Issuu on Google+

Chuva de a ĂŠ s i E t t c


Editorial

Informação, cultura, entretenimento, música e conteúdo. É a proposta da revista Chuva de Estética que, mesmo com o “boom” de revistas presentes hoje no mercado, vem com a ideia de inovação meio as mesmices dos periódicos já existentes.

Sumário

02

Semana de Comunicação

A cultura e os movimentos presentes hoje na cena contemporânea ganham destaque nessas páginas, o alternativo mescla-se com os acontecimentos diários da cidade das mangueiras aonde cai a velha chuva, mas agora Chuva de Estética. A revista questiona a precariedade dos espaços para a divulgação de novos artistas, projetos e festivais locais. Incentivando também o conhecimento, a primeira edição da Chuva de Estética conta um pouco sobre a realização da VII Semana da Comunicação, iniciativa da Universidade da Amazônia que dá a oportunidade não só para alunos de comunicação como para a comunidade em geral que se interessa pelo assunto, que engloba fotografia, internet e a comunicação em si. A chuva também cai sobre a estética do álbum “Mundano”, do cantor paraense Arthur Nogueira. A revista conta ainda com um panorama do teatro na capital paraense. Além de uma grande reportagem sobre o terceiro maior festival alternativo do Brasil, O Se Rasgum, que este ano teve sua quinta edição repleta de muita música boa, marcando o final de semana da cidade de Belém.

Belém

V Festival

Isabela Lima

Taynah Moraes

Chuva de

07

Nogueira

08

Estética

Mayara Cohen

Maria Scaramuzzini

Teatros

Se Rasgum

Arthur

Equipe Chuva de Estética

04

06

O objetivo da revista é explorar uma ótica informativa que não é abordada por outras revistas em Belém, dando prioridade para os acontecimentos culturais carregados de estética, realizados em nossa cidade, que não tem espaço para a sua discussão e divulgação, o que acaba limitando o acesso do público a este conteúdo.

GRUPO

Sumário

Leitura

09

Belém


VII SEMANA DE COMUNICAÇÃO A UNAMA começou a sua história como

CESEP, Centro de Estudos Superiores do Estado do Pará, no Colégio Santa Rosa. Após a junção em 1987, do CESEP com as Faculdades Integradas Colégio Moderno foi formada a União das Escolas Superiores do Pará. Logo após em 1993, nasce então a Universidade da Amazônia, que conta agora com uma das maiores estruturas físicas do Estado do Pará, com quatro campis o da Alcindo Cacela, Quintino Bocaiúva, Senador Lemos e Br. Neste ano de 2010 a Universidade conta com diversos eventos importantes na sua agenda. O maior e mais esperado é a VII Semana de Comunicação realizada pelo curso de Comunicação Social, no período de 19 a 22 de Outubro, que estará comemorando os 20 anos do curso de Comunicação Social, que teve início com a habilitação em Relações Públicas e hoje conta com mais duas habilitações, Jornalismo e Publicidade e Propaganda. A Semana da Comunicação é um evento muito esperado entre os acadêmicos, ela proporciona palestras, debates, oficinas, apresentação de trabalhos, produção científica através dos grupos de trabalho (GTs) e ex-

VII SEMANA DE COMUNICAÇÃO

posições. E este ano conta ainda com lançamento de livros e um concurso de fotografia. Na abertura da semana de comunicação 2010 durante a conferência de abertura a convidada, doutora em História, com pós-doutorado em Comunicação, professora Marialva Carlos Barbosa falará sobre “Os desafios da Comunicação: as transformações nos últimos vinte anos” e lançará o livro: “História Cultural da Imprensa – Brasil, de 1800 a 1900.” Ainda no primeiro dia do evento será realizado o lançamento de quatro filmes e apresentado ao público um curta-metragem dos índios Aikewára. No dia 20, às 16:30 haverá apresentação das pesquisas realizadas pelos professores do curso de Comunicação Social. O encontro é aberto aos alunos para dividir reflexões e descobertas entre os professores e os alunos para despertar interesse na produção e no campo de pesquisa. A partir das 19h, acontece um dos encontros mais esperados do dia, Carlos Moreno, o garoto propaganda do Bombril, conversa com os estudantes inscritos na VII Semana de Comunicação.

No penúltimo dia da semana de comunicação, outro evento que animará todos os participantes, será o aniversário de 5 anos da Rádio Unama Fm, que vai contar com os shows da Banda B3 e da Dona Onete. Incrementando cada vez mais esse grandioso evento. A Agência Unama também vai lançar a sua segunda edição da Pesquisa Infância e Adolescência na Pauta da Mídia, através da revista, que mostra o resultado da análise dos jornais diários do Pará sobre a cobertura de temas relativos à infância e à adolescência. No evento a distribuição de exemplares será gratuita. No último dia de evento, o jornalista e colunista do Informe JB, do Jornal do Brasil, Leandro Mazzini irá participar da mesa-redonda “A mídia e a política” e ainda irá lançar o livro “Corra que a política vem aí”, durante a VII Semana de Comunicação da Unama, realizada no Campus BR.

de Eventos, Desing em comunicação com Diego Aguiar e Thyago Pina, Documentário com Populações Tradicionais da Amazônia, Comunicação para Infância e Adolescência com Márcio Flexa, Fotografia Digital com Anderson Rocha, Illustrator e Photoshop com Renato Nogueira. E ainda na programação o I Concurso Unama de Fotografia Universitária, que tem como objetivo revelar novos talentos universitários, o tema do concurso é o “Meu olhar sobre a Amazônia” Para mais informações sobre a VII Semana de Comunicação acesse o blog http://semanadecomunicacao-unama.blogspot.com/ e siga o twitter @unamacomunica. Por Maria Scaramuzzini.

Além de todos os eventos, a semana de comunicação terá ainda 16 oficinas. A inscrição na Semana de Comunicação dá direito à participação em uma oficina. As oficinas são: Edição de Tv com Adelaide Oliveira, Produção Textual, O Rádio Contemporâneo, Indesing, Edição de Imagens, Grafismo Indígena, Mídias Sociais, Marketing Foto: Maria Scaramuzzini

02

Foto: Renato Malcher

03


BELÉM TEATROS A Secretaria de Estado de Cultura publicou no Diário Oficial do Estado, mais uma edição do Edital de Pautas para Grupos e Artistas de Teatro, Dança e Música do Pará nos teatros administrados pela Secult, para o período de setembro a dezembro de 2010. As inscrições poderão ser feitas por pessoas físicas e jurídicas, durante o período de 15 de julho a 28 de agosto de 2010. O edital está disponível desde o dia 14 de julho no Diário Oficial do Estado (http://www.ioepa.com.br/ site/mat/mostraMateria2.asp?ID_materia=434927&ID_ tipo=21). O Edital, iniciativa que tem como objetivo ofertar o uso dos Teatros do Governo (Teatro Experimental Waldemar Henrique, Teatro Margarida Schivasappa, Theatro da Paz, Teatro Estação Gasômetro e Teatro Maria Sylvia Nunes) para atender a todas as linguagens artísticas do estado do Pará, consiste em diversas modalidades artísticas que envolvem dança, teatro e música. Composto por vários projetos que contemplam os artistas ligados a esse meio, o edital também conta com a participação dos próprios artistas com idéias e opiniões a respeito dos projetos.“O edital vai ter pautas de uma

BELÉM TEATROS semana nos teatros para dar mais tempo pros artistas ensaiarem, fazerem suas montagens e até mesmo para se apresentarem. As pautas que antes tinham três dias, agora terão cinco”, explica Ailson Braga, diretor do Sistema Integrado de Teatros (SIT). Entre aqueles que já participaram da iniciativa, está Arthur Nogueira, cantor e compositor paraense. Nogueira foi contemplado em 2008 pelo Edital com a apresentação do show Mundano, nome de seu cd, também lançado neste ano. Ao contrário do que a maioria dos artistas faz, Arthur começou seu disco no palco e depois passou para o estúdio, graças ao Edital, que o deu oportunidade de tocar pela primeira vez com sua banda completa e, assim, testar os arranjos e o repertório, juntamente com toda a estrutura de um show pronto. “A iniciativa do edital é muito positiva, porque dá aos artistas a oportunidade de fazer uma apresentação completa. Fazer música não é só talento, tem toda uma estrutura por trás de um espetáculo, e com o edital a gente pode ter isso.”, diz Arthur.

Foto: Paulo Bermeguy

OS PROJETOS Os projetos constituem-se nas modalidades:

Foto: Wagner Meier

AS INSCRIÇÕES As inscrições poderão ser feitas do dia 30 de julho a 28 de agosto, anexadas a proposta de uso dos espaços dos teatros ligados ao Sistema Integrado de Teatros (SIT/SECULT). As propostas devem ser entregues na administração de cada teatro correspondente ao projeto solicitado e devem conter uma carta de solicitação informando o espaço , período e o espetáculo a ser realizado; ficha de inscrição preenchida; material informativo (release, clipping, foto) sobre o espetáculo; mapa gráfico de luz, som e palco; declaração do artista de estar de acordo com os termos do Edital e cópias do CNPJ,CPF e RG.

Projeto “Teatro em Cena”, (Teatros Margarida Schivasappa, Teatro Experimental Waldemar Henrique, Theatro da Paz e Teatro Estação Gasômetro). É destinado a grupos de teatro, com isenção de taxa. Projetos “Temporada Experimental”, “Uma Quarta de Música e Projeto “Terceira Campa” (Teatro Margarida schivasappa). Destinados às linguagens de teatro, dança e música, respectivamente. Também com isenção de taxa. Projeto “Palco Livre” (Teatro Maria Sylvia Nunes), para artistas de teatro e dança. Com isenção de Taxa. Projeto “Uma Terça no Teatro” (Teatro Estação Gasômetro), destinado a artistas do teatro e da dança. Com isenção de taxa. Por Isabela Lima.

Em contrapartida, cada grupo ou artista contemplado no concurso, é obrigado a destinar gratuitamente 10% dos lugares vendáveis do espaço utilizado. Caso o artista não obtiver o mínimo de 10% de ocupação do teatro, o espetáculo será cancelado.Para a reserva dos espaços, os interessados deverão enviar a proposta à administração de cada teatro, especificando o espaço e o projeto de interesse. Foto: Eduardo Costa

04

Foto: Paula Sampaio

05


V FESTIVAL SE RASGUM Já considerado um dos maiores festivais de música alternativa do Brasil, o Festival Se Rasgum vem, com o patrocínio da Vivo, se consolidando no circuito nacional de música e criando tradição em Belém (PA). Esse ano, durante os dias 12, 13 e 14 de novembro passaram pelo Se Rasgum cerca de 9 mil pessoas e um total de 25 artistas que levaram aos palcos sons que passearam desde o regional tecnobrega até o mais pesado heavy metal. Entre os artistas convidados, nomes conhecidos nacionalmente como o pernambucano Otto, a banda Cidadão Instigado, participação do ex Legião Urbana, Dado Villa-Lobos com a banda acreana Los Porongas. Em nível regional marcou presença no festival o carimbó da Dona Onete representando raízes da cultura paraense, tal como a cantora de tecnobrega Gaby Amarantos, a banda de reggae Yeman Jah Roots e o rock do Madame Saatan. Uma das grandes novidades desse ano foi a apresentação da banda internacional The Slackers, que somou ao festival um pouco de soul, jazz e swing. A Vivo tinha um espaço especial no evento com computadores de acesso livre a internet, além de cobertura

ARTHUR NOGUEIRA integral do Festival com rede wi fi, o que possibilitou ao público acessar a rede do seu próprio celular e poder comentar os shows por redes sociais na mesma hora em que eles estavam acontecendo. O festival apoiava a reciclagem e a Vivo distribuiu pontos de coleta seletiva e urna do Recicle seu celular também. O sucesso de público em um festival que realiza esse encontro incomum de estilos musicais tão distintos serve para mostrar como fica mais interessante e divertida a vida quando conectado, como é possível inclusive através da música a reunião de diferentes pessoas em prol de uma mesma ideia. “O legal do Conexão Vivo de fazer o Se Rasgum, além de um apoio a cultura e a bandas menores é de poder reunir pessoas legais com shows melhores ainda. De longe parece impossível juntar em um mesmo show o pessoal que gosta de um rock mais independente com alguém que goste de brega , por exemplo, mas o Se Rasgum consegue isso, e quando a gente vem ver essa diversidade toda de estilos, acaba em uma mistura de músicas e pessoas muito boa, na verdade” Comentou Isabela Lima, estudante que participou dos três dias do Festival. Por Mayara Cohen

Música boa é a pedida desta quarta (24). O cantor Arthur Nogueira apresenta seu novo trabalho: o álbum virtual Mundano + no Teatro Margarida Schivasappa, às 20h. O EP que dá continuação ao segundo disco do cantor, Mundano, é composto por cinco canções inéditas. O projeto é um plus de Mundano [2009], álbum lançado com incentivos do Projeto Pixinguinha [Funarte]. Com produção de Arthur Kunz , o EP conta com parcerias de Arthur Nogueira com o poeta paraense Dand M e uma faixa experimental, produzida pelo artista junto a Acácio Canto, ex-integrante da banda paraense Filhos de Empregada. Compõem também o álbum as canções Mundano, de Vital Lima, e Ascendente em câncer, de Filipe Catto e Fernando Calegari. Concebido com vista à distribuição gratuita na rede, Mundano + foi gravado, que foi “em casa” e sem patrocínio, conta com a participação de Renato Torres. O conteúdo de Mundano + estará disponível a partir do dia 24 de novembro, no endereço : http://arthurnogueira.ecleteca.com.br. http://www.myspace.com/arthurnogueira/

Arthur Nogueira Cantor, compositor e jornalista paraense. Aos 22 anos, possui dois CDs lançados, Arthur Nogueira, em 2007 e o mais recente, Mundano em 2009. Tem parcerias com Antonio Cicero, Vital Lima, Felipe Cordeiro, Maria Lidia, entre outros autores. Além da música, publicou poemas em veículos importantes, como a Revista Cult. Em 2008, o álbum Mundano foi premiado no tradicional Projeto Pixinguinha, da Fundação Nacional de Artes (Funarte). Arthur Nogueira foi o único cantor do Pará selecionado para o Prêmio, que incluiu shows de lançamento do CD em três cidades: Belém, Santarém e Bragança. Serviço: Show Arthur Nogueira Mundano + Dia: 24 de novembro de 2010 Local: Teatro Margarida Schivasappa

Foto: Maria Scaramuzzini

06

http://www.myspace.com/arthurnogueira/

Hora: 20h.

Por Isabela Lima

07


CHUVA DE ESTÉTICA A tipografia surgiu com o intuito de informar com clareza e legibilidade, e a revista Chuva de Estética vem com essa visão. Transmitir informação, cultura, entretenimento, música e conteúdo de uma maneira conceitual, limpa, porém charmosa. Um planejamento cuidadoso, uma paleta de cores diferentes e o uso de tipos comuns dão um ar minimalista e cult à Chuva de Estética. Os tipos da Era Funcionalista da década de 30 com formas mais geométricas constituidas por fontes sem serifas, mais simples e leves. O uso das fontes Arial e Myriad Pro, sem serifas foi uma forma clean de fazer a Chuva de Estética sair do tradicional de revistas e jornais que se valem das fontes serifadas. A Chuva de Estética segue a tendência atual de manter a sofisticação através de um layout simples utilizando

LEITURA BELÉM da disposição de imagens e textos para manter o ritmo leve e prazeroso da leitura. As cores influenciam a percepção humana e diferentes combinações proporcionam efeitos variados. A Chuva de Estética traz a magenta com sua sofisticação e feminilidade no sentido de abordar assuntos como cultura e nos faz pensar sobre a precariedade existente no meio cultural quanto a ascensão de novos artistas no cenário regional. O verde faz referência a Amazônia quanto natureza e ainda o conteúdo que demonstra o potencial de desenvolvimento na região em diversas áreas e faz a alusão a uma temática jovem. As letras pretas com o fundo branco somam à revista sofisticação e simplicidade. E o restante das cores quentes e frias foram utilizadas com o intuito de manter a harmonia e o charme da revista. Por Mayara Cohen

Biblioteca Britânica realiza projeto em Belém O Arquivo Público do Pará é a única instituição brasileira a participar de um projeto desenvolvido pela Biblioteca Britânica, que constitui na digitalização de documentos que estão sendo deteriorados pelo tempo. O projeto, que conta com a parceria com a Universidade York do Canadá, vai fazer a digitalização de 45.000 imagens de documentos no prazo de dois anos, referentes à presença e a escravidão negra na Amazônia, apenas nesta fase inicial do programa.

O Arquivo Público do Pará é o órgão responsável por manter todo o acervo documental do estado, assim como o recolhimento de toda documentação administrativa,tratar tecnicamente, preservar e divulgar o patrimônio, também são trabalhos desta instituição. “ O Arquivo Público A ação traduzida “Programa para Arquivos em Perigo”, é uma instituição centenária que contém documentação visa a modernização dos arquivos de relíquias documen- desde o Pará colonial e do decorrer da história do nosso tais importantes para a história mundial. Atualmente o estado”, afirma João Lúcio Manzini, diretor do órgão. programa é aplicado nos países em desenvolvimento, Podemos destacar o Ato de Adesão do Pará a independcomo os continentes africanos e asiático, além de país- ência como o mais importante do acervo. es da América Latina. Na América do Sul, seis já estão desenvolvendo o trabalho. A Biblioteca Britânica, uma das maiores do mundo, seu Nesta semana, o representante da Biblioteca Britânica no Brasil, Carlos Liberato está em Belém para capacitar os funcionarios do Arquivo Público para executar o processo no órgão e poderem aplicar este processo em outras instituições. “ O Arquivo Público do Pará guarda inúmeros documentos dos séculos XVII e XVIII que precisam ser informatizados”, afirma Liberato, que também é professor universitário de História das Áfricas. Para o pesquisador, o processo tamnbém facilitara o acesso

Material de Aula Profº Renato Malcher

08

às consultas dos acervos. “é importante destacar que o acervo contido no Arquivo Público possui imenso valor histórico e que muitos desconhecem”, reitera.

www.utl.pt

acervo possui cerca de 150 milhões de itens, incorporando a cada ano a coleção uma media de 3 milhões de novos itens. Além de conter em seu acervo caderno de anotações de Leonardo da Vinci.

Carta Magna, entre outros de suma importância para história. Vem ao longo dos anos desenvolvendo projetos que auxiliam a preservação de documentos históricos importantes para a sociedade. Por Taynah Meira

Assessoria de Imprensa-FCPTN

09


Chuva de Estética