Page 1

ANITA GARIBALDI, com Deives Rocha

BAUNILHA e PANDA, com Lucas e Laura

Agosto 2017 - Ano 2 - Nº 21 - Distribuição gratuita - Circulação mensal

BELINHA, com Jéssica Machado

BIGODE, com Eliana

SHERILOWS, com Ana Paula

ANGRA, com Aquiles

CUSCO, com Jana Medeiros

DARWIN, com Daniela

FIONNA, NENÊ, GURIZINHO, César e Adriana

FREDY, com Nina

LÉO, com Lexiane

LUCKY, com Daniela

LUNA MEL KNAK, com Rafaela

LUNA, com Natana

NICO, CORA, Juliana, Augusto e Christian

PREGUIÇA, com Uly

TROVÃO, com Geisiane Krummenauer

FRIDA, com Isabela e Gabriela


O dia do Gato PROTETORES

Ajude-nos a ajudá-los!

O dia do gato - 8 de agosto - é considerado o Dia Internacional do Gato. A popularidade dos gatos só faz crescer em todo mundo, tanto que muitos apostam que será o animal de estimação mais numeroso nas casas, posto hoje ocupado pelos cães. É comum ouvirmos pessoas falarem que não gostam de gatos, que são bichos traiçoeiros, que são independentes demais, etc... Porém, hoje muitos nos procuram para adotar um bichano. Existe uma frase, no meio da proteção que diz: “Quem gosta de cão, gosta de cão. Quem

gosta de gato, ama gato”. Quando você visita uma casa que tem gatos, é comum ver arranhadores, brinquedinhos, fontes e bolinhas para eles. Há dois tipos de gatos. O gato que podemos chamar de “manso”, que teve contato com pessoas desde pequeno e aprendeu a interagir com a nossa espécie, sem considerá-la uma ameaça. Eles gostam de estar perto de gente, subir no colo, receber longos carinhos. Outro tipo é aquele que não se deixa aproximar de um ser humano, sob nenhuma hipótese. Esses gatos, chamados “ariscos”, mantêm uma distância segura da nossa espécie, porque durante toda a sua infância ficaram isolados do nosso convívio. Os gatos “ariscos” muito raramente irão se acostumar com humanos, mesmo que ambos vivam sob o mesmo teto muitos anos. Os gatos são excelentes companheiros, com a vantagem adicional de não precisarem de atenção integral. O gato se contenta em ficar ao seu lado, mesmo enquanto você está ocupado com outras coisas. Eles não necessitam de grandes espaços para viver, vivendo tranquilamente em um apartamento. É importante ressaltarmos que a castração melhora muito a vida do seu gato e a sua, pois impede as ninhadas indesejáveis e traz benefícios para a saúde dele. Costumo dizer que só não gosta de gato quem nunca teve, pois quando você conhece, não viverá mais sem a companhia deles.... Leandro Mello Presidente da ONG ONDAA NH

2

Bichos de Estimação | Agosto de 2017


Exercícios animais ADESTRAMENTO

ZANGÃO, com Laís

NINA, com João Manuel

JOSÉ, com Simoni

Quem gosta de ficar sem fazer absolutamente nada, por horas e horas ou talvez até dias? Um dia igual ao outro, ouvir sempre a mesma música, ler sempre o mesmo livro ou ver o mesmo filme todos os dias. Nossa, que chatice! Só de ler já da uma sensação de tédio. Hoje em dia, nosso amigos pets estão cada vez mais próximos da nossa vida e rotina e também da nossa vida corrida ou agitada. Por isso, a preocupação com o bem-estar físico e mental deles deve ser cada vez maior, na mesma proporção. Posso ajudar você, ou quem sabe, alguém que você conhece. É importante lembrar aqui, aos apaixonados por animais, que atividades físicas podem se refletir diretamente no bem-estar mental deles. Você sabia disso? O comportamento deles pode melhorar, e muito, se você adequar uma atividade física à espécie de pet que você possui. Vamos às dicas: Brincadeiras, passeios e jogos irão tornar o seu pet menos estressado, e isso com certeza, irá se refletir no comportamento dele, de forma positiva. Procure buscar informações sobre a espécie do seu pet, em especial se for mais exótico e precisar ser mantido em cativeiro (peixes, pássaros ou répteis), use a criatividade para criar situações ou ambientes variáveis para fazê-los se movimentar mais, quem sabe até no momento da alimentação.

Crie um momento e situação específica para brincar com seu cão, lembrando que é fundamental que você o convide para brincar, e que depois você finalize a brincadeira .

Para os gatos

Gatos são excelentes observadores e contempladores. Por isso, criar locais ou nichos em locais altos do chão deixarão seu gato mais feliz. Eles adoram bolinhas de papel e canudinhos de refrigerante amarrados. É interessante ter um momento de interatividade e brincadeira com seu gato. Em pet shops existem ótimos brinquedos. Um exemplo, são aquelas varinhas com uma linha e uma peninha presa na ponta, que simula uma caça . Aproveite o momento com seu pet para relaxar também. E bom divertimento!

Para os cães

Tente passear de forma controlada e calma ao menos uma vez ao dia, por 20 minutos, no mínimo. Se você tem um controle muito bom sobre ele, brincar com uma bolinha em um local grande como um parque, pátio ou praça, seria ótimo. Forneça também brinquedos (garrafa pet, bolinha e osso) para que ele possa brincar sozinho e na sua ausência.

Raphael Piccoli, adestrador desde 1997, especialista em comportamento e obediência . Facebook e Instagram Adestrador Raphael Piccoli e Whats app 51 99131.2354

Agosto de 2017 | Bichos de Estimação

3


AS ORIGENS

Afghan Hound: origem e história da raça

JOSÉ, com Ari Mello

Com raízes que datam do tempo dos faraós egípcios, o Afghan Hound é uma raça antiga derivada do grupo dos Sighthounds do Oriente Médio. Seu desenvolvimento é resultado de sua utilização como um cão corredor capaz de trazer carne de lebre e de gazela para a panela. Gerações de caçadores no difícil terreno montanhoso do Afeganistão produziram um cão rápido, resistente, ágil e com uma incrível capacidade para saltar. Sua longa pelagem o protegia do clima frio. Eles ficaram isolados por séculos chegando à Inglaterra no começo dos anos de 1900 onde eram chamados de Galgos Persas ou Barukhzy Hounds. Sua popularidade cresceu lentamente, principalmente por seu aspecto garboso, tornando-se um dos mais competitivos e glamurosos cães das exposições. Nos anos 70, o Afghan se tornou a raça da moda, mas desde então diminuiu sua popularidade. Digno e indiferente, com um olhar penetrante e com uma leve ferocidade, são considerados cães independentes, muitas vezes levam a fama de distantes e até mesmo teimosos. No entanto, apresenta baixo nível de dominância, podendo ser adestrado e é um cão sociável. Em geral, é desconfiado e reservado com estranhos, sem ser agressivo. É um cachorro que precisa de um dono que saiba liderar e disciplinar, de maneira calma e gentil, sem agres-

4

sividade. Responde melhor aos adultos, ou crianças mais velhas, e podem se mostrar desobedientes com proprietários que não saibam lidar adequadamente com seu temperamento. Necessitam exercitar-se adequadamente, ou podem tornar-se excessivamente nervosos, ou por vezes tímidos. A pelagem da raça é longa, de textura fina na região das costelas, nos membros e flancos. O pelo mostra-se curto e fechado a partir do ombro e ao longo da sela nos exemplares adultos. As orelhas e as pernas apresentam boa pelagem, que deve desenvolver-se naturalmente. Em exposições, todas as cores são aceitas. De grande porte, os cães machos da raça Afghan Hound tem entre 68 cm e 74 cm, medidos sempre a altura da cernelha. Já a altura das fêmeas deve ficar, em média, entre os 63 cm e os 69 cm.

Bichos de Estimação | Agosto de 2017

JOSÉ, de Leandro Mello


A linguagem dos felinos

DICAS

ARYA, com Tatiana

FRODO, com Neuza

Já sabemos que os gatos não miam para comunicarem-se entre si. Eles só miam para se comunicar conosco, os humanos. E se engana quem pensa que todos os miados são iguais. Abaixo temos algumas razões e jeitos diferentes de seu felino se comunicar. Estou magoado – Se o seu gato de repente começa a miar excessivamente, leve-o para ser examinado por um veterinário. O miado dele pode indicar que há algo clinicamente errado, especialmente se o comportamento não é típico. Muitas doenças podem fazer com que o gato sinta fome, sede ou dor, tudo que possa levar a um miado excessivo. Só estou dizendo oi – Frequentemente um gato mia para seu humano quando ele chega em casa, funciona como um cumprimento quando vocês se vêem na casa ou no quintal. Quero comida – O miado “estou com fome” é provavelmente um que os donos de gatos conhecem bem. Geralmente eles correm ao redor do seu "fornecedor", miando Insistentemente. Preste atenção em mim – Às vezes, os gatos falam simplesmente porque querem a sua atenção – e aprendem que miando eles conseguem. Desta forma eles chamam para brincar, ganhar carinho ou simplesmente para você ir lhe fazer companhia. Deixe-me entrar – Se uma porta está fechada, os gatos podem miar para você abri-la e não só por querer entrar – simplesmente alguns

não gostam de ver a porta fechada. Estou com calor – No forte do verão um gato com calor poderá miar incessantemente. Hora de refrescar o ambiente. Estou estressado – Os gatos sob estresse podem tornar-se mais vocais que o normal. Você pode ter vivenciado essa experiência com um gato miando alto no carro, a caminho do veterinário, por exemplo. Estou dando bronca – Gatos irritados e agitados, muitas vezes começam uma gritaria, se sentirem-se ameaçados o suficiente para atacar. Esse miado geralmente tem um som mais grosso. Eu não quero ficar sozinho – De acordo com a Faculdade de Medicina Veterinária da Universidade do Estado de Ohio, quando alguns gatos são deixados sozinhos por longos períodos de tempo, podem tornar-se ansiosos e, entre outras coisas, miarem excessivamente. Estou ficando velho – Conforme os gatos envelhecem, eles podem apresentar uma diminuição da função cognitiva, demonstrando isso de várias formas, inclusive miando alto. Naturalmente, quem divide seu espaço com etes felinos sabe, às vezes, eles miam por algum motivo desconhecido. Talvez porque o céu é azul ou quer que você mude o canal da TV. Prestar atenção nas circunstâncias em que o seu gato mia e os sons que ele faz pode ser divertido e pode ajudá-lo a entender seus residentes felinos um pouco melhor.

Agosto de 2017 | Bichos de Estimação

5


SAÚDE

Tártaro: ele pode complicar a vida de seu Pet

SANDY, com Marli

Se o seu amiguinho está com mau hálito (halitose), coloca seguidamente as patas na boca, apresenta salivação anormal, hipersensibilidade oral, anda sem apetite e está com a coloração diferente no dente (normal é branco), ele sem dúvida está com tártaro. Mas o que é tártaro? O tártaro nada mais é que uma placa de bactérias que surge pelo acúmulo de restos de comida nos dentes do seu pet e que não é retirada corretamente. O tártaro - que também é conhecido como cálculo dentário - atinge a maioria dos cães e gatos, pode ser evitado e tratado para preservar a saúde da boca desses. Se não for tratado a tempo, o tártaro pode causar, por exemplo, meningite e outras infecções generalizadas nos cães; isso porque com o avanço dessa placa bacteriana pode haver o contato com algum vaso sanguíneo, o que espalha a área de alcance da bactéria, levando a outras doenças Mas o que causa isso? Dietas de alimentos moles, não escovação diária dos dentes, dentição dupla (dente temporário não cai e nasce o dente definitivo junto ao mesmo) e o PH da saliva (alcalino) Para evitar a formação, alguns cuidados devem ser tomados: - Dieta à base de ração sólida - Escovação diária - Extração dos dentes temporários, caso eles não caiam e os dentes permanentes já te-

6

nham nascido - Oferecimento de ossos ou petiscos duros para morder. Caso o tartáro não seja removido pode haver algumas complicações, como endocardite (bacteriana e/ou fúngica), problemas renais; enfim, infecções em qualquer órgão, pois as bactérias (principalmente) entram na corrente circulatória, se instalando em qualquer um deles ou até mesmo causando uma infecção generalizada e levando nosso amiguinho à morte. O tratamento para o tártaro se dá através de curetagem, que deve ser feito pelo veterinário, pois ele é o único profissional capacitado para tal serviço, pois se o animal já estiver com gengivite (inflamação da gengiva) ou outros males relacionados com o tártaro, só ele poderá orientar os proprietários a primeiro realizar uma antibioticoterapia e uso de antiflamatórios de acordo com a espécie, peso e idade do animal.

Bichos de Estimação | Agosto de 2017

ALFREDO e PEPPER, com Anelucy e Iseth

SADDAM , com Pri Ohlweiler


Motivos para identificar seu amiguinho DICAS

PRETINHO, com Shelly Feller

BARÃO, com Luís

1. Não tem como garantir que ele nunca vá se perder: Infelizmente, acidentes acontecem até nas melhores famílias: a porta fica aberta um pouquinho a mais para entrar a visita, a tela da janela rasga, a caixa de transporte quebra, o animal desespera no veterinário, numa tempestade, no ano novo, na mudança… o risco existe onde menos imaginamos! 2. Coisas horríveis acontecem com animais que ficam na rua: existem pessoas muito más, existem animais maiores, existem avenidas movimentadas… E animais mansos ou que não estão acostumados com a rua, são os mais vulneráveis. 3. Um animal com identificação tem muito mais chance de ser resgatado: se você encontra um cachorro ou gato perdido e ele tem identificação, vai simplesmente pegar o telefone e ligar para a família dele. Se ele não tem, você vai precisar levá-lo para casa e cuidar dele indefinidamente até que a família ou um adotante apareça – e poucas pessoas têm o espaço e o bom coração para fazer isso. 4. É uma precaução simples: uma plaquinha no pescoço e o pet já está protegido. Dá até para escrever o telefone na própria coleira com caneta de tecido. A coleira incomoda? Mude o modelo e faça uma adaptação gradual deixando o pet de coleira só por alguns minutos todo dia, aumentando o tempo aos poucos. Não deu certo? Implante um microchip! É simples, indolor e vitalício.

5. Se seu amigo se perder, é o que você vai desejar ter feito. E um motivo extra, veja os números:

Cães Perdidos COM Identificação: 95% voltam em menos de 48 horas. Cães Perdidos SEM Identificação: 40% nunca mais voltam. Gatos Perdidos COM Identificação: 70% retornam em até uma semana. Gatos Perdidos SEM Identificação: 60% nunca mais voltam. PENSE NO BEM DO SEU PET! É barato e pode evitar problemas maiores! Uma Chance Aos Animais

Agosto de 2017 | Bichos de Estimação

7


Gostou da nossa galeria? Mande a foto de seu amiguinho para nós. Vamos adorar! E-mail: bichosdeestimacao@outlook.com ANGRA, com Renata Machado

ARGOS, com Maria

BARTHO, com Roberta Larini

DUDA, com Gisele

ELIS REGINA, com Silvia

FRED, com Bea

FRIDA, com Déia Aguiar

FRIDA, com Pablo, Pedro e Keren

HELOÍSA, com André e Bia

LAILA e MELI, com Diovana

LIKA LUA, com Amanda

MEL, com Carolina e Gabriela

NEIDER, com Tiago, Dalva e Diana

PRINCESINHA, com Deise

SUZI, com Fabi

THYSSA, com Jéssica

KIARA, com Cauã

SUKY, com Eva Cargnelutti

Redação, revisão e fotos: Gilberto Winter Criação, redação e arte-final: Sandra C. Alcantara E-mail: bichosdeestimacao@outlook.com Facebook: Bichos de Estimação Fone: (51) 98456.4614 Fotos: Arquivos pessoais

BICHOS DE ESTIMAÇÃO | Ano 2 | Nº 21  
BICHOS DE ESTIMAÇÃO | Ano 2 | Nº 21  

Aqui temos a continuação da Revista BICHOS DE ESTIMAÇÃO - que circulou no Vale do Sinos/RS­­

Advertisement