Issuu on Google+

1

PUBLICAÇÃO OFICIAL DO SANTOS FUTEBOL CLUBE JANEIRO/FEVEREIRO 2011 ANO 1 - NÚMERO3

Pôster do craque neymar História em quadrinhos “Meninos da Vila”

O GUERREIRO VOLTOU


2

XXXXXXX WWWWWWWW


4

ÍNDICE

CARTA DO PRESIDENTE CARTAS E E-MAILS 8 MARKETING 10 HISTÓRIA 20 PÔSTER DO NEYMAR 28 SÓCIO ENTREVISTA AROUCA 33 HISTÓRIA EM QUADRINHOS 6

22

DE VOLTA PRA CASA

3

16

OCTO

Saiba como foi a conquista do Brasileiro de 61

18

FUTEBOL DE BASE

Departamento avaliou mais de 12 mil atletas

12

FUTSAL

Falcão e GRANDE ELENCO COMEÇAM A TREINAR

26 MARTA

A trajetória da Rainha do FutebOL


4

XXXXXXX WWWWWWWW

O PRESIDENTE

DIRETORIA Presidente Luis Alvaro de Oliveira Ribeiro

Luis Alvaro

Vice-Presidente Odílio Rodrigues Filho

PREZADO ASSOCIADO O ano está começando com muitos desafios para o Santos Futebol Clube. Após um 2010 repleto de títulos, gols e recordes, a expectativa da diretoria, dos associados e da torcida é que o futebol continue trazendo motivos para sorrir. Mas 2011 também será especial por outros motivos. Iniciamos nesta temporada um audacioso projeto que montou um verdadeiro timaço de Futsal. Liderado pelo técnico multicampeão Fernando Ferretti, temos um elenco de primeira grandeza onde, claro, desponta o talento do melhor do mundo nas quadras, o craque Falcão. Vamos disputar os principais torneios do País com chances de título. Temos também uma batalha para continuar estruturando cada vez mais o Futebol Feminino. Em janeiro, estive pessoalmente com a presidente Dilma Rousseff e com o Ministro dos Esportes, Orlando Silva, em Brasília, para falar da importância do Santos FC como locomotiva da modalidade no Brasil. Quase metade das atletas que hoje servem a Seleção Brasileira joga aqui. O trabalho do Santos tem sido fundamental para o desenvolvimento do Futebol Feminino no País, afinal, nosso time é um dos poucos que realmente investem neste esporte. Neste contexto, a permanência da Rainha do Futebol jogando no Brasil tem um papel fundamental na estruturação da modalidade. O esporte é feito de ídolos e Marta, eleita cinco vezes a melhor do mundo, tem carisma suficiente para incentivar milhares de meninas a seguirem seu caminho de sucesso. É uma missão que serve ao País e o nosso objetivo tem sido sensibilizar autoridades, clubes co-irmãos e investidores a criarem o ambiente necessário para o ‘fico’ de nossa mais expressiva atleta, assim como fizemos com Neymar no futebol masculino. Fora de campo, 2011 promete ser uma temporada ainda mais especial do que a anterior. As dívidas que encontramos ao assumirmos o Clube foram equacionadas, embora tenham sangrado nossas contas em mais de 12 milhões de reais no último exercício. O Clube está evoluindo em estrutura e patrimônio, a ponto de ter conseguido trocar totalmente o gramado após 14 temporadas. E nosso faturamento deve crescer ainda mais em comparação a 2010.

Fora de campo, 2011 promete ser uma temporada ainda mais especial do que a anterior. As dívidas que encontramos ao assumirmos o Clube foram equacionadas, embora tenham sangrado nossas contas em mais de 12 milhões de reais no último exercício. O Clube está evoluindo em estrutura e patrimônio, a ponto de ter conseguido trocar totalmente o gramado após 14 temporadas. E nosso faturamento deve crescer ainda mais em comparação a 2010 E você, sócio, terá ainda mais motivos para comemorar: reservas de ingressos pela Internet com sistema eficiente, descontos em dezenas de parceiros, balanços trimestrais de gestão enviados à sua casa e, em breve, um sistema inteligente de relacionamento que vai premiar quem comprar ingressos e produtos licenciados. A meta é dar cada vez mais motivos para que você continue associado ao Santos FC.

Assessores do Presidente Álvaro Antonio Cardoso de Souza, Eduardo Mazzilli de Vassimon, José Menezes Berenguer Neto, José Paulo Fernandes e Luiz Eduardo Monteiro de Lucas Diretor Administrativo Paulo Murat Diretor de Comunicação e Marketing Paulo Schiff Diretor de Esportes João Maria Menano Diretor de Futebol Pedro Luiz Nunes Conceição Diretor de Futebol Feminino Murilo Amado Barletta Diretor Jurídico Luciano Francisco Tavares Moita Diretor de Patrimônio Caio Marco di Stefano Diretor Social Moacir Brandelero

CONSELHO DELIBERATIVO Presidente André Monteiro de Fazio Vice-Presidente Orlando Galante Rollo Primeiro Secretário José Miguel Cecchinato de Souza Segundo Secretário Roberto Mehanna Khamis (em memória) Suplente José Carlos Otero Quaresma

CONTEÚDO Editor responsável: Arnaldo Hase (MTB) 4126/16/166 Redatora-Chefe: Carolina Rodrigues Redatores: Hugo Genaro, Priscila Vilani e Rafael Miramoto Repórter especial: José Roberto Torero DEPARTAMENTO DE MARKETING Equipe: Armênio Neto, Eduardo Musa, Fernando Montanha, Ivan Rizzo, Lívia Miyashiro, Luciana Xavier, Marcel Calixto e Rodrigo Sirna.

PAR PUBLICAÇÕES 13-3288.1586 parpublicacoes@ parpublicacoes.com.br DIRETOR André Luiz Amorim Garcia andregarcia@parpublicacoes.com.br Ricardo G. Figueira Jr. ricardofigueira @parpublicacoes. com.br ADMINISTRATIVO Aynara Racolto PUBLICIDADE Comercial Arinei Correa 13-7814.1237 ID: 55*119*36295 arineicorrea @parpublicacoes. com.br DIRETOR DE ARTE Márcio Andrade DESIGNER GRÁFICO Rodrigo Stoffel IMPRESSÃO Gráfica PROL TIRAGEM

35.000

A revista oficial do Santos Futebol Clube é um projeto do Departamento de Comunicação e Marketing do Clube licenciada para a Par Publicações, responsável pela criação, edição e comercialização em todo o território nacional. Todos os direitos reservados. As opiniões emitidas em matérias assinadas não são necessariamente a opinião da revista. Não se responsabiliza pelo conteúdo dos anúncios nem qualquer tipo de transação comercial que envolva os anunciantes.


6

CARTAS E E-MAILS

“Parabenizo-os pelas excelentes matérias veiculadas nas revistas de número um e dois, principalmente com as matérias de capa, com o Canhão da Vila, o Pepe, e com o Rei do Futebol, o Pelé. Sugiro para a número três uma entrevista com o Príncipe da Vila, o Coutinho, que infelizmente parou de jogar futebol muito cedo, por problemas nos joelhos”. Horácio Lopes Santos (SP)

“Temos Neymar, Ganso, Marta, Falcão e a Revista Santástico. Realmente é um orgulho que nem todos podem ter. Parabéns pelas matérias, diagramação e conteúdo”. Ediberto Antonio de Oliveira São Paulo (SP) “Recebi a revista nº 1 e vou guardá-la para coleção, aguardando nº 2. Achei super legal e interessante. Parabéns! Gostaria de ver na revista nº 3 a história da passagem do Elano e sua volta ao time, que me deixou muito feliz. Seja bem vindo Elano, que Deus te abençoe”. Sandra Rodrigues Santos (SP) R: Sandra, você está com sorte! A matéria de capa desta edição é com o craque Elano, que retornou à Vila Belmiro para a alegria da nação alvinegra. Confira toda a reportagem na página 22. “Acabei de receber minhas Revistas Santástico. Foi meu maior presente de Natal, eu simplesmente amei. Gostaria de mandar um recado para o Arouca! Arouca, você é o meu jogador preferido. Espero que você permaneça por muito tempo vestindo o nosso manto negro, e vou continuar sonhando em conhecê-lo!” Maria Silda Oliveira Santos São Paulo (SP) R: Maria, você vai poder conhecer um pouquinho mais sobre o Arouca no “Sócio Entrevista” desta edição! Corre lá para a página 28 e confira as dez perguntas que ele respondeu! ‘’Adorei a revista, achei uma ótima ideia. As diversas matérias nos deixam atualizados de tudo que ocorre no Santos Futebol Clube. Sei que na terceira edição a entrevista é com o craque Arouca e peço a vocês que na outra edição seja com o nosso outro craque Elano. A cada dia que passa fico mais feliz, pois meu time só me dá alegrias. E é por isso que o Santos vem fazendo tanto sucesso, pois tem

craques maravilhosos e o apoio de uma mega torcida! 2011 será um ano de muita importância para nós, porque vamos disputar a Libertadores e muito confiantes vamos levar essa! Não tem coisa melhor do que torcer por um time como esse!” Juliana de Castro Pereira Santos (SP) R: O Sócio Entrevista da próxima edição não será com o Elano, Juliana. Mas ele é o personagem da nossa matéria de capa! Então aproveite e leia sobre o retorno do craque na página 22. “Adorei as duas edições da revista!!! As matérias são demais! Em especial a do Pepe, fiquei emocionada. Gostaria que tivesse uma matéria do nosso querido G10 – Giovanni. Ele emocionou todos desde que entrou no Santos em 95 e trouxe mais adeptos naquela época. Seria uma grande homenagem essa matéria, afinal de contas a homenagem na despedida dele não aconteceu.Parabéns e obrigada por alavancar ainda mais o meu Santos!” Glaucia Santos Junqueira Santos (SP)

Quer enviar sugestões de matérias ou comentar sobre a Revista Santástico? Então mande para o e-mail contato@revistasantastico. com.br ou para o endereço: Rua Princesa Isabel, 77, portão 16 – Departamento de Comunicação -Vila Belmiro – Santos (SP) - CEP: 11075-501 Não se esqueça de colocar seu nome completo, cidade em que reside e número de sócio! ERRAMOS

O NOME DO FOTÓGRAFO RESPONSÁVEL PELAS IMAGENS DA MATÉRIA “E SE PELÉ FOSSE ARANTES?”, DA ÚLTIMA EDIÇÃO, É JOSÉ HERRERA. TAMBÉM COMETEMOS UM EQUÍVOCO NO EXPEDIENTE DA ÚLTIMA REVISTA. O SEGUNDO SECRETÁRIO DO CONSELHO DELIBERATIVO É ROBERTO MEHANNA KHAMIS. JOSÉ CARLOS OTERO QUARESMA OCUPA O CARGO DE SUPLENTE.

Como me associei há pouco tempo, recebi as duas edições da revista agora em dezembro. Quero agradecer o envio e dizer que me deliciei com as revistas, sendo que por hora é só elogios, ela está bonita, com informações interessantes e entrevistas especiais muito bem feitas, muito bom. Espero que ela continue e bem. Parabéns!” José Celso da Silva Guaratinguetá - SP

TWEETS @santosfc Comentários sobre Revista Santástico: @caiodaoria Acabei de receber a minha revista Santástico, a revista dos sócios do @santosfc muito interessante a matéria da entrevista com o ganso @rafaela_sfcs2 A entrevista do Paulo Henrique Ganso pra revista SANTASTICO [@santosfc] ficou muito linda, não me canso de ler *-* @brunoneofiti parabens pelo segundo numero da revista santastico @cinthyamacchia A revista para sócios do clube, os concursos de musa do site, as promoções nas redes sociais... o @ santosfc esse ano está de parabéns! @Lekaori Recebi hj minha revista Santástica do @ santosfc adorei @renaanzinhoo eu tava lendo a revista de sócio do @ santosfc que chegou, muito irada, vou colecionar! *-* @karentoyama Acabei de receber a edição de número 02 da revista @santosfc tá Santástico ;) com o Rei na capa! adorei....


7

FRANQUIAS

2010 Sucesso

Balanço

Novas franquias e aumento na arrecadação são os grandes destaques do departamento

Copa Nestlé Meninos da Vila

Texto: Carolina Rodrigues Fotos: Divulgação/Santos FC

Q

Durante o ano de 2010, a Divisão de Escolas de Futebol do Santos FC implementou uma série de mudanças no departamento. Após seis meses de trabalho (a seção foi criada em julho de 2010, desvinculando-se do Marketing), o crescimento do setor é facilmente notado. Oito novas franquias foram inauguradas. Entre elas, três estão fora da região Sudeste (Amazonas, Rondônia e Mato Grosso do Sul), acompanhando o objetivo de expansão da marca Santos, como explica o diretor da divisão, Nicolino Bozzella Júnior. “O Clube tem uma influência muito forte em outras regiões, porém há uma grande dificuldade em alcançar esses territórios. As franquias tornaram-se uma das melhores maneiras de chegar a esse público”, disse. Além disso, a Divisão de Escolas de Futebol aumentou a receita regularizando a situação financeira de unidades que apresentavam débitos para com o Santos FC. “Há escolas que foram inauguradas em 2005, por exemplo, mas que tinham pagado somente uma parcela até hoje. Nós iniciamos um processo de ajuste desses casos e daremos seguimento em 2011”. INTERCÂMBIO Outra iniciativa realizada pelo departamento em 2010 foi o

O Clube tem uma influência muito forte em outras regiões ” Intercâmbio Esportivo, organizado em parceria com a Unidade Meninos da Vila de Orlando (EUA). Na ocasião, dez atletas americanos, com idade entre 12 e 18 anos, vieram ao Brasil para aprender técnicas do esporte. Além disso, participaram de jogos amistosos com unidades da Baixada Santista. Esse tipo de evento amplia a divulgação do Clube, traz arrecadação para o Santos FC e cria um vínculo maior dos atletas com o Peixe. Por isso, hoje existe um projeto para que o modelo de intercâmbio seja definitivamente incluído no calendário oficial do Clube, envolvendo não só a escola de Orlando, mas todas as unidades internacionais. Revelações Os principais objetivos da rede de Escolas Meninos da Vila são divulgar o nome do Peixe por todo o mundo e descobrir novos talen-

tos do esporte para o Clube. E as franquias santistas têm cumprido o seu papel. São 20 os atletas das categorias de base provenientes das escolas, o que equivale a cerca de 10%. Um desses craques é Victor Alex Sampaio, que treinava na unidade Taubaté antes de jogar no Alvinegro Praiano. Com 13 anos de idade, ele foi artilheiro e campeão do Campeonato Paulista da categoria. Já Venício Fernandes, outra revelação, veio da escola de Cotia e já foi convocado duas vezes para a Seleção Brasileira sub 16. PREVISÕES Após um ano intenso de trabalhos e realizações, a Divisão de Escolas de Futebol espera muitas novas conquistas para este ano de 2011. “O intuito das ações que estão sendo desenvolvidas é levar a marca do Santos FC cada vez mais longe, por todo o Brasil e exterior. Os primeiros passos já foram dados. Estamos aproveitando o excelente momento do time, os baixos índices de rejeição e a grande procura que temos. Até o final de 2011 a previsão é de que o número que assumimos tenha um aumento de quase 100%”, planeta o diretor Nicolino Bozzella.

Durante a segunda semana de dezembro de 2010, algumas franquias do Peixe reuniram-se em Santos (SP) para a disputa da Copa Nestlé Meninos da Vila. Participaram as unidades de Brasília, Cotia, Imigrantes, Itapecerica, Limeira, Ponta da Praia, Ribeirão Preto, São Carlos e Taubaté. Esse é o evento mais importante da rede Meninos da Vila, afinal, une as escolas franqueadas ao Santos FC. As franquias Brasília e Ponta da Praia foram as vencedoras dessa edição da Copa, pelas categorias sub 13 e sub 15, respectivamente. Junto com a Copa, foi realizado o primeiro prêmio “Franqueado do Ano”. O grande vencedor foi o responsável pela unidade Campinas, Carlos Alexandre Rodrigues. Segundo Nicolino Bozzella Júnior, a premiação é uma homenagem do Santos FC ao franqueado, pelo trabalho realizado. “Não podemos deixar de agradecer àquele que mostrou mais dedicação, organização, cumpriu com seus deveres e esteve sempre atuando em prol do desenvolvimento do Clube. Essa escola foi recordista no número de alunos cadastrados em nosso sistema e tornou-se a vencedora”, explica.


8

MARKETING

NA PRATELEIRA DVD Copa do Brasil 2010 (Globo Marcas) R$ 19,90 à venda no site da Vila do Santos (www.viladosantos.com. br) e da Globo Marcas (www. globomarcas.com.br), nas lojas Santos Mania e nas principais bancas do estado de São Paulo)

Broto Legal Arroz: R$ 1,84, Feijão carioca: R$ 2,48, Feijão preto: R$ 2,87 à venda, em Santos, nos supermercados da rede Litoral, e em São Paulo, no Walmart


9

Caneca (Ceramarte) R$ 10,00 disponível na Umbro Store no site da Vila do Santos (www.viladosantos.com.br) Squeeze (Mexbras) R$ 5,00 à venda na Umbro Store (Rua Princesa Isabel, 77, na Vila Belmiro, em Santos)

Camisa Octocampeonato Brasileiro (Meltex) R$ 39,90 disponível no site da Vila do Santos (www.viladosantos.com.br)

Croc (Domenica ) R$ 39,90 à venda na Vila do Santos (www.viladosantos.com.br)


10

HISTÓRIA

Quatro títulos em solo chileno Peixe foi campeão de três Hexagonais e um Octogonal. Na primeira conquista, equipe fez “O Jogo do Século” contra a Tchecoslováquia Texto: Rafael Miramoto Foto: Arquivo/Santos FC

T

odos os títulos da gloriosa história do Alvinegro Praiano têm muita importância, mas alguns dos feitos trazem um sabor especial. Os quatro canecos conquistados pelo Santos FC no Chile (1965, 1968, 1970 e 1977) encaixam-se neste perfil. Por ser uma competição internacional e tradicional em todo início de temporada, o Hexagonal do Chile – que em 1968 foi excepcionalmente Octogonal -, disputado em Santiago, tinha grande repercussão. Além disso, foi jogando por esse torneio que o esquadrão santista fez uma de suas maiores apresentações dentre os quase 99 anos desde a fundação do Clube. A partida foi contra a, nada mais, nada menos, vice-campeã do Mundo em 1962: a Seleção da Tchecoslováquia. Na final da Copa vencida pelo Brasil, Zito marcou quando o confronto estava empatado em 1 a 1. O placar terminou em 3 a 1. Pelé não participou da decisão do Mundial, pois distendeu o músculo adutor da coxa esquerda no segundo jogo da primeira fase, contra os próprios tchecos. Mas, pelo Hexagonal do Chile, só faltou fazer chover. Com três gols, comandou a vitória santista por 6 a 4, em 16 de janeiro de 1965. Coutinho (2) e Dorval completaram o placar do jogo, disputado em Santiago. “Foi um jogo maravilhoso, tanto é que mais de 40 anos depois ainda falam dele. Extremamente ofensivo. Todo o ataque (do Santos) jogou bem. A Tchecoslováquia tinha uma seleção excelente. Era uma seleção com uma força muito grande. A maioria dos jogadores era de um time chamado Uda Dukla e ainda havia muitos jogadores que tinham participado da Copa de 62. Por coincidência, tendo jogado com eles em 62 pela Seleção, fizemos uma amizade grande”, comenta o Eterno Canhão da Vila, Pepe. “Essa partida foi considerada pela imprensa esportiva mundial como ‘O Jogo do Século’, tal a qualidade técnica do time santista, que tem essa como uma de suas melhores apresentações em toda a existência. No dia seguinte ao jogo, o jornal ‘La Tercera Hora’ estampou na primeira página em manchete com letras garrafais: ‘Pelé és de otro mundo’”, completa o pesquisador e

coordenador do Centro de Memória e Estatística do Clube, Guilherme Guarche. Na edição de 1965 da competição, além do jogo contra os tchecos, os santistas ainda bateram três times chilenos: a Universidade Católica por 2 a 1 na estreia (13/01), com tentos de Pelé e Toninho Guerreiro; o Colo Colo por 3 a 2 (29/01), com Dorval (2) e Toninho Guerreiro anotando para o Peixe; e a Universidade do Chile por 3 a 0 (02/02), com gols de Dorval, Pelé e Zito. A única derrota do Santos FC na competição foi o 3 a 2 para o River Plate (Argentina), na terceira rodada (22/01), curiosamente após o espetáculo contra a Tchecoslováquia. Pelé e Toninho Guerreiro balançaram as redes no jogo. Já em 1968, com a participação de oito equipes, o Peixe conquistou seis vitórias e sofreu apenas uma derrota, com 22 gols marcados e sete sofridos. Na estreia (13/01), goleada de 4 a 1 sobre a Tchecoslováquia, com gols de Toninho Guerreiro (2), Taborsky (contra) e Negreiros. O segundo jogo (19/01), contra a Universidade Católica (Chile), terminou com o mesmo placar a favor do Peixe. Carlos Alberto Torres (2), Toninho Guerreiro e Douglas anotaram os tentos santistas. O terceiro jogo (23/01) foi contra os húngaros do Vasas. Resultado: 4 a 0 para o Santos FC. Edu (2), Pelé e Toninho Guerreiro deram a vitória ao time. Na quarta rodada (27/01), aconteceu o único revés santista na competição: 2 a 1 para a Universidade do Chile. Edu marcou o gol do Peixe no jogo. Na sequência, o ex-ponta foi o autor dos tentos santistas no 2 a 1 sobre o Racing (31/01), da Argentina, e fez mais dois no 4 a 1 sobre o Colo Colo, pela sexta rodada (02/02). Toninho Guerreiro e Douglas também marcaram na vitória sobre os chilenos. O último confronto do Alvinegro Praiano na competição foi contra a Alemanha Oriental (05/02). Negreiros (2) e Toninho Guerreiro fizeram no 3 a 1 sobre os alemães. Em 1970, o Peixe não começou bem, mas, com o Rei Pelé inspirado pela Copa que se aproximava, engrenou a partir da terceira rodada. No primeiro jogo (21/01), derrota de 4 a 3 para o Colo Colo, do Chile, com gols de Pelé, Rildo e Herrera (contra). Na sequência, a equipe ficou no 2 a 2 com o Dínamo de Zagreb, da Croácia (28/01), tentos de Rildo e Coutinho.


11 A única derrota do Santos FC na competição foi o 3 a 2 para o River Plate (Argentina), na terceira rodada (22/01), curiosamente após o espetáculo contra a Tchecoslováquia. Pelé e Toninho Guerreiro balançaram as redes no jogo. C

M

Y

CM

MY

CY

EDU

CMY

K

Artilheiros: 1965

Pelé: 5 Dorval: 4 T. Guerreiro: 3 Coutinho: 2 Zito: 1

1968

Edu: 7 T. Guerreiro: 6 Negreiros: 3 Douglas e Carlos Alberto Torres: 2 Pelé: 1

1970

Pelé: 8 Coutinho, Douglas e Rildo: 2 Joel Camargo e Nenê: 1

1977

Totonho: 5 Ailton Lira: 4 Nilton Batata: 2

Fonte: Centro de Memória e Estatística do Santos FC

A partir daí, o Alvinegro Praiano emplacou três vitórias rumo ao título: 2 a 0 sobre a Universidade do Chile (30/01), com gols Pelé (2); 7 a 0 diante do América do México (04/02), tentos de Pelé (3), Douglas (2), Nenê e Joel Camargo; e 3 a 2 contra a Universidade Católica, do Chile, Pelé (2) e Coutinho marcaram para o Peixe. Sete anos depois, o Santos FC sagrou-se campeão em território chileno pela quarta vez. Nos cinco jogos na competição, o Peixe conquistou quatro vitórias e teve uma derrota. A estreia naquele ano foi contra o Colo Colo

(19/01): 3 a 1 para os santistas, com gols de Totonho (2) e Nilton Batata. O segundo jogo (22/01), contra o Everton, do Chile, terminou com o placar de 4 a 0 a favor do Alvinegro, Ailton Lira (2), Nilton Batata e Totonho marcaram. No terceiro confronto (28/01), vitória de 2 a 0 sobre o River Plate, com tentos de Ailton Lira (2). A única derrota na competição veio na quarta rodada (01/02): 1 a 0 diante dos austríacos da Seleção de Salzburg. O Santos FC encerrou a participação em 1977 com um 2 a 0 diante da Universidade do Chile (04/02), com gols de Totonho (2).


12

ESPORTES AMADORES

Futsal

O Rei das

Quadras

Falcão e a equipe profissional de futsal do Peixe esperam ano de glórias

Texto: Carolina Rodrigues Fotos: Ricardo Saibun

“E

u, com 33 anos, sinto como se estivesse reiniciando. É um

momento muito especial na minha carreira”. É assim que o maior jogador de futsal do mundo, Falcão, chega ao Santos Futebol Clube. Contratado

por um período de dois anos, mas com possibilidade de extensão, o craque é o grande nome de uma nova fase do Peixe – o time profissional da modalidade. A equipe de Futsal do Santos foi criada graças ao empenho de três homens: João Maria Menano, diretor de Esportes, Cecil Ribeiro, subdiretor da modalidade, e José Alexandre Fiúza, coordenador. “Foi uma coincidência, pois com a construção


da Arena Santos, tínhamos planejado montar uma equipe para ocupá-la. Apresentamos o projeto para o Falcão e ele se entusiasmou”, explicou Menano. O time recebe o patrocínio da Unilus (Fundação Lusíada), da Cortiana Plásticos e da Votorantim Cimentos, além do apoio da Cellula Mater e da FUPES (Fundação Pró-Esporte, da Prefeitura de Santos). O projeto santista foi uma das maiores razões para o craque do futebol de salão aceitar vir para o Clube. “Eu achei perfeito. Tive propostas para jogar em outros lugares e minha escolha pelo Santos foi por essa diferença no projeto. Temos o ginásio, o apoio do Clube, da prefeitura, da torcida. E em 2012 é o centenário. É um momento incrível”. Além disso, a torcida e o amor ao Peixe também colaboraram na decisão do atleta, que é santista de coração. “Mexe com paixão, com torcida, atrai o público do futebol. No futsal, estamos acostumados a jogar por empresas e ter essa arquibancada pesa muito”, disse. E, segundo o subdiretor do esporte, Cecil Ribeiro, Falcão foi peça fundamental no desenvolvimento dessa nova equipe. “Esse foi um sonho que se tornou realidade pois todos os envolvidos tinham o mesmo objetivo. E o Falcão é parte importantíssima disso, muitas das ideias e das concretizações partiram dele”, contou. Mas Falcão não é a única estrela dessa equipe. Todos os outros 14 atletas foram selecionados criteriosamente pelo técnico Fernando Ferreti, um dos mais vitoriosos do Brasil, e por toda a comissão técnica envolvida. É esse grupo que defenderá o Peixe no Campeonato Paulista e na Liga Nacional de 2011, que devem começar em março. E a expectativa é alta. “Como diz o presidente Luis Alvaro, temos a

OUTRAS MODALIDADES 13 Futebol Americano O time santista deu um show em amistoso na Vila Belmiro e venceu o Osasco Soldiers por 43 a 0. O confronto foi preliminar da final do Torneio Touchdown da modalidade e marcou a estreia da equipe na casa do Peixe.

O grupo defenderá o Peixe no Paulista e na Liga Nacional de 2011” esperança de ganhar tudo. Esse é um projeto que a gente imagina que dê uma crescente no esporte. Será uma nova oportunidade de carreira para os atletas da base do futsal”, contou Menano. Para honrar a camisa do Santos dentro das quadras, o time treina em dois períodos. Pelas manhãs, o treino acontece na Arena Santos e, no período da tarde, a equipe faz a preparação na Unilus. Para Falcão, será um ano de muito trabalho, mas o Peixe tem tudo para se tornar vitorioso. “A equipe é nova, temos zero em título, então temos que conquistar tudo. Contratamos bons jogadores, comissão técnica, tudo que se podia fazer foi feito. Agora está em nossas mãos. A equipe entra para brigar pelo título, sim, é um time compatível com a camisa do Santos”, garantiu.

terão a chance de jogar profissionalmente nessa modalidade dentro do Clube e não terão mais apenas a opção de passar para o futebol de campo. Além disso, agora os meninos poderão usufruir da estrutura da Unilus nos treinamentos. “Dentro desse projeto, o técnico Ferreti ainda supervisionará todos os atletas das categorias inferiores. Vamos fazer nossos jogadores do futuro”, ressaltou o subdiretor, Cecil Ribeiro. Para o coordenador do futsal do Santos, a convivência dos atletas da base com os novos jogadores é o principal ganho. “A principal mudança será o nível que esses jogadores chegarão quando adultos. A convivência com esses profissionais, que são ídolos, e com a comissão técnica será fundamental para a melhora na qualidade desses atletas”, disse Fiúza.

Categorias de base Uma das maiores consequências do projeto de futsal santista é a criação de mais uma oportunidade profissional para os garotos que jogam futsal pelo Alvinegro Praiano. Afinal, eles

Arena Santos Construído com recursos do governo do Estado e do município, o espaço tem 11 mil m², capacidade para cinco mil pessoas e fica na Rua Rangel Pestana, 184, na Vila Mathias, em Santos (SP).

Goalball Os atletas de Goalball do Santos FC/Lar das Moças Cegas permanecerão treinando a modalidade nos meses de janeiro e fevereiro de 2011, para manter o ritmo para os confrontos da temporada que está por vir.

Judô Os judocas Danilo Gonçalves, Daniel Plácido de Souza, Felipe Camilo e Leandro Gonçalves, do Santos FC/ Associação de Judô Rogério Sampaio/ Fundação PróEsportes (Fupes), participarão da primeira seletiva para a formação da Seleção Brasileira, que acontecerá em 29 de janeiro, em São Paulo. Nesta primeira fase do processo seletivo, classificam-se dois atletas.

Karatê Nos dias 12 e 13 de fevereiro, os mestres e atletas de karatê do Santos FC/Academia Resistência participarão de uma clínica sobre o esporte na Universidade de São Paulo (USP).

Taekwondo Durante os meses de janeiro e fevereiro, a equipe de taekwondo do Santos FC/ Academia Fábio Goulart treinará para o Campeonato Paulista 2011 da modalidade, que deverá acontecer a partir de março.

Vôlei O time masculino do Santos FC/FUPES realizará peneiras para reestruturar as categorias do vôlei. Já o feminino passará os dois primeiros meses treinando para a temporada 2011, em que disputará os Jogos da Juventude, o Paulista InfantoJuvenil e os Jogos Regionais.


14

MUSA

Idade: 18 anos Signo: Leão Altura: 1.63m Peso: 58 kg O que mais gosta em seu corpo: sorriso Um lugar para namorar: qualquer lugar, desde que seja com alguém especial Maior qualidade: determinação Maior defeito: teimosia Não vivo sem: minha família

FLÁVIA MARTINS


Quer ver mais fotos da Musa do Santos FC? Acesse o site do Peixe: www.santosfc.com.br


16

OCTOCAMPEONATO

O primeiro título brasileiro do Santos

Esta edição marca a estreia de uma série sobre os oito títulos brasileiros do Peixe, agora reconhecidos pela CBF. Em cada revista, uma conquista será detalhada. Então, aproveitem para relembrar a Taça Brasil de 1961!

Equipe santista de 1961

Texto:Odir Cunha Fotos: Arquivo/Santos FC

O Santos, que vencera o Campeonato Paulista de 1960 ao derrotar o Palmeiras, na Vila Belmiro, por 2 a 1 (o empate bastava para manter uma vantagem inalcançável sobre a Portuguesa, a segunda colocada), era tido como o grande time brasileiro, apesar de ainda não ser campeão nacional. Além de campeões mundiais, como Mauro e Zito, o time possuía uma linha ofensiva que era cantada em prosa e verso: Dorval, Mengálvio, Coutinho, Pelé e Pepe. Como campeão paulista, o Santos teve o direito de entrar na Taça Brasil de 1961 nas semifinais, contra o América do Rio, primeiro campeão

do Estado da Guanabara. Seguia-se o sistema empregado no Campeonato Brasileiro de Seleções – substituído em 1959 pelo Campeonato Brasileiro de Clubes, popularmente conhecido como Taça Brasil –, em que paulistas e cariocas entravam nas semifinais devido à flagrante e incontestável superioridade técnica, assim como a FIFA faz hoje com representantes da América e da Europa no seu Mundial de Clubes. No dia 11 de novembro, em São Januário, no primeiro jogo das semifinais, entre América, o primeiro campeão do Estado da Guanabara, e o Santos, o bom público que compareceu para incentivar o campeão carioca acabou vendo mais um show dos atacantes

santistas. O Santos goleou por 6 a 2, com três gols de Pepe, dois de Pelé e um de Coutinho. Se quisesse continuar sonhando com o título, o América deveria imitar o Bahia em 1959 e vencer o Santos em plena Vila Belmiro. Quem poderia acreditar em resultado tão inesperado? Pois o América acreditou, e a confiança deu certo. Ao final dos 90 minutos, em que Pelé não só não brilhou como de costume, como foi expulso pelo árbitro Armando Marques, o placar apontava 1 a 0 para os visitantes, que assim provocavam o terceiro jogo, marcado para dois dias depois, 21 de novembro, no Pacaembu. Os santistas conheciam bem a

história e ficaram de cabelo em pé. O time seria novamente surpreendido às portas do título nacional? O técnico Lula não parecia tão preocupado, pois fez uma única alteração, colocando o jovem Lima na lateraldireita, em substituição a Feijó. O jogo mostrou que quem tem um ataque tão arrasador não precisa se preocupar tanto com a defesa. Com novo ânimo, o Santos partiu para o ataque, encurralou o campeão guanabarino e lhe impôs outra goleada de seis. Com dois gols de Pelé, dois de Coutinho, um de Pepe e um de Dorval, o campeão paulista venceu por 6 a 1 e se classificou para reeditar, contra o Bahia, a mesma final da Taça Brasil de 1959.


17 “Perante a maior assistência reunida em um campo de futebol desta cidade”, assim o jornal A Gazeta Esportiva iniciava a cobertura do primeiro jogo da decisão da Taça Brasil de 1961, em Salvador, entre Bahia e Santos. Nunca se soube ao certo o público que assistiu à partida, mas a Fonte Nova, estádio inaugurado em 1951, já tinha apresentado audiências próximas de 100 mil pessoas. O que se sabe é que a renda, de Cr$ 7.441.400, foi recorde para a época. A multidão apaixonada, a princípio, não assustou o Santos, que abriu o marcador aos três minutos, através de Coutinho, depois de trocar passes com Pelé. Mas a impressão inicial de goleada logo se desvaneceu diante do bom desempenho da defesa do campeão baiano. A partida seguiu equilibrada, ou melhor, amarrada, até o final do primeiro tempo. No início da segunda etapa, Marito aproveitou um rebote do goleiro Laércio e, aos oito minutos, empatou a partida. O Santos procurou não arriscar e aparentemente se contentou com o empate, já que com uma vitória na Vila Belmiro asseguraria o título. Cinco dias depois, os santistas adentravam seu estádio para a decisão da III Taça Brasil com Laércio, Lima, Mauro e Dalmo; Calvet e Zito; Dorval, Tite, Coutinho, Pelé e Pepe. O Bahia veio com a mesma equipe que jogara em Salvador, na qual se destacavam o meia Mario e os atacantes Marito, Alencar e Biriba. Ainda estava fresca na memória dos santistas a inesperada derrota para o Bahia na primeira partida da decisão da Taça Brasil de 1959, na última vez que o grande time do Nordeste jogara em Santos. Atento, desta vez o campeão

O jogo mostrou que quem tem um ataque arrasador não precisa se preocupar tanto com a defesa”

paulista não deu oportunidades ao adversário e ao final da partida comemorava seu primeiro título brasileiro com uma acachapante goleada por 5 a 1, com três gols de Pelé e dois de Coutinho. Mas o Bahia, como a história

mostrou, não deveria ficar envergonhado. Aquele Santos começava ali a se consagrar como o melhor time do mundo. Tornouse o primeiro time brasileiro a conquistar a Taça Libertadores da América, em 1962, e em seguida venceu duas vezes o Benfica, bicampeão europeu, goleandoo por 5 a 2 em pleno Estádio da Luz, em Lisboa, para consagrar-se como o primeiro time brasileiro campeão mundial. Na Libertadores de 1962, o campeão brasileiro venceu o Grupo 1 derrotando duas vezes o Deportivo Municipal, campeão boliviano ( 4 a 3 em La Paz e 6 a 1 na Vila Belmiro), empatando no Chile (1 a 1) e goleando estrepitosamente na Vila o Cerro Porteño, campeão paraguaio (9 a 1). Nas semifinais, bem mais difíceis, o Santos empatou com a Universidad Católica em Santiago do Chile e venceu em casa por 1 a 0. Na decisão, contra o Peñarol, bicampeão da Taça Libertadores,

os santistas venceram em Montevidéu, mesmo sem Pelé, machucado, por 2 a 1, com dois gols de Coutinho. Na Vila Belmiro, a torcida saiu comemorando o título após o empate de 3 a 3, mas o árbitro uruguaio Carlos Robles havia colocado na súmula que terminara a partida quando o campeão uruguaio vencia por 3 a 2. Segundo Robles, só continuou o jogo por motivo de segurança. Marcado o terceiro jogo para Buenos Aires – onde, apesar da neutralidade, a maioria dos argentinos torcia para o Penãrol –, o Santos, já com a volta de Pelé, venceu por inapeláveis 3 a 0, com um gol contra de Caetano, em chute de Coutinho, e outros dois de Pelé. Assim, em apenas três anos de competição, a Taça Brasil já havia selecionado um campeão e um vice da Taça Libertadores da América, provando que seu método de seleção era realmente eficaz para definir os melhores times do Brasil.


18

FUTEBOL DE BASE

Peneiras

Garimpo de

Em busca de novos Meninos para a Vila, Departamento de Futebol Amador avaliou mais de 12 mil atletas em 2010

Vila. Ele explica que a principal inovação nos testes foi a implantação de clínicas. Ao invés de avaliar os candidatos apenas em um jogo coletivo, os atletas participam de, no mínimo, três dias de treinamento com a supervisão de membros das comissões técnicas da base santista. “As clínicas nos permitem fazer uma avaliação mais qualitativa do que as tradicionais peneiras. Além da qualidade técnica, é preciso saber se o atleta vai se adaptar à nossa rotina de treinamento. Por isso, alguns membros de nossas comissões técnicas (preparador físico, fisiologista, preparador de goleiros) também ajudam a avaliar os candidatos”, explicou Stival. Sete cidades receberam as clínicas do Santos

FC em 2010. Em Minas Gerais, as avaliações foram realizadas em Botelhos, Caldas e Poço Fundo. No Estado de São Paulo, os municípios de Orlândia e São Pedro sediaram os testes, além de Botucatu. Esta última recebeu a segunda fase das avaliações, em dezembro passado, quando todos os aprovados em todas as clínicas realizadas pelo Peixe em 2010 passaram por nova fase de testes. O Clube ainda realizou seletiva em Santana, na Bahia. Em média, cada clínica de futebol do Peixe teve 600 inscritos. Os candidatos não pagaram pela inscrição, mas o Santos FC solicitou a cada atleta a doação de um quilo de alimento não perecível, que foi repassado a instituições assistenciais das cidades sede das avaliações.

craques Texto: Hugo Genaro Fotos: Hugo Genaro

O

Santos Futebol Clube é referência na revelação de craques e intensificou a busca por novos jogadores em 2010. Entre seletivas, clínicas e indicações das franquias de escolas do Clube, o Departamento de Futebol Amador santista avaliou mais de 12 mil garotos no ano passado. Todos em busca de trilhar o mesmo caminho feito por Neymar, PH Ganso, Wesley, André, Robinho, Diego e tantos outros. Bebeto Stival, supervisor das categorias de base do Peixe, é um dos responsáveis pela avaliação dos candidatos a Meninos da


19 Alguns atletas selecionados nas clínicas realizadas em 2010 já começam a se destacar nas equipes de base do Peixe. O goleiro Fernando e o meia Diogo, da equipe Mirim, foram selecionados na clínica de Orlândia. Da mesma seletiva veio o atacante Weder, de 19 anos, que foi titular do Peixe no Campeonato Brasileiro Sub 20, disputado em dezembro.

Sete cidades receberam clínicas do Santos FC em 2010 ”

Franquias Meninos da Vila

O Santos FC possui uma rede de franquias denominada “Meninos da Vila”, com cerca de 40 escolas de futebol espalhadas pelo Brasil e pelo mundo. Assim, cerca de seis mil jovens treinam dentro de uma metodologia criada e monitorada pelo Clube, o que facilita uma futura admissão nas categorias competitivas da base santista. O avaliador técnico e ex-jogador do Santos FC na década de 1960, Lima, é responsável por realizar uma pré-seleção dos alunos das franquias. Bicampeão Mundial

pelo Peixe em 1961 e 1962 e hexacampeão brasileiro, atualmente ele trabalha visitando as escolas “Meninos da Vila”, a fim de verificar a aplicação da metodologia de treinamento, ao mesmo tempo em que garimpa novos talentos para o Clube. “Nós visitamos cada franquia ao

menos três vezes por ano. Além de avaliar os alunos da própria escola, também aproveitamos a estrutura da franquia para realizar as tradicionais peneiras abertas à comunidade. Chamamos este projeto de ‘Nasce um Peixe’. O resultado disso é que cerca de 30% dos atletas da base foram revelados por esta iniciativa”, comentou Lima. Outra forma de avaliar os alunos da rede “Meninos da Vila” é a realização de jogos amistosos entre os times das franquias contra as equipes de base do Peixe. Desta maneira, os observadores técnicos do Santos FC descobriram o atacante Vitor Alex, de 13 anos. Natural de Taubaté, o atleta se destacou em um amistoso entre a equipe da franquia de sua cidade e o time Mirim santista. O Sub 13 do Alvinegro Praiano venceu por 4 a 3, mas Vitor Alex marcou os três gols taubateenses. O amistoso antecedeu a partida entre o Santos FC e Ceará, em maio, pelo primeiro turno do Brasileirão. Após a partida, o atleta do Inte-

rior Paulista foi convidado a treinar durante duas semanas com o time Mirim do Peixe, período em que foi novamente avaliado. A adaptação foi rápida. Vitor foi aprovado e mudou-se definitivamente para Santos. Mais uma vez a estrela do jovem atacante brilhou. O mais novo Menino da Vila foi o artilheiro santista no Campeonato Paulista Sub 13, com 12 gols em 16 jogos. Além disso, o atacante foi o responsável pelo gol do tricampeonato estadual, marcado faltando apenas dez minutos para o final da decisão contra o União Barbarense, no mês de novembro, em Santa Bárbara D’ Oeste. O jogo estava empatado em 0 a 0, resultado que daria o título para o time do Interior Paulista. “Foi muito legal poder ajudar o time e ganhar um título já no meu primeiro campeonato pelo Santos. Espero ganhar mais títulos e um dia chegar ao time profissional”, disse o jovem talento santista.

DDndd mmii ssbbb aa

ii!

Faça seu pedido agora mesmo! Há sempre um bom motivo para presentear alguém especial! A Cestas Delícias Café & Cia. oferece variados tipos de cestas para todas as ocasiões:

• Café da manhã • Queijos & Vinho • Gourmet • Cerveja • Erótica • Maternidade E outras.

www.cestasdelicias.com.br atendimento@cestasdelicias.com.br


21


22

MATÉRIA DE CAPA

O bom filho à casa torna


23

Texto: José Roberto Torero

Elano está de volta. De volta ao seu país, de volta ao clube que o projetou, de volta à sua torcida, de volta à Vila Belmiro. De certa forma, é como se ele estivesse voltando para aquela sua primeira casa, em Iracemápolis. Era uma construção simples, com uma laranjeira no quintal e com chão vermelhão, do tipo que deixa a sola do pé manchada. Seus pais eram cortadores de cana. Às vezes o pai também dirigia o ônibus que levava os trabalhadores para o campo. Então, naquelas manhãs frias, Elano ia deitado ao lado do motor para se aquecer. O menino levava uma bolinha e ficava brincando sozinho. Foi assim, driblando pés de cana, que ele começou no futebol. Logo passou a jogar com os meninos na rua e viu que tinha uma habilidade diferente. O pai também percebeu. Tanto que, certa vez, quando descarregavam laranjas, um amigo deixou cair uma caixa perto do pé de Elano. O pai ralhou com o amigo: “Cuidado com esses pés. Eles são o meu futuro!” Seu Geraldo estava certo. Logo Elano participaria de uma peneira do Guarani com mais de 600 garotos. “Volte amanhã”, disse o técnico. No dia seguinte, escutou de novo o “volte amanhã”. E no dia seguinte, e no seguinte, e no seguinte. Os buracos da peneira iam ficando cada vez mais estreitos, mas ele passou por todos eles e entrou nas categorias

O menino levava uma bolinha e ficava brincando sozinho. Foi assim, driblando pés de cana, que ele começou no futebol

de base do Bugre. Elano começou a pegar oito ônibus todos os dias para fazer o trajeto Iracemápolis-Campinas-Iracemápolis. Saia de casa às 5h30 e voltava às 23h00. Elano lembra que, de madrugada, quando estava saindo de casa, sua mãe se despedia dele acenando da janela e cantando uma música de Zezé di Camargo e Luciano que dizia assim:

grupo. “Tinha um garoto que ganhava 30 vezes mais que eu”. Mas esse garoto não vingou como jogador. Elano Blumer esteve na última Copa do Mundo. Desde os tempos de Guarani, ele já era um coadjuvante. Mas não um coadjuvante apagado. Era um coadjuvante especial, um secundário principal, palavras que não costumam vir juntas, mas que têm certa lógica quando o assunto é Elano. Nesta fase em Campinas, de vez em quando ele e os outros garotos cometiam um pecado: roubavam o dinheiro deixado como esmola para Nossa Senhora. A causa era nobre: inteirar o preço de uma pizza, que era cortada em muitos pedaços entre os garotos. “Ô santinha, depois eu devolvo”, prometia Elano. E devolvia. Nos fins de semana, levava para Iracemápolis uma dúzia de amigos, que geralmente moravam muito longe para voltarem para suas casas. Os pais de Elano até construíram um puxadinho e o encheram de colchões. “De manhã tinha que tomar cuidado para não pisar em ninguém”.

( ) “No dia em que eu saí de casa minha mãe me disse: Filho, vem cá! Passou a mão em meus cabelos, olhou em meus olhos, começou falar: Por onde você for eu sigo com meu pensamento sempre onde estiver Em minhas orações eu vou pedir a Deus que ilumine os passos seus.”

Av. Imperatriz Dona Teresa Cristina, 11 Algum tempo depois, ele foi morar em Campinas com outros 52 garotos. Sua ajuda de custo era de oitenta reais por mês. Não era a estrela do


24

MATÉRIA DE CAPA

Rua Princesa Isabel, 77 Quando Elano veio para o Santos, em 2000, com 19 anos, seu Geraldo tinha tanta fé no talento do filho que disse para o então presidente, Marcelo Teixeira: “Ele não precisa nem ganhar nada. Fica de graça. Só precisa jogar.” Ele não ficou de graça, mas quase: ganhava mil reais por mês. Morava no alojamento da Vila Belmiro. Depois foi para a casa do amigo Renatinho (atualmente no Sevilha). Não era uma época muito favorável para se jogar no Santos. O clube estava há muito tempo sem ganhar um título de expressão, a torcida colocava as faixas de cabeça para baixo e chegou até a invadir o campo de treinamento. Para piorar, naqueles anos a diretoria gastou muito em contratações discutíveis, como Rincón e Marcelinho Carioca. Mas há males que vêm para o bem, erros que viram acertos. Sem dinheiro em caixa, o clube teve que recorrer às categorias de base do clube, e entre eles estava o jovem que tinha vindo do Guarani, o menino que brincava de futebol no meio do canavial. Foi com este time de garotos que o Santos entrou no Brasileiro de 2002. E o primeiro gol daquele campeonato foi marcado justamente por Elano, num 2 a 1 sobre o Botafogo. O resto da história, todo mundo já sabe. O time classificou-se em oitavo lugar na primeira fase, ganhou os dois jogos contra o São Paulo nas quartas-de-final, depois passou pelo Grêmio, com direito a um chocolate de 3 a 0 na Vila Belmiro, e, na final, enfrentou o Corinthians duas vezes no Morumbi. No primeiro jogo, Santos 2 a 0. No segundo, Robinho deu as sete pedaladas em cima de Rogério, sofreu um pênalti que ele mesmo cobrou e fez 1 a 0. Mas o Corinthians viraria o jogo no segundo tempo, marcando aos 30’ e aos 39’. Mais um gol e a taça iria para o Parque São Jorge. A pressão era grande. O gol inimigo parecia inevitável. Foi então que, aos 43’, Elano

O garoto que dormia ao lado do motor para escapar do frio ia para a gelada Ucrânia

lança Robinho na direita. Este vai até a linha de fundo e cruza rasteiro. Elano se antecipa ao zagueiro e toca para os fundos das redes de Doni. Era o gol de empate, o gol do título, o gol mais importante de sua carreira. Elano levanta a camisa do Santos e mostra que por baixo usa uma camisa com a figura de Nossa Senhora. A mesma que lhe emprestou dinheiro para comprar pizza. Depois, Léo ainda faria 3 a 2. O Santos voltava a ser campeão brasileiro, o que não acontecia desde 1968. Dois anos depois, no último jogo do Brasileiro de 2004, contra o Vasco da Gama, novamente temos um cruzamento na área. E novamente Elano marca o gol que dá a taça ao Santos. Na comemoração, mais uma vez ele ergue a camisa do clube e vemos uma camiseta com a figura de Nossa Senhora, mas agora acompanhada pelo nome do amigo Narciso, que se recuperava de uma leucemia. Ucrânia,Inglaterra,Turquia No ano seguinte, uma triste notícia para o torcedor santista: Elano é vendido para o Shaktar Donetski. “Não tinha jeito, era uma proposta irrecusável, eu

tinha que ir.” O garoto que dormia ao lado do motor para escapar do frio ia para a gelada Ucrânia. Era sua chance de resolver seus problemas financeiros. O clube pagou dez milhões de dólares,e50%dopasseeradeElano. Talvez, em seu embarque, ele tenha se lembrado de outro pedaço da música de Zezé di Camargo, um pedaço que ele poderia cantar para a torcida:

( ) Eu sei que ela nunca compreendeu Os meus motivos de sair de lá Mas ela sabe que depois que cresce O filho vira passarinho e quer voar...

Elano penou no frio ucraniano. Em sua nova casa moravam ape-

nas ele, a esposa e a filha recém nascida. Não conseguiram ninguém para ir com eles, ninguém para ficar de babá. E preferiram não contratar uma pessoa de lá. “Eu não ia deixar uma estranha cuidar da minha filha”. O desconforto aparecia de várias maneiras. A cidade só tinha um restaurante decente e os problemas com a língua eram rotineiros. Tanto que, certa vez, a caminho do treino, num dia com neve e temperatura baixa, Elano parou o carro num posto para reabastecer. Mas o frentista, em vez de colocar óleo diesel, encheu o tanque de gasolina. Alguns quilômetros depois, o carro parou. “Fazia uns 20 graus abaixo de zero”, conta Elano. Ele tentou chupar o óleo diesel com


uma mangueira, mas acabou engolindo combustível. A saída foi deixar o carro no acostamento e sair andando pela estrada. Chegou ao treino graças à carona de um desconhecido. Elano penou no frio ucraniano, mas venceu. Foi bicampeão nacional pelo Shaktar. Atento, o técnico Sven-Goran Erikson, do Manchester City, percebeu que Elano poderia ser uma peça importante para sua rica e ascendente equipe. O jogador trocou a camisa laranja e preta pela camisa azul do time inglês. E se deu bem. Foi o artilheiro do time em sua primeira temporada, e o Manchester City chegou a liderar a Premier League. Porém, no ano seguinte, o clube mudou de proprietário e de técnico, e Elano deixou de ser titular absoluto. Por sete milhões de euros, foi comprado pelo Galatasaray, da Turquia, time que tem uma torcida apaixonada. Elano, com certa saudade, até cantarola a música que os torcedores fizeram para ele. Uma pena que isto não seja uma reportagem para o rádio. Ou, talvez, seja melhor assim. Veio então a Copa do Mundo, onde ele fez um gol na primeira partida, contra a Coréia do Norte, e outro na segunda, contra a Costa do Marfim. Depois deste gol, Elano abaixou as meias e mostrou para o mundo os nomes de suas filhas Maria Teresa e Maria Clara, que estavam escritos em suas caneleiras. Mas há alegrias que duram pouco. Alguns minutos depois, ele levaria uma entrada desleal e estava fora da Copa. Se não sofresse esta contusão, talvez a sorte do Brasil na África tivesse sido outra. Elano conta que chorou nos dias seguintes, mas sempre sozinho, para não atrapalhar o grupo. Aliás, quando fala da seleção, Elano fica emocionado, desmentindo aquela ideia de que os jogadores já não amam vestir a camisa amarela. “É uma coisa mágica. Colocar aquela camisa, o respeito das pessoas, estar entre os melhores do mundo, conviver com amigos que você só vê de vez em quando...

25

“O Santos está fazendo eu me sentir orgulhoso de mim mesmo”

Elano

Não tem outra palavra, é mágica mesmo”. Nesse seu giro pelo mundo, Elano fez muito sucesso. Talvez por ter escutados os conselhos de sua mãe, como diz a música:

( ) “A minha mãe naquele dia me falou do mundo como ele é Parece que ela conhecia cada pedra que eu iria por o pé. E, sempre ao lado do meu pai, da pequena cidade ela jamais saiu Ela me disse assim: Meu filho vá com Deus que este mundo inteiro é seu...”

Rua Princesa Isabel, 77, de novo Depois de jogar na Ásia, na Europa e de participar da Copa da África, Elano está de volta ao umbigo do

mundo: a Vila Belmiro. Ele tem contrato de três anos e diz que, por ele, encerra a carreira no Santos. Havia boatos de que times como Inter de Milão e Juventus de Turim estavam interessados nele. E certamente um titular da Seleção Brasileira encontraria mercado na Europa. Mas, mesmo ganhando muito menos, ele preferiu voltar para o Santos. “Por quê?”, eu pergunto. “Para viver”, ele responde. Elano diz que sua rotina em Santos será assim: acordará às 8h00, tomará café, irá para o treino, almoçará no clube ou num restaurante com amigos, à tarde, se não houver treinamento, jogará um futevôlei na praia, depois jantará em casa

com a família, dará uma olhada na internet e, por fim, vai tirar uns minutos para refletir sobre a vida. E, é claro, dará bons churrascos e fará o que mais gosta: jogar futebol. Um fato curioso é que, mesmo vivendo na cidade que mais o ama, ele não sofre assédio quando anda pela rua. Claro que há pedidos de autógrafos e fotos, mas nada que o impeça de passear. Vantagens de ser um coadjuvante. “Prefiro ser assim. Não gosto de ser o principal, não tenho essa vaidade.” Porém, apesar de estar no time de Ganso e Neymar, Elano sabe que desta vez não será só um ator secundário. “Agora sou dos mais experientes do grupo, vai ser um pouco diferente. O Santos está me fazendo importante, está fazendo eu me sentir orgulhoso de mim mesmo”. Desta vez, Elano será mais que um coadjuvante, será um líder em campo. E ele tem futebol para isso. Tem futebol e outra coisa que está no último verso da música de Zezé di Camargo:

(

)

E o olhar de minha mãe na porta, que eu deixei chorando, a me abençoar.


26

SEREIAS DA VILA

Detalhes da Jogadora Posição: Atacante Nome: Marta Vieira da Silva Natural de: Dois Riachos (AL) Nascimento: 19/02/1986 Altura: 1,54m Peso: 50Kg Títulos: Jogos Panamericanos 2003 e 2007 (Seleção Brasileira), Sul-Americano 2003 e 2010 (Seleção Brasileira), Medalha de Prata nas Olimpíadas de Atenas-2004 e Pequim-2008 (Seleção Brasileira), UEFA Women’s Cup 2004 (UMEA), Campeã Sueca 2005, 2006, 2007 e 2008 (UMEA), Campeã da Copa Sueca 2007 (UMEA), Campeã Brasileira Sub-19 2001 (Vasco da Gama), Melhor jogadora do mundo FIFA 2006, 2007, 2008, 2009 e 2010 (individual), Bola de Oura FIFA 2007 (individual), Chuteira de Ouro FIFA 2007 (individual), Copa Libertadores da América 2009 (Santos FC), Copa do Brasil 2009 (Santos FC), Liga Norte-Americana 2010 (FC Gold Pride) e Torneio Internacional Interclubes 2011

É PENTA!

Marta a melhor do mundo pela quinta vez

A Rainha do Futebol, mais uma vez reconhecida como a melhor do mundo pela FIFA, ajuda o Santos FC a conquistar o Torneio Internacional Interclubes


27 Texto: Priscila Vilani Fotos: Pedro Ernesto Guerra Azevedo

E

la está de volta. Mais craque do que nunca e eleita pela quinta vez consecutiva como a melhor jogadora de futebol do mundo, Marta, a Rainha do Futebol, voltou a ser Sereia da Vila. Nascida no dia 19 de fevereiro de 1986, em Dois Riachos, no interior de Alagoas, Marta Vieira da Silva ajudou as Sereias da Vila a conquistarem mais um título: o do Torneio Internacional Interclubes. Após quatro jogos, três vitórias e um empate, a equipe de Futebol Feminino do Peixe ergueu mais uma taça ao vencer o time Foz Cataratas por 3 a 2, na final disputada em 15 de janeiro. A Rainha já vestiu a camisa Alvinegra em 2009 e conquistou dois títulos inéditos na sua carreira: foi campeã da primeira edição da Copa Libertadores da América feminina, realizada em Santos (SP), e também ergueu a taça da Copa do Brasil, no Pacaembu, em São Paulo, quando as Sereias da Vila sagravam-se bicampeãs. Marta é um fenômeno com a bola nos pés. É difícil descrever a relação da rainha com a bola. Mas ela sabe definir bem essa história de amor. “Eu não sei que outra profissão seguiria. Não sei fazer outra coisa a não ser jogar bola. Faço isso desde o dia que me entendo por gente”, brinca a atleta. Para as colegas de profissão, é uma honra poder fazer parte de um grupo em que Marta esteja.

“Eu não sei que outra profissão seguiria. Não sei fazer outra coisa a não ser jogar bola. Faço isso desde o dia que me entendo por gente” “Ela arrasta multidões. As pessoas vão ao estádio para assistir a Marta jogar. Além de ser indescritível dentro de campo, ela é a principal peça para alavancar o Futebol Feminino no Brasil”, relata a capitã das Sereias da Vila e da Seleção Brasileira adulta, Aline Pellegrino. Mas a modesta Rainha não acredita em toda essa força. “Não acho que eu seja responsável por alavancar o Futebol Feminino no Brasil. Sei que meu nome é forte, mas não acredito que eu seja completamente responsável pela divulgação da modalidade”. História Marta começou a jogar futebol ainda menina, em campos de barro e com meninos em sua cidade natal. Seu primeiro clube foi o CSA-AL, em 1999. No ano seguinte, a futura melhor do mundo, então com 14 anos, se aventurou no Rio de Janeiro, onde atuou no Vasco da Gama até 2002. Em São Januário, conquistou o Campeonato Brasileiro Sub-19 de 2001 e foi artilheira da competição. Em 2002, ganhou título de revelação na Seleção Brasileira que participou do Mundial Sub 19.

Depois de dois anos no Vasco, Marta transferiu-se para o Santa Cruz-MG – clube já extinto. Em 2003, após ótimas atuações nos Jogos Pan-Americanos de Santo Domingo, no qual a Seleção Brasileira conquistou o ouro, e na Copa do Mundo – o Brasil caiu nas quartas-de-final -, recebeu a proposta para atuar no Umea (Suécia). Sua consagração como principal jogadora do Brasil, contudo, ocorreu apenas no ano seguinte. Marta foi o destaque da Seleção nas Olimpíadas de Atenas (2004), onde a equipe garantiu a inédita medalha de prata. Em 2006, aos 20 anos, a meiocampista chegou ao topo: foi eleita a melhor jogadora do mundo pela FIFA. No ano seguinte, ajudou a Seleção Brasileira a conquistar o bicampeonato dos Jogos PanAmericanos, no Rio de Janeiro, sendo também a artilheira do torneio com 12 gols. Ainda em 2007, Marta ajudou o Brasil a chegar à final da Copa do Mundo, na China, pela primeira vez. O time acabou perdendo para a Alemanha. Apesar disso, foi eleita mais uma vez a melhor do mundo. Em 2008, Marta ganhou outra

medalha de prata em Olimpíadas, nos Jogos de Pequim. Na decisão, a Seleção foi derrotada pelos EUA. No início de 2009, novamente recebeu o título de melhor do mundo pela temporada 2008, prêmio dado pela FIFA. Também no começo desse ano, Marta trocou a Suécia pelos EUA, indo atuar pelo Los Angeles Sol na primeira edição da Women´s Profissional Soccer (Liga Profissional Americana), sendo vicecampeã. Após a passagem em solo norte-americano, Marta retornou ao Brasil em setembro de 2009 para vestir a camisa do Santos FC na disputa de dois torneios importantes: a Copa do Brasil e a Libertadores. A melhor do mundo, então, conquistou títulos inéditos em sua carreira. Já em dezembro, recebeu o quarto prêmio consecutivo da FIFA e foi eleita a melhor jogadora da temporada. Em 2010, a atleta se transferiu para o FC Gold Pride. Além de Marta ter sido a artilheira da Liga, com 19 gols, ainda ajudou o time a sair da condição de último colocado da competição em 2009 para o posto de campeão da atual temporada. A temporada 2010 foi encerrada com a participação da Seleção Brasileira no Torneio Cidade de São Paulo. O Brasil acabou ficando com o vice, após ser derrotado pelo Canadá, e Marta foi eleita a melhor jogadora do torneio e a artilheira da competição com seis gols.


28

SÓCIO ENTREVISTA

“Vim ao Santos para fazer história”

Na próxima edição, o entrevistado será o técnico Adilson Batista. Quer mandar sua pergunta? É só enviar para o e-mail socio@revistasantastico. com.br com nome completo, número de sócio e cidade em que reside.

Arouca

Foto: Ricardo Saibun

Quando ele chegou ao Santos, em troca envolvendo Rodrigo Souto, alguns torcedores ficaram desconfiados. Mas, em pouco tempo, o volante Arouca mostrou talento dentro de campo, levantou duas taças pelo Peixe e conquistou o carinho de toda a torcida alvinegra, que exigiu sua contratação em definitivo. A diretoria atendeu e Arouca tem contrato com o Santos até agosto de 2014. Aplicação, determinação e garra são as maiores qualidades do craque santista, que respondeu as perguntas dos associados ao Clube: Arouca, qual foi a sua maior motivação para vir jogar no Santos? Bruno Beluso Marin – Jarinu (SP) R: O Santos é um time grande, com uma ótima estrutura. O elenco já estava bem montado e eu sabia que aqui daria muito certo buscar títulos. 2. Você chegou ao Santos e se encaixou perfeitamente no meio de campo. O que você espera para o ano que vem? E o que acha desse novo meio-campo do Santos, com Ganso e Elano? Victório Giacomassi Neto - Ferraz de Vasconcelos (SP) R: Espero um 2011 melhor que 2010. Neste ano temos uma competição importantíssima, a Libertadores, mas também vamos buscar títulos em todos os campeonatos. Quanto ao Ganso e ao Elano, eles dispensam comentários. O talento dos dois é incrível e vou fazer de tudo para jogar ao lado deles. 3. Qual o momento mais emocionante que você passou vestindo o manto sagrado do Peixe? Tiago Maestre de A. Rodriguez – Santos (SP)

R: As duas conquistas de 2010, o Paulistão e a Copa do Brasil, foram muitos emocionantes, principalmente o Campeonato Paulista, pois foi o meu primeiro título com a camisa do Santos e foi um resultado que alcancei em pouco tempo. 4.O que vocês costuma fazer quando não está no Santos? Juliana de Castro Pereira - Santos (SP) R: Sou bem caseiro, então gosto de curtir a família, sair para jantar, ir ao cinema e jogar videogame. 5. Arouca, e gol em 2011? Sai ou não sai? Gercildo Gomes de Lima Junior - São Paulo (SP) R: Eu espero que sim (entre risos). Vou fazer de tudo para ele sair. No ano passado, não consegui fazer, mas tive uma campanha feliz. Mas já está na hora de o pessoal aqui parar de me zoar mesmo. Quero muito fazer esse gol, também para coroar a minha passagem no Santos e ainda como forma de agradecimento ao acolhimento da torcida. 6. Arouca, em qual volante você se inspira para jogar no meio-campo do Peixe? Rafael Vital Borges – Santos (SP) R: Gosto muito do futebol do Gerrard (Liverpool), Xavi (Barcelona), Iniesta (Barcelona) e Lampard (Chelsea). 7.Qual o filme que passa pela sua cabeça em uma final de campeonato? Você sente o peso da camisa, da torcida e da responsabilidade da partida? Gabriela Reis Aguiar – Santos (SP) R: Toda final dá aquele friozinho na barriga. Peso da camisa eu não sinto, mas sim aquela responsabilidade, o desejo de coroar o trabalho. Penso em terminar aquela partida

feliz e poder comemorar. 8. Existe alguma “saia justa” ou fato engraçado que você já passou no futebol e que pode contar, relativo a fãs, cotidiano ou concentração? Thaís Amoriele Azevedo - São José do Rio Preto (SP) R: Na véspera da final da Copa do Brasil, treinamos em Salvador. Nesse dia, um sósia meu apareceu lá no treino e o Dorival Júnior fez questão de mandar ele entrar para sacanear comigo. Eu não achei ele muito parecido, mas foi divertido (risos). 9.Arouca, qual foi a sensação de ter tirado a bola em cima da linha, chutada pelo Rodriguinho, na final do Paulista de 2010, salvando o Peixe da derrota e dando mais um pouco de esperança pros corações de todos os santista? Victor Ruas da Costa – Santos (SP) R:Até brinco com os companheiros que aquele lance foi meu gol do ano. Fiquei feliz de estar na hora e no local certos e de ter acompanhado a jogada. Foi o meu gol. 10.O que você acha de morar na cidade de Santos (fazendo uma relação com a cidade do Rio de Janeiro) e como é o seu relacionamento com os moradores da cidade nos dias de folga? Allan Orsi – Santos (SP) R: Eu me adaptei muito rápido. Santos é muito parecida com o Rio, por causa da praia, do ambiente. Só tenho que agradecer os torcedores pelo apoio. Alguns tinham dúvida quando cheguei. Mas eu coloquei na minha cabeça que a resposta viria dentro de campo. Então agradeço muito o apoio que recebi depois que todos perceberam que vim aqui não para passar, mas sim para fazer história.


29 Tradução CNA - Canal 1

When he arrived at Santos, in an exchange involving Rodrigo Souto, some Santos fans were suspicious, but in short time Arouca showed his talent on the field won two championships and got into the fans hearts and they demanded his hiring. Santos FC hired him until 2014. Dedication, determination and a strong will are the biggest qualities of this santista ace and he has answered some of the associates questions : What was your biggest motivation to play for Santos? R: Santos is a big team and has a great structure. The team was already ready and I knew we could go for titles. 2. You came to Santos and has fitted perfectly in the midfield. What are your expectations for next year? What do you think about this new Santos midfield with Ganso and Elano? R: I hope 2011 wil be better than 2010. We have a very important competition , Libertadores, but

we are also searching for titles in others championships. Regarding Ganso and Elano I have no remarks. Their talent is amazing and I will do my best to play with them. 3. What was the most important moment for you wearing Santos FC jersey? R: It was very exciting to win Paulistão and Copa do Brasil in 2010, mainly Paulista Championship because it was my first title wearing Santos FC jersey and I reached that goal in a very short time. 4.What do you use to do when you are not at the club? R: I like to be at home with my family. I go out for dinner, movies and play videogame. 5. What about goals in 2011? R: I hope to score many goals (laughing). I’ll do my best to score. Last year I did not score but I was happy with my work but it is time people stop mocking me. I really want to score in order to honor Santos FC and as a “thank you” to

the fans that always treated me nicely. 6. Which soccer player inspires you to play At Santos FC midfield? R: I really like the way Gerrard (Liverpool), Xavi (Barcelona), Iniesta (Barcelona) and Lampard (Chelsea) play soccer. 7.What do you think about the finals? Do you feel the responsability to be wearing Santos FC jersey? R: Every final I have butterflies in my stomach. I don’t feel the “weight” of Santos’ jersey but I feel responsible and I want to do my job the best way possible. I think about ending the game happily and be able to celebrate. 8. Are there any funny situations you have experienced regarding the fans, the concentration or your daily activities at the club? Thaís Amoriele Azevedo - São José do Rio Preto (SP) R: The day before Copa do Brasil final we trained in Salvador. There was a guy that looked like me and

Dorival Junior put him on the field to make fun of me. I did not think he looked like me but it was funny (laughing). 9.How did you feel getting the ball that Rodriguinho had kicked at Paulista final and saving Santos from being defeated and giving hope to our santistas hearts? R: always joke with my mates that moment was my goal. I was happy because I was in the right place at the right moment. That was my goal. 10.What do you think about living in Santos (comparing to Rio de Janeiro)? What about your relationship with Santos citizens on your days off? R: I got used to it very quickly. Santos seems like Rio, the beach, the environment. I just want to thank Santos fans for their support. Some of them had doubts when I arrived. But I thought the answer would come in the field. So I thank everybody for the support and for realizing that I came here not just to pass by but to make history.


30

CONSELHO DELIBERATIVO

Agora o órgão Conselho criou Grupos de legislativo do Clube espaço Trabalho em 2010 e pretende tem garantido na

ampliar o auditório em

O

Conselho Deliberativo do Santos FC é um importante órgão do Clube, que fiscaliza as ações do Executivo (presidência e diretoria), propõe e promove alterações no Estatuto Social e no Regimento Interno e garante o respeito a essas normas. Para realizar essas ações, o Conselho possui uma Mesa Diretiva, hoje constituída pelo presidente, André de Fazio, o vice, Orlando Rollo, o primeiro secretário, José Miguel Cecchinato, o segundo secretário, Roberto Mehanna (em memória), e o suplente, José Carlos Quaresma. Além disso, há o Conselho de Orientação e Fiscalização (COFI) e as Comissões Permanentes – Fiscal, de Estatuto e de Inquérito e Sindicância. A cada três meses, o Conselho deve realizar uma reunião ordinária com os conselheiros, para debater sobre temas pertinentes ao Clube. No ano de 2010, foram realizadas 13 reuniões. Quando as reuniões são públicas, os conselheiros têm direito à voz e a voto, já os sócios do Peixe podem assistir. Atualmente, o Santos FC possui 321 conselheiros no total, incluindo Natos, Efetivos, Eleitos, Honorários e Suplentes. Em 2010, a média de frequência foi de 200 membros por reunião e a de manifestações foi de 21 conselheiros por sessão. Balanço e previsões Durante o ano de 2010, o Conselho Deliberativo desenvolveu diversas atividades, como um workshop para orientar e instruir os conselheiros eleitos quanto às normas do Conselho Delibera-

2011

revista, para que os sócios do Peixe acompanhem o andamento do Santos FC

José Carlos Quaresma, Orlando Rollo, André de Fazio, José Miguel Cecchinato e Roberto Mehanna (em memória)

tivo. Houve também um maior estreitamento do relacionamento entre o COFI e a mesa diretiva, por meio de seis reuniões realizadas ao longo do ano. O Conselho ainda apresentou à diretoria uma proposta de revitalização da Chácara Nicolau Moran, desenvolvida com alguns conselheiros após visita realizada ao local em setembro de 2010. A integração com a sociedade também foi uma das bandeiras do Conselho, que presenteou várias instituições e organizações com brindes oficiais do Clube. Além disso, o órgão legislativo do Clube desenvolveu um trabalho institucional com autoridades empresariais do setor portuário e de petróleo e gás, conseguindo novos associados, parcerias e patrocínios. Grupos de Trabalho Em 2010, foram criados os GTs – Grupos de Trabalho. São sete no total, São sete no total, que abordam diversos temas. “É um grande laboratório. Os GTs propiciam aos conselheiros a discussão de propostas de assuntos temáticos de interesse do Clube e esses temas são forneci-

dos à Mesa Diretiva do Conselho, que encaminha à diretoria”, explicou o presidente André de Fazio. Em 2010, os GTs contribuíram para com o Clube apresentando um total de 16 propostas. Planejamento para 2011 Para 2011, duas são as principais metas. “Queremos concluir a mudança do Estatuto e do Regimento Interno e reformar o espaço físico do Conselho Deliberativo”, planejou André de Fazio. Situado no primeiro andar do Estádio Urbano Caldeira (Vila Belmiro), o espaço destinado ao Conselho passou por uma ampliação há pouco tempo, mas o auditório continua o mesmo há mais de 20 anos. É nesse espaço que se realizam as reuniões do órgão legislativo e também onde funciona toda a secretaria do Conselho. A intenção é de ampliar e modernizar o auditório, transformando-o em um local que receba, além das reuniões do Conselho, eventos de caráter cultural, esportivo, de entretenimento e de sustentabilidade. Outra ideia é a de criar um espaço próprio para os conselheiros do

Santos FC frequentarem. “Seria um local com acesso à internet, à legislação e à literatura. Também pretendemos readequar espaços para as comissões permanentes, os GTs e o COFI”, contou André de Fazio. O plano de reforma já foi encaminhado à diretoria do Clube pela Mesa Diretiva do Conselho, que agora aguarda o retorno de um estudo preliminar do projeto.

Roberto Mehanna Khamis No dia 07 de janeiro de 2011, o Santos Futebol Clube perdeu o segundo secretário da Mesa Diretiva do Conselho Deliberativo do Clube, Roberto Mehanna Khamis, que faleceu aos 64 anos. Mehanna era advogado, atuou como conselheiro eleito do Santos FC nos períodos de 1995 a 1999, 2005 a 2007 e 2009 a 2011 e também integrou o COFI da atual gestão. * Na próxima edição, você conhecerá mais sobre os trabalhos das Comissões Permanentes do Conselho Deliberativo.


JOGOS INESQUECÍVEIS

Hugo Ferreira Quinteiro sócio desde 2007 morador de São Paulo Meu jogo inesquecível foi contra o Fluminense, na semifinal do Campeonato Brasileiro de 1995. Eu tinha apenas 14 anos, mas já era muito fanático e, por isso, sofria muito também. Era normal chegar numa roda de amigos e ouvir o pessoal falar que nunca viu o time ser campeão. Mas, naquele Brasileiro de 1995, parece que a história seria diferente. O time fez um segundo turno ótimo, ganhando de 3 x 0 do maior rival, 1 x 0 do Palmeiras e 3 x 0 do Flamengo, no Rio. Fui ao jogo no Pacaembu contra o Guarani. Foi muito difícil, mas ganhamos de 2 x 0. Então veio a semifinal e o péssimo resultado: Fluminense 4 x 1 Santos. Fiquei muito chateado, gostava muito daquele time, porque todos os jogadores tinham se destacado no Santos, não tinha ninguém que veio consagrado de outros times. Então, no sábado, meu pai (José do Carmo) veio conversar comigo. “E aí, vamos ao jogo amanhã?”. Falei pra ele que achava que não seria legal, porque o Santos

Quer enviar o seu jogo inesquecível? Mande um e-mail para socio@revistasantastico.com.br contando sua história. Não esqueça de enviar nome completo, número de sócio e local em que reside.

31

Pacaembu,10 de dezembro de 1995 A emoção da torcida foi uma coisa que só quem estava no Pacaembu sabe o que foi”

provavelmente seria desclassificado. Então ele, sem me obrigar, disse que no futebol tudo era possível e, mesmo que não desse, deveríamos ir para prestigiar aquele time que resgatou a moral santista (éramos o único paulista na semifinal). Então fomos. Quando chegamos lá, quase não acreditei: a fila pra comprar os ingressos estava enorme. E os torcedores perto de nós na fila estavam combinando onde eles iriam comemorar a classificação após o jogo. A história do jogo todos sabem, mas a emoção da torcida foi uma coisa que só quem estava no Pacaembu sabe o que foi. Tanto é que foi a única vez que um time não foi para o vestiário para ficar sentindo o calor da torcida. No dia seguinte, li no jornal (Gazeta Esportiva) que os próprios funcionários do Pacaembu jamais tinham visto tamanha emoção entre uma torcida e um time. Sempre fui Santista fanático, mas, após esse jogo, eu tive ainda mais orgulho do time que só via falar bem dos tempos antigos.


32

HISTÓRIA EM QUADRINHOS

MATRÍCULAS ABERTAS

Educação Infantil Ensino Fundamental I e II Ensino Médio Período Integral (Ed. Infantil ao 5º ano)

Av. Ana Costa, 373 Gonzaga - Santos Tel:. (13) 3023.5797 www.saojosecolegio.com.br

2011


33


34

CARTAS E E-MAIL


38

XXXXXXX WWWWWWWW


39


XXXXXXX WWWWWWWW

O campeonato vai começar. Seu coração vai bater mais forte.

Cuide de sua saúde.

Av. Ana Costa, 468 . Gonzag a Santos . (13) 3285.120 0

www.anacostasaude.com .br

oficinadeidéias

40


Revista Santástico - Edição 03