Issuu on Google+

A16 Vida %HermesFileInfo:A-16:20120731:

O ESTADO DE S. PAULO

TERÇA-FEIRA, 31 DE JULHO DE 2012

FOTOS ED FERREIRA/AE

Governo lança guia de redação do Enem Material para ajudar alunos traz textos que tiveram nota máxima; redação usada como modelo diz que Venezuela é ‘ditadura’

Mais transparência. O ministro da Educação, Aloizio Mercadante, mostra o guia de redação REPRODUÇÃO

Rafael Moraes Moura / BRASÍLIA

Apósmudar os critériosde correção da redação do próximo Exame Nacional do Ensino Médio (Enem), o Ministério da Educação (MEC) lançou o guia de redação da prova com o objetivo de orientar os alunos. Uma das redações destacadas chama a Venezuela de “ditadura” e erra a grafia do presidente daquele país. O conteúdo já está disponível no site do Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais (Inep): www.inep.gov.br. Oguia,de48páginas,foielaborado pela equipe da Diretoria de Avaliação da Educação Básica (Daeb)do instituto paraesclareceroque éum textodissertativoargumentativo,detalhar oscritérios de correção e apresentar exemplos de provas que conseguiram a pontuação máxima (1 mil pontos). O Enem ocorre nos dias 3 e 4 de novembro. Segundo a pasta, 1,7 milhão de cópias do guia serão distribuídas até setembro para alunos e professores de escolas públicas. Em maio, o MEC anunciou mudanças no sistema de correção. A principal foi a redução da discrepânciamáxima entreasduascorreções iniciais – de 300 para 200 pontos, o que vai levar a um aumentodonúmerode textos revisados. A pasta também instituiu discrepâncialimite de 80 pontos dentro de cada uma das cinco competências avaliadas. Queixas em relação à correção

INEP COMENTA REDAÇÃO ●

Dissertação

A participante demonstra ter compreendido a proposta e desenvolvido o tema dentro do texto dissertativo-argumentativo. ●

Introdução

Refere-se ao mundo idealizado por George Orwell, na obra 1984, que apresenta o homem controlado pelo Estado por intermédio da tecnologia. ●

Desenvolvimento

No segundo, terceiro e quarto parágrafos, são apresentados os argumentos que comprovam a opinião negativa da participante sobre a ação das redes sociais.

Tese

A tese defendida pela participante é a de que a internet é uma forma atual de manipulação das pessoas, como o mundo idealizado por George Orwell.

Texto Avaliação. O professor Francis-

A redação apresenta encadeamento lógico das ideias e demonstra que a participante soube selecionar, relacionar, organizar e interpretar informações, fatos, opiniões e argumentos em defesa de um ponto de vista. ●

Proposta

No último parágrafo, identifica-se a conclusão e a proposta de intervenção para o problema, respeitando os direitos humanos: criação de medidas para maior controle da internet e implementação do estudo das novas tecnologias na grade curricular.

Coerência

O tema é desenvolvido de forma coerente, e os argumentos selecionados são consistentes e justificam a tese. A conclusão retoma o que foi exposto nos primeiros parágrafos.

Texto. Limite entre público e privado foi o tema do Enem 2011 marcaram as últimas edições do Enem. Muitos alunos entraram na Justiça para questionar as notas e pedir vistas dos textos. “O filtroémuitomaisrigorosoeagora está público e transparente o que se espera de cada competência, como é a avaliação, com pode perder pontos. Tanto o corretor quanto alunos sabem antecipadamente os parâmetros”, disse ontem o ministro da Educa-

ção, Aloizio Mercadante, durante entrevista à imprensa. Umadas competências avaliadas é o domínio da norma culta dalínguaescrita.Logonoprimeiro exemplo, o manual destaca a redação “O fim do Grande Irmão”, feita por uma estudante do Rio. Ao comentar o uso indiscriminado das redes sociais, a alunadestacaque perfisnoFacebook e Twitter servem como

“ferramenta política e social para aumentar a credibilidade de determinadas personalidades, como ocorre com Hugo Chaves em sua ditadura na Venezuela”. O certo é Hugo Chávez. “A participante demonstra ter compreendido a proposta da redação e desenvolvido o tema dentro dos limites estruturais do texto ‘dissertativo-argumentativo’”,dizoguia.“Nodesenvol-

vimento,são apresentadososargumentosquecomprovamaopinião negativa da participante sobre a ação das redes sociais” (mais informações nesta página). Ao Estado, o presidente do Inep, Luiz Cláudio Costa, disse que a estudante usou “a norma culta com perfeição” e aportuguesouonome dopresidente venezuelano. “A comissão entendeu que isso não dá para penali-

Brasileiro pode declarar doação de órgão pelo Facebook Ministro da Saúde lança ferramenta no País, mas, na prática, decisão de doar continua sendo da família Débora Bergamasco / BRASÍLIA

O ministro da Saúde, Alexandre Padilha, e o vice-presidente do Facebook para a América Latina, Alexandre Hohagen, lançaram ontemno Brasil uma ferramenta que permite ao usuário da rede social se declarar doador de órgãos.Naprática, issonãomodifi● Na

rede

ALEXANDRE PADILHA MINISTRO DA SAÚDE

“Eu fui um dos primeiros a me declarar doador de órgãos no Facebook. Vivo conectado.” “Precisamos ‘viralizar’ o status de doador de órgãos e criar uma onda de solidariedade.”

ca a regra de hoje, e a decisão de doar continua nas mãos da família. Por enquanto, só conseguirá adicionar o status de doador quem já aderiu à Linha do Tempo” do site, versão mais nova e completa de perfil de usuário. Naspróximassemanas,aempresa migrará compulsoriamente o perfil de todos os usuários que ainda não usam o novo formato. Mesmo assim, o ministro defendeu que o Facebook servirá como “mais um instrumento para que se possa deixar claro em vida a parentes e amigos o desejo de ajudar”. Em entrevista, Padilha afirmou ainda que, com essa ação, quer promover um burburinho em torno do assunto e aproximar o tema dos jovens, maioria entre os que navegam no site. A ferramenta foi lançada nos Estados Unidos em maio e começa a se espalhar por outros países. Mas esta é a primeira vez que um governo federal se engaja na divulgação – e com direito a confecção de camisetas do ministério personalizadas com “joinha”,emalusãoà opção“cur-

Rio Grande do Sul chega a 48 mortes por gripe Tássia Kastner / PORTO ALEGRE

Com o registro da morte de uma criançade 3 meses pela gripe suína, o Rio Grande do Sul soma 48 vítimasdadoença em2012.Obebê não era vacinado nem tinha outra doença associada. Asinformaçõesforamdivulgadas ontem pela Secretaria Estadual de Saúde, em boletim que também aponta 383 pessoas infectadas pelo vírus H1N1 desde o início do ano no Estado. Segundo a pasta, o aumento no número de casos ocorreu em maio, com o pico da doença entre os dias 1.º e 7 de julho (27.ª

semana do ano), quando 78 novos casos da gripe foram confirmados. O estudo também aponta decréscimo no número de mortes no momento. Daspessoas que morreram, 30 (63,9%) tinham entre 20 e 59 anos, faixa etária excluída da campanha de vacinação. Apenas oito (17%) eram menores de 20 anos e nove (19,1%) tinham 60 anos ou mais. Quase metade das mortes ocorreu entre pacientes que apresentavam alguma comorbidade ou pertenciam aos grupos de risco (menores de 2 anos, gestantes ou indivíduos com 60 anos e mais).

zar. Não é um erro que cause nenhum dano ao conhecimento da estudante”, afirmou. Questionado se não causava constrangimentos ao governo destacar uma redação que chamadeditaduraaVenezuela,Costa respondeu: “A redação não é avaliada pela sua ideologia. O Brasiléumademocracia querespeita a liberdade de expressão, respeitamos a posição política de cada estudante, independentemente se concordamos”.

mentos. Nesse mesmo período, o número de doadores cresceu 29%, atingindo a média de 13,6 doadores por milhão de pessoas. Esse porcentualsuperaametada pasta, marca esperada somente para 2013. No ano passado, o índice era de 11,4 doadores por milhão de pessoas. Coração. Entre os órgãos, o

Parceria. Padilha e Hohagen assinam acordo em Brasília tir” do Facebook – da campanha. Para ativar a nova ferramenta, o usuário da rede social deve acessar sua Linha do Tempo, clicar em “evento cotidiano”, selecionar “saúde e bem-estar”, optar por “doador de órgãos”, escolher o grau de privacidade e salvar.

Dados positivos. Enquanto incentiva a doação de órgãos via Facebook, o Ministério da Saúde comemora os novos dados de transplantes no Brasil. De acordo com a pasta, o númeroaumentou37% nos primeiros quatro meses deste ano em relação ao mesmo período de 2011–7.993contra5.842procedi-

No Paraná, o Estado com o maior número de casos da doença neste ano (986), a Secretaria deSaúdedivulgouontemque foramregistradas31mortesporgripesuínaem2012.Nasemanapassada, foram registrados 87 novos casos da doença e 8 mortes, das quais 5 haviam ocorrido em semanas anteriores, mas ainda eram investigadas.

logia da Universidade Federal da Bahia e presidente do encontro. Ela explica que a vacina da gripe suína não causa a doença, pois é feita com vírus morto. Como leva até duas semanasparafazerefeito,“podehaverumacoincidênciadeapessoa estar em um processo viral quando recebeu a vacina”. Outros mitos são o de que a vacina causa efeitos adversos graves – na verdade, isso é muito raro e envolve pessoas com HIV, que passaram por transplante de medula, usam corticoide prolongadamente, entre outras condições médicas. E o imunizante é indicado para todos, não apenas para o público-alvo das campanhas públicas. / COLABOROU

Mil profissionais de saúde se reúnem em Salvador, a partir de amanhã, para discutir os mitos da vacinação, na 14.ª Jornada Nacional de Imunização. A intenção é preparar médicoseenfermeirosparaquepossam esclarecer a população. “Há um movimento contra a vacina, com informações sem evidências científicas”, diz Jacy Andrade, professora de infecto-

Vacinação.

CLARISSA THOMÉ, DO RIO

destaque vai para os transplantes de coração, que aumentaram 61% de janeiro a abril deste ano, comparando-se com o mesmo período de 2011. Segundo o ministério, o transplante cardíaco era o que apresentavao crescimentomaistímido, por causa da complexidade da operação – o órgão suporta apenas quatro horas fora do corpo humano; o rim, por exemplo, aguenta até 36 horas. O ministro credita esses avanços aos investimentos feitos por sua pasta. Especialmente pela criação denovasOrganizaçõesdeProcura de Órgãos e Tecidos, os chamados OPOs, que passaram de

Veto a médico em parto em casa cai no Rio RIO

A Justiça Federal suspendeu as duasresoluçõesdoConselhoRegional de Medicina do Rio de Janeiro (Cremerj) que proibiam o médico de atuar nas equipes de parto domiciliar e ameaçavam punir o profissional que permitisseapresençadedoulas(acompanhantes da gestante) nos hospitais.Aliminarfoiconcedidapelo juiz Gustavo Arruda Macedo, substituto da 2.ª Vara Federal. Para ele, a proibição de médicos em partos domiciliares “trará consideráveis repercussões

co Platão Savioli, supervisor de gramática e redação do Anglo Vestibulares, elogiou a criação do guia. “Acho muito útil, sobretudo por oferecer exemplificação, com passagens concretas do texto, esclarecendo o que se pede.” Platão ressaltou que é importante essa orientação detalhada porque, em geral, há uma dificuldade dos estudantes para entender os “nomes abstratos” de conceitos como coerência, coesão e progressão textual. A partir deste ano, um acordo firmado com o Ministério Público Federal (MPF) permitirá que os estudantes tenham acesso às redações corrigidas apenas para fins pedagógicos. “O que estamos discutindo são os procedimentos de segurança para que (os alunos) tenham acesso. É um direito individual e isso tem deser preservado,estamosconstruindocomovão serosprocedimentos”, afirmou Mercadante. / COLABOROU PAULO SALDAÑA

PARA ENTENDER

Família precisa ser avisada As informações de doador de órgão presente em algumas carteiras de identidade e de habilitação perderam a validade em 2000, quando uma lei alterou o sistema de doação presumida. Hoje, somente a família pode autorizar a retirada de órgãos e tecidos para doações, segundo informações do Portal da Saúde. Para se tornar um doador é preciso conversar com os familiares e deixar claro o desejo de doação. Não é necessário deixar documento por escrito, pois ele não terá valor legal. 10 para 62 de 2010 para este ano. Essas associações tem a responsabilidadede capacitar os profissionais envolvidos no processo, divulgar informações e mapear a existência de doadores em todo o Brasil.

ao direito fundamental à saúde”. Alémdisso,asresoluções“terminampordificultar,senãoinviabilizar, o exercício da atividade de parteiras”. Para Macedo, não cabe ao conselho impedir que parteiras, doulas e obstetrizes exerçam seu trabalho, regulamentado por lei e decreto federais. A ação civil pública foi ingressada pelo Conselho Regional de Enfermagem do Rio de Janeiro (Coren-RJ), que entendeu que as medidas do Cremerj interferiam na atividade dos enfermeiros. Em nota, o Cremerj informou que vai recorrer. As resoluções do Cremerj provocaram polêmica e levaram à reação de ONGs que defendem o parto humanizado. Uma passeataem defesadoparto domiciliar está marcada para este domingo, em Ipanema. / C.T.


estadao_jornada_e_gripe