Issuu on Google+

Manual do Usuário Série: SCA06 Idioma: Português N º do Documento: 100000XXXXX / 00 Modelos: Modelo 4A / 220 ... 230V monofásico Modelo 5A / 220 ... 230V trifásico Data da Publicação: 09/2009


Sumário das Revisões

Revisão 0

2 | SCA06

Descrição Primeira Edição

Capítulo -


Indice

ÍNDICE INSTRUÇÕES DE SEGURANÇA

1.1 AVISOS DE SEGURANÇA NO MANUAL..............................................................................................1-1 1.2 AVISOS DE SEGURANÇA NO PRODUTO...........................................................................................1-1 1.3 RECOMENDAÇÕES PRELIMINARES..................................................................................................1-1

INFORMAÇÕES GERAIS

2.1 SOBRE O MANUAL...............................................................................................................................2-1 2.2 TERMOS E DEFINIÇÕES UTILIZADOS NO MANUAL.......................................................................2-1 2.3 SOBRE O SCA06.................................................................................................................................. 2-3 2.4 ETIQUETAS DE IDENTIFICAÇÃO DO SCA06.................................................................................... 2-5 2.5 COMO ESPECIFICAR O MODELO DO SCA06.................................................................................. 2-6 2.6 RECEBIMENTO E ARMAZENAMENTO..............................................................................................2-7

INSTALAÇÃO E CONEXÃO

3.1 INSTALAÇÃO MECÂNICA.................................................................................................................... 3-1 3.1.1 Condições Ambientais................................................................................................................ 3-1 3.1.2 Posicionamento e Fixação......................................................................................................... 3-1 3.2.1 Identificação dos bornes de potência e pontos de aterramento......................................... 3-4 3.2.2 Fusíveis, fiação de potência e de aterramento....................................................................... 3-5 3.2.3 Conexões de potência............................................................................................................... 3-6 3.2.3.1 Conexões de Entrada.............................................................................................................. 3-7 3.2.3.2 Frenagem Reostática.............................................................................................................. 3-8 3.2.3.2.1 Dimensionamento................................................................................................................ 3-8 3.2.3.2.2 Instalação do resistor de frenagem................................................................................... 3-8 3.2.3.2.3 Conexões de saída..............................................................................................................3-10 3.2.3.3 Considerações sobre aterramento......................................................................................3-11 3.2.4 Conexões de controle...............................................................................................................3-13 3.2.4.1 Alimentação do controle........................................................................................................3-13 3.2.4.2 Entradas e saídas do controle..............................................................................................3-14 3.2.4.3 Porta USB................................................................................................................................3-15 3.2.4.4 Rede CAN................................................................................................................................3-16

HMI

4.1 TECLAS................................................................................................................................................. 4-2 4.2 LEDS...................................................................................................................................................... 4-2

CARTÃO DE MEMÓRIA FLASH

CARTÃO DE MEMÓRIA FLASH................................................................................................................. 5-1

ENERGIZAÇÃO E COLOCAÇÃO EM FUNCIONAMENTO

6.1 PREPARAÇÃO E ENERGIZAÇÃO........................................................................................................ 6-1 6.2 PROGRAMAÇÃO E OPERAÇÃO......................................................................................................... 6-1 6.2.1 Exemplo 1: Operação em modo velocidade com referência via parâmetro....................... 6-2 6.2.1.1 Ajuste da Senha em P00000................................................................................................... 6-2 6.2.1.2 Programação do motor a ser usado...................................................................................... 6-3 6.2.1.3 Habilitação e controle da velocidade via parâmetro........................................................... 6-4 6.2.2 Exemplo 2: Operação em modo velocidade - usando acessório EAN 1 com controle de posição feito por dispositivo externo (CNC, por exemplo)............................... 6-6 6.2.3 Exemplo 3: Operação usando programação Ladder............................................................. 6-7


Indice

DIAGNÓSTICO DE PROBLEMAS E MANUTENÇÃO

7.1 FUNCIONAMENTO DAS FALHAS E ALARMES..................................................................................7-1 7.2 ALARMES, FALHAS E POSSÍVEIS CAUSAS.......................................................................................7-1 7.3 SOLUÇÃO DOS PROBLEMAS MAIS FREQUENTES......................................................................... 7-4 7.4 BATERIA.................................................................................................................................................7-5 7.5 DADOS PARA CONTATO COM A ASSISTÊNCIA TÉCNICA...............................................................7-5 7.6 MANUTENÇÃO PREVENTIVA.............................................................................................................. 7-6 7.6.1 Instruções de limpeza..................................................................................................................7-7

OPCIONAIS E ACESSÓRIOS

8.1 OPCIONAIS........................................................................................................................................... 8-1 8.1.1 Filtro RFI interno.......................................................................................................................... 8-1 8.1.2 Alimentação interna do controle............................................................................................... 8-2 8.2 ACESSÓRIOS....................................................................................................................................... 8-2 8.2.1 ECO 1............................................................................................................................................ 8-2 8.2.2 EAN 1............................................................................................................................................ 8-3 8.2.3 EIO 1............................................................................................................................................. 8-3 8.3 PERIFÉRICOS....................................................................................................................................... 8-4 8.3.1 Servomotor.................................................................................................................................. 8-4 8.3.2 Cabos para Servomotor............................................................................................................8-10 8.3.3 Resistor de frenagem RF 200...................................................................................................8-14 8.3.4 Filtro RFI externo.......................................................................................................................8-14 8.3.5 Autotransformador....................................................................................................................8-15

ESPECIFICAÇÕES TÉCNICAS

9.1 DADOS DA POTÊNCIA......................................................................................................................... 9-1 9.2 DADOS DA ELETRÔNICA / GERAIS................................................................................................... 9-2 9.2.1 Normas atendidas....................................................................................................................... 9-3 9.3 DADOS MECÂNICOS........................................................................................................................... 9-4


Instruções de Segurança

INSTRUÇÕES DE SEGURANÇA

1

Este manual contém as informações necessárias para o uso correto do servoconversor SCA06. Ele foi escrito para ser utilizado por pessoas com treinamento ou qualificação técnica adequados para operar este tipo de equipamento. 1.1 AVISOS DE SEGURANÇA NO MANUAL Neste manual são utilizados os seguintes avisos de segurança: PERIGO! A não consideração dos procedimentos recomendados neste aviso pode levar à morte, ferimento grave e danos materiais consideráveis.

ATENÇÃO! A não consideração dos procedimentos recomendados neste aviso pode levar a danos materiais.

NOTA! O texto objetiva fornecer informações importantes para correto entendimento e bom funcionamento do produto. 1.2 AVISOS DE SEGURANÇA NO PRODUTO Os seguintes símbolos estão afixados ao produto, servindo como aviso de segurança:

Tensões elevadas presentes. Componentes sensíveis a descargas eletrostáticas. Não tocá-los. Conexão obrigatória ao terra de proteção (PE).

Conexão da blindagem ao terra.

Superfície quente. 1.3 RECOMENDAÇÕES PRELIMINARES PERIGO! Somente pessoas com qualificação adequada e familiaridade com o servoconversor SCA06 e equipamentos associados devem planejar ou implementar a instalação, partida, operação e manutenção deste equipamento. Estas pessoas devem seguir todas as instruções de segurança contidas neste manual e/ou definidas por normas locais. Não seguir as instruções de segurança pode resultar em risco de vida e/ou danos no equipamento.

SCA06 | 1-1


Instruções de Segurança

1

NOTA! Para os propósitos deste manual, pessoas qualificadas são aquelas treinadas de forma a estarem aptas para: 1. Instalar, aterrar, energizar e operar o SCA06 de acordo com este manual e os procedimentos legais de segurança vigentes; 2. Usar os equipamentos de proteção de acordo com as normas estabelecidas; 3. Prestar serviços de primeiros socorros.

PERIGO! Sempre desconectar a alimentação geral antes de tocar em qualquer componente elétrico associado ao servoconversor. Muitos componentes podem permanecer carregados com altas tensões e ou em movimento (ventiladores), mesmo depois que a entrada de alimentação CA for desconectada ou desligada. Esperar pelo menos 10 minutos para garantir a total descarga dos capacitores. Sempre conectar a carcaça do equipamento ao terra de proteção (PE) no ponto adequado para isto.

ATENÇÃO! Os cartões eletrônicos possuem componentes sensíveis a descargas eletrostáticas. Não tocar diretamente sobre componentes ou conectores. Caso necessário, tocar antes na carcaça metálica aterrada ou utilizar pulseira de aterramento adequada.

Não executar nenhum ensaio de tensão aplicada no servoconversor! Caso seja necessário consultar a WEG.

NOTA! Servoconversores podem interferir em outros equipamentos eletrônicos. Siga os cuidados recomendados para minimizar estes efeitos.

NOTA! Leia completamente o Manual de Operação antes de instalar ou operar o servoconversor.

1-2 | SCA06


Informações Gerais

INFORMAÇÕES GERAIS 2.1 SOBRE O MANUAL Este manual apresenta como instalar, como colocar em funcionamento, quais as principais características técnicas e como identificar e corrigir os problemas mais comuns dos servoconversores da linha SCA06. Para mais detalhes sobre a colocação em funcionamento, parametrização e programação, consultar o Manual de Programação. Para obter informações sobre outras funções, acessórios e condições de funcionamento, consultar os manuais dos acessórios, manual da comunicação CANopen e o Help online incluso no WLP. Os manuais dos acessórios acompanham os mesmos. Todavia, todos os manuais estão disponíveis para download no site da WEG - www.weg.net. 2.2 TERMOS E DEFINIÇÕES UTILIZADOS NO MANUAL A: ampère, ampères. Barramento CC (Link CC): Circuito intermediário do servoconversor; tensão em corrente contínua obtida pela retificação da tensão alternada de alimentação ou através de fonte externa; alimenta a ponte inversora de saída formada pelos IGBTs. Braço U, V e W: Conjunto de dois IGBTs das fases U, V e W de saída do servoconversor. °C: grau Celsius. CA: Corrente alternada. CC: Corrente contínua. CFM: Do inglês "cubic feet per minute" - pés cúbicos por minuto; medida de vazão. Circuito de Pré-Carga: Carrega os capacitores do barramento CC com corrente limitada, evitando picos de correntes maiores na energização do servoconversor. CMF: Cartão de Memória Flash CV: Cavalo-Vapor = 736 watts (unidade de medida de potência, normalmente usada para indicar potência mecânica de motores elétricos). Dissipador: Peça de metal projetada para dissipar o calor gerado pelos semicondutores de potência. Filtro RFI: Do inglês “Radio Frequency Interference Filter” - Filtro para redução de interferência na faixa de radiofreqüência. Freqüência de chaveamento: Freqüência de comutação dos IGBTs da ponte inversora, dada normalmente em kHz. ft: Do inglês “foot” – pé, unidade de comprimento, equivalente a 304,8mm. HMI: Do inglês “Human Machine Interface” - Interface Homem-Máquina; dispositivo que permite a visualização e alteração dos parâmetros, alarmes e falhas do servoconversor. Apresenta teclas de navegação e display de Leds. hp: horse power = 746 watts (unidade de medida de potência, normalmente usada para indicar potência mecânica de motores elétricos). Hz: hertz. SCA06 | 2-1

2


Informações Gerais IGBT: Do inglês "Insulated Gate Bipolar Transistor" - componente básico da ponte inversora de saída. Funciona como chave eletrônica nos modos saturado (chave fechada) e cortado (chave aberta).

2

IGBT de frenagem: Funciona como chave para ligamento do resistor de frenagem. É comandado automaticamente pelo nível do barramento CC. in: Do inglês “inch” – polegada, unidade de comprimento, equivalente a 25,4mm. kg: quilograma = 1000 gramas. kHz: quilohertz = 1000 hertz. mA: miliampère = 0,001 ampère. MC: Do inglês “Motion Control” - controle de movimento. Memória FLASH: Memória não-volátil que pode ser eletricamente escrita e apagada. Memória RAM: Do inglês “Random Access Memory” - Memória de acesso aleatório. Caracteriza-se por ser volátil, ou seja, perde os dados quando o servoconversor é desligado. min: minuto. ms: milisegundo = 0,001 segundos. N.m: newton metro; unidade de medida de torque. NTC: Resistor cujo valor da resistência em ohms diminui proporcionalmente com o aumento da temperatura; usado como sensor de temperatura em módulos de potência. PE: Do inglês “Protective Earth” - Terra de proteção; PTC: Resistor cujo valor da resistência em ohms aumenta proporcionalmente com a temperatura; usado como sensor de temperatura em servomotores. PWM: Do inglês “Pulse Width Modulation” - modulação por largura de pulso; tensão pulsada que alimenta o servomotor. Retificador: Circuito de entrada dos servoconversores que transforma a tensão CA de entrada em CC. É formado por diodos de potência. RMS: Do inglês "Root mean square" - valor eficaz. rpm: rotações por minuto. s: segundo. USB: Do inglês "Universal Serial Bus" - tipo de interface de comunicação serial concebido para funcionar de acordo com o conceito ”Plug and Play”. V: volts. Ω: ohms.

2-2 | SCA06


Informações Gerais 2.3 SOBRE O SCA06 O servoconversor SCA06 é um produto de alta performance que permite o controle de velocidade, torque e posição de servomotores de corrente alternada senoidal trifásicos. A característica central deste produto é o alto desempenho e alta precisão de controle do movimento do eixo do servomotor devido à operação em malha fechada através da realimentação de posição dada por um sensor dentro do servomotor; O SCA06 possui alimentações de controle e potência independentes, permitindo, por exemplo, que as redes de comunicação do produto continuem funcionando normalmente mesmo que circuito de potência tenha que ser desligado por algum motivo. O uso de resistores de frenagem possibilita tempos de frenagem muito reduzidos otimizando processos que exigem alta performance. Várias funções especiais estão disponíveis tais como a programação em linguagem ladder com blocos de posicionamento que proporciona extrema flexibilidade e integração ao acionamento. As mais variadas aplicações podem ser atendidas com a ampla quantidade de cabos disponível, seja para aplicações simples ou aplicações complexas como movimentação, ambientes com óleo, etc.

1 – Resistor de frenagem 2 – Conector de alimentação da potência (X9) 3 – Alimentação da potência 4 – Aterramento do servoconversor 5 – Cartão de filtro de RFI (opcional) 6 – Desconexão do Filtro de RFI 7 – Detecção de Falta à Terra 8 – Retificador 9 – Pré-carga 10 – Link CC 11 – Fonte interna (opcional) 12 – Fonte chaveada 13 – Realimentação de tensão 14 – Proteção de sobrecorrente 15 – Chopper de frenagem 16 – Cartão de segurança STO (opcional) 17 – Ponte de IGBTs 18 – Realimentação de corrente 19 – Realimentação de pulsos (opcional)

20 – Conector de saída para servomotor (X8) 21 – Conector de comando de STO (X7) 22 – Conector de alimentação do controle (X5) 23 – Cabo de potência do servomotor 24 – Cabo de comando do freio do servomotor 25 – Conector de comando do freio do servomotor 26 – Conector de potência do servomotor 27 – Conector de realimentação do servomotor 28 – Cabo de realimentação do servomotor 29 – Cartão de controle 30 – Cartão de Memória Flash 31 – Interface Homem-Máquina (HMI) 32 – Conector para acessório 1 (Slot 1) 33 – Conector para acessório 2 (Slot 2) 34 – Conector para acessório 3 (Slot 3) 35 – Conector de entradas/saídas (X1) 36 – Rede de comunicação USB (X3) 37 – Rede de comunicação CAN (X4) 38 – Conector de realimentação de posição (X2) Figura 2.1: Diagrama de blocos do SCA06

SCA06 | 2-3

2


Informações Gerais

2

1 – Aterramento do servoconversor 2 – Aterramento do servomotor 3 – Alimentação da potência 4 – I/Os standard 5 – Aterramento da blindagem para cabo do sinal da Entrada Analógica 6 – Realimentação 7 – Rede USB 8 – Leds de status 9 – Reset

10 – Desconexão do filtro de RFI 11 – Rede CAN 12 – Alimentação da eletrônica 13 – Conexão do servomotor 14 – Módulo de Acessórios 15 – Bateria 16 – Módulo de Acessórios 17 – Tampa cega 18 – Cartão de memória flash (CMF) 19 – Interface Homem-Máquina (HMI)

Figura 2.2: Servoconversor SCA06

2-4 | SCA06


Informações Gerais 2.4 ETIQUETAS DE IDENTIFICAÇÃO DO SCA06 Existem duas etiquetas de identificação, uma completa, localizada na lateral do servoconversor e outra resumida, sob os acessórios ou tampas logo acima da HMI. Esta última permite identificar as características mais importantes mesmo em servoconversores montados lado a lado.

a) Etiqueta de identificação na lateral do servoconversor

b) Etiqueta de identificação acima da HMI 1 – Modelo do SCA06 2 – Item de estoque WEG 3 – Ordem de produção WEG 4 – Peso líquido do servoconversor 5 – Coluna dos dados nominais de entrada 6 – Tensão 7 – Corrente nominal

8 – Corrente de sobrecarga 9 – Freqüência 10 – Número de série 11 – Temperatura ambiente máxima ao redor do SCA06 12 – Data de fabricação (dd/mm/yyyy) 13 – Coluna dos dados nominais de saída Figura 2.3: Etiquetas de identificação

SCA06 | 2-5

2


Informações Gerais 2.5 COMO ESPECIFICAR O MODELO DO SCA06 SCA06 B

05P0

D

2

C3

00

00

00

000

00

00

2 Conjunto de Manuais Em branco = Sem manuais P6 = manuais em português Software especial Em branco = software padrão S1 = software especial n° 1 Hardware especial Em branco = Hardware padrão H1 = Hardware especial n°1 Acionamento de motor de indução Em branco = Não pode acionar motores de indução M1 = Pode acionar motores de indução Alimentação interna da eletrônica Em branco = Não possui alimentação interna W2 = Possui alimentação interna Função de segurança (STO) Em branco = Não possui função de segurança Y1 = Possui função de segurança Filtro de RFI interno Em branco = Não possui filtro de RFI interno C3 = Possui filtro de RFI interno Cat. C3 (IEC61800-3) Tensão de alimentação 2 = 220 ... 230V 4 = 380 ... 480V Número de fases D = Alimentação trifásica e/ou monofásica com derating T = Alimentação trifásica Corrente nominal de saída 05P0 = 5A com alimentação trifásica ou 4A com alimentação monofásica Mecânica B = Mecânica B Obs.: No modelo SCA06B05P0D2C3 o filtro é standard. 2-6 | SCA06


Informações Gerais 2.6 RECEBIMENTO E ARMAZENAMENTO O SCA06 é fornecido embalado em caixa de papelão. Na parte externa desta embalagem existe uma etiqueta de identificação, a mesma que está afixada no SCA06.

2

Ao receber o produto, verificar se: „„ „„ „„

A etiqueta de identificação do SCA06 corresponde ao modelo comprado; Ocorreram danos durante o transporte. Caso seja detectado algum problema, contatar imediatamente a transportadora.

Se o SCA06 não for logo instalado, armazená-lo em um lugar limpo e seco (temperatura entre -25°C e 60°C) com uma cobertura para evitar a entrada de poeira no interior do servoconversor. ATENÇÃO! Os Quando o servoconversor for armazenado por longos períodos de tempo é necessário fazer o "reforming" dos capacitores. Consulte o procedimento na tabela 7.3 - Manutenção preventiva.

SCA06 | 2-7


Informações Gerais

2

2-8 | SCA06


Instalação e Conexão

INSTALAÇÃO E CONEXÃO Este capítulo descreve os procedimentos de instalação elétrica e mecânica do SCA06. As orientações e sugestões devem ser seguidas visando à segurança de pessoas, equipamentos e o correto funcionamento do servoconversor. 3.1 INSTALAÇÃO MECÂNICA 3.1.1 Condições Ambientais Evitar: „„ Exposição direta a raios solares, chuva, umidade excessiva ou maresia; „„ Gases ou líquidos explosivos ou corrosivos; „„ Vibração excessiva; „„ Poeira, partículas metálicas ou óleo suspensos no ar.

3

Condições ambientais permitidas para funcionamento: „„ „„ „„ „„ „„ „„

Temperatura: 0 ºC a 50 ºC - condições nominais (medida ao redor do servoconversor); De 50ºC a 60ºC - redução da corrente de 2% para cada grau Celsius acima de 50ºC; Umidade relativa do ar: de 5% a 90% sem condensação; Altitude máxima: até 1000m - condições nominais; De 1000m a 4000m - redução da corrente de 1% para cada 100m acima de 1000m de altitude; Grau de poluição: 2 (conforme EN50178 e UL508C), com poluição não condutiva. A condensação não deve causar condução dos resíduos acumulados.

3.1.2 Posicionamento e Fixação Consultar o peso do servoconversor na tabela 9.1 - Especificações técnicas para a linha SCA06 – ou na etiqueta do produto. Instalar o servoconversor na posição vertical em uma superfície plana, preferencialmente uma chapa galvanizada e aterrada. Dimensões externas e posição dos furos de fixação conforme a figura 3.1 - Dados para instalação mecânica. Para mais detalhes consultar também o item 9.3 - DADOS MECÂNICOS. Colocar primeiro os parafusos na superfície onde o servoconversor será instalado, instale o servoconversor e então aperte os parafusos. Deixar no mínimo os espaços livres indicados na figura 3.2 - Espaços livres para ventilação e cabos, de forma a permitir circulação do ar de refrigeração. É possível montar os servoconversores lado a lado sem espaçamentos laterais. Não colocar componentes sensíveis ao calor logo acima do servoconversor. ATENÇÃO! Quando um servoconversor for instalado acima de outro, usar a distância mínima B1 + C1 (figura 3.2 - Espaços livres para ventilação e cabos) e desviar do servoconversor superior o ar quente que vem do servoconversor abaixo. Se a montagem for feita dentro de um painel, prever exaustão adequada, de modo que a temperatura interna do painel fique dentro da faixa permitida para as condições de operação do servoconversor. A potência dissipada pelo servoconversor na condição nominal é especificada na tabela 9.1 - Especificações técnicas para a linha SCA06.

SCA06 | 3-1


Instalação e Conexão

ATENÇÃO! Prever eletroduto ou calhas independentes para a separação física dos condutores de sinal, controle e potência (consulte 3.2 - INSTALAÇÃO ELÉTRICA).

3

Modelo Mec. B

A1

A2

A3

B1

C1

mm (in)

mm (in)

mm (in)

mm (in)

mm

(in)

200 (7,87)

247 (9,72)

253 (9,96)

75 (2,95)

206,7 (8,14)

Tolerância das cotas: ±1 mm (±0,039 in) (*) Torque recomendado para fixação do servoconversor (válido para D1)

Figura 3.1: Dados para instalação mecânica

3-2 | SCA06

D1 M M5

Torque (*) N.m (lbf.in) 5 (44,2)


Instalação e Conexão

3

A1

A2

A3

B1

B2

B3

C1

C2

C3

mm (in)

mm (in)

mm (in)

mm (in)

mm (in)

mm (in)

mm (in)

mm (in)

mm (in)

272,4 (10,72)

90,0 (3,54)

66,5 (2,62)

77,0 (3,03)

83,5 (3,29)

100,0 (3,94)

50,0 / 130,0 * (1,97 / 5,12 *)

90,5 / 170,5 * (3,56 / 6,71 *)

104,0 / 184,0 * (4,09 / 7,24 *)

*cabo para movimentação. Ver item 8.3.2 – Cabos para Servomotor

Figura 3.2: Espaços livres para ventilação e cabos

Figura 3.3: Montagem lado a lado sem espaçamento lateral

SCA06 | 3-3


Instalação e Conexão 3.2 INSTALAÇÃO ELÉTRICA PERIGO! As informações a seguir têm a intenção de servir como guia para se obter uma instalação correta. Siga também as normas de instalações elétricas aplicáveis.

PERIGO! Certifique-se que a rede de alimentação está desconectada antes de iniciar as ligações.

3 3.2.1 Identificação dos bornes de potência e pontos de aterramento NOTA! O modelo SCA06A05P0C2C3 pode operar com 3 fases normalmente ou com 2 fases (alimentação monofásica) com redução da corrente nominal de saída de 5A para 4A. A tensão de alimentação CA, neste caso, pode ser conectada em dois de quaisquer dos bornes de entrada (L1, L2 ou L3).

1 - Aterramento (PE Rede) 2 - Conector de alimentação e frenagem (X9) -UD: Pólo negativo da tensão do barramento CC BR: Conexão do resistor de frenagem +UD: Pólo positivo da tensão do barramento CC NC: Não conectado L1: Rede de alimentação CA L2: Rede de alimentação CA L3: Rede de alimentação CA 3 - Conector do motor (X8) U: Fase U V: Fase V W: Fase W 4 - Aterramento (PE motor) Figura 3.4: Bornes de potência e aterramento

3-4 | SCA06


Instalação e Conexão 3.2.2 Fusíveis, fiação de potência e de aterramento ATENÇÃO! Quando forem utilizados cabos flexíveis para as conexões de potência e aterramento é necessário utilizar terminais adequados.

ATENÇÃO! Equipamentos sensíveis, como por exemplo, PLCs, controladores de temperatura e cabos de termopar, devem ficar a uma distância de no mínimo 0,25 m dos servoconversores e dos cabos entre o servoconversor e o servomotor.

3 PERIGO! Conexão errada dos cabos: O servoconversor será danificado caso a alimentação seja ligada nos terminais de saída (U, V, ou W). Verifique todas as conexões antes de energizar o servoconversor. No caso de substituição de um servoconversor existente por um SCA06, verifique se toda a fiação conectada a ele está de acordo com as instruções deste manual.

ATENÇÃO! Interruptor diferencial residual (DR): „„ Quando utilizado na alimentação do servoconversor deverá apresentar corrente de atuação de 300 mA. „„ Dependendo das condições de instalação, como comprimento e tipo do cabo do servomotor, etc., poderá ocorrer a atuação do interruptor DR. Verificar com o fabricante o tipo mais adequado para operação com servoconversores. „„ Ver também: item 8.3.4 - Filtro RFI externo Tabela 3.1: Fiação / Fusíveis recomendados

M3 (fenda)

0,51 (4,5)

2,5 (1∅) * 1,5 (3∅)

12 (1∅) * 14 (3∅)

Tipo ilhós

U, V e W

M3 (fenda)

0,51 (4,5)

De acordo com o motor

De acordo com o motor

Tipo ilhós

(PE motor)

M4 (Philips)

1,8 (15,6)

De acordo com o motor

De acordo com o motor

Tipo olhal

A

Disjuntor WEG

Tipo olhal

16

15

300

MBW-C10-3N

Terminais

12

I²t do fusível (A²s)@25°C

AWG

2,5

Fusível (A) IEC (**)

mm²

1,8 (15,6)

(PE Rede) L1, L2 e L3

Fusível (A)

Torque recomendado N.m (lbf.in)

M4 (Philips)

Terminais

Mecânica

Fiação ***

Parafuso (tipo)

SCA06B05P0D2C3

Modelo

Borne de Potência

* 1∅: Bitola do cabo para alimentação monofásica. ** Valores de fusível conforme norma européia IEC. *** Utilizar somente fiação de cobre (75 °C).

SCA06 | 3-5


Instalação e Conexão

NOTA! Os valores das bitolas da tabela 3.1 - Fiação / Fusíveis recomendados – são apenas orientativos. Para o correto dimensionamento da fiação levar em conta as condições de instalação e a máxima queda de tensão permitida. Fusíveis de rede „„

O fusível a ser utilizado na entrada deve ser do tipo UR (Ultra-Rápido) com I²t igual ou menor que o indicado na tabela 3.1 - Fiação / Fusíveis recomendados (considerar valor de extinção de corrente (e não de fusão) a frio), para proteção dos diodos retificadores de entrada do servoconversor e da fiação.

„„

Opcionalmente, podem ser utilizados na entrada fusíveis de ação retardada, dimensionados para 1,2X corrente nominal de entrada do servoconversor. Neste caso, a instalação fica protegida contra curto-circuito, exceto os diodos da ponte retificadora na entrada do servoconversor. Isto pode causar danos maiores ao servoconversor no caso de algum componente interno falhar.

3

3.2.3 Conexões de potência Na figura 3.5 - Conexões de potência e aterramento – é apresentado um diagrama completo de ligação do SCA06. Na seqüência cada etapa é descrita individualmente: 1 – Chave liga-desliga 2 – Rede de alimentação 3 – Contator 4 – Fusíveis 5 – Termostato 6 – Relé térmico 7 – Resistor de frenagem

Figura 3.5: Conexões de potência e aterramento

3-6 | SCA06


Instalação e Conexão 3.2.3.1 Conexões de Entrada A ligação mínima recomendada na entrada do servoconversor é apresentada na figura 3.6 - Conexões de entrada. Como alternativa, pode-se usar um disjuntor no lugar do contator e da chave liga-desliga. O ponto de aterramento da rede pode ser observado na figura 3.4 - Bornes de potência e aterramento. 1 – Chave liga-desliga 2 – Rede de alimentação 3 – Contator 4 – Fusíveis

3

Figura 3.6: Conexões de entrada

PERIGO! Prever um dispositivo para seccionamento da alimentação do servoconversor. Este deve seccionar a rede de alimentação para o servoconversor quando necessário (por exemplo: durante trabalhos de manutenção).

ATENÇÃO! A rede que alimenta o servoconversor deve ter o neutro solidamente aterrado.

NOTA! A tensão de rede deve ser compatível com a tensão nominal do servoconversor.

NOTA! Capacitores para correção do fator de potência não são necessários na entrada (L1, L2, L3) e não devem ser conectados na saída (U, V, W). Capacidade da rede de alimentação O SCA06 é próprio para uso em um circuito capaz de fornecer não mais de que 30.000 Arms simétricos (220 V). Caso o SCA06 seja instalado em redes com capacidade de corrente maior que 30.000 Arms faz-se necessário circuitos de proteção adequados como fusíveis ou disjuntores. SCA06 | 3-7


Instalação e Conexão 3.2.3.2 Frenagem Reostática 3.2.3.2.1 Dimensionamento Na tabela 3.2 - Quantidade de resistores de frenagem por servoconversor – encontram-se os valores dos resistores recomendados para cada modelo de servoconversor, bem como a quantidade de resistores que podem ser ligados. Valores de resistência (ohms) menores não devem ser usados, pois danificam o circuito de comando da frenagem. Os dados referem-se ao conjunto RF200 oferecido pela WEG. Tabela 3.2: Quantidade de resistores de frenagem por servoconversor

3

Servoconversor SCA06B05P0D2C3

Resistor recomendado Modelo RF 200 (30Ω, 200 W, 2200 J)

Quantidade 1

Fiação mínima mm² (AWG) 1,5 (14)

O conjunto RF 200 vem montado em um suporte metálico pronto para ser instalado na máquina ou aplicação. Este resistor atende a grande maioria das aplicações. Mais detalhes podem ser vistos no item 8.3.3 - Resistor de frenagem RF 200. 3.2.3.2.2 Instalação do resistor de frenagem Conecte o resistor de frenagem entre os bornes de potência +UD e BR. Utilize cabo trançado para a conexão. A bitola mínima é informada na tabela 3.2 - Quantidade de resistores de frenagem por servoconversor. Separar estes cabos da fiação de sinal e controle. Se o resistor de frenagem for montado internamente ao painel do servoconversor, considerar a energia do mesmo no dimensionamento da ventilação do painel. PERIGO! O resistor e o transistor de frenagem poderão sofrer danos se o resistor não for devidamente dimensionado, se os parâmetros forem ajustados inadequadamente e/ou se a tensão de rede exceder o valor máximo permitido. Para garantir a proteção da instalação em caso de falha do circuito de frenagem e evitar a destruição do resistor ou risco de fogo, deve-se incluir um relé térmico em série com o resistor e/ou um termostato em contato com o corpo do mesmo, conectados de modo a desconectar a rede de alimentação de entrada do servoconversor em caso de sobreaquecimento do resistor, como mostrado na figura 3.7 - Conexões de frenagem reostática.

3-8 | SCA06


Instalação e Conexão

5 – Termostato 6 – Relé térmico 7 – Resistor de frenagem

3

Figura 3.7: Conexões de frenagem reostática Tabela 3.3: Ajuste do relé térmico para proteção do resistor de frenagem Modelo SCA06B05P0D2C3

Ajuste do relé térmico Relé térmico WEG Ajuste de corrente RW 27D (1,8 A a 2,8 A) 2,5 A

Tempo de atuação em caso de falha 20 s

NOTA! Nos contatos de força do bimetálico do relé térmico circula corrente contínua durante a frenagem.

SCA06 | 3-9


Instalação e Conexão 3.2.3.2.3 Conexões de saída As conexões de saída são feitas com o cabo de potência e o cabo de realimentação. Sempre deve-se usar a abraçadeira metálica para fazer o aterramento da blindagem do cabo de potência, conforme mostrado na figura 3.8 - Conexões de saída, para evitar interferência eletromagnética (RFI).

3

1 - Aterramento do servomotor (PE) 2 - Aterramento da blindagem do cabo (malha metálica exposta) 3 - Parafuso para fixação da abraçadeira sobre a malha metálica do cabo Figura 3.8: Conexões de saída

ATENÇÃO! As características do cabo utilizado para conexão do servoconversor ao servomotor, bem como a sua interligação e localização física, são de extrema importância para evitar interferência eletromagnética em outros dispositivos, além de afetar a vida útil do isolamento das bobinas e dos rolamentos dos servomotores.

ATENÇÃO! Se uma chave isoladora ou contator for inserido na alimentação do servomotor nunca os opere com o servomotor girando ou com tensão na saída do servoconversor.

3-10 | SCA06


Instalação e Conexão Instruções para os cabos do servomotor: A WEG oferece uma completa gama de cabos para interligar o servoconversor e o servomotor. A lista completa com as características e aplicações de cada modelo encontram-se no item 8.3.2 - Cabos para Servomotor. A seguir são apresentados os detalhes de instalação do cabo ao servoconversor. Instalação: Os cabos fornecidos pela WEG são preparados para uma instalação rápida, segura e confiável. A conexão ao servoconversor é feita ligando-se os cabos de alimentação do motor U-V-W ao conector do tipo “Plug-in” X8 e a ligação do cabo PE à carcaça do servoconversor. A blindagem do cabo deve ser ligada à carcaça através da abraçadeira. Os detalhes da instalação do cabo de potência podem ser observados na figura 3.8 - Conexões de saída. Se a conexão da blindagem não estiver de acordo com a orientação deste manual ou não for feita, pode ocasionar interferência eletromagnética (RFI) com outros equipamentos. 3.2.3.3 Considerações sobre aterramento PERIGO! Não compartilhe a fiação de aterramento com outros equipamentos que operem com altas correntes (ex.: motores de alta potência, máquinas de solda, etc.). Quando vários servoconversores forem utilizados siga o procedimento apresentado na figura 3.9 - Conexões de aterramento para mais de um servoconversor.

ATENÇÃO! O condutor neutro da rede que alimenta o servoconversor deve ser solidamente aterrado, porém, o mesmo não deve ser utilizado para aterramento do servoconversor.

PERIGO! O servoconversor deve ser obrigatoriamente ligado a um terra de proteção (PE). A localização do ponto de aterramento do SCA06 pode ser vista na figura 3.4 - Bornes de potência e aterramento. Observar o seguinte: „„ Utilizar fiação de aterramento com bitola no mínimo, igual a indicada na tabela 3.1 - Fiação / Fusíveis recomendados. Caso existam normas locais que exijam bitolas diferentes, estas devem ser seguidas. „„ Conectar os pontos de aterramento do servoconversor a uma haste de aterramento específica, ou ao ponto de aterramento específico ou ainda ao ponto de aterramento geral (resistência ≤ 10 Ω). „„ Para compatibilidade com a norma IEC 61800-5-1 utilizar no mínimo um cabo de cobre de 10 mm² ou 2 cabos com a mesma bitola do cabo de aterramento especificado na tabela 3.1 - Fiação / Fusíveis recomendados – para conexão do servoconversor ao terra de proteção, já que a corrente de fuga é maior que 3,5mAca.

SCA06 | 3-11

3


Instalação e Conexão

3

1 - Máquina 1 2 - Máquina 2 3 - Barra de aterramento da máquina 1 4 - Barra de aterramento da máquina 2 Figura 3.9: Conexões de aterramento para mais de um servoconversor

3-12 | SCA06


Instalação e Conexão 3.2.4 Conexões de controle 3.2.4.1 Alimentação do controle No produto standard, o controle deve ser alimentado separadamente através de uma fonte externa de 24Vcc conectada ao conector X5. Com isto, pode-se desligar toda a etapa de potência do servoconversor sem perder a comunicação do mesmo com outros equipamentos ligados em rede, por exemplo. Especificações da fonte externa de 24Vcc, -15%, +20%, corrente: 1A Obs.: A referência da fonte (-) é interligada ao Terra de Proteção (PE) através de um parafuso de aterramento. Caso isso não seja desejado ou caso ocorram problemas de correntes circulantes devido a fonte externa de 24Vcc também estar aterrada, pode-se abrir a conexão ao PE simplesmente retirando o parafuso de aterramento. 1 – Alimentação do controle 2 – Parafuso de aterramento da fonte de alimentação

Figura 3.10: Conexões de alimentação do controle

Os modelos SCA06B05P0D2C3W2 (*) possuem a fonte incorporada ao produto e não necessitam de fonte externa de +24 Vcc. Mais detalhes sobre o uso desta fonte podem ser encontrados no 8.1.2 – Alimentação interna do controle. (*) Disponível em breve.

SCA06 | 3-13

3


Instalação e Conexão 3.2.4.2 Entradas e saídas do controle As conexões de controle (entradas/saídas analógicas, entradas/saídas digitais), devem ser feitas no conector X1 do SCA06. As funções e conexões típicas são apresentadas na figura 3.11 - Conector X1. X1 1

3

Descrição

Função

C Saída digital 1 a relé

2

NA

3

DI1

4

DI2

5

COM 1,2

6

DI3

7

COM 3

8

AI1 +

9

Especificação

Vmáx: 240 Vca 200 Vcc Imáx.: 0,5 A

Entrada digital 1 optoacoplada Nível alto: ≥ 18 V Nível baixo: ≤ 3 V Tensão Max.: 30 V Corrente de entrada: 3,7 mA@24 Vcc Freqüência máxima: 500 kHz Tempo de atraso máximo: 0,5 us Entrada digital 2 optoacoplada

Entrada digital 3 optoacoplada

Nível alto: ≥ 18 V Nível baixo: ≤ 3 V Tensão Max.: 30 V Corrente de entrada: 11 mA @ 24 Vcc Tempo de atraso máximo: borda de subida = 10 us borda de descida = 50 us

Entrada analógica 1 diferencial

Sinal: -10 a +10 V Resolução: 12 bits Vmáx: ±14 V Impedância: 400 kΩ

AI1 -

Figura 3.11: Conector X1

Para correta instalação da fiação de controle, utilizar: 1) Bitola dos cabos: 0,5 mm² (20 AWG) a 1,5 mm² (14 AWG); 2) Torque máximo: 0,5 N.m (4,50 lbf.in); 3) Fiações em X1 com cabo blindado e separadas das demais fiações (potência, comando em 110 / 220 Vca, etc.), conforme a tabela 3.4 - Distâncias de separação entre fiações. Caso o cruzamento destes cabos com os demais seja inevitável, o mesmo deve ser feito de forma perpendicular entre eles, mantendo o afastamento mínimo de 5 cm neste ponto; 4) Relés, contatores, solenóides ou bobinas de freios eletromecânicos instalados próximos aos servoconversores podem eventualmente gerar interferências no circuito de controle. Para eliminar este efeito, supressores RC devem ser conectados em paralelo com as bobinas destes dispositivos, no caso de alimentação CA, e diodos de roda-livre no caso de alimentação CC.

3-14 | SCA06


Instalação e Conexão Tabela 3.4: Distâncias de separação entre fiações Comprimento da fiação ≤100 m (330 ft) > 100 m (330 ft)

Distância mínima de separação ≥ 10 cm (3,94 in) ≥ 25 cm (9,84 in)

A correta conexão da blindagem dos cabos é apresentada na figura 3.12 - Conexão da blindagem.

3 Figura 3.12: Conexão da blindagem

Figura 3.13: Exemplo de conexão da blindagem dos cabos de controle

3.2.4.3 Porta USB O SCA06 possui uma porta USB que permite que o servoconversor funcione como um device (escravo) numa comunicação USB. Esta porta esta disponível para comunicação do servoconversor com um computador pessoal e permite a leitura/escrita de parâmetros e download/monitoração do programa do usuário. Para isto a WEG disponibiliza um software (em CD que acompanha o kit manual ou via download no site da empresa) apropriado para ser usado no computador pessoal. „„ „„

Como esta é uma interface não isolada ela não deve ser usada para a operação do servoconversor, deve ser usada apenas para configuração no start-up deste. O cabo usado para a comunicação USB deve ser blindado, “standard host / device shielded USB cable”. Cabos sem blindagem podem provocar erros de comunicação.

Exemplo de cabos: USBC-AM-MB-B-B-S-1, fabricante Samtec, 1 metro; USBC-AM-MB-B-B-S-2, fabricante Samtec, 2 metros; USBC-AM-MB-B-B-S-3, fabricante Samtec, 3 metros; Os modelos SCA06B05P0D2C3P6 saem de fábrica com o conjunto de manuais do produto e também o cabo USB de 2 metros de comprimento.

SCA06 | 3-15


Instalação e Conexão

ATENÇÃO! O servoconversor e o computador devem estar no mesmo potencial de terra. Recomenda-se o uso de computadores do tipo Laptop (portátil) ao invés de desktops.

3

Figura 3.14: Conexão ao computador via USB

3.2.4.4 Rede CAN A interface CAN (Controller Area Network) é uma rede de comunicação isolada com velocidade de até 1 Mbaud, sendo que no SCA06 está implementado o protocolo CANopen (ver detalhes no manual do CANopen). É fornecida como padrão de fábrica em todos os SCA06. Sua ligação é feita no conector X4 conforme pinagem apresentada na figura 3.15 - Pinagem do conector da rede CAN. Recomenda-se a utilização de um cabo blindado com dois pares trançados de fios. É necessário também fornecer uma tensão de alimentação de 24 Vcc (-15%, +20%) ao conector da rede. Deve-se ainda utilizar um resistor (120 Ω) de terminação nos dispositivos extremos conectados à Rede CAN. Este resistor deve ser conectado entre os pinos 2 e 4 do conector. Conector X4 1 – V2 – CAN L 3 – Blindagem 4 – CAN H 5 – V+

Figura 3.15: Pinagem do conector da rede CAN

3-16 | SCA06


HMI

HMI Através da HMI é possível o comando do servoconversor, a visualização e o ajuste de todos os parâmetros deste. Possui um display de leds com seis dígitos de sete segmentos e quatro teclas, com as funcionalidades incremento, decremento, PROG e SHIFT.

4

1 – Led indicativo de comunicação USB 2 – Led indicativo de alimentação da Potência ligada 3 – Led indicativo de falha 4 – Tecla Reset 5 – Tecla incrementa 6 – Tecla PROG 7 – Tecla SHIFT 8 – Tecla decrementa

9 – Dígito 1 10 – Dígito 2 11 – Dígito 3 12 – Dígito 4 13 – Dígito 5 14 – Dígito 6 15 – Cartão de Memória Flash Figura 4.1: Ilustração da HMI

SCA06 | 4-1


HMI 4.1 TECLAS A HMI do servoconversor não é destacável e possui quatro teclas cuja funcionalidade é descrita a seguir: PROG: Tecla utilizada para mudar o modo dos parâmetros e/ou validar os valores alterados. Quando os parâmetros estão no modo busca, ao pressionar a tecla P, esses mudarão para o modo exibição ou alteração dependendo do parâmetro selecionado. Alguns parâmetros, cuja propriedade é PP (Pressione P), têm seu valor alterado somente após pressionar a tecla P. Para os parâmetros que podem ser alterados online, o servoconversor passa a utilizar o novo valor ajustado imediatamente e esses parâmetros possuem apenas dois modos, o modo busca (que apresenta a letra P seguida do número do parâmetro) e o modo alteração (que apresenta o conteúdo do parâmetro selecionado, permitindo a alteração). Os parâmetros que não devem ser alterados online possuem três modos, os dois citados acima e um intermediário que é o modo exibição, que apenas exibe o conteúdo do parâmetro sem permitir a alteração. Neste caso, o valor alterado (já no modo alteração) somente é utilizado pelo servoconversor após ser pressionada a tecla P, retornando para o modo busca. Pressionando a tecla P nos parâmetros que não são “Somente Leitura” o valor contido no parâmetro é automaticamente gravado na memória não volátil do servoconversor, exceto quando o parâmetro P0664 = 0, ficando retido até nova alteração.

4

DECREMENTA: Tecla utilizada para navegar de forma decrescente pelos parâmetros, ou quando no modo alteração, decrementar o conteúdo do respectivo parâmetro. INCREMENTA: Tecla utilizada para navegar de forma crescente pelos parâmetros, ou quando no modo alteração, incrementar o conteúdo do respectivo parâmetro. SHIFT: Quando a tecla for pressionada no modo Exibição, o parâmetro volta ao modo Busca, exibindo o número do parâmetro. Quando pressionada no modo alteração, permite que o usuário desloque o digito que deseja alterar e este aparecerá piscando na HMI indicando que é o dígito selecionado. Por exemplo: P0100 no Modo alteração: HMI exibe o valor 0020.0 com o dígito 1 (valor 0) piscando. O usuário deseja alterar o 5° dígito. Para isso, ele deve pressionar 4 vezes a tecla SHIFT, com isso o dígito 5 (valor 0) começará a piscar indicando que ao pressionar a tecla incrementa ou decrementa seu valor será alterado. Reset

Localizada acima das teclas da HMI, esta tecla é acessada com o auxílio de uma pequena chave de fenda ou similar. Seu efeito é o mesmo de desligar e religar o controle, ou seja, sempre que pressionada reinicializará o software do servoconversor.

Observações Gerais: „„ Para alterar o valor de um parâmetro é necessário ajustar antes P0000 = Valor da Senha, exceto quando a opção “Desabilita Senha” está acionada (P0200 = 0). O valor da senha padrão de fábrica é P0000 = 00005. Caso contrário só será possível visualizar os parâmetros, mas não modificá-los. 4.2 LEDS Led USB Indica que há comunicação entre o servoconversor e algum outro dispositivo conectado a rede USB. Led Power on Indica que os circuitos de potência estão ligados ou com energia residual, caso o servoconversor esteja desligado. PERIGO! Nunca tocar nos terminais e/ou componentes do servoconversor enquanto este led estiver aceso.

Led Fault Indica que houve alguma falha no servoconversor. O código da falha pode ser observado na HMI do servoconversor e solucionado através de consulta ao capítulo 7 - DIAGNÓSTICO DE PROBLEMAS E MANUTENÇÃO. 4-2 | SCA06


Memória Flash

CARTÃO DE MEMÓRIA FLASH Funções: „„ „„

rmazena a imagem dos parâmetros e/ou programa do usuário do servoconversor; A Permite transferir parâmetros e/ou programa do usuário armazenados no cartão de memória FLASH para o servoconversor;

Para mais detalhes consulte o Manual de Programação do SCA06. ATENÇÃO! Antes de conectar ou desconectar o cartão de memória FLASH, desenergizar o circuito de controle do servoconversor.

5

Figura 5.1: Memória Flash

SCA06 | 5-1


Mem贸ria Flash

5

5-2 | SCA06


Energização e Colocação em Funcionamento

ENERGIZAÇÃO E COLOCAÇÃO EM FUNCIONAMENTO Este capítulo explica: „„ „„ „„

omo verificar e preparar o servoconversor antes da energização. C Como energizar e verificar o sucesso da energização. Como programar o servoconversor de acordo com o servomotor utilizado na aplicação, utilizando a rotina de Start-Up orientado.

6.1 PREPARAÇÃO E ENERGIZAÇÃO O servoconversor já deve ter sido instalado de acordo com o capítulo 3 - INSTALAÇÃO E CONEXÃO. Caso o projeto do acionamento seja diferente dos acionamentos típicos sugeridos, os passos seguintes também podem ser seguidos. PERIGO! Sempre desconectar a alimentação geral antes de efetuar quaisquer conexões.

1) Verificar se as conexões de potência, aterramento e de controle estão corretas e firmes; 2) Medir a tensão da rede e verificar se está dentro da faixa permitida, conforme apresentado no item 9.1 - DADOS DA POTÊNCIA; 3) Medir a tensão da fonte de 24 Vcc destinada a alimentação do controle e verificar se está dentro da faixa permitida, conforme apresentado no item 9.2 - DADOS DA ELETRÔNICA / GERAIS; 4) Desacoplar mecanicamente o servomotor da carga: Se o servomotor não pode ser desacoplado, deve-se ter certeza que o giro em qualquer direção (horário ou antihorário) não causará danos à máquina ou risco de acidentes; 5) Energizar o controle: A HMI deve mostrar P00000; 6) Energizar a potência: Fechar a seccionadora de entrada. O led vermelho “Power on” deve acender. 6.2 PROGRAMAÇÃO E OPERAÇÃO O SCA06 além da sua função básica de servoconversor possui mais duas funcionalidades: PLC e Posicionador, as quais são acessíveis via programação em linguagem ladder em um computador pessoal usando o software de programação WEG apropriado1. O servoconversor pode ser controlado por um dispositivo externo (como um CNC, por exemplo) via entradas/saídas analógicas/digitais ou via rede (rede CANopen por exemplo). Pode-se também operar de forma independente utilizando-se de suas funções de PLC/Posicionador via programação ladder. A maneira de operação do servoconversor é definida primariamente pelo parâmetro P0202: 1) Controle via dispositivo externo usando I/Os Analógicos/Digitais: programar P0202 em 1, 2 ou 3 conforme a aplicação; 2) Controle via dispositivo externo usando rede CANopen: programar P0202 em 5; 3) Controle via programação ladder do SCA06: programar P0202 em 4. 1 Disponível via download do site da WEG ou no cd que acompanha o kit manual

SCA06 | 6-1

6


Energização e Colocação em Funcionamento No primeiro caso também se faz necessária a programação dos parâmetros relativos aos I/Os Analógicos/Digitais conforme a aplicação. No segundo caso faz-se necessária a programação dos parâmetros da rede CANopen e finalmente no terceiro caso deve-se carregar no servoconversor um programa ladder feito no microcomputador (usando-se o software WEG apropriado) que executará as funções necessárias para a aplicação. Mesmo que o parâmetro P0202 não esteja programado na opção 4 é possível executar-se um programa ladder no SCA06, mas neste caso o ladder não controlará o eixo, só poderá executar outras funções auxiliares como lógica, etc. Da mesma forma que se o parâmetro P0202 não estiver programado na opção 5 a rede CANopen continua passível de utilização, apenas não podendo controlar o eixo. O SCA06 possui malhas de controle de corrente (torque e fluxo), velocidade e posição. A malha de controle de corrente sempre é utilizada e para a parametrização desta é necessário programar o modelo do servomotor WEG no parâmetro P0385; fazendo-se isto todos os parâmetros desta malha são programados em acordo com o modelo do servomotor programado. As malhas de velocidade e posição podem ou não ser utilizadas fazendo-se necessária, no caso de sua utilização, a programação dos parâmetros relativos a estas. 6.2.1 Exemplo 1: Operação em modo velocidade com referência via parâmetro 1) Ajuste da senha para alteração de parâmetros (P00000); 2) Programação do motor a ser usado; 3) Habilitação e controle da velocidade via parâmetro. 6.2.1.1 Ajuste da Senha em P00000 Seqüência

6

Ação / Resultado

Indicação no display

1

SCA06 energizado, sem falhas. (Modo busca)

2

Apertar a tecla . Com isso, entra-se no conteúdo do parâmetro P00000. O digito selecionado fica piscante. (Modo alteração)

3

Ajustar a senha pressionando número 5 aparecer no display.

4

Apertar a tecla

6-2 | SCA06

até o

. O valor é gravado.

Figura 6.1: Seqüência para liberação da alteração de parâmetros por P00000


Energização e Colocação em Funcionamento 6.2.1.2 Programação do motor a ser usado Motor a ser usado no exemplo: SWA-56-2.5-20 Seqüência

Ação / Resultado

1

SCA06 energizado. (Modo busca)

2

Apertar a tecla P0385.

3

Apertar a tecla . Com isso, entra-se no conteúdo do parâmetro P0385. (Modo exibição)

Indicação no display

até chegar ao parâmetro

6

4

Apertar a tecla novamente. Com isso entrase no modo de edição do parâmetro e o dígito menos significativo torna-se piscante. (Modo alteração)

5

Apertar a tecla até chegar ao valor correspondente ao motor SWA 56-2,5-20, no caso, 22.

6

Apertar a tecla

. O valor é gravado.

Figura 6.2: Seqüência para programação do servomotor a ser usado

SCA06 | 6-3


Energização e Colocação em Funcionamento 6.2.1.3 Habilitação e controle da velocidade via parâmetro Seqüência

Ação / Resultado

1

SCA06 energizado, sem falhas.

2

Apertar a tecla até chegar ao parâmetro P0099. Este parâmetro fará com que haja pulsos PWM no motor, ou seja, ele poderá girar, dependendo somente da referência de velocidade em P121.

3

Apertar a tecla . Com isso, entra-se no conteúdo do parâmetro P0099.

4

Apertar a tecla uma vez, para mudar o valor do conteúdo de 0 para 1.

5

Apertar a tecla

6

Apertar a tecla P0121.

6

6-4 | SCA06

. O valor é gravado.

até chegar ao parâmetro

Indicação no display


Energização e Colocação em Funcionamento

Seqüência

Ação / Resultado

7

Apertar a tecla . Com isso, entra-se no conteúdo do parâmetro P0121.

8

Apertar a tecla para ir aumentando a velocidade. O servomotor deve estar girando a velocidade programada.

9

Indicação no display

Programar a velocidade desejada e apertar a tecla

para gravar o conteúdo.

10

Apertar a tecla P0099.

11

Apertar a tecla para entrar no conteúdo do parâmetro P0099.

12

Apertar a tecla . Com isso, o motor ira parar, ou seja, estará desabilitado. Toda vez que P0099 for habilitado, o motor irá girar a velocidade programada em P121.

6

até chegar ao parâmetro

Figura 6.3: Seqüência para habilitação do servomotor

SCA06 | 6-5


Energização e Colocação em Funcionamento 6.2.2 Exemplo 2: Operação em modo velocidade - usando acessório EAN 1 - com controle de posição feito por dispositivo externo (CNC, por exemplo) Parâmetros a programar: Ajustar senha P00000 = 5 Programar motor P00385 = de acordo com o modelo disponível Programar modo de operação P00202 = 2 Programar DI1 para Habilitação P00300 = 1 Programar Erro via DO1 P00280 = 6 Programar referência de velocidade via AI2 P00238 = 2 Programar número de pulsos do simulador de encoder P340 = número de pulsos desejado (0 a 4096 pulsos para rotações até 3000 rpm e 0 a 1024 pulsos para rotações acima de 3000 rpm. Conexões: Realimentação de posição para o CNC via Simulador de Encoder e conexões e entradas e saídas, conforme a seguir: 1 – Entrada Digital 2 – Comando de Habilitação 3 – Saída Digital 4 – Saída digital a relé 5 – Comando de Erro 6 – Entrada Digital 7 – Entrada Analógica 8 – Sinal de Referência de velocidade 9 – Saída Analógica 10 – Saída de Simulador de encoder 11 – Sinal de Realimentação de Posição 12 – Entrada de encoder 13 – Acessório EAN 1

6

Figura 6.4: Exemplo de aplicação número 2

6-6 | SCA06


Energização e Colocação em Funcionamento 6.2.3 Exemplo 3: Operação usando programação Ladder Parâmetros a programar: Ajustar senha P00000 = 5 Programar motor P00385 = de acordo com o modelo disponível Programar modo de operação P00202 = 4 Conexões: Conectar o computador ao SCA06 via USB. No computador usando o software WEG apropriado escreve-se e compila-se o programa Ladder. O programa deve ser enviado via interface USB para o SCA06 para que possa ser executado.

6

Figura 6.5: Exemplo de aplicação número 3

Mais detalhes de programação devem ser vistos no Manual de Programação do SCA06.

SCA06 | 6-7


Energização e Colocação em Funcionamento

6

6-8 | SCA06


Diagnóstico de Problemas e Manutenção

DIAGNÓSTICO DE PROBLEMAS E MANUTENÇÃO Este capítulo apresenta: „„ „„ „„ „„

ista de todas as falhas e alarmes que podem ser apresentados. L Indica as causas mais prováveis de cada falha e alarme. Lista problemas mais freqüentes e ações corretivas. Apresenta instruções para inspeções periódicas no produto e manutenção preventiva.

7.1 FUNCIONAMENTO DAS FALHAS E ALARMES Quando identificado o "ALARME" (AXXX) ocorre: „„ „„

Indicação do código numérico do alarme na HMI; Não ocorre bloqueio dos pulsos PWM, o servoconversor permanece em operação.

Quando identificada a “FALHA” (FXXX) ocorre: „„ „„ „„ „„ „„

Bloqueio dos pulsos do PWM; Indicação do código numérico da falha na HMI; Led vermelho “FAULT” é ligado; Desligamento do relé que estiver programado para “SEM FALHA”; Salvamento de alguns dados na memória EEPROM do circuito de controle: O código da “FALHA” ou "ALARME" ocorrido (desloca as falhas anteriores);

Para o servoconversor voltar a operar normalmente logo após a ocorrência de uma “FALHA” é preciso resetá-lo, que pode ser feito da seguinte forma: „„ „„ „„ „„

Desligando a alimentação do controle e ligando-a novamente (power-on reset); Pressionando a tecla RESET; Alterando-se o valor do parâmetro P0219 de 0 para 1 (borda de subida); Via entrada digital: DIx=6.

7.2 ALARMES, FALHAS E POSSÍVEIS CAUSAS Com o objetivo de auxiliar o usuário a identificar e solucionar possíveis falhas que possam ocorrer no SCA06, a tabela 7.1 - “Alarmes”, “Falhas” e causas mais prováveis – apresenta uma descrição mais detalhada dos alarmes e falhas.

SCA06 | 7-1

7


Diagnóstico de Problemas e Manutenção Tabela 7.1: “Alarmes”, “Falhas” e causas mais prováveis Alarme

Descrição

Possíveis Causas

A0003

Fonte de 24 V com nível de tensão fora dos limites especificados (20 Vcc a 30 Vcc)

„„ Fonte de 24 V externa com tensão muito alta ou muito baixa „„ Ripple excessivo na fonte, ultrapassando os limites especificados

A0052

Alarme ao tentar ativar o bloco MC em Single Mode quando outro bloco já está em execução

„„ Tentativa de executar bloco MC com Buffer Mode programado em

A0078 A0100

Bloco MC não executado Erro no acessório EAN1

„„ Falha interna

A0104

Erro na leitura da EEPROM

„„ Defeito na memória não volátil „„ Erro interno na comunicação com a EEPROM

A0105

Erro na escrita da EEPROM

„„ Defeito na memória não volátil „„ Erro interno na comunicação com a EEPROM

A0107

Estouro da pilha que armazena os parâmetros a serem gravados na EEPROM

„„ Defeito na memória não volátil „„ Erro interno na comunicação com a EEPROM

A0120

Conflito de Habilitação/Desabilitação do servoconversor

„„ Mais de um dispositivo programado para habilitar  ou desabilitar  o 

A0122

Tentativa de escrita em parâmetro de somente leitura

A0124

Aviso que o motor está habilitado

A0125 A0126

Parâmetro inexistente Valor fora dos limites

A0127

Valor inicial do parâmetro fora dos limites

A0133

Interface CAN sem alimentação

SINGLE, quando outro bloco MC já está sendo executado „„ Defeito no circuito interno do acessório EAN1

servoconversor „„ Tentativa de escrita em parâmetro de somente leitura „„ Tentativa de alteração de parâmetro que exige que o motor esteja

desabilitado „„ Tentativa de acesso a algum parâmetro que não existe „„ Tentativa de escrita de um valor fora do limite em algum parâmetro „„ Erro de leitura da EEPROM „„ Valor armazenado incorretamente na EEPROM „„ Algum protocolo que utiliza a interface CAN está habilitado, porém

esta interface não está sendo alimentada „„ Dispositivos conectados na rede CAN com taxas de comunicação

7

„„ „„ „„ „„

diferentes Falta de resistores de terminação Curto circuito, mau contato ou fiação trocada entre os cabos de ligação Cabo muito longo para a taxa de transmissão selecionada Aterramento inadequado do dispositivo ou da malha

A0134

Interface CAN: Bus off

A0135

Interface CAN: Erro de guarda do escravo

„„ Erro específico da comunicação CANopen „„ Para mais informações consulte o manual da comunicação CANopen

A0136

Mestre DeviceNet em Idle

„„ Erro específico da comunicação DeviceNet „„ Para mais informações consulte o manual da comunicação DeviceNet

A0137

Timeout na Conexão DeviceNet

„„ Erro específico da comunicação DeviceNet „„ Para mais informações consulte o manual da comunicação DeviceNet

A0150

Temperatura elevada no dissipador da potência (>117 °C)

„„ „„ „„ „„

A0152

Temperatura elevada do ar interno (>88 °C)

„„ Temperatura ambiente elevada „„ Ventilador interno bloqueado ou defeituoso „„ Temperatura ambiente ao redor do servoconversor muito alta

A0164

Alarme quando a corrente for menor que 3,5 mA (se utilizado o acessório EAN1 e selecionado a opção P0240 = 1)

A0174

Obstrução parcial do ventilador interno

A0175

Ventilador interno bloqueado

„„ Sujeira ou corpo estranho causando parada do ventilador interno

A0826

CRC do aplicativo ladder errado

„„ Defeito na memória flash interna „„ Falha no download do aplicativo

A0834

Cartão de memória desconectado

„„ Ausência do cartão de memória „„ Falha no circuito interno do cartão „„ Cartão de memória mal conectado

A1088

Erro na comunicação da HMI

„„ Erro na comunicação interna com a HMI

7-2 | SCA06

Corrente de saída elevada Ventilador interno bloqueado ou defeituoso Temperatura ambiente ao redor do servoconversor muito alta Dissipador sujo ou obstruído

„„ Ausência do sinal de corrente, ocasionado provavelmente por fio

partido. „„ Sujeira ou corpo estranho causando diminuição da rotação do

ventilador interno


Diagnóstico de Problemas e Manutenção Tabela 7.1: “Alarmes”, “Falhas” e causas mais prováveis Falhas

Descrição

F0001

Sobretensão no link CC UD>395 V

F0002

Subtensão no link CC UD<230 V

F0005

Sobrecarga no servomotor

F0006

Falha externa

F0011

Falta à terra

F0025

Acessório em Slot inapropriado

F0027

Falta do cartão jumper

F0032

Cabo de Resolver desconectado ou sobretemperatura no servomotor

F0033

Interface CAN sem alimentação

„„ „„ „„ „„ „„ „„ „„ „„ „„ „„ „„ „„ „„ „„ „„ „„ „„ „„ „„ „„ „„

F0034

Interface CAN: Bus off

F0035

Interface CAN: Erro de guarda do escravo

F0036

Mestre DeviceNet em Idle

F0037

Timeout na Conexão DeviceNet

F0049

Erro de lag de parada maior que o máximo configurado em P0781 (verifica erro somente ao final do posicionamento)

F0050

Erro de lag de seguimento maior que o máximo configurado em P0782 (verifica erro durante toda a trajetória)

F0058

Falta de referência do mestre

F0070

Falha de sobrecorrente na saída detectado por hardware

F0071

Falha de sobrecorrente na saída detectado por software

F0084

Falha na identificação de hardware

F0151

Sobretemperatura no dissipador (>122 °C)

F0153

Sobretemperatura do ar interno (>93 °C)

F0255

Erro interno no cartão de controle

F0824

Erro de escrita no cartão de memória flash

F0825

Erro de escrita na memória flash interna

F0827

Erro no CRC do cartão de memória

F0829 F1100

Aplicativo excedeu tempo de execução programado Falha interna de inicialização

„„ „„ „„ „„ „„ „„ „„ „„ „„ „„ „„ „„ „„ „„ „„ „„ „„ „„ „„ „„ „„ „„ „„ „„ „„ „„ „„ „„ „„ „„ „„ „„ „„ „„ „„ „„ „„ „„ „„ „„ „„ „„

Possíveis Causas Tensão de alimentação alta Carga com inércia muito elevada Tempo de desaceleração muito pequeno Falta do resistor de frenagem Tensão de alimentação baixa Falta de fase na entrada Falha no circuito de pré-carga Carga no eixo muito alta Inércia elevada Fiação nas entradas digitais (programadas para falha externa) aberta Ocorreu erro externo Curto circuito para o terra em uma ou mais fases de saída Capacitância dos cabos do motor para o terra muito elevada, ocasionando picos de corrente na saída Falha na isolação interna do motor Acessório conectado em slot não destinado ao acessório Ausência do cartão jumper na potência Cartão mal conectado Cabo do resolver com defeito, mal conectado ou não instalado Sobrecarga térmica no servomotor (excesso de carga, ciclo de trabalho inadequado, limite de corrente inadequado, etc.) Algum protocolo que utiliza a interface CAN está habilitado, porém esta interface não está sendo alimentada Dispositivos conectados na rede CAN com taxas de comunicação diferentes Falta de resistores de terminação Curto circuito, mau contato ou fiação trocada entre os cabos de ligação Cabo muito longo para a taxa de transmissão selecionada Aterramento inadequado do dispositivo ou da malha Erro específico da comunicação CANopen Para mais informações consulte o manual da comunicação CANopen Erro específico da comunicação DeviceNet Para mais informações consulte o manual da comunicação DeviceNet Erro específico da comunicação DeviceNet Para mais informações consulte o manual da comunicação DeviceNet Rampas programadas com valores que o motor não consegue seguir Ganho de posição baixo Tipo do motor programado incorretamente (P0385) Relação Idinâmico/Inominal (P0136) muito baixa Mecânica travada Rampas programadas com valores que o motor não consegue seguir Ganho de posição baixo Tipo do motor programado incorretamente (P0385) Relação Idinâmico/Inominal (P0136) muito baixa Mecânica travada Mestre do sincronismo desativado Curto circuito entre fases do motor Defeito na potência do servoconversor Sobrecorrente no servomotor devido a parametrização Curto circuito entre fases do motor Defeito na potência do servoconversor Sobrecorrente no servomotor devido a parametrização Defeito no circuito interno do cartão de controle Corrente de saída elevada Ventilador interno bloqueado ou com defeito Temperatura ambiente ao redor do servoconversor muito alta Dissipador sujo ou obstruído Temperatura ambiente alta Ventilador interno bloqueado ou com defeito Temperatura ambiente ao redor do servoconversor muito alta Defeito no circuito interno do cartão de controle Cartão de memória mal conectado Defeito interno no cartão de memória Defeito interno no cartão de controle Arquivo contido no cartão de memória flash não compatível ou corrompido Tempo de execução do aplicativo está maior que o tempo programado no parâmetro P0771 Defeito no circuito interno do cartão de controle

SCA06 | 7-3

7


Diagnóstico de Problemas e Manutenção 7.3 SOLUÇÃO DOS PROBLEMAS MAIS FREQUENTES Tabela 7.2: Soluções dos problemas mais freqüentes Problema Display não liga

Ponto a ser verificado Tensão de alimentação do controle (X5)

Ação corretiva 1. Verificar se o valor está entre 20 e 30 Vcc. 2. Verificar se a polaridade está correta.

Disjuntor diferencial desarma

Disjuntor diferencial Filtro RFI

1. Verificar se a corrente de desarme do disjuntor é muito baixa. 1. Desconectar o filtro RFI interno ao servoconversor retirando o parafuso na lateral do SCA06.

Servomotor não gira

Fiação errada

1. Verificar todas as conexões de potência e comando. Por exemplo, as entradas digitais DIx programadas como habilitação ou erro externo devem estar conectadas ao +24V. 1. Verificar se o sinal externo está conectado apropriadamente. 2. Verificar o estado do potenciômetro de controle (se utilizado).

Referência analógica (se utilizada)

Velocidade do motor varia (flutua)

1. Verificar se os parâmetros estão com os valores corretos para a aplicação.

Erro

1. Verificar se o Servoconversor não está bloqueado devido a uma condição de erro detectada (ver linha anterior). 2. Verificar se não existe curto-circuito entre os bornes X1:10 e 12 (curto na fonte de 24 Vcc).

Motor travado

1. Nos Servomotores com opção de freio, verificar a alimentação do mesmo. 2. Verificar se a máquina não está com problemas mecânicos. 1. Bloquear Servoconversor, desligar a alimentação e apertar todas as conexões.

Conexões frouxas Potenciômetro de referência com defeito Variação da referência analógica externa Ganhos do regulador de velocidade muito baixos

1. Substituir potenciômetro. 1. Identificar motivo da variação. 1. Rever o ajuste dos ganhos do regulador de velocidade na condição real de carga.

Programação errada (modelo do servomotor e limites da referência)

1. Verificar se os conteúdos de P385 (modelo do servomotor), P121 (limite de velocidade) estão de acordo com o motor e a aplicação.

Sinal de controle da referência (se utilizada)

1. Verificar o nível do sinal de controle da referência. 2. Verificar programação (ganhos e offset) das entradas analógicas.

Dados de placa do motor Programação errada (modelo do servomotor)

1. Verificar se o motor utilizado está de acordo com a aplicação. 1. Verificar programação de P385.

Ganhos do regulador de velocidade muito altos

1. Rever o ajuste dos ganhos do regulador de velocidade na condição real de carga.

Saída de simulação de encoder informando pulsos mesmo com servomotor parado

Programação errada (modelo do servoconversor)

1. Verificar o conteúdo de P385.

Ganhos do regulador de velocidade excessivamente altos

1. Diminuir um pouco os ganhos do regulador de velocidade (rever ajuste do regulador de velocidade).

Relógio de tempo real desajustado

Bateria

1. Ver item 7.4 - Bateria

Velocidade do motor muito alta ou muito baixa

Servomotor com vibração excessiva

7

Programação errada

7-4 | SCA06


Diagnóstico de Problemas e Manutenção 7.4 BATERIA A bateria é usada para manter a operação do relógio quando o servoconversor é desenergizado. Para removêla retirar a tampa protetora (ou um acessório, conforme item 8.2 - ACESSÓRIOS) localizada na parte frontal do servoconversor e em seguida rotacionar e retirar a tampa da bateria. Substituir a bateria, quando necessário, por outra do tipo CR2032. 1 - Bateria tipo CR2032

Figura 7.1: Localização da bateria

ATENÇÃO! A bateria deve ser instalada com o servoconversor desenergizado.

7 OBSERVAÇÃO Ao final da vida útil, não depositar a bateria em lixo comum e sim em local próprio para descarte de baterias. 7.5 DADOS PARA CONTATO COM A ASSISTÊNCIA TÉCNICA NOTA! Para consultas ou solicitação de serviços, é importante ter em mãos os seguintes dados: „„ Modelo do servoconversor; „„ Número de série e data de fabricação constantes na etiqueta de identificação do produto (consulte item 2.4 - ETIQUETAS DE IDENTIFICAÇÃO DO SCA06); „„ Versão de firmware instalada (consulte P0023); „„ Dados da aplicação e da programação efetuada; „„ Modelo do servomotor;

SCA06 | 7-5


Diagnóstico de Problemas e Manutenção 7.6 MANUTENÇÃO PREVENTIVA PERIGO! „„ Sempre desconectar a alimentação geral antes de tocar em qualquer componente elétrico associado ao servoconversor; „„ Altas tensões podem estar presentes mesmo após a desconexão da alimentação; „„ Aguardar pelo menos 10 minutos para a descarga completa dos capacitores da potência ou esperar até o led vermelho “Power on” apagar; „„ Sempre conectar a carcaça do equipamento ao terra de proteção (PE) no ponto adequado para isto.

ATENÇÃO! Os cartões eletrônicos possuem componentes sensíveis a descargas eletrostáticas. Não tocar diretamente sobre os componentes ou conectores. Caso necessário, tocar antes na carcaça metálica aterrada ou utilizar pulseira de aterramento adequada.

Não executar nenhum ensaio de tensão aplicada no servoconversor! Caso seja necessário consultar a WEG. Quando instalados em ambiente e condições de funcionamento apropriado, os servoconversores requerem pequenos cuidados de manutenção. A tabela 7.3 - Manutenção preventiva – lista os principais procedimentos e intervalos para manutenção de rotina. A tabela 7.4 - Inspeções periódicas a cada 6 meses – lista as inspeções semestrais sugeridas no produto, depois de colocado em funcionamento. Tabela 7.3: Manutenção preventiva Manutenção Troca da bateria da HMI

7 Capacitores eletrolíticos

7-6 | SCA06

Intervalo A cada 10 anos.

Instruções Consultar item 7.4 - BATERIA.

Se o servoconversor estiver estocado (sem uso): “Reforming”

A cada ano, contado a partir da data de fabricação informada na etiqueta de identificação do servoconversor (consultar item 2.4 - ETIQUETAS DE IDENTIFICAÇÃO DO SCA06).

Alimentar servoconversor com tensão entre 220 e 230 Vca monofásica ou trifásica, 50 ou 60 Hz, por 1 hora no mínimo. Após, desenergizar e esperar no mínimo 24 horas antes de utilizar o servoconversor (reenergizar).

Servoconversor em uso: troca

A cada 10 anos.

Contatar a assistência técnica da WEG para obter procedimento.


Diagnóstico de Problemas e Manutenção Tabela 7.4: Inspeções periódicas a cada 6 meses Componente Terminais, conectores

Sistema de ventilação

Cartões de circuito impresso Módulo de potência / Conexões de potência Capacitores do barramento CC (Circuito Intermediário) Resistores de potência Dissipador

Anormalidade Parafusos frouxos Conectores frouxos Sujeira no ventilador Ruído acústico anormal Ventilador parado Vibração anormal Poeira nos filtros de ar dos painéis Acúmulo de poeira, óleo, umidade, etc. Odor Acúmulo de poeira, óleo, umidade, etc. Parafusos frouxos Descoloração / odor / vazamento de eletrólito Dilatação da carcaça Descoloração Odor Acúmulo de poeira Sujeira

Ação Corretiva Aperto Limpeza Substituir ventilador Limpeza ou substituição Limpeza Substituição Limpeza Aperto Substituição Substituição Limpeza

7.6.1 Instruções de limpeza Quando necessário limpar o servoconversor, seguir estas instruções: Sistema de ventilação: „„ „„ „„

Seccionar a alimentação de controle e da potência do servoconversor e aguardar 10 minutos. Remover o pó depositado nas entradas de ventilação, utilizando uma escova plástica ou uma flanela. Remover o pó acumulado sobre as aletas do dissipador e pás do ventilador, utilizando ar comprimido.

Cartões eletrônicos: „„ „„ „„ „„

Seccionar a alimentação de controle e da potência do servoconversor e aguardar 10 minutos. Remover o pó acumulado sobre os cartões, utilizando uma escova antiestática ou pistola de ar comprimido ionizado (Exemplo: Charges Burtes Ion Gun (non nuclear) referência A6030-6DESCO). Se necessário, retirar os cartões de dentro do servoconversor. Utilizar sempre pulseira de aterramento.

SCA06 | 7-7

7


Diagnóstico de Problemas e Manutenção

7

7-8 | SCA06


Opcionais e Acessórios

OPCIONAIS E ACESSÓRIOS Este capítulo apresenta: „„

„„ „„ „„

Os dispositivos opcionais que podem vir de fábrica adicionados aos servoconversores: - Filtro supressor de RFI interno; - Alimentação interna do circuito de controle. Instruções para uso dos opcionais. Os acessórios que podem ser adicionados aos servoconversores pelo usuário. Os equipamentos periféricos que podem ser instalados em conjunto com o SCA06.

Os detalhes de instalação, operação e programação dos acessórios são apresentados nos respectivos manuais e não estão incluídos neste capítulo. 8.1 OPCIONAIS Para assegurar o correto funcionamento, os Cartões opcionais são instalados pela fábrica e não devem ser instalados pelo usuário. Alguns modelos não podem receber todas as opções apresentadas. A tabela 9.1 Especificações técnicas para a linha SCA06 – informa a disponibilidade de opcionais para cada modelo de servoconversor. O código do servoconversor segue o apresentado no item 2.4 - ETIQUETAS DE IDENTIFICAÇÃO DO SCA06. 8.1.1 Filtro RFI interno O filtro é standard no SCA06B05P0D2C3. Sua função é reduzir a perturbação conduzida do servoconversor para a rede elétrica na faixa de altas freqüências (>150 kHz). É necessário para o atendimento dos níveis máximos de emissão conduzida de normas de compatibilidade eletromagnética como a EN 61800-3 e EN 55011. Para o correto funcionamento é necessário a instalação do servoconversor, servomotor, cabos, etc., de acordo com o apresentado no item 3.2 - INSTALAÇÃO ELÉTRICA. Como este filtro é composto de capacitores ligados entre as fases de entrada e o Terra, existirá uma corrente de fuga. O valor de corrente de fuga é listado na tabela 8.1 - Corrente de fuga do filtro RFI interno. O interruptor diferencial residual (DR) deverá ser dimensionado para suportar esta corrente de fuga sem atuar. Tabela 8.1: Corrente de fuga do filtro RFI interno Modelo SCA06B05P0D2C3

Corrente de fuga 30 mA

Caso esta corrente de fuga seja indesejável, pode-se desativar o filtro de EMC retirando-se o parafuso existente na lateral do produto, conforme a figura 8.1 - Desconexão do filtro RFI interno. Neste caso o filtro ficará inativo e os níveis de emissão de ruído eletromagnético serão maiores, podendo interferir significativamente em equipamentos próximos ou conectados na mesma rede de alimentação. A WEG não recomenda esse tipo de instalação.

Figura 8.1: Desconexão do filtro RFI interno

SCA06 | 8-1

8


Opcionais e Acessórios 8.1.2 Alimentação interna do controle Servoconversores com código SCA06B05P0D2C3W2. Este servoconversor dispensa o uso de uma fonte de alimentação do controle (24 Vcc) externa, ou seja, deve ser usado quando não é desejada a alimentação separada do controle. O próprio servoconversor gera a fonte de 24 Vcc internamente através do cartão adicional SAS (Servo Auxiliary Supply) e ainda a disponibiliza para que o usuário possa alimentar pequenos circuitos como entradas digitais, por exemplo. Neste caso, o conector X5 passa a ser uma saída de 24 Vcc, com capacidade de 500 mA para ser usada pelo usuário. É importante observar que esta fonte não é realimentada, e por isso, está sujeita a variações em função da carga. Para checar se a alimentação interna do controle está montada deve-se ler o parâmetro P0095. Obs.: Disponível em breve. 8.2 ACESSÓRIOS Os acessórios são incorporados de forma simples e rápida aos servoconversores, usando o conceito "Plug and Play", pelo próprio usuário. Quando um acessório eletrônico é conectado aos slots, o circuito de controle identifica o modelo e informa o código do acessório conectado, em P0091, P0092 ou P0093. ATENÇÃO! Os acessórios devem ser instalados com o servoconversor desenergizado.

Todos os modelos de acessórios disponíveis são apresentados a seguir e podem ser adquiridos separadamente. São fornecidos em embalagem própria contendo os componentes e manuais com instruções detalhadas para instalação, operação e programação dos mesmos. 8.2.1 ECO 1 Entradas e saídas disponíveis: - 1 porta de comunicação serial RS232 isolada - 1 porta de comunicação serial RS485 isolada Slot em que pode ser instalado: Slot 1 e Slot 2

8

Figura 8.2: Acessório ECO 1

8-2 | SCA06


Opcionais e Acessórios 8.2.2 EAN 1 Entradas e saídas disponíveis: - 1 Simulador de encoder - 1 Entrada Analógica 14 bits - 3 Entradas Digitais Slot em que pode ser instalado: Slot 3

Figura 8.3: Acessório EAN 1

8.2.3 EIO 1 Entradas e saídas disponíveis: - 12 Entradas Digitais - 3 Saídas Digitais a relé - 3 Saídas Digitais optoacopladas Slot em que pode ser instalado: Slot 1, Slot 2 e Slot 3

Figura 8.4: Acessório EIO 1

8

SCA06 | 8-3


Opcionais e Acessórios 8.3 PERIFÉRICOS 8.3.1 Servomotor Especificações Técnicas „„ „„ „„ „„ „„ „„ „„ „„ „„ „„ „„ „„ „„ „„

2 tamanhos de carcaça, 40 mm e 56 mm; 0 Faixa de torque de 0,8 a 3,8 N.m; Rotações nominais de 2000, 3000 e 6000 rpm; Grau de Proteção IP65 para a linha standard; Grau de Proteção IP54 para a linha com freio eletromagnético; Refrigeração natural IC0041; Montagem em flange, posição horizontal (forma construtiva B5) ou vertical (V1 ou V3); Realimentação por Resolver, precisão: ±10 minutos de arco (1° = 60 minutos de arco); Protetor térmico (PTC); Ponta de eixo com chaveta NBR 6375; Imãs de terras raras (Neodímio-Ferro-Boro); Rolamentos com lubrificação permanente; Retentor para vedação do eixo; Isolamento Classe F;

Opcionais „„ „„

reio eletromagnético (fonte externa, 24 Vcc); F Flange para encoder incremental tipo ROD (sob consulta);

Especificação comercial SWA

56

2.5

30

F Opções Em branco = Sem acessórios F = Freio eletromagnético E = Encoder incremental C0 = Conector reto C9 = Conector 90° U = Particularidade elétrica (bobinagem) M = Particularidade mecânica (flange, eixo, etc.)

Rotação 20 = 2000 rpm 30 = 3000 rpm 60 = 6000 rpm

8 Torque 0.8 1.6 2.5 2.6 3.8 Carcaça 40 56

8-4 | SCA06

4.0 6.1


Opcionais e Acess贸rios Servomotores Linha Standard

SWA 40-__-__

SWA 56-__-__

SWA 56-__-__-F

Servomotores Linha CE

SWA 40-__-__-C0

SWA 40-__-__-C9

SWA 56-__-__-C0

SWA 56-__-__-C0-F

8

SWA 56-__-__-C9

SWA 56-__-__-C9-F Figura 8.5: Linhas de servomotores

SCA06 | 8-5


Opcionais e Acessórios Dados técnicos - Servomotores Linha standard e Linha CE sem freio eletromagnético Rotação

2000rpm

3000rpm

6000rpm

Modelo

Torque Bloq. Mo

Corrente Io

N.m 2,5 3,8 6,1 0,8 1,6 2,6 2,5 4,0 1,6

Arms 2,5 3,8 5,2 1,0 2,0 3,2 3,8 5,7 4,0

SWA 56-2.5-20-__ SWA 56-3.8-20-__ SWA 56-6.1-20-__ SWA 40-0.8-30-__ SWA 40-1.6-30-__ SWA 40-2.6-30-__ SWA 56-2.5-30-__ SWA 56-4.0-30-__ SWA 40-1.6-60-__

Potência nominal kW 0,36 0,70 1,10 0,20 0,45 0,70 0,66 0,88 0,70

Inércia

Massa

kgm² 0,22 0,31 0,50 0,04 0,08 0,12 0,22 0,31 0,08

kg 4,6 5,6 7,5 2,0 2,8 3,5 4,6 5,6 2,8

Dados técnicos - Servomotores Linha standard e Linha CE com freio eletromagnético Rotação

2000rpm 3000rpm

Modelo

Torque Bloq. Mo

Corrente Io

N.m 2,5 3,8 6,1 2,5 4,0

Arms 2,5 3,8 5,2 3,8 5,7

SWA 56-2.5-20-__-F SWA 56-3.8-20-__-F SWA 56-6.1-20-__-F SWA 56-2.5-30-__-F SWA 56-4.0-30-__-F

Potência nominal kW 0,36 0,70 1,10 0,66 0,88

Inércia

Massa

kgm² 0,35 0,44 0,63 0,35 0,44

kg 6,5 7,5 9,4 6,5 7,5

Dimensões - Servomotores standard sem freio eletromagnético

8 Modelo

L (mm)

SWA 40-0.8-30 SWA 40-1.6-30 SWA 40-2.6-30 SWA 40-1.6-60 SWA 56-2.5-20 SWA 56-3.8-20 SWA 56-6.1-20 SWA 56-2.5-30 SWA 56-4.0-30

190,0 216,7 236,7 216,7 250,0 270,0 310,0 250,0 270,0

Flange ∅N ∅S

HD (mm)

P (mm)

∅M

110

80

95

50j6

127

102

115

95j6

Ponta de eixo (mm) F G GD

T

∅D

E

6,5

2,0

14j6

29,5

5n9

11,0

5

M5x1x12

9,0

3,0

19j6

40,0

6n9

15,5

6

M6x1x16

Figura 8.6: Dimensões do servomotor standard sem freio eletromagnético

8-6 | SCA06

H


Opcionais e Acessórios Dimensões - Servomotores CE sem freio eletromagnético

Modelo SWA 40-0.8-30-C0 SWA 40-1.6-30-C0 SWA 40-2.6-30-C0 SWA 40-1.6-60-C0 SWA 56-2.5-20-C0 SWA 56-3.8-20-C0 SWA 56-6.1-20-C0 SWA 56-2.5-30-C0 SWA 56-4.0-30-C0

L (mm) 190,0 216,7 236,7 216,7 250,0 270,0 310,0 250,0 270,0

Flange ∅N ∅S

HD1 (mm)

HD2 (mm)

P (mm)

∅M

118

129

80

95

50j6

125

137

102

115

95j6

Ponta de eixo (mm) F G GD

T

∅D

E

6,5

2,0

14j6

29,5

5n9

11,0

5

M5x1x12

9,0

3,0

19j6

40,0

6n9

15,5

6

M6x1x16

H

Figura 8.7: Dimensões do servomotor CE sem freio eletromagnético, conector 180°

8

Modelo SWA 40-0.8-30-C9 SWA 40-1.6-30-C9 SWA 40-2.6-30-C9 SWA 40-1.6-60-C9 SWA 56-2.5-20-C9 SWA 56-3.8-20-C9 SWA 56-6.1-20-C9 SWA 56-2.5-30-C9 SWA 56-4.0-30-C9

L (mm) 190,0 216,7 236,7 216,7 250,0 270,0 310,0 250,0 270,0

Flange ∅N ∅S

HD1 (mm)

HD2 (mm)

P (mm)

∅M

138

138

80

95

50j6

145

145

102

115

95j6

Ponta de eixo (mm) F G GD

T

∅D

E

6,5

2,0

14j6

29,5

5n9

11,0

5

M5x1x12

9,0

3,0

19j6

40,0

6n9

15,5

6

M6x1x16

H

Figura 8.8: Dimensões do servomotor CE sem freio eletromagnético, conector 90°

SCA06 | 8-7


Opcionais e Acessórios Dimensões - Servomotores standard com freio eletromagnético

Modelo

L (mm)

HD (mm)

P (mm)

∅M

Flange ∅N ∅S

SWA 56-2.5-20-F SWA 56-3.8-20-F SWA 56-6.1-20-F SWA 56-2.5-30-F SWA 56-4.0-30-F

323,5 343,5 383,5 323,5 343,5

127

102

115

95j6

9,0

Ponta de eixo (mm) F G GD

T

∅D

E

3,0

19j6

40,0

6n9

15,5

6

H

M6x1x16

Figura 8.9: Dimensões do servomotor standard com freio eletromagnético

Dimensões - Servomotores CE com freio eletromagnético

8

Modelo

L (mm)

HD1 (mm)

HD2 (mm)

P (mm)

∅M

Flange ∅N ∅S

SWA 56-2.5-20-C0-F SWA 56-3.8-20-C0-F SWA 56-6.1-20-C0-F SWA 56-2.5-30-C0-F SWA 56-4.0-30-C0-F

323,5 343,5 383,5 232,5 343,5

125

137

102

115

95j6

9,0

T

∅D

E

3,0

19j6

40,0

Ponta de eixo (mm) F G GD

6n9

Figura 8.10: Dimensões do servomotor CE com freio eletromagnético, conector 180°

8-8 | SCA06

15,5

6

H

M6x1x16


Opcionais e Acessórios

Modelo

L (mm)

HD1 (mm)

HD2 (mm)

P (mm)

∅M

Flange ∅N ∅S

SWA 56-2.5-20-C9-F SWA 56-3.8-20-C9-F SWA 56-6.1-20-C9-F SWA 56-2.5-30-C9-F SWA 56-4.0-30-C9-F

323,5 343,5 383,5 232,5 343,5

145

145

102

115

95j6

9,0

T

∅D

E

3,0

19j6

40,0

Ponta de eixo (mm) F G GD

6n9

15,5

6

H

M6x1x16

Figura 8.11: Dimensões do servomotor CE com freio eletromagnético, conector 90°

8

SCA06 | 8-9


Opcionais e Acessórios 8.3.2 Cabos para Servomotor Os cabos disponíveis para os servomotores dividem-se em dois grupos: Cabos para instalação fixa e cabos para movimentação. CABOS PARA INSTALAÇÃO FIXA Características: „„ Instalação fixa; „„ Blindagem eletromagnética; „„ Altamente resistente a óleo e produtos químicos; „„ Isento de silicone; „„ Retardante a chama de acordo com a norma IEC 60332-1-2; „„ Aplicação em temperaturas de -40 °C a +80 °C; „„ Cabo de potência com aprovação CE e ROHS. „„ Cabo de resolver com aprovação ROHS. Cabos para servomotores Linha Standard:

8

Comprimento

Cabo de Potência

03 m

CP-03m-4x0.75-B

06 m

CP-06m-4x0.75-B

09 m

CP-09m-4x0.75-B

12 m

CP-12m-4x0.75-B

15 m

CP-15m-4x0.75-B

Comprimento

Cabo de Potência

03 m

CP-03m-4x0.75-B-90

06 m

CP-06m-4x0.75-B-90

09 m

CP-09m-4x0.75-B-90

12 m

CP-12m-4x0.75-B-90

15 m

CP-15m-4x0.75-B-90

Comprimento

Cabo de Resolver

03 m

CR-03m

06 m

CR-06m

09 m

CR-09m

12 m

CR-12m

15 m

CR-15m

Comprimento

Cabo de Resolver

03 m

CR-03m-90

06 m

CR-06m-90

09 m

CR-09m-90

12 m

CR-12m-90

15 m

CR-15m-90

8-10 | SCA06

Curvatura “r” Movim.

estático

Diâmetro do cabo

-

156 mm

10 mm

Curvatura “r” Movim.

estático

Diâmetro do cabo

-

156 mm

10 mm

Curvatura “r” Movim.

estático

Diâmetro do cabo

-

33,2 mm

8,3 mm

Curvatura “r” Movim.

estático

Diâmetro do cabo

-

33,2 mm

8,3 mm

Desenho

Desenho

Desenho

Desenho


Opcionais e Acessórios

Comprimento

Cabo para Freio

03 m

CF-03m

06 m

CF-06m

09 m

CF-09m

12 m

CF-12m

15 m

CF-15m

Comprimento

Cabo para Freio

03 m

CF-03m-90

06 m

CF-06m-90

09 m

CF-09m-90

12 m

CF-12m-90

15 m

CF-15m-90

Curvatura “r” Movim.

estático

Diâmetro do cabo

-

28 mm

7 mm

Curvatura “r” Movim.

-

Diâmetro estático do cabo

28 mm

Desenho

Desenho

7 mm

Cabos para servomotores Linha CE: Comprimento

Cabo de Potência

03 m

SPC-03m-4x0.75-S

06 m

SPC-06m-4x0.75-S

09 m

SPC-09m-4x0.75-S

12 m

SPC-12m-4x0.75-S

15 m

SPC-15m-4x0.75-S

Comprimento

Cabo de Resolver

03 m

SFC-03m

06 m

SFC-06m

09 m

SFC-09m

12 m

SFC-12m

15 m

SFC-15m

Comprimento

Cabo para Freio

03 m

SBC-03m

06 m

SBC-06m

09 m

SBC-09m

12 m

SBC-12m

15 m

SBC-15m

Curvatura “r” Movim.

estático

Diâmetro do cabo

-

42 mm

7,0 mm

Curvatura “r” Movim.

estático

Diâmetro do cabo

-

33,2 mm

8,3 mm

-

Diâmetro estático do cabo

42 mm

Desenho

8

Curvatura “r” Movim.

Desenho

Desenho

7 mm

SCA06 | 8-11


Opcionais e Acessórios CABOS PARA INSTALAÇÃO COM MOVIMENTAÇÃO DOS CABOS Características: „„ Instalação móvel (esteiras porta cabos, etc.); „„ Blindagem eletromagnética; „„ Resistente a umidade; „„ Resistente a óleo; „„ Altamente resistente ao desgaste; „„ A prova de chamas e autoextintora (de acordo com a norma IEC 60332-1-2, UL FT 1); „„ Aplicação em temperaturas de -40 °C a +80 °C; „„ Cabos com aprovação CE, UL e ROHS; „„ Cabos com padrão DESINA; Cabos para servomotores Linha CE:

8

Comprimento

Cabo de Potência

03 m

SPC-03m-4x1.5-S-M

06 m

SPC-06m-4x1.5-S-M

09 m

SPC-09m-4x1.5-S-M

12 m

SPC-12m-4x1.5-S-M

15 m

SPC-15m-4x1.5-S-M

Comprimento

Cabo de Resolver

03 m

SBC-03m-M

06 m

SBC-06m-M

09 m

SBC-09m-M

12 m

SBC-12m-M

15 m

SBC-15m-M

Comprimento

Cabo para Freio

03 m

SBC-03m

06 m

SBC-06m

09 m

SBC-09m

12 m

SBC-12m

15 m

SBC-15m

Curvatura “r” Movim.

estático

Diâmetro do cabo

120 mm

40 mm

10 mm

Curvatura “r” Movim.

estático

Diâmetro do cabo

120 mm

40 mm

10 mm

Curvatura “r” Movim.

estático

Diâmetro do cabo

-

40 mm

10 mm

Desenho

Desenho

Desenho

CABO PARA SIMULADOR DE ENCODER Obs.: Para fazer uso do simulador de encoder deve-se instalar o acessório EAN 1. Ver item 8.2.2 - EAN 1. Comprimento

02 m

8-12 | SCA06

Curvatura “r” Cabo de simulador de Diâmetro Movim. estático do cabo encoder

CSE-02m

-

33,2 mm

8,3 mm


Opcionais e Acessórios DIMENSÕES DOS CONECTORES

Conector de Potência e/ou Realimentação

Cota A B C D E

mm 65,94 33,86 69,30 61,61 31,22

In 2,6 1,33 2,73 2,42 1,23

8 Conector de Realimentação Conector de Potência

Cota A B C D

mm 58 (min.) ∅26 67 ... 72 ∅28

In 2,28 (min.) ∅1,02 2,64 ... 2,83 ∅1,10

Figura 8.12: Dimensões dos conectores

SCA06 | 8-13


Opcionais e Acessórios 8.3.3 Resistor de frenagem RF 200 Dados: Código 11015202

Resistência 30 Ω

Tensão Max. 600 V

Potência 200 W

Energia 2200 J

Temp. ambiente 50 °C

Temp. Max. 400 °C

B mm (in) 305 (12,00)

C mm (in) 68 (2,68)

D mm (in) 34 (1,34)

E mm (in) 4 (0,16)

F mm (in) 280 (11,02)

G

Dimensões:

A mm (in) 64 (2,52)

mm M6

Figura 8.13: Dimensões do resistor de frenagem RF 200

8.3.4 Filtro RFI externo Circuito típico:

8

Figura 8.14: Circuito típico do filtro RFI externo

Dados: Código

Tensão

Freqüência

Corrente

I fuga (típico)

Cabo máx.

10189830

520/300 Vac

50/60 Hz

8A

13 mA

4 mm²

8-14 | SCA06

Torque 0,6 N.m (conector) 1,4N.m (PE)


Opcionais e Acessórios Dimensões

A mm (in) 8,0 (0,31)

B mm (in) 50,0 (1,97)

C mm (in) 133,7 (5,26)

D mm (in) 63,0 (2,48)

E mm (in) 1,5 (0,06)

F mm (in) 4,5 (0,18)

G mm (in) 155,0 (6,10)

H mm (in) 165,0 (6,50)

I mm (in) 51,4 (2,02)

J mm (in) 38,0 (1,50)

PE mm M4x11

Massa kg (lb) 0,58 (1,28)

Figura 8.15: Dimensões do filtro RFI externo

8.3.5 Autotransformador São aplicados quando a rede trifásica que irá alimentar o SCA06 for diferente de 220-230 V. NOTA! Por tratar-se de um autotransformador, não há isolação galvânica da rede de alimentação. Dimensionamento: As perdas do servoconversor e do servomotor podem ser consideradas como sendo 25% da potência do eixo, portanto, a potência do autotransformador é: Ptransf = Peixo . 1,25

8

A corrente de entrada do transformador é:

( )

Ptransf ηtransf Ient = Vent

Quando um mesmo autotransformador alimentar vários servoconversores, o autotransformador deve ser dimensionado somando-se as potências de cada eixo, e, dependendo do tipo de ciclo pode-se aplicar um fator de utilização, cujo valor mínimo é 0,7 para ciclos distintos e valor máximo é 1 para eixos em sincronismo (ciclos iguais). Ptransf = (Peixo1 + Peixo2 + Peixon) . 1,25 . fu A WEG oferece diversos modelos de Autotransformadores, como pode ser visto a seguir. Caso seja utilizado autotransformador de outros fornecedores, observar que este não deve provocar queda de tensão superior a 3%, pois isto aumenta a margem de variação da rede (-15%à +10%).

SCA06 | 8-15


Opcionais e Acessórios

Tipo: Potência de saída: Rendimento: Tensões de alimentação: Ligação interna: Grau de proteção: Classe de isolamento: Tensão de isolamento (dielétrico): Classe de temperatura: Elevação de temperatura: Freqüência de operação:

Dados gerais: Autotransformador trifásico a seco Conforme abaixo 95 % 220 / 380 / 440 V Estrela com neutro acessível IP 00, sem caixa de proteção 0,6 kV 4 kV B (130 °C) B (80 °C) 50 / 60 Hz

8

Potência Código 10190833 10190834 10190835

(kVA) 1 1,5 2

a (máx.) 217 215 240

b (máx.) 120 140 140

Dimensões (mm) c (máx.) d (±1) 140 199 155 199 230 180

Massa e (±2) 82 111 86

Figura 8.16: Dimensões dos autotransformadores de 1, 1.5 e 2kVA

8-16 | SCA06

f (±0,5) 6x9 6x9 9 x 15

(kg) 8,9 12,4 18


Opcionais e Acessórios

Potência Código

10190836

(kVA)

3

a (máx.)

b (máx.)

240

160

Dimensões (mm) c (máx.) d (±1)

230

180

Massa e (±2)

f (±0,5)

96

9 x 15

(kg)

21

Figura 8.17: Dimensões do autotransformador de 3kVA

8

SCA06 | 8-17


Opcionais e Acessórios

Potência Código

10190837

8

(kVA)

5

a (máx.)

b (máx.)

300

150

Dimensões (mm) c (máx.) d (±1)

285

225

Figura 8.18: Dimensões do autotransformador de 5kVA

8-18 | SCA06

Massa e (±2)

f (±0,5)

86

9 x 15

(kg)

30,5


Opcionais e Acessórios

Potência Código

10190838 10190839

(kVA)

7,5 10

a (máx.)

b (máx.)

300 360

200 200

Dimensões (mm) c (máx.) d (±1)

310 360

225 270

Massa e (±2)

f (±0,5)

136 117

9 x 15 9 x 15

(kg)

51 65

Figura 8.19: Dimensões dos autotransformadores de 7.5 e 10kVA

SCA06 | 8-19

8


Opcionais e Acess贸rios

8

8-20 | SCA06


Especificações Técnicas

ESPECIFICAÇÕES TÉCNICAS Este capítulo descreve as especificações técnicas (elétricas e mecânicas) da linha de servoconversores SCA06. 9.1 DADOS DA POTÊNCIA Fonte de Alimentação: „„ Tolerância: -15 % a +10 %. „„ Freqüência: 50/60 Hz (48 Hz a 62 Hz). „„ Desbalanceamento de fase: ≤ 3 % da tensão de entrada fase-fase nominal. „„ Sobretensões de acordo com Categoria III (EN 61010/UL 508C). „„ Tensões transientes de acordo com a Categoria III. „„ Máximo de 60 conexões por hora. „„ Rendimento típico: ≥ 96 %. „„ Fator de potência típico de entrada: „„ 0,94 para modelos com entrada trifásica na condição nominal. „„ 0,70 para modelos com entrada monofásica na condição nominal.

5

Peso

Temperatura ambiente ao redor do servoconversor

Sim **

Sim **

lb

Sim

kg

Potência dissipada W (2)

0 ... 50°C 1,56 3,44 IP20

76

10 6,1

Alimentação interna da eletrônica em 24Vcc

8A/ 5s

10

Parada de segurança

220...230

Freqüência de chaveamento nominal kHz Corrente de entrada nominal Arms

8A/ 3s

Filtro supressor de RFI

B

4

Grau de proteção do gabinete

SCA06B05P0D2C3 *

Corrente de sobrecarga Arms/s

Corrente de saída nominal Arms (1)

Tensão Vca

Alimentação mono (1φ) ou trifásica (3φ)

Mecânica

Modelo

Tabela 9.1: Especificações técnicas para a linha SCA06

50

* Neste modelo o filtro supressor de RFI está incorporado no modelo standard, ou seja, sempre é fornecido. ** disponível em breve, como opcional. Obs.: (1) Corrente nominal em regime permanente nas seguintes condições: - Temperatura ambiente ao redor do servoconversor: 0 °C a 50 °C. É possível o servoconversor operar em ambientes com temperatura ambiente ao redor do servoconversor até 60 °C se for aplicada redução da corrente de saída de 2 % para cada °C acima de 50 °C. - Umidade relativa do ar: 5 % a 90 % sem condensação. - Altitude: 1000 m. Acima de 1000 m até 4000 m a corrente de saída deve ser reduzida de 1 % para cada 100 m acima de 1000 m. - Ambiente com grau de poluição 2 (conforme EN50178 e UL508C). (2) As perdas especificadas são válidas para a condição nominal de funcionamento, ou seja, para a corrente de saída e freqüência de chaveamento nominais.

9

SCA06 | 9-1


Especificações Técnicas 9.2 DADOS DA ELETRÔNICA / GERAIS CONTROLE

ALIMENTAÇÃO MÉTODO

PERFORMANCE

FREQUÊNCIA DE SAÍDA CONTROLE DE VELOCIDADE CONTROLE DE TORQUE

ENTRADAS

ANALÓGICA

Tensão: 24 Vcc, -15 %, +20 % Corrente: 1 A Controle vetorial realimentado por resolver PWM SVM (Space Vector Modulation) Reguladores de corrente, fluxo, velocidade e posição em software (full digital) Taxa de execução: 100 µs (10 kHz) Reguladores de corrente: 100 µs (10 kHz) Regulador de fluxo:100 µs (10 kHz) Regulador de velocidade / medição de velocidade: 100 µs (10 kHz) 0 a 400 Hz Regulação: Faixa de variação da velocidade Regulação: Faixa de variação do torque 1 entrada diferencial, sinal: -10 a +10 V, resolução: 12 bits Vmáx: ±15 V, Impedância: 400 kΩ, funções programáveis

DIGITAIS

2 entradas digitais isoladas Funções programáveis Nível alto: ≥ 18 V Nível baixo: ≤ 3 V Tensão máx.: 30 V Corrente de entrada: 3,7 mA @ 24 Vcc Freqüência máxima: 500 kHz 1 entrada digital isolada Funções programáveis Nível alto: ≥ 18 V Nível baixo: ≤ 3 V Tensão Max.: 30 V Corrente de entrada: 11 mA @ 24 Vcc Tempo de atraso máximo: borda de subida = 10 us borda de descida = 50 us

SAÍDA

RELÉ

SEGURANÇA

PROTEÇÃO

INTERFACE HOMEM-MÁQUINA (HMI)

HMI STANDARD

1 saída a relé Funções programáveis contato NA Vmáx: 240 Vca 200 Vcc Imáx.: 0,5 A Sobrecorrente / Curto-circuito na saída Sub. / Sobretensão na potência Sub. / Sobretensão na alimentação da eletrônica Sobretemperatura Sobrecarga no motor Falha / Alarme externo Curto-circuito fase –terra na saída 4 teclas: Parâmetro, Incrementa, Decrementa e Shift Display de leds, 6 dígitos Permite acesso / alteração de todos os parâmetros Exatidão das indicações: - corrente: % da corrente nominal - resolução da velocidade: - resolução do torque: - resolução da posição: Led’s para indicação de “Power on”, “Fault” (falha) e comunicação USB

CONEXÃO DE PC PARA PROGRAMAÇÃO

CONECTOR USB

9

9-2 | SCA06

USB standard Ver. 2.0 (basic speed) USB plug tipo B “device” Cabo de interconexão: cabo USB blindado, “standard host / device shielded USB cable”


Especificações Técnicas 9.2.1 Normas atendidas NORMAS DE SEGURANÇA

UL 508C - Power conversion equipment UL 840 - Insulation coordination including clearances and creepage distances for electrical equipment. EN61800-5-1 - Safety requirements electrical, thermal and energy EN 50178 - Electronic equipment for use in power installations. EN 60204-1 - Safety of machinery. Electrical equipment of machines. Part 1: General requirements. Nota: Para ter uma máquina em conformidade com essa norma, o fabricante da máquina é responsável pela instalação de um dispositivo de parada de emergência e um equipamento para seccionamento da rede. EN 60146 (IEC 146) - Semiconductor converters EN 61800-2 - Adjustable speed electrical power drive systems - Part 2: General requirements - Rating specifications for low voltage adjustable frequency AC power drive systems

NORMAS DE COMPATIBILIDADE ELETROMAGNÉTICA (EMC)

EN 61800-3 - Adjustable speed electrical power drive systems - Part 3: EMC product standard including specific test methods EN 55011 - Limits and methods of measurement of radio disturbance characteristics of industrial, scientific and medical (ISM) radio-frequency equipment CISPR 11 - Industrial, scientific and medical (ISM) radio-frequency equipment – Electromagnetic disturbance characteristics - Limits and methods of measurement EN 61000-4-2 - Electromagnetic compatibility (EMC) - Part 4: Testing and measurement techniques - Section 2: Electrostatic discharge immunity test EN 61000-4-3 - Electromagnetic compatibility (EMC) - Part 4: Testing and measurement techniques - Section 3: Radiated, radio-frequency, electromagnetic field immunity test EN 61000-4-4 - Electromagnetic compatibility (EMC) - Part 4: Testing and measurement techniques - Section 4: Electrical fast transient/burst immunity test EN 61000-4-5 - Electromagnetic compatibility (EMC) - Part 4: Testing and measurement techniques - Section 5: Surge immunity test EN 61000-4-6 - Electromagnetic compatibility (EMC)- Part 4: Testing and measurement techniques - Section 6: Immunity to conducted disturbances, induced by radio-frequency fields

NORMAS DE CONSTRUÇÃO MECÂNICA

EN 60529 - Degrees of protection provided by enclosures (IP code) UL 50 - Enclosures for electrical equipment

9

SCA06 | 9-3


Especificações Técnicas 9.3 DADOS MECÂNICOS

Figura 9.1: Dimensões do servoconversor – mecânica B

9

9-4 | SCA06


SCA-06