Issuu on Google+

Quinta-feira, 16.02.2017 | € 1,00

PUB

S a l ã o d e C a be l e ire iro . S a l a d e E s té tic a . S a l a d e Ma s s a ge ns H a ird re s s ing . B e a u ty . M a s s a g e s

w w w .l a te l ie r.pt T e l . 9 14 6 0 0 8 7 0

Quinzenário | Ano II | Nº 43 | Diretor: Rui Pires Santos

ARTE Pintura de caixas da EDP chega à cidade PÁG. 16

OBRAS Cemitério do Parchal finalmente em funcionamento PÁG. 6

POLÍTICA David Roque candidato do BE a Ferragudo PÁG. 3

l a te l ie rha ird e s ign@ gm a il .c om

‘RUA DO MERCADO’ Autarquia vai compensar comerciantes PÁG. 3

FATACIL Duplica procura por parte de empresas e expositores PÁG. 3

Bela Vista quer discutir medalhas com os grandes

‘Clube do Ano’ no atletismo algarvio, o emblema do Parchal ambiciona afirmar-se a nível nacional. PÁG. 8 e 9

Polémica ambiental na zona das Alagoas Manifestantes tentam parar projeto urbanístico devido a questões ambientais. PÁG. 3

José Inácio confirmado como candidato à Câmara PÁG. 5

Espaço Comunitário de Estômbar estimula idosos Entidade presta apoio a cerca de três dezenas de crianças e jovens em diversas àreas, enquanto um grupo de 12 utentes dos 65 aos 80 anos preenche os dias com trabalhos manuais e musicoterapia. PÁG. 4 e 5 PUB

Rua Coronel Figueiredo, 8400-306 Lagoa E: geral@lagoabusinesscenter.com | Telf: 282 353 555 | Tlm: 967 239 048 ARRENDAMENTO DE ESCRITÓRIOS | COWORKING | SALA REUNIÕES


Quinta-feira, 16.02.2017

2

// Página Dois LAGOA INFORMA

EDITORIAL

Mais e boas notícias Por norma, é no fim de cada edição, após ter todas as páginas do jornal escritas e maquetadas, que costumo preencher este espaço a que chamamos editorial. Nem sempre é fácil, devido a algum cansaço e desgaste, mas é altamente compensador quando olho para uma edição como esta, a número 43, e vejo a riqueza de conteúdos e a diversidade de informação. Continuo, porventura com alguma ilusão, a sentir a necessidade de ter em cada número bons textos, notícias apelativas e exclusivas, conteúdos para diferentes públicos e faixas etárias. Isso para mim é fundamental, porque, acima de tudo, mantém a qualidade de um jornal ou de uma publicação que quer ser lida, mantendo também a fidelidade dos leitores. A essa diversidade, juntamos uma arrumação (paginação) que ajuda as pessoas a ler e a chegar mais facilmente à informação ou, em pouco tempo, a obter o essencial da mesma. Olho para esta edição e vejo que grande parte desses requisitos está cumprida. Mas acho que ainda podiamos fazer melhor… Reconheço que fico triste quando não consigo ter uma edição a este nível, o que já aconteceu algumas vezes, por razões nossas, externas ou outras. É talvez excessiva esta postura e forma de estar, porque nos entristece, nos desgasta e gera sempre insatisfação, mas sei que é seguramente a única maneira de manter a fasquia alta, de procurar ir mais além e prosseguir o rumo a que sempre me propus com o Lagoa Informa: um jornal de qualidade, que valorize Lagoa e os lagoenses, com notícias e conteúdos exclusivos, sempre a pensar no leitor. E esta edição é a prova disso mesmo. Ainda assim, sabemos que podemos fazer melhor e esse será, sempre, o meu objetivo e daqueles que me acompanham. No dia em que isso não acontecer, em que estivermos apenas ‘a encher chouriços’ – expressão que usamos entre jornalistas –, não estarei aqui. Esta é a força que move o Lagoa Informa. Por isso, nesta edição, apresentamos cerca de 30 peças jornalísticas, entre notícias e reportagens, para os nossos leitores. Da política ao desporto, do associativismo à cultura, da sociedade à segurança, são muitos os pontos de interesse no seu Lagoa Informa. Votos de boas leituras.

Rui Pires Santos

Diretor: Rui Pires Santos

A FIGURA JOAQUIM JOÃO

Colaboradores: Fernando M. Vieira, Len Port, Manuel Cabrita, José Manuel Oliveira Paginação: Vanessa Correia

Depois do sucesso registado em Carvoeiro, o projeto de pintura das caixas da EDP está já a embelezar as ruas de Lagoa, numa iniciativa da União das Freguesias de Lagoa e Carvoeiro, liderada por Joaquim João. Uma pequena intervenção com impacto no espaço público e uma ideia inovadora que tem feito toda a diferença, tanto que este é um projeto que já está a ser replicado por outras Juntas de Freguesia e Câmaras Municipais do país.

Fotografia: Eduardo Jacinto e Kátia Viola

AVANÇA FINALMENTE O CEMITÉRIO DO PARCHAL

Composição do Capital: 100% propriedade Rui Pires Santos

Com a recente entrada em funcionamento do cemitério do Parchal, é encerrado por fim um longo e sinuoso processo que se arrastou por quase uma década e cujas consequências já se faziam sentir. Neste caso, como infelizmente em tantos outros, mais uma vez esteve em causa a forma algo ligeira como são abordados processos que – pelo contrário – exigem total atenção aos mais ínfimos pormenores.

Nº registo ERC: 126668

LOTEAMENTO DA ZONA DAS ALAGOAS Por detrás do recinto da FATACIL está uma zona húmida que tem sido ‘casa’ de muitas aves. É um habitat natural em risco de desaparecer, depois de em 2008 ter sido aprovado o loteamento de toda aquela área. Nessa altura, algo tinha de ser feito, mas ninguém se preocupou ou agiu - cidadãos e políticos - quando o processo estava em consulta pública. Um qualquer estudo de impacto ambiental não se sabe como - viabilizou a aprovação. Tanto quanto o atentado ambiental, há o elevado risco de inundação da área, na qual não deveria existir nenhum dos dois supermercados que lá estão. É esperar por um S. Pedro num dia mais mal-disposto e ver o que acontece...

Propriedade e Editor: PressRoma, Edição de Publicações Periódicas, Unip. Lda. Rua Direita, nº13 8400-483 Porches

NIF: 508 134 595

Depósito Legal nº: 394540/15 Redação: Lagoa Business Center Rua Coronel Figueiredo, Loja 12 8400-306 Lagoa Email: lagoainforma@gmail.com Telf: 282 353 555 96 782 36 48 Impressão: FIG - Indústrias Gráficas Rua Adriano Lucas 3020-265 Coimbra Tiragem: 4.000 exemplares Periodicidade: Quinzenal Estatuto editorial: http:// algarvevivo.pt/sobre-nos/

PUB


Quinta-feira, 16.02.2017

Abertura //

POLÉMICA MANIFESTAÇÃO PROCURA PARAR ARRANQUE DE OBRA D.R.

Portugueses e estrangeiros residentes marcaram presença na manifestação D.R.

3

Listas conhecidas no final de fevereiro

David Roque é candidato pelo Bloco de Esquerda à Junta de Ferragudo O atual deputado do Bloco de Esquerda (BE) na Assembleia Municipal de Lagoa, David Roque, deverá ser o candidato dos bloquistas à Junta de Freguesia de Ferragudo nas próximas eleições autárquicas, segundo apurou o Lagoa Informa. O BE mostra ambição nas próximas autárquicas no concelho de Lagoa e procura, assim, apresentar um nome forte da estrutura partidária em Ferragudo, estando a preparar candidaturas a todos os órgãos autárquicos, o que acontecerá pela primeira vez no município. Por esta altura, falta ainda confirmar alguns dos candidatos – os convites foram efetuados, mas nem todos deram ainda o seu aval –, sendo que até final do mês deverão ser públicas as listas. Segundo sabe o nosso jornal, irão encabeçá-las pessoas que representam gerações mais jovens, uns militantes, outros apenas simpatizantes. – R.P.S. D.R.

Em 2008 foi aprovado o projeto de loteamento da zona em causa

Quase 90 pessoas em protesto contra obras na zona das Alagoas Autarquia considera nada poder fazer, pois autorizações foram concedidas em 2008, ainda com o anterior executivo. Rui Pires Santos José Manuel Oliveira

P

erto de 90 pessoas manifestaram-se no passado domingo, 12 de fevereiro, em protesto contra as obras que se iniciaram recentemente na zona das Alagoas, atrás do recinto onde decorre a FATACIL. Aquela área húmida, um ‘habitat’ natural de aves e, segundo os ambientalistas, rica em termos de diversidade ecológica, vai dar lugar a um loteamento industrial, no qual deverá surgir um hipermercado, de acordo com projeto aprovado em 2008. Ainda que, no início, tenha estado pouca gente, já perto das 12h00, quando foi lida e aprovada por unanimidade uma moção, em português e inglês, juntaram-se quase 90 pessoas, entre populares, ambientalistas e alguns políticos, num protesto agendado através das redes sociais.

Além dos promotores da manifestação e residentes na zona, estiveram na contestação o dirigente da associação ambientalista Almargem, João Santos, e o deputado do Bloco de Esquerda na Assembleia da República, João Vasconcelos.

Autarquia defende-se “O projeto de loteamento para expansão dessa zona industrial foi aprovado em 2008, pelo anterior executivo, tal como o processo de consulta as entidades, que já vinha de trás. Neste momento, está tudo devidamente autorizado e licenciado, a Câmara nada pode fazer”, afirmou ao Lagoa Informa Francisco Martins, presidente da autarquia. Apesar disso, os promotores do protesto defendem que “ainda que as obras tenham sido licenciadas, o enquadramento legal não justifica o atentado ambiental efetuado, porque estão em causa valores

superiores como a conservação de espécies raras no nosso país”, pretendendo “convencer a Câmara Municipal a intervir e a chegar a acordo com os proprietários, de forma a manter pelo menos uma parte do local.” Refira-se que esta área de urbanização resulta da expansão da zona industrial por detrás da FATACIL e inclui sete lotes industriais. Dois deles, no âmbito das cedências obrigatórias, situados perto do campo de futebol do Grupo Desportivo de Lagoa, foram cedidos à Câmara. Contactado pelo Lagoa Informa, José Inácio, presidente da Câmara Municipal na altura da aprovação do loteamento, não quis prestar, para já, declarações. “Não faço comentários. Consultem os documentos do processo que estão na Câmara. Não quero entrar em polémicas, ainda mais em ano de eleições”, afirmou.

Número de inscrições aumenta significativamente

FATACIL 2017 duplica procura por parte de expositores A FATACIL de 2017, que se realizará entre 18 e 27 de agosto, está a gerar uma enorme procura por parte de empresas e expositores, que pretendem participar no certame deste ano. Comparativamente à edição de 2016, mais que duplicaram as inscrições por parte das entidades que queem apresentar-se e expor no evento. “A feira tornou-se mais atrativa para as marcas e empresas, devido ao considerável aumento do número de visitantes e ao sucesso registado, não só em 2016, como nos dois anos anteriores. Por isso, dobrou o número de inscrições no evento. Está a registar-se um aumento em todos os setores, tanto comercial como no artesanato. Esta elevada procura vai tornar os critérios de seleção mais rigorosos”, revelou ao Lagoa Informa o vereador da autarquia Luís Encarnação. Face a esta elevada procura, a organização “pondera em breve fechar as inscrições”. “Neste momento, já estamos a apurar os elementos sobre as candidaturas, se cumprem ou não os requisitos pretendidos. Vamos, também, estabelecer contactos diretos com artesãos de referência para virem à feira, pois esta é uma aposta nossa, uma vez que o setor do artesanato vai beneficiar de uma melhoria significativa, passando a contar com muitos profissionais do Algarve”, revelou. – R.P.S.

Obras na ‘rua do mercado’

Autarquia vai compensar comerciantes financeiramente Os comerciantes e lojistas que estão a ser afetados pelas obras na ‘rua do mercado municipal’ vão ser compensados financeiramente pela Câmara. Segundo soube o Lagoa Informa junto de um empresário, a autarquia reuniu com os comerciantes, num encontro onde estiveram o presidente Francisco Martins e o vice-presidente Nuno Amorim, no qual foi solicitada uma estimativa das perdas que cada um estaria a sofrer no período em que a artéria está fechada ao trânsito. Os valores foram já enviados para o Município, que analisará cada caso. Fonte da autarquia confirmou ao nosso jornal “a realização da reunião e que, após um estudo ainda a decorrer, será atribuído um valor a cada loja e espaço comercial”. A título oficial, a edilidade continua a garantir que os trabalhos estão a decorrer dentro dos prazos definidos e que ficarão concluídos no final de março ou nos primeiros dias de abril.


Quinta-feira, 16.02.2017

4

// Sociedade

AÇÃO SOCIAL LOCAL DE APRENDIZAGEM, FORMAÇÃO E CONVÍVIO PARA DIFERENTES IDADES

Espaço Comunitário de Estômbar com atividades para todos A funcionar desde setembro de 2013, esta associação sem fins lucrativos presta apoio a cerca de três dezenas de crianças e jovens, enquanto um grupo de 12 utentes dos 65 aos 80 anos passa os dias, nomeadamente, com trabalhos manuais e musicoterapia. FOTOS: KÁTIA VIOLA

José Manuel Oliveira

E

spaço TIC, com vários computadores, apoio ao estudo, filosofia para crianças e jovens, oficina das artes, música, aulas de cavaquinho, cinema português, tertúlias, ações de formação, biblioteca, ludoteca, zumba, ballet, badminton, danças modernas, terapia da fala, psicologia, caminhadas, passeios e convívios são algumas das atividades proporcionadas pelo Espaço Comunitário de Estômbar. Inaugurado no dia 21 de setembro de 2013, situa-se na Rua Infante D. Henrique, junto ao Mercado Municipal, num edifício propriedade da União das Freguesias de Estômbar e Parchal, onde há anos funcionou um infantário. 12 utentes entre os 65 e os 80 anos passam ali as suas tardes desenvolvendo várias ações, nomeadamente trabalhos manuais, gerontomotricidade, jogos para uma mente sempre ativa e musicoterapia. Depois das aulas, é tempo para as crianças e os jovens, num total de cerca de três dezenas. Além de duas funcionárias, há cerca de 30 voluntários.

Biblioteca com 4000 livros Susana Ferreira, educadora de infância, mestre em Ciências da Educação e presidente da direção daquela associação, que só em 2016 levou a efeito 81 atividades diferentes, contemplando um total de 1.705 beneficiários de todas as idades (dos 2 aos 92 anos), abre as portas ao Lagoa Informa para uma visita guiada, a começar pela biblioteca situada no rés-do-chão, com mais de quatro mil livros. “A maioria é da Biblioteca Municipal de Lagoa e outros resultam de doações. Muitas vezes, o espaço é utilizado por pais e mães, que preferem sobretudo romances e alguns livros que estão mais em destaque no país, enquanto os filhos se dedicam ao ballet e ao karaté, entre outras atividades”, conta. Noutra sala, onde funcionava

Funcionárias e voluntárias do Espaço Comunitário de Estômbar, acompanhados pelo presidente da União das Freguesias, Joaquim Varela uma cantina, o espaço foi transformado em área polivalente para aulas de karaté, zumba, ballet, danças modernas e motricidade. Aos sábados, aqui é também o local de trabalho do grupo psicoterapêutico, o qual inclui terapia da fala e psicologia, e complementa a ação individualizada nestas áreas, que ocorre ao longo da semana. No primeiro andar existe uma sala TIC, com dois computadores, e um espaço para a musicoterapia. “São atividades recentes, têm apenas um mês”, esclarece Susana

um “projeto em permanente construção”. “Com a musicoterapia não queremos ensinar a tocar instrumentos, mas sim, através da música, contribuir para a experiência de crescimento individual e emocional. “Uma das preocupações é não replicar atividades já desenvolvidas na comunidade, pois o que interessa é oferecer coisas diferentes”, sublinha a presidente da direção do Espaço Comunitário de Estômbar. Em relação aos mais jovens, esta associação beneficia de um proto-

“Uma das preocupações é não replicar atividades já desenvolvidas na comunidade” Ferreira, que considera o Espaço Comunitário de Estômbar como

colo com a instituição Centro de Estudos Mentes Brilhantes através

Importância da terapia da fala Uma das atividades em destaque é a terapia da fala e a psicologia, por se tratar “de uma lacuna que sentimos muito” nesta zona do Algarve. “O nosso sistema de ensino não consegue integrar os técnicos suficientes para dar resposta às necessidades da comunidade. É preciso um grande investimento, não só ao nível dos professores e dos auxiliares, mas também dos outros técnicos que servem de retaguarda e que conseguem com a sua intervenção especializada resolver problemas que permitem ‘cliques’ no desenvolvimento das crianças.” “Aqui conseguimos colmatar essas falhas. No início, tínhamos só uma terapeuta da fala e neste momento já são duas. Falamos de 24 crianças do ensino pré-escolar e do primeiro ciclo. Há crianças que, na fase de arranque, necessitam de duas sessões por semana. Depois, a própria família já consegue desenvolver os exercícios e os miúdos só precisam de vir aqui uma vez por semana.”

do qual desenvolve atividades de apoio ao estudo. “As tertúlias são também iniciativas a que as pessoas aderem, com temáticas muito variadas, desde o 25 de Abril de

1974 à inteligência emocional. A diversidade é imensa”, refere Susana Ferreira. Por outro lado, adianta que desenvolvem “ações de formação de


Quinta-feira, 16.02.2017

Sociedade //

Candidato à Câmara de Lagoa

apoio a idosos e a acamados, a cargo de uma profissional de saúde em enfermagem. Veio ensinar quais os procedimentos para cuidar de acamados. Não significa que sejam apenas idosos. Podem ser pessoas vítimas de acidentes. À semelhança de todas as nossas atividades, os valores que pedimos a quem as frequenta são muito baixos, por vezes irrisórios. Para as formações, por exemplo, pedimos dois ou três euros porque o importante é que as pessoas as consigam frequentar.”

José Inácio confirmado pelo PSD Algarve Tal como o Lagoa Informa revelou na edição de 5 de janeiro passado, José Inácio é o candidato à Câmara pelo PSD, depois de no passado fim-de-semana a Comissão Política Distrital dos sociais-democratas ter confirmado o nome do ex-autarca como o escolhido para tentar destronar o PS da liderança do Município. A candidatura de José Inácio já tinha sido aprovada por unanimidade em assembleia de militantes e foi agora confirmada pela Distrital, num cenário há muito esperado. Por conhecer estão os nomes que vão acompanhar o cabeça-de-lista, numa tarefa que não se afigura fácil, pois algumas das figuras mais conhecidas e populares do PSD estarão noutras ‘batalhas políticas’. É que Rui Correia vai candidatar-se à União das Freguesias de Lagoa e Carvoeiro, enquanto o advogado Joaquim Cabrita será o candidato à Assembleia Municipal. Até ao final do mês, deverão ser anunciados pelos sociais-democratas os cabeças-de-lista a todas as juntas de freguesia do concelho.

Línguas para todos Ao longo destes quase quatro anos, o Espaço Comunitário de Estômbar tem procurado diversificar as suas atividades. Já houve aulas de português para as comunidades inglesa e francesa, e de inglês de iniciação destinadas a portugueses. A parceria com as escolas é outra das apostas. “Nas ações de sensibilização dos direitos da criança, em 2016, trabalhámos em parceria com a Escola Internacional do Algarve, envolvendo 126 alunos e 32 docentes.” Já o pavilhão da Escola EB 2.3 de Estômbar tem sido aproveitado para a prática de badmiton, na sequência de uma parceria com a Câmara Municipal de Lagoa. Conta com um grupo de 20 atletas, oito deles federados e premiados em competições nacionais e internacionais. Um acordo com a instituição Mentes Brilhantes, que possui um centro de estudos no Parchal, possibilita receber crianças, em que as mais carenciadas pagam 20 euros por mês para ter todos os dias apoio ao estudo.

Apelo aos jovens Susana Ferreira apela aos jovens para que se apropriem do Espaço Comunitário, desenvolvendo as atividades que queiram: “Gostaríamos muito que o tornassem num espaço de estar. Só que também vivemos num paradigma social em que os jovens não têm tempo para estar uns com os outros. Quando tínhamos estas idades, gostávamos de estar na rua, não havia telemóveis, computadores, nem Internet.

5

Recuperação dos passadiços sobre o canal

Obras na ‘baixa’ de Ferragudo a terminar O espaço comunitário funcionada junto ao mercado Hoje, é o telemóvel que domina tudo. Para contrariar esta realidade, uma das iniciativas que temos em estudo é a promoção de um torneio de matraquilhos e outro de ténis de mesa para conseguirmos, através de atividades pontuais, atrair os jovens e a comunidade masculina em geral.”

Voluntários Nas áreas de intervenção desta associação também figuram ações de apoio de proximidade. “Tem a ver com a comunidade e as pessoas que estão isoladas, ou quando há pequenos arranjos que são necessários, como uma torneira que não funciona lá em casa. Um dos objetivos do Espaço Comunitário de Estômbar é organizar uma rede de voluntários com diferentes valências, pois acreditamos que o exercício do voluntariado contribui para a construção dos projetos de vida em todas as idades”, defende Susana Ferreira.

“A vida não é só telemóvel” Ana Cruz e Sónia Domingos, educadoras sociais, contam ao Lagoa Informa quais são os problemas dos mais jovens e dos idosos e

Projeto chega ao Parchal O presidente da União das Freguesias de Estômbar e Parchal, Joaquim Varela, explica como nasceu o Espaço Comunitário neste edifício propriedade da Junta: “Surgiu quando a associação Universo dos Mistérios veio propor uma parceria com o objetivo de transformar este espaço num centro comunitário. Para já, é a União das Freguesias de Estômbar e Parchal que suporta as despesas deste edifício com o pagamento da água, luz, seguro e manutenção. Dados os evidentes benefícios para a população, este projeto irá futuramente estender-se ao Parchal. “

como ocupam os seus tempos no Espaço Comunitário de Estômbar. Nesta sua primeira experiência profissional após a obtenção da licenciatura na Universidade do Algarve, a educadora social Ana Rita Cruz, de 25 anos, faz “de tudo um pouco”. “Fazemos a coordenação e a dinamização de todas as atividades que aqui decorrem, desde o ‘ateliê’ das artes e a psicomotricidade, até ao karaté, balett, organização de eventos, além da parte administrativa, por exemplo a gestão dos associados e dos voluntários”, descreve. “Cabe-nos ajustar as atividades ao público-alvo que temos. Por exemplo, os trabalhos manuais com as senhoras que frequentam este espaço são muito variados, desde a remodelação de pequenas coisas que elas têm, até à pintura de caixinhas e quadros. Tentamos sempre inovar e fazer trabalhos utilizando materiais recicláveis”, realça. Por seu turno, Sónia Domingos, de 34 anos, natural de Monchique, também licenciada em Animação Sociocultural e que se encontra há cinco meses no Espaço Comunitário de Estômbar, considera “gratificante” esta experiência: “Gosto de trabalhar com pessoas, com este público-alvo. Acho que nos ensinam alguma coisa e nós também lhes ensinamos.” Quanto a problemas que sente nas crianças e nos jovens, esta profissional reconhece que “a vida, hoje em dia, baseia-se nas tecnologias de comunicação e nas redes sociais. Tentamos que percebam que não há só o telemóvel, proporcionando-lhes diferentes vivências e eles já vão conseguindo interiorizar isso”, nota Sónia Domingos.

Estão em fase conclusiva as obras de requalificação que têm decorrido nas ruas 25 de Abril e Vasco da Gama, em Ferragudo, com a substituição das condutas de abastecimento de água e reconversão das pluviais. A intervenção, a cargo da Câmara Municipal de Lagoa, também inclui a pavimentação com calçada tradicional portuguesa e terá um custo próximo dos 70 mil euros. Seguir-se-á a colocação de equipamentos na via pública, da responsabilidade da Junta de Freguesia local. Por outro lado, a autarquia de Lagoa também está a proceder à recuperação das pontes pedonais sobre o canal de Ferragudo, que se encontravam em mau estado de conservação.

A partir do Espaço Comunitário de Estômbar

Caminhada vai ajudar quem mais precisa O Espaço Comunitário de Estômbar promove no dia 4 de março uma caminhada solidária, que terá início às 10h00. O ponto de encontro é junto à sede da instituição, ainda que a caminhada decorra depois no passadiço de Carvoeiro. Para se associarem à iniciativa, os participantes deverão levar alimentos não perecíveis, destinados a ajudar famílias carenciadas que residem na área da freguesia. Haverá transporte disponível de Estômbar para Carvoeiro.

Recebem o Queluz neste domingo

Sub-14 da ACD estreiam-se a ganhar A equipa feminina sub-14 da ACD Ferragudo estreou-se da melhor forma na fase zona sul do 4º Campeonato Nacional de Basquetebol, batendo fora o Grupo Desportivo de Mem Martins por esclarecedores 96-28. As atuais campeãs regionais do Algarve recebem neste domingo, 19 de fevereiro, o Clube de Basket de Queluz, em jogo da segunda jornada da prova, marcado para as 16h30 na Nave Desportiva de Ferragudo.

Homenagem aos sócios falecidos

Capricho Estombarense soprou 80 velas A Sociedade Recreativa Capricho Estombarense está de parabéns pelo 80º aniversário de fundação, celebrado a 28 de janeiro. Do programa que assinalou a efeméride, a popular coletividade homenageou os sócios com meio século de filiação, promovendo na Igreja Matriz de Estômbar uma missa em memória dos associados falecidos ao longo do seu já longo historial.


Quinta-feira, 16.02.2017

6

// Sociedade

EQUIPAMENTO ABERTO DESDE 3 DE FEVEREIRO

OPINIÃO

Cemitério do Parchal em funcionamento Infraestrutura custou 1,2 milhões de euros. Falta de estudo sobre as características geomorfológicas do terreno, na obra iniciada em 2008, atrasou trabalhos. CM LAGOA

Rui Pires Santos

D

epois de os trabalhos de construção se terem iniciado em 2008, o novo cemitério está, finalmente, à disposição das populações de Parchal e Estômbar, que há muito reclamavam esta infraestrutura. Ao Lagoa Informa, o vereador da Câmara de Lagoa, Luís Encarnação, explicou o porquê de ter demorado tanto tempo até abrir portas. “Quando chegámos à Câmara em 2013, já tinha passado uma série de anos desde o início dos trabalhos, ainda em 2008. O que procurámos fazer foi agilizar o processo e tentar concluir a obra mais rapidamente, até porque já havia sobrelotação no cemitério de Estômbar. O problema que houve, desde o início, foi a de falta de planeamento de quem cá estava antes, pois não realizou nenhum estudo quanto às características geomorfológicas do terreno. Isso devia ter sido feito logo ao início”, refere Luís Encarnação. “Já íamos a meio da quarta fase da obra e não tinha existido essa análise. Então, encomendámos esse estudo, o quaL nos veio indicar que aquela era uma zona de aterro e que o solo não tinha as características necessárias para a

Espaço dispõe de melhores e mais modernas condições decomposição dos corpos. Assim, tivemos de fazer um investimento suplementar para retirar uma parte significativa da terra que lá estava e colocar terras de empréstimo com as caraterísticas apropriadas à decomposição anaeróbica dos corpos. Este processo atrasou a conclusão da obra, que já de si vinha atrasada”, explica.

Maior capacidade O cemitério do Parchal, que está em funcionamento desde 3 de fevereiro, tem capacidade para a inu-

mação de 180 corpos em gavetões, 300 em covais e cerca de 600 ossários, dispondo também de portaria, duas capelas ecuménicas para velório, loja de florista, armazém, área técnica e área de inumações. Nesta fase inicial, estará aberto ao público das 08h30 às 17h00, entre segunda e sábado, prolongando-se até às 23h00 quando houver velórios. Para mais informações, deverão os interessados contactar os Serviços do Balcão Único da Câmara Municipal de Lagoa.

Nas escolas do concelho

Assinalado Dia Escolar da Não-Violência e da Educação pela Paz A 30 de janeiro comemorou-se o Dia Escolar da Paz e da Não-Violência, com diversas atividades nas escolas do concelho, com o apoio da Câmara Municipal, no âmbito do Projeto ‘Portal B* – Uma escola feliz é o que se quer’. A iniciativa serviu para valorizar a cultura da paz, da partilha e da solidariedade. Foram criados grupos de voluntários/ativistas sociais (jovens

estudantes que se ofereceram para ajudar os outros) que desenvolverão atividades nas escolas, apelando à visão de partilha, equidade e cidadania ativa. O acompanhamento técnico deste projeto é da responsabilidade do PortalBullying.com.pt, plataforma de referência na área da prevenção do ‘bullying’ e da violência em meio escolar.

O Projeto ‘Portal B – Uma escola feliz é o que se quer’ é uma parceria entre a Câmara Municipal, a Associação de Pais APELA XXI e os Agrupamentos de Escolas ESPAMOL e Rio Arade, com o objetivo de preparar a comunidade educativa para agir na promoção de comportamentos saudáveis e na prevenção da violência em meio estudantil.

Um bom exemplo e a nossa má prática

Joaquim Martins Cabrita Advogado

Assisti no outro dia a reportagem na TV sobre a cooperação entre os municípios do Minho (creio que no caso era Vila Nova de Cerveira) e os da Galiza, pondo-se em evidência o aproveitamento das sinergias múltiplas e a partilha de infraestruturas.

Exemplos concretos há muitos, por exemplo a Orquestra do Algarve acabou por não singrar com a pujança e a dimensão que devia e merecia, porque os municípios nunca foram capazes de acertar uma estratégia e com alguma durabilidade executá-la.

Concretamente, além de ser evidente a participação dos habitantes do lado espanhol nos eventos culturais e desportivos, do lado português e vice-versa, ficava-se a saber que os pais do lado espanhol tinham os filhos nas creches do lado português e que as crianças e jovens do nosso lado frequentavam a Escola de Música do lado de lá.

Também o caso do Pavilhão do Arade é sintomático, toda a gente achava que faltava um grande Centro de Congressos no Algarve, mas uma vez feito, nunca a coordenação permitiu usá-lo bem e, de repente, parece que o Centro já não é do Algarve, mas só de Lagoa.

Mais: os municípios de cada lado, assumiam uma atuação coordenada e não duplicavam o tipo de estruturas e equipamentos, abrindo o uso dos que possuíam aos dois lados, por exemplo, os espanhóis desistiram de fazer uma piscina, porque a portuguesa é boa e tem capacidade para os dois municípios. Olhando para isto e vendo o que se passa no nosso Algarve, não é possível deixar de admirar ali o verdadeiro espirito de união europeia e de ficar com inveja pelo que, sendo nós uma região natural, não somos capazes de fazer. Aqui a estratégia, infelizmente, tem sido muito a contrária e quando num Concelho se sabe que o vizinho vai ter, ou quer fazer algo, a tentação é ir logo fazer o mesmo. Depois, o resultado é encontrar equipamentos subaproveitados, projetos falhados e oportunidades perdidas, sendo bem mais comum a impossibilidade de prosseguir objetivos, ou a sua não concretização, por falta de concerto no momento certo.

E muitos outros exemplos existem, quer na falta de partilha e articulação de infraestruturas, quer mesmo, por exemplo, na articulação de serviços e meios, que entre municípios vizinhos poderiam, com maior racionalidade e eficiência, ser partilhados e usados conjuntamente. É absolutamente natural, legítimo e até benéfico, que cada um tenha orgulho no que tem e o promova como seu, mas em muitos aspetos, em bastantes áreas e sob variadas formas, a cooperação e a coordenação dariam, não só bons frutos localmente, como ajudaria a um Algarve mais reivindicativo e com maior poder “extra muros”. Talvez se fossemos mais solidários e coordenássemos melhor os interesses, o Estado não nos tratasse como região da periferia, onde só se gasta quando é mesmo necessário e o mínimo possível (como é evidente pela aberrante situação das obras paradas na EN 125) e nos passasse a tratar “nas palminhas” como devia, em função do nosso contributo para a riqueza nacional e enquanto “montra do país” para todos os que nos visitam.


PUB

PUB


Quinta-feira, 16.02.2017

8

// Reportagem

ATLETISMO ASSOCIAÇÃO ACADÉMICA DA BELA VISTA APOSTA FORTE

“Um dia discutiremos medalhas com os grandes clubes nacionais” Eleito ‘Clube do Ano’ pela Associação de Atletismo do Algarve, o emblema do Parchal conta com uma centena de praticantes de todas as idades. NÚMEROS 97 Num universo superior a uma centena de inscritos na Associação de Atletismo do Algarve, a AABV conta com 97 atletas a competir de forma regular. DOS 4 AOS 65 ANOS Desde os escalões de formação iniciais até aos veteranos, a faixa etária abrangida pelos atletas vai dos 4 aos 65 anos. 400 O clube conta atualmente com cerca de 400 sócios.

A camaradagem e o espírito de grupo ajudam a explicar o crescimento da AABV e os resultados que estão a ser alcançados no atletismo Texto: Fernando M. Vieira Fotos: Eduardo Jacinto

S

ó quem não acompanha a evolução da AABV – Associação Académica da Bela Vista é que poderá ter ficado surpreendido com o título de ‘Clube do Ano 2016’, atribuído pela Associação de Atletismo do Algarve (AAA) em janeiro passado. Na ocasião, também foram distinguidos os treinadores Vítor Custódio e Gabriel Ramos, a atleta Vera Fernandes e Paulo Roberto, fundador e presidente de direção da AABV, que recorda como tudo começou: “A coletividade nasceu há quase 11 anos, da vontade que senti em colocar a Bela Vista no mapa, como se costuma dizer.” “Neste já longo período, claro que passámos por momentos altos e baixos, estes mais nos primórdios do clube, porque houve alguém que se quis aproveitar politicamente do projeto. Felizmente, a situação foi sanada porque os associados se uniram em torno do objetivo original”, sintetiza o responsável.

Salto qualitativo Ao Lagoa Informa, Paulo Roberto refere que o atletismo surgiu há

cerca de sete anos, na sequência da inauguração do Estádio Municipal da Bela Vista, “pelas espetaculares condições criadas para a prática da modalidade. Sempre a crescer, para esta época desportiva a equipa técnica foi reforçada com o convite endereçado ao treinador Gabriel Matos, pois o Vítor Custódio já tinha algumas dificuldades em gerir tantos atletas. Em boa hora o fizemos, pois a aposta está a permitir diversas vitórias e resultados de realce nas competições em que participamos.” “No apoio e carinho que prestamos aos nossos atletas, não distinguimos o mais novo do mais veterano, são todos tratados por igual”, destaca o presidente de direção, segundo o qual “adquirimos há pouco uma segunda carrinha para as deslocações, em segunda mão, que nos custou cerca de 11

“AABV - Alegria, Amizade, Bem-estar e Valores humanos.”

mil euros. Nós aqui damos passos seguros e ponderados, tendo por ambição ir o mais longe possível. É por isso que neste ano já competiremos nos campeonatos nacionais. Se continuarmos a este ritmo, um belo dia estaremos a discutir medalhas com os grandes clubes portugueses...!” “Como gosto de dizer, o nosso lema é ‘Alegria, Amizade, Bem-estar e Valores humanos’, aproveitando as siglas da associação”, sublinha Paulo Roberto.

Responsabilidade acrescida Para o treinador principal, Vítor Custódio, a recente distinção da AAA “é um incentivo ao trabalho que temos desenvolvido. O galardão constitui um grande orgulho para nós, técnicos, mas sobretudo para os miúdos, pois espelha a aplicação deles.” “A nossa filosofia é que os miúdos se divirtam a competir, não impondo a conquista de títulos nem a obrigatoriedade de resultados. Para além de formar os atletas, pretendemos que gostem do que fazem. Depois, tudo o que vier por acréscimo será bem-vindo”, afirma o treinador, para quem “a responsabilidade temo-la todos os

dias, porque quando vamos para a pista trabalhar com as crianças não estamos só a procurar fazer atletas, mas igualmente a contribuir para que sejam melhores seres humanos, dando sempre prioridade aos

estudos.” “Na época 2016/2017, a equipa reforçou-se com um grupo de jovens que vieram de Tunes, trazidos pelo Gabriel Ramos, e também com quatro atletas dos nossos vizi-

Gabriel Ramos: “Formamos atletas de bom caráter” Com muitos anos de experiência na formação de novas fornadas de atletas, Gabriel Ramos explica ao Lagoa informa os motivos da sua transferência para a Bela Vista: “Mudeime de armas e bagagens da Associação Desportiva e Cultural de Tunes porque tenho acompanhado há algum tempo este projeto e considero-o ambicioso. Trouxe comigo alguns atletas que aqui dispõem de excelentes condições para evoluir. Os resultados estão a aparecer, mesmo contra equipas com mais anos de atividade e outras possibilidades.” Sobre o que é requerido a uma criança para praticar atletismo, o técnico nem hesita: “Basta querer experimentar! Quando se começa na base, precisam de brincar um bocadinho para ganhar gosto. Claro que nós, treinadores, também devemos incutir-lhes um pouco de ambição, para que melhorem. O fundamental é desviar os jovens de maus caminhos, formando atletas, mas acima de tudo pessoas de caráter. Estou satisfeitíssimo com esta minha mudança e desejo continuar por muitos e bons anos na AABV.”


Quinta-feira, 16.02.2017

Reportagem //

9 D.R.

Zélia Sousa

“Grupo unido” “Há sete anos que pratico atletismo e gosto muito das condições de trabalho do clube, em que o pessoal é unido e divertido. O treinador puxa por nós e tem métodos elaborados, que permitem evoluir. Estou a tirar o curso de Viticultura e Enologia na ESPAMOL, mas o meu sonho é seguir desporto.

“Experimento tudo”

Marta Martins

“Foi há dois anos que me iniciei na AABV, onde experimento todas as modalidades do atletismo, desde corridas de velocidade e resistência, aos saltos em comprimento. Gosto de tudo…! Quanto aos estudos, estão a decorrer bem, as provas e os treinos não me afetam em nada.”

“Corro por gosto”

Eunice Fernandes

“Desde há quatro anos que pratico provas de fundo. Já comecei tarde, com 37 anos, mas a minha ambição é melhorar em cada dia. Corro por gosto e aprecio muito o companheirismo deste grupo. Não participo em mais provas porque por vezes a vida familiar e profissional o não permite.”

Acompanhamento psicológico Psicóloga convidada pela direção da AABV, Sandra Diogo destaca a importância deste tipo de apoio: “O acompanhamento psicológico dos atletas pode beneficiá-los a todos os níveis, porque por vezes têm muita dificuldade em gerir problemas emocionais. A prática do desporto inclui fatores de risco associados e qualquer coisa poderá perturbar um pouco o seu desempenho, seja por questões familiares, seja – por exemplo – pela fase de crescimento relacionada com a adolescência, que é um processo muito complexo. A minha função é detetar os sinais e perceber como poderei ajudá-los a enfrentar as dificuldades que possam sentir. Segundo sei, os jovens que acompanho são aqueles cuja evolução desportiva tem originado os melhores resultados.”

nhos do Sporting Clube Lagoense, que optaram por nos fazer companhia e que recebemos de braços abertos”, assinala Vítor Custódio.

Ir mais além No que toca à metodologia de treinos, “é aplicada conforme o que se considera adequado a cada escalão, pois pretendemos treinar os atletas sempre e não queremos campeões imediatos. Os mais novos praticam mais à base dos jogos e da corrida, do salto com barreiras, da estafeta, do salto em comprimento e as respetivas técnicas, pois é de pequenino que se torce o pepino. Depois, quando chegam a uma certa idade, já têm um grau de evolução notório e sabem o que querem”, exemplifica. “Temos neste momento atletas que começaram com sete anos e já são referências a nível nacional nos seus escalões. Possuímos ainda um significativo grupo de quase 50 veteranos, ao passo que os seniores são muito menos… Esse é um fenómeno regional, pois os jovens, ao atingirem os 18 anos, vão estudar para fora e desfalcam as equipas algarvias”, lamenta o treinador. “A Câmara tem sido fundamental no nosso crescimento pelo apoio que dá em todos os aspetos, desde o transporte para as competições, à vertente financeira e na cedência de instalações para treinar. É também de sublinhar

Enterro do Entrudo é em Ferragudo

Carnaval desfila em Lagoa e Mexilhoeira O concelho de Lagoa vai voltar a festejar o Carnaval em grande, com dois desfiles e um Enterro do Entrudo. No dia 26 de fevereiro, domingo, pelas 15h00, terá lugar um desfile na Mexilhoeira da Carregação, onde marcarão presença as principais coletividades. Sob o tema do património, carros alegóricos e muitos foliões, devidamente ‘fardados’ e mascarados, vão proporcionar uma agradável tarde de animação. A 28 de fevereiro, será a vez de Lagoa receber este desfile, na zona do Auditório Municipal. O Enterro do Entrudo realiza-se no dia seguinte, 1 de março, em Ferragudo.

Futebol distrital

GD Lagoa derrotado em casa Os seniores do Grupo Desportivo de Lagoa ‘escorregaram’ na receção ao Esperança de Lagos e perderam por 0-1 o jogo disputado sábado passado, a contar para a 20ª jornada da 1ª Divisão Distrital. Apesar da derrota, o GD Lagoa mantém o 3º lugar da geral com 40 pontos. Na próxima jornada, agendada para 18 de fevereiro, volta a jogar no Estádio Dr. Josino da Costa, recebendo o Imortal de Albufeira. Já na 20ª jornada da 2ª Distrital, o Carvoeiro United venceu em casa o 4 ao Cubo por 2-1, ocupando também o 3º lugar, ao passo que o Mentes do Desporto empatou no seu reduto a duas bolas com o Albufeira FC. PUB

O presidente do clube Paulo Roberto acredita no futuro

Calendário ambicioso Nas próximas semanas, a AABV levará uma delegação de oito atletas à Maratona de Sevilha (19 de fevereiro), marcando ainda presença no Nacional de Corta-mato, em Mira (5 de março) e no Nacional e Cross Curto, em Torres Vedras (11 de março).

a colaboração dos familiares dos mais novos nas deslocações, ou dos próprios desportistas que conduzem as suas viaturas”, destaca Vítor Custódio, antes de garantir: “Os nossos objetivos continuarão a ser divulgar as várias disciplinas do

atletismo. Neste ano desejamos ir um pouco mais além, em função da equipa que temos, em todos os escalões. Pretendemos elevar o nome da associação o mais alto possível, contando com o inexcedível empenhamento do corpo diretivo.”


PUB


Quinta-feira, 16.02.2017

Economia //

EMPREENDEDORISMO CÂMARA E LBC VÃO ESTABELECER PARCERIA

Incubadora de micro empresas vai nascer no centro da cidade Estão a ser estudadas as condições para a criação de uma estrutura que atraia jovens empreendedores a Lagoa. D.R.

NÚMEROS 3 Foi há cerca de três anos que surgiu o LBC nas instalações de um antigo centro comercial 38 Entre os 9 e os 150m2, existem 38 espaços com diversas tipologias, mais de metade dos quais ocupados 99 Os muitos serviços prestados, desde morada para sede social até sala de reuniões, podem custar entre 99 e 199 euros mensais. 21 Neste momento, encontram-se instaladas no LBC 21 empresas dedicadas a diversos tipos de negócio. Luís Encarnação visitou o LBC na companhia do administrador Marco Ferreira Fernando M. Vieira

C

om vista à criação de uma incubadora de micro empresas, Luís Encarnação, vereador da Câmara Municipal de Lagoa, visitou o Lagoa Business Center (LBC) no passado dia 1 de fevereiro, para apurar as possibilidades de parceria a estabelecer entre as duas entidades. O responsável autárquico, que detém o pelouro do Desenvolvimento Económico, falou com alguns empresários instalados no LBC e procurou saber quais as suas expetativas de negócio. Após a visita, reuniu com Marco Fonseca, administrador do LBC, que sintetizou as condições existentes no edifício, apetrechado com algumas dezenas de lojas e gabinetes, além de salas preparadas para formação e ‘coworking’. Na perspetiva de Marco Fonseca, “o LBC não quer ser mais um prédio de escritórios, pelo que apostamos na criação de uma incubadora de empresas ‘start up’, as quais beneficiarão de condições muito favoráveis num período entre os 18 e os 24 meses, para que se possam enrai-

zar em Lagoa”. Para que a ideia resulte, o empresário solicitou a criação de uma parceria com a Câmara, “tendo em linha de conta que a estrutura já está montada.”

Novas tecnologias Depois de felicitar a administração do LBC pela recuperação do edifício, “que se arriscava a ser mais um elefante branco, vazio e ao abandono”, Luís Encarnação considerou o projeto “extremamente interessante”, afirmando que o mesmo “vem ao encontro dos objetivos do executivo camarário. Faz todo o sentido analisarmos esta proposta, uma vez que - já existindo o espaço - a autarquia não necessita de o inventar.” Defendeu também que a colaboração mútua entre edilidade e LBC deverá apostar na área dos serviços e poderá ser articulada com outros projetos do Município, nomeadamente no âmbito da educação. “Estamos atentos à possibilidade de incrementar as atividades económicas do concelho e consideramos de grande importância apoiar os jovens empresários que queiram entrar no mercado de trabalho, privilegiando as novas tecnologias e a

inovação”, destacou o vereador. No final, Luís Encarnação revelou-se satisfeito com o que viu: “Estão aqui criadas todas as condições, quer para a dinamização do comércio local e revitalização do casco urbano e tradicional de Lagoa, quer para a criação de um nicho incubador de pequenas empresas, sempre na perspetiva de que – com este apoio – elas se possam solidificar e instalar na cidade, atraindo investimento e gerando emprego. Vamos aproveitar o que já existe e potenciar este espaço, colocando-o à disposição dos empresários e dos jovens empreendedores.” Em jeito de balanço, Marco Ferreira considerou que a reunião “foi produtiva e dela saíram perspetivas positivas. É uma nova janela de oportunidades que se abre. A intenção de concretizar uma incubadora de empresas sempre esteve no nosso pensamento e agora, por fim, faz-se luz.” Segundo o administrador, “uma das maiores dificuldades para quem abre um negócio é começar cheio de ilusões… e sair com uma mão cheia de nada. Não queremos que isso aconteça a quem apostar no LBC.”

11

OPINIÃO João Reis

GOVERNOS… Admito que não seja fácil ser Governo no nosso País.  Sê-lo,  exige, entre várias  qualidades, um enorme poder de equilíbrio entre os diferentes interesses que se perfilam na sociedade – os de feição económica e financeira, os culturais e sociais, os partidários, de classe, pessoais, tantas vezes antagónicos.  Conciliá-los em cada momento é – reconheço – tarefa difícil, fundamentalmente porque,  acima de todos eles, deve prevalecer o interesse colectivo, aquele que toca a toda a gente. Acrescente-se-lhe, agora, o peso de alguma comunicação social, principalmente o das televisões que, na ânsia de dar notícias, diariamente tentam dissecar as palavras, as medidas, os discursos, as atitudes dos governantes para, logo a seguir, se voltarem para as oposições, procurando motivos de polémica, pedindo opiniões, pontos de vista, comentários que, obviamente, serão contrários aos do Governo, qualquer que ele seja. Embora se perceba que, em ambos os lados, haja quem adore este mediatismo e demonstre à-vontade perante câmaras e microfones, o fardo de Governar deve ser pesado.   Porém, ao mesmo tempo que manifesto compreensão pelas dificuldades, quero lamentar que, com tanto para ocupar o tempo e a mente dos seus Membros, os  Governos venham tentando, já de forma enjoativa, responsabilizar os anteriores pelos males do presente – o actual culpa o anterior; o anterior pôs as culpas no que o antecedeu e, assim, recuando, foram até ao 25 de Abril, que culpou o Estado Novo (que já estava, de facto, em estado velho), que tinha culpado a 1ª República que, por sua vez, culpara a Monarquia.  Isto é (e deixando o humor de lado) – cada Governo tem sido uma ladainha de acusações ao passado, gerindo o imediato e sem reformas de grande alcance, quando nós – Povo – o que desejamos e precisamos cada vez com mais urgência, é de PROGRAMAÇÃO e PLANEAMENTO do FUTURO, numa previsão a  5 – 10 – 15 – 20 anos de distância, bem assentes no estudo das realidades de cada sector da vida do País, dos seus territórios terrestres e marítimo (este, um dos maiores do Mundo,  com 4 milhões de km2), de forma integrada, consistente, consequente; mas também com verdade, transparência, rigor e honestidade.  Poderia cada um de nós,  também, assim, programar a sua vida pessoal, académica, familiar, profissional, prevendo onde e como iríamos “caber” na sociedade que, essa sim, sairia a principal vencedora. Deste modo, remaríamos todos na mesma direcção, independentemente da  “cor” dos Governos, com objectivos bem determinados e conhecidos de todos.  Não se vislumbra, no entanto, um rasgo, um ímpeto, uma decisão no seu real conceito: “sei qual é o caminho; venham comigo!!!” Seria uma atitude de verdadeiro líder… Por mim, fico como o poeta José Régio, no “Cântico Negro”: “não sei por onde vou, sei que não vou por aí.”


Quinta-feira, 16.02.2017

12

// Desporto

ATLETISMO CINCO TRIUNFOS EM OITO PÓDIOS NO CORTA-MATO

Andebol: Vitória em jornada dupla

Sporting Lagoense brilha na Nave

Seniores do LAC ganham e lideram Campeonato da III Divisão Nacional Os seniores do Lagoa Académico Clube (LAC) somaram duas vitórias na jornada dupla do passado fim-de-semana e lideram o Nacional da III Divisão, a par do Oriental e Ginásio do Sul. Um triunfo por 19-16 sobre o Oriental e outro por 24-19 sobre o Mafra comprovam a boa campanha da formação lagoense, que já tinha garantido o apuramento para a fase seguinte. No geral, foi mais um fim-de-semana com muitas vitórias do LAC nos diferentes escalões. Resultados: juvenis masculinos: Almada AC-LAC, 20-28; iniciados masculinos: LAC-Zona Sul, 2124; infantis masculinos: LAC (A)-CC Loulé (A), 38-18; LAC (B)-CC Loulé (B), 42-11; infantis femininos: CV Tavira-LAC, 20-35.

Os ‘leões’ de Lagoa continuam a marcar uma presença bastante positiva nas provas regionais em que participam. D.R.

Torneio Regional

Nadador Completo de Cadetes realiza-se neste fim-de-semana

A comitiva que correu nos vários escalões da prova monchiquense conseguiu um total de oito pódios Manuel Cabrita

F

oram oito os pódios alcançados pelos atletas do Sporting Clube Lagoense aquando do 11º Corta-mato da Nave, realizado a poucos quilómetros de Monchique, no passado dia 29 de janeiro. A equipa de Lagoa, que participou com um total de 15 elementos, conseguiu cinco primeiros lugares, dois segundos e um terceiro, refletindo a qualidade do trabalho desenvolvido pela coletividade e supervisionado pelo treinador Paulo Neto. Nos infantis, Matilde Tapa-

Benjamim vence nas Areias de S. João O pequeno Leandro Brito, representação do Sporting Lagoense, foi o melhor benjamim no 15º Corta-mato das Areias de S. João, prova disputada a 5 de fevereiro e integrada no programa do 40º Cross Internacional das Amendoeiras em Flor. Os verde-brancos de Lagoa obtiveram mais quatro pódios, a cargo de Mafalda Portela (2ª juvenil), Stefan Sequeira (3º juvenil), Matilde Tapadinhas (3ª infantil) e Manuel Rodrigues (2º veterano).

dinhas triunfou, logo secundada por Joana Rodrigues, enquanto em iniciados femininos a vitória coube a Matilde Portela. Os outros primeiros lugares pertenceram ao juvenil Stefan Sequeira, à sénior

Liliana Alves e ao veterano Manuel Rodrigues (V35). Destaque também para o segundo lugar da juvenil Mafalda Portela e para o terceiro posto do sénior Ricardo Silva.

Badminton: Jovens do Parchal obtêm dois vice-campeonatos

Che Lagoense alcança título nacional sub-19 D.R.

A ACD Che Lagoense obteve o título máximo em sub-19 e dois segundos lugares, em sub-15 e sub-13, durante o Campeonato Nacional de Badminton destinado a equipas

mistas e disputado a 4 e 5 de fevereiro nas Caldas da Rainha, tendo ainda sido o clube com mais participações em provas. O triunfo absoluto coube à

equipa mista sub-19, composta por Mariana Leite, Mariana Chang, Beatriz Cristina, Carlos Silva, Ruben Figueiredo, Lúcio Mariguesa, Pedro Martins, Miguel Rocha e Nuno Veiga. A equipa mista sub-15 que se sagrou vice-campeã nacional era constituída por Carolina Pereira, Ana Bergano, Ana Monteiro, Pedro Martins, Daniel Duarte e Ricardo Horta. Por fim, a equipa mista de sub13 também alcançou o vice-campeonato, tendo a seguinte constituição: Maria Wilkinson, Isabella Wilkinson Letícia Melegari. Daniel Duarte, Lucas Jonas e José Roque.

As Piscinas Municipais de Lagoa vão receber, a 18 e 19 de fevereiro, o Torneio Nadador Completo de Cadetes. A prova, dirigida aos nadadores mais novos (8 aos 12 anos), é organizada a nível local pelas associações distritais e decorre simultaneamente em todo o país. Cada atleta tem de competir nos 100 metros de cada estilo e nos 200 estilos, sendo a classificação definida pela soma de cinco provas. O torneio encontra-se entre os mais importantes do calendário competitivo da categoria e contará com a presença de mais de uma dezena de clubes. O evento é organizado pela Associação de Natação do Algarve, em parceria com o Município de Lagoa.

Turma ferragudense lidera Grupo Faro A

Futsal da Sociedade Vencedora destaca-se no Nacional do INATEL A equipa sénior da Sociedade Vencedora Recreativa e Cultural Ferragudense (SVRCF) lidera destacada o Grupo Faro A do Campeonato Nacional de Futsal da Fundação INATEL, conseguindo sete vitórias, três empates e uma derrota nas 11 jornadas disputadas até ao momento. A equipa, que joga no pavilhão polidesportivo da vila, marcou 39 golos e apenas sofreu 19, numa prova que conta com 12 formações. O próximo jogo da SVRCF está marcado para 25 de fevereiro, a partir das 20h30, na receção à Sociedade Recreativa Cacelense.

Competem em Lisboa e Portimão

Judocas da ACD participam em duas importantes provas Os judocas da ACD Ferragudo irão participar em duas importantes competições no decurso deste mês, primeiro já no sábado, 18 de fevereiro, marcando presença em Lisboa no Open de Juvenis. No dia 25, disputam em Portimão o 1º Torneio AJA e o Campeonato Distrital de Juvenis, Cadetes e Seniores.

A 21 de fevereiro

Piscinas recebem encontro de desporto escolar No próximo dia 21 de fevereiro, entre as 10h00 as 13h00, as Piscinas Municipais de Lagoa vão acolher o Encontro Regional de Natação de Desporto Escolar, evento organizado pela ESPAMOL, em parceria com o Município de Lagoa. O torneio é dirigido aos alunos do barlavento algarvio com núcleo de natação no desporto escolar. Desta prova serão apurados os alunos que irão disputar a competição regional, de onde serão escolhidos os melhores para o respetivo Nacional.


Quinta-feira, 16.02.2017

Cultura //

MÚSICA 3ª ELIMINATÓRIA ESTE FIM-DE-SEMANA

AVENTURA PELAS AMÉRICAS

Raquel Tavares nos ‘Sons do Fado’

  TIAGO GONÇALVES

Terceira eliminatória decorre domingo em Carvoeiro. Final a 4 de março no Centro de Congressos do Arade. D.R.

Fadista Raquel Tavares abrilhantará grande final Rui Pires Santos

A

Sociedade Recreativa Carvoeirense 20 de janeiro vai ser o palco, no próximo domingo (16h00), da terceira eliminatória do festival ‘Sons do Fado’, cuja final está agendada para 4 de março no Centro de Congressos do Arade. Em Carvoeiro, além dos concorrentes que vão tentar garantir um lugar na fi-

nal, está prevista a atuação da já conhecida do público lagoense e algarvio Raquel Peters, numa tarde que promete ser passada ao som do melhor fado. Com enorme expetativa é aguardada a grande final, que nos últimos anos se tem realizado no Centro de Congressos do Arade, reunindo cerca de 900 pessoas. Assim, a 4 de março, pelas 21h30, é esperada uma noite de fado mágica,

com o apuramento do vencedor deste concurso, num serão que vai terminar com a atuação da conhecida fadista Raquel Tavares, uma das vozes que representa a nova geração. Os bilhetes para a final já estão à venda e podem ser adquiridos no Convento de S. José (282 380 434) ou em Ticketline. Custam 8 euros e há descontos disponíveis para os portadores do Passaporte Cultural.

Gala de encerramento ‘Lagoa - Cidade do Vinho 2016’

Receitas do concerto de João Pedro Pais revertem a favor de IPSS A receita proveniente da venda de bilhetes da gala de encerramento de ‘Lagoa Cidade do Vinho 2016’ vai reverter a favor das instituições particulares de solidariedade social (IPSS) do concelho. O evento realiza-se no próximo sábado, 18 de fevereiro (21h00), no Centro de Congressos do Arade, e

conta com um concerto de João Pedro Pais. A Câmara de Lagoa tomou a iniciativa de apoiar as IPSS através deste evento e, nesse sentido, cada uma das entidades terá uma tômbola devidamente identificada, onde os espetadores colocarão o ‘canhoto’ do bilhete, escolhendo assim a instituição que pretendem ajudar.

13

Refira-se que este é um evento de balanço de ‘Lagoa - Cidade do Vinho 2016’, galardão conquistado pelo concelho, e motivou um conjunto de eventos e iniciativas. Os bilhetes custam 5 euros e podem ser adquridos - quanto antes - em ticketline ou no Convento de S. José (282 380 434)

Acompanhe a viagem do jovem lagoense: HTTPS://WORLDLONGTRIP.BLOGSPOT.COM FACEBOOK: World Long Trip INSTAGRAM: @tiagomyworld. 

O riquíssimo Machu Pitccu Estou morto de cansaço, mas já vejo as luzes da cidade de Cusco, Perú. Estou a regressar do sítio mais famoso deste país: Machu Picchu. Esta tem sido uma semana muito intensa. Depois de viajar num barco de mercadorias durante dois dias, dormindo numa rede com vista privilegiada sobre a selva amazónica e visitado por golfinhos, iniciei uma ‘tour’ de quatro dias pela selva. Dormindo em casas de madeira e telhado de folhas de palmeira, rodeado por verde e embalado pelo ruído de animais selvagens difícil de identificar, iluminado por duas horas de eletricidade por noite, tomando banho de água fria e sem internet ou qualquer outra ligação ao mundo consumista, assim foi o meu “renascer”. De todas as horas de caminhada pela selva e de remo numa pequena canoa de madeira por zonas inundadas, foi a visita a uma

tribo original do Amazonas que mais me fascinou. Sempre vivendo em comunidade e do que a mãe terra lhes dá, tudo é diferente ao que já vivi. Eles vestidos com saias de palha e com um adorno na cabeça, elas com um pano vermelho preso à cintura e com um colar que não tapa o que no ocidente é pecaminoso, falam uma língua desconhecida onde nem ‘hola’ existe. Com um sentimento profundo de agradecimento à tribo Yaguas, tomei dois voos de Iquitos até Cusco com uma noite de intervalo (não) dormida no chão do aeroporto de Lima. Sem tempo a perder, visitei durante esta manhã Machu Picchu. Apesar de ser um local obrigatório a visitar no Perú, tornaram-no numa forma fácil de enriquecer alguns. Tudo é caro! A viagem de comboio de 3,5 horas de Cusco custa, pelo menos, 100 euros. Da estação final até ao espaço histórico que fica no topo de uma

montanha de difícil acesso, o autocarro mais caro por quilómetro percorrido de toda a América do Sul custa 24 euros (20 km). Para finalizar o roubo aos estrangeiros, a entrada custa 44 euros. Eu, como não sou turista, fiz todo o percurso de forma alternativa. Apanhei duas carrinhas até ao acesso por estrada mais próximo de Machu Picchu e depois caminhei durante duas horas e meia ao lado dos carris de comboio. Fiquei espantado com as centenas de pessoas que também fazem esta caminhada. Chegado à vila de Aguas Calientes, foram outras duas horas e meia de escadas até ao lindo e místico Machu Picchu. Para finalizar este longo dia, estou numa carrinha de regresso a Cusco. No fundo, para além de ter poupado um dinheirão que não é usado para melhorar as condições de vida dos peruanos, foi uma experiência única com imensas histórias para contar.


Quinta-feira, 16.02.2017

14

// Saúde

Síndrome da visão do computador

José Guerreiro Optometrista SolAmparo Ópticas (Optivisão)

Os computadores, tablets e telemóveis podem ter muita utilidade, mas em excesso são prejudiciais. À medida que estas tecnologias se tornam parte da nossa vida quotidiana, mais e mais pessoas vão-se queixando de uma variedade de sintomas oculares relacionados com o uso excessivo destes equipamentos. A síndrome da visão do computador é a combinação de problemas oculares e de visão associados ao uso de computadores. Na sociedade ocidental moderna, o uso de computadores tanto para atividades vocacionais como para atividades profissionais é quase universal. No entanto, esta síndrome pode ter um impacto significativo, não só no conforto visual, mas também

na produtividade ocupacional, uma vez que grande parte dos usuários apresentam sintomas visuais que podem incluir, -fadiga ocular -dores de cabeça -desconforto ocular -irritação -ardor ocular -sensação de areia nos olhos -lacrimejo -olhos vermelhos -diplopia -visão turva Considera-se que as principais causas para estas condições são, nomeadamente, anomalias oculomotoras e olho seco. Esta última é provavelmente devido a uma diminuição do ritmo do pestanejo. Normalmente, o ser humano pisca o olho entre 16 a 20 vezes por minuto, mas quando está concentrado em frente a um monitor, esta frequência pode cair para 6 a 8 pestanejos por minuto, resultando na diminuição do reflexo de piscar e, consequentemente, na desidratação da superficie ocular. Somado a isso, há o esforço em focar a imagem que se encontra muito próxima e durante um longo período de tempo, o que requer um grande esforço dos

músculos dos olhos, levando à sensação de fadiga ocular. Algumas formas de aliviar os sintomas O tratamento do olho seco é feito por meio do uso de humidificadores oculares, utilizando-se lágrimas artificiais, o que auxilia na diminuição da secagem dos olhos. Além disso, recomenda-se a quem passa muito tempo na frente do computador que pisque de forma voluntária, com mais frequência, bem como focar um objeto distante, de forma a descansar os músculos oculares. A prevenção ou redução dos problemas de visão associados à síndrome de visão do computador envolve em tomar medidas para controlar a iluminação e o brilho do dispositivo, estabelecendo distâncias e postura de trabalho adequadas para a visualização do monitor e assegurando que mesmo pequenos problemas de visão sejam corretamente corrigidos. Olhar para um computador ou qualquer outro dispositivo digital muitas vezes faz com que os olhos trabalhem mais e é diferente da leitura de um livro. Muitas vezes as letras no computador não são tão precisas ou

nitidamente definidas, o nível de contraste para o fundo é reduzida e a presença de reflexos podem dificultar a visualização. A utilização dos equipamentos deve ser feita nas melhores condições possíveis, por exemplo com monitores de qualidade, iluminação adequada, filtros anti-reflexo, posicionamento ergonômico do monitor do computador e pausas de trabalho regulares que podem ajudar a melhorar o conforto visual. Os oftalmologistas e optometristas recomendam a regra 20-2020: a cada 20 minutos, parar 20 segundos e olhar para alguma coisa a 20 pés (cerca de seis metros). Em alguns casos, indivíduos que não requerem o uso de óculos para outras atividades diárias mas podem beneficiar de óculos prescritos especificamente para o uso de computador. Pode ser até mesmo necessário terapia visual, que é um programa estruturado de atividades para melhorar as habilidades visuais. Estes exercícios de olho ajudam a remediar deficiências no movimento dos olhos e reforçar a conexão olho-cérebro. O tratamento pode incluir procedimentos de treino em casa

com uma simples caneta. Trata-se de um problema que está em crescimento acelerado, resultante da evolução tecnológica e da mudança dos métodos de trabalho, em todo o caso é possível prevenir ou pelo menos minorar. Não deixar que as gerações futuras percam a visão A síndrome visual de computador até pode ser tratada, mas será difícil, se não mesmo impossível, apagar os males já infligidos pelo domínio da tecnologia no mundo moderno. As nossas crianças brincam cada vez menos na rua e mais nos computadores, nos tablets e nos smartphones, ficando menos expostas à luz solar e à visão de longe, e a miopia está a aumentar. Ver-se mais ao perto e a falta de sol reduz a produção de dopamina, essencial para evitar o aumento axial do globo ocular: o tamanho normal é de 22 a 23 centímetros e um míope tem 24 ou até mais de 25. As novas gerações vão ver pior do que as anteriores. Cabe-nos a nós informar, educar e contrariar esta tendência que se vislumbra.

// Diversos Marque na sua agenda…

D.R.

água fria, sem as abrir, para as libertar de impurezas. Em seguida, tempere com sal e pimenta quanto baste.

Lulas com ferrado à nossa moda (Receita para quatro pessoas) INGREDIENTES • 1,2 kg de lulas médias • 800 g de batatas • 1 dl de azeite • 3 dentes de alho • 1 folha de louro • 1 dl de vinho branco seco • 1 raminho de salsa • Meio limão • 3 grãos de pimenta • sal e pimenta a gosto PREPARAÇÃO 1. Amanhe as lulas, retirando-lhes as tripas e a pele. Lave-as bem em

2. Leve um tacho ao lume. Deite o azeite, os dentes de alho esmagados com pele, a folha de louro e os grãos de pimenta. Deixe alourar os dentes de alho, sem queimar. 3. Junte as lulas, fritando dos dois lados, de preferência em lume brando. 4. Regue com vinho branco e se necessário, um pouco de água, para que termine a cozedura. Por fim, polvilhe com salsa picada. 5. Sirva numa travessa, acompanhadas de batatas cozidas e gomos de limão. Nota Importante: Escolha lulas com tamanho médio, para facilitar a cozedura, uma vez que ficam bem mais tenras.

17 FEVEREIRO – 21H30 Teatro: Leôncio e Lena Auditório Municipal de Lagoa 18 FEVEREIRO – 21H00 Gala de encerramento ‘Lagoa - Cidade do Vinho 2016’ Concerto João Pedro Pais Centro de Congressos do Arade 18 FEVEREIRO – 21H30 XVII Festival de Música al-Mutamid Auditório Municipal de Lagoa 18 E 19 FEVEREIRO Torneio Nadador Completo de Cadetes Piscinas Municipais 19 FEVEREIRO – 16H00 Festival Sons do Fado (3ª eliminatória) Fadista convidado: Raquel Peters Sociedade Recreativa Carvoeirense ‘20 de Janeiro’

21 FEVEREIRO - 10H00 ÀS 13H00 Encontro de Natação de Desporto Escolar Piscinas Municipais 25 FEVEREIRO Torneio mini polo-aquático Piscinas Municipais 26 E 28 FEVEREIRO – 15H00 Desfile de Carnaval das associações Mexilhoeira da Carregação e Lagoa

FARMÁCIAS COM SERVIÇO NOTURNO 16 A 19 DE FEVEREIRO JOSÉ MACETA (LAGOA) 20 A 26 DE FEVEREIRO AMPARO LAGOA 28 DE FEVEREIRO A 2 DE MARÇO VIEIRA SANTOS (ESTÔMBAR)


PUB

Uma nova geração de cuidados de saúde mais perto de si A new generation of health care you ESPECIALIDADES Cardiologia Dr. Alberto Felizardo Dermatologia Dr.ª Manuela Loureiro Fisiatria e Medicina de Reabilitação Dr. Carlos Machado | Dr. Miguel Costa Dr. Rui Sales Terapia da Fala Dr.ª Tânia Francisco Psiquiatria Dr.ª Maria José Varanda Endocrinologia Dr. Jorge Portugal Medicina Dentária Dr.ª Sara Mendes Medicina Geral e Familiar Dr. João Gomes | Dr. Luis Neves Sena Dr. Nelson Santos | Dr. Ponces de Carvalho Dr.ª Maria Jesus Barradas Medicina Interna Dr. António Cabral | Dr. Vanessa Machado

Urologia Dr. Miguel Rodrigues Nutrição Dr.ª Cristina Garrocho Nutrição Desportiva Dr. Marco Pereira Oftalmologia Dr. Carlos Gião Ortopedia Dr. Rui de Sousa Otorrinolaringologia Dr. Vitor Rebelo Pediatria Dr.ª Regina Moreira Psicologia Dr.ª Sandra Diogo Imunoalergologia Dr.ª Filipa Ribeiro Psicoterapia Dr.ª Jacqueline Blanquine

SERVIÇOS Enfermagem | Enfermagem ao domicílio | Fisioterapia ao domicílio Pilates | Yoga para crianças | Classe de mobilidade geral Rua da Liberdade, nrº38 8400-369 Lagoa T.: 282 342 720 | 916 367 621 geral@clinicaparticulardelagoa.pt www.clinicaparticulardelagoa.pt


16 de fevereiro de 2017 - Quinta-feira

ARTE INICIATIVA DA UNIÃO DAS FREGUESIAS

A fechar... Apreendidos cinco quilos de framboesas na Praia do Carvoeiro

Pintura de caixas da EDP embeleza Lagoa Projeto começou em Carvoeiro, já chegou à cidade e apresenta imagens que não deixam ninguém indiferente. FOTOS: D.R.

Uma patrulha da GNR de Carvoeiro, efetuou a 7 de fevereiro, pelas 11h00, a apreensão de cerca de 5,4 quilos de framboesas a um cidadão português. O homem, na casa dos 30 anos, residente no concelho de Faro encontrava-se a fazer a venda ambulante sem ter apresentado a comunicação prévia à Direção Geral das Atividades Económicas. Os bens apreendidos pelas autoridades foram entregues ao Centro de Apoio Social da Praia do Carvoeiro.  

Idosa encontrada morta por vizinha na Bela Vista Foi encontrada morta em casa, a 6 de fevereiro, uma senhora de 84 anos, na zona da Bela Vista, Parchal. A idosa, descoberta por uma vizinha, estava caída no chão, no corredor da habitação, perto do telefone. As autoridades deslocaram-se ao local e, segundo apurou o Lagoa Informa, não havia sinais de violência. A tese da GNR é que a vítima, que vivia sozinha, tinha historial de problemas cardíacos, ter-se-á sentido mal e tentou dirigir-se ao telefone para pedir ajuda.

Pinturas mostram símbolos e imagens típicas da cultura e tradições lagoenses Rui Pires Santos

D

esde o fim de janeiro que Lagoa viu começarem a ser decoradas as cinzentas e desgastadas caixas da EDP que proliferam pelas ruas. A iniciativa da União das Freguesias de Lagoa e Carvoeiro está a dar outra cor e brilho à cidade, apresentando desde já – ainda estão pintadas cerca de 15 das 90 caixas previstas... – pinturas de grande qualidade e forte impacto visual. Caracterizadas por cores vivas e elementos tradicionais, relacionados com a cultura e tradições lagoenses, “as imagens mostram a quem visita a cidade um pouco da riqueza que podem cá encontrar”, explica ao Lagoa Informa Joaquim João, presidente da União das Fre-

guesias de Lagoa e Carvoeiro. As pinturas, a cargo do artista lagoense Stephen Jones, começaram na Rua Dr. Ernesto Cabrita, mas vão estender-se nas próximas semanas às ruas da Liberdade, Mouzinho de Albuquerque, 25 de Abril, Coronel Figueiredo, Hintze Ribeiro, Francisco Sá Carneiro e Alfredo Keil. Serão também alvo desta intervenção os Largos 5 de Outubro e Miguel Bombarda. “Esta é mais uma das intervenções da União das Freguesias que vai contribuir para uma imagem mais positiva e moderna da cidade e que se enquadra na nossa forma de estar e pensar. Queremos uma freguesia bonita, da qual nos possamos orgulhar. Este projeto teve grande impacto na vila de Carvoeiro e já está a tê-lo na cidade de Lagoa. É

com enorme orgulho, mas sem qualquer tipo de vaidade, que vemos mais um projeto iniciado na nossa freguesia ser replicado nos concelhos vizinhos e, até, um pouco por todo o país”, afirma Joaquim João.

Carvoeiro mais colorido Enquanto o projeto arranca em Lagoa, na Praia de Carvoeiro os artistas Hélder José e Phil Francis estão a pintar as caixas da EDP que foram recentemente substituídas e a decorar o Farol de Alfanzina no posto de transformação (PT) do Hotel Mirachoro Praia, na estrada do Farol. “A iniciativa das pinturas das caixas não termina na primeira intervenção, continuará, e sempre que houver caixas substituídas voltaremos a intervir”, refere o autarca ao Lagoa Informa. PUB

Homem detido por agredir GNR em Ferragudo Um homem, de 58 anos, foi detido a 4 de fevereiro em Ferragudo por injúrias e agressão a um militar da GNR de Lagoa. Em plena via pública, o individuo abordou o elemento da guarda que se encontrava a pé, começou a insultá-lo e, inesperadamente, agrediu-o. Foi de imediato detido no local. Residente naquela vila, o agressor apresentava desequilíbrio mental. Foi presente a tribunal a 6 de fevereiro.

‘Olhos que falam’ na Escola de Artes até 4 de março A exposição ‘Olhos que falam’ foi inaugurada a 4 de fevereiro na Escola de Artes Mestre Fernando Rodrigues, em Lagoa. Fruto do trabalho pictórico de oito pessoas, orientado pela artista plástica Mirjam Cool, além de uma diversidade de técnicas, o processo criativo das obras revela ainda enorme sensibilidade e riqueza cromática. Uma exposição a não perder até 4 de março.

PUB


Lagoa Informa 43