Page 1

Escola Básica 2/3 Pedro Eanes Lobato Trabalho para as disciplinas de Ciências da Natureza e Matemática Docentes: Jane Pesca e Antónia Pires

Sara Letícia Preto Gomes, nº26, 5ºE


Escola Básica 2/3 Pedro Eanes Lobato Animais em vias de extinção Designam-se por espécies em vias de extinção aquelas cujo número é muito reduzido, com iminente perigo de desaparecerem se não forem protegidas. O maior responsável por este fenómeno é o homem! Isso acontece desde há cerca de trezentos anos. O desaparecimento das espécies ocorre devido a interesses económicos, à poluição e ao crescimento humano. Há mais de 16 mil espécies em extinção. Em dois anos, 53 novas espécies ficaram em vias de extinção. O urso polar, o hipopótamo e a raia passaram a figurar na lista dos animais que podem desaparecer, devido ao aquecimento global e à caça excessiva. Muitos dos animais que estão em vias de extinção habitam em território português, como é o caso da cegonha. Ao contrário da cegonha-branca, a sua parente mais próxima, a cegonha-preta é rara no nosso País. Habita em regiões com muitas árvores, normalmente junto a lagos, rios e terras pantanosas. As principais causas de declínio apontadas para esta espécie passam pela construção de infra-estruturas hidráulicas, fogos florestais, contaminação das águas, perturbação por actividades recreativas, colisão e electrocussão em linhas eléctricas e abate a tiro. Por vezes, também morrem em períodos de seca extrema. É urgente proteger estes animais, podemos fazer campanhas de sensibilização e informação do perigo de extinção destas espécies e simultaneamente ajudar as entidades competentes na preservação das mesmas.

Os Animais são nossos amigos…

Sara Letícia Preto Gomes, nº26, 5ºE


Escola Básica 2/3 Pedro Eanes Lobato A Cegonha Branca Nome científico: ciconia ciconia Habitat: Campos abertos, margens de lagos e lagoas, zonas pantanosas, prados húmidos, várzeas, cidades, pântanos e pastagens.

Alimentação: comem rãs, cigarras, cobras, insectos, minhocas e peixes.

Distribuição geográfica: Em tempos, a cegonha-branca nidificava por toda a Europa continental, mas a espécie começou a diminuir. Actualmente, na Península Ibérica a população está a aumentar, podendo-se mesmo observar certos casais de cegonhas vivendo o ano inteiro nessa região, nomeadamente em Portugal. Inverna na África via Gibraltar e Bósforo. Podendo observar-se por todo o Distrito de Portalegre e Évora.

Características: De temperamento hostil, ataca qualquer outro

animal, que lhe invada o território. √ Possuí um sentido de direcção excelente. √ Com cerca de 1,5 metros de altura, tem pernas e pescoços longos. √ São, principalmente, brancas e costumam ter pernas e bicos vermelhos. √ Os casais permanecem unidos por longos anos.

Sara Letícia Preto Gomes, nº26, 5ºE


Escola Básica 2/3 Pedro Eanes Lobato Reprodução: Os filhotes saem da casca na Primavera e quando chove a cegonha abre as asas para protegê-los. Põe cerca de 3 a 5 ovos, a sua encubação é de 20 a 30 dias, as crias são indefesas e penugentas.

Espécies semelhantes: Há uma espécie muito semelhante, a cegonha-

-preta, cuja população se encontra ameaçada.

A Cegonha Branca: Resumo A cegonha branca é uma ave de elevado porte, cuja esperança média de vida ultrapassa os vinte anos de idade. Apresenta um dimorfismo sexual ligeiro, ou seja, tanto macho como a fêmea apresentam a mesma coloração e possuem o mesmo tamanho. A plumagem geral é de coloração branca, contudo as asas e as coberturas primárias e secundárias são pretas. As patas, pernas e bico apresentam uma coloração vermelha. Esta espécie utiliza diversos habitats tais como as pastagens naturais, planícies, montados, e regiões húmidas como pântanos, arrozais, sapas, charcas e pequenas ribeiras. Para além destes locais, os indivíduos desta espécie constroem facilmente os ninhos em locais altos e desafogados, tais como torres de igrejas, postes eléctricos, chaminés, árvores ou escarpas de rochas. A cegonha branca distribui-se pela Europa Continental, Médio Oriente, Norte de África e África do Sul. Apresentam uma vasta distribuição no nosso País, podendo ser observadas nos Distritos de Bragança e Vila Real. Eu própria, já as vi na aldeia dos meus avós, que situa a dez quilómetros de Bragança. Também se podem ver em Aveiro, Coimbra, Leiria, Guarda e Castelo Branco, na região de Lisboa e Vale do Tejo (Portalegre, Évora, Beja e Setúbal) e em vários concelhos da região do Algarve, mais precisamente no parque natural da Ria Formosa. Esta ave apresenta uma dieta muito variada, podendo alimentar-se de rãs, peixes, lagartos, pequenas aves e mamíferos. Desempenham um papel

Sara Letícia Preto Gomes, nº26, 5ºE


Escola Básica 2/3 Pedro Eanes Lobato muito importante ao nível do controlo de pragas de insectos, tais como gafanhotos. Em Portugal, a cegonha-branca depende do cereal de sequeiro e de campos de cultivo de arroz, que utiliza como áreas de alimentação. Mas, temos assistido a uma diminuição dessas áreas de sequeiro e pastoreio e aumento do regadio nos solos mais produtivos, à florestação ou mesmo abandono dos solos menos produtivos. Recentemente as mais de três centenas de lixeiras a céu aberto foram encerradas, tendo sido substituídas por aterros sanitários. Algumas das lixeiras serviam de local de alimentação para as cegonhas. A colisão e electrocussão em estruturas da rede de

distribuição e transporte de energia eléctrica, deverão ser as principais causas de mortalidade de cegonhas-brancas em Portugal.

Apesar destes factores, a população das cegonhas tem vindo a recuperar, não se sabe bem ao certo porquê, mas é provável que a introdução de Lagostim e a adaptação relativamente recente à procura de alimento em lixeiras e aterros sanitários, tenham permitido que muitos casais permaneçam todo o ano, evitando mortalidades elevadas ligadas à migração e aos quartéis de invernada africanos. Esta espécie não se encontra ameaçada, até porque se trata de uma ave bem aceite pelo homem. Em algumas regiões até se acredita que as cegonhas trazem sorte e prosperidade. É uma espécie protegida, mas não ameaçada. A cegonha-branca é um animal associado a mitos e lendas, um pouco por todo o mundo. Em quase toda a Europa simboliza a prosperidade, felicidade e boa sorte, associada à chegada de um filho. Já na Ásia, é considerada um animal que ensina ao Homem o caminho para uma vida de santidade.

A Cegonha Preta Contudo, a sua parente mais próxima, a cegonha preta corre perigo. Eis um breve resumo sobre a cegonha preta. Nome vulgar: Cegonha-preta Nome Científico: Ciconia Nigra Características: tem uma plumagem branca no ventre e negra com reflexos metálicos no dorso, na cauda, cabeça e pescoço. O bico e as patas são de cor vermelha viva no adulto, são esverdeados e bastante mais claros nos juvenis. A plumagem escura e metálica pode, por vezes, reflectir a luz do sol, fazendo-a parecer clara, quando vista de longe.

Sara Letícia Preto Gomes, nº26, 5ºE


Escola Básica 2/3 Pedro Eanes Lobato Habitat: habita em regiões com muitas árvores, normalmente junto a lagos, rios e terras pantanosas cercadas de árvores. Em Portugal vive apenas nas regiões mais interiores e isoladas. Os rios Douro, Tejo e Guadiana oferecem-lhe condições privilegiadas, sobretudo devido à fraca perturbação humana que aí se regista e à abundância de locais de nidificação.

Alimentação: alimenta-se quase exclusivamente em zonas ribeirinhas,

sendo raramente observadas em terrenos áridos. A sua alimentação inclui uma maior percentagem de peixe e outros seres aquáticos, que a cegonha branca. O seu regime alimentar faz com que estas aves sejam úteis à agricultura porque comem muitos insectos. A base da sua alimentação, no

entanto, são os crustáceos, anfíbios e pequenos peixes.

Reprodução: chega da migração em Março e inicia imediatamente a época da nidificação. Regressa a África no fim do Verão. A incubação dura entre 38 a 42 dias.

Por que razão está em vias de extinção: O homem na sua grande

ambição vai destruindo o seu habitat natural, havendo ainda a salientar o facto de os agricultores utilizarem muitos químicos nas suas culturas e, por isso, a cegonha está a ser envenenada.

Sara Letícia Preto Gomes, nº26, 5ºE


Escola Básica 2/3 Pedro Eanes Lobato A cegonha-preta é uma espécie migratória, rara no nosso País. É um pouco mais pequena que a cegonha branca, mede cerca de 97cm de comprimento e 190cm de envergadura. A plumagem é negra na cabeça, pescoço, dorso e asas, possuindo um brilho metálico verde-dourado, púrpura em determinadas condições de luminosidade. A barriga é branca, as patas e os bicos são vermelhos. Esta espécie captura essencialmente peixes, anfíbios e insectos, mas também pequenos vertebrados como ratos e répteis. A cegonha preta prefere florestas espontâneas de folha caduca e mistas, nas quais encontra ribeiros, rios e prados, ricos em alimento. Tem igualmente preferência por penhascos, habitualmente fragas, junto a rios. Encontra-se no nosso País no interior, do Norte ao Sul do País, preferindo as bacias dos rios Douro, Tejo e Guadiana.

A destruição e degradação do habitat e a perturbação humana, nas áreas de nidificação, são factores de ameaça. O abate ilegal de aves, nas áreas d migração, a mortalidade devido à colisão com postes e linhas de alta tensão e a contaminação por pesticidas, também contribuem para o desaparecimento progressivo da cegonha-preta, classificada como ameaçada. Esta ave faz parte das convenções de Berna, Cites e Bona e na Directiva Aves.

Sara Letícia Preto Gomes, nº26, 5ºE


Escola Básica 2/3 Pedro Eanes Lobato

É uma ave tímida e recatada, não tolera a proximidade do homem. Dificilmente ouvida dado o seu carácter tímido. O ruído produzido com o bico é menos forte e frequente que na cegonha-branca. Em meados do mês de Março, as cegonhas-pretas iniciam a sua complexa cerimónia nupcial, em tudo diferente das suas congéneres cegonhas-brancas. A parada envolve voos nupciais e singulares movimentações ondulantes do pescoço. Ocupam os ninhos dos anos anteriores. O casal constrói o ninho de grandes dimensões, com galhos e folhas amolgadas com terra, no alto de uma árvore ou, mais frequentemente, num cornicho de uma falésia, nas imediações de água. A fêmea põe 3 a 5 ovos. A incubação é assegurada pelos dois progenitores e dura entre 38 a 42 dias. Após a eclosão dos ovos, ambos alimentam as crias no ninho, este é abandonado após 65 a 70 dias. A cegonha-preta atinge a maturidade sexual por volta dos 3 anos de idade.

Sara Letícia Preto Gomes, nº26, 5ºE


Escola Básica 2/3 Pedro Eanes Lobato

A conservação dos habitats é mais que essencial para esta espécie, uma vez que a cegonha-preta não costuma adaptar-se bem a novos meios e com o aquecimento global, a conservação desses habitats torna-se ainda mais complicado.

A cegonha preta foi escolhida como ave do ano 2010, pela Sociedade Portuguesa, para o estudo das aves (Spea). Será através dela que a associação vai alertar para o declínio da biodiversidade em Portugal. Esta espécie rara e muito sensível à perturbação humana vai ser o símbolo de uma campanha da Spea ligada ao Ano Internacional da Biodiversidade 2010. “A Associação lembra que a cegonha-preta pode ser observada a partir de finais de Fevereiro até Setembro, mas é mais facilmente avistada nas suas concentrações de final de Verão antes da migração. Os melhores locais para observar esta espécie são em Trás-os-Montes, mais precisamente o Parque Natural do Douro Internacional e Miranda do Douro; na Beira Interior, no Parque Natural do Tejo Internacional e nas Portas de Ródão; no Alentejo, em Barrancos e Marvão; e no Algarve, durante a migração pós-nupcial, em Sagres.

Sara Letícia Preto Gomes, nº26, 5ºE


Escola Básica 2/3 Pedro Eanes Lobato Após a sua estadia em Portugal, a ave migra para África, onde passa o Inverno. A espécie está classificada como Vulnerável pelo Livro Vermelho dos Vertebrados de Portugal, enfrentando o risco de extinção a médio prazo. “A maior ameaça à sua sobrevivência é a perturbação humana, especialmente devido às actividades de recreio e de turismo em áreas de nidificação. A colisão com linhas eléctricas, a florestação com espécies exóticas e a poluição dos rios e ribeiras são também ameaças consideráveis”, segundo a Spea. A associação defende que a protecção da espécie deverá passar pelo “ordenamento e gestão dos grandes corpos de água do interior do país”, além de ser necessárias “uma monitorização e um controle eficiente da poluição nos rios e ribeiras e a promoção de práticas agro-florestais que favoreçam a biodiversidade. Segundo Luís Costa, director executivo da Spea, 2010 deve ser um ano de reflexão para todos nós, de modo a analisar o que foi alcançado até à data e a focar-nos nos desafios para um futuro mais verde. O Homem está a causar a perda da diversidade de plantas e animais a um ritmo alarmante e estes danos são cada vez mais irreparáveis, limitando a qualidade de vida e as opções das gerações futuras. 2010 mais do que um ano para sensibilizar, é um ano para agir. Todos os pequenos gestos serão importantes”.

Sara Letícia Preto Gomes, nº26, 5ºE


Escola Básica 2/3 Pedro Eanes Lobato Websites consultados: http://www.maisnatureza.com/animais/aves/cegonha-preta/ http://naturlink.sapo.pt/article.aspx?menuid=55&cid=7850&bl=1 http://ecosfera.publico.clix.pt/noticia.aspx?id=1419051 http://static.publico.clix.pt/cegonhasnaweb/default.aspx

Sara Letícia Preto Gomes, nº26, 5ºE

A Cegonha!  

livro educativo

Read more
Read more
Similar to
Popular now
Just for you