Page 1


2

MENSAGEM DO PRESIDENTE A economia brasileira iniciou o ano de 2013 influenciada pela decisão do Governo Federal em incentivar a atividade econômica via redução da taxa básica de juros - Selic, que iniciou o ano em 7,25%. A partir do segundo trimestre, no entanto, em função da persistência da inflação, o Governo Federal iniciou o processo de ajuste mediante elevação da taxa Selic, tendo encerrado o ano a 10%. Por outro lado, a forma como a política fiscal brasileira vem sendo administrada, trouxe insegurança aos agentes financeiros, provocando retração dos investimentos no país, o que resultou no crescimento de apenas 2,3% do PIB em 2013. Em um cenário como esse, seria de se esperar que as cooperativas de crédito também registrassem resultados sofríveis. Entretanto, não foi o que ocorreu, pois o cooperativismo brasileiro está cada dia mais forte. As cooperativas de crédito brasileiras, incluindo os bancos cooperativos, já ocupam em conjunto a sexta posição em ativos totais entre todas as instituições financeiras do País. O Sicoob Executivo, como uma das 1.214 cooperativas de crédito em operação, tem contribuído de forma perene e consistente para o fortalecimento e desenvolvimento desse sistema. Mas, esse cenário econômico exigiu de todos nós ajustes na forma de conduzir nossas cooperativas, assim como reforço em nossos fundamentos básicos, ou seja, rigor na análise e concessão de crédito, fortalecimento das estruturas fiscalizadoras, bom nível de liquidez e observância no estrito cumprimento das normas. Apesar do cenário desfavorável, avançamos com prudência, respeitando as características de mercado, mas sempre com a visão de caminhar a passos largos no sentido de ser a principal instituição financeira dos nossos cooperados. Em 2013, continuamos nossa trajetória de crescimento. Encerramos o exercício com mais de 7 mil associados, perfazendo um crescimento de 11,29% em relação a 2012. Esse crescimento foi superior em 6,17 pontos percentuais em relação ao Sistema DF, que cresceu, em média, 4,51% no mesmo período. O patrimônio líquido apresentou um acréscimo de 10,14% em relação a dezembro de 2012 e as Operações de Crédito apresentaram um crescimento de 13,40% quando comparados a 2012. Durante o ano, continuamos buscando novas alternativas comerciais. Ampliamos a oferta de produtos e serviços, disponibilizamos novos instrumentos de mobilidade bancária, facilitando os acessos aos nossos produtos e serviços. Terminamos 2013 com bons números no balanço e um resultado operacional próximo ao que planejamos. No campo social, continuamos apoiando os programas voltados ao esporte, à cultura e à educação financeira e cooperativista. Aprovamos nova política de patrocínio, que estabelece novas regras para pedidos de patrocínios. Promovemos diversas palestras e cursos sobre o tema Gestão das Finanças Pessoais, fortalecendo nosso Programa de Educação Financeira. Enfim, 2013 para o Sicoob Executivo, foi também um ano de pensar no amanhã, de planejar os próximos passos para nossa instituição. Nesse contexto, concluímos nosso realinhamento do Plano Empresarial com Visão Estratégica, traçando novo Mapa e Objetivos Estratégicos, assim como o Plano de Metas para os próximos três anos (2014-2016). Esses resultados, ora relatados, espelham a confiança dos nossos associados, bem como o profissionalismo e o compromisso de todos os empregados no esforço coletivo para o cumprimento das diretrizes da nossa cooperativa. O meu muito obrigado e um forte abraço. Luiz Lesse Moura Santos Presidente


3

› APRESENTAÇÃO Apresentamos o Relatório de Gestão Resumido da Administração da Cooperativa de Economia e Crédito Mútuo dos Servidores do Poder Executivo Federal em Brasília Ltda – Sicoob Executivo relativo ao ano de 2013, de acordo com as exigências da legislação aplicável, do Conselho Monetário Nacional (CMN), do Banco Central do Brasil (Bacen) e do Estatuto Social do Sicoob Executivo. Nesta versão sintetizada se encontram os elementos pertinentes à Cooperativa que foram considerados de maior interesse informativo para os seus associados e o público em geral. Esta versão, além de publicada nos termos legais, foi também publicada no site do Sicoob Executivo www.sicoobexecutivo.com.br. A versão impressa está disponível para os interessados nas dependências das Unidades de Atendimento da Cooperativa.

› PERFIL CORPORATIVO Histórico Institucional

Fundada em 20 de dezembro de 1982, a Cooperativa de Economia e Crédito Mútuo dos Servidores do Poder Executivo Federal em Brasília Ltda. foi a primeira cooperativa de crédito constituída no Distrito Federal. Formada inicialmente somente por servidores do Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento, abril seu estatuto para todos os servidores do Poder Executivo Federal em 2003, quando passou a ser denominada Sicoob Executivo. Com 31 anos de existência, acumulou experiências e colecionou inovações, participando vivamente da história e da cultura do cooperativismo de crédito do Distrito Federal e nacional.

Direcionamento Estratégico

Alinhado as recomendações do Sistema e atento às tendências do mercado, o Sicoob Executivo, de olho no futuro, revisou seu Plano Empresarial com Visão Estratégica – PEVE, realinhando sua Visão Estratégica, Missão, Valores e definindo novo posicionamento e mapa estratégico para o período 2014-2016. Elegeu novos objetivos estratégicos e plano de metas, com foco aos mercados potenciais que a Livre Admissão poderá oferecer. • Visão A “Visão de futuro” do Sicoob Executivo, atualizada para o período 2014-2016, mantém os compromissos do Sicoob (Sistema de Crédito Cooperativo do Brasil) o maior sistema de crédito cooperativo do Brasil: “Ser reconhecido como a principal instituição financeira propulsora do desenvolvimento econômico e social dos associados”. • Missão Os princípios cooperativistas e o desenvolvimento do associado e comunidade em que está inserido está presente na Missão e nos Valores do Sicoob Executivo. “Gerar soluções financeiras adequadas e sustentáveis, por meio de cooperativismo, aos associados e suas comunidades.” • Valores A base ética de atuação do Sicoob Executivo perante seus públicos interno e externo é constituída por seis valores corporativos, brevemente detalhados nas páginas a seguir. Transparência; Comprometimento; Respeito; Ética; Solidariedade; e Responsabilidade. • Objetivo Institucional “Proporcionar aos associados produtos e serviços financeiros diferenciados e de qualidade, norteados pelos princípios e valores cooperativistas”.

• Posicionamento Estratégico

Encerrar o exercício de 2016 com R$ 100 milhões de ativos.


4

› 2013 EM DESTAQUE Ambiente Macroeconômico

A economia brasileira iniciou o ano de 2013 influenciada pela decisão do Governo Federal em incentivar a atividade econômica via redução da taxa básica de juros - Selic, que iniciou o ano a 7,25%. A partir do segundo trimestre, no entanto, em função da persistência da inflação, o Governo Federal iniciou o processo de ajuste mediante elevação da taxa Selic, tendo encerrado o ano a 10%. A inflação acumulada do ano, medida pela variação mensal do Índice Nacional de Preços ao Consumidor Amplo – IPCA, foi de 5,91% (5,84% em 2012), e situou-se pelo décimo ano consecutivo dentro do intervalo de tolerância estabelecido pelo Conselho Monetário Nacional. O juro real apurado pela taxa média Selic em relação a inflação do período foi de 2,22% (2,64% em 2012). O crescimento acumulado da economia, até o terceiro trimestre de 2013, foi de 2,3%.

Destaques Operacionais

Em atendimento a principal diretriz desta administração que é atender as demandas de crédito de seus associados, especialmente as pessoas físicas, mantivemos todas as linhas de crédito ativas, com recursos próprios da Cooperativa, isto contribuiu para que nossas operações de crédito apresentassem novo crescimento em relação aos exercícios anteriores, com incremento de 13,40%, fechando o ano de 2013 com o valor de R$ 30.567 mil. Esse aumento ratifica o integral apoio do Sicoob Executivo a seus associados, sempre de acordo com as boas práticas financeiras e dentro dos limites autorizados pelos normativos legais. A gestão permanente de buscar a sinergia dos esforços de toda a equipe de funcionários para melhorias nos processos operacionais e maior produtividade, bem como a redução de custos e despesas, associada ao incremento na captação de recursos e concessão de empréstimos e financiamentos, permitiram encerrar 2013 com um bom resultado. O grau de solvência ou índice de Basiléia de 35,34%, que é a relação do patrimônio líquido com os ativos ponderados pelo risco, é bem superior ao índice mínimo de 15%, determinado pelo Conselho Monetário Nacional, em conformidade com o Comitê da Basiléia, superando, portanto, em 25,34 pontos percentuais, o que demonstra a solidez do Sicoob Executivo.


5 Em 2013, o Sicoob Executivo continuou fortalecendo suas ações com os cartões SicoobCard Pessoal e Empresarial, reforçando sua estratégia de oferta de crédito ao associado por meio de cartões, o que lhe rendeu o título da cooperativa com a maior base de cartões (crédito e débito) do Sistema de Crédito Cooperativo do Distrito Federal. No segmento de seguros, o Sicoob Executivo continuou ampliando sua carteira negócios, alcançando mais de 25% da base de seus associados, bem como conquistando vários prêmios nas campanhas promovidas pelas Seguradoras parceiras. Destacou-se também o número de transações efetuadas de forma eletrônica, saindo de 647.000 em 2012 para 1.377.000, considerando os canais de auto atendimento (ATMs), internet banking e mobile banking (celular). Isto mostra a confiança dos associados nos serviços ofertados pelo Sicoob Executivo. No âmbito dos convênios de folha de pagamento foram processados mais R$ 57 milhões. No total, o Sicoob Executivo atendeu mais 3 mil de servidores públicos e funcionários de empresas privadas com esse serviço.

Capital Humano

O Sicoob Executivo encerrou o exercício de 2013 com 50 funcionários, ante os 54 em 2012, composto por 20 homens e 30 mulheres. A Cooperativa conta ainda com a prestação de serviços de 02 menores aprendizes e de 02 profissionais terceirizados, na área de vigilância e de serviços gerais. Do total de funcionários, 42% possuem ensino superior completo, 56% possuem ensino médio completo e 2% cursando o ensino médio. A Cooperativa oferece a seus funcionários a possibilidade de administrarem a sua trajetória profissional e de planejarem sua carreira, dispondo de um Plano de Cargos e Salários – PCS, além da avaliação anual de desempenho por meio do instrumento “Gestão do Desempenho por Competências”, quando há a possibilidade de ascensão na Tabela do PCS.

Intercâmbio

Em 2013 continuamos com nossa proposta de integração e busca de novas experiências, para isto foram realizados várias ações de intercâmbio e viagens de estudos entre cooperativas co-irmas e sistemas cooperativos, a nível local, nacional e internacional, destaque para as visitas as cooperativa, Secovicredi, em Goiás, Crediparnor, em Minas Gerais, Sicoob Central Parana e Sicoob Metropolitanto, no Paraná, e Sistema Credit Union, nos Estados Unidos.

Parcerias Comerciais e Institucionais

Durante o exercício de 2013, deu-se continuidade a busca de novas parcerias comerciais e institucionais. Neste sentido promovemos e participamos de várias ações com os nossos associados e parceiros, sempre com o propósito de ampliar a nossa rede de negócios e fortalecer a imagem institucional. Dentre vários eventos destacamos as palestras de educação financeira e cooperativismo, ministradas para os mais diversos segmentos da sociedade, especialmente para os alunos das Faculdades do Grupo Promove e militares das forças armadas.

Reconhecimento – Homenagem

Em reconhecimento pelos serviços prestados aos seus associados no segmento imobiliário, o Conselho Regional de Corretores de Imóveis – CRECI-DF e a Associação dos Corretores de Imóveis do Distrito Federal – ACI, homenagearam o Sicoob Executivo, com o prêmio Entidade Amiga do Corretor, durante o Prêmio Colibri 2013. O evento reuniu as principais lideranças do setor imobiliário do DF.

› Gestão de Risco Considerada pelo Sicoob Executivo como instrumento essencial para a otimização do uso de recursos e a seleção das melhores oportunidades de negócios, a gestão de riscos tem como objetivo mapear eventos de natureza interna e externa que possam afetar as estratégias das unidades de negócio e de suporte, e o cumprimento dos objetivos, com possibilidade de impactos nos resultados, no capital, na liquidez e na imagem da Cooperativa e do Sistema Sicoob. O gerenciamento de riscos e de capital do Sicoob Executivo é feito de forma centralizada, conforme descrito nos relatórios do resumo da descrição das respectivas estruturas de gestão de riscos. Resumo da Descrição da Estrutura de Gerenciamento de Riscos e de Capital do Sistema de Cooperativas de Crédito do Brasil (Sicoob) Ano 2013:


6

1. Risco Operacional • O gerenciamento do risco operacional da Cooperativa de Economia e Crédito Mútuo dos Servidores do Poder Executivo Federal em Brasília Ltda – Sicoob Executivo objetiva garantir a aderência às normas vigentes e minimizar o risco operacional, por meio da adoção de boas práticas de gestão de riscos, na forma instruída na Resolução CMN 3.380/2006. • Conforme preceitua o artigo 11 da Resolução CMN 3.721/2009, a Cooperativa de Economia e Crédito Mútuo dos Servidores do Poder Executivo Federal em Brasília Ltda – Sicoob Executivo aderiu à estrutura única de gestão do risco operacional do Sicoob, centralizada na Confederação Nacional das Cooperativas do Sicoob Ltda. (Sicoob Confederação), a qual encontra-se evidenciada em relatório disponível no sítio www.sicoob.com.br. • O processo de gerenciamento do risco operacional do Sicoob consiste na avaliação qualitativa dos riscos objetivando a melhoria contínua dos processos. • O uso da Lista de Verificação de Conformidade (LVC) objetiva identificar situações de risco de não conformidade, que após identificadas são cadastradas no Sistema de Controles Internos e Riscos Operacionais (Scir). • As informações cadastradas no Sistema de Controles Internos e Riscos Operacionais (Scir) são mantidas em banco de dados fornecido pelo Sicoob Confederação. • A documentação que evidencia a efetividade, a tempestividade e a conformidade das ações para tratamento dos riscos operacionais, bem como as informações referentes às perdas associadas ao risco operacional são registradas e mantidas em cada entidade do Sicoob, sob a supervisão da respectiva entidade auditora (se cooperativa singular, da cooperativa central; se cooperativa central e Bancoob, do Sicoob Confederação). • Para situações de risco identificadas são estabelecidos planos de ação, com a aprovação da Diretoria Executiva, que são registrados em sistema próprio para acompanhamento pelo Agente de Controles Internos e Riscos (ACIR).


7 • Não obstante a centralização do gerenciamento do risco operacional, a Cooperativa de Economia e Crédito Mútuo dos Servidores do Poder Executivo Federal em Brasília Ltda – Sicoob Executivo possui estrutura compatível com a natureza das operações e com a complexidade dos produtos e serviços oferecidos, sendo proporcional à dimensão da exposição ao risco operacional.

2. Riscos de Mercado e de Liquidez • O gerenciamento dos riscos de mercado e de liquidez da Cooperativa de Economia e Crédito Mútuo dos Servidores do Poder Executivo Federal em Brasília Ltda – Sicoob Executivo objetiva garantir a aderência às normas vigentes e minimizar os riscos de mercado e de liquidez, por meio das boas práticas de gestão de riscos, na forma instruída nas Resoluções CMN 3.464/2007 e 4.090/2012. • Conforme preceitua o artigo 11 da Resolução CMN 3.721/2009, a Cooperativa de Economia e Crédito Mútuo dos Servidores do Poder Executivo Federal em Brasília Ltda – Sicoob Executivo aderiu à estrutura única de gestão dos riscos de mercado e de liquidez do Sicoob, centralizada no Banco Cooperativo do Brasil S.A. (Bancoob), a qual encontra-se evidenciada em relatório disponível no sítio www.sicoob. com.br. • No gerenciamento dos riscos de mercado são adotados procedimentos padronizados de identificação de fatores de risco, de classificação da carteira de negociação (trading) e não negociação (banking), de mensuração do risco de mercado, de estabelecimento de limites de risco, de testes de stress e de aderência do modelo de mensuração de risco (backtesting). • Não obstante a centralização do gerenciamento dos riscos de mercado e liquidez, a Cooperativa de Economia e Crédito Mútuo dos Servidores do Poder Executivo Federal em Brasília Ltda – Sicoob Executivo possui estrutura compatível com a natureza das operações e com a complexidade dos produtos e serviços oferecidos, sendo proporcional à dimensão da exposição ao risco de mercado da entidade.

3. Risco de Crédito • O gerenciamento do risco de crédito da Cooperativa de Economia e Crédito Mútuo dos Servidores do Poder Executivo Federal em Brasília Ltda – Sicoob Executivo objetiva garantir a aderência às normas vigentes, maximizar o uso do capital e minimizar os riscos envolvidos nos negócios de crédito por meio das boas práticas de gestão de riscos. • Conforme preceitua o artigo 10 da Resolução CMN 3.721/2009, a Cooperativa de Economia e Crédito Mútuo dos Servidores do Poder Executivo Federal em Brasília Ltda – Sicoob Executivo aderiu à estrutura única de gestão do risco de crédito do Sicoob, centralizada no Banco Cooperativo do Brasil S.A. (Bancoob), a qual encontra-se evidenciada em relatório disponível no sítio www.sicoob.com.br. 3.3 Compete ao gestor a padronização de processos, de metodologias de análises de risco de clientes e de operações, de criação e de manutenção de política única de risco de crédito para o Sicoob, além do monitoramento das carteiras de crédito das cooperativas. • Não obstante a centralização do gerenciamento do risco de crédito, a Cooperativa de Economia e Crédito Mútuo dos Servidores do Poder Executivo Federal em Brasília Ltda – Sicoob Executivo possui estrutura compatível com a natureza das operações e com a complexidade dos produtos e serviços oferecidos, sendo proporcional à dimensão da exposição ao risco de crédito da entidade.

4. Gerenciamento de Capital • A estrutura de gerenciamento de capital da Cooperativa de Economia e Crédito Mútuo dos Servidores do Poder Executivo Federal em Brasília Ltda – Sicoob Executivo objetiva garantir a aderência às normas vigentes e minimizar o risco de insuficiência de capital para fazer face aos riscos em que a entidade está exposta, por meio das boas práticas de gestão de capital, na forma instruída na Resolução CMN 3.988/2011. • Conforme preceitua o artigo 9º da Resolução CMN 3.988/2011, a Cooperativa de Economia e Crédito Mútuo dos Servidores do Poder Executivo Federal em Brasília Ltda – Sicoob Executivo aderiu à estrutura única de gerenciamento de capital do Sicoob, centralizada na Confederação Nacional das Cooperativas do Sicoob Ltda. (Sicoob Confederação), a qual encontra-se evidenciada em relatório disponível no sítio www.sicoob.com.br. • O gerenciamento de capital centralizado consiste em um processo contínuo de monitoramento do capital, e é realizado pelas entidades do Sicoob com objetivo de:


8 √ avaliar a necessidade de capital para fazer face aos riscos a que as entidades do Sicoob estão sujeitas; √ planejar metas e necessidade de capital, considerando os objetivos estratégicos das entidades do Sicoob; √ adotar postura prospectiva, antecipando a necessidade de capital decorrente de possíveis mudanças nas condições de mercado. • Adicionalmente, são realizadas também simulações de eventos severos em condições extremas de mercado, com a consequente avaliação de seus impactos no capital das entidades do Sicoob.

› Desempenho Operacional e Financeiro Em 2012 o Sicoob Executivo manteve a trajetória ascendente que tem registrado nos últimos anos. Continuou merecendo a confiança dos cooperados, que reconhecem na cooperativa a melhor opção para o atendimento das suas necessidades financeiras. Daí a contínua expansão de seu quadro associativo. Os indicadores de desempenho apurados em 31 de dezembro de 2013 e resumidos a seguir confirmam essa vitalidade. Dentre eles, destaca-se a solidez, medida principalmente pelo aumento do patrimônio líquido. Destaca-se, também, a capacidade da cooperativa de saldar com folga todos os compromissos financeiros, explicitada em dois fatores: liquidez e baixa exposição a riscos. As seguir acompanharemos os indicadores de desempenho apurados em 31/12/2013:

Quadro Social

Em 2013, houve incremento de 711 associados, representando crescimento de 11,29%, em relação a 2012, encerrando o ano com 7.006 associados. Esse crescimento foi superior em 6,17 pontos percentuais em relação ao Sistema DF, que cresceu, em média, 4,51% no mesmo período.


9

Capital Social

O capital social é representado pelas integralizações de todos os cooperados, de acordo com o Estatuto Social e a Política de Capitalização, ambos aprovados em Assembleia Geral. Por ser de longo prazo, é a principal fonte de recursos da Cooperativa, e integra o seu patrimônio. Em 2013, registrou crescimento líquido de R$ 1.075 mil, 9,87% em relação ao ano anterior.

Depósitos

Em 2013, os depósitos à vista e a prazo atingiram o montante de R$ 14.759 mil, representando decréscimo de 46,35% no período. Esse decréscimo decorreu da necessidade de recursos para investimento, segundo o seu objeto social, de um dos principais aplicadores da Cooperativa, que prontamente os liberou para o associado.


10

Empréstimos

Em 2013, as operações de crédito da cooperativa atingiram o valor significativo de R$ 30.567 mil, representativos de uma evolução anual de 13,40%. Esse aumento ratifica o integral apoio do Sicoob Executivo a seus associados, sempre de acordo com as boas práticas financeiras e dentro dos limites autorizados pelos normativos legais.

Patrimônio Líquido

O Patrimônio Líquido (PL) representa os recursos próprios da Cooperativa e, portanto, dos cooperados, disponíveis para atender às suas necessidades de crédito, além do desenvolvimento da Cooperativa. Por ser constituído principalmente do capital social, das reservas e das sobras é o principal indicador da solidez do Sicoob Executivo. Apresentou, em 2013, crescimento de R$ 1.367 mil, representativos de 10,14% no período.


11

Sobras Brutas

As sobras brutas, que representam o resultado operacional da Cooperativa, totalizaram R$ 1.029 mil em 2013. Conforme determinação normativa e estatutária, e deduzido o valor de R$ 45.492,24 relativo ao FATES – Fundo de Assistência Técnica Educacional e Social de atos com não associados, 10% são destinados para FATES (R$ 98.417,33), e 40% para o Fundo de Reservas (R$ 393.669,33). O valor destinado à Reserva Legal visa fortalecer a estrutura patrimonial, elevar a oferta de recursos para novos empréstimos, a custos mais acessíveis, preservar o capital social da cooperativa e fortalecer o patrimônio dos nossos associados.

Sobras Líquidas

As sobras líquidas de 2013 totalizaram R$ 492 mil, representando um decréscimo de 17,03%, comparativamente às sobras líquidas de 2012.


12

› Demonstrações Contábeis BALANÇOS PATRIMONIAIS ENCERRADOS EM 31 DE DEZEMBRO ATIVO

31/12/2013

31/12/2012

19.712.561,98

31.125.535,34

Disponibilidades Caixa Depósitos Bancários

1.190.028,66 1.181.571,74 8.456,92

439.163,79 408.927,90 30.235,89

Relações Interfinanceiras Centralização Financeira - Cooperativas

8.051.785,23 8.051.785,23

17.579.398,08 17.579.398,08

Operações de Crédito Empréstimos e Títulos Descontados Empréstimos e Títulos Descontados Financiamentos Cartões de Crédito (-) Rendas a Apropriar (-) Provisão P/ Operações de Crédito

9.958.655,37 11.021.778,01 15.455.017,06 384.474,33 (4.817.713,38) (1.063.122,64)

12.691.440,68 13.632.796,84 18.037.463,76 304.188,87 (4.708.855,79) (941.356,16)

468.880,59 114.781,27 1.109.743,85 (755.644,53)

371.425,32 45.290,83 1.081.779,03 (755.644,54)

43.212,13 2.313,61 40.898,52

44.107,47 4.583,02 39.524,45

23.309.210,37

16.348.263,64

18.899.314,27 18.899.314,27 19.545.446,72 24.640.060,55 (5.094.613,83) (646.132,45)

12.913.202,91 12.913.202,91 13.322.631,71 18.576.678,61 (5.254.046,90) (409.428,80)

3.876.932,61 3.876.932,61 3.777.294,63 99.637,98

2.785.285,52 2.785.285,52 2.732.532,51 52.753,01

Imobilizado de Uso Imobilizações de Uso (-) Depreciações Acumuladas

362.486,06 1.205.614,22 (843.128,16)

351.404,18 1.093.940,32 (742.536,14)

Diferido Gastos em Imóveis de Terceiros (-) Amortização Acumulada

148.488,36 619.466,09 (470.977,73)

272.382,00 619.466,09 (347.084,09)

21.989,07 40.000,00 (18.010,93)

25.989,03 40.000,00 (14.010,97)

43.021.772,35

47.473.798,98

ATIVO NÃO CIRCULANTE

Outros Créditos Rendas a Receber Diversos (-) Provisão outros Créditos Outros Valores e Bens Almoxarifado Despesas Antecipadas

ATIVO NÃO CIRCULANTE Realizável a Longo Prazo Operações de Crédito Empréstimos e Títulos Descontados Empréstimos (-) Rendas a Apropriar (-) Provisão P/ Operações de Crédito Investimentos Ações e Cotas Sicoob Central DF Ações Bancoob

Intangível Ativos Inatangíveis (-) Amortização Acumulada TOTAL DO ATIVO


13

BALANÇOS PATRIMONIAIS ENCERRADOS EM 31 DE DEZEMBRO 31/12/2013

31/12/2012

PASSIVO CIRCULANTE

21.946.423,57

30.719.421,09

Depósitos Depósitos a Vista Depósito Sob Aviso Depósitos a Prazo (-) Despesas a apropriar

8.533.432,25 3.743.111,45 9.731,02 4.910.064,47 (129.474,69)

24.507.136,26 18.158.489,01 11.658,12 6.441.893,54 (104.904,41)

11.563.461,70 2.670.004,81 (106.543,11) 9.000.000,00

4.728.674,48 2.062.044,74 (84.490,15) 2.751.119,89

Outras Obrigações Cobrança e Arrecadação de Tributos e Assemelhados Sociais e Estatutárias Fiscais e Previdenciárias Diversas

1.849.529,62 2.015,04 747.130,80 141.064,18 959.319,60

1.483.610,35 2.714,70 558.990,94 160.365,13 761.539,58

PASSIVO NÃO CIRCULANTE

6.225.850,14

3.271.560,60

Exigível a Longo Prazo

6.225.850,14

3.271.560,60

Depósitos Depósitos a Prazo (-) Despesas a apropriar

6.225.850,14 6.232.130,82 (6.280,68)

3.003.560,60 3.018.642,41 (15.081,81)

-

268.000,00 268.851,34 (851,34)

PATRIMONIO LÍQUIDO

14.849.498,64

13.482.817,29

Capital Capital de Domiciliados no País Capital a Realizar

11.973.619,21 12.343.277,01 (369.657,80)

10.898.932,02 10.903.119,49 (4.187,47)

2.290.334,54 2.270.334,54 20.000,00

1.873.317,77 1.853.317,77 20.000,00

585.544,89 93.458,23 492.086,66

710.567,50 116.805,67 593.761,83

43.021.772,35

47.473.798,98

PASSIVO E PATRIMÔNIO LIQUIDO

Obrigações por Empréstimos no País Empréstimos no País - Sicoob Central DF (-) Despesas a apropriar Bancoob.

Obrigações por Empréstimos no País Empréstimos no País - Sicoob Central DF (-) Despesas a apropriar

Reservas de Lucros Reserva Legal Reserva para Contingência Sobras ou Perdas Acumuladas Sobras Acumuladas Exercícios Anteriores Sobras do Exercício Atual TOTAL DO PASSIVO E PATRIMÔNIO LIQUIDO


14

DEMONSTRAÇÃO DO RESULTADO DO SEMESTRE E EXERCÍCIOS FINDOS EM 31 DE DEZEMBRO 2º Semestre de 2013 Exercício de 2013

Exercício de 2012

4.668.190,39 4.668.190,39

8.936.074,22 8.936.074,22

8.501.669,86 8.501.669,86

Despesas da Intermediação Financeira Operações de Captação no Mercado Operações de Empréstimos e Repasses Provisão para Créditos de Liquidação Duvidosa

(2.043.417,52) (1.221.287,55) (191.672,07) (630.457,90)

(3.411.297,15) (2.013.433,67) (348.000,00) (1.049.863,48)

(2.663.528,64) (761.584,61) (802.073,06) (1.099.870,97)

Resultado Bruto Intermediação Financeira

2.624.772,87

5.524.777,07

5.838.141,22

(2.273.066,98) 190.756,60 115.560,96 230.193,30 10.601,79 1.023.548,52 (2.004.036,25) (1.694.753,61) (30.002,95) (114.935,34)

(4.421.588,20) 327.693,90 223.332,63 450.495,28 304.783,53 1.644.361,01 (3.755.050,91) (3.381.037,16) (50.714,71) (185.451,77)

(4.638.972,41) 269.985,57 166.588,50 424.075,18 199.901,63 415.350,30 (3.066.715,60) (2.797.520,07) (36.249,81) (214.388,11)

Resultado Operacional

351.705,89

1.103.188,87

1.199.168,81

Resultado não Operacional

(49.882,40)

(54.696,82)

3.785,09

Resultado Antes Tributação do Lucro e Participações

301.823,49

1.048.492,05

1.202.953,90

(8.815,65)

(18.826,49)

(4.536,49)

-

(537.578,90)

(604.655,58)

293.007,84

492.086,66

593.761,83

-

87.252,07

DESCRIÇÃO Receitas da Intermediação Financeira Operações de Crédito

Outras Receitas/Despesas Operacionais Receitas Prestação de Serviços Rendas de Outros Serviços - Atos Não Cooperativos Receitas de Tarifas Bancárias Resultado Participação Coligadas e Controladas Outras Receitas Operacionais Despesas de Pessoal Outras Despesas Administrativas Despesas Tributárias Outras Despesas Operacionais

Imposto de Renda e Contribuição Social Participações Estatutárias (FATES/Reserva Legal) Sobras ou Perdas Líquidas Juros ao Capital Próprio Sobras ou Perdas

43.021.772,35

47.473.798,98


15

DEMONSTRAÇÃO DOS FLUXOS DE CAIXA PELO MÉTODO INDIRETO DESCRIÇÃO

Exercício 2013

Exercício de 2012

FLUXOS DE CAIXA DAS ATIVIDADES OPERACIONAIS Sobras/(perdas) líquidas antes do imposto de renda e da contribuição social

1.048.492,05

1.202.953,90

Ajustes as sobras/perdas líquidas: (não afetaram o caixa) Despesas de depreciação e amortização (Lucro)/Prejuízo na equivalência patrimnial Outros ajustes

(85.322,81) 227.685,42 (294.181,74) (18.826,49)

20.525,64 224.353,34 (199.291,21) (4.536,49)

Variações patrimoniais: (afetaram o resultado/receitas e despesas) Operações de crédito Outros créditos Outros valores e bens Depósitos Obrigações por empréstimos e repasses Outras obrigações

(9.312.503,53) (3.253.326,05) (97.455,27) 895,34 (12.751.414,47) 6.566.787,22 222.009,70

15.151.021,69 (2.578.255,72) 1.011.058,36 (5.351,06) 18.272.680,70 (1.844.675,90) 295.565,31

CAIXA LÍQUIDO PROVENIENTE DAS ATIVIDADES OPERACIONAIS

(8.349.334,29)

16.374.501,23

Fluxos de caixa das atividades de investimentos Alienação de investimentos Aquisição de investimentos Aquisição de imobilizado de uso Aplicação no diferido

(797.465,35) (111.673,90) -

CAIXA LÍQUIDO USADO NAS ATIVIDADES DE INVESTIMENTO

(909.139,25)

(181.159,68)

Fluxo de caixas das atividades de financiamentos Variações patrimoniais: Aumento/(redução) de capital Sobras ou perdas acumuladas

481.725,56 533.402,94 (51.677,38)

898.132,48 898.132,48 -

CAIXA LÍQUIDO USADO NAS ATIVIDADES DE FINANCIAMENTO

481.725,56

898.132,48

Aumento líquido de caixa e de equivalentes de caixa

(8.776.747,98)

17.091.474,03

18.018.561,87 9.241.813,89

927.087,84 18.018.561,87

Caixa e equivalentes de caixa no início do período Caixa e equivalentes de caixa no fim do período

100,00 (145.694,26) (35.565,42) -


16

› Guia de Termos Técnicos Caro associado, nossa finalidade é informar com a maior transparência possível. Para atingir esse objetivo é preciso que todos compreendam o significado exato dos termos usados neste relatório e no dia a dia da cooperativa. Por isso, preparamos esse Guia de Termos Técnicos. Se você tiver dúvidas, procure o gerente da sua Unidade de Atendimento para tirá-las. Ativo – São os bens e direitos, com valor comercial ou valor de troca, pertencentes ao Sicoob Executivo. Exemplos: imóveis, carros, equipamentos, dinheiro aplicado e ações. Ativo circulante – Parte do ativo que pode ser convertida em dinheiro em um período de até um ano. Exemplo: aplicações financeiras, títulos e operações de crédito com vencimento em até dois anos. Ativo permanente – Parte do ativo que representa os investimentos da cooperativa em máquinas, equipamentos, imóveis, ações e cotas, entre outros. Auditoria – É a avaliação da situação do Sicoob Executivo, feita por um especialista, que comprova a veracidade das informações divulgadas e garante segurança aos associados quanto à saúde financeira da instituição. Balanço patrimonial – Apresentação resumida das operações realizadas e dos resultados alcançados pelo Sicoob Executivo durante o ano. Fazem parte desta demonstração os bens, direitos, créditos, dívidas, compromissos, capital social, reservas e sobras da instituição. Capital social – É a contribuição, em dinheiro, feita por cada pessoa para se tornar associada ao Sicoob Executivo. A soma do capital social de todos os cooperados forma o capital social da instituição. Sem capital social, nenhuma empresa pode existir. Depósitos a prazo – São as aplicações financeiras dos associados, feitas para render juros. Podem ser retiradas no dia combinado com o Sicoob Executivo. Depósitos à vista – Significam o mesmo que conta corrente. É o dinheiro que os associados mantêm na sua conta e que podem usar a qualquer momento, por meio de cheques, de cartões ou de saques. Depreciação – É a desvalorização dos bens da cooperativa em função do seu uso. Exemplo: a desvalorização de um carro ao longo dos anos. Desconto de título – Crédito concedido pelo Sicoob Executivo aos associados que entregam à instituição documentos como cheques, duplicatas e promissórias, que servem como garantia do pagamento. Diferido – Despesa feita pelo Sicoob Executivo para adquirir bens ou direitos, cujos valores serão diluídos ao longo do tempo. Exemplo: gastos com a reforma de imóvel alugado para instalar uma nova unidade de atendimento.

Empréstimos – Operações de crédito feitas aos associados, sem destinação específica.

Financiamentos – Operações de crédito realizadas com um objetivo definido. Exemplo: compra de um equipamento ou construção de um imóvel.

Operações de crédito – São todos os financiamentos, empréstimos e descontos de títulos feitos pelo Sicoob aos associados.

Passivo – São as obrigações do Sicoob Executivo. Exemplos: as aplicações e os depósitos dos associados, os salários e os impostos a pagar.

Patrimônio líquido – É a soma do capital social com as sobras e reservas do Sicoob Executivo.

Rentabilidade – Percentual de ganho obtido num determinado período. Exemplo: quanto o capital social valorizou em um ano.


17 Sobra – É o mesmo que lucro. É a diferença entre o que o Sicoob Executivo apurou nas operações realizadas e as despesas que teve para funcionar durante o ano.

Reserva – Parte das sobras destinada a cobrir eventuais prejuízos da cooperativa e fortalecer o seu patrimônio líquido.

Reserva de lucro – Formada por 40% do valor das sobras líquidas do exercício, é destinada a fortalecer o patrimônio líquido do Sicoob Executivo e a cobrir eventuais prejuízos. O percentual é previsto no estatuto como reserva legal.

› De olho no Futuro Em 2013, o Sicoob Executivo continuou a adotar as medidas de expansão da Cooperativa prevista no Plano Empresarial com Visão Estratégica – PEVE. Valores em R$ 1.000,00

2012

2013

Depósito

27.510

14.759

-46,35%

Capital Integralizado

10.898

11.973

9,86%

Carteira de Crédito

26.955

30.567

13,40%

Sobras Brutas

1.198

1.029

-14,11%

% crescimento em relação ao ano anterior

Para o ano de 2014, o Plano de Atividades prevê: Valores em R$ 1.000,00

2014

Depósito

40.321

173,20%

Capital Integralizado

13.399

11,91%

1.675 (*)

62,78%

Carteira de Crédito

% crescimento em relação ao ano anterior

(*) deste valor serão deduzidos o pagamento de juros ao capital no montante aproximado de R$ 769 mil.


Unidades de Atendimento UA - MAPA Esplanada do Mistérios | Bloco D | Anexo A Brasília - DF | CEP: 70.043-9000 | Tel/Fax: 2101-1200 UA - SBN SBN | Quadra 2 | Ed. Engenheiro Paulo Maurício | Lojas 2,3 e 4 Brasília - DF | CEP: 70.040-905 | Tel/Fax: 2101-1200 UA - Inmet Eixo Monumental | Via 51 Brasília - DF - CEP: 70.043-9000 | Tel/Fax: 3343-2131 UA - CNPq Shis | Ql 1 | Conj. B | Blocos A ao D | Ed. Santos Drumond | 1º Subsolo | Lago Sul Brasília - DF - CEP: 70.740-901 | Tel/Fax: 3211 - 9899 UA - Colibri Setor de Diversões Sul | Bloco A | Edifício Boulevard Center | Sala 411 Brasília - DF - CEP: 70.390-100 | Tel/Fax: 3024-8691 e 3024 - 9437 UA - Icesp Guará Única Educacional | QE 11 | AE C/D 1 | Guará 1 Brasília - DF - CEP: 71.020-631| Tel/Fax: 3381-1757 e 3035-9579

Cooperativa de Economia e Crédito Mútuo dos Servidores do Poder Executivo Federal em Brasília Ltda. Central de Relacionamento: 4007 - 1884 | Ouvidoria Sicoob: 0800 725 0996 www.sicoobexecutivo.com.br

SicoobExecutivoDF

sicoobexecutivo

Relatório de Gestão 2013  
Read more
Read more
Similar to
Popular now
Just for you