Page 1

COMPOSTANDO NO ECOPONTO Programa de compostagem

valorização dos resíduos orgânicos na comunidade Realização:


O Projeto Compostando no Ecoponto: aprenda a produzir composto orgânico em sua casa Utilizando recursos do FEMA – Fundo Especial de Meio Ambiente –, da Secretaria Municipal do Verde e Meio Ambiente, a SAJAPE vem desenvolvendo desde agosto de 2011 o projeto “Pátio de Compostagem – Valorização dos Resíduos Orgânicos na Comunidade”. Com a implantação de um pátio de compostagem no Ecoponto Vicente Rao, situado sob o Viaduto Vereador José Diniz, um dos objetivos deste projeto é mostrar a importância não apenas do Ecoponto, mas também dos materiais ali descartados.


O que é o Ecoponto? O Ecoponto é um equipamento criado pela Prefeitura de São Paulo para receber, de maneira disciplinada, diversos materiais descartados pela comunidade, evitando o despejo irregular em terrenos baldios, calçadas ou praças. É grande a variedade de materiais recebidos todos os dias nesse espaço: além dos recicláveis mais conhecidos – plástico, metal, papel e vidro –, o Ecoponto recebe ainda entulho e restos de poda vegetal, que também podem ser reaproveitados.


Compostando no Ecoponto: conheça o projeto Desde sua inauguração, em 2005, o Ecoponto Vicente Rao recebe volumes significativos de restos vegetais de poda e capina produzidos nos bairros Jardim Petrópolis, Jardim dos Estados, Alto da Boa Vista e vizinhanças. Graças a este bom hábito dos moradores, diminuiu sensivelmente o despejo desses materiais em calçadas e terrenos baldios. No entanto, todo esse material é levado para aterros, por empresa contratada pela Prefeitura. Ou seja, esta preciosa matéria orgânica é enterrada como o restante do nosso lixo!!!

É preciso reaproveitar esses recursos naturais!! A proposta do projeto é implantar uma área para o processamento de resíduos orgânicos, utilizando procedimentos de compostagem para a produção de composto a ser aplicado em hortas comunitárias e/ou domésticas no âmbito da agricultura urbana.* Instalado na área do Ecoponto Vicente Rao, o Pátio de Compostagem é um espaço organizado, atraente e integrado à paisagem, para estimular a visitação de vizinhos, usuários do Ecoponto, escolas, entidades e outros interessados.


Nota: 5 A agricultura urbana utiliza técnicas simples e acessíveis para a produção doméstica de alimentos nas cidades, abrindo possibilidades de convívio e de troca de experiências entre os moradores. A prática da agricultura urbana permite a difusão de uma cultura que até este momento tem sido valorizada apenas como hobby ou como atividade de final de semana.


Mas o que é compostagem? Compostagem é um tipo de decomposição biológica controlada e acelerada, que trata e estabiliza resíduos orgânicos, produzindo composto orgânico. Esta produção é relativamente simples, não traz nenhum inconveniente estético ou sanitário e, sendo bem monitorada, pode ser feita até em creches e escolas, por exemplo, com livre acesso a crianças.


E o que a comunidade ganha com esse projeto? v

v

Produção de composto orgânico a ser usado em hortas comunitárias e/ ou distribuído para uso do público; Redução da quantidade de lixo destinada aos aterros, com aumento de sua vida útil;

v

Redução das despesas da PMSP com a destinação desses resíduos;

v

Um novo conceito de “lixo” e valorização de resíduos orgânicos, garantindo que sejam acondicionados e tratados de maneira mais sustentável;

v

Estímulo à instalação de composteiras domésticas;

v

Um modelo de gestão local de resíduos sólidos, com foco socioeconômico e ambiental.

Além da produção do composto, o projeto permite também: v

Aumento do conhecimento em agroecologia e suas práticas;

v

Melhoria da qualidade ambiental, por meio do aproveitamento de áreas ociosas em toda a cidade para a implantação de pátios de compostagem, que produzirão insumos para a agricultura urbana.


Quem é beneficiado pelo projeto? v

Moradores dos bairros vizinhos ao Ecoponto Vicente Rao;

v

Carrinheiros que transportam resíduos vegetais;

v

ONGs que trabalham com crianças e adolescentes;

v

Entidades e associações de moradores;

v

Subprefeitura de Santo Amaro;

v

Alunos de escolas da região.


Palestras e oficinas Todas as atividades educativas – palestras, oficinas e visitas monitoradas –, independentemente do público envolvido, buscaram fortalecer vínculos afetivos entre as pessoas e o ambiente. Além disso, tiveram por objetivo estimular a adoção de novos hábitos para minimizar nosso impacto ambiental, dentre eles a segregação de resíduos orgânicos para compostagem nas próprias fontes geradoras: residências, escolas, local de trabalho, etc. Quanto ao conteúdo, os principais temas abordados nestas atividades foram: v

quantidade e destinação atual dos resíduos da cidade de São Paulo

v

objetivo e funcionamento do ecoponto

v

compostagem - conceito e importância

v

procedimentos do pátio de compostagem (recepção, triagem, trituração, montagem e revira das leiras)

v

aplicação do composto

v

compostagem com minhocas.


Na primeira atividade educativa, junto, inclusive, aos parceiros do projeto e autoridades, na sede da SAJAPE, abordaramse também a necessidade de se reduzir a geração de resíduos, pela revisão no padrão de consumo e desperdício, o programa de coleta seletiva da cidade de São Paulo e as determinações da Política Nacional de Resíduos Sólidos, temas relacionados direta e indiretamente ao projeto de compostagem da SAJAPE.


21 de dezembro de 2011:

Inauguração

A primeira palestra foi realizada no dia 30 de novembro de 2011, e contou com a presença de entidades da região, Associação Comercial de Santo Amaro, Grupo Escoteiro Bororó, escolas e moradores. A segunda palestra foi realizada no dia 21 de dezembro de 2011 e contou com a presença de outras entidades da região, moradores, os Subprefeitos de Santo Amaro (atual e anterior), funcionários da Subprefeitura, da SVMA e da empresa responsável pela gestão do Ecoponto. Esta segunda palestra foi realizada no Ecoponto permitindo que todos pudessem conhecer o local onde seria implantado o projeto e inteirar-se das atividades previstas.


No terceiro evento, realizado no Parque do Cordeiro no dia 29 de janeiro de 2012, foi utilizado o mesmo material de apoio elaborado para a segunda palestra. Com uma dinâmica diferente, de maneira bastante informal, adultos e crianças foram abordados ao circularem pelo Parque e “atraídos” para as atividades, que incluíram manipulação dos minhocários, do composto pronto e uma conversa interativa sobre a compostagem doméstica. Esta atividade estava prevista inicialmente para o dia 21 de janeiro, mas foi adiada devido à chuva.


29 de fevereiro de 2012:

Visita do ColĂŠgio Magister


Nesta oficina, o grupo Baduendes trabalhou questões ambientais de forma lúdica com os alunos fazendo uso de música e dança. Abaixo, à esquerda, o subprefeito de Santo Amaro, coronel Roberto Costa, conversa com os alunos do Colégio Magister.


O grupo Baduendes desenvolve com os alunos um brinquedo de madeira, demonstrando o reuso artesanal de madeira descartada.


20 de março de 2012:

Palestra no ColĂŠgio Magister


27 de abril de 2012:

Palestra para a comunidade


15 de maio de 2012:

Oficina com Escola Trilha


24 de maio de 2012:

Oficina com ColĂŠgio Friburgo


As crianças do Colégio Friburgo


26 de maio de 2012:

Oficina com Escoteiros Boror贸s


2 de junho de 2012:

Oficina com Escoteiros Boror贸s e Bandeirantes


O Pátio de Compostagem O Pátio de Compostagem foi implantado dentro do Ecoponto situado na avenida Prof. Vicente Rao, 308, nos baixos do viaduto Vereador José Diniz. Dispõe de uma pequena construção – aCasa do Pátio –, com sanitários, sala para reuniões e depósito para equipamentos e ferramentas. Numa área de aproximadamente 100 metros quadrados (20 x 5 m), foi organizada uma sequência de leiras de resíduos vegetais triturados. A baia para deposição do material de poda e a máquina trituradora ficam ao fundo. O composto é preparado pelo método de tritura e revira dos restos vegetais, e demora três meses até ficar pronto.


Ao lado, vista interna da Casa do Pátio e uma leira no início do processo de compostagem (à esquerda, abaixo). Abaixo, o triturador de resíduos.


Desde novembro de 2011, biólogos e educadores ambientais ministraram oito palestras e realizaram oito oficinas no Pátio de Compostagem. De forma lúdica e didática, transmitiram ensinamentos importantes sobre os procedimentos de compostagem. Além destes eventos agendados, o Pátio de Compostagem recebeu a visita de inúmeras pessoas e entidades interessadas: moradores dos bairros vizinhos ao Ecoponto, empregados domésticos, associações de moradores e outras Ongs, funcionários da administração pública, alunos e professores de algumas escolas da região, grupos de escoteiros etc. O interesse e o entusiasmo dos participantes e dos visitantes confirmaram a relevância do projeto: implantado em todos os distritos de nossa cidade, o Pátio de Compostagem daria uma contribuição decisiva para a disseminação da cultura de sustentabilidade ambiental em nossa cidade.

EQUIPE O projeto Compostando no Ecoponto foi desenvolvido pela equipe da SAJAPE, constituída por: Cristina Antunes, Maria de Lourdes Pretti Bueno, Nazareth Colete, Olga Saias, Sérgio Veloso e Silvia Cersosimo. A responsabilidade técnica pela operação e pelas atividades educativas do projeto coube à empresa Menos Lixo, representada por Patrícia Blauth e Edison Oliveira. Foram parceiros: 5 Subprefeitura de Santo Amaro; 5 Sababv – Associação de Moradores do Bairro Alto da Boa Vista; 5 Amachácara – Associação de Moradores e Amigos da Chácara Santo Antônio; 5 Grupo Escoteiro Bororós. O projeto Compostando no Ecoponto foi realizado com recursos do FEMA – Fundo Especial de Meio Ambiente, da Secretaria do Verde e Meio Ambiente da Prefeitura de São Paulo.


Peças de comunicação Segundo encontro do projeto

Compostando no EcoPonto Conforme informado no encontro realizado no último dia 30, a SAJAPE realizará na 4a. feira, dia 21/12, o segundo encontro do projeto Compostando no EcoPonto, para o qual conta antecipadamente com sua presença. Esse evento marca a inauguração do proceso de compostagem no EcoPonto Vicente Rao, com uma programação agradável e participativa:

10h00: Na abertura, você conhecerá o espaço do Pátio de Compostagem e a obra em andamento.

10h30: O processo de compostagem será apresentado por meio de uma atividade em grupo, com demonstração da triagem e manipulação de material resultante da trituração dos resíduos.

11h30: Formalizando a inauguração do Pátio, a fixação das placas indicativas do projeto será feita com a participação dos visitantes.

11h45: Perguntas e respostas. 12h00: Anote as próximas etapas e receba seu composto. ESPERAmOS POR VOCê, NãO FAltE!!!

Local: EcoPonto Vicente Rao, nos baixos do Viaduto Vereador José Diniz, sentido Diadema. A entrada é na pista de retorno, logo depois do acesso à Vereador José Diniz ao lado da Novartis.

Data: 4a. feira, dia 21 de dezembro. Horário: das 10h00 às 12h00.

Realização:

Acima: convite para oficina a ser realizada no Ecoponto Ao lado: placas informativas a respeito do projeto


COMPOSTANDO NO ECOPONTO...

Mas o que é compostagem?

Conheça o projeto

Compostagem é um tipo de decomposição biológica con-

Desde sua inauguração, em 2005, o EcoPonto Vicente Rao re-

trolada e acelerada, que trata e estabiliza resíduos orgânicos,

cebe volumes significativos de restos vegetais de poda e capina

produzindo húmus. A produção do composto orgânico é rela-

produzidos nos bairros Jardim Petrópolis, Jardim dos Estados,

tivamente simples, não traz nenhum inconveniente estético ou

Alto da Boa Vista e vizinhanças. Além de entregar estes resíduos

sanitário e, bem monitorada, pode ser feita até em creches e

diretamente no EcoPonto, moradores da região frequentemente

escolas, por exemplo, com livre acesso a crianças.

contratam carrinheiros para realizar esse transporte. Em muitos casos, os resíduos são deixados ao longo do percurso. Do Eco-

E o que a comunidade ganha com esse projeto? 5 Produção de composto orgânico a ser usado em hortas comunitárias e/ou distribuído para uso do público; 5 Redução da quantidade de lixo destinada aos aterros, com aumento de sua vida útil;

Ponto esse material é levado, por empresa contratada pela Prefeitura, para um aterro sanitário. Ou seja, esta preciosa matéria orgânica é enterrada com o restante do nosso lixo!!!

É preciso reaproveitar esses recursos naturais!!

5 Redução das despesas da

Nosso projeto é implantar uma área para o processamento

PMSP com a destinação des-

de resíduos orgânicos, utilizando procedimentos de compos-

ses resíduos;

tagem para a produção de húmus a ser aplicado em hortas

5 Estímulo à instalação de composteiras domésticas; 5 Um modelo de gestão local de

comunitárias e/ou domésticas no âmbito da agricultura urbana. Instalado na área anexa ao EcoPonto Vicente Rao, o Pátio de Compostagem é um espaço organizado, atraente e integrado

resíduos sólidos, com foco socioe-

à paisagem, para estimular a visitação de vizinhos, usuários do

conômico e ambiental.

EcoPonto, escolas, entidades e outros interessados.

Realização:

moradores. A prática da agricultura urbana permite a difusão de uma cultura que até este momento tem sido valorizada apenas como hobby ou como atividade de final de semana para as classes mais abastadas.

Além da produção do composto, o projeto permitirá também: 5 Aumento do conhecimento em agroecologia e suas práticas; 5 Melhoria da qualidade ambiental, por meio do aproveitamento de áreas ociosas em toda a cidade para a implantação de pátios de compostagem, que produzirão insumos para a agricultura urbana.

A quem esse projeto se destina? 5 Moradores dos bairros vizinhos ao Ecoponto Vicente Rao; 5 Carrinheiros que transportam resíduos vegetais; 5 ONGs que trabalham com crianças e adolescentes; 5 Entidades e associações de moradores; 5 Subprefeitura de Santo Amaro. A transmissão das técnicas de compostagem será feita por meio de visitas ao pátio, palestras e oficinas de educação ambiental.

Mais informações? O projeto completo e a agenda das palestras e das oficinas estão no site da SAJAPE (www.sajape.org.br). Contato: sajape@sajape.org.br ou (11) 3854-7372.

O importante é PARTICIPAR!!!

São nossos parceiros: SABABV, AMA Chácara, Menos Lixo, Subprefeitura de Santo Amaro e Grupo Escoteiros Bororos.

Folder informativo distribuído entre os moradores. Da esquerda para a direita: capa, páginas interiores e contracapa.

Agricultura urbana é a apropriação de técnicas simples e acessíveis para a produção doméstica de alimentos nas cidades, que abre possibilidades de convívio e de troca de experiências entre os


O que é o Ecoponto?

JORNAL

FEMA

Realização:

E o que a comunidade ganha com esse projeto?

Ecoponto Vicente Rao

O Ecoponto é um equipamento criado pela Prefeitura de São Paulo para receber, de maneira disciplinada, diversos materiais descartados pela comunidade, evitando o despejo irregular em terrenos baldios, calçadas ou praças.

5 Produção de composto orgânico a ser usado em hortas comunitárias e/ou distribuído para uso do público;

5 Um modelo de gestão local de resíduos sólidos, com foco socioeconômico e ambiental.

5 Redução da quantidade de lixo destinada aos aterros, com aumento de sua vida útil;

Além da produção do composto, o projeto permitirá também:

É grande a variedade de materiais recebidos todos os dias nesse espaço: além dos recicláveis mais conhecidos – plástico, metal, papel e vidro –, o Ecoponto recebe ainda entulho e restos de poda vegetal, que também podem ser reaproveitados.

5 Redução das despesas da PMSP com a destinação desses resíduos;

5 Aumento do conhecimento em agroecologia e suas práticas;

5 Um novo conceito de “lixo” e valorização de resíduos orgânicos, garantindo que sejam acondicionados e tratados de maneira mais sustentável;

5 Melhoria da qualidade ambiental, por meio do aproveitamento de áreas ociosas em toda a cidade para a implantação de pátios de compostagem, que produzirão insumos para a agricultura urbana.

Outras informações sobre o funcionamento do Ecoponto podem ser encontradas em nosso site: sajape.org.br (Decreto 42.217/2002).

Compostando no Ecoponto: conheça o projeto Desde sua inauguração, em 2005, o Ecoponto Vicente Rao recebe volumes significativos de restos vegetais de poda e capina produzidos nos bairros Jardim Petrópolis, Jardim dos Estados, Alto da Boa Vista e vizinhanças. Graças a este bom hábito dos moradores, diminuiu sensivelmente o despejo desses materiais em calçadas e terrenos baldios. No entanto, todo esse material é levado para um aterro sanitário, por empresa contratada pela Prefeitura. Ou seja, esta preciosa matéria orgânica é enterrada com o restante do nosso lixo!!!

5 Estímulo à instalação de composteiras domésticas;

A quem esse projeto se destina? 5 Moradores dos bairros vizinhos ao Ecoponto Vicente Rao; 5 Carrinheiros que transportam resíduos vegetais; 5 ONGs que trabalham com crianças e adolescentes; 5 Entidades e associações de moradores; 5 Subprefeitura de Santo Amaro. 5 Alunos de escolas da região.

É preciso reaproveitar esses recursos naturais!!

Como isso é feito?

A proposta do projeto é implantar uma área para o processamento de resíduos orgânicos, utilizando procedimentos de compostagem para a produção de húmus a ser aplicado em hortas comunitárias e/ou domésticas no âmbito da agricultura urbana.

O projero prevê oito palestras e oito oficinas envolvendo públicos diversificados.

Após apresentação do processo de compostagem, alunos do 5o ano confeccionam brinquedo de madeira

educação ambiental voltadas a moradores dos bairros do entorno do Ecoponto – estudantes, entidades da sociedade civil, como associações de moradores e grupos de escoteiros, assim como o público em geral.

Instalado na área anexa ao Ecoponto Vicente Rao, o Pátio de Compostagem é um espaço organizado, atraente e integrado à paisagem, para estimular a visitação de vizinhos, usuários do Ecoponto, escolas, entidades e outros interessados. 5 A agricultura urbana utiliza técnicas simples e acessíveis para a produção doméstica de alimentos nas cidades, abrindo possibilidades de convívio e de troca de experiências entre os moradores. A prática da agricultura urbana permite a difusão de uma cultura que até este momento tem sido valorizada apenas como hobby ou como atividade de final de semana para as classes mais abastadas.

De forma lúdica, biólogos e educadores ambientais demonstram como produzir composto orgânico nas próprias residências, de forma simples, a partir das sobras de alimentos ou de restos de poda. Com exposição de fotos ou materiais transformados, as oficinas também motivam a reflexão sobre o que realmente deve ser descartado e qual são os materiais que podem ser aproveitados, minimizando assim a pressão sobre os aterros.

Palestra para alunos do ensino médio do Colégio Magister

Mas o que é Compostagem? Compostagem é um tipo de decomposição biológica controlada e acelerada, que trata e estabiliza resíduos orgânicos, produzindo composto orgânico. A produção do composto orgânico é relativamente simples, não traz nenhum inconveniente estético ou sanitário e, sendo bem monitorada, pode ser feita até em creches e escolas, por exemplo, com livre acesso a crianças.

O projeto Compostando no EcoPonto disponibiliza informações com dados atualizados sobre a situação dos resíduos sólidos na cidade de São Paulo.

Veja em nosso site a sinopse das palestras e oficinas já realizadas e o calendário para maio e junho.

A transmissão das técnicas de compostagem é feita por meio de visitas ao pátio, palestras e oficinas de

Visite o pátio de compostagem, sempre às terças e quintas-feiras, na parte da manhã.

2

Depois da palestra, alunos do oitavo ano do Colégio Magister manipulam as caixas de compostagem.

Compostando no Ecoponto: aprenda a produzir composto orgânico em sua casa Utilizando recursos do FEMA – Fundo Especial de Meio Ambiente –, da Secretaria Municipal do Verde e Meio Ambiente, a SAJAPE vem desenvolvendo desde agosto de 2011 o projeto “Pátio de Compostagem – Valorização dos Resíduos Orgânicos na Comunidade”. Com a implantação de um pátio de compostagem no Ecoponto Vicente Rao, situado sob o Viaduto Vereador José Diniz, um dos objetivos deste projeto é mostrar a importância não apenas do Ecoponto, mas também dos materiais ali descartados. Um projeto da SAJAPE, em parceria com a Subprefeitura de Santo Amaro SAJAPE – Associação de Moradores dos Jardins Petrópolis e dos Estados • R. das Sempre-vivas, 77 – 04704-030 – São Paulo – SP Fone/Fax: (11) 3854.7372 • Endereço eletrônico: www.sajape.org.br • e-mail: sajape@sajape.org.br Outros parceiros: SABABV, AMA Chácara, Menos Lixo e Grupo Escoteiro Bororó

1

Boletim informativo distribuído junto com o jornal da Associação.

3


3. Coloque os compostáveis regularmente na composteira, lembrando sempre de usar uma parte de resíduos de cozinha (restos de preparo de alimentos, cascas etc.) e três partes de resíduos mais “secos” (folhas, serragem etc.). Materiais mais duros e grossos, como talos e gravetos, precisam ser picados. 4. A cada dois ou três dias, revire o material para arejá-lo. No caso de caixotes ou tambores, passe o material de um para o outro. No cercadinho, use um garfo de jardim para transferir o material de um lado para o outro. Lembre de manter escondidas as sobras de alimentos. 5. Regue levemente a camada de cobertura, mais seca, para assentar um pouco. Para evitar que a água escorra, regue como chuveirinho. 6. Repita as etapas 3 a 5. Você verá que o material vai esquentar bastante e esfriar entre as reviradas. Com tempo frio, a revirada solta até um vapor visível (mas não se preocupe: não é fumaça, nem tóxico.) 7. Quando a composteira não comportar mais material, comece tudo de novo (a partir da etapa 3) no outro compartimento ou local identificado. Mas revire e regue a primeira composteira por aproximadamente mais dois meses. Após este período, o material deve ter “murchado” pela metade, e deve estar:

Compostando no EcoPonto

Para saber mais detalhes técnicos, tirar dúvidas e ver a compostagem de perto, visite o Ecoponto Vicente Rao: Av. Prof. Vicente Rao, 308, sob o viaduto da Av. Vereador José Diniz. Consulte o site www.sajape.org.br para informar-se sobre a programação das oficinas e das palestras.

Vamos compostar?

Enfim, o que era “lixo” virou... um composto que: 5 libera lentamente nutrientes (como nitrogênio, fósforo, potássio, cálcio, ferro, zinco, cobre, manganês e boro), que assim não se perdem no solo e nem são arrastados pela chuva, como acontece com adubos químicos; 5 melhora a "saúde" do solo, aumentando o número de minhocas, insetos e microorganismos desejáveis; 5 reduz a incidência de doenças de plantas; e 5 aumenta a capacidade de infiltração de água, reduzindo a erosão.

5 marrom, com aspecto de borra de café e cheiro agradável de terra;

Realização:

R. das Sempre-vivas, 77 – 04704-030 – São Paulo – SP Fone/Fax: (11) 3854.7372 Endereço eletrônico: www.sajape.org.br e-mail: sajape@sajape.org.br

O composto é o resultado da degradação biológica da matéria orgânica, na presença de oxigênio do ar, sob condições controladas. Outros produtos deste processo são gás carbônico, calor e vapor d’água, exatamente o que produzimos quando... respiramos! Mas o programa também pretende estimular as pessoas a criar composteiras em casa, aproveitando estes resíduos de poda e capina e até sobras de cozinha. O composto pode ser produzido com pouquíssimo esforço e baixo custo, mesmo em um pequeno quintal ou em uma varanda. Embora normalmente se acredite que o processo é sujo e atrai animais indesejáveis, nada disso acontece se forem tomados alguns cuidados.

... que vão para sua composteira RECICLÁVEIS 5 papel e papelão 5 plásticos 5 metais 5 vidros 5 (e óleo de cozinha) ... que vão para cooperativas, via coleta seletiva municipal ou entrega nos ecopontos e//ou outros postos REJEITO 5 os demais resíduos (embalagens mistas, sujas, isopor, louça, resíduos sanitários, tecidos, etc.) ... que ainda vão para o aterro, via coleta regular pelo serviço público. 2. Identifique o local no seu quintal onde você depositará estes resíduos de modo organizado – sua composteira. Pode ser uma baia de tijolos, madeira ou bambu, ou ainda um “cercadinho” de tela, montado diretamente sobre a terra ou a grama. O ideal é que tenha dois compartimentos, cada um com 1 m2. Escolha um local coberto (por beiral ou árvores) para proteger de sol direto e chuva (se não for possível, cubra a composteira com telhas, tábuas, lona ou plástico em época chuvosa). Em apartamentos, podem ser usados dois caixotes ou dois tambores plásticos grandes.

© Matt Montagne

O programa de compostagem do EcoPonto Vicente Rao pretende demonstrar como transformar resíduos orgânicos, como restos de poda e capina, em composto, ao mesmo tempo recuperando matéria-prima e diminuindo a quantidade de “lixo” destinada a um aterro sanitário.

5 sobras cozidas*

Mãos na massa? Veja como é simples... 1. Separe na sua cozinha os resíduos conforme o destino que dará a eles: COMPOSTÁVEIS 5 borra de café e chá 5 cascas de ovos 5 flores murchas 5 sobras cruas

* Só depois que você estiver dominando a técnica. E cuidado: sobra cozida é sinal de desperdício de alimentos..

© Sinèad Cochrane

Folder explicativo (aberto) sobre o processo de compostagem.

oi-se o tempo em que fazia algum sentido dizer “lugar de lixo é no lixo”. Até porque vem crescendo a percepção de que lixo praticamente não existe, que normalmente é coisa boa no lugar errado. Afinal, pense bem e complete: lugar de resíduos de jardim é no ________!

© Clarity Jones

F

© Amber Karnes

E agradeça aos inúmeros organismos responsáveis pela decomposição – bactérias, fungos, tatuzinhos, besouros, minhocas, dentre outros. Sem eles, nada disso seria possível...

Um projeto da SAJAPE, em parceria com a Subprefeitura de Santo Amaro SAJAPE – Associação de Moradores dos Jardins Petrópolis e dos Estados

© Jay Griffin

5 na temperatura ambiente, ou mais baixa.

© Mickki

5 homogêneo, sem restos identificáveis (exceto algum caroço ou talo mais duro); e


Agradecimentos A SAJAPE e seus parceiros, como toda a comunidade de Santo Amaro, ainda agradecem ... 5 à Subprefeitura de Santo Amaro, pelo interesse, manifestado ainda em 2010, que tornou possível este projeto, 5 aos subprefeitos - Manoel Antonio da Silva Araujo, Ailton Brandão e Roberto Costa - que acompanharam a equipe nas diversas etapas burocráticas e operacionais do projeto, 5 ao consórcio SOMA, pela colaboração determinante à implementação do Pátio de Compostagem, especialmente

aos engenheiros Sérgio Toledo, André Galizia e Karoline Kurebayashi, 5 aos funcionários do Ecoponto Vicente Rao, pela orientação aos usuários sobre o descarte dos resíduos vegetais e pelos cafezinhos, e 5 aos técnicos da Secretaria do Verde e Meio Ambiente-SVMA, em especial da CAT – Christiano Chaves de Magalhães e Rauflin Carloto – pelo seu empenho e profissionalismo na supervisão de nosso projeto.

Fema 2 – Compostando no ecoponto  

Publicação que reúne fotos dos eventos no Ecoponto Vicente Rao.

Fema 2 – Compostando no ecoponto  

Publicação que reúne fotos dos eventos no Ecoponto Vicente Rao.

Advertisement