Page 46

Ela teve de esconder o riso e vestir sua melhor cara de paisagem ao deixar sua sala e caminhar para a loja. Achou melhor não olhar de novo para Zane alguns passos atrás dela. — Amy! — rumou para a senhora muito bem-vestida e coberta por belas joias que examinava algumas peças ao canto do salão — que bom vê-la! A mulher a acolheu num abraço carinhoso: — Querida! Cada vez mais bonita, menina! — São seus olhos! — Meu bem, sabe que minha netinha vai se casar, certo? — Claro! Será o evento do ano! — Pois espero que sim — dizia sem falsa modéstia. A família Stuarts era do ramo hoteleiro, tradicional e muito, muito abastada. E a única neta mulher iria se casar com um outro filho de magnata. Com certeza seria o evento do ano — Bom, eu dei aos noivos a viagem de lua de mel, mas queria algo especial que eles pudessem ter na casa deles. E logo me lembrei de você e sua linda loja, que tem artigos preciosos! — Puxa, que honra, Amy! Deixe-me apenas levar meu amigo até o carro e serei toda sua! Foi então que a mulher notou Zane próximo a elas. Seu olhar o percorreu todo, demoradamente, com muito interesse. Quinn novamente teve de conter um riso. — Senhora — Sabendo que era apreciado, Zane endereçou um sorriso torto e um curvar sutil de cabeça para a senhora. — Meu jovem — Amy retribuía, sem esconder disfarçar a admiração. — Eu volto logo — anunciou Quinn, segurando o braço dele e já pronta para seguir rumo à saída. — Zane? Quando ouviu uma mulher chamar por ele. E o sentiu ficar tenso sob seus dedos; e antes de se voltar lentamente, balbuciou um palavrão que ela nunca teria coragem de pronunciar em voz alta. Franzindo o cenho, notou como o queixo dele se retraiu ao fitar uma espantada Camille Fairfield. Ele parecia grudado ao chão, encarando-a como se fosse uma aparição. — O que faz aqui? — a outra inquiria seus enormes olhos verdes como os de um gato, fixos na mão de Quinn, ainda pousada no braço dele. — Estou trabalhando! — ele resmungou, parecendo muito pouco à vontade — Eu realmente tendo de ir, Quinn — e foi se encaminhando para a porta, sem olhar para trás. Quinn endereçou um sorriso rápido, que não foi retribuído à Camille e se apressou para segui-lo. Zane não diminuiu seus passos, mesmo quando notou que ela vinha em seu encalço. Muito estranho. Não gostou da forma como ele reagiu à outra mulher. De repente era como se ela, Quinn, não existisse. Mesmo depois de... Bom, de quase a ter fodido em sua sala. — De onde conhece Camille? — ela não resistiu a perguntar. Percebeu que ele tomou uma respiração profunda antes de murmurar sua resposta:

Patrícia rossi zane  
Patrícia rossi zane  
Advertisement