Page 1

ANO 2 - Nº 20 - MENSAL SÁBADO, 04 DE DEZEMBRO DE 2010

O Natal na sua mais pura essência Santuário Santa Rita de Extrema recebeu decoração especial neste Natal

Estamos no tempo do advento! A espera daquele que está para chegar que é uma pessoa importante na história, que se chama Jesus Cristo, o Senhor da história. A Ele pertence o tempo e a eternidade! A Ele pertence a nossa vida! (Pág. 02)

Proclamas de Casamento do mês de dezembro (Pág. 03)

Dia da Festa de Cristo Rei - Dia do Leigo (Pág. 05)

Capela de São Brás Bairros dos Tenentes - Furnas (Pág. 09)


2

Extrema, 04 de dezembro de 2010

OPINIÃO

O SANTUÁRIO EM SUAS MÃOS

O Natal na sua mais pura essência Chega dezembro! Chega a correria de final de ano! Será por causa do Natal? Será por causa do dia 31 de janeiro, o último do ano? Será por causa das férias de verão? Ou... Ou por nada? Quem sabe o motivo pelo qual cada um entra nesta corrida... Na verdade existe uma “cultura do corre-corre” que não será pelo verdadeiro sentido do Natal cristão, pois ele tem uma proposta diferente na sua preparação. Estamos no tempo do advento! A espera daquele que está para chegar que é uma pessoa importante na história, que se chama Jesus Cristo, o Senhor da história. A Ele pertence o tempo e a eternidade! A Ele pertence a nossa vida! Mesmo correndo muito e buscando muito, nada nos pertencerá.

Mas, se todos se preparam para tudo, porque não se preparar para o que é verdadeiro e eterno? Preparar para este encontro é crescer na busca da solidariedade, da fraternidade que constroem a justiça, o amor e a paz. O Natal nos firma uma certeza: o Senhor veio a nós! Vem e conosco faz caminho! E Ele voltará! E neste caminhar se constrói a comunhão! Pois é neste que encontro que situa o sentido de nossa vida, pois caminhamos e querendo ou não, vamos para o nosso encontro definitivo com Ele. Caminhar é não ser hoje o mesmo de ontem! É crescer na vida de comunhão com os irmãos motivados pela Palavra de Deus! É vivenciando esta Palavra pelos

sacramentos da Igreja, na fé que nos convoca e nos reúne em Comunidade. É criar um ambiente de entendimento, compreensão fundamentada na caridade, na construção da civilização do amor. Mas o tempo para rever a vida, para celebrar os sacramentos a “cultura do corre-corre” não permite, não dá espaço e o vazio toma conta de tudo e de todos, porque o tempo é lucro no conceito do mundo do consumo. Na vida tudo é imediato e descartável, no conceito dos que não crêem, ou fingem não crer que haverá o momento final desta vida, onde haverá um juízo do Senhor sobre a história de cada um de nós, quando, então, ficará claro o que serviu e o que não serviu o que teve valor ante os olhos de

Deus e o que não passou de ilusão e de falsidade. O Natal vem para nos lembrar também, que a nossa vida caminha para esse momento final, o mais importante de todo o caminho de nossa existência. Corre-se sem saber para onde correr! Corre-se sem pensar! A sociedade atual corre e sem saber mais para que, e não se importa com o que é essencial. A vida perde o seu sentido verdadeiro porque a sociedade não crê mais em Deus. E o Natal virou a festa do consumo para a maioria das pessoas. É preciso resgatar o seu verdadeiro sentido da Festa do nascimento do Salvador. Da Festa cristã na família. E não um Natal onde impera o paganismo de uma ausência profunda de Deus quer na família ou na sociedade.

Desconcerto que concerta Muitas vezes, camuflamos nossos verdadeiros sentimentos, por medo de nos mostrar como somos, de ser humilhado ou de aparentar fraqueza. Nesse caso, é mais fácil odiar do que amar. Odiar é também uma forma de amar. Diferente, mas é. É que o coração humano nem sempre consegue identificar o sentimento que o move. É claro que existem situações em que o ódio é ódio mesmo, mas, em outras, não. Você já deve ter experimentado isso que estou dizendo. Sobretudo no momento em que foi traído, enganado e até mesmo abandonado. O sentimento foi de revolta e, nela, o amor, muda de cor, configura-se diferente. É a mesma coisa que acontece com os animais que se camuflam para sobreviverem às ameaças dos inimigos. O camaleão é sempre camaleão, mesmo que não possamos identificá-lo no seu disfarce. Da mesma forma fazemos nós. Quando temos o nosso amor traído, ameaçado pelo descaso do outro, nós nos revestimos de ódio e ressentimentos. Mas a fonte é sempre o amor. Ele é o referencial de onde parte a nossa reação. Nem sempre temos coragem de assumir isso. A traição nos trava para a misericórdia. E, então, sentimos necessidade de devolver a ofensa com a mesma moeda. Por isso, dizemos que odiamos. Mas só o dizemos, porque o que nos falta é coragem para

dizer que amamos. Camuflamos e infelizes Camuflar é o recurso que usamos com o objetivo de nos justificar diante dos outros. É uma forma que temos de nos sentir menos humilhados. Não raras vezes, dizer que temos ódio é uma maneira de tentar dar a volta por cima. Estranho isso, mas acontece. Talvez seja por isso que as pessoas andam tão distantes dos seus verdadeiros sentimentos. Tememos a fraqueza. Tememos que o outro nos flagre no sofrimento que a gratuidade do amor nos trouxe. Preferimos assumir uma postura marcada pela agressividade a outra que nos mostrasse em nossa fragilidade. Nos dias de hoje, cada vez mais, acentua-se a necessidade

de ser forte. Mas não há uma fórmula mágica que nos faça chegar à força sem que antes tenhamos provado a fraqueza. E amar é experimentar a fraqueza. É provar o doloroso campo da necessidade, da carência e da fragilidade. Amar é uma forma de depender, de carecer e de implorar. É uma forma de preenchimento de lacunas, visto que o amor é a melhor forma de complementar os espaços. Admirável desconcerto Quem ama sabe disso. Quem é amado, também. A gratuidade do amor consiste nisso. Amar quando o outro não merece ser amado. Surpresa maior não há. Ser abraçado no momento em que sabemos não merecer ser perdoados. O amor verdadeiro desconcerta. O perdão e a reconciliação

são prova disso. Somente depois de dizermos infinitas vezes “Eu te perdôo”, é que temos o direito de dizer “Eu te amo”. Porque, antes do perdão, o que existe é admiração. Esse último sentimento não é o mesmo que amar. Só amamos aqueles a quem perdoamos. E, geralmente, só odiamos aos que amamos, caso contrário seríamos indiferentes. Pena que tem sido cada vez mais difícil declarar amor no momento em que o outro não merece. Não temos coragem de tomar essa atitude, porque ela é chamada de fraqueza, coração mole. E, por medo de sermos vistos assim, camuflamos o amor com as roupas do ódio. Perdemos a oportunidade de atualizar a gratuidade do amor de Deus na precariedade do amor humano e de surpreender o outro com nosso gesto já transformado pela graça divina. Na sua vida, não tenha medo de ser fraco, já que a fraqueza representa capacidade de amar. Quando o outro, pelas mais diversas razões esperar seu ódio, surpreenda-o com seu amor. Desconcerte-o e, assim, você ajudará a consertar o mundo. Alexandre Acácio Nogueira Assessor Pastoral

Que o Natal não seja um marketing comercial, mas, seja um momento de congraçamento dos homens com Deus, pois de Deus com os homens já aconteceu com a encarnação de Seu Filho amado, cujo nome é Jesus Cristo. O que você está esperando?


4

Extrema, 04 de dezembro de 2010

COTIDIANO

O SANTUÁRIO EM SUAS MÃOS

Novembro... 11º mês do nosso calendário... Dia de Todos os Santos, finado! Termina o tempo Comum... Inicia o tempo do Advento... É hora de reflexão... Advento - “chegar a”, “chegada”. É o primeiro tempo do Ano Litúrgico que antecede o Natal. Para nós cristãos, é um tempo de alegria e preparação, de ansiedade, de expectativas para o nascimento do Menino Jesus. É tempo de espera e Esperança “É hora de preparação para o Natal... Cristo Rei... Ação de Graças... Aniversário do Padre Márcio... Final de Ano letivo... Consciência Negra... Proclamação da República... Mês de Novembro...

Foram batizados em nossa comunidade paroquial: Gustavo Henrique da Silva Pai: Gabriel Spomberg Mãe: Rafaela da Silva Sousa Sofia Godofredo da Silva Pai: Lourival Pedro da Silva Mãe: Patricia Gonçalves Godofredo Muryllo Myguel Pereira Magalhães Pai: Dailson Ferreira Magalhães Mãe: Selma de Fátima Pereira Miranda Otávio Silva Morais Pai: Clayton Aparecido de Morais Mãe: Nair Souza Silva Morais João Gabriel Barros da Silva Pai: Bruno Giovani Amancio da Silva Mãe: Ana Paula de Barros Souza Ana Clara Lopes Pradela Vieira Pai: Fernando Pradela Vieira Mãe: Raquel Lopes da Silva Luan Henrique da Silva Pai: Gilvan Inácio da Silva Mãe: Ednéa da Silva Isabelle de Morais Silva Pai: Tiago Ribeiro da Silva Mãe: Bruna da Silva Morais Estas famílias são convidadas a ser sempre presença na comunidade, para que possam assumir o compromisso do batismo de seus filhos. Cebraram o jubileu matrimonial Mário Ap. de Oliveira e Zélia Pinto de Oliveira Adriane e Cleiton Novos casais que assumiram a vida matrimonial Jerferson Ferraresi e Rita de Cássia Dias da Rocha

Denílson de Paula Silva e Aparecida Gonçalves Sabino Leandro Dias Onisto e Luciana Juliani Cristian Kleber Soares Ferreira e Viviane Paula de Morais Jair Paula da Costa e Jacira Oliveira da Costa Fernando Andrade de Oliveira e Cheila Ribeiro Alexandre de Oliveira e Mariana Moreira de Brito André Siqueira Morais e Lídia Cândida Matias. Os nossos votos de contínua perseverança na vida sacramental do matrimônio aos casais jubilandos e aos novos casais. +++++++++++++++++++++ As famílias enlutadas pelos falecidos que celebramos o seu 7º dia. Maria do Carmo Pereira Cesar Joana Mendes de Oliveira Santos Renovamos as nossas condolências +++++++++++++++++++++ - Dia 22 Novena de Santa Rita e Aniversário natalício do Padre Márcio. - Às 19 h celebramos a Eucaristia e a já tradicional novena de todos os dias 22, novena Perpétua de Santa Rita. Envolta à mesa eucarística que nos reuniu em ação de graças a Deus nos unimos com Padre Márcio na gratidão ao Deus criador pelo dom da sua vida. E após a celebração os amigos o convidaram para uma roda de pizza e para partir bolo, que foi um momento cheio de alegria e de descontração. Parabéns Padre Márcio você é nosso irmão, amigo e Pastor.

VAI ACONTECER EM DEZEMBRO E VOCÊ PRECISA SABER As celebrações no tempo do advento no Santuário, nas comunidades urbanas e rurais (veja calendário). E ainda nas comunidades e famílias a Novena em preparação para o Natal. (Procure se informar na sua comunidade e na sua rua e participe em família da novena, preparando para o Natal de Cristo) - DIA 1 e 15 – ENCONTRO DE FORMAÇÃO MESCE - DIA 4 – RETIRO PARA CATEQUISTAS EM CAMBUÍ - DIA 4 - FESTA DA IMACULADA CONCEIÇÃO – GODOY - Dia 05 – Caminhada dos Peregrinos de Maria até a Comunidade

do Bairro do Godoy. - DIAS 7/14 E 21 - 19h30 - SALÃO PAROQUIAL OS ENSAIO DOS CANTOS PARA A SOLENE CELEBRAÇÃO DO NATAL DO PROJETO MUSICALIZAÇÃO DO SANTUÁRIO - DIA 9 – NA CATEDRAL EM POUSO ALEGRE ORDENAÇÃO DOS 7 NOVOS DIACONOS DA ARQUIDIOCESE ENTRE ELES O ALEXANDRE DE EXTREMA. VOCÊ É CONVIDADO DO ALEXANDRE! PARTICIPE ÁS 19H EM POUSO ALEGRE - DIA 10 - 16H MISSA PARA OS ENFERMOS NO SANTUÁRIO - DIA 18 - NO SANTUÁRIO DE SANTA RITA DE EXTREMA NA CELEBRAÇÃO DAS 19H 72 LEIGOS E LEI-

GAS DE NOSSA PARÓQUIA SERÃO INSTITUÍDOS EM NOME DA IGREJA PARA O MINISTÉRIO EXTRAÓRDINÁRIO DA SAGRADA COMUNHÃO EUCARÍSTICA - DIA 22 - 19H CELEBRAÇÃO EUCARÍSTICA E NOVENA PERPÉTUA DE SANTA RITA - DIA 24 NATAL – ÁS 24 HORAS SOLENE CELEBRAÇÃO EUCARÍSTICA DE NATAL (VALE A PENA PARTICIPAR DA CELEBRAÇÃO – MISSA DO GALO É A EXPERIÊNCIA MAIS FORTE DE NATAL CRISTÃO) - DIA 31 - ÀS 22H A ÚLTIMA MISSA DO ANO NO SANTUÁRIO SANTA RITA DE EXTREMA


COTIDIANO

O SANTUÁRIO EM SUAS MÃOS

Extrema, 04 de dezembro de 2010

5

De 11 a 14 de novembro bombou a Festa de São Cristóvão e São Benedito Foi boa demais a festa deste ano! Muita gente! As celebrações todas muito participadas nas Igrejas São Cristóvão e Santuário! A Praça “abarrotada” com muito movimento. Muito disputada à gincana dos motoristas, agora a procissão de veículos a maior de todos os tem-

pos, uma hora e quinze minutos de bênção dos veículos em procissão sendo abençoados pelo Padre Reitor do Santuário e pelo Seminarista Ângelo. Foram muitos, mas muitos veículos. Louvor a todos organizadores e colaboradores e de modo especial aos festeiros.

Dia da Festa de Cristo Rei - Dia do Leigo

Transcorreu no dia 21 de novembro, dia de Cristo Rei, o dia consagrado ao leigo comprometido com a Igreja Católica. Tudo começa com o batismo, sacramento que estabelece o vínculo do ser humano com o Criador. Para o cristão leigo o batismo é o ponto de partida. O de chegada ele entrega a Deus. Sua ação consiste em divulgar o Evangelho, para a transformação do mundo. Testemunhado com alegria que o amor não se cansa e tem o poder de transformar. No exercício dessa missão, cabe-lhe partilhar com os

irmãos a palavra de Deus. Assim, abrindo espaços propícios à inserção nos caminhos da fé e da esperança e simbolizando na cruz, dia após dia, seu pacto de amor com Jesus, no seio da sua comunidade religiosa, da escola, do ambiente de trabalho, da família. Não é permitido ao leigo se omitir diante da realidade deste mundo carente dos valores humanos e cristãos. Cumpre-lhe dar sua parcela de ajuda no sue ambiente, sendo apóstolo de Cristo para salvar a sociedade dos terremotos que abalam seu equilíbrio, rompendo os

Equipe da cozinha: Comida gostosa e na hora certa

Para brincar não tem idade, tem alegria do leigo comprometido

limites da moral e do comportamento humano. Somos chamados ao serviço, por misericórdia de Deus. Falhar em nosso compromisso, pois, seria declinar

É hora de lazer e alegria

dessa graça do Senhor, temos a missão de exalar o perfume de Cristo para o mundo tornar-se cada vez mais cristão. A nossa Paróquia reuniu grande parte dos seus

Grupo de Leigos em Sala de Palestra

leigos e leigas os mais engajados na comunhão de vida paroquial para um dia de oração, reflexão e confraternizar no Senhor no encerramento do

ano litúrgico e pastoral. Parabéns a você que ouviu o nosso convite e compareceu!

Lenice, leiga do grupo da Paróquia S.Benedito de Itajubá, presente para partilha de reflexão


6

DIZIMISTA

Extrema, 04 de dezembro de 2010

Prezados Amigos em CRISTO JESUS, que o ESPÍRITO SANTO nos ilumine para sermos FERMENTO, SAL e LUZ na PASTORAL DO DIZIMO! Pelo Batismo nos tornamos filhos adotivos de Deus e membros de sua Igreja. - Assumimos desde então o compromisso de fidelidade a Deus e o dever de prestar-lhe um culto de louvor, estabelecendo-se a dimensão religiosa do nosso ser cristão. - Esse mesmo compromisso de fidelidade a Deus exige de nós o cuidado para com o nosso próximo, pois não é possível amar a Deus a quem não se vê se não amamos ao nosso próximo a quem vemos. É a dimensão fraterna ou social do ser cristão. - Ainda pelo mesmo compromisso de fidelidade a Deus somos convocados a proclamar o Evangelho a todos os povos, na

O SANTUÁRIO EM SUAS MÃOS

Para você Dizimista

dimensão missionária de todo batizado. Que tudo pertence a ELE. Ele é de fato absoluto, o único ABSOLUTO.

DEUS AMA QUEM PARTILHA COM ALEGRIA! O Despertar para a partilha Separar uma parte do que recebemos e levar para a obra do Senhor é costume que tem cerca de quatro mil anos. No Antigo Testamento conhecemos a prática do Dizimo. As pessoas reconheciam a ajuda de Deus em tudo que produziam. Para manifestar sua gratidão, separavam dez de cada cem frutos colhidos ou animais nascidos e entregavam aos sacerdotes. O que levavam era usado na manutenção dos templos e na ajuda às pessoas carentes. Dízimo, sinônimo de devolução Quando você tem nas mãos algo que não lhe pertence, ao

fazer retornar ao dono, você não está pagando, ofertando, nem dando uma esmola. Você está devolvendo. Assim é o Dizimo: DEVOLUÇÃO a Deus, como ação de graças, de uma pequena parcela do muito que DELE recebemos. É aquela parte reservada e consagrada para o trabalho de evangelização e atendimento aos necessitados; enfim, de todas as obras missionárias da Igreja. A casa de Deus é nossa casa Dízimo é o meio pelo qual cada cristão, vivendo como membro da família de Deus, como compromisso mensal regular, demonstra sua co-responsabilidade pela vida e manutenção da Igreja. É a parcela que todo mês devolvemos a Deus, através da Comunidade. Sendo entregue regularmente, possibilita à Comunidade melhor programar suas atividades.

Quanto devo dar de Dízimo em minha Paróquia? Embora a palavra Dízimo signifique a décima parte (dez por cento), São Paulo nos ensina que nossa contribuição não precisa basear-se num percentual rígido; o critério para definir o valor do Dizimo é o impulso de nosso coração. Devemos contribuir com o máximo que o nosso orçamento possa suportar. Assim, quem pode dar 10% não contribua com menos. Quem pode dar 5% não dê 4, quem pode dar 3% não dê 2. “Dê cada um conforme o impulso de seu coração sem tristeza nem constrangimento, pois Deus ama quem dá com alegria (2Cor9,7)”. O nosso Santuário tem como

meio de sustentação o DIZIMO e as OFERTAS . Juntos buscamos cumprir com a missão prioritária da IGREJA: a evangelização de todas as pessoas, apresentando a elas JESUS e seu Evangelho (cf. Mt 28,16-20). Sua contribuição tem sido essencial para que nossa comunidade evangelize através das dimensões da Igreja. Hoje com muita alegria, queremos dizer :” OBRIGADO” por você ser um/uma dizimista consciente... Obrigado por você devolver a Deus, por meio da comunidade, uma parte do que você tem, consciente de que a Pastoral do Dízimo tem feito por este ano, Boas Festas e muitas felicidades.

Aniversariantes - Mês de Dezembro 01 01 02 02 02 02 02 03 03 03 03 04 05 05 05 05 05 06 06 06 06 06 07 07 08 08 08 08

Sebastiana Domingos de Souza Silva Selma Aparecida Cardoso Onisto Tatiane de Faria Nicéia de Lima Morbidelli Carlos Eduardo Fernandes Delvani Rodrigues de Souza Mariano Julia de Oliveira Campos Elizangela Maria Santos Mendes Maria Antônia Lopes Rodriguês José Pedro de Oliveira Maria Erilana Andrade Gomes Ana Rodrigues Fernandez Benedito Andre Morbidelli Eliza Pereira da Silva Oliveira Gerson Goulart Vani de Oliveira Frões Carmelina de Oliveira Olivotti Lázara Maria Camargo Fróis Wanda Mingarelli Terezinha Gilli Souza Lima Vandeli Cristina Ribeiro Iolanda Silva Santos Morais Viviane de Lima Leme Maria da Silva José Inácio Matos Caitano Pedroso da Silva Marcelo Aparecido de Fária Benedita Conceição Matia da Silva

08 09 09 10 10 11 11 11 12 12 12 12 12 12 13 13 13 13 13 13 14 14 14 14 14 15 15 15

Bruna Aparecida de Souza Luz Marcio Acassio Araujo Marcelo Aparecido de Araujo José Maria Lupeti Anésia de Faria Braga Marina Gomes da Silva Macial Gertrudes Alves Borges Alvarino Costa da Silveira Josefina de Lima Cézar Francisca Paulino Zaias Aparecida Mendes Sales Benedita Sebastiana Alvarenga Tereza de Morais Oliveira Vitormilde Magalhães Robson Nascimento Alvim Lazara Alexandre Rosa Luzia Divina Costa Xaviér Wverton de Jesus Monteiro Sônia Aparecida de Azevedo Lima Kauana Rosa Mota Benedita Ruth Frois Arcenio de Andrade Mara Beltrame de Jesus Eliana Felipe Elias Bezerra da Silva Elias José da Silva Raimundo Justino Gomes José Fausto de Silveira

15 16 16 16 17 17 17 18 18 18 19 19 19 20 20 20 21 21 21 21 22 22 22 22 22 22 22 23

Karen Geovana de Moraes Terezinha F. Teodoro Cleide Alves Morbidelli Venina Bertolotti de Azevedo Lázaro Francilino da Silva João Gabelini Netto Elysnéia Prado de Souza Vera Lúcia Machado Terezinha Maria da Rosa Machado Antônio de Oliveira Vinícius Rodrigues de Sousa Francisco de Assis Gonçalves Joana Paula da Costa Flavia Paulicer Natalina Cristina de Moraes Paulicer Quiteria Ana de Lima Silva Jair Paula da Costa José Donizetti Martin Josefina Ximenes Fernandes Maria Duarte Mattos Adriana de Barros Souza Antônio Dutra da Silva Antônio José da Costa Marcos Antônio Fernandes Kátia Jardim Januário Lucas Gabriel S. Mingareli Amanda Rodrigues Pereira Alvarina Silveira Costa

23 24 24 24 24 25 25 25 25 26 26 26 27 27 28 28 28 28 28 28 29 29 29 29 29 30 31

Davina Domingues de Azevedo Pereira Sergio Cires de Melo José Lopes Gonçalves Rosangela Aparecida P. Vaz Jurema Juracy da Silva Marques Paulo Natalino da Silva Jesuita Maria Vieira Eunice Aparecida da Silva Elida Natali Cardoso de Lima Beggiata Terezinha Maria Ferreira Elizabeth Custódio Moreira Marilza Belo Silva Edjane Calvalcante de Araujo Joaquim Francisco Vieira Filho Marta Fernandes Judith de Deus Olivotti Lima Valdeni Gonçalves Evanice de Oliveira Nascimento Souza Eliete Rita Conceição de Lima Almeida Marcos Antônio da Silva Maria Laura Bertoloti Maria Jasmelina da Silva Gomes Rafaela Araújo Garcia Marcos Paulo Dantas Morais Maicon F. de Morais Pereira João Babia do Prado Nelson Agostinho Aparecido

CONVIDAMOS TODOS OS ANIVERSARIANTES DIZIMISTAS PARA A MISSA DE AGRADECIMENTO A DEUS PELO DOM DE SUAS VIDAS, NO DIA 26/12, ÀS 19H NO SANTUÁRIO.


O SANTUÁRIO EM SUAS MÃOS

CALENDÁRIO DEZEMBRO/2010

1. CELEBRAÇÕES MISSAS - Dia 01 às 19h – Comunidade Santíssima Trindade – Bairro Agenor - Dia 01 às 19h – Comunidade São Brás – Bairro Tenentes - Dia 02 às 19h – Santuário - Dia 02 às 19h – Comunidade Nossa Senhora Aparecida – Bairro Juncal - Dia 03 às 19h – Santuário “Campanha do Quilo” - Dia 03 às 19h – Comunidade Imaculada Conceição – Bairro Godoy “Festa” - Dia 04 às 19h – Santuário - Dia 05 às 09h – Santuário - Dia 05 às 11h – Comunidade São Cristóvão - Dia 05 às 16h – Santuário - Dia 05 às 19h - Santuário - Dia 07 às 19h – Comunidade Santo Antônio – Bair-

ro dos Pires - Dia 08 às 19h – Comunidade Santa Cruz – Bairro Barreiro - Dia 09 às 19h – Ordenação Diaconal Alexandre na Catedral em Pouso Alegre - Dia 10 às 16h – Santuário “Enfermos” - Dia 10 às 19h – Comunidade Nossa Senhora Aparecida – Bairro Rodeio - Dia 11 às 19h – Santuário - Dia 11 às 19h – Comunidade Santo Antônio – Bairro Roseira - Dia 12 às 09h – Santuário - Dia 12 às 11h – Comunidade São Cristóvão - Dia 12 às 16h – Santuário - Dia 12 às 19h – Santuário - Dia 14 às 19h – Comunidade São Benedito – Bairro Fronteira - Dia 15 às 19h – Comuni-

dade Santíssima Trindade – Bairro Agenor - Dia 15 às 19h – Comunidade São Sebastião – Bairro Salto de Cima - Dia 16 às 19h – Santuário - Dia 16 às 19h – Comunidade Santa Cruz – Bairro Forjos - Dia 17 às 19h – Comunidade Santo Antônio – Bairro Furnas - Dia 18 às 19h – Santuário “Instituição e Apresentação dos Ministros Extraordinários da Comunhão Eucarística” - Dia 19 às 09h – Santuário - Dia 19 às 11h – Comunidade São Cristóvão - Dia 19 às 16h – Santuário - Dia 19 às 19h – Santuário - Dia 21 às 19h – Comunidade Santa Terezinha do Menino Jesus – Bairro Vila

1. CELEBRAÇÕES MISSAS - Dia 01 às 19h – Santuário “Ano Novo” - Dia 02 às 09h – Santuário - Dia 02 às 11h – Comunidade São Cristóvão - Dia 02 às 16h – Santuário - Dia 02 às 19h – Santuário - Dia 05 às 19h – Comuni-

dade Santíssima Trindade – Bairro Agenor - Dia 06 às 19h – Santuário - Dia 07 às 19h – Santuário “Campanha do Quilo” - Dia 08 às 19h – Santuário - Dia 09 às 09h – Santuário - Dia 09 às 11h – Comunidade São Cristóvão - Dia 09 às 16h – Santuário

- Dia 09 às 19h – Santuário - Dia 12 às 19h – Com. Santíssima Trindade – Bairro Agenor - Dia 13 às 19h – Santuário - Dia 15 às 19h – Santuário - Dia 16 às 09h – Santuário - Dia 16 às 11h – Comunidade São Cristóvão - Dia 16 às 16h – Santuário - Dia 16 às 19h – Santuário

Rica - Dia 21 às 19h – Comunidade São Benedito – Bairro Pessegueiros - Dia 22 às 19h – Santuário “Novena Perpétua de Santa Rita” - Dia 23 às 19h – Santuário - Dia 23 às 19h – Comunidade São Sebastião – Posses - Dia 24 às 24h – Santuário “Natal” - Dia 25 às 19h – Santuário “Natal” - Dia 26 às 09h – Santuário - Dia 26 às 11h – Comunidade São Cristóvão - Dia 26 às 16h – Santuário - Dia 26 às 19h – Santuário - Dia 28 às 19h – Comunidade São Judas Tadeu e Nossa Senhora Aparecida – Bairro Morbidelli - Dia 28 às 19h – Comunidade Nossa Senhora Apare-

Extrema, 04 de dezembro de 2010

cida – Bairro Salto do Meio - Dia 29 às 19h - Comunidade Nossa Senhora das Graças – Bela Vista - Dia 29 às 19h – Comunidade São Pedro – Bairro Jardim - Dia 30 às 19h – Santuário - Dia 30 às 19h – Comunidade São Nicolau – Bairro Matão - Dia 31 às 22h – Santuário “Ano Novo” ADORAÇÃO DO SANTISSIMO SACRAMENTO NO SANTUÁRIO - Dia 03/12 das 13h00 às 18h45 CELEBRAÇÕES DE BATIZADOS NO SANTUÁRIO - Dia 12/12 às 11h – Santuário - Dia 26/12 às 11h – Santuário

7

2. ENCONTROS PASTORAIS - Dia 01 às 19h - Formação para Ministros Extraordinários da Eucaristia - Salão Paroquial - Dia 04 das 08h às 15h – Retiro de Catequistas em Cambuí - Dia 04 às 19h – Reunião com a Assessoria no Salão Paroquial - Dia 05 às 14h – Curso de Batismo – São Cristóvão - Dia 14 às 19h – Reunião com a Pastoral do Dízimo – Salão Paroquial - Dia 15 às 19h - Formação para Ministros Extraordinários da Eucaristia - Salão Paroquial - Dia 19 às 14h – Curso de Batismo – Salão Paroquial - Dia 7, 14 e 21 – 19h30 – Salão Paroquial - Ensaio de Cantos para a Missa de Natal.

JANEIRO/2011 - Dia 19 às 19h – Com. Santíssima Trindade – Bairro Agenor - Dia 20 às 19h – Santuário - Dia 22 às 19h – Santuário “Novena Perpétua de Santa Rita” - Dia 23 às 09h – Santuário - Dia 23 às 11h – Comunidade São Cristóvão - Dia 23 às 16h – Santuário

- Dia 23 às 19h – Santuário “Dizimistas” - Dia 26 às 19h – Comunidade Santíssima Trindade – Bairro Agenor - Dia 27 às 19h – Santuário “Abertura do Quinzenário de Santa Rita” - Dia 29 às 19h – Santuário - Dia 30 às 09h – Santuário

- Dia 30 às 11h – Comunidade São Cristóvão - Dia 30 às 16h – Santuário - Dia 30 às 19h – Santuário ADORAÇÃO DO SANTÍSSIMO SACRAMENTO NO SANTUÁRIO - Dia 07/01 das 13h às 18h45


8

Extrema, 04 de dezembro de 2010

GERAL

O SANTUÁRIO EM SUAS MÃOS

Análise Socrática dos Tempos Atuais do Mundo Virtual ao Espiritual Frei Betto Ao viajar pelo Oriente, mantive contatos com monges do Tibete, da Mongólia, do Japão e da China. Eram homens serenos, comedidos, recolhidos e em paz nos seus mantos cor de açafrão. Outro dia, eu observava o movimento do aeroporto de São Paulo: a sala de espera cheia de executivos com telefones celulares, preocupados, ansiosos, geralmente comendo mais do que deviam. Com certeza, já haviam tomado café da manhã em casa, mas como a companhia aérea oferecia um outro café, todos comiam vorazmente. Aquilo me fez refletir: ‘Qual dos dois modelos produz felicidade?’ Encontrei Daniela, 10 anos, no elevador, às nove da manhã, e perguntei: ‘Não foi à aula?’ Ela respondeu: ‘Não, tenho aula á tarde’. Comemorei: ‘Que bom, então de manhã você pode brincar, dormir até mais tarde’. ‘Não’, retrucou ela, ‘tenho tanta coisa

de manhã... “Que tanta coisa?”, perguntei. Aulas de inglês, de balé, de pintura, piscina’, e começou a elencar seu programa de garota robotizada. Fiquei pensando: ‘Que pena, a Daniela não disse: ‘Tenho aula de meditação!’ Estamos construindo super-homens e super-mulheres, totalmente equipados, mas emocionalmente infantilizados. Uma progressista cidade do interior de São Paulo tinha, em 1960, seis livrarias e uma academia de ginástica; hoje, tem sessenta academias de ginástica e três livrarias! Não tenho nada contra malhar o corpo, mas me preocupo com a desproporção em relação à malhação do espírito. Acho ótimo, vamos todos morrer esbeltos: ‘Como estava o defunto?’ ‘Olha, uma maravilha, não tinha uma celulite!’ Mas como fica a questão da subjetividade? Da espiritualidade? Da ociosidade amorosa?

Hoje, a palavra é virtualidade. Tudo é virtual. Trancado em seu quarto, em Brasília, um homem pode ter uma amiga íntima em Tóquio, sem nenhuma preocupação de conhecer o seu vizinho de prédio ou de quadra! Tudo é virtual. Somos místicos virtuais, religiosos virtuais, cidadãos virtuais. E somos também eticamente virtuais... A palavra hoje é ‘entretenimento’; domingo, então, é o dia nacional da imbecilização coletiva. Imbecil o apresentador, imbecil quem vai lá e se apresenta no palco, imbecil quem perde a tarde diante da tela. Como a publicidade não consegue vender felicidade, passa a ilusão de que felicidade é o resultado da soma de prazeres: ‘Se tomar este refrigerante, vestir este tênis, usar esta camisa, comprar este carro, você chega lá!’ O problema é que, em geral, não se chega! Quem cede desenvolve de tal maneira o desejo, que acaba precisando de um analista. Ou de

remédios. Quem resiste, aumenta a neurose. O grande desafio é começar a ver o quanto é bom ser livre de todo esse condicionamento globalizante, neoliberal, consumista. Assim, pode-se viver melhor. Aliás, para uma boa saúde mental três requisitos são indispensáveis: amizades, auto-estima, ausência de estresse. Há uma lógica religiosa no consumismo pós-moderno. Na Idade Média, as cidades adquiriam status construindo uma catedral; hoje, no Brasil, constrói-se um shopping center. É curioso: a maioria dos shoppings centers tem linhas arquitetônicas de catedrais estilizadas; neles não se pode ir de qualquer maneira, é preciso vestir roupa de missa de domingo. E ali dentro sente-se uma sensação paradisíaca: não há mendigos, crianças de rua, sujeira pelas calçadas... Entra-se naqueles claustros ao som do gregoriano pós-moderno, aquela musiquinha de esperar dentista. Observam-se os vários nichos,

todas aquelas capelas com os veneráveis objetos de consumo, acolitados por belas sacerdotisas. Quem pode comprar à vista, sente-se no reino dos céus. Se deve passar cheque pré-datado, pagar a crédito, entrar no cheque especial, sente-se no purgatório. Mas se não pode comprar, certamente vai se sentir no inferno. Felizmente, terminam todos na eucaristia pós-moderna, irmanados na mesma mesa, com o mesmo suco e o mesmo hambúrguer do Mc Donald... Costumo advertir os balconistas que me cercam à porta das lojas: ‘Estou apenas fazendo um passeio socrático.’ Diante de seus olhares espantados, explico: ‘Sócrates, filósofo grego, também gostava de descansar a cabeça percorrendo o centro comercial de Atenas. Quando vendedores como vocês o assediavam, ele respondia: - “Estou apenas observando quanta coisa existe de que não preciso para ser feliz!”

22 DE DEZEMBRO – NOVENA PERPÉTUA DE SANTA RITA Todo mês, dia 22, às 19h, Novena Perpétua de Santa Rita e Indulgência Plenária para quem participa das Celebrações no Santuário em Extrema

(MG). Muitas graças tem sido alcançadas por Intercessão de Santa Rita, venha rezar, conhecer e celebrar conosco. Programe-se,

traga sua família, faça sua romaria. Entre em contato conosco pelo telefone (35) 3435-1066 no horário de expediente (na

segunda-feira das 13h às 17h e de terça-feira a sexta-feira na parte da manhã das 08h às 11h30 e na parte da tarde das 13h às 17h) e agenda sua visi-

ta. Ficaremos felizes em poder acolhê-los! Visite nosso site: www.santuariosantaritadeextrema.org e sejam bem vindos!


HISTÓRIA

O SANTUÁRIO EM SUAS MÃOS

Extrema, 04 de dezembro de 2010

9

MARIA VANDA OLIVOTI COLABORAÇÃO: TEREZA DE JESUS SANTOS LIMA

Capela de São Brás - Bairro dos Tenentes-Furnas Claudete Aparecida Machado Simões

A Capela de São Brás está situada às margens da Estrada de Toledo, bem no alto de um dos montes que permeiam as belas furnas de Extrema, há cerca de um século. Segundo contam os antigos moradores do bairro e que por sinal “adoram” contar “causos” ao pé do fogão de lenha, essa história começou quando fora encontrado, à beira da estrada, o corpo de um homem que ali morrera engasgado. Em memória a esse homem desconhecido, foi construída uma capela com uma Santa Cruz. Alguém teve a idéia de colocar na capela a imagem de São Brás, devido ao fato do pobre homem ter falecido com algo preso na garganta, e ser do conhecimento dos antigos fiéis do bairro, que São Brás era o “protetor” da garganta. O tempo foi passando e a devoção do povo da região

a São Brás foi crescendo. A demonstração da fé era nítida e a Família “Rabelo” vendo que a pequena capela era insuficiente para representar a fé do povo, doou uma área de terra para que ali se edificasse uma capela maior ao santo, protetor da garganta. “No entanto, somente em 02 (dois) de dezembro de 1987 (mil novecentos e oitenta e sete), foi lavrada a Escritura de Doação de 800,00m2, no Ofício do Primeiro Tabelionato de Notas, no Livro nº 038, fls.66/67, assinada por um descendente da Família Rabelo, Sr. Wilson Antonio de Toledo e sua esposa Maria Lúcia de Carvalho Toledo e pelo Pároco da época, Padre Adolfo Fabbri, à Arquidiocese de Pouso Alegre.” A família Félix e a família do Sr. Horácio Luiz empenharam-se na construção da capela e graças a Deus e ao esforço de todos, foi construída pela segunda vez a capela. A partir da data da inauguração da nova capela, São Brás passou a ser homenageado com grandiosas festas. Muitas pessoas vinham e ainda vêm de outras regiões e cidades para agradecerem as graças recebidas por intercessão Sra. Madalena Maria dos Santos de São Brás.

Os antigos contadores de histórias se emocionam e se enchem de orgulho lembrando-se de como organizavam as festas: corriam atrás de prendas, preparavam as comidas, “gritavam leilões”, rezavam terços cantados que tanto reafirmavam a fé e a devoção do povo. Esse hábito expressa a cultura mineira e extremense, sem deixar de ser um testemunho da fé dos caboclos das furnas que deram e dão verdadeiros exemplos de evangelização. O povo perseverava na fé, seja na corrida que se dava até a cidade para buscar o Padre Adolfo para a celebração das missas e alimentar o povo com a eucaristia ou quando, por muito tempo, a saudosa Dona Madalena garantia ensinamentos da Igreja Católica, através da catequese ministrada a muitos que por ali passavam. “Dona Madalena Maria dos Santos, por volta do ano de 1970, iniciou os trabalhos de catequese na igrejinha de São Brás. Nessa época ela residia com a família no bairro e tornou-se conhecida pela sua fé, pelos seus princípios cristãos e pela ajuda aos necessitados, chegando até a aplicar injeções nos doentes. Em casa, rezava todos os dias o terço com seus dez filhos. Depois, mudou-se para a cidade e colaborou muito com o Padre Adolfo na implantação da Catequese Paroquial, tornando-se a

primeira coordenadora de catequese da paróquia. Fez muitos cursos em Pouso Alegre com a Irmã Marlene, quando Arcebispo era Dom José”. Como era bom, na Semana Santa, sermos acordados com os cantos e alertas, que nos faziam realmente viver de coração a Páscoa da Ressurreição. A pequena igreja, mais uma vez, foi ficando pequena para comportar o povo que vinha homenagear o Santo. O madeiramento e o reboco foram ficando gastos pelo tempo. Na década de 80, chegou ao bairro, o casal, Sr. Décio e a Sra. Lindaura, grandes devotos do Santo. Com os corações cheios de fé e de gratidão pelas graças alcançadas e com a ajuda da comunidade ergueram pela terceira vez uma capela, agora bem maior que a anterior. Atualmente, na cape-

la, são celebradas missas comunidade de São Brás mensais. São realizados continua sua caminhacírculos bíblicos, grupos da, esforçando-se para de oração, catequese e ou- ser testemunho da Igretras atividades religiosas. ja Viva de Cristo, sob a O que marca muito a co- orientação do Conselho Pastoral munidade de São Brás é a Comunitário permanência da mesma fé (CCP) e do Pároco, Padre e devoção que moviam os José Franco e do Vigário, Padre Márcio. fiéis no século passado. O dia de São Brás é 3 de fevereiro. Todos os anos, durante a festa, devotos da cidade de Extrema, de outros bairros e de diversas paróquias vêm render louvores a São Brás, pelas graças recebidas do Senhor, por sua intercessão. A Sr. Felix Paulo da Costa


10

Extrema, 04 de dezembro de 2010

EM FOCO

O SANTUÁRIO EM SUAS MÃOS

Padre Franco concede entrevista ao Jornal o Santuário em suas Mãos falando do curso em preparação para o Ministério da Sagrada Comunhão Eucarística O Santuário Em Suas Mãos (SM) – Padre Franco, como surgiu na Igreja o Ministério Extraordinário da Comunhão Eucarística? Padre - O Ministério Extraordinário da Sagrada Comunhão Eucarística nasceu na Igreja e para a Igreja. Este fato tem repercussões concretas na vida eclesial. Em primeiro lugar, significa que a Eucaristia, o grande dom concedido à Igreja, deve ser guardada com dignidade e distribuída com zelo; e tudo o que se refere à sua conservação ou à ação de ministrá-la, deve ser orientado por aqueles que na Igreja têm o múnus de pastor. Em segundo lugar, indica que não é concebível no exercício deste Ministério uma visão fechada e sectária, usando a Eucaristia para alimentar vaidades pessoais ou de grupos particulares. A Eucaristia foi dada à Igreja para promover a vida eclesial e torná-la “Santa, sem mancha, sem ruga, nem defeito algum”. (Ef 5, 27). Tudo isso acontece quando se sabe conservar dignamente e distribuir zelosamente o precioso Corpo e Sangue do Senhor. (SM) – Como se escolhem estas pessoas e quem as escolhem? Padre - A indicação do candidato deve ser feita pela comunidade. Depois de aprovado pelo pároco, este o apresentará ao Bispo, solicitando o seu credenciamento por escrito. Na escolha dos candidatos, os seguintes critérios devem ser observados, como pedem os Documentos e orientações para a Igreja: Que sejam pessoas idôneas e especialmente escolhidas para o Ministério; recomenda-se a escolha de pessoas de idade madura. (CDC Cân. 228); O candidato deve ter participação ativa na comunidade e ser bem aceito na mesma; Que tenha condições e queira preparar-se para o Ministério (CDC Cân. 231 §) Que tenha ainda grau de cultura suficiente para se comunicar e exercer bem a sua missão; Deve distinguir-se pela sua boa reputação, seu modo cristão

de viver e sua fé; É importante que contem com o apoio e consentimento de sua família, especialmente de seu cônjuge. Os candidatos apresentados devem frequentar a preparação exigida pela Paróquia, sem a qual não poderão exercer a função ministerial. (SM) – Do que é composta esta preparação? Padre - O serviço da distribuição da Comunhão não requer uma preparação qualificada como se dá aos Ministérios Ordenados (Bispos, Padres e Diáconos) ; todavia, aos candidatos ao Ministério da Sagrada Comunhão Eucarística também é exigida uma séria formação bíblica, teológica, litúrgica e pastoral. Esta formação consta de momentos distintos e necessários, a saber: - Curso de Formação Inicial é ministrado antes de conferir o mandato aos candidatos e deverá oferecer aos mesmos as condições para que exerçam com dignidade e eficiência o serviço que irão assumir -Esta preparação é condição essencial para que o candidato seja admitido no Ministério Extraordinário da Sagrada Comunhão Eucarística. -Reuniões Mensais Paroquiais - faz parte também da Formação Permanente. -Elas devem ser conduzidas pelos Coordenadores Paroquiais dos MESCE. O objetivo dessas reuniões é o de avaliar e planejar o exercício do Ministério e estudar ou aprofundar algum tema ou Documento da Igreja ligado à missão do MESCE. (SM) – Este ministério ele é permanente ou temporário? Padre - O Ministério Extraordinário da Sagrada Comunhão Eucarística - é um ministério ‘extraordinário’, como o próprio nome indica - e está sujeito a certas exigências. Por isso: É um Ministério temporário, o seu mandato é conferido por dois anos, podendo ser renovado, se indicado por seu pároco. Desde que seja frequente e perseverando com o seu compromisso ao atendimento aos doentes, as celebrações eucarísticas e

as reuniões mensais Compete ao Pároco ou ao Arcebispo (pessoalmente ou por outros) junto com o pároco, determinar a viabilidade de renovar ou não o Mandato do Ministro. (SM) O Ministro Extraordinário da Comunhão Eucarística desta Paróquia de Santa Rita de Extrema é também ministro em todas as outras Paróquias? Padre - O Ministério é conferido para uma determinada Paróquia. Por isso, o MESCE está autorizado a exercer habitualmente o ministério na área de sua Paróquia. Fora de sua área paroquial, o MESCE somente poderá exercer seu ministério quando devidamente convocado. Se um Ministro possuidor de Mandato conferido por outra Diocese ou Paróquia quiser atuar nesta Paróquia, deve se apresentar e aguardar que o pároco o integre cumprindo as mesmas exigências aqui determinadas. (SM) Como é o trabalho destas pessoas? Padre - A ação do MESCE, como o nome indica, é única e exclusivamente a de distribuir a Sagrada Comunhão, dentro da Celebração Eucarística e para os doentes. Podem ainda exercer as funções previstas no Cân. 230 § 3, desde que faltem realmente os ministros citados em tal cânone, e com a devida licença do pároco e em conformidade com as determinações da Arquidiocese. Por isso: - Deve evitar exercer o ministério de leitor, comentarista, canto, coroinha ou outro ministério litúrgico na mesma celebração em que irá atuar como MESCE: “Nas celebrações litúrgicas, cada qual, ministro ou fiel, ao desempenhar a sua função, faça tudo e só aquilo que pela natureza da coisa ou pelas normas litúrgicas lhe compete”. (SC 28). O MESCE deve fazer parte da Equipe de Liturgia e estar atento às necessidades do Pároco e da comunidade, promovendo a união de todos. (SM) – O ministro pode distribuir a comunhão fora da Missa? Padre - Fora da Missa, ele está autorizado a distribuir a Sagrada

Comunhão somente aos doentes, ou quando preside a Celebração Dominical na ausência de Presbíteros. No atendimento aos doentes, deve seguir o Rito prescrito na Instrução Eucharisticum Mysterium (A Sagrada Comunhão e o Culto do Mistério Eucarístico fora da Missa). Na Celebração Dominical na ausência de Presbíteros, deve usar o Ritual aprovado pela Arquidiocese. O MESCE deve evitar distribuir a Sagrada Comunhão em reuniões de Movimentos ou Grupos, mesmo que seja Grupo de Oração. No livro litúrgico ‘Rito da Comunhão fora da Missa e Culto Eucarístico’ são dadas orientações e normas precisas sobre a Adoração ao Santíssimo Sacramento. O MESCE deve conhecê-las. Estas normas foram retomadas pelo Código de Direito Canônico (Cân. 943) O Ministro da exposição do Santíssimo Sacramento e da Bênção Eucarística é o Sacerdote ou o Diácono. Apenas em ocasiões especiais e com a devida permissão do Bispo e consentimento do pároco, o MESCE pode expor e repor o Santíssimo Sacramento; mas não pode, em hipótese alguma, dar a Bênção do Santíssimo. É expressamente proibido a exposição do Santíssimo Sacramento fora da Igreja. Para levar o Santíssimo às capelas, deve-se ter a expressa licença do Bispo ou do Pároco. Ao MESCE não é permitido conduzir processionalmente o Santíssimo Sacramento. (SM) São quantos MESCE hoje em nossa Paróquia? O número aumentou ou diminuiu? Padre - Aumentou e muito! Nós enviamos para a Cúria Metropolitana, ao Senhor Arcebispo, o pedido para 74 mandatos dos MESCE para exercer o ministério em nome da Igreja. Este número corresponde as nossas necessidades hoje, com o aumento vertiginoso da participação dos fiéis na vida eucarística paroquial. O atendimento aos enfermos, que agora é sistemático e com as celebrações das missas para os enfermos, Isto tudo demanda uma maior presença de

MESCE. E ainda iremos precisar de mais com a implantação da Celebração Dominical da Palavra nas comunidades Rurais.

(SM) – E como foi a preparação dos MESCE? Padre – Nós preparamos um curso básico para estes leigos e leigas em preparação para este ministério. Com conteúdos de formação bíblica, teológica, litúrgica e pastoral e tivemos a assessoria para estes temas: -Padre Márcio, Maria Franco, Alexandre Acácio, Padre Franco e Dona Judith de Deus Olivotti Lima. A coordenação paroquial dos MESCE esta com a Minice Maria Morbidelli e Dona Judith A preparação iniciou no mês de agosto e ira terminar em dezembro, quando na celebração eucarísticas do dia 18 às 19h, cada candidato ao MESCE irá receber o mandado, entre eles alguns que serão renovados, pois já são ministros há dois anos. Foram encontros de conteúdos e muita alegria e interesse de todos.

(SM) O senhor deseja deixar uma mensagem final? Padre - Sim, primeiro manifestar a minha gratidão a Deus pelo crescimento visível de nossa Comunidade Paroquial. E depois aos leigos e leigas que assumem conosco esta proposta de fazer um caminho bonito como Comunidade de Jesus. O agradecimento a todos nas pessoas de Dona Judith e Minice que se dedicam carinhosamente a coordenação deste ministério. Pois, é preciso que todos tomem conhecimento sobre os aspectos essenciais do Mistério Eucarístico, que está em estreita relação com o Ministério ao qual é chamado a exercer; Depois que conheçam as Normas que regulam as Celebrações Litúrgicas. Sem esta clareza de idéias, fundamentada na fé da Igreja, o MESCE corre o risco de cair facilmente num devocionismo e também numa ação pastoral litúrgica pouco iluminada. E todos por esta coordenação vêm crescendo como Igreja e que todos nós, tanto pastores como ovelhas, possamos crescer “no conhecimento e na graça” no que se refere ao Mistério Eucarístico, grande Dom confiado à Igreja.


O SANTUÁRIO EM SUAS MÃOS

ENTREVISTA

Extrema, 04 de dezembro de 2010

11

Padre Franco dialogando com os jovens sobre o Diaconato na Igreja Os jovens perguntam: O que vem a ser um diácono na Igreja Católica? Padre - Um diácono (do grego antigo διάκονος, ministro, ajudante) são os ajudantes dos líderes de uma igreja particular, local, (a diocese) e por sua vez, aspirantes a futuros presbíteros. Possui o primeiro grau do Sacramento da Ordem. Mas existe diferença entre o padre e o diácono? Padre - Sim existe. No grau inferior da hierarquia encontram-se os diáconos. São-lhes impostas as mãos “não para o sacerdócio, mas para o serviço”. Para a ordenação ao diaconato, só o Bispo impõe as mãos, significando assim que o diácono está especialmente ligado ao Bispo nas tarefas de sua “diaconia”. O diácono tem especificamente um serviço do diaconal em uma Paróquia? Padre - É uma bonita missão. Os diáconos participam de modo especial na missão e graça de Cristo. São marcados pelo sacramento da Ordem com um sinal (“caráter”) que ninguém poderá apagar e que os configura a Cristo, que se fez “diácono”, isto é, servidor de todos. Cabe aos diáconos, entre outros serviços, assistir o Bispo e os padres na celebração dos divinos mistérios, sobre tudo a Eucaristia, também distribuir a Comunhão, assistir ao Matrimônio e abençoá-lo, proclamar o Evangelho e pregar, presidir os funerais e consagrar-se aos diversos serviços da caridade. O padre não casa e existe diácono que não fica padre e se casa? Padre - Sim é uma das formas do ser diácono! Desde o Concílio Vaticano II, a Igreja latina restabeleceu o diaconato “como grau próprio e permanente da hierarquia”, a passo que as Igrejas do Oriente sempre o mantiveram. Esse diaconato permanente, que pode ser conferido a homens ca-

sados, constitui um importante enriquecimento para a missão da Igreja. De fato, ser útil e apropriado que aqueles que cumprem na Igreja um ministério verdadeiramente diaconal, quer na vida litúrgica e pastoral, quer nas obras sociais e caritativas, “sejam corroborados e mais intimamente ligados ao altar pela imposição das mãos, tradição que nos vem desde os apóstolos. Destarte desempenharão mais eficazmente o seu ministério mediante a graça sacramental do diaconato”. O Diácono então é um auxiliar dos Bispos e dos Padres? Padre - Auxiliar no sentido ministerial não como empregado (risos). Os Bispos individualmente são o visível princípio e fundamento da unidade em suas Igrejas particulares. “Nesta qualidade, exercem sua autoridade pastoral sobre a porção do povo de Deus que lhes foi confiado” sendo assistidos pelos presbíteros e pelos diáconos. Todavia, como membros do colégio episcopal, cada um deles participa da solicitude por todas as Igrejas, solicitude esta que exercem primeiramente “governando bem sua própria Igreja como uma porção da Igreja universal”, contribuindo, assim, “para o bem de todo o Corpo Místico, que é também o Corpo das Igrejas”. Padre! Mas o diácono pode batizar? Padre - Sim eles são ministros ordinários do Batismo o Bispo e o presbítero e, na Igreja latina, também o diácono. Em caso de necessidade, (perigo de morte) qualquer pessoa, mesmo não batizada, que tenha a intenção exigida, pode batizar, utilizando a fórmula batismal trinitária, (em nome do Pai, do Filho e do Espírito Santo). A intenção requerida é querer fazer o que a Igreja faz quando batiza. A Igreja vê a razão desta possibilidade na vontade salvífica universal. Ele tem mais quais as outras

funções? Padre - Os diáconos participam de modo especial na missão e graça de Cristo. São marcados pelo sacramento da Ordem com um sinal (“caráter”) que ninguém poderá apagar e que os configura a Cristo, que se fez “diácono”, isto é, servidor de todos. Cabe aos diáconos, entre outros serviços, assistir o Bispo e os padres na celebração dos divinos mistérios, sobre tudo a Eucaristia, distribuir a Comunhão, assistir ao Matrimônio e abençoá-lo, proclamar o Evangelho e pregar, presidir o funerais e consagrar-se aos diversos serviços da caridade. Eu nunca participei de uma ordenação, no que consiste a ordenação do diácono? Padre - Quanto aos diáconos, “a graça sacramental lhes concede a força necessária para servir ao povo de Deus na ‘diaconia’ da liturgia, da palavra e da caridade, em comunhão com o Bispo e seu presbitério”. Os diáconos são ministros ordenados para as tarefas de serviço da Igreja; não recebem o sacerdócio ministerial, mas a ordenação lhes confere junções importantes no ministério da Palavra, do culto divino, do governo pastoral e do serviço da caridade, tarefas que devem cumprir sob a autoridade pastoral de seu Bispo. O rito essencial do sacramento da Ordem consta, para os três graus, da imposição das mãos pelo Bispo sobre a cabeça do ordenando e da oração consagratória específica, que pede a Deus a efusão do Espírito Santo e de seus dons apropriados ao ministério para o qual o candidato é ordenado. Como é que nós da comunidade deveremos tratar a pessoa do diácono? Padre - Boa pergunta! Devemos todos como Igreja seguir o Bispo, como Jesus Cristo [segue] seu Pai, e o presbitério (padres) como aos apóstolos; quanto aos diáconos, respeitai-os como a lei de Deus è o que nos ensina

o Catecismo da Igreja Católica. “O ministério eclesiástico, divinamente instituído, é exercido em diversas ordens pelos que desde a antigüidade são chamados bispos, presbíteros e diáconos.” A doutrina católica, expressa na liturgia, no magistério e na prática constante da Igreja, reconhece que existem dois graus de participação ministerial no sacerdócio de Cristo: o episcopado e o presbiterado. O diaconato se destina a ajudá-los e a servi-los. Por isso, o termo “sacerdos’ designa, na prática atual, os bispos e os sacerdotes, mas não os diáconos. Não obstante, ensina a doutrina católica que os graus de participação sacerdotal (episcopado e presbiterado) e o de serviço (diaconato) são conferidos por um ato sacramental chamado “ordenação”, isto e, pelo sacramento da Ordem. Que todos reverenciem os diáconos como Jesus Cristo, como também o Bispo, que é imagem do Pai, e os presbíteros (padres) como senado de Deus. Pelo que entendemos nem tudo ele pode celebrar na Igreja! O que ele não pode realizar na Igreja? Padre - Não consagram a hóstia nem ungem enfermos, como também não atendem confissões. Podem e devem administrar igrejas, ser bons aconselhadores e dar a bênção mesmo não sendo sacerdote. (conforme Documento 74 da CNBB). Nossa, é muito legal ser diácono, não é padre Franco?

Padre – É sim! Vejam como é bonita a nossa Igreja e a sua história; Vale a pena lembrar que o diaconato é um ministério excelente de origem apostólica: Atos 6,1-6; Filêmon 1,1; 1 Timóteo 3,8-13. Eles foram responsáveis pelas primeiras comunidades cristãs e hoje se colocam ao serviço das comunidades como seus servidores. Hoje temos o Diácono Alexandre Acácio em nossa comunidade, isto é uma bênção de Deus, ele já esta conosco por quase dois anos viveu aqui o seu estágio pastoral, celebrava o batismo, assistia aos matrimônios, mas como ministro extraordinário para estes sacramentos. Mas, agora, ele tem a ordem sacramental do diaconato, é ministro não mais extraordinário destes sacramentos, celebra e assiste como ministro consagrado na ordem doa diáconos. Faço um convite para vocês jovens e todos os membros de nossa Igreja em Extrema. Precisamos rezar para que surjam santas e boas vocações em nossa comunidade paroquial para estes serviços na Igreja, lembrando que “a vocação é uma resposta de Deus a uma comunidade que reza” (Cf doc Puebla). Que as famílias rezem e animem as vocações em seus lares. E vocês pensem bem e escolham o que realmente querem fazer de suas vidas. Valeu obrigado.

Padre muito obrigado! Nesta conversa nós ficamos sabendo o que é ser diácono, dá pra gente pensar, “brigadão”! Valeu muito mesmo!


O SANTUÁRIO EM SUAS MÃOS

DIVERSÃO

Extrema, 04 de dezembro de 2010

12

Edição 20  

20ª Edição do Jornal do Santuário de Santa Rita de Extrema

Read more
Read more
Similar to
Popular now
Just for you