Page 1

www.maiorde60.com.br

MARÇO de 2017 Ano 10 - Nº 113

SAÚDE

INFORMATIVO

Exercício físico: o melhor remédio A principal orientação para quem não quer desenvolver Alzheimer: a prática regular de atividade física.

Página 3

ATAPNH - Associação dos Trabalhadores Aposentados e Pensionistas de Novo Hamburgo Páginas 4 e 5

Se você não se aposentar, onde seus filhos irão trabalhar?

O Brasil tem hoje, cerca de 13 milhões de desempregados na iniciativa privada. A maioria dos jovens acaba buscando no serviço público, sua úni-

ca alternativa. Mas hoje, com a iminência de ter o nosso tempo de trabalho aumentado consideravelmente, a juventude passa a ficar sem alternativa. Com o aumento do tempo de serviço, para a tão sonhada e às vezes necessária aposentadoria, vai diminuir ainda mais, a chance destes, de ingressarem no mercado de trabalho. Pois cada aposentadoria significa uma vaga neste mercado. Como irão sobreviver nossos filhos? Aliás, são estes mesmos jovens, que que muitas vezes criticam o idoso que clama por aposentadoria, como se estes não merecessem este benefício, é que vão sofrer com estas mudanças tão drásticas. Estes moços é que deveriam ir para as ruas reivindicar que estas mudanças não aconteçam, para que eles não sofram, logo ali na frente. Muitas empresas estão preferencialmente contratando pessoas com mais idade, porque estes jovens até podem ter qualificação, mas não possuem experiência e o tão necessário jogo de cintura, que só a idade traz. Além de não serem tão imediatistas como essa nova geração. Alerte seus filhos e netos, para que parem de criticar quem é jovem há muito mais tempo, mas que tem uma larga experiência e saiam em defesa desta classe, pois é do resultado desta luta que vai surgir o emprego às novas gerações. Ou todos sucumbirão na falta de recursos, pois em primeiro lugar, o dinheiro é destinado para manter as regalias milionárias de uma pequena parcela de brasileiros: os que fazem as leis para se beneficiarem.


2 | MARÇO DE 2017 | MAIOR DE 60

OPINIÃO

SALTIMBANCOS TRAPALHÕES Paulo André Fernandes Solano

JÚVA, ZÓL, FRIO, GUÊNDE Cumôia! Máiz gue dêmbo malúc, hein? A chênde guásse gossinhô no mormás. Andicamênt ar gondicionát era um lúx, hôche é uma nezezitáde, chá gue o ventilatoa zó esbálha o galôr. Máiz é tiverdído esgudá as bezôa na rua: “Cuntách, zerá gue jóve, vissinha?” “Ach gue mol lôs, ísdo vai gondinuá adé a chênde fritá os miolo.” “Eu dô chuítsa timáis, gue horor.” “Acóra vai melhoríra gon ésda juvinha fina, vái turá a nôide dôta.” “Máin Cott, jovêu tés minút e voldô o galorôn.” “Opaa, iêts quêts lôs, têu na rádia guê vômo dê uma drégua, uma vêiz.” E tinovo vólda dôtas as esbecdadíva zê jóve, zê vái esfriíra, ô zê o zól vái esguêndá os miolo máiz um pôc. Máiz brá frênt vên o winda e aí goméza dúto tinovo... “Máin Cott, gue frio, ônte vômo bará?” E azín gamínha a humanitát... O Clotscôp e o Túmtiá zôn amíco têsde o dêmbo to goléchio. Zó belos abelíto chá tá brá dê uma itéia tas ficúra, uma vêiz... Êls morávon lônche, mais te vêiz e guãnto zê engondrávon brá gonverzá e zê gueijá tá víta. O guê máiz tôis velhót vôn fassê, nôn é? Gualguér azúnt é motív brá pricá. Tái um tá um chút na púnda to ôdro e tiz: “vai bro táivãl e non abarés máiz...” Máiz êls acapáron figãndo velho tivertáde e ressolveron í brá uma gássa te repôsso. O Clôtscôp, brá zê livrá te uma vêiz bor dôtas, foi brá ôdro esdáto e ajô um lucár maravilhosso, no meio te múido vêrte e lônche te dúto. Tebôis te insdaláto, foi bazeá no chartín e dropezô numa catêra reglináta. Êl foi levandá a bezôa, arrecalô os áua e critô: “Tulivacôt, Túmtia, nôn é bozível!!!!!”

Advogado - OAB/RS 56.724

A semana que termina teve declarações que plagiaram os personagens de circo que iam de um povoado a outro fazendo exibições de comédia. O ministro da Fazenda, Henrique Meirelles, defendeu que a reforma da Previdência não é uma escolha, mas necessidade. "Sem mudar a Previdência, país ficará insolvente", afirmou. Já o líder da maioria na Câmara, o deputado Lelo Coimbra (PMDB-ES) afirmou que a Reforma da Previdência provocou "rebuliço" e "inquietação" entre os parlamentares que integram a base de apoio do Palácio do Planalto. Enquanto isso, o presidente Temer deu três declarações desastrosas: destacou o aspecto agregador da cerveja, usou RJ, RS e MG como exemplos do que pode acontecer com o Brasil se a reforma da Previdência não for aprovada e afirmou que a mulher é a rainha do supermercado e única responsável pela educação dos filhos. As pirilampas afirmativas causaram efeito imediato na base governista, onde o PSDB, que tem uma bancada de 47 parlamentares, está convicto de que a reforma do governo é muito rígida. E preparam conjunto de propos-

tas de mudanças para apresentar ao governo. O próprio relator na Comissão Especial que avalia a PEC, deputado Artur Maia, afirmou que o texto deve sofrer alterações nas regras de transição, aposentadorias especiais e rurais e o Benefício de Prestação Continuada. Como afirmamos na edição passada, o Palácio da Alvorada recua cada vez mais em seu texto original da reforma previdenciária. Os movimentos de retrocesso são evidentes e podem ganhar força após a mobilização da próxima semana. A greve nacional da Educação tem adeptos em outras categorias do serviço público e da iniciativa privada! Inclusive os aposentados, capitaneados pela COBAP, se preparam para realizar encontros frente a frente com os deputados federais em todo o país! A palavra de ordem é Mobilização! Essas alterações aventadas pelos oposicionistas e alguns parlamentares da base do governo somente aconteceram por causa do trabalho incansável das entidades em Brasília e nas bases eleitorais dos deputados! Seja por qual motivo for – convicção ou medo da não reeleição – as mudanças na PEC 287 se mostram cada vez mais possíveis e devem receber combustível nesse dia 15 de março! O nome ‘março’ vem da Roma antiga, originariamente Martius, o deus da Guerra! Pois, se a vitória passa por ela, vamos arregaçar as mangas e todos na luta contra a Reforma da Previdência! É a guerra pacífica contra a PEC da Morte!

CLOSSÁRIO Abelíto - apelido Acapáron acabaram Ach, gue mol lôs - ah, larga disto Andicamênt antigamente Arrecalô - arregalou Áua - olhos Azín - assim Azúnt - assunto Bazeá - passear Catêra - cadeira Chartín - jardim Chênde - gente Chuítsa - suar Chút - chute Clotscôp cabeça dura Cumôia - bom dia Cuntách - boa tarde Dêmbo - tempo Dôta - toda Drégua - trégua

Dropezô - tropeçou Dúto - tudo Esbálha - espalha Esbecdadíva expectativa Esdáto - estado Esfriíra - esfriar Esgudá - escutar Ficúra - figuras Figãndo - ficando Frênt - frente Gamínha - caminha Gássa - casa Goméza - começa Gossinhô - cozinhou Guásse - quase Gueijá - queixar Humanitát humanidade Iêts quêts lôs - agora vai Insdaláto - instalado Jovê - chover Jovêu - choveu

Lúx - luxo Máin cott Meu Deus Mormás - mormaço Motív - motivo Nôide - noite Ônte - onde Pricá - brigar Reglináta - reclinada Repôsso - repouso Táivãl - diabo Tés - dez Timáis - demais Tinovo - de novo Tiverdído - divertido Tivertáde - de verdade Tulivacôt - Meu Bom Deus Túmtiá - bicho burro Vissinha - vizinha Víta - vida Vômo - vamos Winda - inverno

CNPJ: 12.322.553/0001-40 Inscrição Municipal: 6882 Rua Júlio de Castilhos, 600 CEP 93900-000 - Ivoti - RS Fone: 51.98456.4614

Diretor geral: Gilberto R. Winter maiorde60@maiorde60.com.br Jornalista Responsável Rafael Geyger - MTb/RS: 12397 Criação e redação:

Sandra Carvalho de Alcantara Circulação | Ivoti e Vale do Sinos www.maiorde60.com.br

Os artigos assinados são de inteira responsabilidade de seus autores

maiorde60


MAIOR DE 60 | MARÇO DE 2017 | 3

GERAL

Leandro Minozzo

Nutrólogo e Clínico Geral - CREMERS 32053

Caso fosse necessário dar apenas uma orientação para quem não quer desenvolver a doença de Alzheimer, eu não ficaria em dúvida, motivar a prática de atividade física. Além de reduzir diversos fatores de risco, a atividade física regular consegue agir diretamente nos mecanismos responsáveis pela doença. Uma coisa é certa, tudo que faz bem ou mal para o coração acaba tendo relação com a doença de Alzheimer. Os exercícios diminuem as chances de se desenvolver obesidade, diabetes, hipertensão arterial e problemas com o colesterol e ainda ajuda no tratamento e prevenção de uma doença muito ligada à doença de Alzheimer, que é a depressão. Porém, a lista de benefícios vai além da saúde dos vasos sanguíneos e depressão. Ela estimula a neuroplasticidade, que é a capacidade dos neurônios de formarem novas comunicações ou mesmo se multiplicarem em certas regiões, além de aumentar os níveis de neurotrofinas, como o BDNF, que estimulam a neuroplasticidade. E isso, acontece justamente numa das regiões cerebrais mais importantes em termos de memória, que é o hipocampo. Diversos estudos comprovam o benefício do exercício físico na função cognitiva. Pesquisa-

dores constataram que quanto melhor o desempenho no teste de esteira, maior era o volume do hipocampo. Na continuação dessa pesquisa, constatou-se que os participantes que fizeram exercícios aeróbios apresentaram um crescimento de 2% no volume de seus hipocampos, enquanto aqueles que não fizeram trabalho aeróbico, mas de alongamento e tonificação muscular, apresentaram uma redução de 1,5% na estrutura cerebral encarregada da memória. A essa diferença, os pesquisadores descreveram como sendo equivalente ao declínio cognitivo estimado em 3 anos, ou seja, o grupo que participou de atividades aeróbicas tornou-se cognitivamente mais “jovem” em relação ao outro. Cabe também destacar um benefício espetacular da atividade física que é o contato social. Praticar um esporte, ou mesmo caminhar com outras pessoas, ajuda e muito na prevenção da doença de Alzheimer por estimular diversas regiões cerebrais ao mesmo tempo. Há a possibilidade de se conseguir tanto os benefícios do exercício para o sistema circulatório e neuroplasticidade, quanto os estímulos cognitivos oriundos das relações sociais. Mas além do condicionamento aeróbico, não se pode esquecer da questão de se preservar a estrutura muscular, evitando a temida sarcopenia. No consultório, para tornar mais prática a nossa conversa, procuro recomendar caminhadas diárias, ou bicicleta ergométrica para aqueles com problemas ortopédicos, associadas a algum tipo

Foto: iStock

Melhor que palavras-cruzadas, exercício físico previne Alzheimer

de exercício resistido, como musculação duas vezes por semana. Mas os benefícios são encontrados também em diversos outros tipos de atividade, como pilates e natação e quando o exercício se torna prazeroso, muitas pessoas chegam a sentir falta de sair de casa e se movimentar. E o interessante é que mesmo caminhadas de apenas 20 minutos já conseguem causar alterações cerebrais que previnem a doença de Alzheimer. Mas lembre-se: assim como os fatores de risco quando se somam causam um impacto ainda maior nos neurônios, os fatores preventivos também possuem essa capacidade de sinergia. Associar a prática regular de exercício físico com uma alimentação saudável torna-se uma brilhante estratégia para diminuir, e muito, os riscos de desenvolvimento da doença. Veja matéria completa em http://www.leandrominozzo.com.br


GERAL

4 | MARÇO DE 2017 | MAIOR DE 60


MAIOR DE 60 | MARÇO DE 2017 | 5

SAÚDE


SAÚDE

REFORMAR A PREVIDÊNCIA HOJE É PENSAR NO AMANHÃ.

6 | MARÇO DE 2017 | MAIOR DE 60

A Previdência Social, nos moldes em que foi criada há quase 100 anos, é considerada um dos seguros sociais mais completos do mundo. Graças à Previdência, o trabalhador e sua família têm direito aos mais diversos benefícios durante a vida toda: salário-maternidade, salário-família, auxílio-acidente, auxílio-doença, pensão e aposentadoria. Mas essa grande conquista está prestes a entrar em colapso. A Previdência pode acabar, assim como já está acontecendo em vários estados brasileiros. Nesses quase 100 anos em que a Previdência existe, o Brasil e o mundo passaram por mudanças profundas. Duas delas se destacaram das demais: as pessoas estão envelhecendo com mais saúde, vivendo mais tempo, e com os avanços da tecnologia, o estilo de vida de todos está mudando e as famílias estão tendo menos filhos. Com isso, tem menos gente contribuindo com a Previdência, além do que, tem mais gente desempregada. O nosso sistema previdenciário é baseado num acordo entre gerações: quem está trabalhando hoje paga a Previdência de quem já se aposentou, assim como a geração que virá vai pagar a de quem está trabalhando hoje. Se o número dos que estão pagando a Previdência diminui e o número dos que recebem a Previdência aumenta, as contas não fecham. E aí, em poucos anos, vai faltar dinheiro para as nossas aposentadorias, dos nossos filhos e netos. A verdade é que essa reforma já deveria ter sido feita há muitos anos, mas não foi. O resultado é que o rombo aumenta a cada ano que passa. A reforma da Previdência precisa ser feita agora para mudar essa realidade, para igualar as regras de aposentadoria, manter os direitos daqueles que realmente têm direito e acabar com os privilégios.

Saiba mais em reformadaprevidencia.gov.br

PREVIDÊNCIA. REFORMAR HOJE PARA GARANTIR O AMANHÃ.

MAIOR DE 60 MARÇO 2017  

Jornal dirigido à Terceira Idade na Grande Porto Alegre

Read more
Read more
Similar to
Popular now
Just for you