Issuu on Google+

verdedigital REVISTA MENSAL ABYARA BRASIL BROKERS • JANEIRO/2012

Sustentabilidade hoje Artigo de Clarissa Lins Report de FBDS – fundação brasileira para o desenvolvimento sustentável

#01 1


editorial

ALUNTIS CULPARI TE REM IMI, VOLORUM ALIBU Ulpa ilia endam, que volupid quiatem exped quodi ratur sinimus, same porerovit laut moloriamus delias doluptaquam non cus, illiqua ssitati onsequis doloria nihiciliant estiae. Et litatia spedigenti dolorit aliqui inum faciae eici blaceaque non corem labore volessin. Eque nimi, simpossim nias eos re volor sumquas pienimust, vollitatur rendis quos iundis explab ius consed quae. Maione consequ atatio. Alique voluptatem il inctore dolupta epudae velitatinit el eum et re, accuptatem faccum qui deribus magnis apit, quae atenem rehenis essequ. Equis conse quam event que simos ma ius dolupis dolor reseque explam, culparc imilit qui rem. Et eum ulparia digenih icipsam veri dolorep tasitia non cuptat velis re si aut verum qui nonsequam idia dignihit apis sim non plabore precte digenimus. Boa leitura! Nome da Pessoa Cargo

verde digital • janeiro/2012


sumário expediente

verde digital é uma publicação mensal da Abyara Brasil Brokers produzida pela Santa Composição. Coordenação: Xxxxxx Xxxxxx Xxxxxx

pág. 06 Artigo profissional com Fulana de Tal

Jornalista responsável: Bruna Valença - MTb 52368 Edição e redação: Bruna Valença Santa Composição design + conteúdo Direção e arte: Santa Composição design + conteúdo

pág. 04 Artigo profissional com Fulana de Tal

pág. 08 Artigo profissional com Fulana de Tal

pág. 10 Artigo profissional com Fulana de Tal

abyarabr.brbrokers.com.br


sustentabilidade empresarial

EXPLORAR A MEGATENDÊNCIA DA SUSTENTABILIDADE NAS EMPRESAS GERA NOVAS OPORTUNIDADES DE NEGÓCIOS É preciso adotar uma estratégia eficiente para colher os frutos gerados por uma gestão empresarial responsável nos âmbitos social e ambiental A questão ambiental tem interferido cada vez mais na capacidade das empresas de gerar valor, e o fato não é – ou pelo menos não deveria ser – novidade para os líderes corporativos. Essa interferência apontou a sustentabilidade como uma das principais megatendências de negócios da atualidade, narrando mudanças fundamentais no modo como as empresas competem. verde digital • janeiro/2012


Sendo assim, uma companhia cuja gestão é composta pelos chamados “investimentos socialmente responsáveis” (SRI), que geram valor a longo prazo, indica para seus clientes, acionistas e demais stakeholders que está preparada para enfrentar eventuais riscos econômicos, sociais e ambientais. De acordo com a Harvard Business Review, a disputa por recursos naturais, principalmente o petróleo, foi intensificada com a ascensão de grandes potências mundiais, como China e Índia, somando uma dimensão geopolítica à sustentabilidade. Como consequência, fatores externos como uso racional da água e emissão de gases assumiram caráter material, e a divulgação de informações sobre essas questões passou a ser aguardada pelos investidores. O primeiro passo para atender as demandas da sustentabilidade é estudar iniciativas aplicadas por empresas mais engajadas e experientes no assunto para adquirir o máximo de informações possíveis como referência. A partir dai, a companhia deve avaliar como implantar soluções eficazes através de um minucioso planejamento. Fabio Feldman, fundador da Fundação SOS Mata Atlântica, defende que para operacionalizar os negócios de maneira responsável e eficiente, a empresa precisa internalizar a dimensão da sustentabilidade em suas atividades, com perspectiva de médio e longo prazo, exercendo um papel categoricamente estratégico. Após identificar os pontos fortes e os fracos de sua gestão, sob a perspectiva da sustentabilidade, a empresa poderá traduzir vantagens e desvantagens em oportunidades de negócios, explorando os aspectos positivos e desenvolvendo soluções para os negativos. Fonte: A Empresa Sustentável (Andrew W. Savitz e Karl Weber)

5


mercado

“ÍNDICE DE SUSTENTABILIDADE EMPRESARIAL” DA BM&FBOVESPA É REFERÊNCIA PARA INVESTIDORES Carteira é composta por empresas que apresentam políticas claras de desenvolvimento sustentável

O surgimento da tendência mundial de investidores buscarem companhias socialmente responsáveis, sustentáveis e rentáveis para aplicar seus recursos promoveu a criação de novas aplicações denominadas “investimentos socialmente responsáveis” (SRI), que garantem a geração de valor a longo prazo.

verde digital • janeiro/2012

Para atender essa demanda, a BM&FBovespa criou, juntamente com importantes instituições como o Ministério do Meio Ambiente, o Índice de Sustentabilidade Empresarial (ISE). A ferramenta mensura o grau de sustentabilidade empresarial dos empreendimentos, serviços e produtos das companhias que têm ações na Bolsa.


De acordo com a BM&FBOVESPA, a carteira prevista para 2012 reúne:

51 38

ações

empresas

Elas representam

18

As companhias foram selecionadas entre as 54 que responderam ao questionário criado pelo Centro de Estudos em Sustentabilidade (GVCes) da Escola de Administração de Empresas de São Paulo da Fundação Getúlio Vargas (FGV-EAESP), que foi enviado para 182 empresas emissoras das 200 ações mais líquidas da Bovespa.

setores da economia

E somam

R$961 bilhões em valor de mercado

O que representa

43,7% % do valor total das empresas com ações negociadas na bolsa

CARTEIRA PARA 2012 APRESENTA NOVIDADES O setor de transportes passou a integrar a composição com a inclusão das companhias Ecorodovias e CCR. O ingresso aproximou ainda mais a carteira de atingir, em 2012, o limite máximo de 40 empresas por ano. As demais novidades são no processo de avaliação e divulgação: • a dimensão de mudanças climáticas passou a valer pontos; • foi introduzida uma nova questão na dimensão geral para verificar se as empresas desejam tornar públicas as suas respostas; • os pesos dos critérios do questionário de avaliação passaram a ser divulgados para o público geral.

7


quebrando o tabu

OS BIKEBOYS ESTÃO INVADINDO A CIDADE! Grandes empresas estão se privilegiando com o serviço de entregas via bicicleta

Em uma cidade como São Paulo, onde os congestionamentos tomam conta de ruas e avenidas, é preciso ter criatividade para driblar os empecilhos causados pelo trânsito. Grande empresas que não têm tempo a perder estão recorrendo ao serviço de bike courier que, até poucos anos atrás, era usado por pequenos estabelecimentos comerciais, como padarias, açougues e farmácias.

verde digital • janeiro/2012

Utilizado em cidades como Nova York e Paris, o serviço de entrega via bicicleta está sendo cada vez mais procurado no Brasil devido aos benefícios que oferece, mesmo com a desvantagem do limite de peso para os pacotes: RAPIDEZ: a bicicleta é considerada o veículo mais veloz, até mesmo do que motos. O 6º Desafio Intermodal de São Paulo, realizado em 2011, comparou o tempo que diferentes meios de transporte levaram para percorrer o mesmo trajeto, no mesmo horário, e confirmou que a bicicleta é a mais rápida. AGILIDADE: A facilidade para estacionar a bicicleta também é um diferencial que contribui com a agilidade do serviço, que já se torna mais eficiente devido ao fato da bicicleta não ficar presa nos congestionamentos. ECONOMIA: O fato da bicicleta não consumir combustível minimiza consideravelmente os gastos da empresa e, consequentemente, o valor cobrado pelo serviço também diminui. Além disso, o gasto com a manutenção é menor do que o que se tem com motocicletas. No total, o custo reduz em até 30%. IMPACTO NO MEIO AMBIENTE: Um dos principais benefícios do serviço é o impacto mínimo que ele causa no meio ambiente: bicicletas são significativamente mais silenciosas e não emitem gases nocivos na atmosfera como as motos, que poluem em média sete vezes mais do que os carros.


9


Teste