Page 1

VIVER

1


VIVER

2


Dezembro, 2017

Conteúdo

vivermagazine.com

48 Cinema

49

08

Agenda

Gordura localizada: conheça os equipamentos Legacy, VelaShape 3 e Z Wave Sabe aquele “pneuzinho” que incomoda tanta gente, aquela barriguinha que se sobressai ou aquele culote que irrita tanto? Sim, você sabe do que eu estou falando. A gordura localizada é um dos principais vilões para quem quer manter o corpo bonito e saudável.

06

06

CAPA

18 perfumes para aquecer os dias frios À medida que os dias vão ficando mais curtos e mais frios, sabe bem um cheirinho quente.

28

Saúde do homem: saiba como se prevenir contra o câncer de próstata

38

“Coco”: o novo filme da Pixar é ou não uma crítica a Trump

40

O que mostra o quadro de da vinci que vale 450 milhões VIVER

18

IMIGRAÇÃO

20

Sci -tech

3


E

u nunca vou entender esse sentimento que invade o meu coração quando vai chegando o final do ano. Uma mistura de coisas boas e outras não tão boas assim, saudades, emoções, o pensamento de que o tempo passou rápido demais e não deu para fazer tudo o que havia proposto para este ano. Mas ainda bem que, aparentemente esta soma de sentimentos confusos não é só minha e, provavelmente você também sinta um pouco disso também. O importante é que consigo me concentrar no que realmente importa, que é aproveitar estes cenários lindamente decorados e compartilhar com os amigos e família de momentos inesquecíveis. Sim o Natal é maravilhoso, mesmo que tenha sido uma data “criada” pelos homens para ser o dia do nascimento de Jesus, (é claro que sabemos que Jesus não nasceu em Dezembro), E mesmo sabendo também, que o ato de celebrar o dia 25 de Dezembro com a arvore representada no pinheiro com adornos são coisas que pertencem à história dos Vikings, (temos um ótimo artigo sobre o tema, nesta edição para você que quer conhecer a verdadeira história da celebração de 25 de Dezembro). Enfim, eu aproveito sim e sou apaixonada pelo Natal, mas não ignoro a verdade sobre o assunto. Na vida é preciso não levar tudo muito a ferro e fogo, caso contrário tudo vai ficando muito difícil, muito duro. Precisamos estudar sobre as coisas, ir mais a fundo na história em geral, não para levantar polêmicas a respeito dos assuntos, mas para

poder aproveitar a vida de um jeito mais consciente. De uma forma ou de outra, quase todas as pessoas passam a vida inteira descobrindo que a maior parte das histórias contadas no dia a dia são lendas, folclores ou mentiras e isto acontece desde que somos crianças, é o Papai Noel que traz presentes, é a cegonha que traz os bebes, é o dia das bruxas que parece bonitinho celebrar mas tem por traz uma história que nos faz refletir a respeito, é a nossa própria história brasileira, que quase nada tem a ver com a que aprendemos na escola e muitas outras coisas fantasiosas. Mentirinhas que fazem com as pessoas percam muito tempo com ilusões. Que bom seria se os pais tomassem logo cedo a decisão de não mentir para os seus filhos, eles aproveitariam muito mais cada instante destas festas comemorativas, sem o peso de seus significados mentirosos. Bom, quero desejar a você e à sua família um final de ano abençoado, que sejam momentos de paz e alegrias. Que possamos refletir sem culpa, pelas coisas que não alcançamos e lembrar, que tudo tem um propósito nesta vida, que nada acontece sem que o nosso Deus permita e na hora certa, na hora Dele, tudo vai dar certo! Confie em Deus com todas as suas forças, Jesus é seu amigo e está pronto para abraçalo a todo o momento, o seu “melhor” amigo, seu salvador. Coloque Nele todas as suas preocupações e confie, descanse o seu coração naquele que pode mudar o rumo do vento e acalmar a pior das tempestades e que com uma simples palavra, pode realizar o que aos seus olhos parece impossível. Mesmo dia 25 de Dezembro não sendo o aniversário de Jesus, transfira aí dentro do seu coração, todas as honras e homenagens para Ele e aproveite a ocasião para declarar o seu amor. Feliz Natal!

Dilla Campos

Publicadora Viver Magazine vivermagazine © Viver Magazine - Todos os direitos reservados.

VIVER

4

EDIÇÃO e PUBLICAÇÃO Dilla Campos vivermagazine@gmail.com DIREÇÃO DE ARTE / PROJETO GRÁFICO Saulo Oliveira S2dm.com contact@s2dm.com COLUNISTAS Dilla Campos Maitê Hammound (Psicóloga) Tracie Kincle (Advogada) Fernanda Hottle (Advogada) Daniel Ortiz (Advogado) REVISÃO Eliania Bento COLABORADORES Kamilla Oliveira Alex Campos Consulado Geral do Brasil em Atlanta Cesar Restrepo (Empreendedores Latinos) FOTOGRAFIA Dilla Campos Indy Zanardo Alcides Notaro Juliana Frary PARA ANUNCIAR 770.953.4250 vivermagazine@gmail.com www.vivermagazine.com DISTRIBUIÇÃO All Metro Atlanta Area GDL Distribution & Logistics, LLC Phone: (678) 887-2391 (Joanita Bonilla) A Viver Magazine é uma publicação independente com a finalidade de informar a comunidade brasileira e divulgar produtos e serviços que sejam de interesse dessa comunidade. As informações aqui veiculadas são resultado da demanda de nossos leitores e variam de acordo com a atualidade, podendo ser alteradas sem aviso prévio. Esta é uma publicação aberta a participação de leitores e da comunidade brasileira em geral, na qual encorajamos e agradecemos. A publicação de conteúdo e fotografias enviadas para a redação está sujeita a aprovação e disponibilidade de espaço e não é prometida ou garantida. Os anúncios aqui contidos, bem como seus conteúdos são de responsabilidade de cada anunciante. A diversificação e conteúdo dos artigos são de responsabilidade de seus autores e não refletem necessariamente a opinião desta publicação. Todo e qualquer conteúdo e anúncio aqui contidos são de propriedade da Viver Magazine e não devem ser reproduzidos total ou parcialmente. A versão impressa desta publicação é gratuita, assim como nossa versão online. Outros veículos de comunicação online na qual fazemos parte estão à disposição de nossos anunciantes e da comunidade em geral no Facebook e em nosso portal: www.vivermagazine.com. É proibida qualquer reprodução impressa ou digital, cópia do conteúdo, matérias, anúncios ou elementos visuais, bem como do projeto gráfico apresentados na Viver Magazine com base na LEI DE DIREITOS AUTORAIS Nº 9.610, DE 19 DE FEVEREIRO DE 1998, com respaldo internacional.


VIVER

5


//CAPA

Papai Noel, o Dia de Natal, os Vikings e Jesus! “A história de um povo – Os Vikings – que Nada tem a ver com Jesus. O Rei dos Judeus, Não nasceu no dia 25 de Dezembro, mas a igreja decretou este dia como sendo o aniversário de Jesus, para ofuscar a festa considerada por ela, uma festa pagã”

O

Natal é uma festa dos Vikings que tem origem há uns vinte mil anos antes de Cristo. Os vikings eram povos que habitavam a região da Península da Escandinávia no hemisfério norte em épocas antigas. A palavra viking origina-se do normando “vik” cujo significado mais provável é “homens do norte”. Acreditavam também nas Valkirias, mulheres valentes que cavalgavam com Odin durante as batalhas. O solstício de inverno é o dia em que o sol está mais longe da Terra. No hemisfério norte esta data é no dia 24 de dezembro sendo que no hemisfério sul esta mesma data é comemorada no dia 24 de julho, que deu origem as festas juninas. Por conta das baixas temperaturas, os povos da região tinham apenas seis meses no ano para armazenar comida, carnes, nozes, castanhas, peixes, etc., para os seis meses de noite durante o inverno. Em uma temperatura de trinta graus abaixo de zero, a vida começa a perder para a morte e a luz perder para as trevas. A data vinte e quatro de dezembro era a pior por ser a mais fria e o sol estar muito longe da Terra. Nesta data o Xamã da tribo acendia a fogueira e enfeitava o pinheiro, que era uma árvore, que mesmo no mais terrível inverno continuava verde, com velas e fazia um ritual pedindo para os deuses que a luz vencesse as trevas, que a sabedoria vencesse a ignorância, que a vida vencesse a morte, etc. Neste ritual de poder e magia o Xamã escolhia um de seus melhores guerreiros para caçar um urso branco, que era o símbolo da força dos Vikings, para sacrificar e oferecer aos deuses. O guerreiro saia sozinho no seu trenó puxado pelas renas com a gigantesca tarefa de caçar um dos animais mais fortes e perigosos do hemisfério

norte, o urso branco. Quando o guerreio voltava com a barba branca e os cabelos cobertos de neve imediatamente ele tinha que tirar a pele do urso e se vestir com a parte dos pêlos brancos por dentro e avermelhado de sangue por fora como o símbolo da força e do poder dos Vikigns, em oferenda aos deuses. Após o ritual, os Vikings faziam grande festa com muita fartura de alimentos, músicas, danças, etc. Com o passar do tempo esta festa pagã foi crescendo e dominou toda a Europa. Após o surgimento dos cristãos, a igreja se sentia incomodada com esta grande festa pagã e fez de tudo para acabar com ela. Foram todas as tentativas em vão, pois a cada ano que passava, por mais que a igreja tentasse acabar com esta festa, mais ela crescia. Desta forma, e sem nenhuma chance de sucesso em acabar com a grande festa pagã e, três séculos após o surgimento do cristianismo, a Igreja passou a comemorar o nascimento de Jesus no dia 25 de dezembro e renomeou esta data como Dia de Natal. Nos Estados Unidos ganhou o nome de Santa Claus, no Brasil de Papai Noel e em Portugal de Pai Natal. Até o final do século XIX, o Papai Noel era representado com uma roupa de inverno na cor marrom ou verde escura. Em 1886, o cartunista alemão Thomas Nast criou uma nova imagem para o bom velhinho, mas a imagem que conhecemos do Papai Noel tem uma origem muito mais comercial. A figura de um velhinho com roupa vermelha e branca foi criada e difundida pela publicidade da CocaCola no século XIX.

Natal nos Estados Unidos - As tradições natalinas dos Estados Unidos estão ainda muito influenciadas pelos imigrantes europeus. Os VIVER

6

descendentes dos imigrantes da Morávia, na Pensilvânia, são conhecidos pelas suas pirâmides de Natal, que são uma espécie de bolo em forma de pirâmide, feito à base de bolacha e frutas. Nos estados de Minnesota, North Dakota e Winsconsin são evidentes os costumes escandinavos. Um deles é o de alimentar os pássaros com uma dieta especial de Natal: cevada, aveia e trigo. O Santa Claus (o Papai Noel dos americanos) é um símbolo típico da cultura americana. Esta designação apareceu com os primeiros colonos da América, vindos da Holanda. Em holandês São Nicolau (o santo generoso e presenteador), que se foi americanizando até chegar à forma de hoje. Uma lenda norueguesa deu origem à crença de que Santa Claus desce pela chaminé: a deusa Hertha aparecia nas lareiras e trazia boa sorte às casas.

Natal no Brasil - A origem do Papai

Noel, tão difundida entre nós, também é europeia. O escritor Monteiro Lobato, na década de 30, buscando abrasileirar este simbolismo criou vovô índio; nos anos 50, Joracy Camargo e Heckel Tavares, conceberam um personagem negro chamado Papai João, para substituir a figura do Papai Noel, contudo, nenhuma das tentativas vingou, e o velhinho de barbas brancas e botas pretas parece estar incorporado definitivamente ao Natal brasileiro. No interior, a festa cristã se reveste de característica bem mais populares e brasileiras, oportunizando diversas manifestações folclóricas, como o bumba-meu-boi, o boi-calenga, chegança do fandango, pastoria, congadas ou congas, reisados, essas variações normalmente antecedem a missa do galo, celebrada a meianoite.


VIVER

7


//estética

Gordura localizada: conheça os equipamentos Legacy, VelaShape 3 e Z Wave Sabe aquele “pneuzinho” que incomoda tanta gente, aquela barriguinha que se sobressai ou aquele culote que irrita tanto? Sim, você sabe do que eu estou falando. A gordura localizada é um dos principais vilões para quem quer manter o corpo bonito e saudável.

M

as afinal, o que é gordura localizada? É o acúmulo do tecido adiposo, gordura, em algumas partes do corpo. Isto pode ser resultado de uma ação hormonal e do próprio excesso de gordura no organismo. Vários fatores externos podem causar este problema como falta de exercício físico, peso acima do normal e má postura. Mas os principais causadores deste problema são mesmos os alimentos gordurosos. A gordura inserida no organismo e não utilizada pelo corpo em forma de energia fica acumulada em algumas partes, se transformando em gordura localizada com o passar do tempo.

O primeiro passo no combate à gordura localizada é uma avaliação médica. Vendo o seu corpo e percebendo as suas necessidades, o médico indicará alguns tratamentos que irão ajudar a eliminar o excesso de gordura. Massagem modeladora, drenagem linfática, criolipólise e radioterapia são algumas técnicas indicadas para o tratamento deste problema.

localizada. As áreas mais comuns em que a gordura se acumula no corpo são no abdômen, culote e nos flancos, que apresentam os famosos “pneuzinhos”. Atualmente, com a ajuda da tecnologia, as clínicas de estética oferecem algumas técnicas eficazes no tratamento da gordura localizada. Vamos conhecer algumas delas:

Tecnologias para acabar com a gordura localizada

Procedimento que utiliza ondas sonoras que promovem vibrações e estimulam os tecidos. Estas vibrações aumentam a circulação e mudam a permeabilidade das células da gordura, que são esvaziadas e eliminadas pelo corpo.

Uma pessoa que não realiza atividade física diariamente e não mantém uma alimentação saudável diariamente vai apresentar algum tipo de gordura VIVER

8

Ultrassom


VIVER

9


Criolipólise Tratamento que utiliza baixas temperaturas para acabar com a gordura. A região passa por um processo de congelamento parcial. As células de gordura, em contato com a baixa temperatura, se rompem, sendo eliminadas pelo corpo depois. Endermologia: Neste procedimento é feita uma sucção do tecido tratado, o que ajuda a romper as células de gordura. Este procedimento também melhora a drenagem de líquido do corpo.

Radiofrequência Procedimento que utiliza um laser especial que atinge a região tratada e aumenta a temperatura da pele, atingindo as camadas de colágeno. A gordura é queimada e a pele fica mais vistosa.

Laserlipólise Feito com anestesia local, este procedimento usa uma ponteira para derreter a gordura e aperfeiçoar a sua drenagem.

Equipamentos indicados para o tratamento da gordura localizada Hoje em dia existem diversos equipamentos indicados para auxiliar no combate da gordura localizada. Todos utilizam tecnologias de ponta,

que tratam com mais eficiência, rapidez e sem causar dor. A Skintec, empresa que fornece este tipo de tecnologia para clínicas e consultórios de todo o país, têm no mercado três equipamentos que vão surpreender muita gente que busca qualidade neste tipo de serviço. O Legacy é um deles. Sua eficiência é resultado da utilização de quatro tecnologias ao mesmo tempo: a radiofrequência multipolar, os pulsos magnéticos, o exclusivo VariPulse™ e o controle térmico em tempo real. A radiofrequência multipolar age fazendo a lipólise, a contração e a síntese do colágeno, enquanto que os pulsos magnéticos fazem a síntese do colágeno, estimulam a proliferação de fibroblastos e a neo-vascularização. A tecnologia VariPulse™ faz uma sucção ajustável para a penetração profunda da energia ao mesmo tempo em que faz drenagem linfática e estimula a circulação. Complementando as três tecnologias anteriores, o controle térmico em tempo real do Legacy, com termômetro integrado no aplicador, fornece a temperatura exata do local que está sendo tratado, para um controle mais preciso feito pelo médico especialista. A combinação das quatro tecnologias do Legacy garante tratamentos mais eficazes, sem incômodo para o cliente e com resultados mais duradouros. O equipamento é indicado para tratamentos de eliminação da gordura localizada e redução de medidas do VIVER

10

abdomen, cintura, culotes e parte posterior do braço, além de tratamento de celulite e linhas de expressão. Um outro equipamento de referência no mercado da Skintec é o Z Wave. Este equipamento elimina a gordura localizada através de ondas de choque. O resultado é altamente eficiente e comprovado. As ondas de choque radiais em alta intensidade provocam um grande impacto no estímulo da formação de colágeno e do tecido conjuntivo, melhorando a circulação sanguínea. O tratamento é rápido, indolor e sem downtime, e os primeiros resultados são visíveis nas primeiras sessões. Outro equipamento eficiente contra a gordura localizada é o Velashape 3. O aparelho utiliza quatro tecnologias para este tratamento: radiofrequência bipolar, led infravermelho, massagem mecânica e vácuo pulsado. Cada uma destas tecnologias contribui para a eficiência máxima do tratamento. A radiofrequência bipolar proporciona aquecimento interno na derme de forma profunda e estimula o metabolismo. Com a estimulação dos fibroblastos, aumenta a produção do colágeno e da elastina, o que aumenta a firmeza da pele. O Led infravermelho do Velashape 3 entra em ação otimizando o efeito da radiofrequência, estimulando o metabolismo e promovendo a ativação celular, a reabsorção de edemas, aumentando o aporte de oxigênio e melhorando o intercâmbio celular. Por sua vez, a tecnologia do vácuo pulsado garante a maior penetração das energias aplicadas no tratamento, aumentando o fluxo sanguíneo e linfático, o que melhora a eliminação de resíduos e ajudando a soltar as camadas cutâneas e subcutâneas. Finalmente, a massagem mecânica do Velashape 3 estimula a circulação, o que auxilia na eliminação dos edemas e a retenção de líquidos, ao mesmo tempo que oferece uma sensação agradável para quem está fazendo o tratamento.


VIVER

11


//perfumes

18 perfumes para aquecer os dias frios À medida que os dias vão ficando mais curtos e mais frios, sabe bem um cheirinho quente. Não a castanhas ou a lareira mas talvez a rosa, baunilha, anis, âmbar, almíscar ou couro, ingredientes comuns nos perfumes de inverno. Diz-se que o verão é a estação da alegria, das férias, da paz de espírito, das aventuras e da diversão como se, em contraste, o inverno fosse o tempo da tristeza. Ou como se frio, chuva e um céu cinzento

só nos trouxessem sentimentos de desolação. Mas se este é o seu caso — se passa o inverno a desejar que chegue de novo o tempo quente -, a verdade é os perfumes de inverno podem ter a capacidade de reverter estas emoções mais cinzentas porque os seus ingredientes são mais fortes, amadeirados e quentes — para nos darem uma sensação de bem-estar na alma e na pele. O calor faz com que as fragrâncias

Black Perfecto by La Petite Robe Noire de Guerlain - uma feminilidade com um toque de rock. Os seus perfumistas reuniram todas as facetas da rosa numa autêntica overdose de aromas.

Scandal de Jean Paul Gaultier - símbolo de sensualidade e feminismo para uma mulher poderosa e confiante. Um aroma chipre floral com laranja, mel e patchouli. Sexy e elegante.

se intensifiquem (daí que são mais leves para não nos sufocarem) mas o frio “cola-as” à pele, tornando mais difícil que o aroma venha à superfície. Daí que o inverno peça cheiros bem fortes, intensos e duradouros à prova das mil e uma camadas de roupa que usamos. Cheiros que se consigam “descolar” da pele e deixar-nos uma sensação calorosa que perdure ao longo do dia.

Nectar Love de DKNY - a nova maçã de inverno é um aroma floral frutado que nos leva para o inegável poder atrativo da natureza. É quente como o verão e doce como o mel. Black Opium Pure Illusion Edition de YSL - uma garrafa de edição limitada cintilante com a fórmula icónica de café preto rico, feijão de baunilha e flores brancas. Sofisticado e irresistível. Os 3 Segredos de Eisenberg numa viagem sensorial: o nº I Rose Talisman é um perfume oriental floral, o nº II Jardin des Sens é frutado e o nº III Voile de Chypre é um perfume chipre. VIVER

12


VIVER

13


Eau du Soir de Sisley Paris - uma edição limitada (a evocar fantasia e magia) deste icónico perfume que já vai na sua 15ª edição. Um turbilhão florido para os dias frios. Absolu de Parfum de Chloé - a celebrar os 10 anos deste perfume mágico, este é um floral amadeirado denso e texturizado.

Good Girl Glitter Collector - a nova edição de colecionador vem vestida de glitter para uma mulher que gosta de brilhar. Um arco-íris de luz com notas de café, jasmim e amêndoa.

Twilly D'Hermès - uma eau de parfum floral, picante e oriental dedicada às raparigas jovens. Com gengibre, tuberosa e sândalo para apimentar os dias frios.

Obsessed de Calvin Klein - a reinterpretação de uma fragrância icónica (a original Obsession lançada em 1993), um calor sensual com lavanda branca e almíscar.

World de Kenzo - uma mistura de flores inédita e divertida, ao mesmo tempo misteriosa e fascinante. A celebração da irreverência durante todo o inverno.

VIVER

14


VIVER

15


Sì Nacre de Giorgio Armani - uma edição limitada cheia de brilho que deixa um efeito cintilante na pele quando borrifado. Elegante, festivo e quente.

So Real Cheap & Chic de Moschino uma fragrância divertida para aquecer até os dias mais gelados. A nova Olivia Palito faz 20 anos e cheira a jasmim, madeira e laranja.

La Vie est Belle L`Éclat de Lancôme - um novo sorriso com uma nova visão de felicidade que reflecte a luz interior, o brilho que vem de dentro de nós. Com flor de laranjeira, iris e baunilha.

Bloom de Gucci - um elixir floral à base de 3 nobres flores brancas que retrata a individualidade da mulher. Captura o cheiro de um jardim cheio de flores mesmo no pico do inverno.

Celebrate Now de Escada - este perfume é um convite à celebração da natureza das mulheres e aos momentos mais importantes da vida. Um floral feminino com gengibre, anis e canela.

Decadence de Marc Jacobs - a nova "bag" para esta estação traz uma faceta mais intensa que a original (Decadent) mas com os mesmos aromas frutados e florais sensuais e quentes.

Girl Of Now de Elie Saab - o espírito da mulher moderna num frasco de perfume dourado como uma jóia com notas de amêndoa, laranja e patchouli, a assinatura da marca.

VIVER

16


VIVER

17


//IMIGRAÇÃO

Os diferentes tipos de “Status” e a beleza do Status “F”.

O

s vistos e o status de nãoimigrante vêm em uma variedade de "sabores". Há o visto A para Embaixadores, B para turistas, C para tripulantes (como em navios de cruzeiro), U para vítimas de crimes violentos e F para estudantes. Cada visto tem seu próprio conjunto de regras. Por exemplo, alguém com status B não pode trabalhar legalmente nos EUA, alguém com um visto C não pode solicitar o ajuste do status nos Estados Unidos e os titulares de vistos U podem solicitar o ajuste do status após três anos. A maioria dos titulares de visto é informada de uma data específica pela qual eles devem sair dos Estados Unidos. Se eles permanecerem nos EUA após essa data, eles começaram a obter presença ilegal. Se tiverem entre seis meses e um ano de presença ilegal, eles não podem retornar aos EUA durante três anos. Se eles permanecerem nos Estados Unidos sem status há mais de um ano, eles terão uma punição de dez anos de reintrodução no país, isto é, se eles não receberem uma renúncia aprovada. O visto F é para alunos, tipicamente aqueles matriculados em instituições

de ensino superior dos EUA. Quantos de nós conheciam a data exata em que nos graduaríamos? Os planos mudam, os interesses mudam, a vida intervém. Por estas razões, os titulares de vistos F não recebem uma data específica para deixar os Estados Unidos. Quando são admitidos nos Estados Unidos, a nota "D / S" é colocada no carimbo de entrada. "D/S" significa "Duração do status". Isso significa que, enquanto permanecerem matriculados em um estudo a tempo inteiro, eles estão em status e estão absolutamente bem e com permissão para permanecerem nos Estados Unidos. Mesmo que o titular do visto F-1 se forme, não há data em que o USCIS possa começar a contar o tempo de presença ilegal contra o estudante. É a data da última final? A data da graduação - mas e se eles se matricularem em outro programa? Sob "D / S" alguém pode permanecer nos Estados Unidos e não ter presença ilegal. Eles podem estar fora do status se não estiverem na escola, mas não há presença ilegal. Isso significa que se eles deixaram os EUA, eles não têm barras de três e dez anos contra eles. A única vez que um estudante F-1 pode ter presença ilegal nos Estados Unidos é se um oficial de imigração ou juiz de imigração fizer essa descoberta. Caso contrário, o estudante F-1 nunca tem presença ilegal, o que é um grande benefício. Claro, eles podem ter problemas para obter outro visto de não-imigrante, mas talvez eles tenham um membro da família que apresentou uma petição de visto de imigrante em seu nome. Tivemos uma situação como essa recentemente. Gloria veio como estudante para os EUA no início dos anos 2000. Sua mãe tornou-se cidadã VIVER

18

dos Estados Unidos, mas desde que Gloria tinha mais de 21 anos quando isso aconteceu, Gloria não era um parente imediato. Sua mãe só poderia aplicar para um I-130 e Gloria um pegar um lugar na fila. Gloria permaneceu nos Estados Unidos à espera do boletim do visto para mostrar que era hora de solicitar um visto de imigrante. Após uma espera de 15 anos, a data de prioridade de Gloria tornou-se atual. Ela não podia candidatar-se a seu Green Card nos Estados Unidos porque não estava com um status, mas podia deixar os Estados Unidos e solicitar seu visto de imigrante em casa porque não tinha presença ilegal. Quando eu disse a Gloria que teria que partir, mas que ela poderia retornar aos EUA em cerca de duas semanas, ela ficou cautelosa. Mas ela confiou em nós e ela partiu para casa, que ela não via a quase vinte anos. O oficial consular viu que Gloria tinha um visto F-1 com "D/S" e sabia que, apesar da longa permanência nos Estados Unidos sem status, ela poderia obter o visto. O visto de Gloria foi aprovado e, neste fim de semana, voltou para a Geórgia. Ela agora é uma residente permanente legal dos Estados Unidos e pode viver sem medo. Esta é definitivamente uma situação em que você precisa conversar com um advogado de imigração experiente, antes de fazer uma viagem ao exterior para um visto de imigrante. Muitas peças diferentes que precisar estar no lugar certo para que isso funcione - e se não funcionar, você ficará preso fora dos Estados Unidos. Estamos muito felizes com Gloria e estamos orgulhosos de ter participado dessa viagem com ela! Tracie Klinke www.klinkeimmigration.com


VIVER

19


//Sci-Tech

Lixo espacial: limpeza é urgente! O lixo espacial é um problema premente na órbita da Terra. Existem milhões de objetos a voar pelo espaço, descontrolados, colocando em perigo satélites e astronautas.

E

m busca de uma solução para evitar uma colisão trágica para lá da última fronteira ou, quem sabe, o infortúnio de um qualquer detrito cair e atingir alguém na Terra, cerca de 200 cientistas reúnem-se todos os anos na Holanda, na base da Agência Espacial Europeia (ESA, na sigla original), para debater a limpeza do espaço e confrontar ideias sobre o desenvolvimento, por exemplo, de satélites mais seguros no fim de vida. Existem quase 8000 toneladas de lixo espacial em órbita, incluindo cerca 29.000 objetos com mais de dez centímetros e mais de um milhão pequenos demais para poderem ser seguidos. As colisões acontecem e todos os pedaços, mesmo os mais pequenos de apenas um milímetro, revelamse perigosos, sublinha a diretora do gabinete da ESA para a limpeza do espaço. “Devido à velocidade a que se deslocam, até os pedaços mais

pequenos, se atingirem qualquer outro corpo — um satélite em atividade, por exemplo —, podem provocar uma explosão e criar uma nova nuvem de lixo”, avisa Luisa Innocenti. Os cientistas reunidos na base da ESA representam donos de satélites, empresas de foguetões e agências espaciais. Todos concordam no que é preciso fazer. Luisa Innocenti adianta que “o problema do lixo espacial tem de ser resolvido de duas formas”. “A primeira, precisamos de parar de poluir o espaço; a segunda, temos de remover o lixo e os detritos [que por lá se acumulam há décadas].” Para desenvolver uma forma de gerir os detritos espaciais foi criada a missão E-DeOrbit. O objetivo é conseguir capturar um satélite descontrolado para evitar problemas maiores. Está a ser usado, atualmente, um robô e um satélite-modelo para aperfeiçoar a aproximação a um detrito espacial de grande envergadura. “Recorremos à câmara instalada no pequeno braço do robô para simular o movimento do satélite [recoletor] em torno do alvo, por exemplo, um satélite desativado que queremos desorbitar. Quando tivermos a certeza de que nos estamos a mover como um único objeto — como numa dança a dois, mas sem nos tocarmos — podemos mover os braços robóticos para prender no alvo o anel propulsor. Uma vez preso, podemos VIVER

20

ainda engatar outro mecanismo para dirigir o satélite desativado e tornar mais fácil traze-lo de volta à Terra, destruindo-o ao reentrar na atmosfera ou numa zona especial no sul do oceano Pacífico”, explica Jesús Gil Fernandéz, engenheiro de orientação, navegação e controlo na ESA. Outra abordagem em estudo no projeto E-DeOrbit envolve um género de redes de pesca lançadas para capturar grandes amontoados de lixo a deambular pelo espaço. “O conceito passa por imitar a arte dos pescadores no mar. Isto é, recorremos a uma grande rede, mantemo-nos afastados dos detritos que queremos recolher ou dos perigosos satélites descontrolados. A uma distância segura, tenta-se envolver o nosso alvo de captura com a rede. Como o movimento, por exemplo, de um satélite desativado é completamente imprevisível, as redes vão prende-lo e, nessa altura, podemos arrastar o objeto capturado no espaço para qualquer lado tal como os pescadores fazem no mar com os peixes”, explica Michéle Lavagna, professora de dinâmicas de voo no Instituto Politécnico de Milão. Neste momento, o projeto E-DeOrbit ainda não tem o financiamento e o apoio de que necessita para se lançar no espaço. Por isso, diversos satélites avaliados em vários milhões de euros continuam em perigo. E, claro, há também pessoas em risco. Tal como se via no aclamado filme de ficção “Gravidade”, a Estação


VIVER

21


Espacial Internacional necessita de constantes manobras para evitar perigosas colisões com detritos de apenas dez centímetros. Para proteger os astronautas dos detritos mais pequenos, que podem revelar-se fatais, engenheiros espaciais desenvolveram um género de escudo blindado. “Quando colidem no escudo, os detritos perfuram a primeira camada. O impacto provoca uma fragmentação e essa nuvem de detritos ainda mais pequenos é absorvida pela segunda camada, um estrato de fibras Nextel e Kevlar, que impede a perfuração da parte pressurizada onde habitam os astronautas”, revela Lilith Grassi, engenheira de sistemas na fabricante aeroespacial Thales Alenia Space. A necessidade de gerir o lixo espacial aumenta à medida que mais satélites são lançados. Há cerca de 2000 veículos espaciais ativos em órbitas terrestres baixas ou nas geoestacionárias. Os satélites mais distantes em fim de vida são encostados em órbitas-cemitério. Os mais próximos

regressam à Terra e fragmentam-se ao reentrar na atmosfera. Algumas partes destes veículos espaciais, como os painéis solares, ardem na reentrada, mas componentes mais resistentes feitos de aço e titânio atingem o solo. Os engenheiros estão a estudar os breves momentos do processo de reentrada de veículos espaciais na atmosfera, pensando no desenvolvimento de satélites que se desfaçam de forma segura e quando for mais conveniente ao Homem. “Penso ser possível criar um satélite que se desintegre na reentrada na atmosfera. É nisso que estamos a trabalhar. De momento, estamos apenas a dar os primeiros passos e a tentar compreender o que se passa com os materiais atuais. Depois vamos ver como os podemos melhorar ou como podemos desenvolver o ‘design’ e a conceção dos satélites, tentar perceber como as diferentes partes batem umas nas outras durante a reentrada para criarmos um satélite mais seguro no fim de vida e que crie o menor lixo

VIVER

22

possível no regresso à Terra”, afirma Benoit Bonvoisin, engenheiro de materiais da ATG ao serviço da ESA. Nas primeiras décadas da exploração espacial, não se pensou muito no lixo. Agora, há cada vez mais preocupação, sobretudo porque se está a gastar cada vez mais dinheiro na prevenção de colisões com satélites. Mas, afinal, quem são os maiores culpados pelo lixo espacial? “Todos poluíram”, responde Luis Innocenti. “Alguns países poluíram mais o espaço que outros, mas simplesmente porque estavam a fazer mais lançamentos. Não creio que possamos apontar o dedo e dizer quem são os bons e os maus. De acordo com a quantidade de lançamentos efetuados, assim terá sido também o nível de poluição gerado”, estima a diretora do gabinete da ESA para a limpeza do espaço. Daqui em diante, os novos satélites europeus terão de respeitar as linhas mestras e dar garantias de que o seu fim de vida está planeado e definido seja qual for o risco que se mantenha de haver colisões em órbita.


VIVER

23


VIVER

24


//viagens

Esta aldeia suíça paga 21 mil euros a quem quiser mudar-se para lá No dia 30 de Novembro, os habitantes de Abinen votaram num referendo para combater o despovoamento da aldeia, atribuindo subsídios a quem se comprometer ficar por lá por uma década (pelo menos).

Q

uando se pensa em viver numa casa plantada na colina, com as montanhas a dominar a vista, e onde os telhados se pintam de branco quando neva, o pensamento remete-se para imaginários cinematográficos. No entanto, este cenário tem tanto de idílico como de possível. A população da pequena aldeia de Albinen, situada no cantão de Valais, quer atrair todos aqueles que se sentem dispostos a viver na calmaria das serras. O objectivo é combater o êxodo, que tem levado, nos últimos anos, grande parte dos residentes para longe de Albinen. A mudança de famílias para outros locais levou ao encerramento da escola local. Assim, os habitantes de Albinen exigem que se faça algo para reverter a situação e o futuro da aldeia seja assegurado. Dos cerca de 250 habitantes daquele local, um terço assinou uma proposta apresentada ao Conselho Municipal, que será votada no final deste mês. Existe, no entanto, uma condição essencial para aqueles que desejem viver em Albinen: o subsídio só é atribuído a quem se comprometer a viver na localidade por, pelo menos, dez anos. As famílias que se mudarem para aquela

VIVER

aldeia receberão 25 mil francos (cerca de 21 mil euros) por adulto e 10 mil por criança (mais de 8 mil euros). Mas ainda há outros requisitos: os potenciais e futuros habitantes terão de ter menos de 45 anos e de comprar (ou construir) uma casa na aldeia que tenha o valor mínimo de 200 mil francos – perto de 170 mil euros –, que será a habitação principal. A proposta não prevê que o dinheiro seja devolvido – a menos que, claro, alguém saia de Albinen antes do prazo mínimo estipulado. Quanto a empregos, Beat Jost assegura existirem postos de trabalho nas cidades de Visp e Sion, a menos de 30 minutos de carro.

25


VIVER

26


VIVER

27


//SaÚDE

Saúde do homem: saiba como se prevenir contra o câncer de próstata Campanha chama a atenção para a necessidade de se discutir e conscientizar a população sobre a doença e textura da próstata, introduzindo o dedo protegido por uma luva lubrificada no reto. Esse exame permite palpar as partes posterior e lateral da próstata. O outro é um exame de sangue que mede a quantidade de uma proteína produzida pela próstata – Antígeno Prostático Específico (PSA). Níveis altos dessa proteína podem significar câncer, mas também doenças benignas da próstata.

E

m 2017, 61,2 mil casos de câncer de próstata devem ser diagnosticados no Brasil. Esse tipo de câncer é o segundo mais comum entre os homens, atrás apenas do câncer de pele não melanoma. Os dados do Instituto Nacional do Câncer (Inca) servem de alerta e reforçam a importância da população conhecer e discutir o assunto. Para conscientizar os homens, a campanha Novembro Azul chama a atenção sobre a doença. Confira as principais perguntas sobre a doença e saiba como se prevenir.

O que é o câncer de próstata?

Câncer de próstata é uma doença na qual ocorre o desenvolvimento de um tumor na próstata, uma glândula do sistema reprodutor masculino. Segundo o Inca, na maioria dos casos, ele cresce de forma lenta e não chega a dar sinais durante a vida nem a ameaçar a saúde do homem. Em outros casos, pode crescer rapidamente, espalhar-se para outros órgãos e causar a morte.

O que causa o câncer de próstata?

Por ser uma doença multifatorial,

Todos os homens devem realizar esses exames? a ciência ainda não conhece todos os fatores que levam à doença. No entanto, o risco aumenta com o avançar da idade. No Brasil, a cada dez homens diagnosticados com câncer de próstata, nove têm mais de 55 anos. Estudos recentes também mostram maior risco em homens com peso elevado e com histórico da doença na família.

Como prevenir?

Adotar práticas saudáveis como não fumar, evitar o consumo de bebidas alcoólicas e ter uma alimentação saudável ajudam a prevenir o câncer de próstata.

Quais são os sintomas?

Na fase inicial, o câncer de próstata pode não apresentar sintomas. Quando apresenta, os mais comuns são: dificuldade de urinar, sangue na urina, necessidade de urinar mais vezes. Havendo alguns desses sintomas, recomenda-se a realização de exames.

Quais os exames realizados para identificar o câncer?

Há dois exames: o de toque retal, no qual o médico avalia tamanho, forma VIVER

28

Alguns especialistas são contra, já outros são a favor de se fazer exames de rotina em homens sem sintomas, pois pode trazer tanto benefícios quanto riscos à saúde. Os riscos desses exames estão relacionados às consequências dos seus resultados, e não à sua realização. “Os exames podem resultar no falso positivo, o que pode levar a um excesso de exames, como a biopsia, que pode ter complicações desnecessárias para o paciente”, explica Arn Migowski, médico epidemiologista do Inca. O Ministério da Saúde, assim como a Organização Mundial da Saúde, não recomenda que se realize o rastreamento do câncer de próstata.

Tratamento

Caso a doença seja comprovada, o médico pode indicar radioterapia, cirurgia ou até tratamento hormonal. Para doença metastática (quando o tumor original já se espalhou para outras partes do corpo), o tratamento escolhido é a terapia hormonal. A escolha do tratamento mais adequado deve ser individualizada e definida após médico e paciente discutirem os riscos e benefícios de cada um.


VIVER

29


VIVER

30


VIVER

31


VIVER

32


VIVER

33


//cinema

“Coco”: o novo filme da Pixar é ou não uma crítica a Trump "Coco" tem um elenco de vozes bilingue e passa-se exclusivamente no México. Parece ser propositado mas o realizador diz que não é uma crítica a Donald Trump.

D

epois de Mulan, Pocahontas e Jasmine, o mundo dos filmes de animação voltou a apostar em histórias fora da Europa, com protagonistas não brancos e famílias fora daquilo a que chamamos convencional. A primeira a arriscar foi a Disney: Vaiana, a primeira princesa havaiana, chegou em 2016. Agora foi a vez da Pixar dar o passo em frente; e a altura não podia ser a mais certeira. “Coco”, o novo filme da Pixar, passase exclusivamente no México. E não, não é na Cidade do México, uma das mais populosas do mundo. Miguel, o protagonista, vive numa pequena aldeia, rodeado de antigas tradições e costumes típicos. A famosa produtora decidiu apostar num elenco de vozes bilingue, ou seja, as vozes da versão americana vão ser exatamente as mesmas da versão dobrada em espanhol. Além disso, o filme conta com um co-realizador latino e uma equipa técnica totalmente latina. O fato de “Coco” se passar no México não está a passar ao lado dos olhares

mais atentos, que rapidamente o conotaram como uma crítica a Donald Trump e às suas políticas: o presidente dos Estados Unidos teve como umas das principais promessas eleitorais a construção de um muro que separasse o seu país do México e parece querer levar a medida avante. Mas o realizador do filme diz que tudo não passou de uma feliz coincidência. Em entrevista ao El Español, Lee Unkrich revela que “Coco” começou a ser pensado há seis anos, quando ainda ninguém imaginava Trump na sala oval.

"

Acho que ‘Coco’ é um passo na direção que todos devemos seguir, mas não é esse o motivo pelo qual fiz o filme, ainda que seja maravilhoso que tenhamos esta oportunidade para contar este mundo e esta cultura às pessoas que não a entendem”, disse Unkrich. O realizador revelou que a principal inspiração surgiu do próprio dia em VIVER

34

que se passa o filme: o enredo gira à volta do rebelde Miguel, que sonha ser guitarrista e decide contrariar a tradição da família de proibir qualquer música no dia dos Fiéis Defuntos – día de los muertos, no México. “Quando propomos um filme às vezes ainda não sabemos que temas vai tratar, como neste caso, em que só tinha uma ideia de fazer alguma coisa no día de los muertos. Não sabíamos nada, nem a história nem as personagens”, contou Lee Unkrich. Unkrich, que também realizou “Toy Story 3”, acabou por se embrenhar na cultura mexicana e decidiu contar uma história que revelasse as nuances mais bonitas da tradição familiar naquele país. Quando questionado sobre se Miguel vai influenciar poucas crianças, por ser um protagonista tão específico, o realizador não tem dúvidas: “o filme fala de todos os miúdos que têm uma paixão e que querem ser algo que não os deixam ser”.


VIVER

35


VIVER

36


VIVER

37


VIVER

38


VIVER

39


//ARTE

O que mostra o quadro de Da Vinci que vale 450 milhões

"Salvator Mundi" é a obra de arte mais cara a ser vendida em leilão. Se isso não bastar para perceber a sua importância, saiba de alguns pormenores menos conhecidos que a tornam ainda mais especial.

2 3 1

4 5

Título: “Salvator Mundi” | Autor: Leonardo da Vinci (1452–1519) | Data: 1500 | Técnica: óleo sobre madeira de nogueira | Dimensões (cm): 45 x 66

O Último Da Vinci” — foi assim que a leiloeira Christie’s apresentou o quadro Salvator Mundi, obra do génio renascentista que estava dada como desaparecida há anos. Na cidade de Nova Iorque, enquanto Portugal dormia, este retrato de Jesus Cristo foi vendido por 450 milhões de dólares (380 milhões de euros) num

“duelo” entre quatro licitadores. O valor pago pela obra (o único dos 20 quadros existentes de Leonardo Da Vinci que está nas mãos de um privado) fez dela a mais cara de sempre a ser comprada em leilão, facto justificável não só por causa da sua importância mas também porque, pela primeira vez, a leiloeira apostou VIVER

40

milhares de dólares numa campanha de marketing mundial nunca antes vista. Mas, ao certo, o que faz deste Salvator Mundi (expressão em latim que significa “Salvador do Mundo” e que serviu de conceito base para variadíssimas pinturas, assinadas por diferentes autores, ao longo da História) algo tão relevante? A sua importância histórica, seguramente. Basta ver o seu percurso desde 1500, data em que terá sido concluída e entregue ao rei francês Louis XII, depois deste ter conquistado Milão e Génova. Passados 125 anos, o quadro seguiu para Inglaterra pela primeira vez quando a princesa Henrietta Maria de França casou com o rei Carlos I. É em solo inglês que se mantém durante décadas, apesar de nunca ter ficado parado no mesmo sítio: em 1651, dois anos depois da morte de Carlos I, o quadro é vendido por 30 libras e esse dinheiro é utilizado para pagar as dívidas do monarca. Mais tarde regressa à mão da família real britânica até que, em 1763, desaparece sem deixar rasto. No final do século XIX, este Da Vinci que muitos pensaram estar perdido para sempre reapareceu nos Estados Unidos, na coleção privada de Sir Frederick Cook. A 25 de junho de 1958 sabe-se que a obra regressa a Inglaterra e é colocada à venda num leilão da Sotheby’s. Apesar de ser apresentada como sendo uma obra de Boltraffio, italiano que terá trabalhado no estúdio de Leonardo, o quadro é vendido por 45 libras (cerca de 60 dólares, mais ou menos 50 euros) a alguém chamado “Kuntz”. Em 2005, o quadro volta a aparecer, sendo comprado por 10.000 dólares pelo marchand Alexander Parish. Sete anos mais tarde, o mesmo Parish vende a obra ao francês Yves Bouvier num leilão privado. Nesta altura, Bouvier pagou cerca de 75/80 milhões de dólares, mas pouco depois recebeu o retorno do investimento,


VIVER

41


tendo vendido o Salvator Mundi ao milionário russo Dmitry Rybolovlev por 127,5 milhões de dólares. É sabido que Leonardo da Vinci gosta de brincar com o seu público e até com os seus patrões, escondendo, muitas vezes, mensagens secretas em pormenores dos seus quadros. Salvator Mundi está longe de ter o conteúdo polémico de obras como a Virgem das Rochas, mas não é por isso que o autor desperdiça a oportunidade de fazer passar mensagens subliminares.

1

A mão direita, a mão da bênção

Em termos mais técnicos, a posição desta mão foi fulcral no processo de confirmar que esta obra era um original e não uma cópia (em 1650 foram feitos alguns facsimiles que se espalharam pela Europa). Quando ela chegou às mãos da National Gallery, técnicos da instituição britânica e da leiloeira Christie’s submeteram-na a uma bateria de exames. Um deles, a análise raio-x, mostrou que a posição do polegar que hoje se vê não é a original: Leonardo terá pintado esse dedo uns centímetros mais atrás mas não gostou do resultado, tendo pintado por cima e voltado a desenhar. As imagens obtidas hoje em dia mostram isso mesmo e, segundo especialistas da leiloeira, esse é um sinal forte de que esta não é uma cópia — o falsificador não só não saberia que havia outro desenho escondido debaixo do fundo como não o conseguiria replicar. Dois dedos juntos, semi-cruzados, acompanhados do polegar, também ele ereto. É mais que provável já ter visto este gesto em muitos quadros de inspiração religiosa cristã. O gesto em questão simboliza o ato de benzer e começou a ser utilizado nos primórdios do cristianismo. O símbolo remete à cultura romana, a um gesto que era associado a alguém que queria falar. Depois do Edito de Milão, em 313 A.C., quando Constantino despenalizou o cristianismo, esse movimento ganhou popularidade e, em pouco tempo, foi assimilado por esta nova religião que nascia.

2

A tela e o infinito

Outro elemento importante na confirmação da obra como

sendo de Leonardo da Vinci foi a tela. Em análises científicas realizadas pelos técnicos da Kress Program in Paintings Conservation foi possível perceber que ela é feita de madeira de nogueira, material muito utilizado pelo artista no período de tempo em que viveu em Milão. Deu ainda para perceber também que havia um nó muito grande nesta tábua. Com tempo, essa irregularidade fez com que a tela se separasse. Eventualmente, alguém terá retocado a imagem e consertado a fenda mas o resultado desta recuperação (que muito provavelmente foi feita de forma errada) deturpou a realidade da obra e isso explica a demora que houve em confirmar que este quadro era mesmo de Leonardo da Vinci. O fundo totalmente negro terá sido feito deliberadamente, para que todas as atenções se centrassem na imagem religiosa. Este efeito também tem contornos metafóricos, pois fazse a alusão de que nada mais importa sem ser Jesus Cristo.

3

Homem e mulher

4

A cor da verdade

Olhando para este rosto de Jesus Cristo é difícil identificar um traço masculino vincado, coisa que não acontece em outros retratos de homens feitos por Leonardo da Vinci (veja-se o famoso Homem Vitruviano, por exemplo). Teoricamente, estas feições mais andrógenas foram concebidas de propósito. Ao juntar traços masculinos com femininos o autor pretende colocar ambos os sexos em pé de igualdade, dando a crer que ambos estão em união perante o poder divino. Um dos testes essenciais no processo de autenticação de pinturas passa pela identificação dos pigmentos utilizados. Em laboratório, os técnicos isolam-nos e depois comparam-nos com registos de época, tentando perceber se o pigmento X era utilizado na época Y. No caso deste Salvator Mundi, a análise serviu não só para confirmar que sim, na altura em que Leonardo o pintou, estes eram os pigmentos utilizados, mas também houve outra descoberta que fortaleceu a comprovação. O azul da toga de Jesus VIVER

42

Cristo é feito a partir de lapis lazuli, rocha de cor azul forte que Leonardo Da Vinci adorava.

5

A esfera, o grande ponto de interrogação

Na mão esquerda da figura pintada vê-se uma esfera transparente apoiada na palma da mão estendida. Regra geral, a inclusão de um globo em pinturas religiosas (e não só) não significa nada de muito complicado: no traçado convencional, esta forma redonda costuma ter uma cruz em cima, simbolizando o domínio de Cristo sobre o mundo. O problema? A esfera deste Salvador Mundi não tem cruz. Esta constatação baralhou muitos dos estudiosos que analisaram a obra, levantando várias dúvidas sobre o que é que significava. Depois de muitos estudos, chegou-se a um consenso que também ajudou a comprovar que foi Leonardo a pintar este quadro. Segundo Martin Kemp, professor emérito de História da Arte em Oxford, o veredicto sobre esta forma conclui que ela é feita de cristal rochoso, porque tem algo a que os geólogos chamam de “inclusions”, pequenas falhas ou buracos na superfície do objeto. O que é que isto significa? Kemp defende que esta referência surge por causa das Esferas Celestiais, estruturas pensadas por astrónomos como Aristóteles ou Copérnico, onde supostamente circulavam as estrelas. Mas há quem veja nisto outro significado. Walter Isaacson, que escreveu a biografia Leonardo da Vinci (que será adaptada ao cinema em breve e terá Leonardo di Caprio como protagonista), diz que Leonardo “não pintou a distorção que deveria acontecer sempre que olhas através de um objeto redondo”, facto estranho, principalmente tendo em conta que Da Vinci se encontrava a desenvolver vários estudos sobre lentes na altura em que pintou este quadro. Isaacson é da opinião que o efeito ótico não foi retratado propositadamente: “Ele [Leonardo da Vinci] sabia muito bem o que tinha de fazer, mas escolheu não fazê-lo. Acredito que com esta suposta falha ele queria adicionar ao retrato de Jesus Cristo a noção de milagre.”


VIVER

43


VIVER

44


VIVER

45


VIVER

46


VIVER

47


Cinema

WONDER WHEEL Estreia: dia 1 Gênero: Drama Classificação: PG-13

THE DISASTER ARTIST Estreia: dia 1 Gênero: Biografia, Comédia, Drama, História Classificação: R

PADMAVATI Estreia: dia 1 Gênero: Drama, História, Romance Classificação: R

THE TRIBES OF PALOS VERDES Estreia: dia 1 Gênero: Drama Classificação: R

GANGSTER LAND Estreia: dia 1 Gênero: Crime, Drama Classificação: R

JUST GETTING STARTED Estreia: dia 8 Gênero: Ação, Comédia Classificação: PG-13

STAR WARS: THE LAST JEDI Estreia: dia 15 Gênero: Ação, Aventura, Ficção Científica, Fantasia Classificação: PG-13

FERDINAND Estreia: dia 15 Gênero: Animação, Comédia, Aventura, Fantasia, Família Classificação: PG

PERMANENT Estreia: dia 15 Gênero: Comédia Classificação: PG-13

JUMANJI Estreia: dia 22 Gênero: Ação, Aventura, Comédia, Família Classificação: PG-13

DOWNSIZING Estreia: dia 22 Gênero: Comédia, Drama, Ficção Científica Classificação: PG-13

FATHER FIGURES Estreia: dia 22 Gênero: Comédia Classificação: R

THE POST Estreia: dia 22 Gênero: Biografia, Drama, História Classificação: PG-13

HAPPY END Estreia: dia 22 Gênero: Drama Classificação: R

THE GREATEST SHOWMAN Estreia: dia 29 Gênero: Biografia, Drama, Musical Classificação: PG

PHANTON THREAD Estreia: dia 29 Gênero: Drama Classificação: R

VIVER

48


Agenda Até 7 Jan

MAKING AFRICA: A CONTINENT OF CONTEMPORARY DESIGN High Museum of Art 1280 Peachtree Street NE Atlanta, GA 30309 www.high.org

Até 6 Jan

Até 7 Jan

GARDEN LIGHTS HOLIDAY NIGHTS Atlanta Botanical Garden 1345 Piedmont Ave NE Atlanta, GA 30309 www.atlantabg.org

FANTASY IN LIGHTS Callaway Gardens 17800 US Highway 27 Pine Mountain, GA 31822 www.callawaygardens.com

Até 25 Fev

8-28 Dez

Até 3 Jan HOLIDAY IN THE PARK AT SIX FLAGS OVER GEORGIA Six Flags Over Georgia 7561 Six Flags Pkwy Austell, GA 30168 www.sixflags.com

SNOW MOUNTAIN Stone Mountain Park Highway 78 East Stone Mountain, GA 30086 www.stonemountainpark.com

THE NUTCRACKER Fox Theatre 660 Peachtree St NE Atlanta, GA 30308 www.atlantaballet.com

9-10 Dez

Até 3 Jan CHRISTMAS WITH THE ATLANTA SYMPHONY ORCHESTRA Atlanta Symphony Hall at Woodruff Arts Center Atlanta, GA 30309 www.atlantasymphony.org

Até 7 Jan

Stone Mountain Park Christmas Parade 1000 Robert E. Lee Blvd Stone Mountain, GA 30083 www.stonemountainpark.com

VIVER

49

GLADIATORS COMING TO FERNBANK MUSEUM Fernbank Museum of Natural History 767 Clifton Rd NE Atlanta, GA 30307 www.fernbankmuseum.org


VIVER

50


VIVER

51


VIVER

52

Viver Magazine December 2017  

The most popular Magazine among the Brazilian Community living in Atlanta, Georgia, United States.

Advertisement