Page 35

Às 2057:50UTC (T-1m) o foguetão 11A511U-FG Soyuz-FG começa a receber energia das suas próprias baterias, dando-se início à sequência automática de lançamento. Nesta altura é separada a primeira torre umbilical conectada ao lançador. O segundo braço umbilical para fornecimento de energia ao terceiro estágio separa-se do lançador às 2058:10UTC. A ‘Chave de Lançamento’ é colocada na posição de lançamento às 2058:30UTC, iniciando assim o sequenciador automático, entrando em ignição os motores do primeiro (propulsores laterais) e segundo estágio, atingindo um nível de força intermédio. O segundo mastro umbilical separa-se do lançador às 2058:35UTC e as turbo-bombas dos motores a funcionam à velocidade de voo a T-10s (2058:40UTC). Os motores do primeiro estágio atingem a força máxima às 2058:45UTC, com o veículo a abandonar a plataforma de lançamento e os quatro mastros de suporte do veículo a deslocarem-se para a posição de segurança ás 2058:50,411UTC. A tabela mostra os tempos dos diferentes acontecimentos durante o lançamento. O impacto no solo do sistema de emergência tiver lugar na Área n.º 16 localizada no Distrito de Karaganda, Cazaquistão. O sistema de emergência tem uma massa de 1.935 kg. O impacto no solo terá ocorrido a 47º 18’ N – 67º 14’ E. O impacto no solo dos propulsores que constituíram o primeiro estágio teve lugar na Área n.º 49 localizada no Distrito de Karaganda, Cazaquistão, a uma distância de cerca de 348 km. A carenagem de protecção acabou por cair na Área n.º 69 localizada no Distrito de Karaganda a uma distância de cerca de 527 km, enquanto que o segundo estágio impactou nas Áreas n.º 306 e 307 localizada no Distrito de Altai, República de Altai (Rússia) – Distrito de Cazaquistão Este (Cazaquistão), a uma distância de cerca de 1.570km. A secção de ligação entre o 2º e o 3º estágio acabou por impactar na Área n.º 309 localizada no Distrito de Altai, República de Altai (Rússia) – Distrito de Cazaquistão Este (Cazaquistão). Após se separar do terceiro estágio do foguetão lançador, a Soyuz TMA-10M ficou colocada numa órbita com um perigeu a 199,1 km, apogeu a 241,1 km, inclinação orbital de 51,69º e período orbital de 88,63 minutos. Para chegar `estação espacial internacional a Soyuz TMA-10M iria realizar várias manobras em órbita. As duas primeiras manobras seriam realizadas logo após a separação do terceiro estágio do foguetão lançador, com os dados balísticos a serem introduzidos pelos cosmonautas no computador de bordo TsVM-101 de forma manual antes do lançamento. Na segunda órbita, novos dados seriam transmitidos a partir do solo sendo automaticamente introduzidos no computador de controlo e utilizados nas manobras orbitais subsequentes e que seriam realizadas antes da aproximação final à ISS. Na altura em que a Soyuz TMA-10M entrava em órbita terrestre, a ISS encontrava-se numa órbita com um perigeu a 414,09 km, apogeu a 434,90 km, inclinação orbital de 51,65º e período orbital de 92,81 minutos. A Soyuz TMA-10M iniciava então uma «perseguição» de cerca de seis horas à estação espacial internacional ao longo das quais eram executadas algumas manobras orbitais que alteram os parâmetros da órbita do veículo tripulado.

Em Órbita – Vol.13 – N.º 132 / Janeiro de 2012

34

Profile for Rui Barbosa

Em orbita 141 Outubro de 2013  

O lançamento de três novos membros para a tripulação da ISS a bordo da Soyuz TMA-10M e a primeira parte dos artigos relacionados com os lanç...

Em orbita 141 Outubro de 2013  

O lançamento de três novos membros para a tripulação da ISS a bordo da Soyuz TMA-10M e a primeira parte dos artigos relacionados com os lanç...

Advertisement