__MAIN_TEXT__

Page 50

ECONOMIA

ÍNDICE VL E ÍNDICE VL – ERVA

“MANTÉM-SE A INSTABILIDADE NA PRODUÇÃO DE LEITE” ANTÓNIO MOITINHO RODRIGUES, DOCENTE/INVESTIGADOR, ESCOLA SUPERIOR AGRÁRIA DO INSTITUTO POLITÉCNICO DE CASTELO BRANCO CARLOS VOUZELA, DOCENTE/INVESTIGADOR, DEPARTAMENTO DE CIÊNCIAS AGRÁRIAS DA UNIVERSIDADE DOS AÇORES/IITAA NUNO MARQUES, REVISTA RUMINANTES

A

nalisamos neste número da Ruminantes os Índices VL e VL - ERVA para o período de agosto a outubro de 2018. Durante o trimestre em análise, o preço médio do leite pago aos produtores individuais do continente variou entre 0,301 €/kg em agosto e 0,315 €/kg em outubro. Na Região Autónoma dos Açores o preço médio do leite pago aos produtores individuais variou entre 0,292 €/kg em agosto e 0,300 €/kg em outubro (SIMA-GPP, 2018). Quando comparado com o preço médio pago por kg de leite aos produtores da UE28 em agosto, setembro e outubro (0,348 €/kg), o preço médio do leite pago aos produtores portugueses no mesmo período foi muito inferior (0,303 €/kg). Esta grande diferença de 4,5 cêntimos/kg de leite seria funda-

mental para o sucesso económico de qualquer exploração em Portugal. A situação é de tal forma grave que, no mês de outubro de 2018, Portugal integrou o grupo dos 6 países da UE28 com valores mais baixos para o leite pago ao produtor. Considera-se que esta situação que tem vindo a acontecer há vários meses é inaceitável. Relativamente ao trimestre anterior, com exceção da cevada, o preço médio das matérias-primas que entraram na formulação dos alimentos compostos utilizados neste trabalho sofreram uma diminuição. Destacam-se o bagaço de soja (-10,7%) e o bagaço de colza (-15,5%). No continente, a redução do preço das matérias-primas e da palha relativamente ao trimestre anterior provocou uma diminuição no custo da alimentação da vaca leiteira tipo

EVOLUÇÃO DO ÍNDICE VL DE JULHO DE 2012 A OUTUBRO DE 2018

(-4,8%). Na Região Autónoma dos Açores, o preço do alimento composto também diminuiu (-4,6%). No entanto, como a partir de setembro o regime alimentar da vaca tipo inclui menor consumo de pastagem e maior consumo de alimento composto e de alimentos conservados, verificou-se um aumento de 5,4% no custo total do regime alimentar em comparação com o trimestre anterior. Este aumento, também, foi influenciado pelo aumento de preço das silagens de erva e de milho, como consequência das condições climatéricas desfavoráveis à produção de pastagem que ocorreram na Região Autónoma dos Açores (primavera/verão de 2018). A evolução do preço do leite e dos custos da alimentação refletiu-se no Índice VL e no Índice VL - ERVA que em

Valor do Índice VL

Limiar de rentabilidade

Negócio saudável

Forte ameaça para a rentabilidade da exploração

2,0

1,5

1,0

Julho 2012

Outubro 2018

O ÍNDICE VL É INFLUENCIADO PELA VARIAÇÃO MENSAL DO PREÇO DO LEITE PAGO AO PRODUTOR NO CONTINENTE E PELAS VARIAÇÕES MENSAIS DOS PREÇOS DOS ALIMENTOS QUE CONSTITUEM O REGIME ALIMENTAR DA VACA LEITEIRA TIPO (CONCENTRADO 9,5 KG/ DIA; SILAGEM DE MILHO 33 KG/ DIA; PALHA DE CEVADA 2 KG/DIA). 2 1.9

50

ruminantes janeiro .fevereiro .março 2019 1.8

1.7 1.6

Profile for RUMINANTES

Ruminantes 32  

Edição nº32/2019 A revista da Agropecuária

Ruminantes 32  

Edição nº32/2019 A revista da Agropecuária

Advertisement