Page 1

www.maiorde60.com.br

SETEMBRO de 2017 Ano 11 - Nº 119

CADERNO BICHOS DE ESTIMAÇÃO BONO, com Lexiane

BAUNILHA e PANDA, com Lucas e Laura

Setembro 2017 - Ano 2 - Nº 21 - Distribuição gratuita - Circulação mensal

LUNA, com Natana

BELINHA, com Jéssica Machado

FRIDA, com Pedro

LICI, com Aquiles

LOLLA, com Manoela

PINK, com Luana

VICKY e FREDY, com Nina

FRIDA, com Márcia

TUNICA e TOY, com Cláudia e Clara

XNAUS, com Fabi

FRANCISCO, com Ana Paula e Tatiane

PIPOCA, com Ana Paula

LUNA MEL KNAK, com Rafaela

FRED, com Jociane

FREDY, com Maria Luíza

LUCKY, com João e Daniela

Dar limites também é uma forma de amar O adestrador, Raphael Piccoli, descreve as vária formas de amar e sobre a humanização dos amimais de estimação.

Página 6

INFORMATIVO

ATAPNH - Associação dos Trabalhadores Aposentados e Pensionistas de Novo Hamburgo Páginas 4 e 5

Qual o lugar dos idosos em nossa sociedade?

A data (1º de Outubro) foi instituída pela ONU em 1990, para homenagear as pessoas idosas, comemorar as conquistas, aumentar a consciência para as questões do envelhecimento, conscientizar sobre a importância das mudanças de atitudes para com os idosos, sensibilizar sobre os contínuos desafios que enfrentam e reconhe-

cer as importantes contribuições que estes fazem ao nosso mundo. Isso já faz 27 anos. Como está a vida do idoso a partir de então? Em algumas culturas e mesmo por aqui, anos atrás, o idoso era tido como o patriarca, que era dotado de sabedoria. Mesmo depois do término de sua função de provedor, cargo este assumido por seus fi-

lhos, continuavam a ser respeitados pela sua sabedoria, que nada tinha a ver com estudos, mas com experiências da vida. Todos buscavam seus conselhos e orientações. Porém hoje em dia, como só tem espaço quem produz, o idoso acaba perdendo esse espaço, tanto na família quanto na sociedade. Mas o que o jovem não leva em consideração é que em determinado momento precisará cuidar dos seus idosos, porque só assim irá construir em seus filhos a mesma compreensão. Se conseguir sair das justificativas capitalistas, conseguir valorizar o saber, sobrepondo o valor da produção, irá "re-construir" o valor do idoso. Se pais, filhos e netos assimilarem o ciclo vital e conseguirem "re-significar" os papéis familiares, todos terão direito e lugar na sociedade. Camila Maciel Polonio Especialista em Psicologia camilamacielpolonio.blogspot.com.br


2 | SETEMBRO DE 2017 | MAIOR DE 60

OPINIÃO

Aposentados injetam milhões no comércio

Furracôns!

Cumôia! Main Cott, barés gue acóra o blanêt dá gomezãnto a tá a resbósda bros deráqueo, uma vêiz. Ô eu dô eráto? Há múits ãno eu tís gue dên vólda... máiz ninquén me ôve. Ach, é vertáde, eu zô máiz um égochát, gomo tãnts gue chá bazáron aguí e gomo tãnts gue aínta ton inzisdíndo. Álquén move um tetínho brá minimissíra os efêits to aquezimênt clopál? Álquém (fora a meia túzia) rezígla o que é reziglável? Alquén rególhe o líx tebôis to picnic, tebôis tá besgaría, tebôis do agampamênt? Nícs, ninquén. Zó aguéla meia túzia... Dên líx te montôn adé na Andárdica, Maín Cott! Os maior poluitôr to planêt zê regúsa a timinuí as emizôn te poluênt! Vai timinuí o tinhêro. Êndon gomézen a gomê tinhêro, borgue um tía é o gue vai zoprá brá vozêis! O doto boterôsso Tonált Trump ája gue o aguezimênt é uma popáche. O guê zópra bro rést to múnto ajá, non é? A gôisa dá máiz ou menos azín, furrácôn acóra vên em famílha, drêis te uma vêiz: a Irma, a Katia e o José. E ísdo, zecúndo esbezialísts, non é gomún. Dên deremót em dúto gue é lucár. Os mar dôn reguãnto. O Quaíba reguô!!!! A humanitáde ta Déra tá toênde e non den máiz vólda. E dãndo non dên, gue guéren í brá Márde. Brá guê, zuchá e tesdruí mais ôdro lucár? E aínta den o pachínho malúc tá Goréia, o Kin (aguí é nôm te môpas). Dalvêiz êl é gue vái fassê uma limba no blanêt e chlúss! Tái, tebôis te uns téz milhôn te ãno alquén vem brá gá e goméza dúto tinovo... Bs: Vozêis áls vêiz regórta o chornál e mãnta bros amíco. Non mãnta bro Kin, tá? Aínta da pôn te morá em Lômpa crãnde, uma vêiz.

Na atualidade, achar que os aposentados são velhos que não servem mais para nada, é no mínimo, uma ignorância infundada. Pelo menos no quesito “consumidor”. A antecipação do 13º salário de aposentados e pensionistas na região, que ocorreu em agosto, para os segurados que recebem até um salário mínimo e possuem cartão com final 1 (excluindo o dígito) e em setembro para quem recebe acima disso, representa uma soma altamente desejável, pois apenas tomando-se Novo Hamburgo como referência, são por volta de 20 milhões de reais na mão destas pessoas que são mais seletivas, mais cuidadosas e que adoram ser bem tratadas. É um público que prima pela honestidade, paga suas contas em dia, reserva um pouco para emergências e até ajuda filhos e netos. É claro que são de outra geração, sendo inclusive rebaixados por isto, como se a experiên-

cia deles não tivesse sido a mola propulsora dos avanços tecnológicos que hoje todo jovem se gaba de conhecer. Deve-se levar em consideração de que se hoje estão mais lentos para acompanhar a evolução dos eletrônicos, mas que foi lá atrás, há muitas décadas que eles deram início a tudo isto. Nada mais comum, mesmo com uma aposentadoria mirrada, que eles não deixam de lembrar de como suas vidas foram sofridas, para escolher uma profissão, iniciar uma família, trabalhar por mais de 30 anos e finalmente ter direito a este dinheirinho. No entendimento do presidente da Associação dos Trabalhadores Aposentados e Pensionistas de Novo Hamburgo, Idailton Alexandre Velho, os aposentados hoje em dia são fundamentais para a economia de suas cidades. "Hoje temos 45 mil em Novo Hamburgo. Imagine se eles fizerem todas suas compras fora da cidade, em Campo Bom, Dois Irmãos, Estância Velha ou São Leopoldo, por exemplo. A nossa cidade afunda, entra em colapso. Alguns, inclusive, seguram uma família, uma casa", disse. Segundo Idailton, os comerciantes estão cientes de que os aposentados, de modo geral, não costumam ser inadimplentes. "Eles sabem que com eles há um dinheiro certinho. Muitas vezes, os idosos ajudam os netos e filhos. Só precisamos receber uma importância maior", relatou, aproveitando para cobrar mais atenção do poder público.

CLOSSÁRIO Ajá - achar Amíco - amigos Aquezimênt aquecimento Besgaría - pescaria Blanêt - planeta Boterôsso poderoso Chlúss - fim Clopál - global Cumôia - bom dia Dalvêiz - talvez Déra - terra Deráqueo terráqueos Efêits - efeitos Égochát - ecochato

Emizôn - emissão Poluênt - poluente Popáche - bobagem Eráto - errado Furracôns - furacões Quaíba - guaíba Gomê - comer Regórta - recorta Goréia - coréia Reguãnto Limba - limpa recuando Líx - lixo Reguô - recuou Main cott - meu deus Regúsa -recusa Malúc - maluco Rést - resto Mãnta - manda Rezígla - reciclar Márde - marte Tãnts - tantos Minimissíra Tesdruí - destruir minimizar Tetínho - dedinho Môpas - cachorro Tinhêro - dinheiro Zecúndo - secundo Nícs - nada Nôm - nome Zópra - sobra Pachínho - baixinho Zuchá - sujar

Nosso Jornal também está à disposição nas Tabacarias:

Novo Hamburgo

São Leopoldo Estância Velha

CNPJ: 12.322.553/0001-40 Inscrição Municipal: 6882 Rua Júlio de Castilhos, 600 CEP 93900-000 - Ivoti - RS Fone: 51.98456.4614 jornalmaiorde60@gmail.com

Diretor geral: Gilberto R. Winter Jornalista Responsável Rafael Geyger - MTb/RS: 12397 Criação e redação: Sandra Carvalho de Alcantara

Circulação | Ivoti e Vale do Sinos www.maiorde60.com.br

Os artigos assinados são de inteira responsabilidade de seus autores

maiorde60


MAIOR DE 60 | SETEMBRO DE 2017 | 3

GERAL

Aprenda a viver em grupo Paulo André Fernandes Solano Advogado - OAB/RS 56.724

TSUNAMI BRASILEIRO

Sem a conscientização que vivemos em grupo, ou seja, somos interdependentes e dependentes uns dos outros. O não entendimento disso torna a vida um caos, pois cada pessoa se acha no direito de viver e desrespeitar a outra pessoa. Viver na interdependência ou dependência tem como nome a mutualidade, sim, vida mútua é aprender sobre direitos e deveres individualizados e ao mesmo tempo a coletividade nas ações do ambiente que vivemos. Mas, quando aplicar a mutualidade? Quando viver a interdependência e dependência? Respeitando as leis e colocando em prática a conscientização de que não vivemos sozinhos no mundo e nos ambientes que frequentamos. Colocar a culpa nos governantes, nos políticos e ou nos outros é sempre a saída que utilizamos quando não queremos viver a vida dentro do que chamamos de mutualidade, pois temos como “mania” falar que a culpa é da “sociedade”, mas o que é a sociedade? Sociedade é o ajuntamento dos sujeitos, ou seja, somos nós mesmos. É igual quando colocamos a culpa no “sistema”, tipo, “caiu o sistema”, o que significa isso? Bem, por trás de qualquer sistema, sociedade, autoridade, ou seja, lá o que for, existe uma pessoa. Sempre existe uma pessoa cuidando disso ou daquilo. Nada acontece sem que uma pessoa esteja envolvida, isso para o bem o para o mal. Mutualidade é viver o princípio: Gentileza gera gentileza ou Maldade gera Maldade. Tudo depende e sempre dependerá das ações individualizadas que mudarão as decisões coletivas. O indivíduo vem antes do coletivo, não ao contrário. Pensar coletivamente é pensar no indivíduo. Sobre isso teremos que entender a diferença entre Individuação, individualista, individualização. O primeiro busca o Ser interior e autoconhecimento. O segundo é o que pensa somente em si mes-

mo. O terceiro é um processo das pessoas que são regidas muito mais pelos medos e fraquezas, com isso, gerando o isolamento.

COMO DESENVOLVER ESSA CAPACIDADE DE MUTUALIDADE? Creio que para respondermos essa questão é muito importante salientarmos que dentro da visão que tenho de mundo e vida, tudo tem solução e uma saída apropriada. Tudo que passamos ou sentimos ou vivemos, tem na essência o desejo de aprendizado e desenvolvimento, a isso, chamamos: Amor Incondicional – que é a instituição do novo reino, conforme falamos acima. A busca então é para aprendermos e desenvolvermos esse Amor Incondicional. Sim! Um amor que tudo suporta, um amor que tudo aceita, um amor sem preconceito, um amor sem o modelo de amor que conhecemos, um amor que não busca nada em troca, um amor sem barganhas, um amor sem crise de ser amado, um amor que busca o bem do outro, um amor que nos leva a refletir antes de qualquer ação, um amor que renova as energias para vivermos, um amor que nos remete a profunda busca do próprio Eu, um amor que nos liga com o Próprio Deus, um amor singular, que não parece com nada, um amor que surge sem sabermos da onde, um amor que se satisfaz em si mesmo, um amor que faz-nos viajar para dentro (passado) e para fora (futuro) e nos permite alegria no agora (presente), um amor onde nossas faculdades mentais são aclariadas com simples ações e gestos, um amor difuso, onde todos e tudo pode participar, um amor tradicional e moderno, um amor incondicional. Paulo Bregantin é Psicanalista Clínico e Escritor Leia mais em: facebook /Paulo-Bregantin

Na capital federal, o governo espera ter uma janela para votar a reforma da Previdência na Câmara assim que os deputados terminarem a votação dos pontos da reforma política, afirmou nesta quarta-feira o ministro da Casa Civil, Eliseu Padilha. O cronograma da reforma da Previdência foi adiado pela dificuldade de fechar um texto que fosse palatável aos deputados, mas após a denúncia contra o presidente Temer a reforma foi deixada de lado e o governo perdeu votos considerados certos para a aprovação. Será que ainda tentarão massacrar os segurados? Ainda em Brasília, a defesa de Temer pede ao STF a 'sustação de qualquer nova medida' de Rodrigo Janot contra o presidente, com base na suspeição do procurador-geral da República. Os advogados falam em 'parcialidade' de Janot e em 'descrédito' dos delatores da JBS. Provavelmente, os colegas ‘copiaram e colaram’ os argumentos que são apresentados contra Temer! Sobre os executivos do grupo, Joesley Batista e Ricardo Saud, em nota pediram "as mais sinceras desculpas" pelas declarações gravadas em áudio entregue à PGR na semana passada e que determinaram a abertura de investigação sobre omissão de informações por parte dos delatores no acordo de colaboração premiada firmado no final de março. Afirmaram ainda que eles não têm conhecimento de "nenhum ato ilícito cometido" pelas autoridades citadas no áudio, entre elas ministros do STF e o ex-procurador da República, Marcelo Miller. Esse pedido de desculpas da JBS é a piada pronta do ano! Em Curitiba, o ex-ministro Antonio Palocci afirmou ter agido na tentativa de barrar as investigações da Lava Jato juntamente com o ex-presidente Lula. Inclusive, Palocci está disposto a colaborar com a Justiça e as investigações do MPF buscando um acordo de colaboração premiada para obter benefícios em caso de condenação. Um desfecho anunciado está chegando! Já em Salvador, o ex-ministro Geddel Vieira Lima, do PMDB, foi preso e retornou ao regime fechado após a Polícia Federal apreender R$ 51 milhões em um imóvel utilizado pelo peemedebista. A prisão tem origem na Operação Cui Bono, que investiga fraudes na Caixa Econômica Federal. No governo Dilma Rousseff, Geddel ocupou a Vice-Presidência de Pessoa Jurídica do banco público, indica-do pelo PMDB. Poderíamos dizer: ’51, uma boa ideia!’ ou ‘vem pra Caixa você também, vem Geddel!’ A catástrofe que acontece nas Américas do Norte e Central devasta a geografia do continente sem qualquer perdão ceifando vidas e mais vidas daqueles irmãos americanos! E, infelizmente, aqui no Brasil a devastação é na mesma proporção, mas de outro tipo: da moral, das leis, das boas práticas, daquilo que é valoroso para a sociedade! Um país à beira do caos! E, diante de todos esses fatos, a tentativa de aprovar novas regras previdenciárias é um verdadeiro escárnio à inteligência do povo! Triste realidade brasileira, onde somente boas escolhas para dirigir o país e uma drástica alteração nas regras constitucionais modificarão o nosso destino! Um tsunami do bem, é o que precisamos! Urgentemente!


Setembro

4200

Associados

PALAVRA DO PRESIDENTE

ATA Nº 292

Caros amigos Nas quartas-feiras participo das sessões na Câmara de Vereadores de Novo Hamburgo. Numa sessão destas, a pauta foi as profissões da área da saúde: enfermagem, técnicos e atendentes de enfermagem. Muitos relatam o quanto sofrem, são xingados, pois as pessoas pensam que eles têm culpa de não haver certos especialistas para o atendimento. Por isso, sempre que sou convidado a divulgar a Associação dos Aposentados e Pensionistas de Novo Hamburgo (ATAPNH), ressalto que a nossa prioridade é a saúde dos nossos idosos. Sendo nosso lema “viver sem dor”, como foi anunciado anteriormente, adquirimos um aparelho laser que, já nas primeiras aplicações, trouxe alívio às pessoas. Outra iniciativa, foi a nossa parceria com a Viva Emergências Médicas. Ela concede aos nossos associados valores diferenciados na adesão aos seus planos. Tudo com rapidez e agilidade. Esta parceria foi pensada, pois, fico triste quando leio no jornal, que a SAMU leva horas para socorrer um idoso. No dia 12 de setembro fui convidado pela FETAPERGS, para fazer parte de uma manifestação, que saiu de Porto Alegre, às 7h30min da manhã, em direção a Gravataí-RS. Realizamos, na ocasião, um protesto em frente ao condomínio do deputado Jones Martins (PMBD). Ele, entre outros deputados gaúchos, é a favor da Reforma da Previdência (PEC 287/2016). Esta PEC irá cortar direitos dos trabalhadores e dificultará o acesso à aposentadoria digna. Idaílton Alexandre Velho Presidente

DATAS COMEMORATIVAS 01 de outubro - Dia Internacional das Pessoas Idosas

ASSEMBLEIAS

12 de outubro - Dia das Crianças 12 de outubro - Nossa Senhora Aparecida 15 de outubro - Dia do Professor 15 de outubro - Horário de Verão

De março a novembro Sempre na última quinta-feira do mês às 14h30min

ASSEMBLEIA

Aos vinte e seis dias do mês de agosto de dois mil e dezessete,com quarenta e seis participantes dando início às 14h30, reuniu-se nesta Associação em sua sede na rua Campinas, 130, Centro Novo Hamburgo, cumprindo a seguinte Ordem do Dia: • Minuto de silêncio pelos falecidos, • Leitura da Ata anterior, que foi aprovada por unanimidade; • O Sr. Rafael A. Gonçalves, apresentou o aparelho a laser que foi adquirido pela Associação, explicando alguns benefícios que o aparelho oferece. Alguns presentes comentaram seus problemas de saúde e fizeram alguns questionamento. Depois das dúvidas esclarecidas, a Sra Jaqueline Gonçalves fez uma demonstração no Sr. Alcir Soares, de como o aparelho funciona na prática; • Os ganhadores do sorteio do mês foram – Maria Sonira Kleinkauf; Maria Eronita Lopes, Wilcio dos Santos, Orlando Schulz; • Aprovada para a última quita-feira, as reuniões das assembleias mensais, por 40 votos a 6; • Deu- se por encerrada a reunião às 17h, a próxima está marcada para 28 de setembro de 2017 (quinta feira) às 14h30 na sede. Idaílton Alexandre Velho – presidente Vitor Oscar Heydrich - secretário

Dia 20 de Setembro A Revolução Farroupilha é o mito fundante da cultura gaúcha. É a partir dela que se estabelece toda a identidade do povo gaúcho, com suas tradições e seus ideais de liberdade e igualdade. Hoje a cultura gaúcha é reverenciada não só no estado, mas no país e no mundo, através dos milhares de CTGs (Centro de Tradições Gaúchas) espalhadas por todos os cantos. E a cada 20 de Setembro, o gaúcho reafirma o orgulho de suas origens e o amor por sua terra.

Abilio Viegas de Moraes | Eliete Braun | Evaldo Emilio Klein | Jaci Luiza Portal | Jarcey Rodrigues | Rudi Michaelsen | Selma Uggeri e Urbano Scharlau 31 de outubro - Dia da Dona de Casa

Nossos sentimentos aos familiares e amigos!


Maria Sonira Kleinkauf, nasceu em 18 de agosto de 1933 em Areia Branca, na época, pertencente a Taquara. Veio para Novo Hamburgo com a família quando tinha 12 anos, pois o pai trabalhava no Curtume Adams. Estudou no Senai e trabalhou durante 30 anos no Calçados Requinte, coma preparadeira de amostras. Viúva, mãe de um filho, Marcos; avó de Franco, Carol, Franciele, Larissa e Estela e bisavó de Mateus. Está aposentada há mais de 30 anos e sempre participou das ações, caminhadas e reivindicações a favor da ATAPNH e dos aposentados. Semanalmente participa das aulas de ginástica na sede da associação e como lazer, adora fazer crochê e ler jornais e livros. Atualmente está lendo mais um livro de Zíbia Gasparetto.

GALERIA DE FOTOS

O Debut do Time de Câmbio da ATAPNH No dia 19 de agosto o nosso time de câmbio participou do seu primeiro campeonato. Foi na Sociedade Ginástica Novo Hamburgo, onde aconteceu o 8º Encontro FreeLife de Câmbio. Foi o primeiro de muitos outros que virão. O time não se classificou, mas trouxe medalhas por participação, o que já é muito importante.

NOSSOS PARCEIROS: Cia do Dente - Clínica Odontológica Farmácias Hamburguesa Laboratório Exame Labus - Laboratório Ultrassonografia Moratti Turismo NAP - Núcleo de Atendimento Psicológico Odontoplan Clínica Odontológica Ortopedia Marcílio Dias Otoneuro Clínica

O time de Câmbio da ATAPNH: Tenório, Flávio, Isaura, a treinadora profª. Marilisa, Rosa, Gládis, Paula, Tânia, Iara, Rosane, Idailton e Taffarel

Pet Center Store

Associado, aqui você tem desconto! A partir de agora, as empresas parceiras - que concedem descontos aos nossos associados - estão identificadas pelo adesivo ao lado. Basta entrar, verificar o preço de tabela e depois solicitar o desconto. Mas não esqueça, você tem de apresentar a carteirinha, que é pessoal e intransferível, ou seja, você não pode emprestar para outra pessoa. O desconto é só para você.

Por que ser um parceiro da ATAPNH? Em setembro, com a antecipação do 13º, será injetado na economia, somente em Novo Hamburgo, por 45.000 aposentados, por volta de 20 milhões de reais. Dinheiro que estará na mão destas pessoas que são mais seletivas, mais cuidadosas e que adoram ser bem tratadas.

Venha ser nosso parceiro!

Primus - Clínica de Fisioterapia Quiron - Clínica de Quiropraxia Matriz Farmacêutica


6 | SETEMBRO DE 2017 | MAIOR DE 60

COMUNIDADE

Dois Irmãos

Divulgação/ PMDI

Melhor Idade no Câmbio

Grupo Roda Alegre de Ivo�

Integrantes do Projeto Esporte e Saúde na Melhor Idade participaram dos Jogos de Integração, ocorrido no dia 1º deste mês, o VI Câmbio Participativo de Igrejinha. Coordenados pelo professor Astério Mombach, a equipe jogou câmbio com times da região. No final, todos receberam medalhas e troféu de participação.

São Leopoldo Bene�cio de Prestação Con�nuada terá recadastramento

A coordenadora do grupo, sra. Maria Valfriede Wentz Weber é professora aposentada e sentia a necessidade em continuar fazendo algo prazeroso e que pudesse fazer a diferença na vida das pessoas. Faz cursos de dança sênior e de dança alemã para a terceira idade para ter material e didática para trabalhar com pessoas idosas e com limitações. Seu trabalho é voluntário.

(BPC), até 31 de dezembro de 2017. Para ralizar o recadastramento basta ir no Cadastro ÚniA Secretaria de Desenvolvimento Social co junto ao Centro de Referência de Assistência está fazendo o recadastramento de idosos que Social (Cras) de sua região levando os seguintes recebem o Benefício de Prestação Continuada documentos: CPF, RG, Carteira de Trabalho e

Água, como reciclá-la? Oi, pessoal! Já deu para perceber, pelas altas temperaturas que ocorreram neste inverno, que o nosso verão vai ser escaldante e mesmo que não seja, verão é sempre sinônimo de excessos na conta de água ou falta dela. Mas mesmo não sendo verão devemos sempre nos preocupar com o uso dos nossos recursos hídricos, pois a água potável não é uma coisa eterna e muitos especialistas dizem que ela está acabando. É apavorante, né?! Por isso devemos racionalizar o consumo. Pensarmos como estamos gastando este item tão importante. Assim, a próxima geração, filhos, netos, bisnetos, não ficam sem ela. Mas para isso você não precisa diminuir o banho, tá? Tenho uma ideia melhor: que tal reutilizar a água da máquina de lavar roupas?

Segundo o Instituto Akatu, o reúso da água da máquina é capaz de trazer uma economia de 5% no consumo de água em casa. Em uma lavagem de roupa, utilizamos em média 60 litro de água.

Há um ano iniciaram as atividades com 9 integrantes, em espaço cedido pela presidência da comunidade católica do bairro Concórdia, às quartas feiras, das 16h15min às 18h. Hoje, com 19 integrantes, já participaram de encontros de dança sênior em Pelotas, em Imigrante e Sapiranga, sem nenhuma ajuda financeira, pois é um grupo independente. Segundo Maria, “a dança sênior visa retardar as alterações que ocorrem no processo de envelhecimento, proporcionando o bem-estar dos indivíduos e grupo. Junta movimentos simples com músicas folclóricas ritmadas, pensada para a terceira idade, porém é prazerosa e benéfica em qualquer idade e pode ser praticada de pé ou sentada. A dança não exige perfeição, mas dar o melhor de si. O mais importante é se divertir e trabalhar o corpo e a mente. Envelhecer com saúde. Nosso grupo é maravilhoso e estou muito feliz em fazer a diferença na vida de algumas pessoas”, conclui. comprovante de rendimentos de todas as pessoas da família e comprovante de residência. Quem não efetuar o recadastramento terá seu benefício suspenso a partir de janeiro de 2018.

duzida a mangueira de saída de água da máquina de lavar e outro furo que servirá de ladrão, caso a bombona transborde. Aí você vai perguntar, que faço com esta água? Várias coisas, veja só: Você pode utilizá-la para lavar banheiros, cozinha e o quintal. Pôr de molho outras peças para lavar e no jardim.

Segundo pesquisa do professor e botânico Gilberto Kerbauy, do Instituto de Biociências da USP, é possível reaproveitar a água da lavagem de roupas para regar jardins e gramados. Em entrevista ele afirma: "A partir do 2º ciclo de lavagem, a concentração da maioria dos sais está numa faixa que traz benefícios às plantas, principalmente aos gramados”.

Daí você pergunta, mas como fazer? É simples. No comércio existem bombonas e/ ou lixeiras de 85, 100 e 200 litros, que podem ser usadas para este fim. Na parte inferior você faz um furo, para colocar o adaptador com a parte de rosca para fora, onde vai ser colocada uma torneira. Em cima, você faz um furo onde será intro-

• Para armazenar de maneira segura cuide para que o recipiente seja resistente, bem vedado para evitar a proliferação do mosquito da dengue e grande o suficiente para armazenar o máximo de água. Visto que em cada lavagem são utilizados mais de 60 litros de água. • Viver previdente é viver consciente de que os recursos são de todos e para todos, por isso cada pessoa deve fazer sua parte na preservação destes recursos, só a união hoje evitará que as próximas gerações sofram com nossas ações.


MAIOR DE 60 | SETEMBRO DE 2017 | 7

COMUNIDADE

2º CORTEJANDO O TEMPO Na tarde do dia 12, terça-feira, o Grupo Ousadia, Movimento Teatral Feevale e o Coro Canto e Vida, reuniram atores, dançarinos, cantores e convidados para uma tarde cheia de talentos e cabelos brancos, para o 2º Cortejando o Tempo. O evento, aberto ao público, ocorreu no Espaço Aprofe de Eventos (EAE), no Campus 1 da Universidade FEEVALE, na Av. Dr. Maurício Cardoso, 510 - Hamburgo Velho, Novo Hamburgo e contou com várias atrações: Um animado bate-papo sobre o envelhecimento com o geriatra Leandro Minozzo, que animou a plateia; A apresentação do Grupo de Teatro Ousadia;

O coro Canto e Vida, acompanhado do Instrumental Feevale; O grupo de Danças Vida em Movimento, da Academia de Dança Maria Bailarina, de Novo Hamburgo; O Grupo Dança das Odaliscas, do Ballet Sinos, de São Leopoldo; Além do grupo Vozes Plenas, da Sogipa Porto Alegre e os Grupos Andorinhas, CRAS Santo Afonso e o SESC Maturidade ativa de Novo Hamburgo e Campo Bom. Foi servido a todos os presentes um delicioso lanche, com lindos bolos e salgados oferecidos aos participantes do evento.

O geriatra, dr. Leandro, falando sobre sexualidade

Apresentação do Grupo de Teatro Ousadia

Coro Vozes Plenas, da SOGIPA de Porto Alegre

Apresentação do Coro Canto e Vida, da FEEVALE

Coral da FEEVALE fez com que todos se abraçassem

Vania Grangeiro Pilger – 69 anos Sempre gostei de dançar, mas nunca havia me apresentado. Hoje faço parte do Ballet Sinos, de São Leopoldo e já nos apresentamos em vários lugares. Para mim, a dança é alegria, aqui temos companheirismo.

Noé de Lima – 71 anos Depois que fiquei viúvo, caí em depressão e me isolei. Fui encaminhado para o CAPS, do Santo Afonso e lá a assistente social, Tatiana Heckler, me convidou para fazer parte das suas oficinas. Isso faz um pouco mais de um mês e já me sinto outra pessoa. Participo do Coral, pratico jardinagem e hoje. sem dúvida, descobri que é muito bom participar e pertencer a um grupo. Hoje me sinto vivo.


8 | SETEMBRO DE 2017 | MAIOR DE 60

SAÚDE

Compaixão é o segredo da saúde e da felicidade Leandro Minozzo CREMERS - 32053

Percebo que há algo despertando na Medicina. Centros de vanguarda, como a Universidade de Stanford já se mostram atentos e atuantes na abordagem da alma. Por aqui, acho que os pacientes não querem mais ser tratados como portadores de doença x ou y. A lógica “queixa-exames-tratamento” mostra-se incompleta frente a um mundo desafiador e desestruturador. Hoje, facilmente nos afastamos do humano (processo que chamamos de despersonalização) e, indo mais a fundo, não identificamos mais o divino que está em nós; isso se reflete, sem dúvida alguma, nas consultas médicas e na sociedade. E o divino está nessa capacidade e nessa atitude mágica que é o cuidado. Sobre a compaixão, comecei a estudá-la recentemente, quando resolvi abordar emoções positivas nos pacientes com obesidade que desejam emagrecer e resgatar o bem-estar em suas vidas. Apesar de ter feito falas e estudos sobre inteligência emocional e empatia, não havia me dedicado especificamente à compaixão e à sua forma primordial, a autocompaixão. Posso dizer que, em relação aos pacientes com obesidade, tenho lhes prescrito muito menos dietas restritivas e muito mais reflexão, aceitação, gratidão e equilíbrio para aprendizagem com os próprios erros. Tenho me sentido muito mais “médico” agindo dessa forma. Resolvi fazer uma síntese dos slides finais que apresentei para o público do CVV: ela traz o que há de pesquisas mais recentes relacionando compaixão, autocompaixão e cura de doenças. A maior parte dos estudos é de 2014 para cá. Veja só o porquê dessa minha convicção, de que o resgate do humano é fundamental para diminuir o adoecimento e possibilitar que a relação médico-paciente transforme a vida de todos:

 Pessoas que praticam o voluntariado apresentam melhores índices de bem-estar, menos depressão e melhor controle de doenças crônicas;  Pacientes oncológicos respondem melhor a condutas médicas relacionadas à compaixão;  Pacientes que foram confortados pelo anestesista no pós-operatório, curaram-se mais rapidamente: tiveram alta hospitalar mais cedo e usaram 50% menos analgésicos fortes – chamados narcóticos;

 Treinamentos para aumentar a autocompaixão regulam o funcionamento do sistema nervoso parassimpático, modulando a variabilidade da frequência cardíaca;  Pessoas com autocompaixão elevada apresentam melhor cuidado com sua saúde (dieta, exercício físico e menos abuso de substâncias) e percebem-se de maneira mais positiva;  Há muitos estudos no campo da depressão, mostrando que a falta de compaixão e autocompaixão são fatores de risco para a doença e para a piora no tratamento;  Estratégias de aumento da autocompaixão mostram resultado na melhora dos sintomas em pacientes deprimidos;  A combinação entre autocrítica exagerada e baixa autocompaixão é associada ao risco aumentado para episódios recorrentes de depressão ao longo da vida;  Autocompaixão pode superar o forte impacto do estigma (autoestima) no tratamento da obesidade;  O senso crítico exagerado está relacionado ao risco maior para comer compulsivo (TCAP), bulimia e anorexia;  Bullying e outras formas de violência estão associados à baixa compaixão;

 Dependência digital – de redes sociais – é uma via de mão dupla para o adoecimento, uma vez que aumenta a autocrítica e reduz a compaixão;  A questão da violência digital hoje é considerada um problema social e de saúde, uma vez que impacta negativamente na vida de crianças e adolescentes (EUA);  Diabéticos com níveis de autocompaixão elevados não sofrem tanto com o impacto do estresse (efeito “amortecedor” de sofrimento);  Em diabéticos, o treinamento com meditação para compaixão reduziu a hemoglobina glicada em 1% – resultado comparável à introdução de uma nova medicação para a redução da glicemia! Espero que esses minutos de leitura tenham despertado a curiosidade e que leve contigo um recado necessário a todos nós, o da transformação. Precisamos cuidar melhor um dos outros, da sociedade, da natureza que nos abriga e oferece recursos e, principalmente, de nós mesmos. Um grande abraço a todos, Leandro Minozzo

Novo Hamburgo- RS Nações Unidas, 2475 / 203 Bairro Rio Branco

Fones: (51) 3035.1240 (51) 99818.2595

MAIOR DE 60 SETEMBRO 2017  
MAIOR DE 60 SETEMBRO 2017  

jornal dirigido à Terceira Idade na Grande Porto Alegre

Advertisement