Page 1


GESTÃO 2013

Diretoria Presidente Dr. Thanguy Gomes Friço Vice-Presidente Dr. Ruy Rocha Gusman Primeiro Secretário Dr. Octávio C. F. do Espírito Santo Segundo Secretário Dr. Vladimir de Almeida Primeiro Tesoureiro Dr. Alexandre André Ciríaco Segundo Tesoureiro Dr. Bruno Barreira Campagnoli

Conselho Fiscal Dr. Hélio Barroso dos Reis Dr. Marcelo Rezende da Silva Dr. Tannous Jorge Sassine Delegados Dr. Alceuleir Cardoso de Souza Dr. Alexandre André Ciríaco Dr. Antônio Carlos de Resende Dr. Francisley Gomes Barradas Dr. Rodrigo Souza Soares Dr. Vladimir de Almeida

Comissão de Ética Adelmo Rezende F. Da Costa Alceuleir Cardoso De Souza Valbert De Moraes Pereira

Comissão de Defesa Profissional

Rua Abiail do Amaral Carneiro, 191, Ed. Arábica, Sala 607, Enseada do Suá. Vitória-ES. CEP 29055-220. Telefone: 3325-3183 www.sbotes.org.br sbotes@sbotes.org.br

Comissão de Honorários Médicos

ÍNDICE

06

EDITORIAL

08

ENTREVISTA

Flavio Vieira Simoes Marcelo Augusto Soneghet Pimentel Helio Barroso Dos Reis

Comissão de Ensino e Treinamento Rodrigo Carneiro Machado Ennes Octavio Cesar Frico Do Espirito Santo Vladimir De Almeida

Influenciado pelo pai, o especialista mineiro Marco Antônio Percope de Andrade não teve dúvidas ao optar pela carreira médica. Mestre

Comissão de Campanhas Públicas e Ações Sociais

e Doutor em Medicina pela Unifesp,

Alexandre Andre Ciriaco Antonio Carlos Paula De Resende Jose Carlos Xavier Do Vale

Andrade hoje é o segundo vicepresidente da SBOT

Comissão de Ex-presidentes Dr. Adelmo Rezende F. da Costa Dr. Anderson De Nadai Dr. Akel Nicolau Akel Júnior Dr. Alceuleir Caroso de Souza Dr. Clark Masakazu Yazaki Dr. Eduardo Antônio Betachi Uvo Dr. Geraldo Lopes da Silveira Dr. Hélio Barroso dos Reis Dr. João Carlos de Medeiros Teixeira Dr. José Fernando Duarte Dr. Jorge Luiz Kriger Dr. José Lorenzo Solino Dr. Marcelo Rezende da Silva Dr. Nelson Pretti Dr. Roberto Casoti Lora

Francisley Gomes Barradas Leandro Azevedo De Figueiredo Marcelo Rezende Da Silva

12

REALIZAÇÕES O ano de 2012 foi repleto de muito trabalho e de diversas conquistas. Foram eventos científicos, sociais e campanhas de conscientização que marcaram essa gestão

28

10° COTES O maior encontro da ortopedia capixaba chegou a sua décima

Uma publicação Balaio Design + Estratégia www.balaiodesign.com.br

edição em 2012. E com as belezas naturais de Pedra Azul, os congressistas puderam presenciar

Jornalista reponsável Wallace Capucho MTB 1934/ES Redação jornalismo@balaiodesign.com.br Editor Wallace Capucho - MTB 1934/ES Jornalistas Tiago Moreno - MTB 3058/ES Magalli Souza Lima Diretor de Criação Felipe Gama Designers Willi Piske Jr. Jucimar S. Rocha Fotógrafos Tiago Moreno Wallace Capucho Revisor Wallace Capucho - MTB 1934/ES Publicidade SBOT-ES

Tiragem 300 exemplares

uma combinação ideal entre o cronograma científico e o social

Impressão e acabamento Grafitusa S/A As matérias e anúncios publicitários, bem como todo o seu conteúdo de texto e imagens, são aqui publicadas sob direito de liberdade de expressão, sendo de total e exclusiva responsabilidade de seus autores/anunciantes. É expressamente proibida a reprodução integral ou parcial desta publicação ou de qualquer um de seus componentes (texto, imagens etc.), sem a prévia e expressa autorização da SBOT-ES.

38

NOSSOS 41 ANOS Criada em 29 de julho de 1972, a SBOT-ES tem muito o que contar

40

CASA COR ES Confira a participação da SBOT-ES na maior mostra de decoração e arquitetura do Estado


5 REVISTA SBOT-ES /2013

PALAVRA DO PRESIDENTE

O futuro da SBOT-ES O ano de 2013 foi de renovação, com uma nova gestão e, para ela, uma importante mudança: a responsabilidade de manter a entidade firme em Seus propósitos por dois anos A atual gestão da SBOT-ES começou com uma série de desafios. O primeiro deles foi a mudança na duração do mandato, que deixou de ser de apenas um ano e passou para dois. Neste período, a nova diretoria está buscando reunir esforços para popularizar ainda mais a nossa entidade, levar à população mais informações sobre as ações da SBOT-ES e também dicas para o bem-estar diário dos capixabas. Como primeira ação na busca desses objetivos, o site da SBOT-ES foi totalmente repaginado. Agora, esta importante ferramenta de comunicação, além de uma aparência mais moderna e alinhada com as diretrizes da entidade, disponibiliza aos visitantes um banco de dados com todos os associados, suas especialidades e também o telefone de contato das respectivas clínicas onde atuam. Tudo para tornar o site uma ferramenta de utilidade pública. Além disso, neste ano a SBOT-ES participou da 18ª edição da Casa Cor Espírito Santo. O ambiente simulou um consultório de um ortopedista, onde aproveitamos para relembrar algumas ações sociais da entidade, como “Praia Segura”, “Mitos e Verdades” e “Dort”, bem como lançar uma nova campanha: a “Casa Segura”. E quem visitou o nosso espaço também levou para casa uma pequena lembrança dos 41 anos de existência da Sociedade, completados no dia 29 de julho deste ano. Estes e outros assuntos você poderá conferir nesta edição da Revista SBOT-ES, bem como todas as realizações da gestão 2012 da entidade, dirigida pelo especialista Marcelo Rezende da Silva. E para finalizar, gostaria de adiantar um convite: em 2014, a SBOT-ES irá realizar a 11ª edição do Congresso de Ortopedia e Traumatologia do Espírito Santo (COTES), o maior encontro da especialidade no Estado. Por isso, fique atento às novidades que irão surgindo e, quando confirmada, reserve a data em sua agenda. Mas por enquanto, desejo apenas uma ótima leitura.

Thanguy Gomes Friço Presidente da SBOT-ES Gestão 2013 / 2014


EDITORIAL

E Assim foi Nossa gestão Marcelo Rezende da Silva

Marcada por inúmeras campanhas sociais e em defesa da especialidade, Marcelo Rezende

Presidente da SBOT-ES

finalizou sua gestão com o sentimento de

(Gestão 2012) e atual

dever cumprido

membro da Comissão de Defesa Profissional e Comissão de Consultiva Formada por Ex-presidentes

Cuidar dos interesses dos associados, zelar pela ética profissional e promover ações pela cidadania. Esta foi nossa principal missão ao assumirmos a direção da SBOT-ES, durante assembleia de posse realizada no Auditório Dr. Pedro Nelson Pretti, em 2 de janeiro de 2012. Um desafio não muito fácil, mas que acreditamos tê-lo cumprido muito bem. Contudo, esse sucesso só foi possível graças aos apoios que recebemos ao longo de nossa gestão. Seja dos associados da SBOT-ES, essência dessa entidade, das instituições parceiras, que cumprem um papel fundamental em nossas ações, ou mesmo dos familiares e amigos, que dedicam parte de seu tempo a nós. A todos vocês, o nosso muito obrigado. Mas também gostaríamos de destacar que, ao contrário de nossa gestão, a satisfação em ser parte da história da ortopedia capixaba e desse grupo que compõe esta associação não terá fim. Isso porque, uma entidade como a SBOT-ES atua como uma escola na vida de seus integrantes, onde todos têm a oportunidade de aprender e partilhar seus conhecimentos. E foi por estarmos convictos disso, que batalhamos para garantir o sucesso e a satisfação dos nossos colegas de profissão e aproximar ainda mais esta entidade da população do Estado. Para tanto, em 2012 promovemos uma série de encontros dedicados à educação continuada e à defesa profissional de nossos especialistas, além de diversas ações de conscientização voltadas para os capixabas. E ao concluir o balanço de tudo o que foi feito, podemos perceber que o ano que se passou foi de bastante trabalho e de muitas conquistas.


Por exemplo, para os moradores do Estado foram desenvolvidas campanhas que alertaram sobre os riscos da mistura entre álcool e direção, dadas dicas para evitar o desenvolvimento de Doenças Osteomusculares Relacionadas ao Trabalho (Dort), desmistificados alguns mitos envolvendo problemas ortopédicos, entre outras ações. Inclusive, fomos para Camburi alertar os banhistas sobre os riscos presentes em praias, rios e lagoas. Também realizamos uma série de eventos voltados para a formação de nossos profissionais. O Curso de Reciclagem e Preparatório para o Título de Especialista em Ortopedia e Traumatologia (TEOT), os Workshops de Osteossíntese – que aconteceram também em cidades do interior – e o Seminário de Defesa Profissional são apenas alguns exemplos. No entanto, entre todas as ações promovidas em 2012, a nossa grande conquista foi a concretização do maior encontro da especialidade no Estado: o Congresso de Ortopedia e Traumatologia do Espírito Santo (Cotes), que chegou a sua décima edição com um excelente equilíbrio entre o científico e o social. Além disso, a nossa diretoria também se empenhou em trazer eventos de destaque nacional para o Estado, como o 8º Trauma Ortopédico Infantil Atualização (Troia). O congresso, que irá acontecer em junho deste ano, em Vitória, será uma excelente oportunidade para nossos especialistas participarem de discussões sobre a temática. Não há dúvidas que ações voltadas para a formação dos associados são importantes para o crescimento desses médicos, e que isso reflete diretamente na qualidade do serviço oferecido dentro dos consultórios. Entretanto, também é crucial que esses profissionais tenham momentos de lazer. E estes foram proporcionados durante a terceira edição do Torneio de Tênis da SBOT-ES, onde a grande final aconteceu em Pedra Azul, e na tradicional partida de futebol, voltada para os amantes do esporte. E para concluir, uma vez que essas e outras informações você poderá conferir nesta publicação, gostaríamos de agradecer mais uma vez e também deixar um até logo, já que ainda nos encontraremos nos hospitais, entre um plantão e outro, nas reuniões em nossa sede e nos eventos promovidos pela SBOT-ES. Mas por agora, desejamos apenas que tenha ótima leitura.

Esse sucesso só foi possível graças aos apoios que recebemos, seja dos associados da SBOT-ES, instituições parceiras, ou mesmo de familiares e

amigos. A todos vocês, o nosso muito obrigado”

REVISTA SBOT-ES /2013

7


8

ENTREVISTA

Influência que vem de pai Ao frequentar desde criança o consultório do pai, Marco Antônio Percope de Andrade não teve dúvidas ao escolher a carreira médica

Natural de Itaúna, cidade mineira com menos de 100 mil habitantes, Marco Antônio Percope de Andrade se mudou para Belo Horizonte em 1970 para cursar o ensino médio. Influenciado pelo pai, que também era médico e sempre levava o filho para acompanhar suas consultas, Andrade optou por seguir a mesma carreira ao ser aprovado no vestibular de medicina na Universidade Federal de Minas Gerais (UFMG), em 1973. Hoje, casado e pai de duas filhas, Andrade é Mestre e Doutor em Medicina pela Universidade Federal de São Paulo (Unifesp) e ocupa o cargo de segundo vice-presidente da Sociedade Brasileira de Ortopedia e Traumatologia (SBOT) e chegará à presidência em 2015.


REVISTA SBOT-ES /2013

9

Participava de um time de

A influência pela medicina veio de seu pai, mas porque decidiu se especializar em Ortopedia e Traumatologia? Eu participava de um time de basquetebol em minha cidade natal e, talvez por ser filho de um médico, sempre era chamado para “avaliar” as contusões dos meus colegas de time. Inclusive, costumava ser chamado de “o médico da turma”. Com isso, meu interesse pela Ortopedia e Traumatologia se iniciou muito cedo. E para completar, ainda fui influenciado por meu irmão mais velho, Ronaldo Percope de Andrade, que também é médico e alguns anos antes havia se especializado na área. Após ter essa escolha bem definida, acabei me especializando em Cirurgia do Joelho. Quando surgiu o interesse pela política de classe e quais cargos já ocupou? Sempre me interessei pela política de classe e, muito precocemente, comecei a participar da Regional mineira da SBOT em 1996. Nessa entidade, cheguei à presidência na gestão de 1999 a 2000. Além disso, já fui presidente do Comitê de Joelho, nos anos de 2003 e 2004, e membro da Comissão de Ensino e Treinamento (CET), entre 2005 e 2007, tornando-me presidente desta comissão em 2007. Também integrei a Comissão de Educação Continuada (CEC), nos anos de 2008 a 2011, sendo que em 2010 alcancei o cargo de presidente. Por fim, na nacional SBOT fui tesoureiro geral na gestão de Neylor Lasmar, em 2004; segundo tesoureiro na gestão de Geraldo Motta, em 2012; e atualmente ocupo o cargo de vice-presidente, na gestão de Flávio Faloppa. Além da SBOT e da Regional mineira, já participou de outras entidades médicas? Entre os anos de 2007 e 2010, fui membro da Diretoria da Sociedade Latino Americana de Rodilla e Desporte (SLARD). Também fui presidente da Sociedade Brasileira de Cirurgia do Joelho (SBJC), na gestão de 2003 e 2004. Atualmente, sou membro do Comitê de Joelho da International Society of Arthroscopy, Knee Surgery and Orthopaedic Sports Medicine (ISAKOS).

basquetebol em minha cidade natal e era chamado de ‘o médico da turma’. Com isso, meu interesse pela ortopedia começou muito cedo”


10

Exerce alguma outra função, além de clinicar e dos cargos ocupados em entidades de classe? Sou professor do Departamento do Aparelho Locomotor da Faculdade de Medicina da UFMG e, atualmente, também chefe desse departamento. Além disso, sou coordenador do Serviço de Ortopedia e Traumatologia do Hospital das Clínicas da UFMG, em Belo Horizonte. Hoje a SBOT é uma instituição bastante respeitada. Para os próximos anos, o que será feito para manter esse respeito? O nosso principal plano é manter a política que já vem sendo realizada pelas diretorias da SBOT ao longo de todos esses anos, sempre valorizando o especialista, focados em sua formação profissional e também na luta por melhores condições de trabalho. Defender e valorizar seus especialistas é parte da missão da SBOT. Pensando nisso, o que os associados podem esperar para o futuro? O presidente Flávio Faloppa, junto com os integrantes de sua gestão, tem planos de valorizar cada vez mais as Regionais da Sociedade. Além disso, Faloppa tem participado de diversas reuniões do Ministério da Saúde, com o objetivo de melhorar as condições de trabalho no Sistema Único de Saúde (SUS) e dar sequência aos trabalhos iniciados pelas gestões passadas. Em 2015 você será o novo presidente da SBOT. Já possui projetos para sua gestão? Durante o período eleitoral, eu tive a oportunidade de visitar vários estados e conversar com a maioria dos presidentes das Regionais, conhecendo suas principais necessidades. Assim, consegui estabelecer algumas metas para a minha administração em 2015. Nela, a defesa profissional deverá ser o grande foco e também serão desenvolvidos novos projetos como, por exemplo, a criação de uma comissão dedicada à integração de nossos ortopedistas recém-formados. Por fim, pretendo manter os projetos atuais ligados à educação continuada e todos os estudos para melhor distribuição do repasse às Regionais. E por falar em Regionais, quais serão os planos para fortalecer a relação dessas entidades com a SBOT? A SBOT já possui uma preocupação enorme com todas as suas Regionais, tanto


REVISTA SBOT-ES /2013

11

Na minha

que existe um cargo na diretoria ocupado exclusivamente para a integração das mesmas: o de Diretor das Regionais. Este representante atua como uma extensão da presidência e, como parte de suas obrigações, deve visitar ou se reunir com todos os presidentes das Regionais, como já vem sendo feito atualmente. Na minha gestão, pretendo estender esses laços ao realizar visitas a todos, ou à maioria dos estados, além de promover um grande fórum de defesa profissional com cada um desses representantes das regionais, estabelecendo metas de luta para cada estado. Já no processo inverso, como uma Regional pode ajudar na administração da SBOT? Cada Regional, como a do Espírito Santo, é uma extensão da própria SBOT. Nela, o presidente é o principal representante de todos os ortopedistas desse Estado. Assim, cada um deles deve auxiliar nos programas de educação continuada e nas campanhas organizadas pela SBOT, já que são essas Regionais que possuem o maior contato com seus associados e com os problemas de cada um deles. Em 2012, a SBOT-ES promoveu o 10º Congresso de Ortopedia e Traumatologia do Espírito Santo (COTES), na cidade capixaba de Pedra Azul – evento no qual você esteve presente. O que achou do mesmo? Eu apenas vi pontos positivos nesse congresso. A começar pela parte científica, que foi bastante abrangente e contou com a participação de profissionais de expressão, tanto do Espírito Santo quanto de outros estados. E para completar, a parte social também foi muito interessante, e o que se viu foi uma grande congregação de todos os ortopedistas que estiveram presentes nesse grandioso evento. Resumindo, tenho apenas que parabenizar o colega Marcelo Rezende e toda sua diretoria por essa belíssima organização. Quando não está trabalhando, mesmo com tantos cargos ocupados, o que costuma fazer? Qual o seu Hobby? Meu esporte preferido é o tênis. Adoro jogá-lo ou mesmo assistir às partidas pela televisão. Além disso, curto bastante andar de barco, especialmente em um lago na minha cidade natal. Já em relação ao futebol, sou atleticano doente e, na minha opinião, certamente ele é o maior time de futebol do Brasil.

gestão, pretendo estender nossos laços ao realizar visitas às regionais, além de promover um grande fórum de defesa profissional, estabelecendo metas para cada estado”


REALIZAÇÕES

por um trânsito mais seguro Em 2012, a SBOT-ES, em parceria com diversas entidades, desenvolveu uma série de campanhas com um objetivo claro: diminuir os índices de acidentes de trânsito no Estado Um dos deveres da SBOT-ES estabelecido em seu estatuto é o de apresentar aos poderes públicos, privados e filantrópicos, sugestões para soluções de questões sociais e educacionais relativas à cidadania, saúde, educação e meio ambiente. Porém, ao invés de apenas apresentar, a Sociedade foi para as ruas e promoveu diversas campanhas que alertaram os motoristas capixabas sobre os riscos do trânsito, principalmente quando há a mistura de álcool e direção.

Álcool e Direção, uma mistura que não combina Idealizada pela SBOT nacional, a campanha chamou a atenção para os altos índices de acidentes que acontecem devido ao ato de dirigir após o consumo de bebidas alcoólicas

Tradicionalmente, em 19 de setembro é comemorado o Dia do Ortopedista. Mas em 2012, para a Sociedade Brasileira de Ortopedia e Traumatologia – Regional Espírito Santo (SBOT-ES), essa data também representou o início de mais uma ação em prol da preservação da vida dos capixabas: a campanha nacional “Álcool x Direção, uma mistura que não combina”. No dia dedicado à especialidade, voluntários se concentraram na movimentada praça do pedágio da Terceira Ponte, na Enseada do Suá, em Vitória. Durante toda tarde, foram entregues panfletos educativos aos motoristas e motociclistas que passaram pelo local, com o intuito de alertá-los sobre os riscos da combinação álcool e direção, e exibidas faixas com mensagens de conscientização. O movimento também lembrou aos condutores que, basta consumir o equivalente a uma lata de cerveja, uma taça de vinho, ou uma dose de cachaça para serem multados. E que beber duas ou três doses e dirigir não é apenas infração, é crime de trânsito. Além da praça do pedágio, a campanha também se estendeu para outras localidades no Estado. A primeira delas, no dia 23 de setembro, foi a Rua da Lama, principal reduto de jovens e onde está uma das maiores concentrações de bares em Vitória. Por fim, quem esteve presente durante a tradicional Festa


1 Marcelo Rezende da Silva foi para o pedágio da Terceira Ponte orientar os motoristas sobre os riscos de beber e dirigir

2 Equipe da SBOT-ES, do grupo Viciados em Virtude e da Rodosol, com a faixa que foi exibida aos motoristas do Estado

3 Membros do grupo Viciados em Virtude distribuindo panfletos educativos na Rua da Lama, onde há uma grande concentração de bares

1

na capital capixaba

2

da Polenta, em Venda Nova do Imigrante, ou mesmo passou pela Avenida Beira Rio, em Colatina – nos dias 11 e 13 de outubro, respectivamente –, também pode ser alertado pelos voluntários da campanha. Já no restante do país, a ação idealizada pela SBOT nacional aconteceu em diversos estados durante a “Semana Nacional de Trânsito”, promovida entre os dias 18 e 25 de setembro de 2012. Tanto empenho da especialidade se justifica: são esses profissionais que integram a “linha de frente” dos prontos-socorros, atendem milhares de vítimas de acidentes de trânsito e vivenciam o sofrimento desses pacientes, familiares e amigos. No Espírito Santo, a ação contou com o apoio do Instituto Elos da Saúde, Rodosol, Ordem DeMolay e Loja Maçônica Orvalho Hermon. “Ações como essa são vitais para divulgarmos e esclarecermos os riscos da perigosa mistura entre álcool e direção, não apenas para condutores de veículos, mas para todos que estão a sua volta”, frisa Alessandro Augusto de Souza Andrade, membro DeMolay e coordenador dos voluntários que abordaram os condutores – todos integrantes do projeto Viciados em Virtude, que visa mobilizar jovens brasileiros na luta contra drogas prejudiciais à saúde, prostituição e outros males.

3

REVISTA SBOT-ES /2013

13


por um carnaval sem traumas Com o intuito de alertar os motoristas capixabas sobre os riscos do trânsito, a SBOT-ES realizou campanha durante a maior festa popular do país Carnaval é um período de muita diversão, fantasias, desfiles e blocos de rua. Esperado por muitos, é a maior festa popular do Brasil. Mas é também durante esse feriado que o índice de acidentes de trânsito aumenta em 20%, segundo dados da 12ª Superintendência de Polícia Rodoviária Federal no Espírito Santo. E para chamar a atenção dos motoristas dos riscos de dirigir alcoolizado, não respeitar os limites de velocidade e não usar os equipamentos de segurança, como cinto, capacete e cadeirinha de bebê, a Sociedade Brasileira de Ortopedia e Traumatologia – Regional Espírito Santo (SBOT-ES) promoveu, pelo segundo ano consecutivo, a campanha “Carnaval Sem Traumas”. A ação foi realizada no dia 17 de fevereiro de 2012, às vésperas do feriadão, e abordou motoristas que passaram em frente ao posto da Polícia Rodoviária Estadual da Barra do Jucu, na Rodovia do Sol, em Vila Velha, que é uma das principais vias de acesso aos balneários do sul do Estado. Durante a campanha foram distribuídos panfletos educativos que, além das dicas para curtir a folia sem virar estatística, apresentaram dados sobre acidentes de trânsito nas rodovias que cortam o Estado, as penalidades previstas na legislação de trânsito e o quanto elas podem custar no bolso dos motoristas. E para chamar ainda mais a atenção de todos que passaram pelo local, a ação foi conduzida pelo grupo teatral Rátimbum que, vestidos de palhaços, abordaram um assunto sério, porém, de uma maneira descontraída. Também estiveram presentes o presidente da SBOT-ES, Marcelo Rezende da Silva, seu vice, Thanguy Gomes Friço, além de agentes de trânsito e integrantes da equipe da Coordenação de Educação para o Trânsito, da Secretaria de Transporte e Trânsito de Vila Velha (Semtran). “Juntos, nosso principal objetivo foi conscientizar a população capixaba sobre os riscos nas estradas, especialmente durante o feriado de Carnaval”, afirmou o presidente da SBOT-ES. Além da Semtran, a ação contou com o apoio da SBOT nacional, da Cooperativa dos Ortopedistas e Traumatologistas do Estado do Espírito Santo (COOTES) e do Instituto Elos da Saúde.

4 Durante o Carnaval, a SBOT-ES e o Grupo Rátimbum, além de dicas de conscientização, levaram alegria para quem passou na Rodovia do Sol, em Vila Velha

5 A inauguração do Totem repercutiu nos grandes veículos de comunicação do Estado

6 O totem foi instalado graças à parceria entre SBOT-ES, Cesvi, Prefeitura de Vila Velha, Rodosol, e outros parceiros

7 O totem contabiliza, em tempo real, o número de vítimas da imprudência no trânsito

8 Na inauguração do totem também foram distribuídos panfletos educativos aos motoristas que passaram pelo local

4


REVISTA SBOT-ES /2013

15

5

6 7

Um cálculo em tempo real A SBOT-ES trouxe para o Estado o painel do movimento nacional Chega de Acidentes, que contabiliza o número de vítimas da violência no trânsito e está presente em outras seis capitais do país

Mais de 120 bilhões de reais. Com este valor, seria possível construir mais de três milhões de casas populares, 2.420 hospitais de reabilitação ou comprar mais de 1 milhão de ambulâncias. Mas essa quantia, segundo o movimento nacional Chega de Acidentes, foi gasta apenas com as vítimas da imprudência no trânsito que, desde 2009, somam quase 590 mil em todo o país. E esse número não para de crescer, como comprova o painel instalado em Vila Velha que contabiliza justamente a quantidade de vítimas do trânsito, sejam elas fatais ou hospitalizadas. O totem, criado por esse movimento, chegou ao Estado pela parceria da Sociedade Brasileira de Ortopedia e Traumatologia – Regional Espírito Santo (SBOT-ES) e Prefeitura Municipal de Vila Velha com o Centro de Experimentação Viária (Cesvi Brasil), Associação Brasileira de Medicina de Tráfego (Abramet), Associação Nacional dos Departamentos de Trânsito (AND), Associação Nacional de Transportes Públicos (ANTP) e a Seguradora Líder-DPVAT. Para que fosse implantada no Estado, também contou com o apoio da Cooperativa dos Ortopedistas e Traumatologistas do Estado do Espírito Santo (COOTES), dos institutos Elos da Saúde, Vida e Movimento, além da Rodosol. Durante o lançamento do totem – que está em funcionamento desde o dia 16 de março de 2012 na Rua Ceará, em frente à guarita da Rodosol, na Praia da Costa –, os motoristas que passaram pelo local foram abordados pelo grupo teatral Rátimbum com muito barulho, irreverência e conselhos impressos em folders educativos, distribuídos pelos integrantes do grupo e também pela equipe da Secretaria Municipal de Transporte de Vila Velha (Semtran).

8 “O maior propósito do movimento Chega de Acidentes é chamar a atenção para o grande número de vítimas do trânsito, sejam elas fatais ou não”, afirma Eduardo Augusto dos Santos, gerente do Cesvi. “A intenção é fazer com que os motoristas sejam mais cautelosos ao dirigir e com isso frear e passar a reduzir este índice”, explica. Já Marcelo Rezende da Silva, presidente da SBOT-ES, afirma que a saúde pública hoje enfrenta um grave problema, que é o alto índice de acidentes de trânsito em todo o país. “O totem instalado em Vila Velha apenas comprovou o que nós, médicos, presenciamos diariamente nos hospitais: um número cada vez maior de pacientes com traumas devido à imprudência dos condutores”, constata o especialista. O painel ficará instalado em Vila Velha por um ano.


curta a PRAIA com mais SEGURAnça A dica foi da campanha Praia Segura, promovida pela SBOT-ES, que aconteceu no dia 27 de janeiro, na Praia de Camburi, em Vitória

Foram distribuídos

Verão, período de férias e praia lotada. E quando se trata de segurança dos banhistas, ou daqueles que praticam esportes aquáticos, todo cuidado é pouco. Por isso, a SBOT-ES, em parceria com a Associação Amigos da Praia de Camburi (AAPC), promoveu no dia 27 de janeiro, na Praia de Camburi, na capital do Estado, a campanha Praia Segura, que tinha por objetivo apresentar aos banhistas cuidados essenciais que devem ser observados ao frequentar praias, rios e lagoas. A SBOT-ES desenvolveu a campanha ao ter acesso a uma triste estatística. De acordo com dados do Corpo de Bombeiros, em 2012 foram registrados mais de 170 casos de afogamento no Estado, entre buscas e resgates. E 2013 começou com números preocupantes: até o dia 15 de janeiro, 25 mortes já haviam sido contabilizadas pelo órgão, em todo litoral capixaba. Os números são considerados altos, porém podem ser reduzidos, caso a população se atente para certos cuidados.

panfletos contendo dicas para aproveitar as praias, lagoas e rios com mais segurança” Marcelo Rezende da Silva, presidente da SBOT-ES Gestão 2012

Segundo o então presidente da SBOT-ES, Marcelo Rezende, a ação atuou de maneira preventiva. “Foram distribuídos panfletos contendo dicas para aproveitar as praias, lagoas e rios com mais segurança, como evitar saltar de locais muito altos, afastar-se da margem da praia ou rios, entre outras”, lembra Rezende. Ainda como parte da campanha, um grupo de nadadores da AAPC fez uma travessia até a Ilha do Socó e logo depois retornou à praia. O projeto contou com o apoio da Cooperativa dos Ortopedistas e Traumatologistas do Estado do Espírito Santo (COOTES), do Grupo Viciados em Virtude – que visa mobilizar jovens brasileiros na luta contra drogas prejudiciais à saúde, prostituição e outros males –, além do Instituto Vida e Movimento e da Sinalização Comunicação Visual.

9


REVISTA SBOT-ES /2013

17

10

Já ouviu falar em DORT? Segunda maior causa de afastamento clínico no Brasil, as “Doenças Osteomusculares Relacionadas ao Trabalho” foram tema de cartilha educativa da SBOT-ES

11

DORT é a sigla utilizada para “Doenças Osteomusculares Relacionadas ao Trabalho”, segunda maior causa de afastamento clínico no Brasil de acordo com pesquisa realizada pelo Instituto Nacional de Prevenção às LER/DORT – perdendo apenas para as lombalgias. Elas consistem em lesões nos músculos, tendões e articulações, causadas por movimentos repetitivos de qualquer parte do corpo e que estejam relacionadas ao ambiente de trabalho, ou seja, à alguma função exercida pelo funcionário. Caracterizada por dores crônicas e mais frequentes em mulheres, as DORT se manifestam principalmente em membros superiores – em especial mãos e punhos. Diante disso, a SBOT-ES elaborou uma cartilha com as principais informações sobre as DORT e também suas precauções.

Entre mitos e verdades 9

Pesquisa desenvolvida pela SBOT-ES apontou e desmistificou principais dúvidas de capixabas sobre problemas ortopédicos

Além da distribuição de panfletos educativos, contendo dicas de como curtir a praia com mais segurança, a ação “Praia Segura” contou com uma travessia a nado até a Ilha do Socó, realizada pelos membros da Associação Amigos da Praia de Camburi (AAPC)

10 Cartilha sobre “Dort”, produzido para orientar trabalhadores na prevenção às doenças ligadas ao esforço repetitivo

11 A pesquisa da SBOT-ES rendeu uma cartilha esclarecendo os principais mitos sobre problemas ortopédicos

Bico de papagaio dói? Salto alto causa joanete? Estas e outras perguntas são frequentadoras assíduas dos consultórios médicos quando o assunto são problemas ortopédicos, como mostra a pesquisa realizada pela SBOT-ES que analisou as principais dúvidas dos pacientes para desmistificar algumas ideias. Segundo o ortopedista Marcelo Rezende da Silva, o resultado da pesquisa, além de apontar as principais dúvidas dos pacientes, serviu para direcionar avanços em relação ao atendimento da especialidade. “Esse estudo foi essencial para que soubéssemos quais pontos mereciam mais cuidados dentro dos consultórios, principalmente ao explicar ao paciente a origem e o tratamento de sua patologia, minimizando, assim, possíveis confusões”, afirma o médico. A pesquisa ouviu mais de 200 pessoas que circularam na proximidade de dois grandes shoppings da Grande Vitória, durante o mês de abril de 2012.


REALIZAÇÕES

educação continuada de norte a sul capixaba DE SÃO MATEUS A CACHOEIRO DE ITAPEMIRIM Para apresentar novas técnicas de fixação ortopédica, a SBOT-ES promoveu três edições do Workshop de Osteossíntese, realizado em diferentes cidades do Estado “Proporcionar aos ortopedistas, principalmente do interior, oportunidades de debater sobre novas técnicas e instrumentos utilizados no tratamento de fraturas e fixação externa”. A explicação para os principais objetivos dos Workshops de Osteossíntese é do especialista Luiz Augusto Bittencourt Campinhos, que ministrou os encontros prático-teóricos oferecidos pela SBOT-ES aos seus associados ao longo de 2012.

1

Ao todo, foram promovidas três edições do evento, sendo duas no norte do Estado e uma no sul capixaba. A primeira delas aconteceu no dia 2 de junho, em Colatina, seguida da edição de Cachoeiro de Itapemirim, no dia 20 de outubro. Por fim, o último workshop de 2012 foi realizado em 1º de dezembro, na cidade de São Mateus. O especialista Sandro Marcos Pereira, que coordena o serviço de ortopedia e traumatologia do Hospital Estadual e Maternidade Sílvio Avidos (HEMSA), em Colatina, e organizou o workshop na cidade, parabenizou a diretoria da SBOT-ES. “Ao promover esses cursos no norte do Espírito Santo, o conselho se mostrou preocupado em congregar os especialistas capixabas, independente de sua região. Esperamos que mais encontros possam acontecer em diferentes locais do Estado”, destacou o especialista.

2

1

Além de Campinhos, que integra a equipe de treinadores da “AO Brasil” – uma filial da AO Foundation, presente em diversos países, que estuda e oferece aos ortopedistas e traumatologistas treinamentos em tratamentos cirúrgicos de fraturas –, as edições de Cachoeiro de Itapemirim e de São Mateus contaram com a presença e apoio do especialista Nelson Elias.

2

3

Especialistas durante Workshop de Osteossíntese

Além da parte prática, o workshop também con-

Participação dos associados durante evento

promovido em Colatina

tou com apresentações sobre fraturas

científico do Clube do Pé, no auditório SBOT-ES/ COOTES


A presença dos capixabas durante

3

Clube do Pé reúne especialistas em Vitória

essa edição do Clube do Pé foi excepcional” Jorge Mitsuo Mizusaki, diretor de Educação Continuada e Pesquisa da ABTPé

Com o apoio da SBOT-ES, o grupo trouxe para o Estado a oportunidade de discutir assuntos e casos clínicos da subespecialidade Dois dias de encontro e diversos especialistas reunidos em discussões sobre Hálux Valgo, Instabilidade do Tornozelo, Metatarsalgias, Prótese Total do Tornozelo, Talalgias/Síndrome do Túnel do Tarso e Traumas. Assim foi o evento promovido pelo Clube do Pé, realizado na sede da SBOT-ES, nos dias 5 e 6 de outubro. Além dos temas centrais, diversos casos clínicos foram analisados por renomados especialistas e, estes, mediados pelos convidados Luiz Eduardo Cardoso Amorim, do Rio de Janeiro, e Jorge Mitsuo Mizusaki, de São Paulo. Mizusaki também integrou a coordenação do evento, ao lado do também paulista Márcio Benevento. Criado na cidade de São Paulo, o Clube do Pé pertence à Associação Brasileira de Medicina e Cirurgia do Tornozelo e Pé (ABTPé) e existe desde 1977. Porém, há alguns anos passou a ser itinerante e a percorrer diversas capitais do país, possibilitando uma participação mais ampla de ortopedistas interessados na subespecialidade. No Espírito Santo, o Clube do Pé é representado pelo diretor regional Roberto Casotti Lora.

Jorge Mitsuo Mizusaki, que é diretor de Educação Continuada e Pesquisa da ABTPé e veio de São Paulo especialmente para o evento em Vitória, ressaltou a participação dos especialistas no Estado. “A presença dos capixabas durante essa edição do Clube do Pé foi excepcional, demonstrando que todos estão preocupados em oferecer um melhor atendimento aos nossos grandes beneficiados, os pacientes”, concluiu Mizusaki. O evento também recebeu o apoio da Cooperativa dos Ortopedistas e Traumatologistas do Estado do Espírito Santo (COOTES), ABTPé, do Clube do Pé do Brasil, Salvapé, Ortomedic, Bone Surgery e Pfizer.

Vitória reúne especialistas de quadril O encontro aconteceu durante a 4ª Reunião Científica 2012, promovida pela Sociedade Brasileira de Quadril (SBQ) – Regional Sudeste na capital capixaba

A capital do Espírito Santo sediou, nos dias 7 e 8 de dezembro, a 4ª Reunião Científica 2012, da Sociedade Brasileira de Quadril (SBQ) – Regional Sudeste. Realizado no Hotel Senac Ilha do Boi, o encontro abordou temas ligados a fraturas, como do Colo do Fêmur Proximal, e a tratamentos, como por Osteopatia. O encontro foi coordenado pelo especialista Edmar Simões, que também é membro da Sociedade Brasileira de Ortopedia e Traumatologia – Regional Espírito Santo (SBOT-ES), assim como seus colaboradores Bianor Guasti Júnior, Bruno Barreira Campagnoli, Bruno Costa Mello Silva e Sérgio Peres Sales. Além

disso, o evento também contou com a presença de diversos ortopedistas convidados, como Nelson Elias, que é coordenador dos serviços de residência médica em ortopedia do Hospital Vila Velha e Vitória Apart Hospital, e Juliano Paradella, cirurgião de quadril de Cachoeiro de Itapemirim. Além do apoio da SBOT-ES, o evento contou com o patrocínio do Comercial Gosta Gomes, Laboratório Merck e Orthomed.

REVISTA SBOT-ES /2013

19


20

4

por futuros especialistas O tradicional curso TEOT proporcionou aos residentes e médicos do Estado oportunidades de discutir temas relevantes para a especialidade e também a troca de experiências

Em 2012, a Sociedade Brasileira de Ortopedia e Traumatologia – Regional Espírito Santo (SBOT-ES) manteve o já tradicional curso de reciclagem e preparatório para o exame de obtenção do Títutlo de Especialista em Ortopedia e Traumatologia (TEOT). Ao todo, foram oito encontros e 15 especialistas convidados para ministrarem importantes temas para quem desejava se sair bem na avaliação. Oferecido gratuitamente, o curso é voltado para residentes e médicos que desejam obter o TEOT, além de especialistas que desejam se atualizar ou mesmo trocar experiências sobre os assuntos abordados durante as aulas. E na edição do ano passado, a aula inaugural – realizada no dia 27 de março – foi ministrada pela infectologista capixaba, integrante do Departamento de Doenças Infecciosas da Cleveland Clinic Foundation e também codiretora do setor de Infecção Ortopédica da instituição, Luciléia Teixeira Johnson. “Encontros assim, como o realizado pela SBOT-ES, são importantes para a formação desses profissionais de saúde, além de aproximar especialidades diferentes, mas que possuem assuntos em comum”, contou a infectologista. A especialista, que estava em visita ao país, abordou o tema “Infecção de Prótese Ortopédica – Revisão de literatura e discussão”. Ao longo do ano, também foram discutidos temas como lesões do anel pélvico, fraturas trocanterianas, do colo femoral, tornozelo, ombro, entre outros diversos, abordados por especialistas como Nelson Elias, Mateus Borges, Jair Simmer e Rodrigo Rezende. E entre os mais de 400 aprovados no exame – realizado em Campinas (SP),

4

entre os dias 10 e 12 de janeiro de 2012 –, há três representantes do Estado: Marcos Robson de Cássia Júnior e Danuza de Melo Rozindo, ambos residentes do Vitória Apart Hospital, e Marcos Vinicius Martins Semensato, que cursou residência no Vila Velha Hospital. Contente com o resultado, Semensato contou como foi a preparação para realizar a prova. “Para obtermos os melhores resultados, estudávamos por várias horas, inclusive aos sábados, domingos e feriados. Além disso, o curso TEOT oferecido pela SBOT-ES foi crucial para alcançarmos nosso objetivo”, lembra o novo especialista. O exame para a obtenção do título contou com avaliações escritas, orais, físicas e de habilidades, e foi organizado e efetivado pela Comissão de Ensino e Treinamento (CET) da SBOT nacional.

5

6

O tradicional curso TEOT também reuniu residentes e

A SBOT-ES conseguiu trazer para Vitória a 8ª edição

Além do TROIA, a SBOT-ES também candidatou o Es-

especialistas ao longo de 2012

do TROIA, que aconteceu em junho deste ano

tado para sediar o CBTO de 2014


21 REVISTA SBOT-ES /2013

REALIZAÇÕES

por mais eventos científicos

5 6

A SBOT-ES também está empenhada em captar eventos nacionais da especialidade e trazê-los para o estado A gestão 2012 da SBOT-ES, além de promover uma série de encontros científicos próprios, também desenvolveu projetos para trazer ao Estado congressos nacionais. Ao todo, a Sociedade candidatou a capital Vitória para três eventos: o 8º Trauma Ortopédico Infantil Atualização (TROIA), o 20º Congresso Brasileiro do Trauma Ortopédico (CBTO) e o Curso Itinerante de Fixação Externa da Associação para Estudo e a Aplicação do Método de Ilizarov (Asami). E graças a esses projetos, os especialistas do Estado puderam reservar algumas datas em suas agendas. A primeira delas foi o dia 27 de abril, onde foi realizado o Curso Itinerante de Fixação Externa, promovido pela Associação para o Estudo e a Aplicação do Método de Ilizarov (Asami). Outra data que os associados puderam reservar foram os dias 14 e 15 de junho, quando foi realizado o 8º TROIA, no Hotel Golden Tulip, em Vitória. Promovido pela Sociedade Brasileira de Ortopedia Pediátrica (SBOP) há mais de uma década, o TROIA é um dos mais importantes eventos de atualização na área da traumatologia

ortopédica infantil. E neste encontro, além de diversos palestrantes nacionais, houve um convidado internacional: o especialista em ortopedia pediátrica, Eric William Edmonds, de San Diego, na Califórnia. O projeto de captação desse congresso começou ainda na gestão de Adelmo Rezende Ferreira da Costa, conduzido pelo então vice-presidente, Marcelo Rezende da Silva. Por último, a capital capixaba também foi candidatada para o 20º CBTO. Este, porém, não será realizado no Estado, pois a SBOT-ES perdeu o processo por uma diferença de apenas seis votos para a cidade de Gramado, no Rio Grande do Sul. Lembrando que o 20º CBTO acontecerá em 2014. Mas Marcelo Rezende da Silva, que participou diretamente dessas captações também como presidente da SBOT-ES, frisou a importância desses processos. “Independente do resultado, para a SBOT-ES é crucial estar presente nessas captações. Pois assim, mostramos que somos capazes e que estamos interessados em promover encontros científicos também a nível nacional”, conclui o ortopedista.


REALIZAÇÕES

da posse até as quadras O começo de uma nova etapa Sucessor de Adelmo Rezende Ferreira da Costa, o especialista Marcelo Rezende da Silva assumiu a presidência da SBOT-ES durante o ano de 2012 Com a presença de diversos especialistas reunidos no auditório SBOT-ES/ COOTES, na noite do dia 2 de janeiro de 2012, Adelmo Rezende Ferreira da Costa apresentava os últimos balanços administrativos de sua gestão e transferia, oficialmente, o cargo de presidente da Sociedade Brasileira de Ortopedia e Traumatologia – Regional Espírito Santo (SBOT-ES) para o colega ortopedista Marcelo Rezende da Silva. A cena continua viva na memória do, então, novo presidente da SBOT-ES. “Aquele momento foi ímpar em minha vida, pois essa entidade possui um reconhecimento nacional por tudo que vem realizando há 40 anos e conta com grupo coeso de médicos que tem como bandeira a valorização da profissão”, relembra Marcelo. Quem também assumiu novos cargos foram os especialistas Thanguy Gomes Friço, como vice-presidente, José Carlos Xavier do Vale, secretário, Valbert de Moraes Pereira, primeiro tesoureiro, e Francisley Gomes Barradas, segundo tesoureiro. O Conselho Fiscal foi composto por Vladimir de Almeida, Alexandre André Ciríaco, Adelmo Rezende Ferreira da Costa e os suplentes Ruy Rocha Gusman, Alceuleir Cardoso de Souza e Antônio Carlos de Paula Resende. Já Hélio Barroso dos Reis, Jorge Luiz Kriger e também Alceuleir, foram os novos delegados da SBOT-ES.

E para comemorar essa nova etapa da entidade, no dia 23 de março, no Cerimonial Itamaraty, na capital capixaba, foi promovida a cerimônia de posse da nova diretoria da SBOT-ES, regada de muita descontração e conversas animadas entre os especialistas. Nessa ocasião, também assumiram seus cargos os diretores da Cooperativa dos Ortopedistas e Traumatologistas do Estado do Espírito Santo (COOTES). “Nosso objetivo sempre foi fazer algo útil para a classe e, nesse fim de mandato, sinto que essa meta foi alcançada graças as realizações dessa gestão, que incluem desde os projetos de educação continuada até o nosso memorável 10º COTES”, conclui Marcelo, ao também agradecer seus principais incentivadores: “Hélio Barroso dos Reis, Alceuleir Cardoso de Souza, José Carlos Xavier, nosso saudoso Sergio Ragi Eis e minha esposa Gabriela Carregal”.

1


REVISTA SBOT-ES /2013

23 Com a bola nos pés Já tradição, a gestão de 2012 da SBOT-ES não pode deixar de promover aos seus associados uma divertida e descontraída partida de futebol Em 2012, os especialistas da SBOT-ES também tiveram a oportunidade de deixar de lado os jalecos e sapatos habituais, que deram lugar às chuteiras, meiões e ao uniforme do time querido. A chance foi durante a partida de futebol promovida pela Sociedade, em parceria com o laboratório Aché, no dia 24 de junho, em Vila Velha. O jogo, assim como todos os outros eventos sociais da entidade, foi realizado com o intuito de proporcionar aos associados momentos de confraternização e lazer, divididos com os colegas da especialidade. E para fechar bem o dia, além de praticarem um esporte em clima de total descontração, os atletas da SBOT-ES também puderam aproveitar um excelente churrasco que foi oferecido pela Aché.

2

3

Ortopedistas em quadra Em sua terceira edição, Torneio de Tênis SBOT-ES reuniu especialistas que, entre voleios, cortes e passadas, se divertiram e interagiram fora dos consultórios Em 2007, durante a gestão do especialista Clark Masakazu Yazaki, acontecia a primeira edição do Torneio de Tênis SBOT-ES, criado para fortalecer as atividades desportivas e também estimular a convivência entre os membros da entidade. Desde então, mais duas edições foram realizadas: uma em 2011, na presidência de Adelmo Rezende Ferreira da Costa, e a outra em 2012, sob a responsabilidade de Marcelo Rezende da Silva. Essa última edição, batizada de “Copa SBOT-ES Synvisc de Tênis”, foi disputada em três momentos diferentes. A primeira fase aconteceu nos dias 16 e 17 de junho, na Academia Vini Tennis, em Vila Velha, e a grande final foi promovida no dia 1º de setembro, durante a realização do 10º Congresso de Ortopedia e Traumatologia do Espírito Santo (COTES). Após diversas partidas, o troféu do torneio foi disputado entre os especialistas Mauro Santos Moraes e Thanguy Gomes Friço, onde este último acabou levando o título de campeão para casa. Mas independente do resultado dentro de quadra, todos que participaram do evento foram premiados com momentos repletos de diversão e descontração.

1

2

3

Integrantes da SBOT-ES e das assessorias durante a ceri-

Especialistas reunidos durante a partida de futebol pro-

O ortopedista Thanguy Gomes Friço, vencedor do III

mônia de posse da Gestão 2012

movida pela SBOT-ES

Torneio de Tênis SBOT-ES


REALIZAÇÕES

ações em prol da defesa profissional Em defesa da profissão Para orientar melhor os associados sobre seus direitos e deveres e discutir o cenário da classe médica no país, a SBOT-ES promoveu a Seminário de Defesa Profissional

Discussões assim são essenciais para a harmonia e o equilíbrio da relação entre especialistas, operadoras de saúde e consumidores” Sandra Lengruber, Ministério Público

Com o objetivo de atualizar os profissionais do Estado acerca das negociações que aconteceram em nível nacional, conscientizá-los sobre os direitos e deveres no exercício da medicina, além de incentivar a discussão de melhorias nas condições de trabalho nos hospitais, no atendimento à população capixaba e de maior valorização da profissão do médico, a SBOTES promoveu o Seminário de Defesa Profissional. Realizado no dia 15 de junho de 2012, no auditório SBOT-ES/COOTES, o encontro contou com a participação especial do presidente do Comitê de Dignidade e Defesa Profissional da SBOT, Robson de Azevedo – que veio de Goiás especialmente para o evento –, e dos representantes do Ministério Público do Espírito Santo, Sandra Lengruber da Silva, e do Sistema Unimed Vitória, Remegildo Gava Milanez. Entre outras coisas, Robson de Azevedo, responsável por ministrar o seminário, explicou a importância de se conhecer os direitos e deveres, seja dos membros das sociedades médicas ou na relação entre especialistas e planos de saúde. “Por exemplo, toda entidade médica legalmente constituída poderá negociar com as operadoras em nome de seus jurisdicionados, e que os serviços prestados deverão ser efetivamente pagos em até 30 dias corridos da apresentação do faturamento”, como lembrou o presidente do comitê. Segundo Sandra Lengruber, ações como a realizada pela SBOT-ES ajudam a esclarecer as dúvidas e a conscientizar os médicos. “Discussões assim são essenciais para a harmonia e o equilíbrio da relação entre especialistas, operadoras de saúde e consumidores, uma vez que podem ser conhecidos, avaliados e discutidos os pontos de vista e os problemas enfrentados por cada um dos envolvidos”, afirmou a promotora ao garantir que somente dessa forma será possível antecipar e prevenir futuros conflitos de interesses.

do Espírito Santo

O evento foi promovido, principalmente, devido ao cenário de insatisfação que a classe médica enfrentou em todo o país durante o ano de 2012. Inclusive, tanto descontentamento culminou na manifestação nacional realizada no dia 25 de abril, que ficou conhecida como “Dia Nacional de Advertência aos Planos de Saúde”.


REVISTA SBOT-ES /2013

25

1

Por uma SBOT mais igualitária Promovido pela Sociedade Brasileira de Ortopedia (SBOT), o 8º Fórum de Planejamento Estratégico reuniu especialistas de todo o país

Marcelo Rezende da Silva, representando a regional capixaba da Sociedade Brasileira de Ortopedia e Traumatologia (SBOT-ES), esteve presente durante o 8º Fórum de Planejamento Estratégico da nacional SBOT, realizado na cidade de Angra dos Reis, no Rio de Janeiro, entre os dias 12 e 14 de abril de 2012.

Seminário de Defesa Profissional, com a presença do

Além de Silva, mais nove presidentes das regionais brasileiras e diversos especialistas de todo o país estiveram reunidos no fórum para apresentarem novas ideias e discutir assuntos ligados à defesa profissional, à atuação dos comitês, das diretorias e comissões da especialidade, entre outros assuntos. Todos contribuindo com sugestões como novas maneiras de realizar eleições das diretorias e conselhos, bem como diversas novidades para congressos e campanhas médicas.

Participantes do 8° Fórum de Planejamento Estraté-

1 presidente do Comitê de Dignidade e Defesa Profissional da SBOT, Robson de Azevedo

2 gico reunidos em Angra dos Reis - RJ

“O evento promovido pela SBOT indicou uma nova postura adotada pela entidade, que consiste na maior participação de suas regionais na construção de uma gestão baseada na união e continuidade”, afirmou Marcelo Rezende.

2


°

10 COTES

Congresso reúne especialistas em Pedra Azul Em sua décima edição, o Congresso de Ortopedia e Traumatologia sobe as montanhas capixabas e se consagra como o maior evento da especialidade no Estado


REVISTA SBOT-ES /2013

27

O ano de 2012 foi marcado por grandes realizações para a SBOT-ES. Porém, a maior de todas elas foi a concretização do 10º Congresso de Ortopedia e Traumatologia do Espírito Santo (COTES). Consagrado como o maior encontro da especialidade no Estado, o COTES foi realizado em Pedra Azul, município de Domingos Martins, entre os dias 30 de agosto e 2 de setembro. O evento contou com a presença de diversos especialistas, tanto do Espírito Santo quanto de outros estados, além de seus familiares e amigos, que nos três dias estiveram reunidos para uma série de palestras, conferências e simpósios que abordaram assuntos ligados à “Ortopedia Pediátrica”, “Fratura no Idoso”, “Politrauma” e “Osteoporose”. Realizada no auditório do Aroso Paço Hotel, a cerimônia de abertura foi conduzida pelo ortopedista José Carlos Xavier do Vale. Já a mesa de honra foi composta pelos seguintes especialistas: Marcelo Rezende da Silva, então presidente da SBOT-ES, Alceuleir Cardoso de Souza, presidente do congresso, Hélio Barroso dos reis, presidente de honra, Jorge Luiz Kriger, ex-presidente da SBOTES, o capixaba e professor da UERJ Karlos Celso Mesquita, além dos cariocas, Marcos Esner Musafir e José Sérgio Franco, e do mineiro Roberto Canto.

Hasellus felis tellus, dapibus eget convallis at, cursus vitae dolor. Ut laoreet sapi-

“Fiquei bastante orgulhoso por ter sido convidado a presidir o 10º COTES e fazer parte desse grande encontro da ortopedia capixaba”, lembra Alceuleir Cardoso de Souza, ao falar do convite feito por Marcelo Rezende. Sentimento esse compartilhado também pelo presidente de honra, Hélio Barroso dos Reis. “Impossível não sentir-se muito envaidecido e emocionado por carregar esse título. É um reconhecimento pelo nosso trabalho e dedicação prestada à ortopedia capixaba e aos colegas especialistas”, afirma o especialista.

en ac augue facilisis malesuada,

cursus

vitae dolor, ut laoreet sapien.

Em seu discurso de abertura, Marcelo Rezende lembrou que um congresso com este porte só poderia acontecer com o empenho de todas as partes envolvidas. “Esse evento, tão grandioso, só foi possível graças à união de três


REVISTA SBO T-ES JANEIRO/2013

28

Os temas abordados foram bem selecionados, abrangendo boa parte da especialidade”

1

Karlos Celso de Mesquita, especialista e professor da UERJ

pilares: os congressistas, os palestrantes e os patrocinadores. Cada um com a sua importante contribuição”, lembrou o especialista. O 10º COTES também contou com a participação de convidados especiais, como Bernardo Stolnick, do Rio de Janeiro; Marco Antônio Percope e Arnóbio Moreira Félix, de Minas Gerais; e Márcia Uchôa de Rezende, de São Paulo. Para Karlos Celso Mesquita, o congresso realizado no Estado foi muito interessante. “Os temas abordados foram bem selecionados, abrangendo boa parte da especialidade. Além disso, os palestrantes mantiveram o evento em grande nível, apresentando não apenas suas próprias experiências, mas uma excelente revisão de literatura”, observou o especialista. Quem também concordou com Mesquita foi o carioca Marcos Esner Musafir. “O 10º COTES foi bastante proveitoso, agregando bons temas, trabalhos e palestras. Tudo em um clima de harmonia e integração entre ortopedistas, o que inclusive fortalece os laços da nossa entidade”, elogiou o especialista.

1

2

3

Natural do Rio de Janeiro, José Sérgio Franco participou do congresso também como palestrante

2 O especialista carioca Marcos Esner Musafir também veio especialmente para o 10º COTES

3 Márcia Uchôa de Rezende foi uma das ortopedistas presentes no evento e veio diretamente de São Paulo para também palestrar

4 O palestrante mineiro Roberto Canto, convidado especial do congresso

4


REVISTA SBOT-ES /2013

29

5 5

Uma homenagem a quem também fez história

Compuseram a mesa de honra do 10º COTES, a partir da esquerda: Marcos Esner Musafir, Jorge Luiz Kriger, Hélio Barroso dos Reis, Marcelo Rezende da Silva, Alceuleir Cardoso de Souza, Carlos Celso Mesquita, José Sérgio Franco e Roberto Canto

Quem esteve presente durante a inauguração do 10º Congresso de Ortopedia e Traumatologia do Espírito Santo, também teve a oportunidade de presenciar uma homenagem especial aos ex-presidentes da Regional capixaba da SBOT, que receberam uma medalha de honra por todo o trabalho realizado em prol da especialidade. Um desses homenageados foi o especialista Akel Nicolau Akel Júnior, que foi presidente da Sociedade no ano de 2006. “Confesso que fiquei bastante lisonjeado ao receber essa homenagem da SBOT-ES. Foi uma ideia maravilhosa da comissão organizadora, uma vez que nunca, na história da entidade, isso havia acontecido”, lembra Akel.

6

Após o tributo aos ex-presidentes da SBOT-ES, os participantes do congresso foram envolvidos pela palestra “A importância da ortopedia para a sociedade”, do ortopedista mineiro Arnóbio Moreira Félix, que também criou um acróstico especialmente para o 10º COTES (Confira o texto na página 35). “Participar desse evento foi muito proveitoso, porque encontros dessa grandiosidade são ocasiões únicas para aprimorar nosso conhecimento técnico e científico, além de uma excelente oportunidade para relaxar e ficar mais próximo de nossos familiares”, garante Félix.

6 Marcelo Rezende da Silva, presidente da SBOT-ES, Hélio Barroso dos Reis, presidente de honra do 10º COTES e Alceuleir Cardoso de Souza, presidente do congresso

7 Diversos congressistas e convidados especiais durante a

7

cerimônia de abertura do evento


30

8

PESQUISAS GANHADORAS DO PRÊMIO SERGIO RAGI EIS TERCEIRO LUGAR “Terapia Regenerativa na Pubalgia do Atleta, com Plasma Autólogo Rico em Plaquetas e seus Fatores de Crescimento”, dos autores José Fernando Duarte, Gabriel Duarte Vieira, Adriano de Souza, José Lorenzo Solino, Virgílio Schuwab Amaral e Rounilo Furlani Costa;

“Pseudoartrose da Extremidade Proximal do Fêmur em Paciente Portador de Osteogênese Imperfeita: Tratamento Cirúrgico não Convencional”, dos autores Luiz Augusto Bittencourt Campinhos, Cilas de Almeida Reis Neto, Mateus Borges Oliveira Alves, Guilherme Galvão Barreto Carneiro e Esther Knaak Sodré Scarabelli;

SEGUNDO LUGAR “Estudo Anatômico do Processo Coracóide: Implicações Práticas”, dos autores Bernardo Barcellos Terra, Eduardo Antônio de Figueiredo, Benno Ejnisman, Carlos Vicente Andreoli e Moisés Cohen;

9

Um marco histórico na produção científica no Estado A décima edição do maior encontro da ortopedia capixaba, além de proporcionar importantes discussões sobre a especialidade, também foi o marco inaugural do “Prêmio Sergio Ragi Eis”, entregue aos melhores trabalhos inscritos e apresentados na categoria Temas Livres. O prêmio foi criado em homenagem póstuma ao ortopedista e traumatologista Sergio Ragi Eis, que foi membro da SBOT-ES e faleceu no início de 2012. Ragi foi um pesquisador conhecido internacionalmente e autor de diversos trabalhos sobre a osteoporose, contribuindo para importantes avanços no tratamento da doença. Foi também um dos fundadores e presidente da Sociedade Brasileira de Densitometria Clínica (SBDens) e Consultor da Organização Mundial da Saúde em Osteoporose. Ao todo, foram mais de 30 trabalhos concorrendo ao prêmio. Porém, apenas quatro pesquisas foram escolhidas pelo corpo de jurados, composto pelos especialistas Giovanni César Xavier Grossi, Hélio Barroso dos Reis e Marcelo Rezende da Silva (Ver quadro ao lado). E quem conquistou o primeiro lugar na premiação foi o estudo sobre a “Correlação Clínica entre Mielopatia e Índice de Torg”, desenvolvido por Igor Cardoso, Chárbel Jacob Júnior, Rodrigo Rezende, José Lucas Batista Júnior e Mateus Oliveira Alves. Segundo Chárbel Jacob Júnior, a iniciativa da SBOT-ES na criação do prêmio foi uma excelente ideia. “O evento certamente estimulou a produção científica em nosso Estado. Além disso, ficamos muito satisfeitos com a premiação, que serviu como reconhecimento do esforço do grupo de coluna da Santa Casa de Vitória em cuidar de cada paciente, educar novos profissionais e publicar seus trabalhos científicos”, afirmou Jacob.

PRIMEIRO LUGAR “Correlação Clínica entre Mielopatia e Índice de Torg”, escrita por Igor M. Cardoso, Chárbel Jacob Júnior, Rodrigo Rezende, José Lucas Batista Júnior e Mateus B. Oliveira Alves.

8 Placa do Prêmio Sergio Ragi Eis entregue aos vencedores dessa primeira edição

9 Entrega do prêmio Sergio Ragi Eis aos primeiros colocados


REVISTA SBOT-ES /2013

31

Nosso objetivo foi oferecer o que havia de melhor, tanto em hospedagem quanto em diversão” Vanessa Pagotto, secretária da Ames

10

A diversão também esteve presente no 10º COTES Além das palestras científicas, dos simpósios satélites e das apresentações de pesquisas feitas pelos especialistas capixabas, o 10º COTES também foi a oportunidade ideal para se divertir. Tudo graças a uma programação social variada, pensada exclusivamente para os congressistas e seus familiares e amigos. Como conta Vanessa Pagotto, secretária da Associação Médica do Espírito Santo (Ames) e integrante da comissão do 10º COTES, a escolha de Pedra Azul como sede do evento foi justamente pela capacidade de conciliar o científico e o social da melhor maneira possível. “Optamos pelo lugar ao levar em consideração o número de participantes, o público ao qual o evento se destinava e a qualidade dos serviços oferecidos. Nosso objetivo foi oferecer o que havia de melhor, tanto em hospedagem quanto em diversão”, comenta Vanessa. Assim, durante todo o congresso, foram promovidos diversos encontros, como almoços, palestras com temáticas diferentes, um churrasco de confraternização, um show de humor e mágica e apresentações musicais. E logo na primeira noite do 10º COTES - na quinta-feira do dia 30 de agosto –, todos puderam participar do coquetel de abertura realizado na Adega do Aroso Paço Hotel.

10 Com Marcelo Rezende da Silva, a filha e a esposa do primeiro presidente da SBOT-ES Paulo Diniz de Oliveira Santos: Flávia de Oliveira Santos Colnago e Angela Maria Salazar de Oliveira Santos, respectivamente

11 11

Show de mágica do especialista mineiro, Arnóbio Moreira Félix


No dia seguinte, os congressistas passaram a tarde juntos em um churrasco de integração promovido na Pousada dos Pinhos, com direito a um excelente cardápio e um refrescante banho de piscina. Também nesse dia, foram promovidas duas palestras diferentes das demais: uma gastronômica, com o especialista Roberto Casotti Lóra (Ver matéria na página 36), e outra sobre beleza e rejuvenescimento com o então vice-presidente da SBOT-ES, Thanguy Gomes Friço, e sua esposa, a dermatologista Patrícia Friço. “Nesse encontro, falamos muito sobre o que você pode fazer para preservar a sua beleza: a Patrícia abordou os cuidados com a pele, enquanto eu dei dicas de como manter uma musculatura melhor”, comentou o ortopedista. Ainda na Pousada dos Pinhos, foi realizado o show de humor e mágica com o especialista Arnóbio Moreira Félix, também conhecido como mágico Bill Morélix. O evento também contou com uma degustação de queijos e vinhos de produtores do Estado e uma apresentação de voz e violão do ortopedista Janeilson R. Mattos. “Esse momento foi ideal para relaxar, seja com os números de mágica ou a apresentação musical. Programações assim são perfeitas para confraternizarmos com nossos colegas e fazer novas amizades com outros especialistas e seus convidados – coisa que com a correria do dia a dia não temos oportunidade”, afirma Mattos. Quem esteve em Pedra Azul também pode acompanhar a grande final do III Torneio de Tênis SBOT-ES, disputada entre os especialistas Thanguy Gomes Friço e Mauro Santos Moraes (Ver matéria na página 23). Além disso, as crianças também não ficaram de fora da programação do congresso. Para elas, foram promovidos diversos jogos e uma noite do pijama, com direito à exibição de filmes e muita pipoca.

12 12 Representantes das empresas parceiras do evento durante o churrasco de integração

Por fim, na noite que encerrava oficialmente o 10º COTES, foi promovido um baile ao som da banda Doctor Bone, comandada por Janeilson R. Mattos, e um jantar preparado especialmente pelo restaurante Don Lorenzoni, também em comemoração antecipada ao Dia do Ortopedista – celebrado em 19 de setembro.

13

14

15


33 REVISTA SBOT-ES /2013

Congresso de Ortopedia e Traumatologia do Espírito Santo

Congresso tradicional, Onde habita a ciência. Temática especial, Equipe profissional, Sempre em busca da excelência. Crescendo a cada edição, O congressista agradece. Trabalhos, aulas, missão, Engajamento e visão, Sucesso aqui acontece.

16

Cultura, lazer, natureza, Ortopedia que brilha. Tem Vitória, tem beleza, Especial em grandeza, Sempre ao lado da família! Autor: Arnóbio Moreira Félix

17 13 Integrantes da Comissão Organizadora durante cerimônia de encerramento do 10º COTES

14 Marcelo Rezende da Silva ao lado de sua esposa, Gabriela Carregal

15 Na noite de encerramento do congresso, os especialistas puderam se divertir no salão do Aroso Paço Hotel

16 Mais integrantes das empresas parceiras e da organização do

18

evento no churrasco de integração

17 Os especialistas e seus convidados também aproveitaram o excelente cardápio do churrasco realizado na Pousada dos Pinhos

18 Almoço beneficente realizado em prol da ACACCI

19 Especialistas do Estado entregam um presente especial ao mineiro Marco Antônio Percope

19


34

talento que vai além da medicina O dom gastronômico do médico Roberto Casotti Lóra permitiu que ele mostrasse o que sabe fazer na cozinha em um curso rápido ministrado durante o 10º COTES

Duas cebolas médias, três maços de salsa, quatro dentes de alho picados e uma “pitada” de sofisticação. Com esses e outros elementos, o chef e médico Roberto Casotti Lóra fez um delicioso “Risoto Alla Pietra Azzurra” e um saboroso “Tomate Gratinado” em um minicurso de gastronomia direcionado aos acompanhantes dos participantes do 10º COTES. Durante a programação social, Lóra ensinou receitas simples e práticas, além de usar técnicas utilizadas na alta gastronomia para dar um sabor diferenciado aos pratos. Segundo o chef, utilizar alimentos frescos e de primeira qualidade é importante para dar um toque especial às receitas. “Procurei usar alimentos da estação e típicos da região de Domingos Martins como cogumelos, tomates, morangos e outros. Além de explorar o que a região tem de bom, esses detalhes deixaram as receitas muito saborosas”, comentou Lóra.

20

Gabriela Carregal, esposa do presidente da SBOT-ES Marcelo Rezende da Silva, ficou surpresa com a quantidade de pessoas interessadas. “Inicialmente contávamos com cerca de 20 participantes, mas o o interesse foi tão grande que, quando percebemos, já estávamos com mais de 30 pessoas. Esse resultado foi um dos maiores sucessos dentro da programação social”, comemorou Gabriela. Uma das participantes, Zenite Moreira Franco, esposa do especialista e palestrante José Sérgio Franco, parabenizou e elogiou o desempenho do chef. “O Lóra ensinou receitas rápidas e fáceis de aprender. Confesso que gostei muito. Ele também conseguiu prender nossa atenção e, por conta disso, sugiro incluir esse curso na programação do evento social do próximo congresso”, observou Zenite.

21

20 O especialista Roberto Casotti Lóra ensinou aos congressistas uma receita de risoto e de tomate gratinado

21 Durante o curso, os participantes puderam tirar dúvidas sobre as receitas e também dos ingredientes

22 Mais de 30 pessoas participaram do minicurso de gastronomia do 10º COTES

22


REVISTA SBOT-ES /2013

35

UM MOMENTO de doação O 10º COTES também foi uma oportunidade dos especialistas ajudarem o próximo, mas de uma maneira diferente da rotina do consultório Além dos encontros científicos e sociais, o 10º COTES também dedicou um momento especial de doação ao próximo: no último dia da programação oficial do congresso (sábado, 1º de setembro), foi promovido um almoço beneficente.

23

Realizado no restaurante Don Lorenzoni, o almoço contou com um cardápio exclusivo para o momento e teve todo o lucro revertido à Associação Capixaba Contra o Câncer Infantil (ACACCI). “Com o valor obtido, conseguimos comprar quase 25 quilos de um importante suplemento alimentar que a instituição necessita. Por isso, estamos certos de que esta contribuição ajudou bastante as crianças da ACACCI”, comemora Gabriela Carregal, esposa do especialista Marcelo Rezende e integrante da organização do congresso. Cerca de 30 pessoas participaram da ação, que também contou com o sorteio de brindes de diversos parceiros do 10º COTES. 24

Por fim, a direção da ACACCI agradeceu a iniciativa da organização do congresso e lembrou que esse suplemento alimentar é essencial para a recuperação das crianças que passam por radio ou quimioterapias – tratamentos que causam grande desgaste aos pacientes, que consequentemente necessitarão desses reforços. Frisaram também que atitudes assim estimulam, ainda mais, o trabalho da associação com as crianças, adolescentes e familiares.

25 23 Palestrantes do 10º COTES também participaram do almoço beneficente

24 Marcelo Rezende, Gabriela Carregal, Denise Garcia e Hélio B. dos Reis, durante o almoço

25 O restaurante Don Lorenzoni foi o palco para a ação beneficente

26 26

Suplementos alimentares entregues à ACACCI


36

°

10 COTES

UM EVENTO DE GRANDES PARCERIAS ALÉM DO EMPENHO DE TODA A EQUIPE ENVOLVIDA, O 10° COTES TAMBÉM CONTOU COM O APOIO DE GRANDES EMPRESAS PARCEIRAS NO ESTADO

Assim como qualquer grande evento, o 10º COTES também contou com o apoio de parceiros. Foi patrocinado pela Cooperativa dos Ortopedistas e Traumatologistas do Estado do Espírito Santo (COOTES) e pelo laboratório farmacêutico Biolab; foi organizado pela Associação Médica do Espírito Santo (AMES); além do importante apoio da Sociedade Brasileira de Ortopedia e Traumatologia (SBOT), Congresso Brasileiro de Ortopedia e Traumatologia (CBOT) 2012, Unimed Vitória, Hospital Metropolitano, Costa Gomes Hospitalar, Ortek, Bone Surgery, Inson – Instituto de Ultrassonografia, Triad – Ressonância Magnética, CVC Chevrolet, Seguradora Nobre, Pro Doctor – Corretora de Seguros, Ortopedia Gonçalves, Ortopedia Alexandrina, Aché, Sanofi, Mantecorp Farmasa, Servier, Apsen e PH.


ortopedia. Ressonância Magnética para Extremidades Toda a qualidade e a precisão de uma ressonância magnética, com muitas vantagens para você e para seu paciente. • Tecnologia de alto campo (1,5 Tesla). • Diagnóstico de lesões dos membros inferiores e superiores. • Menor emissão de ruído. • Mais conforto durante o exame. • Sem necessidade de sedação. • Ausência de sintomas de claustrofobia.

CDI

25 anos

A imagem da confiança. • Unidades • • CDI Vitória • Rua José Teixeira, 509 - Praia do Canto

• CDI Vila Velha • Rua Sete de Setembro, 235 - Centro

• Telefone: 3334.1313 •

• CDI Mulher • Rua Fortunato Ramos, 103 - Santa Lúcia

REVISTA SBOT-ES /2013

Exclusiva para

37


OS 41 anos DE QUEM TEM MUITO O QUE CONTAR Para além das comemorações, o aniversário da SBOT-ES é uma oportunidade de lembrar a trajetória dessa entidade que há mais de duas décadas representa ortopedista e traumatologistas no Estado No dia 29 de julho, de 1972, um grupo de médicos criava a seção regional da Sociedade Brasileira de Ortopedia e Traumatologia, conhecida ainda como Sotes na época. O intuito, que persiste há mais de duas décadas, foi e continuará sendo o de representar ortopedistas e traumatologistas em terras capixabas e garantir melhores condições de trabalho e oportunidades de atualização profissional. A SBOT-ES só passou a ser reconhecida por este nome em 27 de outubro de 1995, após uma revisão de seu Estatuto Social e de uma assembleia realizada na Associação Médica do Espírito Santo (Ames). E isto aconteceu durante a gestão do especialista Geraldo Lopes da Silveira, que relembra esse período. “Fui presidente durante dois mandatos da Sociedade – de 1995 a 1996, e de 1997 a 1998 – e foi preciso bastante empenho de todos para estruturar a identidade da SBOT-ES, documentar sua história e fazê-la funcionar como uma entidade de referência nacional dentro do nosso Estado”, conta Silveira.

1

Entre as principais dificuldades que a SBOT-ES enfrentou, principalmente na fase de criação, esteve a consolidação da entidade como representante local da sociedade nacional e a sua estabilização, já que era vista pelos outros estados como uma entidade sem muita expressão na especialidade. De acordo com Silveira, o sucesso nesse empenho apenas aconteceu devido aos objetivos claros da diretoria e ao constante incentivo na formação profissional dos especialistas locais. “Na época, minha gestão sentia que precisava avançar com a Sociedade, deixando-a mais forte e voltada para a construção de um futuro melhor para os associados”, recorda o médico, orgulhoso por saber que essa preocupação foi sendo perpetuada durante as gestões futuras, contribuindo para fortalecer cada vez mais a entidade, até alcançar o respeito e a solidez atual. E ao chegar aos 41 anos, a SBOT-ES segue firme no propósito estipulado ainda em 1995: o de crescer forte, oferecendo mecanismos de atualização para os especialistas associados, além de acompanhar atentamente as questões diversas que envolvem as áreas, sempre defendendo os interesses da classe.


REVISTA SBOT-ES /2013

39

OS PLANOS PARA O FUTURO Sob a presidência do especialista Thanguy Friço, que reinaugura após oito anos a gestão com duração de dois anos, a SBOT-ES está empenhada em alcançar um padrão de excelência no que diz respeito a especialidade. “Iremos continuar investindo em palestras, debates e simpósios, além de almejar, cada vez mais, a aproximação entre profissionais da área e facilitar a troca de experiências entre eles”, afirma o atual presidente. Nesse sentido, as conquistas obtidas até agora também possibilitam que se projetem novos objetivos, como explica Friço. “A atual gestão veio com a missão de aproximar a SBOT-ES da população, deixando de ser apenas uma instituição voltada para os especialistas e passando a estar mais presente na vida das pessoas”. Para tanto, a diretoria já traçou algumas estratégias. Por exemplo, a reformulação do site da entidade, que agora oferece um banco de dados aberto ao público, com o endereço e contato de todos os especialistas associados à SBOT-ES.

2

Além disso, a SBOT-ES também está presente nas redes sociais, oferecendo dicas e conteúdos voltados para o bem-estar de cada cidadão. A participação no evento de decoração, arquitetura e paisagismo, a Casa Cor Espírito Santo 2013 – com o ambiente “Escritório do Ortopedista” –, também colocou em prática a meta de aproximação dos capixabas. Por fim, Friço adianta qual será o próximo passo da Sociedade. “Nosso foco agora é estruturar a 11ª edição do Congresso de Ortopedia e Traumatologia do Espírito Santo (COTES), que será realizado em Vitória. Dessa vez, pretendemos quebrar fronteiras e trazer participantes nacionais e internacionais para a troca de experiências com os congressistas”, explica o presidente, que conclui: “A SBOT-ES avança cada vez mais em suas conquistas, fazendo por merecer, não apenas em seu aniversário, um parabéns”.

3

1 Paulo Diniz de Oliveira Santos, primeiro presidente da Sotes (como era chamada a SBOT-ES)

4 2 Geraldo Lopes da Silveira, presidente da gestão que reformulou o Estatuto da Sotes, dando origem a SBOT-ES

3 I Congresso de Trauma Ortopédico, realizado em 2008

4 100 cursos - Atualização em emergências ortopédicas, também promovido em 2008

5 Ortopedista Donato D’Angelo e esposa Wanda D’Angelo recebendo homenagem do cantor Roberto Carlos, na festa de encerramento do 37º CBTO, em 2005

5


40

SBOT-ES marca PRESENÇA NA CASA COR 2013 O “Escritório do Ortopedista” gerou ótima visibilidade para a Sociedade, além de maior aproximação com o público Planejado pelo arquiteto Wagner Paiva e exposto na Casa Cor Espírito Santo, maior evento de arquitetura, decoração e paisagismo do Estado, o “Escritório do Ortopedista” apresentou um ambiente de trabalho com os devidos cuidados para que se evitem acidentes e, consequentemente, fraturas graves. “Montei a concepção do escritório depois de muito conversar com o presidente da SBOT-ES, Thanguy Gomes Friço, que me apresentou uma percepção bem detalhada de como é o consultório desses especialistas. A partir disso, elaborei o ambiente numa grande área dividida em três partes: a recepção, a sala do médico e a sala de exames, que veio acompanhada de um banheiro. Minha ideia foi deixar esses espaços sem muita fragmentação e parecidos com os de uma casa, transparecendo o aconchego de um lar, com iluminação mais escura e tons amadeirados”, explica Wagner Paiva. Além disso, todos esses cuidados foram pensados sem perder a preocupação com a beleza e o design arrojado do ambiente, como explica o presidente da SBOT-ES,

Thanguy Friço. “Apresentamos um conceito de conforto aliado à segurança. Tudo de forma bem pensada e sem deixar de lado os pequenos detalhes, que marcaram o bom gosto do projeto. Assim, o público pode perceber que é possível montar um ambiente bonito e seguro, seja em um escritório comercial ou mesmo na sala de estar de sua casa”, conta o especialista. E por falar em segurança, a Casa Cor Espírito Santo foi o momento ideal para o lançamento de mais uma campanha da SBOT-ES: a “Casa Segura”, que influenciou a concepção do ambiente da entidade no evento. A ação teve um foco no auxílio preventivo, listando os principais cuidados que devem ser observados para proporcionar mais segurança dentro do lar, especialmente para crianças e idosos. Para tanto, um folder educativo foi distribuído con-


REVISTA SBOT-ES /2013

41

tendo diversas dicas simples como: rampas com piso antiderrapante, corrimãos em escadas, interruptores próximos às camas, sabonete líquido ao invés do em barra, entre outras. Inclusive, algumas dicas foram afixadas nas paredes ao longo do “Escritório do Ortopedista”, na Casa Cor, chamando atenção dos visitantes. Além dessa campanha, a SBOT-ES também aproveitou o espaço para relembrar algumas ações de conscientização, como a “Praia Segura”, “Mito ou Verdade?” e “Álcool e Direção, uma mistura que não combina”. “Participar da Casa Cor Espírito Santo foi muito positivo, uma vez que a Sociedade pode trabalhar diretamente com o público participante todas as questões que envolviam a segurança de seus lares, dos locais de lazer onde frequentam, dos riscos presentes no trânsito, além de apresentarmos um pouco do nosso próprio trabalho”, comemora Friço. A Casa Cor ES aconteceu entre os dias 7 de agosto e 17 de setembro, no Boulevard Shopping, em Vila Velha, e contou com a participação de arquitetos, decoradores, designer e paisagistas, além de um grande público amante do assunto.

Diversos ortopedistas, além do público que visitou a Casa Cor ES 2013, puderam conhecer o ambiente “Escritório do Ortopedista”, projetado por Wagner Paiva (centro da foto acima)


42


REVISTA SBOT-ES /2013

43


44

IES

Revista SBOT-ES 2013  

Edição número 13 da revista da SBOT-ES

Advertisement