Page 86

Em Órbita Desenhado e construído pela Astrium, o Alphasat incorpora três feitos notáveis num único programa. Não só possuí mais de 200 sinais de transmissão, com a capacidade de formação de sinais digitais, mas assinala o primeiro voo da nova plataforma Alphabus, estando também equipada com quatro cargas de demonstração tecnológica para a agência espacial europeia. De facto, é o número de sinais e a capacidade de formação de sinais digitais que denotam a alta capacidade tecnológica do veículo. A carga faz a melhor utilização do limitado espectro disponível na banda L para gerir de forma eficiente numerosas comunicações com o máximo de flexibilidade tanto a nível de frequência como na alocação de potência de transmissão de acordo com os requisitos do utilizador. Os oito processadores integrados IP (Integrated Processor), desenvolvidos pela Astrium, são os elementos chave desta carga. O IP desenvolvido para a missão móvel do Alphasat é a mais recente evolução da linha de produtos Digital Signal Processors da Astrium. É baseado na tecnologia modular do Next Generation Processor da Astrium, que pode ser utilizada noutras aplicações tais como missões de banda larga e missões militares. A função primária do IP do Alphasat é a canalização e combinação de canais para o sinal desejado. Eles são os elementos chave para a geração de sinais localizados e o associado ganho de canal. Isto proporciona ao Alphasat a máxima flexibilidade tanto em frequência como em alocação de energia para sinais com uma maior demanda de tráfego. Os oito grandes processadores pesam cerca de 250 kg e utilizam as mais recentes tecnologias de electrónica para trabalharem em paralelo a bordo do Alphasat, fornecendo ao satélite uma capacidade de processamento sem precedentes a bordo de um satélite comercial: pode executar mais de 10 triliões de cálculos por segundo. Estas novas tecnologias irão permitir ao Alphasat gerir as comunicações em toda a Europa, África e Médio Oriente com facilidade e proporcionar uma capacidade extra – o Alphasat é capaz de tratar mais de 750 canais de banda L com uma qualidade melhorada, que é essencial para os utilizadores de telefone por satélite. Como resultado de uma utilização mais eficiente do espectro, o satélite garante comunicações em áreas sem infra-estrutura terrestre, em particular em emergências humanitárias. Isto vai permitir às autoridades governamentais manter o contacto com populações dispersas e manter transmissões de dados e voz de forma segura para sectores tais como a imprensa, transportes marítimos, indústria do petróleo e gás, etc.

Em Órbita – Vol.13 – N.º 139 / Agosto de 2013

85

Profile for Rui Barbosa

Em Órbita 139 Agosto de 2013  

Edição n.º 139 do Boletim Em Órbita para o mês de Agosto de 2013.

Em Órbita 139 Agosto de 2013  

Edição n.º 139 do Boletim Em Órbita para o mês de Agosto de 2013.

Advertisement