Page 1

FOLHA iNTERNA Nº 32 setembro-outubro 2011

Neste Número pág. 1 Direção SBIDM Inauguração do American Corner da UA 2ª Conferência Luso-Brasileira sobre acesso aberto Palestras Participação no VI Encontro AFI da UA Fundo sobre antigas colónias portuguesas

pág. 2 Biblioteca Leitura, atendimento e empréstimo Visita de alunos em ERASMUS Aquisições e gestão das coleções Estatísticas de pedidos de monografias (janeiro-setembro 2011) Assinatura de periódicos Catalogação Periódicos do fundo CEJ Mudança de cotas Depósitos Estatísticas de arrumação (agostosetembro) Estatísticas de pedidos ao depósito

pág. 3

Ficha Técnica edição: Ana Bela Martins grafismo e redacção: Graça Gabriel periodicidade: bimestral

Recursos eletrónicos e apoio ao utilizador Música Acolhimento aos alunos A Biblioteca Informa Nº 23 Informação ao utilizador Semana aberta da ciência e tecnologia da UA (21 a 25 de novembro) Vídeos

pág. 4 RIA I jornadas de Informação SARC

Serviço de apoio aos utilizadores com necessidades especiais EndNote X5 Formação & workshops

pág. 5 Biblioteca ISCA Comemoração dos 40 anos do ISCAUA

pág. 6 Acolhimento dos alunos Como riscar um livro Info.ISCA Livro da comunicação

pág. 7 Arquivo e museu Portaria de gestão de documentos Consultas de utilizadores externos Colaboração em projetos da UA Desdobrável Na memória…

pág. 8 Exposição de vidros Obras de arte da UA Colaboradores

pág. 9 Mediateca Acolhimento de alunos Gestão e preservação dos fundos bibliográficos Substituição de cotas

pág. 10 Entrevistas: Eloy Rodrigues


S B I D M | FOLHA iNTERNA | nº 32 | setembro - outubro| 2011

Inauguração do American Corner da UA No dia 28 de setembro foi inaugurado o American Corner da UA, um centro de documentação nascido da colaboração entre a Embaixada dos Estados Unidos da América e a UA e que conta já com cerca de 100 monografias e outra documentação diversa. Os representantes de ambas as instituições foram a Conselheira Adjunta da Embaixada dos EUA, Virgínia Staab, e o Vice-reitor da UA, Prof. Joaquim Costa Leite. Sala American Corner no 4º piso da Biblioteca.

Assinatura do protocolo. Virgínia Staab e Joaquim Costa Leite

Fundo bibliográfico da sala do American Corner.

2ª Conferência Luso-Brasileira sobre Acesso Aberto

De 24 a 30 de outubro comemorou-se, por todo o mundo, a semana do acesso livre. Alguns dos projetos internacionais podem ser conhecidos no seguinte endereço: www.openaccessw eek.org Os projetos portugueses podem ser vistos em: www.acessolivre.pt/ semana

Palestras

Para esta conferência que se irá realizar no Rio de Janeiro, 24 e 25 de novembro, foi preparada a comunicação A Biblioteca na promoção do Acesso Aberto na Universidade de Aveiro: constrangimentos e desafios, da autoria de Ana Bela Martins, Bella Nolasco e Diana Silva.

No âmbito do programa American Corners, a Embaixada dos EUA promoveu na UA duas palestras: dia 28 de setembro o Professor Alan Krupnick veio falar, no Departamento de Engenharia Mecânica, sobre Assessing energy policy options. Por sua vez, Karen Hartman veio, no dia 13 de outubro, falar sobre Challenges faced by University Libraries.

Ver comunicação: http://www.acessolivre.pt/c/index.php/co nfoa2011/confoa2/paper/view/175

Fundo sobre portuguesas

Participação no VI Encontro AFI

A Caixa Geral de Depósitos ofereceu à Universidade de Aveiro um vasto conjunto de documentos sobre as antigas colónias portuguesas, oriundos do extinto Banco Nacional Ultramarino.

Sobre o tema O professor como criador de recursos educativos, realizou-se na UA, entre 27 e 29 de Outubro, o Encontro AFI (Aprendizagem em Ambiente Formal e Informal), promovido pelo Projecto Matemática Ensino – PmatE da UA. Os SBIDM foram convidados pelo INE a participar neste encontro para aí poderem apresentar a sua experiência na dinamização, desde 2006, do Ponto de Acesso ao INE. A apresentação foi feita pela Directora dos SBIDM.

antigas

colónias

São 55 caixas com mais de 1600 documentos, na sua maioria monografias (algumas do século XIX). A oficialização desta oferta far-se-á na cerimónia do 38º aniversário da UA a 15 de Dezembro. As publicações foram já recebidas mas o seu tratamento será só iniciado em 2012, contando-se poder integrar o fundo de documentos do depósito.

Ver apresentação: http://www.slideshare.net/bibliotecasUA/in ebibliotecasua2011

|1


S B I D M | FOLHA iNTERNA | nº 32 | setembro - outubro| 2011

Leitura, atendimento e empréstimo Visita de alunos em ERASMUS Em setembro a biblioteca organizou uma visita guiada especialmente dedicada aos alunos em ERASMUS. Nela foram mostrados os espaços, os serviços e os recursos disponíveis de modo a tornar mais fácil a adaptação destes alunos à UA.

Visita no piso Geral (2º piso).

Aquisições e gestão das coleções

Catalogação

Estatísticas de pedidos (janeiro-setembro 2011)

Periódicos do fundo CEJ

de

monografias

Compras diretas feitas pelos departamentos/docentes

48

Pedidos de orçamentos

78

Nº de monografias

778

Standing orders*

22

Foi terminada a catalogação de todas as publicações periódicas do fundo do Centro de Estudos de Jazz, num total de 133 títulos, correspondendo a 2.344 fascículos.

* São sobretudo séries monográficas que são compradas e que são enviadas pelas editoras à medida que são publicadas.

Assinatura de periódicos Deu-se início ao processo de ajuste directo para a aquisição das publicações periódicas para 2012, num total de 430 títulos.

Depósitos Estatísticas de arrumação (agosto-setembro) - Biblioteca: 1.426 documentos - Mediateca: 227 documentos

Estatísticas de pedidos ao depósito: Biblioteca

Ago.

Set.

Pedidos 2º piso

101

123

Pedidos 3º piso

24

43

Pedidos 4º piso

1

6

Total de pedidos

126

172

Total de repetidos

1

0

Mediateca

Ago.

Set.

Total de pedidos

16

39

Total de repetidos

1

1

Mudança de cotas Continua em curso a reorganização e mudança das cotas das obras em depósito das seguintes rubricas: … 2D – Total: 287 3D – 2.251 (continuação dos trabalhos) 5D – 1.310 (continuação dos trabalhos)

|2


S B I D M | FOLHA iNTERNA | nº 32 | setembro - outubro| 2011

Recursos eletrónicos e apoio ao utilizador Música

Acolhimento de alunos

Para a edição de verão do boletim A Biblioteca Informa, dedicado à área da Música, foi elaborada uma lista das partituras constantes do catálogo bibliográfico, organizadas por autor.

Dia 19 e 26 de outubro a Biblioteca preparou o acolhimento aos alunos da UA do 1º Ciclo. Para isso disponibilizou um espaço à entrada para dar a conhecer os serviços e recursos das bibliotecas, esclarecer dúvidas através de vários meios, tais como o LCD onde foram disponibilizados os três vídeos recentemente elaborados sobre a rede de bibliotecas da UA.

A Biblioteca Informa Nº 23 O número de outono deste boletim foi pensado para os alunos do 1º Ciclo de estudos, contendo importantes informações para quem está a iniciar os seus estudos na UA. Ver: http://issuu.com/bibliotecasua/docs/boletim23

Ver: http://issuu.com/bibliotec asua/docs/boletim22

Ver: http://issuu.com/bibliote casua/docs/partituras

Informação ao utilizador Em outubro foi inaugurado um novo ”serviço” na Biblioteca: um ecrã LCD, colocado no hall da entrada, que irá funcionar durante o período letivo como apoio ao utilizador. Os conteúdos a disponibilizar são vários: informações sobre o regulamento das bibliotecas, tutoriais e vídeos sobre recursos de informação, bases de dados etc. Os conteúdos que passam no ecrã são geridos remotamente através de um programa de edição de conteúdos denominado MagicInfoPro. Na área de Recursos Eletrónicos e Apoio ao Utilizador, o elemento responsável pela gestão destes conteúdos é a Cecília Reis.

Vídeos Estão já disponíveis três vídeos desenvolvidos em colaboração com a equipa de multimédia dos STIC. Estes vídeos são os primeiros na UA a serem desenvolvidos em HD e têm como objetivo mostrar a rede de bibliotecas da UA, os seus serviços e recursos, complementando com testemunhos de docentes e alunos da UA.

Ver: https://educast.fccn.pt/vod/cli ps/bt88du4x2/link_box

Semana Aberta da Ciência e Tecnologia da UA (21 a 25 de novembro) No dia 23, a Biblioteca irá realizar três edições do Workshop Tenho um trabalho para fazer. E agora? destinado aos alunos do ensino secundário. O objetivo é demonstrar de forma criativa o que é hoje a realização de um trabalho escolar, recorrendo aos recursos de informação disponíveis em espaço Web (Google e outras ferramentas). Pretende igualmente ser um espaço de partilha de conhecimento no contexto da informação digital da Internet e na forma de usar essa informação, evitando o plágio.

Ver: https://educast.fccn.pt/vod/cli ps/12pcqueg6w/link_box

Ver: https://educast.fccn.pt/vod/clip s/1h4hrn2twe/link_box

|3


S B I D M | FOLHA iNTERNA | nº 32 | setembro - outubro| 2011

RIA No mês de outubro o projeto RIA arrancou para a fase piloto relativamente ao depósito de documentos em regime de auto arquivo, realizado pelos docentes e investigadores da UA. Os departamentos considerados nesta fase piloto foram os de Matemática, Química e Comunicação e Arte, tendo sido realizadas no mês de outubro reuniões com investigadores de cada uma destas comunidades, de forma a apresentar a plataforma e discutir assuntos relacionados com a sua utilização pelos académicos.

SARC

O RIA: Repositório Institucional da Universidade de Aveiro é um sistema de informação que armazena, preserva e dá acesso à produção intelectual da UA via Web, em formato digital e em regime de Acesso Livre. O RIA visa promover o conhecimento e o aumento do impacto da investigação produzida na UA, reforçando a sua visibilidade, e dotando a UA de ferramentas que permitam uma melhor gestão da sua produção científica. Ver: https://ria.ua.pt

As Bibliotecas da UA foram convidadas a participar no projeto em desenvolvimento por parte da FCCN e da Universidade do Minho denominado SARC – Serviço de Alojamento de Revistas Científicas, baseado no software open source “Open Journal Systems”. Além do contributo dado durante a preparação deste projeto, foi feita uma apresentação, no dia 21 de setembro de 2011, sob o tema Aspetos críticos da transição da publicação tradicional para o sistema de publicação e gestão online, baseada na experiência do sistema Revistas da UA (http://revistas.ua.pt)

Serviço de apoio aos utilizadores com necessidades especiais

I Jornadas de Informação No dia 6 de outubro de 2011 Cecília Reis e Diana Silva participaram como oradoras nas I Jornadas de Informação organizadas pela Biblioteca Municipal da Câmara Municipal de Estarreja. A apresentação foi incluída no painel Bibliotecas Web e Literacia: ferramentas e estratégias e aborda duas vertentes complementares: uma perspetiva do tema em análise, com recurso à partilha da experiência das Bibliotecas da Universidade de Aveiro no desenvolvimento e implementação de serviços e conteúdos de apoio ao utilizador e, numa segunda parte, uma componente de caráter formativo, em que exploraram junto dos participantes formas adequadas de contribuir para o aumento de literacia de informação dos seus públicos.

Ver apresentação: http://www.slideshare.net/bibliotecasUA/bibli otecas-da-ua-nas-jornadas-informaoestarreja-2011

Foram realizados alguns tutoriais de apoio à pesquisa, localização e recuperação de informação científica em bases de dados para utilizadores com necessidades especiais, nomeadamente para utilizadores cegos e surdos, nos formatos áudio e vídeo, disponíveis já no portal Web. Ver: http://portal.doc.ua.pt/baes/

EndNote X5 Está já disponível uma nova versão do EndNote, tendo já sido feitas várias formações sobre este programa de gestão de referências bibliográficas. Estão igualmente disponíveis os novos materiais de apoio no portal das bibliotecas.

Ver apresentação: http://www.slideshare.net/bibliotecasUA/bibli otecas-da-ua-nas-jornadas-de-informaoesterreja-2011-recuperao-de-informao

Ver: www.ua.pt/sbidm/biblioteca/PageImage. aspx?id=10079

Formação & workshops Em setembro e outubro foram realizadas 28 ações de formação a pedido dos docentes, visando alunos do 1º, 2º e 3º Ciclos e 5 workshops.

|4


S B I D M | FOLHA iNTERNA | nº 32 | setembro - outubro| 2011

Comemoração dos 40 anos do ISCA-UA

A informação científica tem a capacidade de melhorar as nossas vidas sendo demasiado valiosa para permanecer inacessível.

Neelie Kroes, VicePresidente da Comissão Europeia

Em outubro o ISCAA celebrou 40 anos de história, pelo que a Biblioteca decidiu preparar várias atividades. Uma delas foi a elaboração da exposição Gonçalves da Silva – na história da Contabilidade, retratando a vida deste mestre português (do século passado) da área da Contabilidade. Além de dar a conhecer a biografia deste grande senhor da Contabilidade, foram ainda expostos vários livros e artigos da sua autoria, pertencentes ao acervo da biblioteca (contribuindo, assim, para divulgar este importante espólio). Exposição na sala de leitura da biblioteca.

Dia 19 a biblioteca organizou o Debate para a sustentabilidade com a participação de oradores convidados que abordaram a temática da responsabilidade social e do desenvolvimento sustentável. No dia 22 a biblioteca foi convidada a participar na sessão solene comemorativa dos 40 anos, tendo Maria do Céu aberto a sessão e apresentado os oradores.

Jornais em livre acesso da área das Ciências da Informação e Biblioteconomia: JASL: The Electronic Journal of Academic and Special Librarianship http://southernlib rarianship.icaap. org/

Debate para a sustentabilidade.

Ciência da Informação http://www.sciel o.br/scielo.php?s cript=sci_serial&p id=01001965&lng=en&nr m=iso Biblos: Revista do Instituto de Ciências Humanas e da Informação http://www.seer.f urg.br/ojs/index. php/biblos/index

Sessão solene comemorativa dos 40 anos do ISCAA.

|5


Acolhimento dos alunos

S B I D M | FOLHA iNTERNA | nº 32 | setembro - outubro| 2011

Em setembro e outubro a biblioteca preparou várias atividades de forma a acolher os novos alunos ao ISCA. Uma delas foi a disponibilização durante a semana das matrículas (19 a 23 de setembro) de um vídeo no átrio de entrada do ISCAA, elaborado em colaboração com a AEISCAA e que tinha por objetivo dar as boas-vindas aos alunos e apresentar a biblioteca. Também foi colocado um cartaz de boas-vindas à entrada da biblioteca e a atividade Siga as pegadas da biblioteca estabeleceu um percurso em direção à biblioteca. Foram ainda realizadas duas sessões de acolhimento (a pedido dos docentes), indo ao encontro dos alunos do 1º ciclo nas suas salas de aula; uma sessão de acolhimento (também a pedido dos docentes) para os alunos do 2º ciclo da área de Marketing e duas sessões de formação sobre os serviços e recursos de informação das bibliotecas da UA.

Actividade Siga as pegadas da biblioteca.

Dia 12 de outubro foram recebidos na biblioteca cerca de 60 alunos do 1º ciclo, tendo-lhes sido entregue o Kit Acolhimento (dossier com informação básica sobre as bibliotecas da UA), informados do funcionamento geral da biblioteca do ISCAA e apresentados aos funcionários da biblioteca.

Como riscar um livro

Info.ISCAA

Esta atividade foi organizada com a colaboração da Comissão de Praxe e teve como objetivo sensibilizar os alunos do 1º ciclo para a importância da preservação da integridade do espólio da biblioteca. Os alunos foram, assim, convidados a apagar os livros riscados em anos anteriores por colegas.

No número de agosto da revista da AEISCAA, a biblioteca foi convidada a participar com o artigo A biblioteca do ISCAA e seus estudantes (página 8) que focou os objetivos da biblioteca, a importância dada à formação de utilizadores e à participação da comunidade académica.

Ver: http://www.issuu.com/aeiscaa/docs/info.iscaaago 11

Livro da comunicação A biblioteca colocou ao dispor dos utilizadores este instrumento que pretende fomentar a comunicação entre colaboradores da biblioteca e toda a comunidade académica. Nele podem ser deixadas sugestões, comentários, perguntas, impressões, reclamações, etc.

|6


S B I D M | FOLHA iNTERNA | nº 32 | setembro - outubro| 2011

A Rede Portuguesa de Arquivos é um projecto da DGARQ que pretende divulgar o património arquivístico português através de um motor de pesquisa (Portal Português de Arquivos) e da participação em redes internacionais como a EUROPEANA ou a APENET.

Portaria de Gestão de Documentos

Consultas de utilizadores externos

Continua a decorrer a análise e alteração das propostas da Direção Geral de Arquivos (DGARQ) para a política de conservação/eliminação de documentos da UA.

O Arquivo tem vindo a receber alunos, docentes e investigadores externos à UA, colaborando nos seus projetos de investigação e orientando a pesquisa. Desde Janeiro de 2011 o Arquivo já colaborou na pesquisa para os seguintes projetos:

Colaboração em projetos da UA O Arquivo colaborou com quatro alunos da Licenciatura em Novas Tecnologias da Comunicação do DECA no projeto UARhere que pretendeu construir a história do Campus de Santiago em 3D.

- Tese de mestrado de Rosa Nogueira, intitulada A importância da internacionalização das instituições de ensino superior – o caso de estudo da Universidade de Aveiro. - Tese de doutoramento de António Bettencourt sobre eficiência energética em edifícios escolares de ensino universitário, tendo escolhido como estudo de caso o edifício de Engenharia Mecânica da Universidade de Aveiro. -Tese de doutoramento do arquitecto José Santos sobre a obra do edifício do Complexo Pedagógico (do arquiteto Vítor Figueiredo)

Ver: http://arquivos .pt

Ver: http://uarhere.blogs.ua.sapo.pt

http://portal.ar quivos.pt

Desdobrável Está em curso a elaboração de um desdobrável de apresentação e divulgação do Arquivo junto da comunidade académica.

- Projeto de construção de uma maquete do edifício das residências do Campus Universitário de Santiago (do arquiteto Adalberto Dias) por parte de cinco alunos da Faculdade de Arquitectura da Universidade do Porto.

…na memória………………………………………… Planta SDUA A

primeira

biblioteca

dos

Serviços

de

Documentação da UA situava-se no edifício do

Centro

de

Estudos

de

Telecomunicações. Em 1974/75 contava com um diretor de serviços, um técnico superior,

um

técnico

auxiliar

e

um

encarregado de biblioteca. O espaço físico era constituído por duas salas, num total de 169,2 metros quadrados, sendo que a sala de leitura

33 34

estava equipada como 23

estantes e 33 lugares sentados.

35 36 7

32

Legenda: 7 – Gabinetes de trabalho 32 – Audio-gravações 33 – Sala de microfilmes 34 – Fotocopiadora 35 – Catálogos 36 – Sala de leitura Pormenor da primeira biblioteca dos SDUA

|7


S B I D M | FOLHA iNTERNA | nº 32 | setembro - outubro| 2011

Exposição de vidros

Obras de arte da UA

A exposição de vidros patente no edifício da Escola de Saúde está a ser transferida para o novo edifício do núcleo museológico, estando, por isso mesmo, encerradas as visitas à exposição.

Deu-se início ao tratamento das obras de arte da UA tendo como base a inventariação anteriormente feita pelo núcleo museológico. Este tratamento está agora a cargo de Adelaide Morgado que recentemente ingressou no núcleo museológico vinda do Gabinete de Planeamento Estratégico da UA.

Em breve parte daquela exposição será montada na sala de leitura informal da Biblioteca.

Colecção de vidros e porcelanas. Quadro Pêcheurs et filets de Hélène de Beauvoir.

Colaboradores

O Instituto dos Museus e da Conservação (IMC) tem como objetivo a valorização, preservação e qualificação de espaços museológicos portugueses, contribuindo igualmente para a gestão, conservação e restauro de coleções.

Em 2011 o núcleo museológico passou a contar com dois novos colaboradores. António Santos, que anteriormente trabalhava na secretaria do departamento de Matemática e na sala de correio da Reitoria, encontrando-se, desde março, a digitalizar o fundo de cartazes da UA, participando igualmente no tratamento e organização da coleção de vidros. Miguel Ribeiro, que anteriormente exercia funções no Projeto Matemática Ensino PmatE, encontra-se, desde março (embora inicialmente a tempo parcial) a formatar discos de vinil para formato MP3, a inserir cada faixa dos discos no SInBAD (e inserção dos respetivos dados de cada documento), assim como a catalogar os álbuns no sistema informático ALEPH.

Na sua página Web pode-se aceder a um grande número de recursos (tais como estatísticas, legislação, protocolos, etc.) e ao catálogo online da biblioteca. Ver Website IMC: www.ipmuseus.pt Ver catálogo da biblioteca: http://biblioteca.im c-ip.pt/

António Santos (à esquerda) e Miguel Ribeiro (à direita).

A Arquivística.net é uma revista semestral em livre acesso com ênfase nas áreas de Arquivística e Ciências da Informação.

A Biblionline é uma revista em livre acesso com ênfase em trabalhos de fim de curso nas áreas de Bibliotecanomia, Arquivologia e Museologia.

Ver: www.arquivistica.net

Ver: www.ies.ufpb.br/ojs2/index.php/biblio/

|8


Acolhimento de alunos S B I D M | FOLHA iNTERNA | nº 32 | setembro - outubro| 2011

Nos dias 19 e 26 de outubro a Mediateca preparou o acolhimento aos novos alunos de licenciatura da UA. Para isso foi montado à entrada da Mediateca um posto de apoio aos alunos onde lhes pôde ser dado a conhecer os serviços e recursos das bibliotecas da UA, assim como esclarecer dúvidas diversas.

O OpenAIRE surgiu de uma iniciativa piloto da Comissão Europeia sobre o acesso aberto, lançada em 2008. Atualmente é um conjunto de repositórios abertos que oferecem acesso livre em linha à investigação científica financiada pela EU (ao abrigo do 7º Programa-Quadro de investigação da EU e da investigação realizada através do Conselho Europeu de Investigação). Ver: www.openaire.eu

Da esquerda para a direita:.

Gestão e preservação dos fundos bibliográficos Foram selecionadas e registadas cerca de 400 obras, maioritariamente de Artes e História, que fazem parte das obras oferecidas pelo colecionador Madeira Luís e que se encontravam no depósito da Mediateca. Depois do seu tratamento serão integradas no acervo dos SBIDM.

Substituição de cotas Por avaria na impressora de etiquetas, só em outubro foi possível retomar o trabalho de substituição de cotas impercetíveis e/ou feitas manualmente, da rubrica CF-29.7.1 à CF-30 (ainda por concluir).

No Times Higher Education World University Rankings 2011-12 o California Institute of Technology surge em 1º lugar, seguido da Harvard University e da University of Oxford. A Universidade de Aveiro surge posicionada no patamar entre as posições 301 e 350, juntamente com a Universidade do Porto. Ver: www.timeshighereducation.co.uk

|9


S B I D M | FOLHA iNTERNA | nº 32 | setembro - outubro| 2011

Entrevistas

Eloy Rodrigues

Quais são os principais desafios atuais para as bibliotecas universitárias? [E.R.] Eu acho que há dois desafios a enfrentar. O primeiro prende-se com a atual mudança nos hábitos de estudo, de leitura e de ensino que se reflete no padrão de utilização das bibliotecas, nomeadamente numa menor utilização, especialmente em relação aos recursos físicos e ao fundo documental. Mas hoje é uma tendência mundial. Este papel de intermediação das bibliotecas entre os recursos informativos que estavam no exterior para os pôr ao serviço da comunidade que a biblioteca serve é um papel que hoje está questionado, digamos ameaçado, não só por estas alterações na forma como as pessoas estudam, leem, trabalham, etc., mas também pelas mudanças tecnológicas, entre elas o fenómeno da Web que hoje em dia torna muita informação científica facilmente acessível e sem necessidade de intermediação para os utilizadores finais. Por outro lado, o ensino e a aprendizagem estão hoje menos institucionalizados, ou seja, as aulas continuam a fazer-se em salas, mas realizam-se actividades em muitos outros contextos.

Diretor de Serviços dos Serviços de Documentação da Universidade do Minho desde 2002, tem dedicado uma grande parte do seu trabalho ao desenvolvimento de bibliotecas digitais e à instrução e formação de bibliotecários e utilizadores. Em 2003, liderou a criação do RepositoriUM (repositório institucional da UM) e no final de 2004 contribuiu para a definição da política de acesso livre da UM relativamente à sua produção científica. Outro dos focos da sua atividade recente tem sido a promoção e divulgação do acesso livre ao conhecimento e a criação de repositórios institucionais em Portugal e no mundo lusófono, liderando a equipa da UM que desenvolve o projeto Repositório Científico de Acesso Aberto de Portugal (RCAAP).

No entanto, a biblioteca como ambiente e como espaço continua a ser valorizado e não só como espaço físico com recursos, mas também um espaço de socialização e um espaço de estudo e aprendizagem onde as pessoas se podem juntar e trabalhar com os seus portáteis e, eventualmente, se precisarem, terem acesso a recursos e até algum apoio em termos de referência. Temos, portanto, este desafio de reinvenção dos serviços aos utilizadores. O segundo desafio é quase uma resposta a esta perda de importância da intermediação de fora para dentro, ou seja, é acrescentar valor de dentro para fora. Como já referi, as bibliotecas deverão ter um papel mais ativo na promoção do conhecimento que é gerado nas organizações em que estão inseridas, dando uma maior visibilidade a essa mesma produção científica.

|10


S B I D M | FOLHA iNTERNA | nº 32 | setembro - outubro| 2011

Como é que os SDUM têm vindo a lidar com esses desafios? [E.R.] No que toca ao primeiro desafio, temos procurado, sobretudo nos últimos anos, ir ao encontro daquilo que são os novos padrões e necessidades dos utilizadores. O ano passado, por exemplo, alargámos o horário da biblioteca até à meia-noite. Estamos ainda a fazer obras no sentido de alargamento da biblioteca e criação de salas de trabalho em grupo e salas mais informais que irão poder funcionar 24h por dia. Criámos igualmente serviços de referência virtual por chat, Skype, etc. e desenvolvemos um conjunto de serviços via correio eletrónico. No que toca ao segundo desafio, começámos relativamente cedo com o nosso repositório institucional e é uma vertente que temos tentado sempre aprofundar com algum sucesso e hoje, de facto, os SDUM são conhecidos não apenas pela função tradicional de biblioteca mas também pelo RepositóriUM e pelo envolvimento nas questões do open access. Digamos que deu uma visibilidade interna e externa acrescida, mas temos certamente ainda muitas coisas a fazer nesse domínio.

Entrevistas Eloy Rodrigues

A nível específico da comunicação da biblioteca com os utilizadores, quais as formas preferenciais que destacaria? [E.R.] O que eu acho é que hoje nós precisamos de utilizar as formas todas. O que caracteriza a situação que vivemos atualmente é a diversidade. Nós precisamos claramente de apostar mais nos serviços Web, nos serviços eletrónicos e nos serviços à distância porque cada vez mais temos pessoas cujo contacto com a universidade é mais limitado (dou o exemplo dos trabalhadores-estudantes ou dos alunos já em fase de elaboração de tese e precisamos muito de serviços para essas pessoas que não estão aqui no campus regularmente e que preferem aceder aos recursos e serviços sem terem

“O que caracteriza a situação que vivemos atualmente é a diversidade.”

Biblioteca Central (Braga).

|11


S B I D M | FOLHA iNTERNA | nº 32 | setembro - outubro| 2011

de vir fisicamente à biblioteca. Mas continuamos, como já disse, a ter a biblioteca como espaço e não podemos descurar outros tipos de comunicação, de contacto e de serviços porque as pessoas continuam a procurá-los. Provavelmente nós precisamos é deste mix e cada vez maior diversidade de serviços e de formas de chegar às pessoas, até porque temos uma grande variedade de públicos na Universidade do Minho. Desde o ano passado, e penso que é uma aposta estratégica que irá durar pelo menos a próxima década, a UM começou a valorizar o público noturno, ou seja, as pessoas com idades entre os 30 e os 50 anos que já passaram pela universidade anteriormente, regressando agora para fazer um mestrado ou doutoramento ou que quando eram mais novos não tiveram oportunidade de fazer uma licenciatura e estão agora a ingressar na UM. Esta população já começa a ter um peso significativo e provavelmente irá ter um peso ainda maior no futuro. Claro que continuamos a ter uma população dos 18 aos 25 que continua a ser essencial, mas provavelmente daqui a uns anos estes novos públicos representarão 20% ou 30% da população da Universidade do Minho e nós temos de dar resposta a esta variedade de públicos. Cada vez mais nós teremos de conciliar a geração iPhone, para quem o livro é quase uma coisa obsoleta, com este novo público que frequentou o ensino há 20 anos e que está à espera de serviços mais tradicionais.

Que outros desafios para o futuro? [E.R.] O que tentamos fazer aqui é estarmos presentes nos diferentes canais e dar resposta às diferentes necessidades. Por exemplo, lançámos já interfaces mobile para o catálogo e para o nosso site Web (que tem agora uma versão diferente);

Entrevistas Entrevistas Eloy Rodrigues

“…nós teremos de conciliar a geração iPhone, para quem o livro é quase uma coisa obsoleta, com este novo público que frequentou o ensino há 20 anos e que está à espera de serviços mais tradicionais.” fizemos a integração de ferramentas Web 2.0 no nosso catálogo (LibraryThing e as imagens dos livros do Google Books). Na nossa perspetiva, utilizamos diferentes ferramentas sem achar que uma ferramenta irá dispensar outra. A ideia é conseguirmos estar presentes e oferecer serviços em diferentes plataformas de forma a que as pessoas possam aceder à informação que precisam na plataforma que escolheram – e isso é também um desafio porque os nossos recursos físicos e humanos são finitos. Como já referi, a principal característica do público universitário é a diversidade, e as bibliotecas vão ter que conseguir dar resposta a essa mesma diversidade.

Biblioteca Central (Braga).

|12


Serviços de Biblioteca, Informação Documental e Museologia Universidade de Aveiro Campus Universitário de Santiago 3810-193 Aveiro Portugal Contactos Telefone: (+351) 234370997 Ext.: 22343 Fax: (+351) 234370997 sdua@doc.ua.pt www.ua.pt/sbidm


Nº32 Set-Out 2011  

Boletim interno dos SBIDM com notícias e projectos das diferentes áreas de trabalho.

Advertisement
Read more
Read more
Similar to
Popular now
Just for you