Page 8

Em Órbita

Três universidades, um desafio Após meses de análises e de testes, a equipa do Telescópio Espacial Kepler termina as suas tentativas para recuperar o observatório e está agora a considerar que novas pesquisas pode levar a cavo na sua condição actual. Dois dos quatro sistemas giroscópicos do Kepler, que são utilizados para orientar o veículo com precisão, deixaram de funcionar, com o primeiro a ser perdido em Julho de 2012 e o segundo em Maio de 2013. Os esforços dos engenheiros para restaurar pelo menos um dos sistemas, não foram bem sucedidos. O Kepler finalizou a sua missão principal em Novembro de 2012 e iniciou a sua missão prolongada de quatro anos nessa altura. Porém, o observatório necessite de três sistemas de orientação funcionais para continuar a sua busca por exoplanetas do tamanho da Terra, que são planetas no exterior do Sistema Solar, orbitando estrelas como o Sol no que é denominada como ‘zona habitável’ – uma zona em torno dessas estrelas onde a temperatura à superfície desses planetas seja compatível com a existência de água líquida. À medida que os cientistas analisam os dados anteriormente recolhidos, a equipa do Kepler também está a analisar se o telescópio espacial pode levar a cabo um tipo distinto de programa científico, incluindo a busca de exoplanetas, utilizando os restantes dois sistemas de orientação. A 8 de Agosto os cientistas realizaram um teste de performance de sistemas para avaliar as actuais capacidades do Kepler. Foi determinado que o Sistema 2, que falho em 2012, não pode proporcionar a orientação necessária para a obtenção de dados científicos. O observatório foi de novo colocado no seu ponto de repouso, que é uma configuração estável onde o Kepler utiliza pequenos motores para controlar a sua orientação com uma utilização mínima de propolente. Um estudo de engenharia será levado a cabo sobre as modificações necessárias para gerir as operações científicas com o observatório a utilizar uma combinação dos seus restantes sistemas de orientação e os seus pequenos motores para o controlo de atitude. Tendo por base as contribuições da comunidade científica em resposta ao apelo anunciado a 2 de Agosto, a equipa do projecto Kepler irá realizar um estudo para identificar possíveis oportunidades científicas para o futuro do Kepler. Dependendo do resultado destes estudos, que se espera estarem finalizados em finais de 2013, a NASA irá determinar a prioridade científica da missão do Kepler. Tal análise pode incluir uma análise de prioridade em relação a outras missões astrofísicas da NASA que competem por fundos operacionais para o próximo ano. Notícia baseada num texto da NASA

As manobras misteriosas do Shiyan-7 No passado dia 19 de Julho, a China colocou em órbita três satélites a partir do Centro de Lançamento de Satélites de Taiyuan. Apresentados como satélites de demonstração tecnológica, o Chuangxin-3, Shiyan Weixing-7 e Shijian-15, têmse dedicado às suas tarefas em órbita terrestre. No entanto, um destes satélites parece particularmente activo, executando constantes alterações de órbita e realizando aproximações a outros satélites numa sucessão de manobras que têm feito levantar a curiosidade dos especialistas Ocidentais. O satélite SY-7 Shiyan-7 já havia realizado manobras de aproximação ao satélite CX-3 Em Órbita – Vol.13 – N.º 140 / Setembro de 2013

7

Profile for Rui Barbosa

Em Órbita 140 Setembro de 2013  

Edição n.º 140 do Boletim Em Órbita. Nesta edição pode-se encontrar vários artigos sobre os lançamentos orbitais realizados em Agosto de 201...

Em Órbita 140 Setembro de 2013  

Edição n.º 140 do Boletim Em Órbita. Nesta edição pode-se encontrar vários artigos sobre os lançamentos orbitais realizados em Agosto de 201...

Advertisement