Page 1

PROJETO BECKETT

RUTH MEZECK endereรงo: Rua Conselheiro Autran, nยบ35, apto 608, Vila Isabel, Rio de Janeiro email: rmezeck@uol.com.br :: celular: 00 55 21 93954039 :: telefone&fax: 00 55 21 22341344


PROJETO BECKETT - Dias Felizes O Projeto Beckett vem sendo desenvolvido pela atriz, performer e empreendedora cultural Ruth Mezeck, há cinco anos, visando a montagem do texto do autor irlandês, SAMUEL BECKETT, “Dias Felizes”, o qual juntamente com “Esperando Godot” e “Fim de Jogo” é uma de suas peças mais conhecidas e montadas no mundo todo. DIAS FELIZES, foi escrita em 1961 para a atriz Madeleine Renaud. A peça discute a senilidade e a fragilização do ser humano, a partir dos efeitos do tempo e as possibilidades de ainda ser feliz. A peça concebida em dois atos, aborda o cotidiano de uma mulher madura, Winnie, enterrada por um monte de terra num sol escaldante no meio de um deserto. No primeiro ato, ela está enterrada até a cintura e executa um longo monólogo com a platéia, contando histórias enquanto escova os dentes, se maquia, se penteia ou relembra o passado a partir de seus objetos pessoais guardados em uma enorme bolsa, vivendo assim um cotidiano quase comum. Willie, o marido, deitado atrás do monte, raramente intervém na cena. No segundo ato, Winnie está enterrada até o pescoço, agora restando-lhe a fala e a movimentação com os olhos, no fim de mais um dia quando ela diz alegremente, “este terá sido mais um dia feliz, apesar de tudo...”. SAMUEL BARCLAY BECKETT (*1906+1989) nascido num subúrbio de Dublin, na Irlanda, faleceu em Paris em 1989. Prolífico, além de peças para teatro, escreveu para o rádio e TV, e teve um relevante papel na literatura, através de romances como “Molloy”, “Malone Morre” e “O Inominável”, poemas, ensaios, tradução, contos e textos que escapam da classificação da moldura canônica dos gêneros. Recebeu o Premio Nobel da Literatura em 1969. Em 1963, escreveu, roteirizou e co-dirigiu com Allan Schneider, o curta-metragem “Film”, o seu único roteiro cinematográfico, protagonizado pelo astro do cinema mudo, Buster Keaton. ESTADO BECKETT (2007) O início de todo o processo do Projeto Beckett aconteceu em janeiro de 2007 no Casarão Austregesilo de Athayde com uma pesquisa de linguagem cênica para performance teatral. Esse trabalho fez parte da pesquisa desenvolvida pelo coreografo e diretor Guto Macedo “Teatro em Tempo Real”. A performer atuava em uma escadaria com os olhos vendados e com um saco de pão na cabeça. O trabalho utilizava fragmentos da peça “Dias Felizes” de Samuel Beckett, e tinha por título, ESTADO BECKETT - Dias Felizes.


Nesse ano, ESTADO BECKETT foi selecionado para apresentação nas escadarias externas do Circo Voador no Projeto MOLA 2007, e foi ainda apresentado nas escadarias do casarão da UNEI em Santa Teresa, durante o mês de junho/2007 no Arte de Portas Abertas, entre outros espaços alternativos. O JOGO DE BECKETT (2007 e 2008) O suporte técnico-teórico-artístico do curso “O Jogo de Beckett”, coordenado pela atriz, diretora/doutora em artes cênicas Isabel Cavalcanti dentro do Projeto CEAE, foi de fundamental importancia para o estudo e a pesquisa sobre o autor, dando ao Projeto Beckett subsídios teóricos e práticos para a pretendida montagem de “Dias Felizes”. O CEAE-Centro de Estudo Artístico Experimental, criado e coordenado pela atriz e diretora Ana Kfouri com o apoio do SESC-RJ, é um espaço dedicado para a pesquisa e a investigação artística. Durante dois anos, o curso propiciou aulas teóricas e práticas, com todas as etapas de um processo de montagem, exbição dos filmes das 19 peças, na íntegra, exibidos na mostra BECKETT ON FILM, e mais FILM escrito e roteirizado por Beckett. Além das pesquisas sobre o autor, estudo e pesquisa de suas peças para o rádio - Todos os que caem, Cinzas, Palavras e Música, Cascando, Esboço para Rádio I e II, peças para o teatro, especialmente a sua primeira peça,”Eleutheria”. TODOS OS QUE CAEM (2007) De abril a novembro de 2007, o grupo de estudos de Beckett pesquisou e montou “Todos os que caem”, primeira peça radiofônica de Samuel Beckett, com a primorosa tradução de Fatima Saadi e direççao de Isabel Cavalcanti, apresentada durante o mês de novembro no Teatro SESCTijuca. “Todos os que caem”, escrita em 1956, a pedido da BBC, é a primeira peça radiofonica do singular autor. Esse texto é peculiar, dentro da vasta obra beckettiana, pelo virulento tom de protesto existencial e religioso, começando pelo título da peça derivado de um salmo bíblico, alvo de escárnio pelo casal de protagonistas, a gorda Mrs. Rooney (interpretada pela atriz Ruth Mezeck) e o seu marido, Mr. Rooney, o velho cego Dan.


ELEUTHERIA (2008) De abril a novembro de 2008, continuando as pesquisas beckettianas, foi realizada a montagem do primeiro ato peça de Beckett, ELEUTHERIA, escrita em 1947, com dezesete personagens e três atos. Eleutheria significa “liberdade” em grego, e foi apresentada pela primeira vez no Brasil, no mês de novembro/2008 no SESC-Tijuca, na tradução de Inês Cavalcanti e direção de Isabel Cavalcanti. Nessa peça, aparecem vários personagens e situações que depois serão apresentados em suas peças posteriores (Esperando Godot, Fim de Jogo, A Última Gravação de Krapp, etc...). Beckett não gostava dessa peça. Ela só foi publicada em 1995, depois da sua morte. A peça até então permanecera inédita. Eleutheria zomba das convenções cômicas tradicionais, do melodrama e dialoga com Pirandello e Ibsen. DIZINBOLSA (2008 e 2009) O estudo e as pesquisas do texto Dias Felizes de Samuel Beckett continuavam paralelas ao curso de reciclagem do CEAE. Em março de 2008, aconteceu o segundo momento do work in process da peça Dias Felizes. A atriz continuou o processo iniciado em Estado Beckett, incluindo outras pesquisas cênicas e assumindo a direção e a criação, incorporou ao trabalho a performance com objetos - bolsas femininas de todos tipos, cores e tamanhos, fortemente inspirada na personagem Winnie de Dias Felizes. Introduziu no trabalho outras técnicas de atuação, descontruindo algumas dinâmicas do primeiro momento (Estado Beckett), e construindo outras para esse segundo momento, num processo de construção e descontrução, próprios da atitude investigativa, concretizando assim a performance/intervenção DIZINBOLSA. A criação e concepção de DIZINBOLSA surgiu a partir do curso OBJETO PEFORMANCE, com o ator, performer e artista plastico Nadam Guerra, na Escola de Artes Visuais do Parque Lage, durante os meses de março abril e maio de 2008.


DIZINBOLSA (2008 e 2009) O estudo e as pesquisas do texto Dias Felizes de Samuel Beckett continuavam paralelas ao curso de reciclagem do CEAE. Em março de 2008, aconteceu o segundo momento do work in process da peça Dias Felizes. A atriz continuou o processo iniciado em Estado Beckett, incluindo outras pesquisas cênicas e assumindo a direção e a criação, incorporou ao trabalho a performance com objetos - bolsas femininas de todos tipos, cores e tamanhos, fortemente inspirada na personagem Winnie de Dias Felizes. Introduziu no trabalho outras técnicas de atuação, descontruindo algumas dinâmicas do primeiro momento (Estado Beckett), e construindo outras para esse segundo momento, num processo de construção e descontrução, próprios da atitude investigativa, concretizando assim a performance/intervenção DIZINBOLSA. A criação e concepção de DIZINBOLSA surgiu a partir do curso OBJETO PEFORMANCE, com o ator, performer e artista plastico Nadam Guerra, na Escola de Artes Visuais do Parque Lage, durante os meses de março abril e maio de 2008. -DIZINBOLSA estréia na EAV do Parque Lage, em maio desse ano, seguindo-se apresentações em outros espaços: - RioArtmosfera nos mês de junho e julho/2008 - I Festival de Esquetes de Niterói, em agosto/2008. - Projeto MOLA (Movimento Livre de Artes) do Circo Voador, outubro/2008. - Festival de Curitiba, em março de 2009, temporada no Espaço Cultural FALEC, apresentação destacada pelo critico Macksen Luiz no Jornal do Brasil. SASSARICOS DA SASSAH (2009 e 2010) SASSARICOS ... é uma performance solo com a Clownesse Sassah Coco de La Merde, mais conhecida como a Palhaça Sassah (a atriz pesquisa e estuda a arte da palhaçaraia desde 1998), essa personagem foi criada pela atriz durante oo oito módulos de curso do saudoso Mestre Dacio Lima, um dos introdutores, no Brasil, das técnicas de jogo com máscaras e clowns. Esse trabalho é um exercício cênico na linguagem clownesca, resultante de uma pesquisa de linguagens cênicas (do butô ao clown), que vem sendo desenvolvida há alguns anos pela atriz/palhaça/peformer Ruth Mezeck.


Essa performance clownesca foi inspirada na personagem Winnie, de Dias Felizes de Samuel Beckett, sendo originária da primeira parte da performance DIZINBOLSA. - “Sassaricos da Sassah” estreiou em julho de 2009, selecionado para apresentação no II Festival Contemporâneo de Cenas Curtas, no Teatro Contemporâneo; - apresentação no Projeto Yacarepagua do SESC-ENEM -agosto/2009, e selecionado ainda para as seguintes apresentações:. - III Festival Internacional de Comicidade Feminina - Esse Monte de Mulher Palhaça, em setembro/2009, no SESC Copacabana; - Projeto MOLA/2009, durante o mês de outubro no Circo Voador; - VIII Festival Internacional Anjos do Picadeiro, em Florianopolis (de 23 a 30 de novembro/2009); Palhaça Sassah participou da palhaceata do festival e da Guerra de Palhaços na Praça do Mercado em Florianopolis, com a direção do palhaço espanhol Loko Brusca. - Teatro Barracão em fevereiro de 2010. espetáculo “Tardelia” - trabalho resultante da oficina de palhaçaria feminina com a atriz e palhaça Adelvane Néia. DIAS FELIZES - PROCESSO DE MONTAGEM (2010, 2011 E 2012) Em abril de 2010, o início da produção para a montagem do texto DIAS FELIZES de Samuel Beckett, com previsão de estréia para o segundo semestre de 2012. Na ficha técnica, profissionais competentes e experientes que acreditaram no projeto e aceitaram trabalhar nele, como Antonio Guedes na direção artística, Angel Vianna na direção de movimento, José Dias (cenografo e figurinista), Jorginho de Carvalho (iluminação - ainda não confirmado), Ivone Kassu (assessoria de imprensa) e Orlando Miranda (direção de produção). Atualmente, o Projeto Beckett está em fase de captação de recursos pelas leis de incentivo, e concorrendo a vários editais de patrocício de montagem - CCBB, Oi Futuro, SEC, Pr. M.Muniz, Eletrobras, Caixa Cultural, sendo que em alguns desses estamos concorrendo desde o ano passado.


ESTADO BECKETT SINOPSE Um homem com um espelho nas costas passeia com uma mulher. Ela tem um saco de papel de pão enterrado na sua cabeça e uma grande bolsa a tira-colo. Ele a conduz a uma escada espiralada, deixando-a ali sozinha sentada nos degraus. Ela age calmamente como se enxergasse tudo e estivesse fazendo os preparativos preliminares de uma saída ou de uma chegada. São longas paragens em contraste com pequenos movimentos bruscos que dissolvem os estratos temporais e produzem o presente dessa criatura de corpo paradoxal. É uma alusão às avessas a personagem WINNIE de DIAS FELIZES de Samuel Beckett que tem metade do corpo enterrado num monte de terra no primeiro asto e apenas a cabeça de fora e no segundo ato todo o corpo enterrado, movimentando apenas os olhos. As distâncias e as contradições entre a imagem e a ação constituem o motor da performance em que o cômico da superfície vai aos poucos cedendo a violência que se impõe a nós, cada vez que imaginamos o porque da face ocultada de Winnie. A performer trabalha com os olhos vendados para despertar no corpo os seus poderes de hiper-percepção e transformá-lo em máquina de pensar e articular palavras. Cria o presente se relacionando com todos os acontecimentos externos com o que lhe resta de percepção e constrói em si própria esse “fulgor” puro que se extrai do acontecimento como sendo o sentido do acontecimento que só a ele pertence.”(Deleuze, Logique du Sens.) O tempo da performance é marcado pela música eletrônica experimental How to destroy Angels do artista Belga Coil (16:45). No final, Winnie sobe ou desce as escadas e desaparece.

Foto de cena Estado Beckett, escadaria do casarão da UNEI, em Santa Teresa


DIZINBOLSA SINOPSE É um work in process da peça teatral Dias Felizes de Samuel Beckett, com um forte carater de intervenção e/ou performance, e que se propõe a uma interação singular com o espaço e o público. Em termos de linguagem cênica, “Dizinbolsa” pesquisa na prática as possibilidades expressivas da performance baseada em objetos, tendo como proposta cênica discutir questões como memória, identidade, autenticidade e representação. Vai contracenar com o publico, em alguns momentos, como se ele fosse o seu parceiro Willie na peça, comentando o que pressente ser o início de um “dia feliz”. A idéia desse trabalho surgiu na oficina Performance Objeto” ministrada por Nadam Guerra na EAV do Parque Lage, e na configuração da pesquisa e estudo dos textos de Samuel Beckett, que vêm sendo desenvolvidos há quatro anos pela atriz e performer. No primeiro movimento, a performer trabalha carregando, descarregando e manipulando muitas bolsas - todas são do seu uso pessoal. São bolsas de vários tamanhos, estilos, cores e materiais diferentes e, de dentro delas, vai retirando vários objetos. Um conjunto de signos icônicos,os mais inusitados, vão sendo descobertos guardados dentro de algumas dessas bolsas. Esses objetos trazem lembranças e impressões do passado, que desconstruidas e remontadas, sugerem uma reinvenção de si. E nesse movimento, ela vai “vestindo” as bolsas, “focalizando um outro aspecto da linguagem teatral pura que escapa à palavra, dessa linguagem por signos, por gestos e posturas que representem idéias, atitudes do espirito...” como disse Antonin Artaud em “A encenação e a metafísica”. “Dizinbolsa” é uma espécie de metáfora para as tentativas da mente de explorar suas próprias profundezas desconhecidas. O espectador, não sòmente é incitado à reflexão, mas a experimentar também a sua própria percepção visual, a sua forma de olhar.

Dizinbolsa no Festival de Curitiba

Ali naquele momento e naquele contexto, alguns objetos estão dissociados de sua função comum, levando o espectador a treinar o seu modo de olhar, trabalhando a sua forma de olhar e sentir, e de ver além do objeto. A PERSONAGEM E O PÚBLICO Agora em outro momento, vai contracenar com o publico, como se ele fosse o seu parceiro Willie na peça, comentando o que pressente ser o início de um “dia feliz”. vai atuar na persona de Winnie, numa alusão à personagem Winnie de “Dias Felizes” de Sam Beckett que tem o corpo enterrado num monte de terra e apenas a metade do corpo está á vista do público no primeiro ato, e no segundo ato da peça está enterrada até o pescoço, e mal consegue mover sua cabeça.


SASSARICOS DA SASSAH SINOPSE A “chiquerézima” Clownesse Sassah Coco de La Merde, vulgo Palhaça Sassah, muito conhecida no século passado nos cabarés parisienses e adjascencias européias, segundo o que ela conta, prepara-se para uma apresentação no Rio, embolsada - literalmente, isto é, vestida com as suas trocentas bolsas Essa apresentação é um pouco atrapalhada porque a Clownesse Sassah Coco de La Merde, é muito esquecida e desligada. Quando ela se distrai pensa que está se apresentando no Moulin Rouge em Paris, viajando no tempo e no espaço para o século passado, esquecendo que está no século 21. Ela começa cantar uma música em francês, esquece a letra, disfarça e parte para outro numero, o de relatar os seus famosos parentescos. Ela se diz prima em vários graus da famosa estilista Coco Chanel e tataratataraneta da Clownesse Cha-u-kao, que foi a principal musa inspiradora do pintor Toulouse Lautrec. Mas logo depois dessas digressões, ela vai enfatizar as suas origens brasileiras, gaucha-polaca-india dos pampas do Rio Grande, voltando ao seu passado e às suas reminiscenicas afetivas e familares. Ela vai contar uma historinha de sua infancia no campo, quando teve a origem do seu nome Sassah. A Palhaça Sassah adora reclamar de tudo, desde o taxi ou o ônibus que não parou para ela, dos buracos nas calçadas do Rio de Janeiro, aos preços dos “gêneros alimentícios” para a sua cachorrinha de estimação, a Greice Kelly. A Clownesse Sassah Coco de La Merde, como a Palhaça Sassah gosta de ser chamada, adora presentear o seu publico com os presentes mais inusitados. Guardados dentro das suas inseparáveis bolsas, muitos “cadeaux” para o seu querido publico, todos comprados em Paris, segundo ela. E no final de sua apresentação ela vai regalar o seu público, distribuindo esses presentes especiais.


TODOS OS QUE CAEM

Dizinbolsa no Festival de Curitiba


CURRICULO RUTH PAULA MEZECK Nome artístico: .R U T H M E Z E C K ***Formação profissional: T E A T R O * Bacharel em arte dramática pelo Instituto de Artes da UFRGS, em Porto Alegre-RS. * Curso de interpretação (Método Lee Strassberg) com o ator e diretor americano ROBERT LEWIS. * Workshop de duas semanas com a atriz JULIANA CARNEIRO DA CUNHA, do Théatre du Soleil, dezembro de 1996, no Rio. * Curso de Contadores de Historias patrocinado pelo Projeto Proler na Casa de Leitura de Laranjeiras, durante todo o ano de 1997, com Augusto Pessoa, José Mauro Brant, Francisco Gregorio e Fatima Café. * Curso de clown com o professor e diretor DÁCIO LIMA, de agosto a dezembro de 1998, e janeiro, julho, agosto e setembro de 1999, no Centro de Estudos Artísticos - C.E.A. * Oficinas de palhaços, com a Palhaça Margarita, Palhaço Xuxu, Palhaço Giramundo, As Marias da Graça, Adelvane Néa da UNICAMP, e com a mestra canadense Sue Morrison. * Workshop de mimesis corporal com a atriz CRISTINA COLA, do Grupo LUME, da UNICAMP; * Técnicas de clown e bufão no curso “O ator transparente”, com a atriz e mestra de interpretação pela USP, JULIANA JARDIM, com o patrocínio do Nucleo de Pesquisa do Ator da UNIRIO, de maio a novembro de 2002; * Butô com o mestre TADASHI ENDO - bailarino de butô, coreografo e diretor do MAMU Butoh Center, em Göttingen, Alemanha - na CAL, outubro 2006. * Oficina clown butô com o palhaço americano MOSHE COEN, no Festival Internacional de Circo, Anjos do Picadeiro 5, dezembro de 2006. * Durante dois anos (2007 e 2008) integrou o grupo de estudos de Beckett (O jogo de Beckett) dirigido pela atriz e diretora Isabel Cavalcanti, no Centro de Estudo Artístico Experimental-CEAE, coordenado pela Ana Kfuri, no SESC-Tijuca. ***Formação profissional: DANÇA == Curso técnico de Recuperação Motora e Terapia Através da Dança, na FAV- Fac. e Esc. Angel Vianna. (1994 a 1996). == Curso livre de conscientização corporal e pesquisa do movimento com a Mestra ANGEL VIANNA, na Fac. e Escola Angel Vianna, desde 1987..


== Método LABAN para atores e bailarinos, com a bailaina e coreografa REGINA MIRANDA (primeiro semestre de 1995) e segundo semestre com Marina Miranda na Faculdade da Cidade. *** CURSOS NO EXTERIOR: -- CUBA - Oficina com GUILLLERMO ANGELELLI, do grupo argentino “El Clú del Clown” durante o Festival e o XXII Congresso Internacional de Teatro- Habana/1987. -- PARIS - Curso e estágio com om o grupo francês “A FLEUR DE PEAU”, em três módulos - de julho a dezembro de 1993.O grupo é um dos pioneiros no desenvolvimento das técnicas de dança-teatro na Europa. -- PARIS - curso de interpretação (vaincre le trac - o equilíbrio do ator) com ator e diretor JEAN MERMET, na Cité Internationale Universitaire de Paris - janeiro/1994. -- PARIS - Oficina de voz e interpretação com o ator polonês JAN PESZEK - maio e junho de 1994. *** PARTICIPAÇÃO EM EVENTOS INTERNACIONAIS DE TEATRO: - XII Fest. Internacional de Teatro de Bonecos e Congresso da UNIMA, em Washington (USA), maio de 1980, como jornalista convidada, representando o Brasil, através do Ministério da Educação e Cultura. - IV Festival de Teatro Latino-Americano e XII Congresso Internacional de Teatro, em Habana-Cuba, maio de 1987, participação independente como jornalista convidada. - IXa. Semana de Cultura Santiaguera, em Santiago de Cuba, junho de 1987, participante convidada pela Casa de Cultura Caribeña e pelo grupo teatral santiaguense, Cabildo Teatro. - X Festival Mondial des Théatres de Marionettes, em Charleville-Mézières, França, participante convidada pela A.B.T.B.-Brasil - março de 1994. - Coordenação e lançamento no Rio de Janeiro dos espetáculos internacionais participantes do I Festival Internacional de Teatro promovido pela atriz Ruth Escobar, em São Paulo - junho de 1978. - Coordenação e lançamento no Rio de Janeiro do III Festival Internacional de Teatro, idealizado e organizado pela diretora Nitis Jacon, em Londrina (Paraná), julho de 1989.


*** PRÊMIOS -- IV Festival Nacional de Teatro do Estudante, em Porto Alegre, “Dez Melhores Atrizes”, premiada juntamente com Lilian Lemmertz, Yara Amaral, Lala Schneider, entre outras atrizes, no festival organizado e criado por Paschoal Carlos Magno. -- “Destaque Feminino em Teatro”, no Rio Grande do Sul, pelo Correio do Povo e Folha da Tarde. -- Prêmio Mutirão, concedido pela Associação Paulista de Apoio ao Teatro Infanto Juvenil, para personalidades que contribuiram para o desenvolvimento do teatro infanto-juvenil no País, durante o ano de 1981. *** Atividades profissionais como A T R I Z, do final dos anos 60 até 1975, principais espetáculos: :--- O CIRCULO DE GIZ CAUCASIANO, de Bertolt Brecht; O BURGUES GENTILHOMEM, de Moliere; NATAL NA PRAÇA de Henri Ghéon; VIÚVA PORÉM HONESTA, de Nelson Rodrigues; CATARINA DA RUSSIA de Alfonso Passos; O AVARENTO, de Molière; ODORICO, O BEM-AMADO, de Dias Gomes; A CASA DE BERNARDA ALBA, de F. G. Lorca; SERMÃO PARA UM MACHÃO, de George Bernard Shaw; A TORRE EM CONCURSO, de Joaquim Manoel de Macedo; O ATELIER DE ZAZÁ , de Georges Feydeau ; A FARSA DA BOA PREGUIÇA, de Ariano Suassuna; O ELEFANTE, criação coletiva do Grupo Mixirico, a partir do poema de Carlos Drummond de Andrade. OBS. A partir de setembro de 1974, interrupção na carreira de atriz para exercer outras atividades fora dos palcos , sempre na área, “atrás do pano”. Mas continuou pesquisando e estudando em busca de outras expressões artísticas. Volta aos palcos em maio de 1991, e agora com outras performances, além de ATRIZ, cozvvmeça a atuar como BAILARINA, CONTADORA DE HISTÓRIAS, PERFORMADORA, PALHAÇA e EMPREENDEDORA CULTURAL. Entre os principais trabalhos da nova fase, destaque para: == A DIVINA COMÉDIA, de Dante Alighieri, espetáculo multi-mídia, dirigido pela bailarina e coreografa REGINA MIRANDA, apresentado nos porões, jardins e salas do Museu de Arte Moderna, em abril de 1991 == A DESORDEM, espetáculo de dança e teatro, adaptação de “O homem sem qualidades”, de Robert Musil, concepção e direção de REGINA MIRANDA, março de 1992, apresentado no Teatro Municipal do Rio; == DANÇANDO O DIA A DIA, espetáculo de dança contemporânea, dirigido por ANGEL VIANNA, com o grupo “Profissionais Liberados”(grupo formado nas aulas de Angel Vianna no curso livre de conscientização corporal da FAV), no Circo Voador e teatros no interior do Rio de Janeiro, de 1989 a 1992. == MADAME BOVARY - Les Comices Chap.8, de Gustave Flaubert, atuou como atriz convidada desse espetáculo apresentado em francês,


na Aliança Francêsa de Botafogo, com direção e adaptação do professor, ator e diretor SAVAS KARYDAKIS, setembro a novembro de 1993. == STUDIO 21 - Rue Bichas n. 21, local de apresentação do espetáculo de conclusão do curso do grupo “A Fleur de Peau”, em Paris, dezembro de 1994. == AO PÉ DA FOGUEIRA, grupo de contadores de histórias criado com cinco colegas professoras, em abril de 1997, a partir das oficinas do Projeto ProLer na Casa de Leitura de Laranjeiras. O grupo teve uma profícua existencia de quasi três anos contando histórias para crianças e adultos, em hospitais, orfanatos, escolas, etc... == NOVOS NARIZES, espetáculo exercício, dirigido pelo diretor e professor DÁCIO LIMA, resultante conclusão dos nove modulos curso de clown, apresentado em dezembro de 1998 no Centro de Estudos Artísticos-CEA, do Teatro do Gesto. == ANJOS DO PICADEIRO 3, participa do espetáculo de abertura do Festival Internacional de Palhaços, em dezembro de 2000, no Teatro Dulcina, a convite da master-class de clown Angela de Castro, diretora desse espetáculo. == DIVINA CURRIOLA, de março de 2001 a setembro 2002, integra o grupo dedicado a pesquisa do folclore brasileiro e instrumentos de percussão, com apresentações do espetáculo de dança “Cacuriá” em eventos politico-culturais nas comunidades, associações de bairros na capital, e nos acampamentos do M.S.T. no interior do Estado do Rio. == PEER GYNT, com direção de ANTONIO GUEDES, no Teatro SESC-Tijuca, no projeto Palco de Experimentação, durante o mês de outubro de 2003. == TODOS OS QUE CAEM, peça radiofonica de Samuel Beckett no Teatro SESCTijuca, em dezembro de 2007. Interpreta o principal personagem feminino na montagem do grupo de estudos “O jôgo de Beckett”, com direção de Isabel Cavalcanti. == ELEUTHERIA, primeira peça escrita por Samuel Beckett, dirigida por Isabel Cavalcanti, numa montagem inédita no País, apresentada durante o mês de novembro/2008 no SESC-Tijuca. == ESTADO BECKETT, um exercício cênico livremente inspirado na peça “Dias Felizes” de Samuel Beckett, direção do coreografo e diretor teatral Guto Macedo, apresentado no Projeto MOLA/2007, e em outros espaços alternativos. == DIZINBOLSA, performance com objetos, inspirada em “Dias Felizes” de Beckett, criação, direção e atuação da atriz, apresentada no Projeto MOLA/2008, no Festival de Esquetes de Niterói, entre outros espaços alternativos e no Festival de Curtiba/2009, com menção destacada do critico Macksen Luiz para o Jornal do Brasil. == SASSARICOS DA SASSAH, uma performance solo em linguagem clownesca, livremente inspirada na personagem Winnie de “Dias Felizes” Criação direção e atuação da atriz/palhaça Ruth Mezeck. Esse trabalho estreiou em julho/2009 no II Festival de Cenas Curtas do Teatro Contemporâneo, e em setembro no Projeto Yacarepagua do SESC-ENEM, e foi selecionado para apresentação no III Festival Internacional de Comicidade Feminina – Esse Monte de Mulher Palhaça, no SESC-Copabana, Projeto MOLA do Circo Voador em outubro de 2009, e participação no 8o. Anjos do Picadeiro, em Florianópolis. Em fevereiro de 2010 no Teatro Barracão, em Campinas, “Tardelia” espetáculo de palhaçaria feminina resultante do curso ministrado pela atriz e palhaça Adelvane Néia.


*** CURRICULO ADICIONAL: * Durante cinco anos, de 2001 a 2005, trabalhou com crianças e adolescentes com necessidades especiais na FUNLAR de Vila Isabel, órgão da Sec. de Desenv. Social da Prefeitura, contratada pela FAV, após o estagio da sua formação em Recuperação Motora e Terapia Através da Dança dentro do Projeto Angel Vianna, nessa instituição. * Técnica em artes cênicas e jornalista com atuação profissional em várias instituições. * Integrante do nucleo fundador do Circo Voador (1982 a 1984), juntamente com Perfeito Fortuna, Marcio Calvão, Mauricio Sette e Alice Andrade, sendo a responsável pelo lançamento e a divulgação do Voador no Arpoador, em janeiro de 1982. * Diplomada em lingua e literatura francêsa pela Aliança Francesa de Porto Alegre. * Esteno-datilografa em francês e português, com adaptação própria para o francês do Método Leite Alves. Rio de Janeiro, novembro de 2011. E-mail: rmezeck@uol.com.br / mezeck7@gmail.com Weblog: http://artescenicas.blogspot.com (Teatro Etc & Tal)

Projeto Beckett  

Portofolio de Ruth Mezeck 2011

Read more
Read more
Similar to
Popular now
Just for you