Issuu on Google+

IPCB aumenta serviços prestados à Comunidade na área da Saúde

INSTITUTO POLITÉCNICO DE CASTELO BRANCO www.ipcb.pt gcii@ipcb.pt

Setembro 2012

Estudos efetuados pelo IPCB em diversos domínios da Saúde revelam que a população adulta do distrito de Castelo Branco apresenta problemas de excesso de peso, prevalência de fibrilhação auricular acima da média e hipertensão. Estes e outros trabalhos de investigação juntam-se ao número cada vez maior de atividades e serviços prestados à comunidade na área da saúde. P. 03...

Poliempreende vencedor

Congresso luso-espanhol

Robôs chamam jovens

43 Erasmus com português

Carlos Marques e Carolina Gama, alunos finalistas do curso de Engenharia Biológica e Alimentar da ESACB são os representantes do IPCB no Concurso Nacional do Poliempreende, depois de terem vencido a fase regional com o projeto “Boiões de Comida para Idosos”.

Nos dias 18, 19 e 20 de Outubro, vai realizar-se, em Castelo Branco, o VIII Congresso Luso-espanhol sobre “Envelhecimento positivo e solidariedade intergeracional”. O encontro é uma organização conjunta do IPCB e da Universidad de Extremadura (UEx), Espanha.

O Laboratório de Robótica e Equipamentos Inteligentes do IPCB realizou, durante o mês de julho, a 8ª edição consecutiva dos estágios “Construir Robôs Inteligentes”. Nesta edição participaram 30 jovens oriundos dos distritos de Aveiro, Castelo Branco, Lisboa, Viseu e Portalegre.

O IPCB teve a decorrer, durante o mês de setembro, dois cursos Erasmus Intensive Language - Português, nos quais estiveram envolvidos 43 alunos estrangeiros -13 da Turquia, 10 da Polónia, 10 da Espanha, 4 da Itália, 3 da República Checa, 2 da Eslováquia e um da Alemanha.

P.02

P.03

P.07

P.08


empreender

Vencedores regionais do Poliempreende “Boiões de Comida para Idosos – Solev Natural”, um projeto que tem como principal objetivo “dar mais e melhores produtos que satisfaçam as necessidades dos idosos e, ao mesmo tempo, lhes atribuam uma melhor qualidade de vida”, conquistou o primeiro prémio (2000 euro) na fase regional do 9º Concurso Poliempreende. A equipa, constituída por Carlos Marques e Carolina Gama, ambos alunos finalistas do Curso de Engenharia Biológica e Alimentar da Escola Superior de Agrária, vai representar o Instituto Politécnico de Castelo Branco na segunda e última fase do Concurso (nacional), na qual estarão igualmente a concurso os vencedores regionais de cada um dos Institutos Politécnicos do País e escolas superiores não integradas. O Júri Regional do Concurso, reunido no dia 19 de julho e constituído por representantes do Banco Espírito Santo (António Oliveira), Pedro Agapito Seguros (Pedro Agapito), NERCAB (Conceição Carvalho) e ACICB (João Dias), atribuiu o segundo prémio (1500 euro) ao projeto “SmartCovers4u” e o terceiro prémio (1000 euro) ao projeto “ROBIHO – Robots for Intelligent Homes”. O projeto “SmartCovers4u”, desenvolvido por Nuno Dias, visa “produzir capas inteligentes para smartphones, onde o cliente pode escolher uma capa de um modelo genérico, conhecido no mercado, ou então pode fazer o pedido de uma capa personalizada ao seu gosto. Estas capas têm como principal função fornecer energia extra ao dispositivo, de forma a ter a bateria constantemente carregada”. “ROBIHO – Robots for Intelligent Homes”, formado por uma equipa de três elementos, Paulo Lopes, Pedro Torres e Paulo Gonçalves, “é um projeto abrangente, associado ao desenvolvimento, construção e comercialização de robôs para o acompanhamento de pessoas em casa, em especial da população idosa. Este projeto é baseado na inovação tecnológica, em especial ao disponibilizar tecnologia à sociedade e assim contribuir para a melhoria da qualidade de vida das pessoas”.

Os Prémios Regionais serão disponibilizados em duas frações: a primeira, correspondendo a 50% do seu montante global, será entregue no ano da realização do concurso; os restantes 50% serão entregues com a apresentação da cópia da declaração de início de atividade, até ao fim do segundo ano após o ano da realização do concurso, comprovando a implementação empresarial do projeto. À semelhança de anteriores edições, o IPCB encontra-se disponível para apoiar os projetos que pretendam ser concretizados, independentemente da classificação obtida.

Júri Regional do Concurso: Pedro Agapito (Pedro Agapito Seguros), João Dias (ACICB), José Carlos Gonçalves (Vice-Presidente do IPCB), Conceição Carvalho (NERCAB) e António Oliveira (Banco Espirito Santo).

comunidade

02

2ª edição das Hortas Pedagógicas na Escola Agrária

Estágios de Fisioterapia

Avaliação - Ciclo de Vida

O IPCB/ESA mantém no corrente ano letivo o projeto “Hortas Pedagógicas da ESACB”, iniciado há um ano na Quinta da Sr.ª de Mércules. O projeto continua a ter um objetivo essencialmente formativo e está planeado para decorrer ao longo do ano agrícola, de setembro de 2012 a julho de 2013. Nos 10 talhões que foram disponibilizados, os jovens acompanhados de um adulto terão oportunidade de aprender as técnicas produtivas e depois colher os respetivos produtos - hortaliças, tubérculos, leguminosas, entre outros. À semelhança da edição anterior, o IPCB/ESA disponibiliza acompanhamento técnico, terreno, água, fertilizantes, sementes, plantas e demais equipamentos aos jovens que participam no projeto. As inscrições nas “Hortas Pedagógicas da ESACB” estiveram abertas até 2 de Agosto de 2012 e a primeira sessão ocorreu no dia 15 de setembro. A cada grupo jovem/adulto foi atribuído um talhão. As atividades decorrerão ao sábado de manhã e compreenderão, ainda, breves sessões de formação teórica- práticas relativas às culturas e respetivas atividades de manutenção, segundo um cronograma de atividades e uma calendarização previamente estabelecida. O objetivo principal do projeto é a formação de jovens e familiares na produção e aprendizagem de técnicas de horticultura, convívio geracional e comunitário.

No dia 6 de julho, decorreu no IPCB/ESALD a apresentação pública dos Estágios de Projeto desenvolvidos no corrente ano letivo pelos alunos finalistas da licenciatura em Fisioterapia. Estes estágios foram desenvolvidos numa perspetiva de proporcionar à comunidade regional novas abordagens e formas de intervenção dos fisioterapeutas, com a prestação de cuidados de fisioterapia inovadores e complementares aos existentes. Os estágios decorreram em instituições da área da saúde, educação, apoio social, desporto e outras, que foram convidadas a participar nas apresentações. Alguns destes projetos foram já apresentados em Setúbal, a convite da Escola Superior de Saúde de Setúbal, numa perspetiva de partilha de experiências, que deverá aprofundar-se com a participação de alguns alunos daquela escola nesta sessão.

O IPCB/ EST promove, nos meses de outubro de novembro de 2012, um Curso de Formação em Avaliação de Ciclo de Vida, com o software GaBi. A formação será dividida em duas partes, sendo abordados os seguinte temas: Iniciação à análise de ciclo de vida com o software GaBi (Parte 1 - 12 horas); Modelação avançada de análise de ciclo de vida com o software GaBi (Parte 2 - 12 horas). O software GaBi é a aplicação mais difundida na área da avaliação de ciclo de vida, com mais de 10.000 utilizadores, incluindo 35% das 500 maiores empresas mundiais. Recorre a bases de dados próprias desenvolvidas pela PE International, assim como outras com maior relevância regional (Ecoinvent, LCI). A análise de ciclo de vida (LCA) permite a avaliação do ciclo de vida de produtos, sistemas e serviços a respeito dos respetivos impactos ambientais, transmitindo essa informação de uma forma clara e transparente.

POLINFOR


empreender

VIII Congresso luso-espanhol debate “Envelhecimento positivo e solidariedade intergeracional”

Nos dias 18, 19 e 20 de outubro, vai realizar-se, em Castelo Branco, o VIII Congresso Luso-espanhol sobre “Envelhecimento positivo e solidariedade intergeracional”. O encontro é uma organização conjunta do Instituto Politécnico de Castelo Branco e da Universidad de Extremadura (UEx), Espanha. Nele, estão envolvidas as Escolas Superiores de Educação e de Saúde Dr. Lopes Dias, do IPCB, e o Departamento de Psicología y Antropología e o Grupo de Investigación PSIQUE-Ex, da UEx.

O congresso tem por objetivos “Contribuir, através da apresentação e análise de dados atuais, para a caracterização do processo histórico do envelhecimento; Refletir sobre a situação atual das pessoas idosas: formas de participação social, saúde e desenvolvimento; Fomentar o encontro de especialistas e investigadores, com o objetivo de analisar a problemática das pessoas idosas a partir de duas perspetivas fundamentais: o ponto de vista Psicossocial e o ponto de vista Biossanitário; Oferecer às pessoas e à sociedade alternativas de mudança, com o objetivo de alcançar formas de vida ativas e saudáveis”. Para a comissão organizadora “o nível de desenvolvimento da sociedade atual, na qual estamos envolvidos e que nos influencia e influenciamos, trouxe um aumento considerável da esperança média de vida às gerações atuais. Alcançámos, em poucas décadas, uma maior longevidade. Contudo, como afirmámos e repetimos, não se trata só de prolongar a vida, mas de acrescentar qualidade aos anos que vivemos. Um dos fatores que permite acrescentar qualidade e felicidade aos anos é a consideração das evidências normalmente utilizadas para caracterizar as pessoas felizes: apresentam sempre uma atitude positiva, ainda que enfrentem grandes dificuldades; vivem os problemas como desafios que é preciso superar; aprenderam que reside na simplicidade a essência da felicidade; compreendem que é preciso muito pouco para se viver bem; encontram sempre uma ocupação, alguém para amar e algo a esperar; dormem sem medo e levantam-se sem angústias; têm vontade de viver e evitam os pensamentos negativos; sabem que a essência da felicidade não reside em fazer o que se deseja, mas em desejar o que se faz; e, o mais importante; são pessoas ativas”. Colaboram na organização do VIII Congresso sobre “Envelhecimento positivo e solidariedade intergeracional” a Junta de Extremadura, a Câmara Municipal de Castelo Branco e a Câmara Municipal de Idanha-a-Nova.

comunidade

Construção sustentável aproxima Escola da Indústria O IPCB empreendeu um projeto inovador no ensino superior português, fortalecendo a aproximação Escola-Indústria, através da celebração de acordos de cooperação tendo em vista o pagamento de prémios individuais a estudantes no valor de 1.000 euros. Os prémios serão atribuídos aos alunos do Mestrado em Construção Sustentável que desenvolvam os seus trabalhos de investigação aplicada na área de atuação da empresa, para a melhoria dos seus processos produtivos, da modernização tecnológica, do desenvolvimento e caracterização de produtos e sistemas. Os primeiros protocolos foram já assinados com empresas da área da construção em madeira (Casema e Inwood), prevendo-se que em breve sejam rubricados outros nas áreas da energia e dos materiais de construção. No dia 3 de Setembro foi assinado um protocolo de colaboração entre o IPCB/EST e a CASEMA, empresa do sector da construção com vocação para soluções construtivas em madeira incorporando preocupações ambientais e de sustentabilidade, com sede em Porto de Mós, Leiria. O protocolo tem como principal finalidade o desenvolvimento de projetos de investigação aplicada contextualizados na temática da Sustentabilidade da Construção visando a promoção da melhoria dos seus processos produtivos, da modernização tecnológica, do desenvolvimento e caracterização de produtos e sistemas. Já o acordo firmado no dia 4 de Setembro com a INWOOD, empresa do sector da construção que opera na área das estruturas e soluções em madeira, permitirá, numa primeira fase, o estudo de soluções baseadas em madeira de pinho bravo nacional, por forma a potenciar a valorização dos recursos da floresta portuguesa. A construção sustentável é o principal vetor na estratégia para a competitividade no sector da construção, reconhecido recentemente pela Comissão Europeia. A construção sustentável apresenta-se fundamental para a obtenção do objetivo de longo prazo da UE em matéria de redução em 80 a 85% das emissões de

gases com efeito de estufa. Segundo o roteiro de transição para uma economia hipocarbónica competitiva em 2050, para que seja economicamente rentável, o setor do imobiliário terá de contribuir com uma redução de cerca de 40 a 50 % em 2030 e de cerca de 90 % em 2050. No entanto, o setor da construção depara-se com um certo número de problemas estruturais, tais como a falta de mão-de-obra especializada em muitas empresas e a reduzida capacidade de inovação. Os estaleiros de construção e os fabricantes de produtos de construção serão cada vez mais confrontados com a necessidade de mão-de-obra qualificada. A transição para uma economia de baixo carbono e eficiente em termos de recursos acarretará igualmente alterações estruturais importantes no setor da construção, o qual terá de se adaptar e prever as necessidades em matéria de competências e qualificações nestes domínios. É especialmente o caso no que diz respeito à preparação da força de trabalho para a construção de «edifícios de balanço energético quase zero», quer se trate de edifícios novos ou renovados. O novo regulamento dos produtos de construção (Regulamento EU n.º 305/2011) que revogou a conhecida Diretiva dos Produtos da Construção de 1989, requer os esforços da indústria a respeito da utilização sustentável dos recursos naturais, o desenvolvimento de melhores práticas de recolha e tratamento de resíduos, especialmente na recuperação/reutilização de materiais valiosos provenientes de resíduos, os sistemas ou «soluções de construção» que facilitam a «desconstrução» das obras e a reutilização dos materiais. Também alvo de medidas de encorajamento dos Governos da EU e inseridas no conceito da construção sustentável, encontram-se as atividades de renovação de edifícios e de manutenção de infraestruturas, que representam uma quota importante do emprego e da produção do sector da construção. Refira-se que as taxas atuais de renovação de edifícios e as práticas em matéria de melhoria da eficiência energética são insuficientes para alcançar os objetivos de poupança de energia fixados pela UE para 2020, o que implicará seguramente novas medidas de impulso. Num período de grande reajustamento no setor da construção, a temática da construção sustentável representa assim uma oportunidade de aquisição e reconversão de competências dos técnicos nesta área, sob o Lema “Novas Competências para Novos Empregos”.

POLINFOR

03


‘12

MAIS QUE ENSINO, UM FUTURO MESTRADOS 2012 ARTES, COMUNICAÇÃO E MULTIMÉDIA 3052 6349 3055 6198 3055 6416 3055 6983 3055 M280

Animação Artística / ESECB/ESEIPV Música / ESART Design Gráfico / ESART/FAUTL Design de Interiores / ESART/FBAUL Design do Vestuário e Têxtil / ESART/FAUTL

CIÊNCIAS BIOLÓGICAS E ALIMENTARES

3051 6800 3051 M163 3051 M214 3051 M453 3051 9287 3051 9520 3051 M485

Fruticultura Integrada / ESACB . Tecnologias e Sustentabilidade dos Sistemas Florestais / ESACB Monitorização de Riscos e Impactos Ambientais / ESACB Inovação e Qualidade na Produção Alimentar / ESACB Engenharia Zootécnica / ESACB Engenharia Agronómica / ESACB Gestão de Recursos Hídricos / ESACB

CIÊNCIAS EMPRESARIAIS E DE DIREITO

3054 9298

Gestão de Empresas / ESGIN / 1 de outubro a 16 de novembro Fiscalidade e Contabilidade / ESGIN / Pós-Graduação

EDUCAÇÃO E FORMAÇÃO DE PROFESSORES 3052 6293 3052 6915 3052 6795

Educação Especial - Domínio Cognitivo e Motor / ESECB Educação Pré-Escolar e Ensino do 1.º Ciclo do Ensino Básico / ESECB Ensino de Inglês e de Espanhol no Ensino Básico / ESECB Supervisão e Avaliação Escolar / ESECB / 1ª Fase de 10 de setembro a 19 de outubro

ENGENHARIAS E INFORMÁTICA 3053 M204 3051 M213

Comunicações Móveis / ESTCB Sistemas de Informação Geográfica em Recursos Agro-Florestais e Ambientais / ESACB 3053 M205 Desenvolvimento de Software e Sistemas Interativos / ESTCB 3053 6990 Construção Sustentável / ESTCB

SAÚDE E PROTEÇÃO SOCIAL 3052 M215 7020 6680 3052 6419

Intervenção Social Escolar / ESECB Cuidados Paliativos / ESALD Gerontologia Social / ESECB/ESALD TURISMO, DESPORTO E SERVIÇOS

3052 6346

04

POLINFOR

Atividade Física / ESECB

www.ipcb.pt


empreender

Conselho Geral do IPCB preocupado com redução do financiamento das instituições de Ensino Superior

O Conselho Geral do IPCB, reunido no passado dia 6 de junho, aprovou uma declaração para envio à tutela em que “mostra a sua preocupação pela constante redução do financiamento das instituições de ensino superior que colocam em risco a qualidade de ensino, contribuem para a desistência de estudantes e, pelo modo como está a ser aplicada, coloca em causa o desenvolvimento sustentável do interior do país”. Os membros do Conselho Geral do IPCB aprovaram também, por unanimidade, o parecer sobre o Relatório e Contas do IPCB, elaborado pela Comissão de Orçamento daquele órgão que considera “ … que o Relatório e as Contas de 2011 traduzem a eficácia e a qualidade do desempenho do IPCB, sendo de realçar o rigor e a responsabilidade na sua gestão”, dando “… os membros cooptados do Conselho Geral do IPCB parecer favorável à sua aprovação”. Nesta reunião foram ainda definidos os valores das propinas a praticar no

ano letivo de 2012/2013. Assim, para os estudantes inscritos no ciclo de estudos conducente ao grau de mestre estão definidas propinas de 990, 1485 e 1980 euros conforme o ciclo seja de, respetivamente, dois, três ou quatro semestres. Para o Mestrado em Cuidados Paliativos foi definida a propina de 1500 euros. Os estudantes do ciclo de estudos conducente ao grau de licenciado terão uma propina de 840 euros enquanto para os dos Cursos de Especialização Tecnológica foi aprovado o valor de 500 euros. De referir que nesta reunião tomaram posse como membros do Conselho Geral o Equiparado a Professor Adjunto Nuno José Martins Guerra, em substituição do Professor-Adjunto Rui Manuel Amaro Alves, que se encontra em comissão de Serviço no Instituto Geográfico Português e o aluno Paulo José Madeira da Conceição Regalo em representação dos estudantes.

I&D

Sistema de signos para informação turística

O betão submetido a elevadas temperaturas

João Vasco Neves, docente do IPCB/ESART desde 2002, concluiu no passado mês de julho na Faculdade de Arquitetura da Universidade Técnica de Lisboa o seu doutoramento com a tese intitulada “Sistema de signos para informação turística: Metodologia para o desenvolvimento de sistemas sinaléticos”. A investigação debruçou‐se sobre a temática da sinalização e sinalética para informação pública, com o objetivo de constituir uma ferramenta válida para a conceção de sistemas de signos específicos para informação turística, que envolvam não só o designer mas também equipas multidisciplinares e que comuniquem mensagens claras e inequívocas para o utilizador. Um dos problemas a que o investigador pretendeu responder relaciona‐se com a promoção e orientação do fluxo de visitantes em determinado território, contribuindo para o seu conhecimento e ao mesmo tempo articulando as necessidades de orientação, informação de locais com potencial interesse turístico e sinalização. Para tal, João Neves propõe mecanismos que permitem a adoção de diversos métodos para o desenvolvimento de sistemas complementares que não necessitem da apreensão de novos códigos e que facilitem a deslocação e acesso a turistas e viajantes, gerando códigos visuais que completem as limitações expressivas das imagens e textos como código de uso nas mensagens turísticas, incorporando uma nova linguagem de signos universal e instantânea. A investigação desenvolvida considera ainda necessário incorporar nos projetos para sinalizar informação turística uma metodologia que seja transversal a todas as etapas e intervenientes no processo, suficientemente adaptável às várias tipologias de projeto e que permita gerar sistemas mais eficazes sob o ponto de vista comunicacional, funcional e mesmo estético. Em suma, a investigação apresenta e analisa diversos sistemas de signos, diversos métodos e metodologias aplicados ou desenvolvidos para informação pública e que suportaram o procedimento científico, o qual permitiu desenvolver a metodologia e ainda os princípios e normas propostos por este estudo.

A docente do IPCB/EST Cristina Calmeiro dos Santos concluiu no passado mês de julho, na Universidade de Coimbra, o seu doutoramento intitulado “Propriedades Mecânicas Residuais após Incêndio de Betões Normais”. A investigação teve por objetivo contribuir para uma melhor compreensão do comportamento do betão corrente submetido a elevadas temperaturas. Para avaliar as propriedades mecânicas residuais do betão após ciclos de aquecimento/arrefecimento, a docente do IPCB/EST utilizou o Laboratório de Ensaio de Materiais e Estruturas da Universidade de Coimbra onde estabeleceu um programa experimental que comportou quatro etapas, em que todos os ensaios foram realizados após situação de incêndio. Na primeira etapa a investigadora pretendeu testar a resistência residual à compressão do betão; a segunda serviu para caracterizar a resistência residual à tração do betão; a terceira para definir a resistência residual de flexão; a quarta para determinar a redução do módulo de elasticidade do betão. No seu trabalho de investigação Cristina Calmeiro dos Santos estudou duas composições de betão usadas na construção civil nacional, uma constituída por agregados calcários e outra por agregados graníticos. Os diferentes provetes de betão foram submetidos a dois tipos de arrefecimento (lento ao ar e brusco por jacto água), dois níveis de carregamento (0,3fcd e 0,7fcd) e diferentes níveis de temperatura (20, 300, 500 e 700ºC). Os resultados deste programa experimental mostram que a temperatura interfere negativamente no comportamento residual do betão, verificando-se que a resistência dos elementos diminui com o aumento da temperatura, podendo atingir uma perda quase total para temperaturas acima dos 600ºC. De igual modo, deve-se atender ao processo de arrefecimento aplicado, dado que quanto mais brusco este for maiores são os danos causados.”

POLINFOR

05


destaque

IPCB apresenta Relatório e Contas de 2011 O Presidente do IPCB Carlos Maia apresentou, publicamente, no dia 6 de Julho, o Relatório de Atividades de 2011 da instituição, depois do documento ter sido aprovado pelo Conselho Geral. Antes da análise dos resultados de 2011, Carlos Maia abordou as questões relacionadas com o enquadramento da atividade da instituição, referindo-se nomeadamente às condições económico-financeiras completamente distintas daquelas que foram assumidas pelo Estado no Contrato de Confiança, e que ao contrário do que foi assinado com o Governo, em 2010, se traduziram num corte das transferências do OE que “colocam em causa a concretização de algumas das metas estabelecidas”. Já na análise aos resultados conseguidos nos diferentes objetivos estratégicos definidos para 2011, o Presidente do IPCB começou por referir que relativamente à “Consolidação e adequação da oferta formativa” foi cumprida a meta quanto às vagas disponibilizadas para os CET e que foi superada a meta fixada para o número de ofertas formativas (1º e 2º ciclo) em parceria com instituições de ensino superior e na oferta de cursos em horário pós-laboral. O Presidente do IPCB lamentou no entanto não ter sido possível atingir a meta prevista para a oferta de cursos de preparação de acesso ao ensino superior (CPAES). Relativamente ao objetivo “Garantir a qualidade da formação integral dos estudantes e promover a inserção na vida ativa” foi realçada a meta alcançada para o número de iniciativas apoiadas pelos SAS/IPCB (35) e que que visaram estimular a participação cívica, cultural, artística, desportiva, social e associativa dos estudantes. Já quanto ao objetivo “Tornar mais eficiente o desempenho dos Recursos Humanos promovendo o desenvolvimento profissional e pessoal”, no qual se previa melhorar as qualificações científicas e a capacidade pedagógica dos docentes e as competências profissionais dos trabalhadores não docentes, Carlos Maia referiu que “as metas superadas e os resultados obtidos resultam de uma política de apoio à qualificação do pessoal docente, materializada através da implementação do Regulamento de Apoio à Qualificação do Pessoal Docente e do apoio prestado a ações internas e externas, constantes no plano de formação do IPCB”. Quanto ao objetivo “Aumentar e diversificar a mobilidade internacional” destacou que foi elaborado e divulgado o Guia Informativo do IPCB em inglês e espanhol e que, quanto à disponibilização da página web do IPCB, esta, não só foi renovada como também ficou disponível em inglês. Carlos Maia referiu que neste objetivo não foi possível realizar a semana internacional do IPCB, “mais uma vez, pelas fortes restrições financeiras que se têm vindo a verificar e a acentuar”. Quanto ao objetivo. “Implementar um sistema de gestão baseado numa cultura de qualidade certificável”, o documento apresentado revela que, em 2011, foram implementados procedimentos que permitem que a instituição continue a crescer e a evoluir, na melhoria contínua do desempenho organizacional. O documento refere ainda que foi efetuada a auditoria externa de acompanhamento do SGQ do IPCB, em novembro de 2011, pela APCER, tendo-se constatado que o sistema de gestão de qualidade do IPCB cumpre os requisitos normativos e que este tem potencial para evoluir no sentido da melhoria contínua, quer no alargamento do âmbito da certificação, quer na ambição do SGQ contribuir de modo inequívoco para a implementação e consolidação de melhores práticas, com repercussão no serviço prestado, interna e externamente”. No que se refere ao objetivo “Melhorar as infraestruturas e equipamentos” e no seguimento da concretização do plano de recuperação de infraestruturas e equipamentos a taxa de execução das obras previstas ficou aquém do planeado (10%), devido a restrições orçamentais. Depois de apresentados os resultados por objetivos, Carlos Maia passou a enumerar as atividades realizadas em 2011, tendo destacado ao nível do “Ensino e Formação” os 30 cursos de licenciatura, ministrados pelas 6 escolas superiores do IPCB, e os 24 cursos de mestrado e formação pós graduada. Relativamente aos Cursos de Especialização Tecnológica (CET), referiu que entraram em funcionamento no ano letivo 2010/2011, 7 cursos dos quais 2 promovidos pela ESACB e 5 pela ESTCB. Durante o ano de 2011, foram ainda apresentados 13 CET à Direção Geral do Ensino Superior para aprovação. Carlos Maia referiu-se ainda à visita da equipa de avaliação e acompanhamento da European University Association (EUA), entre 23 a 25 de maio de 2011, e às recomendações deixadas, nomeadamente aos novos órgãos de governança no sentido de que continuem o seu trabalho de apoio ao Presidente do Instituto Politécnico na abordagem de novos aspetos da agenda de mudança. O Presidente do IPCB realçou o esforço que a instituição tem vindo a desenvolver na área da “Internacionalização”, fundamental para a sua afirmação e desenvolvimento estratégico. Carlos Maia enumerou as novas parcerias com instituições congéneres de diversos países, nomeadamente com os países da América Latina e com países lusófonos, uma vez que se considerou estratégica

06

POLINFOR

a criação de um Espaço Lusófono de Ensino Superior, pelo potencial de desenvolvimento que esses países apresentam. Fez ainda referência à candidatura institucional no âmbito da medida Mobilidade do Programa Leonardo da Vinci que possibilitou a 29 recém-licenciados a realização de um estágio profissional relevante e certificado, em contexto empresarial/industrial na Europa; à candidatura a quatro cursos EILC e ao início do Consórcio ErasmusCentro, em cooperação com os IP de Coimbra, Viseu, Guarda e Leiria, cuja candidatura permitiu ao IPCB duplicar as vagas para estágio Erasmus. Relativamente às atividades de mobilidade organizada de estudantes, Carlos Maia sublinhou os números registados em 2011, com 85 estudantes do IPCB em mobilidade outgoing e 108 estudantes em programas de mobilidade Incoming, que escolheram o IPCB para vivenciar a sua experiência internacional, ao abrigo de programas Erasmus Estudo, Erasmus Estágio, Leonardo da Vinci e Acordos Bilaterais com países Latino Americanos. Relativamente às atividades de mobilidade organizada de docentes (31) e não-docentes (7) os números obtidos revelam um ligeiro aumento das mobilidades efetuadas. No que diz respeito à área da “Investigação & Desenvolvimento”, Carlos Maia destacou as atividades e a participação do IPCB, em 2011, na prestação de serviços à comunidade e apoio à apresentação e execução de projetos I&DE, nomeadamente em projetos cofinanciados, cuja lista consta dos anexos ao documento apresentado. O Presidente do IPCB realçou ainda as duas jornadas realizadas sobre o “Potencial Técnico e Científico do IPCB” e sobre o “Conhecimento e Transferência de Tecnologia”. Relativamente à organização e gestão do IPCB, Carlos Maia referiu que o ano de 2011 “foi de consolidação da estrutura orgânica, de validação de mudanças já operadas e, simultaneamente, de adaptação aos desafios que permanentemente se colocam às instituições públicas, face à atual conjuntura de severas restrições financeiras. Neste contexto referiu-se ao setor dos “Recursos Humanos” dizendo que “foram identificadas as necessidades de pessoal docente, num total de 447, sendo 31 Prof. Coordenadores, 238 Prof. Adjuntos, 173 Assistentes, 1 Monitor e 4 Requisitados. Carlos Maia mencionou que foi implementado o programa de apoio à formação avançada do corpo docente, à sua atualização científica, e ao desenvolvimento das suas competências pedagógicas. “Este contemplou apoio financeiro e dispensa, parcial ou total, de serviço docente. Privilegiou-se, assim, uma estratégia de desenvolvimento científico e pedagógico assente na constituição de um corpo docente estável e qualificado”, disse. Quanto ao “Pessoal não docente” (234), o documento apresentado refere que a aposentação de alguns trabalhadores, e as restrições impostas para a sua substituição, obrigaram a uma gestão criteriosa dos recursos humanos, verificando-se a mobilidade de alguns trabalhadores entre as várias unidades orgânicas e sectores. O Presidente do IPCB destacou também o fato de, durante o ano de 2011, terem sido realizadas 113 ações de formação para pessoal docente e 67 ações para pessoal não docente, com um custo total em formação de 50 mil euros. Quanto à “Execução Orçamental”, o Presidente do IPCB evidenciou o saldo positivo de gerência no montante de 590.299 mil euros, valor que em comparação com o ano de 2010, decresceu significativamente, sobretudo devido à redução das transferências do Orçamento de Estado, que em termos percentuais foi cerca de 13% - a receita cobrada líquida em 2011 (incluindo o saldo transitado da gerência anterior) foi de 22.987.931 euros e os pagamentos efetuados de 22.397.631 euros. O Presidente do IPCB relatou ainda que “as despesas com pessoal (remunerações certas e permanentes, abonos variáveis ou eventuais e segurança social) representaram 84,95% da execução orçamental e as despesas com bens e serviços correntes representaram 10,02%. Relativamente aos “Serviços de Ação Social” Carlos Maia destacou que “dos estudantes (1786) que apresentaram candidatura a bolsa de estudo em 2010/2011, cerca de 72% (1287) beneficiaram deste apoio social direto, valor que corresponde a cerca de 28% do total dos estudantes do IPCB. O presidente lembrou ainda as 9 bolsas de estudo por mérito, atribuídas por empresas e instituições bancárias, as quais foram entregues nas comemorações do “Dia do IPCB”, que se realiza a 28 de Outubro de cada ano. Quanto ao apoio social indireto dado aos estudantes do IPCB, o documento apresentado destaca o auxílio dado nos cinco refeitórios existentes (ESACB, ESECB, ESTCB e nas Residências de Estudantes de Idanha-a-Nova e Castelo Branco) onde foram servidas 102.994 refeições. Para apoio das várias atividades do IPCB, os SAS deram continuidade à prestação de um serviço de coffee-breacks, tendo servido em 2011, 23 coffee-breacks, para 1.590 pessoas. As três Residências de Castelo Branco estiveram em pleno funcionamento, com 89% de taxa de ocupação enquanto a Residência de Estudantes de Idanha-aNova teve uma taxa de 75%.


destaque

Jovens de várias regiões do país aprendem a construir robôs nos laboratórios do IPCB

O Laboratório de Robótica e Equipamentos Inteligentes do IPCB realizou , durante o mês de julho, a 8ª edição consecutiva dos estágios “Construir Robôs Inteligentes”. Este ano, o primeiro estágio decorreu na semana de 2 a 6 de Julho, enquanto o segundo decorre de 9 a 13 de Julho. Nesta edição, inscreveram-se 30 alunos, para as 18 vagas disponíveis. Os participantes eram oriundos de diversos distritos, nomeadamente de Aveiro, Castelo Branco, Lisboa, Viseu e Portalegre. Os estágios, que contaram com o apoio da Ciência Viva, no âmbito do programa “Ocupação Científica de Jovens nas Férias”, têm por objetivo apresentar a robótica aos alunos do ensino secundário e, de uma forma integrada, abordar os conceitos de mecânica, eletrónica e informática, necessários ao desenvolvimento de robôs. A semana teve início com uma breve introdução à robótica, proferida pelo professor Paulo Gonçalves, onde foram também apresentadas as inovações recentes nesta área, a nível mundial, bem como as contribuições do Laboratório de Robótica do IPCB. Ansiosos por construir o seu robô, os alunos, passaram de

seguida à montagem dos componentes mecânicos e eletrónicos, acompanhados pelos docentes Pedro Torres e José Sequeira. Após a construção da plataforma robótica passaram à “afinação” dos sensores e atuadores, e logo de seguida à programação do robô. Nesta fase, programaram o microcontrolador em linguagem C. No final da semana todos os robôs funcionavam conforme o pretendido, movimentando-se no laboratório evitando obstáculos. “Gostei bastante do estágio, do ambiente no laboratório e do ambiente na residência do politécnico”; “Continuem com estas atividades”; “Gostei de tudo, o estágio surpreendeu-me pela positiva”, foram algumas das opiniões expressas pelos jovens participantes. Os estágios “Construir Robôs Inteligentes” têm, de fato, mostrado ser uma iniciativa de sucesso no verão albicastrense, traduzido na elevada procura por parte dos jovens estudantes e, ao mesmo tempo, pelo interesse demonstrado por esta área de conhecimento, associada aos Cursos de Engenharias do IPCB, em especial ao curso de Engenharia Industrial, do qual faz parte integrante do plano curricular.

PERFIL PAULO JORGE SEQUEIRA GONÇALVES, 39 anos, é natural da Covilhã mas frequentou todos os ciclos de ensino pré-universitário em Castelo Branco - Jardim-Escola João de Deus, Escola Sra. da Piedade, Escola Afonso de Paiva, Escola Nuno Álvares, Escola Amato Lusitano. Posteriormente, em 1990, iniciou estudos no Instituto Superior Técnico, onde terminou, em 1995, a Licenciatura em Engenharia Mecânica (Ramo de Automação e Robótica), o Mestrado, em 1998, e o Doutoramento, em 2005. Docente do IPCB desde 1997, Paulo Gonçalves é o novo Professor Coordenador da Escola Superior de Tecnologia de Castelo Branco, desde o passado mês de julho, na sequência de concurso público que decorreu para o efeito. Naquela unidade orgânica do IPCB, Paulo Gonçalves é, também, responsável pelo laboratório de Robótica e Equipamentos Inteligentes e docente do curso de Licenciatura em Engenharia Industrial e do CET de Automação e Manutenção Industrial. Foi Presidente da Assembleia de Representantes da EST, Presidente do Departamento de Engenharia Industrial, e Coordenador da Unidade Técnico Científica de Engenharia Eletrotécnica e Industrial”. Paulo Gonçalves é investigador nas áreas de Robótica, Visão por Computador e Inteligência Computacional. Tem ainda atividade na área da Acústica. Publicou mais de 75 artigos, em revistas e conferências, tendo elaborado mais de 20 relatórios técnicos. Participou e/ou participa em mais de uma dezena de projetos de investigação, desenvolvimento e prestação de serviços, financiados pela União Europeia (FP7), FCT, Câmaras Municipais da região, entre outros. Recentemente, Paulo Gonçalves recebeu prémios a nível europeu e regional nas áreas do empreendedorismo de base tecnológica, como resultado das suas atividades de investigação. Sócio fundador da Sociedade Portuguesa de Robótica, o novo Professor Coordenador do IPCB/ EST pertence aos órgãos sociais da Associação Portuguesa de Controlo Automático e é membro do IEEE, onde é cocoordenador de um grupo de trabalho, a nível mundial, para normalização “Standard for Ontologies for Robotics and Automation” para robôs de serviço. Os seus trabalhos têm tido destaque nos meios de comunicação nacionais e regionais, nomeadamente na RTP, Correio da Manhã e Reconquista.

POLINFOR

07


destaque

Estudos revelam excesso de peso nos albicastrenses... O rastreio da obesidade efetuado pelo IPCB/ESALD no concelho de Castelo Branco a 1234 adultos, entre setembro de 2010 e março 2012, revela que 40,6% dos indivíduos apresentam excesso de peso, enquanto 24,1% são obesos. O excesso de peso foi significativamente mais elevado nos homens (47,1%) do que nas mulheres (37,4%), mas em relação à obesidade a percentagem foi ligeiramente mais alta nas mulheres (24,3% / 23,7%) - (gráfico 1). O estudo revela ainda que 64,7% da população se encontra acima do peso ideal, de acordo com o Índice de Massa Corporal (IMC). A pesquisa foi efetuada por Angélica Fernandes Marques, aluna finalista do curso de Cardiopneumologia, no âmbito da disciplina de Investigação Aplicada, sob a orientação dos docentes José Maria Folgado da Silva (científica), e Alexandre José Marques Pereira (estatística). Para além do Índice de Massa Corporal, o rastreio desenvolvido no IPCB/ESALD incluiu outras medidas de diagnóstico, com destaque para o índice razão cintura/altura. De acordo com este índice os resultados obtidos no rastreio são bastante preocupantes já que o diagnóstico de obesidade abdominal foi observada em 79,4% da amostra estudada (49,9% dos indivíduos apresentavam um IMC normal), sendo mais prevalente nos homens (85,8%) do que nas mulheres (76%) - (gráfico 2) De referir que uma das limitações do IMC é o fato de não oferecer informação sobre a distribuição da gordura no nosso corpo, já que por vezes diagnostica de forma errónea pessoas com excesso peso ou obesidade, quando na realidade têm uma maior massa muscular. Por outro lado pode diagnosticar pessoas com peso normal quando estas apresentam obesidade localizada na região abdominal, associada a maiores riscos para a saúde do que a obesidade de distribuição mais periférica. O estudo revelou, também, que os indivíduos mais afetados por esta doença são os indivíduos com baixo nível literário, as domésticas, os casados, os viúvos, os pensionistas, e os indivíduos com idade avançada. A obesidade é considerada pela Organização Mundial de Saúde uma doença, que integra o grupo de Doenças Crônicas Não-Transmissíveis (DCNT) e rep-

resenta um fator de risco relevante para o surgimento de outras DCNT tais como: Diabetes Mellitus II; distúrbios cardiovasculares, que incluem a doença coronária, o enfarte agudo do miocárdio e hipertensão arterial; distúrbios biliares e algumas formas de cancro, levando a um risco aumentado de morte prematura. Também representa um risco para queixas não-fatais mas debilitantes, incluindo as dificuldades respiratórias, problemas músculo-esqueléticos (ex.: osteoartroses), problemas cutâneos e a infertilidade, estando ainda em muitos países industrializados associados a vários problemas psicossociais e emocionais, acompanhados de depressão.

...prevalência de fibrilhação auricular na Covilhã Uma investigação desenvolvida pelo IPCB/ Escola Superior de Saúde Dr. Lopes Dias revela que a prevalência de fibrilhação auricular no concelho da Covilhã é de 3,4%, valor acima da média nacional (2,5%), segundo um estudo publicado em 2010. A fibrilhação auricular constitui a alteração sustentada do ritmo cardíaco mais comum na prática clínica, aumentando em prevalência à medida que a idade avança. A fibrilhação auricular está normalmente associada a doença cardíaca estrutural, embora um número significativo de doentes com fibrilhação auricular não apresente sinais de doença cardíaca. A alteração hemodinâmica e ocorrências de acidentes vasculares cerebrais (AVC) associadas a fibrilhação auricular resultam em morbilidade, mortalidade e aumentos significativos dos custos de saúde. Por isso, as arritmias constituem um importante problema de saúde pública, quer pela sua elevada prevalência quer pelas suas complicações e potenciais consequências. O estudo desenvolvido por Rafael Diehl, aluno finalista da Licenciatura em Cardiopneumologia do IPCB/ ESALD, sob a orientação dos docentes Patrícia Coelho e Alexandre Pereira, cujo objetivo era perceber a prevalência de fibrilhação auricular na população adulta do Concelho da Covilhã, verificou ainda que, acima

dos 59 anos, a prevalência de fibrilhação auricular praticamente duplica por cada década de vida, atingindo valores de 8,8%, para a faixa etária de 79 aos 88 anos, e atingindo um pico máximo de 11,7%, para idades superiores aos 88 anos. Os investigadores verificaram ainda que a fibrilhação auricular está fortemente associada ao excesso de peso, dado que 83,5% da população com fibrilhação auricular tinha excesso de peso ou eram obesos. Como nota final, os elementos que realizaram o estudo lembram que “com o aumento gradual da esperança média de vida da população portuguesa e com o aumento da população idosa no interior do país, o número de casos de indivíduos com fibrilhação auricular aumentará significativamente nos próximos anos. Sabendo-se que os indivíduos com fibrilhação auricular apresentam uma degradação substancial da qualidade de vida, que conduz a um aumento do número de internamentos e consequentemente um aumento das despesas hospitalares para o sistema de saúde, percebemos que é extremamente importante alertar os profissionais de saúde para a importância da deteção precoce e controlo dos fatores de risco nos pacientes com esta arritmia”.

... e população adulta hipertensa Um estudo efetuado pelo IPCB/ Escola Superior de Saúde Dr. Lopes Dias mostra que 63,3% da população adulta do concelho da Covilhã é hipertensa. A investigação envolveu 1272 indivíduos das freguesias do concelho da Covilhã e a prevalência observada de hipertensão arterial na amostra estudada revela ainda que a percentagem de hipertensos é mais significativa nas mulheres do que nos homens. Em termos de distribuição geográfica, a freguesia de Casegas é a que está associada a uma taxa maior de hipertensão e a freguesia da Boidobra a uma taxa menor. Já na freguesia de Aldeia de Souto foi registada a maior incidência de hipertensão arterial não controlada enquanto a freguesia de Cantar-Galo é a que apresenta maior controlo. O estudo mostra ainda que entre os indivíduos que afirmaram tomar fármacos anti hipertensores 23,3% apresentavam valores de pressão arterial acima dos preconizados pelas guidelines, apesar de estarem a efetuar medicação para o controlo da patologia em questão. Outro valor obtido revela que 9,6% dos indivíduos não tinham conhecimento de

08 POLINFOR

ser hipertensos, tendo apresentado valores de pressão arterial acima dos considerados normais. Este estudo de investigação foi desenvolvido no âmbito da Licenciatura em Cardiopneumologia do IPCB/ Escola Superior de Saúde Dr. Lopes Dias pela aluna finalista Ana Teresa Gomes, com orientação dos docentes Patrícia Coelho (técnicocientífica) e Alexandre Pereira (estatística). Com base nos dados obtidos, os investigadores consideram fulcral alertar os profissionais de saúde para a necessidade de realizar mais rastreios por forma a sensibilizar a população para a prevenção, tratamento e deteção da hipertensão, bem como, sensibilizar a população em geral sobre a importância de efetivar um maior controlo da pressão arterial. Refira-se que a hipertensão arterial é um grave problema de saúde pública, consta da base etiológica de inúmeras doenças cerebrovasculares e cardiovasculares, na medida em que representa um dos fatores de risco mais relevantes para a sua ocorrência.


destaque

IPCB adjudica obras da nova ESART...

O Presidente do IPCB Carlos Maia assinou, no passado dia 10 de julho, os contratos relativos ao arranque das obras do Bloco Pedagógico da Escola Superior de Artes Aplicadas (ESART), no Campus da Talagueira. O contrato de “Empreitada de execução do Bloco Pedagógico da ESART – Campus da Talagueira, no valor de três milhões cento e quarenta e sete mil e quinhentos euros (ao qual acresce IVA à taxa legal em vigor), foi assinado com a empresa de construção civil, obras públicas e exploração de pedreira António Saraiva e Filhos, Lda., que esteve representada por David Saraiva. Já o contrato de “Fiscalização e Coordenação de Segurança da Empreitada da ESART”, no valor de trinta e um mil, trezentos e oitenta euros (ao qual acresce IVA à taxa legal em vigor, foi assinado com a firma Proman centro de estudos e projectos, S.A. que esteve representada por Fernando Nunes Serra. Na sequência da assinatura desses dois contratos as obras de construção do Bloco Pedagógico da ESART já estão em curso devendo a empreitada estar concluída em finais de 2013. O custo total novas instalações da ESART é de cerca de cinco milhões de euros e tem o financiamento comunitário de 70%, sendo o restante “contrapartida

nacional” pago pela Câmara Municipal de Castelo Branco, o que faz com que o Orçamento de Estado não tenha qualquer custo. Para o arranque decisivo das obras, o Presidente do IPCB destaca o papel importante da autarquia albicastrense e do seu Presidente Joaquim Morão em todo o processo não só na cedência do terreno como agora no financiamento de parte da obra. Para Carlos Maia, “a construção do Bloco Pedagógico da ESART, no Campus da Talagueira, será uma obra emblemática para a cidade e para a região. O novo bloco pedagógico vai garantir melhores condições de ensino e mais prestação de serviços à comunidade a uma Escola que apesar da sua idade tem um grande prestígio a nível nacional e internacional e que tem ganho diversos prémios não só em Portugal como no estrangeiro”. Criada em 1999, a ESART tem, atualmente, mais de 700 alunos distribuídos pelos cursos de Licenciatura, Mestrado e Cursos de Especialização Tecnológica estando a funcionar em instalações provisórias na Escola Superior Agrária de Castelo Branco.

... e recebe edifício das Zoonoses

No dia 14 de junho o Presidente do IPCB Carlos Maia assinou o auto de receção provisória da obra de empreitada do Centro de Investigação em Zoonoses, localizada na Escola Superior Agrária, Quinta da Sr.ª de Mércules. As obras da nova estrutura de investigação e prestação de serviços à comunidade do IPCB/ESA foram efetuadas pela firma de construção civil e obras públicas Duafar que esteve representada por Nuno Centeio. O Centro de Investigação em Zoonoses representa um investimento de quase 600 mil euros comparticipado em 85% pelo Programa Operacional Regional do Centro (MaisCentro). Trata-se de uma infraestrutura do Sistema Científico e Tecnológico, que vai permitir desenvolver estudos de investigação epidemiológicos e clínicos ao nível das zoonoses, através da colaboração multidisciplinar de investigadores e técnicos, e de instituições de natureza diversa, ligadas à Saúde Pública e à Veterinária, entre outras. A localização em Castelo Branco desta infraestrutura e sua proximidade às populações animais domésticos e selvagens vai favorecer em grande medida

o setor agropecuário, nomeadamente as populações rurais. Para além da colheita e análise de informação, do desenvolvimento de estudos epidemiológicos, o Centro de Investigação em Zoonoses irá acompanhar animais suspeitos de doença e desenvolver trabalhos de natureza clínica pelo que permitirá desenvolver estudos consistentes a fim de conhecer e caracterizar as patologias, contribuindo para a definição e implementação de estratégias que permitam uma ação concertada por parte das autoridades de saúde pública e veterinária, com impacto nos custos económicos provocados por essas doenças, bem como a melhoria da qualidade de vida das populações. O Centro de Investigação em Zoonoses do IPCB terá ainda um impacto positivo em diferentes vetores, designadamente os da ciência e tecnologia, inovação de produtos e processos, formação e educação de pessoas, qualidade de produtos e serviços, saúde e segurança alimentar, preservação do ambiente e transferência de tecnologia.

POLINFOR

09


breves

Jornadas do Medronho

No dia 12 de outubro, decorrem em Coimbra as Jornadas do Medronho, uma organização conjunta da APH, ESAC, Universidade de Coimbra, Direção Regional de Agricultura e Pescas do Centro, Núcleo Florestal da AEESAC e do IPCB/ Escola Superior Agrária. O encontro decorrerá na Escola Superior Agrária de Coimbra e vai debater a cultura do medronheiro e as suas potencialidades na Região Centro; o consumo do fruto em fresco e a produção de mel; a produção de aguardente e outras potencialidades; o valor económico do medronho.

para a Saúde junto da população que visitou o Forum - rastreios à Hipertensão Arterial (HTA), Glicémia, Espirometria, Indíce Tornezelo-Braço ITB, Pressão Arterial, assim como prestada informação sobre Educação para a saúde. A participação do IPCB/ESALD na Semana da Saúde e Bem Estar do Forum de Castelo Branco contou ainda com a exibição de filmes, posteres e cartazes informativos.

Transgressões convergentes

e antes da abertura ao público, o autor dará uma conferência onde abordará o seu percurso enquanto artista e designer gráfico e o tema da exposição.

Docentes visitam Alemanha

Ciclo de Atividade

“CONVERGÊNCIAS” Biblioteca ESACB/ESART

Sessões de hidroterapia

EXPOSIÇÃO DE FOTOGRAFIA COM NOTAS DO AUTOR

"Transgressões Convergentes" Rui Tomás Monteiro BIBLIOTECA ESACB/ESART DE 10 OUT. A 10 DEZ. ‘12

NOTAS DO AUTOR / 10 OUT.‘12 / 14:30H AUDITÓRIO A2 ABERTURA EXPOSIÇÃO / 15:30H BIBLIOTECA ESACB/ESART

Promoção da saúde

O IPCB/Escola Superior de Saúde Dr. Lopes Dias (ESALD) participou, no dia 26 de setembro, na Semana da Saúde e Bem Estar, promovida pelo Forum de Castelo Branco. Nesse dia, das 17 às 21 horas, realizaram-se um conjunto de rastreios e atividades de Educação

objectivos gerais promover a saúde através de ganhos de mobilidade, flexibilidade, fortalecimento e bemestar. As sessões de hidroterapia têm uma frequência bisemanal durante seis semanas.

A Escola Superior de Saúde Dr. Lopes Dias iniciou um programa de fisioterapia destinado aos funcionários e colaboradores do IPCB. O programa decorre até ao final de dezembro de 2012 e tem como com

O Designer e Técnico Superior do IPCB Rui Tomás Monteiro é o próximo convidado do Ciclo de Atividades “Convergências”, organizado pela Biblioteca da ESACB/ESART. Rui Tomás Monteiro irá presentear os visitantes daquele espaço do IPCB com uma exposição de 9 imagens a que deu o título “Transgressões Convergentes”. A mostra irá estar patente de 10 de outubro a 10 de dezembro. No dia da inauguração

Aproveitando a sua presença em Braunschweig, Alemanha, onde participaram numa conferência, os docentes do IPCB/ESE António Faustino, Pedro Mendes e Rui Paulo, visitaram o centro de formação contínua de professores instalado na Technische Universitat Braunschweig. Durante a visita às instalações, onde foram recebidos pelo Director Klaus Wichmann e pelo responsável pela Formação Norbert Möhle, os

P.11

academia

43 alunos estrangeiros aprendem português no IPCB

O objetivo deste curso, que decorrerá em dois semestres, é permitir uma formação aprofundada, de alto nível de conhecimentos teóricos e práticos, aos profissionais que desempenham funções de administração ou direção financeira de empresas ou que com estes se têm que relacionar. Estes conhecimentos inserem-se nas áreas das finanças (empresariais), da fiscalidade, da contabilidade e do direito.

O IPCB teve a decorrer, durante o mês de setembro, dois cursos EILC (“Erasmus Intensive Language Course” - Português), nos quais estiveram envolvidos 43 alunos estrangeiros. Os cursos, de nível I e II, decorreram durante três semanas, de 3 a 21 de setembro, no Centro Interdisciplinar de Línguas, Culturas e Educação do IPCB. O curso para alunos desconhecedores da língua portuguesa (nível I) contou com 27 alunos, enquanto 16 alunos (espanhóis, italianos e outros) já com algum conhecimento da língua portuguesa frequentaram o curso de nível II. As aulas foram ministradas pelas docentes Teresa Gonçalves (nível II), Eduarda Borges e Natividade Pires (nível I), assistidas por três monitoras, na Escola Superior de Educação. Os 43 alunos estrangeiros eram provenientes de diversos países europeus, sendo 13 da Turquia (31%), 10 da Polónia (23%), 10 da Espanha (23%), 4 da Itália (9%), 3 da República Checa (7%), 2 da Eslováquia (5%) e um da Alemanha (2%). Os jovens europeus contaram ainda com um programa cultural que o IPCB lhes preparou: uma visita aos locais mais significativos da cidade Castelo Branco, nomeadamente Jardim do Paço, Museu Tavares Proença e Museu Cargaleiro, um passeio a Belmonte e Sortelha e outro a Marvão e Castelo de Vide.

Terapia pelo movimento

Pós-Graduação em Fiscalidade e Contabilidade

Mestrado em Supervisão e Avaliação Escolar

O IPCB/ Escola Superior de Gestão vai iniciar, no ano letivo 2012/2013, uma Pós-Graduação em Fiscalidade e Contabilidade. Tem como público-alvo licenciados nas áreas da gestão e da contabilidade, administradores, diretores e quadros superiores de empresas, de instituições financeiras e da administração fiscal. Podem, igualmente, frequentar o curso não licenciados, nomeadamente, Técnicos Oficiais de Contas, mediante a análise do currículo profissional. O curso é equiparado à formação promovida pela Ordem dos Técnicos Oficiais de Contas (OTOC), para efeitos de atribuição de créditos, de acordo com o previsto no Regulamento da Formação de Créditos para Efeitos do Controlo de Qualidade da OTOC.

O IPCB/ Escola Superior de Educação tem abertas as candidaturas ao mestrado em Supervisão e Avaliação Escolar, cujo período decorre entre os dias 10 de setembro a 19 de outubro. Os principais objetivos deste mestrado são conhecer teorias e modelos de supervisão pedagógica e das organizações educativas; perspetivar criticamente processos de supervisão, observação e avaliação pedagógica e institucional; aperfeiçoar competências ao nível da implementação, inovação e avaliação curricular na área específica de ensino; desenvolver capacidades para conceber, implementar e avaliar projetos a diferentes níveis educativos; coordenar processos de autoavaliação da organização educativa; desenvolver a au-

Os alunos do 3º ano da licenciatura em Fisioterapia do IPCB/Escola Superior de Saúde Dr. Lopes Dias avaliaram e trataram, durante o ano letivo de 2011/12, dezenas de crianças e adultos nas aulas da unidade curricular de Terapia pelo Movimento IV – Hidroterapia. Para além das consultas e tratamentos efetuados, os alunos deram seguimento às atividades pioneiras iniciadas naquela unidade curricular com as classes para crianças “crescer com saúde”, e as classes para adultos “mexa-se com saúde,” na piscina do IPCB/ ESALD. No corrente ano letivo, os alunos, sob a tutela da professora Rute Crisóstomo, realizaram classes de hidroterapia para doentes com Doença Venosa Crónica, e sessões individuais de hidroterapia a adultos e crianças, com diversos problemas de saúde, tais como, paralisia congénita do plexo braquial, paralisia cerebral, lesões do joelho, lombalgia, cervicalgia pós-cirúrgica, neuropatia periférica, esclerose múltipla, Acidente Vascular Cerebral, entre outros.

P.11

10

POLINFOR


breves

docentes do IPCB/ESE tiveram oportunidade de ser informados do modelo de formação que está a ser implementado, bem como das iniciativas desenvolvidas no primeiro ano de funcionamento daquele centro. Desta visita, ficou em aberto a possibilidade de cooperações futuras a estabelecer pelos docentes do IPCB/ ESE e aquele centro, que poderão passar pela realização de cursos intensivos.

Exposição de mobiliário urbano

O designer António Courela, licenciado pelo IPCB/Escola Superior de Artes Aplicadas, tem patente no Fórum Castelo Branco, de 29 de Setembro a 14 de Outubro, uma exposição de Design de Equipamento.

A mostra permite ao designer diplomado pelo IPCB/ESART dar a conhecer ao público em geral e aos profissionais do meio empresarial os seus recentes trabalhos na área do mobiliário urbano a que deu o nome de “Interior City”. Na sessão de abertura da exposição, Miguel Estima designer de equipamento e ex-docente do IPCB/ESART fez uma alocução sobre o tema “O Papel do Design no séc. XXI”.

Construção Sustentável

Fisioterapia para doentes O IPCB/Escola Superior de Saúde Dr. Lopes Dias iniciou quatro programas de fisioterapia destinados à população com problemas de Diabetes, Insuficiência Venosa Crónica ou Dor Lombar Crónica. Esta prestação de serviços à comunidade tem a duração de três meses. O programa destinado a utentes com Diabetes terá uma frequência bissemanal. Já para os utentes que possuam Insuficiência Venosa Crónica serão realizados dois programas de exercício em grupo, um em água e outro em terra. O programa destinado aos utentes com Dor Lombar Crónica tem, igualmente, frequência bissemanal. A partir de Janeiro 2013 funcionarão programas semelhantes e haverá novos programas destinados a pessoas com problemas respiratórias.

tonomia profissional inserida num processo de aprendizagem ao longo da vida; desenvolver conhecimentos, atitudes e competências que permitam investigar e assumir criticamente tarefas de supervisão e de avaliação.

TEATRIP - Teatro Académico do IPCB estreia peça

No dia 28 de setembro realizaram-se no IPCB/EST as primeiras provas públicas de apresentação de projeto/estágio do Mestrado em Construção Sustentável. “Caracterização de Resíduos de Construção e Demolição com Vista à sua Aplicação em Misturas Betuminosas” foi o tema do trabalho de dissertação defendido pela licenciada Ana Cristina Conceição, e que mereceu por parte do júri a classificação de Muito Bom. Com este projeto, a nova mestre em Construção Sustentável pretendeu “contribuir para o estudo da utilização de Resíduos de Construção e Demolição em camadas ligadas de pavimentos de estradas de baixo tráfego, de modo a que essa prática

se torne cada vez mais corrente”. Dos estudos realizados, Ana Cristina Conceição concluiu “que é viável a aplicação, embora parcial, de Agregados de Resíduos de Construção e Demolição em camadas ligadas de base em estradas de baixo tráfego. É, no entanto, imprescindível e urgente a criação de especificações que estabeleçam requisitos mínimos e recomendações para a sua utilização em camadas ligadas de pavimentos rodoviários de baixo tráfego”.

Criar o próprio negócio “Crie o seu negócio em 5 passos” foi o tema da formação que decorreu nos dias 19, 20 e 27 de setembro no Centro de Apoio Tecnológico Agroalimentar, em Castelo Branco. Organizada pela InovCluster, AEP - Câmara de Comércio e Indústria e pelo IPCB, a formação teve um programa estruturado para a promoção do empreendedorismo e do espírito empresarial. A iniciativa visou ainda sensibilizar os empreendedores para fatores essenciais e os passos relevantes a seguir para a constituição de empresas.

ensaios e montagem do novo espetáculo. O workshop de iniciação ao teatro vai decorrer de 5 de novembro a 15 de dezembro enquanto os ensaios e montagem do novo espetáculo decorrerão entre janeiro e abril de 2013. O espetáculo a criar terá um caráter transdisciplinar cruzando várias áreas artísticas como o teatro, o vídeo, e o som.

“Home4Students” já está operacional

O grupo TEATRIP - Teatro Académico do IPCB apresentou-se pela primeira vez à cidade de Castelo Branco, no dia 27 de Julho, no Cine Teatro Avenida, com o espetáculo de teatro “Depressa Vai o Tempo que Depressa Vem”. Ainda em constituição do ponto de vista formal, o grupo TEATRIP - Teatro Académico do IPCB, pretende ser um espaço de formação e criação artística gerador de uma nova dinâmica na vida académica dos alunos. O projeto congrega alunos e ex-alunos de vários cursos, foi concebido pela Pé de Pano – Projectos Culturais, e está a ser implementado em conjunto com a FACAB. Para o corrente ano letivo, o Teatro Académico do IPCB tem já agendado diversas atividades, nomeadamente um workshop de iniciação ao teatro e

Os três jovens diplomados do IPCB/EST Fábio Agapito, Cristiano Santos e André Gonçalves já têm “online” a plataforma de serviços de alojamento para estudantes “Home4Students” que permite aos utilizadores do serviço encontrarem casa de uma forma mais fácil e rápida. Esta ideia de negócio foi concorrente ao 8º concurso Poliempreende e esteve na base da constituição da AroundExtreme, empresa recentemente criada pelos jovens diplomados do IPCB/EST. A grande inovação do sistema “Home4Students” é promover o intercâmbio entre jovens de diferentes zonas do país, numa versão portuguesa da máxima “mi casa es tu casa”. Esta plataforma utiliza ainda um sistema de avaliação de casas, com base nas opiniões dos utilizadores, que permite às pessoas que estiveram na casa dar o seu parecer sobre a qualidade da habitação.

Ano 6, n.º 31 | III série | Setembro de 2012 | Depósito Legal n.º 164771/01 | ISSN: 1645-166X | © Propriedade: Instituto Politécnico de Castelo Branco, Av. Pedro A. Cabral n.º 12, 6000 084 Castelo Branco Director: Carlos Manuel Leitão Maia | Director Executivo: José Carlos Gonçalves | Editores Executivos: António Camões, Rui Monteiro Projecto Gráfico: Daniel Raposo, João Neves | Paginação: Serviços gráficos do IPCB | Periodicidade: trimestral | Edição On-line

POLINFOR

11


.


polinfor setembro