Page 16

Em Órbita

Actividade extraveícular EUA 23 Chris Cassidy e Luca Parmitano realizaram outro passeio espacial a 16 de Julho (EUA AEV-23). Estava planeado como uma actividade extraveícular de mais de seis horas mas foi encurtado quando uma certa quantidade de água começou a invadir o capacete de Parmitano. A escotilha do Quest foi despressurizada cerca das 1154UTC, sendo aberta pelas 1156UTC. Cassidy e Parmitano finalizaram as suas primeiras tarefas que envolveram a colocação de cabos no exterior, quando às 1242UTC Parmitano relatou que havia água no seu capacete. O problema foi piorando, e o trabalho extraveícular foi suspenso pelas 1254UTC; pelas 1306UTC foi tomada a decisão de regressar à ISS. Existem duas formas de fazer isto, 'finalizar', que envolve a arrumação e o regresso sem qualquer pressa, e 'abortar', que envolve deixar tudo no lugar e sem arrumar, ignorar algumas das verificações normais, e realizar uma repressurização rápida. O Controlo de Missão escolheu seguir o procedimento mais calmo. Parmitano estava no interior da escotilha pelas 1312UTC, com Cassidy a entrar pelas 1321UTC e com a escotilha ser encerrada às 1326UTC. Neste ponto havia tanta água no capacete de Parmitano que ele não conseguia ver os sistemas de controlo da escotilha nem tão pouco comunicar com o solo, e a preocupação pela sua segurança aumentou. A repressurização da escotilha foi iniciada às 1329UTC e a escotilha interna foi aberta às 1337UTC, seguindo-se a remoção rápida do fato extraveícular com os astronautas Nyberg e Yurchikin a removeram o capacete de Parmitano e a limparem a água com toalhas. O comentador de ralações públicas da NASA, repetidamente declarou durante este processo que a tripulação não esteve em perigo. Vamos recordar que estamos a cair no vácuo a 27.000 km/h, 300 km acima da atmosfera planetária, somente com algumas camadas de tecido entre nós e uma morte certa, num ambiente recheado com extremidades cortantes e desafios térmicos, e com umas poucas horas de abastecimento de ar caso o equipamento no fato extraveícular funcione como previsto. Agora, estamos repentinamente «cegos», incapazes de comunicar e a tentar respirar água. Para citar Arthur Dent, "este deve ser um novo conceito da palavra 'seguro' da qual não me apercebi anteriormente". Uma referência para o profissionalismo dos astronautas e da equipa de controlo no solo ao ultrapassarem esta emergência de forma calma e efectiva - apesar de se poder discutir sobre um regresso mais rápido ao interior. O facto extraveícular de Parmitano, EMU 3011, foi utilizado pela primeira vez na missão STS-96 em 1999; após duas anteriores missões na ISS entre 2002-2006 e 2008-2009, foi lançado de novo na missão STS-132 em Maio de 2010 e tem estado a bordo da estação espacial desde então. O fato de Cassidy tem estado no espaço desde 2009. Existem outros dois fatos EMU e três fatos Orlan na estação.

Em Órbita – Vol.13 – N.º 139 / Agosto de 2013

15

Profile for Rui Barbosa

Em Órbita 139 Agosto de 2013  

Edição n.º 139 do Boletim Em Órbita para o mês de Agosto de 2013.

Em Órbita 139 Agosto de 2013  

Edição n.º 139 do Boletim Em Órbita para o mês de Agosto de 2013.

Advertisement