Page 1

ANO 3 - Nº 26 - MENSAL SÁBADO, 11 DE JUNHO DE 2011

A nossa Festa! A Festa de Santa Rita de Extrema

Todo o ano no dia 22 de maio acontece a festa de Santa Rita, a mais tradicional de Extrema, e desde sempre em volta da Capela, da Matriz e agora do Santuário. E vem sendo ano a ano incrementada e pós a elevação da antiga Matriz a Santuário cresce muito em participação. É a mais concorrida e ninguém pode negar, mesmo entre os mais negativistas vêem que é impossível dizer o contrário. (Págs 02 e 11)

Já vai chegando a Festa de São Cristóvão (Pág. 03)

Cantar a missa e não cantar na missa - Parte 6 (Pág. 04)

Capela de Santo Antonio dos Britos, Bairro dos Pires (Pág. 08)


2

Extrema, 11 de junho de 2011

OPINIÃO

O SANTUÁRIO EM SUAS MÃOS

A nossa festa! A festa de Santa Rita de Extrema

Todo o ano no dia 22 de maio acontece a festa de Santa Rita, a mais tradicional de Extrema, e desde sempre em volta da Capela, da Matriz e agora do Santuário. E vem sendo ano a ano incrementada e pós a elevação da antiga Matriz a Santuário cresce muito em participação. É a mais concorrida e ninguém pode negar, mesmo entre os mais negativistas vêem que é impossível dizer o contrário. Isto tudo acontecendo sem agressões aos costumes, ambientes, aos moradores e aos valores humanos e cristãos. O turismo religioso é “mais calmo” que o “turista folião”... e a nossa praça se torna pequena para abrigar a todos e não vem sendo depredada. O clima criado é de respeito! O fenômeno de natureza sócio-cultural, a festa permeia toda a sociedade, significando uma trégua no cotidiano rotineiro e na atividade produtiva. Sua natureza é intrinsecamente diversional, comemorativa, pautando-se pela alegria e pela celebração. A festa é uma necessidade so-

cial em que se opera uma superação das condições normais de vida. (...) É um acontecimento que se espera, criando-se assim uma tensão coletiva agradável, na esperança de momentos excepcionais. (...) A festa é a expressão de uma expansividade coletiva, uma válvula de escape ao constrangimento da vida quotidiana. Da economia passa-se à prodigalidade; da discrição à exuberância. Surgem as manifestações de excesso, nos mais ricos por ostentação, nos mais pobres por compensação (Birou, 1966: 166) Em geral, todas essas festas comemoram ou celebram alguma coisa que, supomos, realmente aconteceu. A vida de um santo é uma história exemplar a ser imitada pelos homens, e a procissão que ao santo se dedica diz um pouco dessa caminhada terrena para o Céu, reproduzindo-a numa espécie de teatro cristão. (...) (Da Matta, 1984: 89). E assim “rolou a festa”... Dias de alegria! Dias de participação mais

TESTEMUNHO DE FÉ Faz 12 anos que fiz uma cirurgia no olho e não obtive sucesso. Os médicos me disseram que não adiantava fazer outra porque eu só iria voltar a enxergar 10%. Faz três anos que a Imagem Fac-Simile de Santa Rita veio para Extrema e a Matriz passou a ser Santuário. No dia 10 de Maio de 2008

na chegada da imagem eu fiz um pedido que ela me ajudasse a voltar a enxergar pra cantar SALMOS sem ter que ampliar a fonte da letra. Hoje só tenho que agradecer porque alcancei a graça por intermédio de Santa Rita. Obrigada! Ana Maria (Extrema – MG).

intensa! Saímos dos dias comuns, então abrimos a festa com o seu novenário em grande estilo a belíssima e orante celebração eucarística sob a presidência do Padre Antonio Maria. E logo após, a quermesse e a sua apresentação na praça num ambiente sadio. Passando pelo novenário com a presença carismática dos bispos Dom Sérgio Colombo (Bragança Paulista), Dom Milton Kenan (São Paulo), monsenhores e padres que pregaram notavelmente a cada noite em celebrações orantes e muito participadas, os fiéis responderam aos convites feitos, e o nosso Santuário cada vez mais bonito, “a casa de Santa Rita” vibrava de alegria. Chegou o esperado dia 21, com o terço luminoso no Extrema Futebol Clube, que a exemplo dos grandes santuários da Europa nada deixou a desejar. Centenas de fiéis portando grandes luminárias coloridas, juntamente com o andor luminoso de Santa Rita circularam no escuro, com efeito fantástico , e caminharam em caracol rezando e cantado o terço contemplado por tradicionais rezadeiras da comunidade até o quinto mistério. E saíram a caminho finalmente pelas ruas da cidade até chegar ao Santuário. Ali aconteceu a grande homenagem da cidade a Santa Rita, onde se deu a origem da cidade. Juntaram-se aos devotos de Extrema, muitos romeiros que alegremente viveram conosco esta experiência maravilhosa. A homenagem a Santa co-fundadora da cidade, junto a Zéca Alves, foi um momento orante e de oferendas de reconhecimento a vida de mulher, jovem, esposa, viúva e consagrada que chegou a Extrema antes mesmo

de sua canonização e, ainda beata aqui cativou um povo que é chamado ainda hoje para seguir a Cristo Caminho Verdade e Vida. A emoção tomou conta de todos que se encontravam no interior do Santuário, na Praça um espetáculo pirotécnico completava esta homenagem. A festa alegremente continua noite a dentro. E chega o grande dia, a Santa é festejada e a irmã Dulce (Maria Rita) beatificada em Salvador, a primeira santa genuinamente brasileira. As missas desde as 7h e as outras cinco missas, e a cada uma delas mais fiéis, num crescendo e diversos padres presidindo, muitos buscando o confessionário para se encontrar com a misericórdia de Deus Chegamos ao final do dia com presença maciça na procissão das rosas. Milhares de fiéis, portando botões de rosas em homenagem ao fato místico da rosa de Santa Rita, cantando e rezando e elevando as suas flores formavam o jardim dos mais vivos e bonitos e jamais visto em Extrema na expressão de comunhão com a Santa das causas impossíveis. Felizes estavam todos, porque entre os espinhos da sua vida, ela foi contemplada pelo Senhor com uma rosa para alegrar as suas dores e hoje as nossas! O Senhor não faltou a ela e não falta a nós! O Santuário cada vez mais bonito estava totalmente lotado e sem condições de acolher mais nem uma pessoa para a celebração da sexta missa, embora , durante todo o dia milhares de pessoas passaram por lá.. Presidiu esta ultima celebração o Arcebispo Metropolitano Dom Ricardo Pedro e a concelebrou o Padre Reitor José Franco, Padre Márcio, Padre Ernesto. Ao final

as homenagens e agradecimentos ao arcebispo, padres, diácono, festeiros e a todos os que de qualquer forma colaboraram com as festividades. E aqui nós renovamos os nossos agradecimentos a todos sem exceção. Foram nomeados os festeiros 2012. Será a comunidade São Judas Tadeu cuja parte da renda será para a construção da Igreja São Judas Tadeu e Nossa Senhora Aparecida, no Bairro do Morbidelli. A comunidade que cresce muito e faz urgente e necessária ter a sua Igreja. A Festa continua em nossa vida, entre desafios e lutas conquistas e derrotas. Somos todos caminheiros para a casa do Pai para a festa na eternidade.


COTIDIANO CONVITE

O SANTUÁRIO EM SUAS MÃOS

Extrema, 11 de junho de 2011

3

A BÍBLIA EM MINHAS MÃOS

Leia a BÍBLIA e descubra o verdadeiro significado das palavras. AGRIPA São dois os personagens conhecidos por este nome: A) Herodes Agripa I, neto de Herodes o Grande e Mariamne I. Nascido no ano 10 aC, em 37 tornou-se tetrarca da Ituréia e Abilene; em 39, da Galiléia e Peréia; em 41, da Judéia e Samaria, e recebeu o título de rei. Em 44 morreu de repente em Cesaréia, após ter perseguido a comunidade cristã (At 12,1-23). B) Herodes Agripa II (27-29), filho de Agripa I. Em 53 tornou-se tetrarca da Ituréia e Abilene e, como tal, escutou a defesa de Paulo reconhecendo sua inocência (At 25,13-26.32). ÁGUA Sendo a água indispensável para a vida dos homens (Ex 23,25), animais (Gn 24,11-20) e plantas (1Rs 18,41-45), é vista como um dom salvífico de Deus. Ele a concede abundante aos que deseja salvar (Ex 17,5s; Is 12,5). Mas ela lhe serve também de instrumento de punição para os inimigos,

como no dilúvio (Gn 6-8) e no êxodo (Ex 14-15). Usada na limpeza física, a água serve também na purificação cultual (Ex 30,17s; Lv 16,4.24) e ritual (Nm 19,11-22). Para os tempos escatológicos Deus promete derramar sobre o povo águas purificadoras, acompanhadas de seu Espírito (Ex 36,25-27; Is 44,3; Zc 13,1s). No NT João Batista se serve da água para o seu batismo de penitência (Mc 1,8-11). O batismo cristão é fonte de regeneração e renovação do Espírito Santo (Tt 3,5). Os que a ele se submetem são purificados de seus pecados e recebem o Espírito Santo (At 2,38; 1Cor 10,1s). Cristo promete fazer jorrar a água viva de seu Espírito para os que nele crêem. ALELUIA É uma exclamação litúrgica em Tb 13,22 e especialmente nos Salmos (Sl 111-112; 104-105; 115-117; 146-150). O termo significa “louvai ao Senhor”. É pois

um convite do salmista para participar no alegre louvor de Deus, que passou para o uso da liturgia cristã. ALIANÇA Na época da monarquia de Israel (1030-587) a relação entre Deus e o povo passou a ser vista como um pacto de mútuo amor e fidelidade. Mas não como um pacto entre duas partes iguais, pois a iniciativa cabe unicamente a Deus. É ele quem escolhe gratuitamente Israel como seu povo. Em virtude desta eleição e aliança, Israel contrai obrigações. O historiador sacerdotal (séc. VI aC) descreve a história salvífica desde a criação até à época de Moisés como uma sucessão de alianças divinas. Após o dilúvio, Deus faz com Noé uma aliança de caráter universal, que tem como preceito a proibição de comer sangue (cf. Gn 9,1-17 e nota). Após a dispersão de Babel, Deus faz aliança com Abraão, restringindo o seu plano salvífico aos des-

cendentes do patriarca, que são obrigados a praticar a circuncisão (cf. Gn 17,3-14 e nota). Esta aliança inclui a promessa de descendência e duma terra (Gn 12,37; 15,1s; 22,16-18; 50,24; Sl 105,8-11). Depois da opressão do Egito, Deus sela com Israel a aliança do Sinai (cf. Ex 24,3-8 e nota), por meio do rito de sangue. Assim Israel nasceu como povo livre (Lv 26,42-45; Dt 4,31; Eclo 44,21-23) e comprometido em observar os mandamentos e a Lei (Ex 20,1; 20,22-23,33 e nota; Dt 5,1-21). Em contrapartida, Deus promete fazê-lo seu povo particular (Ex 19,4-8) e cercá-lo com sua proteção (Dt 11,22-25; 28,1-14). Mas o povo foi muitas vezes infiel aos compromissos desta aliança. Os profetas denunciaram a infidelidade e anunciaram o exílio como castigo. Ao mesmo tempo, porém, prometeram uma nova aliança para os tempos messiânicos; ela será como um novo vínculo matrimonial entre

Deus e Israel (Os 2,20-24), e a Lei será inscrita nos corações humanos transformados (Jr 31,33s; 32,3741; Ez 36,26s). Esta aliança cumpriu-se com a vinda de Cristo e foi selada pelo seu próprio sangue (Mt 26,28; Hb 9,20; 1Cor 11,25). Na nova aliança o pecado será apagado (Rm 11,27), os corações humanos serão transformados pelo Espírito Santo (5,5) e Deus passará a habitar entre os homens (2Cor 6,16). Em grego o termo “aliança”significa também “ testamento”, ou última vontade que entra em vigor com a morte do testador. Por isso, a nova aliança inaugurada por Cristo é chamada também “Novo Testamento”, em contraposição com a antiga aliança ou “Antigo Testamento” (Hb 9,16). Ver: Testemunho ou documento da aliança em Ex 25,16 e nota; o matrimônio como aliança em Ml 2,14 e nota. ALMA

Não é noção bíblica, mas grega. Ver “Carne”, “Homem”. ALTAR Feito de terra ou de pedras (Ex 20,24), o altar servia em geral para oferecer sacrifícios; ocasionalmente é um monumento que lembra experiências religiosas dos patriarcas (Gn 12,8; 13,8; 26,25; 33,20). O altar tinha nos ângulos quatro pontas salientes, chamadas também “chifres”; elas simbolizavam o poder e a força de Deus (Ex 27,2; 37,25). Um criminoso agarrando-se nelas poderia garantir para si o asilo (21,14; 1Rs 1,50) e escapar à vingança de sangue. No templo havia o altar dos holocaustos e o altar do incenso. No NT o altar perde sua importância, pois Cristo aboliu com seu sangue os sacrifícios cruentos do AT (Hb 9,28). Em seu lugar ganhou importância a mesa, pois a eucaristia celebra a ceia do Senhor (1Cor 11,20).

Já vai chegando a Festa de São Cristóvão e São Benedito Ela ira acontecer de 04 a 07 de agosto e muitas atividades estão sendo programadas, e você logo vira a conhecê-las, mas vá se preparando para

participar deste momento de alegria com os Santos padroeiros dos motoristas e dos cozinheiros. Você poderá participar do Tríduo preparatório

com as Missas, da quermesse, da procissão dos motoristas, do show de prêmios. Toda renda da festa como é costume será para os trabalhos de

manutenção, reformas e evangelização naquela comunidade. Missas na Igreja São Cristóvão – Missas no Santuário – Procissão São

Cristóvão, Bênção dos veículos. Quermesse na Praça do Santuário. Comunidade Paroquial

São Cristóvão e São Bendito Festeiros 2011 – Comissão de Festas Padres José Franco/ Márcio/ Alexandre.


4

Extrema, 11 de junho de 2011

COTIDIANO

O SANTUÁRIO EM SUAS MÃOS

Cantar a missa e não cantar na missa VI (CONTINUAÇÃO) RITO DA PALAVRA – LITURGIA DA PALAVRA Uma visão de conjunto: os cantos interlecionais (entre as duas leituras). Salmo de Meditação. Aclamação ao Evangelho (ou Aleluia). Profissão de Fé (Creio). Oração dos Fiéis. O QUE É: A parte principal da liturgia da Palavra é constituída pelas proclamações da Sagrada Escritura e pelos cantos que ocorrem entre elas, sendo desenvolvidas e concluídas pela homilia, profissão de fé e a oração dos fiéis. Não é a procissão dos Livros da Palavra o ponto alto deste segundo tempo da liturgia eucarística, mas sim a proclamação da Palavra o ponto alto, sendo a proclamação do Evangelho a mais importante. FUNÇÃO: Anunciar a bondade, a misericórdia do Pai, e de sua Salvação que chegou até nós por Jesus Cristo, o Evangelho Vivo do Pai, que se faz presente na assembléia ministerial. Normalmente uma leitura não é cantada, mas, como diz o nome Palavra Lida, mais corretamente proclamada. Em algumas solenidades, porém, por exemplo, na noite de Natal, ou Semana Santa certos tipos de leituras poderiam ser cantadas, dando-se assim, uma expressão toda especial aos textos quase rituais, mais apropriados para serem cantados. Hoje nós sabemos que o Salmo Responsorial se refere à primeira Leitura e não deve nunca ser trocado por outro canto de meditação que não seja o Salmo, e assim também o Aleluia que prepara para o Evangelho. Note-se que o Aleluia é menos importante que o Salmo. O Salmo é integrante da Liturgia da Palavra e deve ser sempre cantado, se não for possível cantá-lo, seja recitado. Se possível, pelo menos

o refrão cantado. Mas nunca deve ser omitido ou mudado para outro canto de meditação. QUANDO NA LITURGIA DA PALAVRA TROCAMOS, A ESCUTA DA COMUNIDADE PELA LEITURA APENAS DO TEXTO BÍBLICO, ESTAMOS DESTRUINDO UM SIMBOLISMO PROFUNDO QUE É A RAIZ DE NOSSA FÉ. (Lit. do coração. Buyst, Ione) A assembléia deve ser preparada para escutar a Palavra que será proclamada. Não por comentários, explicações, mas de forma orante sugere-se um refrão de escuta cantado de forma orante para que a assembléia se acomode e se ponha a escuta, abrindo a liturgia da Palavra e façam-se as leituras sem nenhuma interrupção, e com possível silêncio entre uma e outra. Comentários, alertas de atenção na maioria das vezes diaboliza (divide, quebra, “causa ruído”) o momento celebrativo. Às vezes as equipes de liturgia das comunidades têm dificuldades para preparar um “comentário”, use um refrão de escuta será bem vindo e cumprira bem melhor o seu objeto. Resumindo, a Liturgia da Palavra da Missa é assim constituída: A)Pelo anúncio da Palavra. (organização das leituras, incluindo o Salmo) B)Sua atualização da homilia. C)Pela resposta a Palavra no Creio e na Oração dos Fiéis. DEUS FALA SEU POVO REUINIDO RESPONDE. 1.Leitura Antigo Testamento e Atos dos Apóstolos SALMO 2.Leitura .Epístolas e Apocalipse ACLAMAÇÃO Evangelho Homilia .CREIO

ORAÇÃO DOS FIÉIS. AMÉM A LITURGIA DA PALAVRA É UM DIÁLOGO ENTRE DEUS COM O SEU POVO! (doc. 43 CNBB) SALMO: O QUE É: Uma ação litúrgica. É um rito! Salmo Responsorial, de Meditação ou Gradual ou Trato (Tractus). FUNÇÃO: É o salmo por excelência na missa, pelo que é chamado simplesmente. Se os outros cantos da missa podem ter outros elementos este é o único que é essencialmente salmo. Responsorial devido à forma de execução e de participação do povo com um refrão entre os versos cantado pelo salmista (é bom lembrar que o salmista deverá cantá-lo sempre da mesa da palavra). Salmo Responsorial é o nome adequado deste canto. Sendo parte integrante da liturgia da Palavra (IG 36ª), está no mesmo nível da importância como as leituras da Palavra de Deus. O Salmo é o canto da Palavra de Deus. Pelo cântico do Salmo o povo se apropria da Palavra de Deus e à ela se adere com a profissão de fé. O Salmo é tirado do Lecionário, pois deve estar em sintonia com a primeira leitura, assim a escolha do salmo depende da leitura e não do tempo litúrgico, da festa celebrada, ou muito menos do tema que nunca deveria reger uma celebração. •Assim nasceu o diálogo entre Deus e seu Povo. o Salmo Responsorial é o momento em que o povo escuta ativamente. A resposta da assembléia começou a desaparecer, o número de versos tornando-se cada vez menor, o coral vinha monopolizando este canto, enquanto a assembléia apenas escutava. Após o Concílio Vaticano II, o Salmo Responsorial foi reintroduzido na sua forma original, tendo seguido

o modelo: O SALMO RESPONSORIAL É UM DOS CANTOS MAIS IMPORTANTES DA LITURGIA. A SUA ORIGEM JÁ ERA INTEGRANTE NA LITURGIA DA PALAVRA, DESDE AS SINAGOGAS (TEMPLOS DOS JUDEUS) QUE CANTILAVAM OS SALMOS. NO DECORRER DO TEMPO O POVO COMEÇOUA PARTICIPAR INTERCALANDO AS RESPOSTAS. •Cantilação no primeiro verso. •Que convida (o próprio verso)o povo a uma resposta, na forma de refrão. Ter cuidado com a palavrinha TODOS ruidosa nos salmos,palavra que não existe entre versos e refrão. E assim segue: verso e refrão. O lugar próprio de cantá-lo é da mesa da Palavra ou ambão. ACLAMAÇÃO: O QUE É: Canto antes do Evangelho ou Aleluia. Ação litúrgica ou rito. Após a segunda leitura ou após o Salmo vem o Aleluia ou outro canto de acordo com o tempo litúrgico. (Quaresma) FUNÇÃO: O Aleluia é cantado em todos os tempos exceto no tempo da quaresma. Devemos distinguir que havendo três leituras vem após a segunda leitura, havendo duas vem após o salmo. O Aleluia é uma alegre aclamação Pascal a Cristo. Aclamação que acompanha a solene procissão do Evangelho (benção, vinda é ou a volta do evangeliário ou em celebrações menos solenes a caminhada que faz o presidente para a mesa da Palavra). E a vinda do Senhor pela Palavra proclamada. É uma aclamação Pascal, um viva a Deus, um grito que resume todo o louvor, em hebraico significa: “ Louvai o Senhor”; “Deus

seja louvado” É um brado de vitória de salvação! Grito de admiração! Grito de amor, de ação de graças do povo eternamente salvo. Por isso, uma aclamação falada não tem sentido quando não é cantada nem se recita, simplesmente não existe. É um canto processional que acompanha e soleniza a procissão do Evangelho ou do “proclamador” para a mesa da Palavra. Toda a assembléia se põe de pé, e canta exaltando o Cristo presente que vai falar. O canto é uma aclamação e preparação ao Evangelho. O versículo deve ser sempre tirado do Evangelho que vai ser proclamado. O Evangelho, que é o ponto alto da Liturgia da Palavra, valorizando, pois, o Livro do Evangelho e mais a sua Proclamação. Na quaresma não se canta o Aleluia, mas substitui-se, por exemplo: com Louvor e glória a ti Senhor, Cristo, presente que vai falar. São praticamente equivalentes ao Aleluia, para o tempo quaresmal. Sua função é idêntica. O Salmo aleluiático é semelhante ao Aleluia, os versos são tirados do Salmo. Esta aclamação deve ser cantada por todos, podendo intercalar: coral, solista e assembléia. Deve ser sempre alegre e vibrante, ainda mais, sendo uma aclamação pascal do Aleluia ela deve corresponder ao seu significado. Mais do que apenas ornamentar a procissão do anúncio da Palavra do Evangelho, o canto do Aleluia, procura acolher solenemente Cristo, nossa, Páscoa, que vem através da Palavra Proclamada. Por isso, é uma aclamação vibrante. CANTO DEPOIS DO EVANGELHO OU DA HOMILIA: O QUE É: Seria uma espécie de “canto de meditação”

ou “canto de resposta”. FUNÇÃO: Um canto dentro do assunto do Evangelho do dia ajuda a sua assimilação e tem grande força de reflexão, aprofundamento e de vivência da Palavra de Deus. CREIO: O QUE É: É um rito após a homilia. O Creio é uma reposta de fé ao compromisso da comunidade e do indivíduo à Palavra de Deus ouvida na Proclamação das leituras. FUNÇÃO: É uma forma de profissão de fé, se for cantada deve ser cantada por todos ou de tal forma que permita uma participação de todos. Que sobressaiam sempre as vozes e não os instrumentos, e seja sempre de fé na sua forma correspondente, sua forma símbolo de fé. Não serve outro canto para substituir. ORAÇÃO DOS FIÉIS O QUE É: Rito com este nome ou ainda Oração Universal. FUNÇÃO: Depois de ter escutado a Palavra de Deus que revela alguns mistérios da salvação. Deus coloca-se no meio de todos os homens e mulheres, no exercício de sua função sacerdotal, este Povo suplica por todos (CM44). Sem duvida que é uma oração cantada, que tem um significado mais profundo e mais eclesial do que a oração simplesmente falada, ainda pelo aspecto comunitário do canto uma vez que é a oração da comunidade dos fiéis. É A ORAÇÃO DOS FIÉIS PORQUE OS BATIZADOS SÃO SOLIDÁRIOS COM TODA A HUMANIDADE. ATRAVÉS DO “SACERDÓCIO RÉGIO” NO MEIO DO MUNDO! (CONTINUA NA PROXIMA EDIÇÃO)


ACONTECEU

O SANTUÁRIO EM SUAS MÃOS

Extrema, 11 de junho de 2011

5

Aconteceu em maio Estes casais se uniram pelo vínculo Sagrado do Matrimônio: •Jair José de Oliveira e Lucia Angela Felizardo •Lincoln Braz Vieira da Costa e Simone Faria Rosa •Edervaldo de Oliveira Silva e Aline Graziele da Silva •Roberto Toledo Souza e Gabriela Félix da Silva •Marcos Antônio da S. Pinto e Grabriela Alves Vieira

Celebraram o Jubileu Matrimonial Janete Bertolotti e Ademir Polli (36 anos) José Aparecido e Maria Antonia (23 anos) Maria de Lourdes e José Faria (41 anos) Benedita e Neilor Cezar (30 anos)

A todos eles os nossos votos de felicidade e fidelidade vivendo os compromissos assumidos pelo Sacramento do Matrimônio

O nosso Santuário celebrou a Missa de 7º Dia de:

•Maria do Socorro Pedroso •Ivone Lopes Faria

•Marcelo Marcos Ferreira •José Anor de Souza •Maria Biondi Baltrame

As famílias enlutadas a nossa palavra de conforto: Jesus é a Ressurreição e a vida quem Nele crê terá a vida eterna.

Foram batizadas em nossa comunidade Paroquial as crianças: Fernanda Piai Higa Nunes Pai: Roberto Higa Nunes Mãe: Tatiana Piai Sabrina Fabian Pai: Thomas Alexandre Fabian Mãe: Rita de Cássia Silva Fabian Lorrayne Nayara da Silva Mãe: Mariza Maria da

Silva Alves

zia Moreira

Ana Clara Correa de Moura Pai: Dari Helton Correia Mãe: Thalita Moura do Rosário

Melissa Toledo Almeida Pai: Luiz Carlos de Almeida Mãe: Cassia Andrea de Toledo

Ana Beatriz Moreira da Costa Pai: Luan da Costa Mãe: Paloma Rafaela Lu-

Maria Eduarda Matiazzo Catelli Dorta Pai: Eriton de Oliveira Dorta

Mãe: Aline Matiazzo Catelli Pedro Henrique de Oliveira Souza Pai: Daniel Aparecido de Souza Mãe: Gerusa Gomes de Oliveira Pedro Henrique Frúgoli Pai: Ricardo Augusto

Frúgoli Mãe: Frúgoli

Suely

Siqueira

Theyllon Wellington Rodrigues Silva Pai: Francisco Wellington Silva Mãe: Claudicéia Rodrigues Yuri Misael de Oliveira

Virgilio Pai: Leandro Aparecido Virgilio Mãe: Débora Aparecida de Oliveira Abrão Kaique Gabriel Galvão da Silva Pai: Gildo Berto Gonzaga da Silva Mãe: Elizete Galvão Jorge

Aos pais e padrinhos a vida cristã destas crianças com como testemunho e apoio com a sua participação na vida da sua comunidade.


6

DIZIMISTA

Extrema, 11 de junho de 2011

O SANTUÁRIO EM SUAS MÃOS

Será que damos para Deus tudo que Dele recebemos? Deus criou o mundo e tudo que nele está, até nós, somos criados por Ele. Veja que belo. Deus fez o céu, a terra, os pássaros, a lua, o sol, as estrelas, as arvores, os animais, a areia e o mar. Tudo isso nós usamos, sempre, no nosso dia-a-dia, até nas nossas férias. Deus fez tudo isso de GRAÇA, nós, quando, devolvemos para Deus o que

é dele, devolvemos com má vontade, achando que estamos dando muito ou até nem queremos devolver. Isso é sermos mal agradecidos a Deus, estamos sendo escravos do dinheiro, estamos de corações endurecidos. Deus pode fazer tudo sem o nosso dízimo. Então porque devolver? A devolução nos ensina a ser mais despojados, amigos, solidários,

Aniversariantes - Mês de Junho 01 01 01 01 01 01 01 02 02 02 02 03 03 03 03 03 04 04 04 04 05 05 05 06 06 06 07 07 07 08 08 08 08 09 09

Matheus Henrique Cassemiro Lopes Benedito Donizetti Aparecido Rita de Cassia Silva Oton de Oliveira Freitas João Batista de Oliveira Wilma Alves de Andrade Neusa B. Fernandes Tavares Nadir Rosa João Custodio de Souza Berenice de Fátima Andrade Ana Cardine de Freitas Rodrigo Soares de Carvalho Sebastião Paula da Silva Rosinéia Cirilo Maria Eunice Leonardi Cunha Telma Aparecida Costa Eunice Aparecida de Andrade Silva Rita Fraides Vieira Maria Aparecida de Oliveira Ralise Amanda Leandra da Silva Batista Sebastião Sales de Almeida Pedro Fernando de Oliveira Geraldo Bendito Luiz José Adenir de Almeida João Batista de Oliveira Junior Brigida Vieira da Costa Oscar Correia de Souza Julia Francelina de Lima Vanessa Carla de Rosa Wolhers Simoni Gomes Lopes Lucia Helena Paula da Silva Geni Maciel Simmony Gomes Lopes Isabella Dias Onisto Ricardina Cardoso de Lima Pinto

menos orgulhosos, menos interesseiros e mais próximos de Deus, nosso Pai e dos irmãos e irmãs. O nosso dízimo é uma relação profunda e amorosa entre Deus e nós. É um elo de amor de filhos para com o pai. Esta relação acontece quando estamos ajudando a criança, o jovem, o adulto, os idosos e doentes, o indigente, o estrangeiro, os

09 09 10 10 10 10 10 10 11 11 11 11 12 12 13 13 13 13 13 14 14 15 15 15 15 15 15 15 15 15 16 16 16 16 17 18 18

necessitados, a paróquia, a comunidade. Tudo isso sempre com a nossa devolução amorosa, fiel e verdadeira. Sempre ouvi e você também já deve ter ouvido, que antes de devolver, partilhar e ajudar através do dízimo, a vida era difícil, muito complicada e depois que se passa a ajudar, através da doação, da partilha e com

Adriana M. Ramos Zamboti Roberto Carlos Languinhos de Jesus Patricia Aparecida Siqueira Cesar Adriana Maria de Almeida Cesar Cesani Walter Aparecido Morbidelli Renato Angelo Poulicer João Aparecido de Lima Vicente Ferreira de Freitas Aparecido de Almeida Rosineia Firmo de Oliveira Lima Daiane Machado Franco Kêmeli Raquel de Pádua Soares Antônio José Gomes de Morais Antônio Domiciano Antônio Gilberto Mateus Maria Antônia de Souza Fanti Valdomiro Almeida do Nascimento Jozina Aparecida Alvarenga Rosangela Aparecida Paulicer Diomar Almeida Maria de Lourdes Rocha da Luz Vilma Aparecida Gonçalves Gilli Eliane Cristina de Lima Solange Aparecida Cardoso Joaquim Francisco Augustinho Cristina Aparecida Silva de Oliveira Aparecida Vaz Pedroso Ademir Alves Pereira Dayane Aparecida de Souza Sarita Aparecida Guilherme Alessandro Xavier Mendes Deuxedia Alves Cardoso Luiz Carlos Ferreira Pó Viviane Angélica de Oliveira Sebastião Custódio Machado Maria Rita de Toledo

amor, nossa vida muda e parece que cada vez temos algo a mais,faça esta experiência,deixe o Espírito Santo agir em seu coração. Quanto menos ajudamos, maior será as nossas necessidades. Agora, quanto mais ajudamos, menos necessidades passamos. Viu isso é benção de Deus! Ele mesmo prometeu que nos daria esta benção. Leia na Bíblia, Ma-

18 19 19 20 20 20 20 20 21 21 21 21 22 22 23 23 24 24 24 24 24 24 25 25 26 27 27 28 28 28 28 28 28 28 28 29 30

laquias 3, 6 - 12. Se você já entrega o Dízimo com justiça, com amor com o seu coração, fique atento para identificar o que Deus está mudando em sua vida, para melhor. Deus é fiel! Se você não está entregando seu dízimo, reflita com carinho. Deus é misericordioso e compassivo. Pastoral do Dízimo.

Rosa Aparecida Caselatto Madilde Ribeiro da Costa Souza Sonia Maria Alvez Toledo Solange Pedrim dos Santos Batista José Carlos Siqueira César Iolanda Barbosa Bueno Maria Helena Bertolotti Din Sebastião Pedro de Oliveira Virgínia Gonçalves de Freitas Aparecido Casarin Jéssica Francisca Goes Maciel Luiz Gonzaga Lopes Adélio Pereira Costa Adilson Sergio Alvarenga Joana D’Arc Alves Nilza Messias João Batista Luiz Cleusa Aparecida de Oliveira Petrolina Meloazic Elia Euzébia João Benedito de Oliveira Zilda Eugenia P. Gabriel Batista de Toledo Leonardi Gabriele M. Freitas Simão Pedro de Almeida Maria Fermandina Pinheiro José Dionisio Vera Lucia Pereira Cardoso Maria José de Jesus Jaquicéle Nádis Oliveira João Lopes Gonçalves Carlos José da Silva Cleusa Pereira Campos Odete Luz da Penha Silva Ana Leticia Galante Marinho Rinaldo Rodrigues da Silva Atilio Gomes de Oliveira

Parabéns aos dizimistas aniversariantes do mês de junho! Convidamos todos vocês para a missa de seu aniversário no dia 26 de junho às 19h.


O SANTUÁRIO EM SUAS MÃOS

LAZER

Extrema, 11 de junho de 2011

7

Encontre no diagrama as palavras relacionadas à Festa Junina

Encontre os sete erros

Decifre o Código

Salmo 33,8


8

HISTÓRIA

Extrema, 11 de junho de 2011

O SANTUÁRIO EM SUAS MÃOS

CAPELA DE SANTO ANTONIO DOS BRITOS BAIRRO DOS PIRES Colaboração: Lourenço Alves De Oliveira / Joana Aparecida Hirata

Fachada da Capela

Santo Antonio é o Padroeiro da Comunidade dos Pires. Conta-se que a capela edificada em sua honra tem mais de 100 anos, pois, em 1922, José Alves Moreira, conhecido como José Brito, teria ampliado a pequena ermida que já existia naquelas paragens há muitos anos. A “Família Brito” era muito numerosa na região e foi uma das primeiras famílias a se estabelecerem nesse lugar, tornando o Bairro dos Pires conhecido também como “Bairro dos Britos”. O Bairro dos Pires, há mais de vinte anos, era tipicamente rural. Destacava-se na agricultura com as plantações de café, milho e feijão, cuja produção abastecia a cidade e era comercializada também nas cidades de Bragança Paulista e São Paulo. O Bairro tinha uma escola municipal denominada “Getúlio Vargas”, tendo alfabetizado muitas pessoas, que hoje são adultas e muitas já são anciãs. Os moradores não se esquecem dos nomes das pro-

fessoras Dona Irene Custódio, Rita Silva e Lila Onisto. Na década de 50 do século passado, iniciou-se a construção da Rodovia Fernão Dias, dividindo o Bairro dos Pires em duas partes. Com a abertura da Rodovia, melhorou o acesso às cidades paulistas vizinhas, trazendo benefícios econômicos para o bairro. Aos poucos, suas características rurais foram cedendo lugar a uma paisagem urbana, com forte presença industrial. Hoje, uma considerável área de terra é definida como Distrito Industrial. O guardião da capela, desde muitos anos, é o Sr. Lourenço Alves de Oliveira, conhecido como “Lourencinho”, filho de Pedro Alves de Oliveira e de Prudência Maria de Oliveira. Foi casado com Rosária Maria de Oliveira e tiveram dois filhos. O Sr. Lourenço, já idoso, com 89 anos de idade, nascido aos 19 de março de 1922, ainda cuida da capela com carinho e

Maria Vanda Olivotti

devoção. Diz ele que a comunidade sempre festejou, com muita animação, as festas de Santo Antonio, através de rezas, quermesses, bandas e shows de sanfona, estouro de foguetes e brincadeiras para as crianças. Os párocos, ao longo dos anos, deram a assistência religiosa devida, celebrando missas, atendendo aos fiéis em confissões e ministrando catequese. Sr. Lourenço conta que a primeira imagem de Santo Antonio era muito pequena, mas bem feita. Diz ele, com muito humor, que a imagem desapareceu da capela, de uma maneira muito curiosa. Foi roubada por uma jovem, que querendo casar-se com Joaquim Paula, fez uma simpatia com o “santo casamenteiro” escondendo a pequena imagem em um colchão de palha de sua casa. A imagem ficou com ela por um longo período, e só mais tarde uma pessoa da família encontrou a imagenzinha, mas com o Menino Jesus descolado dos braços de Santo Antonio. A imagem foi devolvida ao altar. Essa imagem já não existe mais. Quando a Capela foi reformada, reinaugurada e recebeu a bênção constitutiva pelo Pároco da época, Padre Adolfo Fabri, em 1º de janeiro de 1973, uma nova e artística imagem foi levada ao altar. Infelizmente, diz o Sr. Lourenço, essa imagem se quebrou devido a um vento muito forte que entrou pela janela. Uma nova imagem foi comprada que, atualmente, permanece no altar. O terreno, onde está con-

struída a capela, foi dado em promessa de doação à Arquidiocese de Pouso Alegre pelo seu sogro, o Sr. José Alves Moreira. No entanto, o sogro faleceu antes da regularização dos documentos para a lavratura da escritura, e esse lote de terra ficou em nome de Dona Rosária Maria de Oliveira, esposa do Sr. Lourenço. Mais tarde, aos 29 de maio de 1972, a Escritura Pública foi assinada por ele e por sua esposa, no Livro nº 19, fls.177, do Ofício do 1º Tabelionato de Notas, desta cidade de Extrema. Comunidade de Santo Antonio dos Britos reúne-se todas as sextas-feiras para a reza do terço e nos dias 13 de cada mês. A Santa Missa é celebrada uma vez por mês e os fiéis vão até o Santuário de Santa Rita, na cidade, para as missas dominicais e para as celebrações litúrgicas. As crianças recebem a catequese na Capela de São Benedito, na Fronteira. Além de ser guardião da capela, o Sr. Lourenço conserva com muito cuidado um documento histórico, referente a autorização da construção da capela e sua bênção assim expresso: “Ereção de Igreja Filial. Dom José D´Angelo Neto por mercê de Deus e da Santa Sé Apostólica. Arcebispo de Pouso Alegre. Ao Revmo. Sr. Padre Adolfo Fabbri, DD. Pároco de Extrema. Como nenhuma igreja pode ser construída sem consentimento expresso do Bispo Diocesano, dado por escrito, segundo estatui o § 1 do cânon 1166, o qual, para concedê-lo, há de

LIÇÕES DE VIDA NA ESCOLA DOS BICHOS Era uma vez um grupo de animais que quis fazer alguma coisa para resolver os problemas do mundo. Para isto, eles organizaram uma escola. A escola dos bichos estabeleceu um currículo de matérias que incluía correr, subir em árvores, em montanhas, nadar e voar. Para facilitar as coisas, ficou decidido que todos os animais fariam todas as matérias. O pato se deu muito bem em natação; até melhor que o professor! Mas quase não passou de ano na aula de vôo, e estava indo muito mal na de corrida. Por causa de suas deficiências, ele precisou deixar um pouco de lado a natação e ter aulas extras de corrida. Isto fez com que seus pés de pato ficassem muito doloridos, e o pato já não era mais tão bom nadador como antes. Mas estava passando de ano, e este aspecto de sua formação não estava preocupando a ninguém - exceto, claro, ao pato. O coelho era de longe o mel-

hor corredor, no princípio, mas começou a ter tremores nas pernas de tanto tentar aprender natação. O esquilo era excelente em subida de árvore, mas enfrentava problemas constantes na aula de vôo, porque o professor insistia que ele precisava decolar do solo, e não de cima de um galho alto. Com tanto esforço, ele tinha câimbras constantes, e foi apenas “regular” em alpinismo, e fraco em corrida. A águia insistia em causar problemas, por mais que a punissem por desrespeito à autoridade. Nas provas de subida de árvore era invencível, mas insistia sempre em chegar lá da sua maneira... Na natação deixou muito a desejar.... Moral da história Cada criatura tem suas capacidades e habilidades próprias, coisas que faz naturalmente bem, mas quando alguém o força a ocupar uma posição que não lhe serve o sentimento de frustração, desencorajamento, e

até culpa, provoca mediocridade e derrota total. Um pato é um pato; nada mais do que um pato. Foi feito para nadar, não para correr, e certamente não para subir em árvores. Um esquilo é um esquilo; nada mais do um esquilo. Se insistirmos em afastá-lo daquilo que ele faz bem, ou seja, subir em árvores, para que ele seja um bom nadador ou um bom corredor, o esquilo vai se sentir um burro. A águia faz uma bela figura no céu, mas é ridícula numa corrida a pé. No chão, o coelho

ganha sempre. A não ser, é claro, que a águia esteja com fome! O que dizemos das criaturas da floresta vale para qualquer pessoa. Deus não nos fez iguais. Ele nunca quis que fôssemos iguais. Foi Ele quem planejou e projetou as nossas diferenças, nossas capacidades especiais!! Portanto descubra em você estas qualidades e desfrute de sua paz interior... Descubra seus dons naturais.. E respeite cada um com as suas diferenças e construa a fraternidade na vida da comunidade.

Sr. Laurencinho

ainda ter em vista os dispositivos contidos nos §§ 2,3 e 4 do mesmo cânon, e depois de construída há de receber do Bispo Diocesano ou de seu legítimo delegado a bênção constitutiva, (cânon 1163) pela qual ela fica perpetuamente dedicada ao culto divino, cujo Titular só pela Santa Sé pode ser mudado, não se podendo, ademais, mudar os títulos dos altares móveis sem licença do Ordinário do lugar (cc.1168, § 1, 1201, § 3) pelo presente Decreto erigimos em igreja filial sob o Título de SANTO ANTONIO DOS BRITOS a que se construiu no lugar denominado Bairro dos Pires dessa paróquia. Autorizamos V. Revma. a dar à dita igreja filial a bênção solene, segundo o Ritual Romano (Tit.VIII, cap.27), de que após, deve Nos comunicar, além de registrá-lo no Livro do Tombo. Cúria Metropolitana de Pouso

Alegre, aos 23 de novembro de 1972 sob o sinal do Revmo. Vigário Geral e o selo de Nossas armas. (a) Mons. Octaviano Lamaneres – Vigário Geral. Prot. C 201/72. (a) ilegível) Chanceler do Arcebispo.” A igreja filial de Santo Antonio dos Britos conserva também nos lustres que pendem do teto, detalhes em folhas de cobre batido criados pelo artista Alfredo Mucci. Nessa pequena igreja além de muitos batizados, já foram celebrados casamentos e Missas em Ação de Graças, comemorando Bodas de Ouro, como aconteceu com o casal Lourenço Alves de Oliveira e Rosária Maria de Oliveira. A Comunidade de Santo Antonio dos Britos segue os caminhos do cristianismo, dando continuidade aos esforços dos primeiros cristãos que habitaram o bairro e semearam em seus limites a fé católica.

DIA 22 DO MÊS DIA DE GRAÇAS ESPECIAIS E BÊNÇÃOS NO SANTUÁRIO SANTA RITA DE EXTREMA. Venha participar da novena perpétua no Santuário Santa Rita de Extrema! Missa às 19h. Dia de Indulgência Plenária, por concessão apostólica para quem participa da novena com a Missa, aqui no Santuário! Dia 22 de junho, quarta feira, reúna a sua família, seus amigos, sua comunidade organize a sua romaria e venha participar em nosso Santuário! Informações pelo telefone (35)34351066 Horário de expediente de segunda a sexta das 8h às 17h, sábados das 8h às 11.30h. http://www.santuariosantaritadeextrema.org/ Santa Rita o acolhe com carinho!


O SANTUÁRIO EM SUAS MÃOS

ACONTECEU

Extrema, 11 de junho de 2011

9

O Padre Alexandre e a sua Ordenação Presbiteral

Com o gesto apostólico da imposição das mãos e a oração em nome da Igreja por sucessão apostólica e em nome do Magistério, ontologicamente o transformou. Ninguém viu ninguém sentiu, mas ele fez a mais profunda experiência de Deus da sua vida, um Deus que o

seduziu chamou, consagrou e o enviou em missão. As suas mãos são sacerdotais ungidas, ele agora age na pessoa de Cristo quem o vê, vê o Cristo. O que o padre consagra é Cristo quem consagra. O que o padre abençoa é Cristo quem abençoa. A quem o padre perdoa é Cristo

quem perdoa. O que o padre prega é Cristo quem prega, portanto o padre não gasta a sua vida em vão! Gasta a sua vida para Cristo e por Cristo. Não tem outro sentido o consagrado, o padre, gastar a sua vida em outros trabalhos senão aos inerentes a sua missão; •O que o padre pode fazer outros não poderão, •O que as mãos do padre executam nenhum outro profissional por mais capacitado que seja poderá realizar •O Padre, homem configurado ao Cristo para a missão especifica sacerdotal; evangelizar e ministrar os sacramentos, presidindo as comunidades como Pastor! O mundo, a Igreja necessita de padres para serem padres na totalidade, para serem sacerdotes, presidir as comunidades de Jesus e caminhar com todos e com Cristo que é caminho Verdade e Vida. Passa o tempo, passa a vida e o amanhã chega muito rápido e nem se percebe. O tempo que foi vivido não tem mais retorno!

Se este foi uma construção no amor e na caridade, na entrega, e na doação você dirá que valeu a pena! Mesmo quando o cansaço chegar, os cabelos estiverem realmente brancos e você perceber que o que foi feito foi bem feito para o Reino de Deus. A paz, mesmo que angustiante estará no seu coração... A Paz que Ele o Mestre prometeu! Não haverá arrependimento de ter a vida entregue! Não espere mais nada! Nem mesmo compreensão humana! E nem dos que dirigem a Igreja! O que ira valer tenha certeza, foi à força do trabalho, do serviço ministerial na gratuidade para o qual foi enviado e a alegria da missão de Jesus cumprida em meio ao povo das comunidades pelas quais passar! E com o apóstolo Paulo poderá dizer combati o bom combate... Não tema nunca! O Senhor o seduziu...

Cristo o vitorioso do Pai estará sempre ao seu lado! Que sua missão entre nós seja exclusivamente de padre, sacerdote e pastor. O mundo anda carente de pessoas de Deus, não de profissionais da fé, de técnicos da fé, artistas da fé, de super star, mas de padres cheios de Deus para levar a todos a conhecerem este Deus de

Amor e se amarem uns aos outros. Extrema continua acolhendo você com maior carinho! (Textos extraídos da saudação do Padre Reitor ao néo-sacerdote em sua primeira missa, dia 4 de junho de 2011, no Santuário Santa Rita de Extrema)


10

Extrema, 11 02 de junho abril de de2011 2011

HISTÓRIA GERAL

BEATA IRMÃ DULCE DOS POBRES Irmã Dulce nasceu em Salvador, no dia 26 de maio de 1914. Seu nome de batismo é Maria Rita Lopes Pontes, filha de Augusto Lopes Pontes e Dulce Maria de Souza Brito Lopes Pontes. Quando criança rezava muito e pedia sinais a Santo Antônio se deveria seguir a vida religiosa. Em 1927, Ela se manifesta, pela primeira vez, a vontade de entrar para o convento. Desde os treze anos ajudando mendigos, enfermos e desvalidos. Até que aos 18 anos seu pai aceitou a idéia de sua filha tornar-se freira. Em 1932, recebe o diploma de professora, pela Escola Normal da Bahia. Um ano mais tarde ingressa na Congregação das Irmãs Missionárias da Imaculada Conceição das Mães de Deus, do Convento de São Cristóvão, em Sergipe. Em 15 de agosto de 1934, faz os votos de profissão de fé religiosa. Em homenagem a sua mãe recebe o nome de Irmã Dulce. Após tornar-se freira, é enviada novamente a Salvador, para trabalhar como

O SANTUÁRIO EM SUAS MÃOS

PROCLAMAS DE CASAMENTOS Paróquia de Santa Rita de Extrema - Arquidiocese de Pouso Alegre - Setor Pastoral Fernão Dias. COM FAVOR DE DEUS QUEREM-SE CASAR Noivo: VALQUIR DE OLIVEIRA Lugar e data de nascimento: Londrina PR, 09 de Janeiro de 1978 Lugar do Batismo: São José dos Campos - SP Pai: Cláudio José de Oliveira Mãe: Maria Aparecida de Oliveira

enfermeira voluntária no Sanatório Espanhol por 3 meses. Irmã Dulce abrigava as pessoas doentes em casas arrombadas, ela também transformou o galinheiro de um convento num albergue para pobres. A Associação Obras Sociais Irmã Dulce foi fundada em 26 de maio de 1959, e instalada em 15 de agosto de 1959, data em que a Irmã Dulce recebeu o estatuto de fundação, de caráter filantrópico, e elaborado pelo seu pai. Em 1980, Irmã Dulce tem o seu primeiro en-

contro com o Papa João Paulo II. Fundou o Círculo Operário da Bahia, que além de escola de ofícios, proporcionava atividades culturais e recreativas. Quase não comia e não dormia. Os sacrifícios resultavam felicidade. Queria morrer junto aos pobres. Faleceu em 13 de março de 1992, aos 77 anos, no Convento Santo Antônio, depois de passar 16 meses internada. Desde então a sua obra passou a ser dirigida pela sua sobrinha, Maria Rita Lopes Pontes

Noivo: LEANDRO DINI Lugar e data de nascimento: Extrema - MG, 11 de Setembro de 1978 Lugar do Batismo: Extrema - MG Pai: Rui Dini Mãe: Maria Helena Bertolotti

Noiva: ADRIANA ROSARIA DE PAULA Lugar e data de nascimento: Extrema MG, 01 de Outubro de 1976 Lugar do Batismo: Extrema - MG Pai: Braz Pereira Paula Mãe: Cacilda da Luz Paula

Noiva: VALERIA DE CASSIA SANTANA Lugar e data de nascimento: Extrema MG, 27 de Março de 1982 Lugar do Batismo: Extrema - MG Pai: Cacildo Antonio Santana Mãe: Maria Helena de Oliveira Santana

Lugar e data do casamento: Extrema – MG, 17 de Junho de 2011, às 19:00h, na Capela São Pedro, Bairro do Jardim.

Lugar e data do casamento: Extrema MG, 25 de Junho de 2011, às 17:00h, na Igreja São Cristóvão.

NOVO HORÁRIO DE EXPEDIENTE PAROQUIAL Para criar maiores facilidades para os interessados o novo horário de funcionamento do Escritório Paroquial será o seguinte:

DE SEGUNDA A SEXTA FEIRA - DAS 8h00 ÀS 17h00 SÁBADOS - DAS 8h00 ÀS 11h30

SOLENIDADE DO CORPO E SANGUE DO SENHOR (CORPUS CHRISTI)

ENCONTRO DE NOIVOS Dia 23 de Junho de 2011 Missa às 16h no Santuário Após a Missa se faz a Procissão Trajeto da Procissão: Saindo do Santuário, Praça Presidente Vargas, subindo a Rua Olegário Maciel, virando à esquerda na Rua Maestro Benedito Coutinho, à esquerda na Rua Melo Viana, retornando à Praça Presidente Vargas até o Santuário.

A Paróquia Santa Rita de Extrema promove mais um ENCONTRO DE NOIVOS com a PASTORAL FAMILIAR. Você que já namora ( já são noivos) há algum tempo e pretende dar um passo a mais em sua VOCAÇÃO

MATRIMONIAL, venha participar conosco. Faça com antecedência sua INSCRIÇÃO NA SECRETARIA PAROQUIAL no horário de expediente (de Segunda-feira a Sexta-feira das 08h às 17h e aos Sábados das 08h às 11h30).

DIA DO ENCONTRO: 17 de Julho (Domingo) LOCAL: Salão Paroquial (Rua: João Suekuni, 75, Centro) HORÁRIO: Dia todo Pe. Márcio Mota de Oliveira


O SANTUÁRIO EM SUAS MÃOS

FATOS EM FOTOS

Extrema, 11 de junho de 2011

11

Confira Fotos da Festa de Santa Rita 2011

Milhares de fiéis com botões de rosas na mão acompanharam a procissão de Santa Rita

Os artistas enfeitadores do andor

Dom Ricardo proferindo a Homilia

A sexta missa do dia

Padre José Franco - Dom Ricardo - Padre Márcio

Festeiros 2011 - Família Bertolotti

Familiares dos festeiros recebendo os agradecimentos e homenagens

Quermesse

Show de Prêmios 2011

O tradicional e concorrido bolo da festa

Festeiros 2012 – Comunidade São Judas Tadeu e Nossa Senhora Aparecida (Bairro Morbidelli)

E a festa chegou ao fim que Santa Rita possa interceder a Deus por todos que colaboraram, nos muitos trabalhos em Prol do seu Santuário. Viva Santa Rita !!!


12

Extrema, 11 de junho de 2011

CALENDÁRIO

O SANTUÁRIO EM SUAS MÃOS

JUNHO/2011 1. CELEBRAÇÔES MISSAS - Dia 11 às 19:00 – Santuário - Dia 12 às 09:00 – Santuário - Dia 12 às 11:00 – Comunidade São Cristóvão – Bairro São Cristóvão - Dia 12 às 16:00 – Santuário - Dia 12 às 19:00 – Santuário - Dia 13 às 19:00 – Comunidade Santo Antonio – Bairro Roseira - Dia 14 às 19:00 – Comunidade Nossa Senhora das Graças – Bairro Bela Vista - Dia 14 às 19:00 – Comunidade Santa Cruz – Bairro Forjos - Dia 15 às 19:00 – Comunidade Santíssima Trindade – Bairro Agenor - Dia 15 às 19:00 – Comunidade Santo Antônio – Bairro Pires

- Dia 16 às 19:00 – Santuário - Dia 16 às 19:00 – Comunidade Santa Cruz – Bairro Barreiro - Dia 17 às 19:00 – Comunidade São Pedro – Bairro Jardim - Dia 17 às 19:00 – Comunidade São Sebastião – Bairro Posses “Festa” - Dia 18 às 19:00 – Santuário - Dia 19 às 09:00 – Santuário - Dia 19 às 11:00 – Comunidade São Cristóvão – Bairro São Cristóvão - Dia 19 às 16:00 – Santuário - Dia 19 às 19:00 – Santuário - Dia 21 às 19:00 – Comunidade São Nicolau – Bairro Matão - Dia 21 às 19:00 – Comunidade São Benedito – Bairro Salto do Meio

- Dia 22 às 19:00 – Santuário “Novena Perpétua de Santa Rita” - Dia 23 às 11:00 – Comunidade São Cristóvão – Bairro São Cristóvão “Corpus Christi” - Dia 23 às 16:00 – Santuário “Corpus Christ” – Celebração e Procissão - Dia 24 às 19:00 – Comunidade Santo Antonio – Bairro Furnas – Primeira Eucaristia - Dia 24 às 19:00 - Comunidade Santa Terezinha do Menino Jesus – Bairro Vila Rica - Dia 25 às 19:00 – Santuário - Dia 25 às 19:00 – Comunidade Santo Antônio – Bairro Roseira - Dia 26 às 09:00 – Santuário - Dia 26 às 11:00 – Comunidade São Cristóvão – Bairro São Cris-

tóvão - Dia 26 às 16:00 – Santuário - Dia 26 às 19:00 – Santuário – Dizimistas Aniversariantes - Dia 28 às 19:00 – Comunidade Nossa Senhora Aparecida – Bairro Rodeio - Dia 28 às 19:00 - Comunidade São Judas Tadeu e Nossa Senhora Aparecida – Bairro Morbidelli - Dia 29 às 19:00 – Comunidade Santíssima Trindade – Bairro Agenor - Dia 29 às 19:00 – Comunidade Imaculada Conceição – Bairro Godoy - Dia 30 às 19:00 – Santuário - Dia 30 às 19:00 – Comunidade Nossa Senhora Aparecida – Bairro Juncal

CELEBRAÇÕES DE BATIZADOS NO SANTUÁRIO - Dia 12/06 às 11:00h – Santuário - Dia 26/06 às 11:00h – Santuário

dade São Cristóvão – Bairro São Cristóvão - Dia 24 às 16:00 – Santuário - Dia 24 às 19:00 – Santuário - Dia 25 às 19:00 – Comunidade Nossa Senhora Aparecida – Bairro Rodeio - Dia 26 às 19:00 – Comunidade São Sebastião – Bairro Salto de Cima - Dia 27 às 19:00 - Comunidade Santíssima Trindade – Bairro Agenor - Dia 28 às 19:00 – Santuário - Dia 29 às 19:00 – Comunidade Santo Antônio – Bairro Roseira - Dia 30 às 19:00 – Santuário - Dia 31 às 09:00 - Santuário - Dia 31 às 11:00 – Comunidade São Cristóvão – Bairro São Cristóvão

- Dia 31 às 16:00 – Santuário - Dia 31 às 19:00 – Santuário

2. ENCONTROS - Dias 05, 12, 19, 26 das 17:30 às 18:30 – Encontro prévios dos jovens que farão o próximo TLC – Salão Paroquial - Dia 11 às 19:00 – Reunião Assessoria no Salão Paroquial - Dia 11 às 19:00 – Reunião Preparação TOLOCÂO - Dia 14 às 19:00 – Reunião Pastoral do Dízimo no Salão Paroquial - Dia 19 às 14:00 – Curso de Batismo – Salão Paroquial

JULHO/2011 1. CELEBRAÇÔES MISSAS - Dia 01 às 19:00 – Santuário “Campanha do Quilo” - Dia 02 às 19:00 – Santuário - Dia 03 às 09:00 - Santuário - Dia 03 às 11:00 – Comunidade São Cristóvão – Bairro São Cristóvão - Dia 03 às 16:00 – Santuário - Dia 03 às 19:00 – Santuário - Dia 04 às 19:00 – Comunidade Imaculada Conceição – Bairro Godoy - Dia 05 às 19:00 – Comunidade São Pedro – Bairro Jardim - Dia 06 às 19:00 – Comunidade Santíssima Trindade – Bairro Agenor - Dia 07 às 19:00 – Santuário - Dia 08 às 19:00 – Comunidade São Benedito – Bairro Salto do

Meio “Festa” - Dia 09 às 19:00 – Santuário - Dia 10 às 09:00 - Santuário - Dia 10 às 11:00 – Comunidade São Cristóvão – Bairro São Cristóvão - Dia 10 às 16:00 – Santuário - Dia 10 às 19:00 – Santuário - Dia 11 às 19:00 – Comunidade Santa Cruz – Bairro Forjos - Dia 12 às 19:00 - Comunidade Nossa Senhora das Graças – Bairro Bela Vista - Dia 13 às 19:00 – Comunidade Santíssima Trindade – Bairro Agenor - Dia 14 às 19:00 – Santuário - Dia 15 às 19:00 - Comunidade São Judas Tadeu e Nossa Senhora Aparecida – Bairro Morbidelli - Dia 16 às 19:00 – Santuário

- Dia 17 às 09:00 - Santuário - Dia 17 às 11:00 – Comunidade São Cristóvão – Bairro São Cristóvão - Dia 17 às 16:00 – Santuário - Dia 17 às 19:00 – Santuário - Dia 18 às 19:00 – Comunidade Nossa Senhora Aparecida – Bairro Juncal - Dia 19 às 19:00 - Comunidade Santa Terezinha do Menino Jesus – Bairro Vila Rica - Dia 20 às 19:00 - Comunidade Santíssima Trindade – Bairro Agenor - Dia 21 às 19:00 – Santuário - Dia 22 às 19:00 – Santuário “Novena Perpétua de Santa Rita” - Dia 23 às 19:00 – Santuário - Dia 24 às 09:00 - Santuário - Dia 24 às 11:00 – Comuni-

ADORAÇÃO DO SANTISSIMO SACRAMENTO NO SANTUÁRIO. - Dia 01/07 das 13:00 às 18:45 2. ENCONTROS - Dia 09 – Festa Junina do JUSV no Salão Paroquial - Dia 17 – Encontro de Noivos no Salão Paroquial - Dia 31 às 13:00h – Encontro Pastoral da Juventude – Setor Fernão Dias

De 05 a 10 de Julho - Feira Beneficente de Malhas no Salão Paroquial

Edição 26 | Jornal Santuario Santa Rita de Extrema  

Edição 26 do Jornal do Santuário de Santa Rita de Extrema