Issuu on Google+

Novena à Bem Aventurada

Madre Maria Pia Mastena

4º Dia

Um período difícil: o calvário de Maria Pia

1


1. Refrão Contemplativo - Ó Face do Redentor / A vós, todo nosso amor! (bis) 2. Jaculatória - Fazei brilhar sobre nós Senhor, a luz da Vossa Face.

- Espírito de Deus toma conta de mim, toma conta de mim. Espírito de Deus, Espírito de Deus, toma conta de mim! - Espírito de Deus toma conta de nós, toma conta de nós. Espírito de Deus, Espírito de Deus, toma conta de nós!

3. Comentário introdutório Pres. – Passo a passo, caminhemos neste chão, contemplando os desígnios de Deus na vida de Madre Mastena. Como fiel seguidora de Cristo e amante da Face desfigurada de Cristo, fez de sua vida um apostolado, a fim de repara esta Face. Foi contemplando as dores de Jesus na sexta-feira Santa que também ela, teve forças para viver o seu Calvário, sua sextafeira Santa. Na vida de Madre Mastena, tudo foi feito com muito esmero, porém com muita dificuldade, pois para os santos fazerem a vontade de Deus, sempre teve e, - terá para nós que queremos seguir esse caminho -, períodos de muita provação. Mastena teve fé, apostou, foi obediente, venceu. Sigamos o seu exemplo.

5. Abertura - Vem, ó Deus da vida, vem nos ajudar! (bis) - Vem, não demores mais, vem nos libertar! (bis) - Glória ao Pai e ao Filho e ao Santo Espírito. (bis) - Glória a Trindade Santa, glória ao Deus bendito! (bis) - Aleluia, irmãs, aleluia irmãos! (bis) - Com Madre Mastena a Deus louvação! (bis)

4. Invocação ao Espírito Santo - Pai em nome de Jesus, dai-nos o Espírito Santo. (3x)

Leitor 1 - Deus reservou para a Irmã Passitea momentos de decisões

6. Recordação da Vida Pres. – O nosso tema hoje será: Um período difícil: o calvário de Maria Pia. Como qualquer outro discípulo de Jesus, a vida de Maria Pia não poderia ser diferente: a passagem da via dolorosa custou muito à Madre, mas foi semente no chão para tantos frutos que dela brotou. Acompanhemos com atenção.

2


difíceis, sobretudo nos tempos em que vivia em Miane, os períodos da guerra, o apostolado na Paróquia, o ensino e a doação aos mais pobres. Com tantos trabalhos, Passitea não perdeu o foco da vida de oração que ardia de dentro dela mesma. Parecia um fogo que não se consumia, e dentro do coração da Irmã Passitea vivia um forte desejo pela vida contemplativa, de clausura. Leitor 2 - Desde o ano de 1910, que a Irmã desejava tornar-se monja de clausura para se dedicar mais à oração e a contemplação. Porém, a irmã guardava tudo isso no coração de Deus e aceitou serenamente o conselho dos seus superiores de não entrar, por enquanto, no mosteiro. Este desejo, contudo, é muito forte. Ela mesma revelou ao seu diretor espiritual, o Padre Pedro Stefani, alguns fenômenos místicos que lhe aconteciam: Leitor 3 - “Quando estou rezando, e quando caminho, quando estou ensinando, ou quando falo com uma pessoa, repentinamente sinto-me investida por um espírito que me envolve, compenetra-me e me absorve inteiramente”.

Leitor 4 - Algumas das experiências místicas foram redigidas em seu diário. A sua união com Jesus encontra uma expressão maravilhosa na “Via Crucis” do ano de 1924. Aí, o próprio Senhor ditou-lhes palavras para guia-la no seu percurso de Paixão, Morte e Ressurreição, porém a sexta estação, Jesus lhe toca profundamente: Leitor 1 - “Dá-me o teu coração, ó Esposa... nele quero ver esculpida a imagem do meu Rosto transfigurado, com ele em ti impresso, receberás nova beleza, novo esplendor, e o teu coração se dilatará, se inflamará, e quererá apenas ver e contemplar o meu Rosto, o Rosto do Esposo divino”. Leito 2 - Eram fortes suas aspirações à vida de clausura, porém mais duras eram as incompreensões. Em 1926 encontrou com as Irmãs Claustrais de S. Tiago de Veglia dispostas a acolhê-la, se fosse de comum acordo com seus cuperiores de Verona, o Abade e a Santa Sé. Irmã Passitea escreveu à sua Superiora Geral sobre a proposta, e a mesma

3


respondeu afirmativamente, contudo, que aguardasse o término do ano escolar. Leitor 3 - O bispo de Vitório Vêneto, informado de tudo, permitiu a transferência do Instituto das Irmãs da Misericórdia (uma vez que era de direito diocesano e cabia ao bipo delegar tais funções) para o Mosteiro Cisterciense de Veglia. Leitor 4 - O caminho de Cruz começa para a Irmã Passitea. No ano de 1927, sabendo de alguns rumores por parte de algumas religiosas, a Superiora Geral, Madre Devota Maculan, e a ecônoma, Irmã Sofia chegam inesperadamente em Miane por volta das 16h30 no dia 11 de abril. Os dias que antecederam a transferência da Irmã Passitea para a Clausura, foram terríveis por causa dos encontros nem sempre benévolos, das informações não extas, das proibições, ameaças, e mais do que tudo pelo temor de sua remoção para Verona, pois, ameaçavam tirar seu hábito religioso.

Leitor 1 - Diante de algumas calúnias levantadas por parte de algumas

religiosas a respeito da Superiora de Miane, Madre Devota e sua ecônoma, quiseram rever alguns papéis da administração, que encontraram exatíssimos, mas repreendeu severamente a Irmã Passitea, julgando-a e condenando-a. A mesma decidiu leva-la para Verona ameaçando-a a coisas piores. Naquele dia não lhe permitiu se ausentar de casa e proibiu de falar com o arcipreste (padre delegado pelo bispo). Os fatos transcorreram inesperadamente, sem que o bispo soubesse. Leitor 2 - A esse respeito, testemunha a Irmã Angelina Furlan: Por volta do meio dia, do dia 15, eis que se apresenta diante do Instituto, uma carruagem fechada, na qual a Irmã Passitea é convidada a subir, entre a Superiora Geral e a Ecônoma, a fim de se dirigirem à Verona. Irmã Passitea estava preocupada, porque partia sem se ter despedido das famílias de Miane, e sobretudo porque as poucas palavras que ouvira dos lábios da Superiora Geral eram de entrever sentidos muiro mais sombrios. Leitor 3 Em Pieve de Soligo, aproveitando a ausência

4


momentânea das Superioras, que tinha ido buscar o taxi para seguir viagem, Irmã Passitea fez-se reconduzir a Miane para falar com o Pároco, o qual desaprovou toda aquela movimentação e a enviou ao Bispo. Este, não aprovou a atitude das Superioras, mas também não louvou o comportamento de Irmã Passitea, mas animou-a com a recordação de que tudo isso acontecera na Sexta-feira Santa e a encaminhou para o Mosteiro de Veglia. Pres. Cantemos com alegria o nosso hino à Bem Aventurada Maria Pia Mastena 7. Hino - Na aurora do de um novo tempo, um sinal aparece reluz. Traz impresso no coração, a presença do doce Jesus. Nas marcas de Madre Mastena, continuamos a caminhada. Pra que seja em toda a Terra a Sagrada Face levada. - Fez em si um precioso sacrário. No silêncio gerou-se a missão. Que em meio a total tirania. Foi semente de libertação. - Propagar um projeto de amor. Reparando os rostos sofridos.

Querendo restabelecer. Dignidade aos povos excluídos. - Heroína por suas virtudes. Caridade, esperança e fé. Merecendo a coroa da glória. Eis no altar uma santa mulher. - A cruz que levou em seu peito. Selava a promessa de amor. Bem no centro uma Face estampada. Fulgurando de Cristo o esplendor. - Aclamemos com grande alegria. No céu brilha uma nova luz. É a Madre Maria Mastena, revelando ao mundo Jesus! Pres. - De pé, com voz jubilosa, entoemos o nosso canto de aclamação ao Santo Evangelho. 8. Aclamação ao Evangelho (Lucas 22, 39-46) - Aleluia, Aleluia, Aleluia. - Pai, se queres afasta de mim este cálice, mas somente quero que cumpra a tua vontade. PARTILHANDO A PALAVRA Pres. – Qual a minha disponibilidade para fazer a vontade de Deus? - Vendo os fatos de Irmã Passitea, ela fez a vontade de Deus ou agiu por impuso? - Como faço para ler as marcas de Deus em minha vida?

5


Pres. - Expressemos nosso ato de reparação ao Deus que se revela de diferentes modos, em diferentes rostos, rezando a Ladainha da Sagrada Face. 9. Ladainha da Sagrada Face - Senhor, tende piedade de nós! - Cristo, tende piedade de nós! - Senhor, tende piedade de nós! - Deus Pai do céu, tende piedade de nós! - Deus Filho Redentor do mundo, tende piedade de nós! - Deus, Espírito Santo, tende piedade de nós! - Santíssima Trindade, que sois um só Deus, tende piedade de nós! - Sagrada Face do Filho de Deus vivo, - Sagrada Face, espelho da Majestade Divina, - Sagrada Face, do nosso Salvador, - Sagrada Face, inundada de Suor e sangue, - Sagrada Face, humilhada pelo beijo do traidor, Sagrada Face, barbaramente contundida por bofetões, - Sagrada Face, acumulada de ignomínias e insultos, - Sagrada Face, coberta por um pano e cinicamente ludibriada, - Sagrada Face, atormentada por febre e sede,

- Sagrada Face, no julgamento, perante a multidão amotinada, - Sagrada Face, banhada de lágrimas de dor, - Sagrada Face, impressa na toalha de Verônica, - Sagrada Face, coberta de blasfêmias horrendas, - Sagrada Face, ao morrer na Cruz, inclinada para nós, - Sagrada Face, desfigurada por feridas e golpes, Sagrada Face, revelada milagrosamente pelo Santo Sudário, - Sagrada Face, glorificada pela ressurreição, - Sagrada Face, alegria de todos os santos Anjos e Santos, - Sagrada Face, por cuja veneração alcançamos auxílio nas angústias, tende piedade de nós, - Sagrada Face, resplandecente na vida de Madre Mastena, - Cordeiro de Deus que tirais o pecado do mundo, mostrai-nos a Vossa Sagrada Face, volvei a nós a Vossa Sagrada Face, a fim de sermos salvos. Amém! - Ó Sagrada Face tende misericórdia deste teu povo esmagado, e apagai os nossos pegados.

6


10. Preces (espontâneas) Ó Senhor, Senhor nesta noite, escutai minha prece. 11. Oração à Bem Aventurada Maria Pia Mastena - Senhor Jesus que chamaste Madre Maria Pia a ser um reflexo do teu amor para as famílias, os pobres, os doentes e os abandonados, ilumina o nosso coração a fim de que possamos reconhecer o teu rosto nos nossos irmãos e irmãs e dai-nos, por seu exemplo e pela sua intercessão, realizar gestos de caridade e de esperança, para assim alcançarmos a plenitude da vida nova. Escuta a nossa oração por aqueles que desfiguram o teu rosto e pelos que não o reconhecem em cada pessoa. Faze que nós, com a ajuda da Bem Aventurada Maria Piam sejamos capazes de restabelecer a tua imagem impressa em todo homem e em toda mulher, desde a criação. Concede-nos também a graça que, por sua intercessão, confiante te pedimos. Amém. Pai Nosso, Avé Maria e Glória ao Pai. 12. Avisos 13. Pensamento da Bem Aventurada Maria Pia Mastena

- “Sofrer e ser desprezada, sofrer difamação e calúnia, eis as insígnias dos verdadeiros amigos da loucura da cruz”. 14. Bênção: - O Senhor te abençoe e te guarde! Amém. - O Senhor faça resplandecer sobre ti o seu Rosto e te conceda a sua graça! Amém. - O Senhor volte para ti o seu Rosto e te dê a paz! Amém. - Que o Senhor nos abençoe, nos livre de todo o mal e nos conduza à vida eterna. Amém. 15. Canto de despedida - Quem perde a sua vida por mim / a encontrará, a encontrará, a encontrará... / Quem deixa seu pai por mim, / sua mãe por Mim, / me encontrará, me encontrará... Não tenhas medo, não tenhas medo, eu Estou aqui, eu estou aqui! - Quem deixa sua terra por mim, / seus bens por mim, / seus filhos por mim, me encontrará... Não tenhas medo, eu conheço aqueles que elegi, aqueles que elegi. ***

7


8


4º dia da Novena da Bem Aventurada Maria Pia Mastena