Page 1

Opinião Por que Maria?

Pág.

02

Pág.

História Movimento Carismático Católico

Pág.

Dizimista

04

Mensagens sobre o Dízimo

O Santuário Em suas mãos

10

Ano IV - n 41 Sábado, 08 de Setembro de 2012

Pe. Franco com bandeira do Brasil (Angelus)

1ª PEREGRINAÇÃO DO SANTUÁRIO No dia 17 de agosto logo após amanhecer, às 8horas com a Missa de envio no Santuário em Extrema, partiram 52 pessoas em peregrina-

ção para Cássia (Itália). Dia 18 desembarcaram em Tel-aviv, a peregrinação passaria pela Terra Santa e dia 19 Tiberíades, era o primeiro

local. Esta cidade com aproximadamente 2.000 anos, palco de grandes fatos históricos para o judaísmo, encontramos o Monte Carmelo e a

nossa primeira Missa foi sobre a gruta do Profeta Elias, na Igreja Stela Maris. Nesta Igreja da ordem do Carmo, os peregri-

nos por cortesia do seu diretor espiritual Padre José Franco receberam o escapulário da Ordem do Carmo e iniciamos o tempo de peregrinação

na região de Cesárea Marítima, Haifa com a Igreja de São Pedro e a casa de Cornélio onde o Apóstolo Paulo se abrigou. (Pág. 11)


Pág.

02

Opinião

Ano IV - n 41 Sábado, 08 de Setembro de 2012

Por que Maria? POR QUE A IMAGEM DE NOSSA SENHORA APARECIDA OCUPA UM LUGAR DE DESTAQUE EM NOSSO SANTUÁRIO? Penso que nos ficará clara e mais fundamentada esta resposta quando a buscamos em fontes fidedignas. E nada melhor do que consultar o grande e maior Papa do século XX, o Papa Paulo VI, que foi o Papa pós Concílio Vaticano II, e que neste ano celebra 50 anos, e a missão do Papa Paulo VI foi belíssima e árdua. Entre todas, a de dar inicio e à viabilização das propostas conciliares. Entre documentos que expressam as orientações pós-conciliares se encontra a famosa Exortação Marialis Cultus. A Igreja, sempre por meio dos Concílios, procurou combater as falsas interpretações e acusações infundadas dos proselitismos diversos, por meio de Documentos Conciliares com base nas Sagradas Escrituras, na Tradição dos Santos Padres e no Magistério da Igreja, dando ao Povo de Deus uma doutrina sólida e consistente capaz de afugentar toda e qualquer dúvida quanto à realização do Plano de Deus para nossa salvação na única Igreja fundada por Jesus Cristo, e que Ele constituiu como Povo de Deus escolhido, a caminho do Reino

dos Céus. A Exortação Apostólica Marialis Cultus (MC) do Papa Paulo VI, nasceu sob a inspiração da Sacrossanctum Concilium, (SC) “a qual se propunha, exatamente, restaurar e fomentar a Liturgia, tornando mais profícua a participação dos fiéis nos sagrados mistérios” (SC 1-3). Na introdução de sua Exortação Apostólica, Paulo VI lembra que o objetivo da reforma litúrgica proposta pelo Concílio é “dar realização ordenada à restauração do culto com o qual a Igreja, em espírito e verdade (cf. Jo 4,24), adora o Pai, o Filho e o Espírito Santo, “venera com particular amor Maria Santíssima, Mãe de Deus” (SC 103), e honra com religioso obséquio a memória dos mártires e dos outros santos.” (MC). Trata-se da “reta ordenação e desenvolvimento do culto à bem-aventurada Virgem Maria”, como ele mesmo exorta: “a história da piedade demonstra que “as diversas formas de devoção para com a Mãe de Deus, que a Igreja aprovou, dentro dos limites da doutrina sã e ortodoxa” (LG 66) se desenvolvem em subordinação harmôni-

ca ao culto de Cristo, e gravitam à volta deste, qual ponto de referência natural e necessário das mesmas.” (MC). Pois, quando a liturgia “volve o seu olhar quer para a Igreja primitiva, quer para a contemporânea, aí encontra, amiúde e sem esforço, Maria: nos primórdios, como presença orante, juntamente com os Apóstolos; mais proximamente, como presença operante, juntamente com a qual a Igreja quer viver o mistério de Cristo”. (MC) Na última parte da Marialis Cultus, Paulo VI dedica ao estudo e recomendação do Santo Rosário, destacando o seu caráter de oração evangélica e contemplativa, coerente com a oração litúrgica da Igreja; assim disposto em sua forma: “a) a contemplação, em comunhão com Maria, de uma série de mistérios da Salvação, sapientemente distribuídos em três ciclos que exprimem: o gozo dos tempos messiânicos; a dor “salvífica” de Cristo; e a glória do divino Ressuscitado que inunda a Igreja. Uma tal contemplação, pela sua natureza, conduz à reflexão prática e suscita

O Santuário Em suas mãos

Endereço: Praça Presidente Vargas, 09 - Centro Extrema/MG Telefone: (35) 3435-1066 e-mail: santuario@santuariosanta ritadeextrema.org

Supervisão: Reitor José Franco Projeto Gráfico: Idea Publicidade Jornalista: Maiara Domingues Pereira MTB/JP: 13.411/MG Diagramação: Idea Publicidade Revisão de Texto: Romilda de Oliveira Paula

Tiragem: 3000 exemplares Colaboradores: Pe. Márcio Mota de Oliveira Pe. Alexandre Acácio Nogueira Maria Vanda Olivotti Enedéborah M. Cunha Olivotti Samantha Peres Calderaro Caroline Maria Bernal José Arimatéia C. Ribeiro José Adriano de Oliveira

O Jornal O Santuário em sua mãos é uma publicação da Idea Publicidade, sob o CNPJ 10 341538/0001-13


Opinião

Ano IV - n 41 Sábado, 08 de Setembro de 2012

Pág.

03

Por que Maria? POR QUE A IMAGEM DE NOSSA SENHORA APARECIDA OCUPA UM LUGAR DE DESTAQUE EM NOSSO SANTUÁRIO? lantes normas de vida”. (MC). Acrescente-se aos mistérios acima citados a contemplação de um quarto Mistério, chamado de Luminoso pelo Papa João Paulo II em sua CARTA APOSTÓLICA ROSARIUM VIRGINIS MARIAE; que trata “dos mistérios da vida pública de Cristo entre o Batismo e a Paixão... Onde contemplamos aspectos importantes da pessoa de Cristo, como revelador definitivo de Deus”. (RVM).“b) a Oração Dominical, ou Pai-Nosso, que, pelo seu imenso valor, está na base da oração cristã e a nobilita nas suas diversas expressões; c) a sucessão litânica da Ave-Maria, que resulta composta da saudação do Anjo à Virgem Santíssima (cf. Lc 1,28) e do bendizente obséquio de Isabel (cf. Lc 1,42), ao que se segue a súplica eclesial Santa Maria; d) a doxologia Glória ao Pai, que, em conformidade com uma orientação generalizada da piedade cristã, encerra a oração com a glorificação de Deus, uno e trino, do qual, pelo qual e para o qual são todas as coisas (cf. Rm 11,36). Estes são, pois, os ele-

mentos do santo Rosário. Cada um deles tem a sua índole própria, que, acertadamente compreendida e apreciada, deve refletir-se na recitação, a fim de que o mesmo Rosário exprima toda a sua riqueza e variedade”. (MC). Paulo VI termina sua Exortação Apostólica convidando todos os cristãos à rezarem o Santo Rosário especialmente em família. E se quisermos, entre a solidez e seriedade doutrinária, podemos consultar também o Catecismo da Igreja Católica que nos apresenta. IGREJA E MARIA A IGREJA ATINGE A PERFEIÇÃO EM MARIA “Enquanto na beatíssima Virgem a Igreja já atingiu a perfeição, pela qual existe sem mácula e sem ruga, os cristãos ainda se esforçam por crescer em santidade, vencendo o pecado. Por isso elevam seus olhos a Maria” ela, a Igreja é já a toda santa. LUGAR DE MARIA NO MISTÉRIO DA IGREJA Na Igreja, esta comunhão dos homens com Deus pela “caridade que nunca passará” (1 Cor 13,8) é a finalidade que

comanda tudo o que nela é meio sacramental ligado ao mundo presente que passa Sua estrutura se ordena integralmente à santidade dos membros do corpo místico de Cristo. E a santidade é medida segundo o ”grande mistério”, em que a Esposa responde com o dom do amor ao dom do Esposo, Maria nos precede a todos na santidade, que é o mistério da Igreja como “a Esposa sem mancha nem ruga”. Por isso, “a dimensão ‘marial’ da Igreja antecede sua dimensão ‘petrina’” MARIA - MÃE DE CRISTO, MÃE DA IGREJA Depois de termos falado do papel da Virgem Maria no mistério de Cristo e do Espírito, convém agora considerar lugar dela no mistério da Igreja. “Com efeito, a Virgem Maria (...) é reconhecida e honrada como a verdadeira Mãe de Deus e do Redentor. (...). Ela é também verdadeiramente ‘Mãe dos membros [de Cristo] (...), porque cooperou pela caridade para que na Igreja nascessem os fiéis que são os membros desta Cabeça’” (...) Maria, Mãe de Cristo, Mãe

da Igreja. A maternidade de Maria com relação à Igreja TOTALMENTE UNIDA A SEU FILHO... O papel de Maria para com a Igreja é inseparável de sua união com Cristo, decorrendo diretamente dela (dessa união), “Esta união de Maria com seu Filho na obra da salvação manifesta-se desde a hora da concepção virginal de Cristo até sua morte” Ela é particularmente manifestada na hora da paixão de Jesus: A bem-aventurada Virgem avançou em sua peregrinação de fé, manteve fielmente sua união com o Filho até a cruz, onde esteve de pé não sem desígnio divino, sofreu intensamente junto com seu unigênito. E, com ânimo materno, associou-se a seu sacrifício, consentindo com amor na imolação da vítima por ela gerada. Finalmente, pelo próprio Jesus moribundo na cruz, foi dada como mãe ao discípulo com estas palavras: “Mulher, eis aí teu filho” (Jo 19,26-27). Após a ascensão de seu Filho, Maria “assistiu com suas orações a Igreja nascente”. Reunida com os apóstolos

e algumas mulheres, “vemos Maria pedindo, também ela, com suas orações, o dom do Espírito, o qual, na Anunciação, a tinha coberto com sua sombra”. TAMBÉM EM SUA ASSUNÇÃO... “Finalmente, a Imaculada Virgem, preservada imune de toda mancha da culpa original, terminado o curso da vida terrestre, foi assunta em corpo e alma à glória celeste. E para que mais plenamente estivesse conforme a seu Filho, Senhor dos senhores e vencedor do pecado e da morte, foi exaltada pelo Senhor como Rainha do universo.” A Assunção da Virgem Maria é uma participação singular na Ressurreição de seu Filho e uma antecipação da ressurreição dos outros cristão. MARIA E O SANTUÁRIO DE SANTA RITA DE EXTREMA Toda Igreja (Templo) está como sinal da Jerusalém celeste que nos recorda que Deus desceu a terra e armou a sua Tenda meio aos homens e o templo se tornou um símbolo do Cristo presente em nosso meio. Cristo é o Templo (a Tenda). Ele ocupa

o seu centro! É costume salutar, lembrando que a Igreja é constituída nos céus e na terra, e dar aos templos uma referencia da presença dos santos que participaram ativamente em suas vidas nos templos terrestres e hoje estão entre a multidão de veste branca diante do Pai na Igreja celeste. Por isso a primeira devoção do nosso Santuário é Santa Rita de Cássia, nossa Padroeira, mas, quando na elaboração do estatuto, para a instalação deste Santuário em 2008 como pede a Igreja, nós fizemos constar, justamente pelos motivos apresentados e somando a devoção de nosso Povo de Deus, a devoção mariana, pois Maria ocupa em toda Igreja o seu local privilegiado e especial. O Santuário Santa Rita de Extrema, ao oficializar a sua elevação, manifestou o carinho todo especial do Povo de Deus e Católico de Extrema para com a Mãe de Deus e nossa Mãe! E por ser Ela a Rainha e não a nossa Santa Padroeira, Maria na sua imagem, encontra se em destaque em nosso Templo como Rainha dos Céus e da Terra. Amém! Pe. José Franco.


Pág.

04

História

Ano IV - n 41 Sábado, 08 de Setembro de 2012

MOVIMENTO CARISMÁTICO CATÓLICO MARIA VANDA OLIVOTI | COLABORAÇÃO: Joelma Paula de Morais de Oliveira

A Renovação Carismática Católica, intitulada, atualmente, de Movimento Carismático Católico, nasceu em Pittsburgh, Pensilvânia, Estados Unidos, na década 60, do século passado. Teve a influência da Renovação Carismática Episcopal, da Igreja Pentecostal, de origem protestante. A Renovação Carismática Católica (RCC) preocupava-se em desenvolver a “experiência com Deus”, através da oração, de modo especial, invocando o Espírito Santo para a prática de seus Dons. No Brasil, o movimento surgiu na cidade de Campinas, por meio dos padres Haroldo Joseph Rahm e Eduardo Dougherty. Na maioria das cidades, teve origem nos Movimentos de

Casais, nos Cursilhos e nos Grupos de Juventude, principalmente nos TLC. O movimento comporta uma mística própria, como o “Batismo no Espírito”, a “Experiência de Oração no Espírito Santo”, o “Desenvolvimento dos Dons do Espírito Santo”, principalmente, o “Dom de Línguas”. Respeitam os Dogmas da Igreja Católica, alimentam uma devoção especial a Nossa Senhora e participam, assiduamente, da Celebração Eucarística. Utilizam canções próprias, de louvor, de adoração, de súplica e de pregação. Muitas delas tiveram origem em músicas evangélicas pentecostais. São entusiastas da Evangelização e pregam o poder de Jesus para libertar e perdoar os peca-

dos. Na Arquidiocese de Pouso Alegre, o movimento iniciou sob a orientação do Mons. Mauro Tommasini, em 1977. Atualmente, o orientador espiritual da Renovação Carismática Arquidiocesana é o Rvdmo. Padre Dr. Dionísio Ailton Pereira e o moderador é o Sr. Tácito José Andrade Coutinho, conhecido por Tatá. A Renovação Carismática Católica da Arquidiocese de Pouso Alegre é um Movimento Eclesial de Direito Arquidiocesano. Constitui uma Comunidade Eclesial denominada de Comunidade Javé Nissi, que significa “O Senhor é minha Bandeira” (Ex.17,15). Na Paróquia de Santa Rita de Extrema, a Renova-

ção surgiu no ano de 1978, com o Sr. José Roberto Pierucci, de saudosa memória. Os primeiros adeptos, entre outros, foram Vilma Sales de Souza e Ruy Rezende de Souza, Mauri Bueno de Andrade e Ruth Martson de Andrade, Irene Custódio, Lázara M. De Oliveira, Plinio de Oliveira, Kemely D´Alma Fernandes Silva, Rosálio Borges, Maria Aparecida Cardoso Borges, Dona Aparecida do Otelo, Dona Zorica, Sebastião Carvalho e Regina Carvalho, Lourdinha Suekuni, Aparecida de Souza Braga (Maria do Valdemar), Joel Paula de Morais e Ordália de Oliveira Morais e tantos outros. Todos tiveram uma participação considerável nos trabalhos paroquiais, durante as Campanhas da

Fraternidade, nos Movimentos de Evangelização e de liturgia, nos serviços de barracas beneficentes, no atendimento aos doentes e necessitados, nas reuniões de comunidades de base, nos cursos de batismo e de noivos e na catequese infantil. Reuniam-se todas as quintas-feiras, no Santuário de Santa Rita, para a Grande Oração. O templo ficava lotado em todas as Orações. Atualmente, o Movimento Carismático Católico, em Extrema, é caracterizado juridicamente como Associação Carismática Mariana, regida por Estatuto próprio, dirigida por uma diretoria, cujo Presidente é o Sr. Waldir Marques de Oliveira, o Vice é o Sr. Antonio Carlos Lopes e a

Secretária, Joelma Paula de Morais de Oliveira. A Comunidade tem sede própria, com endereço na Rua Governador Valadares, nº 421, cujo imóvel foi comprado pelo esforço do próprio Movimento. Seus membros construiram a “Casa de Oração Nossa Senhora das Graças”. O Movimento reune-se às quintas-feiras, para a Assembléia de Oração, atendendo também o Grupo de Oração de Criança, denominado de Ministério de Samuel. Às segundas-feiras, a Comunidade de Serviço reune-se para oração e acertos de trabalhos. O Movimento atende também a um grupo de jovens, aos domingos, às 17horas, denominado de Ministério Marcos; às terças-feiras, o Ministério Moisés reune-


História

Ano IV - n 41 Sábado, 08 de Setembro de 2012

Pág.

05

MOVIMENTO CARISMÁTICO CATÓLICO MARIA VANDA OLIVOTI | COLABORAÇÃO: Joelma Paula de Morais de Oliveira -se para rezar por toda a Igreja; e o Ministério Rafael reune-se também às terças-feiras e reza pelos doentes, visitando o hospital e casas de famílias nas quais há enfermos. O Ministério Pedro reune-se, uma vez por mês, para os serviços de evangelização nas ruas ou na sede. Está em via de execução o Ministério Ágape, que atenderá às famílias, evangelizando e orientando-as. Há também Seminários, com pregações e partilhas. O Movimento colabora com as famílias carentes, em parceria com as Conferências dos Vicentinos. O Movimento, originário da mística e das dinâmicas pentecostais protestantes, teve por parte de muitos párocos, certa rejeição. No entanto, confiante na Ação do Espírito Santo seguiu em frente e, atualmente,

conta com 20.000 grupos de oração em todo o país. A Conferência Nacional dos Bispos do Brasil (CNBB), no Documento 53, coloca a Renovação Carismática como uma das “múltiplas e novas expressões de fé e coerência cristã”, quando diz que o Espírito “continua renovando a Igreja através de múltiplas e novas expressões de fé e coerência cristã. Podemos enumerar como frutos do Espírito os novos sujeitos da evangelização; a expansão e vitalidade das CEBs; movimentos de renovação espiritual e pastoral; a própria RCC; o engajamento de leigos na transformação da sociedade; a leitura da Bíblia à luz das situações vividas na comunidade; a liturgia mais participada com a riqueza de seus ritos e simbologia; a busca de

evangelização inculturada; a fidelidade de muitos na vida quotidiana; as lutas do povo para a implantação dos direitos humanos; a prática da justiça e da promoção social”. A mesma Conferência Nacional dos Bispos do Brasil “atenta as manifestações de piedade dos fiéis católicos”, recomenda, no Documento 53, que “se evite algumas práticas, como o “Repouso no Espírito”, na qual as pessoas parecem estar desmaiadas durante a oração, apesar de permancerem conscientes do que acontece ao seu redor. Assim como com as preocupações exageradas com o Demônio e as Orações em Línguas. Assim diz o Documento: “63 - Orar e falar em línguas: O destinatário da oração em línguas é o próprio

Deus, por ser uma atitude da pessoa absorvida em conversa particular com Deus. E o destinatário do falar em línguas é a comunidade. Como é difícil discernir, na prática, entre inspiração do Espírito Santo e os apelos do animador do grupo reunido, não se incentive a chamada oração em línguas e nunca se fale em línguas sem que haja intérprete.” “65 - Em Assembléias, grupos de oração, retiros e outras reuniões evite-se a prática do assim chamado “repouso no Espírito”. Essa prática exige maior aprofundamento, estudo e discernimento. (...)” “68 - Procure-se, ainda, formar adequadamente as lideranças e os membros da RCC para superar uma preocupação exagerada com o demônio, que cria ou refor-

ça uma mentalidade fetichista, infelizmente presente em muitos ambientes.” A liderança do Movimento Carismático Católico, em Extrema, está atenta às determinações da CNBB e procura ter um entrosamento com o Pároco para que seus trabalhos sejam, exclusivamente, para a Maior Glória de Deus. Em pronunciamento na Revista “Javé Nissi”, de fevereiro de 2012, em comemoração aos 35 anos de Renovação Carismática na Arquidiocese, assim diz Dom Ricardo Pedro Chaves Pinto Filho, Arcebispo Metropolitano, aos membros da Renovação Carismática Católica: “ Neste ano de 2012, festejando os 50 anos da Arquidiocese, me alegro em poder junto com vocês, celebrar os 35 anos de trabalho e evan-

gelização. Rogo ao Pai que continuem prestando seu serviço à Igreja, sempre em comunhão com a caminhada diocesana. Recebam a minha bênção de pai e pastor como estímulo para o trabalho.” O Jornal “O Santuário em suas Mãos” encerra essa matéria, rezando ao Senhor Deus pelo Movimento Carismático Católico, conforme o Documento 53: “ Pedimos a Deus que abençoe os membros da RCC e a todos que se empenham, nos dias de hoje, com humildade e confiança a viver a vocação à santidade e o compromisso missionário. Maria, Mãe da Igreja, interceda para que todos, no seguimento de Jesus Cristo, aspirando aos diversos dons do Espírito, procurem sempre o amor que permanece” (1 Cor 14,1).


Pág.

06

Geral

Ano IV - n 41 Sábado, 08 de Setembro de 2012

TERÇO DOS HOMENS - POR QUE SÓ HOMENS? O Terço dos Homens quer atingir toda a família. Espera-se que a esposa, que por norma está mais sintonizada com o sentido religioso, deve ser o elemento chave convidando o marido e filhos, para reunir e rezar em grupo. Psicologicamente: é bom que os homens possam vivenciar um ambiente sadio entre seus iguais. É importante poder fortalecer seus vínculos pela amizade sincera e pelos interesses comuns; discutir questões cotidianas como o trabalho, saúde, família, educação dos filhos, etc., e também as de um sentimento de segurança, de participação e

de verdade. Ao encontrar-se mais fortalecido em seu papel de pai e esposo, o homem poderá, com mais propriedade e segurança, cumprir seu ideal de guia e protetor familiar. Uma família feliz e equilibrada começa na felicidade e equilíbrio do pai. Sociologicamente: grupos masculinos têm tradição na Igreja e também fora dela. Percebe-se, todavia, que a extinção desses grupos distancia o homem do espírito de equipe, de participação e de responsabilidade. Religiosamente: O fato de estarem rezando só entre homens resgata-lhes o sen-

tido de dependência do Pai, que não é só pessoal, mas que percebem ser uma necessidade de todos os seus iguais. Assim, se fortalecem na sua masculinidade, porque resgatam o sentido de FILHOS, tornam-se, miraculosamente transparentes do Pai entre os seus, fazendo retornar o equilíbrio familiar. Tudo isso aponta para a importância de um espaço dentro da Igreja, para uma devoção masculina. O Terço dos Homens resgata a vivência social dos valores morais, e principalmente por ser uma oração bíblica, leva à reconquista do religioso do próprio homem

e por ser uma oração mariana, propicia aos homens uma auto-educação. Todo ser humano nasce com determinadas forças psíquicas que, no decorrer do tempo, terão um papel importante em sua vida. Todavia, esse crescimento está condicionado às diferenças de sexo, de mentalidade e do próprio meio ambiente onde ele se desenvolve. Esses fatores terão no futuro grande importância na maneira de ser, de agir e de irradiar a sua personalidade. Sabemos bem como as mentalidades masculinas e femininas são distintas e como reagem de modos diferentes perante os mesmos

acontecimentos. Caracteriza o homem possuir uma acentuada inclinação para o mando, para a autonomia e para a aventura. São qualidades a considerar, pois podem ter grande influência no subconsciente, caso não estejam adormecidas. Sutilmente há que aproveitá-las, escolhendo ambientes favoráveis, onde elas despertem e se reanimem. Então sim, elas despontarão com nova vida, ajudando o homem abatido e desanimado, a vencer barreiras e a entregar-se com entusiasmo na conquista de um ideal. Dentro de casa, nem sempre se encontra esse clima.

Com raras exceções, quem manda é a mulher embora o marido seja o chefe da família. Na Igreja, a coisa é semelhante. Predomina a mentalidade feminina. Enquanto isso, o homem é tentado a procurar outros vínculos e outros lugares. E nesse impasse, vão surgindo brigas e incompreensões. Às vezes, eles até querem mas não conseguem. Sentem-se distantes. A suas forças estão desligadas, talvez porque ainda não tenham encontrado o verdadeiro ambiente onde possam mostrar o que valem e podem. Resumidamente, eis o porquê de esse Terço ser só para homens.


Cotidiano

Ano IV - n 41 Sábado, 08 de Setembro de 2012

Pág.

07

CAMPANHA DOS FILHOS E DEVOTOS DE SANTA RITA

Os vitrais da fachada do Santuário

Os vitrais do Pórtico e entrada do Templo

- O Belo é de Deus -

- A beleza da Casa de Deus é expressão de Amor -

Os vitrais da Capela do Santíssimo

- Vamos todos unidos expressar o nosso amor ao Santuário de Santa Rita -

O vitral da Capela Mortuária

- Participe da Campanha dos Filhos e Devotos de Santa Rita -

Vamos terminar a obra começada embelezando ainda mais o nosso Santuário. Faltam apenas 10 vitrais e 14 rosáceas do corpo da Igreja... e falta você! A sua ajuda e participação é expressão concreta do seu amor à Santa Rita... Estamos na reta final! Faça a sua doação para o vitral de Santa Rita. Você poderá ofertar de 1/8 de bloco do vitral até o vitral inteiro. Reuna a sua família e faça a doação do vitral inteiro! A família doadora terá o seu nome incrustrado no vitral! Ou doe pessoalmente blocos ou parte de blocos. (As doações em blocos os nomes não serão incrustrados nos vitrais)

1 Bloco

1/2 Bloco

1/4 Bloco

1/8 Bloco


Pág.

08

Espiritualidade

Ano IV - n 41 Sábado, 08 de Setembro de 2012

Farol da Vida

Na antiguidade, quando os faróis ainda não existiam, acendia-se uma grande fogueira no alto de uma torre para que os barcos que se encontravam em alto mar pudessem se orientar. Ver a luz da fogueira à distância era sinal de que a tripulação do barco não se encontrava mais perdida em alto mar. Com a luz da fogueira o barco poderia chegar com segurança em terra firme. Com o surgimento dos faróis, o trabalho ficou mais fácil, porém a utilidade dos mesmos até hoje continua sendo a mesma da antiguidade: orientar o barco de maneira segura.

O farol tem sua utilidade principal quando é noite. Mesmo a grandes distâncias no escuro da noite ou no meio de uma tempestade o farol cumpre a sua função: indicar por meio da luz o caminho certo a seguir. Na escuridão o farol é guia seguro para quem se perdeu em alto mar, e sozinho não é capaz de regressar à terra firme. Muitas vezes nos encontramos como um barco perdido em alto mar. Não sabemos qual o caminho certo a seguir. As trevas de uma noite sem fim ou as tempestades dos problemas da vida impedem que sigamos seguros em meio ao mar tempestuoso

de nossa história. As ondas do oceano de nossos problemas parecem que irão afundar as nossas esperanças e sonhos. Perdemos-nos de nós mesmos e começamos a nos afogar nas ondas gigantes das dificuldades. São em momentos como este que buscamos a luz de um farol que possa orientar o barco de nossa vida por um caminho seguro. Jesus é o Farol da Vida. Ele ilumina as trevas das noites tempestuosas de nossa vida. A Luz de Cristo indica qual caminho é mais seguro para chegarmos com tranquilidade às terras firmes de um novo tempo de paz. Os navegantes que se encontravam em alto

mar precisam confiar nas orientações luminosas dos faróis. Duvidar poderia causar sérios problemas. O comandante do navio que se encontra perdido em alto mar e não segue as orientações luminosas de um farol pode acabar se perdendo ainda mais no oceano. Confiar é tão necessário quanto ver à luz a distância. Quem vê a luz de um farol e não acredita na segurança que o farol transmite se perde em seus próprios medos. Quando o mar estava agitado e o barco parecia que iria afundar os discípulos se perderam em seus próprios temores. Esqueceram-se que a Luz da Vida estava com eles. O medo os afugentou da

luz que poderia orientá-los durante a tempestade da falta de fé. No meio da confusão e do temor que os dominava, o Farol da Vida surge com a Luz da Paz e devolve aos tripulantes já inundados pelo medo, a segurança da confiança que haviam perdido. O próprio Cristo se fez Luz diante da falta de fé de seus discípulos. Se o medo deles fosse maior do que a confiança, o barco da esperança teria se afundado no oceano da insegurança de suas próprias incertezas. Nem sempre é fácil vermos o Farol da Vida iluminando o barco de nossa vida que se encontra perdido em meios às

ondas das dificuldades que insistem em afundar nossa fé. Assim como os navegantes confiam na luz do farol que os indica o caminho correto para chegarem sãos e salvos as praias da vida, precisamos também confiar na Luz de Cristo que nos indica o caminho que devemos seguir nas noites escuras de nossos tempestades espirituais. Diante do medo de não atravessarmos o grande oceano das dificuldades da vida, Cristo ilumina as noites de nossa falta de fé com a esperança de novos tempos e conduz o barco de nossa vida para as águas calmas do seu amor. Pe. Flávio Sobreiro


Lazer

Ano IV - n 41 Sábado, 08 de Setembro de 2012

Caça palavras

Pág.

09

Procure no quadro abaixo as seguintes palavras: U

D

R

A

P

A

Z

N

D

U

O

I

JESUS

O

I

L

N

I

S

A

M

A

D

T

R

MULTIDÃO

U

S

Z

D

M

N

H

P

E

I

X

E

DISCÍPULOS

R

C

D

R

D

U

I

N

L

É

S

P

H

Í

A

É

B

J

L

Z

D

R

N

A

É

P

L

S

D

O

E

T

B

A

I

R

S

U

Z

S

B

S

N

S

I

Ã

A

T

O

L

P

H

D

I

T

D

U

D

O

I

U

O

S

P

Ã

O

P

T

A

S

Ã

R

REPARTIR

P

S

H

S

B

D

T

I

O

D

U

O

RAPAZ

S

E

M

E

L

H

A

N

T

E

E

C

SEMELHANTE

ANDRÉ PÃO PEIXE BONDADE

Descubra as palavras: “





  ” Salmo 34,18  A= B= C= Ç=

D= E= F= G=

Encontre os sete Erros:





H= I= J= K=

L= M= N= O=



 

P= Q= R= S=







T= U= V= W=

X= Y= Z=


Pág.

10

Dizimista

Ano IV - n 41 Sábado, 08 de Setembro de 2012

MENSAGENS SOBRE O DÍZIMO 1- Mais do que uma colaboração, o Dízimo é um gesto de amor, gratidão, fé, partilha, e, sobretudo, de agradecimento a Deus. Sabemos que é com esta partilha que a nossa Igreja se mantém viva, já que o Dízimo é um gesto que deve partir de nós para devolver a Deus, com fidelidade, uma parte de tudo aquilo que Ele próprio nos dá. Só assim, a comunidade poderá realizar a missão a partir das três dimensões do Dízimo: Religiosa, Social e Missionária. Senhor, fazei de mim um dizimista consciente, alegre e generoso. 2- O Dízimo é a expressão de nossa gratidão a Deus manifestada na oferta de uma parcela de nossos bens. Dízimo é sacrifício, pois exige a renúncia de algo que conquistamos com nosso trabalho. Dízimo é comunhão: aproxima-nos de Deus e dos irmãos e faz com que não

falte o pão na mesa dos menos favorecidos. Senhor, fazei de mim um dizimista consciente, alegre e generoso. 3- O Dízimo nos educa para a gratidão e para a generosidade. Ele nos leva a abrir os horizontes da nossa mente, a abrir o nosso coração e nossas mãos. O Dízimo nos lembra que, além do nosso pequeno mundo, existe uma multidão de irmãos e irmãs, filhos e filhas do mesmo Pai, precisando de nossa solidariedade. O Dízimo nos ajuda a reconhecer tudo o que recebemos de Deus e, por pura gratidão, leva-nos a partilhar uma pequena parte do muito que recebemos. Senhor, fazei de mim um dizimista cons ciente, alegre e generoso. 4- “Deus ama a quem dá com alegria. Poderoso é Deus para cumular-vos com toda a espécie de benefícios, para que, tendo

sempre em todas as coisas o necessário, vos sobre ainda muito para toda a espécie de boas obras”. (IICor 9,6-8). Senhor, fazei de mim um dizimista consciente, alegre e generoso. 5- Dízimo é administrar os bens de Deus, que são todos os dons que Ele nos dá: a vida, a saúde, a fé, o tempo, os talentos pessoais e os bens materiais para sustentar a nossa vida. Criados à imagem e semelhança de Deus que é Amor, aprendendo com Ele que reparte gratuitamente todos os bens, somos também convidados a repartir os nossos dons. Colocando a serviço de Deus e da sua obra parte do nosso tempo, os nossos talentos e um pouco dos nossos bens materiais, tornamo-nos construtores do Reino de Deus. Senhor, fazei de mim um dizimista consciente, alegre e generoso.

Aniversariantes de Setembro

Aos Aniversariantes Dizimistas do mês de Setembro, os cumprimentos da Reitoria do Santuário Santa Rita de Extrema e o convite para a missa em Ação de Graças pelo dom da sua vida no dia 30 de Setembro às 19h30.


Cotidiano

Ano IV - n 41 Sábado, 08 de Setembro de 2012

Pág.

11

ACONTECEU A 1ª PEREGRINAÇÃO DO SANTUÁRIO Santa Rita de Extrema - Brasil ao Santuário Santa Rita de Cássia - Itália

Peregrinos do Santuário de Extrema - 2012 Em Belém (Palestina) - Igreja da Natividade No dia 17 de agosto logo após amanhecer, às 8horas com a Missa de envio no Santuário em Extrema, partiram 52 pessoas em peregrinação para Cássia (Itália). Dia 18 desembarcaram em Tel-aviv, a peregrinação passaria pela Terra Santa e dia 19 Tiberíades, era o primeiro local. Esta cidade com aproximadamente 2.000 anos, palco de grandes fatos históricos para o judaísmo, encontramos o Monte Carmelo e a nossa primeira Missa foi sobre a gruta do Profeta Elias, na Igreja Stela Maris. Nesta Igreja da ordem do Carmo, os peregrinos por cortesia do seu diretor espiritual Padre José Franco receberam o escapulário da Ordem do Carmo e iniciamos o tempo de peregrinação na região de Cesárea Marítima, Haifa com a Igreja de São Pedro e a casa de Cornélio onde o Apóstolo Paulo se abrigou. No do terceiro dia continuamos pela região de Tiberíades ainda peregrinando pelo Monte das Bem Aventuranças, local do Sermão da Montanha e Multiplicação dos Pães e dos Peixes. A Igreja do primado em Cafarnaum e as ruínas da Antiga Sinagoga e a casa de Simão Pedro e da sua sogra. Um dos momentos fortes destes dias foi a celebração eucarística no barco navegando no Mar da Galiléia, (Lago de Tiberíades) onde Jesus convidou Pedro a andar sobre as águas. Subimos ao belíssimo Mon-

te Tabor, local de paz e rara beleza. No Rio Jordão renovamos as promessas batismais e recebemos no gesto do batismo dado feito por João Batista a motivação em vivê-la. Quem nos lê pode tentar imaginar a bela experiência de peregrinar pelos lugares santos, mas por mais que se possa explicar não se consegue passar esta experiência, por isso omitimos muitos comentários e apenas apresentamos em síntese o roteiro feito. Quem se alimenta da fruta abacaxi por mais que deseje não consegue explicar o seu sabor. A peregrinação segue para Caná da Galiléia, onde os casais puderam renovar os seus compromissos matrimoniais. Chegamos a Nazareth na bela Igreja da anunciação com o seu silencio que reconta do fato da encarnação do Verbo de Deus no seio da Virgem Maria, e visitamos a oficina de São José Seguindo então para Israel e para a Palestina e fomos para Belém a cidade do Pão como é o seu nome. Antes passamos pelo deserto da Judéia com o seu clima quente e terra arida entre Oasis e tamarareiras caminhamos e os que desejaram aproveitaram um banho no Mar Morto visitando a cidade mais antiga do mundo Jericó. Peregrinar é ter a história em movimento, embora não sendo palpável o sagrado estamos a “ver do coração” e fatos conhecidos da vida de nosso Mestre e Senhor começava a borbulhar em nossos pensamentos.

Pe. Franco com bandeira do Brasil (Angelus)

Foto Batismo no Rio Jordão Seguimos para Jerusalém e já noite em alto som cantamos a música “Jerusalém”. Avistamos as luzes da cidade santa, rolaram as lágrimas dos mais emotivos e todos rendiam graças a Deus pela bênção de entrar nesta cidade cantada e decantada nos livros sagrados. Fomos para o hotel, pois já era tempo de um merecido descanso, no outro dia a jornada seria longa e cheia de emoções. Ainda não havia chegado o sol, apenas surgia a barra do dia naquelas paragens cinco horas e trinta minutos da manhã (no Brasil onze horas da noite) o grupo já desperto se preparava para peregrinar mais um dia rumo ao Santo Sepulcro para a Missa presidida pelo nosso diretor espiritual na Capela do Santo Sepulcro e não foram poucas as emoções, o sepulcro onde foi depositado o Santo Corpo do Senhor. A via sacra pelos caminhos do Senhor para a sua crucifixão. Exploramos e rezamos grande parte da manhã nesta região com grande fluxo de fieis de muitas nações e nas suas línguas se ouvia cânticos e preces. A tarde visita ao mercado típico regional onde os peregrinos se divertiram e compraram negociando com gestos e meias palavras os preços inicialmente exorbitantes, mas como bons brasileiros no pechinchar eles se reduziam até a metade do que se propunham os vendedores e assim fizeram-se compras lúdicas, que por vezes os mercadores queriam

mais expulsar os chorões compradores de suas lojas, mas tudo era alegria. Ainda em Jerusalém peregrinamos por Ein Karen (Igreja da Visitação da Virgem Maria a sua prima Isabel). Monte das Oliveiras, Igreja da Ascensão e Pater Noster. Getsemani a Igreja da Agonia, Tumulo do Rei Davi, Basílica da Dormição da Virgem Maria e encerramos no Cenáculo fazendo uma bela memória do gesto de Jesus que naquele local celebrou a ceia pascal (Primeira Missa e Lavou os pés dos seus discípulos e ali aconteceu o fato Pentecostes). Fizemos memória do lava-pés e cantamos hinos revivendo Pentecostes e pedindo as luzes do Santo Espírito, pois os locais alem de históricos são inspiradores para tudo isto. E após cada explicação histórica nós éramos remetidos ao Jesus Mestre e Senhor em oração por nós e por todos os que nos recomendaram as suas orações, nada foi esquecido. Os caminhos que trilhamos não são nossos, mas fazem parte de nossa história na fé, por isso eram novos e ao mesmo tempo muito conhecidos fizemos um exercício trilhando os caminhos de nossos pais na fé. Seguimos para o aeroporto e voamos para Roma, visitar a Basílica de São Pedro, Museu do Vaticano Capela Sistina, Roma noturna e iluminada bela como uma jóia preciosa. As suas praças e fontes, obeliscos e monumentos falam de arte e respiram história. O

Papa no Angelus

Grupo entrando no Santo Sepulcro Papa não estava no Vaticano, mas em sua residência de verão na cidade de Castelo Gandolfo e a hora do Angelus seria ali. Fomos atrás e bem mais próximos os peregrinos vibraram de emoção com a sua aparição tão próxima de todo o povo que se aglomerava na pequena Praça para a oração da Virgem Maria junto ao Pastor Maior o Papa Bento XVI. Era domingo a tarde e ficamos livres, tendo voltado para Roma todos saíram a visitar a cidade agora passo a passo pelas praças e comércios da cidade eterna. Entre tantos fatos e emoções vale registrar a missa com o grupo, presidida pelo Pe. Franco, na Basílica de São Pedro em local privilegiado, sobre o altar tumulo do Beato Papa João Paulo II. Finalmente partimos para o nosso objetivo o Santuário de Santa Rita de Cássia e lá nos colocamos pelas belas estradas montanhosas até Cássia de Santa Rita e chegando dirigimos diretamente para o Santuário que estava em festa foi o dia de Santo Agostinho e o Mosteiro é Agostiniano, muita gente, fizemos a visita livre ao Santuário e fomos para a Celebração da Missa dando graças a Deus pela peregrinação. A missa foi presidida pelo padre reitor do Santuário de Santa Rita de Extrema, não foi menor a emoção do grupo de devotos de Santa Rita estar naquele local no qual Rita finalmente se elevou à Santidade de junto de Deus Pai que é o

Santo dos Santos. Ali cantamos o nosso hino do Santuário e explicamos aos fiéis que não conheciam Extrema a sua origem e quem foi o bondoso José Alves. Visitamos o Mosteiro, a monja agostiniana nos deixou uma pequena lembrança da visita e após um tempo livre voltamos para o ônibus e agora a última jornada a cidade de Francisco de Assis que a todos encantou com a sua beleza, simplicidade, cidade charmosa e mística, visitamos os túmulos de Clara e Francisco e rezamos. Passeamos e fomos para mais um momento de descanso… A noite extra-roteiro um grupo, os mais corajosos, subiram até o centro da cidade que encantou além da sua beleza arquitetônica medieval os muitos jovens de grupos de jovens da Pastoral da Juventude de vários países animados cantando, dançando e rezando na praça que remetia a uma experiência impar de tranquildade, segurança e paz e no local de brisa suave e iluminados à luz da irmã lua que dava a todos nós um beijo de carinho e despedida de Assis a terra de Francisco. No outro dia, agora o retorno e chegamos ao Brasil em Extrema no dia 30 de agosto todos renovados e alegres pela experiência de um caminho feito com irmãos e abençoados por Deus a espera das próximas peregrinações em 2013. Pe. José Franco. (Diretor e guia espiritual)

Santa Rita Corpor incorrupto


Pág.

12

Calendário

Ano IV - n 41 Sábado, 08 de Setembro de 2012

Setembro/2012 CELEBRAÇÕES DE MISSAS • Dia 01 às 19h30 – Santuário • Dia 01 às 19h30 - Comunidade Santo Antônio – Bairro Roseira • Dia 02 às 07h30 - Santuário • Dia 02 às 09h15 - Santuário • Dia 02 às 11h00 - Comunidade São Cristóvão - Bairro São Cristóvão • Dia 02 às 16h00 - Santuário • Dia 02 às 19h30 – Santuário • Dia 03 às 19h30 - Santuário “Missa pelas almas” • Dia 04 às 19h30 - Comunidade Santíssima Trindade – Bairro Agenor • Dia 05 às 19h30 - Santuário “Novena de Nossa Senhora do Perpétuo Socorro” • Dia 06 às 19h30 - Santuário • Dia 07 às 19h30 – Santuário “Campanha do Quilo” • Dia 08 às 19h30 – Santuário • Dia 08 às 19h30 - Comunidade São Brás – Bairro dos Tenentes • Dia 09 às 07h30 – Santuário • Dia 09 às 09h15 - Santuário • Dia 09 às 11h00 - Comunidade São Cristóvão – Bairro São Cristóvão • Dia 09 às 16h00 – Santuário • Dia 09 às 16h00 - Comunidade Nossa Senhora Aparecida – Bairro Juncal • Dia 09 às 19h30 – Santuário • Dia 10 às 19h30 - Santuário

“Missa pelas almas” • Dia 11 às 19h30 - Comunidade Santíssima Trindade – Bairro Agenor • Dia 12 às 19h30 - Santuário “Novena de Nossa Senhora do Perpétuo Socorro” • Dia 12 às 19h30 - Comunidade São Sebastião – Bairro Salto de Cima • Dia 13 às 19h30 – Santuário • Dia 13 às 19h30 - Comunidade São Benedito – Bairro Pessegueiros • Dia 14 às 19h30 - Comunidade Nossa Senhora Aparecida – Bairro Rodeio • Dia 14 às 19h30 - Comunidade São Judas Tadeu e Nossa Senhora Aparecida – Bairro Morbidelli (Rua Alexandre Morbidelli, 140A - sala de catequese) • Dia 15 às 15h00 - Reunião com os Catequistas da Catequese Infantil, Catequese de Batismo e Catequese de Crisma. • Dia 15 às 19h30 – Santuário • Dia 15 às 19h30 - Comunidade Santa Cruz – Bairro Forjos • Dia 15 às 19h30 - Comunidade São Benedito – Bairro Fronteira • Dia 16 às 07h30 – Santuário • Dia 16 às 09h15 – Santuário • Dia 16 às 11h00 - Comunidade São Cristóvão – Bairro São

Cristóvão • Dia 16 às 16h00 - Santuário • Dia 16 às 19h30 – Santuário • Dia 17 às 19h30 - Santuário “Missa pelas almas” • Dia 18 às 19h30 - Comunidade Santíssima Trindade – Bairro Agenor • Dia 18 às 19h30 - Comunidade Imaculada Conceição – Bairro Godoy • Dia 19 às 19h30 - Santuário “Novena de Nossa Senhora do Perpétuo Socorro” • Dia 19 às 19h30 - Comunidade Santo Antônio – Bairro Furnas • Dia 20 às 19h30 – Santuário • Dia 20 às 19h30 - Comunidade São Sebastião – Bairro Posses • Dia 21 às 19h30 - Comunidade Santa Terezinha do Menino Jesus – Bairro Vila Rica • Dia 21 às 19h30 - Comunidade São Nicolau – Comunidade Matão • Dia 22 às 19h30 – Santuário “Novena Perpétua de Santa Rita” • Dia 22 às 19h30 - Comunidade Santo Antônio - Bairro Roseira • Dia 23 às 07h30 – Santuário • Dia 23 às 09h15 – Santuário • Dia 23 às 11h00 - Comunida-

de São Cristóvão – Bairro São Cristóvão • Dia 23 às 16h00 - Santuário • Dia 23 às 19h30 – Santuário • Dia 24 às 19h30 - Santuário “Missa pelas almas” • Dia 25 às 19h30 - Comunidade Santíssima Trindade – Bairro Agenor • Dia 25 às 19h30 - Comunidade Santo Antônio – Bairro do Pires • Dia 26 às 19h30 - Santuário “Novena de Nossa Senhora do Perpétuo Socorro” • Dia 26 às 19h30 - Comunidade Santa Cruz – Bairro Barreiro • Dia 27 às 19h30 – Santuário • Dia 27 às 19h30 - Comunidade São Pedro – Bairro Jardim • Dia 28 às 19h30 – Igreja do Bairro Ponte Nova • Dia 28 às 19h30 - Comunidade Nossa Senhora das Graças – Bairro Bela Vista • Dia 29 às 19h30 – Santuário • Dia 29 às 19h30 - Comunidade Nossa Senhora Aparecida – Bairro Salto do Meio • Dia 30 às 07h30 - Santuário • Dia 30 às 09h15 – Santuário • Dia 30 às 11h00 - Comunidade São Cristóvão – Bairro São Cristóvão • Dia 30 às 16h00 - Santuário • Dia 30 às 19h30 – Santuário

CELEBRAÇÕES DE BATIZADOS NO SANTUÁRIO • Dia 09/09 às 11h15 – Santuário • Dia 23/09 às 11h15 – Santuário

CONFISSÕES NO SANTUÁRIO • Dia 02/09 às 09h15 • Dia 02/09 às 19h30 • Dia 09/09 às 09h15 • Dia 09/09 às 19h30 • Dia 16/09 às 09h15 • Dia 16/09 às 19h30 • Dia 23/09 às 09h15 • Dia 23/09 às 19h30 • Dia 30/09 às 09h15 • Dia 30/09 às 19h30

ADORAÇÃO DO SANTÍSSIMO SACRAMENTO NO SANTUÁRIO • Dia 07/09 das 13h00 às 18h45

ENCONTROS • Dia 01 após a celebração das 19h30 – Reunião com a Comissão Paroquial da Juventude no Salão Paroquial • Dia 02 das 08h30 às 16h00 – Encontro de Formação com Liderança Paroquial – Salão Paroquial • Dia 02 às 14h00 – Curso de Batismo – São Cristóvão • Dia 09 das 07h30 às 18h00 – Retiro com a Comissão Paroquial da Juventude • Dia 16 às 14h00 – Reunião com a Comissão de Festas e os Festeiros da Festa de Santa Rita 2013 • Dia 16 às 14h00 – Curso de Batismo – Salão Paroquial

Outubro/2012 Celebrações de Missas • Dia 01 às 19h30 - Santuário “Missa pelas almas” • Dia 02 às 19h30 - Comunidade Santíssima Trindade – Bairro Agenor • Dia 02 às 19h30 - Comunidade Imaculada Conceição – Bairro Godoy • Dia 03 às 19h30 - Santuário “Novena de Nossa Senhora do Perpétuo Socorro” • Dia 04 às 19h30 – Santuário • Dia 04 às 19h30 - Comunidade São Sebastião – Bairro Posses • Dia 05 às 19h30 - Santuário “Campanha do Quilo” • Dia 05 às 19h30 - Comunidade Santo Antônio – Bairro Furnas • Dia 05 às 19h30 - Comunidade São Benedito – Bairro Pessegueiros • Dia 06 às 19h30 – Santuário • Dia 06 às 19h30 - Comunidade Santo Antônio - Bairro Roseira • Dia 07 às 07h30 – Santuário • Dia 07 às 09h15 - Santuário • Dia 07 às 11h00 - Comunidade São Cristóvão – Bairro São Cristóvão • Dia 07 às 16h00 - Santuário • Dia 07 às 19h30 – Santuário • Dia 08 às 19h30 - Santuário “Missa pelas almas” • Dia 09 às 19h30 - Comunidade Santíssima Trindade – Bairro Agenor • Dia 10 às 19h30 - Santuário “Novena de Nossa Senhora do

Perpétuo Socorro” • Dia 10 às 19h30 - Comunidade Santa Cruz – Bairro Forjos • Dia 11 às 19h30 – Santuário • Dia 11 às 19h30 - Comunidade São Pedro – Bairro Jardim • Dia 12 às 09h15 – Santuário “Dia de Nossa Senhora Aparecida” • Dia 12 às 09h00 - Comunidade Nossa Senhora Aparecida – Bairro Salto do Meio “Festa de Nossa Senhora” • Dia 12 às 11h00 - Comunidade Nossa Senhora Aparecida – Bairro Rodeio “Festa de Nossa Senhora” • Dia 12 às 15h00 – Santuário “Consagração das Crianças à Nossa Senhora Aparecida” • Dia 12 às 19h30 - Santuário “Dia de Nossa Senhora Aparecida” “Aniversário do JUSV” • Dia 13 às 19h30 – Santuário • Dia 14 às 07h30 – Santuário • Dia 14 às 09h15 – Santuário • Dia 14 às 11h00 - Comunidade São Cristóvão – Bairro São Cristóvão • Dia 14 às 16h00 - Santuário • Dia 12 às 19h30 – Santuário • Dia 15 às 19h30 - Santuário “Missa pelas almas” • Dia 16 às 19h30 - Comunidade Santíssima Trindade – Bairro Agenor • Dia 16 às 19h30 - Comunidade Santa Cruz – Bairro Barreiro • Dia 17 às 19h30 - Santuário

“Novena de Nossa Senhora do Perpétuo Socorro” • Dia 17 às 19h30 - Comunidade Nossa Senhora Aparecida – Bairro Juncal • Dia 18 às 19h30 – Santuário • Dia 18 às 19h30 - Comunidade São Sebastião – Bairro Salto de Cima • Dia 19 às 19h30 - Comunidade Santa Terezinha do Menino Jesus – Bairro Vila Rica • Dia 20 às 19h30 – Santuário • Dia 20 às 19h30 - Comunidade Santo Antônio - Bairro Roseira • Dia 21 às 07h30 – Santuário • Dia 21 às 09h15 – Santuário • Dia 21 às 11h00 - Comunidade São Cristóvão – Bairro São Cristóvão • Dia 21 às 16h00 - Santuário • Dia 21 às 19h30 – Santuário • Dia 22 às 19h30 - Santuário “Novena Perpétua de Santa Rita” • Dia 23 às 19h30 - Comunidade Santíssima Trindade – Bairro Agenor • Dia 23 às 19h30 – Igreja do Bairro Ponte Nova • Dia 24 às 19h30 - Santuário “Novena de Nossa Senhora do Perpétuo Socorro” • Dia 25 às 19h30 – Santuário • Dia 25 às 19h30 - Comunidade São Judas Tadeu e Nossa Senhora Aparecida – Bairro Morbidelli “Festa” • Dia 25 às 19h30 - Comunidade

Santo Antônio – Bairro do Pires • Dia 26 às 19h30 - Comunidade São Judas Tadeu e Nossa Senhora Aparecida – Bairro Morbidelli “Festa” • Dia 26 às 19h30 - Comunidade São Benedito – Bairro Fronteira • Dia 27 às 19h30 – Santuário • Dia 27 às 19h30 - Comunidade São Judas Tadeu e Nossa Senhora Aparecida – Bairro Morbidelli “Festa” • Dia 28 às 07h30 – Santuário • Dia 28 às 09h15 – Santuário • Dia 28 às 11h00 - Comunidade São Cristóvão – Bairro São Cristóvão • Dia 28 às 16h00 - Santuário • Dia 28 às 19h30 – Santuário • Dia 28 às 19h30 - Comunidade São Judas Tadeu e Nossa Senhora Aparecida – Bairro Morbidelli “Festa” • Dia 29 às 19h30 - Santuário “Missa pelas almas” • Dia 30 às 19h30 - Comunidade Santíssima Trindade – Bairro Agenor • Dia 30 às 19h30 - Comunidade São Brás – Bairro dos Tenentes • Dia 31 às 19h30 - Santuário “Novena de Nossa Senhora do Perpétuo Socorro” • Dia 31 às 19h30 - Comunidade Nossa Senhora das Graças – Bairro Bela Vista • Dia 31 às 19h30 - Comunidade São Nicolau – Comunidade Matão

Celebrações de Batizados no Santuário • Dia 14/10 às 11h15 – Santuário • Dia 28/10 às 11h15 – Santuário

Confissões no Santuário • Dia 07/10 às 09h15 • Dia 07/10 às 19h30 • Dia 14/10 às 09h15 • Dia 14/10 às 19h30 • Dia 21/10 às 09h15 • Dia 21/10 às 19h30 • Dia 28/10 às 09h15 • Dia 28/10 às 19h30

Encontros • Dia 06 após a celebração – reunião com a Comissão Paroquial da Juventude no Salão Paroquial • Dia 07 das 08h30 às 16h00 – Encontro de Formação com Liderança Paroquial – Salão Paroquial • Dia 07 às 14h00 - Curso de Batismo – São Cristóvão • Dia 13 – Cristoteca à Fantasia no Clube Literário • Dia 14 às 14h00 - Reunião com a Comissão de Festas e os Festeiros da Festa de Santa Rita 2013 • Dias 18, 19, 20 e 21 – 2º Encontro de Liturgia 2012 - De 20 à 28 – Semana da Comunidade e Missões • Dia 21 às 14h00 – Curso de Batismo – Salão Paroquial • Dias 03, 10, 17, 24 e 31 a partir das 09h - Atendimento dos padres na Comunidade Santo Antônio no Bairro da Roseira • Dia 26 às 19h30 – Terço dos Homens no Santuário

Obs.: Não deixar de levar a Bíblia nos encontros de Círculo Bíblico nas famílias.


Geral

Ano IV - n 41 Sábado, 08 de Setembro de 2012

Pág.

13

Amizade com Deus CRUZES QUE PASSAM. Os católicos são formados na mística da cruz. Deveriam sê-lo. Se não entendem, alguém falhou na sua catequese. Não vemos em Jesus alguém que nos dá apartamentos, casas, emprego ou carro. Ele nos dá dignidade para administrar a nossa vida, sejamos ricos ou pobres. Jesus nunca prometeu livrar alguém da dor e da cruz. Ele mesmo pediu e o cálice não lhe foi tirado. Mas disse que devemos tomar nossa cruz e fazer como ele. Nossa religião não promete bens materiais e sucesso financeiro. Nem pode! Jesus disse que não veio para isso. Algumas dores momentâneas nos libertam de dores futuras. Muita gente

reclama da dor que está sentindo. Mas vai sofrer muito mais se não passar pela dor que liberta. É o caso da extração de um dente, da extração de um tumor, ou da amputação de um pé. Aquela dor momentânea vai libertar a pessoa de dor permanente ou de dores piores no futuro. Existe, portanto, uma dor que liberta. E este conceito teológico da dor que liberta, entra na mística da cruz; que é também uma passagem do viver, uma dor que liberta. O ser humano não nasceu para viver crucificado. Em nenhum momento da sua vida ele é chamado ao martírio sem sentido. Toda a dor sofrida tem um sentido. É só questão

de saber o sentido daquela falta de um braço, daquele pé mais curto ou daquele defeito naquela parte do corpo. Uma vez que aprendemos a viver com ele descobrimos que nem por isso, somos menos gente. Uma flor cuja haste se quebrou, continua flor. Uma águia cuja asa se quebrou, continua águia, mesmo se não consegue mais voar como as outras águias, mas não vira um réptil. Um passarinho que não canta mais continua passarinho, não vira cachorro. Na sua essência, mesmo não cantando, não voando, a ave continua ela mesma. A flor, mesmo machucada, continua perfumada e tem a sua beleza. Quando damos impor-

tância excessiva à estética, esquecemos a ética. E é a ética que nos faz ser bonitos, porque a estética sem ética perde o seu sentido. Nenhuma beleza é digna de contemplação se não estiver acompanhada da estética junto à ética. É o porquê da beleza que torna a beleza importante, e não ela em si mesma. É o porquê da dor que torna a dor compreensiva e compreensível, e não a dor em si mesma. Para Paulo e para nós, a cruz só é loucura se alguém não crê . Para quem crê, ela pode ser libertação. Foi Jesus quem disse que, quando fosse elevado da Terra, atrairia todos a Ele. E disse mais: “Quem não tomar a sua cruz e

não me acompanhar, não vai ser digno de mim”. Tomemos cuidado com pregadores que garantem sucesso financeiro e o fim de todas as dores e sofrimentos. Cuidado com quem garante que naquela Igreja não se sofre mais. Se isso fosse verdade, nenhum dos discípulos teria morrido mártir. Teriam todos morrido nos seus palácios e chalés na montanha e enriquecido com seus barcos e sua pesca. Afinal, ninguém foi tão fiel como eles. Como Jesus não prometeu riquezas nem sucesso financeiro, eles sabiam o que os esperava! Nunca ensinaram que ser de Jesus traz garantias de sucesso e solução de todos os problemas. É só ler a

Bíblia com mais cuidado! Pregador que promete riqueza e bens materiais está blefando. Jesus nunca prometeu isso. O cêntuplo e a vida eterna não significam o dobro ou cem vezes mais bens materiais. Jesus nunca pregou prosperidade! Pelo contrário enalteceu o despojamento. Ele nunca disse que ajuntar bens e ter riquezas é uma bem aventurança. Disse o oposto! … (ZÉZINHO, Padre. Cruzes que não passam. Em: <http:// católicos na rede.com.br/artigosdafe>. Acesso em: 25 de agosto de 2012.) Adriano Pergano

A experiência do estar nos Santuários... Experimente você também! A experiência do estar nos Santuários… Experimente você também! Numa segunda-feira de manhã, após o belo domingo do Pão da Vida, onde meditamos em homilia os desertos e as fomes da vida e chamados a buscar libertos o pão que sacia os que têm fome e sede de Cristo, coloquei-me dentro do Santuário de Santa Rita de Extrema, entre as suas imagens e símbolos religiosos, o silêncio do templo era gritante! Ao fundo, bem no centro, o Cristo Mestre. Nos altares, os santos d’Ele e a Mãe, bela e ornada de vestes brocadas como a esposa do Rei. (ref. Sl 44(45)) Estando absorto no silêncio sagrado do templo, transpus-me para o que nos narra São João no livro do apocalipse com a multidão de vestes brancas e palmas

nas mãos a cantar louvores ao Senhor, (ref. Ap 7.9ss) Ele, aqui assentado no seu trono, e ao seu lado direito a Santíssima Eucaristia, no silêncio do templo, a nos iluminar de esperança e vida, pois ali está o Pão da Vida Eterna para quem tiver fome vir saciar. A pequena luz estava a bruxulear entre as flores colocadas carinhosamente pelas mulheres da comunidade para ornar os altares. Tudo favorecia para a oração e meditação! O silêncio do templo gritava o sagrado! O cheiro ainda era o do domingo, onde se reuniu tantas centenas de pessoas nas assembléias eucarísticas para as celebrações. Orar, atento com a vida e os acontecimentos ao redor! O que acontece dentro do Santuário? No silêncio profundo, um jovem aos pés da Santa

Eucaristia a contemplar e a rezar. O que? Só o Senhor e ele sabiam, mas a sua seriedade e a forma eram profundas. Aos pés da Virgem, outro se colocou no clima e não menos orante à Mãe Aparecida, apresentando um semblante mais alegre e tranquilo, como o filho no colo da sua mãe. E eu absorto aos céus, mas atento aos fatos da terra... Daqui a pouco um ploc ploc ploc... era uma jovem com o seus saltos altos e de alto som, que a cada passo enchia o silêncio do templo com a sua entrada e passava pelos altares a saudar os santos indo até a Ss. Eucaristia, no seu ploc ploc que se misturava ao silêncio de uma senhora que entrava “caminhando ajoelhada” por todo o Templo e passava de altar a altar saudando as imagens. Sua promessa

era dar 10 voltas “caminhando de joelhos” pelo templo. Ao mesmo tempo, escutava uma jovem mãe à porta ensinar os seus dois filhinhos: façam assim em nome do Pai, do Filho e do Espírito Santo, ensinava ela e a pouco se adentrava ao Santuário e me viu assentado rezando, e levando os dois pimpolhos diz: - dá bom dia ao padre, pega na mão e toma a benção! O pequeno portava em sua mão uma pequena imagem da Mãe Aparecida. Cumprimentamos, e eles receberam a bênção do padre, um beijo, um abraço e uma palavra carinhosa e a mãe os introduziu mais ao interior do Santuário, agora de mão dadas para a oração. Enquanto isto, uma outra senhora percorria os altares agitando – se com os seus beijos e saudações aos santos! Em

poucas horas vi o céu e vi a terra, os que já chegaram alegres e pressurosos, os que estão a caminho e vão de acampamento a acampamento buscando alento pelo caminho do deserto (cf. homilia de domingo), mas com os olhares continuados e fixos no Senhor, pois só Ele é quem sacia todas as fomes. Assim é a vida “anônima” do Santuário. O silêncio, a calma e a paz nele perduram 24 horas por dia, e quem busca nele encontra. Venha visitá-lo e faça esta experiência! A graça do Senhor Jesus esteja com todos. Amém. Padre José Franco. (Nota. - É bom salientar que a piedade popular, mais concretamente tem as várias expressões devocionais, não é igual à

idolatria, que é o culto de adoração que se presta a uma criatura, tributando-lhe a honra que é devida só a Deus. Apesar da Igreja Católica insistir na diferença entre a adoração e a veneração, vários grupos religiosos, entre os quais os protestantes, acusam o culto e as devoções de veneração como um ato de idolatria. No âmbito dos seus inúmeros exercícios de piedade, existem, essencialmente, dois tipos de piedade popular: O culto privado da veneração, que é voltado aos santos (chama-se dulia), sendo a veneração especial à Virgem Maria denominado de hiperdulia.. O culto privado de adoração ou latria, que é unicamente dirigido e prestado à Santíssima Trindade (Deus) cf. Wikipédia, a enciclopédia livre)


Pág.

14

Cotidiano

Ano IV - n 41 Sábado, 08 de Setembro de 2012

PROCLAMAS DE CASAMENTOS

Paróquia de Santa Rita de Extrema | Arquidiocese de Pouso Alegre | Setor Pastoral Fernão Dias | COM FAVOR DE DEUS QUEREM-SE CASAR Noivo: VICENTE DE PAULA TEIXEIRA Lugar e data de nascimento: Cajuri - MG, 14 de Agosto de 1957 Lugar do Batismo: Cajuri - MG Pai: Antônio Teixeira Mãe: Rita Campos Teixeira

Noiva: ELIANA FREITAS TEIXEIRA Lugar e data de nascimento: Campina Grande - PB, 18 de Junho de 1969 Lugar do Batismo: Joanópolis - SP Pai: Cícero Elias de Freitas Mãe: Helena de Medeiros Freitas

Noivo: MILTON RAMOS ZILLI Lugar e data de nascimento: São Paulo - SP, 07 de Março de 1968 Lugar do Batismo: São Paulo - SP Pai: Geraldo Ramos Zilli Mãe: Maria Laura Rodrigues Zilli

Noiva: KARINA ALVES DOS SANTOS Lugar e data de nascimento: São Paulo - SP, 05 de Abril de 1979 Lugar do Batismo: Rio Largo - AL Mãe: Maria José Alves dos Santos

Lugar e data do casamento: Extrema - MG, 06 de Outubro de 2012, às 10:30h, no Santuário.

Lugar e data do casamento: Extrema - MG, 13 de Outubro de 2012, às 15:00h, no Santuário.

Noivo: LUCIANO SILVA ALMEIDA Lugar e data de nascimento: Extrema - MG, 17 de Novembro de 1980 Lugar do Batismo: Extrema - MG Pai: Sebastião Donizetti de Almeida Mãe: Rita de Cássia Silva Almeida

Noivo: RICARDO AURELIO DE ANDRADE Lugar e data de nascimento: Pouso Alegre - MG, 10 de Outubro de 1982 Lugar do Batismo: Camanducaia - MG Pai: José Pereira de Andrade Mãe: Maria de Lourdes Ribeiro de Andrade

Noiva: MARIA ALICE CEZAR Lugar e data de nascimento: Atibaia - SP, 10 de Maio de 1980 Lugar do Batismo: Atibaia - SP Pai: José Siqueira Cezar Mãe: Joana de Moraes Cezar

Noiva: JOANA D’ARC DE SOUZA Lugar e data de nascimento: Santa Rita do Sapucaí MG, 14 de Outubro de 1976 Lugar do Batismo: Santa Rita do Sapucaí - MG Pai: Celso Henrique de Souza Mãe: Maria do Carmo de Souza

Lugar e data do casamento: Extrema - MG, 06 de Outubro de 2012, às 15:00h, na Igreja São Cristóvão.

Lugar e data do casamento: Extrema - MG, 13 de Outubro de 2012, às 17:00h, no Santuário.

Noivo: RICARDO APARECIDO DA CUNHA Lugar e data de nascimento: Extrema - MG, 15 de Março de 1985 Lugar do Batismo: Extrema - MG Mãe: Clarice Aparecida da Cunha

Noivo: VITOR HUGO PEREIRA SIMÕES Lugar e data de nascimento: Extrema - MG, 27 de Maio de 1987 Lugar do Batismo: Extrema - MG Pai: Jair Pereira Simões Mãe: Claudete Aparecida Machado Simões

Noiva: JUSSARA APARECIDA DE ALVARENGA Lugar e data de nascimento: Extrema - MG, 01 de Outubro de 1989 Lugar do Batismo: Extrema - MG Pai: Gilmar Benedito de Alvarenga Mãe: Eliana de Toledo

Noiva: ERICA APARECIDA DE CAMARGO Lugar e data de nascimento: Extrema - MG, 11 de Outubro de 1984 Lugar do Batismo: Joanópolis - SP Pai: Ademir Pires de Camargo Mãe: Maria Vera Lucia de O. Camargo

Lugar e data do casamento: Extrema - MG, 06 de Outubro de 2012, às 17:00h, no Santuário.

Lugar e data do casamento: Extrema - MG, 19 de Outubro de 2012, às 20:00h, no Santuário.

Noivo: EUCLECIO LUIZ DE SOUZA Lugar e data de nascimento: Extrema - MG, 09 de Julho de 1986 Lugar do Batismo: Extrema - MG Pai: Mario Gonçalves de Souza Mãe: Maria das Dores Pereira Souza

Noivo: DANIEL DE PADUA ONISTO Lugar e data de nascimento: Extrema - MG, 10 de Setembro de 1982 Lugar do Batismo: Extrema - MG Pai: Antônio de Pádua Onisto Mãe: Maria Conceição Sales Onisto

Noiva: ISABELA FERNANDA DA SILVA Lugar e data de nascimento: Toledo - MG, 02 de Maio de 1990 Lugar do Batismo: Toledo - MG Pai: Rosangelo Antonio da Silva Mãe: Iraci de Oliveira Silva

Lugar e data do casamento: Extrema - MG, 13 de Outubro de 2012, às 10:30h, no Santuário.

Noiva: PRISCILA DOS SANTOS COSTA Lugar e data de nascimento: Extrema - MG, 09 de Março de 1986 Lugar do Batismo: Extrema - MG Pai: José Olavo Costa Mãe: Maria Eneide dos Santos

Lugar e data do casamento: Extrema - MG, 20 de Outubro de 2012, às 17:00h, no Santuário.


Aconteceu

Ano IV - n 41 Sábado, 08 de Setembro de 2012

Pág.

15

Estes casais se uniram pelo vínculo Sagrado do Matrimônio: Maurício de Jesus Oliveira e Sandra Ferreira Silva de Oliveira Eduardo Bucherl de Babo e Claudia Silva Moraes de Babo

Celebraram o Jubileu Matrimonial: Maria Pires e Geraldo (25 anos) A todos eles os nossos votos de felicidade e fidelidade vivendo os compromissos assumidos pelo Sacramento do Matrimônio

O nosso Santuário celebrou a Missa de 7º Dia de: Benedito Sales de Oliveira

Sérgio Aparecido de Oliveira

Julia Maria da Silva

Laurentina Maria de Souza

João Sebastião da Silva

Eugênio Nostório Trindade Filho

Vicentina Ferreira Oliveira

Antônio Gomes do Prado

Geralda Maria da Silva

Luzia Candida de Faria

Orlando Roman

Jairo Ribeiro Tavares

José Ferreira de Lima

Antônio Gomes do Prado

João Rosa da Silva

As famílias enlutadas a nossa palavra de conforto: Jesus é a Ressurreição e a vida quem Nele crê terá a vida eterna.

Foram batizadas em nossa comunidade Paroquial as crianças: Andressa da Silva dos Santos Pai: Josenildo da S. dos Santos Mãe: Valéria Ferreira da Silva

João Gabriel de Moraes Granja Pai: Anderson Peixoto Granja Mãe: Gezeliane Carlita de Moraes

Sophia de Calais Cassalho Rosa Pai: Murilo Alceu Cassalho Rosa Mãe: Mayara de Calais

Veronica Rita de Cassia de A. Pai: José Roberto de Almeida Mãe: Adriana Maria de Almeida

Anna Clara C. Lopes de Toledo Pai: Antonio Lopes de Toledo Mãe: Leia Aparecida Cassalho

Miguel Monteiro P. da Silva Pai: Rodolfo Pacheco da Silva Mãe: Marilia Silva Monteiro

Sophia Olegario Santos Pai: Vitor Luiz Olegario da Silva Mãe: Adriele Santos de Jesus

Yasmim Moreira Marinho Pai: Cesar Luiz Marinho Mãe: Cidehicia Moreira Bento

Arthur Gomes de Freitas Pai: Josse Donizetti de Freitas Mãe: Derilane Ferreira Gomes

Miguel Rosa Dorta Pai: Manolo Elias de O. Dorta Mãe: Alessandra Cristina Dorta

Stefany do Carmo Ribeiro Pai: Sérgio Ribeiro da Silva Mãe: Adriana Ap. do Carmo

Cauani Franco Heleno Mãe: Viviane Franco Heleno

Nicoly Ap. de Lima Oliveira Mãe: Sueli de Lima Oliveira

Tayler Ulysses de A. Zamarioni Pai: Ulysses V. dos Reis Zamarioni Mãe: Vanusa Gleice de Aquino Z.

Aos pais e padrinhos a vida cristã destas crianças com como testemunho e apoio com a sua participação na vida da sua comunidade.


Pág.

16

Cotidiano

Ano IV - n 41 Sábado, 08 de Setembro de 2012

Jornada Mundial da Juventude O assessor responsável pela Comissão Paroquial da Juventude (CPJ) na Paróquia Santa Rita de Extrema, Pe. Márcio Mota de Oliveira entrevistou a Jovem extremense Maria Isabel, selecionada para ajudar na JMJ. Acompanhe a seguir: 1. Pe. Márcio pergunta: O que é a Jornada Mundial da Juventude? Quando, onde e que data será realizada a JMJ? Porque a JMJ será no Brasil? O que há de tão significante para atrair jovens do mundo todo? Maria Isabel responde: A jornada Mundial da Juventude, é um encontro de Cristo, que acontece cerca de 3 em 3 anos em diversos países e atrai um grande numero de pessoas. Penso que as palavras do nosso amado Papa João Paulo II, autor da JMJ, define melhor o encontro: “é um sonho do coração de Deus”... Com a JMJ o rosto jovem de Cristo é apresentado ao mundo. O Brasil recebeu esse presente, marcado para se realizar de 23 a 28 de julho de 2013 na cidade do Rio de Janeiro. Diversos tipos de jovens do mundo são instigados a participar da jornada, independente de religião e crença por muitos motivos,

mas o que move e já está atraindo os jovens a JMJ é o Espírito Santo. Já é possível sentir sua manifestação. 2. Pe. Márcio pergunta: O que motivou você inscrever para a JMJ? Qual foi a reação em saber que foi selecionada para ajudar na JMJ? Há outros jovens inscritos de Extrema que também foram selecionados para ajudar na JMJ? Maria Isabel responde: Voluntariado é um serviço bacana, gratificante. Ainda mais servindo na JMJ! Isso me motivou e motiva saber que vou estar lá participando, ativamente. Minha reação ao saber que fui selecionada? Foi abrir o maior sorriso possível e abraçar minha família, agradecer a Deus pela minha vida. Sensação indescritível. Devo ter passado o resto do dia sorrindo. Recebi a noticia por email, por enquanto não tive acesso a alguma lista que informasse se há outros jovens de Extrema selecionados. 3. Pe. Márcio pergunta: Você saberia nos dizer o que fará a Arquidiocese de Pouso Alegre em relação a JMJ? Que informação dar aos jovens da Paróquia Santa Rita de Extrema que desejam ir à JMJ? Você poderia nos informar com

mais detalhes sobre a programação da JMJ? Maria Isabel responde: Está confirmada a passagem da cruz e o ícone de Nossa Senhora, pela Arquidiocese de Pouso Alegre. O evento “Bote Fé” será nos dias 1 e 2 de março de 2013. A cruz será trazida de Curitiba e levada para a diocese de Guaxupé. A Arquidiocese pede: “Faça-se a divulgação e o incentivo aos jovens para participação”. Os detalhes da programação diocesana estão por conta da subcomissão juventude. Quanto aos jovens interessados em ir a JMJ podem acessar o site oficial da jornada, para saber tudo sobre. http://www.rio2013. com/pt/a-jornada/o-que-ejmj. Estão abertas as inscrições para os peregrinos. A inscrição e feita pelo mesmo site. Para o voluntariado, as inscrições podem já terem sido encerradas, mas é possível que abram novamente uma vez que o numero de jovens inscritos ainda é pouco. A necessidade de voluntários é grande e, os que puderem ir à JMJ, independente de serem voluntários ou não com certeza também poderão ajudar, virão pessoas do mundo inteiro. Fiquem atentos ao site, duvidas mandem para a guia de duvidas que logo

serão respondidas. A programação oficial ainda não foi publicada. O que se sabe é que haverá durante todo o encontro catequeses, testemunhos, partilhas, missas, confissões, shows, festivais de música e atividades culturais. 4. Pe. Márcio pergunta: Que mensagem deixar aos

jovens sobre a JMJ? Maria Isabel responde: Fica a dica: Participem, procurem ir. Será com toda a certeza um encontro marcante na sua vida, inesquecível. Já está acontecendo durante toda a preparação que estamos tendo, uma manifestação muito forte de Deus em varias Pesso-

as. Muitas bênçãos a todo o Brasil irão ser derramadas. Por isso façam o possível para participar. Deus está com o coração aberto para acolher nossas vozes nessa jornada juntamente com todos os patronos que já estão intercedendo por nós. “Ide e fazei discípulos entre todas as nações” (Mt 28, 19), JMJ 2013.

Tetra

Supermercado. Aqui todo dia tem carinho no carrinho. Aqui tem carinho no carrinho

Edição 41 | Jornal do Santuário  

Edição 41 | Jornal do Santuário

Read more
Read more
Similar to
Popular now
Just for you