Page 1

INFORMATIVO

SOCIEDADE BRASILEIRA DE ANGIOLOGIA E DE CIRURGIA VASCULAR nº4 •2017/1

REGIONAL DO RIO GRANDE DO SUL

Escleroterapia com Espuma abre o calendário de Reuniões Científicas de 2017

Informe SBACV RS Nº4 •2017/1

1


SOCIEDADE BRASILEIRA DE ANGIOLOGIA E DE CIRURGIA VASCULAR REGIONAL DO RIO GRANDE DO SUL

Editorial

Palavra da Diretoria Mais um ano iniciou e muitos projetos para o associado da SBACV RS estão sendo executados. Apesar da instabilidade econômica que atravessa o país, conseguimos preencher o calendário do ano de 2017 com diversas atividades científicas programadas. Começamos com a participação maciça dos associados no dia 10 de março quando recebemos o Dr. Marcelo Liberatto, que forneceu uma excelente entrevista para este boletim. Também para este mês, o associado adimplente está recebendo o novo folder para distribuir aos pacientes e familiares. Nele estão as principais patologias da nossa especialidade e uma chamada estimulando que realizem um check up preventivo na área vascular. Mais atividades estão programadas para o restante do ano, como está indicado na sessão de eventos deste boletim. Este também é o ano em que se elege o presidente da gestão 2018-2019 da SBACV Nacional e também da nossa regional. Para isso, sabemos que muitos colegas poderiam estar em outro nível de categoria e exercer o seu direito de voto. Se tu tens três anos de sócio aspirante pode se tornar pleno; ou se tiver título de especialista emitido pela SBACV e for associado da AMB pode ser efetivo. Ou ainda cinco anos como efetivo podes requerer a titularidade. Como todos sabem, este é o ano do Congresso Brasileiro em Natal em outubro onde deveremos estar com uma representação expressiva e certamente com diversos trabalhos científicos originados na Regional RS. Aproveitamos esta oportunidade para recomendar aos sócios que reservem a data de 9 de dezembro, para o tradicional jantar de posse da nova diretoria 2018-2019. Tenham todos uma boa leitura e deixo aqui as nossas saudações associativas. Renan Onzi Presidente Expediente Presidente: Renan Roque Onzi Vice-Presidente: Regis Fernando Angnes Secretário Geral: Guilherme Napp Vice-Secretário: João Luiz de Lara Elesbão

2

Diretor de Publicações: Luiz Francisco Machado da Costa Vice-Diretor de Publicações: Luciane Berreneche Narvaes

Tesoureiro Geral: Claudio Nhuch Vice-Tesoureiro: Luciano Amaral Domingues

Diretor de Defesa Profissional: Sharbel Mahfuz Boustany Vice-Diretor de Defesa Profissional: Joel Alex Longhi

Diretor Científico: Nilon Erling Junior Vice-Diretor Científico: Cleoni Pedron

Presidente da Gestão Anterior: Marco Aurélio Grüdtner

Informe SBACV RS Nº4 •2017/1

Contato com a Sociedade: E-mail:vascular@sociedadesonline.com.br Fone: (51) 8022- 5566 Atendimento das 14h às 20h Informativo da Sociedade Brasileira de Angiologia e de Cirurgia Vascular Regional Rio Grande do Sul Jornalista Responsável Claudia Stivelman Registro: 61.00.025946-3 Editoração - Dableo Periodicidade Trimestral - 2017


SOCIEDADE BRASILEIRA DE ANGIOLOGIA E DE CIRURGIA VASCULAR REGIONAL DO RIO GRANDE DO SUL

Campanha

SBACV RS LANÇA NOVO FOLDER para comunidade leiga Serão enviados, até o final de abril, os novos folders informativos para todos os sócios adimplentes da regional Rio Grande do Sul da SBACV. O objetivo desta ação é educar os pacientes e familiares a respeito do funcionamento do sistema circulatório, as principais áreas de atuação do Cirurgião Vascular e quais as principais doenças, métodos diagnósticos e tratamentos. No material impresso, são abordadas a trombose venosa profunda, as varizes, a doença arterial obstrutiva periférica e o aneurisma de aorta abdominal. Toda a confecção, impressão e distribuição serão financiadas com apoio de parceiros da SBACV RS, que patrocinaram integralmente a ação, não havendo qualquer gasto de recursos próprios. Informe SBACV RS Nº4 •2017/1

3


SOCIEDADE BRASILEIRA DE ANGIOLOGIA E DE CIRURGIA VASCULAR REGIONAL DO RIO GRANDE DO SUL

Entrevista

Dr. Marcelo Reuttimann Liberato de Moura O Dr. Marcelo Reuttimann Liberato de Moura foi o palestrante da reunião que inaugurou o calendário das atividades científicas do ano de 2017 da Regional RS da SBACV. Mais de 70 colegas participaram do evento no dia 10 de março de 2017, nas dependências da AMRIGS. Os debatedores da nossa Regional foram o Dr. Júlio Henrique Ferreira e a Dra. Ligia Caon, membros da sociedade, ambos com larga experiência na técnica da Espuma para o tratamento das varizes. Em entrevista ao Boletim da SBACV RS, o Dr. Marcelo Liberato que trabalha em Salvador fez algumas considerações sobre o seu trabalho com a técnica.

SBACV RS pergunta: Dr. Marcelo Liberato, como iniciou o seu interesse pelo uso desta técnica em larga escala no seu Estado?

Marcelo Liberato: Iniciei a minha jornada selecionando doentes nas ruas de Salvador, tratando durante os Cursos de capacitação para expandir o conhecimento aos colegas vasculares do Brasil e em regime de pesquisa ou voluntariado. Além disso, outro motivo de orgulho é o fato de ter tido 657 alunos cirurgiões vasculares de todo o Brasil, em cursos absolutamente chancelados pela SBACV, o que representa um custo, mas também, o meu respeito e responsabilidade perante a entidade e a minha classe profissional. Obviamente, trabalhar para o SUS, curar úlceras venosas e utilizar a escleroterapia com espuma também são opções pessoais. Pessoalmente, considero uma benção de Deus poder realizar este trabalho de passar conhecimento e tratar aqueles que seguramente mais necessitam. Felizmente, conto com o apoio de estimados alunos e colegas que também foram fisgados por esta inesgotável força que é gerada através do amor ao próximo.

SBACV RS: Como está sendo o programa em Salvador?

4

ML: A Escleroterapia com Espuma faz parte de todo um Programa de Atenção à Saúde, que orgulhosamente coordeno no Município de Salvador. A estrutura chega desta forma: treinamento de 250 profissionais (enfermeiros e técnicos) para selecionar os doentes em 110

postos de saúde, 200 enfermeiros para continuar os cuidados específicos com as úlceras venosas após o tratamento da causa com espuma, os quais estão distribuídos em 12 Distritos Sanitários. Além disso, um cirurgião vascular faz a 2ª triagem dos pacientes selecionados nos postos, tornando eficiente a nossa seleção. Após 3 an os e meio de Programa e aproximadamente 3 mil pacientes tratados, a Secretaria Municipal de Saúde de Salvador nos solicitou que dobrássemos o número de atendimentos. O fato de termos tratado aproximadamente 1076 úlcera venosa, com uma taxa de cicatrização de 77%, justifica parte do apoio que recebemos. Úlceras venosas tratadas nos postos de saúde há décadas sem resolutividade, cicatrizamos em uma média de 12 semanas. A gestão pública fez as contas e vai continuar nos apoiando. Imaginem um paciente que está há mais de 10 anos realizando curativos 2 vezes por semana em um posto de saúde e afastado por invalidez: qual o custo social, pessoal e diria até espiritual para este cidadão? Incalculável! E provavelmente são mais de 1 milhão de pessoas padecendo assim no nosso país.

SBACV RS: No dia 31 de janeiro de 2017 foi publicado no Diário Oficial o reconhecimento da técnica da escleroterapia com espuma para o tratamento não estético das varizes dos membros inferiores pelo Ministério da Saúde. O que isso representa?

Informe SBACV RS Nº4 •2017/1


SOCIEDADE BRASILEIRA DE ANGIOLOGIA E DE CIRURGIA VASCULAR REGIONAL DO RIO GRANDE DO SUL

ML: Declaro aqui total envolvimento neste processo, após o envio de dois pedidos oficiais de incorporação ao CONITEC (Comissão Nacional de Incorporação de Tecnologias no SUS) e explanação aum Plenário seleto no Ministério da Saúde. O convite para a nossa elucidação sobre o tema foi feito por parte do CONITEC e do Ministério da Saúde. A reunião ocorreu no dia 12 de janeiro de 2017 e resultou em votação unânime em prol da incorporação da espuma. Todos os órgãos responsáveis pelo Plenário estavam presentes nesta reunião e, realmente, foi uma grande vitória. Sinceramente, não encaro apenas como uma vitória pessoal, mas principalmente uma vitória dos milhões que sofrem com as varizes e úlceras venosas. O primeiro ponto para a nossa reflexão é a atual situação da população brasileira que sofre com a Doença Venosa Crônica (DVC) avançada e depende do SUS para um tratamento. Sejamos sinceros, em que Estado da nossa Federação, não existem filas enormes e uma demanda reprimida para o tratamento das varizes pelo SUS? Obviamente, são vários os motivos e não podemos responsabilizar a nossa classe por esta realidade. Nos falta apoio, nos falta remuneração, nos falta condições de trabalho, etc., mas a cura cirúrgica convencional das varizes, apesar de excelente e reconhecida técnica, ainda não resolveu a demanda atual pelo SUS. Por outro lado, a Escleroterapia com Espuma, se bem feita, tem grande chance de melhorar significativamente este cenário. Será que deveríamos pelo menos dar uma chance a espuma ou encarar como uma grande quebra de paradigma no Brasil? Será que para os colegas que ainda não utilizam a técnica está sendo difícil sair da “zona de conforto”?

SBACV RS: Na sua visão qual o futuro deste programa para o Brasil?

ML: Agora com a incorporação da espuma pelo SUS precisamos tornar viável a instauração de programas Brasil afora, sempre associado a uma valorização da nossa especialidade. Espero que possamos, como especialistas, auxiliar o Governo neste processo específico de precificação, pois não participei do mesmo após a referida reunião no Ministério da Saúde.

No que concerne ao nosso Programa, devemos considerar muitos aspectos ao precificar: sessões de aplicação da espuma, sessões de revisão para drenagem, ecografias vasculares antes e depois, curativos, utilização de coberturas especiais e material para compressão dos membros, etc. Todos que juntos agregam um valor justo para uma dedicação hercúlea. Sem nenhuma hipocrisia, precisamos receber pelo que fazemos, tornando sustentável para o médico, equipe e Instituição que realiza o tratamento do paciente. Talvez a não sustentabilidade seja o motivo pelo qual no Brasil sejam feitas apenas 70 mil cirurgias convencionais de varizes pelo SUS por ano, menos do que alguns países Europeus com um quarto da nossa população.

SBACV RS: O Método tem sofrido críticas pelos colegas?

ML: A escleroterapia com espuma tem suas complicações e, exatamente como os outros métodos, se bem realizada, oferece excelentes resultados. Aproximadamente 25% dos pacientes que trato com espuma já foram operados antes e vêm com uma recidiva. Muitos que criticam a técnica nem sequer a realizam.A minha convicção,é de que a espuma veio para ficar e ainda discutiremos muito entre nós mesmos e com o Governo. Tudo em prol de quem precisa, os nossos pacientes, motivo pelo qual a nossa especialidade existe. A remuneração será uma consequência da nossa união e comprometimento com árduo trabalho.

SBACV RS pergunta: Finalizando qual a mensagem que o Sr. daria aos colegas gaúchos?

ML: Finalizo externando a minha mais profunda gratidão a todos aqueles que participaram de alguma forma deste processo para alcançar a Incorporação da Escleroterapia com Espuma pelo SUS: familiares, amigos, gestores, colegas, SBACV, imprensa, enfim, aqueles que têm consciência da responsabilidade. E convido a todos para que participem do curso que realizaremos em setembro, em Porto Alegre, aos moldes do que é feito em Salvador. Será mais uma atividade para difundir o método no Brasil e com sucesso garantido com certeza.

Informe SBACV RS Nº4 •2017/1

5


SOCIEDADE BRASILEIRA DE ANGIOLOGIA E DE CIRURGIA VASCULAR REGIONAL DO RIO GRANDE DO SUL

Regional RS em ação

Reunião de Presidentes no Rio: debate ações e sugestões

Os Presidentes das Regionais da SBACV se reuniram com a Diretoria no dia 23 de março, no Rio de Janeiro, para trocar ideias sobre as ações que estão em andamento nesta gestão. Foi apresentado o novo prontuário eletrônico, que será subsidiado pela Nacional. Foram exibidos os dados preliminares do primeiro Censo Vascular. Entre os números destacam-se que 60% dos vasculares estão em capitais e um quarto deles só no Estado de São Paulo. O editor do JVB, Winston Yoshida, estimulou os Presidentes de Regionais a incentivarem que os trabalhos de temas livres inscritos nos Congressos sejam apresentados ao JVB para publicação. Por fim, o coordenador do Departamento Jurídico da SBACV, Dr. Carlos Michaelis, falou sobre as conquistas de liminares inéditas concedidas à classe contra os biomédicos no último ano. “A ideia é que novas ações sejam capitaneadas contra outros profissionais que invadem a especialidade”, disse. Os médicos debateram sugestões em todos os itens apresentados.

6

Informe SBACV RS Nº4 •2017/1

APOIO


SOCIEDADE BRASILEIRA DE ANGIOLOGIA E DE CIRURGIA VASCULAR REGIONAL DO RIO GRANDE DO SUL

Regional RS em ação

Normas para tornar-se sócio da SBACV Para tornar-se Titular, envie a documentação para a SBACV Nacional, com sede em São Paulo. Todas as propostas estão disponíveis no site www.sbacv.com.br

Aspirante

Poderão ser membros Aspirantes os médicos interessados nos objetivos da SBACV, que apresentarem à regional da SBACV da Unidade da Federação (UF) onde o candidato exerce sua atividade profissional, ou, não havendo, a mais próxima, solicitação assinada, com cópia do Curriculum Vitae, juntamente com a cópia do RG, cópia autenticada do diploma de médico, copia da carteirinha do CRM e duas fotos 3 x 4.

Estar regularmente inscrito no Conselho Regional de Medicina (CRM) do estado onde exerça sua atividade profis-sional, encaminhando cópia do registro: Participar das atividades da SBACV, na condição de aspirante, por pelo menos três anos, podendo ser somados períodos;

Ter completado residência médica ou curso de especialização reconhecido pela SBACV, nas especialidades ou áreas que são objetivos da associação, anexando o comprovante à proposta;

Pleno

Apresentar o formulário de associação em duas vias e assinadas por dois associados da SBACV pertencentes à categoria Efetivo ou Titular;

Anexar à proposta de associação duas cópias do RG, do CPF, do diploma de médico e duas fotos 3 x 4; Apresentar e ter sua proposta de associação aprovada pela regional da SBACV correspondente, estando quite com a tesouraria da SBACV. Ser associado da SBACV na categoria Pleno, por pelo menos dois anos, contados a partir da aprovação do ingresso, ou ter participado das atividades da SBACV como Aspirante, por pelo menos três anos;

Efetivo

Estar inscrito no CRM onde exerça sua profissão; Possuir o título de especialista em Angiologia ou Cirurgia Vascular*; Ser sócio da APM ou AMB; Apresentar e ter sua proposta de associação aprovada pela regional da SBACV correspondente, estando quite com a tesouraria da SBACV. *Observa-se que o possuir o Título de Especialista significa que o candidato foi aprovado no exame + solicitou o título (no site) + tem este Título de Especialista devidamente registrado na AMB/MEC e CNA. Ser associado Efetivo há pelo menos três anos;

Apresentar e ter sua proposta de progressão, para esta categoria, aprovada pela diretoria nacional da SBACV, estando quite com a tesouraria da SBACV.

Informe SBACV RS Nº4 •2017/1

Titular

Apresentar artigo original ao JVB, seno aceito para publicação ou publicado há, no máximo, seis meses da data proposta, na qualidade de primeiro autor; ou monografia original não publicada sobre tema da especialidade; ou título de livre-docência ou de doutor obtido em instituição de ensino superior reconhecido pelo MEC; ou ainda acumular 100 pontos nos cinco anos que antecederam ao pedido de progressão, em eventos de educação médica continuada nas especialidades e área de atuação da SBACV, de acordo com normas da CNA.

7


SOCIEDADE BRASILEIRA DE ANGIOLOGIA E DE CIRURGIA VASCULAR REGIONAL DO RIO GRANDE DO SUL

Agenda de eventos 27 de Maio - Reunião Científica Dr. Pierre Galvagni da Silveira - PEVAR 6 de Junho - Reunião Cinetífica Dr. Adilson Ferraz Paschoa - Anticoagulantes Orais Diretos

29 de Junho - Casos Clínicos Dr. Marcelo Matielo - Flebotonicos Dr. Roberto Sacilotto - DAOP 18 e 19 de Agosto - II Encontro de Cirurgia Vascular de Caxias do Sul 30 de Setembro - Curso Teórico/Prático de Espuma ecoguiada para tratamento de varizes Outubro - Congresso Brasileiro de Cirurgia Vascular Em Natal (RN) Outubro - Assembleia Eleitoral Gestão 2018/19 9 de Dezembro - Jantar de posse nova diretoria Salão Germânia, Porto Alegre (RS)

Prestação de contas

8

A Diretoria se reuniu no último dia 21 de março na sede da entidade para a avaliação das contas relativas ao ano fiscal de 2016, apresentadas pelo Dr. Claudio Nhuch, tesoureiro geral da SBACV RS. Os números foram aprovados por toda a diretoria presente. Informe SBACV RS Nº4 •2017/1

Informativo trimestral 4 - 2017  

Informativo trimestral nº 4 da SBACV - ano 2017