Page 1

Área de Projecto 12.º ano

MEDICINA ALTERNATIVA

Saúde ao Natural!


PROJECTO - SAÚDE AO NATURAL! Saúde ao Natural – Do que se trata? Foi no âmbito da disciplina de Área de Projecto de 12.º ano que surgiu o projecto Saúde ao Natural. Este tem como tema central a Medicina Alternativa e o seu principal objectivo é dar a conhecer à comunidade este conceito e informar acerca dos tratamentos e terapias alternativas existentes, bem como a sua aplicação e benefícios.

Porquê a Medicina Alternativa? Este tema foi escolhido por ser um assunto actual e que está a suscitar alguma curiosidade entre comunidade em geral, muito devido às interrogações que se têm colocado no que diz respeito à eficácia e aos efeitos secundários dos tratamentos aplicados pela Medicina Convencional. Por este motivo o grupo achou oportuno a elaboração de um projecto que desse conta deste conceito tão em voga.

Quais os objectivos do projecto? O principal objectivo é a divulgação deste conceito à comunidade, para este efeito o grupo vai organizar e realizar várias actividades, exposições e palestras, de modo a dar a conhecer os vários tratamentos e terapias que existem e que são boas alternativas à Medicina Convencional e/ou um bom complemento desta. Ao longo do projecto o grupo irá abordar terapias como a Acupuntura a Aromaterapia, a Cromoterapia, a Fitoterapia, a Homeopatia, a Osteopatia, entre outras, apontando os aspectos essenciais que cada uma possui no tratamento de determinadas doenças.

Qual o objectivo do e-Book? O grupo decidiu apostar na criação de um e-Book para que todos tivessem a oportunidade de consultar a informação que foi recolhida ao longo do projecto. Aqui poderá encontrar a informação necessária sobre diversos tratamentos e terapias relativos à Medicina Alternativa.


MEDICINA ALTERNATIVA

N

os últimos anos, muito se tem falado sobre medicinas alternativas ou terapias complementares. No entanto, poucos são aqueles que sabem o que significam estes termos e em que medida essas terapias contribuem para uma melhoria do estado de saúde daqueles que as procuram. As medicinas alternativas ou medicinas não convencionais são terapias que não se baseiam nos princípios da medicina científica ocidental. Ao contrário da medicina convencional, que se fundamenta em critérios lógicos e racionais, descobertos através de uma observação rigorosa e aplicação do método científico, os princípios em que se baseiam as medicinas alternativas contrariam o senso comum, as leis da natureza e os conceitos subjacentes à ciência moderna. A medicina convencional tem sido até há poucos anos praticamente, de forma geral, a primeira – se não a única – opção para as populações, sobretudo ocidentais. Portugal não é excepção. Contudo, tem-se verificado que na última década, a procura de medicinas não convencionais por parte dos cidadãos tem-se intensificado. Infelizmente, o respeito e reconhecimento concedidos a estas terapêuticas são ainda limitados, pelo facto de haver pouca clarificação não só nos procedimentos, mas também na acreditação dos profissionais que as praticam. Apesar de não substitui o tratamento convencional nos casos mais sérios, a medicina alternativa é mais humanizada, e o contacto com o cliente torna-se mais proveitoso. Pode ser aplicado em qualquer pessoa, em qualquer situação. Não tem nenhuma contraindicação, serve de auxílio para o tratamento convencional, diminuindo o tempo de recuperação e a necessidade de remédios e não é invasivo. É 100% natural e o risco de efeitos secundários é praticamente nulo. Utilizada em conjunto com a medicina moderna torna-se muito mais eficaz, pois complementa-a. A medicina alternativa é composta por várias modalidades e terapias, cada qual com uma finalidade particular mas todas com um objectivo comum, a saúde ao natural!


ACUPUNCTURA

A

Acupunctura é uma das terapias da Medicina Tradicional Chinesa usada na cura de doenças através da manipulação de agulhas em pontos específicos localizados pelo corpo, os meridianos (um dos nomes pelos quais são conhecidos os "canais de energia"). Ao estimular os pontos, é levada uma mensagem ao cérebro (Sistema Nervoso) que faz com que o organismo liberte substâncias neurotransmissoras analgésicas e relaxantes que promovem o bem-estar, a prevenção e o tratamento de doenças.


Os pontos de Acupunctura podem ser estimulados por:

AGULHA COREANA (técnica mais utilizada) As agulhas utilizadas na Acupunctura são em geral feitas de aço inoxidável. São bem mais finas que as agulhas de injecção comum. Quando bem manuseadas não causam dor e raramente ocorre sangramento do ponto estimulado. Apesar de apresentarem um comprimento de mais ou menos 3 cm, a profundidade de inserção não costuma ultrapassar 1 cm. As agulhas vêm esterilizadas de fábrica e são de uso individual.

MOXA EM BASTÃO A moxabustão é uma técnica oriental tão ou mais antiga quanto a Acupunctura. Muitos tratamentos tornam-se ineficazes ou deixam a desejar sem o uso da moxa. A técnica consiste em oferecer calor (causado pela queima do bastão de artemisia), ao local onde são inseridas as agulhas. Esse calor terapêutico é utilizado em muitas doenças como artroses, diarreias crónicas, dores musculares e uma infinidade de problemas.

VENTOSAS A técnica da ventosa também é milenar. É um instrumento rudimentar porém bastante eficiente como coadjuvante nos tratamentos com Acupunctura. Consiste em fazer uma espécie de "sucção" na área a ser tratada com o propósito de restabelecer o fluxo sanguíneo local bem como promover um relaxamento muscular.


ELECTRO ACUPUNCTURA A Electro Acupunctura é uma técnica moderna que utiliza uma corrente eléctrica conectada às agulhas com o fim de estimular com mais vigor os pontos utilizados no tratamento. Os aparelhos mais modernos tem vários tipos de frequências, timer e regulagem de intensidade da corrente, o que facilita e optimiza o trabalho do Acupunturista. Em casos de dor, a aplicação da Electro Acupuntura tem resultados até 80% mais fortes do que os realizados sem a Electro estimulação. Pacientes muito idosos e/ou cardiopatas devem fazer uso moderado da técnica.

ACUPRESSÃO Tipo de massagem, na qual a pressão dos dedos em locais específicos do corpo é usada para promover a cura, alívio de cansaço, etc.

SANGRIA A sangria é uma modalidade de tratamento médico onde há retirada de sangue do paciente para o tratamento de doenças. Pode ser feita de diversas maneiras, incluindo o corte de extremidades, o uso de sanguessugas ou a flebotomia (A flebotomia é uma incisão praticada na veia, com objectivos diversos, semelhante ao procedimento para doação de sangue)


STIPER Trata-se de pastilhas de Silício (cristais de quartzo), de formato arredondado, macias que são fixadas na pele do paciente, nos mesmos pontos onde se utilizam as já conhecidas agulhas de Acupuntura.

Existem alguns detalhes a referir sobre o Stiper: 1. O Stiper não perfura a pele. Dessa maneira, pacientes que tem algum tipo de fobia (medo) das agulhas podem submeter-se ao tratamento. 2. A duração do Stiper é de alguns dias. Isso faz com que o efeito do tratamento seja prolongado e não somente no momento da sessão, ampliando dessa forma a actuação do processo terapêutico. 3. O Stiper pode ainda ser utilizado em conjunto com o tratamento convencional de agulhas, ampliando assim todo o efeito de um tratamento. 4. O Stiper pode facilmente ser usado em crianças e pessoas sensíveis como os idosos.


DOENÇAS,

SINTOMAS E CONDIÇÕES TRATÁVEIS COM A

ACUPUNCTURA

A partir de 1970, tiveram início diversos estudos científicos no sentido de comprovar a eficácia da Acupunctura. A Organização Mundial de Saúde (OMS) editou uma lista com 41 doenças. Afecções (enfermidades) físicas:

• • • • • • • • • • • • • • • • • • • • •

Distensão muscular Dor cervical Pescoço rígido Espondilose cervical (doença na medula cervical) Dor aguda na coluna Dor lombar Ciática Inflamação no tórax e costelas Dor no joelho “Cotovelo de tenista” Periartrite no ombro Fibromialgia Fascite na planta do pé Osteoartrite Artrite reumatóide Gota / artrite Acne Eczema Irritação na pele Micose

• • • • • • • • • • • • • • • • • • • •

Herpes zóster Psoriasis vulgar Psoriasis eritroderma Psoriasis pustular Gripe comum Dor de garganta Amigdalite Rinite alérgica Bronquite aguda Asma Doença pulmonar obstrutiva crónica Hipertensão Hipotensão Doença coronariana e angina Doença cárdio-pulmonar crónica Neurose cardíaca Cólica biliar Cálculo na vesícula biliar Hepatite B (vírus portador) Dor abdominal


AROMATERAPIA

A

romaterapia funciona através de estímulos olfactivos, sendo que o sentido do olfacto está directamente conectado ao sistema límbico - localizado no cérebro logo atrás do topo das narinas - que é o que regula as nossas emoções, esta consiste em tratar as doenças com a ajuda de óleos extremamente concentrados extraídos dos vegetais. Esses extractos chamados essências ou óleos essenciais contêm as substâncias que dão perfume às plantas e, por isso, o seu odor é a característica principal.


Os óleos essenciais são produzidos por minúsculas glândulas presentes nas pétalas, no caule, na casca e na madeira de numerosas plantas e árvores. Se, na natureza essas glândulas liberam os aromas das plantas de forma progressiva, quando aquecidas ou trituradas, elas explodem e liberam os odores com uma potência muito maior. Para extrair o óleo essencial puro, recorre-se a um processo de destilação no vapor de água. Se a essência é dissolvida no álcool ou em outro solvente, denomina-se essência absoluta. São menos puras que os óleos, porém conservam interessantes propriedades curativas. Apresenta contra-indicações. Devem ser utilizados com precaução, pois podem causar irritação e alergia na pele. Os aromaterapeutas utilizam cerca de 30 plantas e flores para tratar a maior parte dos problemas. Os óleos essenciais são divididos em três categorias • Os que tonificam o organismo e favorecem o bom humor; • Os que estimulam e regulam as principais funções do corpo; • E os que têm um efeito calmante sobre o corpo e o espírito.

ALGUNS EXEMPLOS: • • • • • • • • • •

ÓLEO DE CAMOMILA – refrescante. Indicado para dores de cabeça e depressão; ÓLEO DE CÂNFORA – refrescante e estimulante. Indicado em resfriados, reumatismos, acne, insónia; ÓLEO DE CEDRO – sedativo. Usado para angústia, bronquite e tosse; ÓLEO DE LIMÃO – refrescante e estimulante. Para problemas circulatórios, hipertensão e acne; ÓLEO DE EUCALIPTO – libera a cabeça. Indicado para edemas e dores musculares; ÓLEO DE GERÂNIO – refrescante e antiespasmódico. Para problemas urinários e infecções virais; ÓLEO DE JASMIM – relaxante e calmante. Serve para tratar apatia e pele seca; ÓLEO DE MANJERONA – fortificante. Indicado em enxaquecas, cólicas e equimoses; ÓLEO DE PATCHOULI – relaxante. Indicado na depressão e pele seca. ÓLEO DE PIMENTA CINZA – estimulante. Usado em problemas digestivos, resfriados e diarreia;


CROMOTERAPIA

A

Cromoterapia é uma ciência que usa a cor para estabelecer o equilíbrio e a harmonia do corpo, da mente e das emoções. Através desta ciência pode-se tratar e até mesmo curar, por assim dizer, “problemas” quotidianos tais como a insónia, o stress, má digestão, etc. É baseada nas sete cores do espectro solar e cada cor tem uma vibração específica, actuando desde o nivel fisico até ao nivel intelectual. Actualmente existem estudos onde se determina qual a cor mais adequada para ambientes de estudo, ou de trabalho, ou hospitais,etc. Até em publicidades o uso de cores é estudado, dependendo do objectivo a que se quer chegar, o público alvo e o produto que está a ser trabalhado.


PROCESSO: Uma cor é a sensação produzida pelo nosso cérebro quando os nossos olhos são estimulados por ondas de luz de determinado comprimento de onda. Ou seja, a cada cor corresponde um comprimento de onda diferente. Cada comprimento de onda actua no cérebro de forma diferente, desencadeando processos distintos De uma forma geral, podemos dizer que quanto mais curto for o comprimento de onda mais relaxante será o seu efeito. Comprimentos de onda mais longos resultam em sensações de maior excitação. As cores frias, como o azul e o verde, são as de comprimento de onda mais curto. As cores quentes, como o vermelho ou o laranja são as de comprimento de onda mais longo. Assim, o azul e o verde têm um efeito mais calmante, enquanto o vermelho e o laranja têm o efeito contrário.

APLICAÇÃO: Através da observação ou visualização mental constante da mesma cor por um certo período de tempo, que é variável continuamente ou esporadicamente, conforme o caso. Uma forma bastante comum e simples de aplicar a cromoterapia é através da ingestão de água energizada por determinada cor. Como? Se, por exemplo, pretendemos um efeito calmante, o processo é muito simples. 1.º: Deita-se a água numa garrafa ou copo azul transparente, e deixa-se o recipiente exposto à luz solar. Desta forma, todo o comprimento de onda de luz que atravessa a água é azul, e o líquido fica carregado com a energia relaxante desta cor. 2.º: Basta ingerir o líquido directamente do recipiente para tirar partido do efeito da cor. Há ainda a terapia directa, que consiste na aplicação de focos de luz colorida sobre o corpo, variando a cor conforme o efeito pretendido. Para, por exemplo, o problema da insónia, se observarmos durante um tempo a cor violeta, que nos transmite uma maior vibração espiritual, alternada com o preto que simboliza a noite e com o silêncio, a sua vertente terapêutica determina o repouso de todos os orgãos e induz ao sono!


De forma menos precisa, mas mais prática, é muito simples aplicar a cromoterapia ao nosso dia-a-dia, através da escolha das cores do nosso vestuário, da decoração da casa, dos objectos com que trabalhamos, etc. E para que saiba como por em prática esses pequenos truques, aqui fica uma lista de propriedades de cada cor: PROPRIEDADES DE CADA COR:

VERMELHO - Efeito vitalizante, excitante, estimulante. Fortalece o sangue, melhora a circulação, previne a anemia e eleva a temperatura do corpo. Combate a depressão e, em excesso, pode causar irritação e aumento da tensão nervosa. LARANJA - Estimula o sistema nervoso e promove a alegria. Fortalece as funções mentais, aumenta a energia física e dissipa o desânimo. Combate a insegurança e falta de vontade. É eficaz no tratamento de doenças como a epilepsia, as doenças respiratórias e as inflamações. AMARELO - Desperta as faculdades mentais, ajuda a dominar o sistema nervoso, promove o optimismo e favorece a criatividade e o raciocínio. É usado no tratamento de problemas digestivos. VERDE - Promove o equilíbrio, a harmonia e a serenidade. Tem um efeito refrescante e tranquilizador, promovendo a sensação de confiança e segurança. É utilizado no tratamento de doenças cardíacas e circulatórias. AZUL - Efeito relaxante e apaziguador. Elimina a sensação de angústia e as perturbações nervosas, tem um efeito sedativo. Tem um efeito anti-séptico e é usado para aliviar cortes e queimaduras, para além de ser usado no tratamento de doenças da garganta e dos olhos. VIOLETA - Efeito benéfico sobre os nervos, promove a sensação de liberdade e combate as neuroses. Combate doenças dermatológicas e desintoxica o organismo. Promove a saúde de todas as células e tecidos. BRANCO - Não é uma cor, mas sim a reunião de todas as cores. A cor branca é a luz emitida pelas superfícies que reflectem todas as cores. Ao receber luz branca, o organismo liberta todas as vibrações pesadas e negativas provenientes das doenças. PRETO - É a ausência de cor. Preto é o que vemos quando uma superfície absorve todas as cores e não reflecte nenhuma. Não deve ser usada, uma vez que gera desarmonia e energias negativas.


FITOTERAPIA

A

fitoterapia é um método terapêutico que utiliza as plantas, mais exactamente, a parte activa das plantas. A sua origem é conhecida desde tempos remotos.

Os medicamentos "clássicos" e "químicos", são frequentemente colocados em oposição à fitoterapia. Existe, contudo, lugar para cada um deles no arsenal terapêutico que dispomos hoje em dia. Se, por um lado, É verdade que a farmácia "clássica" ocupou durante quase um século um lugar de destaque, com os excelentes resultados que ela permitiu obter em numerosos domínios, por outro, ela foi, pouco a pouco, deixando aparecer efeitos secundários indesejáveis, por vezes mesmo nefastos, que incitam hoje em dia à prudência. Eis porque, poderemos falar actualmente de dois tipos de medicamentos.


Os medicamentos "de doença" cuja acção rápida e poderosa ajuda a curar uma forte afecção momentânea e os medicamentos "de saúde", resultantes da fitoterapia. O seu papel é propor tratamentos para manutenção da saúde, cuja acção mais suave ajudará a prevenir as doenças e a tratar os problemas crónicos, tais como, a artrose ou insónia, por exemplo. Assim, a fitoterapia age em profundidade, sem agredir o organismo e estimulando as defesas mais do que se substituir a elas. O resultado é uma acção eficaz, duradoura e sobretudo desprovida de efeitos secundários. A eficácia dos medicamentos de fitoterapia assenta antes de mais na escolha das plantas que entram na sua composição e sobretudo em saber escolher com a maior precisão qual a parte mais activa da planta. Na parte activa da planta encontram-se substâncias em quantidades muito baixas que conferem as propriedades terapêuticas. É necessário fazer a extracção destas substâncias e concentrá-las com vista a obter o efeito terapêutico desejado.


HOMEOPATIA

A

palavra homeopatia vem das palavras gregas homos, que significa “semelhante”, e pathos, que significa “sofrimento”. Baseia-se na crença de “o igual cura o igual” – por outras palavras, que as próprias substâncias que provocam os sintomas de uma doença podem, quando altamente diluídas, trata-la. A homeopatia é um dos modos de tratamento mais difundidos pelo mundo. Esta baseia-se em dois princípios; o da similitude que diz que para curar uma doença, é necessário dar ao doente um remédio que, quando administrado num indivíduo saudável lhe provocaria os sintomas dessa doença. E o principio da diluição infinitesimal que diz que quanto mais diluída for a substância maior eficácia tem. As doses usadas são tão baixas que há quem diga que já não existe qualquer partícula dessa substância no medicamento final mas o que se verifica é que ele mesmo assim é eficaz e a atestar isso está a forte expansão e reconhecimento que homeopatia está a ter em todo o lado.


Seja como for a homeopatia baseia-se no facto de que basta mostrar ao corpo uma determinada substância para estimular nele as suas defesas contra essa doença sendo assim ideal para todas as pessoas que não se querem sujeitar à tomada de medicamentos farmacêuticos ou que não os podem tomar devido aos seus efeitos colaterais. APLICAÇÕES Os remédios homeopáticos são receitados de acordo com os sintomas individuais. As diluições de substâncias que induzem esses sintomas são então utilizadas para tratar a doença. Tal significa que o remédio que pode criar sintomas semelhantes a uma doença numa pessoa saudável curará essa mesma doença numa pessoa. Por exemplo, o rhus toxicodendron um remédio feito de sumagre-venenoso, é usado para tratar a alergia provocada pelo contacto com essa planta. Quando são tratados homeopaticamente, os doentes podem ficar piores antes de melhorarem, um fenómeno chamado “a crise da cura”. A crise da cura é considerada um bom sinal, pois indica que o remédio escolhido para lutar contra a doença estimulou adequadamente as forças curativas do organismo. A homeopatia ajuda a prevenir e a tratar:

Gripe; Alergias respiratórias;

Artrite reumatóide;

Diarreia;

Osteoartrite;

Dor torácica;

Fibromialgia;

Síndroma da fadiga crónica;

Efeitos secundários das terapêuticas oncológicas;

Dermatite seboreica;

Luxações;

Efeitos secundários de hemodiálise;

Traumatismo craniano moderado.


MEDICINA ORTOMOLECULAR

A

Medicina Ortomolecular cura os desequilíbrios químicos no organismo. Os tratamentos ortomoleculares procuram a restauração dos níveis de vitaminas e minerais considerados essenciais a um organismo saudável.

O equilíbrio químico obtém-se através do uso de substâncias e elementos naturais, sejam vitaminas, minerais, e/ou aminoácidos. Estes elementos, além de proporcionarem um reequilíbrio bioquímico, combatem os radicais livres. O Homem está a ser permanentemente submetido a condições que levam ao excesso de radicais livres como, por exemplo, o stress, o fumo, a poluição, exposições prolongadas ao sol, entre outras. A Medicina Ortomolecular, através do uso de vitaminas e minerais, objectiva, entre outros, neutralizar os efeitos tóxicos destas espécies reactivas, proporcionando uma melhor qualidade de vida.


A Medicina Ortomolecular também trata das deficiências de uma série de nutrientes. Sabe-se, por exemplo, que um fumador gasta 25 mg de vitamina C em cada cigarro consumido. Caso esta pessoa fume um maço por dia, perderá 500 mg desta vitamina diariamente. E, hoje em dia, sabemos os inúmeros benefícios que esta vitamina proporciona, seja no combate a radicais livres, na síntese de hormonas, ou mesmo estimulando o sistema imunológico. Todavia, apesar da medicina ortomolecular ter uma função curativa, ela também é eminentemente preventiva. Com esta visão global, qualquer tratamento torna-se muito mais vantajoso, pois encontra a origem dos problemas, a verdadeira raiz a partir da qual todo o processo patológico se desenvolve. É fundamental saber que a Medicina Ortomolecular através dos seus componentes pode ser adquirida em qualquer farmácia tradicional e sem prescrição médica, mais o ideal é que se consulte um médico para não causar hipervitaminose no organismo.


OSTEOPATIA

É

uma ciência terapêutica baseada na biomecânica do corpo. A osteopatia deriva das palavras gregas osteon (osso) e pathos (doença). A osteopatia actua pelo tratamento manual e natural, uma vez que o corpo possui uma capacidade de cura e reequilíbrio. A função do osteopata é tratar, através das mãos, as disfunções somáticas e estruturais do corpo. A osteopatia é um meio para reencontrar uma postura adequada e movimentos sem dor. Ajustando o equilíbrio interno e eliminando tensões, visa uma harmonia holística do corpo, proporcionando bem-estar. Actua na prevenção de vários distúrbios, sendo ainda eficaz como complemento a práticas psicológicas e médicas. Tem como função restaurar o equilíbrio da mobilidade sem dor, uma vez que o movimento é a base de todo o funcionamento do nosso corpo. Inúmeros atletas de alto nível de competição beneficiam com o tratamento osteopático para se manterem na melhor forma possível (tenistas, bailarinos, jogadores de futebol, maratonistas). As lesões prejudicam a precisão necessária dos gestos técnicos, diminuem a performance e podem criar lesões mais graves a longo prazo. Tratar as cadeias musculares e normalizar as funções articulares permite restaurar a harmonia e eficácia no desporto. São notáveis as disfunções mecânicas no meio do desporto e da dança, distensões musculares e bloqueios vertebrais que são tratados pela osteopatia.


PILATES & YOGA

Pilates e Yoga partem das mesmas estratégias para desenvolver, tonificar e fortalecer os músculos do corpo inteiro - como os braços, pernas, abdómen e costas - usando a própria resistência do corpo. Em comparação com as posturas do Yoga, as posições do Pilates são muito semelhantes, mas existem algumas diferenças profundas. Yoga é uma prática antiga que foi originalmente praticada no norte da Índia há 5.000 anos. Pilates foi inspirado no Yoga antigo há cerca de 80 anos atrás por Joseph Pilates, um atleta alemão. O método Pilates é um sistema complicado de eficaz, mas suave, condicionamento de todo o corpo e exercícios correctivos. O Pilates começou por ser praticado por bailarinos e ganhou atenção em massa nos últimos anos por modelar o corpo. Yoga é um estilo de vida, em vez de simplesmente um exercício, conhecido como o caminho para o bem-estar físico e mental. Inclui tudo, desde as posturas físicas e dieta saudável até ao relaxamento, meditação e habilidades de respiração. O Pilates concentra-se principalmente no cultivo de força intensa no corpo e alongamento da coluna. Além disso, é uma ferramenta valiosa para aumentar a força, definição muscular e postura adequada. O Yoga visa trabalhar o corpo de forma igual e


unir o corpo com a mente e o espírito. É muitas vezes considerado uma terapia, quando comparado ao Pilates, pois ajuda as pessoas a encontrar harmonia e liberar o stress. Respiração e concentração são fundamentais para ambas as práticas, no entanto o Yoga emprega a respiração a um nível mais profundo. A ligeira diferença entre eles é que o Pilates instrui a inspirar pelo nariz e expirar pela boca, enquanto que no Yoga, é ensinado a inspirar e expirar só pelo nariz. O Yoga apresenta muitos estilos diferentes, mas no geral todos são realizados com a utilização de um tapete de ioga e com o auxílio de um instrutor. O Pilates também trabalha na mesma base, mas incorpora o trabalho em máquinas.


REFLEXOLOGIA

A

s origens da Reflexologia remontam à Antiguidade, quando as terapias de pressão eram reconhecidas como uma forma de medicina preventiva e terapêutica.

A Reflexologia não deve ser confundida com a massagem básica dos pés ou com massagem de corpo de maneira geral – é uma técnica específica de pressão que actua em pontos reflexos precisos dos pés com base na premissa de que as áreas reflexas dos pés correspondem a todas as partes do corpo. A reflexologia é uma arte suave, uma ciência e um método muito eficaz de tratamento. É uma técnica curativa holística, procura tratar o indivíduo como uma entidade constituída de corpo, mente e espírito. A pressão é aplicada nas áreas reflexas dos pés com os dedos das mãos e usando técnicas específicas. Este procedimento provoca mudanças fisiológicas no corpo na medida em que o próprio potencial de cura do organismo é estimulado. Desta forma, os pés podem desempenhar um papel importantíssimo na conquista e manutenção de uma boa saúde.


CONCLUSÃO Ao longo de todo o ano lectivo o grupo Saúde ao Natural veio a desenvolver este projecto dando a conhecer à comunidade, por meio de várias actividades, um conjunto de terapias relativas à Medicina Alternativa, para este efeito foi necessária uma pesquisa contínua no decorrer do projecto. O grupo procurou informação, referente às várias terapias, por diversas formas, uma delas, por exemplo, através das entrevistas que foram realizadas aos profissionais que colaboraram com o projecto. Este livro em formato digital é, portanto, o resultado de todo o conhecimento adquirido no desenvolvimento deste trabalho, e tem como objectivo informar, um pouco mais, qualquer pessoa que o queira consultar, sobre cada terapia abordada, deixando clara a mensagem de que a Medicina Alternativa é uma boa opção e/ou complemento da Medicina Tradicional e tem como propósito proporcionar a quem a procura “Saúde ao Natural!”. Desta forma o grupo deixa uma mensagem importante:

Cuide de si!


Um projecto de: Daniel Dias Helena Meireles InĂŞs Grazina InĂŞs Nobre Sara Mocho

Medicina Alternativa - Saúde ao Natural  

Área de Projecto 12.º ano