Issuu on Google+

‘VENHA SER MEU SEGUIDOR’

´ ˜ Ha ocasioes em que se sente perdido, precisando de ˜ ´ ´ orientac¸ ao? Jesus Cristo e o Lıder que todos os humanos precisam. Ele foi enviado por Deus e disse: “Eu sou o pastor excelente, e conheco ¸ as minhas ovelhas e ˜ as minhas ovelhas conhecem a mim.” ( Joao 10:14) ˆ Voce realmente conhece o Pastor Excelente — suas qualidades, sua mensagem, sua obra, seu zelo e seu ´ amor? Este livro o ajudara a conhecer melhor cf-T

a Jesus e a segui-lo mais de perto.

‘VENHA SER MEU

SEGUIDOR’


‘VENHA SER MEU SEGUIDOR’

´ ˜ Ha ocasioes em que se sente perdido, precisando de ˜ ´ ´ orientac¸ ao? Jesus Cristo e o Lıder que todos os humanos precisam. Ele foi enviado por Deus e disse: “Eu sou o pastor excelente, e conheco ¸ as minhas ovelhas e ˜ as minhas ovelhas conhecem a mim.” ( Joao 10:14) ˆ Voce realmente conhece o Pastor Excelente — suas qualidades, sua mensagem, sua obra, seu zelo e seu ´ amor? Este livro o ajudara a conhecer melhor cf-T

a Jesus e a segui-lo mais de perto.

‘VENHA SER MEU

SEGUIDOR’


‘VENHA SER MEU

SEGUIDOR’ ESTE LIVRO PERTENCE A

5 2007 WATCH TOWER OF PENNSYLVANIA ˜ BIBLE AND TRACT SOCIETY ´ ASSOCIAC¸ AO TORRE DE VIGIA DE BIBLIAS E TRATADOS Todos os direitos reservados Editoras WATCHTOWER BIBLE AND TRACT SOCIETY OF NEW YORK, INC. Brooklyn, New York, U.S.A. ˜ ´ ASSOCIAC¸ AO TORRE DE VIGIA DE BIBLIAS E TRATADOS ´ Rodovia SP-141, km 43, Cesario Lange, SP, 18285-901, Brasil ˜ Edic¸ ao de novembro de 2012 ˜ ˜ ´ Esta publicac¸ ao nao e vendida. Ela faz parte de uma obra ´ educativa bıblica, mundial, mantida por donativos. ˜ ´ ˜ A menos que haja outra indicac¸ ao, os textos bıblicos citados sao da ˆ ˜ Traduc¸ ao do Novo Mundo das Escrituras Sagradas com Referencias. ´ Creditos das fotos: ´ Pagina 39: capa do livro: J. Hester and P. Scowen (AZ State Univ.), Nasa; ´ pagina 87: 5 Tim Lynch/Index Stock Imagery “Come Be My Follower” Portuguese (Brazilian Edition) (cf-T ) ISBN 978-85-7392-104-5 Made in Brazil Impresso no Brasil


Prezado leitor: ‘Venha ser meu seguidor.’ (Marcos 10:21) Com essas palavras, Jesus na verdade convida cada um de ´ ´ nos a segui-lo. Esta fazendo isso? Em caso afirmativo, ´ ´ vera o profundo efeito que isso tera em sua vida. ˆ Por que? ˆ ´ ` Jeova enviou seu Filho unigenito a Terra para ´ ˜ dar sua vida como resgate. (Joao 3:16) Alem de morrer ´ por nos, o Filho nos mostrou como viver. Em tudo que ´ ˜ fez, permaneceu ıntegro e alegrou o corac¸ ao de seu Pai. ´ Jesus tambem nos mostrou como imitar o Pai. As pa˜ ˜ lavras e as ac¸ oes do Filho refletiram com perfeic¸ ao os ˜ modos de agir e a vontade do Pai. — Joao 14:9. ´ ´ Jesus e “um modelo”, diz a Bıblia, ‘para seguirmos de perto os seus passos’. (1 Pedro 2:21) Se quisermos ´ nos achegar a Jeova, ter uma vida com verdadeiro significado e permanecer na estrada para a vida eterna, precisaremos seguir de perto as pisadas de Cristo. ´ ´ Para iniciar essa jornada, e necessario estar bem ´ a par do que Jesus fez quando esteve na Terra. E por ´ ˜ isso que a descric¸ ao vıvida de Jesus preservada na ´ Bıblia merece estudo cuidadoso. Refletir no que ele ´ disse e fez, e considerar como podemos imita-lo em ˜ ´ palavras e ac¸ oes nos ajudara a ver mais claramente como segui-lo. ˆ Esperamos que este livro ajude voce a aumentar ´ seu amor por Jesus e por Jeova. E que esse amor o motive a seguir de perto as pisadas de Jesus a fim de ˜ ´ alegrar o corac¸ ao de Jeova agora e para sempre.

Os Editores


´ Sum ario

´ Capıtulo

1 ‘Seja meu seguidor’ — o que Jesus quis dizer com isso? 2 ‘O caminho, a verdade e a vida’

˜ SEC¸ AO 1 3 4 5 6 7

8 9 10 11 12

77 87 98 108 118

“O amor de Cristo nos compele”

13 “Eu amo o Pai” 14 15 16 17

25 35 46 56 66

‘Ensinar e pregar as boas novas’

“Fui enviado para isso” ´ “Ide . . . e fazei discıpulos” ´ “Esta escrito” “Nunca homem algum falou como este” ˜ “Nada lhes falava sem ilustrac¸ ao”

˜ SEC¸ AO 3

5 15

‘Venha e veja’ o Cristo

˜ ‘Sou humilde de corac¸ ao’ ˜ ´ ´ ‘Eis o Leao que e da tribo de Juda!’ “Todos os tesouros da sabedoria” ˆ ‘Ele aprendeu a obediencia’ Considere de perto a perseveranca ¸ de Jesus

˜ SEC¸ AO 2

´ Pagina

˜ ‘Grandes multidoes aproximavam-se dele’ Jesus ‘sentia pena’ ´ ‘Jesus os amou ate o fim’ ´ “Ninguem tem maior amor do que este”

18 ‘Continue a seguir-me’

129 139 150 161 172 182


´ C A P I T U L O

1

‘Seja meu seguidor’ — o que Jesus quis dizer com isso? ˆ ´ QUAL foi o melhor convite que voce ja recebeu? Talvez ` ˜ lhe venha a mente um convite para uma ocasiao especial, ´ como por exemplo o casamento de alguem muito querido. Ou talvez se lembre de quando foi convidado para cui´ dar de uma tarefa importante. Se ja recebeu convites des´ se tipo, com certeza se sentiu muito alegre e ate honrado. ´ ˆ Mas a verdade e que voce recebeu um convite muito me´ ˜ lhor do que esses. Todos nos o recebemos. E a decisao ´ ˜ ´ ´ ´ de aceita-lo ou nao tera profundo efeito sobre nos. Sera a ˜ decisao mais importante da nossa vida. ´ 2 De que convite estamos falando? E um convite que esta´ ´ ˆ na Bıblia, feito por Jesus Cristo, o Filho unigenito do Deus ´ Todo-Poderoso, Jeova. Em Marcos 10:21, Jesus disse: “Vem ser meu seguidor.” Na verdade, Jesus faz esse convite a cada ´ ´ um de nos. Seria bom perguntarmos a nos mesmos: ‘Vou ´ ´ aceita-lo?’ A resposta talvez pareca ¸ obvia. Afinal, quem re˜ cusaria um convite tao maravilhoso? Surpreendentemente, ´ ˆ porem, a maioria das pessoas o recusa. Por que? 3 Veja o exemplo de um homem que recebeu pessoal´ mente esse convite uns 2 mil anos atras. Tratava-se de al´ ˆ guem muito respeitado. Ele tinha pelo menos tres coisas ´ que as pessoas em geral gostariam de ter e ate invejam: ´ 1, 2. Qual e o melhor convite que um ser humano pode receber, e ´ que pergunta precisamos fazer a nos mesmos? ´ 3, 4. (a) O que talvez fosse invejavel no homem que perguntou a Jesus sobre a vida eterna? (b) Que qualidades Jesus deve ter visto no jovem governante rico?

“Que tenho de fazer para herdar a vida eterna?”

5


6

‘VENHA SER MEU SEGUIDOR’

´ juventude, riqueza e poder. O relato bıblico diz que ele era “jovem”, “muito rico” e era um “governante”. (Mateus 19:20; Lucas 18:18, 23) Mas havia algo a respeito daquele homem que era ainda mais importante. Ele tinha ouvido falar sobre o Grande Instrutor, Jesus, e gostou do que tinha ouvido. ´ ˜ 4 A maioria dos governantes daquela epoca nao dava a ˜ Jesus o respeito que ele merecia. ( Joao 7:48; 12:42) Mas ´ aquele governante era diferente. A Bıblia nos diz: “En´ quanto [Jesus] saıa, chegou correndo certo homem e se ˆ pos de joelhos diante dele, perguntando-lhe: ‘Bom Instrutor, que tenho de fazer para herdar a vida eterna?’ ” (Marcos 10:17) Note que aquele homem queria muito falar com Jesus, pois foi correndo ao encontro dele na frente de ´ todos, como faziam as pessoas pobres e humildes. Alem disso, ele respeitosamente se ajoelhou diante de Cristo. ´ Portanto, ate certo ponto ele era humilde e reconhecia que tinha necessidades espirituais. Jesus dava valor a essas qua˜ ´ lidades. (Mateus 5:3; 18:4) Assim, nao e de admirar que ‘Jesus tenha olhado para ele e sentido amor por ele’. (Marcos ` 10:21) O que Jesus respondeu aquele jovem?

O melhor convite de todos ´ ˜ Jesus mostrou que seu Pai ja tinha dado informac¸ oes a respeito de como ganhar a vida eterna. Jesus chamou ˜ a atenc¸ ao para as Escrituras e o jovem disse que obede` ´ cia fielmente a Lei mosaica. Mas, com muita perspicacia, ´ ´ ˜ Jesus viu alem do obvio. ( Joao 2:25) Ele notou que aquele governante tinha um problema espiritual — um problema grave. Por isso, disse: “Uma coisa falta a respeito de ti.” O que estava faltando? Jesus continuou: “Vai, vende o 5

5. Qual foi a resposta de Jesus ao jovem governante rico, e como sa˜ ´ bemos que o problema nao era o fato de ele ser rico? (Veja tambem a nota.)


‘SEJA MEU SEGUIDOR’ — O QUE JESUS QUIS DIZER COM ISSO?

7

´ ´ que tiveres e da aos pobres.” (Marcos 10:21) Sera que Jesus queria dizer que a pessoa precisa ser pobre para servir ˜ a Deus? Nao.1 Ele estava ensinando algo muito mais importante. ` 6 Para deixar claro o que faltava aquele jovem, Jesus ofereceu-lhe uma oportunidade de ouro: “Vem ser meu se´ guidor.” Imagine — o Filho do Deus Altıssimo convidou ´ pessoalmente aquele homem a segui-lo! Jesus tambem ´ prometeu a ele uma recompensa inimaginavel. Ele disse: ´ ´ ´ “Teras um tesouro no ceu.” Sera que o jovem governante rico agarrou aquela oportunidade, aceitou aquele convite excelente? O relato continua: “Ele ficou triste com as palavras e se afastou contristado, pois tinha muitas propriedades.” (Marcos 10:21, 22) Assim, a resposta inesperada de Je˜ sus revelou um problema no corac¸ ao daquele homem. Ele ´ era apegado demais aos seus bens e sem duvida gostava do ´ poder e do prestıgio que esses lhe proporcionavam. Infelizmente, ele amava muito mais essas coisas do que a Cristo. O que estava faltando, portanto, era o amor abnegado e de ˜ ´ ˜ todo o corac¸ ao por Jesus e por Jeova. Por nao ter esse amor, aquele jovem recusou o melhor convite da sua vida. Mas o ˆ que isso tem a ver com voce? ˜ ` 7 O convite de Jesus nao se limitou aquele homem; nem ´ apenas a algumas pessoas. Jesus disse: “Se alguem quer vir ˜ ˜ 1 Jesus nao pediu a quem o seguia que abrisse mao de tudo o que ´ tinha. Embora ele tenha falado sobre como seria difıcil para uma pessoa rica entrar no Reino de Deus, ele acrescentou: “Para Deus todas ˜ ´ as coisas sao possıveis.” (Marcos 10:23, 27) De fato, alguns ricos se ´ tornaram seguidores de Cristo. Eles receberam conselhos especıficos ˜ ˜ ˜ na congregac¸ ao crista, mas nao se pediu que doassem todos os seus ´ bens aos pobres. — 1 Timoteo 6:17. ˜ 6. Qual foi o convite de Jesus, e o que a reac¸ ao do jovem governan˜ te rico revelou sobre seu corac¸ ao? ´ ´ 7. Como sabemos que o convite de Jesus e para todos nos?


8

‘VENHA SER MEU SEGUIDOR’

´ apos mim, . . . siga-me continuamente.” (Lucas 9:23) Note que qualquer pessoa pode seguir a Cristo se realmente ˜ ‘quiser’. Deus atrai os sinceros ao seu Filho. (Joao 6:44) ˜ ´ A oportunidade de aceitar o convite de Jesus nao e dada apenas aos ricos, aos pobres, aos de determinada raca ¸ ou ˜ ´ nac¸ ao nem apenas aos que viveram naquela epoca, mas a todos. Assim, as palavras de Jesus ‘venha ser meu seguidor’ ˜ ˆ realmente sao dirigidas a voce. Mas por que seguir a Cris´ to? O que esta envolvido nisso?

Por que ser seguidor de Cristo? Temos de reconhecer uma verdade: precisamos muito de boa lideranca. ¸ Nem todos os humanos admitem ter essa necessidade; contudo, ela realmente existe. Jere´ mias, profeta de Jeova, foi inspirado a registrar a seguin´ ´ ´ ˜ ´ te verdade imutavel: “Bem sei, o Jeova, que nao e do ho˜ ´ mem terreno o seu caminho. Nao e do homem que anda ˜ o dirigir o seu passo.” ( Jeremias 10:23) Os humanos nao ˆ tem a capacidade nem o direito de governar a si mesmos. ´ ´ De fato, a historia humana tem sido marcada por ma li´ deranca. ¸ (Eclesiastes 8:9) Nos dias de Jesus, os lıderes oprimiam, maltratavam e enganavam as pessoas. Jesus percebeu que as pessoas comuns eram como “ovelhas sem pastor”. (Marcos 6:34) O mesmo ocorre hoje em dia. Individual e coletivamente, precisamos de uma lideranca ¸ que possamos respeitar e na qual possamos confiar. Jesus satisˆ faz essa necessidade? Sim, veja por que. 9 Primeiro, Jesus foi escolhido por Jeova´ Deus. A maio´ ˜ ria dos lıderes humanos imperfeitos sao escolhidos por ci˜ ´ dadaos tambem imperfeitos, que geralmente se enganam ´ ´ e acabam fazendo escolhas equivocadas. Jesus e um lıder ´ ´ diferente, conforme mostra seu proprio tıtulo. A palavra 8

ˆ ˆ 8. Que necessidade todos os humanos tem, e por que? ´ 9. O que faz de Jesus um lıder diferente de todos os outros?


‘SEJA MEU SEGUIDOR’ — O QUE JESUS QUIS DIZER COM ISSO?

9

“Cristo”, assim como a palavra “Messias”, significa “Ungido”. E de fato, Jesus foi ungido, ou especialmente desig˜ nado para o seu cargo sagrado, por nenhum outro senao ´ o Soberano Senhor do Universo. Jeova Deus disse a respeito de seu Filho: “Eis o meu servo a quem tenho escolhido, meu amado, a quem a minha alma tem aprovado! ´ ´ Porei sobre ele o meu espırito.” (Mateus 12:18) Ninguem ´ melhor do que o nosso Criador para saber o tipo de lıder ´ ´ que precisamos. A sabedoria de Jeova e infinita, por isso, temos bons motivos para confiar em sua escolha. — Pro´ verbios 3:5, 6. 10 Segundo, Jesus estabeleceu um exemplo perfeito e ins´ ´ ˆ pirador para nos. Os melhores lıderes tem qualidades que seus seguidores podem admirar e imitar. Eles lideram pelo exemplo, motivando outros a se tornarem pessoas melhoˆ ´ res. Que qualidades voce mais respeitaria num lıder? Co˜ ragem? Sabedoria? Compaixao? Que dizer de perseveranca ¸ ao enfrentar dificuldades? Ao estudar os relatos sobre ´ a vida de Jesus na Terra, vera que ele tinha essas qualidades — e muito mais. Sendo um reflexo perfeito de seu Pai ´ celestial, Jesus possuıa todas as qualidades divinas em pleno grau. Ele foi tudo que um ser humano perfeito poderia ser. De modo que, em tudo o que fez, em cada palavra que falou e em cada sentimento que externou, encontramos ´ algo que merece ser imitado. A Bıblia diz que Jesus estabeleceu ‘um modelo para seguirmos de perto os seus passos’. — 1 Pedro 2:21. 11 Terceiro, Cristo realmente foi “o pastor excelente”, con˜ forme descreveu a si mesmo. ( Joao 10:14) As pessoas nos ´ tempos bıblicos podiam entender facilmente essa compa˜ rac¸ ao. Os pastores trabalhavam muito para cuidar das suas ˆ ovelhas. Um “pastor excelente” estava disposto a por a ´ 10. Por que Jesus e o melhor exemplo para os humanos seguirem? 11. Como Jesus provou ser “o pastor excelente”?


10

‘VENHA SER MEU SEGUIDOR’

` seguranca ¸ e o bem-estar do rebanho a frente dos seus. Por exemplo, Davi, um ancestral de Jesus, era pastor quando jovem. Mais de uma vez ele arriscou a vida para proteger suas ovelhas de animais selvagens ferozes. (1 Samuel 17:34-36) Jesus foi ainda mais longe em favor de seus se˜ ´ guidores. Deu a vida por eles. (Joao 10:15) Quantos lıderes ˜ estao dispostos a se sacrificar assim? ´ 12 Jesus foi “o pastor excelente” tambem em outro sentido. Ele disse: “Conheco ¸ as minhas ovelhas e as minhas ˜ ovelhas conhecem a mim.” ( Joao 10:14) Pense no belo ce´ ˜ nario descrito por Jesus. Um observador casual talvez nao veja nenhuma diferenca ¸ entre as muitas ovelhas de um re´ banho. O pastor, porem, conhece cada uma delas indiviˆ dualmente. Ele sabe quais as femeas que em breve precisa˜ rao de sua ajuda quando forem dar cria, que cordeirinhos ainda precisam ser carregados por serem muito pequenos ˆ e fracos para andar longas distancias, e que ovelhas adoeceram ou se machucaram recentemente. As ovelhas tam´ ˜ bem conhecem seu pastor. Elas reconhecem sua voz e nao a confundem com a de nenhum outro pastor. Quando ˆ percebem um tom de perigo ou urgencia em sua voz, elas reagem de imediato. Elas o seguem para onde quer que ele ´ va. E ele sabe exatamente para onde conduzi-las. Sabe tam´ ´ ´ ´ bem onde o pasto esta verde, onde ha riachos de agua fres´ ca e cristalina e onde ha pastagens seguras. Sob os olhares do pastor, as ovelhas se sentem seguras. — Salmo 23. ˜ ´ ˆ 13 Nao e esse o tipo de lideranca ¸ que voce deseja? Foi exatamente assim que o Pastor Excelente sempre tratou seus ´ seguidores. Ele promete ajuda-lo a ter uma vida feliz e ˜ gratificante tanto agora como num futuro eterno. ( Joao ˜ 10:10, 11; Revelac¸ ao [Apocalipse] 7:16, 17) Sendo assim, 12, 13. (a) Em que sentido o pastor conhece suas ovelhas, e como ˆ elas o conhecem? (b) Por que voce deseja a lideranca ¸ do Pastor Excelente?


‘SEJA MEU SEGUIDOR’ — O QUE JESUS QUIS DIZER COM ISSO?

11

´ precisamos saber em detalhes o que esta envolvido em seguir a Cristo.

O que significa ser seguidor de Cristo ˜ Centenas de milhoes de pessoas hoje acreditam ter ´ aceitado o convite de Cristo. Afinal, ate mesmo optaram ˜ por ser identificadas como cristas. Pode ser que elas per` tencam a igreja em que seus pais as batizaram. Outros tal¸ vez afirmem amar a Jesus e o aceitam como seu Salvador. ´ Mas sera que isso os torna seguidores de Cristo? Era isso que Jesus tinha em mente quando nos convidou a segui´ lo? Ha muito mais envolvido. 15 Veja, por exemplo, o mundo da cristandade — as na˜ ˜ ´ c¸ oes cuja maioria dos cidadaos afirma seguir a Cristo. Sera que a cristandade pratica os ensinamentos de Jesus Cris˜ ´ ´ ˜ to? Ou o que vemos nessas nac¸ oes e odio, opressao, cri˜ ˆ mes e injustica, ¸ nao muito diferente do que se ve no res´ to do mundo? O respeitado lıder hindu Mohandas Gandhi ˜ ´ disse: “Nao conheco ¸ ninguem que tenha feito mais para ˜ ´ a humanidade do que Jesus. De fato, nao ha nada de er˜ rado no cristianismo.” Ele acrescentou: “O problema sao ˆ ˜ ˆ voces, cristaos. Voces nem comecaram a viver segundo os ¸ ´ seus proprios ensinos.” 16 Jesus disse que seus seguidores verdadeiros seriam co˜ ´ nhecidos nao apenas pelas palavras ou pelo tıtulo que ado˜ tassem, mas principalmente pelas suas ac¸ oes. Por exemplo, ele disse: “Nem todo o que me disser: ‘Senhor, ´ ´ ˜ Senhor’, entrara no reino dos ceus, senao aquele que fi´ ´ zer a vontade de meu Pai, que esta nos ceus.” (Mateus ´ 7:21) Por que tantas pessoas que afirmam que Jesus e seu ˜ Senhor nao fazem a vontade de seu Pai? Lembre-se do 14

˜ 14, 15. Para ser seguidor de Cristo, por que nao basta afirmar ser ˜ cristao ou amar a Jesus? ˜ 16, 17. O que em geral falta aos que se dizem cristaos, e o que distingue os verdadeiros seguidores de Cristo?


12

‘VENHA SER MEU SEGUIDOR’

jovem governante rico. Em geral ‘falta uma coisa’ aos que ˜ se dizem cristaos: o amor de toda a alma por Jesus e por Aquele que o enviou. ´ ˜ ´ 17 Como isso e´ possıvel? Nao e verdade que muitos que se ˜ ´ identificam como cristaos afirmam tambem amar a Cris´ ´ to? Sem duvida. Mas amar a Jesus e a Jeova envolve mui´ to mais do que palavras. Jesus disse: “Se alguem me amar, ´ ˜ observara a minha palavra.” ( Joao 14:23) E falando novamente como um pastor, ele disse: “Minhas ovelhas escutam a minha voz e eu as conheco, ¸ e elas me seguem.” ˜ ˜ ˜ ( Joao 10:27) Nao sao necessariamente as nossas palavras ou o que sentimos por Cristo que provam o nosso amor ˜ por ele, mas principalmente as nossas ac¸ oes. ˜ ˜ ˜ 18 Mas nossas acoes nao sao fruto do acaso. Elas refletem ¸ ´ ´ a pessoa que somos no ıntimo. E a isso que precisamos ˜ dar atenc¸ ao. Jesus disse: “Isto significa vida eterna, que ab´ sorvam conhecimento de ti, o unico Deus verdadeiro, e ˜ daquele que enviaste, Jesus Cristo.” ( Joao 17:3) Assimilar conhecimento exato sobre Jesus e meditar no que apren´ ˜ demos tera bom efeito sobre nosso corac¸ ao. Nosso amor ˜ por Jesus e o desejo de segui-lo diariamente aumentarao cada vez mais. ˜ 19 Este e´ o objetivo deste livro: ele foi preparado nao para ´ contar em detalhes como foi a vida e o ministerio de Jesus, mas para ajudar-nos a entender melhor como ser seu ´ ´ seguidor.1 Este livro tambem nos ajudara a fazer uma au´ ´ toanalise com o auxılio das Escrituras e perguntar-nos: ‘Estou realmente seguindo a Jesus?’ (Tiago 1:23-25) Talvez ´ 1 Para um relato completo da vida e do ministerio de Jesus em ´ ´ ordem cronologica, veja o livro O Maior Homem Que Ja Viveu, publi´ cado pelas Testemunhas de Jeova. ´ ´ 18, 19. (a) Aprender sobre Jesus tera que efeito sobre nos? (b) Qual ´ ´ ´ e o objetivo deste livro, e como ele ajudara os que ha muito tempo se consideram seguidores de Cristo?


‘SEJA MEU SEGUIDOR’ — O QUE JESUS QUIS DIZER COM ISSO?

13

Convites do Filho ˆ unigenito de Deus Imagine que Jesus lhe estivesse fazendo pessoalmente ˆ estes convites. Como reagiria, e por que? ˆ ˜ “Se meu seguidor.” — Mateus 9:9; Lucas 9:59; Joao 1:43. ´ ´ “Se alguem quer vir apos mim negue-se a si mesmo e apanhe a sua estaca de tortura, e siga-me continuamente.” — Mateus 16:24. “Vinde a mim, todos os que estais labutando e que estais so´ brecarregados, e eu vos reanimarei. Tomai sobre vos o meu jugo e aprendei de mim.” — Mateus 11:28, 29. ´ ˜ “Se alguem tiver sede, venha a mim e beba.” — Joao 7:37.

ˆ ´ ´ voce ja se considere ha muito tempo uma ovelha guiada ˜ pelo Pastor Excelente. Mas nao concorda que sempre po´ demos melhorar em alguns aspectos? A Bıblia nos aconse´ lha: “Persisti em examinar se estais na fe, persisti em pro´ ´ var o que vos mesmos sois.” (2 Corıntios 13:5) Vale a pena fazer todo esforco ¸ para continuarmos a ser guiados pelo nosso amoroso Pastor Excelente, Jesus, que foi escolhido ´ ´ pelo proprio Jeova para nos liderar. 20 Que o estudo deste livro contribua para aumentar seu ´ amor por Jesus e por Jeova. Ao passo que for guiado por ˆ ´ esse amor, voce sentira a maior paz e o maior contenta´ ´ mento possıveis neste velho mundo e vivera para louvar ´ eternamente ´ a Jeova por nos ter providenciado o Pastor Excelente. E claro que o estudo sobre Cristo precisa ser ba´ seado no conhecimento exato. Por isso, e apropriado con´ ´ siderarmos o papel de Jesus no proposito de Jeova para ´ suas criaturas. Veremos isso no Capıtulo 2. ´ ´ 20. O que consideraremos no proximo capıtulo?


´ C A P I T U L O

2

‘O caminho, a verdade e a vida’ ´ JA SE perdeu alguma vez? Talvez se lembre de quando via˜ jou para visitar um amigo ou um parente, mas nao conseguiu encontrar o endereco. ¸ Enquanto procurava, parou ˜ para pedir informac¸ oes? Com certeza teria ficado aliviado se, em vez de apenas indicar o caminho, uma pessoa ´ ´ ´ bondosa lhe dissesse: “Siga-me. Vou leva-lo ate la.” ´ ´ 2 De certo modo, e isso que Jesus faz por nos. Sem aju´ da, seria impossıvel achegar-nos a Deus. Por causa do pe˜ ´ cado herdado e da imperfeic¸ ao, a humanidade esta perdi´ da, ‘apartada da vida que pertence a Deus’. (Efesios 4:17, 18) Precisamos de ajuda para encontrar o caminho certo. Jesus, nosso bondoso Exemplo, faz mais do que apenas dar conselhos e indicar o caminho. Como vimos no Ca´ pıtulo 1, ele nos convida, dizendo: “Vem ser meu segui´ ´ dor.” (Marcos 10:21) Ele tambem nos da um bom moti˜ vo para aceitar seu convite. Certa ocasiao, ele disse: “Eu ´ sou o caminho, e a verdade, e a vida. Ninguem vem ao ˜ ˜ Pai senao por mim.” ( Joao 14:6) Vamos analisar por que ´ ´ ´ so e possıvel nos aproximar do Pai por meio do Filho. Depois, com isso em mente, vamos considerar como Jesus ´ de fato e ‘o caminho, a verdade e a vida’. ´ ´ Papel vital no proposito de Jeova ´ 3 Em primeiro lugar, Jesus e o meio para nos achegarmos ´ ´ 1, 2. Por que seria impossıvel achegar-nos a Jeova sem ajuda, e o que ´ Jesus Cristo faz por nos nesse sentido? ´ 3. Por que Jesus e o meio para nos achegarmos a Deus?

‘Seja meu seguidor’

15


16

‘VENHA SER MEU SEGUIDOR’

´ a Deus porque Jeova achou apropriado dar a seu Filho o papel mais importante de todos.1 O Pai fez dele a figu˜ ´ ´ ra central na realizac¸ ao dos Seus propositos. (2 Corıntios 1:20; Colossenses 1:18-20) Para entendermos o papel vital do Filho, precisamos analisar o que aconteceu no jardim ´ do Eden, onde o primeiro casal humano se juntou a Sata´ ˜ ´ ˆ nas em rebeliao contra Jeova. — Genesis 2:16, 17; 3:1-6. ´ ˜ ˜ 4 A rebeliao no Eden levantou uma questao que afetou ´ ´ todas as criaturas de Deus: sera que Jeova Deus exerce do´ mınio sobre suas criaturas do modo correto? Para resol˜ ´ ver essa questao fundamental, Jeova decidiu que um fi` ˜ lho espiritual perfeito teria de vir a Terra. A missao desse ˜ filho nao poderia ser mais importante — dar a vida para ´ vindicar a soberania de Jeova e servir como resgate para ˜ ´ a salvac¸ ao da humanidade. Por permanecer fiel ate a ´ morte, esse filho escolhido tornaria possıvel resolver to˜ dos os problemas que surgiram com a rebeliao de Sata´ ˜ ´ nas. (Hebreus 2:14, 15; 1 Joao 3:8) Mas Jeova tinha mui˜ tos milhoes de filhos espirituais perfeitos. (Daniel 7:9, 10) ˜ ´ Quem ele escolheu para essa tarefa tao importante? Jeova ˆ escolheu o seu “Filho unigenito”, que mais tarde veio a ˜ ser conhecido como Jesus Cristo. — Joao 3:16. ´ ´ 5 Devıamos nos surpreender com a escolha de Jeova? De modo algum! O Pai confiava plenamente em seu Filho ˆ ´ ` ´ unigenito. Seculos antes de o Filho vir a Terra, Jeova predisse que ele permaneceria leal apesar de enfrentar todo ´ tipo de sofrimento. (Isaıas 53:3-7, 10-12; Atos 8:32-35) ´ ˜ ´ ´ 1 O papel do Filho e tao importante que ele recebe varios tıtulos e ´ ´ ´ nomes profeticos na Bıblia. — Veja o quadro na pagina 23. ´ ˜ ˜ ´ 4. A rebeliao no Eden levantou que questao, e o que Jeova decidiu ˆ fazer para resolve-la? ´ 5, 6. Como Jeova demonstrou que confiava no seu Filho, e em que se baseava essa confianca? ¸


‘O CAMINHO, A VERDADE E A VIDA’

17

´ Pense no que estava envolvido em Jeova predizer isso. O Filho, como todas as outras criaturas inteligentes, tinha ´ ´ livre-arbıtrio e podia escolher o que fazer. Mas Jeova tinha tanta confianca ¸ nele que predisse que ele manteria a fidelidade. Em que se baseava essa confianca? ¸ Em conhe´ cimento. Jeova conhece intimamente seu Filho e sabe ´ ˜ que ele deseja muito agrada-lo. ( Joao 8:29; 14:31) O Fi˜ lho ama o Pai e este, por sua vez, ama o Filho. ( Joao 3:35) O amor que o Pai e o Filho sentem um pelo outro cria en´ ´ ˜ tre eles um vınculo inquebrantavel de uniao e confianca. ¸ — Colossenses 3:14. ˆ 6 Em vista da importancia do papel do Filho, da confian´ ca ¸ que o Pai tem nele e do amor que os une, e de admirar ´ ´ que se achegar a Deus so seja possıvel por meio de Jesus? ´ Mas ha ainda outro motivo pelo qual apenas o Filho pode nos conduzir ao Pai. ´ So o Filho conhece plenamente o Pai ˆ 7 Precisamos satisfazer algumas exigencias para nos ´ ´ achegarmos a Jeova. (Salmo 15:1-5) Quem alem do Filho ´ ´ sabe exatamente o que e necessario para satisfazer os re´ quisitos de Deus e agrada-lo? Jesus disse: “Todas as coi´ sas me foram entregues por meu Pai, e ninguem conhe´ ce plenamente o Filho, exceto o Pai, tampouco ha quem conheca ¸ plenamente o Pai, exceto o Filho e todo aque´ le a quem o Filho estiver disposto a revela-lo.” (Mateus ˜ 11:27) Vejamos por que Jesus tinha razao ao dizer, sem ´ exageros, que ninguem conhece plenamente o Pai “exceto o Filho”. ˆ ˜ 8 Como “o primogenito de toda a criac¸ ao”, Jesus tem ´ um relacionamento especial com Jeova. (Colossenses ˜ ´ 7, 8. Por que Jesus podia dizer com toda razao que ninguem conhece plenamente o Pai “exceto o Filho”?


18

‘VENHA SER MEU SEGUIDOR’

1:15) Imagine a intimidade que se desenvolveu entre o ´ Pai e o Filho durante as incontaveis eras em que existiam ´ ˜ ´ apenas os dois — dos primordios da criac¸ ao ate outras ` ˆ ˜ criaturas espirituais virem a existencia. ( Joao 1:3; Colossenses 1:16, 17) Pense na valiosa oportunidade que o Filho teve ao lado do Pai de assimilar os pensamentos Dele e entender Sua vontade, Suas normas e Seu modo de ˜ ´ agir. De fato, nao e exagero dizer que Jesus conhece seu Pai melhor do que qualquer outro. Essa intimidade certamente habilitou Jesus a refletir seu Pai como nenhuma outra criatura. 9 Os ensinos de Jesus deixaram claro que ele conhece a ´ fundo os pensamentos e os sentimentos de Jeova e sabe exatamente o que Ele requer de seus adoradores.1 Mas Jesus refletiu seu Pai de outro modo importante. Jesus dis´ ˜ se: “Quem me tem visto, tem visto tambem o Pai.” ( Joao 14:9) Jesus imitou perfeitamente seu Pai em tudo o que ´ disse e fez. Assim, quando lemos sobre Jesus na Bıblia — suas palavras tocantes e cativantes ao ensinar, a com˜ paixao que o motivou a curar outros e a empatia que o fez ´ chorar — podemos muito bem imaginar Jeova dizendo e fazendo exatamente o mesmo. (Mateus 7:28, 29; Mar˜ ˜ cos 1:40-42; Joao 11:32-36) As palavras e as ac¸ oes do Filho refletem perfeitamente os modos de agir e a vontade do ˜ Pai. ( Joao 5:19; 8:28; 12:49, 50) Portanto, para agradar´ mos a Jeova, precisamos acatar os ensinamentos de Jesus ˜ e seguir seu exemplo. — Joao 14:23. 10 Visto que Jesus conhece intimamente a Jeova´ e o imi˜ ´ ´ ta de modo perfeito, nao e de admirar que Jeova tenha 1 Veja, por exemplo, as palavras de Jesus em Mateus 10:29-31; 18:12-14, 21-35; 22:36-40. 9, 10. (a) De que modo Jesus refletiu seu Pai? (b) Para agradarmos ´ a Jeova, o que precisamos fazer?


‘O CAMINHO, A VERDADE E A VIDA’

19

determinado que seu Filho seja o meio para nos achegarmos ao Pai. Agora que entendemos por que podemos nos ´ achegar a Jeova somente por meio de Jesus, vamos analisar o que significam as suas palavras: “Eu sou o cami´ ˜ nho, e a verdade, e a vida. Ninguem vem ao Pai senao por ˜ mim.” — Joao 14:6.

“Eu sou o caminho” ´ ´ ´ Ja vimos que e impossıvel nos achegarmos a Deus ˜ a nao ser por meio de Jesus. Considere mais especifica´ mente o que isso significa. Jesus e “o caminho” no senti´ ´ do de que e so por meio dele que podemos entrar num ´ relacionamento com Deus. Como assim? Por ser fiel ate a morte, Jesus sacrificou sua vida como resgate. (Mateus ˜ ´ 20:28) Sem essa provisao de resgate, seria impossıvel termos acesso a Deus. O pecado cria uma barreira entre os ´ ´ humanos e Deus porque Jeova e santo e, portanto, nun´ ca poderia aceitar o pecado. (Isaıas 6:3; 59:2) Mas o sacri´ fıcio de Jesus removeu essa barreira; ele forneceu o que ´ era necessario para cobrir, ou expiar, o pecado. (Hebreus ˜ ˜ 10:12; 1 Joao 1:7) Se aceitarmos a provisao de Deus por ´ meio de Cristo e tivermos fe nela, poderemos ser aprova´ ˜ ´ dos por Jeova. Simplesmente nao ha outro modo de sermos “reconciliados com Deus”.1 — Romanos 5:6-11. ´ ` ˜ 12 ´ Jesus e “o caminho” no que diz respeito as orac¸ oes.´ E apenas por meio dele que podemos nos dirigir a Jeova ˜ em orac¸ ao com a garantia de que nossos pedidos sinceros 11

˜ 1 Em Joao 14:6, o uso do pronome pessoal “eu” junto com o arti˜ ´ go definido “o” deixa claro que a func¸ ao de Jesus e exclusiva, que ele ´ ´ e o unico caminho para nos achegarmos ao Pai. ´ 11. (a) Por que so podemos entrar num relacionamento com Deus ˜ por meio de Jesus? (b) Como as palavras registradas em Joao 14:6 deixam claro a exclusividade do papel de Jesus? (Veja a nota.) ´ 12. Em que sentidos Jesus e “o caminho”?


20

‘VENHA SER MEU SEGUIDOR’

˜ ˜ ´ serao ouvidos favoravelmente. (1 Joao 5:13, 14) O proprio Jesus disse: “Se pedirdes ao Pai qualquer coisa, ele vo-la ´ dara em meu nome. . . . Pedi e recebereis, para que a vos˜ sa alegria seja plena.” ( Joao 16:23, 24) Por meio do nome ´ ´ de Jesus e correto orarmos a Deus e chama-Lo de “nosso ´ Pai”. (Mateus 6:9) Jesus e “o caminho” em ainda outro ´ sentido — pelo seu exemplo. Conforme ja mencionado, ele imitou perfeitamente seu Pai. Assim, seu exemplo nos ´ mostra como viver de um modo que agrada a Jeova. Para ´ nos achegarmos a Jeova, portanto, precisamos andar nas pisadas de Jesus. — 1 Pedro 2:21.

“Eu sou . . . a verdade” Jesus sempre falou a verdade a respeito da palavra pro´ ˜ fetica de seu Pai. ( Joao 8:40, 45, 46) Nunca saiu algo en´ ganoso de sua boca. (1 Pedro 2:22) Ate mesmo seus opositores admitiram que ele ensinava “o caminho de Deus em harmonia com a verdade”. (Marcos 12:13, 14) No en˜ tanto, quando Jesus disse “eu sou . . . a verdade”, nao estava apenas dizendo que tornava a verdade conhecida ao falar, pregar e ensinar. Muito mais do que palavras estava envolvido. ´ ˆ ´ 14 Lembre-se de que com seculos de antecedencia Jeova ´ inspirou os escritores bıblicos a registrar muitas profecias sobre o Messias, ou Cristo. Essas profecias predisse´ ram detalhes sobre sua vida, seu ministerio e sua morte. ´ Alem disso, a Lei mosaica continha sombras, ou modelos ´ profeticos, que se aplicavam ao Messias. (Hebreus 10:1) ´ ´ Sera que Jesus seria fiel ate a morte, cumprindo assim ´ ˜ tudo o que tinha sido profetizado sobre ele? So entao fi´ ´ caria provado que Jeova e o Deus de profecias verdadei13

13, 14. (a) Como Jesus foi veraz em tudo o que disse? (b) O que Jeˆ sus teve de fazer para ser “a verdade”, e por que?


‘O CAMINHO, A VERDADE E A VIDA’

21

ras. Jesus tinha essa enorme responsabilidade sobre seus ombros. Pelo modo como viveu — cada palavra que disse ˜ e cada ac¸ ao que realizou — ele fez com que os modelos ´ ´ profeticos se tornassem realidade. (2 Corıntios 1:20) Desse modo, Jesus era “a verdade”. Era como se a verdade da ´ ´ ` ˆ palavra profetica de Jeova viesse a existencia na pessoa de ˜ Jesus. — Joao 1:17; Colossenses 2:16, 17.

“Eu sou . . . a vida” ´ Jesus e “a vida” no sentido de que apenas por meio dele podemos receber a vida — quer dizer, “a verdadei´ ´ ´ ra vida”. (1 Timoteo 6:19) A Bıblia diz: “Quem exerce fe ˜ no Filho tem vida eterna; quem desobedece ao Filho nao ´ vera a vida, mas o furor de Deus permanece sobre ele.” ˜ ´ ( Joao 3:36) O que significa exercer fe no Filho de Deus? ˜ Significa que estamos convencidos de que nao podemos ganhar a vida eterna sem ele. Mais do que isso, significa ´ que demonstramos nossa fe por meio de obras, que continuamos a aprender de Jesus e que fazemos o nosso melhor para seguir seus ensinamentos e seu exemplo. (Tia´ go 2:26) Assim, exercer fe no Filho de Deus resulta em ´ vida eterna — vida espiritual imortal no ceu para um “pe˜ ´ queno rebanho” de cristaos ungidos pelo espırito, e vida ´ humana perfeita num paraıso terrestre para “uma grande ˜ multidao” de “outras ovelhas”. — Lucas 12:32; 23:43; Re˜ ˜ velac¸ ao (Apocalipse) 7:9-17; Joao 10:16. 16 Mas que dizer dos que ja´ morreram? Para eles, Jesus ´ ´ tambem e “a vida”. Pouco antes de ressuscitar seu amigo ´ ˜ ´ Lazaro, Jesus disse a Marta, irma de Lazaro: “Eu sou a res˜ ´ surreic¸ ao e a vida. Quem exercer fe em mim, ainda que 15

´ 15. O que significa exercer fe no Filho, e fazer isso pode resultar em ˆ que? ´ ´ 16, 17. (a) Como Jesus mostrara ser “a vida” ate mesmo para os que ´ ja morreram? (b) Que confianca ¸ podemos ter?


22

‘VENHA SER MEU SEGUIDOR’

´ ˜ ´ morra, vivera outra vez.” ( Joao 11:25) Jeova confiou ao seu Filho “as chaves da morte e do Hades”; portanto, foi˜ lhe dado poder para ressuscitar pessoas. (Revelac¸ ao 1:17, ´ 18) Com essas chaves, o glorificado Jesus destrancara os ˜ ´ ˜ portoes do Hades e libertara todos os que estao presos na ˜ sepultura comum da humanidade. — Joao 5:28, 29. 17 ‘Eu sou o caminho, a verdade e a vida’ — com essa de˜ clarac¸ ao simples, Jesus resumiu o objetivo de sua vida e ´ ˆ de seu ministerio na Terra. Essas palavras tem muito sig´ nificado para nos hoje. Lembre-se de que Jesus acrescen´ ˜ ˜ tou: “Ninguem vem ao Pai senao por mim.” ( Joao 14:6) ˜ ˜ Essas palavras de Jesus sao tao importantes hoje quanto ˜ eram na ocasiao em que ele as proferiu. Portanto, podemos ter total confianca ¸ de que, se seguirmos a Jesus, nun´ ca nos perderemos. Apenas ele nos mostrara o caminho para chegar “ao Pai”. ´ Aceitara o convite? 18 Em vista do papel vital de Jesus e do conhecimento profundo que ele tem do Pai, temos bons motivos para ´ seguir o Filho. Conforme vimos no capıtulo anterior, ser ˜ ˜ verdadeiro seguidor de Jesus envolve ac¸ oes, nao apenas palavras ou sentimentos. Seguir a Cristo envolve moldarmos nossa vida segundo seus ensinamentos e seu exem˜ ´ plo. ( Joao 13:15) Este livro pode ajuda-lo a fazer isso. ´ ´ 19 Nos proximos capıtulos, faremos um estudo profun´ ´ ˜ do da vida e do ministerio de Jesus. Os capıtulos estao ˆ ˜ divididos em tres sec¸ oes. Na primeira vamos ter uma vi˜ sao geral de suas qualidades e modos de agir. Na segunda vamos analisar seu exemplo de zelo ao pregar e ensinar. E na terceira vamos considerar como ele demonstrou 18. O que envolve ser verdadeiro seguidor de Jesus? ´ ´ 19, 20. O que este livro contem a fim de ajuda-lo a seguir a Cristo?


‘O CAMINHO, A VERDADE E A VIDA’

23

´ Alguns tıtulos aplicados a Jesus Cristo ´ ´ O Amem (significa “assim seja” ou “certamente”). E nele que as promessas de Deus encontram cumprimento certo. — 2 Co´ rıntios 1:19, 20. ˜ Maravilhoso Conselheiro. Os conselhos de Jesus sao sempre ´ ´ ˜ ´ praticos e perfeitos. Acata-los resulta em salvac¸ ao. — Isaıas 9:6; ˜ Joao 6:68. ´ Pai Eterno. Jeova concedeu a ele poder e autoridade para dar ˜ aos humanos a perspectiva de vida eterna em perfeic¸ ao na Ter´ ra. — Isaıas 9:6. ´ ´ ˜ A Palavra. Ele e o Porta-Voz de Jeova. — Joao 1:1. ´ Prıncipe da Paz. Como Governante do Reino de Deus, Jesus ´ ´ estabelecera paz sem fim em toda a Terra. — Isaıas 9:6. ´ Rei dos reis. Como Rei celestial designado por Deus, Jesus e muito mais poderoso do que qualquer governante humano. ˜ — Revelac¸ ao 17:14. Sumo Sacerdote. Ele nos limpa do pecado e nos livra dos seus ´ efeitos mortıferos. — Hebreus 3:1; 9:13, 14, 25, 26.

´ ´ amor. A partir do Capıtulo 3, ha um quadro intitulado “Como Ser Seguidor de Jesus?”. Esses quadros, com textos e perguntas, foram preparados para nos ajudar a meditar em como podemos imitar a Jesus em palavras e ˜ ac¸ oes. ˜ 20 Gracas a` ajuda de Jeova´ Deus, voceˆ nao precisa fi¸ car perdido, apartado dele por causa do pecado herda´ ´ do. Apesar de ter sido muito difıcil para si mesmo, Jeova enviou seu Filho para nos mostrar que caminho seguir ˜ a fim de termos um relacionamento com Deus. (1 Joao ˆ 4:9, 10) Que voce se sinta encorajado, sim, motivado, a corresponder a esse grande amor por aceitar o convite de ˜ Jesus: ‘Seja meu seguidor.’ — Joao 1:43.


˜ S E C¸ A O

1

‘VENHA E VEJA’ O CRISTO ´ Jesus viveu na Terra uns 2 mil anos atras, mas ainda podemos ‘vir e ver’ o Filho de Deus. ˜ (Joao 1:46) Os Evangelhos descrevem detalhadamente sua personalidade, seu modo de pensar e sua maneira de agir. ˜ ´ ˜ Esta sec¸ ao dara uma visao geral das ´ notaveis qualidades de Jesus.

24


´ C A P I T U L O

3

˜ ‘Sou humilde de corac¸ ao’ ´ ´ ˜ ´ JERUSALEM esta em comoc¸ ao. Alguem muito importante ´ esta chegando! As pessoas se ajuntam ao longo da estrada que ´ ` ˜ da acesso a cidade, pois estao ansiosas para receber o homem ´ que, segundo dizem, e descendente do Rei Davi e tem o direito de ser o governante de Israel. Muitos trazem folhas de palmeiras para lhe dar boas-vindas; outros espalham roupas ´ e ramos de arvores na estrada para facilitar a sua passagem. ˜ ˜ (Mateus 21:7, 8; Joao 12:12, 13) Muitos provavelmente estao ´ imaginando como sera sua entrada na cidade. ˜ 2 Alguns talvez esperem uma demonstracao ¸ de suntuosida´ de. Com certeza ja ouviram falar de pessoas importantes que ˜ se apresentaram com muita pompa. Por exemplo, Absalao, fi` lho de Davi, tinha 50 homens correndo a frente de seu carro quando se proclamou rei. (2 Samuel 15:1, 10) O governador ´ ´ romano Julio Cesar quis mais destaque ainda; em certa oca˜ ˜ ´ ´ siao, liderou uma procissao triunfal ate o capitolio romano ˆ acompanhado por 40 elefantes que portavam lampadas. Mas ´ agora o povo de Jerusalem espera um homem muito mais ´ ´ importante. Quem esta chegando na cidade e o Messias, o ´ maior homem que ja viveu na Terra, embora nem todos talvez entendam plenamente o que isso significa. Quando avis´ tam esse futuro rei, porem, alguns ficam surpresos. ˜ ´ 3 Nao ha nenhum carro, nem corredores, nem cavalos — muito menos elefantes. Em vez disso, Jesus vem montado num simples animal de carga, um jumento.1 Nem ele nem ˜ ˆ 1 Comentando essa ocasiao, uma obra de referencia diz que o ju´ mento “e uma criatura humilde” e acrescenta: “Trata-se de um ani˜ ´ mal de trac¸ ao costumeiramente usado pelos pobres; e lento, teimoso ˜ ´ e nao e muito elegante.” ´ 1-3. Descreva a entrada de Jesus em Jerusalem; e por que alguns dos observadores talvez tenham ficado surpresos?


26

‘VENHA SER MEU SEGUIDOR’

˜ ˜ ´ o animal estao adornados. Nao ha uma sela cara no jumento, mas sim roupas que alguns dos seguidores mais achegados de Jesus puseram sobre o animal. Por que Jesus entrou em Jeru´ ˜ salem de modo tao humilde, quando homens muito inferio˜ ˆ res a ele fizeram questao de muita pompa e cerimonia? ´ 4 Jesus esta cumprindo uma profecia: “Jubila grandemen´ ´ te . . . Brada em triunfo, o filha de Jerusalem. Eis que vem a ti ´ ´ o teu proprio rei. Ele e justo, sim, salvo; humilde, e montado num jumento.” (Zacarias 9:9) Essa profecia indicava que o Ungido de Deus, o Messias, um dia se apresentaria ao povo de ´ Jerusalem como Rei divinamente designado. Indicava tam´ ´ bem que ate mesmo o modo de ele fazer isso, incluindo o animal em que estaria montado, revelaria uma bela qualida˜ de de corac¸ ao: a humildade. 5 A humildade de Jesus esta´ entre as suas qualidades mais ´ atraentes; e uma qualidade comovente. Conforme vimos no ´ ´ capıtulo anterior, apenas Jesus e ‘o caminho, a verdade e a ˜ ´ ´ ˜ vida’. ( Joao 14:6) Sem duvida, ninguem entre os bilhoes de ´ ˜ humanos que ja viveram na Terra foi tao importante quanto o Filho de Deus. Apesar disso Jesus nunca mostrou nenhum siˆ nal do orgulho, da arrogancia e do convencimento demonstrados por muitos humanos imperfeitos. Para sermos seguidoˆ res de Cristo, precisamos combater a tendencia para o orgulho. ´ ˆ (Tiago 4:6) Lembre-se de que Jeova odeia a arrogancia. Por ´ isso, e importante aprendermos a imitar a humildade de Jesus.

´ Um longo historico de humildade

6

´ ˜ ˆ ˆ Humildade e despretensao, ausencia de arrogancia ou de

´ ˆ 4. O que a Bıblia predisse sobre o modo como o Rei messianico ´ entraria em Jerusalem? ´ ´ 5. Por que a humildade de Jesus e comovente, e por que e importan´ te aprendermos a imita-lo nesse respeito? ´ ´ 6. O que e humildade, e como Jeova sabia que o Messias seria humilde?

´ “Eis que vem a ti o teu proprio rei”


28

‘VENHA SER MEU SEGUIDOR’

´ ˜ orgulho. E uma qualidade que se origina no corac¸ ao e que fica evidente na conversa da pessoa, em sua conduta e no ´ modo como trata os outros. Como Jeova sabia que o Messias ´ seria humilde? Ele sabia que seu Filho refletia seu proprio ˜ ´ ´ exemplo de humildade. ( Joao 10:15) Tambem ja tinha visto ˜ a humildade do Filho em ac¸ ao. Como? ´ ´ ´ 7 O livro bıblico de Judas da um otimo exemplo: “Quando ´ Miguel, o arcanjo, teve uma controversia com o Diabo e dis˜ ´ putava acerca do corpo de Moises, nao se atreveu a lancar ¸ um julgamento contra ele em termos ultrajantes, mas disse: ´ ´ ‘Jeova te censure.’ ” ( Judas 9) Miguel e outro nome de Jesus ˜ — antes e depois de sua vida na Terra — na posic¸ ao de arcan´ ´ jo, ou comandante do exercito de anjos de Jeova.1 (1 Tessalonicenses 4:16) Mas note como Miguel agiu nessa disputa ´ com Satanas. ˜ ´ 8 O relato de Judas nao diz o que Satanas queria fazer com ´ o corpo de Moises, mas podemos ter certeza de que suas ˜ ˜ intenc¸ oes nao eram boas. Talvez ele quisesse usar os restos ˜ mortais daquele homem fiel para promover a adorac¸ ao fal´ sa. Miguel frustrou a trama perversa de Satanas, mas tam´ ´ bem demonstrou notavel autocontrole. Aquele anjo mau ´ certamente merecia ser censurado, mas Miguel, que na epo˜ ca ainda nao tinha recebido toda a autoridade para julgar, ´ ´ reconheceu que apenas Jeova Deus podia julgar Satanas. ˜ ( Joao 5:22) Como arcanjo, Miguel tinha muita autoridade. ´ Mesmo assim, ele humildemente se submeteu a Jeova em ´ vez de tentar apoderar-se de mais autoridade. Alem de hu´ ´ 1 Para mais provas de que Miguel e Jesus, veja as paginas 218-219 ´ do livro O Que a Bıblia Realmente Ensina?, publicado pelas Testemu´ nhas de Jeova. 7-9. (a) Como Miguel demonstrou humildade em sua disputa com ´ ˜ Satanas? (b) Como os cristaos podem imitar Miguel em demonstrar humildade?


˜ ‘SOU HUMILDE DE CORAC¸ AO’

29

´ mildade ele demonstrou modestia, ou seja, reconheceu suas ˜ limitac¸ oes. 9 Judas foi inspirado a escrever sobre esse incidente por um ˜ ´ ˜ motivo: infelizmente, alguns cristaos na epoca de Judas nao eram humildes. Eles arrogantemente ‘falavam de modo ul˜ trajante de todas as coisas que realmente nao conheciam’. ´ ´ ´ ( Judas 10) Para nos, humanos imperfeitos, e muito facil ser ˜ vencidos pelo orgulho. Como agimos quando nao enten´ ˜ demos algo que e feito na congregac¸ ao, talvez envolvendo ˜ ˜ alguma decisao do corpo de anciaos? Se comecarmos a fa¸ ´ ˜ ´ lar de modo negativo, crıtico, apesar de nao ser possıvel sa˜ ˜ ber de todos os fatos envolvidos nas decisoes, nao estaremos demonstrando falta de humildade? Em vez de agir assim, ˜ imitemos Miguel, ou seja, Jesus, nao julgando assuntos que ˜ Deus nao nos deu autoridade para julgar. ´ 10 O Filho de Deus tambem mostrou humildade por aceitar ˜ ` a designac¸ ao de vir a Terra. Considere o que ele teve de dei´ ´ ´ xar para tras. Ele era o arcanjo. Alem disso, ele tambem era ´ ´ ˜ “a Palavra” — o Porta-Voz do proprio Jeova. ( Joao 1:1-3) Ele ´ morava no ceu, a “morada excelsa de santidade e beleza” de ´ ´ Jeova. (Isaıas 63:15) Apesar disso, o Filho “se esvaziou e assumiu a forma de escravo, vindo a ser na semelhanca ¸ dos homens”. (Filipenses 2:7) Pense no que estava envolvido nessa ˜ designac¸ ao aqui na Terra. Sua vida foi transferida para o ventre de uma virgem judia onde se desenvolveu durante nove ˆ ´ meses. Ele nasceu como um bebe indefeso na famılia pobre de um carpinteiro, foi crianca ¸ e adolescente. Embora fosse perfeito, continuou sujeito aos seus pais humanos imperfeitos durante toda a juventude. (Lucas 2:40, 51, 52) Quanta humildade! 11 Sera´ que podemos imitar a humildade de Jesus por es˜ ` tar dispostos a aceitar designac¸ oes de servico ¸ que as vezes ´ ´ ˜ ` 10, 11. (a) O que e notavel na disposic¸ ao do Filho de Deus de vir a Terra? (b) Como podemos imitar a humildade de Jesus?


30

‘VENHA SER MEU SEGUIDOR’

˜ parecem humildes? Por exemplo, nossa designac¸ ao de pregar as boas novas do Reino de Deus pode parecer humilde ´ quando encontramos pessoas apaticas, hostis ou que nos ridicularizam. (Mateus 28:19, 20) Mas, se perseverarmos nessa obra, poderemos ajudar a salvar vidas. De qualquer modo, aprenderemos muito sobre a humildade e seguiremos os passos do nosso Mestre, Jesus Cristo.

A humildade de Jesus como homem

´ Do comeco ¸ ao fim do seu ministerio, Jesus foi conhecido pela sua humildade. Ele demonstrou que era humilde ao di´ ` rigir todo louvor e gloria a seu Pai. As pessoas as vezes elogiavam Jesus pela sua sabedoria, pelo seu poder de realizar milagres e pela sua bondade. Mas ele sempre direcionou a ´ ˜ gloria para o seu Pai. — Marcos 10:17, 18; Joao 7:15, 16. ´ 13 Jesus tambem mostrou humildade no modo como tra˜ ` tou as pessoas. Ele deixou claro que nao tinha vindo a Terra para ser servido, mas para servir. (Mateus 20:28) Demonstrou humildade ao tratar as pessoas de modo bondo´ so e razoavel. Quando seus seguidores o decepcionavam, ele ˜ nao os repreendia duramente; ele continuava tentando to˜ ˜ car-lhes o corac¸ ao. (Mateus 26:39-41) Quando as multidoes ˜ nao o deixavam descansar nem ter tranquilidade e privaci˜ dade, ele nao as mandava embora, mas continuava a dar de si, ensinando-lhes “muitas coisas”. (Marcos 6:30-34) Quan˜ do uma mulher nao israelita implorou que Jesus curasse sua ´ ˜ ˜ filha, de inıcio parecia que ele nao queria fazer isso. Mas nao se recusou de modo irado a realizar a cura; ele cedeu diante ´ ´ ´ da notavel fe daquela mulher, conforme veremos no Capıtulo 14. — Mateus 15:22-28. ´ 14 De incontaveis modos, Jesus realmente viveu segundo o 12

12-14. (a) Como Jesus mostrava humildade quando as pessoas o elogiavam? (b) De que modo Jesus tratou outros com humildade? (c) O ˜ ˜ que mostra que a humildade de Jesus nao era apenas uma questao de formalidade ou boas maneiras?


˜ ‘SOU HUMILDE DE CORAC¸ AO’

31

que disse a respeito de si mesmo: “Sou de temperamento ˜ brando e humilde de corac¸ ao.” (Mateus 11:29) Sua humilda˜ ˜ de nao era superficial, uma simples questao de formalidade ˜ ´ ou boas maneiras. Vinha do corac¸ ao, do ıntimo. Portanto, ˜ ´ ˆ nao e de admirar que Jesus tenha dado muita importancia a ensinar seus seguidores a ser humildes.

˜ Lic¸ oes de humildade a seus seguidores

´ Levou tempo para os apostolos de Jesus cultivar humilda˜ ´ de. Ele tentou tocar-lhes o corac¸ ao vez apos vez. Por exem˜ ˜ plo, certa ocasiao, Tiago e Joao pediram por meio de sua ˜ ˜ mae que Jesus lhes garantisse posic¸ oes de destaque no Reino ` de Deus. Modestamente, Jesus respondeu: “Assentar-se a mi` ˜ ´ nha direita e a minha esquerda nao e meu para dar, mas per` tence aqueles para quem tem sido preparado por meu Pai.” ´ ˜ Os outros dez apostolos “indignaram-se” com Tiago e Joao. (Mateus 20:20-24) Como Jesus lidou com o problema? 16 Ele bondosamente censurou a todos, dizendo: “Sabeis ˜ que os governantes das nac¸ oes dominam sobre elas e que ˜ ´ os grandes homens exercem autoridade sobre elas. Nao e as´ ´ sim entre vos; mas, quem quiser tornar-se grande entre vos tem de ser o vosso ministro, e quem quiser ser o primeiro ´ entre vos tem de ser o vosso escravo.” (Mateus 20:25-27) Os ´ ´ apostolos provavelmente ja tinham percebido como “os go˜ vernantes das nac¸ oes” podiam ser orgulhosos, ambiciosos e ´ egoıstas. Jesus mostrou que seus seguidores deviam ser diferentes daqueles tiranos sedentos de poder; precisavam ser ´ ´ ˜ humildes. Sera que os apostolos aprenderam a lic¸ ao? ˜ ´ ´ ˜ 17 Nao foi facil para os apostolos de Jesus. Aquela nao foi a 15

15, 16. Jesus mencionou que contraste entre a atitude dos governantes do mundo e a atitude que seus seguidores precisavam cultivar? ´ ´ 17-19. (a) Na vespera de sua morte, de que modo notavel Jesus ´ ˜ ensinou a humildade a seus apostolos? (b) Qual foi a maior lic¸ ao de humildade ensinada por Jesus quando esteve na Terra?


32

‘VENHA SER MEU SEGUIDOR’

´ ˜ primeira nem a ultima vez que Jesus lhes ensinou a lic¸ ao de ˜ ´ humildade. Antes daquela ocasiao, eles ja tinham discutido sobre quem era o maior. Jesus havia colocado uma crianca ¸ no meio deles e tinha lhes dito que fossem como as criancas, ¸ ˜ ˆ que, diferentemente de muitos adultos, em geral nao tem or˜ ˜ gulho, ambic¸ ao nem se preocupam com posic¸ ao. (Mateus ´ 18:1-4) Apesar disso, ate mesmo na noite antes de morrer Je´ sus percebeu que seus apostolos ainda lutavam contra o or˜ ´ gulho. Assim, ensinou-lhes uma lic¸ ao inesquecıvel. Cingiuse com uma toalha e realizou a mais humilde de todas as ´ tarefas, uma tarefa que normalmente era atribuıda aos ser´ vos da casa: lavar os pes dos convidados de seu amo. Jesus la´ ´ vou os pes de cada um dos apostolos — incluindo Judas, que ´ ˜ estava para traı-lo! — Joao 13:1-11. ˜ 18 Jesus deixou bem claro o ponto em questao quando lhes ´ ˜ ´ disse: “Estabeleci o modelo para vos.” ( Joao 13:15) Sera que ˜ essa lic¸ ao finalmente os sensibilizou? Bem, mais tarde naquela mesma noite, eles discutiram de novo sobre quem era o maior! (Lucas 22:24-27) Ainda assim, Jesus continuou sendo paciente com eles e lhes ensinou humildemente. Depois, ˜ deu-lhes a mais importante de todas as lic¸ oes: “Humilhou´ ` se e tornou-se obediente ate a morte, sim, morte numa estaca de tortura.” (Filipenses 2:8) Jesus voluntariamente se sujeitou a uma morte humilhante, tendo sido condenado de modo injusto como criminoso e blasfemador. Desse modo, ´ ´ o Filho de Deus mostrou-se incomparavel, pois foi o uni´ co, dentre todos os seres criados por Jeova, que demonstrou humildade de modo perfeito e no mais alto grau. ´ ˜ 19 Talvez essa ultima lic¸ ao de humildade ensinada por Jesus quando esteve na Terra tenha sido a que tocou definiti˜ ´ ´ ´ vamente o corac¸ ao dos seus apostolos fieis. A Bıblia nos diz que eles continuaram trabalhando humildemente por anos, ´ ´ ´ ate mesmo por decadas. Que dizer de nos?


˜ ‘SOU HUMILDE DE CORAC¸ AO’

33

ˆ ´ Voce seguira o modelo estabelecido por Jesus?

´ ´ Paulo aconselha a cada um de nos: “Mantende em vos ´ esta atitude mental que houve tambem em Cristo Jesus.” (Fi˜ lipenses 2:5) Precisamos ser humildes de corac¸ ao assim como ´ Jesus. Como podemos saber se somos humildes no ıntimo? ˜ Paulo nos lembra que nao devemos ‘fazer nada por briga ou por egotismo, mas, com humildade mental, considerar os ´ outros superiores a nos’. (Filipenses 2:3) A chave, portanto, ´ ˜ ´ esta no modo como encaramos os outros em relac¸ ao a nos ˆ mesmos. Precisamos ve-los como superiores e mais impor´ ˆ ´ ´ tantes do que nos. Voce pora em pratica esse conselho? ´ ´ 21 Muitos anos apos a morte de Jesus, o apostolo Pedro ainda ˆ tinha em mente a importancia da humildade. Ele ensinou os ˜ superintendentes cristaos a cuidar de seus deveres de modo ´ humilde, nunca dominando sobre as ovelhas de Jeova. (1 Pe˜ ´ dro 5:2, 3) Responsabilidade nao e desculpa para orgulho. Ao ´ contrario, responsabilidades exigem ainda mais humildade ´ ´ ´ genuına. (Lucas 12:48) E claro que essa qualidade e funda˜ mental nao apenas para os superintendentes, mas para todos ˜ os cristaos. 22 Certamente Pedro nunca mais esqueceu aquela noite em ´ ´ ´ ´ que Jesus lavou seus pes, embora o proprio apostolo de inıcio ˜ ´ ˜ nao quisesse deixa-lo fazer isso. ( Joao 13:6-10) Pedro escre˜ ´ ´ veu aos cristaos: “Todos vos, porem, cingi-vos de humildade ˜ mental uns para com os outros.” (1 Pedro 5:5) A expressao ˜ “cingi-vos” sugere a ac¸ ao de um servo que colocava um avental para cuidar de tarefas humildes. A frase nos faz lembrar da ˜ ocasiao em que Jesus se cingiu com uma toalha e depois se ´ ´ ajoelhou para lavar os pes dos apostolos. Se seguirmos a Je´ ˜ sus, sera que poderemos considerar alguma designac¸ ao dada 20

˜ 20. Como podemos saber se somos humildes de corac¸ ao? ˜ 21, 22. (a) Por que os superintendentes cristaos precisam ser humildes? (b) Como podemos mostrar que estamos cingidos com humildade?


34

‘VENHA SER MEU SEGUIDOR’

Como Ser Seguidor de Jesus? ´ ´ Como o exemplo de Jesus podera ajuda-lo quando se sen˜ tir tentado a gabar-se de suas realizac¸ oes? — Mateus 12:15-19; Marcos 7:35-37. ˆ ˘ Como voce pode imitar o exemplo que Jesus deu quando ˜ ˜ realizou tarefas humildes para seus irmaos espirituais? — Joao 21:1-13. ´ ˘ Como o exemplo de Jesus pode beneficia-lo caso se sin˜ ta tentado a buscar destaque e sucesso neste mundo? — Joao 6:14, 15. ˘

por Deus como estando abaixo de nossa dignidade? Nos˜ sa humildade de corac¸ ao deve ser evidente a todos, como se ´ estivessemos cingidos com ela. 23 O orgulho e´ como veneno. Seus efeitos podem ser mui´ to ruins. E uma qualidade que pode fazer com que o huma´ no mais talentoso se torne inutil para Deus. A humildade, por ´ ´ ´ outro lado, pode tornar muito util para Jeova ate mesmo a pessoa mais simples. Se cultivarmos diariamente essa qualidade preciosa por nos esforcarmos em seguir os passos de Cris¸ to com humildade, teremos uma recompensa maravilhosa. Pe˜ dro escreveu: “Humilhai-vos, portanto, sob a mao poderosa de Deus, para que ele vos enalteca ¸ no tempo devido.” (1 Pedro ´ ´ 5:6) Jeova sem duvida exaltou Jesus por ter demonstrado hu˜ ´ mildade de modo tao pleno. Da mesma forma, Deus tera praˆ zer em recompensar voce por sua humildade. 24 Infelizmente, alguns acham que a humildade e´ sinal de fra´ queza. O exemplo de Jesus mostra que isso e um grande enga´ no, pois o mais humilde de todos os homens era tambem o ´ ´ mais corajoso. Consideraremos isso no proximo capıtulo. ˆ 23, 24. (a) Por que temos de resistir a qualquer tendencia para o or´ ´ ´ gulho? (b) O proximo capıtulo nos ajudara a corrigir que conceito errado sobre a humildade?


´ C A P I T U L O

4

˜ ‘Eis o Leao ´ ´ que e da tribo de Juda!’ UMA turba de soldados e homens armados com espadas e ´ ` cassetetes esta a procura de Jesus. Como que guiados por ´ um unico objetivo perverso, eles percorrem as ruas escuras ´ ˜ ´ de Jerusalem e atravessam o vale do Cedron em direc¸ ao ao monte das Oliveiras. Apesar de ser noite de Lua cheia, carre˜ ´ ´ ´ gam tochas e lampioes. Sera que e porque ha nuvens enco´ brindo a luz da Lua? Ou sera que eles acham que a pessoa ´ ˜ a quem procuram esta escondida na escuridao? Uma coisa ´ ´ e certa: quem acha que Jesus ficara com medo sabe muito pouco sobre ele. 2 Jesus sabe do perigo que se aproxima. Apesar disso ele ˜ nao foge, mas fica esperando. A turba se aproxima, liderada por Judas, um anterior amigo em quem Jesus confiava. Judas trai Jesus descaradamente, identificando aquele que ha´ via sido seu mestre com um cumprimento hipocrita e um ˜ ´ beijo. Ainda assim, Jesus nao perde a compostura. Ele da um ` passo a frente diante da turba e pergunta: “A quem procurais?” Eles respondem: “A Jesus, o nazareno.” 3 A maioria das pessoas ficaria aterrorizada diante de uma ˜ turba armada como essa. Talvez seja isso o que a multidao ˜ ˜ espera de Jesus. Mas ele nao recua, nao foge nem inventa alguma mentira para escapar. Ele simplesmente diz: “Sou ˜ ˜ eu.” Jesus faz isso de modo tao calmo, tao corajoso, que os homens ficam perplexos. Eles recuam cambaleantes e caem ˜ ˜ no chao! — Joao 18:1-6; Mateus 26:45-50; Marcos 14:41-46. ˜ 4 Como Jesus conseguiu enfrentar aquela situacao ¸ perigosa 1-3. Que perigo ameaca ¸ Jesus, e como ele reage? ´ ˆ ˆ 4-6. (a) O Filho de Deus e comparado a que, e por que? (b) De que ˆ tres modos Jesus demonstrou coragem?


36

‘VENHA SER MEU SEGUIDOR’

com tanto autocontrole e serenidade? A resposta se resu˜ ˜ me numa palavra: coragem. Poucas qualidades sao tao ad˜ ´ ´ miradas ou tao necessarias num lıder quanto a coragem; e nenhum homem jamais se igualou a Jesus, muito menos ´ o superou nesse sentido. No capıtulo anterior aprendemos como Jesus foi humilde e manso. Por isso, ele podia apro˜ priadamente ser chamado de “Cordeiro”. (Joao 1:29) A co˜ ragem de Jesus, no entanto, merece uma descric¸ ao bem di´ ˜ ferente. A Bıblia diz a respeito do Filho de Deus: ‘Eis o Leao ´ ´ ˜ que e da tribo de Juda.’ — Revelac¸ ao (Apocalipse) 5:5. ˜ ´ ´ 5 O leao e muitas vezes relacionado com coragem. Ja este˜ ´ ´ ´ ve frente a frente com um leao? Se ja, e bem provavel que estivesse separado dele pelas grades de uma jaula num zoo´ logico. Mesmo assim, isso causa um certo medo. Ao encarar ˆ bem nos olhos esse animal enorme e forte, e ve-lo olhando ˆ ´ ´ ´ para voce, e difıcil imagina-lo fugindo de medo de alguma ´ ˜ ´ coisa. A Bıblia fala sobre “o leao, que e o mais poderoso en˜ ´ ´ tre os animais e que nao recua diante de ninguem”. (Prover´ bios 30:30) A coragem de Cristo e assim. ˆ 6 Vamos analisar tres modos como Jesus demonstrou cora` ˜ gem semelhante a do leao: por defender a verdade, apoiar a ˜ ´ justica ¸ e enfrentar oposic¸ ao. Vamos ver tambem que todos ´ nos podemos imitar a Jesus em demonstrar coragem — quer ˜ sejamos corajosos por natureza, quer nao.

Ele defendeu corajosamente a verdade

´ Num mundo governado por Satanas, “o pai da mentira”, ´ ´ muitas vezes e necessario coragem para defender a verdade. ˜ ˜ (Joao 8:44; 14:30) Jesus nao esperou ficar adulto para fazer isso. Quando tinha 12 anos, ele se separou de seus pais na 7

ˆ 7-9. (a) O que aconteceu quando Jesus tinha 12 anos, e por que voce ˜ acharia aquela situac¸ ao intimidadora? (b) Como Jesus demonstrou coragem ao lidar com os instrutores no templo?


˜ ´ ´ ‘EIS O LEAO QUE E DA TRIBO DE JUDA!’

37

´ ´ ´ Pascoa em Jerusalem. Maria e Jose o procuraram desesperaˆ damente por tres dias. Por fim o encontraram no templo. O que ele fazia ali? Estava ‘sentado no meio dos instrutores, escutando-os e interrogando-os’. (Lucas 2:41-50) Pense na´ quele cenario. ´ 8 Historiadores dizem que alguns dos mais destacados lıderes religiosos costumavam permanecer no templo depois ´ das festividades e ensinar em um dos espacosos porticos ¸ ` que havia ali. As pessoas sentavam-se a sua volta para escu´ ta-los e fazer perguntas. Aqueles instrutores eram homens cultos. Conheciam profundamente a Lei mosaica e as com´ ˜ plexas e interminaveis leis e tradic¸ oes humanas que surgiˆ ram ao longo dos anos. Como voce se sentiria se estivesse ˆ ali entre eles? Intimidado? Isso seria de esperar. E se voce ti˜ ´ vesse apenas 12 anos? Muitos jovens sao tımidos. (Jeremias ˜ ˜ 1:6) Alguns tentam de todo jeito nao atrair a atenc¸ ao dos ´ ˆ professores; tambem tem medo de ser chamados para res˜ ponder a uma pergunta, de tornar-se o centro das atenc¸ oes, de atrapalhar-se e de sofrer zombarias. ´ 9 Mas Jesus estava entre aqueles homens instruıdos, corajosamente lhes fazendo perguntas profundas. E ele fez mais do que isso. O relato nos conta: “Todos os que o escutavam ficavam constantemente pasmados com o seu enten´ ˜ dimento e suas respostas.” (Lucas 2:47) A Bıblia nao relata o ˜ que Jesus disse naquela ocasiao, mas podemos ter certeza de ˜ ´ ˜ que suas respostas nao incluıram as falsidades tao defendidas por aqueles instrutores religiosos. (1 Pedro 2:22) Ele defendeu a verdade da Palavra de Deus, e as pessoas que o ouviram com certeza ficaram surpresas de ver um menino de 12 anos expressar-se com tanto conhecimento e coragem. ˜ 10 Atualmente, muitos jovens cristaos seguem os passos de ´ ˜ ˜ Jesus. E verdade que eles nao sao perfeitos como Jesus ˜ 10. Como os jovens cristaos atualmente imitam a coragem de Jesus?


38

‘VENHA SER MEU SEGUIDOR’

˜ era. Mas, assim como ele, esses jovens nao esperam ficar adultos para defender a verdade. Na escola e na vizinhanca, ¸ ` respeitosamente fazem perguntas as pessoas, escutam as respostas e lhes transmitem a verdade. (1 Pedro 3:15) Esses jovens ajudam colegas de classe, professores e vizinhos a tornar-se seguidores de Cristo. A coragem deles agrada muito ´ ´ a Jeova. A Bıblia compara jovens assim a gotas de orvalho ´ — refrescantes, agradaveis e abundantes. — Salmo 110:3. ´ 11 Quando adulto, vez apos vez Jesus demonstrou cora´ ´ ´ gem em defender a verdade. Ja no inıcio de seu ministerio, houve um confronto que muitos achariam aterrorizan˜ te. Como simples humano, e nao como poderoso arcanjo, ´ Jesus teve de enfrentar Satanas, o mais forte e perigoso ini´ ˜ ` ˜ ´ migo de Jeova. Jesus nao cedeu a tentac¸ ao de Satanas e refu˜ tou a aplicac¸ ao errada que ele fez das Escrituras inspiradas. ˆ Ele pos fim ao confronto ordenando corajosamente: “Vai´ te, Satanas!” — Mateus 4:2-11. ´ 12 Jesus estabeleceu assim o modelo para o seu ministerio, defendendo corajosamente a Palavra de seu Pai contra tenˆ ´ tativas de distorce-la ou aplica-la de modo errado. Naquele tempo, como hoje, esse tipo de desonestidade religiosa ´ era muito comum. Jesus disse aos lıderes religiosos de seus ˜ dias: “Invalidastes a palavra de Deus pela vossa tradic¸ ao que transmitistes.” (Marcos 7:13) Aqueles homens eram muito respeitados pelas pessoas em geral, mas Jesus corajosamen´ te os denunciou como guias cegos e hipocritas.1 (Mateus 23:13, 16) Nesse sentido, como podemos imitar a coragem de Jesus? ´ 1 Historiadores mencionam que os tumulos dos rabinos eram ve´ nerados quase da mesma forma que os tumulos dos profetas e dos patriarcas. 11, 12. Como Jesus demonstrou coragem em defender a verdade quando adulto?


39 13 Com certeza sabemos ˜ que nao temos capacidade ˜ de ler corac¸ oes nem autoridade para julgar assim como Jesus. Mas podemos imitar o modo corajoso como ele defendeu a verdade. Por exemplo, quando expomos as falsidades religiosas — mentiras muitas vezes ensinadas sobre ´ Deus, seus propositos e sua Palavra — lancamos luz so¸ ´ bre este mundo, que esta em ˜ escuridao por causa da pro´ ˜ paganda de Satanas. (Mateus Muitos jovens cristaos ˜ 5:14; Revelac¸ ao 12:9, 10) Ajufalam corajosamente de suas crencas ¸ damos a libertar as pessoas ˜ a outros da escravidao a ensinamentos falsos que as enchem de pavor e prejudicam seu relacionamento com Deus. Que pri´ ´ vilegio e ver o cumprimento da promessa de Jesus: “A verda´ ˜ de vos libertara”! — Joao 8:32.

Ele apoiou corajosamente a justica ¸

´ ` A profecia bıblica predisse que o Messias esclareceria as ˜ ´ ´ nac¸ oes “o que e justica”. (Mateus 12:18; Isaıas 42:1) Com ¸ certeza Jesus comecou a fazer isso quando esteve aqui na ¸ Terra. Com muita coragem, ele sempre foi justo e imparcial ˜ com as pessoas. Por exemplo, ele nao adotou os preconcei˜ tos e o fanatismo que eram tao comuns ao seu redor. 14

13. De que devemos nos lembrar ao imitar a Jesus, e, ainda assim, ´ que privilegio temos? ´ 14, 15. (a) Como Jesus esclareceu “o que e justica”? (b) Quando ¸ conversou com uma samaritana, que preconceitos Jesus ignorou?


40

‘VENHA SER MEU SEGUIDOR’

15 Quando Jesus conversou com uma mulher samaritana ´ junto a um poco ¸ em Sicar, seus discıpulos ficaram surpreˆ ´ sos. Por que? Naquela epoca os judeus em geral odiavam os ´ samaritanos; essa animosidade ja existia havia muito tem´ po. (Esdras 4:4) Alem disso, alguns rabinos encaravam as ´ mulheres de modo depreciativo. As leis rabınicas, que mais tarde foram postas por escrito, desincentivavam os homens ´ ˜ de conversar com mulheres; ate davam a entender que nao se lhes devia ensinar a Lei de Deus. Em especial as mulheres samaritanas eram encaradas como impuras. Jesus igno` rou esses preconceitos injustos e ensinou abertamente a sa´ maritana (que tinha uma vida imoral). Ele ate revelou a ela ˜ sua identidade como o Messias. — Joao 4:5-27. ´ 16 Ja esteve entre pessoas que nutrem fortes preconceitos? Alguns fazem piadas preconceituosas sobre pessoas de outra raca ¸ ou nacionalidade. Outros falam de modo depreciativo ˜ sobre os do sexo oposto ou talvez desprezem os de posic¸ ao ˆ ˜ social ou economica diferente. Os seguidores de Cristo nao ´ concordam com esses conceitos ofensivos e fazem o maxi˜ mo para eliminar do corac¸ ao qualquer traco ¸ de preconceito. (Atos 10:34) Precisamos cultivar coragem para ser imparciais nesse sentido. ´ 17 A coragem tambem motivou Jesus a defender a pureza ˜ ´ do povo de Deus e a adorac¸ ao verdadeira. No inıcio de seu ´ ´ ministerio, ele foi ao templo em Jerusalem e ficou choca´ do quando viu comerciantes e cambistas fazendo negocios ˜ ali. Indignado, e com razao, expulsou do templo aqueles ˜ homens gananciosos com suas mercadorias. (Joao 2:13-17) ´ Perto do fim de seu ministerio, ele fez novamente a mesma coisa. (Marcos 11:15-18) Jesus com certeza ganhou ini˜ ˆ migos poderosos ao fazer isso, mas nao teve medo. Por que?

˜ 16. Por que os cristaos precisam de coragem para ser diferentes no que se refere a ter preconceito? ˆ 17. Que atitude Jesus tomou no templo, e por que?


˜ ´ ´ ‘EIS O LEAO QUE E DA TRIBO DE JUDA!’

41

Desde crianca, ¸ ele falava daquele templo como a casa de seu ˜ ´ Pai — e ele levava isso a serio. (Lucas 2:49) Poluir a adorac¸ ao pura realizada ali era uma injustica ¸ que ele jamais poderia tolerar. Seu zelo deu-lhe a coragem para fazer o que era ne´ cessario. ´ 18 Os atuais seguidores de Cristo tambem zelam pela pu˜ reza do povo de Deus e pela adorac¸ ao pura. Se souberem ˜ ´ ´ que um companheiro cristao esta envolvido em seria trans˜ ˜ gressao, nao fazem vista grossa. Corajosamente falam com ˜ a pessoa ou se certificam de que os anciaos da congrega˜ ´ ˜ c¸ ao sejam informados. (1 Corıntios 1:11) Os anciaos podem ˜ ajudar os que estao espiritualmente doentes e agir para pre´ servar a pureza existente entre as ovelhas de Jeova. — Tiago 5:14, 15. 19 Mas sera´ que Jesus lutou contra a injustica social do ¸ mundo? Certamente havia injustica ¸ em toda a parte. Sua ˆ terra natal estava ocupada por uma potencia estrangeira. Os romanos oprimiam os judeus com a presenca ¸ de um pode´ ´ roso exercito, cobravam pesados impostos e ate interferiam ˜ ´ em seus costumes religiosos. Nao e de admirar que muitas ´ pessoas quisessem que Jesus participasse na polıtica daque´ ˜ la epoca. (Joao 6:14, 15) Mais uma vez, Jesus precisou de coragem. ˜ 20 Jesus explicou que seu Reino nao fazia parte do mundo. Por meio de seu exemplo, ele ensinou seus seguidores a ˜ ´ nao se envolverem nas lutas polıticas daqueles dias. Em vez ˜ disso, eles deviam concentrar-se na pregac¸ ao das boas novas ˜ do Reino de Deus. (Joao 17:16; 18:36) Jesus deu uma grande ˜ 18. Como os cristaos hoje podem demonstrar coragem no que se re` ˜ fere a pureza da congregac¸ ao? 19, 20. (a) Que injusticas ¸ eram comuns nos dias de Jesus, e que ˜ pressao ele enfrentou? (b) Por que os seguidores de Cristo se recusam ´ ˆ ´ a envolver-se em polıtica e violencia, e qual e uma das recompensas ˜ por sua posic¸ ao neutra?


˜ ´ ´ ‘EIS O LEAO QUE E DA TRIBO DE JUDA!’

43

˜ ˆ lic¸ ao de neutralidade quando a turba chegou para prende´ ´ lo. O apostolo Pedro, rapida e impulsivamente, puxou a es˜ ´ ´ pada e feriu um homem. Nao e difıcil entender a atitude ˆ de Pedro. Naquela noite, poderia parecer que a violencia ´ era justificavel, afinal o Filho inocente de Deus estava sen˜ do atacado. Mas na ocasiao Jesus estabeleceu um modelo ´ ´ ´ que e valido ate hoje para seus seguidores na Terra: “Devolve a espada ao seu lugar, pois todos os que tomarem a espa˜ da perecerao pela espada.” (Mateus 26:51-54) Para os segui´ dores de Cristo certamente era necessario ter coragem para ´ ´ agir de modo pacıfico naquela epoca, assim como acontece ˜ hoje. Em resultado de sua neutralidade crista, o povo atual de Deus nunca se envolve em guerras, holocaustos, revoltas ˆ ´ ´ e atos similares de violencia. Esse brilhante historico e uma recompensa por sua coragem.

˜ Ele corajosamente enfrentou oposic¸ ao

´ ˆ O Filho de Jeova sabia com muita antecedencia que en˜ ´ frentaria forte oposic¸ ao aqui na Terra. (Isaıas 50:4-7) Ele enfrentou muitas ameacas ¸ de morte, culminando na que foi ´ ´ mencionada no inıcio deste capıtulo. Como Jesus mante˜ ve a coragem diante dessas situac¸ oes perigosas? Bem, o que ˆ ele estava fazendo antes de a turba chegar para prende-lo? ´ ´ Estava orando fervorosamente a Jeova. E o que Jeova fez? ´ A Bıblia nos diz que Jesus “foi ouvido favoravelmente”. (He´ ´ breus 5:7) Jeova enviou do ceu um anjo para fortalecer seu corajoso Filho. — Lucas 22:42, 43. ´ ´ 22 Logo apos ser fortalecido, Jesus disse aos apostolos: “Levantai-vos, vamos.” (Mateus 26:46) Pense na coragem por ´ tras dessas palavras. Ele disse “vamos” mesmo sabendo que ` teria de pedir a turba para poupar seus amigos, que esses 21

21, 22. (a) Que ajuda Jesus recebeu antes de enfrentar sua pior pro´ va? (b) Como Jesus foi corajoso ate o fim?

“Sou eu”


44

‘VENHA SER MEU SEGUIDOR’

companheiros o abandonariam e que ele ia enfrentar sozinho a pior prova da sua vida. Sozinho, ele enfrentou um ´ julgamento injusto e ilegal, alem de zombaria, tortura e uma morte agonizante. Jesus nunca perdeu a coragem diante de tudo isso. ˜ ˆ ˜ 23 Jesus estava sendo imprudente? Nao; imprudencia nao ´ tem nada a ver com a verdadeira coragem. Tanto e que Jesus havia ensinado seus seguidores a ser cautelosos, ou seja, prudentes em evitar perigos a fim de poderem continuar fazendo a vontade de Deus. (Mateus 4:12; 10:16) Naquela si˜ 23. Explique por que Jesus nao foi imprudente no modo como enfrentou o perigo e a ameaca de morte. ¸

´ ˜ As Testemunhas de Jeova sao corajosas ao ˜ enfrentar perseguic¸ ao


˜ ´ ´ ‘EIS O LEAO QUE E DA TRIBO DE JUDA!’

45

Como Ser Seguidor de Jesus? ˆ ˘ Como o exemplo de Jesus pode ajudar voce a falar com co˜ ragem, mesmo que as pessoas nao gostem das verdades que ˜ lhes transmite? — Joao 8:31-59. ´ ˘ Por que nunca devemos permitir que o medo morbido de ´ ˆ Satanas ou dos demonios nos impeca ¸ de ajudar outros? — Mateus 8:28-34; Marcos 1:23-28. ˜ ˘ Por que devemos estar dispostos a enfrentar perseguic¸ ao a ˜ ˜ fim de mostrar compaixao pelos oprimidos? — Joao 9:1, 6, 7, 22-41. ˘ Como a esperanca ¸ de Jesus para o futuro o ajudou a enfren˜ ˆ tar provac¸ oes, e como a esperanca ¸ que voce tem pode lhe dar ˜ coragem? — Joao 16:28; 17:5; Hebreus 12:2.

˜ ´ ´ tuac¸ ao, porem, Jesus sabia que era impossıvel recuar. Ele sabia o que a vontade de Deus exigia. Jesus estava decidido a ´ manter a integridade; assim, a unica coisa a fazer era enca˜ rar a provac¸ ao. 24 Por muitas vezes os seguidores de Jesus foram corajosos ao seguir as pisadas de seu Mestre. Muitos permaneceram ˜ ˜ firmes diante de zombaria, perseguic¸ ao, detenc¸ ao, encarce´ ramento, tortura e ate mesmo diante da morte. De onde hu˜ ´ manos imperfeitos tiram essa coragem? Nao e algo que sim´ plesmente vem do ıntimo. Jesus recebeu ajuda de cima; o mesmo acontece com seus seguidores. (Filipenses 4:13) Portanto, nunca tenha medo do que pode acontecer no futuro! ´ ´ Esteja decidido a manter a integridade e Jeova lhe dara a coragem que precisar. Continue a derivar forcas ¸ do exemplo ´ de nosso Lıder, Jesus, que disse: “Coragem! eu venci o mun˜ do.” — Joao 16:33. 24. Por que podemos ter certeza de que seremos corajosos diante de ˜ qualquer provac¸ ao?


´ C A P I T U L O

5

“Todos os tesouros da sabedoria” ´ ´ E PRIMAVERA de 31 EC. Jesus Cristo esta perto de Cafarnaum, uma cidade movimentada que fica na margem noroeste do mar da Galileia. Ele orou sozinho a noite intei˜ ra num monte nao muito longe dali. Quando amanhece, ´ ´ ´ ele reune seus discıpulos, escolhe 12 dentre eles e lhes da o ´ ´ nome de apostolos. Enquanto isso, um grande numero de ´ pessoas que o seguiram ate aquele local, incluindo algumas ˆ ˜ que vem de longe, estao reunidas num lugar plano na mon˜ tanha. Elas estao ansiosas para ouvi-lo e ser curadas de suas ˜ doencas. ¸ Jesus nao as desaponta. — Lucas 6:12-19. ˜ 2 Jesus aproxima-se da multidao e cura todos os doentes. Quando finalmente as pessoas ali ficam livres de seus gra´ ves problemas de saude, ele se senta e comeca ¸ a ensinar.1 ˜ ´ Suas palavras naquela fresca manha de primavera sem duvi´ da surpreendem os ouvintes. Eles nunca ouviram ninguem ˜ ` ˜ ensinar como Jesus. Ele nao recorre as tradic¸ oes orais nem ` as palavras de algum famoso rabino para dar peso aos seus ensinamentos. Em vez disso, cita repetidas vezes as inspira´ das Escrituras Hebraicas. Sua mensagem e direta, suas palavras simples, e seu objetivo claro. Quando ele conclui, a 1 O discurso que Jesus fez naquele dia ficou conhecido como Ser˜ ´ ´ mao do Monte. Esta registrado em Mateus 5:3–7:27, contem 107 ver´ sıculos e, provavelmente, levaria apenas cerca de 20 minutos para ser proferido. ˆ ˜ 1-3. Descreva as circunstancias envolvidas na ocasiao em que Jesus ˜ proferiu o Sermao do Monte, e por que seus ouvintes ficaram maravilhados? 46

˜ ‘As multidoes ficavam assombradas com o seu modo de ensinar’


48

‘VENHA SER MEU SEGUIDOR’

˜ ´ ˜ ´ multidao esta maravilhada! E nao e para menos. Eles acaba´ ´ ram de ouvir o homem mais sabio que ja viveu! — Mateus 7:28, 29. 3 Assim como muitas outras coisas que Jesus disse e fez, ´ ˜ ´ esse sermao esta registrado na Palavra de Deus. E bom examinar a fundo o que esse registro inspirado diz sobre Jesus, ˜ pois Nele estao “todos os tesouros da sabedoria”. (Colossenses 2:3) Onde Jesus obteve essa sabedoria — a capacidade de ´ usar o conhecimento e o entendimento de maneira pratica? Como ele demonstrou sabedoria e de que modo podemos seguir seu exemplo?

“Onde obteve este homem tal sabedoria?”

˜ ´ Numa de suas viagens de pregac¸ ao Jesus visitou Nazare, a cidade onde tinha sido criado. Ele comecou ¸ a ensinar na sinagoga que havia ali. Muitos que o ouviram ficaram maravilhados e se perguntaram: “Onde obteve este homem tal ˜ sabedoria?” Eles conheciam os pais e os irmaos de Jesus e sa´ biam que ele tinha vindo de uma famılia humilde. (Mateus ´ 13:54-56; Marcos 6:1-3) Com certeza, eles tambem sabiam ˜ ˜ que aquele carpinteiro que falava tao bem nao tinha fre´ ˜ quentado nenhuma das respeitadas escolas rabınicas. (Joao ´ 7:15) Assim, aquela pergunta parecia logica. ˜ 5 A sabedoria de Jesus nao era resultado apenas de sua ´ mente perfeita. Mais tarde em seu ministerio, ao ensinar abertamente no templo, ele revelou que sua sabedoria vinha de uma fonte muito mais elevada. “O que eu ensino ˜ ´ ` nao e meu”, disse ele, “mas pertence aquele que me en˜ viou”. (Joao 7:16) De fato, o Pai, aquele que tinha enviado ˜ o Filho, era a verdadeira fonte da sabedoria de Jesus. ( Joao ´ 12:49) Mas como Jesus obteve sabedoria de Jeova? 4

´ ˆ 4. Que pergunta fizeram os que ouviram Jesus em Nazare, e por que? 5. Jesus revelou que sua sabedoria vinha de que fonte?


“TODOS OS TESOUROS DA SABEDORIA”

49

´ ´ ˜ O espırito santo de Jeova atuava no corac¸ ao e na mente ´ de Jesus. A respeito de ele ser o prometido Messias, Isaıas pre´ ´ ´ ´ disse: “Sobre ele tera de pousar o espırito de Jeova, o espırito ˜ ´ de sabedoria e de compreensao, o espırito de conselho e de ˆ ´ ´ potencia, o espırito de conhecimento e do temor de Jeova.” ´ ´ ´ (Isaıas 11:2) Visto que o espırito de Jeova orientava os pensa˜ ´ mentos e as decisoes de Jesus, e de surpreender que suas palavras refletissem tanta sabedoria? 7 Jesus obteve sabedoria de seu pai de ainda outro modo. ´ ˆ ´ Conforme vimos no Capıtulo 2, durante sua existencia pre´ humana, que durou incontaveis eras, Jesus teve a oportunidade de assimilar o ponto de vista de seu Pai sobre os as˜ ´ suntos. Nao da nem para imaginar quanta sabedoria o Filho obteve do Pai, trabalhando ao seu lado ´ como “mes˜ tre de obras” na criac¸ ao de todas as coisas. E com bons moˆ ´ ´ tivos que o Filho em sua existencia pre-humana e descrito ´ como a sabedoria personificada. (Proverbios 8:22-31; Colos´ senses 1:15, 16) Durante todo o seu ministerio, Jesus uti´ lizou a sabedoria que tinha aprendido de seu Pai no ceu.1 ˜ ˜ (Joao 8:26, 28, 38) Portanto, nao devemos ficar surpresos ao notar o enorme conhecimento e o profundo entendimento demonstrados nas palavras de Jesus, ou ao perceber o bomsenso evidente em tudo o que ele fez. ´ ´ 8 Como seguidores de Jesus, nos tambem precisamos re´ ´ correr a Jeova como a fonte de sabedoria. (Proverbios 2:6) ´ ´ ˜ ´ E claro que Jeova nao nos da sabedoria de modo milagro` ˜ so. Mas ele atende as nossas orac¸ oes sinceras quando pedimos sabedoria para sermos bem-sucedidos em lidar com 6

´ ˜ 1 Tudo indica que, quando “os ceus se abriram” por ocasiao do baˆ ´ tismo de Jesus, as lembrancas ¸ de sua existencia pre-humana lhe foram restauradas. — Mateus 3:13-17. 6, 7. De que modo Jesus obteve sabedoria de seu Pai? 8. Como seguidores de Jesus, de que modo podemos obter sabedoria?


50

‘VENHA SER MEU SEGUIDOR’

os desafios da vida. (Tiago 1:5) Obter essa sabedoria exige muito esforco ¸ da nossa parte. Precisamos continuar buscan´ do essa qualidade “como a tesouros escondidos”. (Prover´ ´ bios 2:1-6) E necessario continuarmos pesquisando a fundo ´ a Palavra de Deus, onde sua sabedoria e revelada, e harmonizar nossa vida com o que aprendemos. O exemplo de Je´ sus e de muita ajuda para obtermos sabedoria. Vamos anali´ sar algumas areas em que ele demonstrou sabedoria e como ´ podemos imita-lo.

Palavras de sabedoria

˜ ´ Multidoes afluıam a Jesus apenas para ouvi-lo. (Marcos ˜ ´ 6:31-34; Lucas 5:1-3) Isso nao e de admirar, afinal, suas pala´ vras refletiam sabedoria extraordinaria. O que ele ensinou evidenciava conhecimento profundo da Palavra de Deus e ´ ˆ uma habilidade inigualavel de tocar no amago das ques˜ ˜ toes. Seus ensinamentos atraem todo tipo de pessoas, nao ˜ ´ ´ importa onde vivam, e sao praticos em qualquer epoca. Vamos ver alguns exemplos da sabe´ doria por tras das palavras de Jesus, o predito “Maravilhoso Conselhei´ ro”. — Isaıas 9:6. ˜ 10 O Sermao do Monte, citado no 9

9. O que fez com que os ensinamentos de Jesus refletissem sabedoria? 10. Que qualidades Jesus nos incentiva ˆ a cultivar, e por que?

A sabedoria de ´ Deus e revelada ´ na Bıblia


“TODOS OS TESOUROS DA SABEDORIA”

51

´ ´ ´ ˜ inıcio deste capıtulo, e a maior colec¸ ao de ensinamen˜ ´ ˜ tos de Jesus em que nao ha interrupc¸ oes na narrativa. Nes˜ ˜ se sermao, Jesus nao nos aconselha apenas a falar ou agir ˜ ´ de modo correto. Seus conselhos vao muito alem disso. Sa˜ ˜ bendo que palavras e ac¸ oes sao produto de pensamentos e ˜ emoc¸ oes, Jesus nos incentiva a cultivar qualidades positivas ˜ ˜ na mente e no corac¸ ao. Algumas dessas qualidades sao: temperamento brando, anseio pela justica, ¸ amor pelos outros, e ˜ disposi c ao para perdoar e ser pacificador. (Mateus 5:5-9, 43¸ ` ˜ 48) A medida que cultivarmos essas qualidades no corac¸ ao, falaremos e agiremos da maneira correta, e isso por sua vez ´ ´ ´ agradara a Jeova e promovera bons relacionamentos. — Mateus 5:16. 11 Ao dar conselhos contra a conduta errada, Jesus vai a` raiz ˜ do problema. Ele nao diz apenas que devemos evitar ser vio˜ ˜ lentos. Ele nos avisa para nao nutrirmos ira no corac¸ ao. (Ma˜ ˜ ´ ´ teus 5:21, 22; 1 Joao 3:15) Ele nao apenas proıbe o adulterio, ˜ mas alerta contra o forte desejo que comeca ¸ no corac¸ ao e ` ˜ ˜ leva a traic¸ ao. Ele nos incentiva a nao permitir que os olhos ´ despertem desejos improprios, que podem resultar em con˜ duta imoral. (Mateus 5:27-30) Jesus chama atenc¸ ao para as ˜ causas, nao para os sintomas. Fala sobre as atitudes e os de` sejos que levam a conduta errada. — Salmo 7:14. ˜ 12 As palavras de Jesus refletem muita sabedoria. Nao era ˜ para menos que ‘as multidoes ficassem assombradas com o seu modo de ensinar’. (Mateus 7:28) Como seguidores ´ de Jesus, encaramos seus conselhos sabios como guia para a nossa vida. Procuramos cultivar as qualidades que ele re´ ´ comendou, como a misericordia e o amor, alem de sermos ´ ´ pacıficos, pois isso servira de base para a conduta que agra´ ´ ˜ da a Jeova. Tambem nos esforcamos para tirar do corac¸ ao os ¸ 11. Ao dar conselhos contra a conduta errada, de que modo Jesus vai ` a raiz do problema? ˆ 12. Como os seguidores de Jesus encaram seus conselhos, e por que?


52

‘VENHA SER MEU SEGUIDOR’

sentimentos negativos e os desejos contra os quais ele alertou, como ira amarga e desejos imorais, pois sabemos que ´ isso nos ajudara a evitar a conduta errada. — Tiago 1:14, 15.

Modo de vida guiado pela sabedoria

˜ Jesus demonstrou sabedoria nao apenas em palavras, ´ ˜ mas tambem em ac¸ oes. Todo o seu modo de vida — suas ˜ decisoes, o conceito que tinha de si mesmo e seu relacionamento com outros — evidenciou muitos belos aspectos da sabedoria. Considere alguns exemplos que mostram ´ ´ como Jesus era guiado pela “sabedoria pratica e o raciocı´ nio”. — Proverbios 3:21. ´ 14 A sabedoria envolve ter bom criterio. Jesus teve bom-senso ao decidir como levaria a vida. Consegue imaginar a vida que ele poderia ter tido? A casa que ele poderia ter cons´ ´ truıdo, os negocios que poderia ter empreendido ou o sucesso que poderia ter alcancado? Jesus sabia que dedicar ¸ a vida a essas coisas era “vaidade e um esforco ¸ para alcancar ¸ o vento”. (Eclesiastes 4:4; 5:10) Tal atitude seria tolice, o oposto da sabedoria. Mas Jesus decidiu ter uma vida sim˜ ples. Ele nao tinha interesse em ganhar dinheiro ou juntar bens materiais. (Mateus 8:20) Em harmonia com o que en´ sinava, ele manteve o olho focalizado num unico objetivo — fazer a vontade de Deus. (Mateus 6:22) Jesus sabiamente empregou seu tempo e suas energias nas atividades que pro˜ moviam o Reino, que sao muito mais importantes e gratificantes do que coisas materiais. (Mateus 6:19-21) Assim, ele deixou um exemplo que merece ser imitado. 15 Os seguidores de Jesus hoje em dia percebem a sabedo´ ria de concentrar-se num unico objetivo. Por isso, evitam ´ ´ sobrecarregar-se com dıvidas desnecessarias e com ativida13

13, 14. O que mostra que Jesus teve bom-senso ao decidir como levaria a vida? ˜ 15. Como os seguidores de Jesus podem mostrar que estao se con´ ´ centrando num unico objetivo, e por que esse e um proceder sensato?


“TODOS OS TESOUROS DA SABEDORIA”

53

˜ des deste mundo que demandam muita atenc¸ ao e energia. ´ (1 Timoteo 6:9, 10) Muitos fazem ajustes para simplificar a ´ ˜ vida e poder dedicar mais tempo ao ministerio cristao, tal´ vez ate servindo como proclamadores do Reino por tem˜ ´ po integral. Nao ha proceder mais sensato do que esse, pois manter as atividades relacionadas ao Reino no devido lugar ˜ ´ resulta na maior felicidade e satisfac¸ ao que alguem pode ter. — Mateus 6:33. ´ ´ 16 A Bıblia associa sabedoria com modestia, que inclui re˜ ´ conhecermos nossas limitac¸ oes. (Proverbios 11:2) Jesus foi modesto e realista no que esperava de si mesmo. Sabia que ˜ nao ia converter todos os que o ouviam. (Mateus 10:32-39) ´ Ele tambem reconhecia que conseguiria pregar apenas a um ´ ´ numero limitado de pessoas. Assim, de modo sabio confiou ´ a seus seguidores a obra de fazer discıpulos. (Mateus 28:1820) Ele modestamente reconheceu que seus seguidores ‘fariam obras maiores do que’ as suas, pois alcancariam mais ¸ ´ ´ ˜ pessoas numa area maior e num perıodo mais longo. (Joao ´ 14:12) Jesus tambem reconheceu que precisava de ajuda. Ele aceitou o apoio dos anjos que vieram ministrar-lhe no ermo ˆ ˆ e do anjo que veio fortalece-lo em Getsemani. No momento em que mais precisava, o Filho de Deus suplicou ajuda. — Mateus 4:11; Lucas 22:43; Hebreus 5:7. ´ ´ 17 Nos tambem precisamos ser modestos e realistas no que ´ esperamos de nos mesmos. Com certeza desejamos trabalhar de toda a alma e nos empenhar vigorosamente na obra ´ de pregar e de fazer discıpulos. (Lucas 13:24; Colossenses ´ ˜ 3:23) Ao mesmo tempo, precisamos lembrar que Jeova nao ´ ´ ˜ nos compara com outros, e nos tambem nao devemos fa´ ´ ´ zer isso. (Galatas 6:4) A sabedoria pratica nos ajudara a estabelecer alvos realistas de acordo com nossas habilidades e ˆ ´ ´ circunstancias. Alem disso, a sabedoria fara com que os que 16, 17. (a) De que modo Jesus mostrou que era modesto e realista no que esperava de si mesmo? (b) Como podemos mostrar que somos ´ modestos e realistas no que esperamos de nos mesmos?


54

‘VENHA SER MEU SEGUIDOR’

˜ ˜ ˆ estao em posic¸ oes de responsabilidade reconhecam que tem ¸ ˜ limitac¸ oes e que precisam de ajuda e apoio de vez em quan˜ ˜ do. Por serem modestos, esses irmaos serao gratos pela aju´ da, reconhecendo que Jeova pode usar um companheiro ˜ ´ cristao como “um auxılio fortificante” para eles. — Colossenses 4:11. ´ 18 “A sabedoria de cima e´ . . . razoavel”, diz Tiago 3:17. Jesus ´ ´ foi razoavel e positivo ao lidar com seus discıpulos. Ele esta˜ va bem ciente das imperfeic¸ oes deles, mas concentrava-se ˜ nas suas boas qualidades. (Joao 1:47) Mesmo sabendo que ´ seus discıpulos o abandonariam na noite em que seria pre˜ so, Jesus nao duvidou da lealdade deles. (Mateus 26:31-35; ´ ˆ Lucas 22:28-30) Pedro chegou ate mesmo a negar tres vezes ´ que conhecia Jesus. Ainda assim, Jesus fez suplicas por Pedro e expressou confianca ¸ em sua fidelidade. (Lucas 22:31´ 34) Quando orou ao Pai na ultima noite de sua vida na Ter˜ ´ ra, Jesus nao se concentrou nos erros que seus discıpulos haviam cometido. Falou de modo positivo sobre o proceder ´ ˆ deles ate aquela noite, dizendo: “Eles tem observado a tua ˜ ˜ palavra.” ( Joao 17:6) Apesar da imperfeic¸ ao deles, Jesus con´ fiou-lhes a obra de pregar o Reino e de fazer discıpulos. (Ma´ teus 28:19, 20) A confianca ¸ e a fe que demonstrou em seus ´ ´ discıpulos sem duvida os fortaleceu para realizarem a obra que ele lhes ordenou que fizessem. ˆ 19 Os seguidores de Jesus tem motivos para imitar seu exemplo nesse aspecto. Se o Filho perfeito de Deus foi pa´ ciente ao lidar com seus discıpulos imperfeitos, quanto mais ´ ´ nos, humanos imperfeitos, devemos ser razoaveis no nosso relacionamento com outros! (Filipenses 4:5) Em vez de nos ˜ ˜ ´ preocupar com as imperfeic¸ oes de nossos´ irmaos, e melhor nos concentrar em suas boas qualidades. E bom lembrar que ´ 18, 19. (a) O que mostra que Jesus foi razoavel e positivo ao lidar com ´ seus discıpulos? (b) Por que temos bons motivos para ser positivos e ´ razoaveis ao lidar com outros, e como podemos fazer isso?


“TODOS OS TESOUROS DA SABEDORIA”

55

Como Ser Seguidor de Jesus? ˜ ´ ˘ Se acha que ofendeu um irmao, o que e sensato fazer? — Mateus 5:23, 24. ˘ Quando for insultado ou provocado, como as palavras de ´ Jesus podem ajuda-lo a agir sabiamente? — Mateus 5:38-42. ´ ˘ Como meditar nas palavras de Jesus pode ajuda-lo a ter um conceito equilibrado sobre dinheiro e bens? — Mateus 6:24-34. ˘ Ao estabelecer prioridades na vida, como seguir o exemplo ´ ˜ ´ de Jesus pode ajuda-lo a tomar uma decisao sabia? — Lucas ˜ 4:43; Joao 4:34.

´ ˜ foi Jeova quem os atraiu. (Joao 6:44) Portanto, ele com cer´ teza deve ter visto algo de bom neles, e nos devemos fazer ´ ´ o mesmo. Esse espırito nos ajudara a “desconsiderar as fa´ lhas” de outros e a ficar atentos a oportunidades para elogia´ los por suas qualidades. (Proverbios 19:11, The New English ˜ Bible) Quando demonstramos confianca ¸ em nossos irmaos, os ajudamos a fazer seu melhor e a ter alegria no servico ¸ de ´ Jeova. — 1 Tessalonicenses 5:11. ´ 20 O relato dos Evangelhos sobre a vida e o ministerio de ´ Jesus realmente e um tesouro de sabedoria! O que devemos ´ ˜ fazer com esse presente inestimavel? Na conclusao do Ser˜ ˜ mao do Monte, Jesus incentivou as pessoas ali a nao apenas ´ ´ ´ ouvir suas palavras sabias, mas tambem a pratica-las. (Ma˜ teus 7:24-27) Harmonizar nossos pensamentos, motivac¸ oes ˜ ´ ˜ ´ e ac¸ oes com as sabias palavras e ac¸ oes de Jesus nos ajudara a ´ ter a melhor vida possıvel agora e a permanecer na estrada ` ´ ˜ que conduz a vida eterna. (Mateus 7:13, 14) Sem duvida, nao ´ ha coisa melhor ou mais sensata a fazer! 20. O que devemos fazer com o tesouro de sabedoria encontrado nos ˆ Evangelhos, e por que?


´ C A P I T U L O

6

ˆ ‘Ele aprendeu a obediencia’ UM PAI observa pela janela seu filhinho jogando bola no quintal com alguns colegas. A certa altura, a bola vai parar na rua. O garoto fica olhando para ela, morrendo de vontade de ´ ´ ir pega-la. Um de seus colegas diz para ele ir busca-la, mas ele ˜ ˜ balanca ¸ a cabeca ¸ e diz: “Nao posso. Meu pai nao quer que eu ´ va na rua.” O pai sorri satisfeito. ˜ 2 Por que o pai fica tao contente? Porque ele orientou seu ˜ ` filho a nao ir a rua sozinho. Quando o menino obedece ˆ — mesmo sem saber que o pai o observa —, o pai ve que seu ´ ´ filho esta aprendendo a obedecer, e por isso esta muito mais ´ ´ protegido. E assim que se sente o nosso Pai celestial, Jeova. ´ Deus sabe que, para permanecermos fieis e alcancarmos o ¸ maravilhoso futuro que ele nos promete, precisamos apren´ der a confiar nele e a obedecer-lhe. (Proverbios 3:5, 6) Para isso, ele nos enviou o melhor de todos os instrutores humanos. ´ 3 A Bıblia diz algo surpreendente sobre Jesus: “Embora fosˆ se Filho, aprendeu a obediencia pelas coisas que sofreu; e, de´ pois de ter sido aperfeicoado, tornou-se responsavel pela sal¸ ˜ vac¸ ao eterna de todos os que lhe obedecem.” (Hebreus 5:8, 9) ´ ´ Esse Filho havia existido por incontaveis eras no ceu. Ele viu ´ Satanas e outros anjos rebeldes serem desobedientes, mas ˆ nunca se juntou a eles. Referindo-se ao Filho primogenito, ˜ ´ a profecia inspirada disse: ‘Eu nao fui rebelde.’ (Isaıas 50:5) ˜ ˆ Entao, como as palavras ‘ele aprendeu a obediencia’ podem 1, 2. Por que um pai amoroso fica contente ao ver o filho obedecerlhe, e como os sentimentos desse pai refletem os sentimentos de ´ Jeova? ˆ 3, 4. Como Jesus “aprendeu a obediencia” e ‘foi aperfeicoado’? Ilus¸ tre isso.


ˆ ‘ELE APRENDEU A OBEDIENCIA’

57

aplicar-se a esse Filho que sempre obedeceu de modo perfeito? Como uma criatura perfeita poderia ser ‘aperfeicoada’? ¸ ˜ 4 Considere a seguinte ilustracao: certo soldado tem uma ¸ espada de ferro. Embora ela nunca tenha sido testada numa ´ batalha, e uma arma perfeita e muito bem fabricada. No entanto, o soldado troca essa espada por outra, feita de um me´ tal mais resistente: aco ¸ temperado. Essa outra espada ja foi ˜ testada em batalha. Nao acha que ele fez uma excelente troˆ ` ca? Da mesma forma, a obediencia de Jesus antes de vir a Terˆ ra era perfeita. Mas depois de viver aqui sua obediencia pas´ sou a ter uma caracterıstica totalmente diferente. Agora ela havia sido testada, tornou-se mais resistente, por assim dizer; fora submetida a provas que Jesus nunca teria enfrentado no ´ ceu. ˆ ˜ 5 A obediencia era fundamental para a missao de Jesus aqui ´ ˜ ` na Terra. Como “o ultimo Adao”, ele veio a Terra para fazer o ˜ que o nosso primeiro pai nao fez — permanecer obediente a ´ ´ ˆ Jeova, mesmo sob provas. (1 Corıntios 15:45) Mas a obedien˜ cia de Jesus nao era superficial. Ele a demonstrou de todo co˜ rac¸ ao, alma e mente. E fez isso com alegria. Para ele, fazer a vontade de seu pai era mais importante do que o alimento. ˜ ´ ˆ ( Joao 4:34) O que nos ajudara a imitar a obediencia de Jesus? Primeiro, veremos por que ele foi obediente. Se formos obedientes pelos mesmos motivos que ele, conseguiremos resis˜ tir a tentac¸ oes e fazer a vontade de Deus. Depois, vamos conˆ siderar como somos recompensados por imitar a obediencia de Cristo.

Por que Jesus foi obediente

ˆ ´ A obediencia de Jesus vinha do seu ıntimo. Conforme vi´ ˜ mos no Capıtulo 3, Cristo era humilde de corac¸ ao. O orguˆ lho faz a pessoa desprezar a obediencia, mas se a pessoa for 6

ˆ ˜ 5. Por que a obediencia de Jesus era tao importante, e o que consi´ deraremos neste capıtulo? 6, 7. Quais foram alguns dos motivos de Jesus ser obediente?


58

‘VENHA SER MEU SEGUIDOR’

´ ´ humilde obedecera a Jeova porque realmente quer fazer isso. ˆ ´ ˆ (Exodo 5:1, 2; 1 Pedro 5:5, 6) Alem disso, a obediencia de Jesus estava relacionada ao que ele amava e ao que ele odiava. ´ 7 Acima de tudo, Jesus amava seu Pai celestial, Jeova. Vere´ mos mais detalhes sobre esse amor no Capıtulo 13. O amor ´ fez com que Jesus tivesse temor a Deus. Seu amor por Jeova ˜ ˆ ˜ era tao intenso e sua reverencia tao profunda que ele temia desagradar seu Pai. Esse temor a Deus foi um dos motivos de ˜ ´ as orac¸ oes de Jesus terem sido ouvidas de modo favoravel. ´ ´ ´ ´ (Hebreus 5:7) O temor a Jeova tambem e uma caracterıstica ´ ˆ ´ notavel do reinado de Jesus como Rei messianico. — Isaıas 11:3. ´ 8 Amar a Jeova´ tambem envolve odiar o que ele odeia. Veˆ ja, por exemplo, esta profecia referente ao Rei messianico: ˜ 8, 9. Conforme profetizado, como Jesus se sentia com relac¸ ao ao ´ ´ que e certo e ao que e errado, e como ele deixou isso evidente?

˜ Sua escolha de diversao indica que ˆ ´ voce odeia o que e mau?


ˆ ‘ELE APRENDEU A OBEDIENCIA’

59

´ “Amaste a justica ¸ e odiaste a iniquidade. E por isso que Deus, ´ ˜ o teu Deus, te ungiu com oleo de exultac¸ ao mais do que a teus associados.” (Salmo 45:7) Os “associados” de Jesus eram ` os outros reis da linhagem do Rei Davi. Com respeito a sua ˜ ˜ unc¸ ao, Jesus tem mais causa para exultac¸ ao, ou grande aleˆ ´ gria, do que todos eles. Por que? Sua recompensa e muito ´ ´ maior do que a deles, seu reinado e infinitamente mais bene´ ´ fico. Ele e recompensado porque seu amor pelo que e justo, ´ ´ ´ ou certo, e seu odio pelo que e inıquo, ou errado, o motivou a obedecer a Deus em todas as coisas. 9 De que modo Jesus deixou evidente como se sentia com ˜ ´ ´ relac¸ ao ao que e certo e ao que e errado? Por exemplo, como ` ele reagiu quando seus seguidores obedeceram a sua orienta˜ c¸ ao de pregar e tiveram bons resultados? Ele ficou muito feliz. (Lucas 10:1, 17, 21) E como Jesus se sentiu quando o povo ´ ´ de Jerusalem repetidamente demonstrou um espırito de deˆ ´ sobediencia, rejeitando seus esforcos ¸ amorosos de ajuda-los? Ele chorou por causa da atitude rebelde daquelas pessoas. ´ (Lucas 19:41, 42) Tanto a boa como a ma conduta afetavam profundamente a Jesus. 10 Meditar em como Jesus se sentia nos ajuda a analisar com ˜ ´ que motivac¸ ao obedecemos a Jeova. Apesar de sermos im˜ ˜ perfeitos, podemos cultivar amor de corac¸ ao por ac¸ oes corre´ tas e odio profundo pela conduta errada. Precisamos orar a ´ Jeova pedindo que nos ajude a ter sentimentos como os dele e de seu Filho. (Salmo 51:10) Ao mesmo tempo, precisamos ´ ˆ evitar influencias que enfraquecam esses sentimentos. E fun¸ ˜ damental escolher bem nossas diversoes e nossas amizades. ´ (Proverbios 13:20; Filipenses 4:8) Se tivermos as mesmas mo˜ ˆ ˜ ´ tivac¸ oes de Cristo, nossa obediencia nao sera superficial. Agi´ remos da maneira correta porque amamos o que e certo. Evi˜ ˜ taremos ac¸ oes erradas nao por medo de ser descobertos, mas porque odiamos esse tipo de conduta. ˜ ˜ 10. Que sentimentos precisamos ter em relac¸ ao a ac¸ oes corretas e ´ conduta errada, e o que nos ajudara a fazer isso?


60

‘VENHA SER MEU SEGUIDOR’

˜ “Ele nao cometeu pecado”

´ 11 O odio que Jesus tinha pelo pecado foi testado logo no ´ ´ ´ inıcio de seu ministerio. Apos seu batismo, ele passou 40 dias ´ e 40 noites no deserto sem comer. No fim desse perıodo, Sa´ ´ ´ tanas foi tenta-lo. Note como Satanas foi astuto. — Mateus 4:1-11. ´ ´ 12 Primeiro Satanas disse: “Se tu es filho de Deus, dize a es˜ tas pedras que se transformem em paes.” (Mateus 4:3) Como ´ ´ ´ Jesus estava se sentindo apos aquele longo jejum? A Bıblia e clara em dizer que Jesus estava com fome. (Mateus 4:2) Desse ´ modo, Satanas aproveitou-se do desejo natural por alimento. ´ Ele sem duvida esperou Jesus estar fisicamente enfraquecido. ´ ´ Note tambem o tom de desafio nas palavras de Satanas: “Se tu ´ ´ ˆ es filho de Deus.” Satanas sabia que Jesus era “o primogenito ˜ ˜ de toda a criac¸ ao”. (Colossenses 1:15) Mas Jesus nao se dei˜ ´ ˆ xou levar pela provocac¸ ao de Satanas para faze-lo desobede˜ cer. Ele sabia que nao era da vontade de Deus que usasse seu ´ poder para objetivos egoıstas. Jesus recusou-se a fazer isso, ´ mostrando que confiava humildemente que Jeova o sustentaria e orientaria. — Mateus 4:4. ˜ ´ 13 Na segunda tentacao, Satanas levou Jesus a um lugar alto, ¸ no parapeito do templo. Distorcendo a Palavra de Deus com ´ ´ astucia, Satanas tentou Jesus para que se exibisse por jogar-se ´ ˜ dali a fim de que os anjos tivessem de salva-lo. Se a multidao ´ ´ ali no templo visse um milagre assim, sera que alguem duvidaria de que Jesus era o prometido Messias? Se as pessoas se convencessem de que ele era o Messias apenas com aque´ ˜ ˜ la incrıvel exibic¸ ao, nao teria ele evitado muito sofrimento e dificuldades? Talvez. Mas Jesus sabia que a vontade de Deus ´ ´ 11, 12. (a) O que aconteceu com Jesus no inıcio de seu ministerio? ˜ ´ (b) Qual foi a primeira tentac¸ ao que Jesus sofreu, e que taticas astu´ tas Satanas usou? ˜ 13-15. (a) Qual foi a segunda e a terceira tentac¸ ao que Jesus sofreu, ˆ e como ele reagiu? (b) Por que sabemos que Jesus nunca pode bai´ xar a guarda contra Satanas?


ˆ ‘ELE APRENDEU A OBEDIENCIA’

61

˜ era que o Messias cumprisse sua missao de modo humilde, ˜ nao que fizesse as pessoas acreditar nele por meio de exibi˜ ´ c¸ oes espetaculares. (Isaıas 42:1, 2) Jesus mais uma vez se recu´ ˜ ˜ sou a desobedecer a Jeova. A fama nao era uma tentac¸ ao para Jesus. ´ 14 Mas que dizer do poder? Na terceira tentativa, Satanas ofereceu a Jesus todos os reinos do mundo em troca de apenas ˜ ´ um ato de adorac¸ ao. Sera que Jesus ficou pensando na ofer´ ´ ta de Satanas? Sua resposta Satanas!” E acrescen´ foi: “Vai-te, ´ ´ tou: “Pois esta escrito: ‘E a Jeova, teu Deus, que tens de ado´ rar e e somente a ele que tens de prestar servico ¸ sagrado.’ ” (Mateus 4:10) Nada convenceria Jesus de adorar outro deus. ˆ Nenhuma oferta de poder ou influencia neste mundo o leva` ˆ ria a desobediencia. ´ 15 Sera´ que Satanas desistiu? Ele foi embora, segundo a ordem de Jesus. Mas o Evangelho de Lucas mostra que o Diabo ´ ˜ ‘se retirou dele ate outra ocasiao conveniente’. (Lucas 4:13) ´ ˜ De fato, Satanas encontraria outras ocasioes para provar e ´ ´ tentar Jesus ate o fim de sua vida na Terra. A Bıblia nos diz que Jesus foi “provado em todos os sentidos”. (Hebreus 4:15) ˆ ´ ´ ˜ Por isso, ele nunca pode baixar a guarda, nos tambem nao podemos. ´ 16 Satanas continua a tentar os servos de Deus hoje. In´ felizmente, somos presas faceis por causa das nossas im˜ ´ ´ ´ perfeic¸ oes. Com astucia, Satanas apela para nosso egoısmo, ˆ orgulho e ganancia por poder. Usando o materialismo, ele ´ ˜ ´ pode ate apelar para todas essas imperfeic¸ oes de uma so vez! ´ ´ E fundamental que vez por outra facamos uma autoanalise ¸ ´ ˜ honesta. E bom meditarmos nas palavras de 1 Joao 2:1517. Ao fazer isso, podemos nos perguntar se os desejos carnais deste mundo, o desejo por coisas materiais e a vontade de impressionar outros enfraqueceram de algum modo o amor que sentimos pelo nosso Pai celestial. Precisamos ´ 16. Como Satanas tenta os servos de Deus hoje, e como podemos resistir a seus esforcos? ¸


62

‘VENHA SER MEU SEGUIDOR’

´ nos lembrar de que este mundo esta com seus dias conta´ ´ dos, e Satanas, seu governante, tambem. Assim, resistamos a seus esforcos astutos para nos fazer pecar! Que o exemplo ¸ ˜ do nosso Mestre nos motive, pois ele “nao cometeu pecado”. — 1 Pedro 2:22.

“Faco ¸ sempre as coisas que lhe agradam”

ˆ A obediencia envolve muito mais do que apenas evitar o pecado. Cristo sempre cumpriu todos os mandamentos de ´ Jeova. Ele disse: “Faco ¸ sempre as coisas que lhe agradam.” ˜ ˆ ( Joao 8:29) Essa obediencia deu muita alegria a Jesus. Alguns ´ podem argumentar que era muito mais facil para ele obedecer. Talvez imaginem que ele tinha de prestar contas ape´ ´ ´ nas a Jeova, que e perfeito, enquanto nos geralmente temos ˆ de prestar contas a humanos imperfeitos que tem autorida´ ´ de. Mas a verdade e que Jesus foi obediente tambem a humanos imperfeitos que tinham autoridade. 18 Quando era crianca, Jesus estava sob a autoridade de seus ¸ ´ pais imperfeitos, Jose e Maria. Mais do que qualquer outra ´ crianca, ¸ ele provavelmente via que eles tinham falhas. Sera ´ que Jesus se rebelou, indo alem do papel que Deus lhe atribuiu como filho humano e dizendo a seus pais como deviam ´ cuidar de uma famılia? Veja o que Lucas 2:51 diz a respeito ´ de Jesus, na epoca com 12 anos: “Ele . . . continuou a estarlhes sujeito.” Desse modo, Jesus deixou um exemplo excelen˜ te para as criancas em ¸ e os jovens cristaos, que se esforcam ¸ ´ obedecer a seus pais e mostrar-lhes o devido respeito. — Efesios 6:1, 2. 19 Quanto a obedecer a humanos imperfeitos, Jesus enfren˜ ˜ ˜ tou situac¸ oes que os cristaos verdadeiros hoje nunca terao de 17

ˆ ˜ 17. Como Jesus encarava a obediencia a seu Pai, mas que objec¸ ao pode surgir? ˆ 18. Que exemplo de obediencia Jesus deixou desde crianca? ¸ 19, 20. (a) Que desafios incomuns Jesus enfrentou no que se refe˜ re a obedecer a humanos imperfeitos? (b) Por que os cristaos verdadeiros hoje devem ser obedientes aos que tomam a dianteira?


˜ Como cristaos obedientes, aplicamos ˜ o que aprendemos nas reunioes

´ ˜ enfrentar. Pense na epoca em que ele viveu, com situac¸ oes bem incomuns. O sistema religioso judaico, com seu templo ´ ´ ´ em Jerusalem e seu sacerdocio, era aprovado por Jeova havia ´ muito tempo, mas em breve ia ser rejeitado e substituıdo pela ˜ ˜ congregac¸ ao crista. (Mateus 23:33-38) Enquanto isso, muitos ´ lıderes religiosos ensinavam falsidades que haviam se origi˜ nado da filosofia grega. A corrupc¸ ao no templo tinha se tor˜ nado tao grande que Jesus o chamou de “covil de salteado´ res”. (Marcos 11:17) Sera que Jesus deixou de ir ao templo e ` ˜ ´ as sinagogas? Nao. Jeova ainda aprovava o uso daqueles lo˜ ˜ cais de adorac¸ ao. Enquanto Deus nao intervinha para fazer as ` ` mudancas, ¸ Jesus obedientemente ia a sinagoga e as festivida˜ des no templo. — Lucas 4:16; Joao 5:1. ˆ 20 Se Jesus foi obediente naquelas circunstancias, quanto ˜ mais os cristaos verdadeiros hoje! Afinal, vivemos em tem´ ˜ ˜ pos muito diferentes — na epoca da restaurac¸ ao da adorac¸ ao ´ pura, predita ha muito tempo. Deus nos garante que nun´ ´ ´ ca deixara Satan ´ as corromper seu povo restaurado. (Isaıas 2:1, 2; 54:17) E verdade que nos deparamos com pecados e ˜ ˜ ˜ ´ imperfeic¸ oes na congregac¸ ao crista. Mas sera que devemos usar as falhas de outros como desculpa para desobedecermos


64

‘VENHA SER MEU SEGUIDOR’

´ ` ˜ a Jeova, talvez deixando de ir as reunioes ou criticando os ˜ anciaos? De modo algum. Em vez disso, damos todo apoio ˜ aos que tomam a dianteira na congregac¸ ao. De modo obe` ˜ ` diente, assistimos as reunioes e as assembleias e aplicamos ´ os conselhos bıblicos que recebemos nelas. — Hebreus 10:24, 25; 13:17. ´ 21 Jesus nunca permitiu que ninguem, nem mesmo ami´ gos bem-intencionados, o impedisse de obedecer a Jeova. ´ O apostolo Pedro, por exemplo, tentou convencer seu Mes˜ tre de que ele nao precisava sofrer e morrer. Jesus recusou de ´ modo firme esse conselho bem-intencionado, porem infundado, de poupar a si mesmo. (Mateus 16:21-23) Hoje em dia, ˆ os seguidores de Jesus muitas vezes tem de lidar com parenˆ ˜ tes bem-intencionados que tentam convence-los de que nao ´ ´ ` ´ e necessario obedecer as leis e aos princıpios de Deus. Assim ˜ ´ como os cristaos do primeiro seculo, concordamos que “temos de obedecer a Deus como governante antes que aos homens”. — Atos 5:29.

Recompensas de imitarmos ˆ a obediencia de Cristo

ˆ Quando Jesus se viu diante da morte, sua obediencia pas´ sou pela prova mais difıcil. Foi naquele dia triste que ‘ele ˆ aprendeu a obediencia’ no sentido mais pleno. Ele fez a von˜ tade de seu Pai, nao a sua. (Lucas 22:42) Ao agir assim, deixou ´ um exemplo perfeito de integridade. (1 Timoteo 3:16) Ele forneceu a resposta a uma antiga pergunta: pode um huma´ no perfeito permanecer obediente a Jeova mesmo sob pro˜ ´ ´ va? Adao e Eva ja tinham falhado nesse teste. Daı Jesus veio, ˜ viveu, morreu e resolveu a questao para sempre. O ser mais ´ ´ importante que Jeova criou deu a melhor resposta possıvel. ˆ Ele obedeceu mesmo quando a obediencia lhe custou muito caro. 22

` ˜ 21. Como Jesus reagiu a pressao de humanos para desobedecer a ´ Deus, deixando que exemplo para nos? 22. Jesus forneceu a resposta a que pergunta, e como?


ˆ ‘ELE APRENDEU A OBEDIENCIA’

65

Como Ser Seguidor de Jesus? ˜ ˘ Quais sao alguns dos mandamentos de Cristo, como podemos ˆ ˆ ˜ ˜ obedece-los e que benc¸ aos receberemos se fizermos isso? — Joao 15:8-19. ´ ´ ˘ De inıcio, o que os parentes de Jesus acharam de seu ministerio, e o que podemos aprender do modo como Jesus lidou com eles? — Marcos 3:21, 31-35. ˘ Por que nunca devemos nos preocupar de que obedecer a ´ Jeova nos impeca ¸ de ter uma vida feliz? — Lucas 11:27, 28. ˜ ˘ O que podemos aprender da disposic¸ ao de Jesus de obedecer a uma lei que nem mesmo se aplicava a ele? — Mateus 17:24-27.

˜ ´ ´ A integridade, ou devoc¸ ao de toda a alma a Jeova, e deˆ monstrada por meio da obediencia. Por obedecer, Jesus preservou sua integridade e beneficiou toda a humanidade. (Ro´ ´ manos 5:19) Jeova o recompensou ricamente, e tambem nos ´ recompensara se obedecermos ao nosso Mestre, Cristo. A obeˆ ˜ diencia a Cristo resulta na “salvac¸ ao eterna”! — Hebreus 5:9. ´ ´ ´ ´ 24 Alem disso, a integridade, por si so, ja e uma recompensa. ´ ´ Proverbios 10:9 diz: “Quem anda em integridade andara em ´ seguranca.” Se pud essemos comparar a integridade a uma ¸ ˜ ´ grande mansao construıda com tijolos de excelente qualidaˆ de, cada ato de obediencia poderia ser comparado a um tijolo. Um tijolo pode parecer insignificante, mas cada um tem o seu lugar e o seu valor. Quando se colocam muitos deles jun´ tos, constroi-se algo de valor ainda maior. Quando juntamos ˆ ´ ´ ´ atos de obediencia, dia apos dia, ano apos ano, construımos a nossa bela casa de integridade. ˆ 25 A obediencia demonstrada ao longo do tempo nos faz ´ lembrar outra qualidade — a perseveranca. ¸ Esse sera o assun´ ´ to do proximo capıtulo. 23

ˆ ´ ` 23-25. (a) Como a obediencia esta relacionada a integridade? Ilus´ ´ ´ tre. (b) Qual sera o assunto do proximo capıtulo?


´ C A P I T U L O

7

Considere de perto a perseveranca ¸ de Jesus ˜ ´ ´ A PRESSAO e muito grande. Jesus nunca sentiu uma angus˜ ˜ ´ tia mental e emocional tao forte. Sao suas ultimas horas de ´ vida na Terra, e ele vai com seus apostolos a um lugar que ˆ ´ costuma visitar, o jardim de Getsemani. Jesus ja esteve ali ´ com eles muitas vezes. Nessa noite, porem, precisa ficar um ´ tempo sozinho. Afastando-se de seus apostolos, Jesus entra um pouco mais no jardim, ajoelha-se e comeca ¸ a orar. Ele ˜ ora com tanto fervor e fica tao aflito que seu suor se torna ˜ “como gotas de sangue caindo ao chao”. — Lucas 22:39-44. ˜ 2 Por que Jesus sofre tamanha aflicao? Embora ele saiba ¸ ´ ´ ˜ ´ que em breve tera de enfrentar extrema dor fısica, nao e ´ ˜ por isso que esta tao angustiado. Assuntos muito mais im´ portantes o preocupam. Jesus esta profundamente preocu´ pado com o nome de seu Pai e sabe que o futuro da famılia ´ humana depende de ele permanecer fiel. Ele sabe como e ´ ´ importante perseverar. Se falhar, trara grande vituperio ao ˜ nome de seu Pai. Mas ele nao falha. Mais tarde naquele dia, ´ pouco antes de dar o ultimo suspiro, o homem que deixou o melhor exemplo de perseveranca ¸ clama triunfantemente: ´ ˜ “Esta consumado!” — Joao 19:30. ´ 3 A Bıblia nos incentiva a ‘considerar de perto’ o exemplo de perseveranca ¸ de Jesus. (Hebreus 12:1-3) Assim, surgem perguntas importantes: Quais foram algumas provas que Jesus teve de suportar? O que o ajudou a perseverar? Como podemos seguir seu exemplo? Mas antes de responder a essas perguntas, vamos considerar o que significa perseverar. ˜ ˆ 1-3. (a) A que ponto chega a aflic¸ ao de Jesus no jardim de Getsemaˆ ni, e por que? (b) O que se pode dizer a respeito do exemplo de perseveranca ¸ de Jesus, e que perguntas surgem?


CONSIDERE DE PERTO A PERSEVERANCA ¸ DE JESUS

67

´ O que e perseveranca? ¸

´ De tempos em tempos, todos nos ficamos “contristados ´ ˜ ´ por varias provac¸ oes”. (1 Pedro 1:6) Sera que o fato de en˜ frentarmos uma provac¸ ao significa que estamos perseve˜ rando? Nao. O substantivo grego traduzido “perseveranca” ¸ significa “capacidade de aguentar ou manter-se firme em ´ face de dificuldades”. Certo erudito bıblico diz o seguinte a respeito do tipo´ de perseveranca ¸ mencionado pelos escrito´ ´ ˜ res da Bıblia: “E o espırito que pode suportar as coisas, nao ˜ simplesmente com resignac¸ ao, mas com a esperanca ¸ fulgu´ ´ ´ rante . . . E a qualidade que mant em o homem em pe en´ frentando o vento. E a virtude que pode transmutar a prova˜ ´ ´ ˆ c¸ ao mais severa em gloria porque, alem da dor, ve o alvo.” ˜ 5 Portanto, perseverar nao significa simplesmente passar ´ ´ por uma dificuldade inevitavel. No sentido bıblico, perseveranca ¸ envolve firmeza, manter a atitude mental correta e ˜ ˜ nao perder a esperanca ¸ ao enfrentar provac¸ oes. Veja a se˜ ˜ ˜ guinte ilustrac¸ ao: dois homens estao presos em condic¸ oes ˆ identicas, mas por motivos bem diferentes. Um deles, um ´ criminoso comum, cumpre sua pena com muita ma von˜ tade. O outro, um cristao verdadeiro que foi preso por seu ´ proceder fiel, continua firme e mantem uma atitude po˜ sitiva, porque encara sua situac¸ ao como uma oportunida´ de de demonstrar sua fe. O criminoso dificilmente poderia ˜ ser considerado um exemplo de perseveranca, ¸ mas o cristao leal sim. — Tiago 1:2-4. ´ ˜ 6 A perseveranca e´ indispensavel para nossa salvac¸ ao. (Ma¸ ˜ teus 24:13) Mas nao nascemos com essa qualidade impor´ ´ ´ ˜ tante. E necessario cultiva-la. Como? “Tribulac¸ ao produz 4

´ 4, 5. (a) O que significa “perseveranca”? (b) Como poderıamos ilus¸ trar que a perseveranca envolve mais do que passar por uma dificul¸ ´ dade inevitavel? 6. Como cultivamos a perseveranca? ¸


68

‘VENHA SER MEU SEGUIDOR’

perseveranca”, diz Romanos 5:3. Se realmente queremos ¸ ˜ desenvolver perseveranca, ¸ nao podemos temer os testes de ´ ´ fe e tentar nos esquivar deles. Precisamos enfrenta-los. Cultivamos perseveranca ¸ quando enfrentamos e superamos ´ provas grandes e pequenas dia apos dia. Cada dificuldade ˆ que enfrentamos ´ com exito˜ nos fortalece para enfren´ tar a proxima. E claro que nao desenvolvemos perseveranca ¸ sem ajuda. Somos ‘dependentes da forca ¸ que Deus forne´ ce’. (1 Pedro 4:11) Para continuarmos firmes, Jeova nos deu ´ a melhor ajuda possıvel — o exemplo de seu Filho. Vamos olhar mais de perto o exemplo perfeito de perseveranca ¸ que Jesus deixou.

O que Jesus suportou? No fim de sua vida terrestre, Jesus teve de suportar mui´ ˜ tos atos de crueldade. Alem da extrema aflic¸ ao mental que ´ ele sentiu na ultima noite de sua vida, considere a decep˜ ˜ ´ ´ c¸ ao e a humilhac¸ ao que sofreu. Ele foi traıdo por alguem ´ que lhe era muito ıntimo, abandonado por seus melhores amigos e submetido a um julgamento ilegal onde os mem´ bros da mais elevada corte religiosa do paıs o ridicularizaram, cuspiram nele e o esmurraram. Mesmo assim, Jesus foi forte e suportou tudo isso com dignidade. — Mateus 26:4649, 56, 59-68. ´ 8 Nas suas ultimas horas de vida, Jesus suportou enorme ´ sofrimento fısico. Ele foi acoitado, ou seja, espancado vio¸ lentamente de um modo que, segundo certa fonte, causa˜ ´ va “profundas lacerac¸ oes e consideravel perda de sangue”. ´ Alem disso, ele foi pregado numa estaca, uma forma de ˜ ´ execuc¸ ao que resultava em “uma morte lenta com o maxi˜ mo de dor e sofrimento”. Pense na aflic¸ ao que Jesus sentia ao passo que enormes pregos eram martelados e atravessa7

7, 8. O que Jesus suportou no fim de sua vida terrestre?


CONSIDERE DE PERTO A PERSEVERANCA ¸ DE JESUS

69

´ ˜ vam-lhe os punhos e os pes, prendendo-o na estaca. (Joao 19:1, 16-18) Imagine a extrema dor que ele sentiu quando a estaca foi erguida rapidamente e o peso do seu corpo passou a ser sustentado apenas pelos pregos, e suas costas feridas rasparam na estaca. Ele suportou todo esse sofrimento ´ ´ fısico alem de estar mentalmente aflito, conforme descrito ´ ´ no inıcio deste capıtulo. 9 Como seguidores de Cristo, o que talvez tenhamos de su´ ´ portar? Ele disse: “Se alguem quer vir apos mim . . . apanhe a sua estaca de tortura, e siga-me continuamente.” (Ma˜ ´ teus 16:24) A expressao “estaca de tortura” e usada aqui de modo figurativo para representar sofrimento, vergonha e ´ ˜ ´ ´ ate a morte. Seguir a Cristo nao e algo facil. Nosso modo de ˜ vida cristao nos torna diferentes. O mundo atual nos odeia ˜ ˜ porque nao fazemos parte dele. (Joao 15:18-20; 1 Pedro 4:4) No entanto, estamos dispostos a carregar a nossa estaca de ´ tortura — sim, estamos preparados para sofrer, e ate morrer, ´ em vez de desistir de seguir o nosso Exemplo. — 2 Timoteo 3:12. ´ ˜ 10 Durante o seu ministerio, a imperfeic¸ ao das pessoas resultou em outras provas para Jesus. Lembre-se de que ele ´ foi o “mestre de obras” usado por Jeova para criar a Terra e ´ ´ tudo o que ha nela. (Proverbios 8:22-31) Assim, Jesus sabia ´ qual era a vontade de Jeova para a humanidade; os humanos deviam refletir as qualidades de Deus e usufruir a vida ´ ˆ com saude perfeita. (Genesis 1:26-28) Na Terra, Jesus viu os ´ resultados tragicos do pecado de um ponto de vista diferen˜ te — ele era homem, capaz de ter sentimentos e emoc¸ oes humanas. Deve ter sido muito doloroso para ele ver como ˜ ˜ os humanos estavam longe da perfeic¸ ao original de Adao e 9. O que significa apanhar a nossa “estaca de tortura” e seguir a Jesus? ˜ 10-12. (a) Por que as imperfeic¸ oes das pessoas foram um teste de per˜ severanca ¸ para Jesus? (b) Quais foram algumas das situac¸ oes provadoras que Jesus suportou?


70

‘VENHA SER MEU SEGUIDOR’

´ Eva. Isso foi um teste de perseveranca ¸ para Jesus. Sera que ele ficaria desanimado e desistiria, encarando os humanos pecaminosos como uma causa perdida? Vejamos. ˜ 11 A apatia dos judeus entristeceu tanto a Jesus que ele nao ´ ´ conteve as lagrimas. Sera que ele permitiu que a indiferenca ¸ ´ dos judeus diminuısse seu zelo ou o fizesse parar de pregar? ´ Muito pelo contrario, ele “ia diariamente ensinar no templo”. (Lucas 19:41-44, 47) Jesus ficou “profundamente contristado” com a insensibilidade dos fariseus que o estavam ´ observando para ver se ele curaria certo homem no sabado. ´ Sera que ele permitiu que aqueles opositores que se consi˜ deravam justos o intimidassem? Claro que nao! Ele permaneceu firme e curou o homem — e bem no meio da sinagoga! — Marcos 3:1-5. 12 Outra coisa que deve ter sido uma prova para Jesus ´ foram as fraquezas de seus discıpulos mais achegados. Con˜ Permitiremos que a oposic¸ ao nos desanime ou continuaremos a pregar com zelo?


CONSIDERE DE PERTO A PERSEVERANCA ¸ DE JESUS

71

´ forme vimos no Capıtulo 3, eles estavam sempre querendo destaque. (Mateus 20:20-24; Lucas 9:46) Jesus os aconseˆ lhou mais de uma vez sobre a importancia da humildade. (Mateus 18:1-6; 20:25-28) Mas eles demoraram a acatar es´ ses conselhos. Ate mesmo quando estavam com Jesus na ´ ´ sua ultima noite na Terra, os discıpulos tiveram “uma dis´ puta acalorada” sobre quem era o maior! (Lucas 22:24) Sera que Jesus desistiu deles, concluindo que eram um caso per˜ dido? Nao. Sempre paciente, ele continuou positivo e esperancoso, concentrando-se em suas boas qualidades. Jesus ¸ ´ sabia que, no fundo, eles amavam a Jeova e realmente queriam fazer a Sua vontade. — Lucas 22:25-27. ` 13 Talvez enfrentemos provas parecidas as de Jesus. Por ´ ´ exemplo, podemos encontrar pessoas apaticas ou que ate ˜ ` mesmo se opoem a mensagem do Reino. Deixaremos essas ˜ reac¸ oes negativas nos desanimar ou continuaremos a pre˜ ˜ gar com zelo? (Tito 2:14) As imperfeic¸ oes de nossos irmaos ´ ´ tambem podem ser uma prova para nos. Uma palavra irrefletida ou um gesto impensado podem nos magoar. (Pro´ ˜ verbios 12:18) Permitiremos que as falhas de nossos irmaos nos facam desistir deles ou continuaremos a suportar suas ¸ falhas e a nos concentrar em suas boas qualidades? — Colossenses 3:13.

Por que Jesus perseverou O que ajudou Jesus a perseverar e manter a integrida˜ ˜ de apesar de todas as humilhac¸ oes, decepc¸ oes e sofrimentos que enfrentou? Dois fatores principais foram de ajuda. ´ ˆ Primeiro, Jesus recorreu a Jeova, “o Deus que prove perseve` ranca”. (Romanos 15:5) Segundo, ele olhou a frente, con¸ centrando-se no resultado de sua perseveranca. ¸ Vamos analisar esses dois fatores, um por vez. 14

` 13. Que provas parecidas as de Jesus talvez enfrentemos? 14. Que dois fatores ajudaram Jesus a perseverar?


72

‘VENHA SER MEU SEGUIDOR’

˜ Apesar de ser o Filho perfeito de Deus, Jesus nao confiou ´ em sua propria forca ¸ para perseverar. Em vez disso, recorreu ´ ao seu Pai celestial e orou pedindo ajuda de cima. O aposto´ ´ lo Paulo` escreveu: “Cristo . . . ofereceu suplicas e tambem pe˜ ´ tic¸ oes Aquele que era capaz de salva-lo da morte, com fortes ´ clamores e lagrimas.” (Hebreus 5:7) Note que Jesus “ofere˜ ˜ ´ ´ ceu” nao apenas petic¸ oes, mas tambem suplicas. O termo ´ “suplica” refere-se a um apelo sincero e fervoroso — sim, um ´ rogo por ajuda. O uso do plural “suplicas” indica que Jesus ´ implorou a Jeova mais de uma vez. De fato, no jardim de ˆ Getsemani, Jesus orou repetida e fervorosamente. — Mateus 26:36-44. 16 Jesus tinha confianca absoluta de que Jeova´ responderia ¸ ´ ´ a suas suplicas, pois sabia que seu Pai e o “Ouvinte de ora˜ ` ˆ c¸ ao”. (Salmo 65:2) Antes de vir a Terra, o Filho primogenito ` ˜ havia observado como seu Pai responde as orac¸ oes de servos ´ leais. Por exemplo, o Filho estava presente no ceu quando ´ ` ˜ Jeova enviou um anjo para responder a orac¸ ao sincera do profeta Daniel — antes mesmo de Daniel ter terminado de ˜ orar. (Daniel 9:20, 21) Entao, como o Pai poderia deixar de ˆ ˜ ouvir seu Filho unigenito quando ele derramou seu corac¸ ao ´ ´ ` ´ “com fortes clamores e lagrimas”? Jeova atendeu as suplicas dele e enviou um anjo para lhe dar forcas ¸ a fim de suportar ˜ a provac¸ ao. — Lucas 22:43. ´ ´ 17 Para perseverar, nos tambem temos de recorrer ao Deus ‘que confere poder’. (Filipenses 4:13) Se o Filho perfeito de ´ ´ Deus achou necessario suplicar a Jeova por ajuda, quanto ´ mais nos! Assim como Jesus, talvez tenhamos de implorar ´ ˜ repetidamente a ajuda de Jeova. (Mateus 7:7) Embora nao 15

˜ ´ 15, 16. (a) O que mostra que Jesus nao confiou em sua propria forca ¸ para perseverar? (b) Que confianca ¸ Jesus tinha em seu Pai, e ˆ por que? ´ 17. Por que devemos recorrer a Jeova para perseverar, e como podemos fazer isso?


CONSIDERE DE PERTO A PERSEVERANCA ¸ DE JESUS

73

esperemos receber a visita de um anjo, podemos ter certe´ za de que nosso Deus amoroso respondera aos pedidos de ˜ ´ ˜ todo cristao leal que “persiste em suplicas e em orac¸ oes, ´ ˜ noite e dia”. (1 Timoteo 5:5) Nao importa quais sejam as ´ provas que venhamos a enfrentar — saude fraca, ´ ˜ morte de alguem querido ou perseguic¸ ao —, ´ ´ Jeova nos respondera ao orarmos fervorosamente pedindo sabedoria, coragem ´ e forca ¸ para perseverar. — 2 Corıntios 4:7-11; Tiago 1:5. 18 O segundo fator que ajudou Jesus ´ ` a perseverar e que ele olhou a fren´ ´ te, alem de seu sofrimento. A Bıblia diz a respeito dele: “Pela alegria que se lhe apresentou, ele aturou uma estaca de tortura.” (Hebreus 12:2) O exemplo de Jesus deixa claro como a esperanca, ¸ a alegria e a perseveranca ¸ se complementam. Podemos resumir isso do seguinte modo: a esperanca ¸ resulta em alegria, e a alegria, em perseveranca. ¸ (Romanos 15:13; Colossenses 1:11) Jesus tinha perspectivas maravilhosas. Ele sabia que sua fidelidade contribuiria para vindicar a soberania de seu Pai e lhe permitiria resgatar a humanidade do pecado ´ e da morte. Tambem tinha a esperanca ¸ de governar como Rei e servir como ´ 18. Como Jesus olhou alem de seu sofrimento?

´ ´ Jeova nos respondera ao orarmos fervorosamente pedindo ajuda para perseverar


74

‘VENHA SER MEU SEGUIDOR’

ˆ ˜ Sumo Sacerdote para trazer ainda mais benc¸ aos aos humanos obedientes. (Mateus 20:28; Hebreus 7:23-26) Ele sentiu muita alegria por concentrar-se em suas perspectivas e esperanca, ¸ e essa alegria, por sua vez, ajudou-o a perseverar. 19 Assim como Jesus, precisamos permitir que a esperanca, ¸ a alegria e a perseveranca ¸ nos beneficiem. “Alegrai-vos na ´ esperanca”, disse o apostolo Paulo. E depois acrescentou: ¸ ˜ ˆ ´ “Perseverai em tribulac¸ ao.” (Romanos 12:12) Voce esta en´ ´ ˜ ` ˜ frentando um difıcil teste de fe? Entao olhe a frente. Nao ´ perca de vista o fato de que sua perseveranca ¸ resultara em ´ louvor para o nome de Jeova. Mantenha bem em foco a preciosa esperanca ¸ do Reino. Imagine-se vivendo no vinˆ ˜ douro novo mundo de Deus e usufruindo as benc¸ aos do ´ Paraıso. Meditar no cumprimento das maravilhosas pro˜ messas de Deus — como a vindicac¸ ao de sua soberania, a ˜ eliminac¸ ao da maldade e o fim das doencas ¸ e da mor´ ˜ te — enchera seu corac¸ ao de alegria. Essa alegria pode aju´ ˜ da-lo a perseverar, nao importa as provas que venha a en˜ ´ frentar. Em comparac¸ ao com o que acontecera quando a esperanca ¸ do Reino se concretizar, qualquer sofrimento no ´ ˆ mundo de hoje e realmente ‘momentaneo e leve’. — 2 Co´ rıntios 4:17.

‘Siga de perto os seus passos’ Jesus sabia que segui-lo seria desafiador e exigiria perse˜ veranca. ¸ ( Joao 15:20) Ele estava preparado para dar o exem˜ plo, sabendo que isso fortaleceria outros. ( Joao 16:33) Jesus ´ de fato deu o exemplo perfeito de perseveranca, ¸ mas nos ´ estamos bem longe de ser perfeitos. O que Jeova espera 20

´ 19. Quando enfrentamos testes de fe, como podemos permitir que a esperanca, a alegria e a perseveran ca ¸ ¸ nos beneficiem? ` ´ ´ 20, 21. No que diz respeito a perseveranca, ¸ o que Jeova espera de nos, ˜ e qual deve ser a nossa determinac¸ ao?


CONSIDERE DE PERTO A PERSEVERANCA ¸ DE JESUS

75

Como Ser Seguidor de Jesus? ˘ Como podemos encarar qualquer sofrimento pelo qual venhamos a passar por ser seguidores de Cristo? — Mateus 5:10-12. ˘ O que Jesus disse que seus seguidores podiam esperar, e como podemos seguir seus conselhos? — Mateus 10:16-22. ˜ ˜ ˘ Ao enfrentarmos oposic¸ ao ou perseguic¸ ao, como podemos seguir o exemplo de Jesus? — 1 Pedro 2:18-25. ˘ O que fica confirmado quando se persevera fielmente ao passar por sofrimentos? — 1 Pedro 4:12-14.

´ ´ ´ de nos? O apostolo Pedro explica: “Cristo sofreu por vos, deixando-vos um modelo para seguirdes de perto os seus passos.” (1 Pedro 2:21) Pelo modo como lidou com as pro˜ ˜ vac¸ oes, Jesus deixou “um modelo”, um padrao a ser copiado.1 O registro de perseveranca ¸ que Jesus deixou pode ser ˜ comparado a “passos”, ou pegadas. Nao podemos seguir esses passos de modo perfeito, mas podemos segui-los “de perto”. 21 Portanto, estejamos decididos a seguir o exemplo de perseveranca ¸ de Jesus do melhor modo que pudermos. Nunca nos esquecamos de que, quanto mais de perto se¸ guirmos suas pegadas, mais bem habilitados estaremos ´ para perseverar “ate o fim” — o fim deste velho sistema ou ˜ ´ o fim de nossa vida atual. Nao sabemos qual vira primeiro, mas de uma coisa temos certeza: por toda a eternidade, ´ ´ Jeova nos recompensara pela nossa perseveranca. ¸ — Mateus 24:13. 1 A palavra grega traduzida “modelo” significa literalmente “subs´ ´ ´ crito”. O apostolo Pedro e o unico escritor das Escrituras Gregas ˜ Cristas a usar essa palavra, que segundo certa fonte significa “ ‘um exemplo’ num caderno escolar, um modelo perfeito de escrita para a crianca ¸ copiar do modo mais exato que puder”.


˜ S E C¸ A O

2

‘ENSINAR E PREGAR AS BOAS NOVAS’ Jesus trabalhou como carpinteiro, fez milagres, curas e muitas outras coisas. No ˜ entanto, nao foi por essas atividades que ficou conhecido. As pessoas o chamavam de Instrutor. ` De fato, ele dedicou sua vida a obra de ‘ensinar e pregar as boas novas’. (Mateus 4:23) Como seguidores de Jesus, temos a mesma ˜ obra a fazer. Nesta sec¸ ao estudaremos seu exemplo, que nos mostra como realizar essa obra.

76


´ C A P I T U L O

8

“Fui enviado para isso” ´ ´ ˜ ´ JESUS e seus apostolos ja estao caminhando ha horas. Eles ´ ˜ saıram da Judeia em direc¸ ao ao norte, para a Galileia. Toˆ maram o caminho mais curto, que leva cerca de tres dias de viagem e passa por Samaria. Por volta do meio-dia, eles chegam a uma pequena cidade samaritana chamada Sicar e param ali para descansar e comer. ´ ˜ 2 Enquanto os apostolos vao comprar comida, Jesus descansa ao lado de um poco ¸ fora da cidade. Uma mulher sa´ maritana chega para tirar agua. Jesus poderia simplesmen´ ´ ˜ te ignora-la, pois esta “cansado da jornada”. ( Joao 4:6) ´ ´ Seria ate compreensıvel se ele fizesse isso e a deixasse pas´ ´ ´ sar despercebida. Conforme vimos no Capıtulo 4, e prova´ vel que ela ja esperasse que um judeu a tratasse com desprezo. Mas Jesus comeca ¸ a conversar com ela. ˜ 3 Ele inicia a conversa com uma ilustracao ¸ baseada no dia a dia da mulher — na verdade, relacionada com o que ela ´ ´ esta fazendo naquele exato momento. Ela esta ali para ti´ ´ ´ rar agua, e Jesus fala de uma agua vitalizadora que saciara ˜ ˆ a sede espiritual dela. A mulher toca em questoes polemi´ cas varias vezes durante a conversa.1 Usando de tato, Je˜ sus evita comentar essas questoes e continua a falar sobre 1 Por exemplo, ao perguntar por que Jesus, apesar de ser judeu, falava com uma samaritana, ela mencionou uma inimizade muito an˜ ´ tiga entre os dois povos. ( Joao 4:9) Ela tambem afirmou que seu povo ´ ´ descendia de Jaco, algo que os judeus da epoca negavam categorica˜ mente. ( Joao 4:12) Os judeus chamavam os samaritanos de cutianos, para enfatizar que descendiam de povos estrangeiros. 1-4. (a) Como Jesus ensina com habilidade uma samaritana, e qual ´ ´ e o resultado? (b) Como os apostolos reagem?


“FUI ENVIADO PARA ISSO”

79

o assunto que tem em mente. Ele se concentra em assun˜ ´ tos espirituais tais como a adorac¸ ao pura e Jeova Deus. Suas ˆ ˜ palavras tem grande repercussao, pois a mulher conta aos ´ homens da cidade o que ele disse, e eles tambem querem ˜ ouvir Jesus. — Joao 4:3-42. ´ 4 Quando os apostolos chegam, como reagem ao ver Jesus ´ ` ˜ dando notavel testemunho aquela mulher? Nao demons´ tram nenhum sinal de entusiasmo. Ate ficam surpresos de ver Jesus falando com a samaritana e, pelo que parece, nem dirigem a palavra a ela. Depois que a mulher vai em´ bora, os apostolos insistem com Jesus para que coma o alimento que trouxeram. Mas Jesus lhes diz: “Tenho alimen´ ˜ ´ to para comer de que vos nao sabeis.” Intrigados, de inıcio ´ eles entendem as palavras de Jesus de modo literal. Daı ele ´ explica: “Meu alimento e eu fazer a vontade daquele que ˜ me enviou e terminar a sua obra.” ( Joao 4:32, 34) Desse modo, Jesus lhes ensina que a principal obra da sua vida ´ e mais importante para ele do que a comida. Ele deseja que ´ ´ ´ seus apostolos tambem a encarem desse modo. Que obra e essa? 5 Certa vez Jesus disse: “Tenho de declarar as boas novas do reino de Deus . . . porque fui enviado para isso.” (Lucas 4:43) Ele foi enviado para pregar e ensinar as boas novas do Reino de Deus.1 Os atuais seguidores de Jesus foram ´ incumbidos dessa mesma obra. Assim, e muito importante que consideremos por que Jesus pregou, o que pregou e ˆ como encarava a sua incumbencia. 1 Pregar significa proclamar, ou declarar, uma mensagem. Ensinar tem um sentido parecido, mas inclui transmitir uma mensagem de modo mais profundo e detalhado. Ensinar bem envolve encontrar ˜ maneiras de tocar o corac¸ ao daqueles a quem ensinamos a fim de mo´ tiva-los a agir em harmonia com o que ouvem. 5. Qual era a principal obra da vida de Jesus, e o que consideraremos ´ neste capıtulo?


80

‘VENHA SER MEU SEGUIDOR’

Por que Jesus pregou Vamos considerar como Jesus encarava as verdades que ensinava; depois analisaremos sua atitude para com as pes´ ´ ˜ soas a quem instruıa. Jesus usou uma otima ilustrac¸ ao para mostrar como ele encarava a oportunidade de transmitir ´ as verdades que Jeova lhe tinha ensinado. Ele disse: “Todo ´ instrutor publico, quando ensinado a respeito do reino dos ´ ´ ceus, e semelhante a um homem, dono de casa, que tira do ´ seu tesouro coisas novas e velhas.” (Mateus 13:52) Qual e o ˜ motivo de o homem dessa ilustrac¸ ao trazer para fora coisas de seu tesouro? ˜ ´ 7 Nao e simplesmente para exibir seus bens, assim como ˜ o Rei Ezequias da antiguidade fez em certa ocasiao — com ˆ ˜ amargas consequencias. (2 Reis 20:13-20) Entao por que ˜ ˆ aquele homem faz isso? Pense na seguinte ilustrac¸ ao: voce ` ˆ vai a casa de um professor de quem voce gosta muito. Ele abre uma gaveta e tira duas cartas — uma amarelada pelo tempo e outra mais nova. O professor as recebeu de seu pai ´ ´ ´ — uma delas e de decadas atras, quando ele ainda era crian´ ca, ¸ e a outra e mais recente. Os olhos do professor brilham ˜ ao contar-lhe como as cartas sao preciosas para ele e como os conselhos contidos nelas mudaram a vida dele e podeˆ ´ ´ riam ajudar voce. O professor sem duvida da muito valor ` ˆ ˜ as cartas; elas tem um lugar especial em seu corac¸ ao. (Luˆ ˜ cas 6:45) Ele as mostra a voce, nao para se gabar ou para ´ tirar algum proveito, mas para beneficia-lo e dar-lhe uma ˆ ideia do valor que elas tem. ˜ 8 O Grande Instrutor, Jesus, tinha a mesma motivacao ¸ ao transmitir as verdades de Deus. Para ele, aquelas verdades ´ eram tesouros inestimaveis. Ele as amava e queria muito 6

´ 6, 7. Como Jesus queria que “todo instrutor publico” encarasse a oportunidade de transmitir as boas novas? Ilustre. 8. Por que temos um bom motivo para encarar as verdades que aprendemos da Palavra de Deus como tesouros?


“FUI ENVIADO PARA ISSO”

81

` falar sobre elas as pessoas. Queria que todos os seus segui´ dores, “todo instrutor publico”, as encarassem do mesmo ´ ´ modo. E assim que as encaramos? Esse e um bom motivo para amar todas as verdades que aprendemos da Pala` vra de Deus. Damos muito valor as joias da verdade, se´ ´ jam elas crencas ¸ que ja prezamos ha muito tempo, sejam refinamentos recentes. Assim como Jesus, demonstramos ´ esse amor por falar com entusiasmo sobre o que Jeova nos ensina e por continuar a amar essas verdades. ´ 9 Jesus tambem amava as pessoas a quem ensinava, con˜ forme veremos em mais detalhes na Sec¸ ao 3. Foi profeti´ ˜ zado que o Messias teria “do daquele de condic¸ ao humilde e do pobre”. (Salmo 72:13) De fato, Jesus se importava com as pessoas. Ele se preocupava com os conceitos e as atitudes que as influenciavam, com os fardos que as oprimiam e com aquilo que as impedia de entender a verdade. (Mateus 11:28; 16:13; 23:13, 15) Lembre-se, por exemplo, ´ da samaritana. Ela sem duvida ficou muito impressionada por ele ter se importado com ela. O fato de Jesus saber de ˜ sua situac¸ ao fez com que ela o reconhecesse como´ profe˜ ta e falasse a outros sobre ele. ( Joao 4:16-19, 39) E verda˜ ´ de que os seguidores de Jesus nao sabem o que ha no co˜ rac¸ ao das pessoas a quem pregam. Mas podemos mostrar ´ interesse nelas, assim como Jesus. Alem de deixarmos evidente que nos preocupamos com elas, podemos escolher o ` que vamos dizer a fim de nos adaptar aos interesses, as necessidades e aos problemas de cada um.

O que Jesus pregou?

ˆ O que Jesus pregou? Se voce fosse procurar a resposta nos ensinamentos de muitas igrejas que afirmam 10

9. (a) O que Jesus sentia pelas pessoas a quem ensinava? (b) Como podemos imitar o modo como Jesus encarava as pessoas? 10, 11. (a) O que Jesus pregou? (b) Por que surgiu a necessidade do Reino de Deus?


82

‘VENHA SER MEU SEGUIDOR’

´ segui-lo, talvez concluısse que ele divulgou algum tipo de ˜ evangelho social. Ou talvez tivesse a impressao de que ele ´ ˜ defendeu reformas polıticas ou destacou a salvac¸ ao como ´ a coisa mais importante. Mas, como ja foi mencionado, Jesus disse claramente: “Tenho de declarar as boas novas do reino de Deus.” O que ele queria dizer com isso? ´ 11 Lembre-se de que Jesus estava presente quando Satanas ´ questionou a legitimidade da soberania de Jeova. Como deve ter sido doloroso para Jesus ver seu justo Pai ser caluniado e acusado de Governante injusto que priva Suas cria´ turas do que e bom! O Filho de Deus deve ter ficado muito ˜ triste quando Adao e Eva, os futuros pais da humanidade, ` ´ ´ ´ deram ouvidos a calunia de Satanas. Ele viu a famılia humana ser contaminada com o pecado e a morte em resul˜ tado dessa rebeliao. (Romanos 5:12) Mas ele deve ter ficado muito feliz ao saber que seu Pai um dia corrigiria todos os problemas. 12 Acima de tudo, o que precisava ser corrigido? O sagrado ´ nome de Jeova tinha de ser santificado, limpo de toda ca´ ´ lunia lancada sobre ele por Satanas e os que tomaram seu ¸ ´ lado. A legitimidade da soberania de Jeova, o seu modo de governar, tinha de ser vindicada. Jesus entendia essas ques˜ toes vitais melhor do que qualquer outra pessoa. Na ora˜ c¸ ao-modelo, ele ensinou seus seguidores a pedir primeiro a ˜ santificac¸ ao do nome de seu Pai, a seguir a vinda do Reino ˜ e depois a realizac¸ ao da vontade de Deus na Terra. (Mateus ´ 6:9, 10) O Reino de Deus, cujo Governante e Cristo Jesus, ´ ´ em breve eliminara da Terra o sistema corrupto de Satanas ´ ´ e estabelecera para sempre o governo justo de Jeova. — Daniel 2:44. ´ 13 Esse Reino foi o tema do ministerio de Jesus. Suas pala´ 12, 13. Que injusticas ¸ o Reino de Deus corrigira, e como Jesus fez ´ do Reino o tema principal de seu ministerio?


“FUI ENVIADO PARA ISSO”

83

˜ ´ vras e ac¸ oes ajudaram a esclarecer o que e o Reino de Deus ´ ´ ´ ˜ e como ele cumprira o proposito de Jeova. Jesus nao permi˜ tiu que nada o desviasse de sua missao de pregar as boas novas do Reino de Deus. Nos seus dias, havia problemas sociais urgentes e muita injustica, ¸ mas ele se concentrou em ´ sua mensagem e em sua obra. Sera que o fato de Jesus agir assim significava que ele tinha a mente fechada e que seus ´ ˜ metodos de pregac¸ ao eram cansativos e repetitivos? Longe disso! ˜ 14 Conforme veremos nesta secao, Jesus tornou seu en¸ ˜ sino interessante e variado. Ele procurava tocar o corac¸ ao ´ ˜ das pessoas. Podemos nos lembrar do sabio Rei Salomao, ´ que procurou palavras agradaveis, palavras corretas de ver´ dade, para transmitir os pensamentos que Jeova o inspirou ´ a escrever. (Eclesiastes 12:10) Jeova deu “largueza de cora˜ ˜ c¸ ao” a Salomao, um homem imperfeito, para que ele pu´ desse falar sobre muitos assuntos, de aves a peixes, e de arvores a animais selvagens. Alguns vinham de longe para ouvi-lo. (1 Reis 4:29-34) Mas Jesus era “maior do que Sa˜ ´ lomao”. (Mateus 12:42) Ele era muito mais sabio e tinha ˜ muito mais “largueza de corac¸ ao”. Ao ensinar as pessoas, Jesus fazia uso do enorme conhecimento que tinha da Palavra de Deus e do que sabia sobre animais, agricultura, cli´ ´ ˜ ma, acontecimentos da epoca, historia e condic¸ oes sociais. Ao mesmo tempo, nunca usou seu conhecimento para impressionar outros. Sua mensagem era sempre simples e cla˜ ´ ra. Nao e de admirar que as pessoas tivessem prazer em ouvi-lo! — Marcos 12:37; Lucas 19:48. ˜ ˜ 15 Os cristaos hoje tentam seguir o exemplo de Jesus. Nao temos tanta sabedoria e conhecimento quanto ele, mas to´ ˆ dos nos temos certa medida de conhecimento e experiencia. Podemos fazer uso disso ao transmitir as verdades da ˜ 14, 15. (a) De que modo Jesus foi “maior do que Salomao”? (b) Como podemos imitar Jesus ao pregar?


84

‘VENHA SER MEU SEGUIDOR’

Palavra de Deus. Os pais, por exemplo, podem usar sua exˆ ´ periencia em criar filhos para ilustrar o amor que Jeova tem por suas criaturas. Outros podem tirar exemplos ou ˜ ˜ ilustrac¸ oes de sua profissao, do que acontece na escola, dos tratos com outros e dos acontecimentos atuais. Ao mesmo ˜ tempo, tomamos cuidado para que nada desvie a atenc¸ ao ` que deve ser dada a nossa mensagem — as boas novas do ´ Reino de Deus. — 1 Timoteo 4:16.

´ Como Jesus encarava seu ministerio

´ Para Jesus, seu ministerio era um tesouro precioso. Ele tinha prazer em ajudar as pessoas a encarar seu Pai como ´ ˜ ele realmente e, sem as distorc¸ oes causadas pelas confusas ˜ doutrinas e tradic¸ oes humanas. Jesus gostava muito de ajudar as pessoas a ter um relacionamento aprovado com ´ Jeova e ter a esperanca ¸ de vida eterna. Ele tinha prazer em levar a elas o consolo e a alegria que as boas novas proporcionavam. Como ele demonstrou que era assim que se ˜ ´ ˆ sentia em relac¸ ao ao ministerio? Veja tres modos. ´ 17 Primeiro, Jesus fez do ministerio a coisa mais importante da sua vida. Ele dedicou sua vida a falar sobre ´ o Reino. Essa obra era sua carreira, seu interesse principal. E por isso que Jesus teve uma vida simples, conforme vimos no Ca´ pıtulo 5. Ele aconselhava outros a se concentrar no que ˜ era mais importante e agia exatamente desse modo. Nao se ocupou com coisas pelas quais teria de pagar, ou que teria de manter, consertar ou substituir ao longo do tempo. Jesus viveu de modo simples para que nada atrapalhasse ´ desnecessariamente seu ministerio. — Mateus 6:22; 8:20. ´ 18 Segundo, Jesus gastou-se no ministerio. Ele empregou muita energia para realizar sua obra, andando literalmen16

´ 16, 17. (a) Como Jesus encarava o ministerio? (b) Como Jesus mos´ trou que o ministerio era a coisa mais importante da sua vida? ´ 18. De que modo Jesus se gastou no ministerio?


“FUI ENVIADO PARA ISSO”

85

ˆ ` te centenas de quilometros pela Palestina a procura de pessoas a quem pudesse transmitir as boas novas. Falou com as pessoas em suas casas, nas pracas, nos mercados e ao ar ¸ ´ livre. Conversou com elas ate quando estava cansado, com fome, com sede ou precisando de um pouco de privacidade. Mesmo quando estava morrendo, ele continuou a transmitir as boas novas do Reino de Deus! — Lucas 23:39-43. ´ 19 Terceiro, o ministerio era algo urgente para Jesus. Pense ˜ na ocasiao em que ele conversou com a samaritana em Si´ ˜ car. Pelo visto seus apostolos nao achavam que era urgente ˜ transmitir as boas novas naquela ocasiao. Jesus lhes disse: ˜ ´ “Nao dizeis que ainda faltam quatro meses ate chegar a colheita? Eis que vos digo: Erguei os vossos olhos e observai ˜ ˜ os campos, que estao brancos para a colheita.” — Joao 4:35. ˜ ˜ 20 Jesus baseou essa ilustracao ¸ na estac¸ ao do ano em que ˆ se encontravam. Tudo indica que eles estavam no mes de quisleu (novembro/dezembro). A colheita da cevada seria ´ ´ dali a quatro meses, por volta da epoca da Pascoa, em 14 de ˜ ˜ ˆ nisa. Assim, os lavradores nao viam urgencia na colheita, pois ela ainda estava bem longe. Mas que dizer da colheita de pessoas? Bem, nesse caso, muitos estavam pron´ tos para ouvir, aprender, tornar-se discıpulos de Cristo e ter ´ a esperanca ¸ maravilhosa que Jeova lhes havia preparado. Era como se Jesus pudesse olhar para aqueles campos figurativos e ver que estavam brancos, com os cereais maduros balancando ao vento, indicando que estavam prontos ¸ para a colheita.1 A hora tinha chegado e a obra era urgente. Por isso, quando os moradores de certa cidade tentaram ˆ ´ 1 Uma obra de referencia diz o seguinte a respeito desse versıculo: ´ “Quando o cereal esta maduro, sua cor muda do verde para o amarelo, ou seja, para uma cor clara, indicando que chegou a hora da colheita.” ˆ ˜ 19, 20. Como Jesus ilustrou a urgencia da obra de pregac¸ ao?


86

‘VENHA SER MEU SEGUIDOR’

Como Ser Seguidor de Jesus? ˜ ˜ Como podemos mostrar por meio de nossas orac¸ oes e nossas ac¸ oes ˆ ´ que compreendemos a urgencia do ministerio? — Mateus 9:35-38. ´ ´ ˘ Se percebermos que o nosso zelo pelo ministerio esta diminuindo, ´ ˆ como a atitude de Jesus podera nos dar animo? — Marcos 1:35-39. ˘

˘

Ao pregar, como devemos encarar as pessoas humildes, oprimidas ou desprezadas por outros? — Lucas 18:35–19:10. ˜ ˘ Por que nunca devemos permitir que diferentes tipos de reac¸ oes ` ˜ ˜ ou hostilidade a nossa pregac¸ ao diminuam o nosso zelo? — Joao 7:32-52.

impedir que Jesus fosse embora, ele disse: “Tenho de decla´ rar as boas novas do reino de Deus tambem a outras cidades, porque fui enviado para isso.” — Lucas 4:43. ˆ 21 Podemos imitar Jesus dos tres modos que acabamos de ´ ´ ˜ considerar. Um deles e por fazer do ministerio cristao a coisa mais importante da nossa vida. Mesmo que tenhamos responsabilidades familiares e outros assuntos para cuidar, ´ podemos mostrar que o ministerio ocupa o primeiro lugar em nossa vida participando nele de forma zelosa e regu´ lar, assim como Jesus. (Mateus 6:33; 1 Timoteo 5:8) Outra ´ ´ maneira e por nos gastarmos no ministerio, dando genero´ samente de nosso tempo, energia e recursos para apoia-lo. (Lucas 13:24) E precisamos sempre nos lembrar que a nos´ ´ sa obra e urgente. (2 Timoteo 4:2) Temos de aproveitar todas as oportunidades para pregar! ´ ˆ 22 Jesus tambem mostrou que compreendia a importancia da obra por se certificar de que ela continuasse a ser fei´ ta apos a sua morte. Ele comissionou seus seguidores a dar ` ˆ continuidade a obra de pregar e ensinar. Essa incumbencia ´ ´ ´ sera o assunto do proximo capıtulo. 21. Como podemos imitar Jesus? ´ ´ ´ 22. O que sera considerado no proximo capıtulo?


´ C A P I T U L O

9

“Ide . . . e ´ fazei discıpulos” CERTO lavrador arou e semeou seus campos. Ficou atento ˆ ao surgimento das primeiras laminas do cereal e alegrouse com o crescimento das plantas. Agora todo o seu traba´ lho e recompensado, pois chegou a hora da colheita. ´ Mas ele se depara com um enorme desafio: a safra e muito grande para ele colher sozinho. Assim, ele sabiamente ´ decide contratar alguns trabalhadores e envia-los aos cam´ pos, pois ha pouco tempo para colher a preciosa safra. 2 Na primavera de 33 EC, o ressuscitado Jesus confrontou-se com um desafio similar. Ele havia semeado a ´ verdade durante seu ministerio terrestre. Agora era neces´ sario fazer a colheita, e a safra era abundante. Muitas ´ 1-3. (a) O que certo lavrador faz quando a safra e grande demais para ele colher sozinho? (b) Com que desafio Jesus se confrontou na pri´ mavera de 33 EC, e o que fez para enfrenta-lo?

O que o lavrador pode fazer se a safra for muito grande para ele colher sozinho?


88

‘VENHA SER MEU SEGUIDOR’

pessoas receptivas tinham de ser ajuntadas para tornar-se ´ ˜ discıpulos. ( Joao 4:35-38) O que Jesus fez para enfrentar esse desafio? Numa montanha na Galileia, pouco antes ´ ´ de ascender ao ceu, ele comissionou seus discıpulos para encontrar mais trabalhadores, dizendo: “Ide, portanto, e ´ ˜ fazei discıpulos de pessoas de todas as nac¸ oes, batizandoas . . . , ensinando-as a observar todas as coisas que vos ordenei.” — Mateus 28:19, 20. ˜ ´ ˆ 3 Essa comissao e a essencia do que significa ser verdaˆ deiro seguidor de Cristo. Portanto, vamos analisar tres per˜ guntas. Por que Jesus deu essa comissao que resultaria em ´ mais trabalhadores? Como ele treinou seus discıpulos para ´ ˜ encontra-los? Como estamos envolvidos nessa comissao? ´ Por que era necessario mais trabalhadores? ´ 4 Ao iniciar seu ministerio em 29 EC, Jesus sabia que esta˜ va comecando uma obra que nao terminaria sozinho. No ¸ curto tempo que lhe restava, ele conseguiria levar a men´ sagem do Reino a um numero limitado de pessoas e alcan´ ´ car ¸ apenas uma area limitada. E verdade que ele restrin˜ ´ giu sua pregac¸ ao principalmente aos judeus e proselitos, as “ovelhas perdidas da casa de Israel”. (Mateus 15:24) No entanto, aquelas “ovelhas perdidas” estavam espalhadas por ´ ´ todo o territorio de Israel, um paıs que abrangia milhaˆ ´ res de quilometros quadrados. Alem disso, todo o campo mundial por fim teria de ser alcancado com as boas novas. ¸ — Mateus 13:38; 24:14. ´ 5 Jesus sabia que apos a sua morte ainda haveria muito ´ ´ trabalho a ser feito. Ele disse aos 11 apostolos fieis: “Digo´ ´ vos em toda a verdade: Quem exercer fe em mim, esse fara ´ ´ tambem as obras que eu faco; ¸ e ele fara obras maiores do ˜ que estas, porque eu vou embora para o Pai.” ( Joao 14:12) ˜ ´ 4, 5. Por que Jesus nao terminaria a obra a que deu inıcio, e quem ´ teria de dar prosseguimento a ela quando ele retornasse ao ceu?


´ “IDE . . . E FAZEI DISCIPULOS”

89

´ ˜ Visto que o Filho retornaria ao ceu, seus seguidores — nao ´ ´ apenas os apostolos, mas todos os futuros discıpulos — te` riam de dar prosseguimento a obra de pregar e ensinar. ˜ ( Joao 17:20) Jesus humildemente reconheceu que as obras ´ de seus discıpulos seriam “maiores do que” as dele. Como ˆ se daria isso? De tres maneiras. 6 Primeiro, os seguidores de Jesus abrangeriam um ter´ ritorio maior. Atualmente, o testemunho deles chega aos ´ ´ quatro cantos da Terra, muito alem das fronteiras do paıs onde Jesus pregou. Segundo, eles alcancariam mais pessoas. ¸ ´ O pequeno grupo de discıpulos que Jesus deixou chegou rapidamente aos milhares. (Atos 2:41; 4:4) Agora existem mi˜ ´ ˜ lhoes, e centenas de milhares de discıpulos sao batizados ˜ todo ano. Terceiro, a pregac¸ ao deles continuaria por mais ´ ´ tempo. Ela estende-se ate hoje, quase 2 mil anos apos o fim ´ ˆ do ministerio de Jesus, que durou tres anos e meio. ´ 7 Jesus demonstrou confianca nos discıpulos quando dis¸ se que eles fariam “obras maiores do que” as dele. Estava confiando-lhes uma obra que era muito importante para ele: pregar e ensinar “as boas novas do reino de Deus”. ´ (Lucas 4:43) Ele tinha certeza de que os discıpulos cumpriˆ riam fielmente essa incumbencia. O que isso significa para ´ nos hoje? Quando nos empenhamos com zelo e de todo ˜ ´ o corac¸ ao no ministerio, provamos que Jesus estava certo ´ ao confiar em seus seguidores. Que privilegio maravilhoso! — Lucas 13:24. ´ Instruıdos para dar testemunho ´ ´ 8 Jesus deu aos discıpulos o melhor treinamento possı´ vel para o ministerio. Acima de tudo, deixou um exemplo 6, 7. (a) De que modo as obras dos seguidores de Jesus seriam maiores do que as dele? (b) Como podemos provar que Jesus estava certo ao confiar em seus seguidores? ´ 8, 9. Que exemplo Jesus deixou ao realizar o ministerio, e como po´ demos imita-lo?


90

‘VENHA SER MEU SEGUIDOR’

´ perfeito para eles. (Lucas 6:40) No capıtulo anterior, anali´ ´ samos como Jesus encarava o ministerio. Pense nos discı˜ pulos que o acompanharam em suas viagens de pregac¸ ao. Eles observaram que Jesus pregava onde quer que houves` se pessoas — as margens de lagos, nas montanhas, nas cidades, nos mercados e nas casas. (Mateus 5:1, 2; Lucas ´ 5:1-3; 8:1; 19:5, 6) Tambem viram como ele era trabalha´ dor, levantando cedo e pregando ate tarde da noite. O mi´ ˜ nisterio nao era um simples passatempo para Jesus. (Lucas ˜ ´ 21:37, 38; Joao 5:17) Os discıpulos com certeza perceberam que ele era motivado por um profundo amor pelas pessoas. Talvez vissem refletida no rosto de Jesus a com˜ ˜ paixao que ele sentia no corac¸ ao. (Marcos 6:34) Que efeiˆ ´ to voce acha que o exemplo de Jesus teve sobre seus discıˆ pulos? Como voce teria sido influenciado? 9 Como seguidores de Cristo, imitamos seu exemplo em ´ ˜ nosso ministerio. Por isso, nao medimos esforcos ¸ para dar “um testemunho cabal”. (Atos 10:42) Assim como Jesus, ´ visitamos as pessoas em suas casas. (Atos 5:42) Se necessa˜ ´ rio, ajustamos nossa programac¸ ao para visita-las num ho´ ´ ´ ´ rario em que seja mais provavel encontra-las. Tambem vamos em busca das pessoas e pregamos discretamente em ´ lugares publicos, como ruas, parques, lojas e no local de trabalho. Continuamos a ‘trabalhar arduamente e a nos ´ ´ esforcar’ no ministerio porque levamos a serio essa obra. ¸ ´ ˜ (1 Timoteo 4:10) O amor profundo e de corac¸ ao por outros nos motiva a continuar buscando oportunidades de ˜ pregar em todos os lugares e ocasioes. — 1 Tessalonicenses 2:8. ´ ´ 10 Jesus tambem treinou seus discıpulos por dar-lhes ins˜ ` ˜ ´ truc¸ oes detalhadas. Antes de enviar a pregac¸ ao os 12 apos´ tolos, e mais tarde os 70 discıpulos, Jesus reuniu-se com ˜ ´ 10-12. Que lic¸ oes importantes Jesus ensinou a seus discıpulos antes ´ ` ˜ de envia-los a pregac¸ ao?


91

˜ eles e deu-lhes instruc¸ oes detalhadas sobre como pregar. (Mateus 10:1-15; Lucas 10:1-12) Isso deu bons resultados. Lucas 10:17 diz: ‘Os setenta voltaram com alegria.’ Va˜ mos analisar duas lic¸ oes importantes que Jesus ensinou, lembrando que para ´ entender suas palavras e preO amor nos motiva ciso levar em conta os costu´ a pregar onde quer mes judaicos da epoca. que haja pessoas ´ 11 Jesus ensinou seus discı´ ˜ pulos a confiar em Jeova. Ele lhes disse: “Nao adquirais nem ouro, nem prata, nem cobre, para os bolsos dos vossos cintos, nem alforje para a viagem, nem duas pecas ¸ de ´ ˜ roupa interior, nem sandalias, nem bastao; pois o trabalhador merece o seu alimento.” (Mateus 10:9, 10) Quando as pessoas viajavam, era comum usarem um cinto com ´ um bolso para carregar dinheiro, alem de um alforje e um ´ ´ par adicional de sandalias.1 Ao instruir seus discıpulos a ˜ nao se preocupar com essas coisas, Jesus na verdade estava ´ dizendo: “Confiem plenamente em Jeova, pois ele cuida´ ´ ra das suas necessidades.” Jeova os ajudaria, motivando os que aceitassem as boas novas a ser hospitaleiros, o que era costume em Israel. — Lucas 22:35. ´ ´ 12 Jesus tambem ensinou seus discıpulos a evitar coisas ´ que desnecessariamente os distraıssem de seu objetivo. Ele ˜ ´ disse: “Nao abraceis a ninguem em cumprimento ao lon´ go da estrada.” (Lucas 10:4) Sera que Jesus queria dizer 1 O bolso do cinto talvez fosse usado para guardar moedas. O alforje era uma bolsa maior, geralmente feita de couro, que era pendura˜ da no ombro e usada para carregar alimentos e outras provisoes.


´ “IDE . . . E FAZEI DISCIPULOS”

93

que eles deviam ser frios ou indiferentes? De modo al´ gum. Nos tempos bıblicos, os cumprimentos geralmente ˜ ´ envolviam mais do que uma simples saudac¸ ao; incluıam ´ ´ varias formalidades e longas conversas. Um erudito bıblico ˜ diz: “Os cumprimentos entre os orientais nao consistiam, ´ ˜ como entre nos, em uma mesura, ou aperto de maos, mas ´ ˆ ´ incluıam muitos abracos, reverencias e ate prostrar-se ao ¸ ´ solo. Tudo isso tomava muito tempo.” Ao dizer a seus discı˜ pulos que nao cumprimentassem outros do modo costumeiro, em certo sentido Jesus estava dizendo: “Usem seu ´ ´ tempo da melhor maneira possıvel, pois a mensagem e urgente.”1 ´ ´ ˜ 13 Nos levamos a serio as instruc¸ oes que Jesus deu aos ´ ´ discıpulos no primeiro seculo. Confiamos plenamente em ´ ´ ´ Jeova ao realizar nosso ministerio. (Proverbios 3:5, 6) Sa´ bemos que nossas necessidades basicas nunca nos falta˜ rao se ‘persistirmos em buscar primeiro o reino’. (Mateus 6:33) Evangelizadores por tempo integral no mundo ´ todo podem comprovar que mesmo em tempos difıceis o ´ ˜ ´ ´ braco ¸ de Jeova nao e curto. (Salmo 37:25) Tambem reconhecemos que precisamos evitar coisas que nos distraiam ˜ de nosso objetivo. Se nao tomarmos cuidado, este sistema pode facilmente nos desviar. (Lucas 21:34-36) Mas agora ˜ ´ ˜ nao e hora de nos deixar distrair. Vidas estao em jogo, por ´ isso nossa mensagem e urgente. (Romanos 10:13-15) Manˆ ´ ter um senso de urgencia nos ajudara a evitar que coisas ˜ ˜ 1 O profeta Eliseu deu instruc¸ oes similares em certa ocasiao. Quan` do enviou seu servo Geazi a casa de uma mulher cujo filho havia mor´ ˜ rido, Eliseu disse: “Caso encontres alguem, nao o deves cumprimen˜ ˜ tar.” (2 Reis 4:29) A missao era urgente, por isso nao havia tempo para ´ demoras desnecessarias. ´ 13. De que modo podemos demonstrar que levamos a serio as ins˜ ´ ´ truc¸ oes que Jesus deu aos discıpulos no primeiro seculo?

‘Os setenta voltaram com alegria’


94

‘VENHA SER MEU SEGUIDOR’

deste mundo consumam o tempo e a energia que seriam ´ mais bem aproveitados no ministerio. Lembre-se de que o ´ ´ tempo que resta e curto, e a colheita e grande. — Mateus 9:37, 38.

Como estamos envolvidos nessa obra ´ Ao dizer “ide . . . e fazei discıpulos”, o ressuscitado Jesus confiou uma grande responsabilidade a seus seguido˜ ´ res. Ele nao tinha em mente apenas os discıpulos que estavam presentes naquele dia numa montanha na Galileia.1 A obra que ele ordenou envolve pregar a “pessoas de todas ˜ ´ ˜ as nac¸ oes”, e continua “ate a terminac¸ ao do sistema de coi˜ sas”. Fica claro que essa comissao se aplica a todos os segui´ dores de Cristo, incluindo nos hoje em dia. Vamos analisar mais de perto as palavras de Jesus registradas em Mateus 28:18-20. ´ 15 Antes de comissionar seus discıpulos, Jesus disse: “Foi´ ´ me dada toda a autoridade no ceu e na terra.” (Versıcu´ lo 18) Sera que Jesus realmente tem toda essa autoridade? ´ ˜ Com certeza. Ele e o arcanjo e comanda milhoes de an˜ jos. (1 Tessalonicenses 4:16; Revelac¸ ao [Apocalipse] 12:7) ˜ Como “cabeca ¸ da congregac¸ ao”, Jesus tem autoridade ´ ´ sobre seus seguidores na Terra. (Efesios 5:23) Ele esta ´ ˆ governando no ceu como Rei messianico desde 1914. ˜ ´ (Revelac¸ ao 11:15) Jesus tem autoridade ate mesmo para 14

1 Visto que a maioria dos seus seguidores estavam na Galileia, pro˜ vavelmente foi nessa ocasiao descrita em Mateus 28:16-20 que o res´ suscitado Jesus apareceu a “mais de quinhentos”. (1 Corıntios 15:6) Portanto, centenas de pessoas talvez estivessem presentes quando Je˜ ´ sus lhes deu a comissao de fazer discıpulos. ˜ 14. O que indica que a comissao registrada em Mateus 28:18-20 se ´ aplica a todos os seguidores de Cristo? (Veja tambem a nota.) ´ 15. Por que e apropriado obedecermos ao mandamento de Jesus de ´ fazer discıpulos?


´ “IDE . . . E FAZEI DISCIPULOS”

95

˜ ressuscitar os mortos. ( Joao 5:26-28) Por mencionar pri´ meiro sua grande autoridade, Jesus indica que suas proxi˜ ˜ ˜ mas palavras nao sao uma sugestao, mas uma ordem. Fa˜ zemos bem em obedecer a ela, pois ele nao assumiu essa ´ autoridade por conta propria, ela lhe foi dada por Deus. ´ — 1 Corıntios 15:27. ˜ ˜ 16 Jesus passa entao a dar a comissao, que comeca ¸ com ´ ´ uma unica palavra: “Ide.” (Versıculo 19) Desse modo, ele nos ordena a tomar a iniciativa de transmitir a outros a ´ mensagem do Reino. Podemos usar muitos metodos para ˜ cumprir esse aspecto da nossa comissao. Pregar de casa em ´ casa e a maneira mais eficaz de falar pessoalmente com ´ outros. (Atos 20:20) Tambem aproveitamos as oportunidades no nosso dia a dia para dar testemunho informal, procurando iniciar conversas sobre as boas novas em todo lu´ ´ gar que for apropriado. Nossos metodos especıficos de ˜ ` ˆ pregac¸ ao podem variar para se adaptar as circunstancias e ` ˜ as necessidades da regiao onde vivemos. Uma coisa, po´ ˜ ´ rem, nao muda: nos ‘vamos’ em busca dos merecedores. — Mateus 10:11. 17 Depois Jesus explica o objetivo de sua ordem, dizendo: ´ ˜ ´ “Fazei discıpulos de pessoas de todas as nac¸ oes.” (Versıcu´ lo 19) Como ‘fazemos discıpulos’? Basicamente, um dis´ ´ ´ ´ cıpulo e um aprendiz, alguem que e ensinado. Mas fazer ´ ˜ ´ ˜ discıpulos nao e uma simples questao de transmitir conhe´ cimento a outros. Quando estudamos a Bıblia com os in´ ´ teressados, nosso objetivo e ajuda-los a se tornar seguido´ res de Cristo. Sempre que possıvel, destacamos o exemplo ´ de Jesus para que nossos estudantes aprendam a encara-lo como seu Instrutor e Modelo, vivendo do modo como ele ˜ viveu e realizando a obra que ele fez. — Joao 13:15. 16. O que Jesus quer que facamos ao dizer “ide”, e como cumprimos ¸ ˜ esse aspecto de nossa comissao? ´ 17. Como ‘fazemos discıpulos’?


96

‘VENHA SER MEU SEGUIDOR’

Como Ser Seguidor de Jesus? ˘ Como devemos abordar as pessoas com a mensagem do Reino? — Mateus 10:11-13; Lucas 10:5. ˘ Como as palavras de Jesus podem nos ajudar a lidar com ˜ ` ˜ oposic¸ ao a obra de pregac¸ ao? — Marcos 13:9-13. ˜ ˘ Como devemos lidar com os que nao aceitam a nossa mensagem? — Lucas 10:10, 11. ` ˜ ˘ Quando damos prioridade a pregac¸ ao, que certeza podemos ter? — Lucas 12:22-31.

˜ ´ Uma parte vital da comissao que Jesus deu e expressa pelas palavras: “Batizando-as em o nome do Pai, e do ´ ´ ´ Filho, e do espırito santo.” (Versıculo 19) O batismo e o ´ ´ evento mais importante na vida de um discıpulo, pois e ´ ˜ um sımbolo apropriado de sua dedicac¸ ao de toda a alma a ´ ˜ Deus. Assim, o batismo e essencial para a salvac¸ ao. (1 Pe´ ˆ ˜ dro 3:21) O discıpulo batizado pode aguardar benc¸ aos eternas no futuro novo mundo ao passo que continua fa´ ˆ ´ zendo o seu melhor no servico ¸ prestado a Jeova. Voce ja ´ ´ ajudou alguem a se tornar discıpulo batizado de Cristo? ´ ´ Essa e a maior alegria que podemos ter no ministerio cris˜ ˜ tao. — 3 Joao 4. ´ ˜ 19 Jesus explica a proxima parte da comissao dizendo: “Ensinando-as a observar todas as coisas que vos orde´ nei.” (Versıculo 20) Ensinamos os novos a seguir os man´ damentos de Jesus, o que inclui amar a Deus e ao proxi´ mo, e fazer discıpulos. (Mateus 22:37-39) Aos poucos lhes ´ ensinamos a explicar as verdades da Bıblia e a defender a 18

´ ´ 18. Por que o batismo e o evento mais importante na vida do discıpulo? ˜ ´ 19. O que ensinamos aos novos, e por que o ensino nao termina apos o batismo?


´ “IDE . . . E FAZEI DISCIPULOS”

97

´ ˜ fe que vao adquirindo. Quando se qualificam para partici˜ par na pregac¸ ao, trabalhamos junto com eles, ensinando˜ os por meio de palavras e exemplo a ter uma participac¸ ao ˜ significativa nessa obra. O ensino nao termina necessaria´ mente com o batismo. Os recem-batizados talvez preci˜ ´ sem de instruc¸ oes adicionais para ajuda-los a enfrentar os ˆ desafios que sobrevem aos seguidores de Cristo. — Lucas 9:23, 24.

“Estou convosco todos os dias” ´ ˜ As ultimas palavras da comissao dada por Jesus nos inspiram muita confianca: ¸ “Eis que estou convosco todos ´ ` ˜ os dias, ate a terminac¸ ao do sistema de coisas.” (Mateus ˜ ´ ´ 28:20) Jesus sabe que essa designac¸ ao e seria. Sabe tam´ ` ´ bem que cumpri-la as vezes resultara em hostilidade por ˜ ´ parte de opositores. (Lucas 21:12) Mas nao ha motivo para ´ ˜ ter medo. Nosso Lıder nao espera que cumpramos essa de˜ ˜ ´ signac¸ ao sem ajuda ou sozinhos. Nao e animador saber ´ que Aquele que tem “toda a autoridade no ceu e na terra” ´ ˜ esta nos apoiando no cumprimento dessa comissao? 21 Jesus garantiu que estaria com seus seguidores em seu ´ ´ ´ ` ˜ ministerio ao longo dos seculos, “ate a terminac¸ ao do sis˜ tema de coisas”. Devemos continuar a cumprir a comissao ´ ˜ ´ dada por Jesus ate vir o fim. Agora nao e hora para dimi´ nuirmos o passo. Uma enorme colheita espiritual esta sen` ˜ do feita! Pessoas receptivas a mensagem estao sendo ajun´ tadas em grande numero. Como seguidores de Cristo, estejamos determinados a cumprir a importante comis˜ sao que nos foi confiada. Estejamos decididos a usar nosso tempo, energia e recursos para cumprir a ordem de Jesus: ´ “Ide . . . e fazei discıpulos.” 20

˜ ´ 20, 21. (a) Por que nao ha motivo para ter medo ao cumprirmos a ˜ ˜ comissao de Jesus? (b) Por que nao podemos diminuir o passo, e qual ˜ deve ser a nossa determinac¸ ao?


´ C A P I T U L O

1 0

´ “Esta escrito” ´ ´ ´ AINDA no inıcio de seu ministerio Jesus visita Nazare, a cida´ de onde foi criado. Seu objetivo e ajudar as pessoas a chegar ` ˜ ´ a importante conclusao de que ele e o prometido Messias. Que prova ele apresenta? ´ 2 Muitos sem duvida esperam um milagre, pois ouviram fa´ ´ lar das incrıveis obras que Jesus ja realizou. Mas em vez de ` ´ lhes dar um sinal milagroso, ele vai a sinagoga, como e o ´ seu ´ costume. Ali, levanta-se para ler e recebe o rolo de Isaıas. E um rolo comprido, provavelmente enrolado em dois bas˜ toes. Jesus o desenrola com cuidado, passando-o de um ˜ ´ ´ bastao para o outro ate encontrar a passagem que esta procu˜ ˆ rando. Entao ele le em voz alta as palavras que hoje se en´ contram em Isaıas 61:1-3. — Lucas 4:16-19. 3 Os presentes ali com certeza conhecem essa passagem. ´ Trata-se de uma profecia sobre o Messias. Ninguem tira os ˆ ˜ olhos de Jesus; o silencio paira no ar. Entao Jesus comeca ¸ a explicar o texto, talvez em detalhes, e diz: “Hoje se cumpriu esta escritura que acabais de ouvir.” Todos ficam maravilhados com suas palavras cativantes, mas, pelo visto, muitos ainda querem ver um sinal espetacular. Em vez de fazer isso, Jesus corajosamente usa um exemplo tirado das Escritu´ ras para expor a falta de fe daquelas pessoas. Pouco depois, ˜ ´ os que estao ali tentam mata-lo! — Lucas 4:20-30. ˜ 4 Naquela ocasiao, Jesus estabeleceu um modelo que ele ´ 1-3. Jesus quer ajudar as pessoas de Nazare a chegar a que importan˜ te conclusao, e que prova ele apresenta? ´ 4. Que modelo Jesus estabeleceu em seu ministerio, e o que anali´ saremos neste capıtulo? 98

“Hoje se cumpriu esta escritura”


100

‘VENHA SER MEU SEGUIDOR’

´ seguiu durante todo o seu ministerio. Tudo´ o que fez e disse se baseava na Palavra inspirada de Deus. E verdade que os ˆ milagres de Jesus eram de grande importancia para provar ´ que ele tinha o espırito de Deus, mas para ele nada era mais importante do que as Escrituras Sagradas. Vamos analisar como nosso Mestre citou, defendeu e explicou a Palavra de Deus, deixando-nos um exemplo.

Como Jesus citou a Palavra de Deus Jesus queria que as pessoas soubessem qual era a origem de ˜ ´ sua mensagem. Ele disse: “O que eu ensino nao e meu, mas ` ˜ pertence aquele que me enviou.” ( Joao 7:16) Em outra oca˜ ˜ ´ siao, ele falou: “Nao faco ¸ nada de minha propria iniciativa; ˜ mas assim como o Pai me ensinou, estas coisas eu falo.” (Joao ´ ˜ 8:28) Jesus disse tambem: “As coisas que vos digo nao falo da ´ ˜ minha propria iniciativa; mas o Pai, que permanece em uniao ´ ˜ comigo, esta fazendo as suas obras.” ( Joao 14:10) Um dos mo˜ dos como Jesus provou que essas afirmac¸ oes eram verdadeiras ´ foi por citar vez apos vez a Palavra escrita de Deus. 6 Um estudo detalhado das palavras registradas de Jesus re˜ vela que ele fez citac¸ oes diretas ou indiretas de mais da ˆ metade dos livros que fazem parte do canon das Escritu´ ˜ ras Hebraicas. De inıcio isso talvez nao pareca ¸ muito impresˆ ˜ sionante. Pode ser que voce se pergunte por que razao Je´ ˆ ˜ ˜ sus, num ministerio de tres anos e meio, nao fez citac¸ oes de ´ ´ todos os livros inspirados disponıveis na epoca. Na verdade, ´ ´ e bem provavel que ele tenha feito isso. Lembre-se de que a ´ Bıblia registra apenas uma pequena parte do que Jesus dis˜ se e fez. ( Joao 21:25) De fato, todas as suas palavras registradas podem ser lidas em apenas algumas horas. Mas imagine5

5. O que Jesus queria deixar claro a seus ouvintes, e como ele pro˜ vou que suas afirmac¸ oes a respeito disso eram verdadeiras? ˜ 6, 7. (a) Quao extensivamente Jesus citou as Escrituras Hebraicas, e ´ por que isso e impressionante? (b) Como o ensino de Jesus era diferente do ensino dos escribas?


´ “ESTA ESCRITO”

101

se falando sobre Deus e Seu Reino durante apenas algumas horas e sendo capaz de citar trechos de mais da metade dos ´ livros das Escrituras Hebraicas! Alem disso, na maioria dos ˜ ` ˜ casos Jesus nao tinha os rolos a mao. No seu famoso Ser˜ mao do Monte, ele citou muitas vezes as Escrituras Hebraicas direta e indiretamente — tudo de cor! 7 O fato de Jesus citar as Escrituras mostra que ele tinha profundo respeito pela Palavra de Deus. As pessoas ‘ficavam assombradas com o seu modo de ensinar, pois as ensinava ˜ como quem tinha autoridade e nao como os escribas’. (Marcos 1:22) Quando os escribas ensinavam, gostavam de men´ cionar a chamada lei oral, citando instruıdos rabinos da an´ tiguidade. Jesus nem uma unica vez citou a lei oral ou algum rabino para apoiar o que dizia. Ele considerava a Palavra de ´ ˆ Deus como autoridade maxima. Com frequencia lemos es´ tas palavras de Jesus: “Esta escrito.” Ele repetiu muitas vezes ˜ essa declarac¸ ao ou outras similares ao ensinar seus seguidores e corrigir conceitos errados. 8 Quando Jesus expulsou os comerciantes que estavam no ´ ´ templo em Jerusalem, ele disse: “Esta escrito: ‘Minha casa ´ ˜ ´ sera chamada casa de orac¸ ao’, mas vos fazeis dela um co´ vil de salteadores.” (Mateus 21:12, 13; Isaıas 56:7; Jeremias 7:11) No dia anterior, ele havia realizado ali muitas obras. Alguns meninos ficaram impressionados e comecaram a lou¸ ´ ´ va-lo. Os lıderes religiosos, indignados, perguntaram a Jesus se ele estava ouvindo o que as criancas ¸ diziam. Ele respondeu: “Sim. Nunca lestes o seguinte: ‘Da boca de pequeninos e de criancas ¸ de peito forneceste louvor’?” (Mateus 21:16; Salmo 8:2) Jesus queria que aqueles homens soubessem que a Palavra de Deus apoiava o que estava acontecendo naque˜ la ocasiao. 8, 9. (a) Como Jesus mostrou que tinha a Palavra de Deus como autoridade quando expulsou do templo os comerciantes? (b) De que ´ modo os lıderes religiosos no templo mostraram grande desrespeito pela Palavra de Deus?


102

‘VENHA SER MEU SEGUIDOR’

´ Os lıderes religiosos juntaram-se mais tarde para desafiar Jesus, perguntando: “Com que autoridade fazes estas coi´ sas?” (Mateus 21:23) Jesus ja havia deixado bem claro qual ˜ era a Fonte de sua autoridade. Ele nao tinha inventado doutrinas, estava simplesmente agindo segundo a Palavra inspirada de seu Pai. Fica claro, portanto, que aqueles sacerdo´ tes e escribas demonstravam grande desrespeito por Jeova e Sua Palavra. Eles realmente mereciam que Jesus os censuras´ ˜ se, expondo suas mas motivac¸ oes. — Mateus 21:23-46. ˜ 10 Assim como Jesus, os cristaos verdadeiros hoje baseiam ´ ´ seu ministerio na Palavra de Deus. As Testemunhas de Jeova ˜ sao conhecidas no mundo inteiro por seu zelo em transmi´ ˜ tir a mensagem bıblica a outros. Nossas publicac¸ oes citam ´ constantemente a Bıblia. Fazemos o mesmo em nosso mi´ nisterio, usando as Escrituras sempre que conversamos com ´ as pessoas. (2 Timoteo 3:16) Ficamos muito contentes quan´ ´ do alguem nos permite ler textos bıblicos e conversar sobre ˜ o valor e o significado da Palavra de Deus. Apesar de nao ter´ mos memoria perfeita, assim como Jesus, hoje temos muitas ´ ˜ ´ ´ ajudas disponıveis que ele nao tinha. Alem da Bıblia completa, impressa em cada vez mais idiomas, temos muitas publi˜ ´ ´ cac¸ oes bıblicas para nos ajudar a encontrar qualquer versıculo que quisermos. Estejamos decididos a continuar citando ´ ˜ textos bıblicos e direcionando a atenc¸ ao das pessoas para a ´ Bıblia em toda oportunidade! 9

Como Jesus defendeu a Palavra de Deus Jesus percebeu que a Palavra de Deus estava constante˜ mente sob ataque, mas isso com certeza nao o surpreen˜ ´ deu. Ele disse em orac¸ ao a seu Pai: “A tua palavra e a verda˜ ´ de.” ( Joao 17:17) E Jesus sabia que Satanas, “o governante do ´ ˜ mundo”, e “um mentiroso e o pai da mentira”. ( Joao 8:44; 11

10. Como podemos imitar Jesus no modo como usamos a Palavra ˜ de Deus, e que ajudas temos que ele nao tinha? 11. Por que Jesus teve de defender a Palavra de Deus muitas vezes?


´ “ESTA ESCRITO”

103

˜ ´ 14:30) Ao rejeitar as tentac¸ oes de Satanas, Jesus citou as Escriˆ ´ ´ turas tres vezes. Satanas citou um versıculo dos Salmos, pro˜ positalmente fazendo uma aplicac¸ ao incorreta, mas Jesus defendeu a Palavra de Deus. — Mateus 4:6, 7. 12 Jesus defendeu muitas vezes as Escrituras Sagradas contra entendimentos incorretos e distorcidos. Os instrutores re´ ligiosos da epoca apresentavam a Palavra de Deus de modo ˆ ´ enganoso. Eles davam muita importancia aos mınimos detaˆ ´ lhes da Lei mosaica e pouca importancia aos princıpios nos quais as leis se baseavam. Desse modo eles promoviam uma ˜ ` ˆ adorac¸ ao superficial, que dava mais destaque as aparencias ` ˜ do que as questoes mais importantes, como justica, ¸ miseri´ cordia e fidelidade. (Mateus 23:23) Como Jesus defendeu a Lei de Deus? ˜ ´ 13 No Sermao do Monte, Jesus usou varias vezes a frase “ouvistes que se disse” antes de citar um mandamento da Lei mosaica. Depois ele continuava com a frase “mas eu vos ˜ ´ digo”, e entao explicava um princıpio que envolvia muito ´ mais do que apenas cumprir superficialmente a Lei. Sera que ˜ Jesus estava falando contra a Lei? Nao, ele a estava defenden˜ do. Por exemplo, as pessoas conheciam bem a lei “nao deves ´ assassinar”. Mas Jesus disse-lhes que odiar uma pessoa ja vio´ ´ lava o princıpio por tras daquela lei. Do mesmo modo, se al´ ˆ guem nutrisse sentimentos romanticos por uma pessoa que ˜ ˆ ´ nao fosse seu conjuge, estaria violando o princıpio no qual ´ se baseava a lei de Deus contra o adulterio. — Mateus 5:17, 18, 21, 22, 27-39. 14 Finalmente, Jesus declarou: “Ouvistes que se disse: ‘Tens ´ de amar o teu proximo e odiar o teu inimigo.’ No entanto, eu vos digo: Continuai a amar os vossos inimigos e a orar pe´ los que vos perseguem.” (Mateus 5:43, 44) Sera que o mandamento de ‘odiar o seu inimigo’ constava na Palavra de ´ 12-14. (a) Como os lıderes religiosos mostravam desrespeito pela Lei mosaica? (b) Como Jesus defendeu a Palavra de Deus?


104

‘VENHA SER MEU SEGUIDOR’

˜ ´ ´ Deus? Nao, os proprios lıderes religiosos inventaram essa regra. Eles enfraqueciam a Lei perfeita de Deus com conceitos humanos. Jesus defendeu corajosamente a Palavra de Deus ˜ contra os efeitos nocivos das tradic¸ oes humanas. — Marcos 7:9-13. ´ ´ 15 Os lıderes religiosos tambem atacavam a Lei de Deus por ˆ ´ ˜ faze-la parecer muito restritiva e ate severa. Na ocasiao em ´ que os discıpulos de Jesus arrancaram algumas espigas de cereal ao passar por um campo, alguns fariseus disseram que ´ eles estavam violando o sabado. Jesus usou um exemplo das Escrituras para defender a Palavra de Deus contra esse con´ ˆ ´ ceito desequilibrado. Ele citou a unica referencia que a Bı˜ ˜ ´ blia faz sobre o uso dos paes da proposic¸ ao fora do santuario: quando Davi e os homens famintos que estavam com ele co˜ ˜ meram os paes. Jesus mostrou aos fariseus que eles nao ti˜ ´ nham compreendido a questao principal: a misericordia e a ˜ ´ compaixao de Jeova. — Marcos 2:23-27. ´ ´ 16 Os lıderes religiosos tambem inventavam meios para se esquivar da Lei de Deus e diminuir sua forca. ¸ Por exemplo, a Lei permitia que um homem se divorciasse de sua esposa se houvesse “alguma coisa indecente” da parte dela, ´ evidentemente um problema serio que envergonhasse a fa´ ˆ ´ mılia. (Deuteronomio 24:1) Mas, nos dias de Jesus, os lı˜ deres religiosos usavam essa concessao como desculpa para um homem se divorciar de sua esposa por qualquer mo´ tivo — ate por ter deixado a comida queimar!1 Jesus mostrou que eles tinham distorcido gravemente as palavras ins´ ˜ ´ piradas de Moises e restaurou o padrao original de Jeova ´ 1 Josefo, um historiador do primeiro seculo que era fariseu e di´ ´ vorciado, mencionou mais tarde que o divorcio era permissıvel ‘por qualquer motivo, como acontece frequentemente’. ˆ 15. Como Jesus defendeu a Lei de Deus contra as tentativas de faze´ la parecer muito restritiva e ate severa? ´ 16. Como os lıderes religiosos distorceram o mandamento de Moi´ ´ ˜ ses a respeito do divorcio, e qual foi a reac¸ ao de Jesus?


´ “ESTA ESCRITO”

105

para o casamento, ou seja, a monogamia. A imoralidade ´ ´ ´ sexual seria a unica base legıtima para o divorcio. — Mateus 19:3-12. ´ 17 Os seguidores atuais de Cristo tambem desejam defen´ ˜ der as Escrituras Sagradas. Quando lıderes religiosos dao a ˜ ˜ entender que os padroes morais da Palavra de Deus sao an˜ ´ tiquados, na verdade estao atacando a Bıblia. As Escrituras ´ ˜ ˜ tambem estao sob ataque quando as religioes ensinam falsi´ ´ ´ dades como se fossem doutrinas bıblicas. Para nos, e um pri´ ´ vilegio defender a Palavra pura de Deus, que contem a ver´ ˜ dade. Um modo de fazermos isso e por provar que Deus nao ˆ faz parte de uma Trindade. (Deuteronomio 4:39) Ao mesmo ´ tempo, defendemos a Bıblia com tato, brandura e profundo respeito. — 1 Pedro 3:15.

Jesus explicou a Palavra de Deus

´ Jesus estava vivo no ceu quando as Escrituras Hebraicas foram registradas. Como ele deve ter apreciado a oportuni` dade de vir a Terra e explicar a Palavra de Deus! Lembre´ ´ se, por exemplo, daquele dia inesquecıvel apos sua ressurrei˜ ´ c¸ ao, quando ele encontrou dois discıpulos na estrada para ´ Emaus. Antes de o reconhecerem, eles lhe contaram que estavam tristes e confusos por causa da morte de seu ama´ do Mestre. O que Jesus fez? “Principiando por Moises e por todos os Profetas, interpretou-lhes em todas as Escrituras as ´ coisas referentes a si mesmo.” Como os discıpulos se senti˜ ram? Mais tarde disseram um ao outro: “Nao se nos abrasa˜ vam os corac¸ oes quando nos falava na estrada, ao nos abrir plenamente as Escrituras?” — Lucas 24:15-32. 19 Depois, naquele mesmo dia, Jesus reuniu-se com seus ´ ´ apostolos e outros discıpulos. Veja o que ele fez: “Abriu-lhes . . . 18

˜ 17. Como os cristaos hoje podem defender a Palavra de Deus assim como Jesus? 18, 19. Que exemplos mostram que Jesus tinha uma habilidade maravilhosa para explicar a Palavra de Deus?


106

‘VENHA SER MEU SEGUIDOR’

plenamente as mentes para que compreendessem o signi˜ ficado das Escrituras.” (Lucas 24:45) Aquela ocasiao alegre com certeza os fez lembrar das muitas vezes que Jesus tinha ajudado a eles, e a todos os que o ouviam, a entender as Escrituras. Jesus em geral explicava textos bem conhecidos de uma maneira que seus ouvintes passavam a entender a Paˆ lavra de Deus de um angulo diferente e de modo mais profundo. ˜ 20 Em certa ocasiao, Jesus estava falando a um grupo de ´ saduceus. Eles faziam parte de uma seita do judaısmo asso´ ˜ ciada ao sacerdocio judaico e nao acreditavam na ressurrei˜ ` ˜ c¸ ao. Jesus disse a eles: “Quanto a ressurreic¸ ao dos mortos, ˜ nao lestes o que vos foi falado por Deus, que disse: ‘Eu sou o ˜ ´ Deus de Abraao, e o Deus de Isaque, e o Deus de Jaco’? Ele ´ ˜ e o Deus, nao de mortos, mas de vivos.” (Mateus 22:31, 32) Os saduceus conheciam muito bem esse texto escrito por ´ Moises, um homem que eles respeitavam muito. Consegue ˜ perceber a forca ¸ da explicac¸ ao de Jesus? ´ 21 Moises ouviu essas palavras de Jeova´ perto de um espiˆ nheiro em chamas por volta de 1514 AEC. (Exodo 3:2, 6) ´ ´ ˜ Naquela epoca, ja fazia 329 anos que Abraao tinha morrido; ´ Isaque tinha morrido havia 224 anos, e Jaco, havia 197 anos. ´ Mesmo assim, Jeova disse: “Eu sou” o Deus deles. Os sadu´ ˜ ´ ˜ ceus sabiam que Jeova nao e como um deus pagao dos ´ ˜ mortos, que reina num mıtico submundo. Nao; como Jesus ´ disse, ele e o Deus “de vivos”. O que isso significa? A con˜ ´ clusao de Jesus era obvia: “Para ele, todos estes vivem.” (Lu´ ´ ˜ cas 20:38) Os amados servos de Jeova que ja morreram estao ´ ´ guardados em seguranca ¸ na sua ilimitada e infalıvel memo´ ´ ´ ˜ ria. O proposito de ressuscita-los e tao certo que eles podem ˜ ser considerados como vivos. (Romanos 4:16, 17) Nao acha ˜ ˜ ´ essa explicac¸ ao da Palavra de Deus maravilhosa? Nao e de ´ ´ 20, 21. Como Jesus explicou as palavras de Jeova a Moises no espinheiro em chamas?


´ “ESTA ESCRITO”

107

Como Ser Seguidor de Jesus? ˘ Por que devemos tomar cuidado para nunca permitir que ˜ tradic¸ oes ou conceitos humanos se tornem mais importantes do que a Palavra de Deus? — Mateus 15:2-11. ´ ˘ Quando respondemos perguntas, por que e bom direcionar ˜ ´ a atenc¸ ao dos ouvintes para a Bıblia? — Lucas 10:25-28. ˜ ˘ Como podemos imitar a disposic¸ ao de Jesus em permitir ´ que a Palavra profetica de Deus guiasse sua vida e suas deci˜ soes? — Lucas 18:31-34; 22:37. ˘ Sempre que nossas crencas ¸ forem questionadas, por que ˜ devemos basear nossa defesa na Palavra de Deus? — Joao 10:31-39.

˜ admirar que ‘as multidoes ficassem assombradas’! — Mateus 22:33. ˜ ˆ ´ 22 Os cristaos hoje tem o privilegio de explicar a Palavra de ˜ Deus imitando o exemplo de Jesus. Reconhecemos que nao temos uma mente perfeita. Mas muitas vezes temos a opor´ tunidade de ler para as pessoas um texto que elas ja conhecem e explicar um ponto em que talvez nunca tenham parado para pensar. Por exemplo, elas talvez tenham repetido a vida inteira as palavras “santificado seja o vosso nome” e ´ “venha a nos o vosso Reino” sem nunca ter aprendido qual ´ ´ e o nome de Deus ou o que e´ o Seu Reino. (Mateus 6:9, 10, ˆ ´ Antonio Pereira de Figueiredo) E maravilhoso quando alguem ˜ nos permite dar explicac¸ oes simples e claras sobre as verda´ des bıblicas! ˜ 23 Citar, defender e explicar a Palavra de Deus sao maneiras de imitar o modo como Jesus transmitiu a verdade. No ´ ´ ´ proximo capıtulo vamos considerar alguns metodos eficazes ˜ que Jesus usou para tocar o corac¸ ao de seus ouvintes com as ´ verdades bıblicas. 22, 23. (a) Como podemos imitar a Jesus por explicar a Palavra de ´ ´ Deus? (b) O que consideraremos no proximo capıtulo?


´ C A P I T U L O

1 1

“Nunca homem algum falou como este” ˜ ´ OS FARISEUS estao furiosos, pois Jesus esta no templo en˜ sinando sobre seu Pai. Os ouvintes estao divididos; muitos acreditam no que Jesus diz, outros querem que ele seja pre˜ ´ so. Nao podendo mais conter sua raiva, os lıderes religiosos enviam oficiais para prender Jesus. Mas eles retornam de ˜ maos vazias. Os principais sacerdotes e os fariseus exi˜ ´ ˜ gem uma explicac¸ ao: “Por que e que nao o trouxestes para ´ ca?” Os oficiais respondem: “Nunca homem algum falou ˜ como este.” Eles ficaram tao impressionados com o ensi˜ ˆ ˜ no de Jesus que nao tiveram coragem de prende-lo.1 — Joao 7:45, 46. ˜ ´ 2 Aqueles oficiais nao foram os unicos a ficar impressiona˜ ´ dos com o ensino de Jesus. Multidoes ajuntavam-se so para ouvi-lo ensinar. (Marcos 3:7, 9; 4:1; Lucas 5:1-3) Por que ˜ ´ Jesus foi um instrutor tao notavel? Conforme vimos no Ca´ pıtulo 8, ele amava as verdades que transmitia e as pessoas ´ ´ a quem ensinava. Tambem usava metodos de ensino de ˆ ´ ´ forma magistral. Vamos considerar tres desses metodos pra´ ticos e como podemos usa-los.

Simplicidade no ensino

3

´ Consegue imaginar o amplo vocabulario que Jesus pode-

´ 1 Os oficiais provavelmente eram agentes do Sinedrio que obede` ciam as ordens dos principais sacerdotes. 1, 2. (a) Por que os oficiais que foram enviados para prender Jesus ˜ ´ voltaram de maos vazias? (b) Por que Jesus foi um instrutor notavel? 3, 4. (a) Por que Jesus usava linguagem simples ao ensinar? (b) Como ˜ ´ o Sermao do Monte e um exemplo da simplicidade com que Jesus ensinava?


“NUNCA HOMEM ALGUM FALOU COMO ESTE”

109

ria ter usado? Apesar disso, quando ensinava, sempre usa´ va uma linguagem facil de entender. Muitos de seus ouvintes eram “indoutos e comuns”. (Atos 4:13) Jesus levava em ˜ conta as limitac¸ oes deles, nunca os sobrecarregando com ˜ ˜ muita informac¸ ao. ( Joao 16:12) Suas palavras eram simples, mas as verdades que transmitiam eram muito profundas. ˜ 4 Por exemplo, considere o Sermao do Monte, registrado ˜ em Mateus 5:3–7:27. Naquele sermao Jesus deu conselhos ˆ ˜ profundos, que tocavam o amago questoes. As ideias e ´ das ˜ ˜ ´ as frases nao sao complicadas. E difıcil encontrar ali algu´ ˜ ma palavra que ate mesmo uma crianca ¸ nao consiga enten˜ ´ der. Por isso, nao e para menos que, quando Jesus terminou ˜ de falar, as multidoes — provavelmente incluindo muitos lavradores, pastores e pescadores — tenham ‘ficado assombradas com o seu modo de ensinar’. — Mateus 7:28. 5 Ao ensinar, Jesus geralmente usava frases simples e cur´ tas, mas cheias de significado. Desse modo, numa epoca muito anterior aos livros impressos, sua mensagem ficava ˜ bem gravada na mente e no corac¸ ao de seus ouvintes. Veja ˜ alguns exemplos: “Parai de julgar, para que nao sejais julga´ ˜ ´ dos.” “As pessoas com saude nao precisam de medico, mas ´ ´ ´ sim os enfermos.” ‘O espırito esta ansioso, mas a carne e fra´ ´ ca.’ ‘Pagai a Cesar as coisas de Cesar, mas a Deus as coisas de ´ ´ Deus.’ “Ha mais felicidade em dar do que ha em receber.”1 (Mateus 7:1; 9:12; 26:41; Marcos 12:17; Atos 20:35) Essas pa˜ ´ ´ lavras sao lembradas ate hoje, quase 2 mil anos apos terem sido proferidas. ´ ˜ ´ 1 Essa ultima declarac¸ ao, registrada em Atos 20:35, e citada apenas ´ ´ pelo apostolo Paulo. Pode ser que ele a tenha ouvido de alguem que ´ ´ estava presente quando Jesus a proferiu ou do proprio Jesus apos sua ˜ ´ ressurreic¸ ao. Outra possibilidade e que ele a tenha recebido por reve˜ lac¸ ao divina. ˜ 5. Cite exemplos de frases de Jesus que, embora simples, sao cheias de significado.


110

‘VENHA SER MEU SEGUIDOR’

´ Como podemos ensinar com simplicidade? E importante usarmos linguagem simples, que a maioria das pessoas ´ consiga entender de imediato. As verdades basicas da Pala˜ ˜ ´ vra de Deus nao sao complicadas. Jeova revelou seus pro´ ˜ ´ positos aos de corac¸ ao sincero e humilde. (1 Corıntios 1:2628) Palavras simples e bem escolhidas podem transmitir eficazmente as verdades da Palavra de Deus. 7 Para ensinar com simplicidade precisamos tomar cuida˜ ´ do para nao sobrecarregar o estudante da Bıblia com muitas ˜ ´ ˜ ´ informac¸ oes. Assim, ao dirigir um estudo bıblico, nao e ne´ cessario explicar todos os detalhes nem estudar depressa a ´ ´ materia como se o´ mais importante fosse cobrir certo nu´ mero de paginas. E melhor que o ritmo do estudo se adap` te as necessidades e habilidades do estudante. Nosso objeti´ ´ vo e ajuda-lo a se tornar seguidor de Cristo e adorador de ´ ´ Jeova. Para isso, precisamos usar o tempo que for necessario ´ para ele entender razoavelmente bem o que esta estudando. ´ ˜ ´ ´ ˜ ´ So entao a verdade bıblica tocara seu corac¸ ao e o motivara a ˆ ´ por em pratica o que aprende. — Romanos 12:2. 6

´ 6, 7. (a) Para ensinar com simplicidade, por que e importante usar linguagem simples? (b) Como podemos evitar sobrecarregar o estu˜ dante com muitas informac¸ oes?

Ensine com simplicidade


“NUNCA HOMEM ALGUM FALOU COMO ESTE”

111

Perguntas apropriadas

´ Jesus fez uso notavel de perguntas, mesmo quando teria ´ sido mais rapido simplesmente dizer ao ouvinte qual era ` o ˜ ˜ ponto em questao. Por que, entao, ele fazia perguntas? As ˜ vezes para expor a motivac¸ ao de seus opositores, deixandoos sem resposta. (Mateus 21:23-27; 22:41-46) Mas, em mui´ tos casos, Jesus fez perguntas para saber o que seus discıpu´ los pensavam e para estimular o raciocınio deles. Assim, ele ˆ fazia perguntas do tipo: “O que voce acha?” “Acredita nis˜ so?” (Mateus 18:12; Joao 11:26) As perguntas que Jesus fazia ˜ ´ tocavam o corac¸ ao dos discıpulos. Vamos ver um exemplo. ˜ 9 Em certa ocasiao, cobradores de impostos perguntaram a Pedro se Jesus pagava o imposto do templo.1 Pedro foi logo respondendo que sim. Jesus depois raciocinou com ˜ ele: “O que achas, Simao? De quem recebem os reis da terra os direitos ou o imposto por cabeca? ¸ Dos seus filhos ou dos estranhos?” Pedro respondeu: “Dos estranhos.” Jesus dis˜ ˜ se: “Realmente, entao, os filhos estao isentos de impostos.” ˜ ´ ´ (Mateus 17:24-27) O ponto em questao sem duvida era ob´ vio para Pedro, pois todos sabiam que os membros da famılia real eram isentos de impostos. Portanto, como Filho uniˆ ˜ genito do Rei celestial que era adorado no templo, Jesus nao ˜ estava sob a obrigac¸ ao de pagar o imposto. Em vez de simplesmente dizer a Pedro a resposta certa, Jesus, com tato, fez ´ ` ˜ perguntas para ajuda-lo a chegar a conclusao correta e talvez perceber a necessidade de pensar melhor antes de responder. 8

1 Os judeus tinham de pagar um imposto anual de duas dracmas ´ para o templo, o equivalente a mais ou menos o salario de dois dias ˆ de trabalho. Uma obra de referencia diz: “Esse imposto era usado prin´ cipalmente para custear as despesas da oferta queimada diaria e de to´ dos os sacrifıcios feitos em nome do povo.” 8, 9. (a) Por que Jesus fazia perguntas? (b) Como Jesus fez pergun` ˜ tas para ajudar Pedro a chegar a conclusao correta sobre o assunto de pagar o imposto do templo?


112 10 Como podemos fazer bom uso de perguntas em ´ nosso ministerio? Na pre˜ gac¸ ao de casa em casa, podemos usar perguntas para despertar interesse. Isso talvez abra oportunidades para falarmos sobre as boas novas. Por exemplo, se uma pessoa de mais idade nos Faca ¸ perguntas sobre atender, podemos pergunassuntos que interessam tar de modo respeitoso: ao morador “Acha que o mundo mu´ dou muito ao longo de sua vida?” Apos ouvir a respos´ ta, poderemos perguntar: “O que acha que seria necessario para tornar este mundo um lugar melhor para viver?” (Ma˜ teus 6:9, 10) Caso uma mae com filhos pequenos nos aten´ ´ da, podemos dizer: “Ja se perguntou como sera este mundo quando seus filhos tiverem crescido?” (Salmo 37:10, 11) Por sermos observadores quando chegamos numa casa, talvez consigamos fazer uma pergunta sobre um assunto que interessa ao morador. 11 Como podemos fazer bom uso de perguntas ao diri´ gir um estudo bıblico? Perguntas bem escolhidas podem ˜ nos ajudar a descobrir o que o estudante tem no corac¸ ao. ´ ˆ (Proverbios 20:5) Por exemplo, digamos que voce esteja es´ tudando o capıtulo “Como viver de um modo que agrade ´ a Deus”, no livro O Que a Bıblia Realmente Ensina?.1 Esse ´ capıtulo explica o conceito de Deus a respeito de assuntos

´ 1 Publicado pelas Testemunhas de Jeova. 10. Como podemos fazer bom uso de perguntas ao pregar de casa em casa? 11. Como podemos fazer bom uso de perguntas ao dirigir um estu´ do bıblico?


“NUNCA HOMEM ALGUM FALOU COMO ESTE”

113

como imoralidade sexual, embriaguez e mentira. As respostas do estudante talvez indiquem que ele entende o que ´ ´ ´ a Bıblia ensina, mas sera que ele concorda com o que esta ´ aprendendo? Podemos perguntar: “Acha razoavel o con´ ´ ceito de Deus sobre esses assuntos?” Tambem poderıamos ˆ ˆ ´ perguntar: “Como voce pode por em pratica essas informa˜ ´ ´ c¸ oes?” Mas lembre-se de que e necessario ter tato ao fazer perguntas, mostrando respeito pelo estudante. Nunca devemos fazer perguntas que o deixem constrangido. — Pro´ verbios 12:18.

´ ´ Logica irrefutavel

ˆ Com sua inteligencia perfeita, Jesus raciocinava com ` ´ outros de modo magistral. As vezes ele empregava a logica ˜ para refutar as acusac¸ oes falsas de seus opositores. Em mui˜ tas ocasioes, ele usou argumentos convincentes para ensi˜ nar lic¸ oes importantes a seus seguidores. Vejamos alguns exemplos. 13 Quando Jesus curou um homem cego, mudo e que es´ ˆ tava possuıdo por um demonio, os fariseus disseram: “Este ˜ ˆ ˜ nao expulsa os demonios senao por meio de Belzebu [Sata´ ˆ nas], o governante dos demonios.” Eles admitiram que era ´ ˆ necessario poder sobre-humano para expulsar demonios, ´ ´ mas disseram que o poder de Jesus vinha de Satanas. Alem ˜ ´ ˜ ´ de ser falsa, a acusac¸ ao tambem nao tinha logica. Expon´ do o raciocınio errado deles, Jesus respondeu: “Todo reino ˜ dividido contra si mesmo cai em desolac¸ ao, e toda cidade ˜ ou casa dividida contra si mesma nao permanece. Do mes´ ´ mo modo, se Satanas expulsa a Satanas, ele ficou dividido ´ ˜ contra si mesmo; como permanecera entao o seu reino?” (Mateus 12:22-26) Era como se Jesus estivesse dizendo: “Se ´ ˜ eu fosse agente de Satanas, desfazendo o que ele fez, entao 12

´ 12-14. (a) De que maneira Jesus usava argumentos logicos com ha´ ´ bilidade? (b) Que logica irrefutavel Jesus usou quando os fariseus atri´ ´ buıram seu poder a Satanas?


114

‘VENHA SER MEU SEGUIDOR’

´ ele estaria trabalhando contra os seus proprios interesses e logo fracassaria.” Como os fariseus poderiam negar algo ˜ ´ tao logico? 14 Jesus continuou raciocinando com eles. Sabendo que ´ ´ ˆ alguns discıpulos dos fariseus tambem expulsavam demonios, Jesus fez uma pergunta simples, mas poderosa: “Se ˆ eu expulso os demonios por meio de Belzebu, por meio de ´ quem os expulsam os vossos filhos [ou discıpulos]?” (Mateus 12:27) Basicamente, o argumento de Jesus era: “Se eu ˆ ´ ˜ expulso demonios com o poder de Satanas, entao seus dis´ cıpulos devem estar usando esse mesmo poder.” O que os fariseus podiam falar? Eles nunca reconheceriam que seus ´ ´ discıpulos agiam sob o poder de Satanas. Desse modo, Je´ ˆ sus usou o proprio argumento errado deles para faze-los ˜ ˜ chegar a uma conclusao que os deixou incomodados. Nao ´ e emocionante ler a respeito de como Jesus raciocinou ˜ ˜ com eles? Imagine, entao, as multidoes que ouviram Jesus pessoalmente; sua presenca ¸ e seu tom de voz com certeza ` davam mais forca ¸ as suas palavras. ´ ´ ´ 15 Jesus tambem usava raciocınio logico e convincente para ensinar verdades animadoras sobre seu Pai. Ele fez isso ˜ ´ muitas vezes usando a expressao “quanto mais”. Essa tecni˜ ca ajuda os ouvintes a ter uma convicc¸ ao ainda mais forte ´ a respeito de um assunto a partir de um fato que ja conhe˜ cem bem.1 Esse tipo de argumentac¸ ao, baseada em contraste, pode causar um profundo efeito nas pessoas. Vamos considerar apenas dois exemplos. ´ 16 Respondendo ao pedido de seus discıpulos para que ˜ lhes ensinasse a orar, Jesus falou da disposic¸ ao de pais hu˜ ´ ` 1 Esse tipo de argumentac¸ ao e as vezes chamado de “a fortiori”, uma ˜ ˜ expressao em latim que significa “com razao mais convincente; com ˜ muito mais motivo; com mais forte razao”. ˆ ˜ 15-17. De um exemplo de como Jesus usou a expressao “quanto mais” para ensinar verdades animadoras sobre seu Pai.


“NUNCA HOMEM ALGUM FALOU COMO ESTE”

115

´ ´ manos imperfeitos de “dar boas dadivas” a seus filhos. Daı ´ ´ ´ concluiu: “Se vos, embora inıquos, sabeis dar boas dadivas ´ ´ ´ a vossos filhos, quanto mais o Pai, no ceu, dara espırito san´ to aos que lhe pedirem!” (Lucas 11:1-13) O raciocınio de Jesus baseava-se num contraste. Se pais humanos pecadores cuidam das necessidades de seus filhos, quanto mais o ´ nosso Pai celestial, que e perfeito e justo em todos os senti´ ´ dos! Com certeza ele dara esp��rito santo a seus adoradores ˜ leais que humildemente se achegarem a ele em orac¸ ao. ´ 17 Jesus usou uma linha de raciocınio semelhante ao dar bons conselhos sobre como lidar com ansiedades. Ele dis˜ ˆ se: “Os corvos nem semeiam nem ceifam, e . . . nao tem nem palheiro nem celeiro, contudo, Deus os alimenta. De ´ quanto mais valor sois vos do que as aves? Notai bem como ´ ˜ os lırios crescem; eles nem labutam nem fiam . . . Entao, se ˜ Deus reveste assim a vegetac¸ ao do campo, que hoje existe ˜ ´ ´ e amanha e lancada no forno, quanto mais vestira ele antes ¸ ´ ´ ´ ´ ´ a vos, o vos com pouca fe!” (Lucas 12:24, 27, 28) Se Jeova cuida das aves e das flores, quanto mais dos humanos que ´ ´ o amam e o adoram! Com esse raciocınio Jesus sem duvi˜ da tocou o corac¸ ao de seus ouvintes. ´ ´ 18 No nosso ministerio, devemos usar logica bem funda´ mentada para refutar crencas ¸ falsas. Tambem precisamos usar argumentos convincentes para ensinar verdades ani´ ´ madoras sobre Jeova. (Atos 19:8; 28:23, 24) Sera que preci´ samos aprender a usar logica complicada? De forma algu˜ ´ ma. A lic¸ ao que aprendemos de Jesus e que os argumentos ´ ˜ logicos usados de modo simples sao os mais eficazes. ´ ´ 19 Por exemplo, como poderıamos responder a alguem ˜ ˜ que diz que nao acredita em um Deus a quem nao consegue ver? Podemos raciocinar com base na lei natural de causa e efeito. Quando vemos um efeito, reconhecemos ´ ˜ 18, 19. Como podemos raciocinar com alguem que diz que nao acre˜ dita num Deus a quem nao consegue ver?


116

‘VENHA SER MEU SEGUIDOR’

´ ˆ que tem de haver uma causa. Poderıamos dizer: “Se voce estivesse num lugar isolado e se deparasse com uma casa ´ bem construıda e com um estoque de alimentos (efeito), ˜ ´ nao reconheceria de imediato que alguem (uma causa) ´ ´ deve ser responsavel por tudo que ha ali? Portanto, quan´ do vemos o obvio projeto da natureza e a grande quantidade de alimentos guardados na ‘despensa’ da Terra (efeito), ˜ ´ ´ nao faz sentido concluir que Alguem (uma Causa) e res´ ˆ ´ ´ ponsavel pela existencia de tudo isso? A propria Bıblia usa ´ ´ ´ uma linha de raciocınio similar: ‘Cada casa e construıda ´ ´ por alguem, mas todas as coisas e Deus.’ ” ´ quem construiu ˜ ˜ (Hebreus 3:4) E claro que nao importa quao bem funda˜ mentados sejam os nossos argumentos, nao conseguiremos convencer todas as pessoas. — 2 Tessalonicenses 3:2. ´ 20 Ao ensinarmos, tanto no ministerio de campo como na ˜ 20, 21. (a) Como podemos usar a expressao “quanto mais” para des´ tacar as qualidades e os modos de agir de Jeova? (b) O que vamos con´ ´ siderar no proximo capıtulo?

Use argumentos que toquem ˜ o corac¸ ao da pessoa


“NUNCA HOMEM ALGUM FALOU COMO ESTE”

117

Como Ser Seguidor de Jesus? ˜ Ao fazer discursos na congregac¸ ao, de que modo o que Jesus ´ disse pode ajuda-lo a escolher suas palavras? — Mateus 11:25. ´ ˘ Como os oradores publicos podem imitar a Jesus no uso de perguntas? — Mateus 11:7-9. ˆ ´ ˘ Ao ensinar, como voce pode usar hiperboles de modo equilibrado? — Mateus 7:3; 19:24. ´ ˘ Assim como Jesus, de que maneira podemos mostrar na pra˜ tica o que queremos ensinar? — Joao 13:5, 14. ˘

˜ ´ ˜ congregac¸ ao, podemos usar tambem a expressao “quanto mais” para destacar as qualidades e os modos de agir de ´ Jeova. Por exemplo, para mostrar que a doutrina do tormento eterno num inferno de fogo na realidade desonra a ´ ´ Jeova, poderıamos dizer: “Que pai amoroso puniria seu fi˜ lho pondo a mao dele no fogo? Quanto mais repugnante deve ser para o nosso amoroso Pai celestial a ideia de um inferno de fogo!” ( Jeremias 7:31) A fim de ajudar um ir˜ ´ mao deprimido a ver que Jeova realmente o ama, podemos ´ ´ dizer: “Se Jeova considera valioso ate um pequenino pardal, quanto mais amor e carinho ele deve ter por seus adoˆ radores terrestres individualmente, incluindo voce!” (Mateus 10:29-31) Esses argumentos podem nos ajudar a tocar ˜ o corac¸ ao de outros. ˆ ´ 21 Depois de analisar apenas tres dos metodos de ensi´ ´ ˜ no de Jesus, e facil entender que aqueles oficiais que nao ˜ prenderam Jesus nao estavam exagerando quando disse´ ram: “Nunca homem algum falou como este.” No proximo ´ ´ capıtulo, vamos considerar o metodo de ensino pelo qual ˜ Jesus talvez seja mais conhecido: o uso de ilustrac¸ oes.


´ C A P I T U L O

1 2

“Nada lhes falava ˜ sem ilustrac¸ ao” ´ ˆ OS DISCIPULOS que viajam com Jesus tem uma oportunidade sem igual. Eles aprendem diretamente do Grande Ins˜ trutor. Podem ouvir de primeira mao Jesus esclarecer a Palavra de Deus e ensinar verdades maravilhosas. Por enquanto ˆ eles tem de guardar suas valiosas palavras na mente e no co˜ ˜ ´ rac¸ ao, pois ainda nao chegou o tempo de registra-las.1 Mas ´ Jesus faz algo que ajuda seus discıpulos a se lembrar do que ˆ ˜ ele lhes diz. O que? Ele ensina usando ilustrac¸ oes de modo magistral. ˜ 2 De fato, dificilmente esquecemos boas ilustracoes. Certo ¸ ˜ escritor disse que as ilustrac¸ oes “transformam ouvidos em olhos e permitem que os ouvintes visualizem a mensagem”. Visto que em geral pensamos melhor com a ajuda de ima˜ ´ gens, as ilustrac¸ oes podem fazer com que ate mesmo ideias ´ ˜ ` abstratas sejam mais faceis de entender. Elas dao vida as pa˜ lavras, ensinando lic¸ oes que ficam gravadas na mente. ˜ 3 Nenhum instrutor humano usou ilustracoes com tanta ¸ ´ ˜ ˜ habilidade como Jesus Cristo. Ate hoje, suas ilustrac¸ oes sao ˆ facilmente lembradas. Por que Jesus recorria com frequen´ ˜ cia a esse metodo de ensino? O que tornava suas ilustrac¸ oes ˜ ´ tao eficazes? Como podemos aprender a usar esse metodo de ensino? 1 Tudo indica que o primeiro relato inspirado sobre a vida terrestre de Jesus tenha sido o Evangelho de Mateus, escrito cerca de oito anos ´ apos sua morte. ˆ ´ 1-3. (a) Que oportunidade sem igual tem os discıpulos que viajam com Jesus, e como ele os ajuda a se lembrar do que lhes ensina? (b) Por ´ ´ ˜ que e facil lembrar de boas ilustrac¸ oes?


˜ “NADA LHES FALAVA SEM ILUSTRAC¸ AO”

˜ Por que Jesus ensinava usando ilustrac¸ oes

119

´ ˜ A Bıblia mostra que Jesus usava ilustrac¸ oes por duas ra˜ zoes principais. Primeiro, isso cumpria profecias. Lemos em ` ˜ Mateus 13:34, 35: “Jesus [falou] as multidoes por meio de ˜ ˜ ilustrac¸ oes. Deveras, nada lhes falava sem ilustrac¸ ao; para ´ que se cumprisse o que fora dito por intermedio do profeta, ˜ que disse: ‘Abrirei a boca com ilustrac¸ oes.’ ” O profeta mencionado por Mateus era o escritor do Salmo 78:2. O salmis˜ ´ ta escreveu essas palavras sob inspirac¸ ao do espırito de Deus ´ seculos antes do nascimento de Jesus. Pense no que isso sigˆ ´ nifica. Com centenas de anos de antecedencia, Jeova havia determinado que o Messias ensinaria por meio de ilus˜ ´ trac¸ oes. Portanto, Jeova com certeza deve dar muito valor a ´ esse metodo de ensino. ˜ 5 Segundo, Jesus explicou que usava ilustracoes para iden¸ ˜ tificar aqueles cujo corac¸ ao havia “ficado embotado”. (Ma´ ˜ teus 13:10-15; Isaıas 6:9, 10) Como suas ilustrac¸ oes expu˜ nham a motivac¸ ao das pessoas? Em alguns casos, Jesus ˜ queria que seus ouvintes pedissem explicac¸ oes para poderem entender plenamente o que ele dizia. Os humildes es˜ tavam dispostos a pedir mais explicac¸ oes, os orgulhosos ˜ e indiferentes, nao. (Mateus 13:36; Marcos 4:34) Assim, as ˜ ilustrac¸ oes de Jesus revelavam a verdade aos que ansiavam ˜ por ela; ao mesmo tempo, suas ilustrac¸ oes escondiam a verdade dos que eram orgulhosos. ˜ ´ ´ 6 As ilustracoes de Jesus tambem eram uteis em muitos ou¸ tros sentidos. Elas despertavam o interesse das pessoas, mo´ tivando-as a escutar. Criavam quadros mentais faceis de en´ ´ tender. Conforme mencionado no inıcio deste capıtulo, as ˜ ilustrac¸ oes de Jesus ajudavam os ouvintes a lembrar-se do ˜ que ele dizia. O Sermao do Monte, registrado em Mateus ´ ´ 5:3–7:27, e um otimo exemplo de como Jesus usava muitas 4

˜ 4, 5. Por que Jesus usava ilustrac¸ oes? ˜ ´ 6. As ilustrac¸ oes de Jesus eram uteis em que sentidos?


120

‘VENHA SER MEU SEGUIDOR’

˜ ˜ ilustrac¸ oes. Segundo uma contagem, esse sermao tem mais de 50 figuras de linguagem. Para ter uma ideia, lembre-se de ˜ que o Sermao do Monte pode ser lido em voz alta em cerca ´ de 20 minutos. Nesse caso, em media uma figura de lingua´ gem e mencionada aproximadamente a cada 20 segundos! ˜ ´ ´ Nao ha duvida de que Jesus reconhecia as vantagens de usar ˜ ilustrac¸ oes! 7 Como seguidores de Cristo, queremos imitar seu modo ˜ de ensinar, incluindo o uso de ilustrac¸ oes. Assim como os temperos deixam um alimento mais saboroso, boas ilustra˜ ´ ˜ c¸ oes podem tornar nosso ensino mais agradavel. Ilustrac¸ oes ´ bem pensadas tambem podem fazer com que verdades im´ portantes fiquem mais faceis de entender. Agora vamos ver em mais detalhes alguns fatores que fizeram com que as ˜ ˜ ilustrac¸ oes de Jesus fossem tao eficazes. Com isso entende´ remos melhor como fazer bom uso desse valioso metodo de ensino.

˜ Comparac¸ oes simples

˜ Ao ensinar, Jesus muitas vezes usava comparac¸ oes simples, expressas em poucas palavras. Mas essas palavras sim´ ples criavam vıvidos quadros mentais e ensinavam com clareza importantes verdades espirituais. Por exemplo, ao in´ ˜ centivar seus discıpulos a nao estar ansiosos pelas necessi´ ´ ´ dades diarias, Jesus mencionou “as aves do ceu” e os “lırios ˜ ´ ˜ do campo”. As aves nao semeiam nem colhem, os l´ ırios nao ´ fiam nem tecem. Mesmo assim, Deus cuida deles. E facil entender o ponto, ou seja, se Deus cuida das aves e das flores, ´ com certeza cuidara das pessoas que ‘persistirem em buscar primeiro o reino’. — Mateus 6:26, 28-33. ´ ´ ˜ 9 Jesus tambem fez amplo uso de metaforas, comparac¸ oes ˆ ´ que tem ainda mais forca. ¸ Uma metafora refere-se a uma 8

´ ˜ 7. Por que e bom usarmos ilustrac¸ oes assim como Jesus? ˜ 8, 9. Como Jesus fez uso de comparac¸ oes simples, e o que tornava ˜ ˜ suas comparac¸ oes tao eficazes?


˜ “NADA LHES FALAVA SEM ILUSTRAC¸ AO”

121

´ coisa como se fosse outra. Tambem nesse caso, Jesus usava ˜ ˜ comparac¸ oes simples. Em certa ocasiao, ele disse a seus dis´ ´ ´ cıpulos: “Vos sois a luz do mundo.” Os discıpulos podiam ´ facilmente entender essa metafora, ou seja, por meio de suas ˜ palavras e ac¸ oes eles podiam deixar brilhar a luz da verdade espiritual e ajudar outros a glorificar a Deus. (Mateus 5:14´ ´ 16) Veja mais algumas metaforas usadas por Jesus: “Vos sois ´ o sal da terra.” “Eu sou a videira, vos sois os ramos.” (Ma˜ teus 5:13; Joao 15:5) Apesar de serem simples, essas figuras de linguagem causam um profundo impacto. ˜ ˜ ´ 10 Ao ensinar, como voceˆ pode usar ilustracoes? Nao e ne¸ ´ ´ cessario inventar historias longas e detalhadas. Apenas ten˜ ˆ te pensar em comparac¸ oes simples. Digamos que voce este˜ ja considerando o assunto da ressurreic¸ ao e queira ilustrar ` ˜ ´ que trazer os mortos de volta a vida nao e problema para ´ ˜ ` ´ Jeova. Que comparac¸ ao lhe vem a mente? A Bıblia usa o ´ ˆ sono como uma metafora para a morte. Voce poderia dizer: “Deus pode ressuscitar os mortos com a mesma facilida´ ´ ´ de com que nos podemos acordar alguem que esta dormin˜ ˆ do.” ( Joao 11:11-14) Agora imagine que voce queira ilustrar ˜ que as criancas ¸ precisam de amor e afeic¸ ao para desenvolver´ se bem. Que exemplo poderia usar? A Bıblia faz a seguinte ˜ ˜ comparac¸ ao: os filhos sao “como mudas de oliveiras”. (Salˆ mo 128:3) Voce poderia dizer: “Os filhos precisam de amor ˜ ´ e afeic¸ ao assim como uma planta precisa de sol e agua.” ˜ ´ ´ Quanto mais simples for a comparac¸ ao, mais facil sera para os ouvintes entenderem o ponto.

˜ Ilustrac¸ oes baseadas no dia a dia

11

˜ ` Jesus fazia bom uso de ilustrac¸ oes relacionadas a vida das

˜ ˆ 10. Quais sao alguns exemplos que mostram como voce pode usar ˜ ilustrac¸ oes ao ensinar? ˜ 11. Cite exemplos de como as ilustrac¸ oes de Jesus se baseavam em coi´ ˆ sas que ele sem duvida havia observado durante sua infancia na Galileia.


122

‘VENHA SER MEU SEGUIDOR’

˜ pessoas. Muitas de suas ilustrac¸ oes se baseavam em circunsˆ tancias do dia a dia que ele provavelmente havia observado ˆ enquanto crescia na Galileia. Pense um pouco na infancia ˜ de Jesus. Imagine quantas vezes ele deve ter visto sua mae ˆ moer cereais para fazer farinha, por fermento numa masˆ sa, acender uma lampada ou varrer a casa. (Mateus 13:33; ´ 24:41; Lucas 15:8) Ele tambem deve ter observado muitas vezes os pescadores lancarem suas redes no mar da Galileia. ¸ (Mateus 13:47) E frequentemente deve ter visto criancas ¸ ´ brincando na feira. (Mateus 11:16) Jesus sem duvida deve ter ˜ observado outras coisas comuns que sao mencionadas em ˜ muitas de suas ilustrac¸ oes, tais como o plantio de sementes, alegres festas de casamento e campos de cereais amadurecendo ao sol. — Mateus 13:3-8; 25:1-12; Marcos 4:26-29. ˜ 12 Nas suas ilustracoes Jesus mencionava detalhes que seus ¸ ouvintes conheciam bem. Por exemplo, ele iniciou a pa´ rabola do bom samaritano dizendo: “Certo homem descia ´ ´ de Jerusalem para Jerico e caiu entre salteadores, que tanto o despojaram como lhe infligiram golpes, . . . deixan´ do-o semimorto.” (Lucas 10:30) E interessante notar que ´ ´ Jesus mencionou a estrada que ia “de Jerusalem para Jerico”. ´ ˜ Quando contou essa parabola ele estava na Judeia, nao mui´ to longe de Jerusalem; portanto, seus ouvintes com certeza conheciam aquela estrada. Ela era perigosa, especialmen´ te para alguem que estivesse viajando sozinho. Por ser uma ˜ estrada cheia de curvas e passar por uma regiao desabitada, ˜ havia muitos lugares onde ladroes podiam esconder-se. 13 Jesus incluiu outros detalhes conhecidos sobre a estrada ´ ´ ´ que ia “de Jerusalem para Jerico”. Segundo a parabola, um ´ sacerdote e depois um levita tambem passaram por aquela ´ estrada, mas nenhum deles parou para ajudar a vıtima. (Lucas 10:31, 32) Os sacerdotes serviam no templo em Jerusa´ ´ 12, 13. Na parabola do bom samaritano, por que e significativo que ´ ´ Jesus tenha mencionado a estrada que ia “de Jerusalem para Jerico”?


Como Jesus usou aves e flores para ilustrar o cuidado que Deus ´ tem por nos?

´ lem e os levitas eram seus ajudantes. Muitos deles moravam ´ ˜ ´ em Jerico quando nao estavam a servico ¸ no templo; Jerico ˆ ´ ficava apenas a uns 23 quilometros de Jerusalem. Por isso, era comum sacerdotes e levitas passarem por aquela estrada. ´ ˜ Note tambem que Jesus disse que o viajante “descia” — nao ´ subia — a estrada “de Jerusalem”. Isso fazia sentido para seus ´ ´ ouvintes. Jerusalem era uma cidade mais alta do que Jerico. ´ ´ Desse modo, quando viajava “de Jerusalem para Jerico”, o viajante realmente ‘descia’.1 Fica claro que, ao usar ilustra˜ c¸ oes, Jesus pensava em seus ouvintes. ˜ ´ 14 Ao usarmos ilustracoes, tambem preci¸ samos levar em conta os ouvintes. Que fatores a respeito deles podem influir na nos˜ sa escolha de ilustrac¸ oes? ´ 1 Jesus tambem disse que o sacerdote e o levita estavam vindo ´ “de Jerusalem”, ou seja, voltan´ do do templo. Assim, ninguem podia justificar a indiferenca ¸ deles por dizer que se desviaram do homem que parecia estar morto ˜ porque nao queriam ficar impuros, o que temporariamente os impediria de servir no templo. ´ ´ — Levıtico 21:1; Numeros 19:16. ˜ 14. Ao usarmos ilustrac¸ oes, como podemos ter em mente os nossos ouvintes?


124

‘VENHA SER MEU SEGUIDOR’

Talvez precisemos considerar fatores como idade, cultura, ˜ ˜ ˜ criac¸ ao e profissao. Por exemplo, uma ilustrac¸ ao que mencione detalhes sobre agricultura talvez seja mais facilmen´ te entendida numa area rural do que numa cidade grande. O dia a dia e as atividades de nossos ouvintes — seus filhos, ´ sua casa, seus hobbies, o que comem — tambem podem ser ˜ fonte de boas ilustrac¸ oes.

˜ ˜ Ilustrac¸ oes baseadas na criac¸ ao

˜ Muitas ilustrac¸ oes de Jesus revelam seu conhecimento da natureza, incluindo plantas, animais e o clima. (Mateus 16:2, 3; Lucas 12:24, 27) Como ele adquiriu esse co´ nhecimento? Enquanto crescia na Galileia, ele sem duvida ˜ teve muitas oportunidades para observar a criac¸ ao. Ainda ´ ˆ ˜ mais importante, Jesus e “o primogenito de toda a criac¸ ao” ´ ˜ e o “mestre de obras” de Jeova na criac¸ ao de todas as coi´ ´ sas. (Colossenses 1:15, 16; Proverbios 8:30, 31) E de admirar ˜ ˜ que Jesus conhecesse tao bem a criac¸ ao? Vamos ver como ele habilmente tirou proveito desse conhecimento. 16 Lembre-se de que Jesus disse que ele era “o pastor excelente”, e seus seguidores “as ovelhas”. Essas palavras mos´ tram que ele conhecia muito bem as caracterısticas das ove´ lhas. Sabia que havia um vınculo especial entre os pastores ´ e as ovelhas. Ele percebia que esses animais doceis facilmen˜ ´ te aceitam ser guiados e sao fieis em seguir seu pastor. Por que as ovelhas seguem seu pastor? “Porque conhecem a sua ˜ ´ voz”, disse Jesus. ( Joao 10:2-4, 11) Sera que as ovelhas realmente conhecem a voz do seu pastor? ˆ ´ 17 Por experiencia propria, George A. Smith escreveu em seu livro The Historical Geography of the Holy Land (A Geo15

˜ ´ ˜ ˜ 15. Por que nao e de admirar que Jesus conhecesse tao bem a criac¸ ao? 16, 17. (a) O que mostra que Jesus conhecia muito bem as caracte´ rısticas das ovelhas? (b) Que exemplo mostra que as ovelhas realmente conhecem a voz do seu pastor?


˜ “NADA LHES FALAVA SEM ILUSTRAC¸ AO”

125

` ´ ´ grafia Historica da Terra Santa): “As vezes descansavamos ao meio-dia, ao lado de um daqueles pocos ¸ da Judeia, aos ˆ quais descem tres ou quatro pastores com os seus rebanhos. ´ ´ As ovelhas se misturavam, e nos nos perguntavamos como cada pastor conseguiria separar seu rebanho. Mas depois de ´ as ovelhas terem tomado agua e brincado, os pastores subiam as diferentes encostas do vale um por um, e cada um fazia a sua chamada peculiar. As ovelhas de cada pastor se ´ separavam do grupo, seguindo seu proprio pastor, e os reba˜ nhos iam embora tao ordeiramente como tinham vindo.” ´ ˜ Jesus encontrou uma otima ilustrac¸ ao para ensinar o que queria, ou seja, se reconhecermos seus ensinamentos, obedecermos a eles e seguirmos sua lideranca, ¸ estaremos sob os cuidados do “pastor excelente”. ˜ 18 Como podemos aprender a usar ilustracoes baseadas ¸ ˜ ´ ´ na criac¸ ao? Caracterısticas notaveis dos animais podem ser ˜ ´ ´ usadas para comparac¸ oes simples, porem praticas. Onde ˜ ˜ ´ 18. Onde podemos encontrar informac¸ oes sobre as criac¸ oes de Jeova?


126

‘VENHA SER MEU SEGUIDOR’

˜ ˜ ´ podemos encontrar informac¸ oes sobre as criac¸ oes de Jeova? ´ ´ A Bıblia e uma rica fonte de conhecimento sobre muitos ` ´ animais e, as vezes, usa suas caracterısticas de modo ilustratiˆ vo. Ela faz referencia a ser veloz como uma gazela ou um leopardo, cauteloso como uma serpente e inocente como uma ˆ pomba.1 (1 Cronicas 12:8; Habacuque 1:8; Mateus 10:16) As ˜ revistas A Sentinela e Despertai! e outras publicac¸ oes produ´ ´ ˜ zidas pelas Testemunhas de Jeova tambem sao boas fontes ˜ ˆ de informac¸ ao. Voce pode aprender muito por notar como ˜ ˜ essas publicac¸ oes usam comparac¸ oes simples baseadas nas ˜ ´ muitas criac¸ oes maravilhosas de Jeova.

˜ Ilustrac¸ oes baseadas em exemplos conhecidos

´ ˜ Tambem podemos fazer ilustrac¸ oes baseando-nos em exemplos da vida real. Certa vez, Jesus mencionou um acidente recente em seus dias para expor como falsa a ideia de ´ que as pessoas merecem as tragedias que sofrem. Ele disse: ´ “Aqueles dezoito, sobre os quais caiu a torre de Siloe, matando-os, imaginais que eles se mostraram maiores devedores [pecadores] do que todos os outros homens que habitam ´ ˜ em Jerusalem?” (Lucas 13:4) De fato, aquelas 18 pessoas nao morreram por causa de algum pecado que tivesse resulta´ do no desfavor de Deus. Sua morte tragica foi resultado ‘do tempo e do imprevisto’. (Eclesiastes 9:11) Assim, Jesus desmentiu uma crenca ¸ falsa usando um acontecimento bem conhecido de seus ouvintes. 20 Ao ensinar, como podemos usar exemplos da vida real? ˆ Digamos que voce esteja falando sobre o cumprimento da 19

´ 1 Para uma lista mais completa do uso bıblico figurativo das carac´ terısticas de alguns animais, veja Estudo Perspicaz das Escrituras, volu´ ´ me 1, paginas 137, 139 e 140, publicado pelas Testemunhas de Jeova. 19, 20. (a) Como Jesus fez bom uso de um acontecimento recente para expor uma crenca ¸ falsa? (b) Como podemos usar exemplos da vida real em nosso ensino?


˜ “NADA LHES FALAVA SEM ILUSTRAC¸ AO”

127

Como Ser Seguidor de Jesus? ˜ ˜ Que aspectos da criac¸ ao Jesus usou em suas ilustrac¸ oes, e como podemos usar exemplos similares? — Mateus 13:24-32. ˜ ˘ Como Jesus usou uma ilustrac¸ ao simples para causar um forte impacto, e o que isso nos ensina? — Mateus 18:12-14. ˜ ˘ Que coisas do dia a dia Jesus usou como ilustrac¸ oes, e como ˆ isso pode ajudar voce a fazer o mesmo? — Lucas 11:5-8; 12:6. ˘

profecia de Jesus a respeito do sinal da Sua presenca. ¸ (Maˆ ´ teus 24:3-14) Voce pode citar notıcias recentes sobre guerras, ´ fomes ou terremotos para mostrar que caracterısticas espe´ ˜ cıficas do sinal mencionado por Jesus estao se cumprindo. ˆ Ou imagine que voce queira usar um caso real a fim de ilustrar as mudancas ¸ que precisam ser feitas para se revestir da ´ nova personalidade. (Efesios 4:20-24) Onde poderia encon´ ´ trar uma historia da vida real que inclua esse ponto? Podera ˜ citar as mudancas ¸ que diversos irmaos precisaram fazer ou ˜ usar um relato mencionado em alguma publicac¸ ao das Tes´ temunhas de Jeova. 21 Jesus realmente foi o Instrutor Magistral! Conforme vi˜ mos nesta sec¸ ao, ‘ensinar e pregar as boas novas’ era a prin´ ´ cipal obra de sua vida. (Mateus 4:23) E e tambem a nossa. ´ Ser bom instrutor e muito gratificante. Quando ensinamos, estamos dando a outros, e isso resulta em felicidade. (Atos ´ 20:35) Essa felicidade e a alegria de saber que estamos transmitindo a outros algo que tem valor real e duradouro — a ´ ´ ˜ verdade sobre Jeova. Tambem podemos ter a satisfac¸ ao que vem de saber que estamos seguindo o exemplo de Jesus, o ´ maior Instrutor que ja viveu na Terra. ˜ 21. Quais sao as recompensas de ser bons instrutores da Palavra de Deus?


˜ S E C¸ A O

3

“O AMOR DE CRISTO NOS COMPELE” O que nos motiva a continuar seguindo a Jesus? ´ O apostolo Paulo responde: “O amor de Cristo ´ ˜ nos compele.” (2 Corıntios 5:14) Esta sec¸ ao ´ ´ falara sobre o amor de Jesus por Jeova, pela ´ humanidade e por nos individualmente. ´ ˜ E um estudo que toca nosso corac¸ ao e nos motiva a agir, a imitar cada vez mais o exemplo de nosso Mestre.

128


´ C A P I T U L O

1 3

“Eu amo o Pai” COM a mente cheia de lembrancas, um homem idoso ¸ ´ ˜ ´ mergulha uma pena num tinteiro. Seu nome e Joao, o ul´ timo apostolo vivo de Jesus Cristo. Com aproximadamen˜ ´ te 100 anos de idade, Joao esta pensando numa noite ines´ ´ ´ ´ quecıvel ha cerca de sete decadas — os ultimos momentos ´ que Jesus passou com seus apostolos antes de morrer. Com ´ ˜ a ajuda do espırito santo de Deus, Joao consegue lembrar e registrar em detalhes o que aconteceu naquela noite. ˜ 2 Naquela ocasiao Jesus deixou claro que seria morto dali ˜ a algumas horas. Apenas Joao revela por que Jesus disse que ` ´ se sujeitaria aquela morte terrıvel: “A fim de que o mundo saiba que eu amo o Pai, assim como o Pai me tem dado mandamento, assim faco. ¸ Levantai-vos, vamos embora da˜ qui.” — Joao 14:31. 3 “Eu amo o Pai.” Para Jesus nada era mais importante do ˜ que esse amor. Isso nao significa que ele ficava sempre re˜ ´ ´ petindo que amava o Pai. Na verdade, Joao 14:31 e o unico ´ texto bıblico que menciona Jesus expressando amor pelo ˜ ´ Pai de modo tao direto. O fato e que Jesus viveu segundo es´ sas palavras. Seu amor por Jeova era evidente no seu dia a ˆ ˆ dia. Sua coragem, obediencia e perseveranca ¸ eram eviden´ cia de que ele amava a Deus. Tambem foi esse amor que o ´ motivou a realizar o seu ministerio. 4 Hoje em dia, alguns talvez achem que o amor e´ uma ´ ˜ ´ 1, 2. O que o apostolo Joao revelou sobre os ultimos momentos que ´ Jesus passou com os apostolos antes de sua morte? 3. Como Jesus demonstrou que amava seu Pai? ´ ´ 4, 5. A Bıblia da destaque a que tipo de amor, e o que podemos di´ zer sobre o amor de Jesus por Jeova?


130

‘VENHA SER MEU SEGUIDOR’

˜ qualidade fraca. Talvez pensem em canc¸ oes e poemas que ´ ` ´ falam de amor, ou ate na frivolidade que as vezes esta relaˆ ´ ´ cionada ao amor romantico. A Bıblia tambem fala sobre o ˆ amor romantico, mas de modo mais digno do que a forma ´ ´ em que geralmente e apresentado hoje. (Proverbios 5:1521) No entanto, a Palavra de Deus fala muito mais de um ˜ ´ ˜ outro tipo de amor. Esse amor nao e apenas uma paixao ou ˜ emoc¸ ao passageira; nem alguma filosofia intelectual e fria. ´ ˜ Envolve tanto o corac¸ ao como a mente. E um amor que ´ ´ ´ ´ Alem vem do ıntimo e e governado por princıpios nobres. ´ ´ ˜ disso, e demonstrado por meio de boas ac¸ oes. E tudo me´ nos frıvolo. A Palavra de Deus diz: “O amor nunca falha.” ´ — 1 Corıntios 13:8. 5 De todos os humanos que ja´ viveram, Jesus foi o que ´ mais amou a Jeova. Ele disse que o maior de todos os man´ ´ damentos divinos e: “Tens de amar a Jeova, teu Deus, de ˜ todo o teu corac¸ ao, e de toda a tua alma, e de toda a tua ´ mente, e de toda a tua forca.” (Marcos 12:30) Ninguem ¸ cumpriu melhor essas palavras do que Jesus. Como ele cultivou esse amor? Como manteve forte seu amor por Deus durante o tempo em que permaneceu na Terra? E como ´ podemos imita-lo?

´ O mais forte e antigo vınculo de amor

6 Ja´ realizou alguma tarefa junto com um amigo? Percebeu que sua amizade ficou mais achegada por causa disso? ˆ ´ ´ Essa experiencia agradavel pode ajuda-lo a ter uma ideia do ´ ˆ amor que se desenvolveu entre Jeova e seu Filho unigenito. ´ ´ Ja citamos Proverbios 8:30 algumas vezes, mas vamos ana´ lisar mais detalhadamente esse versıculo no seu contexto. ´ ˜ Do versıculo 22 ao 31, encontramos uma descric¸ ao inspirada da sabedoria personificada. Como sabemos que essas palavras se referem ao Filho de Deus?

´ 6, 7. Como sabemos que Proverbios 8:22-31 descreve o Filho de ˜ Deus e nao apenas a sabedoria?


“EU AMO O PAI”

131

´ ´ ´ No versıculo 22, a sabedoria diz: “O proprio Jeova me ´ produziu como princıpio do seu caminho, a mais antiga ˜ ´ das suas realizac¸ oes de ha muito.” Aqui, deve-se estar referindo a algo mais do que a sabedoria, porque essa quali´ dade nunca foi ‘produzida’. Ela nunca teve um inıcio, pois ´ ´ Jeova sempre existiu e sempre foi sabio. (Salmo 90:2) O Fi´ ˆ ˜ lho de Deus, porem, foi “o primogenito de toda a criac¸ ao”. ´ Ele foi produzido, ou criado; ele e a mais antiga de todas as ˜ ´ ´ realizac¸ oes de Jeova. (Colossenses 1:15) O Filho ja existia ´ ´ antes da Terra e do ceu, conforme descrito em Proverbios. ´ ´ Como a Palavra, ou o Porta-Voz do proprio Jeova, ele era a ˜ ´ ˜ expressao perfeita da sabedoria de Jeova. — Joao 1:1. 8 O que o Filho fez durante seu longo tempo de vida an` ´ tes de vir a Terra? O versıculo 30 diz que ele estava ao lado de Deus, “como mestre de obras”. O que significa isso? Colossenses 1:16 explica: “Mediante ele foram cria´ das todas as outras coisas nos ceus e na terra . . . Todas ´ as outras coisas foram criadas por intermedio dele e para ´ ` ˆ ele.” Assim, Jeova, o Criador, trouxe a existencia todas as ˜ outras criac¸ oes por meio de seu Filho, o Mestre de Obras ´ — das criaturas espirituais nos ceus ao imenso Universo ´ ´ fısico, da Terra e sua extraordinaria variedade de plantas e ` ˜ animais a criac¸ ao terrestre mais importante: o ser humano. De certo modo, podemos comparar esse trabalho em ` ˜ ´ equipe entre Pai e Filho a cooperac¸ ao que ha entre um ar´ ´ quiteto e um construtor. O construtor e alguem especializado em executar os projetos engenhosos do arquiteto. Quando ficamos impressionados com algum aspecto da ˜ criac¸ ao, na verdade estamos louvando o Grande Arquite´ to. (Salmo 19:1) Mas podemos nos lembrar tambem do longo e feliz trabalho em equipe entre o Criador e o seu “mestre de obras”. 7

ˆ ´ 8. O que o Filho fez durante sua existencia pre-humana, e do que ˜ podemos nos lembrar ao admirar a criac¸ ao?


132

‘VENHA SER MEU SEGUIDOR’

9 Quando dois humanos imperfeitos trabalham juntos, ` ˜ as vezes surgem dificuldades de relacionamento. Isso nao ´ aconteceu entre Jeova e seu Filho. O Filho trabalhou com ´ o Pai durante incontaveis eras e ‘regozijava-se perante ele ´ todo o tempo’. (Proverbios 8:30) Ele tinha prazer na companhia do Pai, que por sua vez apreciava a companhia do Filho. Naturalmente, o Filho tornou-se cada vez mais parecido com o Pai, aprendendo a imitar as Suas qualidades. ˜ ´ ´ Assim, nao e de admirar que o vınculo entre Pai e Filho te˜ nha se tornado tao forte! Pode ser apropriadamente con´ siderado o mais forte e antigo vınculo de amor de todo o Universo. ˆ ´ ˆ 10 Mas qual a importancia disso para nos? Talvez voce ´ ´ ache que nunca conseguira cultivar esse vınculo com ´ ´ ˜ ˜ Jeova. De fato, ninguem tem uma posic¸ ao tao elevada ` quanto a do Filho. No entanto, temos uma oportunidade maravilhosa. Lembre-se de que Jesus se achegou mais ao ´ Pai por trabalhar junto com Ele. Jeova amorosamente nos oferece a oportunidade de ser seus “colaboradores”. (1 Co´ rıntios 3:9) Ao passo que seguimos o exemplo de Jesus ´ no ministerio, devemos sempre ter em mente que somos ´ colaboradores de Deus. Assim, o vınculo de amor que nos ´ ´ une a Jeova fica cada vez mais forte. Pode haver privilegio maior do que esse?

´ Como Jesus manteve forte seu amor por Jeova Pensar no amor como algo vivo pode ser de muita aju˜ da. Assim como uma planta, o amor precisa de nutric¸ ao e 11

´ ´ 9, 10. (a) O que fortaleceu o vınculo de amor entre Jeova e seu Fi´ lho? (b) O que pode fortalecer seu vınculo de amor com seu Pai celestial? ´ 11-13. (a) Por que e de ajuda pensar no amor como algo vivo, e ´ como Jesus manteve forte seu amor por Jeova quando era jovem? (b) Como o Filho de Deus mostrou que tinha interesse em aprender ´ ` de Jeova antes de vir a Terra e depois, como homem?


“EU AMO O PAI”

133

cuidados para crescer e desenvolver-se. Sem cuidados e nu˜ ˜ tric¸ ao, o amor enfraquece e morre. Jesus nao considerava ´ ˆ seu amor por Jeova como algo de pouca importancia. Ele o manteve forte e o desenvolveu durante o tempo em que esteve na Terra. Vamos ver como ele fez isso. ˜ 12 Pense novamente na ocasiao em que Jesus era jovem e expressou seu ponto de vista quando estava no templo em ´ Jerusalem. Lembre-se do que ele disse a seus pais, que ha` viam ficado preocupados: “Por que tivestes de ir a minha ˜ ´ procura? Nao sabıeis que eu tenho de estar na casa de meu Pai?” (Lucas 2:49) Quando era crianca, ¸ Jesus evidentemen˜ ˆ te ainda nao tinha nenhuma lembranca ¸ de sua existencia ´ pre-humana. Mesmo assim, o amor que tinha por seu Pai, ´ Jeova, era muito forte. Ele sabia que o modo natural de ex˜ pressar esse amor era por meio da adorac¸ ao. Assim, a casa ˜ de adorac¸ ao pura de seu Pai era o lugar onde ele mais que˜ ´ ˜ ria estar. Ele nao via a hora de estar la, e nao gostava de ir ´ ˜ embora. Alem disso, Jesus nao ficava apenas assistindo passivamente o que ocorria ali. Ele gostava muito de aprender ´ ˜ sobre Jeova e falar sobre o que sabia. Esses sentimentos nao surgiram quando ele tinha 12 anos, nem acabaram quando ele ficou mais velho. ˆ ´ 13 O Filho aprendeu de seu Pai durante sua existencia pre´ humana. A profecia registrada em Isaıas 50:4-6 revela que ´ ˜ ´ Jeova deu instruc¸ ao especıfica a seu Filho sobre seu papel como Messias. Embora isso envolvesse ficar sabendo que o ´ Ungido de Jeova passaria por algumas dificuldades, o Filho ` queria muito aprender. Mais tarde, quando Jesus veio a Ter` ra e tornou-se adulto, ainda tinha prazer em ir a casa de seu ˜ ˜ ´ Pai e participar na adorac¸ ao e na instruc¸ ao que Jeova de´ sejava que fosse dada ali. A Bıblia relata que Jesus compa` recia fielmente ao templo e a sinagoga. (Lucas 4:16; 19:47) ´ Se queremos que nosso amor por Jeova continue vivo e ` cada vez mais forte, precisamos ser diligentes em assistir as


134

‘VENHA SER MEU SEGUIDOR’

˜ ˜ ´ reunioes cristas, onde adoramos a Jeova e aprofundamos nosso conhecimento e apreco ¸ por ele. 14 Outra maneira pela qual Jesus manteve forte seu amor ´ por Jeova foi por orar regularmente. Embora ele fosse amis´ ´ toso e sociavel, e interessante notar que ele gostava de tirar tempo para ficar sozinho. Por exemplo, Lucas 5:16 diz: “Ele continuava em retiro nos desertos e orava.” Do mesmo modo, Mateus 14:23 declara: “Por fim, tendo despedi˜ do as multidoes, subiu sozinho ao monte para orar. Embora ficasse tarde, estava ali sozinho.” Jesus procurou ficar a ´ ˜ ˜ sos nessas e em outras ocasioes nao porque fosse um ere˜ mita ou nao gostasse da companhia de outros, mas porque ´ ´ queria ficar a sos com Jeova para falar livremente com seu ˜ Pai em orac¸ ao. ` ˜ 15 Ao orar, Jesus as vezes usava a expressao: “Aba, Pai.” (Marcos 14:36) Nos dias de Jesus, “aba” era uma palavra caˆ rinhosa para “pai” usada no ambito familiar. Em geral, estava entre as primeiras palavras que a crianca ¸ aprendia a falar. Mesmo assim, era um termo respeitoso. Desse modo, ´ alem de revelar a intimidade de Jesus conversando com ´ seu amado Pai, essa palavra tambem transmitia profundo ´ respeito pela autoridade paterna de Jeova. Percebemos essa ˜ intimidade e esse respeito em todas as orac¸ oes de Jesus re´ ˜ ´ gistradas na Bıblia. Por exemplo, em Joao capıtulo 17, o ´ ˜ ˜ apostolo Joao registrou a ora ´ c¸ ao longa e sincera que Jesus ´ fez em Sua ultima noite. E muito motivador estudar essa ˜ ´ ˜ orac¸ ao e e vital que a tomemos como exemplo — nao por ´ repeti-la, e claro, mas por encontrar maneiras de falar de ˜ corac¸ ao com o nosso Pai celestial, tanto quanto pudermos. ´ Fazer isso mantera vivo e forte o nosso amor por ele. 14, 15. (a) Por que Jesus procurava ficar sozinho? (b) Como as ora˜ c¸ oes de Jesus a seu Pai revelavam intimidade e respeito?

Jesus “subiu sozinho ao monte para orar”


136

‘VENHA SER MEU SEGUIDOR’

´ ´ ˜ Conforme vimos no inıcio deste capıtulo, Jesus nao ficava sempre dizendo “eu amo o Pai”. Mas ele muitas vezes ex´ pressou esse amor por meio de palavras. Como? O proprio ´ ´ Jesus disse: “Eu te louvo publicamente, o Pai, Senhor do ceu ˜ e da terra.” (Mateus 11:25) Na Sec¸ ao 2 deste livro, vimos que Jesus tinha prazer em louvar a seu Pai por ajudar as pessoas ˆ ´ a conhece-Lo. Por exemplo, ele comparou Jeova a um pai ˜ que estava tao ansioso para perdoar seu filho desobediente que esperou a chegada do jovem arrependido e, quando ´ o ´ viu de longe, correu ate ele e o abracou. (Lucas 15:20) E im¸ ´ possıvel ler essa passagem sem ficar emocionado com a des˜ ˜ ´ cric¸ ao que Jesus fez do amor e do perdao de Jeova! 17 Jesus elogiou seu Pai muitas vezes por Sua generosidade. Ele usou o exemplo de pais imperfeitos para mostrar ´ ´ que podemos estar certos de que o nosso Pai nos dara espırito santo na medida que precisarmos. (Lucas 11:13) Jesus ´ ´ tambem falou sobre a esperanca ¸ que o Pai da de modo ge´ neroso. Ele mencionou a sua propria esperanca ¸ de estar no´ ˜ vamente ao lado de seu Pai no ceu. ( Joao 14:28; 17:5) Fa´ ´ lou tambem a seus seguidores sobre a esperanca ¸ que Jeova ´ estendeu ao “pequeno rebanho” de Cristo — viver no ceu ˆ ˜ e governar junto com o Rei messianico. (Lucas 12:32; Joao ` 14:2) Ele consolou um malfeitor a beira da morte com a es´ peranca ¸ de vida no Paraıso. (Lucas 23:43) Falar sobre a grande generosidade de seu Pai certamente ajudou Jesus a man´ ter forte seu amor por Jeova. Muitos seguidores de Jesus ´ descobriram que nada fortalece mais sua fe e seu amor por ´ ´ Jeova do que falar a respeito dele e da esperanca ¸ que ele da aos que o amam. 16

ˆ ´ ´ Voce imitara o amor de Jesus por Jeova? 18 Ha´ muitas maneiras de seguirmos a Jesus, mas ne16, 17. (a) Como Jesus expressou em palavras o amor que tinha por seu Pai? (b) De que modo Jesus descreveu a generosidade de seu Pai? ´ 18. Qual e a maneira mais importante de seguirmos a Jesus, e ˆ por que?


“EU AMO O PAI”

137

´ ´ nhuma e mais importante do que amar a Jeova de todo o ˜ nosso corac¸ ao, alma, mente e forca. ¸ (Lucas 10:27) O que ´ ˜ ´ prova quanto amamos a Jeova nao e apenas a intensida˜ ´ ˜ de dos nossos sentimentos; nossas ac¸ oes tambem sao im˜ portantes. Jesus nao se contentou apenas em sentir amor por seu Pai, nem apenas em dizer “eu amo o Pai”. Ele explicou: “A fim de que o mundo saiba que eu amo o Pai, assim como o Pai me tem dado mandamento, assim ˜ ´ faco.” ( Joao 14:31) Satanas alegou que nenhum humano ¸ ´ ´ ´ serviria a Jeova por amor altruısta. ( Jo 2:4, 5) A fim de dar ` ´ ´ a melhor resposta a calunia maldosa de Satanas, Jesus co˜ rajosamente tomou ac¸ ao e mostrou ao mundo quanto ele ´ ama seu Pai. Ele foi obediente ate mesmo a ponto de dar ˆ ´ a sua vida pela humanidade. Voce seguira a Jesus? Mos´ ´ trara ao mundo que realmente ama a Jeova Deus? 19 Temos grande necessidade de demonstrar esse amor. ´ ˜ Assim, Jeova fez provisoes para o adorarmos de um modo que nosso amor por Ele seja nutrido e fortalecido. Ao as` ˜ ˜ ˆ ´ sistir as reunioes cristas, tente lembrar que voce esta ˜ ali para adorar o seu Deus. Aspectos dessa adorac¸ ao in˜ ˆ cluem fazer orac¸ oes sinceras, entoar canticos de louvor, ´ ouvir atentamente e participar quando possıvel. As reu˜ ´ ˜ nioes tambem dao oportunidade para encorajar seus ir˜ ˜ ´ maos cristaos. (Hebreus 10:24, 25) Adorar a Jeova regular˜ ˜ ´ mente nas reunioes cristas o ajudara a fortalecer cada vez mais seu amor a Deus. 20 Podemos dizer praticamente o mesmo a respeito do ˜ ˜ estudo pessoal, da meditac¸ ao e das orac¸ oes. Encare es´ sas atividades como oportunidades para estar a sos com ´ ˆ Jeova. Quando voce estuda a Palavra de Deus e medita ´ ´ ˆ nela, Jeova esta transmitindo os pensamentos dele a voce. 19, 20. (a) Por que motivo importante devemos ser regulares em as` ˜ sistir as reunioes? (b) Como devemos encarar o estudo pessoal, a me˜ ˜ ditac¸ ao e as orac¸ oes?


138

‘VENHA SER MEU SEGUIDOR’

Como Ser Seguidor de Jesus? ˘ Quando oramos, como podemos mostrar confianca ¸ em ´ ˜ Jeova assim como Jesus? — Joao 11:41, 42; Hebreus 11:6. ˜ ´ ˘ Como podemos expressar amor de corac¸ ao por Jeova pelo ˜ modo como usamos seu nome? — Joao 17:6-8. ´ ˘ Por que o amor por Jeova requer que permanecamos separa¸ ˜ dos do mundo, assim como Jesus? — Joao 17:14-16; Tiago 4:8. ˘ Como podemos aplicar o conselho de Jesus sobre manter ´ ˜ intenso amor por Jeova? — Revelac¸ ao (Apocalipse) 2:1-5.

ˆ ´ ˜ Quando ora, voce esta abrindo-lhe o corac¸ ao. Lembre-se de que orar envolve mais do que apenas fazer pedidos a ˜ ´ ´ Deus. A orac¸ ao tambem e uma oportunidade de agrade´ ˆ ˜ ´ cer a Jeova pelas benc¸ aos recebidas e de louva-lo por suas ´ obras maravilhosas. (Salmo 146:1) Alem disso, louvar a ´ ´ Jeova publicamente com alegria e entusiasmo e o melhor ˆ modo de agradecer-lhe e mostrar que voce o ama. 21 O amor a Deus e´ a chave para a felicidade eterna. Era ˜ tudo o que Adao e Eva precisavam para ser obedientes, mas foi justamente esse amor que eles deixaram de culti´ var. O amor a Deus e a coisa mais importante para vencer ´ ˜ qualquer teste de fe, rejeitar qualquer ´ tentac¸ ao e perseve˜ rar sob qualquer tipo de tribulac¸ ao. E a base para seguir ´ a Jesus. Evidentemente, o amor a Deus esta relacionado ´ ˜ ´ ` com o amor ao proximo. (1 Joao 4:20) Nos capıtulos a frente veremos como Jesus demonstrou amor pelas pes´ ´ soas. No proximo capıtulo, consideraremos por que tan´ tas pessoas achavam Jesus acessıvel. ´ ´ ´ 21. Por que o amor a Jeova e importante, e o que sera considerado ´ ` nos capıtulos a frente?


´ C A P I T U L O

1 4

˜ ‘Grandes multidoes aproximavam-se dele’ ´ JESUS sabe que sua vida terrestre esta chegando rapidamen´ te ao fim. Ele so tem mais algumas semanas de vida e ainda ´ ´ ´ ha muita coisa a fazer. Esta pregando com seus apostolos na ˜ ˜ ˜ Pereia, uma regiao ao leste do rio Jordao. Eles vao pregando ˜ ´ em direc¸ ao a Jerusalem, ao sul, onde Jesus vai comemorar ´ ´ ´ sua ultima Pascoa, que sera muito marcante. 2 Depois de uma importante conversa entre Jesus e alguns ´ ˜ lıderes religiosos, ocorre uma pequena agitac¸ ao. Alguns pais ´ trazem seus filhos para ver Jesus. Pelo visto ha criancas ¸ de ´ varias idades, pois Marcos refere-se a elas usando a mesma palavra que antes havia usado ao mencionar uma crianca ¸ de 12 anos, ao passo que Lucas usa uma palavra que pode ˆ ser (Lucas 18:15; Marcos 5:41, 42; 10:13) ´ traduzida “bebes”. ´ ´ ˜ E claro que, onde ha criancas, ¸ em geral ha muita agitac¸ ao e ´ barulho. Os discıpulos de Jesus repreendem os pais, talvez ´ ˜ achando que o Mestre esta ocupado demais para dar atenc¸ ao ` as criancas. ¸ Como Jesus reage? 3 Ao ver o que esta´ acontecendo, Jesus fica indignado. Com ˜ quem? Com as criancas? Com os pais? Nao — com os dis¸ ´ ˜ cıpulos! Ele diz: “Deixai vir a mim as criancinhas; nao tenteis impedi-las, pois o reino de Deus pertence a tais. Deveras, ˜ eu vos digo: Quem nao receber o reino de Deus como uma ´ ´ criancinha, de modo algum entrara nele.” Daı Jesus pega as criancas e as abencoa. (Marcos 10:13-16) ¸ “nos seus bracos” ¸ ¸ As palavras que Marcos usou aqui sugerem que Jesus abra´ cou ¸ as criancas ¸ carinhosamente, talvez ate pegando algumas delas “no colo”, conforme diz um tradutor. Fica claro que ´ 1-3. O que acontece quando alguns pais trazem seus filhos ate Jesus, e o que isso nos ensina sobre ele?


140

‘VENHA SER MEU SEGUIDOR’

Jesus gosta de criancas. ¸ Mas aprendemos algo mais sobre ele ´ ´ nessa passagem: Jesus e acessıvel. ˆ ´ 4 Se Jesus fosse um homem orgulhoso, de aparencia seria ´ ´ ˜ ou hostil, e provavel que aquelas criancas ¸ nao se sentissem ´ ´ ˜ ` atraıdas a ele; seus pais tambem nao se sentiriam a vontade para aproximar-se de Jesus. Consegue imaginar a cena, vendo os pais radiantes enquanto aquele homem bondoso ˜ abencoava seus filhos, mostrava afeic¸ ao por eles e reconhe¸ cia que eram preciosos para Deus? Embora Jesus estivesse sobrecarregado com a maior de todas as responsabilidades, ˜ ´ nao deixou de ser o homem mais acessıvel de todos. ´ 5 Quem mais achava Jesus uma pessoa acessıvel? Por que ´ ´ era facil achegar-se a ele? Como podemos aprender a imitalo nesse sentido? Vejamos.

´ Quem achava Jesus acessıvel?

ˆ Ao ler os Evangelhos, voce talvez fique surpreso de ver ˜ ˜ que multidoes nao tinham receio de aproximar-se de Jesus. ´ Muitas vezes ele e mencionado como estando cercado por ˜ ˜ “grandes multidoes”: “Seguiam-no grandes multidoes, da ˜ Galileia.” “Ajuntaram-se a ele grandes multidoes.” ‘Aproxi˜ ˜ maram-se dele grandes multidoes.’ ‘Grandes multidoes viajavam com ele.’ (Mateus 4:25; 13:2; 15:30; Lucas 14:25) Sim, Jesus estava frequentemente cercado por muitas pessoas. 7 Em geral essas pessoas faziam parte do povo — pessoas a ´ quem os lıderes religiosos se referiam com desprezo como “povo da terra”. Os fariseus e os sacerdotes diziam aberta˜ ˜ ˜ mente: “Esta multidao, que nao sabe a Lei, sao pessoas amal˜ ´ dicoadas.” ( Joao 7:49) Escritos rabınicos posteriores confir¸ ´ mam que eles tinham mesmo esse conceito. Muitos lıderes 6

´ ´ 4, 5. (a) O que nos da certeza de que Jesus era acessıvel? (b) Que ´ perguntas analisaremos neste capıtulo? 6-8. Jesus estava frequentemente na companhia de quem, e como ´ sua atitude para com essas pessoas era diferente da atitude dos lıderes religiosos?


˜ ‘GRANDES MULTIDOES APROXIMAVAM-SE DELE’

141

´ religiosos achavam aquelas pessoas desprezıveis e se recusa˜ vam a tomar refeic¸ oes com elas, comprar algo delas ou asso˜ ciar-se com elas. Alguns afirmavam que nao havia esperanca ¸ ˜ ˜ de ressurreic¸ ao para os que nao conheciam a lei oral! Muitas ´ pessoas humildes devem ter evitado aqueles lıderes em vez ˜ de recorrer a eles em busca de ajuda ou orientac¸ ao. Mas com Jesus era diferente. 8 Jesus misturava-se com as pessoas comuns. Tomava refei˜ c¸ oes´ com elas, as curava, as ensinava e lhes dava esperanca. ¸ E claro que Jesus era realista; reconhecia que a maio´ ria ia rejeitar a oportunidade de servir a Jeova. (Mateus 7:13, 14) Mas ele tinha um ponto de vista otimista sobre cada um individualmente e via em muitos o potencial para fa´ zer o que e certo. Que contraste com os sacerdotes e fariseus ´ ´ ´ insensıveis! Surpreendentemente, porem, ate mesmo sacer´ dotes e fariseus sentiram-se atraıdos a Jesus, e muitos deles mudaram de atitude e o seguiram. (Atos 6:7; 15:5) Algumas ´ ´ pessoas ricas e influentes tambem achavam Jesus acessıvel. — Marcos 10:17, 22. ´ ˜ 9 As mulheres tambem nao tinham receio de se dirigir a Jesus. Elas muitas vezes se sentiam humilhadas por causa do ´ ˜ desprezo dos lıderes religiosos. Os rabinos geralmente nao ´ ˜ aprovavam que as mulheres fossem instruıdas. Nao se lhes ˜ permitia serem testemunhas em julgamentos; elas nao eram ´ ´ encaradas como testemunhas confiaveis. Os rabinos ate fa˜ ˜ ziam uma orac¸ ao em que agradeciam a Deus por nao terem ˜ nascido mulher! Mas as mulheres nao se sentiam desprezadas por Jesus. Muitas se dirigiam a ele, ansiosas para apren˜ ´ der. Podemos citar como exemplo Maria, irma de Lazaro; ela ´ sentou-se aos pes do Senhor, escutando-o atentamente, ao ˜ passo que sua irma, Marta, estava muito atarefada e preocu˜ pada em preparar a refeic¸ ao. Jesus elogiou Maria por estabelecer prioridades corretas. — Lucas 10:39-42. ´ 9. Por que as mulheres consideravam Jesus acessıvel?


142

‘VENHA SER MEU SEGUIDOR’

´ ´ Os doentes tambem iam ate Jesus, embora em geral fos´ sem rejeitados pelos lıderes religiosos. A Lei mosaica determinava a quarentena para leprosos a fim de evitar conta˜ ˜ minac¸ ao, mas nao dava margem para a falta de bondade. ´ ´ (Levıtico, capıtulo 13) No entanto, regras posteriores cria˜ das pelos rabinos diziam que os leprosos eram tao repulsivos ´ quanto excremento. Alguns lıderes religiosos chegavam ´ a ´joˆ gar pedras nos leprosos para mante-los afastados! E difıcil ´ imaginar como alguem que tivesse sido tratado desse modo conseguiria criar coragem para aproximar-se de algum instrutor, mas leprosos aproximaram-se de Jesus. Um deles fez a ˜ ´ bem conhecida expressao de fe dizendo: “Senhor, se apenas ´ quiseres, podes tornar-me limpo.” (Lucas 5:12) No proximo ´ ˜ capıtulo veremos o que Jesus fez nessa ocasiao. Por enquanto, basta dizer que dificilmente haveria prova mais clara de ´ que Jesus era acessıvel. 11 Pessoas oprimidas por sentimentos de culpa sentiam-se ` ´ a vontade para ir ate Jesus. Considere, por exemplo, a oca˜ siao em que ele estava jantando na casa de um fariseu. Uma ´ mulher conhecida como pecadora se ajoelhou aos pes de Jesus chorando por causa de seu sentimento de culpa. Suas ´ ´ ´ lagrimas caıam sobre os pes dele e ela as enxugava com o cabelo. Ao passo que o fariseu achou isso repulsivo e condenou Jesus por permitir que a mulher chegasse perto dele, Jesus bondosamente a elogiou por seu arrependimento sin˜ ´ cero e garantiu-lhe o perdao de Jeova. (Lucas 7:36-50) Hoje, ˜ mais do que nunca, os que estao sobrecarregados com ` sentimentos de culpa precisam sentir-se a vontade para se 10

´ 10. Em que sentido Jesus era diferente dos lıderes religiosos no modo como tratava os doentes? 11. Que exemplo mostra que os que eram oprimidos por sentimen` ´ ´ tos de culpa se sentiam a vontade para ir ate Jesus, e por que isso e importante?

“Deixai vir a mim as criancinhas”


144

‘VENHA SER MEU SEGUIDOR’

´ dirigir aos que podem ajuda-los a recuperar seu relaciona˜ mento com Deus. Mas o que fez de Jesus uma pessoa tao ´ acessıvel?

´ ´ O que fez de Jesus alguem acessıvel? Lembre-se de que Jesus imitou perfeitamente seu ama˜ ´ ´ ˜ do Pai celestial. ( Joao 14:9) A Bıblia nos diz que Jeova ‘nao ´ ´ ´ esta longe de cada um de nos’. (Atos 17:27) Jeova, o “Ouvin˜ ´ ´ ´ te de orac¸ ao”, esta sempre acessıvel a seus servos fieis e a to´ dos que desejam sinceramente encontra-lo e servi-lo. (Salmo 65:2) Imagine! A Pessoa mais poderosa e importante ´ ´ ´ do Universo e tambem a mais acessıvel! Assim como o Pai, ´ ´ Jesus ama as pessoas. Nos proximos capıtulos, consideraremos esse profundo amor de Jesus. Mas uma das principais ˜ ´ ´ razoes de ele ser acessıvel e que seu amor pelas pessoas era ´ facilmente observado. Vamos analisar algumas caracterısticas de Jesus que tornavam evidente esse amor. 13 As pessoas logo percebiam que Jesus se interessava pes˜ ˜ soalmente por elas. Mesmo sob pressao, ele nao deixava de ´ mostrar esse interesse. Conforme ja vimos, quando aque´ les pais levaram seus filhos ate Jesus, ele continuou sen´ do acessıvel, mesmo estando ocupado e sobrecarregado com grandes responsabilidades. Que exemplo para os pais! Criar ´ ´ filhos e um desafio no mundo de hoje. Mas e muito impor˜ ´ tante que os filhos percebam que seus pais sao acessıveis. ˆ ´ ˜ ` ´ Voce que e pai ou mae sabe que as vezes esta muito ocupa˜ do para dar a seu filho a atenc¸ ao que ele precisa. Nessas oca˜ ´ sioes, que tal dizer que falara com ele assim que puder? Ao ˆ ´ passo que voce cumpre sua palavra, seu filho aprendera que ´ vale a pena esperar. Ele vai aprender tambem que sempre ´ ˆ ˜ podera levar a voce qualquer problema ou preocupac¸ ao que tiver. 12

˜ ´ ´ 12. Por que nao e de admirar que Jesus fosse acessıvel? 13. Como os pais podem imitar a Jesus?


˜ ‘GRANDES MULTIDOES APROXIMAVAM-SE DELE’

145

˜ Jesus deixava claro que se importava com as preocupac¸ oes das pessoas. Para exemplificar, considere seu primeiro mila´ gre. Ele estava numa festa de casamento em Cana, uma cidade da Galileia. Surgiu um problema constrangedor — o vi˜ nho acabou! A mae de Jesus, Maria, contou-lhe o que tinha acontecido. O que ele fez? Pediu que os ajudantes enches´ sem de agua seis jarros grandes de pedra. Quando se pediu ao diretor da festa que experimentasse um pouco do que estava nos jarros, que surpresa, era vinho da melhor quali´ ˜ ´ dade! Sera que era algum truque? Nao, a agua “tinha sido ˜ transformada em vinho”. ( Joao 2:1-11) Os humanos sempre sonharam em conseguir transformar uma coisa em ou´ tra. Por seculos, homens chamados alquimistas tentaram transformar chumbo em ouro. Nunca conseguiram, embora chumbo e ouro sejam na verdade elementos muito pareci´ ´ dos.1 Que dizer da agua e do vinho? Quimicamente, a agua ´ ˜ ´ e simples, uma combinac¸ ao de dois elementos basicos. O vi´ nho, por outro lado, contem quase mil componentes, muitos deles bem complexos! Por que Jesus realizaria um ato ˜ tao maravilhoso por causa de algo insignificante, como faltar vinho numa festa de casamento? ˜ 15 Bem, para a noiva e para o noivo, o problema nao era ´ insignificante. Antigamente no Oriente Medio dava-se muiˆ ` ta importancia a hospitalidade. Faltar vinho na festa de casamento deixaria a noiva e o noivo muito envergonhados e ´ constrangidos, estragaria o dia do casamento e deixaria mas 14

´ ˜ 1 Estudantes de quımica sabem que o chumbo e o ouro estao bem ´ ´ ´ proximos na tabela periodica de elementos. Um atomo de chumbo ˆ ´ ´ ´ tem simplesmente tres protons a mais no seu nucleo do que o atomo ´ ´ ´ de ouro. Hoje em dia, fısicos ate ja transformaram pequenas quantidades de chumbo em ouro, mas o processo demanda tanta energia ˜ ´ ´ que nao e economicamente viavel. ˆ 14-16. (a) Que circunstancias levaram Jesus a realizar seu primeiro milagre, e por que isso foi maravilhoso? (b) O que o milagre de Je´ sus em Cana nos ensina, dando que exemplo para os pais?


ˆ Deixe claro a seu filho que voce ´ ´ ´ e acessıvel e esta interessado nos problemas dele

lembrancas ¸ que durariam muitos anos. O problema tinha ˆ muita importancia para eles, por isso, era muito importante ´ ˆ para Jesus tambem. Assim, ele tomou providencias. Percebe ˜ por que as pessoas levavam suas preocupac¸ oes a Jesus? ˜ ´ 16 Mais uma vez vemos aqui uma licao ¸ pratica para os pais. ´ ˆ O que fazer se seu filho vier ate voce preocupado com alguˆ ma coisa? Voce talvez fique tentado a achar que a preocupa˜ ´ c¸ ao dele seja insignificante. Talvez ate sinta vontade de rir ao ´ ˜ ouvir o que ele tem a dizer. E verdade que, em comparac¸ ao ´ com os seus problemas, o problema da crianca ¸ talvez ate pa˜ ´ reca ¸ insignificante. Mas lembre-se de que nao e assim para ´ ´ ˆ ˜ ela. Se e importante para alguem que voce ama muito, nao ˆ ´ deveria ser importante para voce tambem? Deixar claro para ˆ ˜ ´ seu filho que voce se importa com as preocupac¸ oes dele fara ˆ ´ de voce um pai acessıvel.


˜ ‘GRANDES MULTIDOES APROXIMAVAM-SE DELE’

147

´ Conforme vimos no Capıtulo 3, Jesus era brando e hu´ milde. (Mateus 11:29) A brandura e uma bela qualidade, ´ ´ uma prova incontestavel de que a pessoa e humilde no co˜ ´ ´ ´ rac¸ ao. A brandura e um dos frutos do espırito santo e esta ` ´ relacionada a sabedoria de Deus. (Galatas 5:22, 23; Tiago ˜ 3:13) Mesmo sob a pior provocac¸ ao, Jesus manteve o autocontrole. Sua brandura de modo algum era sinal de fra´ queza. Um erudito disse sobre essa qualidade: “Por tras da ´ ´ ´ suavidade esta a forca De fato, em geral e necessa¸ do aco.” ¸ rio forca ¸ da nossa parte para controlar nosso temperamen´ to e tratar outros com brandura. Mas, ao passo que Jeova abencoa podemos imitar a Jesus em mos¸ nossos esforcos, ¸ ´ ´ trar brandura; isso nos tornara mais acessıveis. ´ 18 Jesus era razoavel. Quando estava em Tiro, uma mulher dirigiu-se a ele porque sua filha estava “muito endemoniˆ ˜ nhada”. Jesus indicou de tres maneiras que nao pretendia ˆ fazer o que ela queria. Primeiro ele ficou em silencio; de` ˜ pois falou a mulher por que motivo nao atenderia o pe˜ dido dela; por fim, fez uma ilustrac¸ ao que esclareceu ain˜ ´ da mais o ponto em questao. Mas sera que ele a tratou de ´ ´ modo frio e inflexıvel? Sera que deu a entender que ela es´ tava se arriscando por ousar rebater as palavras de alguem ˜ ˜ tao importante? Nao, era evidente que aquela mulher se ` ´ sentia a vontade para falar com Jesus. Alem de pedir ajuda, ˜ ´ ela insistiu, apesar de ele aparentemente nao querer ajuda´ ´ la. Jesus viu a notavel fe que a fez insistir, e curou sua filha. ´ (Mateus 15:22-28) Sem duvida, a razoabilidade de Jesus e ˜ sua disposic¸ ao em escutar e ceder quando apropriado fez ´ com que as pessoas se sentissem atraıdas a ele! 17

´ 17. Jesus deu que exemplo de brandura, e por que essa qualidade e ˆ evidencia de forca? ¸ ˆ 18. Que exemplo mostra a razoabilidade de Jesus, e por que voce ´ acha que essa qualidade torna a pessoa acessıvel?


148

‘VENHA SER MEU SEGUIDOR’

ˆ ´ ´ Voce e acessıvel?

˜ ´ As pessoas em geral acham que sao acessıveis. Alguns em ˜ posic¸ ao de autoridade, por exemplo, gostam de dizer que es˜ ` ˜ tao sempre a disposic¸ ao, que seus subordinados podem pro´ ´ ´ cura-los a qualquer hora. A Bıblia, porem, adverte claramen˜ ´ te: “Uma multidao de homens proclamara cada um a sua ´ ˆ propria benevolencia, mas ´ ´ quem pode achar um´ homem ´ fiel?” (Proverbios 20:6) E facil dizer que somos acessıveis, mas estamos mesmo imitando fielmente esse aspecto do amor ˜ de Jesus? A resposta pode estar, nao em como encaramos a ´ nos mesmos, mas em como outros nos encaram. Paulo disse: “Seja a vossa razoabilidade conhecida de todos os homens.” ´ (Filipenses 4:5) Cada um de nos precisa perguntar-se: ‘Como outros me veem? ´ ˜ Qual e a minha reputac¸ ao?’ ˜ ˜ 20 Os anciaos cristaos, em especial, ´ esforcam-se em ser acessıveis. ¸ ˜ Desejam de corac¸ ao fazer jus ` ˜ a descric¸ ao registrada em ´ Isaıas 32:1, 2: “Cada um ´ deles tera de mostrar ser como abrigo contra o vento e como esconderijo contra o temporal, como corren´ ´ tes de agua numa terra arida, como a sombra dum pesado rochedo numa terra esgota˜ ´ ´ da.” O anciao so podera prover ˜ ˆ ´ protec¸ ao, animo e alıvio se for ˜ ´ Os anciaos esforcam-se ¸ ´ ´ acessıvel. E verdade que nem em ser acessıveis ´ ´ sempre e facil fazer isso, pois 19

´ 19. Como podemos saber se somos realmente acessıveis? ´ ˜ ´ 20. (a) Por que e importante que os anciaos sejam acessıveis? (b) Por ´ ˜ que devemos ser razoaveis no que esperamos dos anciaos?


˜ ‘GRANDES MULTIDOES APROXIMAVAM-SE DELE’

149

Como Ser Seguidor de Jesus? ˘ Por que fazer perguntas e ouvir atentamente as respostas ´ pode motivar as pessoas a aproximar-se de nos? — Mateus 16:13-17. ´ ˘ Como Jesus foi acessıvel mesmo quando seu descanso foi interrompido, e como podemos seguir seu exemplo? — Marcos 6:31-34. ˜ ˘ Como Jesus encarava os que nao acreditavam nele, e como ´ ´ imitar seu ponto de vista equilibrado nos tornara acessıveis? — Lucas 5:29-32. ˘ De que modo imitar o ponto de vista positivo de Jesus em ˜ ` ´ ´ ˜ relac¸ ao as pessoas nos ajudara a ser mais acessıveis? — Joao 1:47.

˜ ˆ os anciaos tem uma pesada responsabilidade nestes tempos ´ difıceis. Mas eles se esforcam em nunca parecer ocupados de¸ ´ mais para cuidar das necessidades das ovelhas de Jeova. (1 Pe˜ dro 5:2) Os outros membros da congregac¸ ao, por serem hu´ mildes e colaboradores, tentam ser razoaveis no que esperam ´ desses homens fieis. — Hebreus 13:17. ´ ´ 21 Os pais procuram ser sempre acessıveis a seus filhos. Isso e ˆ ˜ de grande importancia. Tanto o pai como a mae querem que ` seus filhos saibam que podem ficar a vontade para conversar ˜ com eles. Assim, pais cristaos se preocupam em ser brandos e ´ ˜ razoaveis, nao reagindo de modo exagerado quando um filho conta que fez algo errado ou demonstra um modo de pensar incorreto. Ao passo que educam os filhos, os pais esforcam-se ¸ ˜ para manter abertas as linhas de comunicac¸ ao. De fato, to´ ´ ´ dos nos queremos ser acessıveis assim como Jesus. No pro´ ˜ ximo capıtulo, analisaremos a profunda compaixao de Jesus ´ — uma das principais qualidades que o tornaram acessıvel. ´ 21. Como os pais podem ser acessıveis aos filhos, e o que considera´ ´ remos no proximo capıtulo?


´ C A P I T U L O

1 5

Jesus ‘sentia pena’ ˜ ` DOIS cegos estao sentados a beira da estrada, perto de Je´ rico. Todos os dias eles procuram um lugar movimentado ´ ´ e ficam ali pedindo esmola. Hoje, porem, acontecera algo ´ marcante que mudara a vida desses homens. ˜ 2 De repente, eles ouvem o som de uma multidao que se ´ aproxima. Sem poder ver o que esta acontecendo, um deˆ ˜ les pergunta o porque daquela agitac¸ ao. Dizem-lhe: “Jesus, ´ ´ o nazareno, esta passando por aqui!” Jesus esta a caminho ´ ´ ˜ ´ de Jerusalem pela ultima vez. Mas nao esta sozinho; uma ˜ ´ ´ multidao o segue. Ao ouvir que e Jesus quem esta passando, os mendigos comecam a causar certo tumulto, gritan¸ ´ ´ do: “Senhor, tem misericordia de nos, Filho de Davi!” Incomodadas, as pessoas mandam os mendigos se calarem, ˜ mas eles estao desesperados e recusam-se a fazer isso. ˜ 3 Apesar do barulho da multidao, Jesus ouve os mendigos ´ gritando. O que ele faz? Ele esta muito preocupado e aflito, pois lhe restam apenas mais alguns dias de vida na Ter´ ra. Jesus sabe que em breve passara por muitos sofrimentos ´ ´ ˜ e tera uma morte cruel em Jerusalem. Mesmo assim, nao desconsidera os pedidos insistentes dos mendigos. Jesus ˜ ´ para e pede que os que estao gritando sejam trazidos ate ele. “Senhor, faze que os nossos olhos se abram”, imploram eles. “Penalizado”, Jesus toca os olhos dos cegos e eles 1-3. (a) O que Jesus faz quando dois mendigos cegos imploram ˜ sua ajuda? (b) O que significam as expressoes “penalizado” e “teve pena”? (Veja a nota.) 150

“Senhor, faze que os nossos olhos se abram”


152

‘VENHA SER MEU SEGUIDOR’

˜ recuperam a visao.1 Sem demora, eles passam a seguir a Jesus. — Lucas 18:35-43; Mateus 20:29-34. ˜ ˜ 4 Esse nao foi um caso isolado. Em muitas ocasioes e ˆ circunstancias, Jesus sentiu-se profundamente motivado a ˜ ´ demonstrar compaixao. A profecia bıblica predisse que ele ´ ˜ ‘teria do daquele de condic¸ ao humilde’. (Salmo 72:13) Em ´ cumprimento dessas palavras, Jesus era sensıvel aos senti´ mentos dos outros. Ele tambem tomava a iniciativa de aju˜ dar as pessoas. E sua compaixao o motivava a pregar. Va˜ mos ver como os Evangelhos revelam a terna compaixao ´ ˜ ´ por tras das palavras e das ac¸ oes de Jesus e como nos pode˜ mos demonstrar a mesma compaixao. ˜ Teve considerac¸ ao pelos sentimentos dos outros 5 Jesus demonstrava muita empatia. Compreendia os sen˜ timentos dos que sofriam e se compadecia. Embora nao ˆ estivesse nas mesmas circunstancias daquelas pessoas, ele ´ ˜ realmente sentia a dor delas em seu proprio corac¸ ao. (He´ breus 4:15) Quando curou uma mulher que ja sofria de um fluxo de sangue por 12 anos, Jesus se referiu ao problema dela como uma “doenca ¸ penosa”, reconhecendo assim ˜ que a doenca ¸ lhe havia causado muito sofrimento e aflic¸ ao. (Marcos 5:25-34) Ver Maria e outras pessoas chorando por ´ causa da morte de Lazaro tocou tanto a Jesus que ele ficou ´ ´ aflito no ıntimo. Embora soubesse que ressuscitaria Lazaro, ˜ ˜ ele ficou tao comovido que chorou. — Joao 11:33, 35. ´ 1 A palavra grega traduzida “penalizado” e “teve pena” ja foi descri´ ta como uma das palavras mais enfaticas em grego para o sentimen˜ ˆ to da compaixao. Certa obra de referencia diz que essa palavra indica ˜ ´ ´ “nao apenas sentir do diante do sofrimento, mas tambem um forte ´ desejo de alivia-lo e acabar com ele”. ´ 4. Como Jesus cumpriu a profecia de que ‘teria do daquele de condi˜ c¸ ao humilde’? 5, 6. Que exemplos mostram que Jesus demonstrava empatia?


JESUS ‘SENTIA PENA’

153

˜ Em outra ocasiao, um leproso se aproximou de Jesus e implorou: “Se apenas quiseres, podes tornar-me limpo.” Como Jesus reagiu, embora fosse perfeito e nunca tivesse ficado doente? Ele compreendeu como o leproso se sen´ tia. De fato, a Bıblia diz que ele ‘ficou penalizado’. (Marcos ´ ´ ´ 1:40-42) Daı Jesus fez algo extraordinario. Ele sem duvida ˜ sabia que os leprosos eram impuros segundo a Lei e que nao ´ deviam aproximar-se de outros. (Levıtico 13:45, 46) Jesus com certeza podia curar aquele homem sem tocar nele. ˜ (Mateus 8:5-13) Ainda assim, preferiu estender a mao e tocar no leproso, dizendo: “Eu quero. Torna-te limpo.” A le˜ pra desapareceu imediatamente. Que demonstrac¸ ao de terna empatia! ˜ 7 Como cristaos, somos incentivados a imitar a Jesus por ´ mostrar empatia. A Bıblia nos incentiva a ‘compartilhar os ˜ ´ sentimentos’.1 (1 Pedro 3:8) Talvez nao seja facil compreen˜ der os sentimentos dos que sofrem de depressao ou de uma ˆ doenca ¸ cronica, principalmente se nunca passamos por problemas desse tipo. Mas lembre-se de que para ter empa˜ ´ ˆ tia nao e preciso estar nas mesmas circunstancias da outra pessoa. Jesus teve empatia pelos doentes, embora ele mes˜ mo nunca tivesse ficado doente. Entao, como podemos desenvolver empatia? Por ouvir pacientemente quando outros ˜ abrem o corac¸ ao e expressam o que sentem. Podemos nos perguntar: ‘Como eu me sentiria se estivesse no lugar dessa ´ pessoa?’ (1 Corıntios 12:26) Quanto maior for a nossa sen´ ´ sibilidade aos sentimentos dos outros, tanto mais facil sera ` ‘falarmos consoladoramente as almas deprimidas’. (1 Tessa` ˜ lonicenses 5:14) As vezes podemos demonstrar empatia nao ´ ´ apenas com palavras, mas tambem com lagrimas. “Chorai 6

1 O adjetivo grego traduzido ‘compartilhar os sentimentos’ significa literalmente “sofrer com”. 7. O que pode nos ajudar a desenvolver empatia, e como podemos demonstrar essa qualidade?


154

‘VENHA SER MEU SEGUIDOR’

com os que choram”, diz Romanos 12:15. 8 Jesus era bondoso e levava ˜ em considerac¸ ao os sentimentos dos outros. Talvez se lembre ˜ da ocasiao em que um homem surdo e que mal conseguia fa´ lar foi levado ate ele. Pelo visto Jesus percebeu que o homem estava um pouco embaracado, ¸ ˜ por isso fez algo que nao costuMostre empatia mava fazer ao curar outras pes` soas: “Ele . . . levou [o homem] a parte, separado da multi˜ dao.” Longe dos olhares das pessoas, Jesus curou o homem. — Marcos 7:31-35. ´ ˜ 9 Jesus tambem teve considerac¸ ao quando as pessoas lhe trouxeram um homem cego e pediram que o curasse. Ele ˜ “tomou o cego pela mao” e “levou-o para fora da aldeia”. ´ Daı curou o homem aos poucos. Talvez isso tenha permiti´ do que o cerebro e os olhos do homem se ajustassem grada` ´ tivamente as imagens ofuscantes e ao complexo cenario do mundo iluminado ao seu redor. (Marcos 8:22-26) Que con˜ siderac¸ ao da parte de Jesus! ´ 10 Para seguirmos a Jesus, e´ necessario mostrarmos con˜ siderac¸ ao pelos sentimentos dos outros. Assim, lembrando que palavras impensadas podem ferir os sentimentos das ˜ ´ pessoas, damos atenc¸ ao ao que falamos. (Proverbios 12:18; ˜ ˜ 18:21) Em vista disso, entre os cristaos nao deve haver ´ ´ palavras duras, comentarios depreciativos e sarcasmo. (Efe˜ ˆ sios 4:31) Anciaos, como voces podem mostrar conside˜ 8, 9. Como Jesus mostrava considerac¸ ao pelos sentimentos dos outros? ˜ 10. De que modo podemos mostrar considerac¸ ao pelos sentimentos dos outros?


JESUS ‘SENTIA PENA’

155

˜ rac¸ ao pelos sentimentos dos outros? Ao aconselhar, falem com bondade, contribuindo para preservar a dignidade da ´ pessoa. (Galatas 6:1) Pais, como podem levar em conta os sentimentos de seus filhos? Ao disciplinar, esforcem-se para ˜ ´ nao causar constrangimentos desnecessarios. — Colossenses 3:21.

Tomou a iniciativa de ajudar outros

˜ ˜ Jesus nao demonstrava compaixao apenas quando as ˜ ˜ ´ pessoas pediam ajuda. Afinal, a compaixao nao e uma qua˜ ´ lidade passiva, mas ativa. Portanto, nao e de admirar que a ˜ terna compaixao de Jesus o motivasse a tomar a iniciativa de ajudar outros. Por exemplo, quando uma grande multi˜ ˆ ´ dao ficou com ele durante tres dias, sem comer, ninguem teve de dizer a Jesus que as pessoas estavam com fome nem teve de pedir que ele fizesse algo a respeito. O relato diz: ´ “Jesus chamou a si os seus discıpulos e disse: ‘Tenho pena ˜ ´ ˆ da multidao, porque ja faz tres dias que ficaram comigo e ˜ ˆ ˜ ´ nao tem nada para comer; e eu nao quero manda-los em´ bora em jejum. Poderiam desfalecer pela estrada.’ ” Daı, de ´ ˜ sua propria iniciativa, Jesus alimentou a multidao milagrosamente. — Mateus 15:32-38. ´ ` 12 Considere outra passagem bıblica. Ao chegar a cidade de Naim em 31 EC, Jesus se deparou com uma cena triste. Um ´ ´ ˜ ´ cortejo funebre saıa da cidade, talvez em direc¸ ao a tumulos que ficavam na encosta de um monte perto dali. Era o enˆ ´ terro do ‘filho unigenito de uma viuva’. Consegue imaginar ˜ ´ o sofrimento daquela mae? Ela ia enterrar seu unico filho, e ´ ˜ ´ seu marido ja nao estava mais la para compartilhar sua dor. No meio de todos os que seguiam o cortejo, Jesus ‘avistou’ ´ aquela viuva, agora sem o seu filho. Isso o tocou profun´ damente; sim, Jesus “teve pena dela”. Ninguem precisou 11

´ 11, 12. Que relatos bıblicos mostram que Jesus demonstrava compai˜ ´ xao sem precisar que alguem lhe pedisse ajuda?


156

‘VENHA SER MEU SEGUIDOR’

˜ implorar que ele fizesse um milagre. Sua compaixao de co˜ rac¸ ao o motivou a tomar a iniciativa. Ele “se aproximou e ` tocou no esquife”, trazendo o jovem de volta a vida. O que ˜ Jesus fez em seguida? Nao pediu que o jovem se juntasse ` ˜ a multidao que viajava com Ele. Em vez disso, “o entregou ` ˜ ´ a sua mae”, unindo-os novamente como famılia e garan´ ´ tindo que a viuva tivesse alguem para cuidar dela. — Lucas 7:11-15. ´ 13 Como podemos seguir o exemplo de Jesus? E verda˜ de que nao podemos multiplicar alimentos milagrosamente nem ressuscitar mortos. Mas podemos imitar a Jesus tomando a iniciativa de ajudar os que passam necessidade. ˜ ˜ ´ Um irmao cristao talvez sofra um reves financeiro ou perca ˜ ´ o emprego. (1 Joao 3:17) A casa de uma viuva talvez esteja precisando urgentemente de reparos. (Tiago 1:27) Pode ser ´ que conhecamos uma famılia enlutada que precise de con¸ ´ solo ou ajuda pratica. (1 Tessalonicenses 5:11) Em casos de ˜ real necessidade, nao precisamos esperar que outros nos pe´ ˜ ´ cam para so entao oferecer ajuda. (Proverbios 3:27) A com¸ ˜ ´ paixao nos motivara a tomar a iniciativa de ajudar, conforˆ me nossas circunstancias permitirem. Nunca se esqueca ¸ de que um pequeno ato de bondade ou algumas palavras de ˜ consolo vindas do corac¸ ao podem ser grandes demonstra˜ ˜ c¸ oes de compaixao. — Colossenses 3:12.

˜ A compaixao o motivou a pregar

˜ Como vimos na Sec¸ ao 2 deste livro, Jesus nos deixou um excelente exemplo por pregar as boas novas. Ele disse: “Tenho de declarar as boas novas do reino de Deus . . . porque fui enviado para isso.” (Lucas 4:43) Por que Jesus deu prioridade a essa obra? Em primeiro lugar por causa de seu 14

13. Como podemos imitar a Jesus tomando a iniciativa de ajudar os que passam necessidade? ` ˜ 14. Por que Jesus deu prioridade a obra de pregac¸ ao das boas novas?


Tome a iniciativa de ajudar outros em necessidade

˜ amor a Deus. Mas havia outro motivo: sua compaixao de ˜ ` corac¸ ao o motivou a agir para atender as necessidades es˜ pirituais das pessoas. Ele demonstrou compaixao de muitas maneiras, mas a principal foi por prover a outros o que precisavam em sentido espiritual. Vamos considerar duas oca˜ sioes que mostram como Jesus encarava as pessoas a quem ´ ´ pregava. Isso nos ajudara a analisar nossas proprias motiva˜ ´ ˜ c¸ oes ao participar no ministerio de pregac¸ ao. ´ 15 Em 31 EC, apos cerca de dois anos de servico ¸ ati´ vo no ministerio, Jesus intensificou seus esforcos ¸ por iniciar “uma viagem por todas as cidades e aldeias” da Galileia. ´ O que ele viu o tocou profundamente. O apostolo Mateus ˜ ˜ relatou: “Vendo as multidoes, sentia compaixao delas, porque andavam esfoladas e empurradas dum lado para outro como ovelhas sem pastor.” (Mateus 9:35, 36) Jesus sentia ´ pena das pessoas comuns. Ele estava bem ciente da lastima˜ vel condic¸ ao espiritual delas. Sabia que elas eram maltrata´ das e desprezadas, justamente por quem devia pastorea-las ˜ 15, 16. Comente duas ocasioes que mostram como Jesus encarava as pessoas a quem pregava.


158

‘VENHA SER MEU SEGUIDOR’

´ ˜ — os lıderes religiosos. Motivado por profunda compaixao, Jesus empenhou-se em levar uma mensagem de esperanca ¸ ` as pessoas. O que elas mais precisavam eram as boas novas do Reino de Deus. 16 Algo parecido ocorreu alguns meses depois, pouco antes ´ ´ da Pascoa de 32 EC. Jesus e seus apostolos entraram num barco e atravessaram o mar da Galileia em busca de um lu˜ gar tranquilo para descansar. Mas uma multidao correu ao longo da costa e chegou ao outro lado antes do barco. Qual ˜ foi a reac¸ ao de Jesus? “Ao desembarcar, ele viu uma grande ˜ multidao, mas teve pena deles, porque eram como ovelhas sem pastor. E principiou a ensinar-lhes muitas coisas.” (Marcos 6:31-34) Mais uma vez Jesus “teve pena” por causa da ˜ triste condic¸ ao espiritual das pessoas. Como “ovelhas sem pastor”, elas estavam famintas em sentido espiritual e entre` ´ ˜ gues a propria sorte. Era a compaixao que motivava Jesus a ˜ pregar, nao um mero senso de dever. 17 Como seguidores de Jesus, o que nos motiva a pregar? ´ ˜ Conforme vimos no Capıtulo 9, temos uma comissao, uma ´ responsabilidade: pregar e fazer discıpulos. (Mateus 28:19, ´ ˜ 20; 1 Corıntios 9:16) Mas nao devemos realizar essa obra ˜ apenas por mero senso de dever ou obrigac¸ ao. Em primeiro ´ ´ lugar, e o amor a Jeova que nos motiva a pregar as boas no˜ ˜ ˆ vas do Reino. A compaixao pelos que nao tem as mesmas ´ ´ crencas ¸ que nos tambem nos motiva a fazer isso. (Marcos ˜ ˜ 12:28-31) Entao, como podemos cultivar compaixao por outros? 18 Precisamos ver as pessoas como Jesus as via — “esfoladas e empurradas dum lado para outro como ovelhas sem ˆ pastor”. Imagine que voce encontre um cordeirinho per´ dido. O pobre animalzinho esta faminto e com sede, pois ˜ ´ ´ ´ ´ nao ha um pastor que o leve ate onde ha agua e boas pasta17, 18. (a) O que nos motiva a pregar? (b) Como podemos cultivar ˜ compaixao por outros?


JESUS ‘SENTIA PENA’

159

˜ ˜ gens. Nao teria pena dele? Nao se esforcaria para dar a ele ¸ ´ ˜ um pouco de agua e comida? Muitas pessoas que ainda nao ˜ conhecem as boas novas sao como esse cordeirinho. Negli´ ˜ genciadas pelos falsos lıderes religiosos, elas estao sedentas ˜ ˆ e famintas em sentido espiritual e nao tem verdadeira espe´ ranca ¸ para o futuro. Nos temos o que elas precisam: o nu´ tritivo alimento espiritual e as refrescantes aguas da verda´ de encontradas na Palavra de Deus. (Isaıas 55:1, 2) Quando ` pensamos nas necessidades espirituais das pessoas a nossa ˜ volta, sentimos compaixao por elas. Se, assim como Jesus, ´ tivermos pena das pessoas, faremos todo o possıvel para levar a elas a esperanca ¸ do Reino. 19 Como podemos ajudar outros a seguir o exemplo de ´ Jesus? Digamos que temos um estudante da Bıblia que ´ ˜ ´ ja esteja em condic¸ oes de participar no ministerio e quere´ mos incentiva-lo a comecar ¸ a pregar. Ou talvez queiramos ˜ ˜ ajudar um irmao inativo a voltar a ter plena participac¸ ao ´ ´ no ministerio. Como podemos ajuda-los? Precisamos tocar ˜ seu corac¸ ao. Lembre-se de que Pregue motivado pela primeiro Jesus “teve pena” das ˜ compaixao pessoas, depois passou a ensi´ na-las. (Marcos 6:34) Portanto, se pudermos ajudar o estudan˜ te ou o irmao inativo a culti˜ ´ ´ var compaixao, e bem provavel ˜ que o corac¸ ao deles os motive a imitar a Jesus e pregar as boas novas a outros. Podemos lhes perguntar: “Como a mensagem do Reino mudou sua vida para melhor? Que dizer das pessoas 19. O que podemos fazer para moti´ var um estudante da Bıblia a come˜ car ¸ a participar na obra de pregac¸ ao?


160

‘VENHA SER MEU SEGUIDOR’

Como Ser Seguidor de Jesus? ˜ ˘ Como Jesus demonstrou compaixao no modo como exer´ ceu autoridade, e como podemos imita-lo? — Mateus 11:28-30. ´ ˘ Por que e importante seguirmos o exemplo de Jesus em ´ ˜ mostrar misericordia, ou compaixao, por outros? — Mateus 9:9-13; 23:23. ˘ De que modo Jesus demonstrou que compreendia os sentimentos dos outros, e como podemos imitar seu exemplo? — Lucas 7:36-50. ´ ˘ Como a parabola do bom samaritano mostra que a com˜ ´ paixao e uma excelente qualidade, e de que modo podemos ´ aplicar o que aprendemos dessa historia? — Lucas 10:29-37.

˜ ˜ que ainda nao conhecem essa mensagem — nao acha que ´ ˆ elas tambem precisam ouvir´ as boas novas? O que voce ´ pode fazer para ajuda-las?” E claro que a principal motiva˜ ˜ ´ c¸ ao para participar na pregac¸ ao e o amor a Deus e o desejo de servi-lo. 20 Seguir a Jesus envolve mais do que apenas repetir suas ˜ palavras e copiar suas ac¸ oes. Precisamos cultivar a mesma “atitude mental” que ele tinha. (Filipenses 2:5) Por essa ra˜ ´ zao, somos muito gratos de que a Bıblia nos revela os pen´ ˜ samentos e os sentimentos por tras das palavras e ac¸ oes de Jesus! Por nos familiarizarmos com “a mente de Cristo”, estaremos mais aptos a cultivar sensibilidade e profun˜ da compaixao e assim tratar outros do modo como ele tra´ ´ ´ tava as pessoas. (1 Corıntios 2:16) No proximo capıtulo, ´ vamos considerar as varias maneiras pelas quais Jesus mostrou amor em especial por seus seguidores. ´ ´ 20. (a) O que esta envolvido em ser seguidor de Jesus? (b) O que sera ´ ´ considerado no proximo capıtulo?


´ C A P I T U L O

1 6

‘Jesus os amou ´ ate o fim’ ´ AO REUNIR seus apostolos numa sala de sobrado em Jeru´ ´ ´ ´ salem, Jesus sabe que essa e a ultima noite que estara com ´ eles. Em breve ele voltara para seu Pai. Em poucas horas ´ ´ ´ sera preso e sua fe sera testada como nunca antes. Ainda assim, nem mesmo sua morte iminente faz com que ele dei´ xe de lado as necessidades de seus apostolos. ´ ´ ´ 2 Jesus ja preparou os apostolos para sua partida, porem, ˆ ainda tem mais a dizer a fim de fortalece-los para o que vai ´ acontecer no futuro. Assim, ele usa esses ultimos momen˜ tos preciosos para ensinar importantes lic¸ oes que os ajuda˜ ´ rao a permanecer fieis. Jesus nunca falou com eles de for˜ ˜ ma tao calorosa e amistosa como nessa ocasiao. Mas por ´ ´ que ele esta mais preocupado com seus apostolos do que ´ consigo mesmo? Por que motivo essas ultimas horas com ˜ ˜ ´ ´ eles sao tao preciosas para Jesus? A resposta esta numa unica palavra: amor. Jesus os ama profundamente. ´ 3 Decadas mais tarde, ao iniciar sua narrativa sobre os ´ ´ ˜ acontecimentos daquela ultima noite, o apostolo Joao es´ creveu: “Visto que ele sabia antes da festividade da pascoa que havia chegado a sua hora para se transferir deste ´ mundo para o Pai, Jesus, tendo amado os seus proprios que ´ ˜ estavam no mundo, amou-os ate o fim.” ( Joao 13:1) Je˜ ´ ˜ sus nao esperou ate aquela ocasiao para mostrar que ama´ ´ va seus discıpulos. Ao longo de seu ministerio, deixou isso ´ ´ 1, 2. Como Jesus aproveita suas ultimas horas com os apostolos, e por ´ ˜ ˜ que esses ultimos momentos sao tao preciosos para ele? ˜ ´ ´ 3. Como sabemos que Jesus nao esperou ate a ultima noite para mos´ trar que amava seus discıpulos?


162

‘VENHA SER MEU SEGUIDOR’

claro de muitas maneiras. Vale a pena analisar algumas de´ ´ las, pois por imita-lo mostramos que somos seus genuınos ´ discıpulos.

ˆ Teve paciencia

ˆ ˜ ´ O amor e a paciencia estao interligados. “O amor e lonˆ ´ ganime”, diz 1 Corıntios 13:4, e a longanimidade envol´ ve tolerar outros pacientemente. Sera que Jesus precisou ˆ ´ de paciencia para lidar com seus discıpulos? Com certeza! ´ ´ Conforme vimos no Capıtulo 3, os apostolos demoraram a ´ cultivar humildade. Eles discutiram varias vezes sobre qual ˜ deles era o mais importante. Qual foi a reac¸ ao de Jesus? Fi˜ cou irado, irritado ou ressentido? Nao, ele raciocinou de ´ modo paciente com os discıpulos, mesmo quando surgiu ´ “uma disputa acalorada” sobre esse assunto na ultima noite que estava com eles. — Lucas 22:24-30; Mateus 20:20-28; Marcos 9:33-37. 5 Mais tarde naquela noite, quando Jesus foi com os ´ ´ ˆ ˆ 11 apostolos fieis ao jardim de Getsemani, sua paciencia foi ´ testada mais uma vez. Afastando-se de oito dos apostolos, ele entrou um pouco mais no jardim com Pedro, Tiago e ˜ ˜ ´ Joao. Entao lhes disse: “Minha alma esta profundamente ´ ` contristada, ate a morte. Ficai aqui e mantende-vos vigilantes.” Jesus se distanciou um pouco e comecou ¸ a orar fervo´ ˜ ´ rosamente. Apos uma longa orac¸ ao, voltou ate o local onde ˆ ´ se encontravam os tres apostolos. O que eles estavam fa˜ zendo? Estavam dormindo; justamente na ocasiao em que ´ Jesus ia enfrentar a pior prova de sua vida! Sera que Je˜ sus os repreendeu severamente por nao terem ficado acor˜ ˆ dados? Nao, ele os exortou com paciencia. Suas palavras ´ mostraram que ele compreendia o estresse que os aposto4

ˆ ´ 4, 5. (a) Por que Jesus precisou de paciencia ao lidar com seus discıˆ ´ ˜ pulos? (b) Como Jesus reagiu quando tres de seus apostolos nao perˆ maneceram vigilantes no jardim de Getsemani?


´ ‘JESUS OS AMOU ATE O FIM’

163

´ los haviam passado e a fraqueza deles.1 “O espırito, natu´ ´ ralmente, esta ansioso”, disse Jesus, “mas a carne e fraca”. Ele continuou sendo paciente naquela noite, mesmo nas ´ outras duas vezes em que voltou e encontrou os apostolos dormindo novamente! — Mateus 26:36-46. ´ ˜ ´ 6 E muito animador ver que Jesus nao desistiu de seus aposˆ tolos. Sua paciencia acabou dando resultado, pois aqueles ´ ˆ homens fieis aprenderam a importancia de ser humildes e vigilantes. (1 Pedro 3:8; 4:7) Como podemos imitar a Jesus ˜ ao lidar com outros? Os anciaos, em especial, precisam ser ˜ ˜ pacientes. Irmaos cristaos talvez levem seus problemas a um ˜ ´ ´ anciao quando ele proprio esta cansado ou preocupado com ` ´ problemas pessoais. As vezes, tambem, os que precisam de ˜ ˜ ajuda nao acatam logo os conselhos. Apesar disso, anciaos ˜ ˜ ˜ pacientes darao orientac¸ oes “com brandura” e “tratarao o ´ rebanho com ternura”. (2 Timoteo 2:24, 25; Atos 20:28, 29) ´ Os pais tambem precisam imitar a Jesus por ser pacientes ˜ porque, vez por outra, os filhos talvez nao reajam pronta` ˜ ˆ mente aos conselhos e a correc¸ ao. O amor e a paciencia aju˜ ˜ darao os pais a nao desistir de instruir seus filhos. Mostrar ˆ paciencia pode resultar em grandes recompensas. — Salmo 127:3.

´ Cuidou das necessidades dos discıpulos

´ ´ ˜ O amor e demonstrado por gestos altruıstas. (1 Joao 3:17, ˜ ´ 18) O amor “nao procura os seus proprios interesses”. (1 Co´ rıntios 13:5) Foi o amor que motivou Jesus a cuidar das ne´ ´ cessidades fısicas e materiais de seus discıpulos. Ele muitas 7

ˆ ´ ˜ 1 A sonolencia dos apostolos nao foi causada apenas pelo cansaco ¸ ´ fısico. O relato paralelo em Lucas 22:45 diz que Jesus “os achou dormitando [ou cochilando] de pesar”. 6. Como podemos imitar a Jesus ao lidar com outros? ´ 7. De que maneiras Jesus cuidou das necessidades fısicas e materiais ´ de seus discıpulos?


164

‘VENHA SER MEU SEGUIDOR’

vezes fazia isso antes que eles lhe pedissem. Quando Jesus ´ percebeu que os apostolos estavam cansados, sugeriu que ´ fossem com ele ‘em particular a um lugar solitario e descansassem um pouco’. (Marcos 6:31) Ao perceber que eles ´ estavam com fome, tomou a iniciativa de alimenta-los; ali´ mentou tambem milhares de outros que tinham vindo para ouvi-lo ensinar. — Mateus 14:19, 20; 15:35-37. ´ ´ 8 Jesus tambem reconhecia que seus discıpulos tinham ne˜ cessidades espirituais e fazia provisoes para supri-las. (Ma˜ teus 4:4; 5:3) Ao ensinar, muitas vezes lhes dava atenc¸ ao es˜ pecial. O Sermao do Monte foi proferido especialmente para ´ os discıpulos. (Mateus 5:1, 2, 13-16) Quando ensinava usan˜ do ilustrac¸ oes, Jesus “explicava todas as coisas em particu´ lar, aos seus discıpulos”. (Marcos 4:34) Ele predisse que designaria um “escravo fiel e discreto” para garantir que Seus 8, 9. (a) O que prova que Jesus reconhecia as necessidades espiri´ ˜ tuais de seus discıpulos e fazia provisoes para supri-las? (b) Quando ˜ estava na estaca, como Jesus mostrou profunda preocupac¸ ao com o ˜ bem-estar de sua mae?

˜ Pais amorosos sao pacientes e cuidam das necessidades de seus filhos


´ ‘JESUS OS AMOU ATE O FIM’

165

´ seguidores fossem bem nutridos espiritualmente nos ultimos dias. Esse escravo fiel, composto de um pequeno grupo ˜ ˜ dos irmaos ungidos de Jesus que estao na Terra, tem providenciado “alimento [espiritual] no tempo apropriado” desde 1919 EC. — Mateus 24:45. 9 No dia da sua morte, Jesus mostrou de forma tocante ˜ sua preocupac¸ ao pelo bem-estar espiritual daqueles a quem amava. Visualize esta cena: Jesus estava pregado na estaca, sentindo uma dor excruciante. Para respirar, ele provavel´ mente tinha de fazer forca ¸ para cima, apoiando-se nos pes. ´ ´ Isso sem duvida causava uma dor terrıvel, ao passo que o peso do seu corpo fazia com que o prego rasgasse ainda mais ´ seus pes, e suas costas em carne viva raspavam na estaca. Fa´ lar devia ser muito difıcil e doloroso, pois envolvia controlar ´ ˜ tambem a respirac¸ ao. Mesmo assim, pouco antes de morrer, Jesus disse algo que demonstrou seu profundo amor por Ma˜ ´ ˜ ria, sua mae. Vendo Maria e o apostolo Joao ali perto, Jesus ` ˜ disse a sua mae, com voz suficientemente alta para que todos ali ouvissem: “Mulher, eis o teu filho!” Depois disse a ˜ ˜ ˜ Joao: “Eis a tua mae!” ( Joao 19:26, 27) Jesus sabia que aquele


´ ‘JESUS OS AMOU ATE O FIM’

167

´ ˜ ´ ´ apostolo fiel cuidaria nao so das necessidades fısicas e mate´ riais de Maria, mas tambem de seu bem-estar espiritual.1 10 Pais que se preocupam com o bem-estar de seus filhos podem beneficiar-se por meditar no exemplo de Jesus. O pai ´ ´ ˜ que realmente ama sua famılia fara provisoes materiais para ´ ´ ela. (1 Timoteo 5:8) Chefes de famılia equilibrados e amo˜ rosos de vez em quando providenciam descanso e diversao. ˜ Ainda mais importante, os pais cristaos cuidam das necessidades espirituais de seus filhos. Como? Por programar um es´ ´ tudo bıblico regular em famılia e por esforcar-se em tornar ¸ ˜ ´ essas ocasioes edificantes e agradaveis para os filhos. (Deuteˆ ˜ ronomio 6:6, 7) Por meio de palavras e ac¸ oes, os pais ensinam ´ ´ a seus filhos que o ministerio e uma atividade importante, e ˜ ´ que preparar-se para as reunioes e assistir a elas e parte essen´ cial da rotina espiritual da famılia. — Hebreus 10:24, 25.

Estava disposto a perdoar

˜ ´ ´ O perdao e uma caracterıstica do amor. (Colossenses ˜ ´ 3:13, 14) O amor “nao leva em conta o dano”, diz 1 Corın´ ˜ tios 13:5. Em varias ocasioes Jesus ensinou a seus seguidores ˆ ˜ a importancia do perdao. Ele os incentivou a perdoar outros ˜ ´ ´ ‘nao ate sete vezes, mas ate setenta e sete vezes’ — ou seja, ´ um numero ilimitado de vezes. (Mateus 18:21, 22) Ele ensinou que um pecador deve ser perdoado se, quando for censurado, mostrar arrependimento. (Lucas 17:3, 4) Mas Jesus ˜ ´ nao era como os fariseus hipocritas, que ensinavam apenas ´ por palavras; ele ensinava tambem por meio de seu exemplo. (Mateus 23:2-4) Vejamos como ele mostrou que estava ´ disposto a perdoar, ate mesmo quando um amigo em quem confiava o decepcionou. 11

´ ´ ´ ´ 1 Maria aparentemente ja era viuva e e provavel que seus outros fi˜ ´ ˜ lhos ainda nao fossem discıpulos de Jesus. — Joao 7:5. 10. Como os pais podem imitar a Jesus ao cuidar das necessidades de seus filhos? ˜ 11. O que Jesus ensinou a seus seguidores sobre o perdao?


168

‘VENHA SER MEU SEGUIDOR’

´ Jesus tinha amizade achegada com o apostolo Pedro, um ´ ` homem amigavel que as vezes era impulsivo. Jesus reco´ nheceu as boas qualidades dele e lhe deu privilegios espe˜ ciais. Pedro, junto com Tiago e Joao, presenciou alguns mi´ ˜ lagres que os outros apostolos nao viram. (Mateus 17:1, 2; ´ Lucas 8:49-55) Conforme ja mencionado, Pedro foi um dos ´ apostolos que acompanhou Jesus quando ele entrou no jarˆ dim de Getsemani na noite em que foi preso. Mas quan´ do Jesus foi traıdo e detido naquela mesma noite, Pedro e os ´ outros apostolos o abandonaram e fugiram. Mais tarde, ele ´ mostrou que tinha coragem quando foi ate o lugar onde Jesus estava sendo julgado ilegalmente e ficou esperando do ˜ lado de fora. Apesar disso, naquela ocasiao Pedro ficou com ´ ´ medo e cometeu um erro serio — mentindo, ate mesmo neˆ gou tres vezes que conhecia Jesus! (Mateus 26:69-75) Como ˆ Jesus reagiu? O que voce teria feito se um amigo achegado o decepcionasse desse modo? 13 Jesus estava disposto a perdoar Pedro. Sabia que ele esta´ va arrasado por causa do pecado. Afinal, o apostolo arrependido “ficou abatido e se entregou ao choro”. (Marcos 14:72) ˜ No dia de Sua ressurreic¸ ao, Jesus apareceu a Pedro provavel´ mente para o consolar e reanimar. (Lucas 24:34; 1 Corıntios 15:5) Menos de dois meses mais tarde, Jesus deu a Pe´ ` ˜ dro o privilegio de tomar a dianteira em pregar as multid oes ´ ´ em Jerusalem no dia de Pentecostes. (Atos 2:14-40) E digno ´ ˜ de nota tambem que Jesus nao guardou ressentimento dos ´ apostolos como grupo por eles o terem abandonado. Pelo ´ ´ ˜ contrario, apos sua ressurreic¸ ao ele continuou chamando-os ˜ ˜ de “meus irmaos”. (Mateus 28:10) Nao deixa isso claro que ˜ Jesus fez muito mais do que apenas falar sobre o perdao? 12

12, 13. (a) Como Pedro decepcionou Jesus na noite em que ele foi ˜ ´ ˜ preso? (b) Como as ac¸ oes de Jesus apos sua ressurreic¸ ao deixaram cla˜ ro que ele fez muito mais do que apenas falar sobre o perdao de pecados?


´ ‘JESUS OS AMOU ATE O FIM’

169

´ Como discıpulos de Cristo, precisamos aprender a perˆ doar. Por que? Diferentemente de Jesus, somos imperfeitos ´ — assim como os que talvez pequem contra nos. Vez por outra ´ ˜ todos nos tropecamos em palavras e ac¸ oes. (Romanos 3:23; ¸ ´ Tiago 3:2) Por perdoarmos outros quando ha base para mise´ ricordia, abrimos caminho para que os nossos pecados sejam ˜ perdoados por Deus. (Marcos 11:25) Entao, como podemos demonstrar que estamos dispostos a perdoar os que pecam ´ contra nos? Em muitos casos, o amor nos ajuda a desconside˜ rar os pecados e as imperfeic¸ oes menores de outros. (1 Pedro ´ 4:8) Quando os que erram contra nos demonstram arrependimento sincero, assim como Pedro, devemos certamente ˜ imitar a disposic¸ ao de Jesus de perdoar. Em vez de guardar ´ ´ ressentimento, e muito melhor esquecer o assunto. (Efesios ´ ˜ 4:32) Desse modo, contribuımos para a paz da congregac¸ ao e para a nossa paz mental e emocional. — 1 Pedro 3:11. 14

´ Mostrou que confiava nos discıpulos

˜ O amor e a confianca ¸ andam de maos dadas. O amor ´ “acredita todas as coisas”.1 (1 Corıntios 13:7) Motivado pelo ´ amor, Jesus estava disposto a confiar em seus discıpulos ape˜ sar de suas imperfeic¸ oes. Tinha confianca ¸ neles e sabia que, ˜ ´ no corac¸ ao, eles realmente amavam a Jeova e desejavam fa˜ zer Sua vontade. Mesmo quando erravam, Jesus nao ques˜ ´ tionava suas motivac¸ oes. Por exemplo, quando os apostolos ˜ ˜ Tiago e Joao pediram por meio de sua mae que Jesus lhes ˜ desse um lugar ao seu lado no Reino, Jesus nao duvidou 15

´ ˜ ´ ˆ 1 Isso sem duvida nao significa que o amor e ingenuo. Antes, sig˜ ´ ´ nifica que nao e indevidamente crıtico nem desconfiado. O amor nos ˜ impede de nos apressarmos em julgar as motivac¸ oes de outros e de pensar o pior a respeito deles. 14. Por que precisamos aprender a perdoar, e como podemos demonstrar que estamos dispostos a fazer isso? ´ 15. Por que Jesus confiava nos discıpulos apesar das suas imperfei˜ c¸ oes?


170

‘VENHA SER MEU SEGUIDOR’

´ ´ de sua lealdade nem lhes tirou o privilegio de ser apostolos. — Mateus 20:20-28. ´ 16 Jesus demonstrou que confiava em seus discıpulos por ´ dar-lhes varias responsabilidades. Nas duas vezes em que ˜ multiplicou milagrosamente alimento para as multidoes, ele ´ ´ delegou aos discıpulos a responsabilidade de distribuı-lo. ´ ˜ (Mateus 14:19; 15:36) Tambem designou Pedro e Joao para ir ´ ´ ´ a Jerusalem e fazer os preparativos para a ultima Pascoa. Eles ˜ ˜ providenciaram o cordeiro, o vinho, o pao nao fermentado, ´ as ervas amargas e todas as outras coisas necessarias. Aquela ˜ ´ tarefa nao era algo insignificante, pois celebrar a Pascoa da ˆ maneira correta era uma exigencia da Lei mosaica, e Jesus ti´ nha de cumprir a Lei. Alem disso, mais tarde naquela noi˜ ˜ te Jesus usou o vinho e o pao nao fermentado como impor´ ˜ tantes sımbolos ao instituir a Comemorac¸ ao da sua morte. — Mateus 26:17-19; Lucas 22:8, 13. ´ 17 Jesus tambem achou apropriado dar responsabilidades ´ ´ ainda maiores a seus discıpulos. Conforme ja consideramos, ele delegou a um pequeno grupo de seus seguidores ungidos na Terra a grande responsabilidade de preparar e distribuir o alimento espiritual. (Lucas 12:42-44) Lembre-se tam´ ˜ bem de que ele deu a seus seguidores a importante comissao ´ de pregar e fazer discıpulos. (Mateus 28:18-20) Mesmo hoje, ´ ´ embora governe do ceu de modo invisıvel, Jesus confia sua ˜ congregac¸ ao na Terra aos cuidados de homens com qualifi˜ ´ ´ cac¸ oes espirituais, como dadivas da parte dele. — Efesios 4:8, 11, 12. 18 Como podemos imitar o exemplo de Jesus em nossos tra˜ tos com outros? Mostrar confianca ¸ em nossos irmaos cris˜ ´ ˜ taos e uma demonstrac¸ ao de amor. Lembre-se de que o ´ ˜ amor e uma qualidade positiva, nao negativa. Quando ou´ 16, 17. Que responsabilidades Jesus deu a seus discıpulos? ˜ 18-20. (a) Como podemos demonstrar confianca em nossos irmaos? ¸ ˜ (b) Como podemos imitar a disposic¸ ao de Jesus de delegar responsa´ ´ ´ bilidades? (c) O que sera considerado no proximo capıtulo?


´ ‘JESUS OS AMOU ATE O FIM’

171

Como Ser Seguidor de Jesus? ´ ˘ Por que e importante acatarmos os conselhos de Jesus sobre perdoar? — Mateus 6:14, 15. ˘ De que maneira podemos aplicar o que Jesus ensinou na ˜ ˆ ilustrac¸ ao que fala da importancia de perdoar? — Mateus 18:23-35. ˜ ´ ˘ Como Jesus mostrou considerac¸ ao pelos discıpulos, e de ´ ˜ que modo podemos imita-lo? — Mateus 20:17-19; Joao 16:12. ˘ Como Jesus mostrou a Pedro que confiava nele, e como podemos demonstrar confianca ¸ em outros? — Lucas 22:31, 32.

tros nos decepcionarem, o que de vez em quando vai aconte´ cer, o amor nos impedira de concluir precipitadamente que ˜ ˜ ´ suas motivac¸ oes sao mas. (Mateus 7:1, 2) Se tivermos um ˜ ´ conceito positivo sobre nossos irmaos, vamos trata-los de ˜ um modo que os edifique, nao que os prejudique. — 1 Tessalonicenses 5:11. ˜ 19 Sera´ que podemos imitar a disposicao ¸ de Jesus de dele˜ ˜ gar responsabilidades? Os que estao em posic¸ oes de respon˜ sabilidade na congregac¸ ao fazem bem em delegar a outros ´ ˜ tarefas apropriadas e necessarias, confiando que eles farao ˜ o seu melhor. Desse modo, anciaos experientes podem dar ´ treinamento valioso e necessario aos jovens qualificados que ˜ ´ ´ ‘procuram’ ajudar na congregac¸ ao. (1 Timoteo 3:1; 2 Timo´ teo 2:2) Esse treinamento e muito importante. Ao passo que ´ Jeova continua a acelerar o crescimento da obra do Reino, ´ ´ e necessario treinar homens qualificados para cuidar do au´ mento. — Isaıas 60:22. 20 Ao demonstrar seu amor por outros, Jesus nos deixou um ´ maravilhoso exemplo. Ha muitas maneiras de segui-lo, mas ´ ´ ´ imitar seu amor e a mais importante. No proximo capıtulo, ˜ consideraremos a maior demonstrac¸ ao de seu amor — sua ˜ ´ disposic¸ ao de dar a vida por nos.


´ C A P I T U L O

1 7

´ “Ninguem tem maior amor do que este” “EIS o homem!” Com essas palavras, o governador romaˆ ˜ no Poncio Pilatos apresenta Jesus Cristo a uma multidao ´ ´ furiosa que esta reunida em frente ao palacio do governa˜ ´ ˜ ´ dor, na manha da Pascoa de 33 EC. ( Joao 19:5) Ha ape˜ nas alguns dias, Jesus foi saudado pelas multidoes em sua ´ entrada triunfal em Jerusalem como Rei divinamente de˜ signado. Agora, no entanto, a multidao hostil o encara de modo muito diferente. ´ ` 2 Jesus esta´ com uma veste purpura, semelhante a usada pelos membros da realeza, e tem uma coroa na cabeca. ¸ Mas a veste sobre suas costas em carne viva e a coroa de es´ pinhos, colocada com forca ¸ em sua cabeca, ¸ que agora esta ˜ ˜ ´ sangrando, sao para zombar de sua posic¸ ao regia. Instigado pelos principais sacerdotes, o povo rejeita o homem fe` rido a sua frente. Os sacerdotes gritam: “Para a estaca com ´ ˜ ele! Para a estaca com ele!” Cheio de odio no corac¸ ao, o ˜ povo grita: ‘Ele deve morrer!’ — Joao 19:1-7. 3 Com dignidade e coragem, Jesus enfrenta a humilha˜ ´ c¸ ao e o sofrimento sem se queixar.1 Ele esta pronto para ´ 1 Naquele dia os lıderes religiosos, e depois os soldados romanos, cuspiram em Jesus. (Mateus 26:59-68; 27:27-30) Ele aturou esse trata˜ mento humilhante sem se queixar, cumprindo a profecia: “Nao es´ condi a minha face de coisas humilhantes e do escarro.” — Isaıas 50:6. ` 1-4. (a) O que acontece quando Pilatos apresenta Jesus a furiosa mul˜ ´ tidao reunida em frente ao palacio do governador? (b) Como Jesus ` ˜ reage a humilhac¸ ao e ao sofrimento, e que perguntas importantes surgem? 172


174

‘VENHA SER MEU SEGUIDOR’

´ morrer. Mais tarde naquele dia de Pascoa, ele voluntariamente se sujeita a uma morte dolorosa numa estaca de tor˜ tura. — Joao 19:17, 18, 30. 4 Por dar a sua vida, Jesus provou ser um verdadeiro ami´ go para seus seguidores. “Ninguem tem maior amor do ´ que este”, disse ele, “que alguem entregue a sua alma a ˜ favor de seus amigos”. ( Joao 15:13) Isso levanta algumas ´ perguntas importantes. Era realmente necessario que Jesus passasse por todo esse sofrimento e morresse? Por que ele estava disposto a tudo isso? Como podemos imitar seu exemplo, visto que somos “seus amigos” e seguidores? ´ Por que era necessario que Jesus sofresse e morresse? 5 Como prometido Messias, Jesus sabia o que o aguardava. Conhecia as muitas profecias das Escrituras Hebraicas que prediziam em detalhes o sofrimento e a morte do ´ Messias. (Isaıas 53:3-7, 12; Daniel 9:26) Por mais de uma ´ ˜ vez, ele preparou seus discıpulos para as provac¸ oes que en´ frentaria. (Marcos 8:31; 9:31) Na viagem a Jerusalem para ´ ´ ´ sua ultima Pascoa, Jesus disse claramente aos apostolos: ´ “O Filho do homem sera entregue aos principais sacerdo´ ˜ ` ˜ tes e aos escribas, e condena-lo-ao a morte e o entregarao ˜ ˜ ` a homens das nac¸ oes, e divertir-se-ao as custas dele, e cus˜ ˜ ˜ pirao nele, e o acoitar ao, e o matarao.” (Marcos 10:33, 34) ¸ ´ Essas palavras de fato tinham significado. Como ja vimos, as pessoas realmente zombaram de Jesus, cuspiram nele, o acoitaram e o mataram. ¸ ´ 6 Mas por que era necessario que Jesus sofresse e morres´ se? Por varios motivos muito importantes. Primeiro, por permanecer leal Jesus provaria sua integridade e defende´ ´ ria a soberania de Jeova. Lembre-se de que Satanas alegou ˜ 5. Como Jesus sabia das provac¸ oes que o aguardavam? ´ 6. Por que era necessario que Jesus sofresse e morresse?


´ “NINGUEM TEM MAIOR AMOR DO QUE ESTE”

175

falsamente que os humanos servem a Deus apenas por in´ ´ ´ ` teresse egoısta. ( Jo 2:1-5) Por permanecer fiel “ate a morte . . . numa estaca de tortura”, Jesus deu a resposta de` ˜ ´ finitiva a acusac¸ ao infundada de Satanas. (Filipenses 2:8; ´ Proverbios 27:11) Segundo, o sofrimento e a morte de Je´ sus serviria para expiar o pecado de outros. (Isaıas 53:5, 10; Daniel 9:24) Ele deu “a sua alma como resgate em troca de muitos”, abrindo caminho para termos um relacionamento aprovado com Deus. (Mateus 20:28) Terceiro, por suportar todo tipo de dificuldade e sofrimento, Jesus “foi ´ provado em todos os sentidos como nos mesmos”. Assim, ´ ele e um Sumo Sacerdote que pode se “compadecer das nossas fraquezas”. — Hebreus 2:17, 18; 4:15.

Por que Jesus estava disposto a dar sua vida? Para ter uma ideia do que Jesus estava disposto a fazer, ´ pense no seguinte: quem deixaria sua famılia e sua casa e ´ ˜ se mudaria para um paıs estrangeiro sabendo que nao seria aceito pela maioria das pessoas daquele lugar, que esta˜ ria sujeito a humilhac¸ ao e sofrimento, e que por fim seria ` assassinado? Agora pense no que Jesus fez. Antes de vir a ˜ ´ Terra, ele tinha uma posic¸ ao privilegiada no ceu ao lado de seu Pai. Mas voluntariamente deixou seu lar celestial e ` veio como humano a Terra. Ele fez isso sabendo que seria ˜ rejeitado pela maioria, que teria de enfrentar humilhac¸ ao cruel, muito sofrimento e uma morte dolorosa. (Filipenses ´ 2:5-7) O que o motivou a fazer esse sacrifıcio? 8 Acima de tudo, Jesus foi motivado por profundo amor a ´ ´ seu Pai, Jeova. Foi esse amor que o fez perseverar. Tambem fez com que ele se preocupasse com o nome e a reputa˜ ˜ c¸ ao do Pai. (Mateus 6:9; Joao 17:1-6, 26) Mais do que qualquer outra coisa, Jesus queria ver o nome de seu Pai livre 7

˜ ` 7. Do que Jesus abriu mao ao vir a Terra? 8, 9. O que motivou Jesus a dar sua vida?


176

‘VENHA SER MEU SEGUIDOR’

´ do vituperio lancado sobre ele. Assim, para Jesus, sofrer ¸ ´ por causa da justica ¸ foi a maior honra e o maior privilegio que poderia ter, pois sabia que sua integridade seria muito ˜ importante na santificac¸ ao do sublime nome de seu Pai. ˆ — 1 Cronicas 29:13. 9 Jesus tinha outro motivo para sacrificar a sua vida ´ — amor pela humanidade. Esse amor existe desde o inıcio ´ da historia humana. Veja como Jesus se sentia muito antes ` de vir a Terra: “As coisas de que eu gostava estavam com os ´ filhos dos homens.” (Proverbios 8:30, 31) Esse amor ficou evidente quando ele esteve na Terra. Conforme vimos nos ˆ ´ tres capıtulos anteriores, Jesus demonstrou de muitos modos seu amor pelos humanos, e em especial por seus segui˜ dores. Em 14 de nisa de 33 EC ele voluntariamente deu a ´ ˜ sua vida por nos. ( Joao 10:11) De fato, essa foi a maior de˜ ´ ´ monstrac¸ ao de seu amor por nos. Sera que devemos imi´ ta-lo nesse sentido? Devemos, sim. Na verdade, recebemos um mandamento para fazer isso.

‘Amem-se uns aos outros assim como eu os amei’ ´ 10 Na noite antes de sua morte, Jesus disse a seus discıpulos mais achegados: “Eu vos dou um novo mandamento, que vos ameis uns aos outros; assim como eu vos amei, ´ que tambem vos ameis uns aos outros. Por meio disso sa˜ ´ berao todos que sois meus discıpulos, se tiverdes amor en´ ˜ tre vos.” ( Joao 13:34, 35) ‘Amar uns aos outros’ — por que ´ ´ isso e “um novo mandamento”? A Lei mosaica ja determi´ nava: “Tens de amar o teu proximo como a ti mesmo.” (Le´ ´ vıtico 19:18) O novo mandamento, porem, exige um amor ainda mais intenso, um amor que nos motiva a dar a vida ´ por outros. O proprio Jesus deixou isso claro ao dizer: “Este ´ 10, 11. Qual e o novo mandamento que Jesus deu a seus seguidores, ´ o que envolve, e por que e importante obedecer a ele?


´ “NINGUEM TEM MAIOR AMOR DO QUE ESTE”

177

´ e o meu mandamento, que vos ameis uns aos outros, as´ sim como eu vos amei. Ninguem tem maior amor do que ´ este, que alguem entregue a sua alma a favor de seus ami˜ gos.” ( Joao 15:12, 13) Na verdade, o novo mandamento ˜ ´ diz: “Ame aos outros nao como a si mesmo, porem, mais do que a si mesmo.” Por meio de sua vida e de sua morte Jesus demonstrou o que esse amor realmente significa. 11 Por que e´ importante que obedecamos ao novo man¸ damento? Lembre-se de que Jesus disse: “Por meio disso ˜ ´ [amor abnegado] saberao todos que sois meus discıpulos.” ˜ Sim, o amor abnegado nos identifica como cristaos ver´ dadeiros. Podemos comparar esse amor a um cracha. Ao assistirem a seus congressos todo ano, as Testemunhas de ´ ´ ˜ Jeova usam crachas. Eles servem como identificac¸ ao, in˜ formando o nome e a congregac¸ ao da pessoa. O amor ab´ ´ negado uns pelos outros e o “cracha” que identifica os ˜ cristaos verdadeiros. Em outras palavras, esse amor deve ˜ ˜ ser tao evidente a ponto de servir como uma identificac¸ ao, ´ um cracha, indicando aos que nos observam que realmente somos verdadeiros seguidores de Cristo. Cada um de ´ ´ ´ nos deve se perguntar: ‘Sera que o meu “cracha”, o amor ´ abnegado, e bem evidente em minha vida?’ ´ O que esta envolvido no amor abnegado? 12 Como seguidores de Jesus, precisamos amar uns aos outros assim como ele nos amou. Isso envolve estarmos ´ ˜ ˜ ´ dispostos a fazer sacrifıcios por nossos irmaos cristaos. Ate ´ que ponto devemos estar dispostos a fazer isso? A Bıblia nos diz: “Por meio disso chegamos a conhecer o amor, ´ ´ porque esse entregou a sua alma por nos; e nos te˜ mos a obrigac¸ ao de entregar as nossas almas pelos nossos ´ ´ 12, 13. (a) Ate que ponto devemos estar dispostos a fazer sacrifıcios para demonstrar amor uns pelos outros? (b) O que significa ser abnegado?


178

‘VENHA SER MEU SEGUIDOR’

˜ ˜ irmaos.” (1 Joao 3:16) Assim como Jesus, devemos estar ´ ´ dispostos a morrer uns pelos outros se necessario. Em epo˜ ´ ca de perseguic¸ ao, preferimos sacrificar nossa propria vida ˜ a trair nossos irmaos espirituais e colocar sua vida em ris´ co. Em paıses divididos por causa de diferencas ¸ raciais ou ´ ´ etnicas, arriscamos a nossa propria vida para proteger os ir˜ ˜ ˜ maos, nao importa sua raca ¸ ou etnia. Quando nac¸ oes en´ tram em guerra, preferimos ser presos e ate morrer a guer˜ rear contra nossos irmaos — ou qualquer outra pessoa. ˜ ˜ — Joao 17:14, 16; 1 Joao 3:10-12. ˜ 13 Estarmos dispostos a dar a vida pelos nossos irmaos ˜ ´ ´ nao e a unica maneira de mostrar amor abnegado. Afinal, ´ poucos de nos talvez tenhamos de chegar a esse ponto. ˜ Mas, se amamos nossos irmaos a ponto de dar a vida por ˜ ´ eles, nao deverıamos estar dispostos a fazer pequenos sa´ ´ ´ crifıcios, nos esforcando a ajuda-los ja agora? Sermos ab¸ ˜ negados significa abrir mao de vantagens pessoais ou con´ fortos em benefıcio de outros. Colocamos os interesses e o ` ˜ bem-estar deles a frente dos nossos, mesmo que isso nao ´ ´ seja o melhor para nos. (1 Corıntios 10:24) De que manei´ ras praticas podemos mostrar amor abnegado? ˜ ´ Amor abnegado na congregac¸ ao e na famılia ˜ ´ 14 Os anciaos fazem muitos sacrifıcios para ‘pastorear o ´ ´ rebanho’. (1 Pedro 5:2, 3) Alem de cuidar da famılia, preci` sam tirar tempo a noite ou nos fins de semana para cuidar de assuntos congregacionais, como preparar discursos ˜ para as reunioes, fazer visitas de pastoreio e cuidar de casos ˜ ´ judicativos. Muitos anciaos fazem outros sacrifıcios, trabalhando arduamente em assembleias e congressos e servin˜ ˜ do como membros de Comissoes de Ligac¸ ao com Hospi´ ˜ ˆ 14. (a) Que sacrifıcios os anciaos fazem? (b) O que voce acha dos ˜ ˜ esforcos ¸ dos anciaos abnegados de sua congregac¸ ao?


´ “NINGUEM TEM MAIOR AMOR DO QUE ESTE”

179

˜ ˜ tais, Comissoes Regionais de Construc¸ ao e Grupos de Vi˜ sitas a Pacientes. Anciaos, nunca se esquecam de que por ¸ ´ servir com um espırito disposto — gastando seu tempo, ˆ ˜ energia e recursos para pastorear o rebanho — voces estao ´ demonstrando amor abnegado. (2 Corıntios 12:15) Seus ´ ˜ ˜ ´ ´ esforcos ¸ altruıstas sao apreciados nao so por Jeova, mas ´ ˜ ˆ tambem pela congregac¸ ao que voces pastoreiam. — Filipenses 2:29; Hebreus 6:10. ˜ ˜ ´ 15 Que dizer das esposas dos anciaos? Nao e verdade que ´ ´ essas mulheres apoiadoras tambem fazem sacrifıcios para que seus maridos possam cuidar do rebanho? Com certe´ ´ za e um sacrifıcio para a esposa quando seu marido tem de ´ dedicar o tempo que poderia gastar com a famılia aos as´ suntos congregacionais. Pense tambem nas esposas dos su´ perintendentes viajantes e nos sacrifıcios que fazem para ˜ acompanhar seus maridos de congregac¸ ao em congrega˜ ˜ c¸ ao e de circuito em circuito. Elas abrem mao de ter seu ´ proprio lar e talvez tenham de dormir numa cama diferen˜ te cada semana. As esposas que voluntariamente poem os ˜ ` ´ interesses da congregac¸ ao a frente dos seus proprios inte˜ resses merecem elogios por suas generosas expressoes de amor abnegado. — Filipenses 2:3, 4. ´ 16 Como podemos demonstrar amor abnegado na famı˜ ˆ ´ lia? Pais e maes, voces fazem muitos sacrifıcios para cui´ ˜ dar de seus filhos e cria-los “na disciplina e na regulac¸ ao ´ ´ mental de Jeova”. (Efesios 6:4) Talvez tenham de trabalhar ´ por longas horas em servicos ¸ cansativos so para seus filhos ˆ terem o que comer, o que vestir e onde morar. Voces preferem se privar de algumas coisas a ver seus filhos passar ˜ ´ ˜ 15. (a) Quais sao alguns sacrifıcios que as esposas dos anciaos faˆ ˜ zem? (b) O que voce acha das esposas que estao dispostas a ceder par´ ˜ te de seu tempo com o marido em benefıcio da congregac¸ ao? ˜ ´ 16. Os pais cristaos fazem que sacrifıcios a favor de seus filhos?


180

‘VENHA SER MEU SEGUIDOR’

´ necessidade. Tambem fazem muito esforco ¸ para estudar ´ ` ˜ ˜ ´ com seus filhos, leva-los as reunioes cristas e acompanha´ ˆ los no ministerio de campo. (Deuteronomio 6:6, 7) Seu ´ amor abnegado agrada o Originador da famılia e pode sig´ ´ nificar vida eterna para seus filhos. — Proverbios 22:6; Efesios 3:14, 15. ˆ 17 Maridos, como voces podem imitar a Jesus e mostrar ´ amor abnegado? A Bıblia responde: “Maridos, continuai ´ a amar as vossas esposas, assim como tambem o Cristo ˜ ´ amou a congregac¸ ao e se entregou por ela.” (Efesios 5:25) Conforme vimos, Jesus amou tanto seus seguidores que ˜ ´ morreu por eles. O marido cristao imita a atitude altruısta ˜ de Jesus, que “nao agradou a si mesmo”. (Romanos 15:3) ˜ ` Ele poe as necessidades e os interesses de sua esposa a fren˜ ´ ´ te dos seus. Nao e rıgido, insistindo que as coisas sejam fei´ ˜ ´ tas do seu modo, mas esta disposto a ceder quando nao ha ´ ´ nenhum princıpio bıblico envolvido. O marido que mos˜ ´ tra amor abnegado tem a aprovac¸ ao de Jeova e ganha o amor e o respeito da esposa e dos filhos. ˆ ´ O que voce fara? 18 Obedecer ao novo mandamento de amar uns aos ou˜ ´ ´ tros nao e facil, mas temos um motivo muito forte para fazer isso. Paulo escreveu: “O amor de Cristo nos compele, ´ porque foi isso o que julgamos, que um so homem morreu por todos . . . , e ele morreu por todos, para que os que ˜ vivem nao vivessem mais para si mesmos, mas para aque´ le que morreu por eles e foi levantado.” (2 Corıntios 5:14, ´ ˜ ´ 15) Visto que Jesus morreu por nos, nao deverıamos nos sentir motivados a viver para ele? Podemos fazer isso por seguir o seu exemplo de amor abnegado. ˜ ´ 17. Como os maridos cristaos podem imitar o altruısmo de Jesus? 18. O que nos motiva a seguir o novo mandamento de amar uns aos outros?


´ “NINGUEM TEM MAIOR AMOR DO QUE ESTE”

181

Como Ser Seguidor de Jesus? ´ Que proceder altruısta Jesus recomendou que seus seguidores tivessem? — Mateus 16:24-26. ˘

˘ Por que vale a pena ter uma vida abnegada? — Marcos 10:23-30. ˘

Como Jesus provou ser o Pastor Excelente, e o que os an˜ ˜ ciaos podem aprender do seu exemplo? — Joao 10:11-15. ´ ˘ De que maneiras praticas podemos imitar a Jesus e mostrar ˜ amor abnegado? — 1 Joao 3:17, 18.

˜ ´ Jesus nao estava exagerando quando disse: “Ninguem ´ tem maior amor do que este, que alguem entregue a sua ˜ ˜ alma a favor de seus amigos.” ( Joao 15:13) A disposic¸ ao de Jesus de dar a sua alma em nosso favor foi a maior demons˜ ´ ´ trac¸ ao de seu amor por nos. Mas houve alguem que mostrou um amor ainda maior. Jesus explicou: “Deus amou ˆ tanto o mundo, que deu o seu Filho unigenito, a fim de ´ ˜ ´ que todo aquele que nele exercer fe nao seja destruıdo, mas ˜ tenha vida eterna.” ( Joao 3:16) Deus nos ama tanto que ´ ˆ deu seu Filho como resgate, tornando possıvel que fosse´ mos libertados do pecado e da morte. (Efesios 1:7) O res´ ´ ˜ gate e um maravilhoso presente de Jeova, mas ele nao nos ´ obriga a aceita-lo. ´ 20 Aceitar esse presente de Jeova´ depende apenas de nos. ´ ˜ Como? Por “exercer fe” em seu Filho. No entanto, isso nao ´ ´ envolve apenas dizer que temos fe. Mostramos nossa fe por ˜ meio de ac¸ oes, pelo modo como vivemos. (Tiago 2:26) De´ ´ monstramos nossa fe em Jesus Cristo por segui-lo dia apos ´ ˆ ˜ dia. Fazer isso resultara em ricas benc¸ aos agora e no futuro, ´ ´ ´ conforme sera explicado no ultimo capıtulo deste livro. 19

´ 19, 20. Que presente maravilhoso Jeova nos deu, e como podemos mostrar que o aceitamos?


´ C A P I T U L O

1 8

‘Continue a seguir-me’ ˜ ´ ONZE homens estao em pe numa montanha olhando com ˜ ´ muito carinho e admirac¸ ao outra pessoa que esta ali. Apesar de ter forma humana, a pessoa que eles observam na ´ ´ verdade e o ressuscitado Jesus, que agora e novamente o ´ ´ Filho espiritual mais poderoso de Jeova. Jesus reune seus ´ ´ apostolos para um ultimo encontro ali no monte das Oliveiras. 2 Esse monte, que faz parte de uma cadeia de colinas cal´ ´ carias, fica do outro lado do vale do Cedron para quem ´ olha de Jerusalem. O lugar com certeza traz boas lembran´ cas ¸ para Jesus. E nas encostas desse monte que fica a cidade ˆ ´ ˜ de Betania, onde ele ressuscitou Lazaro. Nao muito longe ´ dali fica a cidade de Betfage, de onde Jesus saiu para fazer ´ ´ sua entrada triunfal em Jerusalem ha apenas algumas se´ ´ manas. O monte das Oliveiras tambem e o local onde proˆ vavelmente fica o jardim de Getsemani; Jesus passou momentos de grande sofrimento ali antes de ser preso. Agora, nesse mesmo monte, ele se prepara para partir e deixar seus amigos e seguidores mais achegados. Ele lhes diz al˜ gumas palavras bondosas de despedida e, entao, comeca ¸ a ˜ ´ ´ subir em direc¸ ao ao ceu! Os apostolos ficam ali paralisa´ dos, observando seu amado Mestre ascender ao ceu. Por ˜ fim uma nuvem o encobre e eles nao o veem mais. — Atos 1:6-12. 3 Ao imaginar essa cena triste, mas ao mesmo tempo ale˜ ´ ´ gre, tem a impressao de que esse e o final da historia de ˜ ´ 1-3. (a) Como ocorre a partida de Jesus, e por que ela nao e o final ´ da sua historia? (b) Por que precisamos aprender sobre a vida de Je´ sus desde que voltou ao ceu?


‘CONTINUE A SEGUIR-ME’

183

˜ ´ Jesus? Na verdade nao e. Conforme dois anjos dizem aos ´ ´ ´ apostolos, a historia de Jesus esta longe de terminar. (Atos ´ ´ 1:10, 11) De muitas maneiras, sua partida para o ceu e ape˜ nas o comeco. ¸ A Palavra de Deus nao nos deixa sem in˜ formac¸ oes sobre o que aconteceu com Jesus depois disso. ´ ´ Aprender sobre a vida dele apos sua partida e importante. ˆ Por que? Lembre-se das palavras de Jesus a Pedro: “Con˜ tinua a seguir-me.” ( Joao 21:19, 22) Precisamos obede˜ cer a essa ordem nao apenas temporariamente, mas duran´ ´ te toda a nossa vida. Para isso, e necessario saber o que o ˜ ´ nosso Mestre esta fazendo agora e que designac¸ oes ele re´ cebeu no ceu.

´ A vida de Jesus apos sua partida

˜ As Escrituras nao dizem nada a respeito da chegada de ´ Jesus ao ceu, das boas-vindas que recebeu nem do alegre ´ ´ reencontro com seu Pai. No entanto, a Bıblia ja dizia com ˆ ´ ´ bastante antecedencia o que ocorreria no ceu logo apos o ´ retorno de Jesus. Durante mais de 15 seculos, os judeus obˆ servaram regularmente uma cerimonia sagrada. Uma vez ´ por ano, o sumo sacerdote entrava no Santıssimo do tem´ ˜ plo e aspergia o sangue dos sacrifıcios do Dia da Expiac¸ ao diante da arca do pacto. Nesse dia, o sumo sacerdote prefi´ gurava o Messias. Jesus cumpriu o significado profetico daˆ quela cerimonia uma vez para sempre quando retornou ao ´ ´ ceu. Ele entrou na majestosa presenca ¸ de Jeova — o lugar mais santo do Universo — e apresentou a seu Pai o valor ´ ´ de seu sacrifıcio de resgate. (Hebreus 9:11, 12, 24) Sera que ´ ´ Jeova aceitou esse sacrifıcio? 5 Encontramos a resposta ao considerar o que aconte˜ ceu poucos dias depois da ascensao de Jesus. Um pequeno 4

´ ˆ ´ 4. Como a Bıblia revelou com antecedencia o que ocorreria no ceu ´ apos o retorno de Jesus? ´ ´ 5, 6. (a) O que mostrou que Jeova tinha aceitado o sacrifıcio de resgate de Cristo? (b) Quem se beneficia do resgate, e como?


184

‘VENHA SER MEU SEGUIDOR’

˜ grupo de cerca de 120 cristaos estava reunido no andar de ´ cima de uma casa em Jerusalem quando, de repente, hou´ ve um barulho como o de uma forte rajada de vento. Lınguas como que de fogo apareceram sobre a cabeca ¸ deles. ´ Eles ficaram cheios de espırito santo e comecaram a falar ¸ ´ em varios idiomas. (Atos 2:1-4) Esse acontecimento signifi˜ cou o nascimento de uma nova nac¸ ao, o Israel espiritual, ´ que era a nova “raca ¸ escolhida” de Deus e o novo “sacerdocio real” para executar a vontade divina na Terra. (1 Pedro ´ 2:9) Era evidente que Jeova Deus tinha aceitado e aprova´ do o sacrifıcio de resgate de Cristo. Esse derramamento do ˆ ˜ ´ espırito santo estava entre as primeiras benc¸ aos que o sacri´ ´ fıcio tornou possıvel. ˜ ´ 6 Desde entao, o sacrifıcio de Cristo tem beneficiado seus seguidores no mundo todo. Independentemente de fazer´ mos parte do ungido “pequeno rebanho”, que governara ´ ˜ com Cristo no ceu, ou das “outras ovelhas”, que viverao ´ sob o seu governo na Terra, todos nos nos beneficiamos de ´ ˜ ´ seu sacrifıcio. (Lucas 12:32; Joao 10:16) Ele e a base para a ˜ nossa esperanca ¸ e para o perdao dos nossos pecados. En´ quanto continuamos a “exercer fe” nesse resgate, seguindo ´ ˆ Jesus dia apos dia, podemos ter uma consciencia limpa e ˜ uma maravilhosa esperanca ¸ para o futuro. — Joao 3:16. ´ ´ 7 O que Jesus tem feito no ceu desde que voltou para la? ´ Ele recebeu muita autoridade. (Mateus 28:18) Prova disso e ´ ˜ ˜ que Jeova o designou para governar a congregac¸ ao crista, ˜ uma designac¸ ao que ele tem cumprido de modo amoroso ˆ e justo. (Colossenses 1:13) Conforme predito, Jesus prove ´ homens responsaveis para cuidar das necessidades do reba´ nho. (Efesios 4:8) Por exemplo, ele escolheu Paulo como ´ ˜ “apostolo para as nac¸ oes” e o designou para levar as boas ´ novas a lugares distantes. (Romanos 11:13; 1 Timoteo 2:7) ´ 7. Que autoridade Jesus recebeu quando retornou ao ceu, e como ˆ ´ voce pode apoia-lo?


‘CONTINUE A SEGUIR-ME’

185

´ Perto do fim do primeiro seculo, Jesus enviou mensagens ˜ ˜ de elogio, conselho´ e correc¸ ao a sete congregac¸ oes na pro´ ˜ ´ vıncia romana da Asia. (Revelac¸ ao [Apocalipse], capıtulos ˆ ˜ 2-3) Voce reconhece Jesus como o Cabeca ¸ da congregac¸ ao ˜ ´ crista? (Efesios 5:23) Nesse caso, continuar a segui-lo signi´ ˆ ˜ fica promover um espırito de obediencia e cooperac¸ ao em ˜ sua congregac¸ ao. 8 Jesus recebeu ainda mais autoridade em 1914. Naquele ˆ ´ ano, ele foi designado Rei do Reino messianico de Jeova. Quando seu governo comecou, “irrompeu uma guerra no ¸ ´ ´ ˆ ceu”. O resultado? Satanas e seus demonios foram lanca¸ dos para a Terra, desencadeando uma era de dor e sofrimento. Guerras, crimes, terrorismo, doencas, ¸ terremotos e ˜ fome afligem a humanidade atualmente e sao um lembre´ ´ te de que Jesus esta governando no ceu neste exato mo´ ´ mento. Satanas ainda e “o governante deste mundo”, mas ˜ ˜ por pouco tempo. (Revelac¸ ao 12:7-12; Joao 12:31; Mateus ´ ` 24:3-7; Lucas 21:11) Jesus esta dando as pessoas em toda a Terra a oportunidade de aceitar o Seu governo. ´ ´ ˜ 9 E imprescindıvel que tomemos a nossa posic¸ ao ao lado ˆ ˜ do Rei messianico. Em todas as nossas decisoes, devemos ˜ ˜ buscar sua aprovac¸ ao, nao a deste mundo corrompido. Ao passo que o “Rei dos reis e Senhor dos senhores” inspecio˜ na a humanidade, seu corac¸ ao justo fica cheio de indigna˜ ´ ˜ c¸ ao, mas tambem transborda de alegria. (Revelac¸ ao 19:16) ˆ Por que?

˜ ˆ A indignac¸ ao e a alegria do Rei messianico

´ Assim como o Pai, nosso Mestre e feliz por natureza. ´ ˜ ´ (1 Timoteo 1:11) Como homem, Jesus nao foi crıtico nem ´ difıcil de agradar. Mas muita coisa que acontece hoje na 10

8, 9. Que autoridade Jesus recebeu em 1914, e o que isso significa ´ ˜ para nos ao tomarmos decisoes? ´ ˜ 10. Como Jesus e por natureza, mas o que o enche de indignac¸ ao justa?


186

‘VENHA SER MEU SEGUIDOR’

ˆ ˜ Terra deve enche-lo de indignac¸ ao justa. Ele com certe´ ˜ za esta indignado com as organizac¸ oes religiosas que fal´ samente afirmam representa-lo. Ele predisse: “Nem todo o ´ ´ que me disser: ‘Senhor, Senhor’, entrara no reino dos ceus, ˜ ´ senao aquele que fizer a vontade de meu Pai, que esta nos ´ ˜ ceus. Muitos me dirao naquele dia: ‘Senhor, Senhor, . . . ˜ nao fizemos muitas obras poderosas em teu nome?’ Con˜ tudo, eu lhes confessarei entao: Nunca vos conheci! Afas´ ´ tai-vos de mim, vos obreiros do que e contra a lei.” — Mateus 7:21-23. ˜ 11 Muitos que hoje se autodenominam cristaos talvez achem essas palavras intrigantes. Por que Jesus diria essas palavras fortes a pessoas que fazem “muitas obras podeˆ rosas” em seu nome? As igrejas da cristandade tem apoia˜ ´ do instituic¸ oes de caridade, ajudado os pobres, construıdo hospitais e escolas, e realizado muitas outras coisas. Para ´ entender por que Jesus esta indignado com elas, considere ˜ uma ilustrac¸ ao. ˜ ˜ 12 Certo pai e certa mae precisam viajar. Visto que nao ´ podem levar seus filhos junto, providenciam que alguem ˜ ˜ tome conta deles. Suas instruc¸ oes sao simples: “Tome conˆ ta das criancas, ¸ de-lhes comida, mantenha-as limpas e cuide para que nada lhes aconteca.” Mas quando os pais vol¸ tam da viagem, ficam chocados ao ver as criancas ¸ com fome, sujas, doentes e tristes. Elas choram para receber os ˜ cuidados da pessoa que devia estar cuidando delas, mas sao ˆ ´ ignoradas. Por que? Onde esta essa pessoa? No alto de uma escada, lavando as janelas da casa. Furiosos, os pais pe˜ dem uma explicac¸ ao. A pessoa diz: “Mas vejam tudo o que eu fiz! Limpei as janelas e fiz consertos na casa; tudo para ˆ ´ ˜ voces!” Sera que isso diminuiria a indignac¸ ao dos pais? 11-13. Por que alguns talvez fiquem intrigados com as palavras fortes de Jesus aos que fazem “muitas obras poderosas” em seu nome, ´ mas por que ele esta indignado? Ilustre.


‘CONTINUE A SEGUIR-ME’

187

˜ Dificilmente. Eles nao haviam pedido que a pessoa fizes´ se aqueles servicos; so queriam que ela tomasse conta das ¸ ˜ criancas. Os pais ficariam furiosos por ela nao ter seguido ¸ ˜ suas instruc¸ oes. ´ 13 E assim que a cristandade tem agido. Jesus instruiu seus representantes a alimentar as pessoas em sentido espiri´ ´ tual por ensina-las a verdade da Palavra de Deus e ajuda˜ las a permanecer espiritualmente limpas. ( Joao 21:15-17) ˜ Mas a cristandade deixou de obedecer a essa orientac¸ ao. ˜ Com isso, as pessoas estao famintas em sentido espiritual, ˜ confusas por causa de falsidades e nao conhecem as verda´ ´ ´ ´ ´ des basicas da Bıblia. (Isaıas 65:13; Amos 8:11) Ate mesmo ˜ ˜ as tentativas da cristandade de melhorar o mundo nao sao ˆ desculpa para sua desobediencia deliberada. Afinal, este ´ ´ ` sistema mundial e como uma casa que esta destinada a de˜ molic¸ ao. A Palavra de Deus deixa claro que em breve o sis´ ´ ´ ˜ tema mundial de Satanas sera destruıdo. — 1 Joao 2:15-17. 14 Por outro lado, Jesus deve ficar muito feliz ao olhar des´ ˜ ˜ de o ceu e ver que milhoes de pessoas estao cumprindo a ˜ ´ comissao de fazer discıpulos que ele deu a seus seguidores ´ ´ antes de partir. (Mateus 28:19, 20) Que privilegio e contriˆ buir para a alegria do Rei messianico! Estejamos decididos a nunca desistir de apoiar “o escravo fiel e discreto”. (Ma´ ´ teus 24:45) Ao contrario dos clerigos da cristandade, esse ˜ pequeno grupo de irmaos ungidos tem obedientemente ˜ dirigido a obra de pregac¸ ao e fielmente alimentado as ovelhas de Cristo. 15 Podemos ter certeza de que o Rei fica indignado de ver a falta de amor que existe hoje na Terra. Lembre-se de que ´ os fariseus criticavam Jesus por ele fazer curas no sabado. ˆ 14. Que obra alegra Jesus atualmente, e por que? ˜ ` ˜ 15, 16. (a) Como Jesus se sente em relac¸ ao a falta de amor tao co´ mum hoje em dia, e como sabemos disso? (b) Por que Jesus esta indignado com a cristandade?


188

‘VENHA SER MEU SEGUIDOR’

˜ ´ ˜ Eles eram tao insensıveis e obstinados que nao conseguiam ´ ˜ enxergar alem da sua interpretac¸ ao bitolada da Lei mosaica e da lei oral. Os milagres de Jesus resultavam em muitos ´ ´ ´ benefıcios. Mas a alegria, o alıvio e o fortalecimento da fe ˜ que esses milagres proporcionavam nao significavam nada ˜ para aqueles homens. Como Jesus se sentia em relac¸ ao a ˜ eles? Em certa ocasiao, Jesus olhou ‘para eles com indigna˜ c¸ ao, profundamente contristado com a insensibilidade dos ˜ seus corac¸ oes’. — Marcos 3:5. 16 Hoje em dia, Jesus veˆ muito mais coisas que o dei´ xam “profundamente contristado”. Os lıderes da cristan˜ ˜ ˜ dade estao cegados por sua devoc¸ ao a tradic¸ oes e doutrinas ´ ` ´ ˜ contrarias as Escrituras. Alem disso, odeiam a pregac¸ ao das boas novas do Reino de Deus. Em muitas partes do mundo, ´ ˆ ˜ os clerigos tem patrocinado uma perseguic¸ ao cruel con˜ tra os cristaos que se empenham sinceramente em pregar ˜ ˜ a mensagem que Jesus pregou. ( Joao 16:2; Revelac¸ ao 18:4, ´ 24) Ao mesmo tempo, esses clerigos incentivam seus segui` dores a ir a guerra e tirar a vida de outros — como se isso fosse agradar a Jesus Cristo! 17 Em contraste com isso, os seguidores verdadeiros de Je´ sus esforcam-se em mostrar amor ao proximo. Assim como ¸ ele, transmitem as boas novas a “toda sorte de homens”, ˜ ´ apesar de oposic¸ ao. (1 Timoteo 2:4) E o amor que mostram ´ ´ ´ uns aos outros e notavel; e seu principal sinal identificador. ˜ ˜ ˜ ( Joao 13:34, 35) Por tratar seus irmaos cristaos com amor, ˜ respeito e dignidade, estao realmente seguindo a Jesus e ˜ ˆ alegrando o corac¸ ao do Rei messianico! ´ 18 Nunca nos esquecamos tambem de que o nosso Mestre ¸ ˜ se entristece quando seus seguidores nao perseveram, dei´ xando que seu amor por Jeova esfrie e desistindo de servi˜ Lo. (Revelac¸ ao 2:4, 5) Mas Jesus se alegra com os que perse˜ 17. Como os seguidores verdadeiros de Jesus alegram seu corac¸ ao? ´ 18. O que entristece nosso Mestre, mas como podemos alegra-lo?


‘CONTINUE A SEGUIR-ME’

189

´ veram ate o fim. (Mateus 24:13) Assim, sempre tenhamos ˜ em mente a ordem de Cristo: ‘Continue a seguir-me.’ ( Joao ˆ ˜ ˆ 21:19) Vamos ver algumas benc¸ aos que o Rei messianico ´ ´ concedera aos que perseverarem ate o fim.

ˆ ˜ ´ Benc¸ aos aos fieis servos do Rei

´ Seguir a Jesus e o caminho para uma vida verdadei´ ramente abencoada desde ja. Se aceitarmos a Cristo como ¸ ˜ nosso Mestre, seguindo sua orientac¸ ao e usando seu exemplo como nosso guia, obteremos coisas muito valiosas que ˜ as pessoas em todo o mundo procuram, mas nao encon˜ tram. Seremos abencoados com atividades que darao ob¸ ` ´ ˜ jetivo a nossa vida, uma famılia de companheiros cristaos ´ ˆ unida num verdadeiro vınculo de amor, uma consciencia limpa e paz mental. Em resumo, teremos uma vida feliz e ˜ ´ gratificante. E isso nao e tudo. 20 Jesus e´ o “Pai Eterno” que Jeova´ providenciou para os ˆ que tem a esperanca ¸ de viver para sempre na Terra. Ele ˜ substitui o pai humano, Adao, que frustrou completamen´ te os seus descendentes. (Isaıas 9:6, 7) Por aceitarmos a Jesus ´ como nosso “Pai Eterno”, exercendo fe nele, temos a espe´ ranca ¸ certa de vida eterna. Alem disso, nos achegamos cada ´ vez mais a Jeova Deus. Conforme aprendemos, nos esforcar ¸ ´ ´ a seguir o exemplo de Jesus dia apos dia e o melhor modo de obedecermos ao mandamento divino: “Tornai-vos imi´ tadores de Deus, como filhos amados.” — Efesios 5:1. ´ 21 Ao passo que imitamos a Jesus e seu Pai, Jeova, temos ´ um privilegio maravilhoso. Refletimos uma brilhante luz. ˜ ˜ ˜ Num mundo mergulhado em escuridao, onde bilhoes sao ´ ´ ´ enganados por Satanas e imitam suas caracterısticas, nos, 19

ˆ ˜ ´ 19, 20. (a) Seguir a Jesus resulta em que benc¸ aos desde ja? (b) Como seguir a Cristo pode nos ajudar a preencher a necessidade de termos um “Pai Eterno”? 21. Como os seguidores de Cristo refletem luz num mundo em es˜ curidao?


que seguimos a Cristo, irradiamos reflexos da luz mais brilhante que existe — a luz ´ das verdades bıblicas, das excelentes qualidades ˜ ´ cristas, da verdadeira alegria, da paz genuına e do amor ver´ ´ dadeiro. Ao mesmo tempo, nos achegamos a Jeova. Esse e o alvo mais sublime, mais elevado, que uma criatura inteligente pode ter. ´ ´ ˆ 22 Pense tambem no que Jeova deseja fazer por voce no fuˆ ´ turo, por meio do Rei messianico. Em breve, o Rei travara ´ uma guerra justa contra o sistema perverso de Satanas. A vi´ ´ ˜ ´ toria de Jesus e garantida! (Revelac¸ ao 19:11-15) Apos isso, ˆ ˜ ˜ 22, 23. (a) Que benc¸ aos futuras terao os que continuarem a seguir ˆ lealmente a Jesus? (b) Devemos estar decididos a fazer o que?


‘CONTINUE A SEGUIR-ME’

191

Como Ser Seguidor de Jesus? ´ ˘ O que o ajudara a harmonizar seu modo de pensar com o de ´ Cristo? — 1 Corıntios 2:13-16. ˆ ˘ De que maneiras voce pretende seguir mais de perto a Jesus? — 1 Pedro 2:21. ˆ ´ ˘ Como voce podera evitar o perigo de deixar que seu amor ˜ por Jesus esfrie? — Revelac¸ ao 3:14-18. ˆ ˘ Como voce pode mostrar que realmente deseja que Cris´ ˜ to governe sobre a Terra no futuro proximo? — Revelac¸ ao 22:17, 20.

´ ´ Cristo dara inıcio ao seu Reinado Milenar sobre a Terra. Seu ´ ´ governo celestial concedera o benefıcio do resgate a todos ´ ` ˜ os humanos fieis, levando-os a perfeic¸ ao. Imagine-se cheio ´ de saude, sempre jovem e forte, trabalhando alegremente ´ com uma unida famılia humana para transformar a Terra ´ ˆ ´ num paraıso! No fim do milenio, Jesus devolvera o reinado ´ ˆ a seu Pai. (1 Corıntios 15:24) Se voce continuar seguindo a ´ ˆ ˜ ˜ Cristo lealmente, ganhara uma benc¸ ao tao maravilhosa que ´ ´ ´ e difıcil ate de imaginar: “a liberdade gloriosa dos filhos de ˆ ˜ Deus”! (Romanos 8:21) Sim, teremos todas as benc¸ aos que ˜ Adao e Eva tiveram, mas perderam. Como filhos e filhas ter´ restres de Jeova, estaremos livres para sempre da mancha do ˜ ˜ ´ pecado de Adao. De fato, “nao havera mais morte”. — Reve˜ lac¸ ao 21:4. 23 Lembra-se daquele jovem governante rico que mencio´ namos no Capıtulo 1? Ele rejeitou o convite de Jesus: “Vem ser meu seguidor.” (Marcos 10:17-22) Nunca caia no mesmo erro! Aceite o convite de Jesus com alegria e entusiasmo. Esteja decidido a perseverar, a continuar seguindo o ´ ´ Pastor Excelente dia apos dia, ano apos ano, e a viver para ˆ ´ ´ ve-lo cumprir finalmente todos os propositos de Jeova de modo glorioso!


˜ Gostaria de obter mais informac¸ oes?

´ Contate as Testemunhas de Jeova pelo site www.jw.org/pt.


Venha ser meu seguidor