Issuu on Google+

26 monumentos contempor‰neos e de autor 16 arquitectos internacionais 1 PrŽmio Pritzker 1 PrŽmio Europeu de Urbanismo 3 PrŽmios Europa Nostra

Cidade Patrim—nio de Humanidade 9 praas barrocas 25 edif’cios modernistas 27 igrejas hist—ricas 110 g‡rgulas de pedra 170 hectares de casco hist—rico

1 Catedral 74 metros das torres do Obradoiro 4 praas monumentais 18 capelas na Catedral Caminho de Santiago Patrim—nio da Humanidade

12 15 18 19

200 figuras do P—rtico da Gl—ria 8.300 metros quadrados de Catedral 10 toneladas no Sino maior 68 km/hora para o voo do Botafumeiro

1.500.000 m2 de zonas verdes 5 jardins hist—ricos 54 jardins urbanos 8 miradouros naturais 5 prŽmios internacionais ˆ protec‹o do meio ambiente

conventos e mosteiros claustros fontes monumentais casas nobres e pal‡cios urbanos

11 teatros e audit—rios 13 museus 14 bibliotecas e arquivos 15 galerias de arte 365 dias de actividade cultural 30 grandes festivais internacionais

100.000 habitantes 1.100 restaurantes, bares e cafŽs 5 variedades de vinho com denomina‹o de origem 80 tipos de peixes 50 tipos de moluscos 188.130 quilos de marisco comercializados por ano

www.santiagoturismo.com www.santiagoreservas.com


Muitas coisas para fazer

Santiago de Compostela, capital da Galiza e Patrim—nio da Humanidade pela UNESCO, Ž a meta do Caminho de Santiago. Peregrinos de todo o mundo visitam as rel’quias do ap—stolo Santiago e procuram em cada Ano Santo o Jubileu na sua catedral. Cidade santa, sede episcopal h‡ mil anos e cidade universit‡ria h‡ mais de 500, Santiago de Compostela Ž hoje uma urbe viva e monumental, din‰mica e segura, concebida para passear.

Percorrer a cidade 1. CENTRO HISTîRICO Catedral. Aberta diariamente. 7:30-21 h. Narra uma antiga tradi‹o que Santiago o Maior, um dos doze ap—stolos de Cristo, foi enterrado pelos seus disc’pulos num bosque do finis terrae. Ap—s o milagroso achamento das suas rel’quias no sŽculo IX ergueu-se um santu‡rio, e a partir do ano 1075 a monumental e actual Catedral. Esta obra-mestra do rom‰nico conserva a sua estrutura original com acrescentamentos g—ticos, renascentistas e barrocos. Destacam no seu interior: P—rtico da Gloria. Maestro Mateu. s. XII. Cenas do Antigo e Novo Testamento, centradas na Salva‹o. Altar-Mor, Sepulcro e Camarim do Ap—stolo. Baldaquim barroco e altar de prata, s. XVII. Rel’quias de Santiago no mausolŽu. Botafumeiro. Maior incens‡rio do mundo. Alcana durante o seu voo 68 km por hora. Nos Anos Santos utiliza-se todos os dias; nos restantes, s— em solenidades religiosas. Capelas. Destacam pela sua antiguidade a capela do Salvador e a Corticela, a qual foi um orat—rio independente durante o sŽc. X. ¥ Museu. Inclui a visita da cripta, o Tesouro e as Rel’quias, o claustro, salas de tapearias, salas de arqueologia, sala capitular, biblioteca e arquivo. 1 Out-31 Maio: 10Ð13:30 h, 16Ð18:30 h. Dom e feriados: 10Ð13:30 h. 1 Jun-30 Set: 10Ð14 h, 16Ð20 h. Dom e feriados: 10Ð14 h. ¥¥ Telhados. Interesse hist—rico-art’stico e uma das melhores vistas da cidade. Entrada pelo Pal‡cio de Xelm’rez. Todos os dias, 1014 h, 16-20 h.

Praza do Obradoiro Baptizada assim devido aos atelis (obradoiros) de canteiros que trabalharam na catedral, concentra os principais Edif’cios civis e religiosos da cidade. Fachada do Obradoiro. Obra-mestra do Barroco compostelano, sŽc. XVIIXVIII. Torres de 74 metros de altura. ¥ Claustro. Um dos maiores da Espanha. Renascentista. sŽc. XVI. Hostal dos Reis Cat—licos. Hospital e refœgio de peregrinos convertido no sŽc. XX em Pousada de cinco estrelas. ¥ Pal‡cio Arcebispal de Xelm’rez. Um dos melhores Edif’cios civis do rom‰nico espanhol. sŽc. XII. Pal‡cio de Raxoi. Neocl‡ssico, s. XVIII. Sede da C‰mara Municipal de Santiago. Pao de S. Xerome. Renascentista. Alberga a Reitoria da Universidade de Santiago. Praa das Prater’as A Praa sul da Catedral deve o seu nome aos atelis dos ourives de prata situados desde a Idade MŽdia nas caves do claustro. Fachada rom‰nica da Catedral. sŽc. XII. Rica iconografia centrada na vida de Cristo. Torre do Rel—gio. Recebe o nome de ÔBerenguelaÕ. Base do sŽc. XIV e remate barroco do sŽc. XVIII. Aloja o maior sino da Catedral. Casa do Cabido. Tel‹o de pedra de apenas trs metros de fundo, 1758. Casa do De‡n. Casa-pal‡cio, s. XVIII. Alberga uma reparti‹o da informa‹o do Peregrino.

Praa da Quintana Praa barroca dividida em duas: na parte superior, Quintana de Vivos; na parte inferior, Quintana de Mortos, lugar de enterramentos atŽ 1780. Porta Santa. S— se abre durante os Anos Santos. ¥ Mosteiro de S. Paio de Antealtares. Fundado no sŽc. X. Edif’cio actual barroco. Alberga beneditinas de clausura. Museu de Arte Sacro. Seg-Sab: 10:30Ð 13:30 h, 16Ð19 h. Casa da Conga e Casa da Parra. Vivendas barrocas, sŽc. XVIII.

Praas da Imaculada e da Acibecher’a Deve o seu nome aos atelis dedicados ˆ talha do azeviche e constitui o ponto final dos Caminhos Francs, Ingls e do Norte. Fachada norte da Catedral. Barrocaneocl‡ssica. * Mosteiro de S. Martinho Pinario. Fundado no sŽc. X. Edif’cio actual barroco. 20 mil metros quadrados e segundo maior Mosteiro da Espanha. Igreja visit‡vel e Museu Diocesano. 1 Out-14 Jun: Seg-Dom, 11-13.30 h, 1618.30 h. 15-30 Jun: Seg-Dom, 11-13.30 h, 16-19 h. 1 Jul-30 Set: Seg-Dom, 1119 h.

Outros lugares de interesse ¥ ColŽgio de Fonseca. Renascentista, 1522, sede da biblioteca universit‡ria. Igreja e convento de S. Francisco. Convento g—tico, reformado no sŽc. XVII. Funciona como hotel. Igreja do sŽc. XVIII. Ruas. ƒ aconselh‡vel passear sem rumo pelas Ruas do Vilar e Rua Nova, cheias de arcadas e casas senhoriais; O Franco e A Rainha, com imensos restaurantes e bares; e o eixo OrfasCaldeirer’a-Preguntoiro, tradicional percurso comercial. ¥¥ Parque da Alameda. sŽc. XIX. Oferece uma magn’fica vista da cidade hist—rica, espŽcies ornamentais, carvalheira, capelas, fontes e esculturas. ¥ Pao de Benda–a. Casa barroca, sede da Funda‹o Granell. 1 Jun-30 Set: Ter-S‡b, 11-21 h. Dom, 11-14 h. Resto do ano: Ter-S‡b, 11-14 h, 1621 h. Dom, 11-14 h. Fechado segundas e feriados. Igreja de Santa Mar’a SalomŽ. SŽc. XII. Reconstru‹o barroca, portada rom‰nica. Igreja de S. Fiz de Solovio. SŽc. XII. Reconstru‹o barroca, portada rom‰nica. ¥¥ Faculdade de Geografia e Hist—ria. Neocl‡ssica. Telhados visit‡veis. Praa de Abastos. O mercado principal oferece peixes e mariscos frescos, carnes, frutas, verduras, flores e queijos num Edif’cio monumental do sŽc. XX. Seg-Sab: 8-14 h. ¥ Museu das Peregrina›es. Ocupa a Casa G—tica e mostra a transcendncia das peregrina›es. Ter-Sex: 10Ð20 h. Sab: 10:30Ð13:30

Gastronomia

3. OUTROS SANTIAGOS

2. SANTO DOMINGOS DE BONAVAL E BAIRRO DE S. PEDRO Os bairros de S. Domingos de Bonaval e S. Pedro comp›em uma zona de arte, hist—ria, paisagem, tradi‹o popular e arquitectura contempor‰nea. ¥ Convento de Santo Domingos de Bonaval e Museu do Povo Galego. Museu etnogr‡fico de Galiza. Salas dedicadas ao mar, ao campo, aos of’cios e arquitectura popular. Igreja g—tica. TerSab: 10Ð14 h, 16Ð20 h. Dom e feriados: 11Ð14 h. Entrada livre. ¥ CGAC. Arte contempor‰nea num Edif’cio de çlvaro Siza. Visitas guiadas gratuitas. 21 Set-20 Maio: Ter-Dom, 1120 h. 21 Maio-20 Set: Ter-Dom, 12-21 h. Entrada livre. ¥¥ Parque de Santo Domingos de Bonaval. Combina a antiga horta Dominica, carvalheira e um antigo cemitŽrio em terraos desenhadas por çlvaro Siza e Isabel Aguirre. Vistas imprescind’veis sobre a cidade. Bairro de S. Pedro. òltimo tramo do Caminho antes de entrar pela ÔPorta do CaminhoÕ atŽ ˆ cidade hist—rica. Casario tradicional, gastronomia e velhas tabernas.

Santiago Ž a capital da gastronomia atl‰ntica. O seu mercado, a Praa de Abastos, abastece a cidade com produtos acabados de sair do mar e da horta: mais de 80 tipos de peixes, 50 tipos de moluscos e carnes que se preparam da maneira mais natural poss’vel para conservar a sua alt’ssima qualidade.

Santiago Ž muito mais do que o seu centro hist—rico. Temos de aventurar-nos a descobrir monumentos, ruas populares e pitorescas, Edif’cios de design, sedutoras lojas e miradouros. ¥¥ Bairro de Belv’s. Estupenda panor‰mica da cidade velha. Convento das dominicas. Parque com vistas. Centro sociocultural da Trisca, obra de John Hejduk. ¥ Colegiata de Sar. Rom‰nica, s. XII. Impressionante inclina‹o dos seus muros e colunas. Pequeno Museu no seu claustro rom‰nico. SegÐSab: 10Ð13 h, 16Ð19 h. Ensanche. Grande ‡rea de expans‹o da cidade, s. XX. Lojas, moda galega, cafŽs e restaurantes. Parlamento da Galiza (Rua do H—rreo). ¥¥ Campus universit‡rios. O Campus Sul nasceu nos Anos 30 como Ôcidade jardimÕ. No Campus Norte destacam a faculdade de Jornalismo, de Filologia e o Audit—rio da Galiza. Arquitectura contempor‰nea. Arquitectos de fama internacional enriquecem a imagem da cidade: John Hejduk, J.P. Kleihues, çlvaro Siza, Manuel Gallego Jorreto, Giorgio Grassi, Jean Nouvel, Arata Isozaki, Peter Eisenman, CŽsar Portela etc. ¥¥ Parques e miradouros. A topografia ondulada dota Santiago de miradouros naturais como a Alameda, Santo Domingos de Bonaval, Belv’s, parque de Galeras, Granxa do Xesto e parque de Carlomagno.

Mais de mil bares, restaurantes e tascas permitem escolher entre cozinha tradicional e cozinha de autor; galega ou internacional; ementas de degusta‹o, pratos do dia, pratos combinados, petiscos e ÒtapasÓ. S‹o imprescind’veis os mariscos, o polvo ˆ feira, o queijo de ÒtetilhaÓ, a tarte de Santiago e os vinhos galegos, como o Alvarinho e o Ribeiro. No inverno os protagonistas s‹o o cozido, o caldo galego e as ÒfilhoasÓ (espŽcie de crepes) recheadas. E muitas del’cias Ð doces conventuais, vinhos, aguardentes, enchidos e queijos Ð que se vendem preparados para levar. Direct—rio dispon’vel nos pontos municipais de turismo.

Toda a informa‹o em www.SantiagoTurismo.com

(¥): Museus e colec›es visit‡veis. (¥¥): Vistas.

Visitas guiadas: Compostela Walking Tours Ð Marca de Turismo de Santiago: Santiago monumental em ingls Arquitectura contempor‰nea Conventos de clausura Igrejas Roteiro nocturno Roteiro gastron—mico Oficinas de artistas Of’cios tradicionais Audioguias em mp3 Outras visitas Visitas ˆ zona hist—rica em espanhol Telhados da Catedral Patrim—nio universit‡rio Comboio tur’stico Passeios autoguiados Monumental Panor‰mico Conventos de clausura Igrejas Parques e jardins Miradouros Tour fotogr‡fico Excurs›es Compostela Visi—n Junho a Setembro: Rias Baixas, Costa da Morte M‡is destinos sob pedido Outros produtos Voos tur’sticos em avioneta Spas e balne‡rios Turismo activo Golfe Caminho de Santiago

design: Taller DD_ 07/10

Santiago Ž grande

Mais informa‹o: Tour operador Oficial de Santiago de Compostela: (+34) 902 190 160 www.santiagoreservas.com

Direct—rio Turismo de Santiago de Compostela Oficina Central de Informa‹o Tur’stica Municipal Rua do Vilar, 63. Tel: (+34) 981 555 129 Aberta todo o ano. Inverno: Seg-Sex, 919 h. S‡b-Dom, 9-14 h, 16-19 h. Semana Santa-ver‹o: todos os dias, 9-21 h. info@santiagoturismo.com www.santiagoturismo.com

Ponto de Informa‹o Turistica Estacionamento de Autocarros de Xo‡n XXIII. Tel: (+34) 981 576 698 Aberto todo o ano. Semana Santa Ð Out: todos os dias, 9-18 h. Inverno: todos os dias, 9.30-14 h, 16-18 h. Urgncias: 112


Santiago é grande. Flyer. Portugués