Ruminantes 32

Page 50

ECONOMIA

ÍNDICE VL E ÍNDICE VL – ERVA

“MANTÉM-SE A INSTABILIDADE NA PRODUÇÃO DE LEITE” ANTÓNIO MOITINHO RODRIGUES, DOCENTE/INVESTIGADOR, ESCOLA SUPERIOR AGRÁRIA DO INSTITUTO POLITÉCNICO DE CASTELO BRANCO CARLOS VOUZELA, DOCENTE/INVESTIGADOR, DEPARTAMENTO DE CIÊNCIAS AGRÁRIAS DA UNIVERSIDADE DOS AÇORES/IITAA NUNO MARQUES, REVISTA RUMINANTES

A

nalisamos neste número da Ruminantes os Índices VL e VL - ERVA para o período de agosto a outubro de 2018. Durante o trimestre em análise, o preço médio do leite pago aos produtores individuais do continente variou entre 0,301 €/kg em agosto e 0,315 €/kg em outubro. Na Região Autónoma dos Açores o preço médio do leite pago aos produtores individuais variou entre 0,292 €/kg em agosto e 0,300 €/kg em outubro (SIMA-GPP, 2018). Quando comparado com o preço médio pago por kg de leite aos produtores da UE28 em agosto, setembro e outubro (0,348 €/kg), o preço médio do leite pago aos produtores portugueses no mesmo período foi muito inferior (0,303 €/kg). Esta grande diferença de 4,5 cêntimos/kg de leite seria funda-

mental para o sucesso económico de qualquer exploração em Portugal. A situação é de tal forma grave que, no mês de outubro de 2018, Portugal integrou o grupo dos 6 países da UE28 com valores mais baixos para o leite pago ao produtor. Considera-se que esta situação que tem vindo a acontecer há vários meses é inaceitável. Relativamente ao trimestre anterior, com exceção da cevada, o preço médio das matérias-primas que entraram na formulação dos alimentos compostos utilizados neste trabalho sofreram uma diminuição. Destacam-se o bagaço de soja (-10,7%) e o bagaço de colza (-15,5%). No continente, a redução do preço das matérias-primas e da palha relativamente ao trimestre anterior provocou uma diminuição no custo da alimentação da vaca leiteira tipo

EVOLUÇÃO DO ÍNDICE VL DE JULHO DE 2012 A OUTUBRO DE 2018

(-4,8%). Na Região Autónoma dos Açores, o preço do alimento composto também diminuiu (-4,6%). No entanto, como a partir de setembro o regime alimentar da vaca tipo inclui menor consumo de pastagem e maior consumo de alimento composto e de alimentos conservados, verificou-se um aumento de 5,4% no custo total do regime alimentar em comparação com o trimestre anterior. Este aumento, também, foi influenciado pelo aumento de preço das silagens de erva e de milho, como consequência das condições climatéricas desfavoráveis à produção de pastagem que ocorreram na Região Autónoma dos Açores (primavera/verão de 2018). A evolução do preço do leite e dos custos da alimentação refletiu-se no Índice VL e no Índice VL - ERVA que em

Valor do Índice VL

Limiar de rentabilidade

Negócio saudável

Forte ameaça para a rentabilidade da exploração

2,0

1,5

1,0

Julho 2012

Outubro 2018

O ÍNDICE VL É INFLUENCIADO PELA VARIAÇÃO MENSAL DO PREÇO DO LEITE PAGO AO PRODUTOR NO CONTINENTE E PELAS VARIAÇÕES MENSAIS DOS PREÇOS DOS ALIMENTOS QUE CONSTITUEM O REGIME ALIMENTAR DA VACA LEITEIRA TIPO (CONCENTRADO 9,5 KG/ DIA; SILAGEM DE MILHO 33 KG/ DIA; PALHA DE CEVADA 2 KG/DIA). 2 1.9

50

ruminantes janeiro .fevereiro .março 2019 1.8

1.7 1.6


Millions discover their favorite reads on issuu every month.

Give your content the digital home it deserves. Get it to any device in seconds.