Page 1


í n d i c e

4

Reconhecimento de uma década de trabalho

8 12 Os nossos frutos

Desafiados SCMC

26 Além do evento final

Est a

é

u m a

6

Conselho editorial: Paula Cardoso e Marina Melz.

Jornalista responsável:

Feito em Santa Catarina, com orgulho

Marina Melz (MTb 0004191-SC)

10

Melz Assessoria de Imprensa.

Diagramação:

Ano 10: como funcionou a nossa metodologia

HW Propaganda.

24

Impressão: Elbert.

Tiragem:

Educação e mercado: sinergia necessária

3.000 exemplares.

28

Contato: scmc@scmc.com.br.

Mais informações:

Timeline SCMC

publicaç ãodo

Sa n ta

www.scmc.com.br.

Ca ta rin a

M o d a

e

Cu ltu ra

(SC MC) .


Foto: Divulgação

SC M C

CARTA AO LEITOR Caros leitores,

Transformar é sempre um processo longo. Principalmente porque não

é uma ruptura, um rompante. E quando falamos em transformação no olhar de um público para o seu próprio potencial, o processo pode ser ainda mais lento. E é por isso que temos tantos motivos para comemorar estes 10 anos de Santa Catarina Moda e Cultura (SCMC).

Temos que comemorar porque conseguimos fazer com que empresas

que juntas faturam R$ 4 bilhões (cerca de 40% do volume produzido pelo estado em moda e confecção) e empregam 25 mil pessoas mudassem o seu olhar. Acreditassem no seu potencial criativo e buscassem uma inovação que não está no papel, mas já se tornou realidade. Mas, embora trabalhe diretamente com as empresas associadas, o

SCMC vai além dos muros das corporações. As reflexões geradas pelo movimento nas mentes dos profissionais e estudantes não implicam em mudanças apenas naquelas pessoas, mas num ambiente onde inovação, criatividade e

CARTA AO LEITOR

autoria são três palavras recorrentes no vocabulário e ações repetidas na rotina de quem está inserido na cadeia de moda e design do nosso estado.

Não atuamos apenas na formação de profissionais melhores para

as associadas. Também para que os estudantes tenham um olhar novo: mais consciente do seu potencial criativo e certo de que Santa Catarina optou por ser um lugar diferente.

Você tem em mãos a revista do evento que finaliza o ano 10 do SCMC.

Por aqui, um pouco da nossa história e da programação que encerra este ano tão especial. Aproveite, leia, participe das atividades.

Porque numa perspectiva histórica, 10 anos é muito pouco. Para nós, a

última década foi uma prova de que transformar é um processo e que é preciso iniciativa. Nós começamos, e você? Rui Hess de Souza Conselheiro do Santa Catarina Moda e Cultura (SCMC)

Rui Hess de Souza Conselheiro do Santa Catarina Moda e Cultura

3


4

RECONHECIMENTO DE UMA DÉCADA DE TRABALHO Nestes primeiros 10 anos, o trabalho do SCMC começou

“Quando começamos o SCMC, todas as matérias

de jornais afirmavam que a China ia tomar conta do mercado brasileiro, que a nossa indústria ia acabar”, comenta um dos criadores do SCMC, Cristiano Buerger. Mas isso não aconteceu. “Vivemos um momento muito especial, de valorização e compromisso com o DNA Catarina”, afirma.

a gerar frutos, chamou a atenção da mídia nacional e

Esta mudança de perspectiva da indústria catarinense para

despertou um olhar mais cuidadoso para o nosso lugar:

a sua própria história se tornou muito clara também para o

Santa Catarina Foto: Divulgação

mercado.

Glauco José Côrte, presidente da Sistema Fede-

ração das Indústrias do Estado de Santa Catarina (Fiesc), comenta que a diferenciação trazida pelo SCMC traz uma vantagem competitiva muito importante para o estado. “A grande contribuição do movimento é mostrar às empresas

ART IG O

que elas não precisam concorrer em preço. Podem ser mais ágeis, ter mais qualidade e, principalmente, mais design. Todos saem ganhando com isso”, acrescenta.

A mídia nacional também valoriza a nossa história.

Folha de S.Paulo, Valor Econômico, DCI, revistas setoriais e os mais abrangentes veículos do nosso estado já usaram o SCMC como referência em inovação.

SC MC

“Quando começamos o SCMC, todas as matérias de jornais afirmavam que a China ia tomar conta do mercado brasileiro, que a nossa indústria ia acabar” Cristiano Buerger


Ambientes onde Tecnologia, Design, Moda, Meio-ambiente, Arte e Ciência se conectam para oferecer experiências construtivas, criativas e inesquecíveis! Saiba mais. Acesse:

www.sapiensparque.com.br


Feito em Santa Catarina, com orgulho

Foto: Divulgação

6

Claudio Grando Presidente do Santa Catarina Moda e Cultura (SCMC)

Nos últimos 10 anos, Santa Catarina manteve a

média de 17,2% do PIB nacional da indústria têxtil, de acordo com a Associação Brasileira da Indústria Têxtil (Abit). Segundo a mesma entidade, em 2005, o faturamento gerado foi de US$ 4,8 bilhões. Já em 2014, foram US$ 9 bilhões. Embora os números não sejam progressivos – houve, nesses 10

ART IG O

anos, altos e baixos considerando o contexto econômico nacional e global – eles muito nos orgulham.

Especialmente porque, há uma década, Santa

Catarina era apenas um estado com um grande volume de

SC MC

Claudio Grando

produção, começando a perder espaço para os asiáticos que

Presidente do Santa

traziam ao Brasil peças a um preço absolutamente com-

(SCMC)

Catarina Moda e Cultura

petitivo. Os nossos diferenciais em qualidade não seriam

mento técnico e as tecnologias disponíveis para manter os

suficientes para competir com o custo de se produzir no

níveis de produtividade mais altos do país e, ao mesmo tem-

Brasil. Embora essa competitividade ainda seja grande, hoje

po, sua criatividade para fortalecer as marcas. Passamos,

colhemos bons resultados. Não foi o cenário que mudou.

em um curto período de 10 anos, de um estado que reprodu-

Fomos nós.

zia para um estado que cria. Hoje o que é daqui é sinônimo

da moda nacional.

As indústrias catarinenses foram, aos poucos e

sem comprometer sua saúde financeira, abrindo mão de

Com o olhar aguçado das nossas pessoas, em-

reproduzir tendências para aumentar os espaços das suas

presas e instituições conseguimos antecipar as mudanças

próprias coleções. Pensando, cada vez mais, em inovação

no comportamento do consumidor que se preocupa com a

nas matérias-primas, acessórios e design. Deixamos de

origem das peças que veste, que sabe que comprar o que é

fabricar criações dos outros para dar preferência às nossas

daqui fortalece a nossa economia. Hoje estamos preparados

próprias obras. Santa Catarina soube usar o seu conheci-

para atender a essa demanda e para crescer ainda mais.


VOCÊ QUER MAIS PARA O SEU NEGÓCIO? O SEBRAE QUER MAIS É ESTAR AO SEU LADO.

É da porta para dentro que a gestão, inovação e produtividade fazem a diferença. É aí que entra a mão do Sebrae para ajudar a fazer o seu negócio ser cada vez melhor.

SUA VIDA É SE SUPERAR A CADA DIA? ESTAMOS JUNTOS.

/sebraesc

@Sebrae_SC


8

Os nossos frutos Conheça a história de três estudantes que passaram pelo SCMC e agora trilham caminhos próprios, sem deixar de lado a importância da inovação que tanto estudaram durante o movimento

O trabalho de base, com os estudantes de moda e design, está presente no SCMC desde o primeiro momento. De

ações focadas em alunos selecionados através do portfólio até atividades abrangentes como palestras e mesas redondas gratuitas, levar informação e estar lado a lado com as instituições de ensino é uma premissa do movimento.

Conversamos com três alunas que passaram pela experiência de integrar o SCMC para entender de que maneira o

Lu iza Ferreira

Foto: Divulgação

CONVERSA

movimento fez diferença nas suas carreiras, escolhas e visão de mundo.

Participação no SCMC Em 2011, enquanto aluna da Furb

Sobre a experiência “O SCMC teve um papel muito importante para a minha vida pessoal e profissional. Foi ele que me fez enxergar mais longe e entender que moda e design é uma fusão entre arte e experimentação, e que precisam sempre caminhar juntas. É essa fusão que agrega valor, e que sensibiliza cada ideia e criação”.

O que faz hoje “Hoje tenho minha própria marca de acessórios em couro que faço peças exclusivas para cada cliente. Além disso, também estou numa parceria com a designer Michele Graf. Desenvolvemos juntas uma linha de acessórios com bastante identidade em couro e madeira. A linha se chama Gaia e tem um conceito maravilhoso. Posso dizer que o SCMC reflete em todos esses projetos na minha vida que envolvem a criação, pois foi ele que me ensinou a crer em meu potencial e estar aberta a novas

SC MC

mudanças, o desconhecido e o inesperado”.


Sobre a experiência “Foi muito importante para minha vida profissional. Consegui desenvolver minhas características e aprender dentro da indústria. Para minha vida pessoal foi muito bacana, porque tive contatos com pessoas que além de serem maravilhosas ainda tinham muito talento. Esses contatos fizeram com que eu crescesse e criasse minha própria empresa”.

O que faz hoje “Estou com minha marca Cycleland há três anos no mercado. O reflexo do SCMC foi o contato não

N aly Cabr al

Em 2011, enquanto aluna da Udesc

SC M C

Participação no SCMC

apenas com a criatividade e com o design, mas também conheci as melhores empresas de Santa Catarina e hoje sou cliente e amiga delas. Eu realmente fico feliz e agradecida em fazer parte dessa

Sobre a experiência “A experiência foi incrível! Ou melhor: indescritível. O SCMC para mim foi mais do que um trabalho, foi um projeto que abriu minha mente e me fez enxergar o mercado de trabalho com outros olhos. Me fez perceber que duas mentes pensam melhor do que uma, e que compartilhar conhecimento é uma das ferramentas mais importantes para o sucesso pessoal e profissional”.

O que faz hoje “Eu me formei junto com o término do ano 9 do SCMC e engatei uma segunda faculdade. Hoje curso administração. Eu lancei há cinco meses um portal de cultura, arte e estilo de vida, onde eu levo todos os ensinamentos que o SCMC me proporcionou. Entre eles estão: buscar o empreendedorismo social, dar valor a nossa cultura, trazer a inovação, ir em busca de movimentos culturais precio-

Foto: Divulgação

Em 2014, enquanto estudante da Unisul

Helóra Almeida

Participação no SCMC

CONVERSA

Foto: Divulgação

história”.

sos mas que não tem tanto destaque, entre outros. Dentro do portal nós trabalhamos com alguns colunistas de segmentos diferentes do mercado, proporcionando para o leitor um panorama maior de um assunto em particular, outra coisa que o SCMC me ensinou”.

9


Ano 10: como funcionou a nossa metodologia

Foto: Mia Fagundes

10

Por Paula Cardoso - Gestora executiva do SCMC Quem acompanha o SCMC desde a sua criação,

em 2005, percebeu que muita coisa mudou em 2015, ano

em que se comemora o ano 10. Mas, para entender estas

“times criativos” (formados por alunos pré-selecionados e

mudanças é preciso conhecer as etapas pelas quais o

profissionais dos times de desenvolvimento das empresas)

movimento passou na elaboração de metodologias que

criavam juntos. Coleções, peças, conceitos. Tudo feito sem-

gerassem uma convivência criativa e produtiva entre as

pre com acompanhamento dos nossos consultores e dos

instituições de ensino e as empresas.

professores das instituições de ensino.

METODOLOG I A

O SCMC sempre acreditou que para mudar o olhar

De 2006 até 2014, todos os anos os chamados

Esse modelo deu muito certo! Evoluiu em alguns

de uma cadeia era preciso trabalhar com os profissionais

aspectos e a cada ano trouxe novidades. Algumas empre-

do futuro. Por isso, desde o primeiro ano, envolve estudan-

sas levaram as criações do SCMC para as suas coleções

tes nas suas palestras, realiza eventos em universidades e

comerciais e tiveram um excelente resultado de vendas,

interage de maneira constante com a academia.

outras optaram por deixar as suas equipes livres para serem

Por Paula Cardoso Gestora executiva do SCMC

conceituais e perceberam uma evolução também na hora de pensar em seus produtos focados no mercado. Houve também momentos em que os estudantes invadiram as empresas com suas ideias ainda sem a rigidez que o mercado traz e conseguiram implantar processos que mudaram a realidade daqueles negócios.

A bagagem de toda essa experiência serviu para

que tivéssemos ainda mais certeza de que, juntos, profissio-

Foto: Divulgação

SC MC

nais e estudantes seriam capazes de coisas incríveis. E se capacitássemos estes dois públicos intensamente e, no fim do processo, como numa catarse as duas esferas se conectassem? Nasceu o SCMC Conecta.


SC M C

dade de assumir riscos), inovação (pensar fora da caixa) e multidisciplinaridade (valorização do trabalho em equipe). Este processo com os estudantes foi construído com a colaboração do professor Luiz Salomão Ribas Gomes.

Durante todos os encontros, os selecionados traziam

mais energia e disposição para aprender. Os professores se motivavam ao renovarem os seus conceitos e, especialmente, ao verem o brilho no olhar dos alunos captando toda informa-

Para os profissionais, foco na criatividade

Trazer algo novo e motivador para profissionais

ção e inspiração que os facilitadores proporcionaram.

Junto com este processo, para que os alunos

também tivessem uma experiência de visita a indústrias e

tão antenados quanto os das empresas que fazem parte

empresas do meio, realizamos edições do SCMC Cotidiano,

do SCMC era realmente desafiador. Foi com a Perestroika,

onde companhias associadas receberam turmas de alunos.

escola de criatividade com polos espalhados pelo Brasil, que

Os professores trouxeram abrangências diferen-

União e catarse: Design Camp

Com os profissionais ainda mais capacitados e os

tes para temáticas que foram desde a neurociência (que

alunos inspirados pelos exemplos e realizações que viven-

explicou como funcionam os nossos inputs criativos) até a

ciaram, chegamos ao momento da catarse: o Design Camp.

robótica (que antecipou algumas tendências que chegarão

Uma proposta inovadora, que mistura competição, imersão

ao mercado). A última aula, que falou sobre experiência,

e criatividade em cinco dias que vão proporcionar uma expe-

proporcionou aos profissionais uma verdadeira imersão que

riência única aos participantes.

comprovou tudo o que as teorias mostraram.

dia de convivência entre alunos e profissionais de moda e de-

Os feedbacks foram emocionados (literalmente em

Chegamos até o fim do ano 10 certos de que cada

alguns momentos) e muito positivos. As empresas associa-

sign nesta última década trouxe para Santa Catarina um novo

das ganharam novos protagonistas nos seus processos de

fôlego na busca por mais identidade e inovação na nossa ca-

criatividade e inovação.

deia. Entregamos, até aqui, oportunidades que foram recebidas

Para os estudantes, seis pontos-chave

Já os estudantes passaram por seis etapas de

METODOLOG I A

vencemos esta expectativa.

de maneira diferente e única por cada associado, estudante ou professor. Mas chegaram a milhares de pessoas.

Só podemos agradecer aos que contribuíram com

workshops, que abordaram os temas paixão (o objetivo de

esse processo e desejar que o SCMC seja sempre um work

ter foco no seu propósito), ideias (comemorar oportunida-

in progress. Não deixe nunca de inovar, para continuar inspi-

des), autonomia (proatividade contínua), coragem (capaci-

rando inovação.

11


O novo formato do Santa Catarina Moda e Cultura (SCMC) coloca os estudantes de moda e design mais engajados do estado para criar. Mão na massa, ideias por todos os lados e muita inovação é o que esperam as 18 empresas participantes do projeto e que destinaram a esses alunos a missão de encontrar soluções para alguns dilemas dos seus negócios.

Conheça cada uma das empresas participantes e o que querem extrair do SCMC para o seu futuro!


SC M C

Altenburg

Audaces

Uma das mais tradicionais empresas brasileiras de

Especializada em tecnologia para a moda, a Au-

produtos para cama e banho não poderia estar de fora do

daces é uma das pioneiras e líderes brasileiras neste tipo de

SCMC! A companhia traz para os alunos uma problemática

solução. Para o SCMC, a empresa quer extrair dos alunos

alinhada a uma de suas principais características: a preocu-

ideias realmente inovadoras. Quer ver só?

pação com o meio ambiente. No processo produtivo são ge-

rados resíduos de diversas cores, que hoje são parcialmente

de moda. Ele geralmente é feito em 2D e depois se torna

aproveitados.

um protótipo. Mas como seria se pudéssemos criar produ-

tos já em três dimensões? A Audaces propõe aos alunos a

Mas a Altenburg quer mais. Quer aproveitar os itens

O primeiro desafio é repensar o desenho das peças

apresentação de interfaces, esquemas ou passo-a-passo de

possui hoje. E o desafio que traz para os alunos no Design

como seria este novo processo.

Camp é este: um processo viável para aproveitamento deste

material que possa ser aplicado imediatamente na compa-

tempo. A Audaces quer que os estudantes imaginem como

nhia.

será o processo de manufatura das empresas têxteis daqui

DESAFI ADOS

que sobram da sua produção com a estrutura industrial que

Já o segundo desafio é quase uma máquina do

a alguns anos e façam, numa imagem ou filme, por exemplo, uma simulação de como essas indústrias se posicionarão para despertar novas necessidades de vestuário nos seus consumidores.

Fundação: 1922

Fundação: 1992

Cidade: Blumenau (SC)

Cidade: Florianópolis (SC)

Produtos: itens para cama e banho

Produtos: tecnologia para a indústria da moda

Mais informações: www.altenburg.com.br

Mais informações: www.audaces.com.br

13


DESAFI ADOS

14

Círculo

Coratex

Especializada em linhas e fios para artes manuais

A Coratex é uma empresa que desenvolve corantes

como crochê, tricô, bordado e macramê, a Círculo oferece

e auxiliares têxteis com muita tecnologia e responsabilidade

produtos para que as artesãs criem itens com cada vez mais

ambiental. O desafio da empresa para os estudantes do

valor agregado e exclusividade. Este mercado enfrenta um

SCMC é pensar em toda a sistemática que envolve desde o

desafio constante que é o diminuição do interesse das novas

processo de criação do produto até a apresentação dos seus

gerações com esse tipo de trabalho.

benefícios na ponta da cadeia.

Por isso, a companhia traz para os estudantes do

O objetivo do desafio é que, com as ideias dos

SCMC o desafio de apresentar projetos de como incentivar

estudantes, a companhia consiga mostrar a abrangência e

os jovens na produção de itens de crochê. Entre as pergun-

complexidade dos processos que envolvem o seu negócio

tas trazidas pela empresa estão: como criar atrativos para

de uma maneira simples e objetiva.

que as peças de crochê sejam tão marcantes hoje quanto

SC MC

foram num passado recente?

Fundação: 1938

Fundação: 1995

Cidade: Gaspar (SC)

Cidade: Gaspar (SC)

Produtos: fios e linhas para handmade

Produtos: corantes e auxiliares têxteis

Mais informações: www.circulo.com.br

Mais informações: www.coratex.com.br


SC M C

Dudalina

Elaiá

A Dudalina é um dos símbolos da indústria catari-

Com brasilidade à flor da pele, o Elaiá é um estúdio

nense e as peças das suas marcas são conhecidas pelo pú-

de estampas que utiliza diversas técnicas para oferecer

blico de todo o país. Mas a companhia está ligada em novas

desenhos exclusivos e encantadores para marcas de todo

plataformas e desafia os alunos do SCMC a pensar em uma

o mundo. Mas, na hora de apresentar um trabalho tão pri-

nova marca, sem link com o nome Dudalina.

moroso, acaba utilizando a mesma formatação que outros

negócios da área: um mostruário com bandeiras de tecidos

A proposta é que os estudantes pensem em nome

e identidade visual, público e produtos como camisas,

estampados.

camisetas, underwear e acessórios. Eles devem apresentar

todo esse material – com uma nova frente de negócio para a

processos do Elaiá, o estúdio propõe aos alunos do SCMC

empresa – de maneira gráfica.

a criação de uma nova maneira de apresentar as estampas

criadas.

DESAFI ADOS

Mas não para por aí: o segundo desafio é que os

Como inovar é um verbo que faz parte de todos os

estudantes criem (em croqui) um símbolo para a marca Base. Temos certeza que resultados surpreendentes surgirão!

Fundação: 1953 Cidade: Blumenau (SC)

Fundação: 2014

Produtos: itens de vestuário com as marcas Dudalina, Duda-

Cidade: Blumenau (SC)

lina Feminina, Individual e Base

Produtos: estampas para a indústria da moda

Mais informações: www.dudalina.com.br

Mais informações: www.elaia.com.br

15


SC M C

Fakini

Hering

Há 20 anos produzindo moda com muito carinho

A Hering é um dos símbolos da prosperidade das

para crianças, a Fakini trabalha com as linhas Fakini Kids,

indústrias catarinenses e uma das fundadoras do SCMC.

Licenciados e Fakini Teens. Porém, a linha voltada para o

Mas entende que, muita vezes, inovar é repensar. Por isso,

público juvenil se comunica de maneira muito semelhante às

o desafio que a companhia propõe aos alunos é repensar a

demais.

moda básica.

O desafio que a companhia traz para os estudan-

Para o jovem de hoje em dia, o que compõe um

guarda-roupas básico? Quais as melhores modelagens,

identidade visual) desta linha e alguns protótipos de produtos

cores e materiais para estas peças? Quanto o consumidor

que atendam a este público.

pagaria por estes produtos e como eles deveriam estar expostos no ponto de vendas? Tudo isso deve ser respondido

DESAFI ADOS

tes do SCMC é desenvolver uma marca (nome, conceito e

de maneira surpreendente pelos nossos estudantes.

Fundação: 1994

Fundação: 1880

Cidade: Pomerode (SC)

Cidade: Blumenau (SC)

Produtos: itens de vestuário para os públicos

Produtos: itens de vestuário com as marcas Hering, Dzarm,

infantil e juvenil

Hering Kids, Hering for You e PUC

Mais informações: www.fakini.com.br

Mais informações: www.ciahering.com.br

17


DESAFI ADOS

18

HI Etiquetas

Karsten

Uma das maiores empresas de etiquetas teci-

Se engana quem pensa que a tradição da cente-

das do país, com 1 bilhão de itens produzidos ao ano, a HI

nária Karsten não conversa com novas tecnologias e não

Etiquetas é uma empresa com um portfólio enorme e com

está pronta para surpreender o mercado a todo momento. E

várias possibilidades para os seus clientes. Como mostrar

os desafios que a companhia propõe para os estudantes do

tudo isso de uma maneira objetiva, mas abrangente?

Design Camp são uma amostra disso.

O desafio para as equipes de alunos do SCMC será

Buscando sair da lógica de consumo de itens de

montar uma maneira inovadora de apresentar os produtos

mesa tradicionais, a Karsten quer que os estudantes desen-

da HI Etiquetas, que envolva uma apresentação e também a

volvam uma pesquisa e um planejamento da estética de

utilização de amostras físicas de projetos já executados.

uma toalha de mesa com fios de LED. Isso mesmo, fios de LED!

E tem mais: o segundo desafio é que os estudantes

pesquisem e planejem esteticamente uma toalha de praia com captação de energia solar. Já imaginou carregar o celular enquanto curte a época mais gostosa do ano? A Karsten

SC MC

imaginou e os alunos irão colocar isso em prática.

Fundação: 1994

Fundação: 1882

Cidade: Pomerode (SC)

Cidade: Blumenau (SC)

Produtos: etiquetas tecidas

Produtos: itens de cama, mesa, banho e decoração

Mais informações: www.hietiquetas.com.br

Mais informações: www.karsten.com.br


SC M C

Lancaster

Lepper

Quando o assunto é estamparia, a Lancaster está

Mais uma das indústrias centenárias que compõe

sempre antenada. A empresa atende a todas as etapas do

o SCMC, a Lepper é especialista em cama, mesa e banho.

processo e, claro, busca estar sempre à frente no design. Os

Mas quer mais! Ciente da qualidade das matérias-primas

estudantes do SCMC terão que entrar no universo da marca

que utiliza, a companhia quer novas utilizações para os seus

através de uma trilha sonora que vai inspirar estampas

tecidos.

individuais de beachwear. Depois, em grupos, vão criar uma

coleção completa em cima do melhor desenho.

novos itens que possam compor a linha da empresa, com as

mesmas matérias-primas utilizadas nos demais produtos.

Já o segundo desafio é desenvolver uma estratégia

Por isso, o desafio escolhido por eles é a criação de

Com um porém: não podem ser de cama, mesa e banho. E

disse que estudantes de moda e design não precisam ser

a equipe avisa: vale usar a criatividade mesmo! Quem sabe

bons em angariar views e seguidores na internet?

não sai daí uma ideia de incremento no mix de produtos e no

DESAFI ADOS

para viralização do vídeo do projeto Start Designers. Quem

faturamento da Lepper?

Fundação: 1982 Cidade: Blumenau (SC)

Fundação: 1907

Produto: todo o processo de estamparia,

Cidade: Joinville (SC)

da criação à entrega do material estampado

Produtos: itens de cama, mesa e banho

Mais informações: www.lancaster.com.br

Mais informações: www.lepper.com.br

19


spia[

[

sistema de posicionamento inteligente automatisa

VisĂŁo Inteligente

eco friendly

NR12


SC M C

LOA Underwear

Marisol

O que você pensaria se tivesse uma tonelada de re-

A Marisol é uma gigante do setor têxtil marcada

síduos ao mês? A LOA Underwear vê isso como uma super-

pela ousadia. No SCMC não poderia ser diferente. A compa-

-oportunidade para que os estudantes do SCMC inovem. A

nhia propõe aos nossos estudantes dois desafios estratégi-

companhia, que tem entre os seus principais produtos uma

cos, complexos e muito importantes.

linha completa de meias, trouxe o desafio para os alunos

pensarem numa destinação adequada para este resíduo.

equipes de estilo da empresa, que trabalham com focos

Uma das possibilidades que a LOA indica é a criação de um

muito diferentes mas precisam ter um espaço para com-

produto ou de algum item com finalidade social.

partilhar ideias e inspirações. Os alunos são desafiados a

E se a empresa tivesse um quiosque em um ponto

apresentar uma maquete com distribuição de profissionais

de grande circulação para receber e atender aos seus clien-

e paleta de cores que eles entendem ser a mais produtiva e

tes, como ele seria? Essa é outra dúvida que a equipe da LOA

funcional para este setor.

vai deixar a criatividade e a inventividade dos estudantes do

SCMC resolver.

No início, os estudantes deverão planejar uma estratégia de

O primeiro é a transformação do ambiente das

DESAFI ADOS

Já o segundo desafio é dividido em duas fases.

como captar as melhores informações em uma pesquisa com crianças sobre o que elas gostariam de encontrar num calçado. E, na segunda etapa, os alunos terão que desenvolver um protótipo de um calçado com base naquelas informações. De onde sairão as crianças? O Design Camp é cheio de surpresas! Fundação: 1993 Cidade: Blumenau (SC) Produtos: meias, meias-calças, modeladores e outros itens de underwear Mais informações: www.loaunderwear.com.br

Fundação: 1964 Cidade: Jaraguá do Sul Produtos: itens de moda infantil com as marcas Marisol, Lilica Ripilica, Tigor T. Tigre e Mineral Mais informações: www.marisol.com.br

21


22

Meu Móvel de Madeira

DESAFI ADOS

Eles comercializam móveis MMMaravilhosos pela

Além disso, a MMM propõe para os estudantes que criem

internet, mas não perdem nunca a essência do contato entre

um vídeo de 60 segundos feito com desenhos para sanar as

as pessoas. A Meu Móvel de Madeira é uma empresa super

dúvidas mais recorrentes de quem compra um vídeo pela

especial e traz três desafios que querem comprovar ainda

internet: será que vão entregar? E se eu não gostar o que eu

mais o quanto ela é diferente.

devo fazer?

O primeiro é desenvolver uma tag que grite a

Por fim, a empresa desafia os estudantes a busca-

plenos pulmões: “somos brasileiros com muito orgulho, com

rem uma nova utilização para as caixas de papelão onde são

muito amor!”. Isso mesmo: nossos estudantes terão que

enviados os produtos da MMM. Isso porque eles querem que

produzir uma tag que mostre ao consumidor da empresa

esses materiais, que são tão versáteis, não sejam descarta-

que todos os itens vendidos por lá são produzidos no Brasil.

dos e, sim, reaproveitados

Fundação: 2006 Cidade: Rio Negrinho (SC)

SC MC

Produtos: móveis e itens de decoração Mais informações: www.meumoveldemadeira.com.br


SC M C

Printbag

Tecnoblu

A empresa de Camboriú que é especializada em

Reconhecida no país inteiro pela inovação nos

embalagens traz ao SCMC dois desafios que vão fazer os

lançamentos das coleções de tags, etiquetas e itens perso-

estudantes colocarem a mão na massa. O primeiro é gráfico.

nalizados de identificação a Tecnoblu quer fazer os alunos

Cada time terá que desenvolver duas opções de arte (uma

entrarem no clima da empresa. E o desafio será num dos

para sacolas e outra para um envelope) com as temáticas:

mercados em que a inovação é ainda mais importante: as

Dia das Mães, Natal, Dia dos Namorados, Páscoa, Dia dos

tags.

Pais e presentes.

um item dentro das diretrizes da empresa. Mas o grande

Já no segundo desafio eles terão que criar quatro

A proposta da Tecnoblu é que os estudantes criem

diferencial desta tag é que ela tem que ser funcional. Precisa

caixa e acessório. E não é só isso! A temática destes quatro

se transformar em algo que agregue valor e que traga uma

produtos precisa atender a um dos mercados a seguir: linge-

ressignificação. E tem mais: além do protótipo, os estudan-

rie, chocolates, ótica/relojoaria, bebidas ou bijuterias.

tes terão que entregar o memorial descritivo do projeto que

DESAFI ADOS

produtos conceituais compostos por sacola e acessório ou

mostre os caminhos percorridos pelas ideias.

Fundação: 1967

Fundação: 1994

Cidade: Camboriú (SC)

Cidade: Blumenau (SC)

Produtos: sacolas, caixas e envelopes

Produtos: etiquetas, tags e itens de identificação

Mais informações: www.printbag.com.br

Mais informações: www.tecnoblu.com.br

23


24

Educação e mercado: sinergia necessária

olhar do nosso design, o SCMC poderia ter apenas proporcionado mais momentos de troca entre essas duas esferas. Mas não. Resolveu, desde o início, ir mais longe. Colocar estudantes para trabalhar em conjunto com profissionais, vencer desafios, encarar antes mesmo de sair da sala de aula a realidade do mercado. Sempre respeitando a inventividade e a falta de limites para a criatividade de quem ainda

Jacir Lenzi

está sonhando com a profissão que vai exercer.

Diretor do Senai/Blumenau e Diretor do SCMC

Jacir Lenzi

Foto: Divulgação

Diretor do Senai/Blumenau

É por isso que o SCMC assume cada vez mais o

seu caráter transformador. Porque não se limitou a gerar diá-

e Diretor do SCMC

logo – o que faz muito bem nas suas palestras e workshops – mas também propôs que alunos e profissionais trabalhassem juntos, numa troca de conceitos e ideias que supera a teoria. Ressalto aqui o orgulho do sistema Fiesc em estar

C

M

próximo ao movimento e patrocinar as suas edições. ART IG O

Outro motivo pelo qual somos gratos e muito

felizes em ter o SCMC conosco – e falo, aqui, em nome de

Y

CM

MY

CY

SC MC

As instituições de ensino capacitam para o merca-

todas as instituições de ensino parceiras – é por promover

do de trabalho. Essa afirmação, que parece óbvia, traz uma

essa mesma troca que acontece entre os alunos com os

série de requisitos que elas devem apresentar para formar

nossos professores. Os mestres que, no movimento, estão

profissionais que atendem com excelência as necessidades

abertos para as oportunidades tanto de ensinar quanto de

das empresas. Da formação dos professores às atualizações

aprender com os seus colegas e estudantes.

de ferramentas, dos laboratórios alinhados com a realidade

corporativa às dinâmicas únicas de cada setor: tudo precisa

mos atrás da realidade das empresas para adequar os nos-

funcionar.

sos sistemas letivos. Mas de construirmos juntos, colabora-

tivamente, o futuro da nossa indústria. Porque ela é feita de

Nós acreditamos que, para esta engrenagem

Por fim, o SCMC nos traz a chance não de correr-

funcionar perfeitamente, o relacionamento com as empresas

estudantes mais alinhados com o mercado, e do mercado

é um dos fatores mais importantes. Isso porque é através

mais alinhado com o ensino.

desse contato que sabemos onde devemos nos atualizar e

que práticas os nossos alunos devem obter quando saírem

mais, não só estreitar os laços das empresas com as institui-

das instituições.

ções de ensino, mas fazer com que elas olhem para o futuro

juntas.

Para transformar Santa Catarina e potencializar o

Vida longa ao SCMC! E que ele consiga, cada vez

CMY

K


26

Além do evento final O Design Camp é, sim, uma grande realização para o SCMC. Mas não é o resumo do movimento. Nós acreditamos que

setores de atuação e não necessariamente trabalhem com moda ou design. O objetivo é mostrar que a inovação pode estar também onde menos se imagina.

Já foram visitadas companhias como Butzke Mó-

veis, Lança Perfume, Villagio Grando, 3M, Volvo e O Boticário.

para mexer com uma cadeia, é preciso oferecer atividades que tragam percepções diferentes e gerem sinergia. Veja o

Experience

Esta é uma programação dedicada a

gestores e empresários das empresas associadas, que muitas vezes desconhecem a estrutura de outra companhia também integrante do SCMC. No Experience, as empresas que fazem parte do movimento visitam umas às outras. Conhecem as histórias, estruturas e produtos de maneira única, geralmente acompanhadas pelo presidente ou diretor da anfitriã.

Entendemos que este é um produto

fundamental na nossa metodologia, já que com-

Foto: Divulgação

PRODUTOS

que mais acontece na nossa agenda!

muitos segredos industriais para trocarem informações e crescerem juntos. Um dos momentos mais emocionantes destes 10 anos de Experiences foi quando duas empresas centenárias catarinenses, que não conheciam as estruturas

VIC

umas das outras, abriram as suas portas.

A inspiração ou o exemplo para uma

mudança pode estar também em outro merca-

SC MC

do. Por isso, na programação do Very Important Company (VIC), empresários do SCMC visitam juntos companhias que são referências nos seus

Fóruns e palestras

prova que os nossos empresários deixam de lado

O SCMC atua como um disseminador

de informação, não como um centralizador dela. Por isso, procuramos oferecer também eventos abertos à comunidade. Realizamos três edições do Fórum SCMC, que trouxe nomes reconhecidos nacionalmente para falarem de sustentabilidade, inovação e criação.

Também valorizamos a nossa prata da

casa (afinal, temos orgulho da gente catarina!), com palestras, creative talks e road shows com os nossos empresários em todo o estado.


são muito importantes para que toda a cadeia seja beneficiada. Por isso, também temos um momento informal: o Thinking. Neste momento, um dos nossos empresários recepciona os demais na sua casa ou em algum lugar especial. É um evento restrito aos empresários, onde as famílias também são convidadas. Durante o dia,

Capacitações

pensamento corporativo. As relações também

Sempre que os empresários convergem

para um mesmo questionamento ou apontam para a necessidade de esclarecimentos sobre temas específicos, o SCMC busca capacitações nacionais e internacionais que atendam essas demandas. Neste produto, contamos com uma parceria ainda mais constante com a Texbrasil e com a Abit, que incluem o nosso estado nas programações de alguns dos profissionais mais requisitados do mundo.

se discute um tema que não seja tecnicamente ligado ao negócio, mas que o anfitrião considera relevante.

Já tivemos edições na casa onde cres-

ceram os irmãos que por muito tempo geriram a Dudalina, com apresentações musicais e até PRODUTOS

num veleiro.

Missões internacionais

Foto: Divulgação

Foto: Divulgação

Thinking

Nem só de questões técnicas se faz o

SC M C

Valorizar o que é daqui sem

esquecer de olhar o que é do mundo é o objetivo das missões internacionais organizadas e apoiadas pelo SCMC. Estados Unidos, China, Japão e Europa foram alguns destinos que os empresários conheceram e puderam prospectar negócios e inspirações. Os programas são realizados em parceria com a Texbrasil.

27


Moda Contemporânea (SCMC) e coordenado por Carlos Ferreirinha, o movimento começa um lema: Santa Catarina vai revolucionar a moda.

No formato de desfile, alunos apresentam as suas primeiras criações conjuntas com as empresas. Durante o ano, convivem com a orientação criativa de Mário Queiroz, um dos estilistas mais reconhecidos do país.

Foto: Divulgação

Num desfile que já começava a apontar para a valorização das paisagens catarinenses pelo SCMC, o evento final aconteceu em uma marina, em Balneário Camboriú. A imprensa nacional esteve no estado e levou a filosofia do projeto para todo o país.

Foto: Divulgação

Foco no autoral foi a grande marca deste ano para o SCMC. O evento final trouxe produções e modelagens ousadas, que ilustraram a experimentação que os estudantes levaram para dentro das companhias em 2009.

Foto: Divulgação

O mote deste ano foi a conexão: entre as gerações, entre as pessoas, entre a academia e o mercado. As coleções foram inspiradas em diversos temas, que trouxeram Saint-Exupéry, bossa nova e Alice no País das Maravilhas para inspirar os nossos estudantes.

No primeiro ano, o desenvolvimento da me-

A N O 1

o projeto. Chamado de Santa Catarina

2 0 0 6

Um grupo de empresários se reúne e inicia

A N O 5 A N O 4 A N O 3 A N O 2 A N O 0

2 0 1 0 2 0 0 9 2 0 0 8 2 0 0 7 2 0 0 5

T

I

M

E

L

I

N

E

28

Foto: Divulgação

todologia utilizada até 2014 foi elaborada. Workshops que uniam alunos e profissionais das empresas e encontros para trocas de informações entre os empresários eram as atividades executadas pelo grupo.


Foto: Divulgação

O evento final aconteceu numa casa noturna.

Os maiores polos de moda do mundo possuem uma identidade muito clara. E o desafio dos alunos e profissionais neste ano foi encontrar uma para o nosso estado. E o resultado não poderia ser melhor: resort culture. O nosso lifestyle que mistura contato com a natureza, alta gastronomia, nightlife efervescente e muita qualidade de vida foi a inspiração para este período. Também neste ano foi Foto: Divulgação

realizado o primeiro Fórum SCMC, com os temas inovação e sustentabilidade.

Por entender que a moda cada vez mais faz parte das características culturais do seu povo, o SCMC muda de nome. Agora se chama Santa Catarina Moda e Cultura. Neste ano, a pesquisa de profissionais e alunos do SCMC é sobre personagens que traduzem o lifestyle do estado. São chefs de cozinha, empresários, designers Foto: Divulgação

e artistas que simbolizam a maneira do catarinense de viver a vida.

Alunos e profissionais estudam e se inspiram em movimentos transformadores catarinenses. Pela primeira vez o evento final do SCMC dura uma semana e oferece workshops gratuitos de fotografia, crochê e outras atividades. Diversas companhias utilizam o que foi desenvolvido no projeto nas Foto: Divulgação

suas coleções comerciais, com vendas representativas.

O SCMC inova e aposta em uma nova metodologia. Estudantes passam por seis workshops durante todo o ano, enquanto profissionais das empresas participam de uma capacitação sobre criatividade. No fim do ano, essas duas esferas primordiais para a transformação da cadeia de moda e design em Santa Catarina se unem em uma imersão chamada de Design Camp. O resultado disso: inovação para o nosso mercado e experiências que mudam o olhar sobre o design.

C M

reção criativa de Jackson Araujo e Luca Predabon.

C

experiências nos visitantes. Este foi o início da di-

S

sarelas e partiu para instalações que provocaram

ANO10 A N O 9 A N O 8 A N O 7 A N O 6

óbvio. A apresentação dos trabalhos saiu das pas-

2 0 1 5 2 0 1 4 2 0 1 3 2 0 1 2 2 0 1 1

No ano 6, o SCMC virou do avesso e saiu do

29


E D A S I C E PR A R A P S O I A U O S AP R A C N A V ALA ? S E Õ Ç A T R EXPO CONHEÇA O TEXBRASIL, PROGRAMA MANTIDO PELA ASSOCIAÇÃO BRASILEIRA DA INDÚSTRIA TÊXTIL E DE CONFECÇÃO (ABIT) E PELA AGÊNCIA BRASILEIRA DE PROMOÇÃO DE EXPORTAÇÕES E INVESTIMENTOS (APEX-BRASIL) COM O OBJETIVO DE AUXILIAR A INTERNACIONALIZAÇÃO DAS EMPRESAS BRASILEIRAS DO NOSSO SETOR. PARA ISSO, DESENVOLVEMOS AÇÕES EM DIVERSAS ÁREAS:

CAPACITAÇÃO

INFORMAÇÃO

CONSULTORIA

NEGÓCIOS

Entre em contato para saber mais, (11) 3823-6192 ou texbrasil@abit.org.br.

IMAGEM


Profile for Santa Catarina Moda e Cultura

SCMC 2015 TREND BOOK  

Book com a cobertura completa do SCMC Design Camp Conecta 2015.

SCMC 2015 TREND BOOK  

Book com a cobertura completa do SCMC Design Camp Conecta 2015.

Advertisement