Page 1

1ยบ Trimestre/2018

1


2

1º Trimestre/2018

Editorial

Trauma continua negligenciado e fora de controle

Expediente

trauma. As mais recentes inovações tecnológicas e protocolos de atendimento disponíveis serão apresentados e discutidos. Isso permitirá a atualização e a possibilidade do julgamento crítico sobre a validade e custo-benefício dessas novas tecnologias e a necessidade e prioridade de sua adoção na prática diária. O trauma não escolhe hora, lugar, gênero, raça, idade, credo ou convicções políticas. É frequentemente atendido na fase inicial por pessoas que Dr. Fábio Henrique de Carvalho é presidente da lidam com trauma even- Comissão Organizadora do XIII Congresso SBAIT tualmente, mas não são especialistas. Além disso, o atendimento é essencialmente multidisciplinar, envolvendo desde leigos a bombeiros, socorristas, profissionais da enfermagem e médicos. Algumas das situações do trauma são críticas e a sobrevida das vítimas depende de condutas que são tempo-dependentes. Esse fato leva à conclusão de que é necessário o treinamento e atualização de todos os profissionais envolvidos na “cadeia de sobrevivência do traumatizado”, se resultados ótimos são o desejado. Baseados neste conceito, teremos no congresso sessões dirigidas para os profissionais da enfermagem e do atendimento pré-hospitalar. O próprio nome da nossa sociedade abriga este espírito de cooperação. O atendimento ao trauma necessita da participação de indivíduos entusiasmados e capazes de se dedicar a uma tarefa árdua. Árdua, mas de importância social inegável e recompensadora, não só pela obtenção da redução de índices gerais de morbi-mortalidade, mas também pela sensação indescritível de se salvar, literalmente, uma vida em situações extremas e devolver indivíduos a suas famílias e à sociedade. Os nossos estudantes e residentes são o futuro da especialidade e a programação levará isso em conta. Cabe a nós alimentar esse entusiasmo. Não podemos esquecer que o congresso é também uma oportunidade para serem apresentados trabalhos científicos dos mais diversos locais e serviços. Mais informações em www.sbait2018.com.br Nos vemos todos em Curitiba! Arquivo Pessoal

O trauma foi considerado a doença negligenciada da sociedade moderna no século XX. Muito esforço foi empreendido na tentativa de corrigir essa negligência, principalmente na segunda metade do século passado. Nos países ditos desenvolvidos, progresso significativo foi alcançado. Entre as nações em desenvolvimento e subdesenvolvidas, no entanto, o trauma ainda é um grande problema de saúde pública. Sua incidência atinge taxas epidêmicas, gerando enormes custos financeiros e sociais. Adentramos o século XXI com o trauma, se não mais negligenciado, ainda fora de um controle que possa ser considerado satisfatório. No Brasil, a mídia nos bombardeia constantemente com fatos alarmantes e os dados oficiais demonstram que ainda vivemos uma guerra no trânsito e uma escalada nos índices de violência interpessoal e insegurança pública, ainda que em algumas áreas, avanços tenham ocorrido. Nossas dimensões continentais e distintas realidades sociais, econômicas e culturais tornam o enfrentamento do problema ainda mais complexo. Nesse contexto, é fundamental que medidas sejam tomadas de modo a enfrentar energicamente o problema. Algumas dependem do governo e temos no momento, por exemplo, o endurecimento da legislação para os motoristas flagrados dirigindo sob efeito de bebidas alcoólicas. Estas ações governamentais são imprescindíveis, mas há também a necessidade de que as pessoas envolvidas no atendimento diário ao trauma deem sua contribuição. A Sociedade Brasileira de Atendimento Integrado ao Traumatizado (SBAIT), que há trinta e seis anos congrega profissionais que atuam diretamente com as vítimas de trauma, tem um papel muito importante, que é o de tentar diminuir a morbidade e mortalidade do trauma através da educação e atualização de profissionais e proposição de medidas de prevenção e melhoria do atendimento. Uma grande oportunidade é nosso congresso . O XIII Congresso Brasileiro da SBAIT, juntamente com o XX CoLT, será realizado este ano em Curitiba dos dias 23 a 25 de agosto, nas dependências do centro de convenções EXPOUNIMED. É o maior evento da nossa sociedade e o grande encontro do trauma nacional. É a oportunidade de se encontrar com os melhores especialistas em um ambiente de muita colaboração. A labuta na área do trauma não nos torna concorrentes, mas parceiros e amigos. As condições e recursos para atendimento ao trauma, tanto materiais quanto humanos, são muito variáveis, havendo uma diferença muito significativa entre centros maiores e cidades menores, zonas urbanas e rurais. Portanto o congresso deve servir para o aprimoramento de profissionais que atuam sob estas diferentes condições. Para isso, o programa que está sendo preparado prioriza as discussões de casos, em que estas variáveis regionais e locais podem ser levadas em conta na hora da tomada das decisões frente ao traumatizado. Vai ser estimulada a participação da audiência nas sessões, o que só enriquece a discussão e fornece visões diferentes e frequentemente surpreendentes sobre a abordagem do

PUBLICAÇÃO TRIMESTRAL DA SOCIEDADE BRASILEIRA DE ATENDIMENTO INTEGRADO AO TRAUMATIZADO Presidente: José Mauro da Silva Rodrigues (SP) 1º Vice-Presidente: Ricardo Breigeiron (RS) 2º Vice-Presidente: Tercio de Campos (SP) Secretário Geral: Marcelo Augusto Fontenelle Ribeiro (SP) 1º Secretário: Amauri Clemente da Rocha (AL) 2º Secretário: Bruno Vaz de Melo (RJ) 1º Tesoureiro: Daniel Souza Lima (CE) 2º Tesoureiro: Fabio Henrique de Carvalho (PR) Comitê Pré-Hospitalar: Rodrigo Caselli Belém (DF)

Secretária: Nancy Job (secretaria@sbait.org.br) Comunicação Digital: CRM Media (cristiane@crmmedia.com.br) Assessoria de Imprensa: Capovilla Comunicação (imprensa@sbait.org.br) Web Design: Infosafe (michel@insl.com.br) Contabilidade: Consuport

Comitê Ligas do Trauma: Bárbara Seidinger (PR) Comitê de Educação: Diogo Valério Garcia (SP) Comitê de Desastres: Josiene Germano (SP) Comitê de Qualidade e Registro de Trauma: Paulo Roberto Carreiro (MG) Comitê de Prevenção: Gustavo Pereira Fraga (SP) Comitê de Acreditação: Edivaldo Utiyma (SP) Conselho Consultivo e Fiscal: André Gusmão (BA), Carlos Alberto Fagundes (ES), Sizenando Starling (MG), Sandro Scarpelini (SP) e Carlos Otávio Corso (RS).

Redação TRAUMA BoleTEAM: Cristiane Regina da Silva Manzotti e Patrícia Capovilla Jornalista Responsável: Patrícia Capovilla (MTb 31.445) Edição de Arte: Karina Brito – Proteção Publicações Ltda Capa: Marketing/WTC

Sociedade Brasileira de Atendimento Integrado ao Traumatizado - www.sbait.org.br - Av. Brigadeiro Luís Antônio, 278, 6º andar - Bela Vista - São Paulo - SP CEP 01318-901 - Fone/Fax (11) 3188 4558 - Horário de funcionamento: de segunda a sexta feira, das 12h00 às 18h00. Tiragem: 800 exemplares


3

1º Trimestre/2018

Residência Médica

Planejamento

Novo serviço é cadastrado

Foi realizada no dia 10 de março, na sede da SBAIT, em São Paulo /SP, a reunião ordinária da diretoria SBAIT (Gestão 2017/2018). A proposta da parceria para a acreditação dos serviços que atendem Trauma e novas propostas para cursos de capacitação estiveram entre os tópicos abordados na reunião, que contou com a presença de diretores de diversas regiões do país.

Arquivo SBAIT

Reunião Diretoria SBAIT (Gestão 2017/2018)

Diretores SBAIT (Gestão 2017/2018) durante a reunião de diretoria

Site SBAIT agora também no idioma inglês

SBAIT RJ

Eventos de atualização reúnem convidados nacionais e internacionais O capítulo SBAIT-RJ realizou, no mês de março, dois eventos de atualização, contando com a presença de convidados nacionais e internacionais de grande expressão na área, entre eles, o Dr Antonio Marttos (Universidade de Miami). Os eventos contaram com a organização da SBAIT-RJ, sob o comando do diretor do capítulo, Dr Hélio Machado Vieira Júnior. No dia 07 de março de 2018, foi realizada no auditório da Faculdade de Medicina de Teresópolis (RJ) a I Jornada Serrana de Trauma CBC/ SBAIT RJ. O evento contou com aproximadamente 170 participantes e com membros da

equipe de Cirurgia Geral da Faculdade de Medicina de Teresópolis, coordenados pelo Dr. Marcos Filgueiras. Já o I Simpósio de Trauma do CHN – Niterói foi realizado no dia 08 de março, em Niterói (RJ), também com o apoio SBAIT RJ, e reuniu diversos membros e convidados nacionais e internacionais, com uma programação ampla, composta por palestras e mesas-redondas, com temas relevantes para os profissionais, como catástrofes e grandes eventos, trauma raquimedular, trauma em imagens, atendimento inicial ao traumatizado, APH e Trauma de extremidades.

Avanços tecnológicos na área foram destaque do simpósio

O site da SBAIT agora também possui versão no idioma inglês. Dessa forma, amplia o alcance de suas informações a parceiros e associados de diversas partes do mundo. Confira: http://www. sbait.org.br/en “Trauma é prevenção, é evitar que aconteça. Por isso precisamos dar a devida importância às campanhas de conscientização que são direcionadas à população, elas são o melhor caminho para prevenir afogamentos”, explica dr. Szpilman. A urgência da conscientização por parte do público foi mencionada também pela palestrante Andreia Escudeiro, oficial médica do Corpo de Bombeiros Militar do Estado do Rio de Janeiro. Segundo ela, 50% das mortes acontecem logo após o acidente, e a parceria entre os bombeiros e os hospitais de redes privadas é fator fundamental para que os demais 50% dos pacientes tenham atendimento ágil e eficaz

Capítulo SBAIT-RJ. O trauma causado por afogamento foi outro assunto que gerou debate. Segundo o Dr David Szpilman, diretor médico da Sociedade Brasileira de Salvamento Aquático (Sobrasa) e referência internacional na área, o Rio de Janeiro detém hoje o maior número de resgates em todo o mundo. No Brasil, 17 pessoas morrem afogadas por dia, sendo 75% Marttos durante sua palestra no 1º Simpósio de Trauma do CHN dos óbitos em água doce. Gustavo Bressan

“Estudos comprovam que um paciente traumatizado, quando atendido em um hospital com serviços e equipe especializados em trauma, tem 25% mais chances de sobreviver. Além disso, 47% das mortes no mundo, entre pessoas de 1 a 46 anos, são decorrentes de lesões causadas por trauma”, destaca Vieira Jr. “É essencial que eventos como este sejam feitos, para que todos os profissionais envolvidos no atendimento aos pacientes politraumatizados possam debater a doença e trocar experiências multidisciplinares”, completa o diretor do

Um novo serviço foi cadastrado na seção “Residência Médica”, no site da SBAIT. O Hospital Metropolitano de Urgência e Emergência, na cidade Ananindeua (PA), conta com duas vagas credenciadas para a residência médica em Cirurgia do Trauma. Atualmente, há locais de Residência Médica na área de Cirurgia do Trauma em nove regiões do país, cadastrados no site da SBAIT. Confira: http://www.sbait.org.br/br/ residencia-medica.


4

1º Trimestre/2018

Maio Amarelo

SBAIT lança a campanha “Não foi acidente” para alertar a população sobre a importância de seus atos no trânsito Peças da campanha mostram situações rotineiras de imprudência no trânsito A SBAIT (Sociedade Brasileira de Atendimento Integrado ao Traumatizado) lançou neste mês de maio a campanha “Não foi acidente!”. O objetivo é conscientizar os motoristas sobre suas decisões e responsabilidades em ocorrências de trânsito. A campanha, que será veiculada nas redes sociais, faz parte das ações da entidade para o Maio Amarelo. Com os temas “Não foi acidente, se você ultrapassou em local proibido”, “Não foi acidente, se você bebeu antes de dirigir”, “Não foi acidente, se você mexeu no celular enquanto dirigia” e “Não foi acidente, se você dirigia sem cinto”, a SBAIT quer mostrar para as pessoas que todas as ocorrências de trânsito poderiam ser evitadas com prevenção e responsabilidade. “A doença Trauma é a terceira causa de morte no Brasil, e a primeira causa de mor-

te entre pessoas na faixa etária de 15 a 29 anos”, lembra o presidente da SBAIT, José Mauro da Silva Rodrigues. “Boa parte dos casos de Trauma é resultado de ocorrências de trânsito, por isso, decidimos fazer esta campanha, a fim de lembrar os motoristas que boas atitudes são fundamentais no trânsito”, completa. De acordo com Rodrigues, 100% dos casos de trauma poderiam ser evitados. “A imprudência é o maior problema. As pessoas nunca acham que vai acontecer com elas e abusam. Usam o telefone enquanto dirigem, ultrapassam em locais proibidos, consomem bebida alcoólica antes de dirigir, não fazem manutenção no veículo, enfim, poderíamos ficar horas citando situações que deveriam ser evitadas e, consequentemente, reduziriam o número de ocorrências no trânsito”, afirma. “O Trauma acaba com vidas, destrói famílias inteiras, deixa milhares de sequelados. Já passou da hora de as pessoas entenderem que são as suas atitudes que farão diferença”, destaca. De acordo com informações do DataSUS, em 2015, o Brasil registrou 152.136 mortes por traumas (causas externas).

Deste total, 39.543 foram causadas por ocorrências de trânsito. “São números alarmantes. Mais de 100 pessoas morrem por dia no trânsito brasileiro. Isso sem contar na quantidade de gente que fica ferida ou com graves sequelas. É imprescindível investirmos em campanhas de prevenção.”, reforça Rodrigues. No Estado de São Paulo, o Trauma matou 23.450 pessoas em 2015, sendo 6.270 no trânsito. A campanha da SBAIT está totalmente ligada ao tema do Maio Amarelo deste ano: “Nós somos o trânsito”. Em sua 5ª edição, o Movimento quer fomentar as discussões sobre a necessidade de redução do número de mortes e feridos graves no trânsito, lembrando que todos nós somos responsáveis pelos nossos atos. O tema, sugerido pelo Observatório Nacional de Segurança Viária (ONSV), propõe, para essa quinta edição do Movimento Maio Amarelo, o envolvimento direto da sociedade nas ações e uma reflexão sobre uma nova forma de encarar a mobilidade, sendo um incentivo aos condutores, seja de caminhões, ônibus, vans, automóveis, motocicletas ou bicicletas, e aos pedestres e passageiros, para que optem por um trânsito mais seguro.


5

1º Trimestre/2018

Campanhas

SBAIT apoia a Campanha “O Tempo Não Cicatriza” Objetivo é conscientizar sobre os riscos das feridas não tratadas

A SBAIT é uma das sete organizações, entre sociedades e associações médicas, de enfermagem e pacientes, que apoiam a campanha “O Tempo Não Cicatriza. Para feridas complexas, o tratamento é o melhor remédio”, lançada em março de 2018 em todo o Brasil. O objetivo da iniciativa é informar a população e os profissionais de saúde sobre a importância da prevenção e o impacto negativo do tempo no cuidado com as feridas complexas – lesões agudas ou crônicas de difícil cicatrização – e educá-los sobre prevenção, causas, consequências e importância do tratamento. A iniciativa alerta, entre outros aspectos, sobre o risco de negligenciar o tratamento de lesões agudas, como as lacerações traumáticas decorrentes de agravos de trânsito, que deixam mais de 160 mil pessoas com lesões graves no Brasil todos os anos. “As feridas complexas oneram os sistemas de saúde e de previdência por conta dos custos associados a tratamentos prolongados e ao pagamento de benefícios por afastamento e incapacidade”, completa Dr José Mauro da Silva Rodrigues, presidente da SBAIT. A ação possui diversos canais de divulgação, entre eles, o site http://www.otemponaocicatriza.com.br, que possui vídeo-animação da campanha e redes sociais. A hashtag #OTempoNaoCicatriza, utilizada nas divulgações, acompanhará todas as iniciativas. A campanha conta ainda com conteúdo exclusivo para profissionais de saúde, com o objetivo de aprimorar o conhecimento de médicos e enfermeiros sobre o tema, por

meio de iniciativas de educação continuada. A iniciativa é promovida pelas sociedades brasileiras de Angiologia e Cirurgia Vascular (SBACV), de Queimaduras (SBQ), de Tratamento Avançado de Feridas (SOBRATAFE), a de Atendimento Integrado ao Traumatizado (SBAIT); a Associação Nacional de Atenção ao Diabetes (ANAD) e as associações brasileiras de Estomaterapia (SOBEST) e a de Enfermagem em Dermatologia (SOBENDE). Com a campanha, as instituições envolvidas esperam conscientizar a população sobre feridas complexas e seus riscos, levando as pessoas a procurarem um profissional da saúde que possa avaliar a utilização de tratamentos mais adequados. As opções terapêuticas variam de acordo com o tipo de lesão e a região do corpo em que estão localizadas. Atualmente, estão disponíveis no País soluções inovadoras, como curativos avançados com propriedades antimicrobiana, antiodor, regenerativa ou hidratante, que contribuem para a cicatrização. Também existem tecnologias hospitalares e domiciliares, como o sistema de pressão negativa, que utiliza a pressão controlada e localizada sobre a lesão por meio de um curativo de espuma coberto por uma película e ligado a um sistema de drenagem e a câmara hiperbárica que permite ao paciente respirar oxigênio puro enquanto fica sob uma pressão de duas a três vezes superior à pressão atmosférica ao nível do mar. Ambas as tecnologias aceleram o tempo de cicatrização de feridas.

Campanha de Carnaval atinge 250 mil pessoas nas redes sociais O Carnaval foi tema de mais uma campanha da SBAIT nas redes sociais. Com o slogan “Curta o Carnaval com consciência”, foram desenvolvidas três peças publicitárias para serem veiculadas nas redes sociais da entidade, além de uma divulgação paralela para veículos de comunicação de todo o País. Apenas pelas redes sociais, foram atingidas cerca de 250 mil pessoas. No total, foram quase 10 mil reações aos posts, que foram compartilhados 2.180 vezes. Também foram veiculadas reportagens em emissoras de TV, rádio, jornais impressos e sites. “O alcance de nossas campanhas tem sido muito bom. Selecionamos temas específicos e tentamos conscientizar a população. Paralelamente, vamos divulgando e fortalecendo o nome da SBAIT, que tem um importante papel na prevenção ao Trauma”, explica o presidente da entidade, José Mauro da Silva Rodrigues. Na campanha do Carnaval, por exemplo, o objetivo foi alertar a população sobre dois grandes problemas comuns nos prontos-socorros durante os dias de folia: ocorrências de trânsito e violência interpessoal. “Apesar de não haver números nacionais sobre os atendimentos nos hospitais durante o Carnaval, nós percebemos que, neste período, as instituições registram um aumento do número de vítimas de ocorrências de trânsito e de violência interpessoal. Em grande parte, esta situação é agravada pelo consumo de bebida alcoólica”, explica o presidente da SBAIT. Para ele, é importante que as pessoas saibam que todos os casos de trauma poderiam ser evitados com prevenção, por isso, a conscientização da população é tão importante. No Carnaval deste ano, a Polícia Rodoviária Federal registrou 249 ocorrências de trânsito graves, com 87 óbitos nas rodovias federais. No mesmo período do ano passado, foram 309 ocorrências graves, com 131 óbitos. Apesar da queda nos registros, os números ainda são alarmantes.


6

1º Trimestre/2018

Curitiba

XIII CONGRESSO SBAIT E XX CoLT ACONTECEM EM AGOSTO

Daniel Derevecki

A SBAIT está a todo vapor com os preparativos da 13ª edição do Congresso SBAIT e da 20ª edição do Congresso Brasileiro das Ligas de Trauma (CoLT). Os dois eventos acontecem simultaneamente em Curitiba (PR), de 23 a 25 de agosto de 2018. Com uma programação abrangente, os congressos vão levar para a capital paranaense grandes nomes do Trauma nacional e internacional. As inscrições podem ser feitas até 30 de junho com descontos, mas até 30 de abril, os descontos são maiores. De acordo com o cirurgião Fábio Henrique de Carvalho, presidente da Comissão Organizadora, a programação do evento engloba desde a prevenção e o atendimento pré-hospitalar até as mais recentes recomendações e novas tecnologias no atendimento ao traumatizado. “Contamos com profis-

Joel Rocha

Inscrições podem ser feitas com descontos até o dia 30 de junho

Congresso será realizado em várias salas do Expo Unimed

sionais muito experientes. Durante o evento, vamos priorizar as discussões multidisciplinares para atendermos às necessidades de quem é especialista e dos profissionais não-especialistas,

mas que lidam com o trauma”, explica. Entre os nomes internacionais já confirmados, estão Alberto Federico Garcia-Marín, da Colômbia. Ele é professor de Trauma e Cirurgia de EmerExpo Unimed Curitiba vai sediar o evento em agosto


7

1º Trimestre/2018

gência da Universidad del Valle e também atua na Fundacion Valle Del Lili Hospital. O cirurgião brasileiro Antonio Carlos Marttos, professor associado de Cirurgia da University of Miami e da Miller School of Medicine, também estará presente no evento. Ele é co-diretor do William Lehman Injury Research Center e tem um brilhante trabalho na Division of Trauma and Acute Care Surgery do Ryder Trauma Center. Outro nome já confirmado é do Dr. Pedro Teixeira, do Texas (EUA). Ele é professor associado de Cirurgia do Department of Surgery and Perioperative Care - Dell Seton Medical Center na The University of Texas, em Austin. O atual presidente da Sociedade Pan-Americana de Trauma, Sandro Rizoli, que também é diretor médico de Trauma e Cirurgia de Cuidados Agudos do St. Michael’s Hospital, além de professor de Cirurgia e Medicina Intensiva da University of Toronto, também estará entre os palestrantes. “O Congresso SBAIT é o maior evento de Trauma no País. Sem dúvida, é uma grande oportunidade para que profissionais de diversas áreas e estudantes intensifiquem seus conhecimentos. Por isso, sempre pensamos em uma programação ampla, prática

Trabalhos científicos devem ser enviados até 1º de junho A Comissão Científica responsável por avaliar os trabalhos científicos apresentados durante o evento vai recebê-los até o dia 1º de junho. A partir do recebimento, será feita uma análise e, posteriormente, serão divulgados os trabalhos aceitos. A apresentação dos trabalhos, durante o evento, poderá ser feita nos modelos Oral, Pôster ou Vídeo Livre, e o autor já deve escolher o tipo de apresentação no momento da inscrição.

Os trabalhos apresentados podem ser das seguintes áreas: Atendimento Hospitalar, Atendimento Pré-Hospitalar, Educação, Prevenção e Outra. A inscrição do trabalho deve ser feita por um dos autores já inscritos no XIII Congresso SBAIT. Cada trabalho pode ter, no máximo, seis autores. Para informações detalhadas sobre a submissão dos trabalhos, basta acessar o site www.sbait2018. org.br e clicar na aba “Trabalhos Científicos”, no menu à esquerda.

e com nomes que sejam referências nos assuntos para que todos possam saber o que de mais moderno está sendo feito nessa área no mundo. Teremos muitas discussões de casos para que os congressistas também possam participar ativamente”, antecipa o presidente da SBAIT, José Mauro da Silva Rodrigues. O Congresso SBAIT acontece a cada dois anos e, em cada edição, é realizado em uma região do País para facilitar o acesso dos profissionais. O último,

que aconteceu em 2016, foi na cidade de Maceió (AL) e a próxima edição, em 2020, será em São Paulo, capital. Em Curitiba, o evento será realizado no Expo Unimed, um amplo espaço localizado no interior da Universidade Positivo. O centro de exposições e as salas multiuso somam 11.535 m2 de área construída, distribuídos em dois pisos. Mais informações sobre as inscrições podem ser consultadas no site do evento: www.sbait2018.com.br

Curitiba oferece várias opções turísticas

Parque Tanguá

Orlando Kissner

Jardim Botânico

nianos, japoneses, sírios e libaneses. A cidade é reconhecida nacional e internacionalmente por suas soluções urbanas inovadoras, com um eficiente sistema de transporte. Toda esta estrutura fica ainda mais convidativa com os belos pontos turísticos da cidade e uma gastronomia variada, que mistura costumes e culturas. Pefeitura de Curitiba

Pefeitura de Curitiba

Considerada uma das melhores cidades do País, Curitiba é o único município brasileiro que entrou no século 21 como referência nacional e internacional de planejamento urbano e qualidade de vida. A maior parte de sua população de 1,6 milhão de habitantes é descendente de imigrantes italianos, poloneses, alemães, ucra-

Curitiba tem vários roteiros turísticos, com focos diferentes, como cultural, religioso, étnico e de aventura. Entre os principais pontos turísticos que podem ser visitados, estão a Ópera de Arame, Mercado Municipal, Museu do Holocausto, Jardim Botânico, Museu Oscar Niemayer, Rua das Flores, Parque Tanguá, Praça do Japão e Centro Histórico, entre muitos outros. No site do Congresso SBAIT é possível acessar todos os roteiros oferecidos na cidade. Teatro Ópera de Arame


8

1º Trimestre/2018

Conversa Técnica

O que mudou na nova edição do ATLS? Nilton Djin Mori

Nilton Djin Mori é cirurgião do trauma e presidente do Comitê Brasileiro de Trauma do Colégio Americano de Cirurgiões

sequência rápida de intubação, na sessão de via aérea e ventilação. No item choque, reforça-se a ideia de iniciar o atendimento inicial com 1 L de solução salina aquecida em acesso periférico pelo menos com dispositivo de diâmetro 18G, cujo local e alternativa estão de acordo com a experiência do atendente. Há uma ênfase na administração mais precoce de hemocomponentes, além do concentrado de hemácias. Destaca-se também a definição de transfusão maciça e uso de dados de tromboelastografia e tromboelastometria rotacional para o direcionamento da transfusão sanguínea. A tabela de informações da classificação de hemorragia destaca sinais e não mais valores. Em seguida, no capítulo de tórax, salienta-se o uso do e-FAST para o diagnóstico de pneumotórax. Preconiza-se, então, a descompressão digital do tórax ou a punção do tórax no 5º espaço intercostal para o tratamento do pneumotórax hipertensivo. Os tamanhos dos drenos de tórax ficaram restritos a 28F a 32F. Há um diagrama sobre o uso de toracotomia de reanimação em adultos vítimas de traumatismos fechados. No trauma abdominal e pélvico, há menção quanto à confiabilidade da palpação da próstata como sendo um indicador de lesão uretral e a inclusão do mecanismo de explosão como causa da lesão abdominal. Há referência na palpação suave da pelve em pacientes com hemorragia e fratura da bacia, além da inclusão do tamponamento pélvico pré-peritoneal no fluxograma do controle da hemorragia nesta circunstância. Sem dúvida, um dos capítulos mais contundentes é o do trauma craniencefálico (TCE). Adicionouse referências quanto ao uso de anticoagulantes e seus antídotos e alteração na nomenclatura de TCE menor para TCE leve e a apresentação do novo GCS. Houve introdução das diretrizes de tratamento de lesão cerebral traumática do Brain Trauma Foundation e as melhores práticas do Programa de Qualidade em Trauma do ACS. A partir desta edição, preconiza-se a manutenção da PAS > 100 mmHg para doentes entre 50 a Arquivo SBAIT

Este ano 2018 o Programa ATLS ® - Advanced Trauma Life Support completa 40 anos de existência! Estamos em mais de 84 países no mundo e compomos um universo de quase 2 milhões de médicos treinados. Parece muito? Não se engane! Estamos próximos de cobrir quase a metade do número total de países cadastrados no mundo, segundo a ONU. Há muito trabalho pela frente para combater a doença TRAUMA, que se mantém teimosamente no pódio como a 3ª causa de óbito no mundo na faixa etária de 0 a 44 anos de vida. Meu testemunho não é melancólico nem tão pouco pessimista. Se você tem algum pendor para isto, por favor, entre em contato. Uma mãozinha a mais sempre é benvinda! Em 40 anos, o manual do curso ATLS® mudou 10 vezes, porque, apesar do aprimoramento médico contínuo, a institucionalização de novos conhecimentos deve ser baseada na melhor evidência. Paralelamente, o binômio ensino-aprendizado sofreu modificações muito sensíveis sobre as novas gerações devido a novas tecnologias de informação e comunicação (TIC). Na área médica, também não foi diferente. Por isso esta nova edição traz consigo uma interface híbrida deste curso consagrado mundialmente: o m ATLS (ou m-learning, ou seja, o conceito de mobile learning) ajustando-se a estas novas modalidades de TIC. Não é incomum que ao final de um curso ATLS, o aluno requisitasse por mais sessões práticas e outros declarassem que muito pouco valia a posse do manual do ATLS sem a efetiva participação de um curso. Nesta nova edição, estes dois princípios são mais marcantes. Para aqueles mais afeitos ou atuantes na área do trauma, talvez o conteúdo cognitivo possa parecer, à primeira vista, muito parecido com sua versão precedente. Contudo, novos conceitos e recomendações foram revisados exaustivamente na literatura médica, permanecendo apenas informações baseadas em evidências médicas. Em todos os capítulos, há considerações para a aplicabilidade dos princípios do ATLS em equipe e não somente a condição de um único médico presente na sala de atendimento ao traumatizado. Outro dado educacional relevante está no fato dos quadros contendo informações de possíveis armadilhas. Ao lado existe informação sobre a prevenção. Os tópicos que contenham informações adicionais ao aplicativo MyATLS estão destacados para facilitar a compreensão e fixação da informação. No 1º capítulo, há referência na restrição à reanimação volêmica e considerações sobre o uso de protocolos de transfusão maciça e a coagulopatia precocemente instaurada nos momentos iniciais após a ocorrência do trauma; pauta-se também o uso de ácido tranexâmico e a utilização de dados do e-FAST na fase de avaliação inicial. Há uma sugestão para se utilizar a terminologia intubação assistida por drogas e não mais

69 anos de idade ou > 110 mmHg entre 15 a 49 anos ou > 70 anos. Apesar de dados baseada em evidências nível IIB, o reuso de barbitúricos é recomendado para controlar a PIC elevada refratária para maximizar o tratamento médico e cirúrgico padrão. Em nível de evidência nível II A em relação ao uso da profilaxia de convulsões, a fenitoína é recomendada para diminuir a incidência de PTS precoce (dentro de 7 dias após a lesão). Nas lesões de coluna e medula, há uma correção do miótomo L4 para dorsiflexão do tornozelo e L5, extensores do dedo longo e o uso do CCR (Canadian C-Spine Rule) e NEXUS (National Emergency X-Radiography Utilization Study) para interromper a restrição do movimento da coluna vertebral sem a necessidade de imagem. No trauma músculo esquelético, há a introdução do uso de antibióticos para tratamento de fraturas e menção de reforço para fraturas bilaterais do fêmur como fator de risco para complicações e morte. Neste capítulo, fica claro o enfoque progressivo para controlar a hemorragia externa (pressão na ferida, pressão sobre a artéria proximal e o uso de torniquetes). No capítulo das lesões térmicas, dá-se mais ênfase quanto ao total de volume a ser calculado, restringindo-se para 2 mL /Kg/% SCQ no adulto e 3 mL para crianças. No capítulo de trauma pediátrico, há um reforço para uso do mnemônico DOPE nas crianças intubadas e o reforço que a descompressão do pneumotórax hipertensivo seja realizado no 2º EIC. A despeito dos adultos, a reanimação volêmica indica a direção da limitação, sendo preconizado: 20 mL/Kg x2, se ainda necessário CH 10-20 mL/ Kg e 10-20 mL/Kg de plaquetas no protocolo de transfusão maciça. Outro dado diz respeito à indicação de TC crânio com base nos critérios do PECARN (Pediatric Emergency Care Applied Research Network). No trauma geriátrico, há ênfase do impacto das 5 condições pré-existentes que contribuem com aumento da morbi-letalidade: cirrose, coagulopatia congênita, DPOC, doença cardíaca isquêmica e diabetes. Há referência que a fratura pélvica tem mortalidade 4X maior nos idosos e que há maior necessidade de transfusão sanguínea mesmo nas fraturas estáveis. No trauma na gestante, houve a correção do pH do fluido vaginal indicativo de perda de líquido aminiótico para 4,5. Finalmente, no capítulo de transferência para tratamento definitivo dá-se mais ênfase para uso judicioso das varreduras múltiplas com TCs e utilização de modelos como o ABCSBAR para facilitar a transferência e aceitação. Há mais particularidades, mas a introdução de um capítulo totalmente novo aponta o rumo para possíveis modificações vindouras: Manejo de Recursos da Equipe de Trauma, ou seja, o atendimento em equipe aplicando-se os princípios do ATLS. Esta nova edição tenta contemplar o maior dos pedidos dos alunos dos cursos ATLS em todo o mundo: aumento das atividades práticas!


9

1º Trimestre/2018

Artigo

Trauma nos serviços privados Milton Steinman Milton Steinman - Possui graduação em Medicina pela Faculdade de Ciências Médicas da Santa Casa de São Paulo (1987), Residência Médica em Cirurgia Geral e Cirurgia do Trauma e Doutorado em Programa de Pós Graduação em Clínica Cirúrgica pela Faculdade de Medicina da Universidade de São Paulo (1997). Membro do GMA de Trauma e Supervisor do Programa de Residência de Cirurgia Geral Hospital Albert Einstein. Exerceu a vice-presidência da Sociedade Brasileira de Atendimento ao Traumatizado (SBAIT) . Membro Titular do Colégio Brasileiro de Cirurgiões e do Colégio Brasileiro de Cirurgia Digestiva

Arquivo Pessoal

Os traumatismos e lesões são considerados uma epidemia global. A cada ano, morrem aproximadamente 5 milhões de pessoas em consequência de lesões por traumatismo, o que representa 9% de todas as causas de mortalidade. Como todos sabemos, o trauma não respeita faixa etária, de gênero ou mesmo socioeconômica. Estamos todos expostos, em menor ou maior grau, a qualquer tipo de traumatismo. Na rede privada, isto não é diferente. Embora historicamente o atendimento aos traumatismos, em especial, aos de maior complexidade, estavam restritos à rede pública, este cenário tem aos poucos mostrado algumas alterações a partir de algumas iniciativas na cidade de São Paulo e em Porto Alegre. No Hospital Israelita Albert Einstein, em São Paulo, avançamos muito em relação à organização do atendimento ao trauma. Há cerca de 4 anos, tendo como foco primordial a segurança do paciente, por meio do apoio da alta liderança do hospital, foram criados os chamados grupos médico-assistenciais (GMAs). Diante dos desafios atuais da prática médica e de uma série de objetivos estratégicos do Hospital Israelita Albert Einstein, o Comitê de Qualidade e Assistência, representado por um core team voltado para a criação de um novo modelo de gestão médica, decidiu, em 2013, pela criação dos Grupos Médicos Assistenciais (GMAs), visando ao estreitamento do vínculo com seu corpo clínico. Os GMAs foram formados por profissionais da saúde organizados pelo Comitê de Qualidade e Assistência da diretoria para melhorar a qualidade e a segurança da assistência ao paciente. Desde o início, buscava-se trazer novamente a liderança da prática ao corpo clínico e promover a troca de conhecimento de maneira multidisciplinar em prol dos pacientes. Assim, esses grupos podem ser organizados com base em doenças e condições específicas ou por terapias e tecnologias. Dentro deste contexto, foi criado o GMA de Trauma, composto por médicos e equipe multiprofissional contemplando todas as áreas de interesse (cirurgia geral e do trauma, neurocirurgia, ortopedia, cirurgia vascular, cirurgia bucomaxilofacial, radiologia, radiologia intervencionista, enfermeiras, psicólogas, fisioterapeutas e nutricionistas). Este grupo tem reuniões periódicas e propõe

ações voltadas para a melhoria do atendimento com foco em segurança do paciente e na tripla meta (triple aim): melhorar a experiência com o cuidado, proporcionando assistência segura, efetiva e confiável; diminuir os custos per capita; e melhorar a saúde da população com ações de prevenção e bem-estar. Várias ações foram implantadas desde então e destacamos as principais: 1. Criação do Núcleo de ATLS - cursos de ATLS foram realizados a fim de que todos os médicos cirurgiões das Unidades de Primeiro Atendimento do Hospital pudessem participar 2. Capacitação da Equipe de Enfermagem cursos de ATCN foram realizados a fim de que todas as enfermeiras das Unidades de Primeiro Atendimento do Hospital pudessem participar 3. Criação da Retaguarda de Cirurgia do Trauma 4. Elaboração e treinamento do Protocolo Gerenciado de Trauma 5. Criação de fluxo de atendimento ao trauma grave (Código Trauma) 6. Elaboração do protocolo de transfusão maciça 7. Criação de banco de dados 8. Realização de cursos de aprimoramento para os cirurgiões da retaguarda e das UPAS (DSTC e Reboa) 9. Auditoria de qualidade e revisão periódica 10. Reabilitação integrada Por fim, queremos propor avanços no

atendimento ao doente traumatizado dentro de um contexto mais amplo. Para enfrentar a doença trauma, vários países desenvolveram o conceito de sistema de trauma. Um sistema de trauma é resultado de um esforço coordenado e organizado, em uma área geográfica definida, para prover todos os cuidados necessários aos pacientes traumatizados e que seja integrado ao sistema de saúde público e privado local. O verdadeiro valor do sistema de trauma é a transição entre cada fase do atendimento, integrando os recursos existentes para atingir o melhor resultado possível, desde o pré-hospitalar até a reabilitação. Os sistemas de trauma devem ser regionalizados e oferecer os cuidados necessários conforme as características específicas da população, seja ela rural ou urbana. Devem ainda identificar e enfatizar a prevenção dos traumatismos, dentro do contexto da comunidade. Devem permitir a todos os cidadãos o acesso a um cuidado adequado, rápido e coordenado, dentro de um contexto de custo-benefício, em qualquer localidade. O Sistema Único de Saúde e o Sistema de Saúde Suplementar têm responsabilidades e atribuições distintas, mas tem que juntar esforços. O Sistema de Saúde Suplementar, como o próprio define, tem que suplementar o sistema público onde a ocorrência de trauma exceda a capacidade de atendimento da rede pública. Além disso, uma parte significativa da população, em especial nos grandes centros, tem acesso à saúde suplementar. Dentro deste contexto, a construção de um sistema de trauma regionalizado com participação pública e privada significaria uma enorme mudança de paradigma e poderia fornecer avanços no atendimento do traumatizado.


10

1º Trimestre/2018

Internacional

Curso prático para o uso do REBOA foi realizado em SP Foi realizado, no dia 21 de março, o curso “Novas tendências no tratamento da hemorragia: técnicas de manejo endovascular na emergência (EVTM)”, no laboratório de cirurgia experimental do Hospital Albert Einstein, em São Paulo/SP. O evento reuniu mais de 30 alunos, entre médicos e residentes. A SBAIT foi uma das apoiadoras do evento, que contou com participação internacional do Dr Tal Hörer (Orebro University, Suécia) e organização do Dr Milton Steinman. A SBAIT esteve representada pelo presidente Dr José Mauro da Silva Rodrigues e pelo diretor do capítulo SP, Dr Bruno Pereira, também presidente da WSACS (The Abdominal Compartment Society). A reanimação endovascular é uma mudança de paradigma no tratamento do paciente hemodinamicamente instável, hemorrágico e/ou traumatizado. Durante o curso, foram discutidos avanços técnicos de embolização, tratamento endovascular e, em especial, reanimação através

Milton Steinman

Evento reuniu mais de 30 alunos, entre médicos e residentes

Curso sobre REBOA no Einstein

da oclusão aórtica com balão endovascular – Resuscitative Endovascular Balloon Occlusion of the Aorta (REBOA), que vem

ganhando enorme importância por se mostrar um tratamento efetivo da hemorragia aguda.


11

1º Trimestre/2018

P.A.R.T.Y. Brasil

P.A.R.T.Y. Campinas realiza a primeira edição de 2018

Estudantes de medicina participam da primeira atividade de 2018 do P.A.R.T.Y. São José

COPELT

No dia 05 de Março, foi realizada a primeira edição do P.A.R.T.Y Campinas deste ano, com participação dos novos alunos do curso de Medicina da Unicamp, ingressantes no primeiro ano, e os aprimorandos do Serviço Social. Nesse dia, o Programa contou com a presença de 60 calouros e 15 aprimorandos em uma tarde engrandecedora e motivadora. Essa edição do P.A .R.T.Y. foi também o primeiro Programa realizado pela nova gestão do COPELT 2018 (Comitê de Prevenção e Extensão da Liga do Trauma), Primeira edição 2018 do P.A.R.T.Y. Campinas composta por 12 acadêmicos de medicina, que serão responsáveis pela de traumas na região de Campinas até realização de todos esses eventos ao longo dados que envolvem o atendimento pré-hospitalar, como a quantidade de do ano, na Unicamp. Durante o Programa, ao alunos puderam ambulâncias disponíveis para atender às entrar em contato com profissionais de emergências nessa região. Tais dados diversas áreas de atuação, como membros e ensinamentos são transmitidos pelo do SAMU, Polícia Militar, Hemocentro, Corpo P.A.R.T.Y visando à conscientização do de Bombeiros, EMDEC e do serviço social público quanto ao prejuízo do uso de do HC da Unicamp. Por meio de vivências, álcool combinado à direção, além das questionários e atividades dinâmicas, graves consequências de outras atitudes puderam obter muitas informações, desde irresponsáveis no trânsito, destacando estatísticas a respeito da ocorrência sempre como evitá-las.

A primeira edição do núcleo P.A.R.T.Y. em São José dos Campos reuniu, no dia 19 de fevereiro, cerca de 30 universitários da Humanitas – Faculdade de Ciências Médicas de São José. No encontro, realizado no Hospital Municipal, os estudantes receberam orientações sobre como as escolhas irresponsáveis no trânsito podem interferir ou mudar para sempre a história de pessoas e de suas famílias. A iniciativa, que visa prevenir traumas causados por acidentes de trânsito na juventude, foi aprovada pelos alunos. “Não imaginava que São José dos Campos tinha um trabalho como esse. Gostei muito”, disse a estudante Maria Eugênia Freitas, 20 anos. “A partir de hoje, vou me preocupar muito mais com todos em trânsito, inclusive com quem está me esperando em casa”, afirmou a estudante Nara Maria Chaves, 18 anos. O grupo de futuros médicos participou de um bate-papo com profissionais da Saúde e da Mobilidade Urbana da Prefeitura, Polícia Militar, por meio do programa Proerd (Programa Educacional de Resistência às Drogas e à Violência), do Samu (Serviço de Atendimento Móvel de Urgência) e do Grau (Grupo de Resgate e Atenção às Urgências e Emergências), polícias rodoviárias Federal e Estadual. Além das palestras, os estudantes também participaram de visitas à área de atendimento do Hospital Municipal e ao Centro de Reabilitação Lucy Montoro, onde puderam vivenciar as consequências de um acidente de trânsito com vítimas em tratamento. “Ver o que acontece é diferente aqui no hospital. É muito impactante. A gente não imaginava”, afirmou a estudante Carolina Maciel, 17 anos. No fim da atividade, os alunos ainda presenciaram o depoimento de um jovem, vítima de acidente de trânsito, que hoje vive em uma cadeira de rodas em função das lesões.

Ligas de Trauma

O Curso de Trauma 2018 – Pré XX CoLT acontecerá na Faculdade de Ciências Médicas da Unicamp nos dias 22, 23 e 24 de Maio de 2018. O evento terá palestrantes membros da comunidade nacional e internacional de Trauma, que abordarão a a doença dentro das diversas áreas da saúde. O público do evento é focado em profissionais, residentes e alunos das áreas da medicina, enfermagem e fisioterapia. Em 2018, o evento ocorrerá na última semana de maio, dando fechamento ao movimento ‘Maio Amarelo’, mês dedicado à atenção ao trânsito. O curso, que conta com o apoio da SBAIT, possui organização das Ligas

do Trauma da Unicamp, PUC-Campinas e São Leopoldo Mandic e apoio das Ligas do trauma das faculdades PUCSorocaba, Jundiaí, UNIFAE e Bragança Paulista. Informações podem ser obtidas pelo site do evento: https://traumaunicamp. wixsite.com/cursodetrauma2018.

Fotografia PMSJC

Campinas realiza Curso de Trauma 2018 e Pré XX CoLT em maio

Primeira edição do P.A.R.T.Y. São José em 2018 reuniu estudantes de medicina


12

1º Trimestre/2018

Agenda

 TRAUMA Teleconferência SBAIT Última quarta-feira de cada mês, das 17h às 18h (horário de Brasília). Mais informações: secretaria@sbait.org.br.

Event

os

 Pan American Trauma Tele-Grand Rounds - Todas as sextas-feiras, casos apresentados por diferentes instituições, via Telemedicina, com início programado em horários intercalados. Mais informações: fkuchkarian@med.miami.edu.  1º Congresso Sul-Americano, 2º Congresso Brasileiro e 3º Congresso Paulista de Urgências e Emergências Pediátricas - De 02 a 05 de maio de 2018, no Centro de Convenções Frei Caneca, em São Paulo/SP. Informações: http://www. emergenciaspediatricas.org.br/.  IV Simpósio Internacional de Gerenciamento da Resposta em Catástrofe De 10 a 12 de maio de 2018, no Auditório Kleinberger, em São Paulo/SP. Informações e inscrições: https://www.einstein.br/ensino/evento/simposio_internacional_de_gerenciamento_da_resposta_em_catastrofes  II Simpósio Jovem Doutor – Urgência e Emergência - Dias 16 e 17 de maio

traumaprecolt2018@gmail.com.  XIII Congresso SBAIT/XX Congresso CoLT - De 23 a 25 de agosto de 2018, em Curitiba/PR. Informações e inscrições: http://www.sbait2018.com.br.

de 2018, das Das 8h30 às 18 horas, Local: Unilago, rua Dr. Eduardo Nielsen, 960, Jardim Novo Aeroporto, São José do Rio Preto / SP Informações e Inscrições : http:// jovemdoutor.unilago.edu.br/.

 XIX Congresso de Cirurgia do Rio de Janeiro - Tema Central: “A Cirurgia na Era da Inovação” , XXXIII Fórum de Pesquisa em Cirurgia - Curso do American College of Surgeous: Revisão em Cirurgia Geral Baseada em Casos Clínicos - De 11 a 15 de setembro de 2018, Local: Centro de Convenções do Windsor Flórida Hotel - Flamengo - RJ. Informações: https:// congresso­cirurgiacbcrio.com.br

 XIII SIMPALT - Simpósio Paulista das Ligas de Trauma - Dias 19 e 20 de maio de 2018, na Faculdade de Ciências Médicas da Santa Casa de São Paulo / SP. Informações: Informações: http://aliancatrauma. wixsite.com/simpalt.

 VI Congresso Brasileiro de Medicina de Emergência Adulto e Pediátrico ABRAMEDE 2018 - De 25 a 28 de setembro de 2018. Local: Centro de Eventos do Ceará - Fortaleza (CE). Informações: http:// www.abramede2018.com.br/.

 Curso de Trauma Pré XX CoLT - De 22 a 24 de maio de 2018, no Anfiteatro da FCM - Unicamp, Campinas/SP. Informações: https://traumaunicamp.wixsite.com/ cursodetrauma2018 ou pelo email curso-

 77th Annual Meeting of AAST and 4th World Trauma Congress - De 26 a 29 de setembro de 2018, Manchester Grand Hyatt, San Diego, CA. Informações: https:// www.world-coalition-trauma-care.org.

TRAUMA BoleTEAM SBAIT - Edição 021  

O TRAUMA BoleTEAM SBAIT é uma publicação trimestral da Sociedade Brasileira de Atendimento Integrado ao Traumatizado - SBAIT http://www.sbai...

TRAUMA BoleTEAM SBAIT - Edição 021  

O TRAUMA BoleTEAM SBAIT é uma publicação trimestral da Sociedade Brasileira de Atendimento Integrado ao Traumatizado - SBAIT http://www.sbai...

Advertisement