Page 1

Um novo tempo na saúde de Nova Iguaçu

Secretaria de Saúde


Muito trabalho e dedicação para humanizar a saúde Passado um ano de muito trabalho e dedicação, o cenário da Saúde de Nova Iguaçu é outro. A recuperação do crédito e da capacidade de investimentos no setor, além das parcerias estabelecidas com os governos estadual e federal, estão mudando para melhor a saúde. O objetivo é oferecer à população um atendimento humanizado e mais próximo das pessoas.


HGNI janeiro 2013: salas com infiltrações, pátio com lixo acumulado e pacientes pelos corredores à espera de atendimento


Cenário encontrado em janeiro de 2013

Emergência superlotada, longa permanência de pacientes no HGNI sem solução dos casos, falta de remédios, de insumos, dívidas com fornecedores e funcionários, serviços conveniados de hemodiálise e exames interrompidos por falta de pagamento dos convênios, equipamentos sucateados, raio x quebrado, tomógrafo sem funcionar, maternidade fechada, uma única ambulância no pátio da maior emergência da Baixada Fluminense. Assim estava a saúde de Nova Iguaçu em janeiro de 2013. Confira nas próximas páginas o que a nova gestão fez para solucionar os problemas mais urgentes e o que vem fazendo para avançar na garantia do pleno atendimento.


Instalação do gabinete de crise O primeiro passo para superar as dificuldades foi decretar estado de calamidade na saúde, o que permitiu a contratação de serviços essenciais. Um gabinete de crise foi instalado no Hospital Geral de Nova Iguaçu (HGNI/Hospital da Posse) para a solução dos problemas mais urgentes. O Ministério da Saúde liberou verba emergencial de R$ 8,7 milhões para ajudar na recuperação do setor. Dívidas com salários de funcionários e fornecedores foram postas em dia e o pagamento das clínicas conveniadas permitiu a retomada dos serviços, especialmente de hemodiálise e oncologia. Além disso, a prefeitura criou o Programa Nova Saúde Iguaçu.


Reforma do hospital e inauguração da Nova Emergência: conforto aos pacientes e funcionários A Nova Emergência foi inaugurada em março de 2013. No setor são atendidos casos de urgência separadamente da antiga emergência, onde foi mantido o atendimento aos pacientes com maior gravidade e risco de morte. Foi iniciada a reforma das 40 enfermarias no 2º andar do HGNI, sem interrupção do atendimento. O setor está recebendo novas instalações hidráulica e elétrica, além de pintura e o sistema de oxigênio – que há anos não passava por manutenção - está sendo substituído.


HGNI consegue registro de Reforma no ambulatório alta e média complexidade do HGNI em ortopedia O Ministério da Saúde concedeu o registro após um processo iniciado há nove anos em Brasília. Com isso, o HGNI, que faz uma média de 250/300 cirurgias ortopédicas/mês, passou a receber verbas do SUS por esses procedimentos. Antes, a Prefeitura arcava com todos os custos.

O ambulatório do HGNI foi reinaugurado em julho e passou a funcionar num espaço que estava fechado há três anos com infiltrações e mobiliário danificado. O local foi reestruturado e faz atendimento em 17 especialidades. Duas mil pessoas são atendidas/mês.


Policlínica Dom Walmor reinaugurada A reforma geral do prédio durou dois meses. A policlínica foi reinaugurada em 6 de junho, com 19 novos consultórios e 21 especialidades médicas.


Doação de material e equipamentos

Nova central de regulação

Parceria com o Governo do Estado permitiu a doação de 40 camas elétricas, uma mesa cirúrgica, beliches, poltronas reclináveis, aparelhos de verificação de pressão, e R$ 1 milhão para investimentos em medicamentos e insumos (esparadrapo, gaze, material de sutura, etc).

Foi inaugurada a Nova Central de Regulação, que funciona na Dom Walmor, dando mais agilidade na marcação de consultas e exames: antes eram entregues apenas 20 exames/dia, agora são mais de 400/dia.


Novos consultórios dentários

Ampliação do Samu

Foram abertos mais quatro pontos de atendimento da saúde bucal dentro das unidades de saúde, aumentando para 35 os consultórios dentários. O tratamento odontológico foi incluído no projeto Melhor em Casa, que atende nos domicílios pessoas acamadas e idosos. Portadores de necessidades especiais e pacientes da saúde mental também recebem tratamento.

Nova Iguaçu tinha apenas uma ambulância em funcionamento. Com a parceria com o Estado, hoje a cidade conta com 10 e o atendimento cresceu 363,16 %. Entre janeiro e novembro de 2013, o Samu realizou 4.939 atendimentos contra 1.360 no mesmo período de 2012.


Ônibus da saúde O ônibus da saúde circulou por mais de 50 bairros e sub-bairros de Nova Iguaçu e realizou 21.154 atendimentos entre julho e a primeira semana de dezembro. A unidade móvel de saúde também marca presença no projeto Chega Mais Comunidade, mutirão de serviços da Prefeitura.


Saúde Mental ampliada

Exames de sífilis e HIV com resultados na hora

Reforma de cinco Residências Terapêuticas e credenciamento delas junto ao Ministério da Saúde. Mais três imóveis serão alugados para o serviço, aumentando a capacidade de atendimento de 41 para 67 vagas. O serviços de saúde bucal é extensivo aos pacientes residentes.

Passaram a ser feitos em todos os 58 postos de saúde municipais e com resultados em menos de 20 minutos. Antes a coleta de sangue era feita somente no Centro de Saúde Vasco Barcellos e os exames, enviados a laboratórios conveniados, levavam até 30 dias para a entrega dos resultados.


Desapropriação e requisição do Hospital Iguaçu A Prefeitura desapropriou o prédio onde funcionava o Hospital Iguaçu. A reforma da unidade será feita em parceria com a Secretaria Estadual de Saúde, e a estrutura será adaptada para virar uma unidade municipal com 100 leitos de internação.


Combate à dengue

Redução de 70% na mortalidade materna

Em 2013, Nova Iguaçu intensificou o combate aos focos do aedes aegypti, mosquito transmissor da dengue, e houve redução de 64,4% nos casos da doença. Entre janeiro e novembro de 2012 foram registrados 1.865 casos na cidade, número que este ano caiu para 664. Foi criado um Centro de Hidratação no HGNI para agilizar o atendimento aos pacientes com sintomas da doença.

Procedimentos simples adotados na rotina do HGNI, como classificação de risco e ampliação do pré-natal, levaram a uma grande redução da mortalidade materna no Hospital da Posse: foram 03 óbitos registrados até a primeira quinzena de novembro, contra 11 verificados em 2012.


Nova Maternidade Mariana Bulhões em funcionamento Com apoio do Estado, a maternidade, fechada desde julho de 2012, foi reinaugurada em 1º de Dezembro, quase sete meses antes do prazo inicial. E está funcionando 24hs com capacidade para realizar 350 partos por mês, 30% a mais do que era feito no HGNI.


Agradecimentos Todas as mudanças promovidas na Saúde de Nova Iguaçu só foram possíveis graças às parcerias estabelecidas entre a Prefeitura e os Governos Estadual e Federal, e principalmente pelo esforço, dedicação e vontade dos funcionários e de toda a equipe que fazem da Nova Saúde uma realidade.

Feliz Natal e um Ano Novo com grandes realizações!


Secretaria de SaĂşde

Um novo tempo na saúde de Nova Iguaçu