Issuu on Google+

ANO 1 - Nº 08 - MENSAL SÁBADO, 05 DE DEZEMBRO DE 2009

TENHAM TODOS UM ABENÇOADO NATAL EM FAMÍLIA!

Quando o ano está chegando ao fim, começa a expectativa em torno da comemoração do Natal de Jesus. Para nós, cristãos, é um tempo de preparação e de alegria. A espera do Nascimento de Jesus é apelo de conversão e de promoção da fraternidade e da paz. Para toda Igreja, momento de forte mergulho na mística cristã, pois é tempo para estarmos atentos e vigilantes, preparando alegremente a vida do Senhor. É tempo de espera e de esperança porque Cristo é a nossa esperança. (Cf. 1TM 1,1)

Proclamas de Casamento do mês de dezembro (Pág. 03)

Coluna: O Espaço Sagrado (VI) (Pág. 05)

Fatos históricos: Capelas do Salto de Cima e do Meio (Pág. 06)


2

OPINIÃO

Extrema, 05 de dezembro de 2009

O SANTUÁRIO EM SUAS MÃOS

O advento não é Natal... A COROA DO ADVENTO É ILUMINADA LENTAMENTE A CADA SEMANA EM ESPERAÇÃO PARA A CHEGADA DO CRISTO SENHOR DA LUZ. O mês de dezembro está chegando e a sensação que se tem é a de que todos estão sendo contaminados pelo “vírus do corre-corre”, tudo é depressa, tudo é de ultima hora. A pergunta é: - Correm pra onde? Por que correm? O comercio agita a todos em função do 13º Salário, as propagandas enchem os olhos de qualquer indivíduo. Alguns correm porque perderam tempo e outros correm para ganhar

tempo. Mas, pra onde? Já estamos no tempo do advento que não aparece tanto, pois ele fica sufocado entre as pressas e a falta de consciência de que ele ainda não é o Natal, pois para o mundo comercial os enfeites de lojas e propagandas já chegaram e junto a elas os enfeites de ruas e praças e, por vezes, já há muitos meses atrás, enquanto a Igreja que celebra o mistério da encarnação dentro de um tempo chamado ano litúrgico e não faz parte desta corrida de consumo, tem uma proposta de preservar o costume de não entrar por este caminho e

de não antecipar as alegrias natalinas, deixando para que o dia 25

DÁ-NOS A TUA PAZ Dá-nos, Senhor, aquela paz estranha que brota da luta Como uma flor de fogo; que rompe em plena noite Como um canto escondido; que chega em plena morte Como o beijo esperado. Dá-nos a paz dos que caminham sempre, nus de toda vantagem, Vestidos pelo vento da esperança. Aquela paz dos pobres, vencedores do medo. Aquela paz dos livres, amarrados à vida. A paz que se partilha na igualdade, como a água e a Hóstia. Aquela paz do Reino que vem vindo inviável e certo. Dá-nos a paz, a outra paz, a tua, Tu que és a nossa Paz! Dom Pedro Casaldáliga “Glória a Deus no alto dos céus, e paz na terra aos homens, por Ele amados (Lc 2,14).”

de dezembro, dia em que se celebra o nascimento de Jesus, seja uma explosão de vida e alegria, onde o mundo recebe o anuncio: “Vos anuncio uma grande alegria, nasceu-nos hoje o Salvador”, e o mundo se renova na confiança de um Cristo Deus Conosco. Não que Ele já não esteja presente aqui, agora, mas fazemos “memória e atualização” deste fato salvífico chamado Natal, para que cada pessoa humana tenha a oportunidade de se preparar no tempo do advento para celebrar as alegrias do Natal, porém, sem se esquecer que Ele já

veio, se faz presente e Ele voltará. Que o 2009º Natal, seja um novo Natal, seja para todos um momento de reflexão, de tomada de consciência que, apesar da fome, das guerras, da violência, da falta de vida, do mundo do narcotráfico, dos desmandos sociais, nós ainda creiamos e esperemos com alegria este anúncio. Que este anúncio venha cheio de esperança e de vida e a crença de que o Senhor estará hoje e sempre conosco. Vale a pena viver e crer nas propostas daquele que marcou o tempo e a eternidade.


PROCLAMAS

O SANTUÁRIO EM SUAS MÃOS

Extrema, 05 de dezembro de 2009

3

PROCLAMAS DE CASAMENTOS Paróquia de Santa Rita de Extrema Arquidiocese de Pouso Alegre Setor Pastoral Fernão Dias

COM FAVOR DE DEUS QUEREM-SE CASAR Noivo: JOSÉ HUMBERTO CORREIA LIMA Lugar e data de nascimento: Peruíbe - SP, 05/09/1964 Lugar do Batismo: Peruíbe - SP Pai: Manoel Correia Lima Mãe: Emilia Sabina de Brito Noiva: ARLETE DA SILVA LIMA Lugar e data de nascimento: Campina Grande-PB, 15/03/1960 Lugar do Batismo: Campina Grande - PB Pai: José Leite de Nóbrega Mãe: Maria das Neves Nobrega Lugar e data do casamento: Extrema–MG, 07/01/2010, às 09h, no Santuário. _____________________________________ Noivo: ROBERTO ALVES DE LIMA Lugar e data de nascimento: Ribeirão Pires - SP, 09/11/1988 Lugar do Batismo: Mauá - SP Pai: José Alves de Lima Mãe: Rosa Maria de Lima Noiva: MARCELA REGINA TOLEDO CARDOSO PINTO Lugar e data de nascimento: Extrema-MG, 17/11/1991 Lugar do Batismo: Extrema - MG Pai: Marcelo Donizetti Cardoso Pinto Mãe: Paula Regina de Toledo Cardoso Pinto Lugar e data do casamento: Extrema – MG, 09/01/2010, às 17h, na Igreja Santíssima Trindade. _____________________________________ Noivo: ARTHUR HENRIQUE DEMETER Lugar e data de nascimento: Itajubá - MG, 28 de Março de 1979 Lugar do Batismo: Itajubá - MG Pai: Luiz Demeter

Mãe: Maria Aparecida Carvalho Demeter Noiva: DANIELA APARECIDA DE MORAIS Lugar e data de nascimento: Extrema - MG, 21 de Setembro de 1978 Lugar do Batismo: Extrema - MG Pai: Antônio José Gomes de Morais Mãe: Nanci Silva da Cunha Morais Lugar e data do casamento: Vargem-SP, 09/01/2010, às 17h, na Igreja Santo Antônio. _____________________________________ Noivo: ADÃO EDUARDO DE SOUZA JUNIOR Lugar e data de nascimento: Bragança Paulista - SP, 21/12/1986 Lugar do Batismo: Bragança Paulista - SP Pai: Adão Eduardo de Souza Mãe: Simone Cherubin Costa de Souza Noiva: MICAELA FERNANDA ARAUJO MACEDO DA CRUZ Lugar e data de nascimento: Paulo Afonso - BA, 18/07/1992 Lugar do Batismo: Santo Antônio do Amparo - MG Pai: José Nildo Araújo da Cruz Mãe: Maria José de Macedo da Cruz Lugar e data do casamento: Extrema – MG, 16/01/2010, às 17h, no Santuário. _____________________________________ Noivo: FERNANDO MADUREIRA CAMARGO Lugar e data de nascimento: São Paulo - SP, 19/01/1986 Lugar do Batismo: São Paulo - SP Pai: Francisco Nivaldo Camargo Mãe: Maria Aparecida Madureira Camargo Noiva: MARIANA LEONARDI DE SOUZA Lugar e data de nascimento: Extrema - MG, 18/08/1984

Lugar do Batismo: Extrema - MG Pai: Ademir Alves de Souza Mãe: Mariza Leonardi Alves de Souza Lugar e data do casamento: Bragança Paulista - SP, 16/01/2010, às 21h, na Igreja Nossa Senhora do Rosário. _____________________________________ Noivo: PEDRO MORBIDELLI JÚNIOR Lugar e data de nascimento: Extrema – MG, 04/09/1987 Lugar do Batismo: Extrema - MG Pai: Pedro Morbidelli Mãe: Cleide Alves Morbidelli Noiva: LAÍS TOLEDO SAES PERES Lugar e data de nascimento: Extrema - MG, 05/04/1987 Lugar do Batismo: Extrema - MG Pai: Roberto Saes Peres Mãe: Rosely de Fátima Toledo Saes Peres Lugar e data do casamento: Extrema–MG, 29/01/2010, às 20h, no Santuário. _____________________________________ Noivo: VANDERLEI SIQUEIRA MORAIS Lugar e data de nascimento: São Paulo - SP, 31/07/1974 Lugar do Batismo: Aparecida - SP Pai: Adolfo Dias Morais Mãe: Adailde Siqueira Morais Noiva: LILIA FERNANDA DE OLIVEIRA Lugar e data de nascimento: Extrema - MG, 24/10/1985 Lugar do Batismo: Extrema - MG Pai: José de Oliveira Mãe: Aparecida Rodrigues de Oliveira Lugar e data do casamento: Extrema – MG, 30/01/2010, às 17h, no Santuário.


4

Extrema, 05 de dezembro de 2009

COTIDIANO

O SANTUÁRIO EM SUAS MÃOS

Todos os Santos... Finados... Consciência Negra... Bandeira... Proclamação da República... Cristo Rei... Ação de Graças... Início do Advento... Fazem de Novembro um mês bastante interessante e movimentado. Calor... Chuva... Vento... Enchentes... Sol... Também fizeram de novembro um mês cheio de contrastes... E nós leigos católicos vivemos com intensidade as programações de novembro. O Cemitério ficou colorido e bastante movimentado durante todo o dia de finados. Foi grande a manifestação de saudade diante de nossos mortos. O Curso de Liturgia realizado entre os dias 6 e 8 de novembro , proferido pela irmã Veronice, nos encheu de conhecimentos. Foram três dias de muita vivência, conscientização e oração. Os Ofícios Divinos realiza-

dos nos fizeram chegar mais perto de Deus. A Festa de São Cristóvão, fora de época, também foi um marco importante no mês de novembro; pois até a antiga Gincana de carros foi resgatada. PARABÉNS FESTEIROS!!! Dia de alegria, confraternização e muitas atividades, foi o Dia do Leigo, dia 22 de

novembro, onde também se comemora a Festa de Cristo Rei. Este ano foi comemorado na Escola Evandro Brito. Passamos um dia muito especial. Na abertura, o missionário MARCELO, fez uma oração lindíssima vivendo as palavras do Evangelho. Logo após, uma palestra sobre o Leigo, seu papel na vida social e política da Igreja, onde foram

palestrantes Vanda Olivotti, Alexandre e José Adriano. Em seguida uma Coroação bastante orante encerrou a primeira parte do dia. Mais tarde, várias dinâmicas foram realizadas, todas deixando uma mensagem da importância do outro em nossas vidas. Não vivemos sozinhos, precisamos do nosso irmão para toda nossa caminhada. Às 12 horas foi servido

um delicioso almoço seguido de mais dinâmicas, shows e bingo. O dia encerrou-se com uma Procissão orante pelas ruas da cidade até o Santuário, onde Padre José Franco celebrou a Santa Missa. Você que não pode participar de todos esses eventos, não sabe o que perdeu! Estamos vivendo uma Igreja mais aberta, voltada para uma vida mais partici-

pativa do leigo dentro das celebrações. No dia 22, também comemoramos o aniversário de Padre Márcio. Padre Márcio é mais um presente que a comunidade de Extrema ganhou. Padre Márcio, que sua vida seja repleta de muita PAZ, FÉ, ESPERANÇA e AMOR. Que sua caminhada entre nós perdure por muitos anos. PARABÈNS!!

Procissão dos Leigos - Rua Governador Valadares

Curso de Liturgia - de 06 a 08/11

Almoço comunitário no Curso de Liturgia

Almoço comunitário no Curso de Liturgia

Equipe da cozinha e almoço

As Celebrações do Tempo do Advento já começaram. São Missas, encontros e reuniões, onde fazemos orações e celebramos a Pala-

vra de Deus Pai. As famílias também já estão se reunindo para a novena de Natal. È a Preparação para a chegada do Natal. A

Marcelo na Abertura - Oração

Entrada da Procissão no Santuário

Maria Vanda Olivotti - Palestra

Momento de Descontração - Quadra da escola

Palestra - Auditório Assembleia atenta

Momento da Partilha - Caixa surpresa

Palestra - Momento de Debate

chegada De Cristo Jesus. O Grupo Peregrinos de Maria também já está realizando a novena de Natal passando por várias casa de

nossa cidade. O terço dos Festeiros de Santa Rita 2010 também continua toda 2ª. Feira. O grupo está bem unido e

com espírito de solidariedade e companheirismo. O sentido de espiritualidade está bem forte dentro de nós. Você festeiro que ain-

da não compareceu, precisa começar a frequentar nossas reuniões. Elas são bastante produtivas e evangelizadoras.


O SANTUÁRIO EM SUAS MÃOS

GERAL

Extrema, 05 de dezembro de 2009

5

O Espaço Sagrado (VI) (Continuando a nossa edição de novembro ainda falamos sobre o Pantocrator). O artista sacro não tem a intenção de retratar uma paisagem ou a realidade do corpo humano e vestes, mas submete-se ao Mistério como um sinal simbólico, isto é, o sinal de união que reina. Diante dela o homem apenas emudece, contempla e reza. A sua forma indica presença, é imagem do invisível e leva ao Mistério. O artista não pinta de qualquer forma a seu bel-prazer,

mas segue as tradições das iconografias e as suas formas, e não tem nada a ser analisado ou estudado, ali é sim, um prolongamento do Mistério da Encarnação que está sob a ação do Espírito Santo que nos remete ao transcendente. O Cristo colocado no centro do espaço do Santuário de Santa Rita de Extrema, tem estas características: ele foi concebido por meditação bíblica e oração e nele trabalharam três artistas: - Fernando Lambert,

artista plástico-sacro, com formação acadêmica em artes e arquitetura, com várias exposições, dentre as mais importantes, suas obras expostas e premiadas pelo MASP (Museu de Artes em São Paulo e catalogado); a assessoria bíblico-litúrgica de Padre José Franco, liturgista e mosaísta, gestor de vários projetos para espaço litúrgico em várias Igrejas e o auxiliar José Adriano de Oliveira, nas montagens dos mosaicos. A referência bíblica é o livro do Apoca-

Fernando Lambert na fase inicial

lipse e o nome dado a esta obra é Senhor da História. É Ele quem preside a nossa Igreja. Por que não está a cruz a ocupar o centro? A cruz é sempre sinal de

José Adriano na montagem dos mosaicos

sacrifício e vitória, portanto deverá ser uma cruz processional (entra sempre nas procissões para as missas). A arte deve estar a serviço da Palavra e da celebração e nunca deve

ser uma criação pessoal fora das circunstâncias da Igreja e alheia às propostas litúrgicas, ou seja, feita na visão comercial e em séries. Por esta razão a Igreja-edífício manifesta essa grandeza.

pequenos e dos jovens. Cuidar e educar significa ajudar o outro a desenvolver suas capacidades e talentos avançando enquanto ser humano. O desafio é, hoje, algo que permeia o ato de educar e cuidar, sendo necessário haver um comprometimento com a singularidade de cada criança ou jovem, ajudando-os a identificar suas necessidades e aprender a determinar prioridades. Este agir, fará com que a criança ou o jovem se torne mais independente e

autônomo num processo de autoconhecimento e valorização de si mesmo e do outro. Cabe, portanto, à família, à escola e à Igreja buscar novos caminhos ou um novo jeito de caminhar rumo à educação e ao cuidado com as crianças e jovens do século XXI. O bom observador está sempre buscando novas técnicas e novas soluções. Segundo Clarice Lispector, “é do buscar e não do achar que nasce o que eu não conhecia”.

Saber observar para saber agir Regina Lúcia Lambert Moreira – Psicopedagoga Clínica Não se pode entender o ser humano como possuidor de uma natureza construída e acabada. Ao contrário, ele é produzido e produtor, nunca pensado como algo acabado, mas em constante movimento e, assim, com ilimitadas possibilidades de ser. São, portanto, essas produções de subjetividades que constroem e define as formas de pensar, perceber, sentir e agir no mundo.

Observando a situação pela qual o mundo passa, haverá solução, principalmente tendo em vista a massificação dos meios de comunicação na sociedade atual de controle globalizado? Apesar de estarmos imersos neste mundo, independente da classe social a que estejamos vinculados, há sim, possibilidades de produzir rupturas, outras construções e conexões. Considerando que, o homem não nasce pronto, a quem cabe

a responsabilidade da construção de um ser humano “mais humano”? O conceito de infância sofre inúmeras modificações ao longo do tempo e para compreender essas mudanças deve-se reportar à Idade Média e ao início da Idade Moderna. Naquela época a criança era vista como um adulto em miniatura. Vestia-se como um adulto e o acompanhava como se fosse um. A infância, portanto, era um período breve. Mais tarde chega

a Revolução Industrial trazendo para a história uma revolução tecnológico-científica e junto com ela uma reestruturação na família, que por sua vez, passa a desenvolver uma consciência moral, pedagógica, e espiritual para seus filhos. E é exatamente aqui que surge a “criança-aluno” e não mais a “criança-adulto”. No entanto, percebe-se, cada dia mais, a ansiedade das famílias por não saber como agir, nem cuidar dos

Missões na comunidade Nossa Senha Aparecida - Bairro do Juncal (20/12/09) Nos dias 17, 18 e 19 de Dezembro vai acontecer na Comunidade Nossa Senhora Aparecida, bairro Juncal o Tríduo Missionário em preparação para as Missões Populares realizado pela Juventude Missionária no dia 20 de Dezembro. Dia 17, primeiro dia do Tríduo (Quinta-feira): Celebração Mariana às 19h; dia

18, segundo dia do Tríduo (Sexta-feira): Hora Santa Missionária às 19h; dia 19, terceiro dia do Tríduo (Sábado): Terço Missionário às 19h e, no dia 20, acontecerá as Missões Populares (visita às Famílias da Comunidade) realizadas pela Juventude Missionária. Encerramento das Missões na Comunidade com

a Santa Missa (Campal) às 17h Presidida pelo Pe. Márcio. Após a Missa haverá o evangelizashow para todos os presentes. “A Igreja deve cumprir sua missão seguindo os passos de Jesus e adotando suas atitudes (cf. Mt 9, 3536). Ele, sendo o Senhor, se fez servidor e obediente até à morte de cruz (cf. Fl

2,8); sendo rico, escolheu ser pobre por nós (cf. 2Cor 8,9), ensinando-nos o caminho de nossa vocação de discípulos e missionários. No Evangelho aprendemos a sublime lição de ser pobres seguindo a Jesus pobre (cf. Lc 6,20; 9,58) e a anunciar o Evangelho da paz sem bolsa ou alforje, sem colocar nossa

confiança no dinheiro nem no poder deste mundo (cf. Lc 10, 4ss). Na generosidade dos missionários se manifesta a generosidade de Deus, na gratuidade dos apóstolos aparece a gratuidade do Evangelho” (Aparecida, nº 31). O batismo faz do cristão discípulo e missionário. Consciente deste

compromisso você também está convidado para esse trabalho na comunidade Nossa Senhora Aparecida do bairro Juncal. Junte-se a Juventude Missionária. Organização: Juventude Missionária Apoio: Paróquia Santa Rita de Extrema


6

Extrema, 05 de dezembro de 2009

GERAL

O SANTUÁRIO EM SUAS MÃOS

Alfredo Brito da Cunha

Capelas do Salto de Cima e do Salto do Meio A capela é um pequeno recinto destinado ao culto religioso. O termo “capela”, cuja origem é da aedícula romana, pode ter a estrutura de uma verdadeira igreja isolada, ou vãos incluídos em obras maiores. Existem capelas famosas junto às antigas catedrais, principalmente, na Europa. Antigamente, dava-se o nome de “capelas” às igrejas ou oratórios sem qualificação paroquial, onde eram depositados tesouros e relíquias. A capela fazia parte também da arquitetura dos palácios, dos conventos e dos hospitais. Os portugueses quando descobriram o Brasil, trouxeram junto com os navegadores a fé cristã, expandindo-a, principalmente, com a evangelização feita pelos

padres jesuítas. Os bandeirantes que desbravaram o Brasil interior, em busca de ouro e de pedras preciosas ou à caça aos índios, levavam também a bandeira da fé e da devoção à Senhora Virgem Maria e aos Santos. Nesse contexto, Extrema teve, no início de sua existência, a sua primeira capela, em homenagem à Santa Rita de Cássia, no século XVIII. Na zona rural, existem muitas capelas que remontam há longas datas, tendo como padroeiro o Santo invocado pela comunidade. Algumas são capelas simples e outras melhores estruturadas. Todas são muito bem cuidadas pela dedicação dos fiéis, que participam das celebrações religiosas e das atividades sociais quan-

do programadas. Atualmente, o que se vê, além da titularidade do padroeiro, é uma estrutura que representa o bairro, a sua religiosidade, inserida no aspecto social, como centro cultural. No Salto de Cima, está localizada a capela de São Sebastião. Essa capela, além de evidenciar a devoção ao santo padroeiro, possui uma área de apoio bem expressiva, onde a comunidade manifesta a sua expressão social e a sua fé. Há mais de meio século, um devoto de São Sebastião, Sr. Servindo, construiu uma capela em homenagem ao Santo de sua devoção, que até hoje leva o seu nome, conforme relato do Sr. Bento Miloni, residente no bairro dos Bentos. No Bairro do Salto do

Meio, está a Capela de Nossa Senhora Aparecida, inaugurada em 1926, quase centenária, quando pároco era o Padre Serapio Giol. Teve a sua construção coordenada pelo comerciante José Aparecido Borges, cujo terreno foi doado à paróquia por Dona Joaquina, moradora da região. Diversos paroquianos, residentes no bairro, tomavam conta dessa capela, como os senhores Dirceu, Aparecido, e, por quase vinte anos o senhor Nestor e sua senhora, Dona Terezinha. Hoje as capelas vão sendo constituídas em comunidades locais, e cada capela tem o seu conselho comunitário com grupo de leigos eleitos para fazerem parte dos conselhos comunitários pastorais, que são os responsáveis pelas ca-

Salto de Cima

Salto do Meio

pelas. No interior da capela, há três afrescos de José Medeiros, pintor conhecido nas décadas de 20 e 30 do século passado. Tais pinturas foram posteriormente restauradas pela municipalidade. Em parceria, a pa-

róquia, a prefeitura juntamente com os fiéis fizeram reformas e ampliações no “Centro Comunitário, Cultural e Religioso”, composto de salões e quiosques. Viva as Capelas!

Origem do Dízimo Religioso! O Dízimo nas religiões Abraâmicas foi instituído na Lei de Moisés estipulado para manter os sacerdotes e a tribo de Levi, que mantinha o Tabernáculo e depois o Templo, já que eles não poderiam possuir herdades e territórios como as outras tribos. Também o dinheiro era usado para assistir os órfãos, viúvas e os pobres. Depois da destruição do Templo no ano 70 DC a classe sacerdotal e os sacrifícios foram desmantelados, assim os rabinos passaram a recomendar que os judeus contribuíssem em obras caritativas. Malaquias 3.10 – “Trazei todos os dízimos à casa do tesouro, para que haja mantimento na minha casa, e provai-me nisto, diz o Senhor dos Exércitos, se eu não vos abrir as janelas do céu, e não derramar sobre

vós bênçãos sem medida”. Dízimo Protestante A primeira menção de dízimo na Bíblia está registrado no livro do Gênesis, capítulo 14, referindo-se à uma atitude voluntariosa de Abraão, ora Abrão, quando depois de uma guerra, ele “deu o dízimo de tudo” a um sacerdote de quem pouco se sabe, chamado Melquisedeque. Após uma noite em que teve um sonho, Jacó, neto de Abraão, também comprometeu-se voluntariamente a dar dízimos - “oferecerei o dízimo de tudo que me deres”. Posteriormente, a lei de Moises previa um imposto de 10 porcento (dízimas) dos animais e colheitas recolhidos uma vez ao ano, registrado em Levítico 27. Há também um aspecto mais abrangente desse im-

posto, relatado em Deuteronômios 14, onde percebemse alguns aspectos que não foram explicitados em Levítico, como: razão de culto, interação familiar e auxílio a classe sacerdotal. Desde a Reforma as igrejas protestantes tradicionais crêem que sob a Graça o dízimo não é válido visto que o Sacrifício de Cristo cumpriu a Torá, houve o fim templo, e a crença no sacerdócio universal anulava a existência de uma casta sacerdotal. As igrejas protestantes tradicionais (reformadas, luteranas, anabatistas) utilizam-se várias formas para a manutenção, como subscrições, ofertas voluntária e em alguns casos fundos estatais. Mas mesmo assim a prática do dízimo é empregada hoje por várias denominações pentecostais ou neo-penten-

tecostais, principalmente na América Latina. Dízimo no Catolicismo Brasileiro No Brasil o dízimo voltou a ser implantado pela CNBB na Igreja Católica após 1969, quando o sistema de pagamento de taxas pelos serviços prestados pela Igreja haviam sido consideradas “pastoralmente inadequadas”. Por essa sugestão, os dízimos não tinham sentido meramente monetário, mas centravam-se em atender às necessidades das dimensões social, religiosa e missionária assumidas pela Igreja. Desde então não se utilizava mais a estipulação de porcentagem da renda dos adeptos, mas uma doação de compromisso de acordo com a sua possibilidade e disposição, uma proposta de

Rita Esposa

participação do fiel na Igreja. Todavia, a maioria das paróquias não possuía esta prática implementada. O Papa Bento XVI extinguiu o termo “dízimos” do quinto Mandamento da Igreja, conforme Compêndio do Catecismo da Igreja Católica por ele promulgado em 28 de junho de 2005 e republicado pela Conferência Nacional dos Bispos do Brasil. O Quinto Mandamento agora é assim: “Atender às necessidades materiais da Igreja, cada qual segundo as próprias possibilidades”. Deve-se considerar que a “pastoral do dízimo”, cuja expansão verificou-se nos últimos anos, num ato simplório, reduzira o antigo termo “dízimos” para o singular “dízimo”, que não encontrava outro significado senão a décima parte.

- O amor esponsal é comprometimento com a família. Nem os pais, nem a própria Rita poderiam ter previsto o sofrimento que a aguardava na sua vida de casada. Paulo Fernando, assim se chamava o marido, não demorou a mostrar o seu gênio mau, seus procedimentos incorretos e sua atração pela bebida. Para poder suportar tanto sofrimento, Rita se entregava cada vez mais à oração e a muitas penitências: doía-lhe, sobretudo, ver o marido afastado de Deus e se encaminhando para a perdição eterna. E Deus, que não se deixa vencer em generosidade, atendeu as suas preces: Paulo Fernando reconheceu seus erros, pediu perdão à esposa e voltou-se para Deus.

O Papa Bento XVI, extinguindo o termo “dízimos” trouxe à frase o seu real significado, ou seja, a obrigação de contribuir com as necessidades da Igreja, sem nenhuma relação com taxação de 10%. O dizimo é uma fonte de bênçãos. Contribuir com o dízimo é ficar aberto a ação de Deus, que contribui a quem sabe ser justo e generoso. O dízimo é uma via de mão dupla, à medida que somos generosos, Deus também é generoso conosco. Só podemos receber, quando a porta do nosso coração se abre para dar.


DIVERSÃO

O SANTUÁRIO EM SUAS MÃOS

Coloque na cruzadinha as palavras que completam as frases. No meio aparece o motivo da viagem para Belém:

Extrema, 05 de dezembro de 2009

7

Feliz Natal! Pinte e enfeite com purpurina.

1. Os anjos cantaram: __________________________________________a Deus.

Escreva uma linda mensagem e dedique a alguém.

2. Jesus nasceu na cidade de _________________________________________. 3. O anjo anuncia o Salvador, que é o _____________________________ Senhor. 4. O anjo diz: Anuncio uma grande _____________________________________. 5. José e Maria moravam em _________________________________________. 6. O menino que nasceu chamou-se _____________________________________. 7. Deitaram o menino numa ___________________________________________. 8. O menino era o _____________________________que Deus tinha prometido. 9. A mãe do menino era ______________________________________________. 10. O ______________________________ deu ordem para fazer o recenseamento. 11. O _______________________________anunciou o nascimento aos pastores. 12. Os ________________________________________ foram visitar o menino. 13. Maria era casada com _____________________________________________.

Calendário Paroquial – 15 de dezembro de 2009 a 15 de janeiro de 2010 NOVEMBRO DE 2009 1. CELEBRAÇÕES MISSAS - Dia 16 às 19h – Comunidade Santíssima Trindade - Dia 16 às 19h – Comunidade Fronteira - Dia 17 às 19h – Santuário - Dia 17 às 19h – Comunidade Juncal “Celebração Mariana – Tríduo Missionário” - Dia 17 às 19h – Comunidade Forjos - Dia 18 às 19h – Comunidade Matão - Dia 18 às 19h – Comunidade Pessegueiros - Dia 19 às 19h – Santuário - Dia 20 às 09h – Santuário - Dia 20 às 11h – Comunidade São Cristóvão - Dia 20 às 16h – Santuário - Dia 20 às 17h – Comunidade Juncal “Tríduo Missionário” JANEIRO DE 2010 1. CELEBRAÇÕES MISSAS - Dia 01 às 19h – Santuário - Dia 02 às 19h – Santuário - Dia 03 às 09h – Santuário - Dia 03 às 11h – Comunidade: São Cristóvão - Dia 03 às 16h – Santuário - Dia 03 às 19h – Santuário - Dia 07 às 19h – Santuário

- Dia 20 às 19h – Santuário - Dia 22 às 19h – Santuário “Novena Perpétua de Santa Rita” - Dia 22 às 19h – Comunidade Vila Rica - Dia 23 às 19h – Santuário - Dia 24 às 24h – Santuário “Natal” - Dia 25 às 19h – Santuário “Natal” - Dia 26 às 19h – Santuário “Jovens” - Dia 27 às 09h – Santuário - Dia 27 às 11h – Comunidade São Cristóvão - Dia 27 às 16h – Santuário - Dia 27 às 19h – Santuário - Dia 31 às 22h – Santuário “Ano Novo” CELEBRAÇÕES DE BATIZADOS NO SANTUÁRIO - Dia 27 às 11h - Dia 09 às 19h – Santuário - Dia 10 às 09h – Santuário - Dia 10 às 11h – Comunidade: São Cristóvão - Dia 10 às 16h – Santuário - Dia 10 às 19h – Santuário - Dia 14 às 19h – Santuário CELEBRAÇÕES DE BATIZADOS NO SANTUÁRIO - Dia 10 às 11h

CELEBRAÇÃO DE CASAMENTOS - Dia 18 às 20h – Casamento no Santuário de Carlos e Ana Cláudia - Dia 19 às 15h – Casamento no Santuário de Deive e Suelen - Dia 19 às 17h – Casamento no Santuário de José Roberto e Paola 2. ENCONTROS - Dia 18 às 19h - Encontro “Hora Santa Missionária – Tríduo Missionário – Comunidade Juncal” - Dia 19 às 19h – Terço Missionário – Tríduo Missionário – Comunidade Juncal” - Dia 20 das 09h às 17h – Missões da Juventude Missionária – Comunidade Juncal - Dia 20 às 14h – Curso de Batismo – Igreja São Cristóvão - Dia 30 das 19h30 às 21h00 – Encontro com as Famílias – Salão Paroquial

CELEBRAÇÃO DE CASAMENTOS - Dia 07 às 09h – Casamento no Santuário de José e Arlete - Dia 09 às 17h – Casamento na Santíssima Trindade de Roberto e Marcela 2. ENCONTROS - Dia 03 às 14h – Curso de Batismo – Salão Paroquial


8

Extrema, 05 de dezembro de 2009

EM FOCO

O SANTUÁRIO EM SUAS MÃOS

Em foco, o Natal É tempo de renovação de vida em Jesus que nasceu em nosso meio, Filho da Virgem Maria, a escolhida pelo Pai para ser a grande co-redentora na obra da salvação. Ele é o Filho de Deus que vem a nós para ser o nosso Salvador. O centro das celebrações natalinas é a pessoa de Jesus, para a qual nós devemos dar honra gloria e louvor. Historicamente, Ele nasceu no tempo do imperador Augusto e Quirino governador da Síria, na cidade de Belém, sua mãe Maria seu pai adotivo José (cf. Lc 2, 1-7), Ele Filho unigênito de Deus Pai. A celebração do Natal acontece no dia 25 de dezembro. Nas línguas latinas o vocábulo Natal deriva de Natividade, ou seja, referente ao nascimento de Jesus. Em inglês tem o sentido de ser literalmente “Missa de Cristo” – Christmas. Na língua alemã o seu significado é “Noite Bendita” – Weihnachten. Há inúmeros testemunhos de como os primeiros cristãos valori-

zavam cada momento da vida de Jesus Cristo, especialmente sua Paixão e Morte na Cruz e sua Ressurreição (Páscoa). No entanto, não era costume na época comemorar o aniversário e, portanto, não sabiam que dia havia nascido o Senhor. Os primeiros testemunhos indicam datas muito variadas, e o primeiro testemunho direto que afirma que Jesus Cristo nasceu no dia 25 de Dezembro é de Sexto Júlio Africano, no ano 221. Segundo as fontes de pesquisa, a festa já era celebrada em Roma no ano 336 DC. Na parte Oriental do Império Romano, comemorava-se em 7 de janeiro o seu nascimento, ocasião da festa do seu batismo, em virtude da não-aceitação do Calendário Gregoriano. No século IV, as igrejas ocidentais passaram a adotar o dia 25 de dezembro para o Natal e o dia 6 de janeiro para Epifania (que significa “manifestação”).

Graças Alcançadas Testemunho de fé e devoção a Santa Rita: Confie!

Há um ano e meio que sofria com um esporão no calcanhar, submeti a todos os tratamentos recomendados pelos médicos, só restava a cirurgia. Na festa de Santa Rita eu recebi um pacotinho de rosas secas, quando me lembrei, conversei com Santa Rita, pedi a ela sua intercessão e a sua fé a Jesus Cristo. Cozinhei as pétalas de rosas e

coloquei o calcanhar naquela água quente na medida que agüentava. Rezei nove terços e esperei. Hoje, passado dois meses não sinto mais nada, parece um sonho poder andar sem mancar. Agradeço a Deus Pai e seu Filho Jesus Cristo e a intercessão de Santa Rita esta Graça. Nelcy Gabelini (Extrema - MG)

Testemunho de fé e devoção a Santa Rita: Acredite! A mais de quinze anos que estou aqui em Extrema. Sempre gostei de música, até pedi para dedicar à Igreja, sendo muito devota de Santa Rita. Estou no coral a mais de cinco anos. O que me aconteceu foi o seguinte: Em uma das minhas caminhadas, por falta de sorte, escorreguei e caí. Foi um tombo muito violento, até que fraturei o pé na altura do tornozelo, não conseguindo sair do lugar. Lá estava eu estendida na rua, sem ao menos, alguém me socorrer. Passaram

vários carros e nenhum parou. Pedi que Santa Rita tocasse em algum coração e logo fui atendida, veio o socorro. Fiquei quarenta e dois dias na cadeira de rodas, sempre pedindo que Santa Rita me libertasse da cadeira e eu voltasse a andar. E hoje sem auxilio de andador ou bengala, estou novamente no Santuário graças a Santa Rita. Recebi esta grande graça e estou muito feliz! Obrigado meu Deus, obrigado Santa Rita! Petrolina (Extrema-MG)

Nesse dia comemora-se a visita dos Magos e a manifestação de Jesus como Luz para as nações. A celebração do Natal de Jesus foi instituída oficialmente pelo Papa

Libério, no ano 354 DC. Segundo estudos, a data de 25 de dezembro não é a data real do nascimento de Jesus. A Igreja entendeu que devia cristianizar as festividades pagãs que os vários povos celebravam o solstício de Inverno. Portanto, segundo certos eruditos, o dia 25 de dezembro foi

adaptado para que a data coincidisse com a festividade romana dedicada ao “nascimento do deus sol invencível”, que comemorava o solstício do Inverno. No mundo romano, a Saturnália, festividade em honra ao deus Saturno, era comemorada de 17 a 22 de dezembro, era um período de alegria e troca de presentes. O dia 25 de dezembro era tido também como o do nascimento do misterioso deus persa Mitra, o Sol da Virtude. Assim, em vez de proibir as festividades pagãs, forneceulhes simbolismos cristãos e uma nova linguagem celebrativa cristã. As alusões dos padres da igreja ao simbolismo de Cristo como “o sol de justiça” (Malaquias 4:2) e a “luz do mundo” (João 8:12), expressam a inculturação cristã. As evidências confirmam que se adotou a festa que era celebrada pelos romanos, o “nascimento do deus sol invencível” (Natalis

Invistis Solis), foi dado um novo sentido cristão. Segundo esse princípio, em tese, o Natal do hemisfério sul deveria ser celebrado em junho. O Natal tornou-se um grande feriado religioso e ainda é em muitos países, celebrando o nascimento de Jesus, Salvador, Deus Conosco. E a festa de Natal na sua família, qual o sentido cristão ela vai ter? A nossa Missa de Cristo (Christmas), no Santuário de Santa Rita de Extrema será à meia noite, porque é à noite bendita (Weihnachten), onde Deus se manifesta em plenitude para todos nós. A festa é nossa, mas a festa é, antes de tudo, cristã, porque nós receberemos nesta noite o grande e maior presente que Deus nosso Pai nos dá! Ele não precisa de nossos presentes, somos nós que D’Ele precisamos. E o seu presente para nós tem um nome: - Jesus Cristo! É Natal!


Edição 08