Page 1

A minha vida ...ou o que ainda me lembro dela por Rui Silva


Indíce Geral

Introdução A minha vida em 5 dedos Percurso da minha vida Infância Adolescencia Vida Adulta Actualmente Projectos Futuros Conclusão Referências Bibliográficas

1

2 2 3 4 5 6 6 6 7


Introdução A minha vida em 5 dedos

Realização Pessoal A nossa Realização Pessoal engloba variadíssimos aspectos, tais como a felicidade, o nosso bem estar, assim como o da nossa familia mais próxima, pais, irmãos, esposas namoradas... A concretização dos nossos sonhos, o reconhecimento do que fazemos no nosso trabalho, no nosso dia a dia por parte dos outros. A nossa realização pessoal é muito importante para nos sentirmos bem com nós próprios


Percurso da minha vida... A minha Infância No ano de 1979, a 7 de Março, nasceu Rui Manuel Morais da Silva, no Hospital de Espinho, filho de Maria Morais Pinto da Silva e Manuel Augusto Pinto da Silva. Sou o filho mais novo, tenho um irmão com mais 10 anos do que eu, ambos os meus pais trabalhavam, a minha mãe como esmaltadeira até aos meus 5 anos, depois a empresa fechou e ela ficou desempregada; o meu pai trabalhava como serralheiro/torneiro mecânico numa serralharia durante uns anos, depois foi para uma empresa de abrasivos em Reomeão (onde mais tarde eu viria a trabalhar), até atingir a idade da reforma. Durante o meu início de vida, até aos meus 5 anos, fui criado por uma ama (a minha “outra mãe”), enquanto os meus pais ainda trabalhavam. Como qualquer criança gostava de brincar com os meus amigos, jogar ás escondidas, a apanhada, … , e claro está, como qualquer rapaz, adorava jogar á bola. Brincava com os meus vizinhos e amigos na rua, na escola, nos pinhais e nos milheirais (a jogar aos “ninjas” e aos indios). Aos 6 anos teve início o meu percurso escolar, na escola primária de Silvalde, assim como, por influência dos pais, comecei a frenquentar a catequese no Centro Paroquial de Silvalde. Conheci novas pessoas e fiz mais “amigos”. Enquanto frequentei o ensino básico, aprendi a ler, a fazer contas, os rios de portugal e também um pouco sobre a nossa história, aprendi a desenhar e não só a fazer “rabiscos“. Da primária recordo-me de pouca coisa, que no meu primeiro ano frequentei uma escola velhinha, que foi demolida para dar lugar ao actual edifio da junta de freguesia e posto médico de Silvalde, no segundo ano, foi para uma escola nova em folha, com salas maiores e melhores condições. Recodo-me também do aparecimento dos ovos “Kinder”. As aulas eram um castigo, e á moda antiga, castigos brindads com réguadas valentes por bom comportamento. Gostava de tudo na escola, menos de estar fechado, adorava quando tinhas matematica, era a unica coisa que me esforçava e tinha vontade de estudar, nas outras disciplinas só o suficiente para ter uma avaliação razoável que permiti-se não ser castigado pelos meus pais. Aos 10 anos mudei de escola, para a antiga Domingos Capela em Espinho, passei para o quinto ano e uma mudança na forma como aprendia, muitas disciplinas e todas elas com professoras e salas diferentes. Aprendi a fazer trabalhos manuais, a trabalhar com barro, com madeira,e também a fazer tapetes... E comecei a aprender a falar e escrever em Inglês. Novos desportos, andebol, basquetebol e uma pequena passagem como jogador de hoquei em campo, mas muito curta, como já usava oculos era dificil e perigoso continuar.

3


Adolescência Tive aquilo que acho ser uma adolescência normal, escola, brincadeiras, amigos, castigos... E pela primeira vez sai do meu País, um mês inteirinho, sem os papás a controlar. Fui visitar os meus padrinhos na Alemanha, passar o Natal com eles, andar pela primeira vez de avião, conhecer uma cultura completamente diferente da portuguesa, ter de acordar bem cedinho para limpar a neve dos passeios e da entrada, e ver a neve cair durante dias. Aos 13 anos voltei a mudar de escola, desta vez para a Escola Secundária do Dr. Manuel Gomes de Almeida também em Espinho, para frequentar o 7º ano, novos professores e algumas novas disciplinas. Vim para uma escola com condições totalmente diferentes, escola maior com alunos bastante mais velhos do que eu, com os mesmos colegas de turma que no ciclo, com cantina, na qual não precisava ir a correr para ter tempo de almoçar e chegar a tempo da aula seguinte. Aos 15 anos tive a minha primeira expriencia como “trabalhador”, um mês durante as férias escolares a trabalhar como “aprendiz de serralheiro/torneiro mecânico”. Fui trabalhar para a oficina de um amigo do meu pai, foi uma experiencia engraçada, chegar ao fim do mês e ter dinheiro ganho por mim. Inicialmente aprendi a limpar e a lubrificar o serrote mecãnico e o torno e depois a cortar e fazer as patelas para os teares. Aos 19 anos terminei os meus estudos; 12º ano na área de Administração, faltando para a conclusão do curso a aprovação nas disciplinas de Alemão e Introdução ao Desenvolvimento Económico Social.


Vida Adulta Nessa altura iniciei a minha vida activa, numa empresa de abrasivos, como aprendiz de torneiro mecanico, onde aprendi a retificar e fazer formas/moldes. Nesta função tinha que preparar todas as formas para a produção de discos de corte e desbaste para as rebarbadeiras, tinha de retificar no torno todas as formas e fazer o polimento das mesmas, assim como para os moldes das mós taça, usadas pelos marmoristas para darem forma aos granitos e mármores. Durante os seis meses em que trabalhei nesta empresa, aprendi também que o trabalho e produção dos outros dependia de mim, o que era trabalhar para uma equipa e principalmente, o que era ser “adulto” e estar “fechado” 8 horas por dia. Já com 20 anos mudei de empresa e de trabalho, iniciei actividade na area de assitência técnica a electrodomésticos e ar condicionado. Tive pequenas formações na marca que representávamos, aprendizagens básicas no funcionamento dos electrodomesticos e do ar condicionado. Aprendi a detectar e reparar avarias, a soldar tubos de cobre. Nas máquinas de lavar, roupa e louça aprendi como é o seu funcionamento, qual o circuito e nível de água, as temperaturas de lavagem e secagem quando necessário, o funcionamento de todos os componentes das mesmas e que na maior parte das vezes as avarias são provocadas por uma utilização incorrecta por parte do utilizador. Nos equipamentos de Ar Condicionado, aprendi todo o processo, desde o cálculo da capacidade mais adequada para o local onde vai ser instalado, como se instala, abertura de rasgos nas parades quando necessário, fixação do equipamente, ligações da parte eléctrica e da parte de gás. Detetar e reparar eventuais avarias, quer nos componentes do circuito de gás, ou no circuito eléctrico e electrónico, e a sua manutenção para um funcionamento mais eficaz.

5


Actualmente Actualmente estou à procura de emprego, a tentar concluir o 12ºano de escolaridade e tirar a certificação como electromecãnico de frio. Tenho enviado curriculos para várias empresas no ramo da climatização, quer para trabalhar em portugal ou no estrangeiro, estou inscrito no Centro de Emprego onde ainda aguardo por alguma possivel proposta de trabalho. Tenho respondido a anúncios de jornais, e as emails recebidos atraves do net-empregos, mas tenho reparado que o pedido nos anúncios, não corresponde inteiramente ao exigido por parte dos anunciantes (ex: nos anuncios pedem tecnicos de ar condicionado e quando somos chamados para as entrevistas, tbm querem, quase sempre alguém também para trabalhar na área do gás natural). Enquanto não aparece nada mais certo, tenho-me entretido em casa, na agricultura, a ajudar os pais quando necessário, a fazer caminhadas, a tomar conta das minhas sobrinhas quando estão em minha casa, a ver televisão, a navegar na internet e a aprender alguma coisa sobre programação PHP, Java, mysql, para gestão de jogos e sítios online.

Projectos Futuros Actualmente estou a iniciar a conclusão do 12º ano de escolaridade através do programa das Novas Oportunidades para poder fazer a certificação de electromecãnico de frio nível4 (TIM4) e também a certificação de qualidade de ambiente interior (QAI), para possivelmente com uma menor dificuldade encontrar trabalho na área que gosto.

Conclusão INTERNET COMPUTADORES TEIMOSO SIMPÁTICO TÍMIDO LER TELEVISÃO CALMO Eu sou uma pessoa calma que gosto de me divertir, de ler para me manter actualizado, gosto de estar no computador, navegar na internet, para me distrair, para aprender e também para me refugiar um pouco. Considero-me ser uma pessoa calma e teimosa, gosto de levar a minha maneira de fazer as coisas avante, apesar de por vezes depois reconhecer que não é forma mais acertada. Gosto da área em que trabalho (ou trabalhava), gosto de fazer as coisas com calma e o mais perfeito possível, em algumas situações, quando não mo permitem, recuso-me a fazer. Como todas as pessoas tenho os meus sonhos que procuro realizar no meu dia.


Referências Bibliográficas

7

vida  

teste, vida

Read more
Read more
Similar to
Popular now
Just for you