Page 71

Em Órbita

Sirius FM-6 – A magia da rádio por satélite O segundo lançamento orbital realizado a 25 de Outubro de 2013 assistiu à colocação em órbita do satélite Sirius FM-6 a partir do Cosmódromo de Baikonur. O lançamento foi levado a cabo pelo foguetão 8K82KM Proton-M/Briz-M (93535/99542) a partir da Plataforma de Lançamento PU-39 do Complexo de Lançamento LC200.

Sirius FM-6 O satélite Sirius FM-6 é um satélite de alta potência projectado pela Space Systems/Loral para a SiriusXM Radio. O satélite faz parte da frota de veículos em órbita que transmitem música, eventos desportivos, notícias, entrevistas, entretenimento, tráfego, meteorologia e dados em todo o território dos Estados Unidos. Tendo por base a herança da plataforma 1300 da SS/L, o Sirius FM-6 é o 7º satélite da SS/L para a frota da SiriusXM. Com cerca de 20kW de potência no final da sua vida útil, é um dos mais potentes satélites construídos nos nossos dias. O satélite terá uma vida operacional de mais de 15 anos e estará localizado na órbita geossíncrona a 115º de longitude Oeste. O sistema Satellite Digital Audio Radio Services (SDARS) tem estado em operação na América do Norte sem qualquer problema desde 2001, fornecendo a milhões de subscritores móveis e fixos com um variado leque de serviços de rádio. A frota de satélites da SiriusXM é composta por duas constelações consolidadas durante a fusão em 2008 de duas empresas pioneiras de rádio, a Sirius Satellite Radio e a XMSatellite Radio. O Sirius FM-6 é o 10º satélite na frota da companhia que inclui os satélites da Sirius e da XM. Tirando partido do desenho modular da plataforma 1300, bem como do seu desenho, componentes, processos e técnicas de integração, as principais características do Sirius FM-6 são: 1- Uma estrutura rectangular principal de transporte que alberga equipamento electrónico e fornece a necessária capacidade de dissipação térmica para manter as unidades dentro dos limites das suas temperaturas de qualificação; 2- Uma estrutura física voltada para a Terra que suporta o sistema da antena de recepção de banda-X de 1,2 metros, um subreflector de 2,4 metros, além de antenas de telemetria e de comando, bem como sensores necessários para a determinação orbital; 3- Um sistema de transmissão com uma antena de banda-S composto por um alimentador de banda-S, o subreflector de 2,4 metros, e uma antena de montagem lateral (lado Este) de 9 metros; 4- Dois painéis solares compostos de células solares de gálio – arsénio numa Advanced Triple Junction (ATJ) para fornecimento de energia. Para as operações em eclipse, a energia é armazenada em quatro baterias de iões de lítio de 24 células fornecendo 80 Ah. 5- A elevação orbital e a manutenção dos parâmetros orbitais são conseguidas através de uma combinação de subsistemas de propulsão química e eléctrica. Doze propulsores de controlo de atitude estão localizados nos cantos e nas faces Norte/Sul da principal estrutura de suporte, com o Main Satellite Thruster (MST), utilizado principalmente durante a fase de elevação orbital, localizado na face anti-Terra. Dois módulos Stationary Plasma Thruster (SPT) estão também localizados nas faces Norte/Sul. 6- A estabilização orbital e a orientação das antenas são conseguidas utilizando um subsistema Attitude Control Subsystem (ACS) de quatro rodas. O ACS mede a atitude do satélite em relação à Terra utilizando um sensor terrestre ou um sensor estelar, combinado com um processador de propagação orbital e um sistema de controlo baseado em giroscópio de operação contínua. A informação sobre o erro em relação à atitude é automaticamente processada e a atitude do satélite é corrigida operando as rodas de momento. Semelhante aos satélites Siriuz FM-1/2/3/4/5, o Sirius FM-6 é composto por um único repetidor de alta-potência. Em Órbita – Vol.13 – N.º 142 / Novembro de 2013

70

Profile for Rui Barbosa

Em Órbita 142 Novembro de 2013  

Edição de Novembro de 2013 com a segunda parte dos artigos sobre os lançamentos orbitais de Setembro de 2013 e os lançamentos de Outubro de...

Em Órbita 142 Novembro de 2013  

Edição de Novembro de 2013 com a segunda parte dos artigos sobre os lançamentos orbitais de Setembro de 2013 e os lançamentos de Outubro de...

Advertisement