Page 1

MM

Santuário

Paróquia Nossa Senhora da Medalha Milagrosa - Monte Sião/MG - Ano VIII - Março 2014 - Nº 102

PARA PENSAR... Existia na cidade um ferreiro que depois de uma juventude cheia de erros, de farras, até de roubos, encontrou Deus e mudou de vida, não quis mais fazer coisas erradas. Durante muitos anos trabalhou com capricho, praticou a O HOMEM é a criação de Deus. Deus o ama e o convida a caridade, ajudou muita gente, mas apesar de tudo isso participar de sua vida divina. Essa dignidade é assumida pelo parecia que nada dava certo na sua vida. Estava com muitas ser humano na medida em que ele vive em união com Deus, dívidas e outros problemas na sua família. consigo mesmo, com os demais e com o mundo criado. A Uma bela tarde, um amigo que o visitou – e que tinha dó ruptura dessas relações de união, fruto do pecado, é que leva dele com os seus problemas, disse para ele: “É realmente a uma injustiça tão grave como o tráfico de pessoas, onde se estranho que, justamente depois que você resolveu se tornar fere a dignidade da pessoa, a sua grandeza. um homem de Deus, sua vida começou a piorar. Eu não A liberdade é uma característica da pessoa humana criada quero enfraquecer sua fé, mas apesar de toda a sua crença à imagem e semelhança de Deus. Deus quis nos dar esse em Deus, nada tem melhorado para você; será que não é grandioso dom para que O busquemos espontaneamente, melhor esquecer esse Deus?” respondendo a essa fome interior que temos. O ferreiro não respondeu. Ele já havia pensado nisso, Essa liberdade dos filhos de Deus se realiza em Cristo. Ele sem entender o que acontecia em sua vida. Até que nos liberta do jugo da lei, da escravidão do pecado e nos abre encontrou a resposta. E disse para o amigo sem fé em Deus: caminhos de vida. Ele nos faz livres para que frutifiquemos os “Eu recebo nesta oficina o aço ainda não trabalhado e nossos “talentos” no serviço de Deus e a humanidade. preciso transformá-lo em espadas, ferraduras, foices, A liberdade em Paulo é o estado em que a pessoa vive no enxadas, etc.. Você sabe como isto é feito? Primeiro eu Espírito (Gl 5,5), de tal forma que produz o fruto do Espírito (Gl aqueço a chapa de aço num calor infernal, até que fique 5,22-23) e com alegria e gratidão faz a vontade de Deus (Gl vermelha. Em seguida, sem qualquer piedade, eu pego o 5,14, Rm 8,4). A pessoa que é realmente livre já não atua por martelo mais pesado e aplico golpes até que a peça adquira a coação, mas serve a Deus e aos irmãos voluntariamente (Rm forma desejada. Logo, ela é mergulhada num balde de água 6,22), com alegria de coração. fria e a oficina inteira se enche com o barulho do vapor, A liberdade cristã visa, o amor a Deus e o amor ao próximo: enquanto a peça estala e grita por causa da mudança de “Caríssimos, se Deus nos amou assim, nós também devemos temperatura”. amar-nos uns aos outros. Ninguém jamais viu a Deus. Se nos Tenho que repetir esse processo até conseguir a espada amarmos uns aos outros, Deus permanece em nós e seu amor perfeita: uma vez apenas não é suficiente. O ferreiro fez uma em nós é plenamente realizado” (1Jo 4,11-12). longa pausa, e continuou: “Às vezes, o aço que chega até O encontro com o outro, com suas necessidades minhas mãos não consegue aguentar esse tratamento. O concretas, é um dos frutos da liberdade dos filhos de Deus. calor, as marteladas e a água fria terminam por enchê-lo de Quem ama e é verdadeiramente livre não é indiferente ao rachaduras. E eu sei que jamais se transformará numa boa sofrimento do outro. Deus primeiramente é quem sai ao nosso lâmina de espada. Então, eu o coloco no monte de ferroencontro e nos ensina que somente no encontro com os velho que você viu na entrada de minha ferraria”. Mais uma demais nos realizamos como pessoa. O Papa Francisco convida todos a promoverem a proximidade e viverem a pausa e o ferreiro concluiu: “Sei que Deus está me colocando no fogo das aflições. Tenho aceitado as marteladas que a “cultura do encontro”: vida me deu, e às vezes sinto-me tão frio e insensível como a A solidariedade e a fraternidade são elementos que tornam água que faz sofrer o aço. Mas a única coisa que peço é: a nossa civilização mais humana. Temos de ser servidores da “Meu Deus, não desista, até que eu consiga tomar a forma comunhão e da cultura do encontro, guiados pela certeza que o Senhor espera de mim. Tente da maneira que achar humilde e feliz de sermos encontrados, alcançados e melhor, e pelo tempo que quiser – mas jamais me coloque no transformados por Cristo e anunciá-lo (Lc 24, 13-35).” monte de ferro-velho das almas”. A liberdade abarca todas as dimensões da pessoa: o corpo, a mente e o espírito (1Ts 5,23). Atentar contra uma dessas dimensões viola a dignidade da pessoa humana. Por isso que o tráfico humano é grave e é uma realidade, que nós cristãos devemos combater principalmente pela conscientização. Maria ajude-nos a ser cada dia mais livres e que nos dê forças para que nos comprometamos a promover esse precioso dom da liberdade... Minha bênção. Pe. Rodrigo Carneiro Paiva Mendes


MM

MedalhaMilagrosa

Vive bem que reza bem.

Santuário da

Dizimo Paroquial 2014 Mar Fev Jan R$ 10.000,00 15.000,00

20.000,00

25.000,00

30.000,00

CHAMADO DE DEUS: O DÍZIMO É UMA RESPOSTA DE QUE? Uma das primeiras coisas que devemos pensar quando falamos em dízimo é que devemos ter acima de tudo fé, confiança e gratidão. Fé por que cremos num Deus que morreu por nós para nos salvar, confiança porque sabemos que Ele não nos deixará faltar nada e gratidão por tudo que nos será acrescentado. O dízimo nada mais é que reconhecimento nosso de tudo que Deus nos dá. Só que nem sempre é isso que acontece. Algumas pessoas não têm por hábito contribuir com o dízimo e o fazem esporadicamente apenas por desencargo de consciência. O dízimo deve ser entregue com alegria no coração e sem avareza. É muito comum ouvirmos estes questionamentos: Deus não precisa de dinheiro; Deus é dono de tudo; Ganho pouco e sou pobre; Não sobra para o dízimo; Tenho muitas despesas; Isto é para os ricos; Estes questionamentos na sua grande maioria são de homens que ainda não entregaram suas vidas nas mãos do Senhor e não conseguem enxergar com os olhos do Espírito Santo a vontade de Deus para a vida de seus escolhidos, ao eleger-nos como provedores de sua obra. “Assim, pois, todo aquele que dentre vós não renuncia a tudo quanto tem não pode ser meu discípulo.” Lc 14, 33. Dêem com amor o dízimo e com certeza nada lhes faltará. Pois vivemos debaixo do amor de Deus e Ele age com o sobrenatural. Com todo o seu amor.

Missas fixas durante a semana No Santuário: Domingo às 7 horas, 10 horas e 19 horas. Sexta-feira às 15 horas Sábado às 19 horas Na Igreja do Rosário: Quarta-feira às 7 horas Nas comunidades: Domingo - Mococa às 9 horas; São José às 18 horas; Alto da Serra às 19:30 horas Terça-feira - Santa Teresinha às 19:30 horas (Missa da bênção na primeira terça-feira de cada mês) Sábado - Magioli às 19:00 horas

Parabéns aos dizimistas aniversariantes ADALICE P. RIBEIRO ADEMIR PENNACCHI AIRTON D. DE SOUZA AIRTON JOSÉ FERRAZ ANA MARIA G. LUCIANI ANA PIRES DOS SANTOS ANDREIA M. RIBEIRO ANDRESON B. DE FARIA ANGELICA BURZA ANTÔNIO F. BUENO APARECIDA F. BARROSO APARECIDA H. F. PEDROSO APARECIDO A. FERRARI ARIELI AP. C. DE LOURA BEATRIZ M. RODRIGUES BENEDITA AP. M. CAMPOS BENEDITA C. DE OLIVEIRA BENEDITA J. C. DE SOUZA CELIA O. RODRIGUES CESARINA DOS SANTOS CLAUDINEI RODRIGUES CLAUDINÉIA B. DA SILVA CLEUSA D. GONÇALVES CONCEIÇÃO AP. P. OLIVEIRA DANIEL AP. PEREGRINO DONIZETE AP. DA SILVA EDENILZA AP. P.MERLINI EDWIGES MAGNA TEIXEIRA ELIANE A. A. DE GODOI ELLEN F. M. DA COSTA EMANOEL OSTI EVANDRO AP. MACHADO FABIANO D. SANTOS FERDINANDO B. DE MELO FERNANDO VAZ DE LIMA GABRIELA DA SILVA HILDA F. GONÇALVES IDIONE DA F. RIGUETTO IGNÊS B. DE OLIVEIRA ILDA RODRIGUES IOLANDA L. DE OLIVEIRA IONE RIBEIRO LAUREANO IRACEMA DORTA DE FREITAS IRACEMA M. DIAS BURANELI JACIRA G. DA C. AZEVEDO JANAÍNA C. DOS SANTOS JANAINA M. SILVA JEFERSON LUIS DA SILVA JOAQUIM B. DOS SANTOS JOSÉ ALVES JOSÉ ANTONIO MENDONÇA JOSÉ AP. TALARICO JOSÉ BENEDITO D. DE LIMA JOSÉ BUENO DE MORAIS JOSÉ CARLOS MATHEUS JOSÉ CARLOS PARREIRA JOSÉ D. SIMONETI JOSÉ EDGARD GUIRELI JOSÉ F. DE SOUZA JOSÉ HENRIQUE EMILIO JOSÉ HOFFMAN JOSEFINA C. MENDONÇA JOSIANE DA SILVA JULIANA AP. DE GODOI KEMPER C. GASPARDI LAERCIO PIERONI LAZARO H. DE LIMA LÁZARO S. GOMES LEONICE AP. MARQUES LILIAN SIMONETI DE LIMA

LUCIA AP. C. DE GODOI LUDIMILA B.DOS SANTOS LUZIA F. DA SILVA LUZIA GOMES LUZIA P. DE SOUSA LUZIA P. DE S. BUENO MARA LUCIA C. SODRÉ MARA LÚCIA C. DA CUNHA MARCELO FARIA MARCIA AP. DE LIMA MARCÍLIO G. DE MORAES MARCIO D. DOS SANTOS MARGARIDA C. F. MORAIS MARIA ALVES LÚCIO MARIA AP. A. DA SILVA MARIA AP. DA CUNHA MARIA AP. RIBEIRO MARIA B. DOS SANTOS MARIA CLAUDET SILVA MARIA DE F.G. DA SILVA MARIA DE L. BUENO MARIA ÉDINA FILETI MARIA F. DA COSTA MARIA GORETI DA SILVA MARIA GORETI M. GALLI MARIA HELENA COSTA MARIA IVONE DE ARAÚJO MARIA JOSÉ A. BELETATO MARIA JOSÉ DE QUEIROZ MARIA JOSÉ S.GUERRA MARIA JOSÉ MARQUES MARIA LÚCIA MATHEUS MARIA LUIZA DE JESUS MARIA LUIZA MARTINS MARIA RITA S. MORAES MARIA S. CARDOSO MARIA VIRGILIO MARIANA MAGIOLI MARIANILDA R. SANTOS MARÍLIA DE SOUZA MARINA DE S. GOMES MARLI DE LIMA MARTA F. DE GODOY NÁDIA F. TALARICO NATALINA AP. DA SILVA OLAIR MACHADO OSÓRIA F. DE SOUZA PÂMELA F. DE PAULA PAULO C.GUIMARÃES PAULO R. INÁCIO POLIANA DE SOUZA RAFAEL ZUCATO RAMIRO GOMES RAQUEL DE S. FERRAZ REGIANI AP. AZEVEDO RENAN R. DOS SANTOS RENATO PARREIRA RITA DE FATIMA ALVES ROBSON AP. ALBINO ROGERIO A. AZEVEDO ROSANA DE G.INÁCIO ROSARIA G. DA SILVA SANDRA R. J. MACIEL SILVANA P. GOTARDELO SILVANA R. SANTOS SILVIO RODRIGUES SIMONE M. C. CANCIAN SINESIO B. DE ARAUJO THARLES A. F. VENTURA VERA LUCIA MACHADO


MM

MedalhaMilagrosa

Santuário da

Reza bem que vive bem.

PAPA FRANCISCO: NÃO TENHAIS MEDO DA CONFISSÃO! Trazemos a vida “em vaso de barro” (2 Cor 4, 7), estamos submetidos à tentação, ao sofrimento, à morte e, por causa do pecado, até podemos perder vida. Por isso, o Senhor Jesus quis que a Igreja continuasse a sua obra de salvação também a favor dos próprios membros, em particular com o Sacramento da Reconciliação, que é o Sacramento de cura. Quando me confesso é para me curar, para curar a minha alma, o meu coração e algo de mal que cometi. Jesus se revela médico das almas e aos mesmo tempo dos corpos, quando cura o paralítico (Mc 2, 1-12; Mt 9, 1-8; Lc 5, 17-16) O Sacramento da Reconciliação brota diretamente da cruz e ressurreição. Os discípulos, fechados no cenáculo receberam a saudação de Cristo: “A paz esteja convosco!”, soprou sobre eles e disse: “Recebei o Espírito Santo! A quantos perdoardes os pecados, serlhes-ão perdoados” (Jo 20, 21-23). O perdão dos nossos pecados não é algo que podemos dar-nos a nós mesmos. Não posso dizer: perdôo os meus pecados. O perdão é pedido a outra pessoa, e na Confissão pedimos o perdão a Jesus. O perdão não é fruto dos nossos esforços, mas uma dádiva, um dom do Espírito Santo, que nos enche de misericórdia e de graça que brota incessantemente do Coração aberto de Cristo Crucificado e Ressuscitado. Quando nos confessamos temos um peso na alma, um pouco de tristeza; e quando recebemos o perdão de Jesus, alcançamos a paz, aquela paz da alma tão boa que somente Jesus nos pode dar, só Ele! A comunidade cristã é o lugar onde o Espírito se torna presente, renova os corações no amor de Deus, fazendo de todos os irmãos um só em Cristo Jesus. Eis, então, por que motivo não é suficiente pedir perdão ao Senhor na nossa mente e no nosso coração, mas é necessário confessar humilde e confiadamente os nossos pecados ao ministro da Igreja. Na celebração deste Sacramento, o sacerdote não representa apenas Deus, mas toda a comunidade, que se reconhece na fragilidade de cada um dos seus membros, que ouve comovida o seu arrependimento, que se reconcilia com eles, os anima e acompanha ao longo do caminho de conversão e de amadurecimento humano e cristão. Podemos dizer: eu só me confesso com Deus. Sim, podes dizer a Deus “perdoa-me”, e confessar os teus pecados, mas os nossos pecados são cometidos também contra os irmãos, contra a Igreja. Por isso, é necessário pedir perdão à Igreja, aos irmãos, na pessoa do sacerdote. “Mas padre, eu tenho vergonha...”. Até a vergonha é boa, é saudável sentir um pouco de vergonha, porque envergonhar-se é bom. Quando uma pessoa não se envergonha, no meu país dizemos que é um “semvergonha”. Mas até a vergonha faz bem, porque nos

torna mais humildes, e o sacerdote recebe com amor e com ternura esta confissão e, em nome de Deus, perdoa. Até do ponto de vista humano, para desabafar, é bom falar com o irmão e dizer ao sacerdote estas coisas, que pesam muito no nosso coração. E assim sentimos que desabafamos diante de Deus, com a Igreja e com o irmão. Não tenhais medo da Confissão! Quando estamos em fila para nos confessarmos, sentimos vergonha, mas depois quando termina a Confissão sentimo-nos livres, grandes, bons, perdoados, puros e felizes. Esta é a beleza da Confissão! Quando foi a última vez que me confessei? E se já passou muito tempo, não perca nem sequer um dia; vai, que o sacerdote será bom contigo. É Jesus que está ali presente, e é mais bondoso que os sacerdotes, Jesus receber-te-á com muito amor. Sê corajoso e vai confessar-te! Caros amigos, celebrar o Sacramento da Reconciliação significa ser envolvido por um abraço caloroso: é o abraço da misericórdia infinita do Pai. Recordemos aquela bonita parábola do filho que foi embora de casa com o dinheiro da herança; esbanjou tudo e depois, quando já não tinha nada, decidiu voltar para casa, não como filho, mas como servo. Ele sentia muita culpa e muita vergonha no seu coração! Surpreendentemente, quando ele começou a falar, a pedir perdão, o pai não o deixou falar mas abraçou-o, beijou-o e fez uma festa. E eu digo-vos: cada vez que nos confessamos, Deus abraça-nos, Deus faz festa! Vamos em frente por este caminho. Deus vos abençoe!

A Igreja pede que os católicos participem da confissão para a Páscoa. CONFISSÕES EM MONTE SIÃO, com os padres da região, dia 25 DE MARÇO, a partir das 19h, no SANTUÁRIO e na MOCOCA. Aproveite esta oportunidade.


MM

MedalhaMilagrosa

Santuário da

Aconteceu...

Gratidão aos festeiros e a todos os que contribuíram para a realização da Festa de São Sebastião 2014. Deus lhes pague. São Sebastião auxilie os cristãos no seguimento a Jesus Cristo.

Entre os dias 3 e 7 de fevereiro aconteceu a Semana Catequética 2014, com a participação de catequistas de toda a Paróquia. E a colaboração da Ana Claudia, Rita Costanti, Padre Paulo Roberto e Padre Rodrigo, na partilha dos temas: metodologia e espiritualidade catequética.

Encontro de Canto Pastoral da Arquidiocese de Pouso Alegre, Encontro dos Acólitos e Coroinhas das comunidades urbanas, com Ir. Míria Kolling, contou com grande participação das em fevereiro de 2014. São Tarcísio os ajude a servirem com comunidades de nossa Paróquia. disponibilidade a Igreja.

Expediente “Santuário” é uma publicação mensal da Paróquia Nossa Senhora da Medalha Milagrosa Rua Pe. Cornélio, 82 - Monte Sião - MG / Fone: 3465 1105 site: www.santuariodamedalha.org.br e-mail: secretaria@santuariodamedalha.org.br Diagramação e Jornalista Responsável: Claudia Trindade Diniz (REG. MtB 17.516) Impressão: Gráfica Mosaico - Tiragem: 2.000 exemplares

Início da Escola da Fé nas comunidades: HORÁRIO: 19:30 horas SÃO JOSÉ 07 de abril (segunda-feira) MAGIOLI 08 de abril (terça-feira) SANTA TERESINHA 09 de abril (quarta-feira) MOCOCA 11 de abril (sexta-feira)

Edição 102  

Boletim Informativo "O Santuário" Ed. 102