Page 1

Partilhar é VIVER PROVÍNCIA NOSSA SENHORA APARECIDA Ano V | n° 34| dezembro 2013 | São Paulo | SP

XIII Capítulo Geral


“Erguei os vossos olh

2 | Partilhar ĂŠ Viver


hos e vede os campos� (Jo, 4,35)

dezembro 2013 | 3


editorial

XIII Capítulo Geral Estimadas irmãs, formandas e leigos missionários! O XIII Capítulo Geral teve a sua abertura oficial no dia sete de novembro com a Celebração Eucarística presidida pelo bispo diocesano de Jundiaí, Dom Vicente Costa. Antes da abertura, o grupo das irmãs capitulares junto às irmãs representantes das comunidades da região de São Paulo, esteve no Santuário N. Sra. Aparecida por ocasião da festa de São Carlos. Nos dias cinco e seis, prévios à abertura, o irmão marista Ignácio Egtes iluminou as atividades capitulares contemplando a macro e a micro realidade do mundo e da vida religiosa. Provocou um caminho espiritual e dinâmico para viver a consagração, colocar-se em atitude de abertura e olhar os campos na nova aurora da congregação. Nos dias oito e nove, as sessões capitulares foram dinamizadas pelas irmãs do Governo Geral e Provinciais que relataram a caminhada realizada ao longo do sexênio 2007-2013. A partilha de cada realidade contemplou as forças, desafios e propostas que foram consideradas durante o capítulo, bem como as programações para os próximos seis anos. A semana foi concluída com a Celebração Eucarística do XVI aniversário de beatificação de João Batista Scalabrini, rendendo graças pelo dom do carisma scalabriniano legado à Igreja. Agradecemos as mensagens recebidas, a unidade, comunhão e preces. Todos os gestos e palavras expressadas estão no coração de Deus na tenda da unidade congregacional. Neste boletim requeremos recapitular o desenvolvimento do XIII Capítulo Geral, fazendo assim memória histórica de um fato sumamente importante para a vida e missão da Congregação. Também trazemos neste número a entrevista realizada com Ir. Neusa de Fátima Mariano, superiora geral, e Ir. Marlene Vieira, conselheira e ecônoma, ambas da Província Nossa Sennhora Aparecida e que foram nomeadas para fazer parte do Governo Geral do próximo sexênio 2013 - 2019. Grande abraço e continuemos na unidade que nos anima a erguer os olhos e olhar os campos com esperança e profecia. Saudações fraternas! Equipe de Comunicação

4 | Partilhar é Viver


índice

Expediente:

Editorial 4 Índice 5 Capa / XIII Capítulo Geral 6 Acolhida 8 Aconteceu 10 Entrevista Ir. Neusa Fatima Mariano 16 Entrevista Ir, Marlene Vieira 20

Este é veículo de comunicação e informação das Irmãs Scalabrinianas da Província Nossa Senhora Aparecida. Circulação mensal | virtual Imagens: arquivos pessoais e sxc.hu Editora: Ir. Sandra Pinheiro Revisão de texto e diagramação: Andréa Pereira e Patricia Russo

Gratidão eterna à Ir. Alda Monica Malvessi, e às Conselheiras: Ir. Zen aide Ziliotto, Ir. Jucélia Dall Bello, Ir. Analita Candaten e Ir. Eunívia da Silva que animaram com gen erosidade e doação a Congregação durante o sexênio 2007-2013.

no, superiora geral, e às Conselheiras Gerais: Ir. Etra  ossa comunhão e apoio à Ir. Neusa de Fátima Maria N na ti, Ir. Elizabeth Pedernal e Ir Carmen Antonia Lisot, Luana Modica, Ir. Marlene Vieira, Ir. Albertina Paulet – 2019. Parabéns! Contem sempre conosco! condução da Congregação durante os anos de 2013

dezembro 2013 | 5


capa

Brasil

acolhe XIII Capítulo das Irmãs

Missionárias Scalabrinianas

6 | Partilhar é Viver


capa

“Chamou a si aqueles que ele queria. Eles foram até ele, e constituiu doze para estarem com ele e para os enviar a pregar” (Mc 3, 13-14) Iniciamos o sexênio 2007- 2013 com a missão recebida do XII Capítulo Geral: “Renovar e fortalecer a identidade da Irmã mscs”. Com fé e esperança no Senhor que conduz a nossa história pessoal, a história da Congregação, a da Igreja e aquela da humanidade, fortemente motivadas pela exortação de São Paulo: “Te exorto a reavivar o dom de Deus que há em ti” (2 Tm 1,6), juntas, nos dispusemos com generosidade a iniciar um processo para renovar e fortalecer, mediante a programação e desenvolvimento de atividades, a nossa identidade nos seus diversos aspectos. Tendo consciência dos desafios e limites internos e externos com os quais nos delimitamos, de coração agradecido ao Senhor pelo que nos concedeu realizar, pelo que permaneceu inacabado e acreditando que Ele continua nos enviando: “Ide, portanto, e fazei que todas as nações se tornem discípulos” (Mt 28, 19), com alegria, convoco o XIII Capítulo Geral da Congregação. O Capítulo Geral é sempre um evento da graça do Espírito Santo para a Congregação e para a Igreja; como tal, é um forte convite a ser acolhido por todas nós na co-responsabilidade desde a sua preparação até a sua realização. Portanto, Irmãs, disponhamo-nos com generosidade de coração a participar dos vários momentos, em sintonia com nossas Constituições que, nas normas 157 a 168 e nas Ordenações 84 a 96, estabelecem as competências e as orientações práticas do Capítulo.

Participaram das sessões capitulares, por ofício, a Superiora e as Conselheiras Gerais e as Superioras Provinciais; as Irmãs delegadas provinciais, eleitas pelas Irmãs das respectivas Províncias, conforme norma constitucional 159, na seguinte proporção: - 3 delegadas da Província Nossa Senhora Aparecida - 3 delegadas da Província Imaculada Conceição - 2 delegadas da Província São José - 2 delegadas da Província Nossa Senhora de Fátima - 3 delegadas da Província Cristo Rei - 2 delegadas da Província Maria, Mãe dos Migrantes.

dezembro 2013 | 7


acolhida

“Erguei os vossos

PALAVRAS DE ACOLHIDA ÀS PARTICIPANTES DO XIII CAPÍTULO GERAL DA CONGREGAÇÃO

É com grande alegria que, em comunhão com as Conselheiras Provinciais, com as Irmãs Capitulares da Província, com todas as Irmãs e Formandas da Província Nossa Senhora Aparecida, das 29 comunidades presentes nos Estados do Paraná, Minas Gerais, Espírito Santo, São Paulo, Bahia e Distrito Federal, bem como, nos países da Colômbia, Honduras, Equador e Bruxelas, com o coração em festa e revestidos de louvor, nos unimos a uma só voz para dizer-lhes: Sejam todas bem-vindas! É com muito carinho que acolhemos a cada uma de vocês Irmãs Capitulares! Como Província queremos também dizer-lhes que nos sentimos imensamente felizes e agraciadas por tamanha dádiva: “Sediar o XIII Capítulo Geral da Congregação” que após 53 anos volta a se realizar em terras brasileiras. Não podemos negar de que, na ocasião em que recebemos a comunicação oficial da Superiora Geral, com a decisão definitiva de que o mesmo se realizaria aqui no

8 | Partilhar é Viver

São Carlos Eventos Hospedagem, e no âmbito da Província Aparecida, nos sentimos um tanto temerosas e ao mesmo tempo pequenas frente à grandiosidade da missão e da responsabilidade a nós confiada. Porém, pouco a pouco, assim que a boa notícia se fazia ecoar em cada canto da Província, tudo ia se transformando em sinais de colaboração, oração, comunhão e apoio das Irmãs, as quais expressavam alegria, gratidão e acolhida a esta solicitação, vista como oportunidade de serviço e de crescimento da comunhão congregacional. Com um profundo sentido de pertença à Congregação, faremos tudo o que for possível e de todo o coração, colocando-nos inteiramente à disposição de todas, e oferecendo todo o suporte necessário em vista do bom êxito deste significativo evento congregacional, pois, queremos dar e partilhar o melhor para que tudo chegue a bom termo! Sabemos da importância e da seriedade de um evento como este, pois um Capítulo Geral é foi um momento histórico e de graça para toda a Congregação, tempo de renovação e de busca e, sobretudo, de manifestação da presença do Espírito Santo entre nós. Por isso, queremos acolher esta hora privilegiada, o grande Kairós de nosso Deus, numa atitude de profunda fé, pois, a fé nos permite contemplar a realidade com os olhos de Jesus Cristo, o qual ilumina o nosso peregrinar cotidiano. Ao mesmo tempo a fé desvenda-nos o caminho e acompanha os nossos passos na história e nos permite descobrir que nunca atravessamos as realidades da vida humana sozinhas, mas sempre acompanhadas, inspiradas e fortalecidas pelo Espírito que o Pai nos envia através de Jesus Cristo. Com a celebração do XIII Capítulo Geral iniciamos um tempo particular para a vida da Congregação, um tempo favorável de revitalização e busca de novas perspectivas, assumindo corajosamente o que a graça de Deus no pede para os dias


acolhida

s olhos e vede os campos” (Jo, 4,35)

de hoje. Numa época de profundas e sucessivas mudanças socioculturais que afetam a humanidade, trazendo novos e sérios desafios, para a nossa missão scalabriniana, somos convidadas uma vez mais a viver este evento em profunda comunhão e em sintonia com todos os migrantes e refugiados, atentas à realidade e procurando discernir nos desafios, os sinais dos tempos, na fidelidade à missão, na abertura aos novos apelos do Senhor, na vivência e fortalecimento de nossa identidade própria, para assim dar maior visibilidade ao carisma scalabriniano e ser sinal do Reino de Deus, de testemunho e de profecia, na alegre esperança de sermos, primeiramente entre nós, e depois para todos os irmãos e irmãs em mobilidade, a irradiação da ternura, da compaixão e do amor do Deus Peregrino. Sentimos de forma intensa e operante a presença misericordiosa de Deus, do qual provêm “toda a boa dádiva e todo o dom perfeito” (Tg 1,17). E neste sentido, podemos nos sentir acompanhadas e fortalecidas pela comunhão intensa de nossas queridas Irmãs idosas aqui ao lado, no Instituto São Carlos, as quais participam conosco deste Capítulo por meio de suas constantes vigílias e orações e, sobretudo, na entrega e doação oblativa ao Pai, sustentando-nos assim por meio do testemunho de fidelidade amorosa ao Senhor. Renovamos os nossos votos para que se sintam realmente em casa como membros da mesma família e, mais uma vez, sejam bem-vindas a esta Província que as acolhe com ternura e carinho. Sejamos fortalecidas e impulsionadas pelas sábias e nobres recomendações de nossa cofundadora a Venerável Madre Assunta Marchetti: “Trabalhemos todas para o verdadeiro bem de nossa Congregação” e ”Que o bom Deus nos abençoe!”

Ir. Neusa de Fátima Mariano, mscs Superiora Provincial

dezembro 2013 | 9


aconteceu

Fazendo memória do X Estudo do Instrumento de Trabalho

te de olhar a realidade nos elementos: Jesus Cristo, migrantes, relações, cultura vocacional e organiza-

Guiadas pelo Espírito de Deus, fonte de sabedoria e alimento da fé aconteceu a segunda semana do XIII Capítulo Geral. Desde a segunda-feira dia 11 até sexta-feira dia 15 o tempo foi dedicado para o estudo do Instrumento de trabalho, resultado da participação de todas as Irmãs na preparação do capítulo composto por duas partes. A primeira intitulada: “Onde estamos”, contendo uma síntese das respostas das irmãs nas dimensões vida consagrada scalabriniana, formação permanente, cultura vocacional e missão profética. Na segunda parte “Para onde vamos” foram focados os elementos mais relevantes para a vida missionária scalabriniana. O instrumento finaliza constatando as emergências congregacionais “para onde vamos” no convi-

ção interna. Sobre eles as capitulares dedicaram as sessões na construção dos conteúdos que nortearão a vida e missão do instituto nos próximos seis anos. Na terça-feira dia 12 fomos privilegiadas com a presença do cardeal Dom Odilo Pedro Sherer, arcebispo metropolitano de São Paulo, quem presidiu a Celebração Eucarística. Em sua homilia manifestou a alegria e a satisfação por ocasião da Beatificação de Madre Assunta, colocando-se à inteira disposição para bem celebrar o acontecimento. Depois de debruçarem-se sobre a realidade, as capitulares são convidadas a partir do dia 15 até dia 18 iniciar o processo de eleição da Superiora Geral e Conselho mediante etapas de discernimento. Por esta razão convidamos vocês para unir-se mais intensamente em oração para que as capitulares

10 | Partilhar é Viver


aconteceu

XIII Capítulo Geral sejam iluminadas neste momento importante e decisivo na congregação.

tado pelas capitulares, em unidade com as irmãs, formandas e leigos missionários, confirmaram a

Agradecemos mais uma vez as manifestações enviadas através de mensagens e postagens no blog congregacional. Todas elas estão rezadas e registradas em nossos corações e no coração de Deus. Continuemos na unidade e erguendo nossos olhos para ver os campos!

ação do Espírito do Senhor com o sim generoso das Irmãs Neusa de Fátima Mariano, Etra Luana Módica, Marlene Vieira, Albertina M. Pauletti e Elizabeth Pedernal, superiora e conselheiras gerais, bem como Ir. Carmen Lisot como secretária. A elas gratidão pela coragem e disponibilidade de se colocarem a caminho na alegre esperança e no serviço à Congregação e Igreja. A celebração de tomada de posse do novo governo geral e ação de graças ao governo cessante, aconteceu no dia 19 em Celebração Eucarística presidida pelo Pe. Emidio Girotto, cs, seguindo-se do almoço de confraternização. Graças à tecnologia, Ir. Albertina, desde Costa Rica, pode compartilhar de alguns momentos da confraternização online e expressar sua saudação às capitulares. A partir do dia 20 até 23 as irmãs capitulares se

Eleição Novo Governo Geral e Estudo do Direito Próprio A terceira semana do XIII Capítulo Geral foi abençoada e gratificada pela força do Espírito Santo pelo caminho realizado. Na história das Irmãs mscs fica registrado o surgir de uma nova aurora que permite “erguer o olhos e ver os campos” e antever a colheita de frutos maduros. O fecundo processo de discernimento experimen-

dezembro 2013 | 11


aconteceu

debruçaram no estudo, reflexão sobre o Direito Próprio, culminando com a sua aprovação no sábado 23. As últimas correções e ajustes serão concluídos pelas Irmãs Analita Candaten e Marissônia Daltoé junto com a superiora geral e conselho após o capítulo.

certeza não foi um capítulo para tão somente ser guardado em seus documentos, mas para “erguer os olhos e ver os campos” como testemunhas da esperança e profecia. A realidade dos “campos” suscitou em cada capitular a ousadia de fazer deste tempo um tempo e

Em espaços alternados ao estudo do Direito Próprio, dedicou-se tempo para a partilha dos vários projetos em andamento no Instituto e considerados encaminhamentos do texto final do capítulo, atividade que concluirá nos dias sucessivos. Na manhã do dia 23, a assembleia capitular reservou o espaço de partilha dos LMS com a presença Isaías Pablo Klin Carloto, coordenador geral do movimento, Antonio Caetano Caltabiano e João Inácio Bremm, ambos da equipe de Coordenação geral do movimento.

um espaço de realizações. Os campos estão diante dos olhos, a vida religiosa consagrada urge atitudes, a mobilidade humana alerta movimentos e ações. No domingo 24 as Irmãs da Província N. Sra. Aparecida presentearam as capitulares com um espetáculo de dança representado por um grupo de baile. Os dançarinos resgataram aspectos regionais da cultura de sul a norte do Brasil. Na última semana do capítulo cada irmã participante foi convidada a olhar os campos que há necessidade de prestar atenção. Dedicou-se tempo para a avaliação e votação do documento final bem como de projetos congregacionais tais como: processo de Beatificação de Madre Assunta Marchetti, AISSMi, projeto de formação permanente e outros temas de interesse congregacional.

Elaboração do Documento Final O XIII Capítulo Geral chega o seu final! Escreveu-se mais um capítulo da história das Irmãs Missionárias de São Carlos Borromeo – Scalabrinianas. Com

12 | Partilhar é Viver


aconteceu

A Celebração Eucarística de encerramento e envio aconteceu dia 28 de novembro presidida pelo Pe. Emidio Girotto, cs. Ir. Neusa de Fátima Mariano, superiora geral nas palavras de encerramento do capítulo exortou a todas as irmãs para serem testemunhas da esperança e profecia. Salientou a experiência vivida e partilhada no capítulo que mostrou a necessidade de um reencantamento pela pessoa de Jesus Cristo centro da vida consagrada e reencontrar o primeiro amor. Recomendou que não deixemos que nada nos roube a esperança porque unidas à fé e à caridade, a esperança nos projeta para um futuro, dá novo impulso e nova força à vida de todos os dias. Insistiu em um olhar sobre a realidade atual da Congregação, com olhar de fé sobre o fenômeno migratório, certas de que os migrantes são verdadeiros portadores de novos tempos “construtores ocultos e providenciais da fraternidade universal” que possibilitam uma tomada de consciência mais profunda do ideal de Vida Consagrada e Missionária. Finalmente lembrou os caminhos a serem percorridos em vista da revitalização do ser consagrado

e missionário da Irmã Missionária de São Carlos Borromeo Scalabrinianas. Ao concluir a celebração ungiu a cada capitular e entregou um crucifixo, renovando o primeiro envio missionário das irmãs Assunta e Carolina Marchetti, Ângela Larini e Maria Franceschini, hoje estendido a cada irmã mscs. Agradecemos as muitas mensagens recebidas, todas elas carregadas de afeto e de encorajamento que teceram a “tenda da unidade”, formando assim comunhão congregacional. Convictas da responsabilidade de tornar vivas as decisões capitulares, suplicamos a Maria Mãe dos Migrantes que caminhe conosco e pela intercessão de São Carlos, do bem-aventurado João Batista Scalabrini, Madre Assunta e Pe. José Marchetti, sejamos fiéis ao projeto de Deus e à missão Scalabriniana. Rendemos graças ao Senhor que nos chamou, consagrou e enviou para ser Testemunhas da esperança e profecia e com coragem “erguer os olhos e ver os campos: já estão dourados”.

dezembro 2013 | 13


entrevista

“E seu nome e

a Mariano, mscs Ir. Neusa de Fátim nas nárias Scalabrinia o si is M ãs m Ir al Superiora Ger

14 | Partilhar é Viver


entrevista

era Jesus de Nazaré” O nosso boletim informativo “Partilhar é viver” teve a alegria de conversar com Ir. Neusa, nova Superiora Geral da Congregação das Irmãs Missionárias de São Carlos Borromeo, Scalabrinianas. Ela nos falou de sua família, vocação e novos desafios para 2014. Acompanhe!

FAMÍLIA E INFÂNCIA Eu nasci no Vale do Paraíba, na cidade de Silveiras. Meus pais sempre foram muito simples e também muito religiosos. Essa é minha grande riqueza, ter nascido numa família tradicionalmente religiosa. Somos oito irmãos. Minha origem e realidade de família sempre trago comigo de forma muito presente em minha história. Desde pequena nós nos reuníamos todos os dias para rezarmos o terço, muitas vezes era fazendo um trabalho manual, descascando milho, não importava como, mas que sempre nos reuníamos para rezar. Percorríamos muitos quilômetros para irmos para a missa. Foi nesse ambiente que cresceu minha vocação. VOCAÇÃO Eu participava de grupo de jovens, era catequista e quando ainda fazia o magistério eu já dizia para as minhas colegas que queria seguir a vida religiosa, pois os testemunhos que via de algumas religiosas

dezembro 2013 | 15


entrevista

era algo que inquietava e respondia ao meu coração. Uma vez vez participei de um encontro e lá foi falado de um exemplo de madre Teresa de Calcutá e aquilo me transformou, voltei quieta para casa e falei com minha mãe. Ela foi minha grande e primeira promotora vocacional, ela fazia jejum junto comigo para o discernimento vocacional. Eu queria algo a mais. Minha mãe me acompanhou muito de perto, sempre rezando pelas vocações, eu tenho um irmão que é sacerdote e uma irmã que é consagrada.

A ESCOLHA DA CONGREGAÇÃO Todos os anos nós íamos a Aparecida, ao Santuário. Esse contato foi realmente em Aparecida, principalmente através da Rádio Aparecida, no início. O Carisma da congregação veio depois, meu primeiro contato foi com a comunidade do São Carlos, em Potim/SP. Na ocasião, me chamou , mas me chamou muita atenção a acolhida das Irmãs e formandas, uma acolhida muito significativa, ainda na capela ouvimos a musica “um certo Galileu” e aquilo me marcou e definiu meu caminho. Depois fui descobrindo um carisma muito específico, a congregação com uma espiritualidade da acolhida, e do serviço aos migrantes. Tenho certeza que fiz a escolha certa. É um carisma totalmente atual e que empolga muitos jovens.

POR ONDE VIVEU Logo que professei fui morar e trabalhar no Colégio São José. Depois muito jovem ingressei no Conselho Provincial. Em seguida fui para Roma a serviço da Congregação por 6 anos como conselheira e animadora da dimensão apostólica, depois no no CESPROM São Paulo, um centro de atenção especial de atenção especial ao migrante Estando ali, fui eleita superiora provincial, missão que exerci desde 2008 até a presente data.

16 | Partilhar é Viver


entrevista

A BEATIFICAÇÃO DE MADRE ASSUNTA Há muito tempo estávamos esperando a beatificação. Madre Assunta é a grande dimensão da Caridade e do Serviço. Nós como Congregação estamos vivendo um momento de muita alegria de grande expectativa: buscar em Madre Assunta uma maior coerência de vida consagrada. Que a beatificação venha nos trazer muitos frutos de santidade, buscando cada vez mais viver nossa missão na igreja. A beatificação dará uma visibilidade muito grande da congregação para o mundo. Teremos espaços nos meios de comunicação para que mais pessoas conheçam Madre Assunta e a Congregação, e assim muitas jovens poderão nos conhecer. Também a Igreja será sensibilizada... a Igreja se sensibilize em relação aos migrantes. Acreditamos que 2014 será para a nossa congregação um tempo de muitas esperanças principalmente para intensificar nossa vida como consagradas e dar visibilidade à nossa missão na Igreja.

O CAPÍTULO O Capítulo acontece a cada 6 anos e depois de muitos anos ele voltou a ser celebrado aqui no Brasil e tivemos a graça de que fosse realizado em São Paulo. Tive a graça de participar da preparação e de todo o Capítulo. Ele é um tempo de avaliação, de programação e de prospecção, lançando um olhar para prospectar a congregação. Teve como tema “Erguei os olhos e vede os campos”, foi uma experiência muito forte de erguer os olhos e ver os campos da migração, os campos vocacionais e olhar nossa realidade de congregação, um olhar interno e externo.

dezembro 2013 | 17


entrevista

Olhar a que ponto estamos como consagradas e onde queremos chegar. Estamos num tempo muito grande de mudanças, mudanças sócio culturais, na Igreja com o Papa Francisco e no campo das migrações. Um campo de grande desafio institucional, é aquele vocacional. Apontou para nós questões fundamentais como a nossa necessidade de nos reencantarmos por Jesus Cristo e fazendo dele nosso amor principal, central e assim intensificar as relações entre nós, na busca de uma fidelidade criativa, intensificando o nosso ser consagrado, queremos viver nossa fidelidade ao carisma específico da nossa congregação. Um dos desafios que o Capítulo nos propôs foi a reorganização da nossa Instituição. Para respondermos as demandas da migração se faz necessário que nos reorganizemos enquanto presença, através de estruturas leves e flexíveis para que possamos responder como maior fidelidade. Isso vai exigir de todos os membros uma conversão pessoal, uma mudança de mentalidade, abrindo mãos de obras que já não respondem ao específico da congregação para que possamos estar em pontos estratégicos de forma mais articulada numa sinergia congregacional, somar forças, já somos uma grande rede de serviço aos migrantes, agora é o momento de intensificar nossa missão em rede.

A ESCOLHA A eleição foi feita num processo de discernimento e de escuta das inspirações do Espírito. A escolha é divina, não era o que eu almejava, esperava, mas eu acolho essa eleição numa dimensão de fé, me colocando a serviço da congregação colocando aquilo que Deus me deu como graça e como dom, no meu limite, na minha fragilidade quero dar tudo de mim. Conto com a graça de Deus e com a colaboração de todas as irmãs, é um trabalho colegiado, é necessário contar com muitas outras. Temos a graça de contar com um conselho muito jovem, com irmãs de várias nacionalidades. A maior riqueza que temos na congregação são as irmãs.

18 | Partilhar é Viver


entrevista

Um sentimento de gratidão a Deus e da confiança das Irmãs, uma dimensão de fé, acreditando que Deus escolhe e capacita para a missão. Quero viver na simplicidade. Sei que é um serviço de grande responsabilidade, mas de extrema doação, de amar e de servir. Eu retomo aquilo que pedi na minha profissão: a graça da fidelidade, é um sim que se renova. Eis-me aqui Senhor. O grande desejo é ver a congregação crescendo com rostos internacionais, nos vários países em que estamos.

MENSAGEM À PROVÍNCIA

formada e exerci por muito Uma gratidão porque aqui eu fui ão muito grande por tudo tempo minha missão, é uma gratid história, uma tradição, que o que sou, A Província tem uma ade a missão na Igreja. continuemos vivendo com fidelid unidade de todas as Irmãs, Conto muito com a comunhão e e que possamos ser sinal que cada irmã se sinta congregação profético no mundo.

Irmã Neusa

dezembro 2013 | 19


entrevista

Com alegria Ir. Marlene, Conselheira e Ecônoma Geral, concedeu uma entrevista onde contou sobre sua infância,vocação e encontro com as Scalabrinianas.

o r e s r e s i “Quem qu s é p s o e v a primeiro l ” s o ã m r i s dos seu 20 | Partilhar é Viver


entrevista

FALE UM POUCO DE SUA HISTÓRIA Nasci numa cidade pequena em Minas Gerais, São Pedro do Suaçuí , éramos 14 irmãos, nasci numa fazenda. Aos seis anos já fui para a cidade estud ar. Morava com meus irmãos mais velhos. Ao s finais de semana ia para a fazenda. Aprendi desde pequena a rezar o terço. A VOCAÇÃO Eu penso sempre que a vocação é um mistério e que Deus chama primeiro. Minha vocação começou a dar sin ais quando eu tinha 14 anos. Eu sem pre via uma irmã de hábito cinza na minh a cidade, eu sempre queria conver sar com ela, mas depois não ia. Já quando eu tinha 18 anos, eu via meu irmão que fazia um trabalho com os vicentinos en tregando cestas, foi a partir daque la realidade do povo pobre que eu me sen ti chamada. Um dia visitando um a família muito simples eu avistei um cam po grande, imenso... Aquele cenário marcou minha decisão, a família, a imensid ão, tudo isso garantiu um grande desejo de servir, de ir mais além. Ouvindo a Rádio Aparecida me cha mou muito a atenção “o serviço eva ngélico aos migrantes em escolas, orfana tos, asilos”, isso despertou o meu desejo de iniciar o processo de discernimen to vocacional. Peguei o endereço pela rádio, escrevi e esperei a resposta por trê s meses... Fiquei um ano e oito meses me cor respondendo com a Ir. Iolanda e log o depois entrei na congregação. SEUS ESTUDOS Fiz Magistério, estudei Ciências Co ntábeis, Escola para Formadores, fiz um MBA na Fundação Getúlio Vargas: Gestã o Estratégica e Economia Empresar ial, sempre em função de desenvolver me lhor a minha missão. Meus estudos sempre contribuíram para a minha missão. Eu gosto do que eu faço, me empe nho muito, coloco toda a minha energ ia nisso, se necessário coloco 130 % de força e dedicação.

dezembro 2013 | 21


entrevista

GOSTARIA DE TER TRABALHADO ALGUM LUGAR NO MUNDO QUE eriência ade eu gostaria de fazer uma exp Se um dia ainda houver possibilid de missionária em Honduras. RAL PARTICIPAÇÃO NO CAPÍTULO GE pois uxe uma surpresa. Fui chamada de O processo discernimento me tro momento de muita graça, muito um Foi . do eça com ia hav já ulo pít que o Ca e e de muita comunhão. Fraternidade bonito, um ambiente muito alegre ções foram feitas com muita sereosi exp As . hão un com ita mu de momento nidade e simplicidade. PERSPECTIVAS PARA 2014 de cinco no geral essa minha participação Eu levo de bagagem para o gover de trabalho em comunhão, nós vaiva ect rsp pe a o lev Eu . cia vín Pro anos na aciosto, migrantes, relações, cultura voc mos trabalhar a pessoa de Jesus Cri no ação da Instituição. Será um gover tur stru ree a e a ern int ão zaç ani nal e org as Irmãs. comunhão e unidade com todas no qual buscaremos trabalhar em te de fazer parte deste grupo. Estou muito serena e muito conten MADRE ASSUNTA NA SUA VIDA s de cada os pés dos seus irmãos nos gesto “Quem quiser ser o primeiro lave o. unta para mim, a mulher da doaçã dia...” essa é a tônica de Madre Ass er em fidelidade a Cristo. Eu busco alimentar a cada dia viv s, que as irmãs possam trabalhar em po cam os e ved e os olh sos vos Erguei os e na fraternidade. unidade, sempre em comunhão AGRADECIMENTOS s na realização de minha missão, ela as ian rin lab Sca ãs Irm as as tod a Agradeço inhada inhada. Reconheço que esta cam foram muito importantes nesta cam as idade, agradreço de coração a tod un com em da liza rea foi is po , foi efetiva leveza, realizado com muita seriedade e que me apoiaram. Meu trabalho foi ã para dar continuidade no trabalho Irm a cad de ça sen pre a est igo levo com junto ao Governo Geral.


Madre Assunta

Madre Assunta, rogai por n贸s


Feliz Natal e muitas bençãos para o Ano Novo!

24 | Partilhar é Viver

Boletim Informativo Partilhar é Viver nº34  
Boletim Informativo Partilhar é Viver nº34  
Advertisement