Issuu on Google+


Editorial

Entrevista exclusiva com

J.J. Jackson

As várias faces de

Gastronomia com

Kaveira & Élida Braz

Grand Cru

ADVB - 17

Comportamento - 12

Decoração - 34

Dicas de saúde - 10

Chegou a estação mais quente e feliz do ano: o Verão. Com ela o mês mais esperado pra muita curtição e diversão, o mês de julho. Assim temos uma dupla perfeita, elementos que se complementam, e que juntos escrevem as mais lindas histórias de vida, na mais sublime e encantadora simplicidade. Verão, o clima certo pra acontecer tudo que tem pra rolar. Corpos sarados, outros nem tanto; corpos bronzeados, outros nem tanto; corpos bonitos, outros ainda mais bonitos; mas o que interessa mesmo é se libertar, esquecer o relógio, ver o tempo passar com muito prazer e pensar somente na próxima atração, seja ela na TV ou na praia. Julho é o mês de se fazer besteiras, de se experimentar, mas tudo com muito cuidado e responsabilidade, nada de esquecer de si mesmo, e numa dessas levar adiante momentos que não deveriam ter passado de uma única noite. Pra tudo isso você tem que estar muito bem acompanhado, e com a Revista +Belém 40º, uma excelente opção pra ficar bem informado sobre os temas mais importantes e interessantes, você encontra a companhia perfeita. A Revista +Belém 40º cresceu, com um conteúdo muito mais bem estruturado e com um layout inovador, esperamos que nossos leitores possam ter maravilhosos momentos de leitura que contribuam para um mês de férias ainda mais prazeroso e inesquecível. Por isso divirta-se, curta o Verão e a nossa Revista. E seja muito feliz!

Expediente

Tiragem: 10.000 exemplares - Diretor Comercial: Rodrigo Alves Diretora Administrativa: Mila Alves - Redação e Revisão: Thiago Danin Direção de arte/Criação: Carlos Neto e Sandro Barroso Diagramação: Sandro Barroso - Fotos: Carlos Neto e Rodrigo Alves Pontos de distribuição: Hotéis em Belém,Pontos turísticos em Belém, Hotéis em Salinópolis, Praias em Salinópolis. Impressão: Gráfica Mega Mestre www.r9comunicacao.com.br Críticas e sugestões: maisbelem@r9comunicacao.com.br

3


O prazer da liberdade sobre Um dos Grupos mais tradicionais de motociclistas de Belém está de braços abertos para receber novos sonhadores

Um sonho a ser realizado. É assim que nasce a vontade e o desejo de fundar o Pará Moto Clube. O início e a origem do Grupo, surgi da iniciativa de cinco corajosos motociclistas que resolveram juntos enfrentar a rodovia Belém-Brasília com destino a Palmas. Dos cinco, quatro concluíram a viagem. Ao chegar de volta a Belém a vontade de fundar um Grupo continuava ainda mais viva, porém com algumas dificuldades, a ideia parecia enfraquecer. Com o passar do tempo, o conflito de ideias parecia transformar o sonho em uma verdadeira utopia, que como tal nunca ganhava forma. Mas com muita força de vontade e perseverança, numa noite inesquecível do mês de setembro, em Mosqueiro, foi fundado o Pará Moto Clube, com a presença de: Sebastião

6

Duas rodas

Araújo (Ceará), Fernando Arquimedes, Adelson Lima, Américo Leal, Celso Fadel, Sérgio Lima, Armando Laiun e Paulo Sérgio (Batman). Finalmente, o sonho tornou-se realidade. Desde então o Pará Moto Clube é uma associação motociclista, sem fins lucrativos, fundada em dezessete de setembro de 2005, e que segue como referência para outros Grupos que já existem ou pensam em formar sua legião de seguidores. O Grupo realiza eventos, passeios e encontros que visam a interação dos associados, com o intuito de gerar relação de amizade, confiança e principalmente para passar todas as informações e condutas corretas que os motociclistas devem adotar ao utilizarem suas motos. Assim fica o convite para você que tem a sua moto e sonha em descobrir a partir do prazer da liberdade um novo mundo. O Pará Moto Clube está de braços abertos.

w w w. p a r a m o t o c l u b e . o r g . b r


Um verão com saúde e corpo

Sarado

Personal Trainer - Ramon Bouzan- 8192-4672

Com

a chegada do verão milhares de pessoas ‘correm’ para as academias atrás do prejuízo, consequência do relaxamento dos 6 primeiros meses do ano. Veja como cuidar do corpo, e que se você é uma dessas pessoas que só agora se deu conta do tempo perdido, descubra que o que resta é relaxar, curtir as férias e esperar pelo verão de 2011. Porque de acordo com profissionais, exageros nesse momento só atrapalham.

Uma dica para o verão? A dica é não ficar parado. Praticar atividades físicas é sempre muito

10

bom. Evitar consumir alimentos muito gordurosos, ingerir carboidrato e muita salada. Fazer também musculação e exercícios aeróbicos, e claro com muito equilíbrio, sem exageros e com acompanhamento de um profissional. E para as pessoas que próximo do verão ‘correm’ para academia, pra alcançar um corpo mais sarado, o que você recomenda? Eu não acho correto. É muito comum as pessoas fazerem isso. Porém causa sobrecarga, exageros. Consequentemente o corpo não resiste. O mais indicado é que as pessoas pratiquem exercícios físicos durante o ano todo. É muito mais saudável, além de proporcionar um corpo muito bonito. Qual a moda desse verão? Não existe uma moda. O que posso dizer é que malhar tá sempre na moda, sempre fazendo sucesso. A pessoa fica mais disposta, com muita energia e consegui alcançar saúde.


O que fazer pra não deixar de praticar atividade física durante o período de viagem? Pra quem fica em hotel é mais fácil em virtude da academia que normalmente tem. Pra quem não tiver essa oportunidade, indico fazer caminhadas leves, sem puxar um ritmo muito forte. E sempre claro com uma alimentação correta, com aquecimento e tomando sempre muito líquido, como água.

Confira a seguir uma série de exercícios indicada pelo personal trainer Ramon Bouzan, pra você colocar em prática nesse verão. E com dicas importantes: tudo com muita tranquilidade, sem exageros, com acompanhamento profissional e seguido de alimentação correta. Seguidas todas essas recomendações, é só sorrir com os resultados alcançados.

Equipamento

Músculo trabalhado

Sequência Indicada

Crucifixo

Peitoral

3 de 12 a 15

Equipamento

Músculo trabalhado

Sequência Indicada

Cadeira extensora

Quadríceps

3 de 12 a 15

Equipamento

Músculo trabalhado

Sequência Indicada

Agachamento

Glúteo / Posterior de coxa / Quadríceps

3 de 12 a 15

Equipamento

Músculo trabalhado

Sequência Indicada

Rosca direta

Bíceps

3 de 12 a 15

Equipamento Elevação lateral

Músculo trabalhado

Sequência Indicada

Ombro

3 de 12 a 15

11


Um mundo adolescente e de Em uma conversa com a psic贸loga Joelcileide Pinheiro, desvendamos um pouco mais da mente dos adolescentes.

12

Descobertas

Entrevista: Joelcileide Pinheiro - CRP 010-00312-1


Comportamento ens em um mundo Como lidar com os jov ‘bandeja’ todas as que entrega numa ões; com pais que opções e experimentaç como cuidar de m a cada momento pensa e não desejam qu s cia ações e consequên para seus filhos.

ta apenas gravidez preservativo, não evi venção de doenças indesejada, mas a pre T’s. Portanto, os DS graves, como as ver a terapia do pais precisam desenvol conceitos e tabus diálogo, na qual os pre lado, pois o de devem ser deixados entos dos jovens s universo de questionam no me lo ar pe , em ssu po e os pais precisam est Por que os jovens pensão é muito grande pro s do ior as ma vid a dú um as , ir aparentemente preparados para dirim impulso? r po es tud ati ar liz para rea os. e ocorre é que esta filh Muitas das vezes o qu cer he oólicas disposta a con buição das bebidas alc geração está mais pre mundo de Qual a contri um lso? pu r im nta r fre po en es a tud o novo, realização de ati na s; de ida bil ssi po es, ole que o ad scente curiosidades, novidad as. Existem situações em nci uê seq por con s vei ssí po rfil do amigo e acaba e não pensa nas favorece introjeta o pe r do ita eci im nh r sco ere de qu r lo po pe A atração ar a si mesmo, safi de A as. lsiv a pu bid im be es E a a tomada de atitud rtamento do outro. suas redes de o compo ajamento cor en de or fat um própria internet com unizam passa a ser ort op ns tuações afi e “si es em sit , as tos es que dit relacionamen busca para para as atitud Assim nte sta ia. con ter a ele nte nte sce me ao adole normais”, dificil gas. dro s tra de ou suas lacunas. também vale para o uso quência diante de r diante dessas Qual a maior conse mo os pais devem agi Co ? lso pu im nversar? atitudes movidas por uações. Proibir ou co atitude foi tomada, sit har a rotina dos an mp aco am cis Dependendo de qual pre rmal seu Os pais no era sid con rtante, porém po im nte é o adolesce A liberdade para ele o que filhos. e; ad lada. Impor tro erd lib con de pre to concei ele deverá ser sem nto me o mo ele qu o na um diálog harmonios interessa é que viver o limites dentro de er r qu po o Ele com a. s, ret tra cor con agiu de forma ando os prós e os str mo a um er tiv as o lic nã oó se bidas alc agora, o momento, e mplo, a utilização de be em valores morais, exe da seqüências. uta pa con r e ilia uso fam Seu se s. ba endo, e/ou outra faz á est e qu o pre considerará sem entar que muitas cer relações de o correto. Válido acresc mo conversar. Estabele Co o uçã str con a ca nifi ade é suficiente? vezes esta base, não sig rque troca ou a sincerid po , nte sce ole samento ad do do comportamento do do grau de entro lidade. O que Dependen na ivo é a rso sit pe po is sua ma uiu o str ele já con tre pais e filhos, en ra pa a, nci uê seq con a troca começa a para um adulto é uma prática do diálogo; al. rm no ta du con a de defesa dos pais, o adolescente é um criar um mecanismo muitas situações lo fato de que em pe is ua sex es açõ rel já haver perdido o É comum jovens terem ia ocorrerem do casal erg en la pe tão, os ad tiv uação e a partir de en sem preservativo mo endação controle da sit o om ism rec can sua me a al sse Qu de . utilizar-se do momento acabe em começam a os, o filh nã s o do ” açã rel nsa pe a e com para qu para obter a “re dos? ação paisXfilhos à resultados não espera s colocando assim, a rel vei nsá po res dio e is pa nci pri valor material que a mé Os pais são os A relação mercê de um tas os. fas ne filh as s nci do üê seq ção pela educa go prazo trará con lon o log diá m nu da sea afetiva necessita ser ba núcleo familiar. de que o não uso do ao aberto, até pelo fato

13


Informe Publicitário No mercado de alimentos há 9 (nove) anos, a Mico’s tem seu centro de operações localizado no município de Benevides, no estado do Pará. Atuando com o objetivo de valorizar todos os envolvidos de forma direta ou indireta para o crescimento da empresa; a Mico’s prioriza atividades que sejam baseadas em responsabilidade social, ética, honestidade e crescimento sustentável; procurando através dessa postura prover o verdadeiro desenvolvimento de qualidade de vida para todos aqueles que compartilham dos seus produtos; sejam eles colaboradores, parceiros e/ou consumidores finais. Com pontos fortes e duradouras relações, a empresa desenvolve ações estratégicas que possuem como base o atendimento das necessidades e das expectativas de seus clientes, oferecendo produtos de alta qualidade. Com portfólio de produtos na linha de alimentos (salgadinhos de milho e trigo, batatas onduladas e palha, refrigerantes e sucos), a Mico’s age respeitando as mais exigentes regras e

16

normas de desenvolvimento, de acordo com as exigências dos órgãos regulamentadores, para oferecer sempre o melhor para os seus consumidores. Líder de mercado em vários segmentos, a Mico’s planeja para esse ano de 2010, consolidar a sua participação em vendas nos mercados em que atua, e para isso conta com uma comunicação integrada sempre preocupada em perceber as tendências do mercado, seja ele regional ou nacional. A Mico’s através de seus esforços e de muito trabalho luta a cada dia para promover o crescimento da sociedade, para que assim todos tenham seus sonhos realizados.

w w w. u n i v e r s o m i c o s . c o m . b r


Bons negócios ventam com a

ADVB-PA Associação dos Dirigentes de Marketing

e Vendas do Brasil – Estado do Pará, é filiada a 4 (quatro) grandes instituições de aprendizado Nacionais e Internacionais no mundo dos negócios, sendo elas: Confederação Latino-Americana de Associações de Dirigentes de Marketing, ao SMEI International Associations, à Associação Brasileira de Marketing e à Federação Nacional das Associações dos Dirigentes de Marketing e Vendas do Brasil (Fenadvb). Fundada em março de 1974, ADVB-PA conta com 450 associados que representam 161 empresas. A Associação começa as suas atividades mais exatamente em 4 de março de 1974, na sede Regional do Serviço Social Nacional de Aprendizagem Comercial (Senac). Nesse dia, reuniram-se alguns dos mais importantes empresários paraenses como, Oswaldo Dias Mendes e Antônio Diniz, diretores da Mendes Publicidade; Junichiro Yamada, diretor e vice-presidente da Y.Yamada; José Joaquim Martins Júnior, diretor-presidente da Belauto S/A; dentre outros. Todos para marcarem a importância do evento de lançamento, daquela que viria a se tornar um dos maiores apoios para o fomento e desenvolvimento do mercado paraense. Confira a seguir a entrevista com o senhor Marcos Aurélio, Diretor vice-presidente da ADVB-PA. Qual a grande missão da ADVB-PA? Promover atividades que venham a desenvolver o Marketing, em todos os seus aspectos profissionais, objetivando o desenvolvimento e o progresso econômico e social de nosso país, nas relações de mercado interno e internacional. Quais os mecanismos utilizados pela ADVB para propagar as boas práticas de

Negócios A ADVB-PA é um grande apoio para o empresariado paraense ter acesso a praticas de mercado na área de marketing. mercado? Eventos de relacionamento como as visitas do projeto ‘Conheça a ADVB-PA’, o ‘Happy Hour Empresarial’, as premiações de cases de sucesso através do Top de Marketing, o Top Social e o Personalidade de Marketing do Ano e o site www.advbpa.com.br com artigos, entrevistas e notícias divulgando as boas práticas de Marketing. Quais as parcerias firmadas pela ADVB no Pará? Nossos principais parceiros são as ADVB’s no Brasil através da FENADVB que é a Federação que congrega todo o Sistema ADVB, os parceiros para a capacitação dos associados como a Gestor Consultoria, a Paradgma, a XP Educação e o Centro de Excelência Ideal/FGV. Qual a recomendação da instituição para empresas que desejam crescer no mercado paraense? Em momento de crise as empresas precisam cada vez mais mostrar seus produtos ou serviços de modo manter sua marca com visibilidade no mercado utilizando as diversas técnicas do marketing empresarial, pessoal ou social. Quais os critérios para se associar, somente empresas podem? Toda empresa ou entidade empresarial, os profissionais liberais de qualquer formação e os estudantes da área de Marketing podem ser associados da ADVB.

w w w. a d v b p a . c o m . b r


16 18

w w w. j j j a c k s o n . c o m . b r


Capa Entrevista com o man blues

J.J. Jackson Americano, nascido em Arkansas, o cantor é uma lenda viva da música americana. Sente-se na obrigação de fazer o público sair feliz de seus shows, para que assim possa ter a sensação de missão cumprida.

C

om a experiência de quem já cantou com artistas consagrados como B.B. King e Lightinin Hopkin; seu primeiro grupo chamavase Rocking Teens, e tinha entre seus integrantes Jimi Hendrix. J.J. Jackson tem uma humildade que assusta, trata o próximo com uma intimidade e com uma simplicidade, que transforma qualquer conversa em uma verdadeira experiência de vida. Com visual sempre muito bem adequado, o cantor preza pelo talento e vive a sua carreira a cada momento, que julga estar sempre em constante aprendizado e evolução. Com contato muito estreito com o público, faz sempre questão de antes de começar suas apresentações, cumprimentar a plateia de forma atenciosa, contar alguns causos, piadas e principalmente provocar, sempre com o intuito de gerar um clima alegre e contagiante, para que todos possam curtir o que a música tem para oferecer de melhor: energia positiva. O cantor é música pura, tem história e experiência de sobra para falar de um dos movimentos mais respeitados no mundo, o Jazz. Bastam algumas prosas com J.J. Jackson para ouvir acontecimentos com Jimi Hendrix, Alceu Valença, Dominguinhos e outros mais tão importantes do mundo da música. Com conhecimento de causa sobre o Brasil, o cantor demonstra amor pela terrinha, e conversa sobre música, comida, hábitos e costumes; passando quase despercebido que se trata de um americano, se não fossem ainda as manias linguísticas trazidas de sua origem, entendeu man?! J.J. Jackson abraçou o Brasil, e como não podia ser diferente abraçamos um artista virtuoso e que resume o espírito de quem por aqui passa e fica: alegria acima de tudo.

19


A

legre. É assim que logo nos primeiros momentos de contato com J.J. Jackson, um dos maiores representantes do Jazz americano, é possível se sentir. Residente no Brasil há 20 anos, o cantor apresenta-se como um apaixonado pelas coisas do país, e em uma entrevista minutos antes de uma ‘canja’, realizada na loja SOL Informática, em Belém, o intérprete fala de família, infância, carreira, Brasil, Belém e muito mais. Confira a entrevista concedida pelo cantor, com exclusividade para a Revista +Belém 400. O que é mais importante, o que é melhor pra improvisar... Eu acho que a experiência, porque depois que você coloca o seu talento, a sua energia, tudo fica mais fácil. Tem um jeito que você pode experimentar certas formas quando você chega a uma determinada idade; improvisar é lindo de se fazer. Quando alguém chama você para fazer “uma canja”, a pessoa diz o tom e você não sabe o que vai acontecer. Eu já fiz isso tantas vezes. Acho tão lindo, tão maravilhoso. Pessoas que fazem isso, são maravilhosas, que me chamam porque sabem que eu gosto, que sei fazer. Então a “canja” é o grande momento, o grande ato onde se vê um artista de verdade em ação? Na hora, na “canja” se vê um grande artista. O que o senhor traz da sua infância, que podemos encontrar na sua obra, na sua carreira? Eu não sei, depende. Eu comecei a cantar bem jovem. Por influência de minha mãe que era cantora de igreja. Tudo começou nessa época. Depois comecei a imitá-la, achava muito legal, muito divertido cantar. Nas imagens acima uma breve apresentação emocionante de J.J. Jackson na SOL Informática, em Belém. Detalhe, tudo na gargante pura, sem uso de microfone e com o aval do público presente.

20

A forma despreocupada de se fazer música, foi o que contribuiu para alcançar o sucesso? Com toda certeza. Eu gosto do que eu faço. Na minha vida antes de decidir ser cantor, tive três trabalhos: no primeiro limpava frangos pra uns chineses; em outro trabalhei em um posto de gasolina; e o último trabalho foi como entregador de jornais, tinha uns 14, 15 anos. Foi lindo, foi uma coisa muito séria, entregava jornais para pessoas muito importantes da época.


Até que um dia fiz uma besteira, joguei um jornal bem longe de onde tinha que cair, o vento bateu e levou ele pra mais longe ainda, e o segundo jornal, joguei numa poça d’água. Nesse dia consequentemente não me pagaram, no fim do mês cortaram meu salário por isso. Mas foi uma boa época. Esses foram realmente os três trabalhos que tive em minha vida. Foi muito gostoso, aprendi muito. Chegou em um ponto que tinha trabalho extra, um ‘bico’, e estava cantando em um final de semana em diferentes lugares, com diferentes bandas e me enrolavam pra pagar. Até que cheguei e disse, não quero mais isso. Peguei o que tinha de dinheiro e fui embora. Eu gosto de música e quero fazer isso. Então assim tudo começou.

O Nordeste é uma loucura por exemplo. Uma vez estava em Olinda, em Pernambuco, com Domiguinhos e Alceu Valença e conversamos muito. Conheço muita coisa. Tive o prazer de conhecer Tom Jobim, na praia de Ipanema, no Rio de Janeiro, tinha acabado de chegar no Brasil! O senhor conhece vários países. Por que escolheu o Brasil para residir? Eu não sei, primeiro eu não sabia. Mas aí eu curti a batida daqui quando eu era bem jovem. Não sabia nada da vida, não sabia nada. Aí eu comecei a sentir as coisas, eu via as coisas na TV. Quando pintou uma oportunidade agarrei e fiquei. Conheci as comidas, os costumes, tudo claro muito diferente de hoje, Rio de Janeiro e São Paulo, por exemplo. Em Belém é tudo totalmente diferente das coisas do Sul. Natal, no Rio Grande do Norte, por exemplo, é uma cidade linda.

“Mulheres brasileiras são as criações mais lindas do planeta”

Como o senhor conheceu Jimi Hendrix? Nós estudamos juntos, não eramos ricos, eramos pobres mesmos e e nessa época moramos numa espécie de gueto, mas gueto diferente, onde as pessoas não faziam o que queriam, eramos organizados. Então assim conheci ele indo pra escola. Cara que bom, quase esquecia todas essas loucuras (risos). Tinha 8, 9 anos, amigos de infância. Depois tomamos caminhos diferentes. No Brasil o que lhe chama mais atenção em termos de música, o que o senhor ouve, o que o senhor gosta? Eu gosto de tudo, um pouco de tudo. Blues no Brasil é muito sério, uma coisa muito séria mesmo. Eu gosto muito do Brasil culturalmente. Conheço muitos estados, quase todos os estados. O país é muito grande, cada estado, é um estado diferente.

Alguma coisa que ainda não tenha feito e queira ainda realizar? Eu tenho minha banda em São Paulo, o nome é `Momento Acústico`. Tenho muita vontade de gravar um DVD. O show de Jazz é melhor em lugares menores, intimistas? Não, depende muito. Muitos artistas fazem em estádio de futebol. Cada situação requer o seu espaço. Não existe uma obrigatoriedade. O mais importante é que o show possa fluir, que as pessoas curtam e sintam-se felizes.

21


Qual a sensação que o senhor quer que a pessoa sinta quando términa o seu show? Eu quero alegria. Que a pessoa caso chegue triste, com problema, saía feliz, batendo palmas. Me sinto com essa obrigação, se consigo isso, me sinto com missão cumprida. Se não sentir isso, não me sinto feliz. E além de tudo me pagam. Isso é minha vida, esse é meu trabalho, não tenho outro. Mulheres brasileiras, o que o senhor tem a dizer? São as mais lindas criações do planeta. Entre agradar a crítica e o público, qual o senhor escolhe? Eu gosto de agradar os dois, esse é o meu jogo. Agradar o público é muito bom, agradar a plateia. Se agradar os jornalistas, tudo bem. Mas jornalista é chato, paparazzo é muito chato, não gosto (risos).

Discografia

J.J. Jackson (1995) Trabalho gravado no Brasil, durante os anos de 1994 e 1995 em Curitiba ( Estúdio Audiovisual ) e São Paulo (Estúdio VU). Resultado de um sonho de J.J. e dos produtores Michael Kelly e Takashi Nagano, uma produção independente nos moldes americanos. Foi logo lançado pelo selo Enja Brasil e logo em seguida no selo Eldorado. O estilo busca uma mesclagem entre pop, blues clássico e rhythm e blues. Há 5 canções inéditas, dos quais “Blue Rose” foi uma das temas da novela do SBT, Razão de Viver.

Comida paraense. Gosta? Nossa senhora! É demais. É gostosa. Tem tanta coisa gostosa. Tem peixe filhote, camarão, açaí, são coisas maravilhosas. Ah! e outra coisa: farofa é uma delícia, em São Paulo nem olho, mas aqui em Belém é muito gostosa, maravilhosa. Resuma Brasil e Belém. Parece outro país, sabemos da realidade. Mas não tem outro lugar igual a Belém. É um prazer voltar a Belém. É um prazer do fundo do meu coração. Quando chego aqui sei que a comida vai ser maravilhosa; as pessoas vão me receber bem. Acho um dos lugares mais maravilhosos. Gosto de curtir Belém, me sinto em casa. Encontro músicos maravilhosos, os melhores que posso encontrar; tem o maestro Ricardo Aquino, Nego Nelson, o Careca, Paulinho Borges, e todos que tocam comigo quando venho a Belém.

22

J.J. Jackson and very special friends (2000) O título do CD, “J. J. Jackson and very special friends” é uma homenagem feita pelo cantor a todas as pessoas importantes em sua vida. O Segundo CD, lançado em setembro de 2000, teve a maioria das faixas gravadas ao vivo em shows no SESC Santos, SESC Ribeirão Preto, Jundiaí, Teatro Diadema, S.M. de L. Cultura e no centro cultural SP, em 1997. Entre as faixas que compõe o CD, estão “Little wing” de Jimi Hendrix, “You´ve lost that loving telling” de Righteous Brothers e de autoria própria, “Your Loving Blues” e “Hey Blues”. Além de tudo isto, tem uma gravação da magistral balada “Misty”. As faixas que foram gravadas ao vivo, contam com a participação da Black and White band, com Mario Manga (guitarra, violão, e celo) Tony Giglio (contra-baixo), Tuco Macondes (guitarra, violão e guitarra portuguesa), Marcio Maresia (gaita) e Pepa D´Elia (Bateria e Percurssão).


24


25


Despimos o que faltava de

Kaveira O paraense mostra uma face que poucos conhecem, mas não esquece a sua essência vanguardista e de profunda experimentação.

16 18 26

w w w. a p a v e r d e . o r g


Entrevista Kaveira ambientalista... Eu tinha acabado de me eleger no início da década de 90, e pensamos em ir morar dentro do mato. E começamos a procurar um sítio, um lugar pra gente morar mesmo, e acabamos encontrando em Benevides, uma reserva que é nossa até hoje. É um lugar muito rico ambientalmente, de patrimônio ambiental muito rico, de florestas virgens, com 4 (quatro) nascentes, mais de 140 (cento e quarenta) espécies de animais. E os nossos amigos que conheceram a floresta, como doutores e cientistas, começaram a nos incentivar a preservar o fantástico patrimônio ambiental que temos em nossas mãos. A partir de tudo isso começamos a desenvolver um estilo de vida com responsabilidade ambiental. E por que somente agora as pessoas conhecem esse lado do Kaveira? A mídia transforma você no que ela quiser, seja em vilão, seja em herói; hoje ela quer dar espaço para o Kaveira ambientalista. Fale um pouco do mito Kaveira? Mito é mito. Fato é fato. O Kaveira não é somente a boate. Nós temos uma história que não se resume apenas em boate. A boate na realidade ao mesmo tempo que é fantástica pra gente que faz, ela também rotula muito a imagem, porque a imagem de quem trabalha na noite está ligada a atividades erradas, ilegais. Você é a ovelha negra da família? Sou de uma família de classe média alta e de pessoas influentes. Mas na realidade quando estudei existia muita cobrança em ter uma formação, de ser doutor, e eu sempre estudei muito. Sou bacharel em Direito, com pós-graduação na UNB – Universidade de Brasília; sou bacharel em Geografia pela UFPA – Universidade Federal do Pará; sou formado em Marketing; tenho DRT; sou diretor; sou cantor. Sempre busquei muito conhecimento, e posso dizer que não sou ovelha negra da família, fui liberto pelo conhecimento. Sexualidade, libertação e drogas? Eu ofereci muitos experimentos para as pessoas se libertarem, como na Mystical, que era um lugar de muitas experiências. Quando as pessoas se libertam, um mundo

de coisas maravilhosas se abre pra elas. Isso é fantástico. Não posso ficar preso e preocupado de como as pessoas gozam, o que quero é que as pessoas gozem. Dentro desse pensamento, onde fica a Élida? A Élida é minha parceira. Ela e eu temos uma relação muito simples, regida pelo P.I.C.A, que significa Pacto Infinito de Cumplicidade Absoluta, que significa ter direito a fazer um pedido por dia, mas não é acumulativo (risos). Você não pode tolir o pensamento de uma pessoa. Então a Élida é o sonho de todo homem? Não sei. Mas estava pensando em clonar a Élida (risos). É uma parceira maravilhosa, bonita. Uma mulher que todo mundo fala, mas que só teve um namorado e casou virgem. Está comigo até hoje, já enfrentou vários desafios comigo. Estamos juntos há 17 anos. Há algo muito forte que nos une, que é a cumplicidade. E drogas? O mundo moderno está repleto de muitas drogas. Na realidade já experimentei muitas drogas na minha adolescência e fiz uma opção de não utilizar drogas químicas. Então na minha juventude usei LCD, chá de cogumelo na década de 60. E percebi que queria viver muito, por isso não embarquei. O que acha da homossexualidade? Sou um dos precursores do movimento gay. Para quem não sabe sou autor da primeira lei que reconhece os direitos dos homossexuais. Belém foi a primeira capital a ter o dia municipal do orgulho e da consciência gay. A sociedade paraense tem muito podre? Tem. A sociedade é muito hipócrita. Mas o legal desse convívio é que ‘enxergamos’ a verdade depois de duas doses. Acho legal me mostrar e mostrar a Élida de cara ‘limpa’ diante dessa sociedade. Deseja ter filhos? Não. Filhos não. Temos uma profunda consciência do nosso papel para o planeta. Sabemos que o planeta não tem recursos suficientes para o que já existe no momento. As pessoas precisam adotar um filho, um animal, uma árvore.

27


Entrevista A Lady Green de

Élida Braz A DJ impressiona por onde passa. Seja pela sua beleza, pelo seu ineditismo ou por suas opiniões sem censura.

trabalho, me visto da maneira que gosto. As pessoas acham que colocar uma roupa colorida e curta, é fazer tipo. Posso ser assim, sem ser de mentira. Sou autêntica. Filhos? Nunca tive vontade. E agora sonho com as coisas que quero realizar. Mas adoro crianças, e elas também me adoram.

Élida Braz ecologicamente... Bem, 17 anos de história. Agora a gente se encontrou. Estamos fazendo coisas mais intensas e voltadas para a comunidade. Como optamos por não ter filhos, podemos ajudar mais o nosso planeta. Estamos felizes. A sensação de fazer o bem ao próximo é maravilhosa. Receptividade na Europa... No Brasil meu trabalho sempre foi reconhecido e sempre teve muito respeito. Sabem que faço coisas inovadoras e únicas. Quando toco na Europa as pessoas ficam impressionadas. O deslumbre é grande. Élida: verdade ou personagem? Faço o que eu gosto. Além de ser o meu

28

E o P.I.C.A - Pacto Infinito de Cumplicidade Absoluta... Tive sorte de conhecer o André (Kaveira). Tinha 14 anos e sempre fui muito avançada. Temos um história linda e de muito respeito. Por isso temos espaço pro P.I.C.A. Público... As pessoas gostam de mim. E quando olham o Kaveira e a Élida juntos, querem realizar fetiches. Polêmicas... São sempre constantes na minha vida. Mas tenho força pra enfrentá-las. Vivo de acordo com que eu desejo, não pelo o que os outros pensam. Recentemente fui acusada de não ter capacidade de assumir um cargo público. Puro preconceito, só porque me visto, penso e tenho o estilo de vida que tenho. Me dou respeito, me imponho. Se não respeitar, é tapa na cara.

w w w. l a d y g r e e n . c o m . b r


Para degustar com uma Gra

Companhia

NOME DO VINHO: Felino Vina Cobos TIPO DE UVA: Chardonnay TIPO DE VINHO: Vinho Branco REGIテグ: Mendoza Argentina SAFRA: 2008

30

w w w. g r a n d c r u . c o m . b r

NOME DO VINHO: Domaine Weinbach TIPO DE UVA: Pinot Gris TIPO DE VINHO: Vinho Branco REGIテグ: Alsacia - Franテァa SAFRA: 2007


Gastronomia

and

a

Com a chegada do Verão muitas pessoas aproveitam para colocar em prática uma das habilidades, que com a correria do cotidiano e do trabalho principalmente, é muito esquecida: a arte de cozinhar. Muito usada no momento de conquistar um ‘bom partido’ ou de impressionar uma bela visita, a gastronomia apresenta-se como uma excelente opção para acessar um mundo gostoso e cheio de sensações. Experimente as duas dicas Risoto de frutos do mar ao de receitas que a Revista +Belém 40° e a pomodoro fresco Grand Cru indicam para você nesse Verão.

Salmão com arroz negro a la creme de ervas frescas

Modo de preparo do salmão: 250 gr de posta de salmão fresco; Azeite / sal / pimenta / (pra temperar); Colocar pra assar durante 20 minutos. Modo de preparo arroz: 100 gr de arroz negro; 20 gr de cebola; 15 gr de manteiga; 15 gr de amêndoas fatiadas; Cozinhar o arroz em água e sal, durante 25 a 45 minutos (escorrido); Fritar a cebola na manteiga, misturar com arroz e as amêndoas e ajustar ao ponto do sal. Molho: Tomilho fresco, alecrim fresco, manteiga, creme de leite e vinho branco; Fritar a erva na manteiga, acrescentar um pouco de vinho branco e o creme de leite. Sal e pimenta a gosto.

2 unidades de lagostim; 4 unidades de camarão rosa; 6 unidades de minilulas; 8 unidades de mexilhão chileno; 150 gr de molho pomodoro pelati; 150 ml de vinho branco; 150 ml de azeite; Lavar todos os frutos do mar com vinho branco; Fritar os frutos do mar no azeite (começando pela lula); Acrescentar aos poucos os outros ingredientes; Colocar o molho pomodoro; Cozinhar por 20 minutos; Reservar.

Risoto: 100 gr de arroz arbório; 150 ml de vinho branco; 1l de caldo de frango; 20 gr de cebola; 20 gr de manteiga; 25 gr parmesão; Fritar cebola na manteiga; colocar arroz arbório, refogar e depois colocar vinho branco, aos poucos colocar caldo de frango, sem parar de mexer (durante 20 minutos); acrescentar parmesão e manteiga; mexer bem. Montar o prato: colocar o aro no centro do prato; colocar o risoto no centro e os frutos do mar ao redor; decorar com pimenta dedo de moça, alecrim fresco e salsinha picada.

31


Um verão muito

Elegante

Veja como a decoração pode contribuir para a construção de espaços elegantes e funcionais para o verão

w w w. p e r l l a e t j r. c o m . b r


Quem disse que você precisa abandonar o bom gosto, a elegância e o conforto na hora de viajar? A arquiteta Anna Perlla dá dicas valiosas de como atuar e quais os truques para construir um espaço agradável e com funcionalidades para o verão. Quais os elementos mais utilizados para a decoração de verão? Temos duas linguagens basicamente. Layout´s coloridos, com utilização principalmente de madeira no piso, que deixa o espaço com alto astral e também através de luminosidade direta. E a outra opção é a aplicação do branco com tons azuis que remetem ao ar romântico e europeu, que também faz parte da decoração de verão. E o ar despojado que sai da praia e invade a cidade? Ocorre muito. O objetivo é trazer o clima despojado da praia para o cotidiano. Pra isso utilizamos sofás com listras, ventiladores de palha de bananeira, fibras, madeira e jardins; funcionam muito. No caso dos apartamentos a sacada vira uma continuidade desse conceito.

Decoração agregar valor para vida das pessoas. Até que ponto o profissioanl de decoração influencia no pedido do cliente? O profissional tem que ter sensibilidade para perceber as necessidades do cliente. Precisa saber filtrar as informações que lhe são passadas. A partir disso direcionar. Pautamos nossos projetos por meio de análises dos hábitos, dos costumes, do perfil de vida do cliente. Para o calor de Belém, o que fazer para amenizar? Para apartamentos ficamos limitados pela quantidade de aberturas, de entradas de ventilação, que são no caso as janelas. Procuramos utilizar materiais leves nos sofás, no piso (como amadeirado). Em casas optamos por aplicar localizações corretas, disposições potencializadas. Persianas que ‘quebram’ o sol e que permitem a entrada da ventilação são excelentes. Em residências forros e tons claros ajudam muito.

E a utilização de elementos paraenses? Usamos muitos elementos paraenses, não necessariamente o marajoara. Recorremos muito ao barro, painéis de barro, que podemos desenhar. Evitamos os exageros.

Quais os grandes erros na decoração? Layout. Distribuição errada, sem integração, com divisões equivocadas. Do restante, é tudo muito fácil de mudar, transformar, corrigir.

Qual a grande tendência no momento? Acredito que não exista. Desenvolvemos projetos de acordo com a necessidade. As pessoas procuram atualmente acima de tudo qualidade de vida, que passa por segurança, praticidade e conforto. Tudo através de detalhes, pra isso existe a decoração, que explora muito bem todas as formas que podem

E o que não pode faltar no lar da decoradora Anna Perlla? Adoro uma sala ampla para receber os amigos. Isso eu faço questão. É mais importante que a cozinha por exemplo. Depois vem os espaços mais íntimos como o meu quarto, e os dos meus filhos. Gosto muito de utilizar a aplicação de elementos que remetem a lembranças, como quadros. Utilizo muito as paredes.

35



+Belém 40º