariedade Social. 

centros de acolhimento de sem-abrigo, centros de acolhimento de crianElectrodomésticos oferecidos à Misericórdia

a

ças e jovens em risco, ins17


RENASCER boletim informativo

COMEMORAÇÃO DO SÃO MARTINHO

Utentes marcaram presença na feira Idosos e crianças do infantário em alegre convívio

No dia 11 de Novembro a Santa Casa da Misericórdia de Sines assinalou o dia de São Martinho com a realização de um baile popular, com o acordeonista Cláudio Rosário. O baile decorreu durante a tarde no Salão Social da Instituição e contou com a presença dos idosos dos lares e Centro de Dia da Misericórdia de Sines e com as crianças do Infantário “Capuchinho Vermelho”, outra das respostas sociais da Instituição. Durante o baile, onde não

faltou animação, muita música e dança, foi servido um lanche especial do qual fizeram parte algumas iguarias típicas desta época do ano, nomeadamente, castanhas, batatadoce e água-pé. Um grupo de utentes do Centro Social e Paroquial de Santa Maria, em Vila Nova de Santo André, também participou no Baile de São Martinho da Misericórdia de Sines. Este intercâmbio vem na sequência de outros que ocorrem ao longo do ano,

com outras Instituições congéneres do Litoral Alentejano, de modo a promover o convívio e a

Lanche tradicional com castanhas e batata-doce

Espaço Informativo da Santa Casa da Misericórdia de Sines na Rádio Sines QUINTAS-FEIRAS ÀS 10:40 | SEXTAS-FEIRAS ÀS 16:35 18

partilha de experiências entre utentes e funcionários das instituições de Solidariedade Social. 


RENASCER boletim informativo

BREVES

ACÇÕES DE FORMAÇÃO EM 2011 ção Profissional, estas acções de

Santa Casa, que considera prioritá-

formação abordaram os temas:

rio dotar os recursos humanos da

higiene e segurança no trabalho, Instituição de conhecimentos sólirelacionamento interpessoal, aten-

dos, actualizados e adequados às

dimento, higiene e segurança ali-

suas funções e a um melhor

mentar, sistema HACCP, apoio à

desempenho na prestação de ser-

gestão, tratamento de roupas e

viços de qualidade aos utentes.

higienização de espaços e equipa-

Algumas das acções de formação

mentos.

referidas só terminam em 2012. É

No total, 91 formandos participa-

de salientar que a Instituição já

Durante 2011 realizaram-se várias ram nas acções de formação, que acções de formação na Misericór- decorreram em horário laboral nas

tem aprovado um novo plano de

dia de Sines, destinadas aos cola- instalações da Misericórdia. boradores da Instituição. Organiza- A realização destas acções vem de das em parceria com a União das encontro a uma das preocupações

incidir nas áreas de apoio à infân-

Misericórdias Portuguesas, ou com da actual Mesa Administrativa da o Instituto de Emprego e Forma-

Apoio Domiciliário. 

formação para este ano, que irá cia e juventude, lares de Terceira Idade, Centro de Dia e Serviço de

ENCONTRO DE IDOSOS sos. Além do convívio, o dia fica

Dia de Alvalade e uma recriação

habitualmente marcado pela músi- das vindimas. ca, dança e pela apresentação de pequenas encenações. Este ano o tema do Encontro foi “da árvore da vida, nós somos as raízes” e participaram na iniciativa cerca de 1100 Marcha do Centro de Dia de Alvalade

No dia 12 de Outubro realizou-se em Grândola, no Parque de Feiras e Exposições, a 19ª edição do Encontro de Idosos de Instituições da zona sul do distrito de Setúbal.

idosos.

Além de fazer parte da organização, a Misericórdia de Sines levou um grupo de 28 idosos para participarem no Encontro, que no final, e apesar do calor que se fez sentir, se mostraram muito agradados

A organização deste evento esteve com todas as actividades.  a cargo de uma Comissão Executiva eleita entre os técnicos de 25 Instituições do distrito de Setúbal, entre elas a Misericórdia de Sines.

Este encontro decorre anualmente

O programa incluiu a actuação da

em diferentes localidades e pro-

Tuna da Universidade Sénior de

porciona um dia diferente aos ido-

Grândola, da Marcha do Centro de Almoço convívio 19


RENASCER boletim informativo PUB

CEMETRA Centro de Medicina do Trabalho da Área de Sines Rua Júlio Gomes da Silva, n.º 15  7520-219 SINES Tel.: 269633014  Fax: 269633015 E-mail: cemetra@netvisao.pt Site: www.cemetra.pt

MATERIAL MÉDICO-HOSPITALAR, LDA. Rossio da Estação, nº 11 7940-196 Cuba Telf.: 284 41 41 39 Fax: 284 41 41 67 Contribuinte nº 503 841 455 E-mail: geral@alquimed.pt

AGRADECIMENTOS O “Renascer” agradece a todos os patrocinadores e amigos que contribuíram para que este meio de comunicação da nossa Instituição se tornasse uma realidade. Uma vez que é nosso objectivo melhorar gradualmente a forma e os conteúdos deste boletim informativo, assim como aumentar a sua tiragem e, consequentemente, divulgá-lo junto de um público cada vez mais vasto, revela-se de grande importância o apoio destes e de outros patrocinadores. Obrigada por nos ajudarem a sermos melhores! 20

RENASCER 36  
RENASCER 36  

Boletim Informativo Nº36. Edição de Outubro, Novembro e Dezembro de 2011.